SlideShare uma empresa Scribd logo
PARTE 3 AGIR
O NOVO virá, quer participemos ou não do processo de sua criação. Fugir do NOVO, manter as estruturas, é fugir da responsabilidade enquanto cristãos leigos e leigas, enquanto Igreja.
2- Uma nova forma de viver a economia a serviço da pessoa e não do capital ou lucro. A necessária presença do LAICATO na construção do NOVO propôe: 1- Uma nova forma de  entender o TER como secundário do SER.
3- Uma nova forma de viver a relação com o outro e com o Outro. Uma nova forma de entender  o ser humano como responsável pelo coletivo.
.  E aos leigos e leigas, pela sua vocação laical, cabem essa atuação firme e preponderante no tecido humano da sociedade.
PARTICIPAÇÃO DO CRISTIANISMO NESSA NOVA VISÃO DE MUNDO. É um clamor que vem não somente de quem tem fé, mas também dos que, de forma independente, vêem a importância de re-colocar os valores cristãos na vivência humana.
Mudanças Desafio para os cristãos  leigos e leigas
1  Todos os valores herdados 2  As estruturas do Estado e da Democracia 3  Todo o sistema econômico 4  O nosso modo de vida 5  O modo de vivermos a religião 6 A estrutura eclesial 7 A família PRIMEIRO DESAFIO ENTENDER O QUE ESTÁ EM JOGO NESTE MOMENTO
COMO SER MUNDO NO CORAÇÃO DA IGREJA E IGREJA NO CORAÇÃO DO MUNDO. SEGUNDO  DESAFIO Leigos e leigas entenderem  a si, à sua vocação eclesial, e o papel que esta vocação tem que desempenhar ou seja:
Onde a Igreja era considerada a Hierarquia e chegou a ser considerada ela mesma o Reino de Deus: “fora dela não havia salvação”. Leigos e leigas NÃO vivenciarem mais, um passado onde eram considerados “crianças que deveriam ser levados pela mão da hierarquia”, “objetos de cura pastoral” portanto da ação evangelizadora do clero.
. Têm uma vocação tão imprescindível como as demais vocações. Têm uma vocação imprescíndivel, como as demais  vocações. Pela vocação laical o Espírito os impulsiona a transformar o mundo a partir do Reino pregado por Jesus Leigos e leigas  são membros do Povo de Deus. Pelo batismo, sacerdotes, reis e  profetas. O Concílio Vaticano II nos traz de volta, o nosso estatuto eclesial:
Como leigos e leigas devem “ser Igreja” Este é um grande desafio:  SER SUJEITO ECLESIAL. Objeto e sujeito não se relacionam, portanto se Igreja é Comunhão todos seus membros se constituem sujeitos eclesiais. Implica em participar das decisões, não serem tarefeiros mas co-responsáveis pela Missão por isso precisam de muita formação.  TERCEIRO DESAFIO Vocação laical
OUTROS DESAFIOS FORMAÇÃO   integral, sistemática, alcançando a vida pessoal e eclesial de leigos e leigas especialmente sua vocação laical. Os leigos e leigas serem de fato,  homens e mulheres da Igreja no coração do mundo e homens e mulheres do mundo no coração da Igreja.
LAICATO Protagonista da evangelização em uma nova civilização.
LAICATO Protagonista da construção de uma  nova civilização plantando as sementes do Evangelho
QUESTÕES PARA O DEBATE 1- Como ser protagonista da nova evangelização em um mundo em mudança e protagonista numa Igreja que deve responder às mudanças?
2-Que civilização nova, nós cristãos  estamos ajudando a construir? 3-Como pautar os novos valores com os valores do Reino? 4-Que sinais dos tempos o CNLB apontará para que leigos e leigas sejam de fato, homens e mulheres construtores do NOVO no coração do Mundo e da Igreja?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estudos107 cristãos leigos - CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADE
Estudos107 cristãos leigos - CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADEEstudos107 cristãos leigos - CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADE
Estudos107 cristãos leigos - CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADE
Bernadetecebs .
 
