SlideShare uma empresa Scribd logo
20 Minutos
Fevereiro/2017
Problema
Civilização
Contexto
O Petróleo
Notas
Pespectiva histórico social do impacto ocasionado pela evolução histórica dos poços
Cavar, contruir poço, pode ser considerado uma das primeiras atividades do ser humano.
Lápide em túmulo Chinez mostrando perfuração e industrialização de Sal.
História da perfuração de poços
10.000 à 9.000 AC
6.000 AC
8500 à 6000 AC
4.000 à 1.800 AC
História da perfuração de poços
História da perfuração de poços
• O poço tem oito metros de profundidade.
• Foram encontrados inúmeros utensílios, como facas de
sílex (um tipo de rocha), pontas de flechas e outros itens
talhados em pedra.
• Essas comunidades foram formadas pelos primeiros
agricultores!
• O diretor de escavações para o The Jerusalem Post. “Não
há dúvidas de que a construção do poço foi um esforço de
toda a comunidade e que levou muito tempo.”
• “Os poços desse período são achados únicos na
arqueologia de Israel e, provavelmente, no mundo pré-
histórico em geral”, disse Omri Barzilai, chefe do
Departamento de Pré-história da Autoridade de
Antiguidades.
• Os poços mais antigos do mundo foram achados no
Chipre. “Parece que o homem antigo tentou idealizar
fórmulas para proteger a água potável de possíveis
contaminações. Por isso, costumava armazenar a água em
um lugar que não fosse acessível pelo gado”, concluiu
Barzilai.
História da perfuração de poços
Os poços de mineração adquiriram grande importância no neolítico, em especial na
produção de sílex para a confecção e aprimoramento de ferramentas.
Contexto
Civilização
Problema
Petróleo
Notas
A escavação de poços de água pode inclusive anteceder ao Homo sapiens.
História da perfuração de poços
Esses foram os objetos e contextos dentro das circunstâncias do homem
Contexto
Problema
Civilização
Petróleo
Notas
O “Chadouf” equipamento conhecido a mais de 2000 AC.
Pode ser considerado uma das primeiras atividades do ser humano.
Grande poço público, cerca de 2500 a.C., na sua capital Mohenjodaro - Paquistão
Poços antigos e ainda em uso são encontrados no Oriente Médio.
História da perfuração de poços
Dr. T. Woods / F. Aquino (pág 167)
Os monges (1098) foram importantes arquitetos e
eram bem conhecidos pela tecnologia que se
espalhava por toda europa. Encontram-se sistemas
de propulsão de água em mosteiros espalhados
mesmo a milhares de Km.
Invenção da Roda d´agua.
(haviam 5.000 séc. XI)
Grande evolução agricultura
Captação Poço e
engenharia de
distribuição.
Primeiro Poço Artesiano Conhecido foi perfurado
em 1126.
O termo "poço artesiano" surgiu neste ano, quando
foi perfurado na cidade de Artois, França, o primeiro
sistema de captação de água desta natureza.
Ou seja:
“Quando a própria pressão natural da água é capaz
de levá-la até a superfície, existe um poço
artesiano. Já o semi- artesiano, necessita de
aparelhos para captação da água.
Padre Nicolau Steno – Pai da Estratigrafia
Foi o primeiro a afirmar que a história do mundo podia ser reconstituída a
partir das rochas, fósseis e camadas geológicas, e que o estudo geológico
podia iluminar a história. O padre Steno “estabeleceu a maior parte dos
princípios da geologia moderna”. O primeiro livro de estratigrafia é o
“Princípios de Steno”.
P. Atanasius Kirchner
Criador da Geologia Moderna
Padre J. B. Macelwane
Serviço Sismológico Jesuíta
Foi Presidente da Sociedade
Sismológica da América
CANATS
Sistema engenhoso de poço e túnel. Eles constituíam um canal artificial subterrâneo.
CANATS
Os montículos semelhantes a
tocas de toupeiras, correspondem
à foggara situada em In Salah, no
centro do país dos tuaregs, no
deserto argelino.
CANATS
Contexto
Problema
Petróleo
Civilização
Notas
UTILIZAÇÕES
História da perfuração de poços
TÉCNICAS
SPRINGPOLE
TÉCNICAS
CABLE TO DRILLING
TÉCNICAS
ROTARY DRILLING
HISTÓRICO DE ALGUNS POÇOS
HISTÓRICO
1859: PENSILVÂNIA - EUA
1850: Escócia, James Young descobriu que o petróleo podia ser extraído (carvão e xisto).
1901: Península de
Apsheron (Azerbaijão)
1939 – LOBATO - BAHIA
1908: No Irã pela "Anglo-Persian".
1872: Baku (Azerbaijão)1922 - na Venezuela
1907 - Argentina
1969: Mar do norte.
Histórico
Introdução
Novidades e tendências
Tipos utilizados e vantagens
Agradecimentos e Bibliografias
• História das Agriculturas no mundo - do neolítico à crise
contemporânea de Marcel Mazoyer & Laurence Roudart
• http://aoghs.org/technology/oil-well-drilling-technology
• https://en.wikipedia.org/wiki/Water_well
• Uma História que não é contada
• https://www.onepetro.org/search?q=drill+history&peer_reviewe
d=&published_between=&from_year=&to_year=&rows=10
• http://petrowiki.org/History_of_produced_water
REFERÊNCIAS
OBRIGADO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

