SlideShare uma empresa Scribd logo
Eficiência energética em plantas industriais
Eficiencia energética em plantas industriais
Marcio Iamundo Rodrigues
Centro de Negocios de Eficiencia Energética
VAZAMENTO
DE ÁGUA É
VISÍVEL E
INCOMODA!
Oportunidades no desperdício
JÁ “VAZAMENTOS”
DE ENERGIA
ELÉTRICA NÃO SÃO
VISÍVEIS...
Segundo analise da ABESCO 2014 – Desperdício de energia na Industria é de
aproximadamente de R$ 2,61 bilhões (do total de R$ 12, 6 bilhões)
Oportunidades no desperdício
Se os “vazamentos” dos
motores elétricos pudessem ser
vistos como uma caixa d’água:
Perdas por restrições de
válvulas
Perdas por motores
30%
9,3%
Oportunidades no desperdício
Empresas recorrem a auxílio especializado/ tomam ações quando
veem multa por reativo na conta de energia.
Se as contas de energia trouxessem “a multa” por desperdício, a
situação da indústria brasileira certamente seria outra
O custo do desperdício na competitividade
Eficiencia Energetica na Industria
ACEEE- Conselho Americano para a economia de energia eficiente
ISO 50.001 A WEG é a primeira empresa do setor
eletroeletrônico no Brasil a receber a
certificação da norma de eficiência energética
A certificação ISO 50.001:2011 (denominada
sistema de gestão de energia – tem como
objetivo oferecer ao setor público e privado
estratégias de gestão para aumentar a
eficiência energética, reduzir custos e
melhorar o desempenho energético das
organizações.
Eficiencia Energetica na Industria
68%
Fontes:
- PESQUISA DE POSSE DE EQUIPAMENTOS E HÁBITOS DE USO - ANO BASE
2005 - Março 2008 Procel
Revista Eletricidade Moderna, Julho de 1998
da energia
consumida no
mundo corresponde
ao Setor Industrial
40%
Oportunidades no desperdício
Substituição de
motores
Redimensionamento
de motores
Automação de
processos
MOTORES
INSTALADOS
Foco
R$ 9.546,30
R$ 9.196,76
R$ 13.130,02
Desperdício de energia
(60cv 4p 24h/dia 365dias/ano R$0,36/kWh)
R$ 2.997,38
R$ 1.090,36
17 Anos de idade média dos equipamentos na indústria (Abraman)
Portaria 553
Substituição de motores elétricos
Redimensionamento de motores elétricos
R$ 7.800,88 (17%)
Redimensionamento de motores elétricos
100 CV60 CV
Situações comuns
encontradas
Faixa
recomendada
Redimensionamento de motores elétricos
Sistemas Industriais
nopnop'
Sistemas Industriais
Economia de
energia
Potência consumida
Variação de processo
Potência consumida
Variação de processo
Sistemas Industriais
• Uma das maiores produtoras papel e celulose da América Latina - capacidade de produção
de 4,7 milhões de toneladas de papel e celulose por ano.
• Grupo Suzano 92 anos de história, com operações globais em aproximadamente 60 países.
• 5 unidades industriais: Suzano, Rio Verde e Limeira em SP, Mucuri/ BA e Imperatriz/ MA.
CASE SUZANO PAPEL CELULOSE
2º Análise das
informações
1º Identificação
oportunidades
3º Implantação das
recomendações
CASE SUZANO PAPEL CELULOSE
 Levantamento dos equipamentos instalados (bombas
centrífugas, ventiladores ) e tempos de operação
 Levantamento dos dados de placa dos motores e
características mecânicas
 Realização de medições de campo
 Avaliação dos sistemas acionados para possíveis
oportunidades de automação (uso de válvulas,
dampers, tempo de ociosidade ,etc)
1º Identificação
oportunidades
CASE SUZANO PAPEL CELULOSE
 Foco nos motores antigos, com tempo de
operação maior que 18 horas e histórico de
manutenção
 Foram levantados 118 equipamentos com potencial
de otimização do consumo de energia de 22,8%
1º Identificação
oportunidades
CASE SUZANO PAPEL CELULOSE
 Estimativas de economia com as substituições dos
equipamentos por outros de maior eficiência
 Análises financeiras para avaliação de viabilidade
econômica com as substituições e melhorias
1º Identificação
oportunidades
2º Análise das
informações
CASE SUZANO PAPEL CELULOSE
2º Análise das
informações
 Analise de implantação como: adequação dos
motores, configuração do supervisório, instalação
dos drives e impactos no processo.
 Foram selecionados 28 equipamentos, com os
melhores retornos de investimentos
CASE SUZANO PAPEL CELULOSE
2º Análise das
informações
3º Implantação das
recomendações
Equipamentos
18 motores e 26
inversores de frequência
Economia de energia/Ano:
1,386 MWh
CASE SUZANO PAPEL CELULOSE
Emissão Evitada de CO2 :
0.564 Ton CO2 /Ano
Economia Média Projeto:
44,5 %
Payback:
3,1 anos
De acordo com especialista da companhia, Eng. Eduardo Boaventura – Engenharia e Investimentos
após a implantação do projeto de eficiência energética, foram observados ganhos expressivos no controle do
processo de várias bombas e ventiladores.
Segundo ele, a modernização do sistema, em vários casos, alcançou economia superior a 60%, pois o controle
de vazão de ar, que antes era efetuado por *Damper’s e apresentava problemas no histórico de manutenção,
passou a ser efetuado através de inversores de frequência que controlam a vazão de acordo com a variação da
velocidade.
Noticias WEG, maio 2016
CASE SUZANO PAPEL CELULOSE
Motor antigo 250CV com Partida Soft Starter W22 Premium 200CV acionado Inversor Frequência
Ventilador de ar Primário - Caldeira GTW
Resultados
Ventilador de ar Primário - Caldeira GTW
Motor 600CV com Partida Soft Starter Motor HGF 450CV acionado Inversor Frequência
Ventilador de Caldeira CBC
Resultados
Ventilador de Caldeira CBC
Motor 200CV com Partida Soft Starter W22 Premium 200CV acionado Inversor Frequência
BB de Alimentação dos Refinadores
Resultados
BB de Alimentação dos Refinadores
Obrigado!!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistemas Iluminação Eficiente de Interiores
Sistemas Iluminação Eficiente de InterioresSistemas Iluminação Eficiente de Interiores
Sistemas Iluminação Eficiente de Interiores
slides-mci
 