Vaticano ii perspetiva pastoral
Vaticano ii   perspetiva pastoralVaticano ii   perspetiva pastoral
Vaticano ii perspetiva pastoral
amitaf0877
 
Concílio Vaticano II
Concílio Vaticano IIConcílio Vaticano II
Concílio Vaticano II
Luís Mota
 
Vocação E Ministérios Leigos
Vocação E Ministérios LeigosVocação E Ministérios Leigos
Vocação E Ministérios Leigos
Paróquia Nossa Senhora da Salete
 
CDL: O que é Conselho diocesano de Leigos?
CDL: O que é Conselho diocesano de Leigos?CDL: O que é Conselho diocesano de Leigos?
CDL: O que é Conselho diocesano de Leigos?
Bernadetecebs .
 
Formação Servos
Formação ServosFormação Servos
Formação Servos
adrianojose1983
 
Capitulo 6 O Leigo Comprometido
Capitulo 6   O Leigo ComprometidoCapitulo 6   O Leigo Comprometido
Capitulo 6 O Leigo Comprometido
Klaus Newman
 
História da catequese
História da catequeseHistória da catequese
História da catequese
Francisco Rodrigues
 
2 as enfermidades eclesiasticas
2   as enfermidades eclesiasticas2   as enfermidades eclesiasticas
2 as enfermidades eclesiasticas
José Santos
 
Elementos de um paradígma missionário bosch, david. missão transformadora
Elementos de um paradígma missionário   bosch, david. missão transformadoraElementos de um paradígma missionário   bosch, david. missão transformadora
Elementos de um paradígma missionário bosch, david. missão transformadora
Haroldo Xavier Silva
 
1 porque algumas igrejas crescem
1    porque algumas igrejas crescem1    porque algumas igrejas crescem
1 porque algumas igrejas crescem
José Santos
 
Identidade Catequese
Identidade CatequeseIdentidade Catequese
Identidade Catequese
guest6e39b2
 
Explorando a historia e a politica da igreja do nazareno
Explorando a historia e a politica da igreja do nazarenoExplorando a historia e a politica da igreja do nazareno
Explorando a historia e a politica da igreja do nazareno
Marcelo Petronilio
 
Plano Nacional Missionário da Igreja Metodista 2012-2016
Plano Nacional Missionário da Igreja Metodista  2012-2016Plano Nacional Missionário da Igreja Metodista  2012-2016
Plano Nacional Missionário da Igreja Metodista 2012-2016
igrejametodistadobrasil
 
A historia da catequese
A historia da catequeseA historia da catequese
A historia da catequese
Hernane Freitas
 
Identidade das pastorais, movimentos e grupos Paróquia S. Luís
Identidade das pastorais, movimentos e grupos Paróquia S. LuísIdentidade das pastorais, movimentos e grupos Paróquia S. Luís
Identidade das pastorais, movimentos e grupos Paróquia S. Luís
monfortinosemfoco
 
6 a congregação equipada e o crescimento
6   a congregação equipada e o crescimento6   a congregação equipada e o crescimento
6 a congregação equipada e o crescimento
José Santos
 
CEBs: Comunidades de Comunidade a luz do Vaticano II
CEBs: Comunidades de Comunidade a luz do Vaticano IICEBs: Comunidades de Comunidade a luz do Vaticano II
CEBs: Comunidades de Comunidade a luz do Vaticano II
MARLI COSTA
 
5 a liderança pastoral e o crescimento
5    a liderança pastoral e o crescimento5    a liderança pastoral e o crescimento
5 a liderança pastoral e o crescimento
José Santos
 
Comissão cultural e a grande comissão pdf
Comissão cultural e a grande comissão pdfComissão cultural e a grande comissão pdf
Comissão cultural e a grande comissão pdf
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
 

Mais procurados (20)

Estudos107 cristãos leigos - CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADE
Estudos107 cristãos leigos - CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADEEstudos107 cristãos leigos - CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADE
Estudos107 cristãos leigos - CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADE
 
Vaticano ii perspetiva pastoral
Vaticano ii   perspetiva pastoralVaticano ii   perspetiva pastoral
Vaticano ii perspetiva pastoral
 
Concílio Vaticano II
Concílio Vaticano IIConcílio Vaticano II
Concílio Vaticano II
 
Vocação E Ministérios Leigos
Vocação E Ministérios LeigosVocação E Ministérios Leigos
Vocação E Ministérios Leigos
 
CDL: O que é Conselho diocesano de Leigos?
CDL: O que é Conselho diocesano de Leigos?CDL: O que é Conselho diocesano de Leigos?
CDL: O que é Conselho diocesano de Leigos?
 
