SlideShare uma empresa Scribd logo
Alunos: Fátima Sousa e Ion Prida
   Disciplina: Física e Química
   Professora: Berta Rodrigues
O que é Estado Coloidal?
     É um tipo de dispersão na qual as
  partículas dispersas têm dimensão entre
  1 e 100 nm de diâmetro.


Nota: 1 nm= 1 x 10-9


                            O tamanho das
                            partículas estão entre 1 e
                            100nm
Tipos de colóide
   Colóide reversível ou liófilo ou hidrófilo - A passagem
    de sol a gel é reversível. As partículas dispersas têm
    película de solvatação, que estabiliza o colóide.

    Exemplos: proteínas em água, amido em água, gelatina
    em água e a maioria dos colóides naturais.

   Colóide irreversível ou liófobo ou hidrófobo - A
    passagem de sol a gel é irreversível. As partículas
    dispersas não têm película de solvatação e, por
    isso, são instáveis.

   Exemplos: hidrossol de metais
    (ouro, prata, etc.), hidrossol de enxofre e a maioria dos
    colóides artificiais.
Tipos de colóides
   A purificação dos colóides é feita por
    diálise, eletrodiálise ou ultrafiltração.


   Colóides protectores são colóides liófilos?? que
    estabilizam os colóides liófobos??, impedindo a sua
    coagulação. O mais usado é a gelatina


   Os colóides apresentam as seguintes propriedades:
    efeito Tyndall, movimento browniano e adsorção.
Efeito Tyndall
    O   efeito   Tyndall    é   uma
técnica usada para identificar
uma dispersão coloidal. O efeito
Tyndall foi descoberto em 1766,
por Richard Tyndall, que em uma
de suas experiências, percebeu o
espalhamento de um feixe de luz
num meio contendo partículas em
                                      Espalhamento da luz produzido
suspensão, Tyndall observou que
                                      por dispersões coloidais.
uma sala cheia de fumo ou poeira,
tornava visível um feixe de luz
que entrasse pela janela.
Movimento browniano

    O movimento browniano é o

movimento aleatório de partículas

macroscópicas num fluido como

consequência dos choques das

moléculas   que    constituem   as

partículas do fluido.



                                     Um Movimento
                                     browniano de uma
                                     partícula.
Importância dos colóides:
   Biológica - os processos vitais
    estão associados ao estado
    coloidal. Como por exemplo:
    sangue

   Industrial       -     fabrico    de
    medicamentos, tintas, cremes,
    cosméticos, pedras preciosas
    (rubi, safira, etc.), sílica-gel,
    filmes fotográficos, etc.

   Culinária    -       preparação   de
    geleias,     maionese,       creme
    chantilly, etc.
Vocabulário
   Solvatação: É o fenómeno que ocorre quando um composto
    iónico ou polar se dissolve em uma substância polar, sem
    formar uma nova substância. As moléculas do soluto são
    rodeadas pelo solvente. A solvatação acontece tanto em
    soluções iónicas quanto moleculares.

   Diálise: O processo conhecido por diálise é usado
    especificamente para separar impurezas altamente solúveis
    no dispergente. Baseia-se na diferença de velocidade com
    que ocorre a difusão de uma solução e de um colóide
    através de uma membrana permeável.

   Colóide liófilo: São sistemas coloidais na qual a substância
    se dispersa espontaneamente no dispersante.

   Colóide liófobo: São sistemas coloidais na qual a substância
    não se dispersa espontaneamente no dispersante.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Polarização da luz, matematizando a luz fisica
Polarização da luz, matematizando a luz   fisicaPolarização da luz, matematizando a luz   fisica
Polarização da luz, matematizando a luz fisica
Marcelo Cordeiro Souza
 
Reações Químicas
Reações QuímicasReações Químicas
Reações Químicas
Polo UAB de Alagoinhas
 
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Soluções
Slides da aula de Química (Manoel) sobre SoluçõesSlides da aula de Química (Manoel) sobre Soluções
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Soluções
Turma Olímpica
 
Aula de Digital de Química - Sais
Aula de Digital de Química - SaisAula de Digital de Química - Sais
Aula de Digital de Química - Sais
Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
Química distribuição eletronica
Química   distribuição eletronicaQuímica   distribuição eletronica
Química distribuição eletronica
Rubao1E
 
Reações orgânicas
Reações orgânicasReações orgânicas
Reações orgânicas
paramore146
 
Equilíbrio iônico
Equilíbrio iônicoEquilíbrio iônico
Equilíbrio iônico
Kellvin Jordan
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
João Paulo Luna
 
Reações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
Reações de Ácidos Carboxílicos e DerivadosReações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
Reações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
José Nunes da Silva Jr.
 
