SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Baixar para ler offline
REFLEXOLOGIA
GUIA
PRATICO
Praticada originalmente pelos antigos eg(pcios e
chineses, a reflexologia, massagem terapeutica dos pes,
e um metodo holfstico de cura alcamence eficaz. Pela
aplicaC;aode suaves /Jressoes em determinadas regioes
dos pes relacionadas a partes especfficas do corpo, uma
grande quantidade de doenc;as pode ser atenuada.
Outros titulos da serie
- Massagem
• Homeopatia
- Fitotera/)ia Chinesa
- Medicina altemativa
- Vitaminas e Sais Minerais
- Remedios Caseiros
- Aromaterapia
....=00= z
OD=
V1=
••..•.•~I
...==
EFLEXOLOGIA
GUIA
-PRATICO
~
~
avatar ~
;;,
© Element Books Limited 1997
Titulo edi~ao original, Reflexology
Publicado originalmente na
Gra-Bretanha em 1997 par
ELEMENT BOOKS LIMITED
Shaftesbury, Dorset, SP7 9BP
NOTA DO EDITOR
As informa.;5es dadas neste livra nao tern a
intenr;ao de substituir 0 aconselhamento
medico. Qualquer pessoa que necessite de
acompanhamento medico cleve consultar
UITI terapeuta qualificado.
Agradecimenws:
ue Besley, Carly Evans, Julia Holden,
Leon Lawes, Sally-Ann Russell
pela ajuda com as jowgrajias
Dwight C Byers, President, Ingham
Publishing, Inc., PO Box 12642,
St. Petersburg, Fl6rida 33733-2642, EUA
/,elo uso da jow de Eunice Ingham na
pagilUl 9
Sumario
Dados internacionais de Cataloga<;ao na
Publica,ao (CIP)
(Camara Brasileira do Livre, P Brasil)
o QUE E REFLEXOLOGIA? 6
UM POUCO DE H1ST6R1A 8
o SISTEMA ZONAL 10
Zonas longitudinais 10
Zonas transversais 12
Meridianos 12
Areas de zonas correlatas 13
COMO FUNCIONA A
REFLEXOLOGIA? 14
Estilos de vida 14
Estilos melhores IS
o TRATAMENTO 16
COMO E FE ITa a
TRATAMENTO 18
Durafao do tratamento 20
o pi! direito 22
o /Je esquerdo 23
As laterais dos /JeS 24
o dorsa dos pes 25
COMO SEGURAR a PE 26
Hall; Nicola
Reflexologia: guia pratico I
Nicola Hall;
ITradll<;aode Henrique Monteiro I .
--Sao Paulo, Callis, 1997. --
(Sementes do saber)
Tftulo original: In a I1mshell: reflexology
I. Reflexologia I. Titulo. II. Serie
make para catalogo sistematico:
1. Reflexologia: Massagem Terapeutica
615.532
avataR
Tel, (011)822.2066
Fax, (01 I) 829.5882
e-mail .caliis@sanet.com.br
GUIA DE TRATAMENTO
PASSO A PASSO 28
A cabefa e 0 pescofo 30
Coluna vertebral 32
opeito 34
oabdome 36
A pelve 38
Os membros 40
Orgaos reprodutores e glilndulas 42
o sistema lin/dtico 44
Exerdcios 46
Reflexos da mao 50
REFLEXOLOGIA EM CAS A 52
DOENyASCOMUNS 53
LEITURA COMPLEMENTAR 59
oque e
reflexologia?
A REFLEXOLOGIA E UMA TERAPIA COMPLEMENTAR que compreende
o tratamento de varios disturbios pela aplicac;ao de pressao nos pes ou
maos. 0 tratamento de todo 0 corpo e feito atraves de determinados
pontos, em areas precisas dos pes e das maos, relacionadas a regioes
particulares do corpo e chamadas "zonas reflexas".
Zona reflexa
do pulrniio
esquerdo
A ESQUERDA Zonas
reflexas paya todas as
partes do corpo sao
encontradas nos pes.
Otratamento compreende a
aplica~ao de pressao com a
ponta do polegar ou dos dedos so-
bre pontos reflexos precisos. Apli-
ca-se uma pressao firme mas nao
muito forte, e a pessoa que recebe
o tratamento experimentara sen-
sa~5es diferentes nas zonas dos pes
ou das mao . Essas sensa~5es sac
interpretadas pelo terapeuta, indi-
cando quais partes do corpo estao
funcionando bem e quais nao es-
tao. De acordo com 0 grau de des-
conforto, maior ou menor, experi-
mentado nas zonas pressionadas, e
possivel saber que partes corres-
pondentes do corpo registram
maior ou menor desequilibrio.
A reflexologia e tambem uma
tecnica de diagn6stico - 0 que
significa que pode ser usada para
descobrir onde ha desequilibrios
Reflexos do cabe,a e
pesco,o - os dedos
dope
no corpo. Um reflexologista pode
entao atllar sobre esses desequili-
brios para tratar uma vasta gama
de disturbios. A reflexologia
pode tambem ser usada preventi-
vamente, para manter 0 corpo
funcionando bem.
Assim como as demais terapias
complementares, a reflexologia
da bastante tempo para que os
pacientes falem sobre si mesmos
com 0 terapeuta, 0 que permite
uma compreensao melhor do pr6-
prio paciente e de seus problemas.
Reflexos do peito -
sobre a planta do pe
Reflexos do abdome -
abaixo do planta
dope
Reflexos do pelve -
sobre 0 bloco do
calcanhar
A ESQUERDA RegiOes
do corpo sao yepre-
sentadas em tonas
especificas dos pes.
ABAIXO Como seguray 0 pe e
fazer pressao.
E mais ideil trabalhar
com 0 pe apoiado em
posi,ao elevado.
Apuca-se a pressiio nos
pomos reflexos com 0
polegar inclinado.
£.~"r£s DO SAn
~~~ e~
---------- 1(",,)
REFLEXOLOGIA
Um pOlleo de hist6ria
A REFLEXOLOGJA e uma terapia ocidenwl moderna, em que e
aplicada pressao a distinws regiBes dos pes. Embora os metodos
precisos da ref/exologia - e 0 termo em si - sejam novos, [ormas
semelhantes de terapia pela massagem do pe [oram praticadas em
diversas partes do mundo ao tongo de varios seculos.
Ha 5.000 anos os chineses ja
praticavam varias formas de
terapias de pressao e tais metodos
provavelmente inclufam uma
maneira de atuar sobre os pes
semelhante a da atual
reflexologia. Uma antiga tumba
escavada em Saqqara, datada de
2330 a.c., indica que os antigos
egfpcios conheciam um metodo
de tratamento semelhante a
reflexologia. Sabe-se que metodos
similares tambem eram
praticados na India e no ]apao.
Algumas tribos de fndios norte-
americanos usavam uma versao
de terapia reflexa no pes - em
especial os fndios Cherokee, que
utilizavam 0 tratamento desde 0
seculo 17 e continuam a faze-lo
ate hoje, como parte de seu ritual
de cura.
Origens na
China
Baixo-relevo
de uma tumba
escavada em
Saqqara, no
Egito
Livrosobre
terapia zonal
do dr William
Fitzgerald e dr
Edwin Bowers
e publicado
nos EUA-
simplificado
pelo dr Joseph
Rileye
republicado
Livrosobre
terapia zonal
dos drs,
Adamus e.
A'tatis publicado
na Europa
Os Cherokee
usavam uma
forma de
refiexologia
.~£,i'l"r£s DO s,oJn
~~ e~
------------ 9
Em 1582, um livro europeu so-
bre terapia zonal foi publicado
pelos medicos dr. Adamus e dr.
A'tatis. Baseado nos princfpios de-
lineados no livro e no de autores
anteriores, 0 dr. William Fitzge-
rald, um otorrinolaringologista
americano do Hospital Geral de
Boston, desenvolveu seu pr6prio
metodo de terapia zonal, que foi
publicado em 1917 com seu colega
dr. Edwin Bowers. A reflexologia
atual se desenvolveu a partir do
trabalho sobre a terapia zonal do
dr. Fitzgerald e foi colocada em
pratica pela primeira vez por uma
americana, Eunice Ingham, na de-
cada de 1930. Eunice Ingham dei-
xou seu "0 Metodo Ingham de
Massagem de Compressao", que
A refiexologia
e introduzida
na Gra-
Bretanha por
Doreen Bayly
~
7:.:5-
., (
Hist6rias que os
pes podem
cantor, de
Eunice Ingham,
e publicado
nos EUA
ACIMA Eunice Ingham fai a
primeira a trQ,far um mapa do
corpa nas pes, em 1935.
foi introduzido na Gra-Bretanha
em 1960 por Doreen Bayly, discf-
pula de Ingham. Bayly tambem di-
fundiu 0 metodo por outros pafses
da Europa. Foi Ingham que desen-
volveu e renomeou a terapia zonal
por reflexologia, tendo executado
os mapas das zonas reflexas dos pes.
Terapia das
zonas re~exas
dos pes, de
Hanne
Marquardt, e
publicado na
Alemanha
Re~exologia
hoje, de
Doreen Bayly,e
publicado na
Gra-Bretanha
Estudos
c1fnicos
mostram que
cerca de 73%
das pessoas
tratadas
apresentam
bons
resultados
osistema zonal
A REFLEXOLOGIA BASEIA-SE na eXIstencia no corpo de um
sistema de zonas ou canais longitudinais (verticais) e transversais
(horizontais). Os reflexologistas tem acesso a energia do corpo
atraves das zonas, para estimular 0 corpo e eliminar quaisquer
congestionamentos que possam estar causando desequilibrios.
ZONAS
LONGITUDINAIS
As dez zonas longitudinais,
descritas pelo dr. Fitzgerald,
sobem dos pes pelas pernas e pelo
corpo ate a cabe<;:a,e descem
pelos bra<;:ose maos. Tais zonas
poderiam tambem ser descritas
ao contrario, como saindo das
maos, subindo pelo bra<;:ose
chegando a cabe<;:a,e entao
descendo pelo corpo ate os pes.
Ha cinco zonas do lado direito do
carpo e cinco zona do lado
esquerdo: a zona 1 ligando 0
dedao do pe ao polegar; a zona 2,
o segundo dedo do pe e 0
indicador; a zona 3,0 terceiro
dedo do pe e 0 dedo medio da
mao; a zona 4, 0 quarto dedo do
pe e 0 dedo anular; e a zona 5, 0
dedinho do pe e 0 minimo. As
zonas sao segmentos ao longo do
carpo que tem largura igual em
cada se<;:aodo corpo.
No interior de cad a zona, ha
um fluxo de energia que corre
por todas as partes do corpo si-
tuadas na mesma zona. As zonas
se estendem para os pes e para as
maos, assim as zonas reflexas que
carrespondem as diferentes par-
tes do corpo serao encontradas
nas mesmas zonas dos pes e maos.
Segundo esse prisma, e facil ma-
pear as areas do corpo que cones-
pondem aos pontos reflexos
apropriados nos pes e nas maos.
AS ZONAS
LONGITUDINAIS NOS PES
AS ZONAS LONGITUDINAIS E
TRANVERSAIS DOCORPO
As zonas longitudinais e
transversais do corpo
podem seT representadas
nos pes. Dez zonas
longitudinais saem dos
declos dos pes para 0 cor/)o
todo e descem para os
dedos das milos.
Cincura
Regiaes do corpo cor-
respondentes as zonas
nos pes e nas mJos
As zonas da cimura
escapular, da cintura e
cia cin tura pelvica
mostradas no pe
(vejapag.12)
Zonas ref/exas
nos pes
.t-.TESDOS
~x,~'V. A It I- f
<!-
REFLEXOLOCIA
A DIREITA As tres
zonas nos pes. nu-
meradas 1, 2 e 3.
correspond en do as
tres zonas na regiao
superio,' do COt"po. 3
Sao as "zonas
transversais ".
As zonas transversais tambem
sao identificadas nos pes,
tendo sido descritas original-
mente por Hanne Marquarclt,
uma terapeuta alema_ Tais zonas
ou regi6es mostram como tres
niveis no corpo, correndo hori-
zontalmente, podem ser encon-
traclos nos pes - delimitados pelos
ossos do pe. Os tres niveis sac a
cintura escapular, a cintura e a
cintura pelvica. Existem 26 ossos
nos pes: 14 falanges, encontrados
nos dedos; 5 metatarsos, abaixo
dessas; e entao 7 tarsos. 0 nivel da
cintura escapular e onde as falan-
ges se encontram com os metatar-
sos; 0 nivel cia cintura fica a meio
caminho do pe, onde os metatar-
sos se encontram com os tarsos; 0
nivel da cintura pelvica e uma
linha imagimria atravessando os
tarsos entre os ossos clo tornozelo.
Essas regi6es transversais ajuclam a
diviclir 0 pe para iclentificar mais
clara mente quais partes do pe se
relacionam a tais partes clo corpo.
MERIDIAN OS
Alguns especialistas alegam
que a refiexologia trabalha
nao com as zonas longitudinais,
mas com meridianos encontrados
no corpo, uma vez que estes se es-
tendem para os pes e as maos. Os
merid lanos sac usados como base
para muitas praticas medicas chi-
nesas; sao canais que correm ao
longo do corpo e contem a ener-
gia deste. Os doze meridianos
(usados em acupuntura, acupres-
sura e outros metod os) nao sao 0
mesmo que as zonas longituclinais,
mas muitos cleseus principios sao
semelhantes. Os meridianos cia
acupuntura sao Iinhas finas que
con'em pelo corpo num sistema
clara mente clefiniclo. Alguns
refiexologistas chegam a trabalhar
em pontos de acupuntura durante
o tratamento. Falta provar se os
reflexologistas e acupunturistas
atuam sobre os mesmos pontos ...
A ESQUERDA Regioes
dos brafos e IJemas que
estiio na mesma zona
ongitudinal SaD con~
sideradas Hzonas
correlatas".
AREAS DE ZONAS
CORRELATAS
Como as dez zonas longitudi-
nais passam ao longo do cor-
po e descem pelos bra<;:ose pernas,
os bra<;:ose pernas sao considera-
dos "zonas correlatas", existindo
um relacionamento especial entte
ombro e cintura; COtovelo e joe-
lho; pulso e tornozelo; mao e pe.
A DIREITA Visiio
geral das zonas
transversais do peL
As areas entre as juntas ram-
bem podem ser correlatas; isto e, 0
bra<;:ose relacionar com a coxa e 0
antebra<;:ocom a perna. Existe
uma liga<;:aoentre partes do mes-
mo lado do corpo: 0 cotovelo di-
reito se relaciona com 0 joelho
direito, e 0 punho esquerdo se re-
laciona com tomozelo esquerdo.
Alem disso, para atuar direra-
mente na area afetada, 0 refJexolo-
gista pode atuar numa area
correlata, 0 que e particularmente
interessante quando uma parte do
corpo esta inacessivel ou extrema-
mente dolorida. Por exemplo, se 0
paciente esta com 0 joelho direito
extremamente dolorido, 0 cotove-
10direito pode ser massageado
usando-se as tecnicas de pressao da
refJexologia; no caso de um tomo-
zelo esquerdo quebrado, 0 punho
direito pode ser massageado para
estimular 0 processo de cura.
_".I,~.~'ft:S DO SA/Je
___________"_" V R
REFLEXOLOGIA
~~'i.~TE.S DO SI1b
ot
___________ "_' __ "'" R _
Como funciona a
reflexo logia?
A EXEMPLO DE MUITAS TERAPIAS complementares, a refle-
xologia nao e comprovada por uma teoria cientffica, a nao
ser pelo fato de que as termina~i5es nervosas (70 mil na
sola de cada pe) SaD estimuladas, Os reflexologistas
acreditam que atuando nas zonas reflexas e POsslVel
equilibrar 0 fluxo de energia nas zonas longitudinais do
corpo e, portanto, ajudar seu correto funcionamento,
nuca, dor nas costas,
disturbios digestivos,
debilidade do sistema
imune, pressao alta,
doen~as de pele e
constantes gripes e
resfriados,
ESTILOS DE
VIDA
U
madas
causas
maiscomuns
das doen~as e
Apressado para 0 estresse - 0
os encontros efeito das
press6es cotidianas sobre
nosso corpo, ao lado de
outras influencias nega-
tivas, como a polui~ao,
os aditivos e agrotoxicos
nos alimentos e a vida na cidade,
Todos somos afetados pelo
estresse em diferentes nlveis e,
como consequencia, muitos
desenvolvem diversos problemas
ffsicos, entre os quais dor de
cabe~a e enxaqueca, tensao na
Trabalhaado
enquanw come com
a cabe,a inclinada ao
falar ao telefone m6ve1
Preocupado com 0
trabalho - tados
esses sdo fatores
estressantes
o reflexolo-
gista atua 50-
bre as zonas
reflexas dos
dedos dos pes
para aliviar 0
problema
A regido do
corpa que
precisa de
tratamento e a
cabe,a
A ESQUERDA
Os reflexologis-
tas acreditam
que 0 estresse
mental e /isico
pode ser aliviado
com a atuUfiio
sobre os pes,
ESTILOS MELHORES
Embora a reflexologia nao pos-
sa prevemr 0 estresse que
ocorre na vida cotidiana, ela po-
de nos ajudar a lidar melhor com
ele e nos sentirmos mais relaxa-
dos, Um dos mais importantes
beneffcios da reflexologia e 0
relaxamento,
otratamento e hollstico - ou
seja, trata 0 corpo como um todo,
nao um grupo de sintomas - e po-
de nos ajudar tanto flsica quanto
mentalmente, Os sintomas pre-
sentes no corpo devido ao
estresse podem ser aliviados e 0
efeito equilibrador do tratamento
aumenta a saude como um todo,
ao tratar das causas profundas dos
sintomas, nao apenas dos sinto-
mas isoladamente, Quando nos
sentimos melhor fisicamente, nos
sentimos tambem psicologica-
mente, e uma sensa~ao de maior
bem-estar ajuda a reduzir os nl-
veis de estresse e prevenir futuras
doen~as, Depois do tratamento
voce se sentira mais calmo, mais
tranquilo e mais otimista, e por-
tanto mais capaz de lidar com 0
estresse e as doen~as a ele
relacionadas,
A reflexologia
pade conduzir a
urn estilo de vida
mais feliz e
satulaveL
~'_'l.T£.S DO S~l/j
~~ €~
---------Q
o tratamento
ANTES DE INICIAR 0 TRATAMEN-
TO, e feito um hist6rico medico
detalhado. Seu terapeuta ira prepa-
rar um hist6rico de caso completo -
ou seja, tudo 0 que houver para
saber a seu respeito e sobre sua
saude, desde seus sintomas f(sicos e
das horas de sonG ate todos 05
aspectos de sua vida, alem de seu
estado emocional. Com isso, seu terapeuta ira
focalizar um tipo de tratamento mais adequado ao
seu caso e determinar se a reflexologia sera 0
tratamento mais indicado.
ACIMA 0 terapeuta
fa:{ urn detalhado
historico medico
antes de iniciar 0
tratamento.
Voce se sentara numa confor-
tavel cadeira reclinavel-
com as costas, 0 pesco<;:oe as per-
nas bem acomodados, e com os
pes elevados de modo que 0 tera-
peuta possa atuar sobre eles facil-
mente. A menos que seja
imposslvel por algum motivo, seu
terapeuta cuidara de seus pes.
o primeiro passo sera um exa-
me de seus pes, e entao seu tera-
peuta ira esfregar os seus pes com
len<;:osumidos, para remover a
sujeira superficial ou para refrescar
os pes num dia quente. Serao
identificados sinais de pele aspera,
tambem relaxe.
Quando voce se acostumar a
ter 0 pe manipulado, 0 terapeuta
explicara como sera feito 0 trata-
mento; ele tambem ira tranqi.iiliza-
10 em caso de apreensao quanto a
dor. A reflexologia nao e dolorosa;
as areas senslveis sao tratadas com
suavidade e as sensa<;:5escostu-
mam ser mais de prazer que de
sofrimento. Uma tecnica calman-
te muito precisa (veja pp 26-7) sera
entao aplicada a todos os pontos
reflexos de ambos os pes.
Aliviando 0 peso
dos pes numa
conJort<iveicadeira
reciinLivel
calosidades, rachaduras entre os
dedos, uma area de infec<;:ao,como
uma verruga, e problemas nas
unhas.
Seus pes poderao ser massagea-
dos com um pouco de talco. 0
produto costuma ser usado no rra-
tamento porque absorve a umida-
de, caso os pes estejam um pouco
suados, e os toma mais macios se
estiverem secos. Em lugar do tal-
co, alguns terapeutas podem usar
6leo, mas nao e muito recomenda-
vel. A massagem geral aplicada ao
pe fara com que voce se acostume
com 0 toque do terapeuta e
ManipuIa,ao dos zonas
rej1eXflSpara acalmar e
energizar a corpo
Sua mente vai relaxar
quando voce ficar
sentado quieta por
umahora
Como e feito 0
tratamento
A MAIORIA DAS PARTES DO
CORPO sdo duplicadas dos dois
lados, esquerdo e direito, e os
pontas reflexos para essas partes
do corpa aparecerdo praticamen-
te na mesma posit;:do em ambos
os pes. Algumas jJartes do corpo
sac encontradas apenas de um
lado - p. ex. , 0 carat;:da - e, portanto, s6 serdo representadas em
um dos pes, neste caso 0 esquerdo. As zonas reflexas situam-se
nas solas, nas laterais e no dorso das pes, e cada parte dos pes
tem uma parte correspondente no corpo.
ACIMA SiUJ usadas toalhas
l)ara proteger as pes durante
o tratamento.
'Cxiste urn mapa do corpo es-
Lpelhado na palma das maos e
na sola dos pes, dividido por zonas
longitudinais e transversa is (veja
pp 10-12). Cad a parte do corpo
