SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 47
1
DEUTERONÔMIO
ESCOLA BÍBLICA VIRTUAL
CLASSE: A BÍBLIA EM UM ANO
PROFº: FRANCISCO TUDELA
PIBPENHA –SP-2017
A Bíblia em um ano
Aula 6 – A LEI
DIVISÃO
O PENTATEUCO
(Torá para os judeus)
GÊNESIS
Narra as origens do universo e do gênero humano até à
formação do povo de Israel na sua estada no Egito.
ÊXODO
Narra a saída do Egito, conduzidos por Moisés, até o
Sinai, aí recebem de Deus Sua Lei como confirmação
do pacto firmado com o "povo de Deus".
LEVÍTICO
Regula o culto religioso e seu ritual,
dirigido especialmente aos levitas
NÚMEROS
Trata do recenseamento do povo, de fatos e providências
legislativas para os 40 anos de vida nômade no deserto.
DEUTERONÔMIO
A “segunda lei”, promulgada no final da jornada no deserto, quando
Moisés retoma a legislação precedente para adaptá-la às novas
condições de vida sedentária que o povo viria a encontrar com a
conquista iminente da Terra de Canaã, a Terra Prometida.
GÊNESIS
Homem perdido
ÊXODO
Homem remido
LEVÍTICO
Homem cultuando
NÚMEROS
Homem servindo
DEUTERONÔMIO
Homem recebendo a promessa
GÊNESIS
Princípio da nação (Israel)
ÊXODO
Organizar o povo e entrega da Lei
LEVÍTICO
Como o povo devia adorar
NÚMEROS
Peregrinação do povo
DEUTERONÔMIO
Preparação para entrar na terra
Os 5 livros do
Pentateuco registram a
introdução da religião
divina no mundo, cada
livro apresenta uma
fase do plano de Deus.
DEUTERONÔMIO
Em grego
Dευτερονόμιον– Deuteronomion (2ª Lei)
Em hebraico
~yir'b>D – Devarim (palavras)
AUTORIA
São as palavras ditas por Moisés 1. e atestadas:
- pelos escritores do AT (Js 1.7; 1Rs 2.3; 2 Rs 14.6; Ed 3.2; Ne
1.8,9; Dn 9.11);
- por Jesus (Mt 19.7-9; 23.2,3; Jo 5.45-47);
- pelos escritores do NT (At 3.22,23; Rm 10.19);
Os eventos descritos são do ano 1410 aC.
O livro é resultado do trabalho redatorial, composto por
um conjunto de manuscritos de datas diferentes, em
torno de 640 a 600 a.C (reinado de Josias em Judá),
300 anos depois da morte de Moisés (notar o uso da
terceira pessoa ao referir-se a Moisés, o que indica o
trabalho de um narrador externo falando de Moisés).
O último capítulo (34), relata a morte de Moisés, talvez
acrescentado por Josué, ou outro, como um tributo.
A visão do monte Nebo, aquém do Jordão (transjosrdânia)
Antes de Moisés morrer Deus lhe mostra toda a terra que
prometera ao seu povo.34.4
6
7
34.4 Deste ponto, no monte Nebo, Moisés avista Canaã
PROPÓSITO
Apresentar um sumário da aliança entre Deus e Israel,
isto é, renovar as declarações das bênçãos, se
obedecerem, e das maldições, se desobedecerem.
A nova geração com 20 anos ou menos, exceto Calebe
e Josué, era nascida e criada no deserto, não tinha
lembrança pessoal da primeira Páscoa, da travessia
do mar Vermelho, nem da outorga da lei.
Moisés os exorta 35 vezes para “entrar e possuir” a
terra, e 34 vezes que essa é a terra que Deus lhes
está dando.
CONTEÚDO
Contém leis que tratam dos 10 Mandamentos.
Um tratado religioso que define as regras para viver o
Pacto entre Deus e o povo de Israel.
A palavra “amor” é repetida 20 vezes, uma ênfase não
encontrada de Gn a Nm.
É citado mais de 80 vezes no NT.
Contém 613 Leis, o mesmo nº de letras dos 10
mandamentos em hebraico.
CONTEXTO GEOGRÁFICO
1. Ramessés Deus tira Israel do
Egito Ex 12; Nm 33.5.
2. Sucote 170 Km (-5° a +40°C),
de dia a coluna de nuvem, a
noite a de fogo Ex13.20–22.
3. Pi-Hairote Israel atravessou
o Mar Vermelho Ex 14; Nm
33.8.
4. Mara Deus torna as águas
de Mara doces Ex 15.23–26.
12
5. Elim Israel acampou ao lado de 12 fontes de água Ex 15.27.
6. Deserto de Sim Maná e codornizes para alimentação Ex 16.
7. Refidim Israel luta contra Amaleque Ex 17.8–16.
8. Monte Sinai (Monte Horebe) 3 meses até aqui e ficam por 1
ano. Deus dá os 10 Mandamentos Ex 19–20.
9. Deserto do Sinai Israel construiu o tabernáculo Ex 25–30.
10. Acampamentos no Deserto Setenta 
anciãos auxiliam Moisés Nm 11.16,17
11. Eziom-Geber Israel atravessa as 
terras de Esaú e Amom Dt 2.
12. Cades-Barnéia Moisés envia espiões 
para Canaã; Israel incrédulo não 
entra na terra; do Sinai até aqui 11 
dias. do Egito até aqui foram 2 anos e 
aqui ficaram 38 anos. Dt 2.7,14.
13. Deserto Oriental Evitam a guerra 
com Edom e Moabe  Nm 20.14–21; 
22–24.
14. Ribeiro de Arnom Vencem os 
Amorreus Dt 2.24–37. Tomam 70 
cidades dos cananeus e vencem o rei 
gigante de Basã  Dt 3.4;11 13
14
15. Monte Nebo Moisés vê a terra prometida Dt 34.1–4 e faz 
seus três últimos sermões Dt 1–32.
16. Campinas de Moabe Deus diz como será a divisão da 
terra e que expulsem seus habitantes Nm 33.50–56.
17. Rio Jordão Cruzam o rio Jordão a seco e em Gilgal erguem 
um memorial desta divisão das águas. Js 3–5.1.
18. Jericó Conquistam a cidade Js 6.(3 meses após saírem de 
Cades)
ESTRUTURA LITERÁRIA
Um livro com sermões, pregações, discursos e
exortações de Moisés.
Os discursos reforçam a idéia de que servir a Deus não
é apenas seguir sua lei.
Moisés enfatiza a obediência em consequência do
amor: "Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu
coração, de toda a tua alma, e com todo o teu
entendimento“ 6.5
Deveria ser lido a cada 7 anos (31.10-13).
Leitura do Livro: 
Bloco A. Olhar para trás.1-3
Bloco B. A grande exortação. 4-11
Bloco C. As estipulações da aliança. 12-26
Bloco B1. A cerimônia da aliança. 27-30
Bloco A1 Olhar para frente. 31-34
Os blocos podem ser lidos como uma narrativa contínua:
A com A1: cap 1 ao 3 repetem o conteúdo de Nm até Moisés ser
proibido de entrar na terra, e os cap 31 ao 34 retomam a
partir deste ponto e concluem com o comissionamento de
Josué, a canção de Moisés, sua bênção e morte.
B com B1: cap.4-11: chamam Israel à devoção absoluta a Deus
e conclui com Deus anunciando “a bênção e a maldição”
(11.26) e os cap 27 a 30 retomam a narrativa deste ponto
apresentando quais são as bênçãos e maldições.
Esboço de Deuteronômio – 3 discursos
I. O primeiro discurso de Moisés 1.1-4.43
Introdução 1.1-5
O passado recordado 1.6-3.29
Um chamado à obediência 4.1-40
Cidades de refúgio nomeadas 4.41-43
II. O segundo discurso de Moisés 4.44-26.19
Exposição dos Dez Mandamentos 4.44– 11.32
Exposição das leis cerimoniais 12.1-16.17
Exposição da lei civil 16.18-18.22
Exposição das leis criminais 19.1-21.9
Exposição das leis sociais 21.10– 26.19
Esboço de Deuteronômio
III. O terceiro discurso de Moisés 27.1– 30.20
A desobediência traz a maldição 27.1-26
Bênçãos e maldições 28.1-68
Os termos da aliança 29.1-30.20
IV. As palavras finais e a morte de Moisés 31.1– 34.12
Perpetuação do concerto 31.1-29
O cântico do testemunho 31.30-32.47
A bênção de Moisés sobre Israel 32.48—33.29
A Morte e a sucessão de Moisés 34.1-12
