SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Enterobácterias
INTRODUÇÃO
 é uma família de bactérias Gram-negativas muito
abundante. Os indivíduos da família
Enterobácterias são bastante conhecidas, algumas
pertencem a microbiota normal dos intestinos de
seres humanos e animais como a Escherichia coli,
outros como habitantes do solo ou da água e
outros podem estar implicados em vários
processos patogênicos, incluindo por exemplo o
gênero Salmonella.
ESCHERICHIA COLI E SALMONELLA
é uma bactéria bacilar Gram-
negativa, que, juntamente com
o Staphylococcus aureus é a mais
comum e uma das mais antigas
bactérias simbiontes do homem. O
seu descobridor foi o alemão-
austríaco Theodor Escherich,
em 1885.
São bactérias Gram-negativas,
em forma de bacilo, na sua
maioria móveis,
As salmonelas são um gênero
extremamente heterogêneo,
composto por três espécies,
Salmonella subterranea,
Salmonella bongori e
Salmonella enterica, esta
última possuindo quase
2000 sorotipos
ESCHERICHIA. COLI
é um grupo grande e diverso de bactérias. Embora a
maioria das variedades de E. coli sejam inofensivas,
outras podem provocar doenças. Alguns tipos de E.
coli podem causar diarréia, enquanto outros
provocam infecção urinária, doença
respiratória, pneumonia e outras doenças. Há ainda
outros tipos de E. coli que são usados como
marcadores de contaminação na água. Você pode
escutar sobre achado de E. coli na água para beber,
a qual por si mesma pode ser inofensiva, mas é
indicador de contaminação.
CONTAMINAÇÃO
 As infecções começam quando a pessoa engole as
bactérias, em outras palavras quando entram
pequenas quantidades (geralmente invisíveis) de
fezes humanas ou animais na boca. Exposições
que resultam em doença incluem consumo de
comida contaminada, leite não pasteurizado, água
não desinfetada, contato com gado, ou contato
com fezes de pessoas infectadas.
SINAIS & SINTOMAS
 Os sintomas de infecção variam de pessoa para
pessoa e aparecem cerca de 1 a 3 dias após a
contaminação. E São:
 cólicas estomacais severas,
 diarréia (freqüentemente com sangue) e vômito.
 Se houver febre, ela geralmente não é muito alta,
menos de 38,5˚C.
• A maioria das pessoas fica melhor dentro de 5 a 7 dias.
Algumas infecções são moderadas, porém outras são
graves e até ameaçam a vida.
PREVENÇÃO
Lavar as mãos cuidadosamente
depois de usar o banheiro, trocar
fraldas, e antes de preparar ou
comer alimentos.
Lavar as mãos depois de contato
com animais em seu ambiente
(fazendas, zoológicos, feiras).
Evitar laticínios não
pasteurizados.
Evitar engolir água ao nadar em
lagos, represas e piscinas.
DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO
 As infecções por E.coli são geralmente diagnosticadas
por teste laboratorial de fezes.
 O tratamento mais eficaz para combater a E. Coli é o
uso de antibióticos, como afluoroquinolona, de 7 a 14
dias consecutivos. A reidratação é fundamental para
recompor o equilíbrio hidroeletrolítico do indivíduo. Em
caso de febre e dor corporal, podem também ser
indicados medicamentos como o paracetamol.
SALMONELLA
o É um gênero de bactérias, conhecida há mais de
um século. Tem, em seu nome, uma referência ao
cientista estadunidense chamado Daniel Elmer
Salmon, que associou a doença à bactéria pela
primeira vez. São bactérias Gram-negativas, em
forma de bacilo, na sua maioria móveis (com
flagelos peritríquios), não esporulado, não
capsulado. Com três especiés:
oSalmonella subterranea,
oSalmonella bongori,
oSalmonella enterica,
CONTAMINAÇÃO
 A salmonela vive no intestino de humanos e outros
animais, incluindo aves. Geralmente é transmitida
para humanos ao ingerir alimentos contaminados
com fezes de animais. As comidas contaminadas
geralmente são de origem animal, porém todos
alimentos, incluindo vegetais, podem ser
contaminados. Entretanto cozinhar
cuidadosamente mata a salmonela.
SINAIS & SINTOMAS
 A enterite (inflamação da mucosa intestinal) inicia-
se de 6 a 48 horas após a ingestão da comida
contaminada. Surgem abruptamente sintomas
como vômitos, náuseas, e diarreia, assim como
febre, dor abdominal forte e dores de cabeça, que
persistem durante 2 a 7 dias. Uma complicação
rara é a sepse, que é uma emergência médica que
pode resultar em osteomielite, endocardite e artrite.
PREVENÇÃO
 LAVE MUITO BEM AS MÃOS ANTES de manipular
qualquer tipo de alimento;
 Lave muito bem as frutas, legumes e verduras em água
corrente e deixe-as de molho em água com hipoclorito
de sódio;
 Não congele alimentos que já foram descongelados;
 Evite carnes mal passadas, ovos em que a gema esteja
crua, alimentos crus, como ostras e crustáceos;
 Mantenha a temperatura da geladeira abaixo de quatro
graus, enquanto que o freezer deve ficar entre doze e
quinze graus negativos;
DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO
 Determinar que a salmonela é a causa da doença
depende de teste laboratorial que a identificará nas
fezes da pessoa infectada. Assim que for
identificada, testes posteriores podem determinar o
seu tipo e qual e se será usado antibióticos no
tratamento.
 As infecções geralmente são curadas entre 5 e 7
dias sem tratamento, a menos que o paciente fique
seriamente desidratado ou a infecção se espalhe.
Pessoas com diarréia grave podem necessitar de
reidratação, muitas vezes intravenosa. Antibióticos
geralmente não são necessários a menos que a
infecção se espalhe.
CONCLUSÃO
 Estudando mais profundamente as enterobácterias
citadas nesse seminários pode-se concluir que o
seus respectivos tratamentos são fáceis de concluir
e a melhor maneira de prevenção é a boa
higienização de mãos e a constante e bem
realizada lavagem das mãos. Sendo assim fica
evidente que as epidemias de tais bactérias podem
ser evitadas com uma constante educação da
população voltada a prevenção primária (lavagem
das mãos) e a não auto-medicação.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
 http://www.copacabanarunners.net/salmonela.html
 http://pt.wikipedia.org/wiki/Bergey
 http://www.manualmerck.net/?id=203&cn=1653
 www.anvisa.gov.br/servicosaude/manuais/microbi
ologia.asp
 TRABULSI Microbiologia 2a. Edição Atheneu. São
Paulo, 1991