tern uma zona reflexa correspon-
dente nos pes e nas maos.
A DIREITA 0 tratamento
castuma seT dado primeiro
as Zonas do po direito e
depois as do po esquerdo.
~f,N'fE.S 00 S<'/J,
s~ ~~
L.J
COMO E FEITO 0 TRATAMENTO
o tratamento costuma ser
ministrado as zonas reflex as no pe
direito primeiro e depois no
esquerdo, embora isso possa diferir
entre os terapeutas. Depois de
trabalhar os dois pes, e dada
aten<;ao as zonas reflex as que
afetam determinadas partes do
corpo. A essa altura, ambos 0 pes
pod m ser trabalhados
simultaneamente; por exemplo,
os reflexos do rim em ambo os
pes podem ser estimulados para
urn melhor resultado.
De acordo com as caracte-
rfsticas pessoais de cada pa-
ciente, serao experimentadas
diferentes sensa~6es. Quanto
maior a sensibilidade, mais
desequilibrada estara a parte
correspondente do corpo.
2 Em algumas zonas, a pressao
sera sentida, mas nao de
maneira desconfortavel.
3Em algumas zonas, a pressao
pod era parecer levemente
desconfortavel.
4Em algumas zonas, a pressao
podera causar uma pontada
aguda, quase como se fosse
enfiada uma agulha no pe (esta e
uma sensa~ao passageira e logo
sera aliviada pelo terapeuta).
A ESQUERDA Os pes ficam
sempre apoiados durante 0
tratamento. Primeiro e
trabalhado 0 pe como um
todo, depois as zonas que
precis am de atenfao especiaL.
.~£.t..·r£.s DO SA,lJ
~~ €R
o ~
COMO t FEITO 0 TRATAMENTO
As rea~6es ao tratamento po-
derao ocorrer quando 0 cor-
po come~ar a se desfazer das
toxinas - pode ser que ocorra urn
leve enjoo e uma diarreia branda,
mas as rea~6es nunca serao fortes
a ponto de incomodar.
Sintomas como esses sao
geralmente urn sinal encorajador
porque indicam que 0 tratamento
esta surtindo efeito.
POSSiVEIS REAC;:OES
EXPERIMENTADAS
• Sintomasdo ti-
po resfriado,como
narizescorrendo,
catarro e
congestao dos
seios paranasais
sac sanados
A ESQUERDA Uma
cadeira recliruivel pro#
porciona a posifiio
ideal para 0 tratamen#
to e 0 relaxamento.
• Aumento do
suor
• Erup~6esda
pele - algumas
doen~as de pele
pioram antes de
melhorar
• Tosse,enquanto
o muco e elimi-
nado dos pulm6es
e viasrespirat6rias
DURA<;:Ao DO
TRATAMENTO
U
masessao de terapia dura
cerca de uma hora, e sera
dada uma vez por semana.
Embora a melhora ja possa ser
sentida depois da primeira sessao,
e importante manter uma serie de
pelo menos tres sess6es para
garantir que a melhora se
consolide. Ficara evidente, depois
de tres sess6es, se sua cond i~ao
reage ou nao a reflexologia.
Algumas pessoas gostam de
retomar a cada seis semanas ou
dois meses, para manter 0 corpo
sempre bem equilibrado.
DURAC;:AO DO TRATAMENTO
• A sessao de terapia
dura cerca de uma hora
• Esvaziamento
maisfrequente da
bexiga
• Vocevaifazer pelo
menos tres sess6es. ge-
ralmente uma por
semana
ABAIXO a teTapeuta
anotaT£l tados os
detalhes do tratamento e
comentara sabre as
possiveis reapJcs a
terapia.
• Esvaziamento
maisfrequente dos
intestinos
• Aumento da
energia
• Normalmente, sac
necessariasde quatro a
seis sess6es
• 0 intervalo entre as
sess6es pode se esten-
der, caso ocorram
melhoras
• 0 tratamento regular pode continuar,
para manter as melhoras e prevenir
desequillbrios posteriores
Sao usados lenfos
umidos para limpaT
e refrescar a pele
A ESQUERDA as pes
podem seT limpos antes
do tratamento, para
remover toda sujeira.
o rerapeuUl verifica
se M infecfoes nos pes
Cada zona precisa
do pe direito esta
diretamente
relacionada a uma
parte especffica do
lado direito do corpo.
Tuba
auditiva
Para,ire6ide
Pulmao
Ombro
Plexosolar
Valvula
ileocecal/
ap~ndice
Cada zona precisa
do pe esquerdo
esta diretamente
relacionada a uma
parte especffica
do lado esquerdo
do corpo.
Topoda Alroda
cabe,a/cerebro cabe,alcerebro
l-li[J6fise Hip6fise
Lateral da Lateralda
cabe,alcerebro cabe,alcerebro
Coluna/cervical
Coluna/cervical
Pesc~o Pesco,o
Tire6ide Tire6ide
Traqueia Traqueia
Bronquios Bronquios
Bronquios/ Bronquios/
Esofago Esofago
Coluna/tordcica Col"na/tordcica
Estomago
Estomago
Pancreas
pancreas Supra-renal
Supra-renal
C610n
Rirn
transverso
Coluna/lombar Coluna/lombar
Canal da ureLTa Canal da ureLTa
In testino delgodo Intestino delgado
Bexiga
Rew
Bexiga
Coltma/ sacro
Coluna/sacro
Coluna/c6ccix
Coluna/c6ccix
T"ba
audiriva
Para,ire6ide
Ouvidos
P,<lmao
C6lon
sigm6ide
'..NT£S DO S.1b
------------~-~-"-- Q -_€_,,------------
REFLEXOLOGIA
Os reflexos reprodu-
tivos estao localiza-
dos principal mente
nas faces interna e
extern a dos pes e
tornozelos.
Linfonodos da
pelve/virilha
Os reflexos do
sistema linfatico estao
localizados
principal mente sobre
o dorsa dos pes
Seio
8r"l'0
COSIeIas
Corovelo
Como segurar
"
ope
AMBAS AS MAos sAG usadas pelo reflexologista, com 0 polegar
ou dedos de uma das maos aplicando a massagem e a outra mao
segurando a area que esta sendo trabalhada.
Apressao e feita com a ponta
do polegar. Conforme a
pressao e aplicada, a unha e
empurrada para tras, de forma a
nao encostar no pe massageado.
A pressao e feita em cad a ponto
por um curto tempo antes de ir
para 0 proximo ponto.
Se urn ponto renexo
mostra uma
sensibilidade especial,
a pressao e reduzida,
mas mantida no
ponto por urn
momento ate a dor
passar. Se voce tem
urn ferimento grave,
procure urn medico antes
de receber 0 tratamento.
A ESQUERDA 0 pc fica
apoiado enqu8nto e
examinado.
N 'f E. S DoS
S X. ~ £, -1/J I::..v
:.J
COMO SEGURAR 0 PE
Opolegar move-se para a
frente para trabalhar os
pontos reflexos dentro de uma
zona. 0 polegar e mantido
inclinado durante todo 0 tempo.
A pressao e aplicada sobre 0
ponto reflexo e entao relaxada; 0
polegar e levantado urn pouco
para fora do ponto e entao passa
para 0 ponto adjacente seguinte a
ser massageado. Sempre que
possfve!, 0 polegar deve ser
mantido em contato com 0 pe,
deslizando e nao cutucando.
Aoaplicara
pressiio, 0 polegar
permanece
inclinado
opolegar
pennanece em
conrow com 0 pe
enquanw a reflexo;
IogisUl0 desloca
paraajrellle
A pressuo e aplicada por intermedio
do polegar. A pressUo e mantida no
ponto re/lexo por um momento e
entuo relaxada, com 0 polegar
inclinado. 0 polegar e entuo movido
para 0 ponto seguinte dentro da area.
"C m certas zonas, a presen<;a de
Dep6sitos como que de crista is
pode ser sentida logo sob a superff-
cie da pele. Isso indica desequilf-
brios e pode ser trabalhado
rodando-se cuidadosamente a
ponta do polegar sobre a regiao, 0
que ajuda a dispersar os dep6sitos.
Sempre segure 0 pe de maneira
firme mas gentil. Pode ser que voce
relute em aplicar uma pressao mais
forte enquanto trabalha, mas com
a pratica ira aprender a ser firme
sem ser grosseiro ou causar dor.
Guia de tratamento
As zonas
reflexas das
partes do peito
sao encontradas
entre os limites
da cintura
escapular e a
arcada de ambos
os pes.
As zonas reflexas Ggdas partes do
abdome
estendem-se para .
baixo do limite da
arcada, chegando -'
quase ao
calcanhar.
passo a passo
UM TRATAMENTO COMPLETO compreende
trabalhar todas as zonas do pe direito e depois
todas as do pe esquerdo - 0 terapeuta come~a
pelos dedos, trabalha cada se~ao da sola do pe
e entao passa para as laterais e 0 dorso do pe.
ABAIXO 0 corpo
inteiro pode seT
trabalhado durante
uma unica sessiio.
CABEl;A E
PESCOl;O
As areas reflexas
.das partes da
pelve situam-se
acima e em cima
do calcanhar, e nas
faces extern as do
pe, proximo ao
tornozelo.
As zonas
reflexas das
partes da
cabe<;a e do
pesco<;o ficam
na regiao dos
dedos dos pes.
As zonas
reflexas dos
membros ficam
na face externa
dos pes.
GLANDULAS
REPRODUTORAS
As zonas reflexas
das glandulas
reprodutoras
situam-se em
ambas as faces
do pe, proximo
e sobre os
tornozelos.
A zona reflexa da aDcoluna contorna
a borda inferior
da face interna
dos pes.
t~)
((;~~
As zonas
reflexas do
sistema linfatico
ficam no dorso
dos pes.
Os reflexos do
joelho ficam
pr6ximosdo
ca1canhar, na
faa emma do pi'
'(;v.t.~·fES DO SAlJ/:.,
----------~--- ¥ ---"----------
REFLEXOLOGIA
A cabe~a e
o pesco~o
As ZONAS REFLEXAS (reflexos) da cabec;a e
pescoc;o encontram-se na reglao dos dedos de
ambos os pes e, alem disso, a cabec;a como um todo
pode ser representada na area do dedao de cada pe.
1Na sola do dedao, a ponta do
dedo representa 0 alto da ca-
bec;ae 0 cerebro, a face externa
representa a face exterior da ca-
bec;ae do cerebro, e a base repre-
senta a parte de trlis da cabec;ae
do cerebro. 0 reflexo da hipofise
(glandula pituiuiria) fica proximo
ao centro do bloco do dedao.
2
Ao redor da base do dedao,
logo acima de onde ele se
junta it planta do pe, fica 0
reflexo do pescoC;o. A base do
dedao representa a nuca. A face
lateral da base do dedao
representa a setima, ou ultima,
vertebra cervical do pescoC;o, por
onde passam muitos dos nervos
dos brac;ose maos.
A ESQUERDA Os dedos dos
pes sCio 0 local dos reflexos da
cabefa e pescofo, indl4.indo
os seios paranasais.
~TES Do S
':> ~ '1- " ~I lJ ~'R
-~A CABE<;:A EO PESCO<;:O
30 reflexo do alto da cabec;ae
do cerebro e encontrado logo
ao lado da unha do dedao.
50s reflexos dos seios
paranasais ficam atras dos
dedos e em suas faces laterais.
4Na frente do dedao fica 0 ref1exo
do rosto. Os aspectos superiores
dos outros dedos tambem se relocio-
nam com 0 rosto - em particular
com os dentes e gengivas. Na basedo
dedao, logoacirnade onde elesejun-
ta ao pe, fica 0 ref1exodo pescoC;o.
60s reflexos dos oUtOSSaDen-
contrados logo abaixo de onde
o segundo e 0 terceiro dedos se
juntam aos pes. Os reflexos dos
ouvidos ficam logo abaixo de onde
o quarto e 0 quinto dedos juntam-
se it sola dos pes. 0 reflexo da
tuba auditiva (que liga 0 ouvido it
garganta) situa-se entre os reflexos
dos olhos e dos ouvidos.
_",f,t-lT£S DO S-'!IJ
S~ e~
---------Q
Coluna vertebral
o REFLEXO DA COLUNA vertebral encontra-se ao longo
da face interna de ambos os pes, seguin do a arcada os-
sea do pe, da lateral do dedao ate a parte de tras do ca1-
canhar. Ao longo do reflexo da espinha estao os reflexos
para a parte superior da co1una (regi6es cervical e do
pesco<;o), ref7exos das regi6es central e toracica, re-
f7exosda regiao inferior (Jombar) e ref7exos dos ossos sacros e do coccix
(base da co/una). 0 tratamento come<;a na zona reflexa do alto da
coluna e segue em progressao descendente ate a extremidade inferior.
1
A face interior de cada pe e a
regia a que corresponde as partes
da co/una. A regiao da curva natu-
ral do pe espellJa a forma da coluna
e assim as regi6es superior, mediana
e inferior da coluna, incluindo
sacra e caccix, podem ser
facilmente "plotadas" ao
longo da zona reflexa. Renexo da regiiio
lorn bar (inferiol)
da co/una
't-~'i..t-lTt:S DO S-'!8~,
----------~--- ~ ---~-----------
COLUNA VERTEBRAL
20 reflexo da parte superior da
coluna, a regiao cervical au
do pesco~o, esta localizado ao
tango da face do dedao.
30 reflexo da regiao toracica
(mediana) da coluna e
encontrado ao longo do primeiro
ossa metatarsico (veja pag. 12)
ate a linha da cintura.
4A regiao lombar (inferior) da
coluna erepresentada desde a
linha da cintura ao tango dos ossos
tarsianos (veja pag. 12), seguindo a
arcada 6ssea ao longo da face inte-
liar do pe e terminando num ponto
aproximadamente no mesmo n(ve!
que 0 ossa do tornozelo. 0 ref/.exo
da bexiga esw logo abaixo da regiao
lombar, na face interior de cada pe.
50 sacra e a c6ccix ilbase da
coluna se localizam ao longo
dos ossos do tars a , pouco antes da
parte posterior do calcanhar. 0
reflexo ciatico - a nervo ciatico
propriamente dito - segue par am-
bos os lados da perna e atravessa
a calcanhar como um estribo,
tornando esta regiao uma parte
especialmente sens(vel do pe.
_~'t.~T£.S DO SA.8~,
__________ s_~ 9 __" _
REFLEXOLOGIA
o peito
OS REFLEXOS DA REGIAo do peito podem ser
encontrados na sola do pe, na area
compreendida entre 0 nivel da cintura escapular
(grosseiramente a base dos dedos) e a zona do
diafragma (ou cintura) , que se situa
imediatamente abaixo da planta de cada pe.
Azona do peito no pe
contem os seguintes
reflexos: partes do sistema
respirat6rio, incluindo traqueia,
bronquios (passagens de ar) e
pulm6es; 0 coras:ao; 0 esOfago
(caminho do alimento da boca
ao estomago); as glandulas
tire6ide e paratire6ide (veja
abaixo); as costelas e 0 esterno.
A zona do peito no pe e
tambem 0 local dos pontos
reflexos para importantes
estruturas que levam ao sistema
digestivo e contem 0 nervo que
controla 0 diafragma.
1
as reflexos da glandula
tire6ide estao na borda
exterior da planta do pe, na base
do dedao, em ambos 05 pes.
2
As 4 pequenas glandulas parati-
re6ides influenciam 05 nlveis de
calcio e f6sforo no corpo. as reflexos
das paratire6idesinferiores localizam-
se na parte de baixo da borda inferior
da planta do pe, abaixo do dedao.
3as reflexos das paratire6ides
superiores sao eneantrados na
borda superior da planta do pe,
abaixo do dedao, em cada pe.
405 reflexos do pulmao sao
encontrados sobre a planta do
pe. a reflexo para 05 bronquios
estende-se pela parte inferior da
planta sob 0 dedao, na area do
pulmao - desde 0 reflexo da
traqueia, que se encontra pr6ximo
ao limite da planta com 0 area do
pe, da base do dedao ate perta da
base da planta sob 0 dedao.
o[)olegor trabalha
o reflexo do
corafaO! no pc
esquerdo.
5a reflexo do esofago se
sobrep6e ao da traqueia,
mas se estende para baixo
ate 0 nlve! do diafragma
em ambos 05 pes. a
reflexo do eara~ao e
eneantrado apenas no /)e
esquerdo, numa area
logo acima do nlvel do
diafragma.
· -' '. t-l.T F. S n () S-'!IJ
~~ e~
Q---------
o abdome
A ZONA REFLEXA DO ABDOME fica entre os niveis do
diafragma (logo abaixo da planta de cada pe) e a pelve (a
linha entre os ossos do tornozelo que atravessa ope). Nes-
sa zona estao as retJexos de partes do sistema digestivo,
ineluindo a est6mago, ffgado, vesicula biliar e intestinos;
partes do sistema urinario, ineluindo as rins e os canais da
uretra (que drenam os rins); partes do sistema hormonal, ineluindo
o pancreas e as g/andulas supra-renais; eo ba(:o.
1
0 reflexo do figado encontra-se
apenas no pe direito, na area
entre 0 diafragma e a linha da cin-
tura, numa forma triangular. 0
reflexo da vesicula biliar encontra-
se abaixo do reflexo do figado, logo
acima da linha da cintL/ra.
2
0 reflexo do est6mago pode
ser encontrado na area entre 0
diafragma e a linha da cintL/ra, e
se sobrep6e ao reflexo do
pancreas.
-,£.~1-E.S DO S<'lj
~" ~ --'~----------
o ABDOME
30 ref/exo do ba<;oencontra-se
apenas no pe esquerdo, e na
borda exterior da area entre 0
diafragma e a linha da cintura. 0
ba<;oe responsavel por fi/trar as
toxinas e bacterias no sistema
linfatico. E tambem produz
anticorpos.
40 ref/exo do plexo solar fica lo-
go abaixo do nlvel do diafragma
em ambos os pes. 0 plexo solar e
uma rede de nervos que se ramifica
para todas as partes da cavidade
abdominal; esses pontos ref/exos
sao massageados para aliviar 0
estresse, medo, raiva e nervosismo.
50 ref/exo para 0 longo intes-
tino delgado encontra-se em
ambos os pes, abaixo da linha da
cintura e acima da base do cal-
canhar, e e con tornado pelo ref/e-
xo do intestino grosso, que come<;a
na borda exterior da sola do pe.
60 reflexo das glilndulas
supra-renais fica logo acima
da linha da cintura, no alto do
ref/exo dos rins, em cada pe.
1>, £.t-<" £. S IJ 0 S<'!IJ
__________ ~_'_,'__ J __ ~_.• _
REFLEXOLOGIA
A pelve
A REGIAo PELVICA DO CORPO e representada no pe
sobre a base do calcanhar e acima desta, 0 nlvel da
superflcie pelvica no pe segue por uma linha ima-
ginaria ao longo da base do calcanhar entre os ossos
do tomozelo. Os reflexos relativos as areas da pelve
sao tambem encontrados na borda exterior do pe,
OS reflexos das areas do
corpo listadas a seguir
estao na area pelvica do pe: a
bexiga, as glandulas
reproduwras e 0 rew. Atras dessa
area estao os reflexos para 0
nervo ciatico, a regiao do
sacro-iliaco (onde 0 final da
espinha se junta ao fleo da
pelvis) e aos musculos pelvicos.
1
0 reflexo do nervo ciiitico Ii
na verdade 0 nervo pro[Jria-
mente dito. Ele se desenha como
um estribo ao longo do calcanhar
e e muito sens(veL
2
0 reflexo do nervo ciiitico
tambem se estende pelas
laterais do pe e avan<;:apela parte
posterior da base da perna.
£.'l. T £. S DOS
lb'i.." <'!111:.f
----------- 9
30 reflexo da junta sacro-
il(aca na lateral do calcanhar
pode ser massageada durante a
gravidez, se houver dor na regiiio.
Doreen Bayly ( I900- I979) mere-
ce muito cn§dito por seus es(or-
~os para a difusao do interesse
pela reflexologia. porque inicial-
mente houve pouco entusiasmo
pelo assunto. Gradualmente,
seus esfor~os foram recom-
pensados. mas ela mor-
reu pouco antes do
devido reconheci-
mento da terapia.
.",'i,t'.T£S DO SA
~~ BeR
-------------
Os membros
OS REFLEXOS DOS membros podem ser
encontrados ao longo da face exterior do pI' 0 Os
membros localizado do lado direito do corpo SaD
representados no pI' direito, e os membros do lado
esquerdo SaD representados no pI' esquerdoo
1
0 reflexo do ombro e
encontrado abaixo do dedinho
na sola do pe, assim como no alto
de ambos os pes
A mao esquerda
traballia 0 refiexo
do ombro direito
ApJica-se a
pressao com 0
polegar direito
20 ref/exo do bra"o se estende
para baixo desde a area do
ombro, ate a proje"ao 6ssea que
aparece a meio caminho da face
externa do pe 0
30 ref/exo do cotovelo
encontra-se sabre a proje"ao
6ssea a meio caminho da face
externa do peo 0 "cotovelo de
tenista" e a "lesao do esfor"o
repetitivo" podem ser aliviados
pela a"ao sabre este ref/exo 0
40 ref/exo do joelho (e da
perna) fica atras da proje"ao
6ssea na borda externa do pe,
estendendo-se a meio caminho
para a calcanhar, numa zona
em meia-luao 0 joelho direito e
representado no pe direito e
vice-versa 0
50 ref/exo do quadril (e da
coxa) encontra-se na exten-
sao entre a zona do joelho e a
parte de tras do tornozelo, numa
zona em meia-lua na face externa
do peo 0 quadril direito e repre-
sentado no pe direito e a esquerdo
na mesma regiao do pe esquerdo 0
• ~ £. N T E S DOS.4 8
," V --€-,,-----------
REFLEXOLOGIA
/
Orgaos
reprodutores e
glandulas
30 reflexo das tubas uterinas
