SlideShare uma empresa Scribd logo
1 http://soniamaralpereira.blogspot.com.br/
Escola ______________________________________________________
Nome ______________________________________________________
Data __________________________________ professora ____________
O surgimento das favelas
O nome FAVELA foi dado em referência à uma planta típica da caatinga
extremamente resistente a seca, originária dos morros onde os soldados
brasileiros viveram durante o período da Guerra de Canudos, na Bahia.
Alguns dos soldados, ao regressarem vitoriosos ao Rio de Janeiro, em 1897,
não receberam o prometido salário e, por não terem onde ficar, invadiram uma
antiga chácara no Morro da Providência.
Com o fim da escravidão no século XIX, uma parte dos escravos libertos se
deslocou para o Rio de Janeiro, e se fixou informalmente em lugares sem
infraestrutura, os chamados cortiços.
Na reforma do prefeito Pereira Passos, os cortiços foram demolidos, por
falta de condições sanitárias. Sem terem onde morar, o morro da Providência se
tornou o local ideal para abrigar as famílias de baixa renda. Cercado de um lado
por uma pedreira, fábricas e pelas linhas da Estrada de Ferro Central do Brasil,
e tendo do outro um cemitério de protestantes e a região portuária, os terrenos
estavam, então, bem desvalorizados e livres. Hoje a cidade, segundo o Instituto
Pereira Passos (IPP), tem cerca de 763 favelas.
2 http://soniamaralpereira.blogspot.com.br/
Nome ______________________________________________________
Interpretando:
a) Qual é a origem do nome FAVELA?
___________________________________________________________
b) Qual foi a foi a primeira favela do Rio de Janeiro?
___________________________________________________________
c) Diga uma vantagem e uma desvantagem de morar em uma favela?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
MORRO DA PROVIDÊNCIA – ONTEM E HOJE
Observe atentamente as duas fotografias acima e escreva algumas
modificações sofridas ao longo do tempo.
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
3 http://soniamaralpereira.blogspot.com.br/
Nome ____________________________________________________
As favelas estão na moda! Música, gastronomia e belas vistas nas
comunidades dos morros cariocas.
Todos sabemos que o Rio de Janeiro possui algumas das paisagens mais lindas
do mundo! Com a pacificação de várias favelas, os cariocas de fora das
comunidades e os turistas, inclusive muitos gringos, têm descoberto não só as
vistas surpreendentes do alto dos morros mas também outros segredos das
favelas, como botecos com ótima comida e festas com música de primeira.
As comunidades vizinhas da Babilônia e Chapéu
Mangueira dividem uma localização também
privilegiada, no Morro da Babilônia, no Leme, com
uma vista do alto para a orla de Copacabana. Por
isso é cenário perfeito para, por exemplo, ver os
fogos do Réveillon. Mas suas ladeiras também
escondem preciosidades gastronômicas.
Roda de Samba na Laje do Michael - Em 1996
o Rei do Pop Michael Jackson veio ao Brasil
gravar um clipe no Rio de Janeiro e em Salvador.
As filmagens foram na favela Dona Marta, em
Botafogo.
Morro do Vidigal -A favela que mais tem
atraído os “forasteiros”, o Morro do Vidigal,
fica entre o Leblon e São Conrado, dois dos
bairros mais chiques e valorizados do Rio.
FONTE: http://www.blogtimberland.com.br/
4 http://soniamaralpereira.blogspot.com.br/
Nome ___________________________________________________
ORIGEM DOS NOMES DAS FAVELAS CARIOCAS
No início dos anos 50, um imigrante polonês, que era dono de uma enorme
fazenda localizada na zona norte do Rio, decidiu vender aos poucos sua
propriedade para pessoas que procuravam moradias a preços baixos naquela
região. Alto, loiro, branco e com sotaque carregado, o homem passou a ser
chamado de Alemão pelos habitantes da localidade. Esse fato acabou dando
origem ao nome de uma das principais favelas do Rio: o Complexo do Alemão,
