SlideShare uma empresa Scribd logo
CURSO DE DO-IN - KOJJI 1 
CURSO DE DO-IN: 
“O conhecimento teórico e a perícia são importantes, mas o médico precisa desenvolver um 
estado de profunda lucidez, que se manifestará com uma prática perseverante, onde as mãos 
respondem naturalmente aos ditames da intuição e do coração (kokoro, que significa profundo 
sentimento de afeto, amor), e aí, médico e paciente serão uma única vida, e só então, um dedo 
apenas poderá curar com certeza”. - Dr. Ryuho Okuyama, professor da cadeira de pressoterapia e 
diretor da Escola de Medicina Oriental do Japão. 
1. DEFINIÇÃO E SINOMÍNIA: 
DO-IN: palavra japonesa (do = caminho , in = casa), significa o caminho de casa, onde 
entende-se que a casa é o nosso corpo, a morada do KI. O Do-In deriva-se do Tui-Na , sistema de 
auto-massagem de origem chinesa, adotado a aproximadamente um século no Japão. Onde 
desenvolveu-se de forma peculiar em auto-massagens e exercícios terapêuticos curativos e 
profiláticos. 
Num primeiro momento, o Do-In é de caráter eminentemente preventivo. Num segundo 
momento, atua como terapia de emergência nos casos cotidianos ( como enjôo, dores de cabeça, má 
digestão, gripe, insônia, etc.), mas também tem apresentado excelentes resultados nos casos mais 
graves, sobretudo em doenças crônicas, onde se requer um contínuo gerenciamento da Energia Ki . 
2. DADOS HISTÓRICOS SOBRE A MASSAGEM: 
A massagem é a mais antiga forma de terapia, uma vez que é um recurso natural, inerente ao 
corpo e a natureza humana, tanto é que quando sofremos um traumatismo qualquer, instintivamente, 
esfregamos e percebemos um alívio. É bem provável que à partir desta idéia passou-se a desenvolver 
a Massoterapia. 
Na China há indícios de que há 4.000 ou 5.000 anos atrás já se praticava a massagem pêlos 
médicos chineses. Entre os gregos e romanos era indicada nos esportes e tratamento de doenças. 
Hipócrates, o Pai da Medicina, a empregava. Homero, no século IX a.C. teceu comentários sobre um 
tipo de massagem muito semelhante a moderna massagem sueca. Nas civilizações pré-colombianas 
(Incas, Astecas e Maias) há escritos que mencionam a massagem. Também no Egito, Pérsia e Índia 
foram encontrados registros desta prática. 
No ocidente, desde a Idade Média até o final do século XIX , a massagem esteve como que 
esquecida, até que o Dr. Henry Pahr Ling, a reintroduziu como recurso terapêutico nos meios 
médicos. 
3. DADOS HITÓRICOS DA MEDICINA ORIENTAL: 
O Do-In baseia-se nos princípios da Medicina Tradicional Chinesa que originou-se na China 
por volta de 3.200 a.C. quando o Imperador Ching Nong recomendava o uso dos cinco grãos 
adequados à nutrição e os estudou as propriedades medicinais das plantas. 
O Nei Ching ou o Livro do Imperador Amarelo Huang-Ti, de 2.700a.C. é a obra mais antiga 
da literatura médica. 
No século X d.C. foi criada uma faculdade para o ensino da Acupuntura. 
Do século XVII ao XX mais de 200 autores europeus, médicos e leigos escreveram sobre a 
Medicina Tradicional Chinesa. 
Atualmente a Medicina Oriental é praticada e ensinada em várias faculdades no Japão, 
Estados Unidos, França, Coréia, Vietnã, etc.
CURSO DE DO-IN - KOJJI 2 
4. TIPOS DE MASSAGEM E OUTRAS TERAPIAS: 
Existem diversos tipos de massagem e terapias. E a pergunta mais freqüente é: “qual a é a 
melhor ou mais eficaz?” A resposta para esta questão é: “melhor ou eficaz em qual caso ou 
distúrbio?” 
A verdade é que cada tipo de massagem ou terapia é apropriada à um determinado quadro 
clínico, à um determinado tipo de enfermidade e enfermo. 
Há casos em que a administração de uma infusão de plantas medicinais, a Fitoterapia, é 
notoriamente eficaz. Há casos em que a Massagem Sueca é muito eficaz. E há casos em que o Shiatsu 
é extremamente profícuo. Experiências clínicas têm demonstrado que a combinação de diversas 
terapias alcançam resultados melhores que uma ou outra terapia isoladamente. 
Abaixo um breve estudo dos diversos tipos de massagens e terapias alternativas: 
Massagem Ocidental: conjunto de manipulações (composto basicamente de deslizamentos, fricções, 
amassamentos, rolamentos e vibrações) de efeitos fisiológicos sobre o tecido celular cutâneo e 
subcutâneo, adiposo, músculos, circulação sangüínea e linfática, sistema nervoso e metabolismo. 
Indicações: dores musculares e nevralgias, relaxamento muscular, distúrbios circulatórios, estética, 
reabilitação pós-operatória e pós-traumática, etc. 
Massoterapia: também conhecida como Massagem Terapêutica. Idem ao anterior. 
Massagem Desportiva: ramo da massagem ocidental aplicada aos esportistas. 
Massagem Estética: ramo da massagem ocidental aplicada à estética, utiliza cremes lipo-redutores , 
vitaminados ou compostos de plantas medicinais, etc. 
Massagem bioenergética: baseiam-se nas teorias do Dr. Wilhelm Reich, na qual as emoções 
reprimidas provocam constrições musculares, denominadas “couraças corporais”. Ao dissolver estas 
couraças removemos também as emoções reprimidas ali somatizadas, produzindo um alívio, nisto 
consiste a psicoterapia reichiana, que longe de ser uma massagem, sugere uma psicoterapia corporal, 
com exercícios psicofísicos e massagens. 
Reflexoterapia: também conhecida como reflexologia ou massagem reflexógena, baseia-se no 
princípio de que ao estimularmos certas regiões cutâneas provocamos um estímulo orgânico interno 
para o restabelecimento da saúde. As áreas reflexógenas guardam estreita semelhança com os Pontos 
de Acupuntura. Enquadra-se na reflexologia o Do-In na sola dos pés ou Sokutei, o Do-In nas mãos, a 
Massagem Auricular, etc. Indicações: distúrbios organo-funcionais, neurológicos, cardiovasculares, 
respiratórios, ginecológicos, algias, etc. 
Massagem Indiana: conjunto de manipulações deslizantes, pressões, fricções, etc. com óleos 
essenciais, cujo objetivo é trabalhar a energia vital ( Prana) e os Chakras ( vórtices bio-eletro-magnéticos 
transdutores de energia ). De acordo com a ciência indiana, o Prana (equivalente ao Ki) 
controla todas as nossas funções orgânicas e psíquicas. Nosso corpo físico está ligado a corpos de 
densidade mais sutis ( corpo etérico, corpo astral, corpo mental, etc.) que se interagem. Com efeito, 
nossa saúde é o resultado do bom funcionamento dos outros corpos, assim como a enfermidade é 
resultante de desequilíbrio energético nos outros corpos. Os Chakras são nossos captadores de energia 
vital, quando há um distúrbio num determinado Chakra, logo surgem distúrbios relacionados ao 
funcionalismo deste. Indicações: distúrbios emocionais, psicossomáticos, organo-fisiológicos, 
mentais, psíquicos, etc. 
Kuatsu: técnica de reanimação por meio de percussões, praticado por estudantes de artes marciais. 
Anma: (an = pressão e ma = deslizamento) conjunto de manipulações relaxantes praticada no Japão. 
Suas técnicas básicas são: deslizamento, amassamento, pressão, cuteladas, batidas, vibração, pressão 
forte ( c/ palma) e exercícios físicos passivo. Tem como objetivo a prevenção e manutenção da saúde 
do corpo humano. Seu efeito rápido verifica-se sobre a circulação sangüínea e linfática; o efeito 
tardio sobre nervos e músculos. Procura, através das manipulações, provocar uma homeostase, 
equilibrando o funcionamento dos órgãos, aliviando o sofrimento (sensação de dor ou peso) e
CURSO DE DO-IN - KOJJI 3 
acelerando o processo de cura do paciente. Beneficia o aparelho circulatório, sistema nervoso, 
músculos e articulações. Indicações: relaxamento, dores, problemas articulatórios, reabilitação física. 
Shiatsu: baseia-se na M.T.C., ao invés de agulhas, usa-se a pressão dos dedos para estimular os 
acupontos, obtendo os efeitos da acupuntura. Pode ser extremamente relaxante ou estimulante, 
conforme o efeito desejado. Indicações: vide Acupuntura. 
Moxabustão: ou moxaterapia, emprega a combustão de cones ou cigarros de Artemísia sobre os 
pontos de acupuntura. Visa o equilíbrio bioenergético, tem ação tonificante, relaxante e elimina as 
energias agressoras cosmoclimáticas do frio, vento e umidade. Indicações: distúrbios orgânicos, 
reabilitação, atrofias, possui um poder terapêutico excepcional, sobretudo em doenças crônicas, 
reumatismo, gripe, asma, bronquite, hérnia discal, etc. 
Acupuntura: técnica de introdução de agulhas em determinadas áreas da epiderme que possuem ação 
terapêutica reflexo-visceral e bioenergética com o objetivo de provocar uma resposta orgânica 
víscero-cutânea de ação curativa e restabelecer o fluxo de energia Ki, ou energia vital. Na China é 
empregada como Medicina Oficial. No Japão, EUA , URSS, França, Coréia, Taiwan é amplamente 
empregada e difundida. Indicações: praticamente todos os tipos de enfermidades orgânicas e 
psíquicas, distúrbios, distrofias, atrofias, etc. Acelera a recuperação pós-traumática. Analgesia em 
operações cirúrgicas. Em estética atua diretamente na raiz dos problemas, pois considera que as 
condições da pele e seus anexos são resultados diretos de um bom ou mau funcionamento orgânico. 
A Acupuntura Veterinária atua nos mais diversos tipos de enfermidades dos animais, há também a 
Acupuntura para as plantas. 
Eletro-acupuntura: utiliza correntes elétricas de baixa voltagem nos pontos de acupuntura. Há uma 
outra técnica que utiliza alta voltagem em baixa amperagem sob a forma de pequenas centelhas 
elétricas. Indicações: dores musculares e nevrálgicas, analgesia para intervenções cirúrgicas, 
distúrbios orgânicos. etc. 
Laser-acupuntura: utiliza feixes de soft laser sobre os pontos de acupuntura, sendo absolutamente 
indolor e de resultados surpreendentes, contudo, não substitui as tradicionais agulhas. Indicações: 
dores em geral, distúrbios orgânicos, reumatismo, artritismo, processos infecciosos, etc. 
Auriculoterapia: aplicação de agulhas sobre o pavilhão auricular, produzindo um estímulo reflexo-visceral. 
Apresenta resultados rápidos, mas não tão profícuos quanto a acupuntura tradicional. 
Quando usada em conjunto apresenta resultados maravilhosos. Indicações: distúrbios organo-viscerais, 
psicossomáticos, dores em geral, tabagismo, alcoolismo, toxicomania, etc. 
Quiropraxia: também conhecida por vertebroterapia, consiste em uma ação terapêutica manual, 
mecânica ou elétrica sobre segmentos da coluna vertebral objetivando normalizar a posição de 
vértebras deslocadas , provocando assim uma descompressão dos nervos que emergem da medula 
espinhal e que controlam nossos órgãos. Foi desenvolvida pelo Dr. Palmer a partir da osteopatia, 
após verificar que havia ligação entre as espondilopatias e as disfunções orgânicas, ou seja, uma 
compressão radicular pode causar um mau funcionamento orgânico. Indicações: problemas de coluna 
e articulações e disfunções orgânicas relacionadas a compressão radicular. 
Seitai: técnica japonesa de manipulação de vértebras e articulações. Esta técnica foi desenvolvida no 
Japão desde a antigüidade e utiliza-se aplicá-la na massagem oriental, uma vez que foi observado que 
após as manipulações articulatórias há uma melhor atuação da massagem. Indicações:: as mesmas 
que a quiroprática, relaxamento e melhora da condição orgânica geral. 
Cinesioterapia: conjunto de exercícios físicos e movimentos ativos ou passivos que visam reabilitar 
as funções do corpo debilitado ou parte dele. Na massagem oriental utiliza-se os movimentos 
passivos para a melhoria das condições de movimento. Há que se considerar ainda que muitas 
doenças são provocadas pela vida sedentária e movimentos inadequados. Podemos incluir neste tipo 
de terapia o Do-In, o alongamento da shiatsu, Tai Chi Chuan, Aikidô, Kempo, Kung Fu, Karate,
CURSO DE DO-IN - KOJJI 4 
Yoga, etc. Indicações: alongamento, normalização das funções do movimento, articulações, 
problemas de coluna e postura, coadjuvante em outros tratamentos orgânicos. 
Yogaterapia: consiste na execução de posturas psicofísicas, exercícios respiratórios, vocalizações, 
compressão natural de glândulas e vísceras, relaxamento e meditação. É uma terapia holística pois 
atua no corpo, na mente e no espírito. Harmoniza o fluxo da energia vital, chamada de Prana, trabalha 
os Chakras, harmonizando-os e desenvolvendo-os. Indicações: todos os distúrbios organo-funcionais, 
psicossomáticos( ansiedade, stress, nervosismo, depressão, hipertensão, etc.),problemas de coluna e 
postura, etc. 
Musicoterapia: consiste na aplicação de seleções musicais com fins terapêuticos. Partindo do 
princípio de que tudo é vibração, a música é uma terapia holística formidável. As Músicas Clássicas 
são muito empregadas na musicoterapia, possuindo efeitos relaxantes, respiratórios, psicossomáticos, 
analgésicos, etc. Existem atualmente, músicas feitas em laboratório que atuam sobre nossos órgãos 
internos, sobre nossos chakras, etc. Indicações: problemas orgânicos (respiração, digestão, circulação, 
etc.), psicossomáticos, etc. 
Piramidoterapia: consiste na aplicação de pirâmides para fins terapêuticos. A aplicação das 
pirâmides tem um alto efeito regenerador celular e vitalizante ou mesmo calmante, de acordo com o 
material e cor destas. Indicações: distúrbios orgânicos e funcionais, traumatismos, machucaduras, 
insônia, nervosismo, etc. 
Nutroterapia: consiste na ingestão adequada, balanceada e equilibrada de alimentos nutritivos. Os 
alimentos naturais, integrais, cultivados biodinamicamente (vide agricultura biodinâmica), sem 
agrotóxicos são os melhores alimentos. Devemos nutrir nosso corpo com uma dieta balanceada que 
supra nossas necessidades diárias de proteínas, carboidratos, vitaminas, aminoácidos, fibras, gorduras 
e minerais. “Seja o teu alimento o teu melhor remédio” afirmava Hipócrates, o Pai da Medicina. As 
pesquisas modernas têm demonstrado o valor terapêutico das vitaminas, dos minerais, dos 
aminoácidos, assim, a vitamina C é um anti-histamínico natural, evita a oxidação celular, auxilia nos 
processos infecciosos, etc. Indicações: todas enfermidades. 
5. AS BASES TEÓRICAS DO FUNCIONAMENTO DO DO-IN: 
É um fato inegável que a Medicina Chinesa funciona e é eficaz , porém ainda não sabemos 
bem como e porque. 
De acordo com a antiga teoria chinesa os mecanismos de ação curativa consistem em um 
restabelecimento do equilíbrio da energia Ch’i e na eliminação da energia perversa. 
Através da estimulação física (pressão, calor, frio, etc.), química, elétrica e eletromagnética de 
determinadas áreas privilegiadas da epiderme, denominadas Acupontos, consegue-se restabelecer o 
equilíbrio energético-vital ( ou bioenergético ), alterado pela enfermidade, e destruir a energia 
perversa. 
O desequilíbrio bioenergético consiste em excessos ou deficiências qualitativos e quantitativos 
da bioenergia. Assim, temos excesso de Yang e deficiência de Yin, ou vice versa. Excesso de 
elemento Fogo, ou deficiência de Água, e assim por diante... 
A energia perversa são fatores cosmoclimáticos como o vento, o frio e a umidade que se 
instalam no corpo, provocando enfermidades. 
Apesar dos esforços científicos para explicar os mecanismos de atuação da Acupuntura, ainda 
não se chegou a uma teoria geral que explique eficazmente o seu funcionamento. 
Um fato concreto é que a antiga teoria chinesa funciona e ainda hoje é válida; explica os 
mecanismos e encontra respaldo nas investigações recentes no campo da Bioclimatologia Médica, 
Biopsicoenergética, etc.
CURSO DE DO-IN - KOJJI 5 
6. APORTES DA INVESTIGAÇÃO MODERNA: 
Uma teoria moderna geral dos mecanismos de ação da Medicina Chinesa teria que estar de 
acordo com uma teoria contemporânea de medicina, que no caso seria um sistema de enfoque 
eletromagnético, que ainda assim não contradiz a antiga teoria chinesa, mas confirma-a. 
As principais teorias e os resultados de investigações científicas que tentam explicar os 
mecanismos da ação da Medicina Chinesa: 
Teoria Embriológica: O Dr. La Fuye, célebre acupuntor, propõe uma teoria embriológica. Em que 
nos primeiros estágios da evolução do ovo humano um determinado ponto do ectodermo está em 
íntima relação com uma determinada área do endodermo. Em nove meses o ectodermo dá origem 
simultaneamente a pele e ao sistema nervoso, enquanto que o endodermo dá origem aos órgãos 
internos. É justo pensar que por toda a vida esta relação se mantém e que ao estimularmos uma 
determinada região da pele, teremos uma reação no órgão correspondente ligado desde a fase 
embriológica. 
Teoria da “Synneurona”: Todo o sistema nervoso, segundo Stöhr, representa um “syncytium” 
neuroplasmático, ou seja , uma rede fechada de filetes nervosos, com células nervosas interpostas. Os 
trabalhos histológicos de Stöhr tem demonstrado também que as neurofibrilas constituem o elemento 
condutor dentro do neuroplasma, e que as neurofibrilas são também essencialmente modificantes, 
formando-se e desfazendo-se pela influencia das diferenças de potencial dos tecidos inervados, 
servindo simultaneamente a função de conduzir e equilibrar as diferenças de potencial. A partir 
destes fatos construiu-se a teoria da “Synneurona”, que em resumo afirma que todo o sistema nervoso 
possui uma estrutura fechada de anéis de neurofibrilas designadas com o nome de synneurona, que 
muda constantemente, sendo a representação material das tensões elétricas que se produzem no 
organismo inteiro , provocando diferenças de potencial nos tecidos. Os anéis neurofibrilares criados 
pelas diferenças de tensão, se desfazem uma vez que estas tenham desaparecido. Os enlaces, nas 
cadeias ganglionares paravertebrais e na medula espinhal, mantêm a direção harmoniosa dos órgãos. 
Cada função orgânica em desordem corresponde a um enlace synnêurico decomposto, ou seja uma 
perturbação synnêurica, que pode ser causada por uma desordem corpórea ou um processo psíquico, 
uma disfunção, uma distrofia ou uma displasia dos tecidos inervados, que neste último caso 
denomina-se campo compensador corporal. Todo processo reparador e curativo no organismo, se 
produz por uma transposição de perturbações synnêuricas. 
A ação da acupuntura seria produzir uma irritação intencional, que tende a abrir no segmento 
synneuricamente perturbado e no segmento transitório, uma via artificial para a passagem de uma 
perturbação synnêurica bloqueada. 
Teoria dos Mecanismos Neurofisiológicos: Walter Lang propõe que os pontos e meridianos de 
acupuntura constituem projeções sobre a pele de processos que transcorrem nas profundezas do 
sistema nervoso. Sendo os meridianos as vias de conexão intraespinhal sob a forma de cadeias 
neuronais, e os pontos as conexões periféricas das sinapses. 
A teoria de G. Ricker aborda a s relações entre o sistema nervoso e a circulação e a sua 
importância como base lógica de uma patologia baseada na totalidade. 
A. D. Speransky em “A Basis for the Theory of Medicine”, realizou experimentos em 
animais provocando irritações sistemáticas em distintos troncos nervosos (central e neurovegetativo), 
conseguindo desencadear quadros mórbidos de sintomatologia que assemelham-se com os quadros 
clínicos humanos. De uma forma geral suas conclusões experimentais propõem que toda patologia 
tem como causa uma irritação do sistema nervoso. A irritação ( de origem mecânica, infecciosa ou 
química ) originaria uma “resposta” do sistema nervoso, que chamamos de enfermidade. Speransky 
propõe como terapêutica uma “contra-irritação” do sistema nervoso, como por exemplo um 
bombeamento espinhal, uma autohemoterapia na cisterna ou bloqueios ganglionares com novocaína
CURSO DE DO-IN - KOJJI 6 
que irritariam as células nervosas. De uma certa forma a agulha de acupuntura também constitui um 
contra-irritante. 
Investigações sobre Acupuntura: O professor W.G. Wogralik, da URSS, juntamente com vários 
médicos por ele encabeçado, descreve suas conclusões sobre as investigações no campo da 
acupuntura: 
1. Nos transtornos do estado funcional do sistema nervoso central, nos de sua elevada atividade 
nervosa e reguladora, seja como enfermidade em si ou como enfermidade contingente, a acupuntura 
produz um fortalecimento do sistema nervoso, uma normalização das forças, um equilíbrio e 
mobilização da atividade básica nervosa -sedação e tonificação- e produz, pelo mesmo, a liberação de 
uma situação neurótica. 
2. Resulta clara sua influência direta sobre a formação reticular do cérebro, sobre esse acumulador de 
energia nervosa que determina em forma tão considerável o tonus de todo o sistema nervoso. A este 
respeito, se tem estabelecido que em caso de transtorno funcional da formação reticular, a acupuntura 
provoca sua normalização. 
3. A acupuntura possui uma influência normalizadora sobre o tonus e a reatividade de todo o sistema 
nervoso vegetativo e favorece, pelo mesmo, a eliminação de transtornos neuro-vegetativos, distonias 
vegetativas, assimetrias, etc. Isto guarda relação direta com a normalização de todas as funções do 
organismo, da atividade dos órgãos, da secreção das glândulas, do tonus da musculatura lisa, etc. A 
atividade mediadora do sistema nervoso se normaliza. Aparece uma influência reflexógena no 
aparelho de inervação, no afluxo sangüíneo e na atividade dos órgãos internos. 
4. A acupuntura atua sobre o funcionamento hipotalâmico-hipofisiário-suprarrenal, sobre seu sistema 