na mulher e dos vasos defe-
rentes no homem encontra-se na
junfao das duas outras zonas re-
!Jrodutoras no dorso do pi, pas-
sando bem em freme aos ossos do
tornozelo, Trata-se cada ovario e
tuba uterina no respeetivo pi, ou
seja, 0 pi esquerdo para 0 ovario
e tuba do lado esquerdo,
NA MULHER, as zonas reprodutoras se referem aos
ovarios, tubas uterinas e utero, ao passo que no
homem elas se referem aos testiculos, vasos deferentes, vesiculas
seminais, glandula da pr6staw, uretra e penis,
As zonas reflexas do sistema
reprodutor encontram-se
nas faces laterais e no dorso dos
pes, No homem, os reflexos para
os test(culos, vasos deferentes,
vesiculas seminais, glandula da
pr6stata, uretra e penis encon-
tram-se dentro dessa zona do pe,
Na mulher, os reflexos
para os ovarios, utero e tubas ute-
rinas encontram-se dentro dessa
zona do pe, As glandulas que
afetam ambos os sexos encontram
correspondencia nos
pes de homens e
mulheres. A zona
nas laterai do pe sao
mais ossudas, portan-
to, ao massagea-las,
deve-se usar uma
pressao menoL
20 reflexo do utero na mulher
e da pr6stata no homem
encontra-se a meio caminho entre
o osso interior do tornozelo e a
pane de tras do calcanhaL Ha
tambim um reflexo do utero ou
pr6stata subindo pela perna, a
curta distdncia de cada lado do
tendao de Aquiles,
Os reflexos no po esquerdo
se referem aos 6rgiios
reprodutOres e glandulas do
!ado esquerdo do corpo
ABAIXO A pressiio do dedo
pode ser aplicada no alto do
pe para trabalhar 0 reflexo
da area reprodutora.
Reflexo dos ovarios
nas mulheres ou dos
testfculos nos homens
o reflexo dos ovarios na
mulher e dos testiculos no
homem encontra-se a meio
caminho entre 0 0550 exterior do
tornozelo e a parte de tras do
calcanhar.
osistema
linfatico
OS REFLEXOS do sistema linfati-
co encontram-se no dorso do pe,
estendendo-se desde a base dos
dedos ate a linha dos tomozelos.
Esta zona requer uma pressao mais leve do que a
sola do pe.
OSistemalinfatico corre
paralelo ao sistema
circulat6rio ao longo do corpo e e
composto dos vasos linfaticos,
linfonodos e areas espedficas do
tecido linfatico. Este sistema faz
parte do "sistema imune".
1Os reflexos para 0 sistema
linfatico do t6rax (a parte do
sistema imune no meio das
costas) acham-se abaixo dos
dedos no dorso do pe, ate 0 nfvel
do diafragma. Esta zona inclui 0
reflexo dos seios.
ACIMA Os reflexos do sistema
linfcitico encontram~se no dorsa de
ambos os pes.
3Os reflexos do sistema
linfd.tico da pelve e virilha
encontram-se acima e ao redor
dos ossos do tornozelo. Estas
zonas podem ser estimuladas
para se tratar de infec<;:i5esna
regiao da virilha e pelve.
2Os reflexos do sistema
linfd.tico abdominal
continuam descendo da zona
tord.cica no sentido dos ossos do
tornozelo.
40 reflexo para 0 fluxo
linfd.tico e trabalhado
pin<;:ando-sea zona entre 0 dedao
do pe e 0 segundo dedo.
i..",,,'i.~TES DO S.-1lJ
e
, 9 --"-----------
REFLEXOLOGIA
Exercfcios
DEPOIS DE TODAS as zonas reflexas do pe terem sido
massageadas, SaD feitos alguns exercicios. Tais
exercicios destinam-se a alongar as diversas zonas e
ajuda-lo a relaxar
ROTAlj:Ao DOS DEDOS
1
Um de cada vez, todas os dedos
SaDrotacionados: com uma das
maos, prende-se 0 pi pela base do
dedo; enquanto isso, a outra mao
segura a base do dedo entre 0
polegar e as dedos do outra mao.
2
Gira-se 0 dedo algumas vezes
numa dire.;ao e depois na outra.
31550 e a mesmo que girar a
pesco.;o, e ajuda a soltar a
regiao do pesco.;o. Quando hou-
ver tensao no pesco.;o, as dedos -
especialmente as dedoes
- vao parecer tens os.
~",,,£.!'l'TES Do S.-1lJ~,
, 'J ---"-----------
EXERClcIOS
1As maos SaDcolocadas ao
redor do pi, com os polegares
embaixo e as dedos restantes no
dorsa do pi. A pressao deve ser
firme mas nao causar dor.
2Use as maos para espremer 0
pi como se toreesse uma rou-
pa molhada. Esta a.;ao ajuda a
expandir 0 pi e por consequen-
cia 0 corpo - como ao se
empertigar as ombros
para trtis au res-
pirar fundo e
se esticar.
A mdodireita
pressiona 0
interior do pe
1
A superflcie plana do punho
cerrado e pressionada contra
a sola do pe a altura do nivel do
diafragma, enquanto a outra
mao ap6ia 0 dorso do pi.
Os pes silo
empurrados em
direc;:ao it pessoa
enquanto ela
respira
1Uma das maos e colocada sob
a parte de tras do calcanhar
enquanto a outra sustenta os
dedos.
2As maos SaGpressionadas uma
contra a outra e torcidas. Isso
ajuda a relaxar 0 diafragma e,
portanto, a relaxar 0 corpo todo.
1Este exercicio efeito bem no
final da sessao de tratamento.
o polegar ecolocado no reflexo
do plexo solar, 0 polegar direito
no pe esquerdo, 0 polegar
esquerdo no pe direito.
Enquanto e aplicada a pressao,
o pe e empurrado na direfaO do
paciente e este respira fundo.
2
0 tornozelo egirado para um
lado e depois para 0 outro.
Isso ajuda a relaxar as tensoes no
tornozelo e nas zonas pelvicas,
para favorecer 0 fluxo de energia
ao longo do corpo.
2A respirafaO e presa e entao,
enquanto 0 paciente solta 0
ar, a pressao no reflexo do plexo
solar e liberada e os pes retornam
a posifaO normal.
Repetido tres ou quatro vezes,
este exercicio, alem de aferir a
capacidade respirat6ria do
paciente, da ao tratamento um
final relaxante.
Reflexos da mao
TODOS OS REFLEX OS encontrados nos pes SaG tambem
encontrados nas maos, em bora as maas nao costumem ser ta~
sensiveis a reflexologia quanta os pes - provavelmente parque
estao constantemente em uso e geralmente sem prote{:ao. 0
tratamento e aplicado as maos do mesmo modo que nos pes e
obedece as mesmas tecnicas.
Assim como nos pes, a mao
direita corresponde ao lado
direito do corpo, e a
mao esquerda, ao lado
esquerdo. Uma vez
que as maos sao me-
nores que os pes, os
reflexos sao represen-
tados em areas meno-
res e geralmente sao
mais dificeis de iden-
tificar com precisao.
Reflexos do
sistema
linfaticO-
A ESQUERDA Os re-
flexos encontrados no
dorso do pe podem
tambem ser encontra-
dos nas costas da mao.
As maos SaDtratadas em casos
em que 0 paciente tenha muita
sensibilidade ou c6cegas nos pes,
ou quando nao seja possive! tratar
os pes, devido a ferimentos ou
infecvao. As maos podem
tambem ser uteis no
autotratamento, se for diffcil
alcanvar os pes.
As zonas longitudinais
presentes nos pes, e que correm
ao longo do corpo, tambem
aparecem nas maos. As zonas
transversais nao sao tao
importantes nas maos quanto nos
pes e nao podem ser facilmente
re!acionadas a estrutura 6ssea
da mao.
o tratamento completo das
maos ocupara menos tempo que
urn tratamento completo dos pes,
mas ainda assim pod era ser eficaz.
Lmfonodos
superiores
o reflexo cbJ pulmilo encontra-se na
palma da milo, abaixo cbJs decbJs,
estendendo ..se sabre uma quarta parte cIa
palma.
A ESQUERDA Os
reflexos do sistema
linfeitico encontram~
se nas costas da
milo, atuando desde
a base cbJs decbJs ate
o punho.
Reflexologia em casa Doenc;as comuns
EMBORA SE]A MELHOR receber 0 tratamenta de um terapeuta
qualificado, e pOSSIVe! tratar de certas doen~as atuando sobre as
zonas reflexas de seu pr6prios pes ou maos.
EMBORA 0 TRATAMENTO completa para tados os pontas refle-
xos de va ser dado por um reflexologista, os reflexos particu-
larmente beneficos para doen~as espedficas SaD descritos abaixo.
A DIREITA
Autotratamento
dos pes.
Dobre 0 joelho !Jara
ver a sola do pc!
QUANDO NAo
TRATAR
Em certos casos, nao e adequa-
do receber 0 tratamento da re-
flexologia, ou 0 terapeuta ira
administrar 0 tratamento com um
cuidado adicional. Nesses casos,
nao se recomenda que voce tente
tratar a si mesmo. Nao experi-
mente praticar a reflexologia em
casa sob alguma das condi<;:6es
abaixo:
• Reflexos das regioes
aferadas: urero (incluin-
do a vagina) (p. 43)
• Reflexos dos vasos linfa-
ricos (/)p. 44-5) - para curar a infec'ao
• Reflexos das supra-renais (p. 37) -
para reduzir a inflama'ao.
• infec<;:aoaguda
• diabetes
• epilepsia
• problemas cardfacos
• osteoporose
• flebite ou trombose
• gravidez
• cirurgia de reposi<;:ao
(ex.reposi<;:aode quadril)
ALERGIAS ~
n.Reflexos para areas afe-
tadas: par exemplo, nariz,
r/ pulmoes, aparelho diges-
1 tivo, pele (pp. 35,36-7)
• Reflexos para supra-renais, ba'o (p.
37) - para reduzir a hipersensibilidade.
ARTRITE ~
~
• Reflexos das regioes
afetadas: por exemplo,
quadris, joelhos, ombros,
coluna (pp. 40-1, 32-3)
• Regioes relacionadas as zonas
• Reflexos das supra-renais (/). 37) -
para reduzir inflama'oes
• Reflexos da tire6ide e a paratire6ide
(pp. 34-5) - para 0 equilibrio de calcio
• Reflexos dos intestinos, rins (p. 37)
- para facilitar a elimina,ao
• Reflexos da hip6fise (p. 30) - para
o equilibrio hormonal
• Reflexos do plexo solar (p. 37) -
para relaxamento, alivio da dor.
CASPAS ~
fl
·Reflexos do topo da
cabe'a (p. 30) - para 0
couro cabeludo
• Reflexos das supra-
renais (p. 37) - para reduzir a
inflama'ao
• Reflexos dos intestinos, figado, rins
(pp. 36-7) - para facilitar a
elimina,ao.
CIATICA ~
• Reflexos das regioes
afetadas: nervo ciatico e
parte de tras das pernas
(pp. 33, 38)
• Reflexos da coluna (regioes lombar
e sacra), juntas sacro-iliacas, musculos
pelvicos, joelhos, quadris ou qualquer
regiao dolorida (pp. 32-3, 39,41)
• Reflexos do plexo solar (p. 37)-
para 0 relaxamento.
CISTITE ~
• Reflexos das regioes
afetadas: bexiga, canais
da uretra, rins (pp. 38,
36-7)
• Reflexos dos vasos linfaticos (pp.
44-5) - para curar infec'oes.
• Reflexos das supra-renais (p. 37)-
para reduzir inflama'oes.
i.'lTES DO S<"!
~~~ 8€R
----------- +'""
REFLEXOLOGIA
CONSTIPAc;:Ao ~.,
IJ
.Reflexos das regi6es
afetadas: intestino grosso,
reto (pp. 37, 38-9)
• Reflexos do intestino
delgado, figado (P/J. 36, 37) - podem
nao estar funcionando bem
• Reflexos da parte inferior da coluna
(pp. 32-3) - para garantir 0 bom su-
primento de energia para os intestinos
• Reflexos das supra-renais (p. 37)-
para 0 bom tonus muscular dos
intestinos
• Reflexos do plexo solar (p. 37) -
para 0 relaxamento.
DEPREssAo ~
n·Reflexos das regi6es afe-
tadas: cabe~a (pp. 30-31)
• Reflexos do plexo solar
(p. 37) - para 0
relaxamento
• Reflexo das supra-renais (p. 37)-
para reduzir 0 estresse
• Reflexos da hip6fise e sistema
hormonal (p. 30) - para equilibrar os
honnonios.
DESEQUILiBRIO DA
TIREOIDE ~
• Reflexos das regi6es
afetadas: tire6ide (p. 34)
• Reflexos da hip6fise,
supra-renais, glandulas
reprodutoras (pp. 30, 37,42-3)-
para 0 equilibrio hormonal.
• Reflexos do cora~ao (p. 35) - se
houver problemas de
cara~ao/circu lat6rios
• Reflexos dos olhos (p. 31) - se
forem afetados pela hiperatividade.
DIARREIA ~
IJ
·Reflexos das regi6es
..
afetadas: intestino grosso,
reto (pp. 37,38)
. - • Reflexos do intestino
delgado, f(gado (pp. 36-7) - pod~m
nao estar funcionando bem
• Reflexos das supra-renais (p. 37) -
para melhorar 0 tonus muscular dos
intestinos e reduzir a inflama~ao
• Reflexos dos vasos linfaticos
abdomina is (p. 45) - para curar a
infec~ao, se houver.
DORES NAS COSTAS ~
n·Reflexos das regi6es
afetadas na coluna (pp.
32-3)
• Reflexos do pesco~o,
nervo ciatico (pp. 30-31,33) - se
afetados
• Reflexos das supra-renais (p. 37) -
para reduzir inflama~6es
• Reflexos do plexo solar (p. 37) -
para relaxamento, alfvio da dor.
ECZEMA ~
• Reflexos das regi6es
afetadas: por exemplo,
rosto, bra~o (pp. 31 , 41)
• Reflexos das supra-
renais (p. 37) - para reduzir a
inflama~ao e rea~6es alergicas
• Reflexos dos rins e intestinos (p. 37)
- para facilitar a elimina~ao
• Reflexos do plexo solar (p. 37) -
para 0 relaxamento
• Reflexos da hip6fise (p. 30) - para 0
equilibrio hormonal
• Reflexos dos vasos linfaticos (pp. 44-
5) - para curar a infec~ao, se houver.
DISTURBIOS MENSTRUAIS ~
• Reflexos das regi6es
afetadas: por exemplo,
ovarios, tubas uterinas,
utero, hip6fise, tire6ide,
supra-renais (pp. 42-3, 30, 34, 37)
• Reflexos do plexo solar (p. 37) -
para 0 relaxamenta.
DOR DE CABEC;:A~
[J
·Reflexos das regi6es
• afetadas: por exemplo,
cabe~a (pp. 30-31)
• Reflexos da parte
superior da coluna e pesco~o (pp. 30,
32-3) - para reduzir a tensao
• Reflexos do plexo solar (p. 37)-
para 0 relaxamento
• Reflexos dos olhos, seios
paranasais, trata digestivo, figado,
glandulas hormonais (pp. 31,36-7)-
que podem estar envolvidos.
ESTRESSE ~
n·Reflexos das regi6es
onde se apresentam os
sintomas: par exemplo,
cabe~a, em dor de cabe~a
(pp. 30-31)
• Reflexos das supra-renais (p. 37) -
para ajudar a reduzir 0 estresse
• Reflexos do plexo solar (p. 37) -
para 0 relaxamento
• Reflexos da hip6fise (p. 30) - para
o equilibrio hormonal.
FEBRE DO FENO ~.,
n·Reflexos das regi6es
afetadas: por exemplo,
nariz, garganta, seios
, paranasais, olhos, cabe~a,
tasto (P/). 30-31)
• Reflexos das supra-renais (/). 37) -
para reduzir a inflama~ao e alergia.
FEBRE GLANDULAR ~
• Reflexos das regi6es
afetadas: por exemplo,
garganta (p. 35)
• Reflexos dos vasos
linfaticos, ba~o, time (pp. 44-5, 37) -
para fortalecer 0 sistema imune e
combater a infec~ao
• Reflexos do plexo solar (p. 37)-
para 0 relaxamento
• Reflexos da hip6fise (/). 30) - para
o equilibrio hormonal.
FRIEIRAS ~
(
.1·Regi6es relacionadas a
zonas - dedos por dedao
do pe e vice-versa (pp.
50-51)
• Reflexos do cora~ao (p. 35) - para
melharar a circula~ao
• Reflexos dos intestinos (p. 37)-
para facilitar a evacua~ao
• Reflexos da parte superior da
coluna e pesco~o (pp. 32-3, 30) - se
os dedos forem afetados.
_",~:.t'<IE.S DO S48~,
-----------~-"-- ~ ---,._----------
REFLEXOLOGIA
• Regi6es relacionadas a
zonas: pOl'exempio.
polegar para a dediio do
pe (pp. 50-51)
• Reflexos das supra-renais (p. 37) -
para reduzir a inflama~iio
• Reflexos para intestinos. figado.
rins (pp. 36-7) -para facilitara
elimina~iio
• Reflexos do plexo solar (p. 37) -
para a relaxamento. alivio da dor.
HEMORROIDAS ?&-
• Reflexos das regi6es
afetadas: reto (pp. 38-9)
• Reflexos para
intestinos (p. 37) - para
facilitar a evacua~iio.
HERPES LABIAL?&-
• Reflexos das regi6es
afetadas: boca. nariz
(p. 31)
• Reflexos do sistema
linfiitico (pp. 44-5) - para ajudar a
curar a infec~iio.
INDIGESTAo ?&-
r:J
.Reflexos das regi6es
afetadas: est6mago (p. 36)
• Reflexos do es6fago.
diafragma (p. 35) -
intimamente envolvidos
• Reflexos do plexo solar (p. 37) -
para a relaxamento.
INSONIA ~
rJ
~.Reflexos das regi6es da
"
' cabe~a (pp. 30-31) - para
a relaxamento
• Reflexos do plexo solar
(p. 37) - para a relaxamento
• Reflexos das supra-renais (p. 37) -
para reduzir a estresse
• Reflexos das regi6es relacionadas
com a dar que possam estar causando
problema: pOl'exemplo. coluna.
dentes (pp. 32-3. 31).
SFC ~
[)
' • Reflexos das regi6es
afetadas: pOl'exemplo.
, pernas. bra~os. sistema
digestivo. cabe~a (pp.
41,36-7.30-31)
• Reflexos dos vasos linfMicos. ba~o
(pp. 44-5, 37) - para fortalecer a
sistema imune e combater a infec~iio.
• Reflexos do plexo solar (p. 37) -
para a relaxamento
• Reflexos das supra-renais (p. 37) -
para reduzir a estresse.
QUEDA DE CABELO ~
• Ref1exos das regii'ies
afetadas: par exemplo,
alto da cabec;:a (p. 30) -
para a couro cabeludo
• Ref1exos das supra-renais (I). 37) -
para reduzir a estresse
• Ref1exos do plexo solar (p. 37) -
para a relaxamemo
• Ref1exos da hip6fise (p. 30) - para
a equilibria hormonaL
RESFRIADOS ~
n·Ref1exos das regii'ies
, afetadas: nariz, seios
paranasais (p. 31)
• Ref1exos das supra-
renais (p. 37) - para reduzir
inf1amac;:i'ies
• Ref1exos da valvula ileocecal e
intestinos (p. 37) - para facilitar a
evacuac;:ao
• Ref1exos dos linfonodos superiores
(pp. 44-5) - para curar a infecc;:ao.
RESSACA~
n·Ref1exos das regii'ies
afetadas: par exemplo,
cabec;:a (pp. 30-31) - para
dares de cabec;:a
• Ref1exos do figado (p. 36) - para
tirar a alcool do organismo
• Ref1exos dos rins (p. 37) - para
facilitar a eliminac;:ao.
PSORIASIS ~
[J
.Reflexos das regi6es da
pele afetadas: pOl'
exemplo. rosto (p. 31)
~, • Reflexos das supra-
renais (p. 37) - para reduzir a
inflama<;:iio e a estresse
• Reflexos do plexo solar (p. 37) -
para a relaxamento
• Reflexos dos intestinos. figado, rins
(pp. 36-7) - para faci Iitar a
elimina<;:iio
• Reflexos da hip6fise (p. 30) - para
a equilibria hormonaL
RETENC;:AO DE LiQUIDOS ~
l]
·Ref1exos das regii'ies
afetadas: par exemplo,
pernas, olhos (PI)· 41, 31)
'. • Ref1exos dos rins,
canais urinarios, bexiga (J)!). 36·7,
33) - para a eliminac;:ao de fluidos
• Ref1exos dos vasos linfaticos (J)p.
44·5) - para eliminar a excesso de
f1uidos dos tecidos
• Ref1exos da hip6fise (p. 30) - para
assegurar a bom funcionamento dos
rins
• Reflexos do corac;:ao (p. 35) - para
melhorar a circulac;:ao.
SiNDROME DO COLON
IRRITAvEL ?&-
[1
-·Reflexos das regii'ies afe·
tadas: intestinos (/). 37)
• Reflexos das supra-
renais (p. 37) - para
reduzir a inf1amac;:aoe alergia
• Reflexos do plexo solar (p. 37) -
para a relaxamento.
TOSSE ?&-
• Reflexos das regii'ies
afetadas: pulmi'ies,
garganta (1).35)
• Reflexos do sistema
linfatico (PI). 44·5) - para curar a
infecc;:ao,
v..~1'ES DO S
___________ ~_"_'_'__ ~ _~_8_e_~ _
REFLEXOLOGIA
• Reflexos das regi6es
afetadas: por exemplo,
ovarios, tubas uterinas,
utero, hip6fise, tire6ide,
supra-renais (pp. 42-3, 30, 34, 37)
• Reflexos das regi6es afetadas,
quando necessario: por exemplo,
cabe<;a, abdome, seio, bexiga, rins,
intestinos, rosro (pp. 30-1, 36-7,45,
38-9,37)
• Reflexos do plexo solar (p. 37) -
para 0 relaxamento.
VARIZES ~
• Reflexos das regi6es
afetadas: por exemplo,
pemas e reflexos ao longo
dos joelhos e quadris (p.
41)
• Reflexos do cora<;ao (p. 35) - para
melhorar a circula<;ao
• Reflexos das supra-renais (p. 37) -
para reduzir a inflama<;ao
• Reflexos dos intestinos (p. 37) -
para facilitar a evacua<;ao.
ZUNIDO NOS OUVIDOS ~
n.Reflexos das regi6es
afetadas: ouvidos (p. 31)
• Reflexos da tuba
7 auditiva, seios paranasais
(p. 31) - podem estar envolvidos
• Reflexos da parte superior da
co luna, pesco<;o, lateral da cabe<;a
(pp. 30,33) - para liberar a tensao na
regiao
• Reflexos do plexo solar (p. 37) -
para 0 relaxamenro
• Reflexos das supra-renais (p. 37)-
para reduzir a inflama<;ao e 0 estresse