erguido nas terras do polonês.
O Complexo da Maré, por exemplo, tem em seu nome lembranças das
dificuldades que os primeiros moradores do local enfrentavam. A região onde
hoje estão as comunidades que formam o complexo ficava em um grande
pântano, com casas erguidas em cima de palafitas. Quando a maré subia,
trazia consigo lama e cobras. Por outro lado, eles também usavam o fenômeno
natural a seu favor: jogavam o lixo ali e esperavam a maré ficar cheia para
levar os detritos.
O Morro dos Macacos ganhou esse nome porque na região possuía muitas
plantações de banana na década de 20 e muitos macacos do zoológico que
ficava ao lado fugiam para lá.
Já o Morro do Salgueiro começou a ser ocupado no início do século 20 por ex-
escravos e migrantes que tinham trabalhado em uma imensa plantação de café
que existiu naquele local. Havia um comerciante português, chamado Domingos
Alves Salgueiro, que tinha 30 barracos na favela e virou referência para quem
subia a comunidade.
O Morro do Borel herdou o sobrenome de dois irmãos franceses que possuíam
uma fábrica de rapé e tabaco localizada na subida da favela.
No Morro da Mangueira, o nome surgiu em homenagem à Fábrica de Chapéus
Mangueira, instalada na rua Visconde de Niterói, um dos acessos à
comunidade, que ainda deu nome à outra favela, a Chapéu-Mangueira, no Leme.
O Morro do Turano, em homenagem a Emilio Turano, imigrante italiano que
comprou a posse do morro de uma baronesa no ano 1928
(http://oquevaipelomundo.blogspot.com.br/ adaptado para fins pedagógicos)
5 http://soniamaralpereira.blogspot.com.br/
Nome ______________________________________________________________
Leia o trecho abaixo e responda:
“A lista de maiores favelas/complexos de favelas do Rio, tem o Complexo de
Acari 21.999 habitantes; o Complexo da Fazenda Coqueiro, com 44.834
moradores; o Complexo da Penha 35.388; o Complexo do Jacarezinho 32.972;
o Complexo do Alemão, com 58.430; o Complexo de Manguinhos 21.846; e o
Complexo da Pedreira 20.508.”
(Fonte: http://oglobo.globo.com/)
a) Qual das favelas acima tem o maior número de habitantes?
__________________________________________________________
b) Qual das favelas acima tem o menor números de habitantes?
__________________________________________________________
c) Coloque os números do trecho acima em ordem crescente:
_________________________________________________________
_________________________________________________________
d) Qual é a diferença entre o número de habitantes da favela do Complexo do
Alemão e do Complexo da Penha?
Cálculo:
Resposta __________________________________________________
e) Sobre o número de habitantes do Complexo de Manguinhos:
 Quantos algarismos ele possui?
_____________________________________________________
 Quantas ordens ele possui?
_____________________________________________________
 Quantas classes?
_____________________________________________________
 Escreva o nome por extenso:
____________________________________________________
6 http://soniamaralpereira.blogspot.com.br/
Nome_____________________________________________________
Tarsila do Amaral
"Outra Favela" - Rodrigo Guimarães
Pintor brasileiro contemporâneo
Representação da Favela, feita por dois artistas em épocas diferentes.
Discuta com seus colegas e professor, suas impressões sobre as duas obras.
Observe também as figuras geométricas e as cores usadas nos dois quadros.
Agora, você é o artista, faça a sua representação de uma favela. Pode ser
através de uma pintura, maquete, música, texto. Use toda sua criatividade!
7 http://soniamaralpereira.blogspot.com.br/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ATIVIDADE DE GEOGRAFIA CONTINENTES ADAPTADA.docx
ATIVIDADE DE GEOGRAFIA CONTINENTES ADAPTADA.docxATIVIDADE DE GEOGRAFIA CONTINENTES ADAPTADA.docx
ATIVIDADE DE GEOGRAFIA CONTINENTES ADAPTADA.docx
SuelenDosSantos8
 
