SlideShare uma empresa Scribd logo
Unidade 2
Tutora : Enf Esp Emanuella Freitas Diogo
Enfermagem e Ciência
Enfermagem e Ciência
» UNIDADE 2: TEORIAS DE ENFERMAGEM
● TÓPICO 1: TEORIAS DA ENFERMAGEM DE FLORENCE, HORTA E OREM.
● TÓPICO 2: TEORIAS DE ENFERMAGEM DE ROY, HENDERSON E PEPLAU
● TÓPICO 3: TEORIAS DE ENFERMAGEM DE ABDELLAH, ROGERS, WATSON
E LEININGER.
UNIDADE 2
TÓPICO 1 ● As Teorias de Enfermagem constituem um arcabouço de
conhecimentos e práticas validadas cientificamente. Nesse sentido,
são avanços históricos que fundamentam a profissão de
Enfermagem na assistência ao ser humano, envolvendo a
racionalidade do saber e de como fazer.
● Várias teorias surgiram com o avanço da Enfermagem, sendo
algumas mais conhecidas e difundidas que as outras. Neste tópico,
conheceremos algumas das principais teorias que foram instituídas
como fundamentais para o processo de trabalho em Enfermagem.
» INTRODUÇÃO
» TEORIAS DA
ENFERMAGEM DE
FLORENCE, HORTA E
OREM
UNIDADE 2
TÓPICO 1
● Florence Nightingale era uma enfermeira e cientista britânica,
reconhecida por seu trabalho após ter se dedicado aos cuidados
de soldados da guerra da Crimeia, em 1854. Os soldados a
transformaram em seu anjo da guarda, porque ela era vista em
enfermarias e acampamentos dos batalhões com uma lanterna na
mão, iluminando o caminho, para cuidar dos doentes, tendo ficado
conhecida como a Dama da Lâmpada (COREN, 2021).
» TEORIA DE FLORENCE
NIGHTINGALE
UNIDADE 2
TÓPICO 1
● Durante a Guerra da Crimeia, em 1854, Florence Nightingale foi
Enfermeira de guerra.
● Os soldados a transformaram em seu anjo da guarda porque ela ia
nas enfermarias e acampamentos dos batalhões de lanterna na mão,
iluminando o caminho, para cuidar dos doentes.
● É por isso que Florence Nightingale é conhecida como a Dama da
Lâmpada (COREN-SP, 2021).
» A lâmpada se
tornou um
símbolo
universal da
Enfermagem:
Esta Foto de Autor Desconhecido está
licenciado em CC BY-SA
● Dia 12 de maio é comemorado o Dia Mundial do Enfermeiro. A data é
celebrada em homenagem a Florence Nightingale, um marco da
Enfermagem que ficou conhecida como a Dama da Lâmpada, por
percorrer os leitos de soldados durante a noite em tempos de guerra.
Ela foi a fundadora da primeira Escola de Enfermagem da Inglaterra,
no Hospital Saint Thomas, em 1859.
● No Brasil, em 20 de maio comemora-se o Dia Nacional dos Técnicos e
Auxiliares de Enfermagem, na data do falecimento de Ana Neri, a
primeira enfermeira voluntária do País. Assim como a europeia, ela
deu nome à primeira Escola de Enfermagem oficializada pelo Governo
Federal, em 1923.
UNIDADE 2
TÓPICO 1
● Florence foi considerada a criadora da Enfermagem Moderna, pois
deixou um legado de conhecimentos que são utilizados até hoje na
profissão.
● Seus métodos foram seguidos e instituídos em muitas escolas de
Enfermagem pelo mundo.
● As enfermeiras que se formavam com os devidos conhecimentos dos
métodos Nightingale eram denominadas de enfermeiras padrões
(COSTA et al., 2009).
Esta Foto de
Autor
Desconhecido
está licenciado
em CC BY-NC-
ND
UNIDADE 2
TÓPICO 1 ● Em 1859, surgiu a teoria Ambientalista, criada por Florence
Nightingale (PADILHA; MANCIA, 2005), que se refere ao meio em
que se vive como:
● “Todas as condições e influências externas que afetam a vida e o
desenvolvimento do organismo são capazes de prevenir, suprimir ou
contribuir para a doença e a morte” (MEDEIROS; ENDERS; LIRA,
2015, p. 522).
Esta Foto de Autor
Desconhecido está
licenciado em CC BY
UNIDADE 2
TÓPICO 1
● Florence Nightingale morreu em 13 de agosto de 1910, em Londres,
aos 90 anos. Ela passou seus últimos anos em repouso absoluto, em
sua casa, por causa de complicações tardias decorrentes da febre
tifoide.
● Em sua homenagem, a data de seu nascimento, 12 de maio, foi
instituída como o Dia do Enfermeiro no Brasil e a semana de
Enfermagem de 12 a 20 de maio.
UNIDADE 2
TÓPICO 2
● Wanda de Aguiar Horta foi uma enfermeira brasileira, nascida em
Belém do Pará, em 1926, que estudou na Escola de Enfermagem
junto ao Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina da
Universidade de São Paulo (USP), em 1945. Estabeleceu-se como
professora na mesma instituição em 1959, onde pôde aprofundar
seus estudos sobre a teoria das Necessidades Humanas Básicas
(GONÇALVES, 1988).
● Wanda de Aguiar Horta foi considerada, com destaque ímpar, a
professora que em seus estudos desenvolveu os conceitos do
Processo de Enfermagem no século passado (COREN-SP, 2021).
TEORIA DE WANDA
HORTA
UNIDADE 2
TÓPICO 2
● Para Horta (1979, p. 133), “Enfermagem é ciência e a arte de assistir
o ser humano no atendimento de suas necessidades básicas, de
torná-lo independente desta assistência através da educação; de
recuperar, manter e promover sua saúde, contando para isso com a