07 coluna de perfuração portugues 90
07 coluna de perfuração portugues 9007 coluna de perfuração portugues 90
07 coluna de perfuração portugues 90
Igor Cencic :.
 
Introdução à perfilagem de poços
Introdução à perfilagem de poçosIntrodução à perfilagem de poços
Introdução à perfilagem de poços
Sydney Dias
 
Equipamentos de uma sonda de perfuração
Equipamentos de uma sonda de perfuraçãoEquipamentos de uma sonda de perfuração
Equipamentos de uma sonda de perfuração
Anderson Pontes
 
Prospecção de Petróleo
Prospecção de PetróleoProspecção de Petróleo
Prospecção de Petróleo
Anderson Pontes
 
14 aula perfuração de poços
14 aula perfuração de poços14 aula perfuração de poços
14 aula perfuração de poços
Homero Alves de Lima
 
Métodos de perfuração aula
Métodos de perfuração aulaMétodos de perfuração aula
Métodos de perfuração aula
PublicaTUDO
 
Perfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e Gás
Perfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e GásPerfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e Gás
Perfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e Gás
Anderson Pontes
 
Slides perfuracao05 unidade_ii[2]
Slides perfuracao05 unidade_ii[2]Slides perfuracao05 unidade_ii[2]
Slides perfuracao05 unidade_ii[2]
Paulo Cesar Araujo Almeida
 
Operações especiais de perfuração
Operações especiais de perfuraçãoOperações especiais de perfuração
Operações especiais de perfuração
Alisson André Silva Balbino
 
Aula 2 GeraçãO Do PetróLeo E Sistemas PetrolíFeros Anp
Aula 2 GeraçãO Do PetróLeo E Sistemas PetrolíFeros AnpAula 2 GeraçãO Do PetróLeo E Sistemas PetrolíFeros Anp
Aula 2 GeraçãO Do PetróLeo E Sistemas PetrolíFeros Anp
Bruno Silva
 
Tecnicas de Perfuração Off Shore
Tecnicas de Perfuração Off ShoreTecnicas de Perfuração Off Shore
Tecnicas de Perfuração Off Shore
André Jesus
 
Elevação de Petróleo e Gás
Elevação de Petróleo e GásElevação de Petróleo e Gás
Elevação de Petróleo e Gás
Anderson Pontes
 
Trabalho recuperaçao do petroleo
Trabalho recuperaçao do petroleoTrabalho recuperaçao do petroleo
Trabalho recuperaçao do petroleo
Evanice Medeiros
 
Completação de Petróleo e Gás
Completação de Petróleo e GásCompletação de Petróleo e Gás
Completação de Petróleo e Gás
Anderson Pontes
 
Desenvolvimento de Mina
Desenvolvimento de MinaDesenvolvimento de Mina
Desenvolvimento de Mina
Walkiria Alves
 
Engenharia de perfurao_e_compl
Engenharia de perfurao_e_complEngenharia de perfurao_e_compl
Engenharia de perfurao_e_compl
Sydney Dias
 
perfuração direcional marítima
perfuração direcional marítimaperfuração direcional marítima
perfuração direcional marítima
André Jesus
 
18 aula brocas
18 aula brocas18 aula brocas
18 aula brocas
Homero Alves de Lima
 
Aula 08 - Fluidos de perfuração 02.pptx
Aula 08 - Fluidos de perfuração 02.pptxAula 08 - Fluidos de perfuração 02.pptx
Aula 08 - Fluidos de perfuração 02.pptx
CostaNeto6
 
05 perfuração direcional
05 perfuração direcional05 perfuração direcional
05 perfuração direcional
brunoping
 

