SlideShare uma empresa Scribd logo
Agrupamento de Escolas de D. Manuel de Faria e Sousa – 151520
                             ESCOLA EB 2, 3 D. MANUEL DE FARIA E SOUSA – 310098
                                      Direcção Regional de Educação do Norte



                   F ICHA   INFORMATIVA : CONTEXTUAL IZAÇÃO D ’O S                  L USÍADAS
 A. Associa cada um dos acontecimentos referidos ao respectivo reinado:

                                               2ª Dinastia
      D. JOÃO I
                                            a) Este monarca era irmão da rainha D. Leonor e primo do rei D. João II.
 O DE BOA MEMÓRIA
                                            Vasco da Gama atingiu a Índia em 1498, comandando uma frota já
     10º Monarca
                                            preparada pelo seu antecessor.
  Reinado: 1385/1433
                                            b) Fez-se a edição das obras de Gil Vicente, Garcia de Orta e Damião de
     D. DUARTE
                                            Góis,   e     de   Os    Lusíadas,   epopeia    de   Luís   de   Camões.
   O ELOQUENTE
                                            Pretendeu estabelecer um império cristão português em Marrocos, tendo
     11º Monarca
                                            organizado um grande exército para invadir e ocupar esse território,
  Reinado:1433/1438
                                            integrando-se ele mesmo nos quadros do comando.
    D. AFONSO V                             c) Nascimento de Gil Vicente.
    O AFRICANO
                                            d) Iniciou a expansão ultramarina nacional, com a conquista de Ceuta e
     12º Monarca
                                            com o descobrimento da Madeira e dos Açores.
  Reinado: 1438/1481

     D. JOÃO II                             e) Nascimento de Luís Vaz de Camões.

O PRÍNCIPE PERFEITO                         f) Para comemorar o descobrimento do caminho marítimo para a Índia, o
     13º Monarca                            rei edificou o majestoso Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa. Iniciámos a
  Reinado:1481/1495                         ocupação territorial na Índia.

                                            g) Podemos afirmar que se atingiu o arquipélago de Cabo Verde, a Guiné,
                                            São Tomé e Príncipe, o Rio do Ouro, a Costa do Marfim, a Costa da Mina, a
                                            Serra Leoa.

                                            h) Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil em 1500. A armada dirigia-se à
    D. MANUEL I
                                            Índia, tendo atingido o Brasil por desvio de rota programado. Não foi este
  O VENTUROSO                               o último descobrimento, mas dos posteriores já pouco se costuma falar.
     14º Monarca
                                            i) No seu reinado realizaram-se as últimas grandes tentativas de
  Reinado:1495/1521
                                            exploração marítima, pois havia interesse em chegar depressa à Índia, a
                                            grande fonte produtora das especiarias. Podemos referir três expedições
                                            de grande importância, as duas viagens de Diogo Cão, que descobriu a
                                            costa de Angola e subiu o rio Zaire, e a de Bartolomeu Dias, que dobrou o
                                            Cabo da Boa Esperança, Cabo das Tormentas ou Cabo das Tempestades.
j) No tempo deste monarca começou a decadência nacional; no reinado de
                                                     D. Manuel, o prestígio de Portugal tinha atingido o apogeu e agora, por
                                                     razões diversas, entrava em declínio. O esforço feito, quanto a exigências
                                                     de pessoal, causou o amolecimento, a astenia; e a abundância de riquezas
                                                     fáceis e rapidamente adquiridas provocou o comodismo. Verificando-se
                                                     que as praças marroquinas não ofereciam vantagens e exigiam sacrifícios,
            D. JOÃO III
                                                     começaram a ser abandonadas.
            O PIEDOSO
                                                     K) As tropas lusitanas foram derrotadas em Alcácer Quibir; o rei
            15º Monarca
                                                     desapareceu durante a batalha, nunca se encontrando o seu corpo. Os
      Reinado:1521/1557
                                                     portugueses esperaram o seu regresso, criando-se assim um mito, que
                                                     sustentava a crença de que voltaria um dia, numa manhã de nevoeiro.
                                                     l) Nasceu após o falecimento do seu progenitor e é uma das razões para ter
                                                     o epíteto de Desejado. Como tinha só uns três anos de idade quando
                                                     herdou o trono, governaram o País primeiro sua avó, D. Catarina, e depois
                                                     seu tio-avô, o Cardeal D. Henrique, o seu sucessor no trono.

                                                     m) Morte de Gil Vicente.

                                                     n) Teve um reinado muito curto, e cheio de contratempos que muito o
                                                     fizeram sofrer. Continuaram as tentativas de expansão portuguesa, por via
       D. SEBASTIÃO
                                                     marítima, tendo sido atingidos na costa ocidental da África o Cabo Bojador
        O DESEJADO
                                                     e a Angra dos Ruivos.
            15º Monarca
                                                     o) Em consequência dos descobrimentos marítimos, feitos especialmente
      Reinado:1557/1578
                                                     pelos portugueses e espanhóis, foi assinado o Tratado de Tordesilhas, que
                                                     dividiu entre Espanha e Portugal as terras já descobertas ou ainda a
                                                     descobrir.


