SlideShare uma empresa Scribd logo
Enfermagem em
saúde da criança e
do adolescente
Aula Prática 02
Profª Pamela P. S. Oliveira
• Compreender a técnica de
Ventilação por pressão
positiva (VPP) neonatal.
• Compreender a técnica de
Reanimação Cardiopulmonar
(RCP) neonatal.
Recepção do recém-nascido (RN):
Independente da idade gestacional, no
momento do nascimento a equipe deve estar
prepara para atender qualquer eventual
intercorrência;
É importante que todo material para
reanimação neonatal esteja disponível,
funcionando corretamente e com fácil acesso
para todos na sala de parto;
RN à termo: 37 semanas; RN prematuro: abaixo
de 37 semanas.
Fonte:
h
ps://pixabay.com
VPP - aula pratica de Enfermagem.............
Planejamento e
organização:
Anamnese materna: histórico gestacional,
idade gestacional, classificação de risco
gestacional, fatores de risco ao RN;
Ambiente: A sala de parto deve estar com
temperatura variando de 23 a 25°C;
Berço aquecido ligado préviamente,
equipamentos testados, materiais
disponíveis;
Fonte:
h
ps://pixabay.com
Materiais necessários:
• Termômetro de ambiente: sala de parto e/ou de
reanimação com temperatura ambiente de 23-
25°C;
• Fonte de calor radiante;
• Mesa de reanimação com acesso por 3 lados;
• Fonte de oxigênio umidificado com fluxômetro e
• fonte de ar comprimido;
• Blender para mistura oxigênio/ar;
• Aspirador a vácuo com manômetro;
• Relógio de parede com ponteiro de segundos;
Fonte:
https://fanem.com.br
Materiais necessários:
• Campo cirúrgico e compressas estéreis;
• Saco de polietileno de 30x50cm para prematuro;
• Touca de lã ou algodão;
• Colchão térmico químico 25x40cm para prematuro
<1000g;
• Estetoscópio neonatal;
• Oxímetro com sensor neonatal;
• Monitor cardíaco de 3 vias com eletrodos;
• Sondas: traqueais Nº 6 e 8 e gástricas curtas Nº 6 e
8;
Fonte:
h
ps://barmedrio.com.br
Materiais necessários:
• Reanimador manual neonatal (balão autoinflável);
• Máscaras redondas com coxim para RN de termo,
• prematuro e prematuro extremo;
• Máscara laríngea para recém-nascido Nº 1;
• Material para intubação traqueal: laringoscópio
infantil com lâmina reta Nº 00, 0 e 1;
• Cânulas traqueais sem balonete;
Fonte:
h
ps://www.medsystemhospitalar.com.br
Materiais
necessários:
Medicação:
• Adrenalina diluída a 1mg/10 mL
em seringa de 1,0 mL para
administração endovenosa;
Fonte: https://pixabay.com
Parâmetros SSVV:
• Frequência cardiaca varia entre
120-160bpm;
• Frequência respiratória varia
de 40 a 60 incursões por minuto;
• Saturação: > 90%.
Fonte: https://pixabay.com
Avaliação ao nascer:
• Apgar: descreve a condição
cardiorrespiratória e neurológica do
recém-nascido;
• Atribui pontos de 0 a 2 a cada uma
das 5 medidas;
• A nota de 7 a 10 aos 5 minutos é
considerada normal. Geralmente a
avaliação é realizada no 1° e 5° minuto
de vida.
Fonte: https://pixabay.com
VPP - aula pratica de Enfermagem.............
Avaliação ao nascer:
• Gestação a termo?
• Respirando ou chorando?
• Tônus muscular em flexão?
Fonte: https://pixabay.com
Avaliação ao nascer:
SIM!
• Prover calor e avaliar vitalidade
com RN em contato com a mãe;
• Manter vias aéreas pérvias;
• Hora ouro: contato pele-a-pele e
estimular o início da amamentação.
Fonte: https://pixabay.com
Clampeamento do cordão umbilical:
• O clampeamento tardio de cordão umbilical
(mínimo de 60 segundos até alguns minutos após
cessar sua pulsação) é recomendável em casos de
RN ≥34 semanas de gestação e com boa vitalidade
ao nascer;
• Facilita a transição cardiorrespiratória após o parto;
• O clampeamento >60 segundos é benéfico em
relação à concentração de hemoglobina nas
primeiras 24 horas.
Avaliação ao nascer:
• Gestação a termo?
• Respirando ou chorando?
• Tônus muscular em flexão?
Fonte: https://pixabay.com
Avaliação ao nascer:
Não!
• Prover calor;
• < 34 semanas: saco polietileno;
• Posicionar e secar;
• Se necessário aspirar;
Fonte: https://pixabay.com
Avaliação ao nascer:
Estes passos iniciais
devem ser executados
em, no máximo, 30
segundos!
Fonte: https://pixabay.com
Ventilação com pressão positiva (VPP):