Mais procurados (20)

07 coluna de perfuração portugues 90
07 coluna de perfuração portugues 9007 coluna de perfuração portugues 90
07 coluna de perfuração portugues 90
 
Introdução à perfilagem de poços
Introdução à perfilagem de poçosIntrodução à perfilagem de poços
Introdução à perfilagem de poços
 
Equipamentos de uma sonda de perfuração
Equipamentos de uma sonda de perfuraçãoEquipamentos de uma sonda de perfuração
Equipamentos de uma sonda de perfuração
 
Prospecção de Petróleo
Prospecção de PetróleoProspecção de Petróleo
Prospecção de Petróleo
 
14 aula perfuração de poços
14 aula perfuração de poços14 aula perfuração de poços
14 aula perfuração de poços
 
Métodos de perfuração aula
Métodos de perfuração aulaMétodos de perfuração aula
Métodos de perfuração aula
 
Perfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e Gás
Perfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e GásPerfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e Gás
Perfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e Gás
 
Slides perfuracao05 unidade_ii[2]
Slides perfuracao05 unidade_ii[2]Slides perfuracao05 unidade_ii[2]
Slides perfuracao05 unidade_ii[2]
 
Operações especiais de perfuração
Operações especiais de perfuraçãoOperações especiais de perfuração
Operações especiais de perfuração
 
Aula 2 GeraçãO Do PetróLeo E Sistemas PetrolíFeros Anp
Aula 2 GeraçãO Do PetróLeo E Sistemas PetrolíFeros AnpAula 2 GeraçãO Do PetróLeo E Sistemas PetrolíFeros Anp
Aula 2 GeraçãO Do PetróLeo E Sistemas PetrolíFeros Anp
 
Tecnicas de Perfuração Off Shore
Tecnicas de Perfuração Off ShoreTecnicas de Perfuração Off Shore
Tecnicas de Perfuração Off Shore
 
Elevação de Petróleo e Gás
Elevação de Petróleo e GásElevação de Petróleo e Gás
Elevação de Petróleo e Gás
 
Trabalho recuperaçao do petroleo
Trabalho recuperaçao do petroleoTrabalho recuperaçao do petroleo
Trabalho recuperaçao do petroleo
 
Completação de Petróleo e Gás
Completação de Petróleo e GásCompletação de Petróleo e Gás
Completação de Petróleo e Gás
 
Desenvolvimento de Mina
Desenvolvimento de MinaDesenvolvimento de Mina
Desenvolvimento de Mina
 
Engenharia de perfurao_e_compl
Engenharia de perfurao_e_complEngenharia de perfurao_e_compl
Engenharia de perfurao_e_compl
 
perfuração direcional marítima
perfuração direcional marítimaperfuração direcional marítima
perfuração direcional marítima
 
18 aula brocas
18 aula brocas18 aula brocas
18 aula brocas
 
Aula 08 - Fluidos de perfuração 02.pptx
Aula 08 - Fluidos de perfuração 02.pptxAula 08 - Fluidos de perfuração 02.pptx
Aula 08 - Fluidos de perfuração 02.pptx
 
05 perfuração direcional
05 perfuração direcional05 perfuração direcional
05 perfuração direcional
 

Destaque

Moverio 150929
Moverio 150929Moverio 150929
Moverio 150929
Tomaki Maeda
 
TBMU#33 ブログをやっててよかったこと
TBMU#33 ブログをやっててよかったことTBMU#33 ブログをやっててよかったこと
TBMU#33 ブログをやっててよかったこと
Tomaki Maeda
 
TBMU#27 チャンスは雲のようにやってくる
TBMU#27 チャンスは雲のようにやってくるTBMU#27 チャンスは雲のようにやってくる
TBMU#27 チャンスは雲のようにやってくる
Tomaki Maeda
 
Family Patterns Poster
Family Patterns PosterFamily Patterns Poster
Family Patterns Poster
Melissa Bleininger
 
Bab7
Bab7Bab7
Bong da truc tuyen levante vs sporting gijon
Bong da truc tuyen levante vs sporting gijonBong da truc tuyen levante vs sporting gijon
Bong da truc tuyen levante vs sporting gijon
bongdatructuyen
 
Bab3
Bab3Bab3
Presentación1
Presentación1Presentación1
Presentación1
Amarilla21
 
Arte paleocristiano
Arte paleocristianoArte paleocristiano
Arte paleocristiano
Andreina Vargas Soria
 