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A massagem chinesa manual de massagem terapêutica
A massagem chinesa   manual de massagem terapêuticaA massagem chinesa   manual de massagem terapêutica
A massagem chinesa manual de massagem terapêutica
projetacursosba
 
Reflexologia
ReflexologiaReflexologia
Reflexologia
Lina Sue
 
Reflexologia guia prático
Reflexologia   guia práticoReflexologia   guia prático
Reflexologia guia prático
projetacursosba
 
Apresentação de Terapia com Pedras Quentes
Apresentação de Terapia com Pedras QuentesApresentação de Terapia com Pedras Quentes
Apresentação de Terapia com Pedras Quentes
Gessilene Martins
 

Mais procurados (20)

Portfólio formação Massagem Terapêutica e Desportiva
Portfólio formação Massagem Terapêutica e DesportivaPortfólio formação Massagem Terapêutica e Desportiva
Portfólio formação Massagem Terapêutica e Desportiva
 
Quick Massagem
Quick MassagemQuick Massagem
Quick Massagem
 
Curso reflexologia
Curso reflexologiaCurso reflexologia
Curso reflexologia
 
A massagem chinesa manual de massagem terapêutica
A massagem chinesa   manual de massagem terapêuticaA massagem chinesa   manual de massagem terapêutica
A massagem chinesa manual de massagem terapêutica
 
Manual de massagem.
Manual de massagem.Manual de massagem.
Manual de massagem.
 
08p reflexologia podal
08p   reflexologia podal08p   reflexologia podal
08p reflexologia podal
 
Pedras quentes
Pedras quentesPedras quentes
Pedras quentes
 
Proposta de Atendimento Quick Massage em eventos e empresas
Proposta de Atendimento Quick Massage em eventos e empresasProposta de Atendimento Quick Massage em eventos e empresas
Proposta de Atendimento Quick Massage em eventos e empresas
 
Quick massage
Quick massageQuick massage
Quick massage
 
Reflexologia Podal
Reflexologia PodalReflexologia Podal
Reflexologia Podal
 
Automassagem
AutomassagemAutomassagem
Automassagem
 
Massagem miofascial
Massagem miofascialMassagem miofascial
Massagem miofascial
 
Reflexologia
ReflexologiaReflexologia
Reflexologia
 
Apresentação do curso de massagem terapêutica & desportiva
Apresentação do curso de massagem terapêutica & desportivaApresentação do curso de massagem terapêutica & desportiva
Apresentação do curso de massagem terapêutica & desportiva
 
Manual Massagem Terapêutica
Manual Massagem TerapêuticaManual Massagem Terapêutica
Manual Massagem Terapêutica
 
Reflexologia Podal
Reflexologia PodalReflexologia Podal
Reflexologia Podal
 
Reflexologia guia prático
Reflexologia   guia práticoReflexologia   guia prático
Reflexologia guia prático
 
Manual de Reflexologia Integral Aplicada (CURSO ONLINE INDIVIDUAL - Aprenda u...
Manual de Reflexologia Integral Aplicada (CURSO ONLINE INDIVIDUAL - Aprenda u...Manual de Reflexologia Integral Aplicada (CURSO ONLINE INDIVIDUAL - Aprenda u...
Manual de Reflexologia Integral Aplicada (CURSO ONLINE INDIVIDUAL - Aprenda u...
 