    B. Identifica a dinastia a que se referem as seguintes características:

1ª Dinastia (até 1385)            2ª Dinastia (até 1580)            3ª Dinastia (até 1640)         4ª Dinastia (até 1910)

* Descontentamento provocado pelo novo sistema de
governo e a saída de Lisboa para Madrid, do centro de
decisões.
* Saudosismo do passado, francamente progressivo e
atribuição das causas de decadência à realidade de momento.
* Iniciou-se com duas guerras seguidas, que absorveram a
maior parte da nossa capacidade de resistência.
* Registamos um período de exagerado autoritarismo, em
relação com a difusão do cesarismo e do despotismo
iluminado.
* Tentou-se dominar o sector eclesiástico, combatendo as
ordens religiosas e difundindo o anticlericalismo.
* Luta contra os leoneses e contra os mouros, tendo em vista
a consolidação da independência e o alargamento do
território.
* Guerra entre reis e seus próximos parentes, algumas vezes
filhos bastardos, por motivo da sucessão no governo.
* Preocupação pelo desenvolvimento nacional, através do
povoamento, agricultura, pesca e comércio.
* Período de expansão, continuando a luta contra os mouros,
em Marrocos, e descobrindo novas terras, pelo mar.
* Aumento da importância da actividade comercial, atraindo
a Lisboa mercadorias raras e caras, com lucros muito
volumosos.
* Interesse pela manutenção da pureza da fé cristã em
Portugal e sua expansão pelo mundo, a partir dos lugares
ocupados.
* Manifestação da mentalidade humanista, ao lado da
intransigência religiosa católica contra as ideias protestantes.


     C. Transcreve, do conjunto de termos abaixo enunciados, aquele que corresponde a cada uma das
        definições inscritas na coluna da esquerda.

                                 • Humanismo • Renascimento • Classicismo • Epopeia

A concepção antropocêntrica (o Homem no centro das
preocupações) prevalece sobre a concepção
teocêntrica (característica da Idade Média, que põe
Deus no centro do universo). O Homem passa a ser
encarado como a medida de todas as coisas: as noções
de certo e errado, bem e mal, justo e injusto, etc., têm
por referência a perspectiva do ser humano.

Narrativa que visa celebrar feitos grandiosos de um
herói (ou de vários heróis) com méritos fora do
comum. A celebração dos feitos deste(s) herói(s) é
também o modo de celebrar poeticamente a História e
as tradições do povo que representa.

Tem por base a imitação dos modelos "clássicos"
(modelos literários e artísticos "antigos") e defende
que a arte deve ser equilibrada (um conteúdo rico
numa forma perfeita), conjugando Razão e
Sentimento, e tendo, por definição, um carácter
universal e intemporal.

Promove-se a redescoberta do espírito crítico,
acompanhado por um aumento de interesse pela
cultura antiga, greco-Iatina: a assimilação desta cultura
vai ser favorecida pela actividade dos humanistas que
se dedicavam à pesquisa e crítica de textos. Aos
poucos, a cultura humanista vai-se consubstanciando
num conjunto de valores considerados de alcance
universal.
D. Após audição atenta do texto, completa-o com as informações essenciais à sua compreensão.

 Os Lusíadas: Estrutura externa e interna

            As fontes literárias de Camões foram as grandes epopeias clássicas, como por exemplo, a
___________________ de Homero, e a ____________ de Virgílio. Para narrar a Viagem de Vasco da Gama e História
de Portugal, este poeta serviu-se, ainda, de fontes ________________ como as crónicas de Fernão Lopes e de Rui de
Pina.
            Os Lusíadas são constituídos por _____________. Cada canto possui um número variável de __________,
com __________ versos.
            As estrofes obedecem a uma estrutura fixa: são compostas por versos de __________ sílabas
(________________), com acento na sexta e décima sílabas (versos ________________).
            As      estrofes    apresentam        o         seguinte         esquema         rimático:         ________________,
ou          seja,     rima     ______________         nos       seis         primeiros       versos       e       _____________
nos dois últimos.
            Seguindo os modelos clássicos, Camões estruturou internamente o poema em _______ partes:
_______________, ___________________, ______________ e _______________.
            O começo da narração não coincide com o começo da acção, isto é, a narração da viagem de Vasco da Gama
inicia-se quando esta já vai a meio. A este processo narrativo damos o nome ___________________.
            A narração de Os Lusíadas constrói-se através da articulação dos planos narrativos da _________________,
_________________, _____________ e, ainda, do plano do ________________, onde se pode ler as suas reflexões e
críticas.