Solucion de problemas de hardware y software mediante llamadas telefonicas
Solucion de problemas de hardware y software mediante llamadas telefonicasSolucion de problemas de hardware y software mediante llamadas telefonicas
Solucion de problemas de hardware y software mediante llamadas telefonicas
Eduardo Rolas
 
Teknik tenaga listrik
Teknik tenaga listrikTeknik tenaga listrik
Teknik tenaga listrik
Christie N
 
Rapid wireframing and prototyping
Rapid wireframing and prototypingRapid wireframing and prototyping
Rapid wireframing and prototyping
Mario Hernandez
 
All about Virtual Reality & Oculus Rift
All about Virtual Reality & Oculus RiftAll about Virtual Reality & Oculus Rift
All about Virtual Reality & Oculus Rift
Saurabh Sawhney
 
презентация3
презентация3презентация3
презентация3
Nik929
 

Destaque (14)

Moverio 150929
Moverio 150929Moverio 150929
Moverio 150929
 
TBMU#33 ブログをやっててよかったこと
TBMU#33 ブログをやっててよかったことTBMU#33 ブログをやっててよかったこと
TBMU#33 ブログをやっててよかったこと
 
TBMU#27 チャンスは雲のようにやってくる
TBMU#27 チャンスは雲のようにやってくるTBMU#27 チャンスは雲のようにやってくる
TBMU#27 チャンスは雲のようにやってくる
 
Family Patterns Poster
Family Patterns PosterFamily Patterns Poster
Family Patterns Poster
 
Bab7
Bab7Bab7
Bab7
 
Bong da truc tuyen levante vs sporting gijon
Bong da truc tuyen levante vs sporting gijonBong da truc tuyen levante vs sporting gijon
Bong da truc tuyen levante vs sporting gijon
 
Bab3
Bab3Bab3
Bab3
 
Presentación1
Presentación1Presentación1
Presentación1
 
Arte paleocristiano
Arte paleocristianoArte paleocristiano
Arte paleocristiano
 
Solucion de problemas de hardware y software mediante llamadas telefonicas
Solucion de problemas de hardware y software mediante llamadas telefonicasSolucion de problemas de hardware y software mediante llamadas telefonicas
Solucion de problemas de hardware y software mediante llamadas telefonicas
 
Teknik tenaga listrik
Teknik tenaga listrikTeknik tenaga listrik
Teknik tenaga listrik
 
Rapid wireframing and prototyping
Rapid wireframing and prototypingRapid wireframing and prototyping
Rapid wireframing and prototyping
 
All about Virtual Reality & Oculus Rift
All about Virtual Reality & Oculus RiftAll about Virtual Reality & Oculus Rift
All about Virtual Reality & Oculus Rift
 
презентация3
презентация3презентация3
презентация3
 

Semelhante a História da perfuração de poços

01-Pré-História.ppt.pdf
01-Pré-História.ppt.pdf01-Pré-História.ppt.pdf
01-Pré-História.ppt.pdf
JosCarlosChagasSoare
 
Arte pré histórica
Arte pré históricaArte pré histórica
Arte pré histórica
Graziih Gomes
 
Arte pré histórica
Arte pré históricaArte pré histórica
Arte pré histórica
Rafael Lucas da Silva
 
Pré História
Pré   História Pré   História
Pré História
Fatima Freitas
 
Arte rupestre 2019
Arte rupestre 2019Arte rupestre 2019
Arte rupestre 2019
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
Ipsun
 
CP_OLU _ 14 Evidências científicas antecipadas pelo Livro de Urântia s81.pptx
CP_OLU _  14 Evidências científicas antecipadas pelo Livro de Urântia s81.pptxCP_OLU _  14 Evidências científicas antecipadas pelo Livro de Urântia s81.pptx
CP_OLU _ 14 Evidências científicas antecipadas pelo Livro de Urântia s81.pptx
JosEduardodeAlmeidaB
 
Pré.história 03
Pré.história 03Pré.história 03
Pré.história 03
Odairdesouza
 
A vida humana no paleolítico
A vida humana no paleolíticoA vida humana no paleolítico
A vida humana no paleolítico
Douglas Barraqui
 
Aglomerado de todas as pesquisas história
Aglomerado de todas as pesquisas   históriaAglomerado de todas as pesquisas   história
Aglomerado de todas as pesquisas história
antoniopedropinheiro
 
A pre historia_5aserie
A pre historia_5aserieA pre historia_5aserie
A pre historia_5aserie
andregf79
 