Contexto histórico
Do Egito ao Sinai foram 3 meses. Ex 19.1
A jornada desde Horebe (Sinai) até Cades-Barneia, na
fronteira com Canaã, levaria apenas 11 dias, levou
40 anos, até estarem prontos para entrar na Terra
Prometida. (1.2,3;2.7)
Moisés tem agora 120 anos (34.7), 40 anos atrás tirara
os israelitas da escravidão no Egito e guiara pelo
deserto até Canaã.
Depararam-se com novos inimigos,
novas tentações e nova liderança.
A Lei
No Antigo Oriente Médio, os povos tinham dificuldade
para entender e decifrar a vontade de seus deuses.
Para o hebreu este problema não existia, pois seu Deus
decidira se revelar a eles, e usou a lei para mostrar o
que deles requeria.
Para o hebreu a lei era a demonstração da graça de
Deus, e era um prazer, não um fardo.
MOISÉSMOISÉS
A DIVISÃOA DIVISÃO
DA LEIDA LEI
MOSAICAMOSAICA
LEI DE DEUSLEI DE DEUS
OS 10 MANDAMENTOS OS DECRETOS DE MOISÉS
LEI CIVILLEI CIVIL
- INVARIÁVEIS
- PARA
TODOS OS TEMPOS
- PARA TODOS OS PAÍSES
- TEM CARÁTER
DIVINO
- COM O TEMPO FORAM
ACRESCIDAS 613 REGRAS*
http://pt.wikipedia.org/wiki/613_mandamentos
- DESTINAVAM-SE A ATENDER
A SITUAÇÕES CONCRETAS
“AMARÁS POIS O SENHOR TEU
DEUS, DE TODO O TEU
CORAÇÃO, DE TODA A TUA
ALMA E DE TODO O TEU
PODER.” Dt 6.5; 10.12; 30.6
“(...) AMARÁS A TEU PRÓXIMO
COMO A TI MESMO.” Lv
19.18
Dt 22.6,7 CONSCIÊNCIA
ECOLÓGICA
Dt 22.8 SEGURANÇA
“OS FILHOS DO SERVO SERÃO
DO SEU SENHOR .” Ex 21.4
EX:
EX:
Dt 23.12,13 HIGIENE
*Alguns estudiosos afirmam que o NT
contém mais regulamentos que o AT
O CRISTOO CRISTO
COMOCOMO
LEGISLADORLEGISLADOR
VEIO CUMPRIRVEIO CUMPRIR
A LEI DE DEUS A LEI CIVIL DE MOISÉS
VEIO MODIFICARVEIO MODIFICAR
- DANDO-LHE O SENTIDO DO QUAL
HAVIAM SE DISTANCIADO:
CONVENCER-NOS DE QUE SOMOS
PECADORES. Rm 7.7
Modificou-a na forma: combateu-lhe as
práticas exteriores e as falsas
interpretações
A questão não é mais não adulterar,
mas ser fiel.
Não é apenas não cobiçar, mas estar
plenamente satisfeito em Deus.
Não é simplesmente não matar, pois
agora o cristão tem o amor de Deus em
si, e ele ama até seus inimigos.
Os mandamentos que antes eram
negativos, agora se tornam positivos
MAS EU LHES DIGO: AMEM OS
SEUS INIMIGOS E OREM POR AQUELES
QUE OS PERSEGUEM, Mt 5.44
“(...) AME CADA UM O SEU PRÓXIMO
COMO A SI MESMO.” Lv 19.18
EX:
QUALQUER INTERPRETAÇÃO OU APLICAÇÃO NÃO
CONDIZENTE COM A LEI DO AMOR ESTÁ DESCARTADA
O RELACIONAMENTO DO CRISTÃO COM A LEIO RELACIONAMENTO DO CRISTÃO COM A LEI
O AT contém 613 preceitos cerimoniais, rituais e leis
civis que os israelitas deviam guardar (todos estão nos
livros do Ex, Lv, Nm e Dt.).
A lei do AT é a aliança de Deus com seu povo. 4.13
O AT não é nosso Testamento.
Parte da Velha Aliança é renovada na Nova Aliança no
que tange aos princípios éticos e teológicos dos 10
mandamentos.
A lei dada no AT é a Palavra de Deus, mesmo que os
613 preceitos não se apliquem à Igreja.
Somente aquilo que é explicitamente renovado da lei do
AT deve ser considerado “lei de Cristo”.
4.15 Deus não mostra sua imagem. Deus é inatingível.
5.8 Um ídolo tem relação com aquele que o faz, é uma
adoração disfarçada de si mesmo pois corresponde a
seus próprios interesse e crenças.
Há cristãos que criam uma imagem de Deus, O tratam
como um ídolo, com oferendas, sacrifícios,... nosso
Deus quer obediência.
6.4,5 É a marca distintiva do judaísmo e é citado por
Jesus como o “primeiro mandamento” em Mt 22.37.
Amar a Deus é obedecer e praticar a sua vontade.
6.6 “estas palavras” se refere aos 10 mandamentos.
6.7,20 A responsabilidade de ensinar essas coisas ao
seus filhos, não é apenas levá-los ao culto, à EBD, ...
Ensinar é ler a Bíblia e ter atitudes condizentes.
6.8,9 Os judeus amarram filactérios (fitas) e plaquetas
nos batentes com os 10 mandamentos. Há cristãos
que colocam a Bíblia aberta como uma superstição.
Jesus citou 6.13,16 e 10.20 quando foi tentado pelo
diabo em Mt 4.1-11 e Lc 4.1-13.
8.3,2 Deus permite o sofrimento para que saibamos se
o amamos pela pessoa que é ou se o amamos pelas
coisas boas que nos permite ter.
Saber para que se vive e como viver segundo a vontade
de Deus, o “pão espiritual”, é o fundamental.
8.4 Usada por 40 anos e a roupa não gastou.
8.12,17 Nem todos podem conviver com riquezas.
12.5 Indicado por Deus: Siló, Gibeão ou Jerusalém?
13.6 Há quem se diga cristão e, por exemplo, é espírita.
14.1 A inicialização no candomblé é rapar a cabeça.
17.17 Ai de muitos dos nossos governantes.
18.10-11 Quem faz estas práticas quer ter acesso ao
domínio do futuro e quer o poder de Deus
18.15 O profeta a ser levantado é Jesus.
18.20 Hoje não há mais profetas revelatórios.
19.2,5 Para evitar a justiça desproporcional
Paulo cita 20.12-14 (Rm10.6-9) e 21.23;27.26 (Gl2.10).
26.2 Não se trata de deixar alimento para a “entidade”
comer, para Deus comer.
Na época não havia dinheiro, as moedas só surgiram no
período persa, as pessoas levavam o que tinham de
valor demonstrando que entendiam que tudo vem de
Deus, e para sustentar os levitas e os necessitados.
27.15-26; 28.15-68 Lista pecados sociais, morais e de
idolatria, que deixam Deus aborrecido, e as suas
consequências, fruto do acordo com Israel.
Castigos que não cabem na nova aliança.
Deus é amor e também justiça, ainda hoje.
29.19,20 Há um pecado imperdoável. Mt 12.31
30.15,19,20 Temos o livre arbítrio para estar com Deus.
31.2,7 O líder se aposenta, preparara o sucessor e
satisfeito o empossa e encoraja perante a nação.
31.26,29 O livro, talvez seja Deuteronômio; o “contra
vocês” se deve à natureza humana.
34.6 Deus sepultou Moisés (talvez por isso apareça no
monte da transfiguração) para evitar sua veneração.
Encerramos o Pentateuco.
• Toda a Bíblia em um ano: De Gênesis a Neemias; Dusilek, Darci; 9ª Ed.
Rio de Janeiro; Ed. Horizonal, 2006
• Manual Bíblico SBB; trad. Noronha, Lailah; São Paulo; Ed. Sociedade
Bíblica do Brasil; 2008
• Textos Bíblicos extraídos: Bíblia Sagrada Nova Versão Internacional; São
Paulo; Ed. Vida; 2001
• Bíblia De Estudo NVI, Barker; São Paulo; Ed. Vida; 2003
• MacDonald, Willian, Comentário Bíblico Popular, São Paulo, Ed. Mundo
Cristão, 1ª edição, 2008
• BRUCCE, F. F. Comentário Bíblico NVI. São Paulo, Ed. Vida, 1ª edição,
2008
• Reflexões extraídas da World Wide Web
• Programa ROTA 66 – Sayão, Luiz – Rádio transmundial
FIM
“Sabemos que a Lei é boa, se alguém a usa de maneira
adequada. (1 Tm 1.8).
Como o versículo deixa subentendido, infelizmente, há
quem empregue a lei de Deus de maneira inadequada.
A lei:
Revela o pecado, para nos conscientizar de que
somos pecadores e necessitamos de um Salvador.
Não tem o poder de nos salvar, esta é uma atribuição
de Cristo e tão somente dele.