     E. Observa o quadro.




1. Encontra, nesta sopa de letras camoniana, na vertical ou na horizontal, os termos que correspondam a:
  • Autor latino que escreveu «A Eneida».                              • Parte da estrutura interna em que o Poeta pede auxílio
  • Autor grego que escreveu «Odisseia».                               às musas.
  • Famosa epopeia sobre Ulisses.                                      • Parte da estrutura interna da obra em que o Poeta
  • Famosa epopeia sobre Eneias.                                       dedica o seu trabalho a D. Sebastião.
  • Autor de «Os Lusíadas».                                            • Parte da estrutura interna da obra em que o Poeta narra
  • Parte da estrutura interna da obra em que o Poeta                  os acontecimentos que constituem a acção.
  indica o assunto a tratar.                                           • Um dos oito elementos que constituem uma estância
                                                                       em Os Lusíadas.
Ft20 Informativa Lusiadas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

História de portugal
História de portugalHistória de portugal
História de portugal
davidetavares
 
História De Portugal
História De PortugalHistória De Portugal
História De Portugal
gigilu
 
Historia de portugal
Historia de portugalHistoria de portugal
Historia de portugal
Gabriel Pereira
 
Reis portugal 1ª, 2ª, 3ª e 4ª dinastias.
Reis portugal   1ª, 2ª, 3ª e 4ª dinastias.Reis portugal   1ª, 2ª, 3ª e 4ª dinastias.
Reis portugal 1ª, 2ª, 3ª e 4ª dinastias.
Álvaro Maurício
 
Reis De Portugal
Reis De PortugalReis De Portugal
Reis De Portugal
Helena
 
A historia de portugal
A historia de portugalA historia de portugal
A historia de portugal
gracindacasais
 
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Annarrocha
 
Eubiose 19 fev-2013 leitura sobre as armas de portugal - prenuncio do novo pr...
Eubiose 19 fev-2013 leitura sobre as armas de portugal - prenuncio do novo pr...Eubiose 19 fev-2013 leitura sobre as armas de portugal - prenuncio do novo pr...
Eubiose 19 fev-2013 leitura sobre as armas de portugal - prenuncio do novo pr...
Numeric Contadores
 
Portugal nos séculos XV e XVI
Portugal nos séculos XV e XVIPortugal nos séculos XV e XVI
Portugal nos séculos XV e XVI
cruchinho
 
A Formação do Reino de Portugal
A Formação do Reino de PortugalA Formação do Reino de Portugal
A Formação do Reino de Portugal
HistN
 
A Expansão Portuguesa
A Expansão PortuguesaA Expansão Portuguesa
A Expansão Portuguesa
guestd7ff71
 
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templariaEubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
Numeric Contadores
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
O império português
O império portuguêsO império português
O império português
Carla Freitas
 
Sos matéria descobrimentos.
Sos matéria descobrimentos.Sos matéria descobrimentos.
Sos matéria descobrimentos.
Ana Pereira
 
Descobrimentos motivos
Descobrimentos motivosDescobrimentos motivos
Descobrimentos motivos
Maria Gomes
 
História de Portugal
História de PortugalHistória de Portugal
História de Portugal
Sílvia Bastos
 
Reis de portugal
Reis de portugalReis de portugal
Reis de portugal
anptrinta
 
A Expansão Portuguesa1
A Expansão Portuguesa1A Expansão Portuguesa1
A Expansão Portuguesa1
guest59219f5
 
História de portugal
História de portugalHistória de portugal
História de portugal
ana2643232
 

Mais procurados (20)

História de portugal
História de portugalHistória de portugal
História de portugal
 
História De Portugal
História De PortugalHistória De Portugal
História De Portugal
 
Historia de portugal
Historia de portugalHistoria de portugal
Historia de portugal
 
Reis portugal 1ª, 2ª, 3ª e 4ª dinastias.
Reis portugal   1ª, 2ª, 3ª e 4ª dinastias.Reis portugal   1ª, 2ª, 3ª e 4ª dinastias.
Reis portugal 1ª, 2ª, 3ª e 4ª dinastias.
 
Reis De Portugal
Reis De PortugalReis De Portugal
Reis De Portugal
 
A historia de portugal
A historia de portugalA historia de portugal
A historia de portugal
 
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9
 
Eubiose 19 fev-2013 leitura sobre as armas de portugal - prenuncio do novo pr...
Eubiose 19 fev-2013 leitura sobre as armas de portugal - prenuncio do novo pr...Eubiose 19 fev-2013 leitura sobre as armas de portugal - prenuncio do novo pr...
Eubiose 19 fev-2013 leitura sobre as armas de portugal - prenuncio do novo pr...
 
Portugal nos séculos XV e XVI
Portugal nos séculos XV e XVIPortugal nos séculos XV e XVI
Portugal nos séculos XV e XVI
 
A Formação do Reino de Portugal
A Formação do Reino de PortugalA Formação do Reino de Portugal
A Formação do Reino de Portugal
 
A Expansão Portuguesa
A Expansão PortuguesaA Expansão Portuguesa
A Expansão Portuguesa
 
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templariaEubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
 
O império português
O império portuguêsO império português
O império português
 
Sos matéria descobrimentos.
Sos matéria descobrimentos.Sos matéria descobrimentos.
Sos matéria descobrimentos.
 