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Shigella!
Shigella!Shigella!
Shigella!
 
Microbiologia seminário - família enterobacteriaceae
Microbiologia   seminário - família enterobacteriaceaeMicrobiologia   seminário - família enterobacteriaceae
Microbiologia seminário - família enterobacteriaceae
 
Enterobactérias
EnterobactériasEnterobactérias
Enterobactérias
 
Infeccoes trato-gastrintestinal
Infeccoes trato-gastrintestinalInfeccoes trato-gastrintestinal
Infeccoes trato-gastrintestinal
 
Clostridium botulinum
Clostridium botulinum Clostridium botulinum
Clostridium botulinum
 
Aula samonella
Aula samonellaAula samonella
Aula samonella
 
Família vibrionaceae
Família vibrionaceaeFamília vibrionaceae
Família vibrionaceae
 
Treinamento RU-Unifal-MG. Análises microbiológicas
Treinamento RU-Unifal-MG. Análises microbiológicasTreinamento RU-Unifal-MG. Análises microbiológicas
Treinamento RU-Unifal-MG. Análises microbiológicas
 
Trabalho de Biologia
Trabalho de BiologiaTrabalho de Biologia
Trabalho de Biologia
 
Shigellose
ShigelloseShigellose
Shigellose
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Clostridium sp. Tássio Henrique Sousa Silva
Clostridium sp.  Tássio Henrique Sousa SilvaClostridium sp.  Tássio Henrique Sousa Silva
Clostridium sp. Tássio Henrique Sousa Silva
 