Formação Servos
Formação ServosFormação Servos
Formação Servos
 
Capitulo 6 O Leigo Comprometido
Capitulo 6   O Leigo ComprometidoCapitulo 6   O Leigo Comprometido
Capitulo 6 O Leigo Comprometido
 
História da catequese
História da catequeseHistória da catequese
História da catequese
 
2 as enfermidades eclesiasticas
2   as enfermidades eclesiasticas2   as enfermidades eclesiasticas
2 as enfermidades eclesiasticas
 
Elementos de um paradígma missionário bosch, david. missão transformadora
Elementos de um paradígma missionário   bosch, david. missão transformadoraElementos de um paradígma missionário   bosch, david. missão transformadora
Elementos de um paradígma missionário bosch, david. missão transformadora
 
1 porque algumas igrejas crescem
1    porque algumas igrejas crescem1    porque algumas igrejas crescem
1 porque algumas igrejas crescem
 
Identidade Catequese
Identidade CatequeseIdentidade Catequese
Identidade Catequese
 
Explorando a historia e a politica da igreja do nazareno
Explorando a historia e a politica da igreja do nazarenoExplorando a historia e a politica da igreja do nazareno
Explorando a historia e a politica da igreja do nazareno
 
Plano Nacional Missionário da Igreja Metodista 2012-2016
Plano Nacional Missionário da Igreja Metodista  2012-2016Plano Nacional Missionário da Igreja Metodista  2012-2016
Plano Nacional Missionário da Igreja Metodista 2012-2016
 
A historia da catequese
A historia da catequeseA historia da catequese
A historia da catequese
 
Identidade das pastorais, movimentos e grupos Paróquia S. Luís
Identidade das pastorais, movimentos e grupos Paróquia S. LuísIdentidade das pastorais, movimentos e grupos Paróquia S. Luís
Identidade das pastorais, movimentos e grupos Paróquia S. Luís
 
6 a congregação equipada e o crescimento
6   a congregação equipada e o crescimento6   a congregação equipada e o crescimento
6 a congregação equipada e o crescimento
 
CEBs: Comunidades de Comunidade a luz do Vaticano II
CEBs: Comunidades de Comunidade a luz do Vaticano IICEBs: Comunidades de Comunidade a luz do Vaticano II
CEBs: Comunidades de Comunidade a luz do Vaticano II
 
5 a liderança pastoral e o crescimento
5    a liderança pastoral e o crescimento5    a liderança pastoral e o crescimento
5 a liderança pastoral e o crescimento
 
Comissão cultural e a grande comissão pdf
Comissão cultural e a grande comissão pdfComissão cultural e a grande comissão pdf
Comissão cultural e a grande comissão pdf
 

Destaque

Programa sugerente #MisionCaleb Culto Joven
Programa sugerente #MisionCaleb Culto JovenPrograma sugerente #MisionCaleb Culto Joven
Programa sugerente #MisionCaleb Culto Joven
Lu Esqueche
 
Calendário de atividades MCA - 1º TRIMESTRE 2016
Calendário de atividades MCA - 1º TRIMESTRE 2016Calendário de atividades MCA - 1º TRIMESTRE 2016
Calendário de atividades MCA - 1º TRIMESTRE 2016
Jaque Godinho
 
A esperança média de vida
A esperança média de vidaA esperança média de vida
A esperança média de vida
Raquel Almeida
 
Mulheres de joelho igreja de pé
Mulheres de joelho igreja de péMulheres de joelho igreja de pé
Mulheres de joelho igreja de pé
negramary
 
Palestra congresso de mulheres transformação e crescimento espiritual
Palestra congresso de mulheres transformação e crescimento espiritualPalestra congresso de mulheres transformação e crescimento espiritual
Palestra congresso de mulheres transformação e crescimento espiritual
Caroline Calaça
 
Mulheres A Serviço do Senhor
Mulheres A Serviço do SenhorMulheres A Serviço do Senhor
Mulheres A Serviço do Senhor
Elciene Oliveira
 