colaboração de outros grupos profissionais”.
UNIDADE 2
TÓPICO 2
A teoria das Necessidades Humanas Básicas
se fundamenta nas leis gerais que regem os
fenômenos universais, como:
• Lei do equilíbrio: todo universo se manter por
processos de equilíbrio dinâmico entre seus
seres (homeostase e hemodinâmica)
• Lei de adaptação: todos os seres do universo
interagem com seu meio externo buscando
sempre forma de ajustamento para se manterem
em equilíbrio.
• Lei do holismo: o universo, o ser humano e as
células são um todo, esse todo não é uma mera
soma de partes constituintes de cada ser
(HORTA, 1979, p. 28, grifo nosso).
UNIDADE 2
TÓPICO 2
A teoria de Wanda Horta foi aplicada à Enfermagem, embora tenha sido
desenvolvida a partir da teoria da motivação humana de Maslow, que se
fundamenta nas necessidades humanas básicas (HORTA, 1979).
UNIDADE 2
TÓPICO 2
●
DESCRIÇÃO DE
WANDA HORTA
UNIDADE 2
TÓPICO 2
●
DESCRIÇÃO
DAS FUNÇÕES
DO
ENFERMEIRO,
SEGUNDO
WANDA
HORTA
UNIDADE 2
TÓPICO 2
No esquema, Horta identifica a função da Enfermagem precisa
considerar em sua assistência: identificar as necessidades dos
cuidados, realizar o cuidado visando à promoção e à recuperação da
saúde, levantando critérios que imponham ao profissional as áreas da
pesquisa, de ensino e de administração.
A teoria de Maslow seguia a mesma direção do que Horta destacava,
no que tange à pirâmide em que a construção do processo para se
alcançar o topo do bem-estar físico, mental e social precisa ser
seguido.
UNIDADE 2
TÓPICO 1
Na pirâmide da autoestima,
todo o indivíduo precisa ser
reconhecido pelo que
desenvolve e conquista, e,
por último, suprir suas
necessidades de realização
pessoal – ponto que é visível
uma vez que todos têm o
direito a estudar,
desenvolver-se e realizar
seus sonhos.
UNIDADE 2
TÓPICO 2 A enfermeira pesquisadora Callista Roy (Figura 13) define a
Enfermagem como “ciência e prática” e percebe a pessoa como um
indivíduo que se adapta às respostas ambientais em situação que
envolve saúde e doença (KAMIYAMA, 1984; COELHO; MENDES, 2011).
⮚Roy apresentou três aspectos fundamentais da sua teoria da
adaptação:
o Pessoa/grupo;
o Meio;
o Saúde.
TEORIA DA CALLISTA
ROY
UNIDADE 2
TÓPICO 2
TEORIA DA CALLISTA
ROY
UNIDADE 2
TÓPICO 2
Para Roy, a adaptação é necessária para o equilíbrio da pessoa em
relação à saúde e às mudanças do meio interno e externo.
A teoria de Roy vem sendo aplicada ao longo dos anos principalmente
em pesquisas envolvendo pacientes ostomizados, nos quais há a
necessidade de adaptação diante das mudanças impostas, assim
como na promoção da melhoria do cuidado prestado pela
Enfermagem.
TEORIA DA CALLISTA
ROY
UNIDADE 2
TÓPICO 2
A teoria de Virgínia Henderson foi divulgada pela primeira vez em
1955, e enfatizava as necessidades básicas na totalidade da pessoa.
⮚Henderson elencou 14 necessidades básicas que fornecem uma
estrutura para a assistência de Enfermagem, conforme a seguinte
ordem de relevância:
● Respirar normalmente.
● Comer e beber adequadamente.
● Eliminar por todas as vias de eliminação.
● Movimentar e manter a posição desejável.
● Dormir e descansar.
● Selecionar a roupa apropriada, vestir-se e despir-se.
● Manter a temperatura do corpo dentro do limite normal.
TEORIA DE VIRGÍNA
HENDERSON
UNIDADE 2
TÓPICO 2
● Manter o corpo limpo e bem cuidado.
● Evitar perigos no ambiente.
● Comunicar-se com os outros.
● Cultuar de acordo com a fé.
● Trabalhar em alguma coisa que proporcione realização.
● Participar de várias formas de recreação.
● Aprender, descobrir ou satisfazer a curiosidade que conduz ao
desenvolvimento normal e à saúde (POTTER, 2018, p. 198).
TEORIA DE VIRGÍNA
HENDERSON
UNIDADE 2
TÓPICO 2
A teoria de Hildegard Peplau foca a interação do enfermeiro com o
paciente, colocando o paciente como indivíduo com necessidades que
devem ser percebidas pelo profissional, caracterizando-se, dessa
forma, como um processo interpessoal e terapêutico (POTTER, 2018).
A teoria de Peplau aproxima o paciente do seu estado de saúde, pois
ele e o enfermeiro definem o problema e as potenciais soluções. Essa
condição propicia a redução da ansiedade, auxiliando no atendimento
das necessidades do paciente. O relacionamento interpessoal entre
enfermeiro e paciente é caracterizado pelas seguintes fases:
orientação, identificação, explicação e resolução.
TEORIA DE HILDEGARD
PEPLAU
UNIDADE 2
TÓPICO 3
teoria de Faye Abdellah foi desenvolvida em 1960 e enfatizou a
prestação de cuidados de Enfermagem na totalidade do indivíduo para
atender às necessidades físicas, emocionais, intelectuais, sociais e
espirituais dos pacientes e de seus familiares.
Para colocar essa teoria em prática, o enfermeiro necessita ter a
compreensão de vários fenômenos, como também possuir
conhecimentos e habilidades sobre relações interpessoais, psicologia,