Rumo à Excelência em Eficiência Energética , Caso Triple E
Rumo à Excelência em Eficiência Energética , Caso Triple ERumo à Excelência em Eficiência Energética , Caso Triple E
Rumo à Excelência em Eficiência Energética , Caso Triple E
slides-mci
 
Solenidade de Abertura do 13º COBEE
Solenidade de Abertura do 13º COBEESolenidade de Abertura do 13º COBEE
Solenidade de Abertura do 13º COBEE
slides-mci
 
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de EnergiaContribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
slides-mci
 
A visão do MME para Eficiência Energética
A visão do MME para Eficiência EnergéticaA visão do MME para Eficiência Energética
A visão do MME para Eficiência Energética
slides-mci
 
Soluções de Energia em Eficiência Energética para Shoppings e Indústrias
Soluções de Energia em Eficiência Energética para Shoppings e IndústriasSoluções de Energia em Eficiência Energética para Shoppings e Indústrias
Soluções de Energia em Eficiência Energética para Shoppings e Indústrias
slides-mci
 
Programa de Redução de Perdas e Eficiência Energética na SABESP
Programa de Redução de Perdas e Eficiência Energética na SABESPPrograma de Redução de Perdas e Eficiência Energética na SABESP
Programa de Redução de Perdas e Eficiência Energética na SABESP
slides-mci
 
Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...
Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...
Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...
slides-mci
 
Lei 13.280/2016. O que muda no Programa de Eficiência Energética?
Lei 13.280/2016. O que muda no Programa de Eficiência Energética?Lei 13.280/2016. O que muda no Programa de Eficiência Energética?
Lei 13.280/2016. O que muda no Programa de Eficiência Energética?
slides-mci
 
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCELMecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
slides-mci
 
10% de ganho em eficiência no setor elétrico até 2030. O que ainda é possível?
10% de ganho em eficiência no setor elétrico até 2030. O que ainda é possível?10% de ganho em eficiência no setor elétrico até 2030. O que ainda é possível?
10% de ganho em eficiência no setor elétrico até 2030. O que ainda é possível?
slides-mci
 