PHistória - Wilfred
PHistória - WilfredPHistória - Wilfred
PHistória - Wilfred
Whistoriapi
 
Arte Pré-Histórica - Apresentação ensino médio
Arte Pré-Histórica - Apresentação ensino médioArte Pré-Histórica - Apresentação ensino médio
Arte Pré-Histórica - Apresentação ensino médio
FernandaKochdeFreita1
 
Histor 08
Histor 08Histor 08
Neolítico revolução agrícola e as primeiras cidades
Neolítico   revolução agrícola e as primeiras cidadesNeolítico   revolução agrícola e as primeiras cidades
Neolítico revolução agrícola e as primeiras cidades
Douglas Barraqui
 
4.Os períodos da pré história.14.
4.Os períodos da pré história.14.4.Os períodos da pré história.14.
4.Os períodos da pré história.14.
Jose Ribamar Santos
 
História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
EwertonRodrigues26
 
História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
DboraMariaMartinsBra
 
História da Arte (Ana Cecília Soares) (Z-Library).pdf
História da Arte (Ana Cecília Soares) (Z-Library).pdfHistória da Arte (Ana Cecília Soares) (Z-Library).pdf
História da Arte (Ana Cecília Soares) (Z-Library).pdf
liliruizm
 
1 ANO MEDIO.docx
1 ANO MEDIO.docx1 ANO MEDIO.docx
1 ANO MEDIO.docx
CINTIAHENRIQUEDEOLIV1
 

Semelhante a História da perfuração de poços (20)

01-Pré-História.ppt.pdf
01-Pré-História.ppt.pdf01-Pré-História.ppt.pdf
01-Pré-História.ppt.pdf
 
Arte pré histórica
Arte pré históricaArte pré histórica
Arte pré histórica
 
Arte pré histórica
Arte pré históricaArte pré histórica
Arte pré histórica
 
Pré História
Pré   História Pré   História
Pré História
 
Arte rupestre 2019
Arte rupestre 2019Arte rupestre 2019
Arte rupestre 2019
 
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
 
CP_OLU _ 14 Evidências científicas antecipadas pelo Livro de Urântia s81.pptx
CP_OLU _  14 Evidências científicas antecipadas pelo Livro de Urântia s81.pptxCP_OLU _  14 Evidências científicas antecipadas pelo Livro de Urântia s81.pptx
CP_OLU _ 14 Evidências científicas antecipadas pelo Livro de Urântia s81.pptx
 
Pré.história 03
Pré.história 03Pré.história 03
Pré.história 03
 
A vida humana no paleolítico
A vida humana no paleolíticoA vida humana no paleolítico
A vida humana no paleolítico
 
Aglomerado de todas as pesquisas história
Aglomerado de todas as pesquisas   históriaAglomerado de todas as pesquisas   história
Aglomerado de todas as pesquisas história
 
A pre historia_5aserie
A pre historia_5aserieA pre historia_5aserie
A pre historia_5aserie
 
PHistória - Wilfred
PHistória - WilfredPHistória - Wilfred
PHistória - Wilfred
 
Arte Pré-Histórica - Apresentação ensino médio
Arte Pré-Histórica - Apresentação ensino médioArte Pré-Histórica - Apresentação ensino médio
Arte Pré-Histórica - Apresentação ensino médio
 
Histor 08
Histor 08Histor 08
Histor 08
 
Neolítico revolução agrícola e as primeiras cidades
Neolítico   revolução agrícola e as primeiras cidadesNeolítico   revolução agrícola e as primeiras cidades
Neolítico revolução agrícola e as primeiras cidades
 
4.Os períodos da pré história.14.
4.Os períodos da pré história.14.4.Os períodos da pré história.14.
4.Os períodos da pré história.14.
 
História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
 
História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
 
História da Arte (Ana Cecília Soares) (Z-Library).pdf
História da Arte (Ana Cecília Soares) (Z-Library).pdfHistória da Arte (Ana Cecília Soares) (Z-Library).pdf
História da Arte (Ana Cecília Soares) (Z-Library).pdf
 
1 ANO MEDIO.docx
1 ANO MEDIO.docx1 ANO MEDIO.docx
1 ANO MEDIO.docx
 

Último

Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Festa dos Finalistas .
Festa dos Finalistas                    .Festa dos Finalistas                    .
Festa dos Finalistas .
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 

