SlideShare uma empresa Scribd logo
ENSINO RELIGIOSO 
Professora: Eponina Alencar 
Escola de Ensino Pedro Correia das Graças / Ensino 
Religioso / 9º ano C 
Arapiraca – AL, Agosto/2014
Ensino religioso
 Fenômeno individual – em primeiro lugar temos a 
consciência de nosso limite. É uma experiência 
subjetiva em que o individuo pode relacionar com 
uma entidade divina – CARÁTER SUBJETIVO; 
 O segundo elemento fundamental é a relação de 
diálogo com Deus (oração). A oração acontece 
dentro da relação, do EU e TU, formando a 
corrente do NÓS - O FENÔMENO UNIVERSAL; 
 Em todos os tempos, lugares e povos, 
encontramos o fenômeno religioso. Caráter 
objetivo da religião."Não há povo tão primitivo, tão 
bárbaro, que não admita a existência de deuses”
 A Religião surgiu naquele momento em que o 
homem explicou o inexplicável com Deus; onde ele 
não encontrava mais respostas a não ser a única 
resposta, DEUS. 
 No mundo encontramos cinco grandes religiões 
presencializadas ou manifestadas em diversos 
grupos, igrejas, filosofias ou crenças;
Cristianismo Hinduísmo 
Budismo 
Islamismo Judaísmo
AFINAL, O QUE É A RELIGIÃO? 
Não nos permite obter uma resposta imediata à pergunta, 
devido a multiplicidade religiões. 
A religião oferece um conjunto de dogmas (crença 
estabelecida) e de normas a cumprir. Cada religião integram 
indivíduos que partilham a mesma fé. 
A religião está presente em todas as épocas, povos e 
culturas conhecidas desde as mais primitivas. 
É um fenômeno universal e diversificado e constitui uma 
experiência humana fundamental. 
Como fenômeno complexo podemos identificar vários 
elementos comuns.
ELEMENTOS COMUNS NAS RELIGIÕES 
Um corpo de 
crenças 
Uma Moral 
Livros 
Sagrados 
Um culto 
A ideia da 
salvação 
Um mediador 
Uma 
organização
 Um corpo de 
crenças Um culto 
Conjunto de 
princípios ou 
dogmas que não 
podem questionar. A 
comunidade deve 
acreditar. 
Conjunto de ritos e 
cerimônias em que 
se exterioriza a 
relação com Deus. 
Uma Moral 
Uma 
organização 
Conjunto de normas 
e valores morais que 
orientam as relações 
humanas. 
Estrutura que garante 
a transmissão de 
valores e saberes da 
religião. (igrejas, 
estados 
democráticos).
Livros 
Sagrados 
A ideia da 
salvação 
Um mediador 
Figuras históricas que 
fazem a mediação entre 
Deus e o homem. (cristo, 
Moises e Abraão) 
Corpo de escrituras através 
das quais Deus se revelou 
aos seres humanos. 
É a recompensa por agir de 
acordo com os princípios 
defendidos pela religião.
Hinduísmo Os hindus possuem os 
VEDAS como livro sagrado, acreditam 
em encarnações anteriores e 
reencarnações futuras. São politeístas 
(crença em vários deuses). É a 
religião dominante na Índia.
Judaísmo - As origens do são 
atribuídas a Abraão, escolhido por Deus 
(Javé). Os Judeus possuem a BÍBLIA , 
como livro sagrado. Acreditam na vida 
depois da morte e são monoteístas 
(Pessoa que segue e acredita em um 
só Deus). Consideram Deus como 
onipotente, e transcendente.
Cristianismo É a continuação do judaísmo, 
acreditam num único Deus, criador, 
onipotente. A novidade na mensagem de 
Jesus é a substituição da lei do "dente por 
dente" pela Lei do "Amai-vos uns aos 
outros". Os cristãos possuem a BÍBLIA (novo 
e velho testamento) como livro sagrado. 
Acreditam na imortalidade e na ressurreição. 
São monoteístas e professam a fé em Jesus 
Cristo.
O Islamismo tem sua origem na palavra árabe 
"islam", obediência a Deus. Fundada por 
Maomé no século VII d.C.. O Islão é uma religião 
monoteísta fundamentada na existência de um 
único Deus, “Alá”, criador de tudo, juiz e 
soberano da humanidade. Maomé é o profeta. O 
Alcorão é o livro sagrado .
O Budismo é religião e filosofia fundada 
nos ensinamentos de Siddharta Gautama 
que viveu índia entre 560 e 480 a . C. O 
nome BUDA provem de "bodhi", isto é, 
aquele que atingiu o estado de iluminação.
 Deus – significa “brilhar”; “dia”. Tradicionalmente é 
aquele que criou o mundo e o sustém (onipotente e 
onipresente) 
 Ritos – É a expressão da religiosidade que permite 
transcender e participar do divino. São modos de 
ação especificas que dirigem a um objeto através da 
crença. Conjunto de regras que organizam o culto e 
manifesta-se através de gestos, sacrifícios e festas. 
 Crenças – estados de opinião que consistem em 
representações (símbolos);
 Sagrado – realidade absoluta que transcende este 
mundo, mas que manifesta nele. É uma realidade 
misteriosa que o ser humano não pode dominar, 
nem compreender, porque transcende e supera o 
ser humano, provoca respeito. 
 Profano – o que está fora do templo; algo que 
pertence ao cotidiano do natural e do humano. 
 Hierofania – manifestação do sagrado. do natural, 
do humano;
RESUMO: 
 A multiplicidade das religiões não permite responder de imediato 
a questão: “O que é a religião?” 
 Nas religiões incluem-se o animismo, o politeísmo e o 
monoteísmo. 
 Na sua dimensão social a religião oferece um conjunto de 
dogmas e de crenças a cumprir. 
 É um fenômeno individual, social e universal diversificado. 
Orienta e integra o indivíduo num grupo que partilha da mesma 
fé. 
 Nas religiões existem vários elementos comuns a saber: corpo 
de crenças, um culto, uma moral, uma organização, um 
mediador, a ideia da salvação e os livros sagrados. 
 As grandes religiões são cinco: Hinduísmo, Judaísmo, 
Cristianismo, Budismo e Islamismo. 
 As categorias das religiões são: Deus, Ritos, Crenças, profano, 
sagrado, Hierofania.
QUESTÕES 
1. Elabore um comentários sobre a seguinte frases: 
“Não há povo tão primitivo, tão bárbaro, que não 
admita a existência de deuses” 
2. Poder-se-á chegar facilmente a uma definição do que 
seja a religião? Porque? 
3. Elabore um texto onde estejam presentes, as 
grandes religiões e as suas respectivas 
características. 
4. indica e caracterize quatro elementos comuns a 
todas as religiões.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
Edson Salgado Ávella
 