de adaptação, sobre a secreção de ACTH ( hormônio adrenocorticotrófico) e a secreção das 
substâncias corticosteróides, elevando assim as possibilidades defensivas do organismo. 
5. A acupuntura normaliza o estado funcional do sistema nervoso, o fortalece e determina a 
eliminação de “dominantes” patológicos, por meio dos quais a enfermidade persiste, suprimindo o 
círculo vicioso que se forma no curso das reações patológicas dos pacientes. 
6. A acupuntura possui uma atividade reflexógena sobre os órgãos internos, os quais se encontram 
em relação segmentária direta ou fora da zona segmentária dos pontos chineses (de acupuntura). 
7. Nos transtornos dos nervos periféricos e de aparelhos neuro-musculares, o método contribui para a 
eliminação de uma situação parabiótica por meio do aumento da labilidade, a normalização do 
impulso nervoso e o encurtamento da reação muscular. 
O Sistema Kyungrak: As investigações do fisiólogo da Universidade de Pyongyang (Coréia), 
publicadas em 1963, causaram enormes expectativas nos meios da acupuntura. Investigações 
posteriores não conseguiram localizar as mesmas estruturas fisiológicas encontradas pelo professor 
Kim Bong Han. 
As extensas investigações do professor coreano demonstram a existência de um sistema morfológico-funcional 
que coincide com o sistema de meridianos e pontos de acupuntura, este sistema foi 
denominado de “Sistema Kyungrak”. 
Morfologicamente constituído de corpúsculos, tubos e um líquido circundante dentro do 
sistema, difere dos sistemas nervoso, sangüíneo e linfático, por isso denomina-se também “Quarto 
Sistema”. 
Para estudar o funcionamento do sistema se utilizou o Fósforo 32 e a determinação de íons 
marcados juntamente com a radioautografia. Foi verificado também as variações bioelétricas do 
corpúsculo em repouso e submetido a diversos estímulos. Também se constataram variações elétricas 
no corpúsculo quando se estimula o órgão interno conectado com o mesmo. 
As recentes descobertas e pesquisas na medicina, engenharia eletrônica, psicotônica, etc. dão 
respaldo ao conhecimento milenar dos chineses.
CURSO DE DO-IN - KOJJI 7 
É o caso da fotografia kirlian, descoberta pelo cientista russo Simeon Kirlian, que consegue 
uma imagem eletrônica do envoltório de energia vital que permeia todos os seres vivos. 
O Dr. Harold Saxton Burr, da Universidade de Yale, que investigou esse envoltório 
energético, denominando-o de “Campo L”. 
O Dr. John Pierrakos que após medir o fluxo de energia de diversos pacientes conseguiu 
obter uma imagem gráfica ao qual denominou de Biocampo. 
Tais descobertas confirmam de forma irrefutável as concepções da Medicina Chinesa da 
existência de um arcabouço bioenergético mantenedor de nossas funções vitais e psíquicas. 
7. AS VANTAGENS DO DO-IN: 
As Terapias Naturais são Vitalistas e têm por princípio que saúde e doença são os dois lados 
de uma mesma moeda, em outras palavras, quanto mais saúde, menos doença e vice-versa. O 
equilíbrio energético é saúde, o desequilíbrio é o que chamamos de doença, na verdade, apenas um 
conjunto de sintomas resultantes do desequilíbrio energético. 
Com efeito, as terapias naturais procuram equilibrar o organismo e aumentar a vitalidade, ao 
invés de combater a doença, que é apenas a energia, mas em desequilíbrio. 
Além das vantagens de uma terapia natural, isenta de efeitos colaterais, iatrogênicos e 
nosotóxicos, produz uma saúde natural de forma econômica e prática. Econômica pois usamos nosso 
saber e os dedos, livrando-nos dos gastos com a compra de medicamentos. Prática porque sempre 
temos os dedos em mãos, em qualquer lugar e hora. 
Também os exercícios preventivos auxiliam no processo curativo, profilático e de manutenção 
da saúde. 
8. SAÚDE HOLÍSTICA E BEM ESTAR INTEGRAL: 
O homem não se resume à um corpo físico, ele tem também uma estrutura emocional, mental, 
volitiva, anímica e espiritual. Assim, um Bem Estar Integral só é possível através de uma abordagem 
integral, tratando o homem como um todo holístico, nisto consiste a Saúde Holística. 
Enquanto a medicina oficial trata das doenças, a medicina natural ou alternativa trata o doente, 
considerando que a doença não é um fenômeno isolado e casual, mas parte de um processo que 
envolve corpo, mente, espírito, emoção, sentimento, atitudes (modus operandi e modus vivendi) e 
fatores ambientais, cosmo-climáticos, psicológicos e sociais. 
A Medicina Holística ( do termo em inglês Holistic Medicine) se propõe a tratar o doente na 
sua totalidade, e não apenas as partes enfermas. Enfoca o ser humano como responsável por seu 
estado saudável ou mórbido como reflexo direto do seu modo de vida. Sua alimentação, atividade 
física, higiene, pensamentos e sentimentos (como ele lida com eles) influem diretamente sobre o seu 
sistema imunológico, respiratório, digestivo, glandular, circulatório, etc. É assim que adoecemos. 
Uma questão de terreno. Onde há sujeira, há moscas. Onde há desequilíbrio, há enfermidade. Se não 
curarmos o doente, a doença será sempre uma constante intermitente. 
9. O CORPO TEM SUA HISTÓRIA: 
“Mens sana in corpore sano” 
“Toda rigidez muscular contém a história e a significação de sua origem. Quando ela é 
dissolvida, não só a energia é liberada... mas também traz à memória a própria situação infantil 
em que o recalque se deu.” - Reich 
A coisa mais freqüente em massagem corporal é nos depararmos com o fenômeno acima 
descrito por Reich. Nos músculos e mesmo outras estruturas está contida a história psicológica e 
emocional de cada um. Não é raro, durante uma sessão de massagem presenciarmos um choro, um 
gemido, ou mesmo risos incontraláveis, contrações, sensações agradáveis e desagradáveis ao
CURSO DE DO-IN - KOJJI 8 
massagearmos determinados músculos. E após essa liberação de emoções que estavam gravadas na 
musculatura, há um alívio geral e uma transformação na vida psíquica do paciente. O próprio Reich 
sugere uma psicoterapia corporal, onde a massagem desempenha um papel fundamental. 
Em medicina psicossomática existem dois postulados básicos e complementares: 
- a mente influencia o corpo (inferência psicossomática) 
- o corpo influencia a mente (inferência somatopsíquica) 
De acordo com o primeiro postulado, nossos sentimentos, emoções e pensamentos 
influenciam em nosso corpo o estado bioquímico, neuro-hormonal e consequentemente, a fisiologia, 
o metabolismo, o sistema imunológico, circulatório, etc. 
Em psicocibernética afirma-se que o nosso cérebro ao receber uma mensagem qualquer (real 
ou não), reage liberando substâncias neuro-transmissoras, que atuam sobre as glândulas, que por sua 
vez, controlam todo o corpo. Por exemplo: numa situação de perigo ocorre a liberação de adrenalina, 
um hormônio produzido pelas glândulas supra-renais que acelera os batimentos cardíacos, provoca 
uma vasoconstrição periférica, etc. Assim ocorre com qualquer outro sentimento ou emoção. Nosso 
corpo reage quimicamente, energéticamente, mecanicamente ( na musculatura ), etc. Ele não só 
reage, mas também vai gravando toda a nossa história sentimental, emocional e mental. 
O Dr. George Goodheart Jr. renomado quiroprático afirma que as tensões ou bloqueios de 
energia nos músculos afetam diversos mecanismos do corpo. A massagem em determinados 
músculos, conforme a tabela abaixo, alivia certos distúrbios funcionais dos órgãos correspondentes. 
Relação de músculos com os mecanismos corporais de acordo com o Dr. Goodheart: 
- subescapular:..........................................................coração 
- trapézio médio:.......................................................baço 
- trapézio superior e inferior:.....................................olho, ouvido 
- grácil, sartório, gastrocnêmio, solear:.......................supra-renais, pós-íleo 
- tendões da perna:.....................................................reto abdominal 
- glúteo médio e mínimo:...........................................útero, vesícula seminal 
- glúteo máximo:........................................................glândulas sexuais 
- esternocleidomastóideo, escaleno, esplênio:.............seio nasal (sinus) 
- redondo menor, infraespinatus:................................tireóide 
- peitoral, divisão do clavicular:..................................estômago 
- peitoral, divisão do externo:......................................fígado, alergia 
- psoas:........................................................................renal 
- fáscia lata:.................................................................cólon 
- supraspinatus:...........................................................cansaço cerebral 
- latissimus dorsi:........................................................pâncreas 
- deltóide, serratus, coracobraquial:.............................pulmão 
- músculos abdominais:..............................................duodeno 
- piriforme:..................................................................útero, vesícula seminal 
De acordo com a Medicina Oriental, os sentimentos alteram o caudal bioenergético, 
provocando distúrbios nos órgãos à eles relacionados. Por exemplo: a tristeza afeta os pulmões; o 
excesso de riso o coração; a ira, o fígado, etc. Por outro lado, quando a energia de um determinado 
meridiano está alterada, manifestam-se sentimentos a eles relacionados, assim quando a energia do 
meridiano do pulmão está alterada manifesta-se PMD (psicose maníaco depressiva), tristeza e choro. 
Estamos condicionados a manifestar reflexos de tensão (ao invés de reflexo de 
relaxamento). Desta forma, diante de situações de tensão (ou mesmo diante de situações que não 
requerem tanta tensão, mas o inverso) as pessoas pressionam os maxilares, tensionam os ombros, se
CURSO DE DO-IN - KOJJI 9 
encolhem, etc. A repetição destas ações, com o tempo acaba resultando em uma tensão contínua nas 
estruturas musculares envolvidas, em casos mais retinentes, a musculatura contraturada chega a 
apresentar processos de fibrilação ou calcificação. 
Existem também as chamadas “rugas de expressão”, conseqüência direta dos nossos estados 
emocionais, sentimentais e mentais. p.e.: aqueles sulcos na região do entrecenho refletem a expressão 
de uma pessoa preocupada, nervosa. 
Desta forma todo o nosso corpo tem registrado na musculatura, na pele, na iris ( 
irisdiagnóstico ), nas terminações nervosas dos pés (reflexologia), etc. toda a nossa história, nossos 
bloqueios, traumas, sentimentos, pensamentos, carências e excessos. 
10. O DIÁLOGO TACTIL COM O CORPO: 
Na prática do Do-In ou auto-massagem chinesa nós conversamos com o nosso corpo, 
localizamos as “zonas mortas” (regiões do nosso corpo que por tabu ou esquecimento não recebem 
estímulos tácteis, trocas bioelétricas -toque, afeto, carinho), onde há bloqueios de energia, onde há 
excessos ou deficiências... Este diálogo táctil não só é salutar, mas também prazeroso. O auto-descobrimento, 
a consciência de si e a consciência corporal abrem as portas para sentirmos a 
vida palpitando em cada poro, em cada célula, em cada átomo. 
Na Shiatsu, o terapeuta conversa com o corpo do paciente, buscando a harmonia integral 
deste. Os grandes massagistas praticam o Toque Holístico, em que terapeuta e paciente formam um 
só todo. 
11. A ENERGIA: C’HI / KI / PRANA 
A Energia Cósmica ou Chi ao manifestar-se forma todo o Universo Fenomênico. Assim como 
o universo fenomênico é um produto de forças cósmicas, também o homem é um produto de forças 
cósmicas, assim a saúde e a enfermidade são essas mesmas forças em equilíbrio ou desequilíbrio. 
Segundo a Medicina Chinesa, a energia (Chi) circula em nosso organismo por vasos ou canais 
denominados Chings ou Meridianos. Esta energia é responsável pala saúde e vitalidade. Sendo 
captada do cosmos através da respiração, alimentação e pelos pontos de acupuntura e chakras 
indianos. 
Por isso a correta respiração, a alimentação equilibrada e a prática de Do-In, Tai Chi Chuan ou 
Yoga são elementos básicos para se obter uma saúde plena, um corpo vigoroso e uma mente forte. 
12. O YIN E O YANG: 
A Suprema Culminação, símbolo do Tao, que contém os princípios antagônico-complementares: 
Yang e Yin. Este símbolo significa que o Yang contém o Yin que vai crescendo até atingir a 
dominância, e vice-versa. Assim, o dia contém um pouco da noite e a noite um pouco do dia, que 
após um sucede-se o outro. É o símbolo do equilíbrio e ajuda-nos a compreender que o Universo é 
uma constante mutação.
CURSO DE DO-IN - KOJJI 10 
Yin e Yang constituem os dois opostos bipolares antagônico-complementares da Dialética 
Chinesa. 
Afirma-se que a idéia do Yin e Yang surgiu de um “insight” da observação do lado iluminado 
da montanha pelo sol, o Yang; e do lado não iluminado da montanha, o Yin. Assim, nada é 
absolutamente Yin ou Yang, ou seja, são manifestações relativas e temporárias. Vale dizer que neste 
universo fenomênico nada é (ser), tudo está se tornando (estar). 
Toda manifestação fenomênica contém em si, em proporções variáveis, ambos os princípios. 
Tomemos o dia e a noite como exemplo: o dia contém mais yang do que yin. No entardecer as 
proporções de yang e yin se igualam e yin começa a sobrepor-se, surgindo a noite. No amanhecer 
novamente as proporções se igualam até que o yang volta a dominar, novamente o dia. Esta idéia 
pode ser entendida melhor através de uma senoidal. 
Assim é com todas as manifestações, nada é absolutamente Yin ou Yang. Tudo são expressões 
destas energias em sua dança cósmica. 
Incorremos à um grave equívoco ao nomearmos que isto é yang ou isto é yin, etc. Estas 
denominações dicotômicas são da mentalidade ocidental. A idéia oriental de yin e yang é que Yin é 
Yin e Yang é Yang e ambos são indissociáveis. 
Existem características Yin e características Yang. Enquanto Yang é ativo, dinâmico, 
masculino; o Yin é passivo, estático, feminino. 
13. TABELA DE ATRIBUTOS YANG E YIN: 
YANG: YIN: 
- movimento - repouso 
- quente / calor - frio 
- fogo - água 
- ativo - passivo 
- claro - escuro 
- dia - noite 
- primavera e verão - outono e inverno 
- masculino - feminino 
- positivo (+) - negativo (-) 
- céu - terra 
- Na, Li, H, C, He, Hg, Mg, As, Th - O, Si, K, Mn, Al, B, N, Sr, Zn, Pb 
- contração - dilatação / expansão 
- sistema nervoso simpático - sistema nervoso parassimpático 
- exterior - interior 
- centrípeto - centrífugo 
- febre, dispnéia, contrição dos poros - corpo frio, suor abundante, gases 
- o excesso de Yang enferma o Yin - o excesso de Yin enferma o Yang 
- região anterior do corpo - região posterior do corpo 
- do umbigo para cima predom Yang - do umbigo para baixo pred. Yin 
- lado direito - lado esquerdo 
- o sangue - a energia 
- a psiques - o corpo 
- as vísceras - os órgãos 
- artérias - veias 
- alimento cozido - alimento cru 
- do vermelho ao verde - do verde ao violeta
CURSO DE DO-IN - KOJJI 11 
14. O CONCEITO E A INSTALAÇÃO DA DOENÇA NA MTC: 
Quando há um desequilíbrio energético este se expressa em sintomas: a enfermidade, como 
designamos no ocidente. 
A energia produzida ou captada pelo organismo circula pelos canais de energia ou meridianos 
nutrindo todos os tecidos do organismo. Quando há um bloqueio ( na circulação) ou um desequilíbrio 
(excesso ou deficiência) das energias Yin e Yang ocorrerá um transtorno primeiramente ao nível do 
meridiano afetado que será sentido como dor, calor, tumefação, congestão de capilares ou 
adormecimento e frio no percurso deste. Em seguida o órgão e / ou as funções relacionadas a este 
também podem entrar em distúrbio, o que chamamos de “doença”, no ocidente. Isto vale para as 
doenças funcionais, como também para as infecto-contagiosas, uma vez que o corpo debilitado 
oferece um ótimo terreno para a proliferação de microorganismos. 
As causas de alteração energética podem ser fatores exógenos ou endógenos. 
O frio, o calor, a “energia perversa” (fatores bioclimáticos) ao penetrar no organismo causam 
uma reação bioenergética ( da Energia Oe ou energia defensiva, manifestados somaticamente por 
febre, suor, etc.) que visam eliminar a energia agressora. Mas nem sempre o corpo, debilitado por 
uma alimentação inadequada e pobre em vitalidade e nutrientes, consegue vencer a “energia 
perversa” e esta aprofunda-se e causa distúrbios orgânicos, cabendo então a utilização da Acupuntura 
ou Shiatsu para equilibrar as energias e eliminar a “energia perversa”. 
Também os alimentos podem ser considerados como fatores exógenos, pois ao serem 
ingeridos em excesso e em desequilíbrio, acabam afetando os órgãos, vísceras e meridianos. 
Os fatores endógenos são decorrentes da inobservância do Equilíbrio ( o Tao ou Caminho 
Perfeito), das regras normativas de uma vida sadia, das regras de higiene, saneamento, alimentação 
(que deve ser balanceada em Yin, Yang e cinco elementos ), sono, respiração e movimentos ( os 
chineses afirmam que movimento é vida, que sem eles o corpo enrijece e caminha para a morte). 
Em outras palavras, o corpo com pouca vitalidade enferma com facilidade. 
Também os sentimentos, emoções e pensamentos constituem fatores endógenos. Por exemplo, 
a tristeza afeta os pulmões, a ira afeta o fígado, etc. 
As pesquisas modernas em psiconeurimunologia corroboram para a ratificação deste 
pensamento. O “filtro” do sistema límbico-hipotalâmico coordena todos os principais canis de 
regulação das inferências mente-corpo pelas vias dos sistemas nervoso neurovegetativo, endócrino, 
imunológico e neuropeptídeo. Existem ainda fortes correlações entre a ação da acupuntura e das 
moléculas mensageiras ( neurotransmissores, neurormônios, imunotransmissores, etc. ), que são os 
mediadores informacionais estruturais de comunicação e transformação mente-corpo. 
15. OS MERIDIANOS: 
Os meridianos são canais sutis por onde circula a energia vital. Ao longo dos meridianos 
existem os pontos de acupuntura, que ao serem estimulados podem afetar todo o meridiano ou apenas 
alterar algumas funções do meridiano ou ainda atuar especificamente. 
Para facilitar o estudo, agrupamos os meridianos em dois grupos: 
1) A Grande Circulação de energia, composto de 12 meridianos, que são pares e bipolares, sendo 6 
de natureza yin e 6 de natureza yang. 
2) A Pequena Circulação de energia, composto por 2 meridianos centrais ou medianos, portanto 
ímpares. 
Os 12 meridianos que formam a grande circulação correspondem aos 5 órgãos yin, 5 vísceras 
yang e a duas funções, uma yin e outra yang.
CURSO DE DO-IN - KOJJI 12 
Os 6 meridianos yang são: Intestino Grosso, Estômago, Intestino Delgado, Bexiga, Vesícula 
Biliar e Triplo Aquecedor. 
Os 6 meridianos yin são: Pulmão, Baço-Pâncreas, Coração, Rim, Circulação-Sexo e Fígado. 
Os 2 meridianos medianos são: Vaso Concepção e Vaso Governador. 
Cada meridiano influi no órgão ou função à que está relacionado, desta forma, quando o 
meridiano do Intestino Grosso está em excesso pode ocorrer a prisão de ventre e na deficiência pode 
ocorrer a diarréia. 
PULMÃO: comanda o órgão pulmão e as vias respiratórias, brônquios, traquéia, laringe, fossas 
nasais e seios da face. Filtra tristeza, melancolia, nostalgia e mágoa. 
INTESTINO GROSSO: comanda o intestino grosso e suas funções de absorção de líquidos e de 
eliminação de resíduos da digestão. Juntamente com o Intestino Delgado, filtra a emotividade, a 
instabilidade emocional e a sensibilidade não canalizada. 
ESTÔMAGO: comanda o estômago e o duodeno e suas funções digestivas de transformação dos 
alimentos. Filtra ansiedade nervosa, preocupação, sistema nervoso em geral. 
BAÇO-PÂNCREAS: comanda o baço e suas funções reguladoras de glóbulos vermelhos 
(hematopoiese) e também o pâncreas e suas funções reguladoras de glicogênio ou açúcares. Filtra 
trauma, choque emocional e ciúmes 
CORAÇÃO: comanda as funções do coração, tanto o físico como o psíquico. Filtra angústia, mágoa e 
amarguras. 
INTESTINO DELGADO: comanda o intestino delgado e suas funções de absorção dos alimentos 
triturados no estômago. 
BEXIGA: comanda a bexiga e suas funções eliminatória e equilibradora renal. Filtra a tensão nervosa 
e contínua ligadas ao medo, temores e inquietação. 
RIM: comanda os rins e sua função eliminatória. Também a supra-renal suas funções e sua ação sobre 
a sexualidade e vontade. Filtra a ansiedade temerosa, o medo e o pavor. 
CIRCULAÇÃO-SEXO: como não está diretamente relacionado com um órgão em específico, 
relaciona-se ao pericárdio e à toda massa circulante com todo seu conteúdo humoral, hormonal, 
imunológico, incluindo os processos de oxidação e redução. Associa-se também à função do 
parassimpático. 
TRIPLO AQUECEDOR: comanda três funções, divididas em 3 aquecedores. O 1º ou aquecedor 
superior é o digestivo, de captação e transformação dos alimentos. O 2º ou aquecedor médio é o 
cardiorespiratório, de circulação de sangue arterial. E o 3º ou aquecedor inferior é o gênito-urinário, 
de função sexual e eliminatória da urina. 
VESÍCULA BILIAR: comanda toda a função biliar intra e extra-hepática. Filtra a indecisão. 
FÍGADO: comanda o fídago e suas múltiplas funções relacionadas com o metabolismo, 
