O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
ROTAVÍRUS E
POLIOMIELITE
FEIRA DE SANTANA – BAHIA
ROTAVÍRUS E POLIOMIELITE
DOCENTE: MONALISA DÓREA
DISCIPLINA: SAÚDE COLETIVA II
TURMA: 5 AM
DISCENTES: ERIKA CARNEIRO
KETRY...
O rotavírus é um vírus RNA pertencente à
família reoviridae. Existem sete grupos
desses vírus, denominados A, B, C, D, E, ...
 É umas das principais causas de diarreia grave em
crianças até 5 anos de idade, embora possa ocorrer
também em adultos. ...
TRANSMISSÃO:
O rotavírus é eliminado nas fezes do doente,
assim pode ser transmitido pela via fecal-oral ou
provavelmente...
SINTOMAS:
Em alguns casos, a infecção pode ser assintomática.
Quando os sintomas aparecem, os mais importantes são:
1. Di...
TRATAMENTO:
 Não há um tratamento específico para o
rotavírus.
 Nos casos mais leves, a prevenção
da desidratação pode ...
ROTAVÍRUS
É recomendável aumentar a oferta de líquidos como água,
sucos, chás e água de côcô para repor a quantidade de lí...
 PREVENÇÃO:
Para prevenir a contaminação devem ser adotadas medidas de
higiene, embora elas sejam pouco efetivas em crian...
 Usar água tratada para beber ou para preparar alimentos.
 Desprezar adequadamente fezes e fraldas contendo
material fec...
VACINAÇÃO:
A vacina que previne a doença faz parte do
Calendário Nacional de Vacinação desde 2006.
A Vacina Oral de Rotav...
VACINAÇÃO:
ROTAVÍRUS
É possível administrar a
primeira dose da vacina a partir de 1
mês e 15 dias a 3 meses e 15 dias
de ...
 A Poliomielite, geralmente chamada de pólio, é uma
infecção altamente contagiosa causada pelo póliovirus.
Em uma porcent...
TRANSMISSÃO:
 Uma pessoa pode transmitir diretamente para a outra.
A transmissão do vírus da poliomielite se dá através ...
SINTOMAS:
 Existem três padrões básicos de infecção por pólio: infecções
subclínicas, não paralíticas e paralíticas. Apr...
 SINTOMAS:
 A poliomielite clínica afeta o sistema nervoso central
(cérebro e medula espinhal) e se divide nas formas
pa...
 Sensibilidade muscular e espasmos em qualquer região do
corpo;
 Dor na parte frontal do pescoço;
 Dor ou rigidez nas c...
SINTOMAS:
Poliomielite paralítica
 Febre de 5 a 7 dias antes dos outros sintomas;
 Sensações anormais (mas não perda da...
 Contrações ou espasmos musculares na batata da perna,
pescoço ou costas;
 Dor muscular;
 Manifesta-se rapidamente;
 A...
 TRATAMENTO:
Os sintomas são tratados com base em sua
gravidade. Os tratamentos incluem:
 Antibióticos para infecções do...
PREVENÇÃO:
A poliomielite não tem tratamento específico. A
doença deve ser evitada tanto através da vacinação
contra poli...
 VACINAÇÃO:
A poliomielite pode ser evitada através de vacinação.
Existem dois tipos de vacina, Sabin (oral com vírus ate...
POLIOMIELITE
 Fiocruz - Poliomielite no Brasil <http: //www. bio. Fio cruz.
br index.php/poliomielite-sintomas-transmissao-e-prevencao...
Rotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomielite
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Rotavírus e poliomielite

3.474 visualizações

Publicada em

Slide apresentado na Faculdade de Tecnologia e Ciência de Feira de Santana- Bahia.