Inibe a ação pecaminosa enquanto nos conduz a uma
vida de santificação.
ADENDOS
DT 11.25 - Esta não é uma profecia falsa?
PROBLEMA: Moisés disse aos filhos de Israel:
"ninguém vos poderá resistir; o Senhor vosso Deus
porá sobre toda terra que pisardes o vosso terror e o
vosso temor, como já vos tem dito“.
Mas isto parece ser falso, tanto a curto como a longo
prazo.
Mesmo sob a liderança de Josué, Israel perdeu algumas
batalhas (Js 7.4).
E a longo prazo eles foram vencidos pelos assírios (2
Rs 16.9) e pelos babilônios (2 Rs 25.22).
SOLUÇÃO
Não foi uma falsa profecia - mas uma promessa
condicional.
Observe-se que ela foi antecedida pela condição: "se
diligentemente obedecerdes a meus mandamentos
que hoje vos ordeno..." (11.13), e "se diligentemente
guardardes todos estes mandamentos..." (11.22).
Em resumo, não se tratava de uma profecia do que iria
acontecer, mas de uma projeção condicional.
Quando Israel obedecia a Deus, tornava-se invencível,
por mais poderosos que fossem seus inimigos (Js 6).
Mas quando o povo não obedecia a Deus, era derrotado
até mesmo pelo adversário mais frágil (Js 7).
Dt 23.1,2
Fala das qualificações necessárias para se ingressar na
assembleia: politica (estado teocrático), religiosa, militar e
judicial (exclui dela os eunucos).
Esta proibição se torna um problema quando Jerusalém caiu
nas mãos do rei babilônio, Nabucodonosor II, em 598
a.C., e os homens de Israel se tornam escravos, muitos
são transformados em eunucos nas cortes e haréns da
Babilônia; quando Ciro II, rei da Pérsia, em 537 a.C.,
invadiu a Babilônia, libertou o povo judeu que pode
retornar a Jerusalém, muitos dos que retornaram eram
eunucos.
Pela lei estariam destituídos de sua participação política e
religiosa na cidade, porém, no livro de Isaías - escrito
entre 700  e 400 a.C. - é instituído um mecanismo de fuga
desta regra. Is 56.3-6.
Dt 22.5
Uma proibição ao travestir-se (crossdressing), uma prática
que daria margem a toda sorte de impropriedades, tanto
de ordem social como moral.
A preocupação israelita é construir sua imagem que os
distancie dos comportamentos comuns às populações
que viviam ao seu redor.
A hierogamia era o ritual do casamento entre o sacerdote
com a deusa, no rito de Astarte, comum entre os fenícios
e filisteus, um sacerdote se travestia com as roupas da
deusa e fazia sexo com outro sacerdote em nome dela,
realizando assim o casamento ritual e, com isso, garantia-
se a fecundidade da terra pela boa vontade da deusa.
O ponto principal desta passagem é fazer a distinção clara
entre os sexos.
DT 23.19 - Por que receber juros foi proibido para
os judeus em alguns casos e não em outros?
PROBLEMA:
Em Ex 22.25, emprestar dinheiro a juros
somente era proibido quando fosse para
um pobre, mas em Dt 23.19 a proibição
referia-se a quando o empréstimo era feito
para qualquer outro judeu, sem distinção.
Isso levanta dois problemas:
1.Por que a mudança?
2.Por que a parcialidade?
Primeiro, a alteração feita em Deuteronômio em relação ao que
Êxodo estabelecia foi necessária, pois veio a se mostrar difícil
determinar quem deveria ser considerado pobre.
Estendeu-se a proibição a todos os hebreus, e se assim não
fosse, nenhum pobre conseguiria um empréstimo, pois
acabariam sendo feitos somente àqueles que pagassem juros.
Cobrar juros não foi proibido em relação a estrangeiros (não-
judeus), mas somente em relação a irmãos (outros judeus).
Se parece discriminatório, é apenas porque as leis que proibiam
cobrar juros em relação aos pobres (ou em relação aos irmãos)
constituíam um ato de benevolência estabelecido por Deus, e
não precisamente uma questão de negócios.
Nos negócios, tem-se direito a um razoável lucro pelo
investimento feito, e como compensação ao risco de perda
(pelo não pagamento) do empréstimo concedido, é justo pagar
ao investidor uma certa quantia pelo risco e pelo investimento.
Cidades de Refúgio 19.2
Eram 3 cidades para abrigar os homicidas sem ódio.
Aqueles que mataram por ódio, se fossem
encontrados nestas cidades seriam de lá retirados e
entregues aos seus vingadores de sangue: os
parentes mais próximos do assassinado, que o
matariam.
Mutilação do Corpo Proibida 14.1
Antigamente os pagãos cananeus
raspavam a cabeça e se cortavam em
rituais para lamentar seus mortos.
Israel como nação santa não deveria
identificar-se com nenhuma prática pagã.
Dt 14.3-21 – Sobre comer carnes
Pode ser que a higiene tenha sido o critério.
Algumas carnes eram mais tóxicas que outras e
poderiam não ser saudáveis para o consumo no
deserto.
Alguns animais listados como impuros são predadores e
comem sangue de suas presas, portanto comer carne
destes animais corromperia os israelitas.
Alguns animais eram sagrados para algumas religiões
pagãs como a cobra e o porco e esta associação com a
idolatria os tornava imundos.
O cabrito jovem não poderia ser cozido no leite de sua
mãe pois seu leite era para sustentar a cria.
DT 15.4 - Como pode esta passagem declarar que não
haveria pobres entre eles, se o versículo 11 diz que sempre
haveria pobres na terra?
A promessa está condicionada ao povo ouvir "atentamente a voz
do Senhor," seu Deus, e cuidar "em cumprir todos estes
mandamentos" dados por Deus naqueles dias (15.5).
Um dos mandamentos era que, se houvesse um pobre em Israel,
as pessoas não deveriam endurecer o coração, mas sim abrir
as mãos e emprestar-lhe dinheiro e bens suficientes para suas
necessidades ("o que lhe falta“ 15.8).
O versículo 11 pode ser entendido como uma afirmação de que
sempre haveria pessoas em dificuldades, precisando de
assistência, e que outras pessoas seriam requeridas para
suprir-lhes as necessidades .
Se assim se portassem o Senhor faria a terra prosperar de tal
forma que sempre haveria suprimentos suficientes para que
uns atendessem às necessidades de outros.
As Testemunhas 17.5 e 19.15
Uma testemunha não era suficiente para
condenar uma pessoa.
Aquele que tivesse levado testemunho
jogaria a primeira pedra.
Se mais tarde se provasse que seu
testemunho fora falso, sofreria o mesmo
tipo de execução como penalidade por
assassinar um inocente.
44
A promulgação de uma lei consiste no reconhecimento de sua
autenticidade, ou seja, a condição de reconhecê-la como uma
obrigação que deve ser cumprida por todos.
45
46
O ano era 1410 a.C.
O 1º sermão ocorreu no 1º dia do mês 11 (1.3)
Como atravessaram o Jordão 70 dias depois, no
10º dia do mês 1 (Js 4.19), deve-se subtrair 30
dias de luto após a morte de Moisés (Dt 34.8) e
se conclui que a pregação foi feita por Moisés
durante os 40 dias antes de entrarem na Terra
Prometida.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