Descobrimentos motivos
Descobrimentos motivosDescobrimentos motivos
Descobrimentos motivos
 
História de Portugal
História de PortugalHistória de Portugal
História de Portugal
 
Reis de portugal
Reis de portugalReis de portugal
Reis de portugal
 
A Expansão Portuguesa1
A Expansão Portuguesa1A Expansão Portuguesa1
A Expansão Portuguesa1
 
História de portugal
História de portugalHistória de portugal
História de portugal
 

Destaque

Ficha 5 lusiadas
Ficha 5  lusiadasFicha 5  lusiadas
Ficha 5 lusiadas
1950casal
 
Ft26 ConsíLio Deuses
Ft26 ConsíLio DeusesFt26 ConsíLio Deuses
Ft26 ConsíLio Deuses
Fernanda Soares
 
Luísa Dacosta
Luísa Dacosta Luísa Dacosta
Luísa Dacosta
Célia Vasconcelos
 
Atividades Deuses Gregos
Atividades Deuses GregosAtividades Deuses Gregos
Atividades Deuses Gregos
Doug Caesar
 
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasGigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Dina Baptista
 
Ft consílio deuses
Ft   consílio deusesFt   consílio deuses
Ft consílio deuses
Profraq
 
Teste diagnostico 9 ano cor
Teste diagnostico 9 ano   corTeste diagnostico 9 ano   cor
Teste diagnostico 9 ano cor
Mayjö .
 
Gramática divertida
Gramática  divertida Gramática  divertida
Gramática divertida
Georgina Pinto
 
Atenas - Grécia
Atenas - GréciaAtenas - Grécia
Atenas - Grécia
João França
 
Bibliobeiriz gp-referencias-bibliograficas1
Bibliobeiriz gp-referencias-bibliograficas1Bibliobeiriz gp-referencias-bibliograficas1
Bibliobeiriz gp-referencias-bibliograficas1
Biblioteca da Escola EB 2/3 de Beiriz
 
Despedidas em belém
Despedidas em belémDespedidas em belém
Despedidas em belém
Lurdes
 
Análise do episódio "Inês de Castro"
Análise do episódio "Inês de Castro"Análise do episódio "Inês de Castro"
Análise do episódio "Inês de Castro"
Inês Moreira
 
Como fazer uma_apresentação_oral
Como fazer uma_apresentação_oralComo fazer uma_apresentação_oral
Como fazer uma_apresentação_oral
INAbiblioteca
 

Destaque (13)

Ficha 5 lusiadas
Ficha 5  lusiadasFicha 5  lusiadas
Ficha 5 lusiadas
 
Ft26 ConsíLio Deuses
Ft26 ConsíLio DeusesFt26 ConsíLio Deuses
Ft26 ConsíLio Deuses
 
Luísa Dacosta
Luísa Dacosta Luísa Dacosta
Luísa Dacosta
 
Atividades Deuses Gregos
Atividades Deuses GregosAtividades Deuses Gregos
Atividades Deuses Gregos
 
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasGigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
 
Ft consílio deuses
Ft   consílio deusesFt   consílio deuses
Ft consílio deuses
 
Teste diagnostico 9 ano cor
Teste diagnostico 9 ano   corTeste diagnostico 9 ano   cor
Teste diagnostico 9 ano cor
 
Gramática divertida
Gramática  divertida Gramática  divertida
Gramática divertida
 
Atenas - Grécia
Atenas - GréciaAtenas - Grécia
Atenas - Grécia
 
Bibliobeiriz gp-referencias-bibliograficas1
Bibliobeiriz gp-referencias-bibliograficas1Bibliobeiriz gp-referencias-bibliograficas1
Bibliobeiriz gp-referencias-bibliograficas1
 
Despedidas em belém
Despedidas em belémDespedidas em belém
Despedidas em belém
 
Análise do episódio "Inês de Castro"
Análise do episódio "Inês de Castro"Análise do episódio "Inês de Castro"
Análise do episódio "Inês de Castro"
 
Como fazer uma_apresentação_oral
Como fazer uma_apresentação_oralComo fazer uma_apresentação_oral
Como fazer uma_apresentação_oral
 

Semelhante a Ft20 Informativa Lusiadas

2ª dinastia trabalho marco2012
2ª dinastia   trabalho marco20122ª dinastia   trabalho marco2012
2ª dinastia trabalho marco2012
Ministério da Educação
 
História de portugal1
História de portugal1História de portugal1
História de portugal1
EB Foros de Amora
 
Vasco da gama
Vasco da gamaVasco da gama
Vasco da gama
andreaires
 
2ª Dinastia - 4º Ano2ª Dinastia - 4º Ano.pdf2ª Dinastia - 4º Ano.pdf
2ª Dinastia - 4º Ano2ª Dinastia - 4º Ano.pdf2ª Dinastia - 4º Ano.pdf2ª Dinastia - 4º Ano2ª Dinastia - 4º Ano.pdf2ª Dinastia - 4º Ano.pdf
2ª Dinastia - 4º Ano2ª Dinastia - 4º Ano.pdf2ª Dinastia - 4º Ano.pdf
NotaExemplar
 