Aula patrimônio cultural
Aula patrimônio culturalAula patrimônio cultural
Aula patrimônio cultural
Curso Letrados
 
Diversidade religiosa
Diversidade religiosaDiversidade religiosa
Diversidade religiosa
terceirao-zepires
 
RELIGIÃO 1ª AULA
RELIGIÃO 1ª AULARELIGIÃO 1ª AULA
A cultura do nordeste
A cultura do nordesteA cultura do nordeste
A cultura do nordeste
Nicole Gouveia
 
Religiões de matriz africana
Religiões de matriz africanaReligiões de matriz africana
Religiões de matriz africana
Portal do Vestibulando
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
Juliana Corvino de Araújo
 
Autoconhecimento e projeto de vida
Autoconhecimento e projeto de vidaAutoconhecimento e projeto de vida
Autoconhecimento e projeto de vida
Nadini de Sousa
 
Diversidade religiosa
Diversidade religiosaDiversidade religiosa
Diversidade religiosa
Andreia Oliveira
 
A Religiosidade Brasileira
A Religiosidade BrasileiraA Religiosidade Brasileira
A Religiosidade Brasileira
George Maia
 
Diversidade Religiosa Brasileira
Diversidade Religiosa BrasileiraDiversidade Religiosa Brasileira
Diversidade Religiosa Brasileira
Lara Luisa
 
Religião e Sociologia
Religião e SociologiaReligião e Sociologia
Religião e Sociologia
Vitor Vieira Vasconcelos
 
RELIGIÃO 2ª AULA
RELIGIÃO 2ª AULA RELIGIÃO 2ª AULA
Racionalismo x Empirismo
Racionalismo x EmpirismoRacionalismo x Empirismo
Racionalismo x Empirismo
Leonardo Leitão
 