5 deuteronomio
5 deuteronomio5 deuteronomio
5 deuteronomioPib Penha
 
Livro de números
Livro de númerosLivro de números
Livro de númerospbmarcelo
 
21 oséias, joel e amós
21 oséias, joel e amós21 oséias, joel e amós
21 oséias, joel e amósPIB Penha
 
Pentatêuco, o livro de êxodo
Pentatêuco, o livro de êxodoPentatêuco, o livro de êxodo
Pentatêuco, o livro de êxodoRODRIGO FERREIRA
 
22 obadias, jonas e miquéias
22 obadias, jonas e miquéias22 obadias, jonas e miquéias
22 obadias, jonas e miquéiasPIB Penha
 
Aula 7 - Números
Aula 7 - NúmerosAula 7 - Números
Aula 7 - Númerosibrdoamor
 
12 esdras e neemias
12  esdras e neemias12  esdras e neemias
12 esdras e neemiasPIB Penha
 
25 o período intertestamentário
25    o período intertestamentário25    o período intertestamentário
25 o período intertestamentárioPIB Penha
 
Licao 11 3 t - 2018 - betel
Licao 11   3 t - 2018 - betelLicao 11   3 t - 2018 - betel
Licao 11 3 t - 2018 - betelÉder Tomé
 
O Livro de Números
O Livro de NúmerosO Livro de Números
O Livro de NúmerosÉlida Rolim
 
Lição 8 - Conquistando a Terra Prometida
Lição 8 - Conquistando a Terra PrometidaLição 8 - Conquistando a Terra Prometida
Lição 8 - Conquistando a Terra PrometidaÉder Tomé
 
42 Estudo Panorâmico da Bíblia (Números)
42   Estudo Panorâmico da Bíblia (Números)42   Estudo Panorâmico da Bíblia (Números)
42 Estudo Panorâmico da Bíblia (Números)Robson Tavares Fernandes
 
9 1 e 2 samuel
9   1 e 2 samuel9   1 e 2 samuel
9 1 e 2 samuelPIB Penha
 
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Introdução
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - IntroduçãoEstudo da Bíblia Livro de Êxodo - Introdução
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Introduçãoibrenjtijuca
 
Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.com
Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.comDaniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.com
Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.comleitemel
 
Lição 1 O Livro de Exodo e o Cativeiro de Israel no Egito & Licao 2 Um Libert...
Lição 1 O Livro de Exodo e o Cativeiro de Israel no Egito & Licao 2 Um Libert...Lição 1 O Livro de Exodo e o Cativeiro de Israel no Egito & Licao 2 Um Libert...
Lição 1 O Livro de Exodo e o Cativeiro de Israel no Egito & Licao 2 Um Libert...pralucianaevangelista
 
A peregrinação de Israel no deserto até o Sinai
A peregrinação de Israel no deserto até o SinaiA peregrinação de Israel no deserto até o Sinai
A peregrinação de Israel no deserto até o SinaiMoisés Sampaio
 

Mais procurados (20)

5 deuteronomio
5 deuteronomio5 deuteronomio
5 deuteronomio
 
Livro de números
Livro de númerosLivro de números
Livro de números
 
17 isaias
17  isaias17  isaias
17 isaias
 
21 oséias, joel e amós
21 oséias, joel e amós21 oséias, joel e amós
21 oséias, joel e amós
 
Pentatêuco, o livro de êxodo
Pentatêuco, o livro de êxodoPentatêuco, o livro de êxodo
Pentatêuco, o livro de êxodo
 
22 obadias, jonas e miquéias
22 obadias, jonas e miquéias22 obadias, jonas e miquéias
22 obadias, jonas e miquéias
 