sexualidade, músculos e acuidade visual. Filtra a raiva, o ódio e os desejos reprimidos. 
VASO GOVERNADOR: comanda o SNC ou sistema nervoso central, comandando a energia física e 
psíquica. 
VASO CONCEPÇÃO: comanda as funções gênito-urinárias, digestivas e respiratórias. 
16. OS PONTOS DE ACUPUNTURA: 
Os pontos de acupuntura ou acupontos ( “tsubos” em japonês e “tsiue” em chinês ), 
distribuem-se ao longo dos meridianos. 
Os antigos chineses descobriram que todo transtorno de um órgão profundo provocava a 
sensibilidade dolorosa espontânea de uma zona limitada do tegumento ou pele. E que ao estimular 
este ponto havia uma rápida melhora do órgão interno e desaparecia a hipersensibilidade do ponto. 
Mas os chineses não foram os únicos à descobrirem isso, no ocidente estes princípios foram 
redescobertos e utilizados na terapêutica, como a reflexologia.
CURSO DE DO-IN - KOJJI 13 
Os pontos podem ter ação local sobre os músculos, ossos, nervos e órgãos subjacentes; ou 
ainda uma ação à distância ou específica sobre um órgão ou função. Os pontos apresentam uma 
superfície de aproximadamente 1 a 2 mm quadrados e a profundidade que se encontram pode variar 
de acordo com o local e a constituição física do indivíduo. Os locais da pele onde situam-se estes 
pontos apresentam uma maior condutibilidade elétrica, por isso podem ser localizados e medidos por 
aparelhos localizadores de pontos. O que já é um forte indício da existência destes. 
Para se obter uma boa resposta terapêutica é necessário estimular o ponto correto no local 
correto, ou seja, escolher os pontos do meridiano ou função alterada e localizar precisamente o ponto, 
estimulando-o. 
Cada meridiano possui pontos de tonificação, sedação, origem, assentimento, alarme, 
passagem, entrada e saída. Estes pontos são usados por regras ou leis de acupuntura. 
17. CONDIÇÕES BÁSICAS, QUANDO, COMO E ONDE APLICAR O DO-IN: 
onde: Para a aplicação do Do-In é recomendável um local calmo, tranqüilo, arejado e devidamente 
higienizado. Na falta desses requisitos, ou em situação de emergência, pode-se aplicar da forma que 
for possível. 
quando: À priori, o Do-In pode ser aplicado para qualquer desconforto ou sintoma, desde que com 
o devido bom senso e orientação, de preferência com acompanhamento médico ou de profissional 
habilitado na área específica ( psicólogo, dentista, pedagogo, psicanalista, psiquiatra, etc.). 
como: Sempre de forma a não provocar lesões teciduais, evitando o toque em feridas, traumatismos, 
varizes e dermatoses. Em grávidas somente com orientação (pois existem pontos abortivos) e 
liberação médica. 
18. TÉCNICAS BÁSICAS DO DO-IN: 
O Do-In é composto basicamente por pressões ou estímulos nos pontos de acupuntura. Este 
estímulo pode ser aplicado por qualquer dos dedos, utilizando-se a polpa, a região ungueal ou até a 
unha. Existem três formas básicas de manipulação dos pontos: 
TONIFICAÇÃO: usa-se nos casos de deficiência de energia no meridiano ou função, nas dores 
crônicas e sintomas crônicos de deficiência. Tem como finalidade, tonificar ou estimular a energia do 
meridiano ou ponto. A pressão deve ser leve e breve (cerca de 30 segundos a 3 minutos) em 
movimentos circulares no sentido horário ou pressões nos pontos no sentido do fluxo do meridiano ( 
ex.: C1, C2, C3,...). Fricção, deslizamento e percussão também tonificam. 
SEDAÇÃO: usa-se nos caos de excesso de energia no meridiano ou função, nas dores agudas e 
sintomas agudos. Tem como finalidade, sedar ou dispersar os excessos de energia do meridiano ou 
ponto. A pressão deve ser mais forte, profunda e contínua (por 5 minutos ou mais de acordo com a 
necessidade) ou em sentido anti-horário e indo em direção contrária ao fluxo energético. Pinçamento, 
pressão e amassamento sedam. 
HARMONIZAÇÃO: usa-se nos casos em que não se tem certeza de que há um excesso ou 
deficiência. Usa-se pressão média e por tempo médio e movimentos circulares horários e anti-horários 
alternados. 
Na prática, não devemos nos ater a regras fixas de tonificar ou sedar, devemos deixar nossa 
intuição fluir e achar o melhor estímulo para cada ponto durante um tempo em que haja a sensação de 
tonificação ou dispersão da energia. 
19. PONTOS ESPECIAIS: 
Existem cerca de 750 pontos inclusos os chamados “pontos extras”, dentre os quais alguns são 
básicos e de efeitos polivalentes sobre todo o corpo e/ou, ainda, apresentam um efeito terapêutico 
específico de amplos usos.
CURSO DE DO-IN - KOJJI 14 
Segue-se uma lista de alguns “pontos especiais” com as indicações de em que casos podem 
ser usados e a localização anatômica. 
VG 20: estados de excitação, nervosismo, depressão, stress, epilepsia, insônia, medo, falta de 
concentração, dores de cabeça, afasia, hipoacusia, hemorróidas, palpitações, amnésia, prevenção de 
derrame (AVC), etc. L: Situa-se na linha média na altura da linha do ponto mais alto da orelha. 
B 10: cefaléaias , vertigem, nevralgia de trigêmeo, anosmia, rinites, obstrução nasal, sangramento 
nasal, dores oculares com lacrimejamento, torcicolo, dores na nuca e ombros, atua sobre o 
Parassimpático, portanto, no stress. L: na nuca, à uma distância da linha média, debaixo do reborde 
inferior do crânio, no limite dos cabelos. 
VB 20: epilepsia, vertigem, dores nevrálgica da região cervical, dores oculares, problemas visuais, 
lacrimejamento, dor de cabeça e gripe, surdez, torcicolo, dores lombares e dorsais. Atua sobre o 
Simpático, portanto, no stress. L: na nuca, em um oco, a uma distância e meia da linha média. 
VB 21: dor e tensão nos ombros, neurastenia, congestão cerebral, vertigem, melancolia, dificuldades 
de linguagem, contusões, lumbago, torcicolo, braquialgia, tuberculose, adenopatia cervical, partos 
difíceis, hemorragia pos-parto, etc. L: sobre o borde superior do trapézio, num oco no meio da linha 
entre a coluna e a extremidade da clavícula. 
VC 12: todas a enfermidades e disfunções gástricas, náuseas, falta de apetite, vômitos, gastrite, 
gastralgia, úlcera gástrica, gases, azia, má digestão, diarréia. L: na linha média anterior no meio da 
distância entre o apêndice xifóides e o umbigo. 
VC 3: debilidade geral, esterilidade masculina, uretrite, prostatite, corrimentos e distúrbios 
menstruais, metrite, amenorréia, incontinência urinária, etc. L: na linha média anterior, logo acima do 
pubis. 
F 3: excitabilidade e cansaço, insônia, epilepsia, problemas de olhos, nariz e garganta. Pressão alta, 
dor no peito, transtornos digestivos, icterícia, alcoolismo, tabagismo, uretrite, problemas menstruais, 
dor e tensão muscular, espasmos e ação relaxante muscular e sobre os ovários. L: no espaço inter-ósseo 
entre o 1º e 2º metatarpianos. 
R 1: inquietude, medo, excitabilidade, epilepsia, amnésia, cefaléias temporais e do vertex, asma, 
bronquite, menopausa, constipação, diarréia, problemas renais, nasais e oculares, amigdalite, enjôo, 
etc. L: na planta dos pés, em um oco que se forma ao flexionar os dedos 
R 3: debilidade, esgotamento, espasmos, amigdalite, traqueite, faringite, afonia, asma, bronquite, 
gripes, odontalgia, constipação, diarréia, diabetes, dismenorréia, caimbras, transtornos circulatórios 
das pernas, etc. L: face interna do pé, acima do calcâneo, entre o maléolo mesial e o tendão. 
B 65: cefaléia, vertigem, surdez, lumbago, dores nas costas. L: extremidade distal do 5º metatarsiano 
atrás da articulação metatarso-falângica, em um oco. 
B 60: todos os tipos de dores, inquietude, insônia, cefaléia, enxaqueca, dor de ouvido, dor ocular, dor 
de dente, asma, endarterite, etc. L: logo acima do calcâneo, entre o maléolo externo e o tendão de 
Aquiles. 
C 7: especial para taquicardia, regular o coração , palpitações nervosas, hipertensão, emotividade, 
inquietude, temor, todas as perturbações psíquicas, insônia, depressão, choro, hematemese, 
metrorragia, circulação, etc. L: borde interno do osso pisciforme, sobre a prega de flexão da munheca, 
sobre a artéria cubital. 
BP 6: temor, astenia, bocejos contínuos, angina de peito, varizes e úlceras varicosas, dispepsias, 
afecções crônicas gastrointestinais, meteorismo, diarréias, hemorróidas, todos os transtornos do 
aparelho genital feminino ( amenorréia, dismenorréia, cólicas menstruais, leucorréia, metrorragia, 
metrite, endometriose, cistos ovarianos, frigidez, infertilidade, etc.), espermatorréia, dor do pênis ou 
clítoris, impotência, ação sobre a tensão arterial e arteriosclerose. L: borde posterior da tíbia, a 3 
distâncias/4dedos acima do maléolo mesial.
CURSO DE DO-IN - KOJJI 15 
E 36: todos os transtornos crônicos e agudos dos órgãos internos, enfraquecimento, todos os 
transtornos do sistema nervoso, timidez, descontentamento, temor, melancolia crônica, cefaléia 
congestiva, lombalgia, debilidade das pernas, inchaço dos joelhos, má digestão, gastrite, gastralgia, 
diarréia, intoxicação alimentar, amenorréia, incontinência urinária, etc. 
L: a 3 distâncias abaixo da ponta da rótula, entre o tibial anterior e o extensor comum do dedos. 
IG 4: gripe, coriza, sinusite, ronqueira, abcessos na boca, lábios e língua, neuralgia de trigêmeo, 
anosmia, sangramento nasal, odontalgia, constipação, enterite, conjuntivite, glaucoma, otalgia, otite, 
dor ocular, dores de garganta, acne, eczema, urticária, dores reumáticas do braço e ombro, cefaléia, 
desinteria, estados febris, ação especial sobre a cabeça, olhos, ouvidos, nariz e garganta. 
L: num oco entre o polegar e o índice, no ângulo formado pelos extremos proximais do 1º e 2º 
metacarpianos. 
P 5: tristeza, melancolia, choro, depressão e transtornos mentais, temor, espasmos e convulsões 
infantis, asma, bronquite, gripe, tuberculose pulmonar, angina peitoral, miocardite, gastralgia, 
polaquiúria, transtornos reumáticos do braço e ombro, prurido cutâneo, acne, herpes zoster, 
tabagismo, etc. 
L: na prega do cotovelo, ao lado do tendão do bíceps. 
INDÔ: cefaléia frontal, insônia, vertigem, dor ocular, vômitos, obstrução nasal, rinopatias alérgica, 
sinusite. L: na linha média anterior, entre as sobrancelhas. 
P 7: estados de excitação, insônia, todas as cefaléias, atua na cabeça, região occipital e nuca. Angina 
de peito, hipertensão, edema, hematêmese, hemorróidas, diabetes, odontalgia, hematúria, 
espermatorréia, eczema, furunculoses, herpes zoster, transtornos reumáticos dos ombros, bronquites, 
tosses, neuralgias de trigêmeo, gripe. L: por fora da artéria radial, à uma distância e meia da prega da 
munheca. 
P 1: cansaço, insônia, rinites, sinusites, laringites, traqueites, bronquites, asma, enfisema, vômitos, 
algias do ombro e espalda. L: no primeiro espaço intercostal sobre a linha para-axilar, dois dedos 
abaixo do P 2. 
P 2: excitabilidade, insônia, rinites, bronquites, angina, asma, dores do ombro e braço. L: debaixo da 
clavícula em um oco. 
VG 1 até VG 13: comandam a energia física, lumbago, hemorróidas, epilepsia, rigidez da coluna, 
excitabilidade, transtornos genito-urinários, gastroentéricos e cardio-respiratórios, conforme a 
proximidade local. L: na linha média posterior, entre as apófises espinhosas de cada vértebra. 
VG 14 até VG 28: comandam a energia psíquica. Excitabilidade, depressão, histeria, esgotamento, 
neurastenia, convulsões, torcicolo, surdez, vertigem, insônia, hemiplegia, afasia, cefaléias, anosmia, 
epistaxe, vertigem, sinusites, obstrução nasal, rinopatias, transtornos oculares motores e 
inflamatórios. L: na linha média posterior indo até a s raízes dos incisivos superiores. 
VC 1 até VC 7: disfunções genito-urinárias, leucorréia, metrites, dismenorréias, prurido vulvar, 
amenorréia, metrorragias, frigidez, impotência, esterilidade, prostatite, anuria, hematuria, 
incontinência urinária, ardor urinário, uretrites, cefaléia, insônia, inapetência, debilidade geral, colite, 
gases, pesadelos, hemorróidas, dispepsia, constipação. L: linha média anterior, desde o espaço entre o 
ânus e o escroto ou vagina até abaixo do umbigo. 
VC 8 até VC 12: transtornos gastrointestinais, ascite, diarréias, fístulas, gastralgia, vômitos, 
dispepsia, úlcera gástrica, náuseas. L: linha média anterior, do umbigo até o apêndice xifóides. 
VC 13 até VC 24 : transtornos cardíacos, respiratórios, garganta, inquietude, medo, psicoses, dores 
précordiais, palpitações, dores torácicas, angina, asma, enfisema, bronquite, tosse, gripe, traqueite, 
amigdalite, transtornos esofágicos, faringite, laringite, vômitos, dispepsia, azia, disfonia, mudez. L: 
desde o apêndice xifóides até os incisivos inferiores, num oco acima do queixo. Este último, muito 
importante para torcicolo e inibições de linguagem.
CURSO DE DO-IN - KOJJI 16 
20. APLICAÇÕES SINTOMÁTICAS: 
A MTC não trata de doenças, mas visa buscar o equilíbrio energético, que por sua vez, 
proporciona ao corpo as condições básicas de combate natural à qualquer distúrbio. Em estudos e 
experimentos realizados nas Universidades e institutos de pesquisa da China, comprovou-se que o 
estímulo dos pontos de acupuntura estimula o corpo a produzir substâncias de ação anti-inflamatória, 
analgésica, mensageiros químicos que atuam no sistema imunológico e neuro-endócrino. Estes 
experimentos foram conduzidos em seres humanos e animais, mensurados com aparelhos 
eletroencefalográficos, eletrocardiográficos, eletromiográficos, e testes bioquímicos, o que confere 
fundamentação científica incontestável. 
Apesar de não se tratar sintomas isoladamente, fica difícil para o ocidental buscar um bem 
estar sem um referencial inteligível à sua mentalidade, assim segue-se uma lista de indicações de 
acordo com os sintomas. Mas lembre-se, esta é uma lista de profilaxia, primeiros socorros e auxílio 
na cura; não substitui os cuidados médicos, que são sempre essenciais. Nosso organismo é complexo 
e algumas vezes um simples sintoma pode ser o indício de um grande problema. Por exemplo, as 
dores de cabeça podem ser indícios de problemas digestivos, tensão e nervosismo, que podem ser 
debelados facilmente com a shiatsu; entretanto, pode ser também um sinal de infecção (inclusive uma 
meningite!) ou até um tumor intracraniano. De acordo com a Medicina Chinesa não basta suprimir os 
sintomas, deve-se ir direto na causa, buscando a etiologia do sintoma em questão. 
APARELHO RESPIRATÓRIO: ( asma, broncopneumonia, bronquite, bronquiecstasia, 
coqueluche, tuberculose pulmonar, tosse, etc.) 
Trabalhar os pontos dos meridianos do Pulmão, Intestino Grosso, Vaso Concepção, Rins, Estômago, 
Vaso Governador e Bexiga principalmente nos pontos locais da região torácica anterior e posterior. 
Aplicações de Moxabustão locais são muito eficazes em problemas crônicos. P5 P1 P2 P7 IG4 F3 
R3 E36 VC17 a VC22 B10 B12 B13 B17 B21 B22 R26 R27 VB20 . 
APARELHO GENITO-URINÁRIO: (cistite, nefrite, cólicas renais, disúria, anúria, poliuria, ardor 
urinário, transtornos menstruais, afecções ginecológicas, prostatite, impotência, frigidez, etc.). 
Trabalhar meridianos do Rim, Bexiga, Fígado, Baço-Pâncreas e Vaso Concepção. Em casos de 
deficiência energética como frigidez e impotência, moxar. BP6 R3 R1 E 36 INDÔ VC 1 a VC 7. 
APARELHO DIGESTIVO: (azia, gastrite, má digestão, náuseas, vômitos, halitose, cólicas 
abdominais, constipação, gases, etc.) 
Trabalhar meridianos do Estômago, Baço Pâncreas, Fígado, Vesícula Biliar, Intestino Grosso e 
Delgado. Em diarréia, má digestão e gases, moxar VC8, IG4, E36, VC12. Massagens nos pontos: 
IG4 E36 BP6 F3 R3 VC12 a VC22. 
OLHOS, OUVIDOS, NARIZ, GARGANTA E BOCA: Trabalhar meridianos VC e VG em geral. 
Para os olhos (otalgia, miopia, conjuntivite, etc.): tratar F, depois VB e B e E, juntamente com IG4 
E36 F3 P7 BP6 B1 B2 C3 C5 B60 TA5 INDÔ. 
Para ouvidos (otite, otalgia, adenopatia retroauriculares, catarro tubário, deficiência auditiva, 
hipoacusia, etc.): tratar R, VB, TA e ID, juntamente com IG4 B60 R3 TA5 ID3. 
Para nariz (rinite, coriza, rinopatia alérgica, obstrução nasal, hemorragia nasal, etc.): tratar P e IG 
juntamente com P9 IG4 IG11 IG20 E36 VB20 B2 F3 VG20 VG26 VC17. Na coriza basta moxar ou 
tonificar IG4. 
Para garganta (dor, faringite, laringite, rouquidão, afonia, etc.): tratar IG, E e P, moxar local, 
juntamente com massagens P7 IG4 E36 F3 VB20 VG20 P9 IG20 B2 INDÔ. 
Para boca ( odontalgia, herpes labial, abcesso, cáries, etc.): tratar E, IG e C, juntamente com IG4 
IG11 E36. 
ANSIEDADE, ANGÚSTIA, NERVOSISMO: VG, VC, C, B. VG20, VC14, C3, C7.
CURSO DE DO-IN - KOJJI 17 
CEFALÉIA, ENXAQUECA: massagear todos os meridianos que passam pela cabeça (B, VB, TA, 
ID, E, IG, VC e VG) P7 IG4 E36 C3 C7 ID3 B60 B65 R1 VG20 VB20 B10 VB21 VC1 VG1 VC22 
E45 C5 ID3 + B62. 
CIATALGIA: Atuar nos meridianos B e VB. Moxar local e B23. B60 BP6 R3 . 
CÓLICAS MENTRUAIS: VC 1 ao 7, VG3, BP6, P7, R6, F3. 
GRIPE:. Moxar ou massagear: P5 P7 R6 IG4 P1 P2 VC 17 VC22. 
HIPERTENSÃO: C7 BP6 P5 B60 B23 CS7 VB20 VG 20 VG16 VC15 IG5. 
IMPOTÊNCIA/ EJACULAÇÃO PRECOCE/ FRIGIDEZ: muitos dos casos é de ordem emocional e 
requer psicoterapia. Fricção e amassamento no lado interno da coxa. VC3 e 4, BP6, E36, CS8. 
INSÔNIA: Massagem no VG, VC, C, P, B e BP. Respiração Profunda Lenta. E36 BP6 C7 VG20 P1 
P9 P7 VG24 VC 12 B62 BP9 BP2 VB20 B10 INDÔ 
IRRITABILIDADE: Atuar nos meridianos F , VB e VG.E36 B65 F3 VG20 VB20 B10. 
LOMBALGIA: Meridianos B VG e R, Moxas locais e nos pontos BP9 B23. R3 F3 VG4 B60 B65. 
NÁUSEAS: Atuar no VC, E, F e BP. F3 P5 CS7 C7 C3 VC 12 VC13 VC15 BP1 BP2 F13 B19 B20 
NEURASTENIA: Atuar sobre VG e VC. Convém aplicar Moxas ou Tonificar, salvo em caso de 
excitação manifesta. E36 C3 C5 VG 6 VG12 VG20 VC 6 VC15 R9 ID4 B38. 
PELE: ( alergias, urticária, furunculose, etc.) Atuar no P, IG e F. P7 IG4 E36 BP6 F3 F8 VG20 VC12 
REUMATISMOS: Moxas locais dão excelentes resultados. P9 IG4 IG11 E36 BP2 TA5 VB21 F3 
STRESS: Atuar no VG, VC, C, R,etc. VG20, VB20, B10, R1, C7, C3, IG4, E36, BP6. 
TORCICOLO: Atuar nos meridianos VB, B, IG, ID, TA, VC e VG. Moxas locais e VB20 e 21. 
Massagem local e nos pontos:VB20 B10 VC24 VG28 B65 E36. 
TPM e TRANSTORNOS DA MENOPAUSA: Atuar sobre o F, VC e VG. P7 IG4 E36 BP6 C5 B60 
R3 F3 VG20 VC 3 VC4 VC6 VC7. A erva chinesa Dong Quai é excelente. 
21. EXERCÍCIOS DE DO-IN: 
Os exercícios de Do-In têm por finalidade estimular e equilibrar o fluxo de energia vital Ki de 
uma maneira geral. 
Deslizamento: ação relaxante e calmante, que promove o livre fluxo do ki. Consiste em deslizar com 
as mãos suavemente para tonificar e com mais pressão para sedar. Na direção do fluxo do meridiano 
tonifica, na direção contrária seda. 
Fricção: estimula a circulação sanguinea e os processos metabólicos locais, promovendo alívio da 
dor e a restauração orgânica. Pode ser feito com as mãos e os dedos friccionando uma região do corpo 
em que há dor aguda ou crônica. Alguns óleos e ungüentos potencializam o alívio da dor. 
Fricção com bucha vegetal: também estimula a circulação e o metabolismo local. Indicado para 
dores crônicas. Esfregar o local em que haja dor ou desconforto produzindo uma hiperemia local, ou 
esfregar regiões proximais e distais no caminho dos meridianos, longitudinalmente. 
Percussão: ação estimulante e revitalizante. Com as mãos fechadas, bater suavemente ao longo dos 
meridianos. 
Pressão: tem ação relaxante, calmante e sedativa. Promove o descongestionamento o ki e do sangue 
estagnado, alivia dores agudas. Com a palma da mão ou a ponta dos dedos, pressionar sobre o trajeto 
dos meridianos. 
Pinçamento: ação sedativa e descongestionante. Com o polegar e os outros dedos formar uma pinça 
e belicar apenas a pele, nos locais onde se sente que a energia está congestionada. 
Amassamento: ação sedativa, relaxante muscular e descopngestionante. Refere-se ao pinçamento 
pegando grandes porções incluindo os músculos. Também como amassamento no sentido de estar 
dissolvendo algo, consistindo em pressionar e rotar com a palma da mão ou os dedos, até dissolver 
uma contratura muscular.
CURSO DE DO-IN - KOJJI 18 
22. PRANCHAS DOS MERIDIANOS: 
PONTOS DAS PERNAS, ASPECTO LATERAL E POSTERIOR. 
MERIDIANO DA VESÍCULA BILIAR ( VB ) 
MERIDIANO DA BEXIGA ( B ou V )
CURSO DE DO-IN - KOJJI 19 
PONTOS DAS PERNAS, ASPECTOS ANTERIOR E MESIAL. 
MERIDIANO DO FÍGADO ( F ou H ) 
MERIDIANO DO RIM ( R ) 
MERIDIANO DO BAÇO-PÂNCREAS ( BP ) 
MERIDIANO DO ESTÔMAGO ( E )
CURSO DE DO-IN - KOJJI 20 
PONTOS DO TRONCO, ASPECTO ANTERIOR OU FRONTAL. 
MERIDIANO DO BAÇO-PÂNCREAS ( BP ) MER. DO PULMÃO ( P ) 
MERIDIANO DO ESTÔMAGO ( E ) MERIDIANO DO RIM ( R ) 
MER. VASO CONCEPÇÃO ( VC ) MER. CIRCULAÇÃO-SEXO ( CS )
CURSO DE DO-IN - KOJJI 21 
PONTOS DO TRONCO, ASPECTO POSTERIOR OU DORSAL. 
MERIDIANO DA BEXIGA ( B ou V ) MER. VESÍC. BILIAR ( VB ) 
MERIDIANO DO VASO GOVERNADOR ( VG ) 
MER. INTESTINO GROSSO ( IG ) MER. INT. DELGADO ( ID ) 
MER. TRIPLO AQUECEDOR ( TA ou TR )
CURSO DE DO-IN - KOJJI 22 
PONTOS DOS BRAÇOS. MER. PULMÃO ( P ) MER. CIRCULAÇÃO-SEXO ( CS ) MER. 
CORAÇÃO ( C ) MER. INTESTINO DELGADO ( ID ) 
MER. TRIPLO-AQUECEDOR ( TA/TR ) MER. INTEST. GROSSO ( IG )
CURSO DE DO-IN - KOJJI 23 
PONTOS DA CABEÇA. 
MERIDIANO VASO GOVERNADOR ( VG ) 
MER. TRIPLO AQUECEDOR ( TA ) MER. BEXIGA ( V ) 
MER. INTESTINO DELGADO ( ID ) MER. ESTÔMAGO ( E ) 
MER. VESÍCULA BILIAR ( VB ) MER. INTEST. GROSSO ( IG )