04 reaes de substituio nucleoflica laminas.ppt modo de compatibilidade
04 reaes de substituio nucleoflica laminas.ppt modo de compatibilidade04 reaes de substituio nucleoflica laminas.ppt modo de compatibilidade
04 reaes de substituio nucleoflica laminas.ppt modo de compatibilidade
day ....
 
Eletroquímica Para Jovens do Ensino Médio
Eletroquímica Para Jovens do Ensino MédioEletroquímica Para Jovens do Ensino Médio
Eletroquímica Para Jovens do Ensino Médio
Rene Lins
 
Aula 7 acidos e bases
Aula 7   acidos e basesAula 7   acidos e bases
Aula 7 acidos e bases
José Vitor Alves
 
Reações químicas e classificações
Reações químicas e classificaçõesReações químicas e classificações
Reações químicas e classificações
Joanna de Paoli
 
9 solubilidade
9 solubilidade9 solubilidade
9 solubilidade
daniela pinto
 
Reações de Aldeídos e Cetonas
Reações de Aldeídos e CetonasReações de Aldeídos e Cetonas
Reações de Aldeídos e Cetonas
José Nunes da Silva Jr.
 
Coloides
ColoidesColoides
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
José Nunes da Silva Jr.
 
Solubilidade 2013 csa_v2
Solubilidade 2013 csa_v2Solubilidade 2013 csa_v2
Solubilidade 2013 csa_v2
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Funções químicas inorgânicas
Funções químicas inorgânicas Funções químicas inorgânicas
Funções químicas inorgânicas
Daniela Dameto
 
Relatório de cromatografia- organica - aula 8
Relatório de cromatografia- organica - aula 8Relatório de cromatografia- organica - aula 8
Relatório de cromatografia- organica - aula 8
Karen Pirovano
 

Mais procurados (20)

Polarização da luz, matematizando a luz fisica
Polarização da luz, matematizando a luz   fisicaPolarização da luz, matematizando a luz   fisica
Polarização da luz, matematizando a luz fisica
 
Reações Químicas
Reações QuímicasReações Químicas
Reações Químicas
 
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Soluções
Slides da aula de Química (Manoel) sobre SoluçõesSlides da aula de Química (Manoel) sobre Soluções
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Soluções
 
Aula de Digital de Química - Sais
Aula de Digital de Química - SaisAula de Digital de Química - Sais
Aula de Digital de Química - Sais
 
Química distribuição eletronica
Química   distribuição eletronicaQuímica   distribuição eletronica
Química distribuição eletronica
 
Reações orgânicas
Reações orgânicasReações orgânicas
Reações orgânicas
 
Equilíbrio iônico
Equilíbrio iônicoEquilíbrio iônico
Equilíbrio iônico
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
Reações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
Reações de Ácidos Carboxílicos e DerivadosReações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
Reações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
 
04 reaes de substituio nucleoflica laminas.ppt modo de compatibilidade
04 reaes de substituio nucleoflica laminas.ppt modo de compatibilidade04 reaes de substituio nucleoflica laminas.ppt modo de compatibilidade
04 reaes de substituio nucleoflica laminas.ppt modo de compatibilidade
 
Eletroquímica Para Jovens do Ensino Médio
Eletroquímica Para Jovens do Ensino MédioEletroquímica Para Jovens do Ensino Médio
Eletroquímica Para Jovens do Ensino Médio
 
Aula 7 acidos e bases
Aula 7   acidos e basesAula 7   acidos e bases
Aula 7 acidos e bases
 
Reações químicas e classificações
Reações químicas e classificaçõesReações químicas e classificações
Reações químicas e classificações
 
9 solubilidade
9 solubilidade9 solubilidade
9 solubilidade
 
Reações de Aldeídos e Cetonas
Reações de Aldeídos e CetonasReações de Aldeídos e Cetonas
Reações de Aldeídos e Cetonas
 
Coloides
ColoidesColoides
Coloides
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
 
Solubilidade 2013 csa_v2
Solubilidade 2013 csa_v2Solubilidade 2013 csa_v2
Solubilidade 2013 csa_v2
 
Funções químicas inorgânicas
Funções químicas inorgânicas Funções químicas inorgânicas
Funções químicas inorgânicas
 