crescimento e desenvolvimento, comunicação, sociologia, ciências
básicas e conhecimentos específicos de Enfermagem.
TEORIA DE FAYE
ABDELLAH
UNIDADE 2
TÓPICO 3
● É necessário que o enfermeiro realize a análise, de forma
individualizada, das necessidades de cada paciente, abordando seus
aspectos dentro dessas quatro áreas:
● Conforto, Higiene e Segurança.
● Equilíbrio Fisiológico.
● Fatores Psicológicos e Sociais.
● Fatores Sociológicos e Comunitários (POTTER, 2018, p. 198).
TEORIA DE FAYE
ABDELLAH
UNIDADE 2
TÓPICO 3
Martha Rogers foi enfermeira e publicou sua teoria em 1970. Seus estudos
trouxeram a visão do ser humano em um ser unitário, como um campo de
energia coexistindo dentro do universo. Ela defendia que o homem é todo
unificado, possuindo integridade pessoal e manifestando características
que são mais do que a soma das partes.
⮚Rogers utilizou quatro dimensões para se fundamentar na teoria
humanista:
● Pessoa: na sua teoria, o ser humano era visto como um sistema que
interage com o todo e continuamente com o meio ambiente.
● Meio ambiente: inclui todo o campo de energia, não limitado por tempo e
espaço e identificados por seu padrão e organização.
● Saúde: a interação com o meio ambiente e seu campo de energia
podem interferir no processo saúde-doença.
● Enfermagem: a ação da Enfermagem direciona a interação da pessoa e
TEORIA DE MARTHA
ROGERS
UNIDADE 2
TÓPICO 3
⮚A teoria dos Seres Humanos Unitários de Rogers segue como
pressupostos:
✔ O homem é um todo unificado que possui sua própria integridade e
manifesta características que são maiores e diferentes da soma de
suas partes.
✔ O homem e o meio ambiente estão continuamente trocando matéria
e energia um com o outro.
✔ O processo de vida evolui irreversível e unidirecionalmente ao longo
da trajetória tempo-espaço.
✔ O padrão e a organização identificam o homem e refletem sua
integridade inovadora.
✔ O homem é caracterizado pela capacidade de abstração e
imaginação, linguagem e pensamento, sensação e emoção
(COSTALES; LOYOLA, 2018, p. 1).
TEORIA DE MARTHA
ROGERS
UNIDADE 2
TÓPICO 3
Martha Rogers defendia que “a arte da Enfermagem se constitui na
aplicação imaginativa e criativa dos conhecimentos científicos próprios
da profissão, com o intuito de servir à humanidade” (SÁ, 1994, p. 171).
TEORIA DE MARTHA
ROGERS
UNIDADE 2
TÓPICO 3
● Jean Watson defendia na sua teoria o cuidado como uma ciência
humana desenvolvida a partir de fundamentos filosóficos e sistemas
de valores humanistas. Esse conceito é fundamentado na relação
ontológica atrelada a uma visão mundial de unidade (SILVA et al.,
2010).
● A teoria de Watson surgiu na década de 1970, período em que era
docente na Universidade do Colorado. A teoria foi resultado de sua
pesquisa durante o doutorado em Clínica e Psicologia Social
(PASSOS; PAGLIUCA; DAMASCENO, 2006).
● O estudo de Watson ficou conhecido como teoria do Cuidado
Transpessoal, definida como interacionista, já que envolve a
interação entre enfermeiro e paciente nas ações de assistência e
cuidado. O cuidado é uma vivência que necessita de “diálogo entre
pessoas, no qual cada uma delas sente a disponibilidade, a
proximidade e a compreensão uma da outra, além de partilharem
histórias de vida, trajetórias e angústias” (SILVA et al., 2010, p. 549).
TEORIA DE JEAN
WATSON
UNIDADE 2
TÓPICO 3
● Madeleine Leininger especializou-se na área de Enfermagem
psiquiátrica ainda na década de 1950. Em seu doutorado, buscou
estudar os aspectos conceituais relacionados com cultura,
Enfermagem e etnociência (ORIÁ; XIMENES; ALVES, 2005).
● Leninger percebia que havia uma lacuna na Enfermagem sobre a
cultura. A falta de compreensão sobre os comportamentos humanos
implicava o desenvolvimento das práticas de cuidados de
Enfermagem diversificadas, significativas e eficazes, de acordo com
as culturas. A partir de então, formulou conceitos, teorias, práticas e
princípios da disciplina que fundou, a chamada “Enfermagem
Transcultural” (REIS; SANTOS; JUNIOR, 2012).
TEORIA DE MADELEINE
LEININGER
UNIDADE 2
TÓPICO 3 ● Pode-se dizer que esse plano gira em torno da sistematização da
assistência de Enfermagem (SAE), sendo que cada teoria pode ser
levantada para aplicabilidade nos planos estratégicos que a
Enfermagem precisa desenvolver, promovendo o autocuidado
voltado ao ser humano como paciente e com características que
mostram os sentimentos humanizados.
● É possível identificar que a estrutura seguida visa à teoria de Orem:
com o levantamento do diagnóstico, seguido da descrição do plano
proposto, as intervenções a serem realizadas e, por fim, a descrição
da evolução, a qual pode ser considerada uma das formas de
identificar se o processo foi eficaz.
Enfermagem e Ciencia UND2.pptx..........