FC < 100 bpm, apneia ou respiração irregular:
VPP e monitorização;
• A VPP deve ser aplicada imediatamente após a
aspiração traqueal;
• Iniciar a VPP nos primeiros 60 segundos de vida;
• A ventilação pulmonar é o procedimento mais
importante e efetivo na reanimação do RN;
• É por meio do preenchimento dos pulmões com
gás que estes assumem o seu papel central na
hematose, com vasodilatação pulmonar e redução
da pressão pulmonar, promovendo o retorno do
sangue oxigenado para o coração.
Ventilação com pressão positiva (VPP):
FC < 100 bpm, apneia ou respiração irregular:
VPP e monitorização;
• Posiciona-se a cabeça em extensão e as mãos
vedando a máscara em forma de C;
• Os dedos médio, anular e mínimo formam a
letra “E”;
• O selo entre face e máscara é crítico para o
sucesso da ventilação;
• Mantenha a FR de 40 a 60 ipm, com uso do
ambu de tamanho neonatal: aperta, solta,
solta...
Fonte: https://pixabay.com
Vamos para a
prática?
Reanimação neonatal:
• Rever técnica e assegurar ventilação
adequada Considerar máscara laríngea
ou intubação traqueal;
FC <60 bpm? SIM!
• Ventilação com cânula traqueal;
• A massagem cardíaca é indicada se, após
30 segundos de VPP com técnica
adequada, a FC estiver <60 bpm.
• Massagem cardíaca coordenada com
ventilação (3:1);
• 90 compressões e 30 ventilações por
minuto;
• Considerar cateterismo venoso.
Fonte: https://pixabay.com
Reanimação neonatal:
• A compressão cardíaca é realizada
no terço inferior do esterno, onde
se situa a maior parte do
ventrículo esquerdo;
• Existem duas técnicas para realizar
a massagem cardíaca: a dos dois
polegares e a dos dois dedos;
• A técnica dos dois polegares é
mais eficiente, pois gera maior
pico de pressão sistólica e de
perfusão coronariana, além de ser
menos cansativa.
Fonte: https://pixabay.com
Reanimação neonatal:
• Aplicar os dois polegares sobrepostos
no terço inferior do esterno, ou seja,
logo abaixo da linha intermamilar e
poupando o apêndice xifoide;
• O restante das mãos circunda o
tórax;
• O profissional vai executar a
massagem cardíaca posicionado
atrás da cabeça do RN, enquanto
aquele que ventila se desloca para
um dos lados.
Fonte: https://pixabay.com
Reanimação neonatal:
• Profundidade: deve englobar 1/3 da
dimensão anteroposterior do tórax, de
maneira a produzir um pulso palpável;
• É importante permitir a reexpansão plena do
tórax após a compressão para haver
enchimento das câmaras ventriculares e das
coronárias;
• As complicações da massagem cardíaca
incluem fratura de costelas, pneumotórax,
hemotórax e laceração de fígado.
Fonte:
https://www.misodor.com.br
Vamos para a
prática?
Medicação:
• A adrenalina endovenosa é aplicada
na dose de 0,01-0,03 mg/kg;
• Para minimizar erros, pode-se
considerar o uso de adrenalina por
via traqueal na dose de 0,1 mg/kg e,
por via endovenosa, na dose de 0,02
mg/kg.
Fonte: https://pixabay.com
• Repetir a administração de adrenalina a cada
3-5 minutos.
Reanimação neonatal:
• O nascimento representa a mais dramática transição
fisiológica da vida humana;
• 02 RNs em cada 10 não choram ou não respiram e
01 em cada 10 precisa de VPP;
• A ventilação pulmonar é o procedimento mais
importante e efetivo na reanimação, deve ser
iniciada nos primeiros 60 segundos de vida (“Minuto
de ouro”);
• O risco de morte ou morbidade aumenta em 16% a
cada 30 segundos de demora para iniciar a VPP.
Reanimação neonatal: Quando interromper?
• Variáveis a serem consideradas:
• Os procedimentos de reanimação foram
aplicados de forma adequada?
• Os cuidados intensivos neonatais são disponíveis?
• Qual a causa e a duração da agressão hipóxico-
isquêmica?
• Qual o desejo da família, quando houve tempo para
uma conversa prévia ao nascimento?
• Diante das evidências mais recentes, não há uma
resposta clara quanto ao tempo que a reanimação
deve se prolongar após o nascimento.
Enfermeiro:
• Planejamento e organização:
controle do tempo, temperatura;
• Conhecimento e experiência;
• Raciocínio clínico;
• Vínculo com a família.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a VPP - aula pratica de Enfermagem.............