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Massagem para Alívio da Dor
Massagem para Alívio da DorMassagem para Alívio da Dor
Massagem para Alívio da Dorprojetacursosba
 
Campo de trabalho do massoterapeuta
Campo de trabalho do massoterapeutaCampo de trabalho do massoterapeuta
Campo de trabalho do massoterapeuta
fatima borges silva
 
SHIATSU E CIA _
SHIATSU E CIA _ SHIATSU E CIA _
SHIATSU E CIA _
Luis Guerra
 
Peijian shen-massagem-para-alivio-da-dor-pdfrev
Peijian shen-massagem-para-alivio-da-dor-pdfrevPeijian shen-massagem-para-alivio-da-dor-pdfrev
Peijian shen-massagem-para-alivio-da-dor-pdfrev
Claudia Pinto
 
Shiatsuterapia - Liga Acadêmica de Saúde Oriental/UFTM
Shiatsuterapia - Liga Acadêmica de Saúde Oriental/UFTMShiatsuterapia - Liga Acadêmica de Saúde Oriental/UFTM
Shiatsuterapia - Liga Acadêmica de Saúde Oriental/UFTM
Lais Valente
 
Apostila terapias de SPA - Edduc
Apostila terapias de SPA - EdducApostila terapias de SPA - Edduc
Apostila terapias de SPA - Edduc
edduc
 
Introdução a Massagem terapêutica tradicional tailandês por Yogi Sarveshwaran...
Introdução a Massagem terapêutica tradicional tailandês por Yogi Sarveshwaran...Introdução a Massagem terapêutica tradicional tailandês por Yogi Sarveshwaran...
Introdução a Massagem terapêutica tradicional tailandês por Yogi Sarveshwaran...
Hariharananda Mission West
 
Manual de Reflexologia Integral Aplicada (CURSO ONLINE INDIVIDUAL - Aprenda u...
Manual de Reflexologia Integral Aplicada (CURSO ONLINE INDIVIDUAL - Aprenda u...Manual de Reflexologia Integral Aplicada (CURSO ONLINE INDIVIDUAL - Aprenda u...
Manual de Reflexologia Integral Aplicada (CURSO ONLINE INDIVIDUAL - Aprenda u...
Sandro Pedrol
 
O que são medicinas alternativas
O que são medicinas alternativasO que são medicinas alternativas
O que são medicinas alternativasstcnsaidjv
 
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeacoO diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
Fisio Júnias
 
Massoterapia
MassoterapiaMassoterapia
Massoterapiaefacanico
 
Terapias complementares
Terapias complementaresTerapias complementares
Terapias complementares
Sônia Marques
 
Bruno Cuiabano - Acupuntura Integrada
Bruno Cuiabano - Acupuntura IntegradaBruno Cuiabano - Acupuntura Integrada
Bruno Cuiabano - Acupuntura Integrada
Bruno Cuiabano
 
Técnicas em MTC
Técnicas em MTCTécnicas em MTC
Técnicas em MTC
http://www.saudebio.com Bio
 
Apresentação Shiatsu 2012
Apresentação Shiatsu 2012Apresentação Shiatsu 2012
Apresentação Shiatsu 2012Cesar G
 
Iching+e+saúde
Iching+e+saúdeIching+e+saúde
Iching+e+saúdescratsid
 
Cristais em-pontos-ashi
Cristais em-pontos-ashiCristais em-pontos-ashi
Cristais em-pontos-ashiAdriane Cunha
 

Mais procurados (20)

120901322 apostila-mtc
120901322 apostila-mtc120901322 apostila-mtc
120901322 apostila-mtc
 
Massagem para Alívio da Dor
Massagem para Alívio da DorMassagem para Alívio da Dor
Massagem para Alívio da Dor
 
Campo de trabalho do massoterapeuta
Campo de trabalho do massoterapeutaCampo de trabalho do massoterapeuta
Campo de trabalho do massoterapeuta
 
SHIATSU E CIA _
SHIATSU E CIA _ SHIATSU E CIA _
SHIATSU E CIA _
 
Peijian shen-massagem-para-alivio-da-dor-pdfrev
Peijian shen-massagem-para-alivio-da-dor-pdfrevPeijian shen-massagem-para-alivio-da-dor-pdfrev
Peijian shen-massagem-para-alivio-da-dor-pdfrev
 
Shiatsuterapia - Liga Acadêmica de Saúde Oriental/UFTM
Shiatsuterapia - Liga Acadêmica de Saúde Oriental/UFTMShiatsuterapia - Liga Acadêmica de Saúde Oriental/UFTM
Shiatsuterapia - Liga Acadêmica de Saúde Oriental/UFTM
 
Apostila terapias de SPA - Edduc
Apostila terapias de SPA - EdducApostila terapias de SPA - Edduc
Apostila terapias de SPA - Edduc
 
Introdução a Massagem terapêutica tradicional tailandês por Yogi Sarveshwaran...
Introdução a Massagem terapêutica tradicional tailandês por Yogi Sarveshwaran...Introdução a Massagem terapêutica tradicional tailandês por Yogi Sarveshwaran...
Introdução a Massagem terapêutica tradicional tailandês por Yogi Sarveshwaran...
 
Manual de Reflexologia Integral Aplicada (CURSO ONLINE INDIVIDUAL - Aprenda u...
Manual de Reflexologia Integral Aplicada (CURSO ONLINE INDIVIDUAL - Aprenda u...Manual de Reflexologia Integral Aplicada (CURSO ONLINE INDIVIDUAL - Aprenda u...
Manual de Reflexologia Integral Aplicada (CURSO ONLINE INDIVIDUAL - Aprenda u...
 