Religiões
ReligiõesReligiões
Religiões
ioseph
 
HISTÓRIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS104) D1/D4
HISTÓRIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS104) D1/D4HISTÓRIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS104) D1/D4
HISTÓRIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS104) D1/D4
GernciadeProduodeMat
 
Estudo Orientado
Estudo OrientadoEstudo Orientado
Estudo Orientado
Prof.Paulo/geografia
 
Valores humanos
Valores humanosValores humanos
Valores humanos
Vera Gama
 
Prova filosofia 1º ano / I bimestre
Prova filosofia 1º ano /  I bimestreProva filosofia 1º ano /  I bimestre
Prova filosofia 1º ano / I bimestre
Mary Alvarenga
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
Claudio Henrique Ramos Sales
 

Mais procurados (20)

Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
 
Aula patrimônio cultural
Aula patrimônio culturalAula patrimônio cultural
Aula patrimônio cultural
 
Diversidade religiosa
Diversidade religiosaDiversidade religiosa
Diversidade religiosa
 
RELIGIÃO 1ª AULA
RELIGIÃO 1ª AULARELIGIÃO 1ª AULA
RELIGIÃO 1ª AULA
 
A cultura do nordeste
A cultura do nordesteA cultura do nordeste
A cultura do nordeste
 
Religiões de matriz africana
Religiões de matriz africanaReligiões de matriz africana
Religiões de matriz africana
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Autoconhecimento e projeto de vida
Autoconhecimento e projeto de vidaAutoconhecimento e projeto de vida
Autoconhecimento e projeto de vida
 
Diversidade religiosa
Diversidade religiosaDiversidade religiosa
Diversidade religiosa
 
A Religiosidade Brasileira
A Religiosidade BrasileiraA Religiosidade Brasileira
A Religiosidade Brasileira
 
Diversidade Religiosa Brasileira
Diversidade Religiosa BrasileiraDiversidade Religiosa Brasileira
Diversidade Religiosa Brasileira
 
Religião e Sociologia
Religião e SociologiaReligião e Sociologia
Religião e Sociologia
 
RELIGIÃO 2ª AULA
RELIGIÃO 2ª AULA RELIGIÃO 2ª AULA
RELIGIÃO 2ª AULA
 
Racionalismo x Empirismo
Racionalismo x EmpirismoRacionalismo x Empirismo
Racionalismo x Empirismo
 
Religiões
ReligiõesReligiões
Religiões
 
HISTÓRIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS104) D1/D4
HISTÓRIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS104) D1/D4HISTÓRIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS104) D1/D4
HISTÓRIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS104) D1/D4
 
Estudo Orientado
Estudo OrientadoEstudo Orientado
Estudo Orientado
 
Valores humanos
Valores humanosValores humanos
Valores humanos
 
Prova filosofia 1º ano / I bimestre
Prova filosofia 1º ano /  I bimestreProva filosofia 1º ano /  I bimestre
Prova filosofia 1º ano / I bimestre
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
 

Destaque

ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSASENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
Rodrigo Basílio da Silva
 
Apostila Para as 40 aulas de Educação Religiosa
Apostila Para as 40 aulas de Educação ReligiosaApostila Para as 40 aulas de Educação Religiosa
Apostila Para as 40 aulas de Educação Religiosa
elias pereira
 
Aula de Ensino Religioso - Resgatando Valores
Aula de Ensino Religioso - Resgatando ValoresAula de Ensino Religioso - Resgatando Valores
Aula de Ensino Religioso - Resgatando Valores
hartmanneli
 
Plano de ensino ensino religioso 6,7,8,9
Plano de ensino ensino religioso 6,7,8,9Plano de ensino ensino religioso 6,7,8,9
Plano de ensino ensino religioso 6,7,8,9
Atividades Diversas Cláudia
 
Apostila educação religiosa
Apostila educação religiosaApostila educação religiosa
Apostila educação religiosa
Flávia Pereira de Carvalho
 
Ensino religioso nas escolas
Ensino religioso nas escolasEnsino religioso nas escolas
Ensino religioso nas escolas
Mauricio Gonçalves
 
Apostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligiosoApostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligioso
Ronaldo Russou
 