A Expansão Portuguesa
A Expansão Portuguesa A Expansão Portuguesa
A Expansão Portuguesa
Ministério da Educação
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
Reginaldo Teixeira Teixeira
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
Álvaro Maurício
 
Século XIV até século XVI
Século XIV até século XVISéculo XIV até século XVI
Século XIV até século XVI
Catarina Sequeira
 
167 a expansão maritima portuguesa e descobrimento do brasil
167 a expansão maritima portuguesa e descobrimento do brasil167 a expansão maritima portuguesa e descobrimento do brasil
167 a expansão maritima portuguesa e descobrimento do brasil
cristianoperinpissolato
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
Nilton Sá
 
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Sandra Madeira
 
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
Cabiamar
 
Apontamentos historia a expansão marítima portuguesa
Apontamentos historia a expansão marítima portuguesaApontamentos historia a expansão marítima portuguesa
Apontamentos historia a expansão marítima portuguesa
Marta Pacheco
 
re82121_euvez5_pp_expansao.pptx
re82121_euvez5_pp_expansao.pptxre82121_euvez5_pp_expansao.pptx
re82121_euvez5_pp_expansao.pptx
ngelaMendes10
 
A+história+de+portugal
A+história+de+portugalA+história+de+portugal
A+história+de+portugal
belinhas
 
Cronologia da-historia-de-portugal
Cronologia da-historia-de-portugalCronologia da-historia-de-portugal
Cronologia da-historia-de-portugal
josepinho
 
Historia de Portugal
Historia de PortugalHistoria de Portugal
Historia de Portugal
profigor
 
Ate a segunda dinastia
Ate a segunda dinastiaAte a segunda dinastia
Ate a segunda dinastia
Froncky
 
Até a segunda dinastia
Até a segunda dinastiaAté a segunda dinastia
Até a segunda dinastia
Froncky
 
Expansão marítima e comercial 2021
Expansão marítima e comercial 2021Expansão marítima e comercial 2021
Expansão marítima e comercial 2021
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 

Semelhante a Ft20 Informativa Lusiadas (20)

2ª dinastia trabalho marco2012
2ª dinastia   trabalho marco20122ª dinastia   trabalho marco2012
2ª dinastia trabalho marco2012
 
História de portugal1
História de portugal1História de portugal1
História de portugal1
 
Vasco da gama
Vasco da gamaVasco da gama
Vasco da gama
 
2ª Dinastia - 4º Ano2ª Dinastia - 4º Ano.pdf2ª Dinastia - 4º Ano.pdf
2ª Dinastia - 4º Ano2ª Dinastia - 4º Ano.pdf2ª Dinastia - 4º Ano.pdf2ª Dinastia - 4º Ano2ª Dinastia - 4º Ano.pdf2ª Dinastia - 4º Ano.pdf
2ª Dinastia - 4º Ano2ª Dinastia - 4º Ano.pdf2ª Dinastia - 4º Ano.pdf
 
A Expansão Portuguesa
A Expansão Portuguesa A Expansão Portuguesa
A Expansão Portuguesa
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
 
Século XIV até século XVI
Século XIV até século XVISéculo XIV até século XVI
Século XIV até século XVI
 
167 a expansão maritima portuguesa e descobrimento do brasil
167 a expansão maritima portuguesa e descobrimento do brasil167 a expansão maritima portuguesa e descobrimento do brasil
167 a expansão maritima portuguesa e descobrimento do brasil
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
 
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9
 
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
 
Apontamentos historia a expansão marítima portuguesa
Apontamentos historia a expansão marítima portuguesaApontamentos historia a expansão marítima portuguesa
Apontamentos historia a expansão marítima portuguesa
 
re82121_euvez5_pp_expansao.pptx
re82121_euvez5_pp_expansao.pptxre82121_euvez5_pp_expansao.pptx
re82121_euvez5_pp_expansao.pptx
 
A+história+de+portugal
A+história+de+portugalA+história+de+portugal
A+história+de+portugal
 
Cronologia da-historia-de-portugal
Cronologia da-historia-de-portugalCronologia da-historia-de-portugal
Cronologia da-historia-de-portugal
 
Historia de Portugal
Historia de PortugalHistoria de Portugal
Historia de Portugal
 
Ate a segunda dinastia
Ate a segunda dinastiaAte a segunda dinastia
Ate a segunda dinastia
 
Até a segunda dinastia
Até a segunda dinastiaAté a segunda dinastia
Até a segunda dinastia
 
Expansão marítima e comercial 2021
Expansão marítima e comercial 2021Expansão marítima e comercial 2021
Expansão marítima e comercial 2021
 

Mais de Fernanda Soares

Exame 2010
Exame 2010Exame 2010
Exame 2010
Fernanda Soares
 
Exame 2010
Exame 2010Exame 2010
Exame 2010
Fernanda Soares
 
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B 2 Elim
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B 2 ElimResultados Do Campeonato De Ortografia 9 B 2 Elim
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B 2 Elim
Fernanda Soares
 