Enterobacteriaceae e vibrionaceae
Enterobacteriaceae e vibrionaceaeEnterobacteriaceae e vibrionaceae
Enterobacteriaceae e vibrionaceae
 
Botulismo
BotulismoBotulismo
Botulismo
 
Cólera
CóleraCólera
Cólera
 
Staphylococcus aureus
Staphylococcus aureusStaphylococcus aureus
Staphylococcus aureus
 
Trabalho de colera
Trabalho de coleraTrabalho de colera
Trabalho de colera
 
Botulismo
BotulismoBotulismo
Botulismo
 
Clostridium botulinum
Clostridium botulinumClostridium botulinum
Clostridium botulinum
 
Botulismo ...
Botulismo ...Botulismo ...
Botulismo ...
 

Semelhante a Enterobactérias

Doencas de Veiculacao Hidrica
Doencas de Veiculacao HidricaDoencas de Veiculacao Hidrica
Doencas de Veiculacao HidricaOdair Medrado
 
Infecciones gastrointestinales.es.pt.pdf
Infecciones gastrointestinales.es.pt.pdfInfecciones gastrointestinales.es.pt.pdf
Infecciones gastrointestinales.es.pt.pdfjoaopaulobrito3
 
Infecciones gastrointestinales.es.pt.pdf
Infecciones gastrointestinales.es.pt.pdfInfecciones gastrointestinales.es.pt.pdf
Infecciones gastrointestinales.es.pt.pdfjoaopaulobrito4
 
Água não tratada é porta aberta para várias doenças
Água não tratada é porta aberta para várias doençasÁgua não tratada é porta aberta para várias doenças
Água não tratada é porta aberta para várias doençasAndré Luiz Fachardo
 
Dengue e malaria
Dengue e malariaDengue e malaria
Dengue e malariacrishmuler
 
Doenças diarréicas agudas
Doenças diarréicas agudasDoenças diarréicas agudas
Doenças diarréicas agudasgisa_legal
 
Apresentação de biologia!
Apresentação de biologia!Apresentação de biologia!
Apresentação de biologia!2° Ta - cotuca
 
Doenças causadas por água contaminada
Doenças causadas por água contaminadaDoenças causadas por água contaminada
Doenças causadas por água contaminadaSamuel Coelho
 
Rotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteRotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteYlla Cohim
 
Rotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteRotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteYlla Cohim
 
Rotavrusepoliomielite 140720234859-phpapp02
Rotavrusepoliomielite 140720234859-phpapp02Rotavrusepoliomielite 140720234859-phpapp02
Rotavrusepoliomielite 140720234859-phpapp02MatheusMaciel53
 
Rotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteRotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteYlla Cohim
 
Água não tratada é porta aberta para várias doenças
Água não tratada é porta aberta para várias doençasÁgua não tratada é porta aberta para várias doenças
Água não tratada é porta aberta para várias doençasCopasa Digital
 

Semelhante a Enterobactérias (20)

Amebíase e toxoplasmose
Amebíase e toxoplasmoseAmebíase e toxoplasmose
Amebíase e toxoplasmose
 
Doencas de Veiculacao Hidrica
Doencas de Veiculacao HidricaDoencas de Veiculacao Hidrica
Doencas de Veiculacao Hidrica
 
Trabalho de agroindústria
Trabalho de agroindústriaTrabalho de agroindústria
Trabalho de agroindústria
 
Infecciones gastrointestinales.es.pt.pdf
Infecciones gastrointestinales.es.pt.pdfInfecciones gastrointestinales.es.pt.pdf
Infecciones gastrointestinales.es.pt.pdf
 
Infecciones gastrointestinales.es.pt.pdf
Infecciones gastrointestinales.es.pt.pdfInfecciones gastrointestinales.es.pt.pdf
Infecciones gastrointestinales.es.pt.pdf
 