Relatório de cromatografia- organica - aula 8
Relatório de cromatografia- organica - aula 8Relatório de cromatografia- organica - aula 8
Relatório de cromatografia- organica - aula 8
 

Destaque

coloides
   coloides   coloides
Experimento de coloides.lourdespptx
Experimento de coloides.lourdespptxExperimento de coloides.lourdespptx
Experimento de coloides.lourdespptx
Lourdes Hernandez
 
Coloides
ColoidesColoides
Coloides
ColoidesColoides
Suspensiones, coloides y disoluciones
Suspensiones, coloides y disolucionesSuspensiones, coloides y disoluciones
Suspensiones, coloides y disoluciones
Magnus Bane
 
Hipertension y leptospirosis
Hipertension y leptospirosisHipertension y leptospirosis
Hipertension y leptospirosis
Raaf Arreola Franco
 
Soluciones, coloides, solubiidad y suspenciones
Soluciones, coloides, solubiidad y suspencionesSoluciones, coloides, solubiidad y suspenciones
Soluciones, coloides, solubiidad y suspenciones
daaladier
 

Destaque (7)

coloides
   coloides   coloides
coloides
 
Experimento de coloides.lourdespptx
Experimento de coloides.lourdespptxExperimento de coloides.lourdespptx
Experimento de coloides.lourdespptx
 
Coloides
ColoidesColoides
Coloides
 
Coloides
ColoidesColoides
Coloides
 
Suspensiones, coloides y disoluciones
Suspensiones, coloides y disolucionesSuspensiones, coloides y disoluciones
Suspensiones, coloides y disoluciones
 
Hipertension y leptospirosis
Hipertension y leptospirosisHipertension y leptospirosis
Hipertension y leptospirosis
 
Soluciones, coloides, solubiidad y suspenciones
Soluciones, coloides, solubiidad y suspencionesSoluciones, coloides, solubiidad y suspenciones
Soluciones, coloides, solubiidad y suspenciones
 

Semelhante a Estado Coloidal

ARTIGO SOBRE COLÓIDES.pdf
ARTIGO SOBRE COLÓIDES.pdfARTIGO SOBRE COLÓIDES.pdf
ARTIGO SOBRE COLÓIDES.pdf
Nome Sobrenome
 
Dispersoes
DispersoesDispersoes
Dispersoes
Alinne Girlaine
 
Sistemas coloidais
Sistemas coloidaisSistemas coloidais
Sistemas coloidais
Gourgel Abias
 
Dispersões 2013 objetivo
Dispersões 2013   objetivoDispersões 2013   objetivo
Dispersões 2013 objetivo
José Marcelo Cangemi
 
Soluções aula 01
Soluções   aula 01Soluções   aula 01
Soluções aula 01
Vinícius Vieira
 
Coloides (1)
Coloides (1)Coloides (1)
coloides-150519005650-lva1-app6892 (1).pdf
coloides-150519005650-lva1-app6892 (1).pdfcoloides-150519005650-lva1-app6892 (1).pdf
coloides-150519005650-lva1-app6892 (1).pdf
LuizAntonio642789
 
Solucoes-Colóides- Prof André
Solucoes-Colóides- Prof AndréSolucoes-Colóides- Prof André
Solucoes-Colóides- Prof André
André Melão Brondani
 
Luciferina
LuciferinaLuciferina
Luciferina
JulianaOvidio
 

Semelhante a Estado Coloidal (9)

ARTIGO SOBRE COLÓIDES.pdf
ARTIGO SOBRE COLÓIDES.pdfARTIGO SOBRE COLÓIDES.pdf
ARTIGO SOBRE COLÓIDES.pdf
 
Dispersoes
DispersoesDispersoes
Dispersoes
 
Sistemas coloidais
Sistemas coloidaisSistemas coloidais
Sistemas coloidais
 
Dispersões 2013 objetivo
Dispersões 2013   objetivoDispersões 2013   objetivo
Dispersões 2013 objetivo
 
Soluções aula 01
Soluções   aula 01Soluções   aula 01
Soluções aula 01
 
Coloides (1)
Coloides (1)Coloides (1)
Coloides (1)
 
coloides-150519005650-lva1-app6892 (1).pdf
coloides-150519005650-lva1-app6892 (1).pdfcoloides-150519005650-lva1-app6892 (1).pdf
coloides-150519005650-lva1-app6892 (1).pdf
 
Solucoes-Colóides- Prof André
Solucoes-Colóides- Prof AndréSolucoes-Colóides- Prof André
Solucoes-Colóides- Prof André
 