Enfermagem 5 Semestre
2014.1

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Rotavírus e poliomielite

  1. 1. ROTAVÍRUS E POLIOMIELITE FEIRA DE SANTANA – BAHIA
  2. 2. ROTAVÍRUS E POLIOMIELITE DOCENTE: MONALISA DÓREA DISCIPLINA: SAÚDE COLETIVA II TURMA: 5 AM DISCENTES: ERIKA CARNEIRO KETRYN RAMOS JESSIKA BORGES MARIANA FERNANDES ROSEMERYELLE DANTAS YLLA COHIM
  3. 3. O rotavírus é um vírus RNA pertencente à família reoviridae. Existem sete grupos desses vírus, denominados A, B, C, D, E, F e G. O tipo A é o mais comum, sendo responsável por mais de 90% das infecções em seres humanos. Este vírus causa a rotavirose, uma doença diarreica aguda responsável por ocasionar surtos em escolas, berçários, creches e hospitais. ROTAVÍRUS
  4. 4.  É umas das principais causas de diarreia grave em crianças até 5 anos de idade, embora possa ocorrer também em adultos. O rotavírus possui um período de incubaçãode 4 a 10 dias, mas geralmente menor (um a dois dias).  A estimativa é que até os cinco anos todas as crianças terão pelo menos um episódio de infecção e que uma em cada 300 infectadas pode morrer em consequência das complicações.  Nos adultos, a infecção costuma ser mais benigna. ROTAVÍRUS
  5. 5. TRANSMISSÃO: O rotavírus é eliminado nas fezes do doente, assim pode ser transmitido pela via fecal-oral ou provavelmente por secreções respiratórias de pessoas infectadas. A água e os alimentos contaminados também podem ser fontes de transmissão do vírus. ROTAVÍRUS
  6. 6. SINTOMAS: Em alguns casos, a infecção pode ser assintomática. Quando os sintomas aparecem, os mais importantes são: 1. Diarreia aguda, geralmente aquosa, sem sinais de muco e sangue; 2. Vômitos; 3. Febre e mal-estar; 4. Coriza e tosse, às vezes; 5. Desidratação, nos quadros graves. ROTAVÍRUS
  7. 7. TRATAMENTO:  Não há um tratamento específico para o rotavírus.  Nos casos mais leves, a prevenção da desidratação pode ser feita pela administração de soro caseiro ou soro de reidratação oral (SRO) em grande quantidade, visando restabelecer o equilíbrio hidroeletrolítico perdido com a diarreia. ROTAVÍRUS
  8. 8. ROTAVÍRUS É recomendável aumentar a oferta de líquidos como água, sucos, chás e água de côcô para repor a quantidade de líquidos perdida com os vômitos e a diarreia. Não é recomendado o uso de antibióticos e antidiarreicos. O tratamento deve ser orientado por um médico.
  9. 9.  PREVENÇÃO: Para prevenir a contaminação devem ser adotadas medidas de higiene, embora elas sejam pouco efetivas em crianças. Estas medidas incluem:  Lavar bem as mãos com água limpa e sabão.  Lavar sempre as mãos após usar o banheiro e antes de preparar alimentos.  Lavar os alimentos e as frutas a serem consumidos crus em solução desinfetante. ROTAVÍRUS
  10. 10.  Usar água tratada para beber ou para preparar alimentos.  Desprezar adequadamente fezes e fraldas contendo material fecal.  Estímulo ao aleitamento materno; fundamental importância pelos altos níveis de anticorpos contra o Rotavírus;  Medidas de saneamento básico são fundamentais para prevenir a transmissão do vírus. ROTAVÍRUS
  11. 11. VACINAÇÃO: A vacina que previne a doença faz parte do Calendário Nacional de Vacinação desde 2006. A Vacina Oral de Rotavírus Humano atenuado é aplicada em duas doses para crianças aos 2 meses e aos 4 meses de idade. Segundo estudos realizados, o grau de proteção não é total e depende de que as duas doses sejam ministradas precocemente. ROTAVÍRUS
  12. 12. VACINAÇÃO: ROTAVÍRUS É possível administrar a primeira dose da vacina a partir de 1 mês e 15 dias a 3 meses e 15 dias de idade (6 a 15 semanas de vida) e a segunda dose a partir de 3 meses e 15 dias a 7 meses e 29 dias de idade (15 a 32 semanas de vida).
  13. 13.  A Poliomielite, geralmente chamada de pólio, é uma infecção altamente contagiosa causada pelo póliovirus. Em uma porcentagem pequena de pessoas infectadas, o vírus ataca as células nervosas no cérebro e na espinha dorsal, particularmente as células nervosas da espinha dorsal que controlam os músculos envolvidos nos movimentos voluntários como caminhar. A destruição destes neurônios causa paralisia permanente em um em cada 200 casos. POLIOMIELITE