Aula 1 genesis
Aula 1   genesisAula 1   genesis
Aula 1 genesis
 
Aula 7 - Números
Aula 7 - NúmerosAula 7 - Números
Aula 7 - Números
 
14 jó
14 jó14 jó
14 jó
 
12 esdras e neemias
12  esdras e neemias12  esdras e neemias
12 esdras e neemias
 
25 o período intertestamentário
25    o período intertestamentário25    o período intertestamentário
25 o período intertestamentário
 
Licao 11 3 t - 2018 - betel
Licao 11   3 t - 2018 - betelLicao 11   3 t - 2018 - betel
Licao 11 3 t - 2018 - betel
 
O Livro de Números
O Livro de NúmerosO Livro de Números
O Livro de Números
 
Lição 8 - Conquistando a Terra Prometida
Lição 8 - Conquistando a Terra PrometidaLição 8 - Conquistando a Terra Prometida
Lição 8 - Conquistando a Terra Prometida
 
42 Estudo Panorâmico da Bíblia (Números)
42   Estudo Panorâmico da Bíblia (Números)42   Estudo Panorâmico da Bíblia (Números)
42 Estudo Panorâmico da Bíblia (Números)
 
9 1 e 2 samuel
9   1 e 2 samuel9   1 e 2 samuel
9 1 e 2 samuel
 
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Introdução
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - IntroduçãoEstudo da Bíblia Livro de Êxodo - Introdução
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Introdução
 
Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.com
Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.comDaniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.com
Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.com
 
Lição 1 O Livro de Exodo e o Cativeiro de Israel no Egito & Licao 2 Um Libert...
Lição 1 O Livro de Exodo e o Cativeiro de Israel no Egito & Licao 2 Um Libert...Lição 1 O Livro de Exodo e o Cativeiro de Israel no Egito & Licao 2 Um Libert...
Lição 1 O Livro de Exodo e o Cativeiro de Israel no Egito & Licao 2 Um Libert...
 
A peregrinação de Israel no deserto até o Sinai
A peregrinação de Israel no deserto até o SinaiA peregrinação de Israel no deserto até o Sinai
A peregrinação de Israel no deserto até o Sinai
 

Destaque

Gfa 4 q11_ppt_port.
Gfa 4 q11_ppt_port.Gfa 4 q11_ppt_port.
Gfa 4 q11_ppt_port.Gafisa RI !
 
POSTALES 4 AÑOS A
POSTALES 4 AÑOS APOSTALES 4 AÑOS A
POSTALES 4 AÑOS Acossio
 
Dob Submission Arch Struct
Dob Submission   Arch StructDob Submission   Arch Struct
Dob Submission Arch StructVivek Jagadish
 
Dynamics CRM - Contact Center
Dynamics CRM - Contact CenterDynamics CRM - Contact Center
Dynamics CRM - Contact Centerrobandre
 
Simplemente madres
Simplemente madresSimplemente madres
Simplemente madresguest96809e
 
Presentació de Diana Pijuan
Presentació de Diana PijuanPresentació de Diana Pijuan
Presentació de Diana PijuanDiana
 
Raven fernandez
Raven fernandezRaven fernandez
Raven fernandezraven
 
Colores del mundo_animal
Colores del mundo_animalColores del mundo_animal
Colores del mundo_animalguest5f8d70
 
O r denagaiiluak
O r denagaiiluakO r denagaiiluak
O r denagaiiluakcompiis
 
Ressurreição e o sudário
Ressurreição e o sudárioRessurreição e o sudário
Ressurreição e o sudárioPIB Penha
 
ÉCHANGE SCOLAIRE - EMBOURG (BELGIQUE)
ÉCHANGE SCOLAIRE - EMBOURG (BELGIQUE)ÉCHANGE SCOLAIRE - EMBOURG (BELGIQUE)
ÉCHANGE SCOLAIRE - EMBOURG (BELGIQUE)josequinonero
 
Power point tema 4
Power point tema 4Power point tema 4
Power point tema 4carlagonzalo
 
Hallgrímur pétursson power point
Hallgrímur pétursson power pointHallgrímur pétursson power point
Hallgrímur pétursson power pointÖldusels Skóli
 

Destaque (20)

Exercic9
Exercic9Exercic9
Exercic9
 
Gfa 4 q11_ppt_port.
Gfa 4 q11_ppt_port.Gfa 4 q11_ppt_port.
Gfa 4 q11_ppt_port.
 
Presen india
Presen indiaPresen india
Presen india
 
POSTALES 4 AÑOS A
POSTALES 4 AÑOS APOSTALES 4 AÑOS A
POSTALES 4 AÑOS A
 
Dob Submission Arch Struct
Dob Submission   Arch StructDob Submission   Arch Struct
Dob Submission Arch Struct
 
Tarjeta
TarjetaTarjeta
Tarjeta
 
Dynamics CRM - Contact Center
Dynamics CRM - Contact CenterDynamics CRM - Contact Center
Dynamics CRM - Contact Center
 
Simplemente madres
Simplemente madresSimplemente madres
Simplemente madres
 
Presentació de Diana Pijuan
Presentació de Diana PijuanPresentació de Diana Pijuan
Presentació de Diana Pijuan
 
Llistat de proteccions TOV_2010_2
Llistat de proteccions TOV_2010_2Llistat de proteccions TOV_2010_2
Llistat de proteccions TOV_2010_2
 
Raven fernandez
Raven fernandezRaven fernandez
Raven fernandez
 
Colores del mundo_animal
Colores del mundo_animalColores del mundo_animal
Colores del mundo_animal
 
Patrick
PatrickPatrick
Patrick
 
balenes
balenesbalenes
balenes
 
O r denagaiiluak
O r denagaiiluakO r denagaiiluak
O r denagaiiluak
 
Ressurreição e o sudário
Ressurreição e o sudárioRessurreição e o sudário
Ressurreição e o sudário
 
Educacion Virtual
Educacion VirtualEducacion Virtual
Educacion Virtual
 
ÉCHANGE SCOLAIRE - EMBOURG (BELGIQUE)
ÉCHANGE SCOLAIRE - EMBOURG (BELGIQUE)ÉCHANGE SCOLAIRE - EMBOURG (BELGIQUE)
ÉCHANGE SCOLAIRE - EMBOURG (BELGIQUE)
 
Power point tema 4
Power point tema 4Power point tema 4
Power point tema 4
 
Hallgrímur pétursson power point
Hallgrímur pétursson power pointHallgrímur pétursson power point
Hallgrímur pétursson power point
 

Semelhante a 5 deuteronomio

16 deuteronomio 1 - 4
16 deuteronomio 1 -  416 deuteronomio 1 -  4
16 deuteronomio 1 - 4PIB Penha
 
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
16 Deuteronomio 1 - 4.pptxPIB Penha - SP
 
Panorama do pentateuco
Panorama do pentateucoPanorama do pentateuco
Panorama do pentateucoPaulo Ferreira
 
Lição 1 deus dá sua lei ao povo de israel
Lição 1   deus dá sua lei ao povo de israelLição 1   deus dá sua lei ao povo de israel
Lição 1 deus dá sua lei ao povo de israelAdriano Pascoa
 