Benchmarking de Consumo Energético: Ferramenta para gestão energética e monit...
Benchmarking de Consumo Energético: Ferramenta para gestão energética e monit...Benchmarking de Consumo Energético: Ferramenta para gestão energética e monit...
Benchmarking de Consumo Energético: Ferramenta para gestão energética e monit...
slides-mci
 
Workshop EE 2014 - 04. Marcelo Sigoli - A Visão da Abesco Sobre Eficiência ...
Workshop EE 2014 - 04. Marcelo Sigoli - A Visão da Abesco Sobre Eficiência ...Workshop EE 2014 - 04. Marcelo Sigoli - A Visão da Abesco Sobre Eficiência ...
Workshop EE 2014 - 04. Marcelo Sigoli - A Visão da Abesco Sobre Eficiência ...
CPFL Energia
 
Chillers e Sistemas de Água Gelada - Ainda a Solução mais efeiciente para HVAC
Chillers e Sistemas de Água Gelada - Ainda a Solução mais efeiciente para HVACChillers e Sistemas de Água Gelada - Ainda a Solução mais efeiciente para HVAC
Chillers e Sistemas de Água Gelada - Ainda a Solução mais efeiciente para HVAC
slides-mci
 
PIMVP no Contexto da Gestão Energética
PIMVP no Contexto da Gestão EnergéticaPIMVP no Contexto da Gestão Energética
PIMVP no Contexto da Gestão Energética
slides-mci
 
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
CPFL Energia
 
Workshop EE 2014 - 01. Sérgio Valdir Bajay - O Cenário de Eficiência Energe...
Workshop EE 2014 - 01. Sérgio Valdir Bajay - O Cenário de Eficiência Energe...Workshop EE 2014 - 01. Sérgio Valdir Bajay - O Cenário de Eficiência Energe...
Workshop EE 2014 - 01. Sérgio Valdir Bajay - O Cenário de Eficiência Energe...
CPFL Energia
 
Workshop EE 2014 - 05. Alexandre Behrens - Eficiência Energética em Sistema...
Workshop EE 2014 - 05. Alexandre Behrens - Eficiência Energética em Sistema...Workshop EE 2014 - 05. Alexandre Behrens - Eficiência Energética em Sistema...
Workshop EE 2014 - 05. Alexandre Behrens - Eficiência Energética em Sistema...
CPFL Energia
 
ISO 50.001: Requisitos para Implementação do Sistema de Gestão
ISO 50.001: Requisitos para Implementação do Sistema de GestãoISO 50.001: Requisitos para Implementação do Sistema de Gestão
ISO 50.001: Requisitos para Implementação do Sistema de Gestão
slides-mci
 
Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...
Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...
Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...
CPFL Energia
 

Mais procurados (20)

Sistemas Iluminação Eficiente de Interiores
Sistemas Iluminação Eficiente de InterioresSistemas Iluminação Eficiente de Interiores
Sistemas Iluminação Eficiente de Interiores
 
Rumo à Excelência em Eficiência Energética , Caso Triple E
Rumo à Excelência em Eficiência Energética , Caso Triple ERumo à Excelência em Eficiência Energética , Caso Triple E
Rumo à Excelência em Eficiência Energética , Caso Triple E
 
Solenidade de Abertura do 13º COBEE
Solenidade de Abertura do 13º COBEESolenidade de Abertura do 13º COBEE
Solenidade de Abertura do 13º COBEE
 
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de EnergiaContribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
 
A visão do MME para Eficiência Energética
A visão do MME para Eficiência EnergéticaA visão do MME para Eficiência Energética
A visão do MME para Eficiência Energética
 
Soluções de Energia em Eficiência Energética para Shoppings e Indústrias
Soluções de Energia em Eficiência Energética para Shoppings e IndústriasSoluções de Energia em Eficiência Energética para Shoppings e Indústrias
Soluções de Energia em Eficiência Energética para Shoppings e Indústrias
 
Programa de Redução de Perdas e Eficiência Energética na SABESP
Programa de Redução de Perdas e Eficiência Energética na SABESPPrograma de Redução de Perdas e Eficiência Energética na SABESP
Programa de Redução de Perdas e Eficiência Energética na SABESP
 
Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...
Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...
Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...
 
Lei 13.280/2016. O que muda no Programa de Eficiência Energética?
Lei 13.280/2016. O que muda no Programa de Eficiência Energética?Lei 13.280/2016. O que muda no Programa de Eficiência Energética?
Lei 13.280/2016. O que muda no Programa de Eficiência Energética?
 