Quick massagem
Quick massagemQuick massagem
Quick massagem
 
Apresentação de Terapia com Pedras Quentes
Apresentação de Terapia com Pedras QuentesApresentação de Terapia com Pedras Quentes
Apresentação de Terapia com Pedras Quentes
 

Destaque

22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall-140106085043-phpapp02
22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall-140106085043-phpapp0222036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall-140106085043-phpapp02
22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall-140106085043-phpapp02
Lucia Gaspar
 
Curso brasileiro de_eft_ilustrado
Curso brasileiro de_eft_ilustradoCurso brasileiro de_eft_ilustrado
Curso brasileiro de_eft_ilustrado
berpicheli
 

Destaque (17)

Eft Referencia Rapida
Eft Referencia RapidaEft Referencia Rapida
Eft Referencia Rapida
 
EFT em 5 passos
EFT em 5 passosEFT em 5 passos
EFT em 5 passos
 
22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall-140106085043-phpapp02
22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall-140106085043-phpapp0222036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall-140106085043-phpapp02
22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall-140106085043-phpapp02
 
Curso brasileiro de_eft_ilustrado
Curso brasileiro de_eft_ilustradoCurso brasileiro de_eft_ilustrado
Curso brasileiro de_eft_ilustrado
 
Curando sua vida eft 01_vida nova
Curando sua vida eft 01_vida novaCurando sua vida eft 01_vida nova
Curando sua vida eft 01_vida nova
 
Técnicas de respiração eft
Técnicas de respiração eftTécnicas de respiração eft
Técnicas de respiração eft
 
EFT - Emotional Freedom Techniques - Tratamento Gratuito Online
EFT - Emotional Freedom Techniques - Tratamento Gratuito OnlineEFT - Emotional Freedom Techniques - Tratamento Gratuito Online
EFT - Emotional Freedom Techniques - Tratamento Gratuito Online
 
De onde vem a EFT
De onde vem a EFTDe onde vem a EFT
De onde vem a EFT
 
Procedimento da Paz Pessoal
Procedimento da Paz PessoalProcedimento da Paz Pessoal
Procedimento da Paz Pessoal
 
Exercício para identificar objetivos
Exercício para identificar objetivosExercício para identificar objetivos
Exercício para identificar objetivos
 
Curando sua vida eft 07_rir do mundo
Curando sua vida eft 07_rir do mundoCurando sua vida eft 07_rir do mundo
Curando sua vida eft 07_rir do mundo
 
E book-de-acm-acupuntura-coreana-nas-mãos-sem-agulhas
E book-de-acm-acupuntura-coreana-nas-mãos-sem-agulhasE book-de-acm-acupuntura-coreana-nas-mãos-sem-agulhas
E book-de-acm-acupuntura-coreana-nas-mãos-sem-agulhas
 
Curando sua vida eft 05_o último dia
Curando sua vida eft 05_o último diaCurando sua vida eft 05_o último dia
Curando sua vida eft 05_o último dia
 
Curando sua vida eft 02_amor no coração
Curando sua vida eft 02_amor no coraçãoCurando sua vida eft 02_amor no coração
Curando sua vida eft 02_amor no coração
 
Curando sua vida eft 06_dono de mim
Curando sua vida eft 06_dono de mimCurando sua vida eft 06_dono de mim
Curando sua vida eft 06_dono de mim
 
Procrastinação
ProcrastinaçãoProcrastinação
Procrastinação
 
Curando sua vida eft 04_único na natureza
Curando sua vida eft 04_único na naturezaCurando sua vida eft 04_único na natureza
Curando sua vida eft 04_único na natureza
 

Semelhante a Guia.pdf pontos reflexos

22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall
22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall
22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall
Magda Magelis
 
Apresentação treze métodos para uma vida longa e saudavel [salvo automaticame...
Apresentação treze métodos para uma vida longa e saudavel [salvo automaticame...Apresentação treze métodos para uma vida longa e saudavel [salvo automaticame...
Apresentação treze métodos para uma vida longa e saudavel [salvo automaticame...
territoriosuscampinas
 

Semelhante a Guia.pdf pontos reflexos (20)

22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall
22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall
22036367 reflexologia-guia-pratico-nicola-hall
 
Reflexologia
ReflexologiaReflexologia
Reflexologia
 
06p reflexologia
06p   reflexologia06p   reflexologia
06p reflexologia
 
Reflexologia - Conceito, História e evolução
Reflexologia - Conceito, História e evoluçãoReflexologia - Conceito, História e evolução
Reflexologia - Conceito, História e evolução
 
124596584 curso-de-do
124596584 curso-de-do124596584 curso-de-do
124596584 curso-de-do
 
124596584 curso-de-do
124596584 curso-de-do124596584 curso-de-do
124596584 curso-de-do
 
reflexologiapodal-131004081731-phpapp02.pdf
reflexologiapodal-131004081731-phpapp02.pdfreflexologiapodal-131004081731-phpapp02.pdf
reflexologiapodal-131004081731-phpapp02.pdf
 
Reflexologia Podal
Reflexologia PodalReflexologia Podal
Reflexologia Podal
 
Reflexologiapodal 131004081731-phpapp02
Reflexologiapodal 131004081731-phpapp02Reflexologiapodal 131004081731-phpapp02
Reflexologiapodal 131004081731-phpapp02
 
75007738 reflexologia
75007738 reflexologia75007738 reflexologia
75007738 reflexologia
 
75007738 reflexologia
75007738 reflexologia75007738 reflexologia
75007738 reflexologia
 
Técnicas em MTC
Técnicas em MTCTécnicas em MTC
Técnicas em MTC
 
09p reflexologia
09p   reflexologia09p   reflexologia
09p reflexologia
 
04p reflexologia
04p   reflexologia04p   reflexologia
04p reflexologia
 
Apresentação treze métodos para uma vida longa e saudavel [salvo automaticame...
Apresentação treze métodos para uma vida longa e saudavel [salvo automaticame...Apresentação treze métodos para uma vida longa e saudavel [salvo automaticame...
Apresentação treze métodos para uma vida longa e saudavel [salvo automaticame...
 
Quiropraxia - A arte de tratar com as maos
Quiropraxia  -  A arte de tratar com as maosQuiropraxia  -  A arte de tratar com as maos
Quiropraxia - A arte de tratar com as maos
 
Quiropraxia - História, Método e Aplicação como tratamento - Sandro Pedrol
Quiropraxia - História, Método e Aplicação como tratamento - Sandro Pedrol Quiropraxia - História, Método e Aplicação como tratamento - Sandro Pedrol
Quiropraxia - História, Método e Aplicação como tratamento - Sandro Pedrol
 
Apostila-de reflexoterapia em PDF para alunos
Apostila-de reflexoterapia em PDF para alunosApostila-de reflexoterapia em PDF para alunos
Apostila-de reflexoterapia em PDF para alunos
 
Conceitos Básicos de Recursos Terapêuticos em Acupuntura/MTC
Conceitos Básicos de Recursos Terapêuticos em Acupuntura/MTCConceitos Básicos de Recursos Terapêuticos em Acupuntura/MTC
Conceitos Básicos de Recursos Terapêuticos em Acupuntura/MTC
 
86832236 guia-para-massagem-nos-pes
86832236 guia-para-massagem-nos-pes86832236 guia-para-massagem-nos-pes
86832236 guia-para-massagem-nos-pes
 

Último

Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdfMetabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
MayaraStefanydaSilva1
 

Último (6)

Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdf
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdfTabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdf
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdf
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdfMetabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
 
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptxAULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 