APOSTILA 3 cti centro de terapia intensiva
APOSTILA 3 cti centro de terapia intensivaAPOSTILA 3 cti centro de terapia intensiva
APOSTILA 3 cti centro de terapia intensiva
izabellinurse
 
slide-sv.pdf
slide-sv.pdfslide-sv.pdf
slide-sv.pdf
EvandroSales10
 
slide-sbv.pptx
slide-sbv.pptxslide-sbv.pptx
slide-sbv.pptx
JhivagoOliveira
 
Reanimação Neonatal
Reanimação NeonatalReanimação Neonatal
Reanimação Neonatal
Samuel Benjamin
 
Rcr pediatrica.escola
Rcr pediatrica.escolaRcr pediatrica.escola
Rcr pediatrica.escola
CatiaDuarte_1
 
Rcr pediatrica.escola
Rcr pediatrica.escolaRcr pediatrica.escola
Rcr pediatrica.escola
MiriamSantos123
 
ASSISTÊNCIA AO RN.pptx
ASSISTÊNCIA AO RN.pptxASSISTÊNCIA AO RN.pptx
ASSISTÊNCIA AO RN.pptx
Natasha Louise
 
Suporte básico de vida
Suporte básico de vidaSuporte básico de vida
Ressuscitação neonatal.pdf
Ressuscitação neonatal.pdfRessuscitação neonatal.pdf
Ressuscitação neonatal.pdf
Jackeline Moraes
 
Reanimacao Neonatal
Reanimacao NeonatalReanimacao Neonatal
Reanimacao Neonatal
Mercia Lisieux
 
Reanimação Neonatal em Sala de Parto
Reanimação Neonatal em Sala de PartoReanimação Neonatal em Sala de Parto
Reanimação Neonatal em Sala de Parto
UEA - Universidade do Estado do Amazonas
 
Programa de reanimação neonatal da sociedade brasileira de pediatria 2011
Programa de reanimação neonatal da sociedade brasileira de pediatria 2011Programa de reanimação neonatal da sociedade brasileira de pediatria 2011
Programa de reanimação neonatal da sociedade brasileira de pediatria 2011
José Ripardo
 
Reanimação neonatal
Reanimação neonatalReanimação neonatal
Reanimação neonatal
Isabella RM
 
Suporte básico de vida em Pediatria 2023
Suporte básico de vida em Pediatria 2023Suporte básico de vida em Pediatria 2023
Suporte básico de vida em Pediatria 2023
JosMata25
 
Recepção e avaliação do recém-nascido.
Recepção e avaliação do recém-nascido.Recepção e avaliação do recém-nascido.
Recepção e avaliação do recém-nascido.
Tuanny Sampaio - Estética Avançada
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar NeopediátricaNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
resenfe2013
 
Laec liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
Laec   liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizadoLaec   liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
Laec liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
LAEC UNIVAG
 