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCELMecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
 
10% de ganho em eficiência no setor elétrico até 2030. O que ainda é possível?
10% de ganho em eficiência no setor elétrico até 2030. O que ainda é possível?10% de ganho em eficiência no setor elétrico até 2030. O que ainda é possível?
10% de ganho em eficiência no setor elétrico até 2030. O que ainda é possível?
 
Benchmarking de Consumo Energético: Ferramenta para gestão energética e monit...
Benchmarking de Consumo Energético: Ferramenta para gestão energética e monit...Benchmarking de Consumo Energético: Ferramenta para gestão energética e monit...
Benchmarking de Consumo Energético: Ferramenta para gestão energética e monit...
 
Workshop EE 2014 - 04. Marcelo Sigoli - A Visão da Abesco Sobre Eficiência ...
Workshop EE 2014 - 04. Marcelo Sigoli - A Visão da Abesco Sobre Eficiência ...Workshop EE 2014 - 04. Marcelo Sigoli - A Visão da Abesco Sobre Eficiência ...
Workshop EE 2014 - 04. Marcelo Sigoli - A Visão da Abesco Sobre Eficiência ...
 
Chillers e Sistemas de Água Gelada - Ainda a Solução mais efeiciente para HVAC
Chillers e Sistemas de Água Gelada - Ainda a Solução mais efeiciente para HVACChillers e Sistemas de Água Gelada - Ainda a Solução mais efeiciente para HVAC
Chillers e Sistemas de Água Gelada - Ainda a Solução mais efeiciente para HVAC
 
PIMVP no Contexto da Gestão Energética
PIMVP no Contexto da Gestão EnergéticaPIMVP no Contexto da Gestão Energética
PIMVP no Contexto da Gestão Energética
 
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
 
Workshop EE 2014 - 01. Sérgio Valdir Bajay - O Cenário de Eficiência Energe...
Workshop EE 2014 - 01. Sérgio Valdir Bajay - O Cenário de Eficiência Energe...Workshop EE 2014 - 01. Sérgio Valdir Bajay - O Cenário de Eficiência Energe...
Workshop EE 2014 - 01. Sérgio Valdir Bajay - O Cenário de Eficiência Energe...
 
Workshop EE 2014 - 05. Alexandre Behrens - Eficiência Energética em Sistema...
Workshop EE 2014 - 05. Alexandre Behrens - Eficiência Energética em Sistema...Workshop EE 2014 - 05. Alexandre Behrens - Eficiência Energética em Sistema...
Workshop EE 2014 - 05. Alexandre Behrens - Eficiência Energética em Sistema...
 
ISO 50.001: Requisitos para Implementação do Sistema de Gestão
ISO 50.001: Requisitos para Implementação do Sistema de GestãoISO 50.001: Requisitos para Implementação do Sistema de Gestão
ISO 50.001: Requisitos para Implementação do Sistema de Gestão
 
Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...
Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...
Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...
 

Destaque

Eficiência Energética em Transporte Vertical
Eficiência Energética em Transporte Vertical	Eficiência Energética em Transporte Vertical
Eficiência Energética em Transporte Vertical
slides-mci
 
O Impacto do Custo de Energia de Transporte sobre Trilhos
O Impacto do Custo de Energia de Transporte sobre TrilhosO Impacto do Custo de Energia de Transporte sobre Trilhos
O Impacto do Custo de Energia de Transporte sobre Trilhos
slides-mci
 
O Programa de Eficiência Energética no Estado de São Paulo
O Programa de Eficiência Energética no Estado de São PauloO Programa de Eficiência Energética no Estado de São Paulo
O Programa de Eficiência Energética no Estado de São Paulo
slides-mci
 
Panorama da Eficiência Energética na Indústria e Comércio
Panorama da Eficiência Energética na Indústria e ComércioPanorama da Eficiência Energética na Indústria e Comércio
Panorama da Eficiência Energética na Indústria e Comércio
slides-mci
 
LEED e seus impactos em reduções de emissões no Brasil e no Mundo
LEED e seus impactos em reduções de emissões no Brasil e no MundoLEED e seus impactos em reduções de emissões no Brasil e no Mundo
LEED e seus impactos em reduções de emissões no Brasil e no Mundo
slides-mci
 