Dispensação da lei.pptx
Dispensação da lei.pptxDispensação da lei.pptx
Dispensação da lei.pptxSamyraAlves3
 
Lição 12(o mundo vindouro)2017
Lição 12(o mundo vindouro)2017Lição 12(o mundo vindouro)2017
Lição 12(o mundo vindouro)2017Antonio Filho
 
2. genesis 1 NM.pptx
2. genesis 1 NM.pptx2. genesis 1 NM.pptx
2. genesis 1 NM.pptxPIB Penha
 
O livro de deuteronômio
O livro de deuteronômioO livro de deuteronômio
O livro de deuteronômiombrandao7
 
10 periodo de israel em canaa e juizes
10  periodo de israel em canaa e juizes10  periodo de israel em canaa e juizes
10 periodo de israel em canaa e juizesPIB Penha
 
Lição 02 - O padrão moral da lei
Lição 02 - O padrão moral da leiLição 02 - O padrão moral da lei
Lição 02 - O padrão moral da leiPr. Andre Luiz
 
As três mensagens angélicas
As três mensagens angélicasAs três mensagens angélicas
As três mensagens angélicasBruno Da Montanha
 
18 periodo dos apostolos
18  periodo dos apostolos18  periodo dos apostolos
18 periodo dos apostolosPib Penha
 
Panorama do at 1 Ensinai
Panorama do at 1 EnsinaiPanorama do at 1 Ensinai
Panorama do at 1 EnsinaiLisanro Cronje
 

Semelhante a 5 deuteronomio (20)

16 deuteronomio 1 - 4
16 deuteronomio 1 -  416 deuteronomio 1 -  4
16 deuteronomio 1 - 4
 
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
 
Panorama do pentateuco
Panorama do pentateucoPanorama do pentateuco
Panorama do pentateuco
 
Deuteronômio
DeuteronômioDeuteronômio
Deuteronômio
 
Lição 1 deus dá sua lei ao povo de israel
Lição 1   deus dá sua lei ao povo de israelLição 1   deus dá sua lei ao povo de israel
Lição 1 deus dá sua lei ao povo de israel
 
Ibadep deuteronômio
Ibadep  deuteronômioIbadep  deuteronômio
Ibadep deuteronômio
 
Aula 6 - Deuteronômio
Aula 6 - DeuteronômioAula 6 - Deuteronômio
Aula 6 - Deuteronômio
 
Dispensação da lei.pptx
Dispensação da lei.pptxDispensação da lei.pptx
Dispensação da lei.pptx
 
Lição 12(o mundo vindouro)2017
Lição 12(o mundo vindouro)2017Lição 12(o mundo vindouro)2017
Lição 12(o mundo vindouro)2017
 
2. genesis 1 NM.pptx
2. genesis 1 NM.pptx2. genesis 1 NM.pptx
2. genesis 1 NM.pptx
 
O livro de deuteronômio
O livro de deuteronômioO livro de deuteronômio
O livro de deuteronômio
 
10 periodo de israel em canaa e juizes
10  periodo de israel em canaa e juizes10  periodo de israel em canaa e juizes
10 periodo de israel em canaa e juizes
 
Lição 02 - O padrão moral da lei
Lição 02 - O padrão moral da leiLição 02 - O padrão moral da lei
Lição 02 - O padrão moral da lei
 
12 a dispensacao_milenio
12 a dispensacao_milenio12 a dispensacao_milenio
12 a dispensacao_milenio
 
As três mensagens angélicas
As três mensagens angélicasAs três mensagens angélicas
As três mensagens angélicas
 
9 escatologia
9 escatologia9 escatologia
9 escatologia
 
Não vim destruir a lei-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
Não vim destruir a lei-Marcelo do N. Rodrigues-CEMNão vim destruir a lei-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
Não vim destruir a lei-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
 
18 periodo dos apostolos
18  periodo dos apostolos18  periodo dos apostolos
18 periodo dos apostolos
 
PENTATEUCO - Aula 06
PENTATEUCO - Aula 06PENTATEUCO - Aula 06
PENTATEUCO - Aula 06
 
Panorama do at 1 Ensinai
Panorama do at 1 EnsinaiPanorama do at 1 Ensinai
Panorama do at 1 Ensinai
 

Último

Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...edsonjsmarques
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptxPIB Penha
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...M.R.L
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfEVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfFrancisco Baptista
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaNilson Almeida
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxCelso Napoleon
 
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2emprego2
 

Último (10)

Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfEVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
 