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Enfermagem e Ciencia UND2.pptx..........

Teorias do cuidado de Enfermagem - Slide
Teorias do cuidado de Enfermagem - SlideTeorias do cuidado de Enfermagem - Slide
Teorias do cuidado de Enfermagem - Slide
kassyannymenedy
 
321961_HISTORIA_DA_ENFERMAGEM_convertido.pdf
321961_HISTORIA_DA_ENFERMAGEM_convertido.pdf321961_HISTORIA_DA_ENFERMAGEM_convertido.pdf
321961_HISTORIA_DA_ENFERMAGEM_convertido.pdf
CarolinaMelo636868
 
Aula 1 teorias de enfermagem.pptx
Aula 1 teorias de enfermagem.pptxAula 1 teorias de enfermagem.pptx
Aula 1 teorias de enfermagem.pptx
PolianaPaiva9
 
Wanda horta e o cuidado.pptx
Wanda horta e o cuidado.pptxWanda horta e o cuidado.pptx
Wanda horta e o cuidado.pptx
JessiellyGuimares
 
372566807-Aula-1-Fundamentos-Pptx-1.pdft
372566807-Aula-1-Fundamentos-Pptx-1.pdft372566807-Aula-1-Fundamentos-Pptx-1.pdft
372566807-Aula-1-Fundamentos-Pptx-1.pdft
millyaneecavalcantee
 
As teorias de enfermagem
As teorias de enfermagemAs teorias de enfermagem
As teorias de enfermagem
jakemarques
 
FUNDAMENTOS E TEORAS DA ENFERMAGEM PARA ALUNOS DE CURSO TÉCNICO
FUNDAMENTOS E TEORAS DA ENFERMAGEM PARA ALUNOS DE CURSO TÉCNICOFUNDAMENTOS E TEORAS DA ENFERMAGEM PARA ALUNOS DE CURSO TÉCNICO
FUNDAMENTOS E TEORAS DA ENFERMAGEM PARA ALUNOS DE CURSO TÉCNICO
JessicaAngelo5
 
Relacionamento terapeutica
Relacionamento terapeuticaRelacionamento terapeutica
Relacionamento terapeutica
Marcio Augusto
 
A história da psicologia hospitalar
A história da psicologia hospitalarA história da psicologia hospitalar
A história da psicologia hospitalar
Anderson Souza
 
Slide teoria humanista
Slide teoria humanistaSlide teoria humanista
Slide teoria humanista
DeborahLimaLima
 
Apostila sae para_e-mail
Apostila sae para_e-mailApostila sae para_e-mail
Apostila sae para_e-mail
Edla Oliv
 
Apostila sae para_e-mail
Apostila sae para_e-mailApostila sae para_e-mail
Apostila sae para_e-mail
Edla Oliv
 
Teoria socio humanista de beatriz b capella e maria tereza leopardi
Teoria socio humanista de beatriz b capella e maria tereza leopardiTeoria socio humanista de beatriz b capella e maria tereza leopardi
Teoria socio humanista de beatriz b capella e maria tereza leopardi
elisabett moreira
 
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDEkkkkk-SUS.pptx
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDEkkkkk-SUS.pptxPOLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDEkkkkk-SUS.pptx
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDEkkkkk-SUS.pptx
PauloLopes420972
 
TEORIAS DA ENFERMAGEM - HISTÓRIA
TEORIAS DA ENFERMAGEM - HISTÓRIATEORIAS DA ENFERMAGEM - HISTÓRIA
TEORIAS DA ENFERMAGEM - HISTÓRIA
Letícia Spina Tapia
 
Teoria de enfermagem (Martha Rogers)
Teoria de enfermagem (Martha Rogers)Teoria de enfermagem (Martha Rogers)
Teoria de enfermagem (Martha Rogers)
Izabelle Figueiró
 
Legislação Profissional (Aula 01).pptx
Legislação Profissional (Aula 01).pptxLegislação Profissional (Aula 01).pptx
Legislação Profissional (Aula 01).pptx
GizeleSantos10
 
Teoria de enfermagem (Martha Rogers)
Teoria de enfermagem (Martha Rogers)Teoria de enfermagem (Martha Rogers)
Teoria de enfermagem (Martha Rogers)
Izabelle Figueiró
 
aulaadrienewandahorta-150811205704-lva1-app6892 (1).pptx
aulaadrienewandahorta-150811205704-lva1-app6892 (1).pptxaulaadrienewandahorta-150811205704-lva1-app6892 (1).pptx
aulaadrienewandahorta-150811205704-lva1-app6892 (1).pptx
ShesterDamaceno1
 
história
história história
história
wesley rodrigues
 

Semelhante a Enfermagem e Ciencia UND2.pptx.......... (20)

Teorias do cuidado de Enfermagem - Slide
Teorias do cuidado de Enfermagem - SlideTeorias do cuidado de Enfermagem - Slide
Teorias do cuidado de Enfermagem - Slide
 
321961_HISTORIA_DA_ENFERMAGEM_convertido.pdf
321961_HISTORIA_DA_ENFERMAGEM_convertido.pdf321961_HISTORIA_DA_ENFERMAGEM_convertido.pdf
321961_HISTORIA_DA_ENFERMAGEM_convertido.pdf
 
Aula 1 teorias de enfermagem.pptx
Aula 1 teorias de enfermagem.pptxAula 1 teorias de enfermagem.pptx
Aula 1 teorias de enfermagem.pptx
 
Wanda horta e o cuidado.pptx
Wanda horta e o cuidado.pptxWanda horta e o cuidado.pptx
Wanda horta e o cuidado.pptx
 
372566807-Aula-1-Fundamentos-Pptx-1.pdft
372566807-Aula-1-Fundamentos-Pptx-1.pdft372566807-Aula-1-Fundamentos-Pptx-1.pdft
372566807-Aula-1-Fundamentos-Pptx-1.pdft
 
As teorias de enfermagem
As teorias de enfermagemAs teorias de enfermagem
As teorias de enfermagem
 