Prova revoluçao russa
Prova revoluçao russaProva revoluçao russa
Prova revoluçao russa
Atividades Diversas Cláudia
 
Plano de aula quilombolas- francisca roseane
 Plano de aula quilombolas- francisca roseane Plano de aula quilombolas- francisca roseane
Plano de aula quilombolas- francisca roseane
Roseane Ribeiro
 
Prova geografia estudos orientados 9 ano
Prova geografia estudos orientados 9 anoProva geografia estudos orientados 9 ano
Prova geografia estudos orientados 9 ano
Atividades Diversas Cláudia
 
História 2013 3º e 4º bim (4º ano)
História 2013   3º e 4º bim (4º ano)História 2013   3º e 4º bim (4º ano)
História 2013 3º e 4º bim (4º ano)
smece4e5
 
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho GabaritoProva Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Jana Bento
 
Plano de curso historia 1 ano 2015
Plano de curso   historia 1 ano 2015Plano de curso   historia 1 ano 2015
Plano de curso historia 1 ano 2015
João Marcelo
 
Atividades de História: Revolução Francesa
Atividades de História: Revolução FrancesaAtividades de História: Revolução Francesa
Atividades de História: Revolução Francesa
Doug Caesar
 
Plano de aula manuela .
Plano de aula   manuela .Plano de aula   manuela .
Plano de aula manuela .
Gabriel Reis
 
Prova de geografia urbanizaçao, metropole
Prova de geografia urbanizaçao, metropoleProva de geografia urbanizaçao, metropole
Prova de geografia urbanizaçao, metropole
Atividades Diversas Cláudia
 
Independência dos Estados Unidos - Texto e atividade
Independência dos Estados Unidos  -  Texto e atividade Independência dos Estados Unidos  -  Texto e atividade
Independência dos Estados Unidos - Texto e atividade
Mary Alvarenga
 
Roteiro de trabalho 2º ano - juri simulado - capitalismo x socialismo - ver...
Roteiro de trabalho   2º ano - juri simulado - capitalismo x socialismo - ver...Roteiro de trabalho   2º ano - juri simulado - capitalismo x socialismo - ver...
Roteiro de trabalho 2º ano - juri simulado - capitalismo x socialismo - ver...
Sara Sarita
 
Diversidade cultural
Diversidade culturalDiversidade cultural
Diversidade cultural
quituteira quitutes
 
Exercicio revolução russa
Exercicio revolução russaExercicio revolução russa
Exercicio revolução russa
Atividades Diversas Cláudia
 
Exercícios mapas e escalas 2
Exercícios mapas e escalas 2Exercícios mapas e escalas 2
Exercícios mapas e escalas 2
Bruno Curcio
 
A diversidade cultural no brasil (1) (1)
A diversidade cultural no brasil (1) (1)A diversidade cultural no brasil (1) (1)
A diversidade cultural no brasil (1) (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
Atividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades de sociologia interpretação de textos e chargesAtividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades Diversas Cláudia
 
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Fabiola Oliveira
 
PROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENAPROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENA
Francisco Antonio Machado Araujo
 
Aula de História: EF06HI01 - TEMPO, ESPAÇO E FORMAS DE REGISTRO
Aula de História: EF06HI01 - TEMPO, ESPAÇO E FORMAS DE REGISTROAula de História: EF06HI01 - TEMPO, ESPAÇO E FORMAS DE REGISTRO
Aula de História: EF06HI01 - TEMPO, ESPAÇO E FORMAS DE REGISTRO
Sheila Soarte
 

Mais procurados (20)

ATIVIDADE DE GEOGRAFIA CONTINENTES ADAPTADA.docx
ATIVIDADE DE GEOGRAFIA CONTINENTES ADAPTADA.docxATIVIDADE DE GEOGRAFIA CONTINENTES ADAPTADA.docx
ATIVIDADE DE GEOGRAFIA CONTINENTES ADAPTADA.docx
 