O que são medicinas alternativas
O que são medicinas alternativasO que são medicinas alternativas
O que são medicinas alternativas
 
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeacoO diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
 
O livro de massagem
O livro de massagemO livro de massagem
O livro de massagem
 
Massoterapia
MassoterapiaMassoterapia
Massoterapia
 
Terapias complementares
Terapias complementaresTerapias complementares
Terapias complementares
 
52523128 apostila-massoterapia-lt
52523128 apostila-massoterapia-lt52523128 apostila-massoterapia-lt
52523128 apostila-massoterapia-lt
 
Bruno Cuiabano - Acupuntura Integrada
Bruno Cuiabano - Acupuntura IntegradaBruno Cuiabano - Acupuntura Integrada
Bruno Cuiabano - Acupuntura Integrada
 
Técnicas em MTC
Técnicas em MTCTécnicas em MTC
Técnicas em MTC
 
Apresentação Shiatsu 2012
Apresentação Shiatsu 2012Apresentação Shiatsu 2012
Apresentação Shiatsu 2012
 
Iching+e+saúde
Iching+e+saúdeIching+e+saúde
Iching+e+saúde
 
Cristais em-pontos-ashi
Cristais em-pontos-ashiCristais em-pontos-ashi
Cristais em-pontos-ashi
 

Semelhante a 124596584 curso-de-do

A importância do toque
A importância do toque A importância do toque
A importância do toque
Rita Barros
 
O que são medicinas alternativas
O que são medicinas alternativasO que são medicinas alternativas
O que são medicinas alternativasstcnsaidjv
 
aula 1 e 2 _ massoterapia-1.pdf
aula 1 e 2 _ massoterapia-1.pdfaula 1 e 2 _ massoterapia-1.pdf
aula 1 e 2 _ massoterapia-1.pdf
DanielaOliveira458444
 
A arte da massagem apostila 1
A arte da massagem apostila 1A arte da massagem apostila 1
A arte da massagem apostila 1wellizyf
 
A arte da_massagem_apostilacompleta
A arte da_massagem_apostilacompletaA arte da_massagem_apostilacompleta
A arte da_massagem_apostilacompletaluiz1964
 
Medicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
Medicina Tradicional Chinesa e a BiomedicinaMedicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
Medicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
comunidadedepraticas
 
Conceitos Básicos MTC parte 6
Conceitos Básicos MTC parte 6Conceitos Básicos MTC parte 6
Conceitos Básicos MTC parte 6Andreia Moreira
 
Conceitos Básicos de Recursos Terapêuticos em Acupuntura/MTC
Conceitos Básicos de Recursos Terapêuticos em Acupuntura/MTCConceitos Básicos de Recursos Terapêuticos em Acupuntura/MTC
Conceitos Básicos de Recursos Terapêuticos em Acupuntura/MTC
comunidadedepraticas
 
Os efeitos psicológicos da massoterapia
Os efeitos psicológicos da massoterapiaOs efeitos psicológicos da massoterapia
Os efeitos psicológicos da massoterapiaMah HS
 

Semelhante a 124596584 curso-de-do (20)

A importância do toque
A importância do toque A importância do toque
A importância do toque
 
O que são medicinas alternativas
O que são medicinas alternativasO que são medicinas alternativas
O que são medicinas alternativas
 
07p reflexologia
07p   reflexologia07p   reflexologia
07p reflexologia
 
08p reflexologia podal
08p   reflexologia podal08p   reflexologia podal
08p reflexologia podal
 
aula 1 e 2 _ massoterapia-1.pdf
aula 1 e 2 _ massoterapia-1.pdfaula 1 e 2 _ massoterapia-1.pdf
aula 1 e 2 _ massoterapia-1.pdf
 
A arte da massagem apostila 1
A arte da massagem apostila 1A arte da massagem apostila 1
A arte da massagem apostila 1
 
A arte da_massagem_apostilacompleta
A arte da_massagem_apostilacompletaA arte da_massagem_apostilacompleta
A arte da_massagem_apostilacompleta
 
75007738 reflexologia
75007738 reflexologia75007738 reflexologia
75007738 reflexologia
 
75007738 reflexologia
75007738 reflexologia75007738 reflexologia
75007738 reflexologia
 
63487147 massagem-apostila-para-leigos
63487147 massagem-apostila-para-leigos63487147 massagem-apostila-para-leigos
63487147 massagem-apostila-para-leigos
 
Terapias alternativas
Terapias alternativasTerapias alternativas
Terapias alternativas
 
Medicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
Medicina Tradicional Chinesa e a BiomedicinaMedicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
Medicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
 
Conceitos Básicos MTC parte 6
Conceitos Básicos MTC parte 6Conceitos Básicos MTC parte 6
Conceitos Básicos MTC parte 6
 
Conceitos Básicos de Recursos Terapêuticos em Acupuntura/MTC
Conceitos Básicos de Recursos Terapêuticos em Acupuntura/MTCConceitos Básicos de Recursos Terapêuticos em Acupuntura/MTC
Conceitos Básicos de Recursos Terapêuticos em Acupuntura/MTC
 
Medicinas Alternativas
Medicinas AlternativasMedicinas Alternativas
Medicinas Alternativas
 
Auriculoterapia 001
Auriculoterapia   001Auriculoterapia   001
Auriculoterapia 001
 
Os efeitos psicológicos da massoterapia
Os efeitos psicológicos da massoterapiaOs efeitos psicológicos da massoterapia
Os efeitos psicológicos da massoterapia
 
Reflexologia
ReflexologiaReflexologia
Reflexologia
 
Ayurvédica
AyurvédicaAyurvédica
Ayurvédica
 
86832236 guia-para-massagem-nos-pes
86832236 guia-para-massagem-nos-pes86832236 guia-para-massagem-nos-pes
86832236 guia-para-massagem-nos-pes
 

Mais de Instituto de Psicobiofísica Rama Schain

( Apometria) amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
( Apometria)   amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...( Apometria)   amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
( Apometria) amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Apometria) amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
( Apometria)   amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...( Apometria)   amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
( Apometria) amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 

Mais de Instituto de Psicobiofísica Rama Schain (20)

( Espiritismo) # - influencia do meio
( Espiritismo)   # - influencia do meio( Espiritismo)   # - influencia do meio
( Espiritismo) # - influencia do meio
 
( Espiritismo) # - estudando a mediunidade
( Espiritismo)   # - estudando a mediunidade( Espiritismo)   # - estudando a mediunidade
( Espiritismo) # - estudando a mediunidade
 
( Espiritismo) # - ectoplasma mediunidade de efeitos fisicos
( Espiritismo)   # - ectoplasma mediunidade de efeitos fisicos( Espiritismo)   # - ectoplasma mediunidade de efeitos fisicos
( Espiritismo) # - ectoplasma mediunidade de efeitos fisicos
 
( Apometria) apometria em casa
( Apometria)   apometria em casa( Apometria)   apometria em casa
( Apometria) apometria em casa
 
( Apometria) apometria em casa(1)
( Apometria)   apometria em casa(1)( Apometria)   apometria em casa(1)
( Apometria) apometria em casa(1)
 
( Apometria) apometria e a cura quantica 2
( Apometria)   apometria e a cura quantica 2( Apometria)   apometria e a cura quantica 2
( Apometria) apometria e a cura quantica 2
 
( Apometria) apometria e a cura quantica 2(2)
( Apometria)   apometria e a cura quantica 2(2)( Apometria)   apometria e a cura quantica 2(2)
( Apometria) apometria e a cura quantica 2(2)
 
( Apometria) apometria e a cura quantica 2(1)
( Apometria)   apometria e a cura quantica 2(1)( Apometria)   apometria e a cura quantica 2(1)
( Apometria) apometria e a cura quantica 2(1)
 
( Apometria) amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
( Apometria)   amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...( Apometria)   amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
( Apometria) amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
 
( Apometria) amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
( Apometria)   amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...( Apometria)   amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
( Apometria) amag ramgis - oracao inicial para pedir protecao trabalho de a...
 
( Apometria) a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
( Apometria)   a importancia da reforma intima no tratamento de apometria( Apometria)   a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
( Apometria) a importancia da reforma intima no tratamento de apometria
 
( Apometria) alexandre d c lima - apometria cosmica # nivel basico
( Apometria)   alexandre d c lima - apometria cosmica # nivel basico( Apometria)   alexandre d c lima - apometria cosmica # nivel basico
( Apometria) alexandre d c lima - apometria cosmica # nivel basico
 
50209564 20090319-apost-taiji
50209564 20090319-apost-taiji50209564 20090319-apost-taiji
50209564 20090319-apost-taiji
 
49579762 apostila-mod-3
49579762 apostila-mod-349579762 apostila-mod-3
49579762 apostila-mod-3
 
47930901 37060761-apostila-auriculo-francesa
47930901 37060761-apostila-auriculo-francesa47930901 37060761-apostila-auriculo-francesa
47930901 37060761-apostila-auriculo-francesa
 
47477314 budo-1
47477314 budo-147477314 budo-1
47477314 budo-1
 
46879180 revista-homo-optimus-nu-07
46879180 revista-homo-optimus-nu-0746879180 revista-homo-optimus-nu-07
46879180 revista-homo-optimus-nu-07
 
46265526 6985232-fundamentos-da-medicina-tradicional-chinesa
46265526 6985232-fundamentos-da-medicina-tradicional-chinesa46265526 6985232-fundamentos-da-medicina-tradicional-chinesa
46265526 6985232-fundamentos-da-medicina-tradicional-chinesa
 
44970137 ana vitoriavieiramonteiro-xamanismoarteextase
44970137 ana vitoriavieiramonteiro-xamanismoarteextase44970137 ana vitoriavieiramonteiro-xamanismoarteextase
44970137 ana vitoriavieiramonteiro-xamanismoarteextase
 