Prova diagnostica ensino religioso sirlene
Prova diagnostica ensino religioso sirleneProva diagnostica ensino religioso sirlene
Prova diagnostica ensino religioso sirlene
Atividades Diversas Cláudia
 
Plano de ensino religião
Plano de ensino  religiãoPlano de ensino  religião
Plano de ensino religião
simonclark
 
ENSINO RELIGIOSO
ENSINO RELIGIOSOENSINO RELIGIOSO
ENSINO RELIGIOSO
Éder Oliveira
 
Aulas de ensino religioso
Aulas de ensino religiosoAulas de ensino religioso
Aulas de ensino religioso
Adriana Cunha
 
Ensino religioso vinculo amizade, familia escola
Ensino religioso vinculo amizade, familia escolaEnsino religioso vinculo amizade, familia escola
Ensino religioso vinculo amizade, familia escola
Atividades Diversas Cláudia
 
Religiao simbolos (1)
Religiao  simbolos (1)Religiao  simbolos (1)
Religiao simbolos (1)
cadernodigitalmaluh
 
Religião
ReligiãoReligião
Os cinco grandes eixos do Ensino Religioso
Os cinco grandes eixos do Ensino ReligiosoOs cinco grandes eixos do Ensino Religioso
Os cinco grandes eixos do Ensino Religioso
acs8cre
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
Francisquinha Rodrigues
 
Respeito a diversidade religiosa
Respeito a diversidade religiosaRespeito a diversidade religiosa
Respeito a diversidade religiosa
Paulo Gomes
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
departamentojt
 
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° anoAtividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
Luciano Mendes
 
Intolerãncia religiosa
Intolerãncia religiosaIntolerãncia religiosa
Intolerãncia religiosa
matheulopet
 

Destaque (20)

ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSASENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
 
Apostila Para as 40 aulas de Educação Religiosa
Apostila Para as 40 aulas de Educação ReligiosaApostila Para as 40 aulas de Educação Religiosa
Apostila Para as 40 aulas de Educação Religiosa
 
Aula de Ensino Religioso - Resgatando Valores
Aula de Ensino Religioso - Resgatando ValoresAula de Ensino Religioso - Resgatando Valores
Aula de Ensino Religioso - Resgatando Valores
 
Plano de ensino ensino religioso 6,7,8,9
Plano de ensino ensino religioso 6,7,8,9Plano de ensino ensino religioso 6,7,8,9
Plano de ensino ensino religioso 6,7,8,9
 
Apostila educação religiosa
Apostila educação religiosaApostila educação religiosa
Apostila educação religiosa
 
Ensino religioso nas escolas
Ensino religioso nas escolasEnsino religioso nas escolas
Ensino religioso nas escolas
 
Apostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligiosoApostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligioso
 
Prova diagnostica ensino religioso sirlene
Prova diagnostica ensino religioso sirleneProva diagnostica ensino religioso sirlene
Prova diagnostica ensino religioso sirlene
 
Plano de ensino religião
Plano de ensino  religiãoPlano de ensino  religião
Plano de ensino religião
 
ENSINO RELIGIOSO
ENSINO RELIGIOSOENSINO RELIGIOSO
ENSINO RELIGIOSO
 
Aulas de ensino religioso
Aulas de ensino religiosoAulas de ensino religioso
Aulas de ensino religioso
 
Ensino religioso vinculo amizade, familia escola
Ensino religioso vinculo amizade, familia escolaEnsino religioso vinculo amizade, familia escola
Ensino religioso vinculo amizade, familia escola
 
Religiao simbolos (1)
Religiao  simbolos (1)Religiao  simbolos (1)
Religiao simbolos (1)
 
Religião
ReligiãoReligião
Religião
 
Os cinco grandes eixos do Ensino Religioso
Os cinco grandes eixos do Ensino ReligiosoOs cinco grandes eixos do Ensino Religioso
Os cinco grandes eixos do Ensino Religioso
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
 
Respeito a diversidade religiosa
Respeito a diversidade religiosaRespeito a diversidade religiosa
Respeito a diversidade religiosa
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
 
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° anoAtividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
 
Intolerãncia religiosa
Intolerãncia religiosaIntolerãncia religiosa
Intolerãncia religiosa
 