Água não tratada é porta aberta para várias doenças
Água não tratada é porta aberta para várias doençasÁgua não tratada é porta aberta para várias doenças
Água não tratada é porta aberta para várias doenças
 
Dengue e malaria
Dengue e malariaDengue e malaria
Dengue e malaria
 
Cólera
CóleraCólera
Cólera
 
Aula 1- Micro.ppt
Aula 1- Micro.pptAula 1- Micro.ppt
Aula 1- Micro.ppt
 
Doenças diarréicas agudas
Doenças diarréicas agudasDoenças diarréicas agudas
Doenças diarréicas agudas
 
Apresentação de biologia!
Apresentação de biologia!Apresentação de biologia!
Apresentação de biologia!
 
Doenças causadas por água contaminada
Doenças causadas por água contaminadaDoenças causadas por água contaminada
Doenças causadas por água contaminada
 
Pandemias
PandemiasPandemias
Pandemias
 
Rotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteRotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomielite
 
Rotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteRotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomielite
 
Rotavrusepoliomielite 140720234859-phpapp02
Rotavrusepoliomielite 140720234859-phpapp02Rotavrusepoliomielite 140720234859-phpapp02
Rotavrusepoliomielite 140720234859-phpapp02
 
Rotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteRotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomielite
 
Água não tratada é porta aberta para várias doenças
Água não tratada é porta aberta para várias doençasÁgua não tratada é porta aberta para várias doenças
Água não tratada é porta aberta para várias doenças
 