Desafios da Eficiência Energética no Setor de Saneamento Ambiental
Desafios da Eficiência Energética no Setor de Saneamento AmbientalDesafios da Eficiência Energética no Setor de Saneamento Ambiental
Desafios da Eficiência Energética no Setor de Saneamento Ambiental
slides-mci
 
Linhas de Crédito para Saneamento
Linhas de Crédito para SaneamentoLinhas de Crédito para Saneamento
Linhas de Crédito para Saneamento
slides-mci
 
Alternativas de Financiamento para as Escos
Alternativas de Financiamento para as EscosAlternativas de Financiamento para as Escos
Alternativas de Financiamento para as Escos
slides-mci
 
Experiências da America Latina e Caribe em Eficiência Energética
Experiências da America Latina e Caribe em Eficiência EnergéticaExperiências da America Latina e Caribe em Eficiência Energética
Experiências da America Latina e Caribe em Eficiência Energética
slides-mci
 
Gestão Eficiente de Sistemas de Iluminação Pública
Gestão Eficiente de Sistemas de Iluminação Pública	Gestão Eficiente de Sistemas de Iluminação Pública
Gestão Eficiente de Sistemas de Iluminação Pública
slides-mci
 
iNDC - Brasil (intended Nationally Determined Contribution) no contexto do Ac...
iNDC - Brasil (intended Nationally Determined Contribution) no contexto do Ac...iNDC - Brasil (intended Nationally Determined Contribution) no contexto do Ac...
iNDC - Brasil (intended Nationally Determined Contribution) no contexto do Ac...
slides-mci
 

Destaque (11)

Eficiência Energética em Transporte Vertical
Eficiência Energética em Transporte Vertical	Eficiência Energética em Transporte Vertical
Eficiência Energética em Transporte Vertical
 
O Impacto do Custo de Energia de Transporte sobre Trilhos
O Impacto do Custo de Energia de Transporte sobre TrilhosO Impacto do Custo de Energia de Transporte sobre Trilhos
O Impacto do Custo de Energia de Transporte sobre Trilhos
 
O Programa de Eficiência Energética no Estado de São Paulo
O Programa de Eficiência Energética no Estado de São PauloO Programa de Eficiência Energética no Estado de São Paulo
O Programa de Eficiência Energética no Estado de São Paulo
 
Panorama da Eficiência Energética na Indústria e Comércio
Panorama da Eficiência Energética na Indústria e ComércioPanorama da Eficiência Energética na Indústria e Comércio
Panorama da Eficiência Energética na Indústria e Comércio
 
LEED e seus impactos em reduções de emissões no Brasil e no Mundo
LEED e seus impactos em reduções de emissões no Brasil e no MundoLEED e seus impactos em reduções de emissões no Brasil e no Mundo
LEED e seus impactos em reduções de emissões no Brasil e no Mundo
 
Desafios da Eficiência Energética no Setor de Saneamento Ambiental
Desafios da Eficiência Energética no Setor de Saneamento AmbientalDesafios da Eficiência Energética no Setor de Saneamento Ambiental
Desafios da Eficiência Energética no Setor de Saneamento Ambiental
 
Linhas de Crédito para Saneamento
Linhas de Crédito para SaneamentoLinhas de Crédito para Saneamento
Linhas de Crédito para Saneamento
 
Alternativas de Financiamento para as Escos
Alternativas de Financiamento para as EscosAlternativas de Financiamento para as Escos
Alternativas de Financiamento para as Escos
 
Experiências da America Latina e Caribe em Eficiência Energética
Experiências da America Latina e Caribe em Eficiência EnergéticaExperiências da America Latina e Caribe em Eficiência Energética
Experiências da America Latina e Caribe em Eficiência Energética
 
Gestão Eficiente de Sistemas de Iluminação Pública
Gestão Eficiente de Sistemas de Iluminação Pública	Gestão Eficiente de Sistemas de Iluminação Pública
Gestão Eficiente de Sistemas de Iluminação Pública
 
iNDC - Brasil (intended Nationally Determined Contribution) no contexto do Ac...
iNDC - Brasil (intended Nationally Determined Contribution) no contexto do Ac...iNDC - Brasil (intended Nationally Determined Contribution) no contexto do Ac...
iNDC - Brasil (intended Nationally Determined Contribution) no contexto do Ac...
 