Mediação em serviço social modelo analitico e trajetos de pesquisa- iscte-i...
Mediação em serviço social   modelo analitico e trajetos de pesquisa- iscte-i...Mediação em serviço social   modelo analitico e trajetos de pesquisa- iscte-i...
Mediação em serviço social modelo analitico e trajetos de pesquisa- iscte-i...
Helena Almeida
 

Destaque (7)

Programa sugerente #MisionCaleb Culto Joven
Programa sugerente #MisionCaleb Culto JovenPrograma sugerente #MisionCaleb Culto Joven
Programa sugerente #MisionCaleb Culto Joven
 
Calendário de atividades MCA - 1º TRIMESTRE 2016
Calendário de atividades MCA - 1º TRIMESTRE 2016Calendário de atividades MCA - 1º TRIMESTRE 2016
Calendário de atividades MCA - 1º TRIMESTRE 2016
 
A esperança média de vida
A esperança média de vidaA esperança média de vida
A esperança média de vida
 
Mulheres de joelho igreja de pé
Mulheres de joelho igreja de péMulheres de joelho igreja de pé
Mulheres de joelho igreja de pé
 
Palestra congresso de mulheres transformação e crescimento espiritual
Palestra congresso de mulheres transformação e crescimento espiritualPalestra congresso de mulheres transformação e crescimento espiritual
Palestra congresso de mulheres transformação e crescimento espiritual
 
Mulheres A Serviço do Senhor
Mulheres A Serviço do SenhorMulheres A Serviço do Senhor
Mulheres A Serviço do Senhor
 
Mediação em serviço social modelo analitico e trajetos de pesquisa- iscte-i...
Mediação em serviço social   modelo analitico e trajetos de pesquisa- iscte-i...Mediação em serviço social   modelo analitico e trajetos de pesquisa- iscte-i...
Mediação em serviço social modelo analitico e trajetos de pesquisa- iscte-i...
 

Semelhante a Vi encontro agir

Igreja Comunidade de Comunidades
Igreja Comunidade de ComunidadesIgreja Comunidade de Comunidades
Igreja Comunidade de Comunidades
Adriano Matilha
 
Estudo 107 da CNBB sobre os leigos
Estudo 107 da CNBB sobre os leigosEstudo 107 da CNBB sobre os leigos
Estudo 107 da CNBB sobre os leigos
MARLI COSTA
 
INTRODUÇÃO
INTRODUÇÃOINTRODUÇÃO
Ficha121
Ficha121Ficha121
Ficha121
Anderson Aguiar
 
Apresentacao-DOC-105_Dom (8).pptx
Apresentacao-DOC-105_Dom (8).pptxApresentacao-DOC-105_Dom (8).pptx
Apresentacao-DOC-105_Dom (8).pptx
LeilaCardoso20
 
Contribuição da vocação do leigo e da irmã da consolação na américa latina
Contribuição da vocação do leigo e da irmã da consolação na américa latinaContribuição da vocação do leigo e da irmã da consolação na américa latina
Contribuição da vocação do leigo e da irmã da consolação na américa latina
Renata R. Lucas
 
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
domeduardo
 
02 12-2013.103713 material33-assdiocpastoral_comunidade de comunidades_pe. assis
02 12-2013.103713 material33-assdiocpastoral_comunidade de comunidades_pe. assis02 12-2013.103713 material33-assdiocpastoral_comunidade de comunidades_pe. assis
02 12-2013.103713 material33-assdiocpastoral_comunidade de comunidades_pe. assis
Geo Jaques
 
Uma nova paroquia
Uma nova paroquiaUma nova paroquia
Uma nova paroquia
Pe Gil Medeiros
 
doc-100-cnbb.ppt
doc-100-cnbb.pptdoc-100-cnbb.ppt
doc-100-cnbb.ppt
Luiz572007
 
Desafios da gestão
Desafios da gestãoDesafios da gestão
Desafios da gestão
Conage
 
Tcc - Releitura da missão integral
Tcc - Releitura da missão integralTcc - Releitura da missão integral
Tcc - Releitura da missão integral
Diego Camilo
 
Revitalizando a igreja (trabalho moura)
Revitalizando a igreja (trabalho moura)Revitalizando a igreja (trabalho moura)
Revitalizando a igreja (trabalho moura)
RiKond
 
As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja  As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja
Oswaldo Michaelano
 