Prova revoluçao russa
Prova revoluçao russaProva revoluçao russa
Prova revoluçao russa
 
Plano de aula quilombolas- francisca roseane
 Plano de aula quilombolas- francisca roseane Plano de aula quilombolas- francisca roseane
Plano de aula quilombolas- francisca roseane
 
Prova geografia estudos orientados 9 ano
Prova geografia estudos orientados 9 anoProva geografia estudos orientados 9 ano
Prova geografia estudos orientados 9 ano
 
História 2013 3º e 4º bim (4º ano)
História 2013   3º e 4º bim (4º ano)História 2013   3º e 4º bim (4º ano)
História 2013 3º e 4º bim (4º ano)
 
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho GabaritoProva Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
 
Plano de curso historia 1 ano 2015
Plano de curso   historia 1 ano 2015Plano de curso   historia 1 ano 2015
Plano de curso historia 1 ano 2015
 
Atividades de História: Revolução Francesa
Atividades de História: Revolução FrancesaAtividades de História: Revolução Francesa
Atividades de História: Revolução Francesa
 
Plano de aula manuela .
Plano de aula   manuela .Plano de aula   manuela .
Plano de aula manuela .
 
Prova de geografia urbanizaçao, metropole
Prova de geografia urbanizaçao, metropoleProva de geografia urbanizaçao, metropole
Prova de geografia urbanizaçao, metropole
 
Independência dos Estados Unidos - Texto e atividade
Independência dos Estados Unidos  -  Texto e atividade Independência dos Estados Unidos  -  Texto e atividade
Independência dos Estados Unidos - Texto e atividade
 
Roteiro de trabalho 2º ano - juri simulado - capitalismo x socialismo - ver...
Roteiro de trabalho   2º ano - juri simulado - capitalismo x socialismo - ver...Roteiro de trabalho   2º ano - juri simulado - capitalismo x socialismo - ver...
Roteiro de trabalho 2º ano - juri simulado - capitalismo x socialismo - ver...
 
Diversidade cultural
Diversidade culturalDiversidade cultural
Diversidade cultural
 
Exercicio revolução russa
Exercicio revolução russaExercicio revolução russa
Exercicio revolução russa
 
Exercícios mapas e escalas 2
Exercícios mapas e escalas 2Exercícios mapas e escalas 2
Exercícios mapas e escalas 2
 
A diversidade cultural no brasil (1) (1)
A diversidade cultural no brasil (1) (1)A diversidade cultural no brasil (1) (1)
A diversidade cultural no brasil (1) (1)
 
Atividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades de sociologia interpretação de textos e chargesAtividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades de sociologia interpretação de textos e charges
 
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
 
PROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENAPROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENA
 
Aula de História: EF06HI01 - TEMPO, ESPAÇO E FORMAS DE REGISTRO
Aula de História: EF06HI01 - TEMPO, ESPAÇO E FORMAS DE REGISTROAula de História: EF06HI01 - TEMPO, ESPAÇO E FORMAS DE REGISTRO
Aula de História: EF06HI01 - TEMPO, ESPAÇO E FORMAS DE REGISTRO
 

Semelhante a Favelas

Ft pesca
Ft pescaFt pesca
Ft pesca
Beatriz Amaro
 
Ficha de 8⺠ano
Ficha de 8⺠anoFicha de 8⺠ano
Ficha de 8⺠ano
Marina Carvalho
 
Folheto Serra Freita
Folheto Serra FreitaFolheto Serra Freita
Folheto Serra Freita
Tânia Reis
 
Avaliação interdisciplinar para 4º ano
Avaliação interdisciplinar para 4º ano Avaliação interdisciplinar para 4º ano
Avaliação interdisciplinar para 4º ano
Patricia Alice
 