Guia.pdf pontos reflexos

  • 1. REFLEXOLOGIA GUIA PRATICO Praticada originalmente pelos antigos eg(pcios e chineses, a reflexologia, massagem terapeutica dos pes, e um metodo holfstico de cura alcamence eficaz. Pela aplicaC;aode suaves /Jressoes em determinadas regioes dos pes relacionadas a partes especfficas do corpo, uma grande quantidade de doenc;as pode ser atenuada. Outros titulos da serie - Massagem • Homeopatia - Fitotera/)ia Chinesa - Medicina altemativa - Vitaminas e Sais Minerais - Remedios Caseiros - Aromaterapia ....=00= z OD= V1= ••..•.•~I ...== EFLEXOLOGIA GUIA -PRATICO ~ ~ avatar ~ ;;,
  • 2. © Element Books Limited 1997 Titulo edi~ao original, Reflexology Publicado originalmente na Gra-Bretanha em 1997 par ELEMENT BOOKS LIMITED Shaftesbury, Dorset, SP7 9BP NOTA DO EDITOR As informa.;5es dadas neste livra nao tern a intenr;ao de substituir 0 aconselhamento medico. Qualquer pessoa que necessite de acompanhamento medico cleve consultar UITI terapeuta qualificado. Agradecimenws: ue Besley, Carly Evans, Julia Holden, Leon Lawes, Sally-Ann Russell pela ajuda com as jowgrajias Dwight C Byers, President, Ingham Publishing, Inc., PO Box 12642, St. Petersburg, Fl6rida 33733-2642, EUA /,elo uso da jow de Eunice Ingham na pagilUl 9 Sumario Dados internacionais de Cataloga<;ao na Publica,ao (CIP) (Camara Brasileira do Livre, P Brasil) o QUE E REFLEXOLOGIA? 6 UM POUCO DE H1ST6R1A 8 o SISTEMA ZONAL 10 Zonas longitudinais 10 Zonas transversais 12 Meridianos 12 Areas de zonas correlatas 13 COMO FUNCIONA A REFLEXOLOGIA? 14 Estilos de vida 14 Estilos melhores IS o TRATAMENTO 16 COMO E FE ITa a TRATAMENTO 18 Durafao do tratamento 20 o pi! direito 22 o /Je esquerdo 23 As laterais dos /JeS 24 o dorsa dos pes 25 COMO SEGURAR a PE 26 Hall; Nicola Reflexologia: guia pratico I Nicola Hall; ITradll<;aode Henrique Monteiro I . --Sao Paulo, Callis, 1997. -- (Sementes do saber) Tftulo original: In a I1mshell: reflexology I. Reflexologia I. Titulo. II. Serie make para catalogo sistematico: 1. Reflexologia: Massagem Terapeutica 615.532 avataR Tel, (011)822.2066 Fax, (01 I) 829.5882 e-mail .caliis@sanet.com.br GUIA DE TRATAMENTO PASSO A PASSO 28 A cabefa e 0 pescofo 30 Coluna vertebral 32 opeito 34 oabdome 36 A pelve 38 Os membros 40 Orgaos reprodutores e glilndulas 42 o sistema lin/dtico 44 Exerdcios 46 Reflexos da mao 50 REFLEXOLOGIA EM CAS A 52 DOENyASCOMUNS 53 LEITURA COMPLEMENTAR 59
  • 3. oque e reflexologia? A REFLEXOLOGIA E UMA TERAPIA COMPLEMENTAR que compreende o tratamento de varios disturbios pela aplicac;ao de pressao nos pes ou maos. 0 tratamento de todo 0 corpo e feito atraves de determinados pontos, em areas precisas dos pes e das maos, relacionadas a regioes particulares do corpo e chamadas "zonas reflexas". Zona reflexa do pulrniio esquerdo A ESQUERDA Zonas reflexas paya todas as partes do corpo sao encontradas nos pes. Otratamento compreende a aplica~ao de pressao com a ponta do polegar ou dos dedos so- bre pontos reflexos precisos. Apli- ca-se uma pressao firme mas nao muito forte, e a pessoa que recebe o tratamento experimentara sen- sa~5es diferentes nas zonas dos pes ou das mao . Essas sensa~5es sac interpretadas pelo terapeuta, indi- cando quais partes do corpo estao funcionando bem e quais nao es- tao. De acordo com 0 grau de des- conforto, maior ou menor, experi- mentado nas zonas pressionadas, e possivel saber que partes corres- pondentes do corpo registram maior ou menor desequilibrio. A reflexologia e tambem uma tecnica de diagn6stico - 0 que significa que pode ser usada para descobrir onde ha desequilibrios Reflexos do cabe,a e pesco,o - os dedos dope no corpo. Um reflexologista pode entao atllar sobre esses desequili- brios para tratar uma vasta gama de disturbios. A reflexologia pode tambem ser usada preventi- vamente, para manter 0 corpo funcionando bem. Assim como as demais terapias complementares, a reflexologia da bastante tempo para que os pacientes falem sobre si mesmos com 0 terapeuta, 0 que permite uma compreensao melhor do pr6- prio paciente e de seus problemas. Reflexos do peito - sobre a planta do pe Reflexos do abdome - abaixo do planta dope Reflexos do pelve - sobre 0 bloco do calcanhar A ESQUERDA RegiOes do corpo sao yepre- sentadas em tonas especificas dos pes. ABAIXO Como seguray 0 pe e fazer pressao. E mais ideil trabalhar com 0 pe apoiado em posi,ao elevado. Apuca-se a pressiio nos pomos reflexos com 0 polegar inclinado.
  • 4. £.~"r£s DO SAn ~~~ e~ ---------- 1(",,) REFLEXOLOGIA Um pOlleo de hist6ria A REFLEXOLOGJA e uma terapia ocidenwl moderna, em que e aplicada pressao a distinws regiBes dos pes. Embora os metodos precisos da ref/exologia - e 0 termo em si - sejam novos, [ormas semelhantes de terapia pela massagem do pe [oram praticadas em diversas partes do mundo ao tongo de varios seculos. Ha 5.000 anos os chineses ja praticavam varias formas de terapias de pressao e tais metodos provavelmente inclufam uma maneira de atuar sobre os pes semelhante a da atual reflexologia. Uma antiga tumba escavada em Saqqara, datada de 2330 a.c., indica que os antigos egfpcios conheciam um metodo de tratamento semelhante a reflexologia. Sabe-se que metodos similares tambem eram praticados na India e no ]apao. Algumas tribos de fndios norte- americanos usavam uma versao de terapia reflexa no pes - em especial os fndios Cherokee, que utilizavam 0 tratamento desde 0 seculo 17 e continuam a faze-lo ate hoje, como parte de seu ritual de cura. Origens na China Baixo-relevo de uma tumba escavada em Saqqara, no Egito Livrosobre terapia zonal do dr William Fitzgerald e dr Edwin Bowers e publicado nos EUA- simplificado pelo dr Joseph Rileye republicado Livrosobre terapia zonal dos drs, Adamus e. A'tatis publicado na Europa Os Cherokee usavam uma forma de refiexologia .~£,i'l"r£s DO s,oJn ~~ e~ ------------ 9 Em 1582, um livro europeu so- bre terapia zonal foi publicado pelos medicos dr. Adamus e dr. A'tatis. Baseado nos princfpios de- lineados no livro e no de autores anteriores, 0 dr. William Fitzge- rald, um otorrinolaringologista americano do Hospital Geral de Boston, desenvolveu seu pr6prio metodo de terapia zonal, que foi publicado em 1917 com seu colega dr. Edwin Bowers. A reflexologia atual se desenvolveu a partir do trabalho sobre a terapia zonal do dr. Fitzgerald e foi colocada em pratica pela primeira vez por uma americana, Eunice Ingham, na de- cada de 1930. Eunice Ingham dei- xou seu "0 Metodo Ingham de Massagem de Compressao", que A refiexologia e introduzida na Gra- Bretanha por Doreen Bayly ~ 7:.:5- ., ( Hist6rias que os pes podem cantor, de Eunice Ingham, e publicado nos EUA ACIMA Eunice Ingham fai a primeira a trQ,far um mapa do corpa nas pes, em 1935. foi introduzido na Gra-Bretanha em 1960 por Doreen Bayly, discf- pula de Ingham. Bayly tambem di- fundiu 0 metodo por outros pafses da Europa. Foi Ingham que desen- volveu e renomeou a terapia zonal por reflexologia, tendo executado os mapas das zonas reflexas dos pes. Terapia das zonas re~exas dos pes, de Hanne Marquardt, e publicado na Alemanha Re~exologia hoje, de Doreen Bayly,e publicado na Gra-Bretanha Estudos c1fnicos mostram que cerca de 73% das pessoas tratadas apresentam bons resultados
  • 5. osistema zonal A REFLEXOLOGIA BASEIA-SE na eXIstencia no corpo de um sistema de zonas ou canais longitudinais (verticais) e transversais (horizontais). Os reflexologistas tem acesso a energia do corpo atraves das zonas, para estimular 0 corpo e eliminar quaisquer congestionamentos que possam estar causando desequilibrios. ZONAS LONGITUDINAIS As dez zonas longitudinais, descritas pelo dr. Fitzgerald, sobem dos pes pelas pernas e pelo corpo ate a cabe<;:a,e descem pelos bra<;:ose maos. Tais zonas poderiam tambem ser descritas ao contrario, como saindo das maos, subindo pelo bra<;:ose chegando a cabe<;:a,e entao descendo pelo corpo ate os pes. Ha cinco zonas do lado direito do carpo e cinco zona do lado esquerdo: a zona 1 ligando 0 dedao do pe ao polegar; a zona 2, o segundo dedo do pe e 0 indicador; a zona 3,0 terceiro dedo do pe e 0 dedo medio da mao; a zona 4, 0 quarto dedo do pe e 0 dedo anular; e a zona 5, 0 dedinho do pe e 0 minimo. As zonas sao segmentos ao longo do carpo que tem largura igual em cada se<;:aodo corpo. No interior de cad a zona, ha um fluxo de energia que corre por todas as partes do corpo si- tuadas na mesma zona. As zonas se estendem para os pes e para as maos, assim as zonas reflexas que carrespondem as diferentes par- tes do corpo serao encontradas nas mesmas zonas dos pes e maos. Segundo esse prisma, e facil ma- pear as areas do corpo que cones- pondem aos pontos reflexos apropriados nos pes e nas maos. AS ZONAS LONGITUDINAIS NOS PES AS ZONAS LONGITUDINAIS E TRANVERSAIS DOCORPO As zonas longitudinais e transversais do corpo podem seT representadas nos pes. Dez zonas longitudinais saem dos declos dos pes para 0 cor/)o todo e descem para os dedos das milos. Cincura Regiaes do corpo cor- respondentes as zonas nos pes e nas mJos As zonas da cimura escapular, da cintura e cia cin tura pelvica mostradas no pe (vejapag.12) Zonas ref/exas nos pes
  • 6. .t-.TESDOS ~x,~'V. A It I- f <!- REFLEXOLOCIA A DIREITA As tres zonas nos pes. nu- meradas 1, 2 e 3. correspond en do as tres zonas na regiao superio,' do COt"po. 3 Sao as "zonas transversais ". As zonas transversais tambem sao identificadas nos pes, tendo sido descritas original- mente por Hanne Marquarclt, uma terapeuta alema_ Tais zonas ou regi6es mostram como tres niveis no corpo, correndo hori- zontalmente, podem ser encon- traclos nos pes - delimitados pelos ossos do pe. Os tres niveis sac a cintura escapular, a cintura e a cintura pelvica. Existem 26 ossos nos pes: 14 falanges, encontrados nos dedos; 5 metatarsos, abaixo dessas; e entao 7 tarsos. 0 nivel da cintura escapular e onde as falan- ges se encontram com os metatar- sos; 0 nivel cia cintura fica a meio caminho do pe, onde os metatar- sos se encontram com os tarsos; 0 nivel da cintura pelvica e uma linha imagimria atravessando os tarsos entre os ossos clo tornozelo. Essas regi6es transversais ajuclam a diviclir 0 pe para iclentificar mais clara mente quais partes do pe se relacionam a tais partes clo corpo. MERIDIAN OS Alguns especialistas alegam que a refiexologia trabalha nao com as zonas longitudinais, mas com meridianos encontrados no corpo, uma vez que estes se es- tendem para os pes e as maos. Os merid lanos sac usados como base para muitas praticas medicas chi- nesas; sao canais que correm ao longo do corpo e contem a ener- gia deste. Os doze meridianos (usados em acupuntura, acupres- sura e outros metod os) nao sao 0 mesmo que as zonas longituclinais, mas muitos cleseus principios sao semelhantes. Os meridianos cia acupuntura sao Iinhas finas que con'em pelo corpo num sistema clara mente clefiniclo. Alguns refiexologistas chegam a trabalhar em pontos de acupuntura durante o tratamento. Falta provar se os reflexologistas e acupunturistas atuam sobre os mesmos pontos ... A ESQUERDA Regioes dos brafos e IJemas que estiio na mesma zona ongitudinal SaD con~ sideradas Hzonas correlatas". AREAS DE ZONAS CORRELATAS Como as dez zonas longitudi- nais passam ao longo do cor- po e descem pelos bra<;:ose pernas, os bra<;:ose pernas sao considera- dos "zonas correlatas", existindo um relacionamento especial entte ombro e cintura; COtovelo e joe- lho; pulso e tornozelo; mao e pe. A DIREITA Visiio geral das zonas transversais do peL As areas entre as juntas ram- bem podem ser correlatas; isto e, 0 bra<;:ose relacionar com a coxa e 0 antebra<;:ocom a perna. Existe uma liga<;:aoentre partes do mes- mo lado do corpo: 0 cotovelo di- reito se relaciona com 0 joelho direito, e 0 punho esquerdo se re- laciona com tomozelo esquerdo. Alem disso, para atuar direra- mente na area afetada, 0 refJexolo- gista pode atuar numa area correlata, 0 que e particularmente interessante quando uma parte do corpo esta inacessivel ou extrema- mente dolorida. Por exemplo, se 0 paciente esta com 0 joelho direito extremamente dolorido, 0 cotove- 10direito pode ser massageado usando-se as tecnicas de pressao da refJexologia; no caso de um tomo- zelo esquerdo quebrado, 0 punho direito pode ser massageado para estimular 0 processo de cura.
  • 7. _".I,~.~'ft:S DO SA/Je ___________"_" V R REFLEXOLOGIA ~~'i.~TE.S DO SI1b ot ___________ "_' __ "'" R _ Como funciona a reflexo logia? A EXEMPLO DE MUITAS TERAPIAS complementares, a refle- xologia nao e comprovada por uma teoria cientffica, a nao ser pelo fato de que as termina~i5es nervosas (70 mil na sola de cada pe) SaD estimuladas, Os reflexologistas acreditam que atuando nas zonas reflexas e POsslVel equilibrar 0 fluxo de energia nas zonas longitudinais do corpo e, portanto, ajudar seu correto funcionamento, nuca, dor nas costas, disturbios digestivos, debilidade do sistema imune, pressao alta, doen~as de pele e constantes gripes e resfriados, ESTILOS DE VIDA U madas causas maiscomuns das doen~as e Apressado para 0 estresse - 0 os encontros efeito das press6es cotidianas sobre nosso corpo, ao lado de outras influencias nega- tivas, como a polui~ao, os aditivos e agrotoxicos nos alimentos e a vida na cidade, Todos somos afetados pelo estresse em diferentes nlveis e, como consequencia, muitos desenvolvem diversos problemas ffsicos, entre os quais dor de cabe~a e enxaqueca, tensao na Trabalhaado enquanw come com a cabe,a inclinada ao falar ao telefone m6ve1 Preocupado com 0 trabalho - tados esses sdo fatores estressantes o reflexolo- gista atua 50- bre as zonas reflexas dos dedos dos pes para aliviar 0 problema A regido do corpa que precisa de tratamento e a cabe,a A ESQUERDA Os reflexologis- tas acreditam que 0 estresse mental e /isico pode ser aliviado com a atuUfiio sobre os pes, ESTILOS MELHORES Embora a reflexologia nao pos- sa prevemr 0 estresse que ocorre na vida cotidiana, ela po- de nos ajudar a lidar melhor com ele e nos sentirmos mais relaxa- dos, Um dos mais importantes beneffcios da reflexologia e 0 relaxamento, otratamento e hollstico - ou seja, trata 0 corpo como um todo, nao um grupo de sintomas - e po- de nos ajudar tanto flsica quanto mentalmente, Os sintomas pre- sentes no corpo devido ao estresse podem ser aliviados e 0 efeito equilibrador do tratamento aumenta a saude como um todo, ao tratar das causas profundas dos sintomas, nao apenas dos sinto- mas isoladamente, Quando nos sentimos melhor fisicamente, nos sentimos tambem psicologica- mente, e uma sensa~ao de maior bem-estar ajuda a reduzir os nl- veis de estresse e prevenir futuras doen~as, Depois do tratamento voce se sentira mais calmo, mais tranquilo e mais otimista, e por- tanto mais capaz de lidar com 0 estresse e as doen~as a ele relacionadas, A reflexologia pade conduzir a urn estilo de vida mais feliz e satulaveL
  • 8. ~'_'l.T£.S DO S~l/j ~~ €~ ---------Q o tratamento ANTES DE INICIAR 0 TRATAMEN- TO, e feito um hist6rico medico detalhado. Seu terapeuta ira prepa- rar um hist6rico de caso completo - ou seja, tudo 0 que houver para saber a seu respeito e sobre sua saude, desde seus sintomas f(sicos e das horas de sonG ate todos 05 aspectos de sua vida, alem de seu estado emocional. Com isso, seu terapeuta ira focalizar um tipo de tratamento mais adequado ao seu caso e determinar se a reflexologia sera 0 tratamento mais indicado. ACIMA 0 terapeuta fa:{ urn detalhado historico medico antes de iniciar 0 tratamento. Voce se sentara numa confor- tavel cadeira reclinavel- com as costas, 0 pesco<;:oe as per- nas bem acomodados, e com os pes elevados de modo que 0 tera- peuta possa atuar sobre eles facil- mente. A menos que seja imposslvel por algum motivo, seu terapeuta cuidara de seus pes. o primeiro passo sera um exa- me de seus pes, e entao seu tera- peuta ira esfregar os seus pes com len<;:osumidos, para remover a sujeira superficial ou para refrescar os pes num dia quente. Serao identificados sinais de pele aspera, tambem relaxe. Quando voce se acostumar a ter 0 pe manipulado, 0 terapeuta explicara como sera feito 0 trata- mento; ele tambem ira tranqi.iiliza- 10 em caso de apreensao quanto a dor. A reflexologia nao e dolorosa; as areas senslveis sao tratadas com suavidade e as sensa<;:5escostu- mam ser mais de prazer que de sofrimento. Uma tecnica calman- te muito precisa (veja pp 26-7) sera entao aplicada a todos os pontos reflexos de ambos os pes. Aliviando 0 peso dos pes numa conJort<iveicadeira reciinLivel calosidades, rachaduras entre os dedos, uma area de infec<;:ao,como uma verruga, e problemas nas unhas. Seus pes poderao ser massagea- dos com um pouco de talco. 0 produto costuma ser usado no rra- tamento porque absorve a umida- de, caso os pes estejam um pouco suados, e os toma mais macios se estiverem secos. Em lugar do tal- co, alguns terapeutas podem usar 6leo, mas nao e muito recomenda- vel. A massagem geral aplicada ao pe fara com que voce se acostume com 0 toque do terapeuta e ManipuIa,ao dos zonas rej1eXflSpara acalmar e energizar a corpo Sua mente vai relaxar quando voce ficar sentado quieta por umahora