BATISTA POR CONVICÇÃO E MISSÃO - Associação Cocais.ppt
BATISTA POR CONVICÇÃO E MISSÃO - Associação Cocais.pptBATISTA POR CONVICÇÃO E MISSÃO - Associação Cocais.ppt
BATISTA POR CONVICÇÃO E MISSÃO - Associação Cocais.ppt
MauricioMoraes39
 
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
Rodrigo Catini Flaibam
 
EIXOVocaçãoAula2.pptx
EIXOVocaçãoAula2.pptxEIXOVocaçãoAula2.pptx
EIXOVocaçãoAula2.pptx
ssuserc9ef03
 
Comunidade de Comunidades Uma Nova Paróquia
Comunidade de Comunidades Uma Nova Paróquia Comunidade de Comunidades Uma Nova Paróquia
Comunidade de Comunidades Uma Nova Paróquia
José Vieira Dos Santos
 
As Comunidades Eclesiais De Base Na Igreja Do Brasil
As Comunidades Eclesiais De Base Na Igreja Do BrasilAs Comunidades Eclesiais De Base Na Igreja Do Brasil
As Comunidades Eclesiais De Base Na Igreja Do Brasil
Pastoral da Juventude
 
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
LFKlein
 

Semelhante a Vi encontro agir (20)

Igreja Comunidade de Comunidades
Igreja Comunidade de ComunidadesIgreja Comunidade de Comunidades
Igreja Comunidade de Comunidades
 
Estudo 107 da CNBB sobre os leigos
Estudo 107 da CNBB sobre os leigosEstudo 107 da CNBB sobre os leigos
Estudo 107 da CNBB sobre os leigos
 
INTRODUÇÃO
INTRODUÇÃOINTRODUÇÃO
INTRODUÇÃO
 
Ficha121
Ficha121Ficha121
Ficha121
 
Apresentacao-DOC-105_Dom (8).pptx
Apresentacao-DOC-105_Dom (8).pptxApresentacao-DOC-105_Dom (8).pptx
Apresentacao-DOC-105_Dom (8).pptx
 
Contribuição da vocação do leigo e da irmã da consolação na américa latina
Contribuição da vocação do leigo e da irmã da consolação na américa latinaContribuição da vocação do leigo e da irmã da consolação na américa latina
Contribuição da vocação do leigo e da irmã da consolação na américa latina
 
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
 
02 12-2013.103713 material33-assdiocpastoral_comunidade de comunidades_pe. assis
02 12-2013.103713 material33-assdiocpastoral_comunidade de comunidades_pe. assis02 12-2013.103713 material33-assdiocpastoral_comunidade de comunidades_pe. assis
02 12-2013.103713 material33-assdiocpastoral_comunidade de comunidades_pe. assis
 
Uma nova paroquia
Uma nova paroquiaUma nova paroquia
Uma nova paroquia
 
doc-100-cnbb.ppt
doc-100-cnbb.pptdoc-100-cnbb.ppt
doc-100-cnbb.ppt
 
Desafios da gestão
Desafios da gestãoDesafios da gestão
Desafios da gestão
 
Tcc - Releitura da missão integral
Tcc - Releitura da missão integralTcc - Releitura da missão integral
Tcc - Releitura da missão integral
 
Revitalizando a igreja (trabalho moura)
Revitalizando a igreja (trabalho moura)Revitalizando a igreja (trabalho moura)
Revitalizando a igreja (trabalho moura)
 
As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja  As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja
 
BATISTA POR CONVICÇÃO E MISSÃO - Associação Cocais.ppt
BATISTA POR CONVICÇÃO E MISSÃO - Associação Cocais.pptBATISTA POR CONVICÇÃO E MISSÃO - Associação Cocais.ppt
BATISTA POR CONVICÇÃO E MISSÃO - Associação Cocais.ppt
 
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
 
EIXOVocaçãoAula2.pptx
EIXOVocaçãoAula2.pptxEIXOVocaçãoAula2.pptx
EIXOVocaçãoAula2.pptx
 
Comunidade de Comunidades Uma Nova Paróquia
Comunidade de Comunidades Uma Nova Paróquia Comunidade de Comunidades Uma Nova Paróquia
Comunidade de Comunidades Uma Nova Paróquia
 