48666509 4-ficha-em-4-º-ano-1-º-periodo (1)
48666509 4-ficha-em-4-º-ano-1-º-periodo (1)48666509 4-ficha-em-4-º-ano-1-º-periodo (1)
48666509 4-ficha-em-4-º-ano-1-º-periodo (1)
Lídia Maria Relvão Miranda
 
48666509 4-ficha-em-4-º-ano-1-º-periodo
48666509 4-ficha-em-4-º-ano-1-º-periodo48666509 4-ficha-em-4-º-ano-1-º-periodo
48666509 4-ficha-em-4-º-ano-1-º-periodo
Lídia Maria Relvão Miranda
 
História
HistóriaHistória
1 AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS SHDI .pdf
1 AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS SHDI .pdf1 AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS SHDI .pdf
1 AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS SHDI .pdf
SimoneHelenDrumond
 
1 AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS SHDI .pdf
1 AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS SHDI .pdf1 AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS SHDI .pdf
1 AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS SHDI .pdf
SimoneHelenDrumond
 
Panfleto Da Visita a Serra
Panfleto Da Visita a SerraPanfleto Da Visita a Serra
Panfleto Da Visita a Serra
Cristina Miranda
 

Semelhante a Favelas (10)

Ft pesca
Ft pescaFt pesca
Ft pesca
 
Ficha de 8⺠ano
Ficha de 8⺠anoFicha de 8⺠ano
Ficha de 8⺠ano
 
Folheto Serra Freita
Folheto Serra FreitaFolheto Serra Freita
Folheto Serra Freita
 
Avaliação interdisciplinar para 4º ano
Avaliação interdisciplinar para 4º ano Avaliação interdisciplinar para 4º ano
Avaliação interdisciplinar para 4º ano
 
48666509 4-ficha-em-4-º-ano-1-º-periodo (1)
48666509 4-ficha-em-4-º-ano-1-º-periodo (1)48666509 4-ficha-em-4-º-ano-1-º-periodo (1)
48666509 4-ficha-em-4-º-ano-1-º-periodo (1)
 
48666509 4-ficha-em-4-º-ano-1-º-periodo
48666509 4-ficha-em-4-º-ano-1-º-periodo48666509 4-ficha-em-4-º-ano-1-º-periodo
48666509 4-ficha-em-4-º-ano-1-º-periodo
 
História
HistóriaHistória
História
 
1 AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS SHDI .pdf
1 AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS SHDI .pdf1 AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS SHDI .pdf
1 AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS SHDI .pdf
 
1 AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS SHDI .pdf
1 AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS SHDI .pdf1 AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS SHDI .pdf
1 AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS SHDI .pdf
 
Panfleto Da Visita a Serra
Panfleto Da Visita a SerraPanfleto Da Visita a Serra
Panfleto Da Visita a Serra
 

Mais de Sonia Amaral

Continuação da história da subtração centenas
Continuação da história da subtração   centenasContinuação da história da subtração   centenas
Continuação da história da subtração centenas
Sonia Amaral
 
Sonia amaral pais.ppt
Sonia amaral pais.pptSonia amaral pais.ppt
Sonia amaral pais.ppt
Sonia Amaral
 
DIA DAS MÃES NO MUNDO ANIMAL
DIA DAS MÃES NO MUNDO ANIMALDIA DAS MÃES NO MUNDO ANIMAL
DIA DAS MÃES NO MUNDO ANIMAL
Sonia Amaral
 
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livro
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livroLeitura e interpretaçãapartir de capa de livro
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livro
Sonia Amaral
 
Vebos ilustrados jogo
Vebos ilustrados  jogoVebos ilustrados  jogo
Vebos ilustrados jogo
Sonia Amaral
 
Projeto brasil verde
Projeto brasil verde Projeto brasil verde
Projeto brasil verde
Sonia Amaral
 
Jogo do chapeu
Jogo do chapeuJogo do chapeu
Jogo do chapeu
Sonia Amaral
 
Bingo de sentença de histórias
Bingo de sentença de históriasBingo de sentença de histórias
Bingo de sentença de histórias
Sonia Amaral
 