  • 9. Como e feito 0 tratamento A MAIORIA DAS PARTES DO CORPO sdo duplicadas dos dois lados, esquerdo e direito, e os pontas reflexos para essas partes do corpa aparecerdo praticamen- te na mesma posit;:do em ambos os pes. Algumas jJartes do corpo sac encontradas apenas de um lado - p. ex. , 0 carat;:da - e, portanto, s6 serdo representadas em um dos pes, neste caso 0 esquerdo. As zonas reflexas situam-se nas solas, nas laterais e no dorso das pes, e cada parte dos pes tem uma parte correspondente no corpo. ACIMA SiUJ usadas toalhas l)ara proteger as pes durante o tratamento. 'Cxiste urn mapa do corpo es- Lpelhado na palma das maos e na sola dos pes, dividido por zonas longitudinais e transversa is (veja pp 10-12). Cad a parte do corpo tern uma zona reflexa correspon- dente nos pes e nas maos. A DIREITA 0 tratamento castuma seT dado primeiro as Zonas do po direito e depois as do po esquerdo. ~f,N'fE.S 00 S<'/J, s~ ~~ L.J COMO E FEITO 0 TRATAMENTO o tratamento costuma ser ministrado as zonas reflex as no pe direito primeiro e depois no esquerdo, embora isso possa diferir entre os terapeutas. Depois de trabalhar os dois pes, e dada aten<;ao as zonas reflex as que afetam determinadas partes do corpo. A essa altura, ambos 0 pes pod m ser trabalhados simultaneamente; por exemplo, os reflexos do rim em ambo os pes podem ser estimulados para urn melhor resultado. De acordo com as caracte- rfsticas pessoais de cada pa- ciente, serao experimentadas diferentes sensa~6es. Quanto maior a sensibilidade, mais desequilibrada estara a parte correspondente do corpo. 2 Em algumas zonas, a pressao sera sentida, mas nao de maneira desconfortavel. 3Em algumas zonas, a pressao pod era parecer levemente desconfortavel. 4Em algumas zonas, a pressao podera causar uma pontada aguda, quase como se fosse enfiada uma agulha no pe (esta e uma sensa~ao passageira e logo sera aliviada pelo terapeuta). A ESQUERDA Os pes ficam sempre apoiados durante 0 tratamento. Primeiro e trabalhado 0 pe como um todo, depois as zonas que precis am de atenfao especiaL.
  • 10. .~£.t..·r£.s DO SA,lJ ~~ €R o ~ COMO t FEITO 0 TRATAMENTO As rea~6es ao tratamento po- derao ocorrer quando 0 cor- po come~ar a se desfazer das toxinas - pode ser que ocorra urn leve enjoo e uma diarreia branda, mas as rea~6es nunca serao fortes a ponto de incomodar. Sintomas como esses sao geralmente urn sinal encorajador porque indicam que 0 tratamento esta surtindo efeito. POSSiVEIS REAC;:OES EXPERIMENTADAS • Sintomasdo ti- po resfriado,como narizescorrendo, catarro e congestao dos seios paranasais sac sanados A ESQUERDA Uma cadeira recliruivel pro# porciona a posifiio ideal para 0 tratamen# to e 0 relaxamento. • Aumento do suor • Erup~6esda pele - algumas doen~as de pele pioram antes de melhorar • Tosse,enquanto o muco e elimi- nado dos pulm6es e viasrespirat6rias DURA<;:Ao DO TRATAMENTO U masessao de terapia dura cerca de uma hora, e sera dada uma vez por semana. Embora a melhora ja possa ser sentida depois da primeira sessao, e importante manter uma serie de pelo menos tres sess6es para garantir que a melhora se consolide. Ficara evidente, depois de tres sess6es, se sua cond i~ao reage ou nao a reflexologia. Algumas pessoas gostam de retomar a cada seis semanas ou dois meses, para manter 0 corpo sempre bem equilibrado. DURAC;:AO DO TRATAMENTO • A sessao de terapia dura cerca de uma hora • Esvaziamento maisfrequente da bexiga • Vocevaifazer pelo menos tres sess6es. ge- ralmente uma por semana ABAIXO a teTapeuta anotaT£l tados os detalhes do tratamento e comentara sabre as possiveis reapJcs a terapia. • Esvaziamento maisfrequente dos intestinos • Aumento da energia • Normalmente, sac necessariasde quatro a seis sess6es • 0 intervalo entre as sess6es pode se esten- der, caso ocorram melhoras • 0 tratamento regular pode continuar, para manter as melhoras e prevenir desequillbrios posteriores Sao usados lenfos umidos para limpaT e refrescar a pele A ESQUERDA as pes podem seT limpos antes do tratamento, para remover toda sujeira. o rerapeuUl verifica se M infecfoes nos pes
  • 11. Cada zona precisa do pe direito esta diretamente relacionada a uma parte especffica do lado direito do corpo. Tuba auditiva Para,ire6ide Pulmao Ombro Plexosolar Valvula ileocecal/ ap~ndice Cada zona precisa do pe esquerdo esta diretamente relacionada a uma parte especffica do lado esquerdo do corpo. Topoda Alroda cabe,a/cerebro cabe,alcerebro l-li[J6fise Hip6fise Lateral da Lateralda cabe,alcerebro cabe,alcerebro Coluna/cervical Coluna/cervical Pesc~o Pesco,o Tire6ide Tire6ide Traqueia Traqueia Bronquios Bronquios Bronquios/ Bronquios/ Esofago Esofago Coluna/tordcica Col"na/tordcica Estomago Estomago Pancreas pancreas Supra-renal Supra-renal C610n Rirn transverso Coluna/lombar Coluna/lombar Canal da ureLTa Canal da ureLTa In testino delgodo Intestino delgado Bexiga Rew Bexiga Coltma/ sacro Coluna/sacro Coluna/c6ccix Coluna/c6ccix T"ba audiriva Para,ire6ide Ouvidos P,<lmao C6lon sigm6ide
  • 12. '..NT£S DO S.1b ------------~-~-"-- Q -_€_,,------------ REFLEXOLOGIA Os reflexos reprodu- tivos estao localiza- dos principal mente nas faces interna e extern a dos pes e tornozelos. Linfonodos da pelve/virilha Os reflexos do sistema linfatico estao localizados principal mente sobre o dorsa dos pes Seio 8r"l'0 COSIeIas Corovelo
  • 13. Como segurar " ope AMBAS AS MAos sAG usadas pelo reflexologista, com 0 polegar ou dedos de uma das maos aplicando a massagem e a outra mao segurando a area que esta sendo trabalhada. Apressao e feita com a ponta do polegar. Conforme a pressao e aplicada, a unha e empurrada para tras, de forma a nao encostar no pe massageado. A pressao e feita em cad a ponto por um curto tempo antes de ir para 0 proximo ponto. Se urn ponto renexo mostra uma sensibilidade especial, a pressao e reduzida, mas mantida no ponto por urn momento ate a dor passar. Se voce tem urn ferimento grave, procure urn medico antes de receber 0 tratamento. A ESQUERDA 0 pc fica apoiado enqu8nto e examinado. N 'f E. S DoS S X. ~ £, -1/J I::..v :.J COMO SEGURAR 0 PE Opolegar move-se para a frente para trabalhar os pontos reflexos dentro de uma zona. 0 polegar e mantido inclinado durante todo 0 tempo. A pressao e aplicada sobre 0 ponto reflexo e entao relaxada; 0 polegar e levantado urn pouco para fora do ponto e entao passa para 0 ponto adjacente seguinte a ser massageado. Sempre que possfve!, 0 polegar deve ser mantido em contato com 0 pe, deslizando e nao cutucando. Aoaplicara pressiio, 0 polegar permanece inclinado opolegar pennanece em conrow com 0 pe enquanw a reflexo; IogisUl0 desloca paraajrellle A pressuo e aplicada por intermedio do polegar. A pressUo e mantida no ponto re/lexo por um momento e entuo relaxada, com 0 polegar inclinado. 0 polegar e entuo movido para 0 ponto seguinte dentro da area. "C m certas zonas, a presen<;a de Dep6sitos como que de crista is pode ser sentida logo sob a superff- cie da pele. Isso indica desequilf- brios e pode ser trabalhado rodando-se cuidadosamente a ponta do polegar sobre a regiao, 0 que ajuda a dispersar os dep6sitos. Sempre segure 0 pe de maneira firme mas gentil. Pode ser que voce relute em aplicar uma pressao mais forte enquanto trabalha, mas com a pratica ira aprender a ser firme sem ser grosseiro ou causar dor.
  • 14. Guia de tratamento As zonas reflexas das partes do peito sao encontradas entre os limites da cintura escapular e a arcada de ambos os pes. As zonas reflexas Ggdas partes do abdome estendem-se para . baixo do limite da arcada, chegando -' quase ao calcanhar. passo a passo UM TRATAMENTO COMPLETO compreende trabalhar todas as zonas do pe direito e depois todas as do pe esquerdo - 0 terapeuta come~a pelos dedos, trabalha cada se~ao da sola do pe e entao passa para as laterais e 0 dorso do pe. ABAIXO 0 corpo inteiro pode seT trabalhado durante uma unica sessiio. CABEl;A E PESCOl;O As areas reflexas .das partes da pelve situam-se acima e em cima do calcanhar, e nas faces extern as do pe, proximo ao tornozelo. As zonas reflexas das partes da cabe<;a e do pesco<;o ficam na regiao dos dedos dos pes. As zonas reflexas dos membros ficam na face externa dos pes. GLANDULAS REPRODUTORAS As zonas reflexas das glandulas reprodutoras situam-se em ambas as faces do pe, proximo e sobre os tornozelos. A zona reflexa da aDcoluna contorna a borda inferior da face interna dos pes. t~) ((;~~ As zonas reflexas do sistema linfatico ficam no dorso dos pes. Os reflexos do joelho ficam pr6ximosdo ca1canhar, na faa emma do pi'
  • 15. '(;v.t.~·fES DO SAlJ/:., ----------~--- ¥ ---"---------- REFLEXOLOGIA A cabe~a e o pesco~o As ZONAS REFLEXAS (reflexos) da cabec;a e pescoc;o encontram-se na reglao dos dedos de ambos os pes e, alem disso, a cabec;a como um todo pode ser representada na area do dedao de cada pe. 1Na sola do dedao, a ponta do dedo representa 0 alto da ca- bec;ae 0 cerebro, a face externa representa a face exterior da ca- bec;ae do cerebro, e a base repre- senta a parte de trlis da cabec;ae do cerebro. 0 reflexo da hipofise (glandula pituiuiria) fica proximo ao centro do bloco do dedao. 2 Ao redor da base do dedao, logo acima de onde ele se junta it planta do pe, fica 0 reflexo do pescoC;o. A base do dedao representa a nuca. A face lateral da base do dedao representa a setima, ou ultima, vertebra cervical do pescoC;o, por onde passam muitos dos nervos dos brac;ose maos. A ESQUERDA Os dedos dos pes sCio 0 local dos reflexos da cabefa e pescofo, indl4.indo os seios paranasais. ~TES Do S ':> ~ '1- " ~I lJ ~'R -~A CABE<;:A EO PESCO<;:O 30 reflexo do alto da cabec;ae do cerebro e encontrado logo ao lado da unha do dedao. 50s reflexos dos seios paranasais ficam atras dos dedos e em suas faces laterais. 4Na frente do dedao fica 0 ref1exo do rosto. Os aspectos superiores dos outros dedos tambem se relocio- nam com 0 rosto - em particular com os dentes e gengivas. Na basedo dedao, logoacirnade onde elesejun- ta ao pe, fica 0 ref1exodo pescoC;o. 60s reflexos dos oUtOSSaDen- contrados logo abaixo de onde o segundo e 0 terceiro dedos se juntam aos pes. Os reflexos dos ouvidos ficam logo abaixo de onde o quarto e 0 quinto dedos juntam- se it sola dos pes. 0 reflexo da tuba auditiva (que liga 0 ouvido it garganta) situa-se entre os reflexos dos olhos e dos ouvidos.
  • 16. _",f,t-lT£S DO S-'!IJ S~ e~ ---------Q Coluna vertebral o REFLEXO DA COLUNA vertebral encontra-se ao longo da face interna de ambos os pes, seguin do a arcada os- sea do pe, da lateral do dedao ate a parte de tras do ca1- canhar. Ao longo do reflexo da espinha estao os reflexos para a parte superior da co1una (regi6es cervical e do pesco<;o), ref7exos das regi6es central e toracica, re- f7exosda regiao inferior (Jombar) e ref7exos dos ossos sacros e do coccix (base da co/una). 0 tratamento come<;a na zona reflexa do alto da coluna e segue em progressao descendente ate a extremidade inferior. 1 A face interior de cada pe e a regia a que corresponde as partes da co/una. A regiao da curva natu- ral do pe espellJa a forma da coluna e assim as regi6es superior, mediana e inferior da coluna, incluindo sacra e caccix, podem ser facilmente "plotadas" ao longo da zona reflexa. Renexo da regiiio lorn bar (inferiol) da co/una 't-~'i..t-lTt:S DO S-'!8~, ----------~--- ~ ---~----------- COLUNA VERTEBRAL 20 reflexo da parte superior da coluna, a regiao cervical au do pesco~o, esta localizado ao tango da face do dedao. 30 reflexo da regiao toracica (mediana) da coluna e encontrado ao longo do primeiro ossa metatarsico (veja pag. 12) ate a linha da cintura. 4A regiao lombar (inferior) da coluna erepresentada desde a linha da cintura ao tango dos ossos tarsianos (veja pag. 12), seguindo a arcada 6ssea ao longo da face inte- liar do pe e terminando num ponto aproximadamente no mesmo n(ve! que 0 ossa do tornozelo. 0 ref/.exo da bexiga esw logo abaixo da regiao lombar, na face interior de cada pe. 50 sacra e a c6ccix ilbase da coluna se localizam ao longo dos ossos do tars a , pouco antes da parte posterior do calcanhar. 0 reflexo ciatico - a nervo ciatico propriamente dito - segue par am- bos os lados da perna e atravessa a calcanhar como um estribo, tornando esta regiao uma parte especialmente sens(vel do pe.
  • 17. _~'t.~T£.S DO SA.8~, __________ s_~ 9 __" _ REFLEXOLOGIA o peito OS REFLEXOS DA REGIAo do peito podem ser encontrados na sola do pe, na area compreendida entre 0 nivel da cintura escapular (grosseiramente a base dos dedos) e a zona do diafragma (ou cintura) , que se situa imediatamente abaixo da planta de cada pe. Azona do peito no pe contem os seguintes reflexos: partes do sistema respirat6rio, incluindo traqueia, bronquios (passagens de ar) e pulm6es; 0 coras:ao; 0 esOfago (caminho do alimento da boca ao estomago); as glandulas tire6ide e paratire6ide (veja abaixo); as costelas e 0 esterno. A zona do peito no pe e tambem 0 local dos pontos reflexos para importantes estruturas que levam ao sistema digestivo e contem 0 nervo que controla 0 diafragma. 1 as reflexos da glandula tire6ide estao na borda exterior da planta do pe, na base do dedao, em ambos 05 pes. 2 As 4 pequenas glandulas parati- re6ides influenciam 05 nlveis de calcio e f6sforo no corpo. as reflexos das paratire6idesinferiores localizam- se na parte de baixo da borda inferior da planta do pe, abaixo do dedao. 3as reflexos das paratire6ides superiores sao eneantrados na borda superior da planta do pe, abaixo do dedao, em cada pe. 405 reflexos do pulmao sao encontrados sobre a planta do pe. a reflexo para 05 bronquios estende-se pela parte inferior da planta sob 0 dedao, na area do pulmao - desde 0 reflexo da traqueia, que se encontra pr6ximo ao limite da planta com 0 area do pe, da base do dedao ate perta da base da planta sob 0 dedao. o[)olegor trabalha o reflexo do corafaO! no pc esquerdo. 5a reflexo do esofago se sobrep6e ao da traqueia, mas se estende para baixo ate 0 nlve! do diafragma em ambos 05 pes. a reflexo do eara~ao e eneantrado apenas no /)e esquerdo, numa area logo acima do nlvel do diafragma.
  • 18. · -' '. t-l.T F. S n () S-'!IJ ~~ e~ Q--------- o abdome A ZONA REFLEXA DO ABDOME fica entre os niveis do diafragma (logo abaixo da planta de cada pe) e a pelve (a linha entre os ossos do tornozelo que atravessa ope). Nes- sa zona estao as retJexos de partes do sistema digestivo, ineluindo a est6mago, ffgado, vesicula biliar e intestinos; partes do sistema urinario, ineluindo as rins e os canais da uretra (que drenam os rins); partes do sistema hormonal, ineluindo o pancreas e as g/andulas supra-renais; eo ba(:o. 1 0 reflexo do figado encontra-se apenas no pe direito, na area entre 0 diafragma e a linha da cin- tura, numa forma triangular. 0 reflexo da vesicula biliar encontra- se abaixo do reflexo do figado, logo acima da linha da cintL/ra. 2 0 reflexo do est6mago pode ser encontrado na area entre 0 diafragma e a linha da cintL/ra, e se sobrep6e ao reflexo do pancreas. -,£.~1-E.S DO S<'lj ~" ~ --'~---------- o ABDOME 30 ref/exo do ba<;oencontra-se apenas no pe esquerdo, e na borda exterior da area entre 0 diafragma e a linha da cintura. 0 ba<;oe responsavel por fi/trar as toxinas e bacterias no sistema linfatico. E tambem produz anticorpos. 40 ref/exo do plexo solar fica lo- go abaixo do nlvel do diafragma em ambos os pes. 0 plexo solar e uma rede de nervos que se ramifica para todas as partes da cavidade abdominal; esses pontos ref/exos sao massageados para aliviar 0 estresse, medo, raiva e nervosismo. 50 ref/exo para 0 longo intes- tino delgado encontra-se em ambos os pes, abaixo da linha da cintura e acima da base do cal- canhar, e e con tornado pelo ref/e- xo do intestino grosso, que come<;a na borda exterior da sola do pe. 60 reflexo das glilndulas supra-renais fica logo acima da linha da cintura, no alto do ref/exo dos rins, em cada pe.
  • 19. 1>, £.t-<" £. S IJ 0 S<'!IJ __________ ~_'_,'__ J __ ~_.• _ REFLEXOLOGIA A pelve A REGIAo PELVICA DO CORPO e representada no pe sobre a base do calcanhar e acima desta, 0 nlvel da superflcie pelvica no pe segue por uma linha ima- ginaria ao longo da base do calcanhar entre os ossos do tomozelo. Os reflexos relativos as areas da pelve sao tambem encontrados na borda exterior do pe, OS reflexos das areas do corpo listadas a seguir estao na area pelvica do pe: a bexiga, as glandulas reproduwras e 0 rew. Atras dessa area estao os reflexos para 0 nervo ciatico, a regiao do sacro-iliaco (onde 0 final da espinha se junta ao fleo da pelvis) e aos musculos pelvicos. 1 0 reflexo do nervo ciiitico Ii na verdade 0 nervo pro[Jria- mente dito. Ele se desenha como um estribo ao longo do calcanhar e e muito sens(veL 2 0 reflexo do nervo ciiitico tambem se estende pelas laterais do pe e avan<;:apela parte posterior da base da perna. £.'l. T £. S DOS lb'i.." <'!111:.f ----------- 9 30 reflexo da junta sacro- il(aca na lateral do calcanhar pode ser massageada durante a gravidez, se houver dor na regiiio. Doreen Bayly ( I900- I979) mere- ce muito cn§dito por seus es(or- ~os para a difusao do interesse pela reflexologia. porque inicial- mente houve pouco entusiasmo pelo assunto. Gradualmente, seus esfor~os foram recom- pensados. mas ela mor- reu pouco antes do devido reconheci- mento da terapia.
  • 20. .",'i,t'.T£S DO SA ~~ BeR ------------- Os membros OS REFLEXOS DOS membros podem ser encontrados ao longo da face exterior do pI' 0 Os membros localizado do lado direito do corpo SaD representados no pI' direito, e os membros do lado esquerdo SaD representados no pI' esquerdoo 1 0 reflexo do ombro e encontrado abaixo do dedinho na sola do pe, assim como no alto de ambos os pes A mao esquerda traballia 0 refiexo do ombro direito ApJica-se a pressao com 0 polegar direito 20 ref/exo do bra"o se estende para baixo desde a area do ombro, ate a proje"ao 6ssea que aparece a meio caminho da face externa do pe 0 30 ref/exo do cotovelo encontra-se sabre a proje"ao 6ssea a meio caminho da face externa do peo 0 "cotovelo de tenista" e a "lesao do esfor"o repetitivo" podem ser aliviados pela a"ao sabre este ref/exo 0 40 ref/exo do joelho (e da perna) fica atras da proje"ao 6ssea na borda externa do pe, estendendo-se a meio caminho para a calcanhar, numa zona em meia-luao 0 joelho direito e representado no pe direito e vice-versa 0 50 ref/exo do quadril (e da coxa) encontra-se na exten- sao entre a zona do joelho e a parte de tras do tornozelo, numa zona em meia-lua na face externa do peo 0 quadril direito e repre- sentado no pe direito e a esquerdo na mesma regiao do pe esquerdo 0