  14. 14. TRANSMISSÃO:  Uma pessoa pode transmitir diretamente para a outra. A transmissão do vírus da poliomielite se dá através da boca, com material contaminado com fezes (contato fecal-oral). O Poliovírus também pode ser disseminado por contaminação da água e de alimentos por fezes. A doença também pode ser transmitida pela forma oral- oral, através de gotículas expelidas ao falar, tossir ou espirrar.  O período de incubação varia de 5 a 35 dias, com mais frequência entre 7 e 14 dias. POLIOMIELITE
  15. 15. SINTOMAS:  Existem três padrões básicos de infecção por pólio: infecções subclínicas, não paralíticas e paralíticas. Aproximadamente 95% das infecções são subclínicas, que podem não ter sintomas.  Infecção subclínica  Desconforto geral ou ansiedade (mal-estar);  Dor de cabeça;  Garganta vermelha;  Leve febre;  Dor de garganta;  Vômitos. POLIOMIELITE
  16. 16.  SINTOMAS:  A poliomielite clínica afeta o sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal) e se divide nas formas paralítica e não paralítica. Ela pode ocorrer após a recuperação de uma infecção subclínica. Poliomielite não paralítica  Dor nas costas;  Diarreia;  Cansaço excessivo, fadiga;  Dor de cabeça;  Irritabilidade;  Dor nas pernas(MM. da panturrilha);  Febre moderada;  Rigidez muscular; POLIOMIELITE
  17. 17.  Sensibilidade muscular e espasmos em qualquer região do corpo;  Dor na parte frontal do pescoço;  Dor ou rigidez nas costas, braços, pernas e abdome;  Erupções na pele ou lesões doloridas;  Vômitos. Os sintomas normalmente duram de 1 a 2 semanas. POLIOMIELITE
  18. 18. SINTOMAS: Poliomielite paralítica  Febre de 5 a 7 dias antes dos outros sintomas;  Sensações anormais (mas não perda da sensibilidade) em alguma área;  Sensação de inchaço no abdome;  Dificuldade de respiração;  Constipação;  Dificuldade em começar a urinar;  Babar;  Dor de cabeça;  Irritabilidade ou perda do controle do humor; POLIOMIELITE
  19. 19.  Contrações ou espasmos musculares na batata da perna, pescoço ou costas;  Dor muscular;  Manifesta-se rapidamente;  A localização depende de que parte da medula espinhal é afetada;  Piora até chegar à paralisia;  Sensibilidade ao toque um leve toque pode ser doloroso;  Rigidez no pescoço e nas costas;  Dificuldade de deglutição. POLIOMIELITE
  20. 20.  TRATAMENTO: Os sintomas são tratados com base em sua gravidade. Os tratamentos incluem:  Antibióticos para infecções do trato urinário;  Medicamentos (como betanecol) para retenção urinária;  Calor úmido (bolsa de água quente, toalhas quentes) para reduzir a dor muscular e os espasmos;  Analgésicos para reduzir a dor de cabeça, as dores musculares e os espasmos (normalmente não são usados narcóticos porque eles aumentam o risco de dificuldade respiratória);  Fisioterapia, órteses ou botas ortopédicas, ou cirurgia ortopédica para ajudar a recuperar a força e o funcionamento dos músculos. POLIOMIELITE
  21. 21. PREVENÇÃO: A poliomielite não tem tratamento específico. A doença deve ser evitada tanto através da vacinação contra poliomielite, como de medidas preventivas contra doenças transmitidas por contaminação fecal de água e alimentos.  Lavar bem os alimentos antes do uso;  Lavagem das mãos;  Melhores condições socioeconômicas;  Usar água tratada para beber ou para preparar alimentos;  Vacinação. POLIOMIELITE
  22. 22.  VACINAÇÃO: A poliomielite pode ser evitada através de vacinação. Existem dois tipos de vacina, Sabin (oral com vírus atenuado) e Salk(injetável com vírus inativo). Ela deve ser aplicada aos 2, 4, 6 e 15 meses e a criança deve receber doses de reforço anuais, até os cinco anos. No Brasil, há campanhas anuais de vacinação, atingindo crianças dessa idade, as quais praticamente erradicaram a doença entre nós. POLIOMIELITE
  23. 23. POLIOMIELITE
  24. 24.  Fiocruz - Poliomielite no Brasil <http: //www. bio. Fio cruz. br index.php/poliomielite-sintomas-transmissao-e-prevencao>. Acessado em: 12 de maio de 2014.  VARELLA, Drauzio. Tudo sobre paralisia infantil. <http:// drauziovarella.com.br/crianca-2/poliomielite/> Acessado em: 09 de maio de 2010.  <http://www.expressyourself.com.br/super-mommy/rotavirus- ameaca-ao-alcance-das-maos> Acessado em: 12 de maio de 2014.  <http://www.minhavida.com.br/saude/tudo-sobre/16707- vacina-rotavirus-pentavalente> Acessado em 12 de maio de 2014. REFERÊNCIAS

×