FUNDAMENTOS E TEORAS DA ENFERMAGEM PARA ALUNOS DE CURSO TÉCNICO
FUNDAMENTOS E TEORAS DA ENFERMAGEM PARA ALUNOS DE CURSO TÉCNICOFUNDAMENTOS E TEORAS DA ENFERMAGEM PARA ALUNOS DE CURSO TÉCNICO
FUNDAMENTOS E TEORAS DA ENFERMAGEM PARA ALUNOS DE CURSO TÉCNICO
 
Relacionamento terapeutica
Relacionamento terapeuticaRelacionamento terapeutica
Relacionamento terapeutica
 
A história da psicologia hospitalar
A história da psicologia hospitalarA história da psicologia hospitalar
A história da psicologia hospitalar
 
Slide teoria humanista
Slide teoria humanistaSlide teoria humanista
Slide teoria humanista
 
Apostila sae para_e-mail
Apostila sae para_e-mailApostila sae para_e-mail
Apostila sae para_e-mail
 
Apostila sae para_e-mail
Apostila sae para_e-mailApostila sae para_e-mail
Apostila sae para_e-mail
 
Teoria socio humanista de beatriz b capella e maria tereza leopardi
Teoria socio humanista de beatriz b capella e maria tereza leopardiTeoria socio humanista de beatriz b capella e maria tereza leopardi
Teoria socio humanista de beatriz b capella e maria tereza leopardi
 
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDEkkkkk-SUS.pptx
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDEkkkkk-SUS.pptxPOLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDEkkkkk-SUS.pptx
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDEkkkkk-SUS.pptx
 
TEORIAS DA ENFERMAGEM - HISTÓRIA
TEORIAS DA ENFERMAGEM - HISTÓRIATEORIAS DA ENFERMAGEM - HISTÓRIA
TEORIAS DA ENFERMAGEM - HISTÓRIA
 
Teoria de enfermagem (Martha Rogers)
Teoria de enfermagem (Martha Rogers)Teoria de enfermagem (Martha Rogers)
Teoria de enfermagem (Martha Rogers)
 
Legislação Profissional (Aula 01).pptx
Legislação Profissional (Aula 01).pptxLegislação Profissional (Aula 01).pptx
Legislação Profissional (Aula 01).pptx
 
Teoria de enfermagem (Martha Rogers)
Teoria de enfermagem (Martha Rogers)Teoria de enfermagem (Martha Rogers)
Teoria de enfermagem (Martha Rogers)
 
aulaadrienewandahorta-150811205704-lva1-app6892 (1).pptx
aulaadrienewandahorta-150811205704-lva1-app6892 (1).pptxaulaadrienewandahorta-150811205704-lva1-app6892 (1).pptx
aulaadrienewandahorta-150811205704-lva1-app6892 (1).pptx
 
história
história história
história
 

Mais de EmanuellaFreitasDiog

transtornosalimentares-170817021717.pptx
transtornosalimentares-170817021717.pptxtranstornosalimentares-170817021717.pptx
transtornosalimentares-170817021717.pptx
EmanuellaFreitasDiog
 
sepsisneonatal-150916175530-lva1-app6892 (1).pdf
sepsisneonatal-150916175530-lva1-app6892 (1).pdfsepsisneonatal-150916175530-lva1-app6892 (1).pdf
sepsisneonatal-150916175530-lva1-app6892 (1).pdf
EmanuellaFreitasDiog
 
relacionamentointerpessoalnoambientedetrabalho-140718213912-phpapp02.pptx
relacionamentointerpessoalnoambientedetrabalho-140718213912-phpapp02.pptxrelacionamentointerpessoalnoambientedetrabalho-140718213912-phpapp02.pptx
relacionamentointerpessoalnoambientedetrabalho-140718213912-phpapp02.pptx
EmanuellaFreitasDiog
 
PRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTÓRIO (1).pptx
PRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTÓRIO (1).pptxPRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTÓRIO (1).pptx
PRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTÓRIO (1).pptx
EmanuellaFreitasDiog
 
saude coletiva - unidade 2 [Salvo automaticamente].pptx
saude coletiva - unidade 2 [Salvo automaticamente].pptxsaude coletiva - unidade 2 [Salvo automaticamente].pptx
saude coletiva - unidade 2 [Salvo automaticamente].pptx
EmanuellaFreitasDiog
 
VPP - aula pratica de Enfermagem.............
VPP - aula pratica de Enfermagem.............VPP - aula pratica de Enfermagem.............
VPP - aula pratica de Enfermagem.............
EmanuellaFreitasDiog
 
bioquimica - Introducção a Bioquimica....
bioquimica - Introducção a Bioquimica....bioquimica - Introducção a Bioquimica....
bioquimica - Introducção a Bioquimica....
EmanuellaFreitasDiog
 

Mais de EmanuellaFreitasDiog (7)

transtornosalimentares-170817021717.pptx
transtornosalimentares-170817021717.pptxtranstornosalimentares-170817021717.pptx
transtornosalimentares-170817021717.pptx
 
sepsisneonatal-150916175530-lva1-app6892 (1).pdf
sepsisneonatal-150916175530-lva1-app6892 (1).pdfsepsisneonatal-150916175530-lva1-app6892 (1).pdf
sepsisneonatal-150916175530-lva1-app6892 (1).pdf
 
relacionamentointerpessoalnoambientedetrabalho-140718213912-phpapp02.pptx
relacionamentointerpessoalnoambientedetrabalho-140718213912-phpapp02.pptxrelacionamentointerpessoalnoambientedetrabalho-140718213912-phpapp02.pptx
relacionamentointerpessoalnoambientedetrabalho-140718213912-phpapp02.pptx
 
PRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTÓRIO (1).pptx
PRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTÓRIO (1).pptxPRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTÓRIO (1).pptx
PRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTÓRIO (1).pptx
 
saude coletiva - unidade 2 [Salvo automaticamente].pptx
saude coletiva - unidade 2 [Salvo automaticamente].pptxsaude coletiva - unidade 2 [Salvo automaticamente].pptx
saude coletiva - unidade 2 [Salvo automaticamente].pptx
 
VPP - aula pratica de Enfermagem.............
VPP - aula pratica de Enfermagem.............VPP - aula pratica de Enfermagem.............
VPP - aula pratica de Enfermagem.............
 
bioquimica - Introducção a Bioquimica....
bioquimica - Introducção a Bioquimica....bioquimica - Introducção a Bioquimica....
bioquimica - Introducção a Bioquimica....
 