5 deuteronomio

  • 1. 1 DEUTERONÔMIO ESCOLA BÍBLICA VIRTUAL CLASSE: A BÍBLIA EM UM ANO PROFº: FRANCISCO TUDELA PIBPENHA –SP-2017 A Bíblia em um ano Aula 6 – A LEI
  • 2. DIVISÃO O PENTATEUCO (Torá para os judeus) GÊNESIS Narra as origens do universo e do gênero humano até à formação do povo de Israel na sua estada no Egito. ÊXODO Narra a saída do Egito, conduzidos por Moisés, até o Sinai, aí recebem de Deus Sua Lei como confirmação do pacto firmado com o "povo de Deus". LEVÍTICO Regula o culto religioso e seu ritual, dirigido especialmente aos levitas NÚMEROS Trata do recenseamento do povo, de fatos e providências legislativas para os 40 anos de vida nômade no deserto. DEUTERONÔMIO A “segunda lei”, promulgada no final da jornada no deserto, quando Moisés retoma a legislação precedente para adaptá-la às novas condições de vida sedentária que o povo viria a encontrar com a conquista iminente da Terra de Canaã, a Terra Prometida.
  • 3. GÊNESIS Homem perdido ÊXODO Homem remido LEVÍTICO Homem cultuando NÚMEROS Homem servindo DEUTERONÔMIO Homem recebendo a promessa GÊNESIS Princípio da nação (Israel) ÊXODO Organizar o povo e entrega da Lei LEVÍTICO Como o povo devia adorar NÚMEROS Peregrinação do povo DEUTERONÔMIO Preparação para entrar na terra Os 5 livros do Pentateuco registram a introdução da religião divina no mundo, cada livro apresenta uma fase do plano de Deus.
  • 4. DEUTERONÔMIO Em grego Dευτερονόμιον– Deuteronomion (2ª Lei) Em hebraico ~yir'b>D – Devarim (palavras)
  • 5. AUTORIA São as palavras ditas por Moisés 1. e atestadas: - pelos escritores do AT (Js 1.7; 1Rs 2.3; 2 Rs 14.6; Ed 3.2; Ne 1.8,9; Dn 9.11); - por Jesus (Mt 19.7-9; 23.2,3; Jo 5.45-47); - pelos escritores do NT (At 3.22,23; Rm 10.19); Os eventos descritos são do ano 1410 aC. O livro é resultado do trabalho redatorial, composto por um conjunto de manuscritos de datas diferentes, em torno de 640 a 600 a.C (reinado de Josias em Judá), 300 anos depois da morte de Moisés (notar o uso da terceira pessoa ao referir-se a Moisés, o que indica o trabalho de um narrador externo falando de Moisés). O último capítulo (34), relata a morte de Moisés, talvez acrescentado por Josué, ou outro, como um tributo.
  • 6. A visão do monte Nebo, aquém do Jordão (transjosrdânia) Antes de Moisés morrer Deus lhe mostra toda a terra que prometera ao seu povo.34.4 6
  • 7. 7 34.4 Deste ponto, no monte Nebo, Moisés avista Canaã
  • 8. PROPÓSITO Apresentar um sumário da aliança entre Deus e Israel, isto é, renovar as declarações das bênçãos, se obedecerem, e das maldições, se desobedecerem. A nova geração com 20 anos ou menos, exceto Calebe e Josué, era nascida e criada no deserto, não tinha lembrança pessoal da primeira Páscoa, da travessia do mar Vermelho, nem da outorga da lei. Moisés os exorta 35 vezes para “entrar e possuir” a terra, e 34 vezes que essa é a terra que Deus lhes está dando.
  • 9. CONTEÚDO Contém leis que tratam dos 10 Mandamentos. Um tratado religioso que define as regras para viver o Pacto entre Deus e o povo de Israel. A palavra “amor” é repetida 20 vezes, uma ênfase não encontrada de Gn a Nm. É citado mais de 80 vezes no NT. Contém 613 Leis, o mesmo nº de letras dos 10 mandamentos em hebraico.
  • 11.
  • 12. 1. Ramessés Deus tira Israel do Egito Ex 12; Nm 33.5. 2. Sucote 170 Km (-5° a +40°C), de dia a coluna de nuvem, a noite a de fogo Ex13.20–22. 3. Pi-Hairote Israel atravessou o Mar Vermelho Ex 14; Nm 33.8. 4. Mara Deus torna as águas de Mara doces Ex 15.23–26. 12 5. Elim Israel acampou ao lado de 12 fontes de água Ex 15.27. 6. Deserto de Sim Maná e codornizes para alimentação Ex 16. 7. Refidim Israel luta contra Amaleque Ex 17.8–16. 8. Monte Sinai (Monte Horebe) 3 meses até aqui e ficam por 1 ano. Deus dá os 10 Mandamentos Ex 19–20. 9. Deserto do Sinai Israel construiu o tabernáculo Ex 25–30.
  • 13. 10. Acampamentos no Deserto Setenta  anciãos auxiliam Moisés Nm 11.16,17 11. Eziom-Geber Israel atravessa as  terras de Esaú e Amom Dt 2. 12. Cades-Barnéia Moisés envia espiões  para Canaã; Israel incrédulo não  entra na terra; do Sinai até aqui 11  dias. do Egito até aqui foram 2 anos e  aqui ficaram 38 anos. Dt 2.7,14. 13. Deserto Oriental Evitam a guerra  com Edom e Moabe  Nm 20.14–21;  22–24. 14. Ribeiro de Arnom Vencem os  Amorreus Dt 2.24–37. Tomam 70  cidades dos cananeus e vencem o rei  gigante de Basã  Dt 3.4;11 13
  • 14. 14 15. Monte Nebo Moisés vê a terra prometida Dt 34.1–4 e faz  seus três últimos sermões Dt 1–32. 16. Campinas de Moabe Deus diz como será a divisão da  terra e que expulsem seus habitantes Nm 33.50–56. 17. Rio Jordão Cruzam o rio Jordão a seco e em Gilgal erguem  um memorial desta divisão das águas. Js 3–5.1. 18. Jericó Conquistam a cidade Js 6.(3 meses após saírem de  Cades)
  • 15. ESTRUTURA LITERÁRIA Um livro com sermões, pregações, discursos e exortações de Moisés. Os discursos reforçam a idéia de que servir a Deus não é apenas seguir sua lei. Moisés enfatiza a obediência em consequência do amor: "Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e com todo o teu entendimento“ 6.5 Deveria ser lido a cada 7 anos (31.10-13).
  • 16. Leitura do Livro:  Bloco A. Olhar para trás.1-3 Bloco B. A grande exortação. 4-11 Bloco C. As estipulações da aliança. 12-26 Bloco B1. A cerimônia da aliança. 27-30 Bloco A1 Olhar para frente. 31-34 Os blocos podem ser lidos como uma narrativa contínua: A com A1: cap 1 ao 3 repetem o conteúdo de Nm até Moisés ser proibido de entrar na terra, e os cap 31 ao 34 retomam a partir deste ponto e concluem com o comissionamento de Josué, a canção de Moisés, sua bênção e morte. B com B1: cap.4-11: chamam Israel à devoção absoluta a Deus e conclui com Deus anunciando “a bênção e a maldição” (11.26) e os cap 27 a 30 retomam a narrativa deste ponto apresentando quais são as bênçãos e maldições.
  • 17. Esboço de Deuteronômio – 3 discursos I. O primeiro discurso de Moisés 1.1-4.43 Introdução 1.1-5 O passado recordado 1.6-3.29 Um chamado à obediência 4.1-40 Cidades de refúgio nomeadas 4.41-43 II. O segundo discurso de Moisés 4.44-26.19 Exposição dos Dez Mandamentos 4.44– 11.32 Exposição das leis cerimoniais 12.1-16.17 Exposição da lei civil 16.18-18.22 Exposição das leis criminais 19.1-21.9 Exposição das leis sociais 21.10– 26.19
  • 18. Esboço de Deuteronômio III. O terceiro discurso de Moisés 27.1– 30.20 A desobediência traz a maldição 27.1-26 Bênçãos e maldições 28.1-68 Os termos da aliança 29.1-30.20 IV. As palavras finais e a morte de Moisés 31.1– 34.12 Perpetuação do concerto 31.1-29 O cântico do testemunho 31.30-32.47 A bênção de Moisés sobre Israel 32.48—33.29 A Morte e a sucessão de Moisés 34.1-12