Semelhante a Ensino religioso

ensinoreligioso-141117180802-conversion-gate01.pptx
ensinoreligioso-141117180802-conversion-gate01.pptxensinoreligioso-141117180802-conversion-gate01.pptx
ensinoreligioso-141117180802-conversion-gate01.pptx
FrancimaraCerqueira
 
Religioes da humanidade
Religioes da humanidade  Religioes da humanidade
Religioes da humanidade
Paulo Henrique
 
Religiões da humanidade
Religiões da humanidadeReligiões da humanidade
Religiões da humanidade
Over Lane
 
Religiões da humanidade.
Religiões da humanidade.Religiões da humanidade.
Religiões da humanidade.
Over Lane
 
Religioes da humanidade
Religioes da humanidadeReligioes da humanidade
Religioes da humanidade
Over Lane
 
Islamismo
IslamismoIslamismo
Islamismo
Karyn XP
 
Algumas formas de religião.
Algumas formas de religião.Algumas formas de religião.
Algumas formas de religião.
Nicole Gouveia
 
Algumas Religiões.8 Série
Algumas Religiões.8 SérieAlgumas Religiões.8 Série
Algumas Religiões.8 Série
nicollegouveia
 
Para que serve a religião
Para que serve a religiãoPara que serve a religião
Para que serve a religião
Antonio Filho
 
Introdução ao pensamento religioso
Introdução ao pensamento religiosoIntrodução ao pensamento religioso
Introdução ao pensamento religioso
Jarley Fernandes
 
Religiões da humanidade
Religiões da  humanidadeReligiões da  humanidade
Religiões da humanidade
Antenor Antenor
 
Diálogo inter religioso
Diálogo inter religiosoDiálogo inter religioso
Diálogo inter religioso
luciano
 
O Que Religião.pptx
O Que Religião.pptxO Que Religião.pptx
O Que Religião.pptx
RafaelAssis52
 
Introducaoaofenomenoreligiosos
IntroducaoaofenomenoreligiososIntroducaoaofenomenoreligiosos
Introducaoaofenomenoreligiosos
Fernanda Picao
 
Estudo das Religiões
Estudo das ReligiõesEstudo das Religiões
Estudo das Religiões
César Augusto Fernandes
 
Introdução: Fenômeno Religioso
Introdução: Fenômeno ReligiosoIntrodução: Fenômeno Religioso
Introdução: Fenômeno Religioso
ValderiVini
 
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1
PIBJA
 
Universalidade do fenomeno religioso
Universalidade do fenomeno religiosoUniversalidade do fenomeno religioso
Universalidade do fenomeno religioso
MoralitoAGVL
 
Lei de Adoração evolução espiritual do ser
Lei de  Adoração evolução espiritual do  ser Lei de  Adoração evolução espiritual do  ser
Lei de Adoração evolução espiritual do ser
Claudio Macedo
 
Instituição religiosa
Instituição religiosaInstituição religiosa
Instituição religiosa
roberto mosca junior
 

Semelhante a Ensino religioso (20)

ensinoreligioso-141117180802-conversion-gate01.pptx
ensinoreligioso-141117180802-conversion-gate01.pptxensinoreligioso-141117180802-conversion-gate01.pptx
ensinoreligioso-141117180802-conversion-gate01.pptx
 
Religioes da humanidade
Religioes da humanidade  Religioes da humanidade
Religioes da humanidade
 
Religiões da humanidade
Religiões da humanidadeReligiões da humanidade
Religiões da humanidade
 
Religiões da humanidade.
Religiões da humanidade.Religiões da humanidade.
Religiões da humanidade.
 
Religioes da humanidade
Religioes da humanidadeReligioes da humanidade
Religioes da humanidade
 
Islamismo
IslamismoIslamismo
Islamismo
 
Algumas formas de religião.
Algumas formas de religião.Algumas formas de religião.
Algumas formas de religião.
 