Ressuscitação neonatal
Ressuscitação neonatalRessuscitação neonatal
Ressuscitação neonatal
gisa_legal
 
Desconforto Respiratório Neonatal
Desconforto Respiratório NeonatalDesconforto Respiratório Neonatal
Desconforto Respiratório Neonatal
blogped1
 
Reanimao neonatal e adaptao a vida extra uterina - final -
Reanimao neonatal e adaptao a vida extra uterina - final -Reanimao neonatal e adaptao a vida extra uterina - final -
Reanimao neonatal e adaptao a vida extra uterina - final -
LIPED
 

Semelhante a VPP - aula pratica de Enfermagem............. (20)

APOSTILA 3 cti centro de terapia intensiva
APOSTILA 3 cti centro de terapia intensivaAPOSTILA 3 cti centro de terapia intensiva
APOSTILA 3 cti centro de terapia intensiva
 
slide-sv.pdf
slide-sv.pdfslide-sv.pdf
slide-sv.pdf
 
slide-sbv.pptx
slide-sbv.pptxslide-sbv.pptx
slide-sbv.pptx
 
Reanimação Neonatal
Reanimação NeonatalReanimação Neonatal
Reanimação Neonatal
 
Rcr pediatrica.escola
Rcr pediatrica.escolaRcr pediatrica.escola
Rcr pediatrica.escola
 
Rcr pediatrica.escola
Rcr pediatrica.escolaRcr pediatrica.escola
Rcr pediatrica.escola
 
ASSISTÊNCIA AO RN.pptx
ASSISTÊNCIA AO RN.pptxASSISTÊNCIA AO RN.pptx
ASSISTÊNCIA AO RN.pptx
 
Suporte básico de vida
Suporte básico de vidaSuporte básico de vida
Suporte básico de vida
 
Ressuscitação neonatal.pdf
Ressuscitação neonatal.pdfRessuscitação neonatal.pdf
Ressuscitação neonatal.pdf
 
Reanimacao Neonatal
Reanimacao NeonatalReanimacao Neonatal
Reanimacao Neonatal
 
Reanimação Neonatal em Sala de Parto
Reanimação Neonatal em Sala de PartoReanimação Neonatal em Sala de Parto
Reanimação Neonatal em Sala de Parto
 
Programa de reanimação neonatal da sociedade brasileira de pediatria 2011
Programa de reanimação neonatal da sociedade brasileira de pediatria 2011Programa de reanimação neonatal da sociedade brasileira de pediatria 2011
Programa de reanimação neonatal da sociedade brasileira de pediatria 2011
 
Reanimação neonatal
Reanimação neonatalReanimação neonatal
Reanimação neonatal
 
Suporte básico de vida em Pediatria 2023
Suporte básico de vida em Pediatria 2023Suporte básico de vida em Pediatria 2023
Suporte básico de vida em Pediatria 2023
 
Recepção e avaliação do recém-nascido.
Recepção e avaliação do recém-nascido.Recepção e avaliação do recém-nascido.
Recepção e avaliação do recém-nascido.
 
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar NeopediátricaNovas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
Novas diretrizes de Reanimação Cardiopulmonar Neopediátrica
 
Laec liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
Laec   liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizadoLaec   liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
Laec liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
 
Ressuscitação neonatal
Ressuscitação neonatalRessuscitação neonatal
Ressuscitação neonatal
 
Desconforto Respiratório Neonatal
Desconforto Respiratório NeonatalDesconforto Respiratório Neonatal
Desconforto Respiratório Neonatal
 
Reanimao neonatal e adaptao a vida extra uterina - final -
Reanimao neonatal e adaptao a vida extra uterina - final -Reanimao neonatal e adaptao a vida extra uterina - final -
Reanimao neonatal e adaptao a vida extra uterina - final -
 