Mais de slides-mci

11h00 alex bastos 24 08 pao de acucar
11h00 alex bastos  24 08 pao de acucar11h00 alex bastos  24 08 pao de acucar
11h00 alex bastos 24 08 pao de acucar
slides-mci
 
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
slides-mci
 
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea 09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
slides-mci
 
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
slides-mci
 
09h10 1 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
09h10 1  marcelo sperle 24-08 pao de acucar09h10 1  marcelo sperle 24-08 pao de acucar
09h10 1 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
slides-mci
 
14h40 2 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
14h40 2   marcelo sperle 24-08 pao de acucar14h40 2   marcelo sperle 24-08 pao de acucar
14h40 2 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
slides-mci
 
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
slides-mci
 
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
slides-mci
 
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
slides-mci
 
17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado
17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado
17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado
slides-mci
 
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
slides-mci
 
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
slides-mci
 
17h00 decio oddone pao de acucar 22 08
17h00 decio oddone pao de acucar 22 0817h00 decio oddone pao de acucar 22 08
17h00 decio oddone pao de acucar 22 08
slides-mci
 
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
slides-mci
 
14h40 marcio remedio 23 08 leme
14h40 marcio remedio 23 08 leme 14h40 marcio remedio 23 08 leme
14h40 marcio remedio 23 08 leme
slides-mci
 
14h00 rosangela botelho 22 08 barra
14h00 rosangela botelho 22 08 barra14h00 rosangela botelho 22 08 barra
14h00 rosangela botelho 22 08 barra
slides-mci
 
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
slides-mci
 
11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra
slides-mci
 
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
slides-mci
 
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
slides-mci
 

Mais de slides-mci (20)

11h00 alex bastos 24 08 pao de acucar
11h00 alex bastos  24 08 pao de acucar11h00 alex bastos  24 08 pao de acucar
11h00 alex bastos 24 08 pao de acucar
 
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
 
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea 09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
 
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
 
09h10 1 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
09h10 1  marcelo sperle 24-08 pao de acucar09h10 1  marcelo sperle 24-08 pao de acucar
09h10 1 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
 
14h40 2 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
14h40 2   marcelo sperle 24-08 pao de acucar14h40 2   marcelo sperle 24-08 pao de acucar
14h40 2 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
 
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
 
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
 
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
 
17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado
17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado
17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado
 
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
 
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
 
17h00 decio oddone pao de acucar 22 08
17h00 decio oddone pao de acucar 22 0817h00 decio oddone pao de acucar 22 08
17h00 decio oddone pao de acucar 22 08
 
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
 
14h40 marcio remedio 23 08 leme
14h40 marcio remedio 23 08 leme 14h40 marcio remedio 23 08 leme
14h40 marcio remedio 23 08 leme
 
14h00 rosangela botelho 22 08 barra
14h00 rosangela botelho 22 08 barra14h00 rosangela botelho 22 08 barra
14h00 rosangela botelho 22 08 barra
 