Historia em 3 atos com atividades
Historia em 3 atos com atividadesHistoria em 3 atos com atividades
Historia em 3 atos com atividades
Sonia Amaral
 
Atividades com os continentes olimpiada 2016
Atividades com os continentes   olimpiada 2016Atividades com os continentes   olimpiada 2016
Atividades com os continentes olimpiada 2016
Sonia Amaral
 
Tocha olímpica rio 2016
Tocha olímpica   rio 2016Tocha olímpica   rio 2016
Tocha olímpica rio 2016
Sonia Amaral
 
Mascotes rio 2016
Mascotes  rio 2016Mascotes  rio 2016
Mascotes rio 2016
Sonia Amaral
 
Alfabetário olimpíadas do rio 2016
Alfabetário olimpíadas do rio 2016Alfabetário olimpíadas do rio 2016
Alfabetário olimpíadas do rio 2016
Sonia Amaral
 
Produção de texto pequeno prínciape
Produção de texto pequeno prínciapeProdução de texto pequeno prínciape
Produção de texto pequeno prínciape
Sonia Amaral
 
Provérbios
ProvérbiosProvérbios
Provérbios
Sonia Amaral
 
Sitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amareloSitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amarelo
Sonia Amaral
 
Especial dia dos namorados
Especial dia dos namoradosEspecial dia dos namorados
Especial dia dos namorados
Sonia Amaral
 
Chapeuzinho vermelho
Chapeuzinho vermelhoChapeuzinho vermelho
Chapeuzinho vermelho
Sonia Amaral
 
Personagens do rio
Personagens do rioPersonagens do rio
Personagens do rio
Sonia Amaral
 
Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.
Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.
Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.
Sonia Amaral
 

Mais de Sonia Amaral (20)

Continuação da história da subtração centenas
Continuação da história da subtração   centenasContinuação da história da subtração   centenas
Continuação da história da subtração centenas
 
Sonia amaral pais.ppt
Sonia amaral pais.pptSonia amaral pais.ppt
Sonia amaral pais.ppt
 
DIA DAS MÃES NO MUNDO ANIMAL
DIA DAS MÃES NO MUNDO ANIMALDIA DAS MÃES NO MUNDO ANIMAL
DIA DAS MÃES NO MUNDO ANIMAL
 
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livro
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livroLeitura e interpretaçãapartir de capa de livro
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livro
 
Vebos ilustrados jogo
Vebos ilustrados  jogoVebos ilustrados  jogo
Vebos ilustrados jogo
 
Projeto brasil verde
Projeto brasil verde Projeto brasil verde
Projeto brasil verde
 
Jogo do chapeu
Jogo do chapeuJogo do chapeu
Jogo do chapeu
 
Bingo de sentença de histórias
Bingo de sentença de históriasBingo de sentença de histórias
Bingo de sentença de histórias
 
Historia em 3 atos com atividades
Historia em 3 atos com atividadesHistoria em 3 atos com atividades
Historia em 3 atos com atividades
 
Atividades com os continentes olimpiada 2016
Atividades com os continentes   olimpiada 2016Atividades com os continentes   olimpiada 2016
Atividades com os continentes olimpiada 2016
 
Tocha olímpica rio 2016
Tocha olímpica   rio 2016Tocha olímpica   rio 2016
Tocha olímpica rio 2016
 
Mascotes rio 2016
Mascotes  rio 2016Mascotes  rio 2016
Mascotes rio 2016
 
Alfabetário olimpíadas do rio 2016
Alfabetário olimpíadas do rio 2016Alfabetário olimpíadas do rio 2016
Alfabetário olimpíadas do rio 2016
 
Produção de texto pequeno prínciape
Produção de texto pequeno prínciapeProdução de texto pequeno prínciape
Produção de texto pequeno prínciape
 
Provérbios
ProvérbiosProvérbios
Provérbios
 
Sitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amareloSitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amarelo
 
Especial dia dos namorados
Especial dia dos namoradosEspecial dia dos namorados
Especial dia dos namorados
 
Chapeuzinho vermelho
Chapeuzinho vermelhoChapeuzinho vermelho
Chapeuzinho vermelho
 
Personagens do rio
Personagens do rioPersonagens do rio
Personagens do rio
 
Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.
Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.
Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.
 