Mais de EmanuellaFreitasDiog

transtornosalimentares-170817021717.pptx
transtornosalimentares-170817021717.pptxtranstornosalimentares-170817021717.pptx
transtornosalimentares-170817021717.pptx
EmanuellaFreitasDiog
 
sepsisneonatal-150916175530-lva1-app6892 (1).pdf
sepsisneonatal-150916175530-lva1-app6892 (1).pdfsepsisneonatal-150916175530-lva1-app6892 (1).pdf
sepsisneonatal-150916175530-lva1-app6892 (1).pdf
EmanuellaFreitasDiog
 
relacionamentointerpessoalnoambientedetrabalho-140718213912-phpapp02.pptx
relacionamentointerpessoalnoambientedetrabalho-140718213912-phpapp02.pptxrelacionamentointerpessoalnoambientedetrabalho-140718213912-phpapp02.pptx
relacionamentointerpessoalnoambientedetrabalho-140718213912-phpapp02.pptx
EmanuellaFreitasDiog
 
PRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTÓRIO (1).pptx
PRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTÓRIO (1).pptxPRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTÓRIO (1).pptx
PRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTÓRIO (1).pptx
EmanuellaFreitasDiog
 
saude coletiva - unidade 2 [Salvo automaticamente].pptx
saude coletiva - unidade 2 [Salvo automaticamente].pptxsaude coletiva - unidade 2 [Salvo automaticamente].pptx
saude coletiva - unidade 2 [Salvo automaticamente].pptx
EmanuellaFreitasDiog
 
Enfermagem e Ciencia UND2.pptx..........
Enfermagem e Ciencia UND2.pptx..........Enfermagem e Ciencia UND2.pptx..........
Enfermagem e Ciencia UND2.pptx..........
EmanuellaFreitasDiog
 
bioquimica - Introducção a Bioquimica....
bioquimica - Introducção a Bioquimica....bioquimica - Introducção a Bioquimica....
bioquimica - Introducção a Bioquimica....
EmanuellaFreitasDiog
 

Mais de EmanuellaFreitasDiog (7)

transtornosalimentares-170817021717.pptx
transtornosalimentares-170817021717.pptxtranstornosalimentares-170817021717.pptx
transtornosalimentares-170817021717.pptx
 
sepsisneonatal-150916175530-lva1-app6892 (1).pdf
sepsisneonatal-150916175530-lva1-app6892 (1).pdfsepsisneonatal-150916175530-lva1-app6892 (1).pdf
sepsisneonatal-150916175530-lva1-app6892 (1).pdf
 
relacionamentointerpessoalnoambientedetrabalho-140718213912-phpapp02.pptx
relacionamentointerpessoalnoambientedetrabalho-140718213912-phpapp02.pptxrelacionamentointerpessoalnoambientedetrabalho-140718213912-phpapp02.pptx
relacionamentointerpessoalnoambientedetrabalho-140718213912-phpapp02.pptx
 
PRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTÓRIO (1).pptx
PRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTÓRIO (1).pptxPRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTÓRIO (1).pptx
PRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTÓRIO (1).pptx
 
saude coletiva - unidade 2 [Salvo automaticamente].pptx
saude coletiva - unidade 2 [Salvo automaticamente].pptxsaude coletiva - unidade 2 [Salvo automaticamente].pptx
saude coletiva - unidade 2 [Salvo automaticamente].pptx
 
Enfermagem e Ciencia UND2.pptx..........
Enfermagem e Ciencia UND2.pptx..........Enfermagem e Ciencia UND2.pptx..........
Enfermagem e Ciencia UND2.pptx..........
 
bioquimica - Introducção a Bioquimica....
bioquimica - Introducção a Bioquimica....bioquimica - Introducção a Bioquimica....
bioquimica - Introducção a Bioquimica....
 

VPP - aula pratica de Enfermagem.............