Último

Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagemSistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
BarbaraKelle
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
walterjose20
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de espaços    e equipamentoshigienização de espaços    e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdfmapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
AdrianoPompiroCarval
 
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Fabiano Pessanha
 
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Lenilson Souza
 
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasivaPrevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
ClarissaNiederuaer
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdfTCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
ozielgvsantos1
 

Último (9)

Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagemSistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de espaços    e equipamentoshigienização de espaços    e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdfmapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
 
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
 
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
 
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasivaPrevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdfTCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
 

Enfermagem e Ciencia UND2.pptx..........

  • 1. Unidade 2 Tutora : Enf Esp Emanuella Freitas Diogo Enfermagem e Ciência
  • 2. Enfermagem e Ciência » UNIDADE 2: TEORIAS DE ENFERMAGEM ● TÓPICO 1: TEORIAS DA ENFERMAGEM DE FLORENCE, HORTA E OREM. ● TÓPICO 2: TEORIAS DE ENFERMAGEM DE ROY, HENDERSON E PEPLAU ● TÓPICO 3: TEORIAS DE ENFERMAGEM DE ABDELLAH, ROGERS, WATSON E LEININGER.
  • 3. UNIDADE 2 TÓPICO 1 ● As Teorias de Enfermagem constituem um arcabouço de conhecimentos e práticas validadas cientificamente. Nesse sentido, são avanços históricos que fundamentam a profissão de Enfermagem na assistência ao ser humano, envolvendo a racionalidade do saber e de como fazer. ● Várias teorias surgiram com o avanço da Enfermagem, sendo algumas mais conhecidas e difundidas que as outras. Neste tópico, conheceremos algumas das principais teorias que foram instituídas como fundamentais para o processo de trabalho em Enfermagem. » INTRODUÇÃO » TEORIAS DA ENFERMAGEM DE FLORENCE, HORTA E OREM
  • 4. UNIDADE 2 TÓPICO 1 ● Florence Nightingale era uma enfermeira e cientista britânica, reconhecida por seu trabalho após ter se dedicado aos cuidados de soldados da guerra da Crimeia, em 1854. Os soldados a transformaram em seu anjo da guarda, porque ela era vista em enfermarias e acampamentos dos batalhões com uma lanterna na mão, iluminando o caminho, para cuidar dos doentes, tendo ficado conhecida como a Dama da Lâmpada (COREN, 2021). » TEORIA DE FLORENCE NIGHTINGALE
  • 5. UNIDADE 2 TÓPICO 1 ● Durante a Guerra da Crimeia, em 1854, Florence Nightingale foi Enfermeira de guerra. ● Os soldados a transformaram em seu anjo da guarda porque ela ia nas enfermarias e acampamentos dos batalhões de lanterna na mão, iluminando o caminho, para cuidar dos doentes. ● É por isso que Florence Nightingale é conhecida como a Dama da Lâmpada (COREN-SP, 2021). » A lâmpada se tornou um símbolo universal da Enfermagem: Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY-SA
  • 6. ● Dia 12 de maio é comemorado o Dia Mundial do Enfermeiro. A data é celebrada em homenagem a Florence Nightingale, um marco da Enfermagem que ficou conhecida como a Dama da Lâmpada, por percorrer os leitos de soldados durante a noite em tempos de guerra. Ela foi a fundadora da primeira Escola de Enfermagem da Inglaterra, no Hospital Saint Thomas, em 1859. ● No Brasil, em 20 de maio comemora-se o Dia Nacional dos Técnicos e Auxiliares de Enfermagem, na data do falecimento de Ana Neri, a primeira enfermeira voluntária do País. Assim como a europeia, ela deu nome à primeira Escola de Enfermagem oficializada pelo Governo Federal, em 1923.
  • 7. UNIDADE 2 TÓPICO 1 ● Florence foi considerada a criadora da Enfermagem Moderna, pois deixou um legado de conhecimentos que são utilizados até hoje na profissão. ● Seus métodos foram seguidos e instituídos em muitas escolas de Enfermagem pelo mundo. ● As enfermeiras que se formavam com os devidos conhecimentos dos métodos Nightingale eram denominadas de enfermeiras padrões (COSTA et al., 2009). Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY-NC- ND
  • 8. UNIDADE 2 TÓPICO 1 ● Em 1859, surgiu a teoria Ambientalista, criada por Florence Nightingale (PADILHA; MANCIA, 2005), que se refere ao meio em que se vive como: ● “Todas as condições e influências externas que afetam a vida e o desenvolvimento do organismo são capazes de prevenir, suprimir ou contribuir para a doença e a morte” (MEDEIROS; ENDERS; LIRA, 2015, p. 522). Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY
  • 9. UNIDADE 2 TÓPICO 1 ● Florence Nightingale morreu em 13 de agosto de 1910, em Londres, aos 90 anos. Ela passou seus últimos anos em repouso absoluto, em sua casa, por causa de complicações tardias decorrentes da febre tifoide. ● Em sua homenagem, a data de seu nascimento, 12 de maio, foi instituída como o Dia do Enfermeiro no Brasil e a semana de Enfermagem de 12 a 20 de maio.