Resultados do campeonato de ortografia 8 e
Resultados do campeonato de ortografia 8 eResultados do campeonato de ortografia 8 e
Resultados do campeonato de ortografia 8 e
Fernanda Soares
 
W31 Sub Conc Cons Comp Fin Complet
W31 Sub Conc Cons Comp Fin CompletW31 Sub Conc Cons Comp Fin Complet
W31 Sub Conc Cons Comp Fin Complet
Fernanda Soares
 
Game Rooms House
Game Rooms HouseGame Rooms House
Game Rooms House
Fernanda Soares
 
Musical Challenge
Musical ChallengeMusical Challenge
Musical Challenge
Fernanda Soares
 
Game Types Houses
Game Types HousesGame Types Houses
Game Types Houses
Fernanda Soares
 
W8 Past Simple Further Practice
W8 Past Simple  Further PracticeW8 Past Simple  Further Practice
W8 Past Simple Further Practice
Fernanda Soares
 
W8 Past Simple Practice
W8 Past Simple  PracticeW8 Past Simple  Practice
W8 Past Simple Practice
Fernanda Soares
 
W4 Articles Indefinite And Definite
W4 Articles  Indefinite And DefiniteW4 Articles  Indefinite And Definite
W4 Articles Indefinite And Definite
Fernanda Soares
 
W6 My Happy Ending Verbo To Be Simple Past
W6 My Happy Ending   Verbo To Be Simple PastW6 My Happy Ending   Verbo To Be Simple Past
W6 My Happy Ending Verbo To Be Simple Past
Fernanda Soares
 
W5 Present Simple Pr Continuous
W5 Present Simple Pr ContinuousW5 Present Simple Pr Continuous
W5 Present Simple Pr Continuous
Fernanda Soares
 
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 BResultados Do Campeonato De Ortografia 9 B
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B
Fernanda Soares
 
Ft29 Ines De Castro
Ft29 Ines De CastroFt29 Ines De Castro
Ft29 Ines De Castro
Fernanda Soares
 
Ft28 Quadro Global Lusiadas
Ft28 Quadro Global LusiadasFt28 Quadro Global Lusiadas
Ft28 Quadro Global Lusiadas
Fernanda Soares
 
Ft25 Relativas
Ft25 RelativasFt25 Relativas
Ft25 Relativas
Fernanda Soares
 
Ft24 Figuras Estilo Lusiadas
Ft24 Figuras Estilo LusiadasFt24 Figuras Estilo Lusiadas
Ft24 Figuras Estilo Lusiadas
Fernanda Soares
 
Ft23 Ficha Formativa Lusiadas
Ft23 Ficha Formativa LusiadasFt23 Ficha Formativa Lusiadas
Ft23 Ficha Formativa Lusiadas
Fernanda Soares
 

Mais de Fernanda Soares (20)

Exame 2010
Exame 2010Exame 2010
Exame 2010
 
Exame 2010
Exame 2010Exame 2010
Exame 2010
 
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B 2 Elim
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B 2 ElimResultados Do Campeonato De Ortografia 9 B 2 Elim
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B 2 Elim
 
Resultados do campeonato de ortografia 8 e
Resultados do campeonato de ortografia 8 eResultados do campeonato de ortografia 8 e
Resultados do campeonato de ortografia 8 e
 
W31 Sub Conc Cons Comp Fin Complet
W31 Sub Conc Cons Comp Fin CompletW31 Sub Conc Cons Comp Fin Complet
W31 Sub Conc Cons Comp Fin Complet
 
Game Rooms House
Game Rooms HouseGame Rooms House
Game Rooms House
 
Musical Challenge
Musical ChallengeMusical Challenge
Musical Challenge
 
Game Types Houses
Game Types HousesGame Types Houses
Game Types Houses
 
A Special House
A Special HouseA Special House
A Special House
 
W8 Past Simple Further Practice
W8 Past Simple  Further PracticeW8 Past Simple  Further Practice
W8 Past Simple Further Practice
 
W8 Past Simple Practice
W8 Past Simple  PracticeW8 Past Simple  Practice
W8 Past Simple Practice
 
W4 Articles Indefinite And Definite
W4 Articles  Indefinite And DefiniteW4 Articles  Indefinite And Definite
W4 Articles Indefinite And Definite
 
W6 My Happy Ending Verbo To Be Simple Past
W6 My Happy Ending   Verbo To Be Simple PastW6 My Happy Ending   Verbo To Be Simple Past
W6 My Happy Ending Verbo To Be Simple Past
 
W5 Present Simple Pr Continuous
W5 Present Simple Pr ContinuousW5 Present Simple Pr Continuous
W5 Present Simple Pr Continuous
 
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 BResultados Do Campeonato De Ortografia 9 B
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B
 
Ft29 Ines De Castro
Ft29 Ines De CastroFt29 Ines De Castro
Ft29 Ines De Castro
 
Ft28 Quadro Global Lusiadas
Ft28 Quadro Global LusiadasFt28 Quadro Global Lusiadas
Ft28 Quadro Global Lusiadas
 