Copasa doenças
Copasa doençasCopasa doenças
Copasa doenças
 
Saneamento
SaneamentoSaneamento
Saneamento
 

Enterobactérias

  • 2. INTRODUÇÃO  é uma família de bactérias Gram-negativas muito abundante. Os indivíduos da família Enterobácterias são bastante conhecidas, algumas pertencem a microbiota normal dos intestinos de seres humanos e animais como a Escherichia coli, outros como habitantes do solo ou da água e outros podem estar implicados em vários processos patogênicos, incluindo por exemplo o gênero Salmonella.
  • 3. ESCHERICHIA COLI E SALMONELLA é uma bactéria bacilar Gram- negativa, que, juntamente com o Staphylococcus aureus é a mais comum e uma das mais antigas bactérias simbiontes do homem. O seu descobridor foi o alemão- austríaco Theodor Escherich, em 1885. São bactérias Gram-negativas, em forma de bacilo, na sua maioria móveis, As salmonelas são um gênero extremamente heterogêneo, composto por três espécies, Salmonella subterranea, Salmonella bongori e Salmonella enterica, esta última possuindo quase 2000 sorotipos
  • 4. ESCHERICHIA. COLI é um grupo grande e diverso de bactérias. Embora a maioria das variedades de E. coli sejam inofensivas, outras podem provocar doenças. Alguns tipos de E. coli podem causar diarréia, enquanto outros provocam infecção urinária, doença respiratória, pneumonia e outras doenças. Há ainda outros tipos de E. coli que são usados como marcadores de contaminação na água. Você pode escutar sobre achado de E. coli na água para beber, a qual por si mesma pode ser inofensiva, mas é indicador de contaminação.
  • 5.
  • 6. CONTAMINAÇÃO  As infecções começam quando a pessoa engole as bactérias, em outras palavras quando entram pequenas quantidades (geralmente invisíveis) de fezes humanas ou animais na boca. Exposições que resultam em doença incluem consumo de comida contaminada, leite não pasteurizado, água não desinfetada, contato com gado, ou contato com fezes de pessoas infectadas.
  • 7. SINAIS & SINTOMAS  Os sintomas de infecção variam de pessoa para pessoa e aparecem cerca de 1 a 3 dias após a contaminação. E São:  cólicas estomacais severas,  diarréia (freqüentemente com sangue) e vômito.  Se houver febre, ela geralmente não é muito alta, menos de 38,5˚C. • A maioria das pessoas fica melhor dentro de 5 a 7 dias. Algumas infecções são moderadas, porém outras são graves e até ameaçam a vida.
  • 8. PREVENÇÃO Lavar as mãos cuidadosamente depois de usar o banheiro, trocar fraldas, e antes de preparar ou comer alimentos. Lavar as mãos depois de contato com animais em seu ambiente (fazendas, zoológicos, feiras). Evitar laticínios não pasteurizados. Evitar engolir água ao nadar em lagos, represas e piscinas.
  • 9. DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO  As infecções por E.coli são geralmente diagnosticadas por teste laboratorial de fezes.  O tratamento mais eficaz para combater a E. Coli é o uso de antibióticos, como afluoroquinolona, de 7 a 14 dias consecutivos. A reidratação é fundamental para recompor o equilíbrio hidroeletrolítico do indivíduo. Em caso de febre e dor corporal, podem também ser indicados medicamentos como o paracetamol.
  • 10. SALMONELLA o É um gênero de bactérias, conhecida há mais de um século. Tem, em seu nome, uma referência ao cientista estadunidense chamado Daniel Elmer Salmon, que associou a doença à bactéria pela primeira vez. São bactérias Gram-negativas, em forma de bacilo, na sua maioria móveis (com flagelos peritríquios), não esporulado, não capsulado. Com três especiés: oSalmonella subterranea, oSalmonella bongori, oSalmonella enterica,
  • 11. CONTAMINAÇÃO  A salmonela vive no intestino de humanos e outros animais, incluindo aves. Geralmente é transmitida para humanos ao ingerir alimentos contaminados com fezes de animais. As comidas contaminadas geralmente são de origem animal, porém todos alimentos, incluindo vegetais, podem ser contaminados. Entretanto cozinhar cuidadosamente mata a salmonela.
  • 12. SINAIS & SINTOMAS  A enterite (inflamação da mucosa intestinal) inicia- se de 6 a 48 horas após a ingestão da comida contaminada. Surgem abruptamente sintomas como vômitos, náuseas, e diarreia, assim como febre, dor abdominal forte e dores de cabeça, que persistem durante 2 a 7 dias. Uma complicação rara é a sepse, que é uma emergência médica que pode resultar em osteomielite, endocardite e artrite.
  • 13. PREVENÇÃO  LAVE MUITO BEM AS MÃOS ANTES de manipular qualquer tipo de alimento;  Lave muito bem as frutas, legumes e verduras em água corrente e deixe-as de molho em água com hipoclorito de sódio;  Não congele alimentos que já foram descongelados;  Evite carnes mal passadas, ovos em que a gema esteja crua, alimentos crus, como ostras e crustáceos;  Mantenha a temperatura da geladeira abaixo de quatro graus, enquanto que o freezer deve ficar entre doze e quinze graus negativos;
  • 14. DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO  Determinar que a salmonela é a causa da doença depende de teste laboratorial que a identificará nas fezes da pessoa infectada. Assim que for identificada, testes posteriores podem determinar o seu tipo e qual e se será usado antibióticos no tratamento.  As infecções geralmente são curadas entre 5 e 7 dias sem tratamento, a menos que o paciente fique seriamente desidratado ou a infecção se espalhe. Pessoas com diarréia grave podem necessitar de reidratação, muitas vezes intravenosa. Antibióticos geralmente não são necessários a menos que a infecção se espalhe.
  • 15. CONCLUSÃO  Estudando mais profundamente as enterobácterias citadas nesse seminários pode-se concluir que o seus respectivos tratamentos são fáceis de concluir e a melhor maneira de prevenção é a boa higienização de mãos e a constante e bem realizada lavagem das mãos. Sendo assim fica evidente que as epidemias de tais bactérias podem ser evitadas com uma constante educação da população voltada a prevenção primária (lavagem das mãos) e a não auto-medicação.
  • 16. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  http://www.copacabanarunners.net/salmonela.html  http://pt.wikipedia.org/wiki/Bergey  http://www.manualmerck.net/?id=203&cn=1653  www.anvisa.gov.br/servicosaude/manuais/microbi ologia.asp  TRABULSI Microbiologia 2a. Edição Atheneu. São Paulo, 1991