44938076 moxa
44938076 moxa44938076 moxa
44938076 moxa
 

124596584 curso-de-do

  • 1. CURSO DE DO-IN - KOJJI 1 CURSO DE DO-IN: “O conhecimento teórico e a perícia são importantes, mas o médico precisa desenvolver um estado de profunda lucidez, que se manifestará com uma prática perseverante, onde as mãos respondem naturalmente aos ditames da intuição e do coração (kokoro, que significa profundo sentimento de afeto, amor), e aí, médico e paciente serão uma única vida, e só então, um dedo apenas poderá curar com certeza”. - Dr. Ryuho Okuyama, professor da cadeira de pressoterapia e diretor da Escola de Medicina Oriental do Japão. 1. DEFINIÇÃO E SINOMÍNIA: DO-IN: palavra japonesa (do = caminho , in = casa), significa o caminho de casa, onde entende-se que a casa é o nosso corpo, a morada do KI. O Do-In deriva-se do Tui-Na , sistema de auto-massagem de origem chinesa, adotado a aproximadamente um século no Japão. Onde desenvolveu-se de forma peculiar em auto-massagens e exercícios terapêuticos curativos e profiláticos. Num primeiro momento, o Do-In é de caráter eminentemente preventivo. Num segundo momento, atua como terapia de emergência nos casos cotidianos ( como enjôo, dores de cabeça, má digestão, gripe, insônia, etc.), mas também tem apresentado excelentes resultados nos casos mais graves, sobretudo em doenças crônicas, onde se requer um contínuo gerenciamento da Energia Ki . 2. DADOS HISTÓRICOS SOBRE A MASSAGEM: A massagem é a mais antiga forma de terapia, uma vez que é um recurso natural, inerente ao corpo e a natureza humana, tanto é que quando sofremos um traumatismo qualquer, instintivamente, esfregamos e percebemos um alívio. É bem provável que à partir desta idéia passou-se a desenvolver a Massoterapia. Na China há indícios de que há 4.000 ou 5.000 anos atrás já se praticava a massagem pêlos médicos chineses. Entre os gregos e romanos era indicada nos esportes e tratamento de doenças. Hipócrates, o Pai da Medicina, a empregava. Homero, no século IX a.C. teceu comentários sobre um tipo de massagem muito semelhante a moderna massagem sueca. Nas civilizações pré-colombianas (Incas, Astecas e Maias) há escritos que mencionam a massagem. Também no Egito, Pérsia e Índia foram encontrados registros desta prática. No ocidente, desde a Idade Média até o final do século XIX , a massagem esteve como que esquecida, até que o Dr. Henry Pahr Ling, a reintroduziu como recurso terapêutico nos meios médicos. 3. DADOS HITÓRICOS DA MEDICINA ORIENTAL: O Do-In baseia-se nos princípios da Medicina Tradicional Chinesa que originou-se na China por volta de 3.200 a.C. quando o Imperador Ching Nong recomendava o uso dos cinco grãos adequados à nutrição e os estudou as propriedades medicinais das plantas. O Nei Ching ou o Livro do Imperador Amarelo Huang-Ti, de 2.700a.C. é a obra mais antiga da literatura médica. No século X d.C. foi criada uma faculdade para o ensino da Acupuntura. Do século XVII ao XX mais de 200 autores europeus, médicos e leigos escreveram sobre a Medicina Tradicional Chinesa. Atualmente a Medicina Oriental é praticada e ensinada em várias faculdades no Japão, Estados Unidos, França, Coréia, Vietnã, etc.
  • 2. CURSO DE DO-IN - KOJJI 2 4. TIPOS DE MASSAGEM E OUTRAS TERAPIAS: Existem diversos tipos de massagem e terapias. E a pergunta mais freqüente é: “qual a é a melhor ou mais eficaz?” A resposta para esta questão é: “melhor ou eficaz em qual caso ou distúrbio?” A verdade é que cada tipo de massagem ou terapia é apropriada à um determinado quadro clínico, à um determinado tipo de enfermidade e enfermo. Há casos em que a administração de uma infusão de plantas medicinais, a Fitoterapia, é notoriamente eficaz. Há casos em que a Massagem Sueca é muito eficaz. E há casos em que o Shiatsu é extremamente profícuo. Experiências clínicas têm demonstrado que a combinação de diversas terapias alcançam resultados melhores que uma ou outra terapia isoladamente. Abaixo um breve estudo dos diversos tipos de massagens e terapias alternativas: Massagem Ocidental: conjunto de manipulações (composto basicamente de deslizamentos, fricções, amassamentos, rolamentos e vibrações) de efeitos fisiológicos sobre o tecido celular cutâneo e subcutâneo, adiposo, músculos, circulação sangüínea e linfática, sistema nervoso e metabolismo. Indicações: dores musculares e nevralgias, relaxamento muscular, distúrbios circulatórios, estética, reabilitação pós-operatória e pós-traumática, etc. Massoterapia: também conhecida como Massagem Terapêutica. Idem ao anterior. Massagem Desportiva: ramo da massagem ocidental aplicada aos esportistas. Massagem Estética: ramo da massagem ocidental aplicada à estética, utiliza cremes lipo-redutores , vitaminados ou compostos de plantas medicinais, etc. Massagem bioenergética: baseiam-se nas teorias do Dr. Wilhelm Reich, na qual as emoções reprimidas provocam constrições musculares, denominadas “couraças corporais”. Ao dissolver estas couraças removemos também as emoções reprimidas ali somatizadas, produzindo um alívio, nisto consiste a psicoterapia reichiana, que longe de ser uma massagem, sugere uma psicoterapia corporal, com exercícios psicofísicos e massagens. Reflexoterapia: também conhecida como reflexologia ou massagem reflexógena, baseia-se no princípio de que ao estimularmos certas regiões cutâneas provocamos um estímulo orgânico interno para o restabelecimento da saúde. As áreas reflexógenas guardam estreita semelhança com os Pontos de Acupuntura. Enquadra-se na reflexologia o Do-In na sola dos pés ou Sokutei, o Do-In nas mãos, a Massagem Auricular, etc. Indicações: distúrbios organo-funcionais, neurológicos, cardiovasculares, respiratórios, ginecológicos, algias, etc. Massagem Indiana: conjunto de manipulações deslizantes, pressões, fricções, etc. com óleos essenciais, cujo objetivo é trabalhar a energia vital ( Prana) e os Chakras ( vórtices bio-eletro-magnéticos transdutores de energia ). De acordo com a ciência indiana, o Prana (equivalente ao Ki) controla todas as nossas funções orgânicas e psíquicas. Nosso corpo físico está ligado a corpos de densidade mais sutis ( corpo etérico, corpo astral, corpo mental, etc.) que se interagem. Com efeito, nossa saúde é o resultado do bom funcionamento dos outros corpos, assim como a enfermidade é resultante de desequilíbrio energético nos outros corpos. Os Chakras são nossos captadores de energia vital, quando há um distúrbio num determinado Chakra, logo surgem distúrbios relacionados ao funcionalismo deste. Indicações: distúrbios emocionais, psicossomáticos, organo-fisiológicos, mentais, psíquicos, etc. Kuatsu: técnica de reanimação por meio de percussões, praticado por estudantes de artes marciais. Anma: (an = pressão e ma = deslizamento) conjunto de manipulações relaxantes praticada no Japão. Suas técnicas básicas são: deslizamento, amassamento, pressão, cuteladas, batidas, vibração, pressão forte ( c/ palma) e exercícios físicos passivo. Tem como objetivo a prevenção e manutenção da saúde do corpo humano. Seu efeito rápido verifica-se sobre a circulação sangüínea e linfática; o efeito tardio sobre nervos e músculos. Procura, através das manipulações, provocar uma homeostase, equilibrando o funcionamento dos órgãos, aliviando o sofrimento (sensação de dor ou peso) e
  • 3. CURSO DE DO-IN - KOJJI 3 acelerando o processo de cura do paciente. Beneficia o aparelho circulatório, sistema nervoso, músculos e articulações. Indicações: relaxamento, dores, problemas articulatórios, reabilitação física. Shiatsu: baseia-se na M.T.C., ao invés de agulhas, usa-se a pressão dos dedos para estimular os acupontos, obtendo os efeitos da acupuntura. Pode ser extremamente relaxante ou estimulante, conforme o efeito desejado. Indicações: vide Acupuntura. Moxabustão: ou moxaterapia, emprega a combustão de cones ou cigarros de Artemísia sobre os pontos de acupuntura. Visa o equilíbrio bioenergético, tem ação tonificante, relaxante e elimina as energias agressoras cosmoclimáticas do frio, vento e umidade. Indicações: distúrbios orgânicos, reabilitação, atrofias, possui um poder terapêutico excepcional, sobretudo em doenças crônicas, reumatismo, gripe, asma, bronquite, hérnia discal, etc. Acupuntura: técnica de introdução de agulhas em determinadas áreas da epiderme que possuem ação terapêutica reflexo-visceral e bioenergética com o objetivo de provocar uma resposta orgânica víscero-cutânea de ação curativa e restabelecer o fluxo de energia Ki, ou energia vital. Na China é empregada como Medicina Oficial. No Japão, EUA , URSS, França, Coréia, Taiwan é amplamente empregada e difundida. Indicações: praticamente todos os tipos de enfermidades orgânicas e psíquicas, distúrbios, distrofias, atrofias, etc. Acelera a recuperação pós-traumática. Analgesia em operações cirúrgicas. Em estética atua diretamente na raiz dos problemas, pois considera que as condições da pele e seus anexos são resultados diretos de um bom ou mau funcionamento orgânico. A Acupuntura Veterinária atua nos mais diversos tipos de enfermidades dos animais, há também a Acupuntura para as plantas. Eletro-acupuntura: utiliza correntes elétricas de baixa voltagem nos pontos de acupuntura. Há uma outra técnica que utiliza alta voltagem em baixa amperagem sob a forma de pequenas centelhas elétricas. Indicações: dores musculares e nevrálgicas, analgesia para intervenções cirúrgicas, distúrbios orgânicos. etc. Laser-acupuntura: utiliza feixes de soft laser sobre os pontos de acupuntura, sendo absolutamente indolor e de resultados surpreendentes, contudo, não substitui as tradicionais agulhas. Indicações: dores em geral, distúrbios orgânicos, reumatismo, artritismo, processos infecciosos, etc. Auriculoterapia: aplicação de agulhas sobre o pavilhão auricular, produzindo um estímulo reflexo-visceral. Apresenta resultados rápidos, mas não tão profícuos quanto a acupuntura tradicional. Quando usada em conjunto apresenta resultados maravilhosos. Indicações: distúrbios organo-viscerais, psicossomáticos, dores em geral, tabagismo, alcoolismo, toxicomania, etc. Quiropraxia: também conhecida por vertebroterapia, consiste em uma ação terapêutica manual, mecânica ou elétrica sobre segmentos da coluna vertebral objetivando normalizar a posição de vértebras deslocadas , provocando assim uma descompressão dos nervos que emergem da medula espinhal e que controlam nossos órgãos. Foi desenvolvida pelo Dr. Palmer a partir da osteopatia, após verificar que havia ligação entre as espondilopatias e as disfunções orgânicas, ou seja, uma compressão radicular pode causar um mau funcionamento orgânico. Indicações: problemas de coluna e articulações e disfunções orgânicas relacionadas a compressão radicular. Seitai: técnica japonesa de manipulação de vértebras e articulações. Esta técnica foi desenvolvida no Japão desde a antigüidade e utiliza-se aplicá-la na massagem oriental, uma vez que foi observado que após as manipulações articulatórias há uma melhor atuação da massagem. Indicações:: as mesmas que a quiroprática, relaxamento e melhora da condição orgânica geral. Cinesioterapia: conjunto de exercícios físicos e movimentos ativos ou passivos que visam reabilitar as funções do corpo debilitado ou parte dele. Na massagem oriental utiliza-se os movimentos passivos para a melhoria das condições de movimento. Há que se considerar ainda que muitas doenças são provocadas pela vida sedentária e movimentos inadequados. Podemos incluir neste tipo de terapia o Do-In, o alongamento da shiatsu, Tai Chi Chuan, Aikidô, Kempo, Kung Fu, Karate,
  • 4. CURSO DE DO-IN - KOJJI 4 Yoga, etc. Indicações: alongamento, normalização das funções do movimento, articulações, problemas de coluna e postura, coadjuvante em outros tratamentos orgânicos. Yogaterapia: consiste na execução de posturas psicofísicas, exercícios respiratórios, vocalizações, compressão natural de glândulas e vísceras, relaxamento e meditação. É uma terapia holística pois atua no corpo, na mente e no espírito. Harmoniza o fluxo da energia vital, chamada de Prana, trabalha os Chakras, harmonizando-os e desenvolvendo-os. Indicações: todos os distúrbios organo-funcionais, psicossomáticos( ansiedade, stress, nervosismo, depressão, hipertensão, etc.),problemas de coluna e postura, etc. Musicoterapia: consiste na aplicação de seleções musicais com fins terapêuticos. Partindo do princípio de que tudo é vibração, a música é uma terapia holística formidável. As Músicas Clássicas são muito empregadas na musicoterapia, possuindo efeitos relaxantes, respiratórios, psicossomáticos, analgésicos, etc. Existem atualmente, músicas feitas em laboratório que atuam sobre nossos órgãos internos, sobre nossos chakras, etc. Indicações: problemas orgânicos (respiração, digestão, circulação, etc.), psicossomáticos, etc. Piramidoterapia: consiste na aplicação de pirâmides para fins terapêuticos. A aplicação das pirâmides tem um alto efeito regenerador celular e vitalizante ou mesmo calmante, de acordo com o material e cor destas. Indicações: distúrbios orgânicos e funcionais, traumatismos, machucaduras, insônia, nervosismo, etc. Nutroterapia: consiste na ingestão adequada, balanceada e equilibrada de alimentos nutritivos. Os alimentos naturais, integrais, cultivados biodinamicamente (vide agricultura biodinâmica), sem agrotóxicos são os melhores alimentos. Devemos nutrir nosso corpo com uma dieta balanceada que supra nossas necessidades diárias de proteínas, carboidratos, vitaminas, aminoácidos, fibras, gorduras e minerais. “Seja o teu alimento o teu melhor remédio” afirmava Hipócrates, o Pai da Medicina. As pesquisas modernas têm demonstrado o valor terapêutico das vitaminas, dos minerais, dos aminoácidos, assim, a vitamina C é um anti-histamínico natural, evita a oxidação celular, auxilia nos processos infecciosos, etc. Indicações: todas enfermidades. 5. AS BASES TEÓRICAS DO FUNCIONAMENTO DO DO-IN: É um fato inegável que a Medicina Chinesa funciona e é eficaz , porém ainda não sabemos bem como e porque. De acordo com a antiga teoria chinesa os mecanismos de ação curativa consistem em um restabelecimento do equilíbrio da energia Ch’i e na eliminação da energia perversa. Através da estimulação física (pressão, calor, frio, etc.), química, elétrica e eletromagnética de determinadas áreas privilegiadas da epiderme, denominadas Acupontos, consegue-se restabelecer o equilíbrio energético-vital ( ou bioenergético ), alterado pela enfermidade, e destruir a energia perversa. O desequilíbrio bioenergético consiste em excessos ou deficiências qualitativos e quantitativos da bioenergia. Assim, temos excesso de Yang e deficiência de Yin, ou vice versa. Excesso de elemento Fogo, ou deficiência de Água, e assim por diante... A energia perversa são fatores cosmoclimáticos como o vento, o frio e a umidade que se instalam no corpo, provocando enfermidades. Apesar dos esforços científicos para explicar os mecanismos de atuação da Acupuntura, ainda não se chegou a uma teoria geral que explique eficazmente o seu funcionamento. Um fato concreto é que a antiga teoria chinesa funciona e ainda hoje é válida; explica os mecanismos e encontra respaldo nas investigações recentes no campo da Bioclimatologia Médica, Biopsicoenergética, etc.
  • 5. CURSO DE DO-IN - KOJJI 5 6. APORTES DA INVESTIGAÇÃO MODERNA: Uma teoria moderna geral dos mecanismos de ação da Medicina Chinesa teria que estar de acordo com uma teoria contemporânea de medicina, que no caso seria um sistema de enfoque eletromagnético, que ainda assim não contradiz a antiga teoria chinesa, mas confirma-a. As principais teorias e os resultados de investigações científicas que tentam explicar os mecanismos da ação da Medicina Chinesa: Teoria Embriológica: O Dr. La Fuye, célebre acupuntor, propõe uma teoria embriológica. Em que nos primeiros estágios da evolução do ovo humano um determinado ponto do ectodermo está em íntima relação com uma determinada área do endodermo. Em nove meses o ectodermo dá origem simultaneamente a pele e ao sistema nervoso, enquanto que o endodermo dá origem aos órgãos internos. É justo pensar que por toda a vida esta relação se mantém e que ao estimularmos uma determinada região da pele, teremos uma reação no órgão correspondente ligado desde a fase embriológica. Teoria da “Synneurona”: Todo o sistema nervoso, segundo Stöhr, representa um “syncytium” neuroplasmático, ou seja , uma rede fechada de filetes nervosos, com células nervosas interpostas. Os trabalhos histológicos de Stöhr tem demonstrado também que as neurofibrilas constituem o elemento condutor dentro do neuroplasma, e que as neurofibrilas são também essencialmente modificantes, formando-se e desfazendo-se pela influencia das diferenças de potencial dos tecidos inervados, servindo simultaneamente a função de conduzir e equilibrar as diferenças de potencial. A partir destes fatos construiu-se a teoria da “Synneurona”, que em resumo afirma que todo o sistema nervoso possui uma estrutura fechada de anéis de neurofibrilas designadas com o nome de synneurona, que muda constantemente, sendo a representação material das tensões elétricas que se produzem no organismo inteiro , provocando diferenças de potencial nos tecidos. Os anéis neurofibrilares criados pelas diferenças de tensão, se desfazem uma vez que estas tenham desaparecido. Os enlaces, nas cadeias ganglionares paravertebrais e na medula espinhal, mantêm a direção harmoniosa dos órgãos. Cada função orgânica em desordem corresponde a um enlace synnêurico decomposto, ou seja uma perturbação synnêurica, que pode ser causada por uma desordem corpórea ou um processo psíquico, uma disfunção, uma distrofia ou uma displasia dos tecidos inervados, que neste último caso denomina-se campo compensador corporal. Todo processo reparador e curativo no organismo, se produz por uma transposição de perturbações synnêuricas. A ação da acupuntura seria produzir uma irritação intencional, que tende a abrir no segmento synneuricamente perturbado e no segmento transitório, uma via artificial para a passagem de uma perturbação synnêurica bloqueada. Teoria dos Mecanismos Neurofisiológicos: Walter Lang propõe que os pontos e meridianos de acupuntura constituem projeções sobre a pele de processos que transcorrem nas profundezas do sistema nervoso. Sendo os meridianos as vias de conexão intraespinhal sob a forma de cadeias neuronais, e os pontos as conexões periféricas das sinapses. A teoria de G. Ricker aborda a s relações entre o sistema nervoso e a circulação e a sua importância como base lógica de uma patologia baseada na totalidade. A. D. Speransky em “A Basis for the Theory of Medicine”, realizou experimentos em animais provocando irritações sistemáticas em distintos troncos nervosos (central e neurovegetativo), conseguindo desencadear quadros mórbidos de sintomatologia que assemelham-se com os quadros clínicos humanos. De uma forma geral suas conclusões experimentais propõem que toda patologia tem como causa uma irritação do sistema nervoso. A irritação ( de origem mecânica, infecciosa ou química ) originaria uma “resposta” do sistema nervoso, que chamamos de enfermidade. Speransky propõe como terapêutica uma “contra-irritação” do sistema nervoso, como por exemplo um bombeamento espinhal, uma autohemoterapia na cisterna ou bloqueios ganglionares com novocaína