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
 
11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra
 
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
 
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
 

Eficiência Energética em Plantas Industriais

  • 1. Eficiência energética em plantas industriais Eficiencia energética em plantas industriais Marcio Iamundo Rodrigues Centro de Negocios de Eficiencia Energética
  • 2. VAZAMENTO DE ÁGUA É VISÍVEL E INCOMODA! Oportunidades no desperdício
  • 3. JÁ “VAZAMENTOS” DE ENERGIA ELÉTRICA NÃO SÃO VISÍVEIS... Segundo analise da ABESCO 2014 – Desperdício de energia na Industria é de aproximadamente de R$ 2,61 bilhões (do total de R$ 12, 6 bilhões) Oportunidades no desperdício
  • 4. Se os “vazamentos” dos motores elétricos pudessem ser vistos como uma caixa d’água: Perdas por restrições de válvulas Perdas por motores 30% 9,3% Oportunidades no desperdício Empresas recorrem a auxílio especializado/ tomam ações quando veem multa por reativo na conta de energia. Se as contas de energia trouxessem “a multa” por desperdício, a situação da indústria brasileira certamente seria outra
  • 5. O custo do desperdício na competitividade
  • 6. Eficiencia Energetica na Industria ACEEE- Conselho Americano para a economia de energia eficiente
  • 7. ISO 50.001 A WEG é a primeira empresa do setor eletroeletrônico no Brasil a receber a certificação da norma de eficiência energética A certificação ISO 50.001:2011 (denominada sistema de gestão de energia – tem como objetivo oferecer ao setor público e privado estratégias de gestão para aumentar a eficiência energética, reduzir custos e melhorar o desempenho energético das organizações.
  • 9. 68% Fontes: - PESQUISA DE POSSE DE EQUIPAMENTOS E HÁBITOS DE USO - ANO BASE 2005 - Março 2008 Procel Revista Eletricidade Moderna, Julho de 1998 da energia consumida no mundo corresponde ao Setor Industrial 40% Oportunidades no desperdício
  • 11. R$ 9.546,30 R$ 9.196,76 R$ 13.130,02 Desperdício de energia (60cv 4p 24h/dia 365dias/ano R$0,36/kWh) R$ 2.997,38 R$ 1.090,36 17 Anos de idade média dos equipamentos na indústria (Abraman) Portaria 553 Substituição de motores elétricos
  • 13. R$ 7.800,88 (17%) Redimensionamento de motores elétricos 100 CV60 CV
  • 17. Economia de energia Potência consumida Variação de processo Potência consumida Variação de processo Sistemas Industriais
  • 18. • Uma das maiores produtoras papel e celulose da América Latina - capacidade de produção de 4,7 milhões de toneladas de papel e celulose por ano. • Grupo Suzano 92 anos de história, com operações globais em aproximadamente 60 países. • 5 unidades industriais: Suzano, Rio Verde e Limeira em SP, Mucuri/ BA e Imperatriz/ MA. CASE SUZANO PAPEL CELULOSE
  • 19. 2º Análise das informações 1º Identificação oportunidades 3º Implantação das recomendações CASE SUZANO PAPEL CELULOSE
  • 20.  Levantamento dos equipamentos instalados (bombas centrífugas, ventiladores ) e tempos de operação  Levantamento dos dados de placa dos motores e características mecânicas  Realização de medições de campo  Avaliação dos sistemas acionados para possíveis oportunidades de automação (uso de válvulas, dampers, tempo de ociosidade ,etc) 1º Identificação oportunidades CASE SUZANO PAPEL CELULOSE
  • 21.  Foco nos motores antigos, com tempo de operação maior que 18 horas e histórico de manutenção  Foram levantados 118 equipamentos com potencial de otimização do consumo de energia de 22,8% 1º Identificação oportunidades CASE SUZANO PAPEL CELULOSE
  • 22.  Estimativas de economia com as substituições dos equipamentos por outros de maior eficiência  Análises financeiras para avaliação de viabilidade econômica com as substituições e melhorias 1º Identificação oportunidades 2º Análise das informações CASE SUZANO PAPEL CELULOSE
  • 23. 2º Análise das informações  Analise de implantação como: adequação dos motores, configuração do supervisório, instalação dos drives e impactos no processo.  Foram selecionados 28 equipamentos, com os melhores retornos de investimentos CASE SUZANO PAPEL CELULOSE
  • 24. 2º Análise das informações 3º Implantação das recomendações Equipamentos 18 motores e 26 inversores de frequência Economia de energia/Ano: 1,386 MWh CASE SUZANO PAPEL CELULOSE Emissão Evitada de CO2 : 0.564 Ton CO2 /Ano Economia Média Projeto: 44,5 %
  • 25. Payback: 3,1 anos De acordo com especialista da companhia, Eng. Eduardo Boaventura – Engenharia e Investimentos após a implantação do projeto de eficiência energética, foram observados ganhos expressivos no controle do processo de várias bombas e ventiladores. Segundo ele, a modernização do sistema, em vários casos, alcançou economia superior a 60%, pois o controle de vazão de ar, que antes era efetuado por *Damper’s e apresentava problemas no histórico de manutenção, passou a ser efetuado através de inversores de frequência que controlam a vazão de acordo com a variação da velocidade. Noticias WEG, maio 2016 CASE SUZANO PAPEL CELULOSE
  • 26. Motor antigo 250CV com Partida Soft Starter W22 Premium 200CV acionado Inversor Frequência Ventilador de ar Primário - Caldeira GTW
  • 27. Resultados Ventilador de ar Primário - Caldeira GTW
  • 28. Motor 600CV com Partida Soft Starter Motor HGF 450CV acionado Inversor Frequência Ventilador de Caldeira CBC
  • 30. Motor 200CV com Partida Soft Starter W22 Premium 200CV acionado Inversor Frequência BB de Alimentação dos Refinadores