  • 1. Enfermagem em saúde da criança e do adolescente Aula Prática 02 Profª Pamela P. S. Oliveira
  • 2. • Compreender a técnica de Ventilação por pressão positiva (VPP) neonatal. • Compreender a técnica de Reanimação Cardiopulmonar (RCP) neonatal.
  • 3. Recepção do recém-nascido (RN): Independente da idade gestacional, no momento do nascimento a equipe deve estar prepara para atender qualquer eventual intercorrência; É importante que todo material para reanimação neonatal esteja disponível, funcionando corretamente e com fácil acesso para todos na sala de parto; RN à termo: 37 semanas; RN prematuro: abaixo de 37 semanas. Fonte: h ps://pixabay.com
  • 5. Planejamento e organização: Anamnese materna: histórico gestacional, idade gestacional, classificação de risco gestacional, fatores de risco ao RN; Ambiente: A sala de parto deve estar com temperatura variando de 23 a 25°C; Berço aquecido ligado préviamente, equipamentos testados, materiais disponíveis; Fonte: h ps://pixabay.com
  • 6. Materiais necessários: • Termômetro de ambiente: sala de parto e/ou de reanimação com temperatura ambiente de 23- 25°C; • Fonte de calor radiante; • Mesa de reanimação com acesso por 3 lados; • Fonte de oxigênio umidificado com fluxômetro e • fonte de ar comprimido; • Blender para mistura oxigênio/ar; • Aspirador a vácuo com manômetro; • Relógio de parede com ponteiro de segundos; Fonte: https://fanem.com.br
  • 7. Materiais necessários: • Campo cirúrgico e compressas estéreis; • Saco de polietileno de 30x50cm para prematuro; • Touca de lã ou algodão; • Colchão térmico químico 25x40cm para prematuro <1000g; • Estetoscópio neonatal; • Oxímetro com sensor neonatal; • Monitor cardíaco de 3 vias com eletrodos; • Sondas: traqueais Nº 6 e 8 e gástricas curtas Nº 6 e 8; Fonte: h ps://barmedrio.com.br
  • 8. Materiais necessários: • Reanimador manual neonatal (balão autoinflável); • Máscaras redondas com coxim para RN de termo, • prematuro e prematuro extremo; • Máscara laríngea para recém-nascido Nº 1; • Material para intubação traqueal: laringoscópio infantil com lâmina reta Nº 00, 0 e 1; • Cânulas traqueais sem balonete; Fonte: h ps://www.medsystemhospitalar.com.br
  • 9. Materiais necessários: Medicação: • Adrenalina diluída a 1mg/10 mL em seringa de 1,0 mL para administração endovenosa; Fonte: https://pixabay.com
  • 10. Parâmetros SSVV: • Frequência cardiaca varia entre 120-160bpm; • Frequência respiratória varia de 40 a 60 incursões por minuto; • Saturação: > 90%. Fonte: https://pixabay.com
  • 11. Avaliação ao nascer: • Apgar: descreve a condição cardiorrespiratória e neurológica do recém-nascido; • Atribui pontos de 0 a 2 a cada uma das 5 medidas; • A nota de 7 a 10 aos 5 minutos é considerada normal. Geralmente a avaliação é realizada no 1° e 5° minuto de vida. Fonte: https://pixabay.com
  • 13. Avaliação ao nascer: • Gestação a termo? • Respirando ou chorando? • Tônus muscular em flexão? Fonte: https://pixabay.com
  • 14. Avaliação ao nascer: SIM! • Prover calor e avaliar vitalidade com RN em contato com a mãe; • Manter vias aéreas pérvias; • Hora ouro: contato pele-a-pele e estimular o início da amamentação. Fonte: https://pixabay.com
  • 15. Clampeamento do cordão umbilical: • O clampeamento tardio de cordão umbilical (mínimo de 60 segundos até alguns minutos após cessar sua pulsação) é recomendável em casos de RN ≥34 semanas de gestação e com boa vitalidade ao nascer; • Facilita a transição cardiorrespiratória após o parto; • O clampeamento >60 segundos é benéfico em relação à concentração de hemoglobina nas primeiras 24 horas.
  • 16. Avaliação ao nascer: • Gestação a termo? • Respirando ou chorando? • Tônus muscular em flexão? Fonte: https://pixabay.com
  • 17. Avaliação ao nascer: Não! • Prover calor; • < 34 semanas: saco polietileno; • Posicionar e secar; • Se necessário aspirar; Fonte: https://pixabay.com
  • 18. Avaliação ao nascer: Estes passos iniciais devem ser executados em, no máximo, 30 segundos! Fonte: https://pixabay.com