Último

Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Acrópole - História & Educação
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
WelidaFreitas1
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Luana Neres
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
MariaFatima425285
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
Manuais Formação
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 

Último (20)

Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 

Favelas

  • 1. 1 http://soniamaralpereira.blogspot.com.br/ Escola ______________________________________________________ Nome ______________________________________________________ Data __________________________________ professora ____________ O surgimento das favelas O nome FAVELA foi dado em referência à uma planta típica da caatinga extremamente resistente a seca, originária dos morros onde os soldados brasileiros viveram durante o período da Guerra de Canudos, na Bahia. Alguns dos soldados, ao regressarem vitoriosos ao Rio de Janeiro, em 1897, não receberam o prometido salário e, por não terem onde ficar, invadiram uma antiga chácara no Morro da Providência. Com o fim da escravidão no século XIX, uma parte dos escravos libertos se deslocou para o Rio de Janeiro, e se fixou informalmente em lugares sem infraestrutura, os chamados cortiços. Na reforma do prefeito Pereira Passos, os cortiços foram demolidos, por falta de condições sanitárias. Sem terem onde morar, o morro da Providência se tornou o local ideal para abrigar as famílias de baixa renda. Cercado de um lado por uma pedreira, fábricas e pelas linhas da Estrada de Ferro Central do Brasil, e tendo do outro um cemitério de protestantes e a região portuária, os terrenos estavam, então, bem desvalorizados e livres. Hoje a cidade, segundo o Instituto Pereira Passos (IPP), tem cerca de 763 favelas.
  • 2. 2 http://soniamaralpereira.blogspot.com.br/ Nome ______________________________________________________ Interpretando: a) Qual é a origem do nome FAVELA? ___________________________________________________________ b) Qual foi a foi a primeira favela do Rio de Janeiro? ___________________________________________________________ c) Diga uma vantagem e uma desvantagem de morar em uma favela? ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ MORRO DA PROVIDÊNCIA – ONTEM E HOJE Observe atentamente as duas fotografias acima e escreva algumas modificações sofridas ao longo do tempo. __________________________________________________________ __________________________________________________________ __________________________________________________________ __________________________________________________________ __________________________________________________________ __________________________________________________________
  • 3. 3 http://soniamaralpereira.blogspot.com.br/ Nome ____________________________________________________ As favelas estão na moda! Música, gastronomia e belas vistas nas comunidades dos morros cariocas. Todos sabemos que o Rio de Janeiro possui algumas das paisagens mais lindas do mundo! Com a pacificação de várias favelas, os cariocas de fora das comunidades e os turistas, inclusive muitos gringos, têm descoberto não só as vistas surpreendentes do alto dos morros mas também outros segredos das favelas, como botecos com ótima comida e festas com música de primeira. As comunidades vizinhas da Babilônia e Chapéu Mangueira dividem uma localização também privilegiada, no Morro da Babilônia, no Leme, com uma vista do alto para a orla de Copacabana. Por isso é cenário perfeito para, por exemplo, ver os fogos do Réveillon. Mas suas ladeiras também escondem preciosidades gastronômicas. Roda de Samba na Laje do Michael - Em 1996 o Rei do Pop Michael Jackson veio ao Brasil gravar um clipe no Rio de Janeiro e em Salvador. As filmagens foram na favela Dona Marta, em Botafogo. Morro do Vidigal -A favela que mais tem atraído os “forasteiros”, o Morro do Vidigal, fica entre o Leblon e São Conrado, dois dos bairros mais chiques e valorizados do Rio. FONTE: http://www.blogtimberland.com.br/