  • 6. CURSO DE DO-IN - KOJJI 6 que irritariam as células nervosas. De uma certa forma a agulha de acupuntura também constitui um contra-irritante. Investigações sobre Acupuntura: O professor W.G. Wogralik, da URSS, juntamente com vários médicos por ele encabeçado, descreve suas conclusões sobre as investigações no campo da acupuntura: 1. Nos transtornos do estado funcional do sistema nervoso central, nos de sua elevada atividade nervosa e reguladora, seja como enfermidade em si ou como enfermidade contingente, a acupuntura produz um fortalecimento do sistema nervoso, uma normalização das forças, um equilíbrio e mobilização da atividade básica nervosa -sedação e tonificação- e produz, pelo mesmo, a liberação de uma situação neurótica. 2. Resulta clara sua influência direta sobre a formação reticular do cérebro, sobre esse acumulador de energia nervosa que determina em forma tão considerável o tonus de todo o sistema nervoso. A este respeito, se tem estabelecido que em caso de transtorno funcional da formação reticular, a acupuntura provoca sua normalização. 3. A acupuntura possui uma influência normalizadora sobre o tonus e a reatividade de todo o sistema nervoso vegetativo e favorece, pelo mesmo, a eliminação de transtornos neuro-vegetativos, distonias vegetativas, assimetrias, etc. Isto guarda relação direta com a normalização de todas as funções do organismo, da atividade dos órgãos, da secreção das glândulas, do tonus da musculatura lisa, etc. A atividade mediadora do sistema nervoso se normaliza. Aparece uma influência reflexógena no aparelho de inervação, no afluxo sangüíneo e na atividade dos órgãos internos. 4. A acupuntura atua sobre o funcionamento hipotalâmico-hipofisiário-suprarrenal, sobre seu sistema de adaptação, sobre a secreção de ACTH ( hormônio adrenocorticotrófico) e a secreção das substâncias corticosteróides, elevando assim as possibilidades defensivas do organismo. 5. A acupuntura normaliza o estado funcional do sistema nervoso, o fortalece e determina a eliminação de “dominantes” patológicos, por meio dos quais a enfermidade persiste, suprimindo o círculo vicioso que se forma no curso das reações patológicas dos pacientes. 6. A acupuntura possui uma atividade reflexógena sobre os órgãos internos, os quais se encontram em relação segmentária direta ou fora da zona segmentária dos pontos chineses (de acupuntura). 7. Nos transtornos dos nervos periféricos e de aparelhos neuro-musculares, o método contribui para a eliminação de uma situação parabiótica por meio do aumento da labilidade, a normalização do impulso nervoso e o encurtamento da reação muscular. O Sistema Kyungrak: As investigações do fisiólogo da Universidade de Pyongyang (Coréia), publicadas em 1963, causaram enormes expectativas nos meios da acupuntura. Investigações posteriores não conseguiram localizar as mesmas estruturas fisiológicas encontradas pelo professor Kim Bong Han. As extensas investigações do professor coreano demonstram a existência de um sistema morfológico-funcional que coincide com o sistema de meridianos e pontos de acupuntura, este sistema foi denominado de “Sistema Kyungrak”. Morfologicamente constituído de corpúsculos, tubos e um líquido circundante dentro do sistema, difere dos sistemas nervoso, sangüíneo e linfático, por isso denomina-se também “Quarto Sistema”. Para estudar o funcionamento do sistema se utilizou o Fósforo 32 e a determinação de íons marcados juntamente com a radioautografia. Foi verificado também as variações bioelétricas do corpúsculo em repouso e submetido a diversos estímulos. Também se constataram variações elétricas no corpúsculo quando se estimula o órgão interno conectado com o mesmo. As recentes descobertas e pesquisas na medicina, engenharia eletrônica, psicotônica, etc. dão respaldo ao conhecimento milenar dos chineses.
  • 7. CURSO DE DO-IN - KOJJI 7 É o caso da fotografia kirlian, descoberta pelo cientista russo Simeon Kirlian, que consegue uma imagem eletrônica do envoltório de energia vital que permeia todos os seres vivos. O Dr. Harold Saxton Burr, da Universidade de Yale, que investigou esse envoltório energético, denominando-o de “Campo L”. O Dr. John Pierrakos que após medir o fluxo de energia de diversos pacientes conseguiu obter uma imagem gráfica ao qual denominou de Biocampo. Tais descobertas confirmam de forma irrefutável as concepções da Medicina Chinesa da existência de um arcabouço bioenergético mantenedor de nossas funções vitais e psíquicas. 7. AS VANTAGENS DO DO-IN: As Terapias Naturais são Vitalistas e têm por princípio que saúde e doença são os dois lados de uma mesma moeda, em outras palavras, quanto mais saúde, menos doença e vice-versa. O equilíbrio energético é saúde, o desequilíbrio é o que chamamos de doença, na verdade, apenas um conjunto de sintomas resultantes do desequilíbrio energético. Com efeito, as terapias naturais procuram equilibrar o organismo e aumentar a vitalidade, ao invés de combater a doença, que é apenas a energia, mas em desequilíbrio. Além das vantagens de uma terapia natural, isenta de efeitos colaterais, iatrogênicos e nosotóxicos, produz uma saúde natural de forma econômica e prática. Econômica pois usamos nosso saber e os dedos, livrando-nos dos gastos com a compra de medicamentos. Prática porque sempre temos os dedos em mãos, em qualquer lugar e hora. Também os exercícios preventivos auxiliam no processo curativo, profilático e de manutenção da saúde. 8. SAÚDE HOLÍSTICA E BEM ESTAR INTEGRAL: O homem não se resume à um corpo físico, ele tem também uma estrutura emocional, mental, volitiva, anímica e espiritual. Assim, um Bem Estar Integral só é possível através de uma abordagem integral, tratando o homem como um todo holístico, nisto consiste a Saúde Holística. Enquanto a medicina oficial trata das doenças, a medicina natural ou alternativa trata o doente, considerando que a doença não é um fenômeno isolado e casual, mas parte de um processo que envolve corpo, mente, espírito, emoção, sentimento, atitudes (modus operandi e modus vivendi) e fatores ambientais, cosmo-climáticos, psicológicos e sociais. A Medicina Holística ( do termo em inglês Holistic Medicine) se propõe a tratar o doente na sua totalidade, e não apenas as partes enfermas. Enfoca o ser humano como responsável por seu estado saudável ou mórbido como reflexo direto do seu modo de vida. Sua alimentação, atividade física, higiene, pensamentos e sentimentos (como ele lida com eles) influem diretamente sobre o seu sistema imunológico, respiratório, digestivo, glandular, circulatório, etc. É assim que adoecemos. Uma questão de terreno. Onde há sujeira, há moscas. Onde há desequilíbrio, há enfermidade. Se não curarmos o doente, a doença será sempre uma constante intermitente. 9. O CORPO TEM SUA HISTÓRIA: “Mens sana in corpore sano” “Toda rigidez muscular contém a história e a significação de sua origem. Quando ela é dissolvida, não só a energia é liberada... mas também traz à memória a própria situação infantil em que o recalque se deu.” - Reich A coisa mais freqüente em massagem corporal é nos depararmos com o fenômeno acima descrito por Reich. Nos músculos e mesmo outras estruturas está contida a história psicológica e emocional de cada um. Não é raro, durante uma sessão de massagem presenciarmos um choro, um gemido, ou mesmo risos incontraláveis, contrações, sensações agradáveis e desagradáveis ao
  • 8. CURSO DE DO-IN - KOJJI 8 massagearmos determinados músculos. E após essa liberação de emoções que estavam gravadas na musculatura, há um alívio geral e uma transformação na vida psíquica do paciente. O próprio Reich sugere uma psicoterapia corporal, onde a massagem desempenha um papel fundamental. Em medicina psicossomática existem dois postulados básicos e complementares: - a mente influencia o corpo (inferência psicossomática) - o corpo influencia a mente (inferência somatopsíquica) De acordo com o primeiro postulado, nossos sentimentos, emoções e pensamentos influenciam em nosso corpo o estado bioquímico, neuro-hormonal e consequentemente, a fisiologia, o metabolismo, o sistema imunológico, circulatório, etc. Em psicocibernética afirma-se que o nosso cérebro ao receber uma mensagem qualquer (real ou não), reage liberando substâncias neuro-transmissoras, que atuam sobre as glândulas, que por sua vez, controlam todo o corpo. Por exemplo: numa situação de perigo ocorre a liberação de adrenalina, um hormônio produzido pelas glândulas supra-renais que acelera os batimentos cardíacos, provoca uma vasoconstrição periférica, etc. Assim ocorre com qualquer outro sentimento ou emoção. Nosso corpo reage quimicamente, energéticamente, mecanicamente ( na musculatura ), etc. Ele não só reage, mas também vai gravando toda a nossa história sentimental, emocional e mental. O Dr. George Goodheart Jr. renomado quiroprático afirma que as tensões ou bloqueios de energia nos músculos afetam diversos mecanismos do corpo. A massagem em determinados músculos, conforme a tabela abaixo, alivia certos distúrbios funcionais dos órgãos correspondentes. Relação de músculos com os mecanismos corporais de acordo com o Dr. Goodheart: - subescapular:..........................................................coração - trapézio médio:.......................................................baço - trapézio superior e inferior:.....................................olho, ouvido - grácil, sartório, gastrocnêmio, solear:.......................supra-renais, pós-íleo - tendões da perna:.....................................................reto abdominal - glúteo médio e mínimo:...........................................útero, vesícula seminal - glúteo máximo:........................................................glândulas sexuais - esternocleidomastóideo, escaleno, esplênio:.............seio nasal (sinus) - redondo menor, infraespinatus:................................tireóide - peitoral, divisão do clavicular:..................................estômago - peitoral, divisão do externo:......................................fígado, alergia - psoas:........................................................................renal - fáscia lata:.................................................................cólon - supraspinatus:...........................................................cansaço cerebral - latissimus dorsi:........................................................pâncreas - deltóide, serratus, coracobraquial:.............................pulmão - músculos abdominais:..............................................duodeno - piriforme:..................................................................útero, vesícula seminal De acordo com a Medicina Oriental, os sentimentos alteram o caudal bioenergético, provocando distúrbios nos órgãos à eles relacionados. Por exemplo: a tristeza afeta os pulmões; o excesso de riso o coração; a ira, o fígado, etc. Por outro lado, quando a energia de um determinado meridiano está alterada, manifestam-se sentimentos a eles relacionados, assim quando a energia do meridiano do pulmão está alterada manifesta-se PMD (psicose maníaco depressiva), tristeza e choro. Estamos condicionados a manifestar reflexos de tensão (ao invés de reflexo de relaxamento). Desta forma, diante de situações de tensão (ou mesmo diante de situações que não requerem tanta tensão, mas o inverso) as pessoas pressionam os maxilares, tensionam os ombros, se
  • 9. CURSO DE DO-IN - KOJJI 9 encolhem, etc. A repetição destas ações, com o tempo acaba resultando em uma tensão contínua nas estruturas musculares envolvidas, em casos mais retinentes, a musculatura contraturada chega a apresentar processos de fibrilação ou calcificação. Existem também as chamadas “rugas de expressão”, conseqüência direta dos nossos estados emocionais, sentimentais e mentais. p.e.: aqueles sulcos na região do entrecenho refletem a expressão de uma pessoa preocupada, nervosa. Desta forma todo o nosso corpo tem registrado na musculatura, na pele, na iris ( irisdiagnóstico ), nas terminações nervosas dos pés (reflexologia), etc. toda a nossa história, nossos bloqueios, traumas, sentimentos, pensamentos, carências e excessos. 10. O DIÁLOGO TACTIL COM O CORPO: Na prática do Do-In ou auto-massagem chinesa nós conversamos com o nosso corpo, localizamos as “zonas mortas” (regiões do nosso corpo que por tabu ou esquecimento não recebem estímulos tácteis, trocas bioelétricas -toque, afeto, carinho), onde há bloqueios de energia, onde há excessos ou deficiências... Este diálogo táctil não só é salutar, mas também prazeroso. O auto-descobrimento, a consciência de si e a consciência corporal abrem as portas para sentirmos a vida palpitando em cada poro, em cada célula, em cada átomo. Na Shiatsu, o terapeuta conversa com o corpo do paciente, buscando a harmonia integral deste. Os grandes massagistas praticam o Toque Holístico, em que terapeuta e paciente formam um só todo. 11. A ENERGIA: C’HI / KI / PRANA A Energia Cósmica ou Chi ao manifestar-se forma todo o Universo Fenomênico. Assim como o universo fenomênico é um produto de forças cósmicas, também o homem é um produto de forças cósmicas, assim a saúde e a enfermidade são essas mesmas forças em equilíbrio ou desequilíbrio. Segundo a Medicina Chinesa, a energia (Chi) circula em nosso organismo por vasos ou canais denominados Chings ou Meridianos. Esta energia é responsável pala saúde e vitalidade. Sendo captada do cosmos através da respiração, alimentação e pelos pontos de acupuntura e chakras indianos. Por isso a correta respiração, a alimentação equilibrada e a prática de Do-In, Tai Chi Chuan ou Yoga são elementos básicos para se obter uma saúde plena, um corpo vigoroso e uma mente forte. 12. O YIN E O YANG: A Suprema Culminação, símbolo do Tao, que contém os princípios antagônico-complementares: Yang e Yin. Este símbolo significa que o Yang contém o Yin que vai crescendo até atingir a dominância, e vice-versa. Assim, o dia contém um pouco da noite e a noite um pouco do dia, que após um sucede-se o outro. É o símbolo do equilíbrio e ajuda-nos a compreender que o Universo é uma constante mutação.
  • 10. CURSO DE DO-IN - KOJJI 10 Yin e Yang constituem os dois opostos bipolares antagônico-complementares da Dialética Chinesa. Afirma-se que a idéia do Yin e Yang surgiu de um “insight” da observação do lado iluminado da montanha pelo sol, o Yang; e do lado não iluminado da montanha, o Yin. Assim, nada é absolutamente Yin ou Yang, ou seja, são manifestações relativas e temporárias. Vale dizer que neste universo fenomênico nada é (ser), tudo está se tornando (estar). Toda manifestação fenomênica contém em si, em proporções variáveis, ambos os princípios. Tomemos o dia e a noite como exemplo: o dia contém mais yang do que yin. No entardecer as proporções de yang e yin se igualam e yin começa a sobrepor-se, surgindo a noite. No amanhecer novamente as proporções se igualam até que o yang volta a dominar, novamente o dia. Esta idéia pode ser entendida melhor através de uma senoidal. Assim é com todas as manifestações, nada é absolutamente Yin ou Yang. Tudo são expressões destas energias em sua dança cósmica. Incorremos à um grave equívoco ao nomearmos que isto é yang ou isto é yin, etc. Estas denominações dicotômicas são da mentalidade ocidental. A idéia oriental de yin e yang é que Yin é Yin e Yang é Yang e ambos são indissociáveis. Existem características Yin e características Yang. Enquanto Yang é ativo, dinâmico, masculino; o Yin é passivo, estático, feminino. 13. TABELA DE ATRIBUTOS YANG E YIN: YANG: YIN: - movimento - repouso - quente / calor - frio - fogo - água - ativo - passivo - claro - escuro - dia - noite - primavera e verão - outono e inverno - masculino - feminino - positivo (+) - negativo (-) - céu - terra - Na, Li, H, C, He, Hg, Mg, As, Th - O, Si, K, Mn, Al, B, N, Sr, Zn, Pb - contração - dilatação / expansão - sistema nervoso simpático - sistema nervoso parassimpático - exterior - interior - centrípeto - centrífugo - febre, dispnéia, contrição dos poros - corpo frio, suor abundante, gases - o excesso de Yang enferma o Yin - o excesso de Yin enferma o Yang - região anterior do corpo - região posterior do corpo - do umbigo para cima predom Yang - do umbigo para baixo pred. Yin - lado direito - lado esquerdo - o sangue - a energia - a psiques - o corpo - as vísceras - os órgãos - artérias - veias - alimento cozido - alimento cru - do vermelho ao verde - do verde ao violeta
  • 11. CURSO DE DO-IN - KOJJI 11 14. O CONCEITO E A INSTALAÇÃO DA DOENÇA NA MTC: Quando há um desequilíbrio energético este se expressa em sintomas: a enfermidade, como designamos no ocidente. A energia produzida ou captada pelo organismo circula pelos canais de energia ou meridianos nutrindo todos os tecidos do organismo. Quando há um bloqueio ( na circulação) ou um desequilíbrio (excesso ou deficiência) das energias Yin e Yang ocorrerá um transtorno primeiramente ao nível do meridiano afetado que será sentido como dor, calor, tumefação, congestão de capilares ou adormecimento e frio no percurso deste. Em seguida o órgão e / ou as funções relacionadas a este também podem entrar em distúrbio, o que chamamos de “doença”, no ocidente. Isto vale para as doenças funcionais, como também para as infecto-contagiosas, uma vez que o corpo debilitado oferece um ótimo terreno para a proliferação de microorganismos. As causas de alteração energética podem ser fatores exógenos ou endógenos. O frio, o calor, a “energia perversa” (fatores bioclimáticos) ao penetrar no organismo causam uma reação bioenergética ( da Energia Oe ou energia defensiva, manifestados somaticamente por febre, suor, etc.) que visam eliminar a energia agressora. Mas nem sempre o corpo, debilitado por uma alimentação inadequada e pobre em vitalidade e nutrientes, consegue vencer a “energia perversa” e esta aprofunda-se e causa distúrbios orgânicos, cabendo então a utilização da Acupuntura ou Shiatsu para equilibrar as energias e eliminar a “energia perversa”. Também os alimentos podem ser considerados como fatores exógenos, pois ao serem ingeridos em excesso e em desequilíbrio, acabam afetando os órgãos, vísceras e meridianos. Os fatores endógenos são decorrentes da inobservância do Equilíbrio ( o Tao ou Caminho Perfeito), das regras normativas de uma vida sadia, das regras de higiene, saneamento, alimentação (que deve ser balanceada em Yin, Yang e cinco elementos ), sono, respiração e movimentos ( os chineses afirmam que movimento é vida, que sem eles o corpo enrijece e caminha para a morte). Em outras palavras, o corpo com pouca vitalidade enferma com facilidade. Também os sentimentos, emoções e pensamentos constituem fatores endógenos. Por exemplo, a tristeza afeta os pulmões, a ira afeta o fígado, etc. As pesquisas modernas em psiconeurimunologia corroboram para a ratificação deste pensamento. O “filtro” do sistema límbico-hipotalâmico coordena todos os principais canis de regulação das inferências mente-corpo pelas vias dos sistemas nervoso neurovegetativo, endócrino, imunológico e neuropeptídeo. Existem ainda fortes correlações entre a ação da acupuntura e das moléculas mensageiras ( neurotransmissores, neurormônios, imunotransmissores, etc. ), que são os mediadores informacionais estruturais de comunicação e transformação mente-corpo. 15. OS MERIDIANOS: Os meridianos são canais sutis por onde circula a energia vital. Ao longo dos meridianos existem os pontos de acupuntura, que ao serem estimulados podem afetar todo o meridiano ou apenas alterar algumas funções do meridiano ou ainda atuar especificamente. Para facilitar o estudo, agrupamos os meridianos em dois grupos: 1) A Grande Circulação de energia, composto de 12 meridianos, que são pares e bipolares, sendo 6 de natureza yin e 6 de natureza yang. 2) A Pequena Circulação de energia, composto por 2 meridianos centrais ou medianos, portanto ímpares. Os 12 meridianos que formam a grande circulação correspondem aos 5 órgãos yin, 5 vísceras yang e a duas funções, uma yin e outra yang.
  • 12. CURSO DE DO-IN - KOJJI 12 Os 6 meridianos yang são: Intestino Grosso, Estômago, Intestino Delgado, Bexiga, Vesícula Biliar e Triplo Aquecedor. Os 6 meridianos yin são: Pulmão, Baço-Pâncreas, Coração, Rim, Circulação-Sexo e Fígado. Os 2 meridianos medianos são: Vaso Concepção e Vaso Governador. Cada meridiano influi no órgão ou função à que está relacionado, desta forma, quando o meridiano do Intestino Grosso está em excesso pode ocorrer a prisão de ventre e na deficiência pode ocorrer a diarréia. PULMÃO: comanda o órgão pulmão e as vias respiratórias, brônquios, traquéia, laringe, fossas nasais e seios da face. Filtra tristeza, melancolia, nostalgia e mágoa. INTESTINO GROSSO: comanda o intestino grosso e suas funções de absorção de líquidos e de eliminação de resíduos da digestão. Juntamente com o Intestino Delgado, filtra a emotividade, a instabilidade emocional e a sensibilidade não canalizada. ESTÔMAGO: comanda o estômago e o duodeno e suas funções digestivas de transformação dos alimentos. Filtra ansiedade nervosa, preocupação, sistema nervoso em geral. BAÇO-PÂNCREAS: comanda o baço e suas funções reguladoras de glóbulos vermelhos (hematopoiese) e também o pâncreas e suas funções reguladoras de glicogênio ou açúcares. Filtra trauma, choque emocional e ciúmes CORAÇÃO: comanda as funções do coração, tanto o físico como o psíquico. Filtra angústia, mágoa e amarguras. INTESTINO DELGADO: comanda o intestino delgado e suas funções de absorção dos alimentos triturados no estômago. BEXIGA: comanda a bexiga e suas funções eliminatória e equilibradora renal. Filtra a tensão nervosa e contínua ligadas ao medo, temores e inquietação. RIM: comanda os rins e sua função eliminatória. Também a supra-renal suas funções e sua ação sobre a sexualidade e vontade. Filtra a ansiedade temerosa, o medo e o pavor. CIRCULAÇÃO-SEXO: como não está diretamente relacionado com um órgão em específico, relaciona-se ao pericárdio e à toda massa circulante com todo seu conteúdo humoral, hormonal, imunológico, incluindo os processos de oxidação e redução. Associa-se também à função do parassimpático. TRIPLO AQUECEDOR: comanda três funções, divididas em 3 aquecedores. O 1º ou aquecedor superior é o digestivo, de captação e transformação dos alimentos. O 2º ou aquecedor médio é o cardiorespiratório, de circulação de sangue arterial. E o 3º ou aquecedor inferior é o gênito-urinário, de função sexual e eliminatória da urina. VESÍCULA BILIAR: comanda toda a função biliar intra e extra-hepática. Filtra a indecisão. FÍGADO: comanda o fídago e suas múltiplas funções relacionadas com o metabolismo, sexualidade, músculos e acuidade visual. Filtra a raiva, o ódio e os desejos reprimidos. VASO GOVERNADOR: comanda o SNC ou sistema nervoso central, comandando a energia física e psíquica. VASO CONCEPÇÃO: comanda as funções gênito-urinárias, digestivas e respiratórias. 16. OS PONTOS DE ACUPUNTURA: Os pontos de acupuntura ou acupontos ( “tsubos” em japonês e “tsiue” em chinês ), distribuem-se ao longo dos meridianos. Os antigos chineses descobriram que todo transtorno de um órgão profundo provocava a sensibilidade dolorosa espontânea de uma zona limitada do tegumento ou pele. E que ao estimular este ponto havia uma rápida melhora do órgão interno e desaparecia a hipersensibilidade do ponto. Mas os chineses não foram os únicos à descobrirem isso, no ocidente estes princípios foram redescobertos e utilizados na terapêutica, como a reflexologia.