  • 10. UNIDADE 2 TÓPICO 2 ● Wanda de Aguiar Horta foi uma enfermeira brasileira, nascida em Belém do Pará, em 1926, que estudou na Escola de Enfermagem junto ao Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), em 1945. Estabeleceu-se como professora na mesma instituição em 1959, onde pôde aprofundar seus estudos sobre a teoria das Necessidades Humanas Básicas (GONÇALVES, 1988). ● Wanda de Aguiar Horta foi considerada, com destaque ímpar, a professora que em seus estudos desenvolveu os conceitos do Processo de Enfermagem no século passado (COREN-SP, 2021). TEORIA DE WANDA HORTA
  • 11. UNIDADE 2 TÓPICO 2 ● Para Horta (1979, p. 133), “Enfermagem é ciência e a arte de assistir o ser humano no atendimento de suas necessidades básicas, de torná-lo independente desta assistência através da educação; de recuperar, manter e promover sua saúde, contando para isso com a colaboração de outros grupos profissionais”.
  • 12. UNIDADE 2 TÓPICO 2 A teoria das Necessidades Humanas Básicas se fundamenta nas leis gerais que regem os fenômenos universais, como: • Lei do equilíbrio: todo universo se manter por processos de equilíbrio dinâmico entre seus seres (homeostase e hemodinâmica) • Lei de adaptação: todos os seres do universo interagem com seu meio externo buscando sempre forma de ajustamento para se manterem em equilíbrio. • Lei do holismo: o universo, o ser humano e as células são um todo, esse todo não é uma mera soma de partes constituintes de cada ser (HORTA, 1979, p. 28, grifo nosso).
  • 13. UNIDADE 2 TÓPICO 2 A teoria de Wanda Horta foi aplicada à Enfermagem, embora tenha sido desenvolvida a partir da teoria da motivação humana de Maslow, que se fundamenta nas necessidades humanas básicas (HORTA, 1979).
  • 15. UNIDADE 2 TÓPICO 2 ● DESCRIÇÃO DAS FUNÇÕES DO ENFERMEIRO, SEGUNDO WANDA HORTA
  • 16. UNIDADE 2 TÓPICO 2 No esquema, Horta identifica a função da Enfermagem precisa considerar em sua assistência: identificar as necessidades dos cuidados, realizar o cuidado visando à promoção e à recuperação da saúde, levantando critérios que imponham ao profissional as áreas da pesquisa, de ensino e de administração. A teoria de Maslow seguia a mesma direção do que Horta destacava, no que tange à pirâmide em que a construção do processo para se alcançar o topo do bem-estar físico, mental e social precisa ser seguido.
  • 17. UNIDADE 2 TÓPICO 1 Na pirâmide da autoestima, todo o indivíduo precisa ser reconhecido pelo que desenvolve e conquista, e, por último, suprir suas necessidades de realização pessoal – ponto que é visível uma vez que todos têm o direito a estudar, desenvolver-se e realizar seus sonhos.
  • 18. UNIDADE 2 TÓPICO 2 A enfermeira pesquisadora Callista Roy (Figura 13) define a Enfermagem como “ciência e prática” e percebe a pessoa como um indivíduo que se adapta às respostas ambientais em situação que envolve saúde e doença (KAMIYAMA, 1984; COELHO; MENDES, 2011). ⮚Roy apresentou três aspectos fundamentais da sua teoria da adaptação: o Pessoa/grupo; o Meio; o Saúde. TEORIA DA CALLISTA ROY
  • 19. UNIDADE 2 TÓPICO 2 TEORIA DA CALLISTA ROY
  • 20. UNIDADE 2 TÓPICO 2 Para Roy, a adaptação é necessária para o equilíbrio da pessoa em relação à saúde e às mudanças do meio interno e externo. A teoria de Roy vem sendo aplicada ao longo dos anos principalmente em pesquisas envolvendo pacientes ostomizados, nos quais há a necessidade de adaptação diante das mudanças impostas, assim como na promoção da melhoria do cuidado prestado pela Enfermagem. TEORIA DA CALLISTA ROY
  • 21. UNIDADE 2 TÓPICO 2 A teoria de Virgínia Henderson foi divulgada pela primeira vez em 1955, e enfatizava as necessidades básicas na totalidade da pessoa. ⮚Henderson elencou 14 necessidades básicas que fornecem uma estrutura para a assistência de Enfermagem, conforme a seguinte ordem de relevância: ● Respirar normalmente. ● Comer e beber adequadamente. ● Eliminar por todas as vias de eliminação. ● Movimentar e manter a posição desejável. ● Dormir e descansar. ● Selecionar a roupa apropriada, vestir-se e despir-se. ● Manter a temperatura do corpo dentro do limite normal. TEORIA DE VIRGÍNA HENDERSON
  • 22. UNIDADE 2 TÓPICO 2 ● Manter o corpo limpo e bem cuidado. ● Evitar perigos no ambiente. ● Comunicar-se com os outros. ● Cultuar de acordo com a fé. ● Trabalhar em alguma coisa que proporcione realização. ● Participar de várias formas de recreação. ● Aprender, descobrir ou satisfazer a curiosidade que conduz ao desenvolvimento normal e à saúde (POTTER, 2018, p. 198). TEORIA DE VIRGÍNA HENDERSON
  • 23. UNIDADE 2 TÓPICO 2 A teoria de Hildegard Peplau foca a interação do enfermeiro com o paciente, colocando o paciente como indivíduo com necessidades que devem ser percebidas pelo profissional, caracterizando-se, dessa forma, como um processo interpessoal e terapêutico (POTTER, 2018). A teoria de Peplau aproxima o paciente do seu estado de saúde, pois ele e o enfermeiro definem o problema e as potenciais soluções. Essa condição propicia a redução da ansiedade, auxiliando no atendimento das necessidades do paciente. O relacionamento interpessoal entre enfermeiro e paciente é caracterizado pelas seguintes fases: orientação, identificação, explicação e resolução. TEORIA DE HILDEGARD PEPLAU