Ft25 Relativas
Ft25 RelativasFt25 Relativas
Ft25 Relativas
 
Ft24 Figuras Estilo Lusiadas
Ft24 Figuras Estilo LusiadasFt24 Figuras Estilo Lusiadas
Ft24 Figuras Estilo Lusiadas
 
Ft23 Ficha Formativa Lusiadas
Ft23 Ficha Formativa LusiadasFt23 Ficha Formativa Lusiadas
Ft23 Ficha Formativa Lusiadas
 

Ft20 Informativa Lusiadas

  • 1. Agrupamento de Escolas de D. Manuel de Faria e Sousa – 151520 ESCOLA EB 2, 3 D. MANUEL DE FARIA E SOUSA – 310098 Direcção Regional de Educação do Norte F ICHA INFORMATIVA : CONTEXTUAL IZAÇÃO D ’O S L USÍADAS A. Associa cada um dos acontecimentos referidos ao respectivo reinado: 2ª Dinastia D. JOÃO I a) Este monarca era irmão da rainha D. Leonor e primo do rei D. João II. O DE BOA MEMÓRIA Vasco da Gama atingiu a Índia em 1498, comandando uma frota já 10º Monarca preparada pelo seu antecessor. Reinado: 1385/1433 b) Fez-se a edição das obras de Gil Vicente, Garcia de Orta e Damião de D. DUARTE Góis, e de Os Lusíadas, epopeia de Luís de Camões. O ELOQUENTE Pretendeu estabelecer um império cristão português em Marrocos, tendo 11º Monarca organizado um grande exército para invadir e ocupar esse território, Reinado:1433/1438 integrando-se ele mesmo nos quadros do comando. D. AFONSO V c) Nascimento de Gil Vicente. O AFRICANO d) Iniciou a expansão ultramarina nacional, com a conquista de Ceuta e 12º Monarca com o descobrimento da Madeira e dos Açores. Reinado: 1438/1481 D. JOÃO II e) Nascimento de Luís Vaz de Camões. O PRÍNCIPE PERFEITO f) Para comemorar o descobrimento do caminho marítimo para a Índia, o 13º Monarca rei edificou o majestoso Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa. Iniciámos a Reinado:1481/1495 ocupação territorial na Índia. g) Podemos afirmar que se atingiu o arquipélago de Cabo Verde, a Guiné, São Tomé e Príncipe, o Rio do Ouro, a Costa do Marfim, a Costa da Mina, a Serra Leoa. h) Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil em 1500. A armada dirigia-se à D. MANUEL I Índia, tendo atingido o Brasil por desvio de rota programado. Não foi este O VENTUROSO o último descobrimento, mas dos posteriores já pouco se costuma falar. 14º Monarca i) No seu reinado realizaram-se as últimas grandes tentativas de Reinado:1495/1521 exploração marítima, pois havia interesse em chegar depressa à Índia, a grande fonte produtora das especiarias. Podemos referir três expedições de grande importância, as duas viagens de Diogo Cão, que descobriu a costa de Angola e subiu o rio Zaire, e a de Bartolomeu Dias, que dobrou o Cabo da Boa Esperança, Cabo das Tormentas ou Cabo das Tempestades.
  • 2. j) No tempo deste monarca começou a decadência nacional; no reinado de D. Manuel, o prestígio de Portugal tinha atingido o apogeu e agora, por razões diversas, entrava em declínio. O esforço feito, quanto a exigências de pessoal, causou o amolecimento, a astenia; e a abundância de riquezas fáceis e rapidamente adquiridas provocou o comodismo. Verificando-se que as praças marroquinas não ofereciam vantagens e exigiam sacrifícios, D. JOÃO III começaram a ser abandonadas. O PIEDOSO K) As tropas lusitanas foram derrotadas em Alcácer Quibir; o rei 15º Monarca desapareceu durante a batalha, nunca se encontrando o seu corpo. Os Reinado:1521/1557 portugueses esperaram o seu regresso, criando-se assim um mito, que sustentava a crença de que voltaria um dia, numa manhã de nevoeiro. l) Nasceu após o falecimento do seu progenitor e é uma das razões para ter o epíteto de Desejado. Como tinha só uns três anos de idade quando herdou o trono, governaram o País primeiro sua avó, D. Catarina, e depois seu tio-avô, o Cardeal D. Henrique, o seu sucessor no trono. m) Morte de Gil Vicente. n) Teve um reinado muito curto, e cheio de contratempos que muito o fizeram sofrer. Continuaram as tentativas de expansão portuguesa, por via D. SEBASTIÃO marítima, tendo sido atingidos na costa ocidental da África o Cabo Bojador O DESEJADO e a Angra dos Ruivos. 15º Monarca o) Em consequência dos descobrimentos marítimos, feitos especialmente Reinado:1557/1578 pelos portugueses e espanhóis, foi assinado o Tratado de Tordesilhas, que dividiu entre Espanha e Portugal as terras já descobertas ou ainda a descobrir. B. Identifica a dinastia a que se referem as seguintes características: 1ª Dinastia (até 1385) 2ª Dinastia (até 1580) 3ª Dinastia (até 1640) 4ª Dinastia (até 1910) * Descontentamento provocado pelo novo sistema de governo e a saída de Lisboa para Madrid, do centro de decisões. * Saudosismo do passado, francamente progressivo e atribuição das causas de decadência à realidade de momento. * Iniciou-se com duas guerras seguidas, que absorveram a maior parte da nossa capacidade de resistência. * Registamos um período de exagerado autoritarismo, em relação com a difusão do cesarismo e do despotismo iluminado. * Tentou-se dominar o sector eclesiástico, combatendo as ordens religiosas e difundindo o anticlericalismo.