  • 13. CURSO DE DO-IN - KOJJI 13 Os pontos podem ter ação local sobre os músculos, ossos, nervos e órgãos subjacentes; ou ainda uma ação à distância ou específica sobre um órgão ou função. Os pontos apresentam uma superfície de aproximadamente 1 a 2 mm quadrados e a profundidade que se encontram pode variar de acordo com o local e a constituição física do indivíduo. Os locais da pele onde situam-se estes pontos apresentam uma maior condutibilidade elétrica, por isso podem ser localizados e medidos por aparelhos localizadores de pontos. O que já é um forte indício da existência destes. Para se obter uma boa resposta terapêutica é necessário estimular o ponto correto no local correto, ou seja, escolher os pontos do meridiano ou função alterada e localizar precisamente o ponto, estimulando-o. Cada meridiano possui pontos de tonificação, sedação, origem, assentimento, alarme, passagem, entrada e saída. Estes pontos são usados por regras ou leis de acupuntura. 17. CONDIÇÕES BÁSICAS, QUANDO, COMO E ONDE APLICAR O DO-IN: onde: Para a aplicação do Do-In é recomendável um local calmo, tranqüilo, arejado e devidamente higienizado. Na falta desses requisitos, ou em situação de emergência, pode-se aplicar da forma que for possível. quando: À priori, o Do-In pode ser aplicado para qualquer desconforto ou sintoma, desde que com o devido bom senso e orientação, de preferência com acompanhamento médico ou de profissional habilitado na área específica ( psicólogo, dentista, pedagogo, psicanalista, psiquiatra, etc.). como: Sempre de forma a não provocar lesões teciduais, evitando o toque em feridas, traumatismos, varizes e dermatoses. Em grávidas somente com orientação (pois existem pontos abortivos) e liberação médica. 18. TÉCNICAS BÁSICAS DO DO-IN: O Do-In é composto basicamente por pressões ou estímulos nos pontos de acupuntura. Este estímulo pode ser aplicado por qualquer dos dedos, utilizando-se a polpa, a região ungueal ou até a unha. Existem três formas básicas de manipulação dos pontos: TONIFICAÇÃO: usa-se nos casos de deficiência de energia no meridiano ou função, nas dores crônicas e sintomas crônicos de deficiência. Tem como finalidade, tonificar ou estimular a energia do meridiano ou ponto. A pressão deve ser leve e breve (cerca de 30 segundos a 3 minutos) em movimentos circulares no sentido horário ou pressões nos pontos no sentido do fluxo do meridiano ( ex.: C1, C2, C3,...). Fricção, deslizamento e percussão também tonificam. SEDAÇÃO: usa-se nos caos de excesso de energia no meridiano ou função, nas dores agudas e sintomas agudos. Tem como finalidade, sedar ou dispersar os excessos de energia do meridiano ou ponto. A pressão deve ser mais forte, profunda e contínua (por 5 minutos ou mais de acordo com a necessidade) ou em sentido anti-horário e indo em direção contrária ao fluxo energético. Pinçamento, pressão e amassamento sedam. HARMONIZAÇÃO: usa-se nos casos em que não se tem certeza de que há um excesso ou deficiência. Usa-se pressão média e por tempo médio e movimentos circulares horários e anti-horários alternados. Na prática, não devemos nos ater a regras fixas de tonificar ou sedar, devemos deixar nossa intuição fluir e achar o melhor estímulo para cada ponto durante um tempo em que haja a sensação de tonificação ou dispersão da energia. 19. PONTOS ESPECIAIS: Existem cerca de 750 pontos inclusos os chamados “pontos extras”, dentre os quais alguns são básicos e de efeitos polivalentes sobre todo o corpo e/ou, ainda, apresentam um efeito terapêutico específico de amplos usos.
  • 14. CURSO DE DO-IN - KOJJI 14 Segue-se uma lista de alguns “pontos especiais” com as indicações de em que casos podem ser usados e a localização anatômica. VG 20: estados de excitação, nervosismo, depressão, stress, epilepsia, insônia, medo, falta de concentração, dores de cabeça, afasia, hipoacusia, hemorróidas, palpitações, amnésia, prevenção de derrame (AVC), etc. L: Situa-se na linha média na altura da linha do ponto mais alto da orelha. B 10: cefaléaias , vertigem, nevralgia de trigêmeo, anosmia, rinites, obstrução nasal, sangramento nasal, dores oculares com lacrimejamento, torcicolo, dores na nuca e ombros, atua sobre o Parassimpático, portanto, no stress. L: na nuca, à uma distância da linha média, debaixo do reborde inferior do crânio, no limite dos cabelos. VB 20: epilepsia, vertigem, dores nevrálgica da região cervical, dores oculares, problemas visuais, lacrimejamento, dor de cabeça e gripe, surdez, torcicolo, dores lombares e dorsais. Atua sobre o Simpático, portanto, no stress. L: na nuca, em um oco, a uma distância e meia da linha média. VB 21: dor e tensão nos ombros, neurastenia, congestão cerebral, vertigem, melancolia, dificuldades de linguagem, contusões, lumbago, torcicolo, braquialgia, tuberculose, adenopatia cervical, partos difíceis, hemorragia pos-parto, etc. L: sobre o borde superior do trapézio, num oco no meio da linha entre a coluna e a extremidade da clavícula. VC 12: todas a enfermidades e disfunções gástricas, náuseas, falta de apetite, vômitos, gastrite, gastralgia, úlcera gástrica, gases, azia, má digestão, diarréia. L: na linha média anterior no meio da distância entre o apêndice xifóides e o umbigo. VC 3: debilidade geral, esterilidade masculina, uretrite, prostatite, corrimentos e distúrbios menstruais, metrite, amenorréia, incontinência urinária, etc. L: na linha média anterior, logo acima do pubis. F 3: excitabilidade e cansaço, insônia, epilepsia, problemas de olhos, nariz e garganta. Pressão alta, dor no peito, transtornos digestivos, icterícia, alcoolismo, tabagismo, uretrite, problemas menstruais, dor e tensão muscular, espasmos e ação relaxante muscular e sobre os ovários. L: no espaço inter-ósseo entre o 1º e 2º metatarpianos. R 1: inquietude, medo, excitabilidade, epilepsia, amnésia, cefaléias temporais e do vertex, asma, bronquite, menopausa, constipação, diarréia, problemas renais, nasais e oculares, amigdalite, enjôo, etc. L: na planta dos pés, em um oco que se forma ao flexionar os dedos R 3: debilidade, esgotamento, espasmos, amigdalite, traqueite, faringite, afonia, asma, bronquite, gripes, odontalgia, constipação, diarréia, diabetes, dismenorréia, caimbras, transtornos circulatórios das pernas, etc. L: face interna do pé, acima do calcâneo, entre o maléolo mesial e o tendão. B 65: cefaléia, vertigem, surdez, lumbago, dores nas costas. L: extremidade distal do 5º metatarsiano atrás da articulação metatarso-falângica, em um oco. B 60: todos os tipos de dores, inquietude, insônia, cefaléia, enxaqueca, dor de ouvido, dor ocular, dor de dente, asma, endarterite, etc. L: logo acima do calcâneo, entre o maléolo externo e o tendão de Aquiles. C 7: especial para taquicardia, regular o coração , palpitações nervosas, hipertensão, emotividade, inquietude, temor, todas as perturbações psíquicas, insônia, depressão, choro, hematemese, metrorragia, circulação, etc. L: borde interno do osso pisciforme, sobre a prega de flexão da munheca, sobre a artéria cubital. BP 6: temor, astenia, bocejos contínuos, angina de peito, varizes e úlceras varicosas, dispepsias, afecções crônicas gastrointestinais, meteorismo, diarréias, hemorróidas, todos os transtornos do aparelho genital feminino ( amenorréia, dismenorréia, cólicas menstruais, leucorréia, metrorragia, metrite, endometriose, cistos ovarianos, frigidez, infertilidade, etc.), espermatorréia, dor do pênis ou clítoris, impotência, ação sobre a tensão arterial e arteriosclerose. L: borde posterior da tíbia, a 3 distâncias/4dedos acima do maléolo mesial.
  • 15. CURSO DE DO-IN - KOJJI 15 E 36: todos os transtornos crônicos e agudos dos órgãos internos, enfraquecimento, todos os transtornos do sistema nervoso, timidez, descontentamento, temor, melancolia crônica, cefaléia congestiva, lombalgia, debilidade das pernas, inchaço dos joelhos, má digestão, gastrite, gastralgia, diarréia, intoxicação alimentar, amenorréia, incontinência urinária, etc. L: a 3 distâncias abaixo da ponta da rótula, entre o tibial anterior e o extensor comum do dedos. IG 4: gripe, coriza, sinusite, ronqueira, abcessos na boca, lábios e língua, neuralgia de trigêmeo, anosmia, sangramento nasal, odontalgia, constipação, enterite, conjuntivite, glaucoma, otalgia, otite, dor ocular, dores de garganta, acne, eczema, urticária, dores reumáticas do braço e ombro, cefaléia, desinteria, estados febris, ação especial sobre a cabeça, olhos, ouvidos, nariz e garganta. L: num oco entre o polegar e o índice, no ângulo formado pelos extremos proximais do 1º e 2º metacarpianos. P 5: tristeza, melancolia, choro, depressão e transtornos mentais, temor, espasmos e convulsões infantis, asma, bronquite, gripe, tuberculose pulmonar, angina peitoral, miocardite, gastralgia, polaquiúria, transtornos reumáticos do braço e ombro, prurido cutâneo, acne, herpes zoster, tabagismo, etc. L: na prega do cotovelo, ao lado do tendão do bíceps. INDÔ: cefaléia frontal, insônia, vertigem, dor ocular, vômitos, obstrução nasal, rinopatias alérgica, sinusite. L: na linha média anterior, entre as sobrancelhas. P 7: estados de excitação, insônia, todas as cefaléias, atua na cabeça, região occipital e nuca. Angina de peito, hipertensão, edema, hematêmese, hemorróidas, diabetes, odontalgia, hematúria, espermatorréia, eczema, furunculoses, herpes zoster, transtornos reumáticos dos ombros, bronquites, tosses, neuralgias de trigêmeo, gripe. L: por fora da artéria radial, à uma distância e meia da prega da munheca. P 1: cansaço, insônia, rinites, sinusites, laringites, traqueites, bronquites, asma, enfisema, vômitos, algias do ombro e espalda. L: no primeiro espaço intercostal sobre a linha para-axilar, dois dedos abaixo do P 2. P 2: excitabilidade, insônia, rinites, bronquites, angina, asma, dores do ombro e braço. L: debaixo da clavícula em um oco. VG 1 até VG 13: comandam a energia física, lumbago, hemorróidas, epilepsia, rigidez da coluna, excitabilidade, transtornos genito-urinários, gastroentéricos e cardio-respiratórios, conforme a proximidade local. L: na linha média posterior, entre as apófises espinhosas de cada vértebra. VG 14 até VG 28: comandam a energia psíquica. Excitabilidade, depressão, histeria, esgotamento, neurastenia, convulsões, torcicolo, surdez, vertigem, insônia, hemiplegia, afasia, cefaléias, anosmia, epistaxe, vertigem, sinusites, obstrução nasal, rinopatias, transtornos oculares motores e inflamatórios. L: na linha média posterior indo até a s raízes dos incisivos superiores. VC 1 até VC 7: disfunções genito-urinárias, leucorréia, metrites, dismenorréias, prurido vulvar, amenorréia, metrorragias, frigidez, impotência, esterilidade, prostatite, anuria, hematuria, incontinência urinária, ardor urinário, uretrites, cefaléia, insônia, inapetência, debilidade geral, colite, gases, pesadelos, hemorróidas, dispepsia, constipação. L: linha média anterior, desde o espaço entre o ânus e o escroto ou vagina até abaixo do umbigo. VC 8 até VC 12: transtornos gastrointestinais, ascite, diarréias, fístulas, gastralgia, vômitos, dispepsia, úlcera gástrica, náuseas. L: linha média anterior, do umbigo até o apêndice xifóides. VC 13 até VC 24 : transtornos cardíacos, respiratórios, garganta, inquietude, medo, psicoses, dores précordiais, palpitações, dores torácicas, angina, asma, enfisema, bronquite, tosse, gripe, traqueite, amigdalite, transtornos esofágicos, faringite, laringite, vômitos, dispepsia, azia, disfonia, mudez. L: desde o apêndice xifóides até os incisivos inferiores, num oco acima do queixo. Este último, muito importante para torcicolo e inibições de linguagem.
  • 16. CURSO DE DO-IN - KOJJI 16 20. APLICAÇÕES SINTOMÁTICAS: A MTC não trata de doenças, mas visa buscar o equilíbrio energético, que por sua vez, proporciona ao corpo as condições básicas de combate natural à qualquer distúrbio. Em estudos e experimentos realizados nas Universidades e institutos de pesquisa da China, comprovou-se que o estímulo dos pontos de acupuntura estimula o corpo a produzir substâncias de ação anti-inflamatória, analgésica, mensageiros químicos que atuam no sistema imunológico e neuro-endócrino. Estes experimentos foram conduzidos em seres humanos e animais, mensurados com aparelhos eletroencefalográficos, eletrocardiográficos, eletromiográficos, e testes bioquímicos, o que confere fundamentação científica incontestável. Apesar de não se tratar sintomas isoladamente, fica difícil para o ocidental buscar um bem estar sem um referencial inteligível à sua mentalidade, assim segue-se uma lista de indicações de acordo com os sintomas. Mas lembre-se, esta é uma lista de profilaxia, primeiros socorros e auxílio na cura; não substitui os cuidados médicos, que são sempre essenciais. Nosso organismo é complexo e algumas vezes um simples sintoma pode ser o indício de um grande problema. Por exemplo, as dores de cabeça podem ser indícios de problemas digestivos, tensão e nervosismo, que podem ser debelados facilmente com a shiatsu; entretanto, pode ser também um sinal de infecção (inclusive uma meningite!) ou até um tumor intracraniano. De acordo com a Medicina Chinesa não basta suprimir os sintomas, deve-se ir direto na causa, buscando a etiologia do sintoma em questão. APARELHO RESPIRATÓRIO: ( asma, broncopneumonia, bronquite, bronquiecstasia, coqueluche, tuberculose pulmonar, tosse, etc.) Trabalhar os pontos dos meridianos do Pulmão, Intestino Grosso, Vaso Concepção, Rins, Estômago, Vaso Governador e Bexiga principalmente nos pontos locais da região torácica anterior e posterior. Aplicações de Moxabustão locais são muito eficazes em problemas crônicos. P5 P1 P2 P7 IG4 F3 R3 E36 VC17 a VC22 B10 B12 B13 B17 B21 B22 R26 R27 VB20 . APARELHO GENITO-URINÁRIO: (cistite, nefrite, cólicas renais, disúria, anúria, poliuria, ardor urinário, transtornos menstruais, afecções ginecológicas, prostatite, impotência, frigidez, etc.). Trabalhar meridianos do Rim, Bexiga, Fígado, Baço-Pâncreas e Vaso Concepção. Em casos de deficiência energética como frigidez e impotência, moxar. BP6 R3 R1 E 36 INDÔ VC 1 a VC 7. APARELHO DIGESTIVO: (azia, gastrite, má digestão, náuseas, vômitos, halitose, cólicas abdominais, constipação, gases, etc.) Trabalhar meridianos do Estômago, Baço Pâncreas, Fígado, Vesícula Biliar, Intestino Grosso e Delgado. Em diarréia, má digestão e gases, moxar VC8, IG4, E36, VC12. Massagens nos pontos: IG4 E36 BP6 F3 R3 VC12 a VC22. OLHOS, OUVIDOS, NARIZ, GARGANTA E BOCA: Trabalhar meridianos VC e VG em geral. Para os olhos (otalgia, miopia, conjuntivite, etc.): tratar F, depois VB e B e E, juntamente com IG4 E36 F3 P7 BP6 B1 B2 C3 C5 B60 TA5 INDÔ. Para ouvidos (otite, otalgia, adenopatia retroauriculares, catarro tubário, deficiência auditiva, hipoacusia, etc.): tratar R, VB, TA e ID, juntamente com IG4 B60 R3 TA5 ID3. Para nariz (rinite, coriza, rinopatia alérgica, obstrução nasal, hemorragia nasal, etc.): tratar P e IG juntamente com P9 IG4 IG11 IG20 E36 VB20 B2 F3 VG20 VG26 VC17. Na coriza basta moxar ou tonificar IG4. Para garganta (dor, faringite, laringite, rouquidão, afonia, etc.): tratar IG, E e P, moxar local, juntamente com massagens P7 IG4 E36 F3 VB20 VG20 P9 IG20 B2 INDÔ. Para boca ( odontalgia, herpes labial, abcesso, cáries, etc.): tratar E, IG e C, juntamente com IG4 IG11 E36. ANSIEDADE, ANGÚSTIA, NERVOSISMO: VG, VC, C, B. VG20, VC14, C3, C7.
  • 17. CURSO DE DO-IN - KOJJI 17 CEFALÉIA, ENXAQUECA: massagear todos os meridianos que passam pela cabeça (B, VB, TA, ID, E, IG, VC e VG) P7 IG4 E36 C3 C7 ID3 B60 B65 R1 VG20 VB20 B10 VB21 VC1 VG1 VC22 E45 C5 ID3 + B62. CIATALGIA: Atuar nos meridianos B e VB. Moxar local e B23. B60 BP6 R3 . CÓLICAS MENTRUAIS: VC 1 ao 7, VG3, BP6, P7, R6, F3. GRIPE:. Moxar ou massagear: P5 P7 R6 IG4 P1 P2 VC 17 VC22. HIPERTENSÃO: C7 BP6 P5 B60 B23 CS7 VB20 VG 20 VG16 VC15 IG5. IMPOTÊNCIA/ EJACULAÇÃO PRECOCE/ FRIGIDEZ: muitos dos casos é de ordem emocional e requer psicoterapia. Fricção e amassamento no lado interno da coxa. VC3 e 4, BP6, E36, CS8. INSÔNIA: Massagem no VG, VC, C, P, B e BP. Respiração Profunda Lenta. E36 BP6 C7 VG20 P1 P9 P7 VG24 VC 12 B62 BP9 BP2 VB20 B10 INDÔ IRRITABILIDADE: Atuar nos meridianos F , VB e VG.E36 B65 F3 VG20 VB20 B10. LOMBALGIA: Meridianos B VG e R, Moxas locais e nos pontos BP9 B23. R3 F3 VG4 B60 B65. NÁUSEAS: Atuar no VC, E, F e BP. F3 P5 CS7 C7 C3 VC 12 VC13 VC15 BP1 BP2 F13 B19 B20 NEURASTENIA: Atuar sobre VG e VC. Convém aplicar Moxas ou Tonificar, salvo em caso de excitação manifesta. E36 C3 C5 VG 6 VG12 VG20 VC 6 VC15 R9 ID4 B38. PELE: ( alergias, urticária, furunculose, etc.) Atuar no P, IG e F. P7 IG4 E36 BP6 F3 F8 VG20 VC12 REUMATISMOS: Moxas locais dão excelentes resultados. P9 IG4 IG11 E36 BP2 TA5 VB21 F3 STRESS: Atuar no VG, VC, C, R,etc. VG20, VB20, B10, R1, C7, C3, IG4, E36, BP6. TORCICOLO: Atuar nos meridianos VB, B, IG, ID, TA, VC e VG. Moxas locais e VB20 e 21. Massagem local e nos pontos:VB20 B10 VC24 VG28 B65 E36. TPM e TRANSTORNOS DA MENOPAUSA: Atuar sobre o F, VC e VG. P7 IG4 E36 BP6 C5 B60 R3 F3 VG20 VC 3 VC4 VC6 VC7. A erva chinesa Dong Quai é excelente. 21. EXERCÍCIOS DE DO-IN: Os exercícios de Do-In têm por finalidade estimular e equilibrar o fluxo de energia vital Ki de uma maneira geral. Deslizamento: ação relaxante e calmante, que promove o livre fluxo do ki. Consiste em deslizar com as mãos suavemente para tonificar e com mais pressão para sedar. Na direção do fluxo do meridiano tonifica, na direção contrária seda. Fricção: estimula a circulação sanguinea e os processos metabólicos locais, promovendo alívio da dor e a restauração orgânica. Pode ser feito com as mãos e os dedos friccionando uma região do corpo em que há dor aguda ou crônica. Alguns óleos e ungüentos potencializam o alívio da dor. Fricção com bucha vegetal: também estimula a circulação e o metabolismo local. Indicado para dores crônicas. Esfregar o local em que haja dor ou desconforto produzindo uma hiperemia local, ou esfregar regiões proximais e distais no caminho dos meridianos, longitudinalmente. Percussão: ação estimulante e revitalizante. Com as mãos fechadas, bater suavemente ao longo dos meridianos. Pressão: tem ação relaxante, calmante e sedativa. Promove o descongestionamento o ki e do sangue estagnado, alivia dores agudas. Com a palma da mão ou a ponta dos dedos, pressionar sobre o trajeto dos meridianos. Pinçamento: ação sedativa e descongestionante. Com o polegar e os outros dedos formar uma pinça e belicar apenas a pele, nos locais onde se sente que a energia está congestionada. Amassamento: ação sedativa, relaxante muscular e descopngestionante. Refere-se ao pinçamento pegando grandes porções incluindo os músculos. Também como amassamento no sentido de estar dissolvendo algo, consistindo em pressionar e rotar com a palma da mão ou os dedos, até dissolver uma contratura muscular.
  • 18. CURSO DE DO-IN - KOJJI 18 22. PRANCHAS DOS MERIDIANOS: PONTOS DAS PERNAS, ASPECTO LATERAL E POSTERIOR. MERIDIANO DA VESÍCULA BILIAR ( VB ) MERIDIANO DA BEXIGA ( B ou V )
  • 19. CURSO DE DO-IN - KOJJI 19 PONTOS DAS PERNAS, ASPECTOS ANTERIOR E MESIAL. MERIDIANO DO FÍGADO ( F ou H ) MERIDIANO DO RIM ( R ) MERIDIANO DO BAÇO-PÂNCREAS ( BP ) MERIDIANO DO ESTÔMAGO ( E )
  • 20. CURSO DE DO-IN - KOJJI 20 PONTOS DO TRONCO, ASPECTO ANTERIOR OU FRONTAL. MERIDIANO DO BAÇO-PÂNCREAS ( BP ) MER. DO PULMÃO ( P ) MERIDIANO DO ESTÔMAGO ( E ) MERIDIANO DO RIM ( R ) MER. VASO CONCEPÇÃO ( VC ) MER. CIRCULAÇÃO-SEXO ( CS )
  • 21. CURSO DE DO-IN - KOJJI 21 PONTOS DO TRONCO, ASPECTO POSTERIOR OU DORSAL. MERIDIANO DA BEXIGA ( B ou V ) MER. VESÍC. BILIAR ( VB ) MERIDIANO DO VASO GOVERNADOR ( VG ) MER. INTESTINO GROSSO ( IG ) MER. INT. DELGADO ( ID ) MER. TRIPLO AQUECEDOR ( TA ou TR )
  • 22. CURSO DE DO-IN - KOJJI 22 PONTOS DOS BRAÇOS. MER. PULMÃO ( P ) MER. CIRCULAÇÃO-SEXO ( CS ) MER. CORAÇÃO ( C ) MER. INTESTINO DELGADO ( ID ) MER. TRIPLO-AQUECEDOR ( TA/TR ) MER. INTEST. GROSSO ( IG )
  • 23. CURSO DE DO-IN - KOJJI 23 PONTOS DA CABEÇA. MERIDIANO VASO GOVERNADOR ( VG ) MER. TRIPLO AQUECEDOR ( TA ) MER. BEXIGA ( V ) MER. INTESTINO DELGADO ( ID ) MER. ESTÔMAGO ( E ) MER. VESÍCULA BILIAR ( VB ) MER. INTEST. GROSSO ( IG )