  • 19. Ventilação com pressão positiva (VPP): FC < 100 bpm, apneia ou respiração irregular: VPP e monitorização; • A VPP deve ser aplicada imediatamente após a aspiração traqueal; • Iniciar a VPP nos primeiros 60 segundos de vida; • A ventilação pulmonar é o procedimento mais importante e efetivo na reanimação do RN; • É por meio do preenchimento dos pulmões com gás que estes assumem o seu papel central na hematose, com vasodilatação pulmonar e redução da pressão pulmonar, promovendo o retorno do sangue oxigenado para o coração.
  • 20. Ventilação com pressão positiva (VPP): FC < 100 bpm, apneia ou respiração irregular: VPP e monitorização; • Posiciona-se a cabeça em extensão e as mãos vedando a máscara em forma de C; • Os dedos médio, anular e mínimo formam a letra “E”; • O selo entre face e máscara é crítico para o sucesso da ventilação; • Mantenha a FR de 40 a 60 ipm, com uso do ambu de tamanho neonatal: aperta, solta, solta... Fonte: https://pixabay.com
  • 22. Reanimação neonatal: • Rever técnica e assegurar ventilação adequada Considerar máscara laríngea ou intubação traqueal; FC <60 bpm? SIM! • Ventilação com cânula traqueal; • A massagem cardíaca é indicada se, após 30 segundos de VPP com técnica adequada, a FC estiver <60 bpm. • Massagem cardíaca coordenada com ventilação (3:1); • 90 compressões e 30 ventilações por minuto; • Considerar cateterismo venoso. Fonte: https://pixabay.com
  • 23. Reanimação neonatal: • A compressão cardíaca é realizada no terço inferior do esterno, onde se situa a maior parte do ventrículo esquerdo; • Existem duas técnicas para realizar a massagem cardíaca: a dos dois polegares e a dos dois dedos; • A técnica dos dois polegares é mais eficiente, pois gera maior pico de pressão sistólica e de perfusão coronariana, além de ser menos cansativa. Fonte: https://pixabay.com
  • 24. Reanimação neonatal: • Aplicar os dois polegares sobrepostos no terço inferior do esterno, ou seja, logo abaixo da linha intermamilar e poupando o apêndice xifoide; • O restante das mãos circunda o tórax; • O profissional vai executar a massagem cardíaca posicionado atrás da cabeça do RN, enquanto aquele que ventila se desloca para um dos lados. Fonte: https://pixabay.com
  • 25. Reanimação neonatal: • Profundidade: deve englobar 1/3 da dimensão anteroposterior do tórax, de maneira a produzir um pulso palpável; • É importante permitir a reexpansão plena do tórax após a compressão para haver enchimento das câmaras ventriculares e das coronárias; • As complicações da massagem cardíaca incluem fratura de costelas, pneumotórax, hemotórax e laceração de fígado. Fonte: https://www.misodor.com.br
  • 27. Medicação: • A adrenalina endovenosa é aplicada na dose de 0,01-0,03 mg/kg; • Para minimizar erros, pode-se considerar o uso de adrenalina por via traqueal na dose de 0,1 mg/kg e, por via endovenosa, na dose de 0,02 mg/kg. Fonte: https://pixabay.com
  • 28. • Repetir a administração de adrenalina a cada 3-5 minutos.
  • 29. Reanimação neonatal: • O nascimento representa a mais dramática transição fisiológica da vida humana; • 02 RNs em cada 10 não choram ou não respiram e 01 em cada 10 precisa de VPP; • A ventilação pulmonar é o procedimento mais importante e efetivo na reanimação, deve ser iniciada nos primeiros 60 segundos de vida (“Minuto de ouro”); • O risco de morte ou morbidade aumenta em 16% a cada 30 segundos de demora para iniciar a VPP.
  • 30. Reanimação neonatal: Quando interromper? • Variáveis a serem consideradas: • Os procedimentos de reanimação foram aplicados de forma adequada? • Os cuidados intensivos neonatais são disponíveis? • Qual a causa e a duração da agressão hipóxico- isquêmica? • Qual o desejo da família, quando houve tempo para uma conversa prévia ao nascimento? • Diante das evidências mais recentes, não há uma resposta clara quanto ao tempo que a reanimação deve se prolongar após o nascimento.
  • 31. Enfermeiro: • Planejamento e organização: controle do tempo, temperatura; • Conhecimento e experiência; • Raciocínio clínico; • Vínculo com a família.