  • 3. * Luta contra os leoneses e contra os mouros, tendo em vista a consolidação da independência e o alargamento do território. * Guerra entre reis e seus próximos parentes, algumas vezes filhos bastardos, por motivo da sucessão no governo. * Preocupação pelo desenvolvimento nacional, através do povoamento, agricultura, pesca e comércio. * Período de expansão, continuando a luta contra os mouros, em Marrocos, e descobrindo novas terras, pelo mar. * Aumento da importância da actividade comercial, atraindo a Lisboa mercadorias raras e caras, com lucros muito volumosos. * Interesse pela manutenção da pureza da fé cristã em Portugal e sua expansão pelo mundo, a partir dos lugares ocupados. * Manifestação da mentalidade humanista, ao lado da intransigência religiosa católica contra as ideias protestantes. C. Transcreve, do conjunto de termos abaixo enunciados, aquele que corresponde a cada uma das definições inscritas na coluna da esquerda. • Humanismo • Renascimento • Classicismo • Epopeia A concepção antropocêntrica (o Homem no centro das preocupações) prevalece sobre a concepção teocêntrica (característica da Idade Média, que põe Deus no centro do universo). O Homem passa a ser encarado como a medida de todas as coisas: as noções de certo e errado, bem e mal, justo e injusto, etc., têm por referência a perspectiva do ser humano. Narrativa que visa celebrar feitos grandiosos de um herói (ou de vários heróis) com méritos fora do comum. A celebração dos feitos deste(s) herói(s) é também o modo de celebrar poeticamente a História e as tradições do povo que representa. Tem por base a imitação dos modelos "clássicos" (modelos literários e artísticos "antigos") e defende que a arte deve ser equilibrada (um conteúdo rico numa forma perfeita), conjugando Razão e Sentimento, e tendo, por definição, um carácter universal e intemporal. Promove-se a redescoberta do espírito crítico, acompanhado por um aumento de interesse pela cultura antiga, greco-Iatina: a assimilação desta cultura vai ser favorecida pela actividade dos humanistas que se dedicavam à pesquisa e crítica de textos. Aos poucos, a cultura humanista vai-se consubstanciando num conjunto de valores considerados de alcance universal.
  • 4. D. Após audição atenta do texto, completa-o com as informações essenciais à sua compreensão. Os Lusíadas: Estrutura externa e interna As fontes literárias de Camões foram as grandes epopeias clássicas, como por exemplo, a ___________________ de Homero, e a ____________ de Virgílio. Para narrar a Viagem de Vasco da Gama e História de Portugal, este poeta serviu-se, ainda, de fontes ________________ como as crónicas de Fernão Lopes e de Rui de Pina. Os Lusíadas são constituídos por _____________. Cada canto possui um número variável de __________, com __________ versos. As estrofes obedecem a uma estrutura fixa: são compostas por versos de __________ sílabas (________________), com acento na sexta e décima sílabas (versos ________________). As estrofes apresentam o seguinte esquema rimático: ________________, ou seja, rima ______________ nos seis primeiros versos e _____________ nos dois últimos. Seguindo os modelos clássicos, Camões estruturou internamente o poema em _______ partes: _______________, ___________________, ______________ e _______________. O começo da narração não coincide com o começo da acção, isto é, a narração da viagem de Vasco da Gama inicia-se quando esta já vai a meio. A este processo narrativo damos o nome ___________________. A narração de Os Lusíadas constrói-se através da articulação dos planos narrativos da _________________, _________________, _____________ e, ainda, do plano do ________________, onde se pode ler as suas reflexões e críticas. E. Observa o quadro. 1. Encontra, nesta sopa de letras camoniana, na vertical ou na horizontal, os termos que correspondam a: • Autor latino que escreveu «A Eneida». • Parte da estrutura interna em que o Poeta pede auxílio • Autor grego que escreveu «Odisseia». às musas. • Famosa epopeia sobre Ulisses. • Parte da estrutura interna da obra em que o Poeta • Famosa epopeia sobre Eneias. dedica o seu trabalho a D. Sebastião. • Autor de «Os Lusíadas». • Parte da estrutura interna da obra em que o Poeta narra • Parte da estrutura interna da obra em que o Poeta os acontecimentos que constituem a acção. indica o assunto a tratar. • Um dos oito elementos que constituem uma estância em Os Lusíadas.