  • 4. 4 http://soniamaralpereira.blogspot.com.br/ Nome ___________________________________________________ ORIGEM DOS NOMES DAS FAVELAS CARIOCAS No início dos anos 50, um imigrante polonês, que era dono de uma enorme fazenda localizada na zona norte do Rio, decidiu vender aos poucos sua propriedade para pessoas que procuravam moradias a preços baixos naquela região. Alto, loiro, branco e com sotaque carregado, o homem passou a ser chamado de Alemão pelos habitantes da localidade. Esse fato acabou dando origem ao nome de uma das principais favelas do Rio: o Complexo do Alemão, erguido nas terras do polonês. O Complexo da Maré, por exemplo, tem em seu nome lembranças das dificuldades que os primeiros moradores do local enfrentavam. A região onde hoje estão as comunidades que formam o complexo ficava em um grande pântano, com casas erguidas em cima de palafitas. Quando a maré subia, trazia consigo lama e cobras. Por outro lado, eles também usavam o fenômeno natural a seu favor: jogavam o lixo ali e esperavam a maré ficar cheia para levar os detritos. O Morro dos Macacos ganhou esse nome porque na região possuía muitas plantações de banana na década de 20 e muitos macacos do zoológico que ficava ao lado fugiam para lá. Já o Morro do Salgueiro começou a ser ocupado no início do século 20 por ex- escravos e migrantes que tinham trabalhado em uma imensa plantação de café que existiu naquele local. Havia um comerciante português, chamado Domingos Alves Salgueiro, que tinha 30 barracos na favela e virou referência para quem subia a comunidade. O Morro do Borel herdou o sobrenome de dois irmãos franceses que possuíam uma fábrica de rapé e tabaco localizada na subida da favela. No Morro da Mangueira, o nome surgiu em homenagem à Fábrica de Chapéus Mangueira, instalada na rua Visconde de Niterói, um dos acessos à comunidade, que ainda deu nome à outra favela, a Chapéu-Mangueira, no Leme. O Morro do Turano, em homenagem a Emilio Turano, imigrante italiano que comprou a posse do morro de uma baronesa no ano 1928 (http://oquevaipelomundo.blogspot.com.br/ adaptado para fins pedagógicos)
  • 5. 5 http://soniamaralpereira.blogspot.com.br/ Nome ______________________________________________________________ Leia o trecho abaixo e responda: “A lista de maiores favelas/complexos de favelas do Rio, tem o Complexo de Acari 21.999 habitantes; o Complexo da Fazenda Coqueiro, com 44.834 moradores; o Complexo da Penha 35.388; o Complexo do Jacarezinho 32.972; o Complexo do Alemão, com 58.430; o Complexo de Manguinhos 21.846; e o Complexo da Pedreira 20.508.” (Fonte: http://oglobo.globo.com/) a) Qual das favelas acima tem o maior número de habitantes? __________________________________________________________ b) Qual das favelas acima tem o menor números de habitantes? __________________________________________________________ c) Coloque os números do trecho acima em ordem crescente: _________________________________________________________ _________________________________________________________ d) Qual é a diferença entre o número de habitantes da favela do Complexo do Alemão e do Complexo da Penha? Cálculo: Resposta __________________________________________________ e) Sobre o número de habitantes do Complexo de Manguinhos:  Quantos algarismos ele possui? _____________________________________________________  Quantas ordens ele possui? _____________________________________________________  Quantas classes? _____________________________________________________  Escreva o nome por extenso: ____________________________________________________
  • 6. 6 http://soniamaralpereira.blogspot.com.br/ Nome_____________________________________________________ Tarsila do Amaral "Outra Favela" - Rodrigo Guimarães Pintor brasileiro contemporâneo Representação da Favela, feita por dois artistas em épocas diferentes. Discuta com seus colegas e professor, suas impressões sobre as duas obras. Observe também as figuras geométricas e as cores usadas nos dois quadros. Agora, você é o artista, faça a sua representação de uma favela. Pode ser através de uma pintura, maquete, música, texto. Use toda sua criatividade!