Luciferina
LuciferinaLuciferina
Luciferina
 

Último

Gestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefíciosGestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefícios
Rafael Santos
 
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptxComo fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
tnrlucas
 
REDE_DE_COMPUTADORES_TECNOLOGIA_TIPOS.pptx
REDE_DE_COMPUTADORES_TECNOLOGIA_TIPOS.pptxREDE_DE_COMPUTADORES_TECNOLOGIA_TIPOS.pptx
REDE_DE_COMPUTADORES_TECNOLOGIA_TIPOS.pptx
IranyGarcia
 
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product ownerPRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
anpproferick
 
Teoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .docTeoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .doc
anpproferick
 
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Annelise Gripp
 

Último (6)

Gestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefíciosGestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefícios
 
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptxComo fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
 
REDE_DE_COMPUTADORES_TECNOLOGIA_TIPOS.pptx
REDE_DE_COMPUTADORES_TECNOLOGIA_TIPOS.pptxREDE_DE_COMPUTADORES_TECNOLOGIA_TIPOS.pptx
REDE_DE_COMPUTADORES_TECNOLOGIA_TIPOS.pptx
 
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product ownerPRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
 
Teoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .docTeoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .doc
 
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
 

Estado Coloidal

  • 1. Alunos: Fátima Sousa e Ion Prida Disciplina: Física e Química Professora: Berta Rodrigues
  • 2. O que é Estado Coloidal? É um tipo de dispersão na qual as partículas dispersas têm dimensão entre 1 e 100 nm de diâmetro. Nota: 1 nm= 1 x 10-9 O tamanho das partículas estão entre 1 e 100nm
  • 3. Tipos de colóide  Colóide reversível ou liófilo ou hidrófilo - A passagem de sol a gel é reversível. As partículas dispersas têm película de solvatação, que estabiliza o colóide. Exemplos: proteínas em água, amido em água, gelatina em água e a maioria dos colóides naturais.  Colóide irreversível ou liófobo ou hidrófobo - A passagem de sol a gel é irreversível. As partículas dispersas não têm película de solvatação e, por isso, são instáveis.  Exemplos: hidrossol de metais (ouro, prata, etc.), hidrossol de enxofre e a maioria dos colóides artificiais.
  • 4. Tipos de colóides  A purificação dos colóides é feita por diálise, eletrodiálise ou ultrafiltração.  Colóides protectores são colóides liófilos?? que estabilizam os colóides liófobos??, impedindo a sua coagulação. O mais usado é a gelatina  Os colóides apresentam as seguintes propriedades: efeito Tyndall, movimento browniano e adsorção.
  • 5. Efeito Tyndall O efeito Tyndall é uma técnica usada para identificar uma dispersão coloidal. O efeito Tyndall foi descoberto em 1766, por Richard Tyndall, que em uma de suas experiências, percebeu o espalhamento de um feixe de luz num meio contendo partículas em Espalhamento da luz produzido suspensão, Tyndall observou que por dispersões coloidais. uma sala cheia de fumo ou poeira, tornava visível um feixe de luz que entrasse pela janela.
  • 6. Movimento browniano O movimento browniano é o movimento aleatório de partículas macroscópicas num fluido como consequência dos choques das moléculas que constituem as partículas do fluido. Um Movimento browniano de uma partícula.
  • 7. Importância dos colóides:  Biológica - os processos vitais estão associados ao estado coloidal. Como por exemplo: sangue  Industrial - fabrico de medicamentos, tintas, cremes, cosméticos, pedras preciosas (rubi, safira, etc.), sílica-gel, filmes fotográficos, etc.  Culinária - preparação de geleias, maionese, creme chantilly, etc.
  • 8. Vocabulário  Solvatação: É o fenómeno que ocorre quando um composto iónico ou polar se dissolve em uma substância polar, sem formar uma nova substância. As moléculas do soluto são rodeadas pelo solvente. A solvatação acontece tanto em soluções iónicas quanto moleculares.  Diálise: O processo conhecido por diálise é usado especificamente para separar impurezas altamente solúveis no dispergente. Baseia-se na diferença de velocidade com que ocorre a difusão de uma solução e de um colóide através de uma membrana permeável.  Colóide liófilo: São sistemas coloidais na qual a substância se dispersa espontaneamente no dispersante.  Colóide liófobo: São sistemas coloidais na qual a substância não se dispersa espontaneamente no dispersante.