História da perfuração de poços

  • 3. Pespectiva histórico social do impacto ocasionado pela evolução histórica dos poços
  • 4. Cavar, contruir poço, pode ser considerado uma das primeiras atividades do ser humano.
  • 5. Lápide em túmulo Chinez mostrando perfuração e industrialização de Sal.
  • 7. 10.000 à 9.000 AC 6.000 AC 8500 à 6000 AC 4.000 à 1.800 AC
  • 10. • O poço tem oito metros de profundidade. • Foram encontrados inúmeros utensílios, como facas de sílex (um tipo de rocha), pontas de flechas e outros itens talhados em pedra. • Essas comunidades foram formadas pelos primeiros agricultores! • O diretor de escavações para o The Jerusalem Post. “Não há dúvidas de que a construção do poço foi um esforço de toda a comunidade e que levou muito tempo.” • “Os poços desse período são achados únicos na arqueologia de Israel e, provavelmente, no mundo pré- histórico em geral”, disse Omri Barzilai, chefe do Departamento de Pré-história da Autoridade de Antiguidades. • Os poços mais antigos do mundo foram achados no Chipre. “Parece que o homem antigo tentou idealizar fórmulas para proteger a água potável de possíveis contaminações. Por isso, costumava armazenar a água em um lugar que não fosse acessível pelo gado”, concluiu Barzilai.
  • 12. Os poços de mineração adquiriram grande importância no neolítico, em especial na produção de sílex para a confecção e aprimoramento de ferramentas.
  • 14. A escavação de poços de água pode inclusive anteceder ao Homo sapiens.
  • 16. Esses foram os objetos e contextos dentro das circunstâncias do homem
  • 18. O “Chadouf” equipamento conhecido a mais de 2000 AC.
  • 19. Pode ser considerado uma das primeiras atividades do ser humano.
  • 20. Grande poço público, cerca de 2500 a.C., na sua capital Mohenjodaro - Paquistão
  • 21. Poços antigos e ainda em uso são encontrados no Oriente Médio.
  • 23. Dr. T. Woods / F. Aquino (pág 167) Os monges (1098) foram importantes arquitetos e eram bem conhecidos pela tecnologia que se espalhava por toda europa. Encontram-se sistemas de propulsão de água em mosteiros espalhados mesmo a milhares de Km. Invenção da Roda d´agua. (haviam 5.000 séc. XI) Grande evolução agricultura Captação Poço e engenharia de distribuição.
  • 24. Primeiro Poço Artesiano Conhecido foi perfurado em 1126. O termo "poço artesiano" surgiu neste ano, quando foi perfurado na cidade de Artois, França, o primeiro sistema de captação de água desta natureza. Ou seja: “Quando a própria pressão natural da água é capaz de levá-la até a superfície, existe um poço artesiano. Já o semi- artesiano, necessita de aparelhos para captação da água.
  • 25. Padre Nicolau Steno – Pai da Estratigrafia Foi o primeiro a afirmar que a história do mundo podia ser reconstituída a partir das rochas, fósseis e camadas geológicas, e que o estudo geológico podia iluminar a história. O padre Steno “estabeleceu a maior parte dos princípios da geologia moderna”. O primeiro livro de estratigrafia é o “Princípios de Steno”. P. Atanasius Kirchner Criador da Geologia Moderna Padre J. B. Macelwane Serviço Sismológico Jesuíta Foi Presidente da Sociedade Sismológica da América
  • 26. CANATS Sistema engenhoso de poço e túnel. Eles constituíam um canal artificial subterrâneo.
  • 27. CANATS Os montículos semelhantes a tocas de toupeiras, correspondem à foggara situada em In Salah, no centro do país dos tuaregs, no deserto argelino.
  • 37. 1859: PENSILVÂNIA - EUA 1850: Escócia, James Young descobriu que o petróleo podia ser extraído (carvão e xisto). 1901: Península de Apsheron (Azerbaijão) 1939 – LOBATO - BAHIA 1908: No Irã pela "Anglo-Persian". 1872: Baku (Azerbaijão)1922 - na Venezuela 1907 - Argentina 1969: Mar do norte.
  • 38. Histórico Introdução Novidades e tendências Tipos utilizados e vantagens Agradecimentos e Bibliografias
  • 39. • História das Agriculturas no mundo - do neolítico à crise contemporânea de Marcel Mazoyer & Laurence Roudart • http://aoghs.org/technology/oil-well-drilling-technology • https://en.wikipedia.org/wiki/Water_well • Uma História que não é contada • https://www.onepetro.org/search?q=drill+history&peer_reviewe d=&published_between=&from_year=&to_year=&rows=10 • http://petrowiki.org/History_of_produced_water REFERÊNCIAS