Algumas Religiões.8 Série
Algumas Religiões.8 SérieAlgumas Religiões.8 Série
Algumas Religiões.8 Série
 
Para que serve a religião
Para que serve a religiãoPara que serve a religião
Para que serve a religião
 
Introdução ao pensamento religioso
Introdução ao pensamento religiosoIntrodução ao pensamento religioso
Introdução ao pensamento religioso
 
Religiões da humanidade
Religiões da  humanidadeReligiões da  humanidade
Religiões da humanidade
 
Diálogo inter religioso
Diálogo inter religiosoDiálogo inter religioso
Diálogo inter religioso
 
O Que Religião.pptx
O Que Religião.pptxO Que Religião.pptx
O Que Religião.pptx
 
Introducaoaofenomenoreligiosos
IntroducaoaofenomenoreligiososIntroducaoaofenomenoreligiosos
Introducaoaofenomenoreligiosos
 
Estudo das Religiões
Estudo das ReligiõesEstudo das Religiões
Estudo das Religiões
 
Introdução: Fenômeno Religioso
Introdução: Fenômeno ReligiosoIntrodução: Fenômeno Religioso
Introdução: Fenômeno Religioso
 
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1
 
Universalidade do fenomeno religioso
Universalidade do fenomeno religiosoUniversalidade do fenomeno religioso
Universalidade do fenomeno religioso
 
Lei de Adoração evolução espiritual do ser
Lei de  Adoração evolução espiritual do  ser Lei de  Adoração evolução espiritual do  ser
Lei de Adoração evolução espiritual do ser
 
Instituição religiosa
Instituição religiosaInstituição religiosa
Instituição religiosa
 

Mais de Eponina Alencar

5 aula população - 2ª ano
5 aula   população - 2ª ano5 aula   população - 2ª ano
5 aula população - 2ª ano
Eponina Alencar
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
Eponina Alencar
 
Introdução a sociologia
Introdução a sociologiaIntrodução a sociologia
Introdução a sociologia
Eponina Alencar
 
Emgeo11003
Emgeo11003Emgeo11003
Emgeo11003
Eponina Alencar
 
Emgeo01004
Emgeo01004Emgeo01004
Emgeo01004
Eponina Alencar
 
Emgeo01003
Emgeo01003Emgeo01003
Emgeo01003
Eponina Alencar
 
Emgeo01002
Emgeo01002Emgeo01002
Emgeo01002
Eponina Alencar
 
Emgeo01001
Emgeo01001 Emgeo01001
Emgeo01001
Eponina Alencar
 
Bacias hidrogrficas do brasil
Bacias hidrogrficas do brasilBacias hidrogrficas do brasil
Bacias hidrogrficas do brasil
Eponina Alencar
 
Auladehidrografiadobrasil 110424165145-phpapp01
Auladehidrografiadobrasil 110424165145-phpapp01Auladehidrografiadobrasil 110424165145-phpapp01
Auladehidrografiadobrasil 110424165145-phpapp01
Eponina Alencar
 
Aula i bimestre 1 ano
Aula i bimestre   1 anoAula i bimestre   1 ano
Aula i bimestre 1 ano
Eponina Alencar
 
áGuas continentais e solos 3 etapa
áGuas continentais e solos   3 etapaáGuas continentais e solos   3 etapa
áGuas continentais e solos 3 etapa
Eponina Alencar
 
1 médio 2ªetapa
1 médio   2ªetapa1 médio   2ªetapa
1 médio 2ªetapa
Eponina Alencar
 
Arte na sociedade industrial
Arte na sociedade industrialArte na sociedade industrial
Arte na sociedade industrial
Eponina Alencar
 
Galeria de imagens - Estudo da arte
Galeria de imagens - Estudo da arteGaleria de imagens - Estudo da arte
Galeria de imagens - Estudo da arte
Eponina Alencar
 
Arte ensino médio slide 1
Arte ensino médio  slide 1Arte ensino médio  slide 1
Arte ensino médio slide 1
Eponina Alencar
 
Arte 2 médio slide
Arte 2 médio   slideArte 2 médio   slide
Arte 2 médio slide
Eponina Alencar
 
Arte 1 médio slide
Arte 1 médio slideArte 1 médio slide
Arte 1 médio slide
Eponina Alencar
 
Impactos ambientais urbanos
Impactos ambientais urbanosImpactos ambientais urbanos
Impactos ambientais urbanos
Eponina Alencar
 
Industrialização e urbanização brasileira 7 ano
Industrialização e urbanização brasileira 7 anoIndustrialização e urbanização brasileira 7 ano
Industrialização e urbanização brasileira 7 ano
Eponina Alencar
 

Mais de Eponina Alencar (20)

5 aula população - 2ª ano
5 aula   população - 2ª ano5 aula   população - 2ª ano
5 aula população - 2ª ano
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Introdução a sociologia
Introdução a sociologiaIntrodução a sociologia
Introdução a sociologia
 