  • 24. UNIDADE 2 TÓPICO 3 teoria de Faye Abdellah foi desenvolvida em 1960 e enfatizou a prestação de cuidados de Enfermagem na totalidade do indivíduo para atender às necessidades físicas, emocionais, intelectuais, sociais e espirituais dos pacientes e de seus familiares. Para colocar essa teoria em prática, o enfermeiro necessita ter a compreensão de vários fenômenos, como também possuir conhecimentos e habilidades sobre relações interpessoais, psicologia, crescimento e desenvolvimento, comunicação, sociologia, ciências básicas e conhecimentos específicos de Enfermagem. TEORIA DE FAYE ABDELLAH
  • 25. UNIDADE 2 TÓPICO 3 ● É necessário que o enfermeiro realize a análise, de forma individualizada, das necessidades de cada paciente, abordando seus aspectos dentro dessas quatro áreas: ● Conforto, Higiene e Segurança. ● Equilíbrio Fisiológico. ● Fatores Psicológicos e Sociais. ● Fatores Sociológicos e Comunitários (POTTER, 2018, p. 198). TEORIA DE FAYE ABDELLAH
  • 26. UNIDADE 2 TÓPICO 3 Martha Rogers foi enfermeira e publicou sua teoria em 1970. Seus estudos trouxeram a visão do ser humano em um ser unitário, como um campo de energia coexistindo dentro do universo. Ela defendia que o homem é todo unificado, possuindo integridade pessoal e manifestando características que são mais do que a soma das partes. ⮚Rogers utilizou quatro dimensões para se fundamentar na teoria humanista: ● Pessoa: na sua teoria, o ser humano era visto como um sistema que interage com o todo e continuamente com o meio ambiente. ● Meio ambiente: inclui todo o campo de energia, não limitado por tempo e espaço e identificados por seu padrão e organização. ● Saúde: a interação com o meio ambiente e seu campo de energia podem interferir no processo saúde-doença. ● Enfermagem: a ação da Enfermagem direciona a interação da pessoa e TEORIA DE MARTHA ROGERS
  • 27. UNIDADE 2 TÓPICO 3 ⮚A teoria dos Seres Humanos Unitários de Rogers segue como pressupostos: ✔ O homem é um todo unificado que possui sua própria integridade e manifesta características que são maiores e diferentes da soma de suas partes. ✔ O homem e o meio ambiente estão continuamente trocando matéria e energia um com o outro. ✔ O processo de vida evolui irreversível e unidirecionalmente ao longo da trajetória tempo-espaço. ✔ O padrão e a organização identificam o homem e refletem sua integridade inovadora. ✔ O homem é caracterizado pela capacidade de abstração e imaginação, linguagem e pensamento, sensação e emoção (COSTALES; LOYOLA, 2018, p. 1). TEORIA DE MARTHA ROGERS
  • 28. UNIDADE 2 TÓPICO 3 Martha Rogers defendia que “a arte da Enfermagem se constitui na aplicação imaginativa e criativa dos conhecimentos científicos próprios da profissão, com o intuito de servir à humanidade” (SÁ, 1994, p. 171). TEORIA DE MARTHA ROGERS
  • 29. UNIDADE 2 TÓPICO 3 ● Jean Watson defendia na sua teoria o cuidado como uma ciência humana desenvolvida a partir de fundamentos filosóficos e sistemas de valores humanistas. Esse conceito é fundamentado na relação ontológica atrelada a uma visão mundial de unidade (SILVA et al., 2010). ● A teoria de Watson surgiu na década de 1970, período em que era docente na Universidade do Colorado. A teoria foi resultado de sua pesquisa durante o doutorado em Clínica e Psicologia Social (PASSOS; PAGLIUCA; DAMASCENO, 2006). ● O estudo de Watson ficou conhecido como teoria do Cuidado Transpessoal, definida como interacionista, já que envolve a interação entre enfermeiro e paciente nas ações de assistência e cuidado. O cuidado é uma vivência que necessita de “diálogo entre pessoas, no qual cada uma delas sente a disponibilidade, a proximidade e a compreensão uma da outra, além de partilharem histórias de vida, trajetórias e angústias” (SILVA et al., 2010, p. 549). TEORIA DE JEAN WATSON
  • 30. UNIDADE 2 TÓPICO 3 ● Madeleine Leininger especializou-se na área de Enfermagem psiquiátrica ainda na década de 1950. Em seu doutorado, buscou estudar os aspectos conceituais relacionados com cultura, Enfermagem e etnociência (ORIÁ; XIMENES; ALVES, 2005). ● Leninger percebia que havia uma lacuna na Enfermagem sobre a cultura. A falta de compreensão sobre os comportamentos humanos implicava o desenvolvimento das práticas de cuidados de Enfermagem diversificadas, significativas e eficazes, de acordo com as culturas. A partir de então, formulou conceitos, teorias, práticas e princípios da disciplina que fundou, a chamada “Enfermagem Transcultural” (REIS; SANTOS; JUNIOR, 2012). TEORIA DE MADELEINE LEININGER
  • 31. UNIDADE 2 TÓPICO 3 ● Pode-se dizer que esse plano gira em torno da sistematização da assistência de Enfermagem (SAE), sendo que cada teoria pode ser levantada para aplicabilidade nos planos estratégicos que a Enfermagem precisa desenvolver, promovendo o autocuidado voltado ao ser humano como paciente e com características que mostram os sentimentos humanizados. ● É possível identificar que a estrutura seguida visa à teoria de Orem: com o levantamento do diagnóstico, seguido da descrição do plano proposto, as intervenções a serem realizadas e, por fim, a descrição da evolução, a qual pode ser considerada uma das formas de identificar se o processo foi eficaz.