As Comunidades Eclesiais De Base Na Igreja Do Brasil
As Comunidades Eclesiais De Base Na Igreja Do BrasilAs Comunidades Eclesiais De Base Na Igreja Do Brasil
As Comunidades Eclesiais De Base Na Igreja Do Brasil
 
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
 

Último

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 

Último (15)

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 

Vi encontro agir

  • 2. O NOVO virá, quer participemos ou não do processo de sua criação. Fugir do NOVO, manter as estruturas, é fugir da responsabilidade enquanto cristãos leigos e leigas, enquanto Igreja.
  • 3. 2- Uma nova forma de viver a economia a serviço da pessoa e não do capital ou lucro. A necessária presença do LAICATO na construção do NOVO propôe: 1- Uma nova forma de entender o TER como secundário do SER.
  • 4. 3- Uma nova forma de viver a relação com o outro e com o Outro. Uma nova forma de entender o ser humano como responsável pelo coletivo.
  • 5. . E aos leigos e leigas, pela sua vocação laical, cabem essa atuação firme e preponderante no tecido humano da sociedade.
  • 6. PARTICIPAÇÃO DO CRISTIANISMO NESSA NOVA VISÃO DE MUNDO. É um clamor que vem não somente de quem tem fé, mas também dos que, de forma independente, vêem a importância de re-colocar os valores cristãos na vivência humana.
  • 7. Mudanças Desafio para os cristãos leigos e leigas
  • 8. 1 Todos os valores herdados 2 As estruturas do Estado e da Democracia 3 Todo o sistema econômico 4 O nosso modo de vida 5 O modo de vivermos a religião 6 A estrutura eclesial 7 A família PRIMEIRO DESAFIO ENTENDER O QUE ESTÁ EM JOGO NESTE MOMENTO
  • 9. COMO SER MUNDO NO CORAÇÃO DA IGREJA E IGREJA NO CORAÇÃO DO MUNDO. SEGUNDO DESAFIO Leigos e leigas entenderem a si, à sua vocação eclesial, e o papel que esta vocação tem que desempenhar ou seja:
  • 10. Onde a Igreja era considerada a Hierarquia e chegou a ser considerada ela mesma o Reino de Deus: “fora dela não havia salvação”. Leigos e leigas NÃO vivenciarem mais, um passado onde eram considerados “crianças que deveriam ser levados pela mão da hierarquia”, “objetos de cura pastoral” portanto da ação evangelizadora do clero.
  • 11. . Têm uma vocação tão imprescindível como as demais vocações. Têm uma vocação imprescíndivel, como as demais vocações. Pela vocação laical o Espírito os impulsiona a transformar o mundo a partir do Reino pregado por Jesus Leigos e leigas são membros do Povo de Deus. Pelo batismo, sacerdotes, reis e profetas. O Concílio Vaticano II nos traz de volta, o nosso estatuto eclesial:
  • 12. Como leigos e leigas devem “ser Igreja” Este é um grande desafio: SER SUJEITO ECLESIAL. Objeto e sujeito não se relacionam, portanto se Igreja é Comunhão todos seus membros se constituem sujeitos eclesiais. Implica em participar das decisões, não serem tarefeiros mas co-responsáveis pela Missão por isso precisam de muita formação. TERCEIRO DESAFIO Vocação laical
  • 13. OUTROS DESAFIOS FORMAÇÃO integral, sistemática, alcançando a vida pessoal e eclesial de leigos e leigas especialmente sua vocação laical. Os leigos e leigas serem de fato, homens e mulheres da Igreja no coração do mundo e homens e mulheres do mundo no coração da Igreja.
  • 14. LAICATO Protagonista da evangelização em uma nova civilização.
  • 15. LAICATO Protagonista da construção de uma nova civilização plantando as sementes do Evangelho
  • 16. QUESTÕES PARA O DEBATE 1- Como ser protagonista da nova evangelização em um mundo em mudança e protagonista numa Igreja que deve responder às mudanças?
  • 17. 2-Que civilização nova, nós cristãos estamos ajudando a construir? 3-Como pautar os novos valores com os valores do Reino? 4-Que sinais dos tempos o CNLB apontará para que leigos e leigas sejam de fato, homens e mulheres construtores do NOVO no coração do Mundo e da Igreja?