Emgeo11003
Emgeo11003Emgeo11003
Emgeo11003
 
Emgeo01004
Emgeo01004Emgeo01004
Emgeo01004
 
Emgeo01003
Emgeo01003Emgeo01003
Emgeo01003
 
Emgeo01002
Emgeo01002Emgeo01002
Emgeo01002
 
Emgeo01001
Emgeo01001 Emgeo01001
Emgeo01001
 
Bacias hidrogrficas do brasil
Bacias hidrogrficas do brasilBacias hidrogrficas do brasil
Bacias hidrogrficas do brasil
 
Auladehidrografiadobrasil 110424165145-phpapp01
Auladehidrografiadobrasil 110424165145-phpapp01Auladehidrografiadobrasil 110424165145-phpapp01
Auladehidrografiadobrasil 110424165145-phpapp01
 
Aula i bimestre 1 ano
Aula i bimestre   1 anoAula i bimestre   1 ano
Aula i bimestre 1 ano
 
áGuas continentais e solos 3 etapa
áGuas continentais e solos   3 etapaáGuas continentais e solos   3 etapa
áGuas continentais e solos 3 etapa
 
1 médio 2ªetapa
1 médio   2ªetapa1 médio   2ªetapa
1 médio 2ªetapa
 
Arte na sociedade industrial
Arte na sociedade industrialArte na sociedade industrial
Arte na sociedade industrial
 
Galeria de imagens - Estudo da arte
Galeria de imagens - Estudo da arteGaleria de imagens - Estudo da arte
Galeria de imagens - Estudo da arte
 
Arte ensino médio slide 1
Arte ensino médio  slide 1Arte ensino médio  slide 1
Arte ensino médio slide 1
 
Arte 2 médio slide
Arte 2 médio   slideArte 2 médio   slide
Arte 2 médio slide
 
Arte 1 médio slide
Arte 1 médio slideArte 1 médio slide
Arte 1 médio slide
 
Impactos ambientais urbanos
Impactos ambientais urbanosImpactos ambientais urbanos
Impactos ambientais urbanos
 
Industrialização e urbanização brasileira 7 ano
Industrialização e urbanização brasileira 7 anoIndustrialização e urbanização brasileira 7 ano
Industrialização e urbanização brasileira 7 ano
 

Último

Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 

Último (20)

Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 

Ensino religioso

  • 1. ENSINO RELIGIOSO Professora: Eponina Alencar Escola de Ensino Pedro Correia das Graças / Ensino Religioso / 9º ano C Arapiraca – AL, Agosto/2014
  • 3.  Fenômeno individual – em primeiro lugar temos a consciência de nosso limite. É uma experiência subjetiva em que o individuo pode relacionar com uma entidade divina – CARÁTER SUBJETIVO;  O segundo elemento fundamental é a relação de diálogo com Deus (oração). A oração acontece dentro da relação, do EU e TU, formando a corrente do NÓS - O FENÔMENO UNIVERSAL;  Em todos os tempos, lugares e povos, encontramos o fenômeno religioso. Caráter objetivo da religião."Não há povo tão primitivo, tão bárbaro, que não admita a existência de deuses”
  • 4.  A Religião surgiu naquele momento em que o homem explicou o inexplicável com Deus; onde ele não encontrava mais respostas a não ser a única resposta, DEUS.  No mundo encontramos cinco grandes religiões presencializadas ou manifestadas em diversos grupos, igrejas, filosofias ou crenças;
  • 5. Cristianismo Hinduísmo Budismo Islamismo Judaísmo
  • 6. AFINAL, O QUE É A RELIGIÃO? Não nos permite obter uma resposta imediata à pergunta, devido a multiplicidade religiões. A religião oferece um conjunto de dogmas (crença estabelecida) e de normas a cumprir. Cada religião integram indivíduos que partilham a mesma fé. A religião está presente em todas as épocas, povos e culturas conhecidas desde as mais primitivas. É um fenômeno universal e diversificado e constitui uma experiência humana fundamental. Como fenômeno complexo podemos identificar vários elementos comuns.
  • 7. ELEMENTOS COMUNS NAS RELIGIÕES Um corpo de crenças Uma Moral Livros Sagrados Um culto A ideia da salvação Um mediador Uma organização
  • 8.  Um corpo de crenças Um culto Conjunto de princípios ou dogmas que não podem questionar. A comunidade deve acreditar. Conjunto de ritos e cerimônias em que se exterioriza a relação com Deus. Uma Moral Uma organização Conjunto de normas e valores morais que orientam as relações humanas. Estrutura que garante a transmissão de valores e saberes da religião. (igrejas, estados democráticos).
  • 9. Livros Sagrados A ideia da salvação Um mediador Figuras históricas que fazem a mediação entre Deus e o homem. (cristo, Moises e Abraão) Corpo de escrituras através das quais Deus se revelou aos seres humanos. É a recompensa por agir de acordo com os princípios defendidos pela religião.
  • 10. Hinduísmo Os hindus possuem os VEDAS como livro sagrado, acreditam em encarnações anteriores e reencarnações futuras. São politeístas (crença em vários deuses). É a religião dominante na Índia.
  • 11. Judaísmo - As origens do são atribuídas a Abraão, escolhido por Deus (Javé). Os Judeus possuem a BÍBLIA , como livro sagrado. Acreditam na vida depois da morte e são monoteístas (Pessoa que segue e acredita em um só Deus). Consideram Deus como onipotente, e transcendente.
  • 12. Cristianismo É a continuação do judaísmo, acreditam num único Deus, criador, onipotente. A novidade na mensagem de Jesus é a substituição da lei do "dente por dente" pela Lei do "Amai-vos uns aos outros". Os cristãos possuem a BÍBLIA (novo e velho testamento) como livro sagrado. Acreditam na imortalidade e na ressurreição. São monoteístas e professam a fé em Jesus Cristo.
  • 13. O Islamismo tem sua origem na palavra árabe "islam", obediência a Deus. Fundada por Maomé no século VII d.C.. O Islão é uma religião monoteísta fundamentada na existência de um único Deus, “Alá”, criador de tudo, juiz e soberano da humanidade. Maomé é o profeta. O Alcorão é o livro sagrado .
  • 14. O Budismo é religião e filosofia fundada nos ensinamentos de Siddharta Gautama que viveu índia entre 560 e 480 a . C. O nome BUDA provem de "bodhi", isto é, aquele que atingiu o estado de iluminação.
  • 15.  Deus – significa “brilhar”; “dia”. Tradicionalmente é aquele que criou o mundo e o sustém (onipotente e onipresente)  Ritos – É a expressão da religiosidade que permite transcender e participar do divino. São modos de ação especificas que dirigem a um objeto através da crença. Conjunto de regras que organizam o culto e manifesta-se através de gestos, sacrifícios e festas.  Crenças – estados de opinião que consistem em representações (símbolos);
  • 16.  Sagrado – realidade absoluta que transcende este mundo, mas que manifesta nele. É uma realidade misteriosa que o ser humano não pode dominar, nem compreender, porque transcende e supera o ser humano, provoca respeito.  Profano – o que está fora do templo; algo que pertence ao cotidiano do natural e do humano.  Hierofania – manifestação do sagrado. do natural, do humano;
  • 17. RESUMO:  A multiplicidade das religiões não permite responder de imediato a questão: “O que é a religião?”  Nas religiões incluem-se o animismo, o politeísmo e o monoteísmo.  Na sua dimensão social a religião oferece um conjunto de dogmas e de crenças a cumprir.  É um fenômeno individual, social e universal diversificado. Orienta e integra o indivíduo num grupo que partilha da mesma fé.  Nas religiões existem vários elementos comuns a saber: corpo de crenças, um culto, uma moral, uma organização, um mediador, a ideia da salvação e os livros sagrados.  As grandes religiões são cinco: Hinduísmo, Judaísmo, Cristianismo, Budismo e Islamismo.  As categorias das religiões são: Deus, Ritos, Crenças, profano, sagrado, Hierofania.
  • 18. QUESTÕES 1. Elabore um comentários sobre a seguinte frases: “Não há povo tão primitivo, tão bárbaro, que não admita a existência de deuses” 2. Poder-se-á chegar facilmente a uma definição do que seja a religião? Porque? 3. Elabore um texto onde estejam presentes, as grandes religiões e as suas respectivas características. 4. indica e caracterize quatro elementos comuns a todas as religiões.