  • 21. • ~ £. N T E S DOS.4 8 ," V --€-,,----------- REFLEXOLOGIA / Orgaos reprodutores e glandulas 30 reflexo das tubas uterinas na mulher e dos vasos defe- rentes no homem encontra-se na junfao das duas outras zonas re- !Jrodutoras no dorso do pi, pas- sando bem em freme aos ossos do tornozelo, Trata-se cada ovario e tuba uterina no respeetivo pi, ou seja, 0 pi esquerdo para 0 ovario e tuba do lado esquerdo, NA MULHER, as zonas reprodutoras se referem aos ovarios, tubas uterinas e utero, ao passo que no homem elas se referem aos testiculos, vasos deferentes, vesiculas seminais, glandula da pr6staw, uretra e penis, As zonas reflexas do sistema reprodutor encontram-se nas faces laterais e no dorso dos pes, No homem, os reflexos para os test(culos, vasos deferentes, vesiculas seminais, glandula da pr6stata, uretra e penis encon- tram-se dentro dessa zona do pe, Na mulher, os reflexos para os ovarios, utero e tubas ute- rinas encontram-se dentro dessa zona do pe, As glandulas que afetam ambos os sexos encontram correspondencia nos pes de homens e mulheres. A zona nas laterai do pe sao mais ossudas, portan- to, ao massagea-las, deve-se usar uma pressao menoL 20 reflexo do utero na mulher e da pr6stata no homem encontra-se a meio caminho entre o osso interior do tornozelo e a pane de tras do calcanhaL Ha tambim um reflexo do utero ou pr6stata subindo pela perna, a curta distdncia de cada lado do tendao de Aquiles, Os reflexos no po esquerdo se referem aos 6rgiios reprodutOres e glandulas do !ado esquerdo do corpo ABAIXO A pressiio do dedo pode ser aplicada no alto do pe para trabalhar 0 reflexo da area reprodutora. Reflexo dos ovarios nas mulheres ou dos testfculos nos homens o reflexo dos ovarios na mulher e dos testiculos no homem encontra-se a meio caminho entre 0 0550 exterior do tornozelo e a parte de tras do calcanhar.
  • 22. osistema linfatico OS REFLEXOS do sistema linfati- co encontram-se no dorso do pe, estendendo-se desde a base dos dedos ate a linha dos tomozelos. Esta zona requer uma pressao mais leve do que a sola do pe. OSistemalinfatico corre paralelo ao sistema circulat6rio ao longo do corpo e e composto dos vasos linfaticos, linfonodos e areas espedficas do tecido linfatico. Este sistema faz parte do "sistema imune". 1Os reflexos para 0 sistema linfatico do t6rax (a parte do sistema imune no meio das costas) acham-se abaixo dos dedos no dorso do pe, ate 0 nfvel do diafragma. Esta zona inclui 0 reflexo dos seios. ACIMA Os reflexos do sistema linfcitico encontram~se no dorsa de ambos os pes. 3Os reflexos do sistema linfd.tico da pelve e virilha encontram-se acima e ao redor dos ossos do tornozelo. Estas zonas podem ser estimuladas para se tratar de infec<;:i5esna regiao da virilha e pelve. 2Os reflexos do sistema linfd.tico abdominal continuam descendo da zona tord.cica no sentido dos ossos do tornozelo. 40 reflexo para 0 fluxo linfd.tico e trabalhado pin<;:ando-sea zona entre 0 dedao do pe e 0 segundo dedo.
  • 23. i..",,,'i.~TES DO S.-1lJ e , 9 --"----------- REFLEXOLOGIA Exercfcios DEPOIS DE TODAS as zonas reflexas do pe terem sido massageadas, SaD feitos alguns exercicios. Tais exercicios destinam-se a alongar as diversas zonas e ajuda-lo a relaxar ROTAlj:Ao DOS DEDOS 1 Um de cada vez, todas os dedos SaDrotacionados: com uma das maos, prende-se 0 pi pela base do dedo; enquanto isso, a outra mao segura a base do dedo entre 0 polegar e as dedos do outra mao. 2 Gira-se 0 dedo algumas vezes numa dire.;ao e depois na outra. 31550 e a mesmo que girar a pesco.;o, e ajuda a soltar a regiao do pesco.;o. Quando hou- ver tensao no pesco.;o, as dedos - especialmente as dedoes - vao parecer tens os. ~",,,£.!'l'TES Do S.-1lJ~, , 'J ---"----------- EXERClcIOS 1As maos SaDcolocadas ao redor do pi, com os polegares embaixo e as dedos restantes no dorsa do pi. A pressao deve ser firme mas nao causar dor. 2Use as maos para espremer 0 pi como se toreesse uma rou- pa molhada. Esta a.;ao ajuda a expandir 0 pi e por consequen- cia 0 corpo - como ao se empertigar as ombros para trtis au res- pirar fundo e se esticar. A mdodireita pressiona 0 interior do pe
  • 24. 1 A superflcie plana do punho cerrado e pressionada contra a sola do pe a altura do nivel do diafragma, enquanto a outra mao ap6ia 0 dorso do pi. Os pes silo empurrados em direc;:ao it pessoa enquanto ela respira 1Uma das maos e colocada sob a parte de tras do calcanhar enquanto a outra sustenta os dedos. 2As maos SaGpressionadas uma contra a outra e torcidas. Isso ajuda a relaxar 0 diafragma e, portanto, a relaxar 0 corpo todo. 1Este exercicio efeito bem no final da sessao de tratamento. o polegar ecolocado no reflexo do plexo solar, 0 polegar direito no pe esquerdo, 0 polegar esquerdo no pe direito. Enquanto e aplicada a pressao, o pe e empurrado na direfaO do paciente e este respira fundo. 2 0 tornozelo egirado para um lado e depois para 0 outro. Isso ajuda a relaxar as tensoes no tornozelo e nas zonas pelvicas, para favorecer 0 fluxo de energia ao longo do corpo. 2A respirafaO e presa e entao, enquanto 0 paciente solta 0 ar, a pressao no reflexo do plexo solar e liberada e os pes retornam a posifaO normal. Repetido tres ou quatro vezes, este exercicio, alem de aferir a capacidade respirat6ria do paciente, da ao tratamento um final relaxante.
  • 25. Reflexos da mao TODOS OS REFLEX OS encontrados nos pes SaG tambem encontrados nas maos, em bora as maas nao costumem ser ta~ sensiveis a reflexologia quanta os pes - provavelmente parque estao constantemente em uso e geralmente sem prote{:ao. 0 tratamento e aplicado as maos do mesmo modo que nos pes e obedece as mesmas tecnicas. Assim como nos pes, a mao direita corresponde ao lado direito do corpo, e a mao esquerda, ao lado esquerdo. Uma vez que as maos sao me- nores que os pes, os reflexos sao represen- tados em areas meno- res e geralmente sao mais dificeis de iden- tificar com precisao. Reflexos do sistema linfaticO- A ESQUERDA Os re- flexos encontrados no dorso do pe podem tambem ser encontra- dos nas costas da mao. As maos SaDtratadas em casos em que 0 paciente tenha muita sensibilidade ou c6cegas nos pes, ou quando nao seja possive! tratar os pes, devido a ferimentos ou infecvao. As maos podem tambem ser uteis no autotratamento, se for diffcil alcanvar os pes. As zonas longitudinais presentes nos pes, e que correm ao longo do corpo, tambem aparecem nas maos. As zonas transversais nao sao tao importantes nas maos quanto nos pes e nao podem ser facilmente re!acionadas a estrutura 6ssea da mao. o tratamento completo das maos ocupara menos tempo que urn tratamento completo dos pes, mas ainda assim pod era ser eficaz. Lmfonodos superiores o reflexo cbJ pulmilo encontra-se na palma da milo, abaixo cbJs decbJs, estendendo ..se sabre uma quarta parte cIa palma. A ESQUERDA Os reflexos do sistema linfeitico encontram~ se nas costas da milo, atuando desde a base cbJs decbJs ate o punho.
  • 26. Reflexologia em casa Doenc;as comuns EMBORA SE]A MELHOR receber 0 tratamenta de um terapeuta qualificado, e pOSSIVe! tratar de certas doen~as atuando sobre as zonas reflexas de seu pr6prios pes ou maos. EMBORA 0 TRATAMENTO completa para tados os pontas refle- xos de va ser dado por um reflexologista, os reflexos particu- larmente beneficos para doen~as espedficas SaD descritos abaixo. A DIREITA Autotratamento dos pes. Dobre 0 joelho !Jara ver a sola do pc! QUANDO NAo TRATAR Em certos casos, nao e adequa- do receber 0 tratamento da re- flexologia, ou 0 terapeuta ira administrar 0 tratamento com um cuidado adicional. Nesses casos, nao se recomenda que voce tente tratar a si mesmo. Nao experi- mente praticar a reflexologia em casa sob alguma das condi<;:6es abaixo: • Reflexos das regioes aferadas: urero (incluin- do a vagina) (p. 43) • Reflexos dos vasos linfa- ricos (/)p. 44-5) - para curar a infec'ao • Reflexos das supra-renais (p. 37) - para reduzir a inflama'ao. • infec<;:aoaguda • diabetes • epilepsia • problemas cardfacos • osteoporose • flebite ou trombose • gravidez • cirurgia de reposi<;:ao (ex.reposi<;:aode quadril) ALERGIAS ~ n.Reflexos para areas afe- tadas: par exemplo, nariz, r/ pulmoes, aparelho diges- 1 tivo, pele (pp. 35,36-7) • Reflexos para supra-renais, ba'o (p. 37) - para reduzir a hipersensibilidade. ARTRITE ~ ~ • Reflexos das regioes afetadas: por exemplo, quadris, joelhos, ombros, coluna (pp. 40-1, 32-3) • Regioes relacionadas as zonas • Reflexos das supra-renais (/). 37) - para reduzir inflama'oes • Reflexos da tire6ide e a paratire6ide (pp. 34-5) - para 0 equilibrio de calcio • Reflexos dos intestinos, rins (p. 37) - para facilitar a elimina,ao • Reflexos da hip6fise (p. 30) - para o equilibrio hormonal • Reflexos do plexo solar (p. 37) - para relaxamento, alivio da dor. CASPAS ~ fl ·Reflexos do topo da cabe'a (p. 30) - para 0 couro cabeludo • Reflexos das supra- renais (p. 37) - para reduzir a inflama'ao • Reflexos dos intestinos, figado, rins (pp. 36-7) - para facilitar a elimina,ao. CIATICA ~ • Reflexos das regioes afetadas: nervo ciatico e parte de tras das pernas (pp. 33, 38) • Reflexos da coluna (regioes lombar e sacra), juntas sacro-iliacas, musculos pelvicos, joelhos, quadris ou qualquer regiao dolorida (pp. 32-3, 39,41) • Reflexos do plexo solar (p. 37)- para 0 relaxamento. CISTITE ~ • Reflexos das regioes afetadas: bexiga, canais da uretra, rins (pp. 38, 36-7) • Reflexos dos vasos linfaticos (pp. 44-5) - para curar infec'oes. • Reflexos das supra-renais (p. 37)- para reduzir inflama'oes.
  • 27. i.'lTES DO S<"! ~~~ 8€R ----------- +'"" REFLEXOLOGIA CONSTIPAc;:Ao ~., IJ .Reflexos das regi6es afetadas: intestino grosso, reto (pp. 37, 38-9) • Reflexos do intestino delgado, figado (P/J. 36, 37) - podem nao estar funcionando bem • Reflexos da parte inferior da coluna (pp. 32-3) - para garantir 0 bom su- primento de energia para os intestinos • Reflexos das supra-renais (p. 37)- para 0 bom tonus muscular dos intestinos • Reflexos do plexo solar (p. 37) - para 0 relaxamento. DEPREssAo ~ n·Reflexos das regi6es afe- tadas: cabe~a (pp. 30-31) • Reflexos do plexo solar (p. 37) - para 0 relaxamento • Reflexo das supra-renais (p. 37)- para reduzir 0 estresse • Reflexos da hip6fise e sistema hormonal (p. 30) - para equilibrar os honnonios. DESEQUILiBRIO DA TIREOIDE ~ • Reflexos das regi6es afetadas: tire6ide (p. 34) • Reflexos da hip6fise, supra-renais, glandulas reprodutoras (pp. 30, 37,42-3)- para 0 equilibrio hormonal. • Reflexos do cora~ao (p. 35) - se houver problemas de cara~ao/circu lat6rios • Reflexos dos olhos (p. 31) - se forem afetados pela hiperatividade. DIARREIA ~ IJ ·Reflexos das regi6es .. afetadas: intestino grosso, reto (pp. 37,38) . - • Reflexos do intestino delgado, f(gado (pp. 36-7) - pod~m nao estar funcionando bem • Reflexos das supra-renais (p. 37) - para melhorar 0 tonus muscular dos intestinos e reduzir a inflama~ao • Reflexos dos vasos linfaticos abdomina is (p. 45) - para curar a infec~ao, se houver. DORES NAS COSTAS ~ n·Reflexos das regi6es afetadas na coluna (pp. 32-3) • Reflexos do pesco~o, nervo ciatico (pp. 30-31,33) - se afetados • Reflexos das supra-renais (p. 37) - para reduzir inflama~6es • Reflexos do plexo solar (p. 37) - para relaxamento, alfvio da dor. ECZEMA ~ • Reflexos das regi6es afetadas: por exemplo, rosto, bra~o (pp. 31 , 41) • Reflexos das supra- renais (p. 37) - para reduzir a inflama~ao e rea~6es alergicas • Reflexos dos rins e intestinos (p. 37) - para facilitar a elimina~ao • Reflexos do plexo solar (p. 37) - para 0 relaxamento • Reflexos da hip6fise (p. 30) - para 0 equilibrio hormonal • Reflexos dos vasos linfaticos (pp. 44- 5) - para curar a infec~ao, se houver. DISTURBIOS MENSTRUAIS ~ • Reflexos das regi6es afetadas: por exemplo, ovarios, tubas uterinas, utero, hip6fise, tire6ide, supra-renais (pp. 42-3, 30, 34, 37) • Reflexos do plexo solar (p. 37) - para 0 relaxamenta. DOR DE CABEC;:A~ [J ·Reflexos das regi6es • afetadas: por exemplo, cabe~a (pp. 30-31) • Reflexos da parte superior da coluna e pesco~o (pp. 30, 32-3) - para reduzir a tensao • Reflexos do plexo solar (p. 37)- para 0 relaxamento • Reflexos dos olhos, seios paranasais, trata digestivo, figado, glandulas hormonais (pp. 31,36-7)- que podem estar envolvidos. ESTRESSE ~ n·Reflexos das regi6es onde se apresentam os sintomas: par exemplo, cabe~a, em dor de cabe~a (pp. 30-31) • Reflexos das supra-renais (p. 37) - para ajudar a reduzir 0 estresse • Reflexos do plexo solar (p. 37) - para 0 relaxamento • Reflexos da hip6fise (p. 30) - para o equilibrio hormonal. FEBRE DO FENO ~., n·Reflexos das regi6es afetadas: por exemplo, nariz, garganta, seios , paranasais, olhos, cabe~a, tasto (P/). 30-31) • Reflexos das supra-renais (/). 37) - para reduzir a inflama~ao e alergia. FEBRE GLANDULAR ~ • Reflexos das regi6es afetadas: por exemplo, garganta (p. 35) • Reflexos dos vasos linfaticos, ba~o, time (pp. 44-5, 37) - para fortalecer 0 sistema imune e combater a infec~ao • Reflexos do plexo solar (p. 37)- para 0 relaxamento • Reflexos da hip6fise (/). 30) - para o equilibrio hormonal. FRIEIRAS ~ ( .1·Regi6es relacionadas a zonas - dedos por dedao do pe e vice-versa (pp. 50-51) • Reflexos do cora~ao (p. 35) - para melharar a circula~ao • Reflexos dos intestinos (p. 37)- para facilitar a evacua~ao • Reflexos da parte superior da coluna e pesco~o (pp. 32-3, 30) - se os dedos forem afetados.
  • 28. _",~:.t'<IE.S DO S48~, -----------~-"-- ~ ---,._---------- REFLEXOLOGIA • Regi6es relacionadas a zonas: pOl'exempio. polegar para a dediio do pe (pp. 50-51) • Reflexos das supra-renais (p. 37) - para reduzir a inflama~iio • Reflexos para intestinos. figado. rins (pp. 36-7) -para facilitara elimina~iio • Reflexos do plexo solar (p. 37) - para a relaxamento. alivio da dor. HEMORROIDAS ?&- • Reflexos das regi6es afetadas: reto (pp. 38-9) • Reflexos para intestinos (p. 37) - para facilitar a evacua~iio. HERPES LABIAL?&- • Reflexos das regi6es afetadas: boca. nariz (p. 31) • Reflexos do sistema linfiitico (pp. 44-5) - para ajudar a curar a infec~iio. INDIGESTAo ?&- r:J .Reflexos das regi6es afetadas: est6mago (p. 36) • Reflexos do es6fago. diafragma (p. 35) - intimamente envolvidos • Reflexos do plexo solar (p. 37) - para a relaxamento. INSONIA ~ rJ ~.Reflexos das regi6es da " ' cabe~a (pp. 30-31) - para a relaxamento • Reflexos do plexo solar (p. 37) - para a relaxamento • Reflexos das supra-renais (p. 37) - para reduzir a estresse • Reflexos das regi6es relacionadas com a dar que possam estar causando problema: pOl'exemplo. coluna. dentes (pp. 32-3. 31). SFC ~ [) ' • Reflexos das regi6es afetadas: pOl'exemplo. , pernas. bra~os. sistema digestivo. cabe~a (pp. 41,36-7.30-31) • Reflexos dos vasos linfMicos. ba~o (pp. 44-5, 37) - para fortalecer a sistema imune e combater a infec~iio. • Reflexos do plexo solar (p. 37) - para a relaxamento • Reflexos das supra-renais (p. 37) - para reduzir a estresse. QUEDA DE CABELO ~ • Ref1exos das regii'ies afetadas: par exemplo, alto da cabec;:a (p. 30) - para a couro cabeludo • Ref1exos das supra-renais (I). 37) - para reduzir a estresse • Ref1exos do plexo solar (p. 37) - para a relaxamemo • Ref1exos da hip6fise (p. 30) - para a equilibria hormonaL RESFRIADOS ~ n·Ref1exos das regii'ies , afetadas: nariz, seios paranasais (p. 31) • Ref1exos das supra- renais (p. 37) - para reduzir inf1amac;:i'ies • Ref1exos da valvula ileocecal e intestinos (p. 37) - para facilitar a evacuac;:ao • Ref1exos dos linfonodos superiores (pp. 44-5) - para curar a infecc;:ao. RESSACA~ n·Ref1exos das regii'ies afetadas: par exemplo, cabec;:a (pp. 30-31) - para dares de cabec;:a • Ref1exos do figado (p. 36) - para tirar a alcool do organismo • Ref1exos dos rins (p. 37) - para facilitar a eliminac;:ao. PSORIASIS ~ [J .Reflexos das regi6es da pele afetadas: pOl' exemplo. rosto (p. 31) ~, • Reflexos das supra- renais (p. 37) - para reduzir a inflama<;:iio e a estresse • Reflexos do plexo solar (p. 37) - para a relaxamento • Reflexos dos intestinos. figado, rins (pp. 36-7) - para faci Iitar a elimina<;:iio • Reflexos da hip6fise (p. 30) - para a equilibria hormonaL RETENC;:AO DE LiQUIDOS ~ l] ·Ref1exos das regii'ies afetadas: par exemplo, pernas, olhos (PI)· 41, 31) '. • Ref1exos dos rins, canais urinarios, bexiga (J)!). 36·7, 33) - para a eliminac;:ao de fluidos • Ref1exos dos vasos linfaticos (J)p. 44·5) - para eliminar a excesso de f1uidos dos tecidos • Ref1exos da hip6fise (p. 30) - para assegurar a bom funcionamento dos rins • Reflexos do corac;:ao (p. 35) - para melhorar a circulac;:ao. SiNDROME DO COLON IRRITAvEL ?&- [1 -·Reflexos das regii'ies afe· tadas: intestinos (/). 37) • Reflexos das supra- renais (p. 37) - para reduzir a inf1amac;:aoe alergia • Reflexos do plexo solar (p. 37) - para a relaxamento. TOSSE ?&- • Reflexos das regii'ies afetadas: pulmi'ies, garganta (1).35) • Reflexos do sistema linfatico (PI). 44·5) - para curar a infecc;:ao,
  • 29. v..~1'ES DO S ___________ ~_"_'_'__ ~ _~_8_e_~ _ REFLEXOLOGIA • Reflexos das regi6es afetadas: por exemplo, ovarios, tubas uterinas, utero, hip6fise, tire6ide, supra-renais (pp. 42-3, 30, 34, 37) • Reflexos das regi6es afetadas, quando necessario: por exemplo, cabe<;a, abdome, seio, bexiga, rins, intestinos, rosro (pp. 30-1, 36-7,45, 38-9,37) • Reflexos do plexo solar (p. 37) - para 0 relaxamento. VARIZES ~ • Reflexos das regi6es afetadas: por exemplo, pemas e reflexos ao longo dos joelhos e quadris (p. 41) • Reflexos do cora<;ao (p. 35) - para melhorar a circula<;ao • Reflexos das supra-renais (p. 37) - para reduzir a inflama<;ao • Reflexos dos intestinos (p. 37) - para facilitar a evacua<;ao. ZUNIDO NOS OUVIDOS ~ n.Reflexos das regi6es afetadas: ouvidos (p. 31) • Reflexos da tuba 7 auditiva, seios paranasais (p. 31) - podem estar envolvidos • Reflexos da parte superior da co luna, pesco<;o, lateral da cabe<;a (pp. 30,33) - para liberar a tensao na regiao • Reflexos do plexo solar (p. 37) - para 0 relaxamenro • Reflexos das supra-renais (p. 37)- para reduzir a inflama<;ao e 0 estresse