  • 19. Contexto histórico Do Egito ao Sinai foram 3 meses. Ex 19.1 A jornada desde Horebe (Sinai) até Cades-Barneia, na fronteira com Canaã, levaria apenas 11 dias, levou 40 anos, até estarem prontos para entrar na Terra Prometida. (1.2,3;2.7) Moisés tem agora 120 anos (34.7), 40 anos atrás tirara os israelitas da escravidão no Egito e guiara pelo deserto até Canaã. Depararam-se com novos inimigos, novas tentações e nova liderança.
  • 20.
  • 21. A Lei No Antigo Oriente Médio, os povos tinham dificuldade para entender e decifrar a vontade de seus deuses. Para o hebreu este problema não existia, pois seu Deus decidira se revelar a eles, e usou a lei para mostrar o que deles requeria. Para o hebreu a lei era a demonstração da graça de Deus, e era um prazer, não um fardo.
  • 22. MOISÉSMOISÉS A DIVISÃOA DIVISÃO DA LEIDA LEI MOSAICAMOSAICA LEI DE DEUSLEI DE DEUS OS 10 MANDAMENTOS OS DECRETOS DE MOISÉS LEI CIVILLEI CIVIL - INVARIÁVEIS - PARA TODOS OS TEMPOS - PARA TODOS OS PAÍSES - TEM CARÁTER DIVINO - COM O TEMPO FORAM ACRESCIDAS 613 REGRAS* http://pt.wikipedia.org/wiki/613_mandamentos - DESTINAVAM-SE A ATENDER A SITUAÇÕES CONCRETAS “AMARÁS POIS O SENHOR TEU DEUS, DE TODO O TEU CORAÇÃO, DE TODA A TUA ALMA E DE TODO O TEU PODER.” Dt 6.5; 10.12; 30.6 “(...) AMARÁS A TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMO.” Lv 19.18 Dt 22.6,7 CONSCIÊNCIA ECOLÓGICA Dt 22.8 SEGURANÇA “OS FILHOS DO SERVO SERÃO DO SEU SENHOR .” Ex 21.4 EX: EX: Dt 23.12,13 HIGIENE *Alguns estudiosos afirmam que o NT contém mais regulamentos que o AT
  • 23. O CRISTOO CRISTO COMOCOMO LEGISLADORLEGISLADOR VEIO CUMPRIRVEIO CUMPRIR A LEI DE DEUS A LEI CIVIL DE MOISÉS VEIO MODIFICARVEIO MODIFICAR - DANDO-LHE O SENTIDO DO QUAL HAVIAM SE DISTANCIADO: CONVENCER-NOS DE QUE SOMOS PECADORES. Rm 7.7 Modificou-a na forma: combateu-lhe as práticas exteriores e as falsas interpretações A questão não é mais não adulterar, mas ser fiel. Não é apenas não cobiçar, mas estar plenamente satisfeito em Deus. Não é simplesmente não matar, pois agora o cristão tem o amor de Deus em si, e ele ama até seus inimigos. Os mandamentos que antes eram negativos, agora se tornam positivos MAS EU LHES DIGO: AMEM OS SEUS INIMIGOS E OREM POR AQUELES QUE OS PERSEGUEM, Mt 5.44 “(...) AME CADA UM O SEU PRÓXIMO COMO A SI MESMO.” Lv 19.18 EX: QUALQUER INTERPRETAÇÃO OU APLICAÇÃO NÃO CONDIZENTE COM A LEI DO AMOR ESTÁ DESCARTADA
  • 24. O RELACIONAMENTO DO CRISTÃO COM A LEIO RELACIONAMENTO DO CRISTÃO COM A LEI O AT contém 613 preceitos cerimoniais, rituais e leis civis que os israelitas deviam guardar (todos estão nos livros do Ex, Lv, Nm e Dt.). A lei do AT é a aliança de Deus com seu povo. 4.13 O AT não é nosso Testamento. Parte da Velha Aliança é renovada na Nova Aliança no que tange aos princípios éticos e teológicos dos 10 mandamentos. A lei dada no AT é a Palavra de Deus, mesmo que os 613 preceitos não se apliquem à Igreja. Somente aquilo que é explicitamente renovado da lei do AT deve ser considerado “lei de Cristo”.
  • 25. 4.15 Deus não mostra sua imagem. Deus é inatingível. 5.8 Um ídolo tem relação com aquele que o faz, é uma adoração disfarçada de si mesmo pois corresponde a seus próprios interesse e crenças. Há cristãos que criam uma imagem de Deus, O tratam como um ídolo, com oferendas, sacrifícios,... nosso Deus quer obediência. 6.4,5 É a marca distintiva do judaísmo e é citado por Jesus como o “primeiro mandamento” em Mt 22.37. Amar a Deus é obedecer e praticar a sua vontade. 6.6 “estas palavras” se refere aos 10 mandamentos. 6.7,20 A responsabilidade de ensinar essas coisas ao seus filhos, não é apenas levá-los ao culto, à EBD, ... Ensinar é ler a Bíblia e ter atitudes condizentes.
  • 26. 6.8,9 Os judeus amarram filactérios (fitas) e plaquetas nos batentes com os 10 mandamentos. Há cristãos que colocam a Bíblia aberta como uma superstição. Jesus citou 6.13,16 e 10.20 quando foi tentado pelo diabo em Mt 4.1-11 e Lc 4.1-13. 8.3,2 Deus permite o sofrimento para que saibamos se o amamos pela pessoa que é ou se o amamos pelas coisas boas que nos permite ter. Saber para que se vive e como viver segundo a vontade de Deus, o “pão espiritual”, é o fundamental. 8.4 Usada por 40 anos e a roupa não gastou. 8.12,17 Nem todos podem conviver com riquezas. 12.5 Indicado por Deus: Siló, Gibeão ou Jerusalém? 13.6 Há quem se diga cristão e, por exemplo, é espírita.
  • 27. 14.1 A inicialização no candomblé é rapar a cabeça. 17.17 Ai de muitos dos nossos governantes. 18.10-11 Quem faz estas práticas quer ter acesso ao domínio do futuro e quer o poder de Deus 18.15 O profeta a ser levantado é Jesus. 18.20 Hoje não há mais profetas revelatórios. 19.2,5 Para evitar a justiça desproporcional Paulo cita 20.12-14 (Rm10.6-9) e 21.23;27.26 (Gl2.10). 26.2 Não se trata de deixar alimento para a “entidade” comer, para Deus comer. Na época não havia dinheiro, as moedas só surgiram no período persa, as pessoas levavam o que tinham de valor demonstrando que entendiam que tudo vem de Deus, e para sustentar os levitas e os necessitados.
  • 28. 27.15-26; 28.15-68 Lista pecados sociais, morais e de idolatria, que deixam Deus aborrecido, e as suas consequências, fruto do acordo com Israel. Castigos que não cabem na nova aliança. Deus é amor e também justiça, ainda hoje. 29.19,20 Há um pecado imperdoável. Mt 12.31 30.15,19,20 Temos o livre arbítrio para estar com Deus. 31.2,7 O líder se aposenta, preparara o sucessor e satisfeito o empossa e encoraja perante a nação. 31.26,29 O livro, talvez seja Deuteronômio; o “contra vocês” se deve à natureza humana. 34.6 Deus sepultou Moisés (talvez por isso apareça no monte da transfiguração) para evitar sua veneração. Encerramos o Pentateuco.
  • 29.
  • 30. • Toda a Bíblia em um ano: De Gênesis a Neemias; Dusilek, Darci; 9ª Ed. Rio de Janeiro; Ed. Horizonal, 2006 • Manual Bíblico SBB; trad. Noronha, Lailah; São Paulo; Ed. Sociedade Bíblica do Brasil; 2008 • Textos Bíblicos extraídos: Bíblia Sagrada Nova Versão Internacional; São Paulo; Ed. Vida; 2001 • Bíblia De Estudo NVI, Barker; São Paulo; Ed. Vida; 2003 • MacDonald, Willian, Comentário Bíblico Popular, São Paulo, Ed. Mundo Cristão, 1ª edição, 2008 • BRUCCE, F. F. Comentário Bíblico NVI. São Paulo, Ed. Vida, 1ª edição, 2008 • Reflexões extraídas da World Wide Web • Programa ROTA 66 – Sayão, Luiz – Rádio transmundial
  • 31. FIM “Sabemos que a Lei é boa, se alguém a usa de maneira adequada. (1 Tm 1.8). Como o versículo deixa subentendido, infelizmente, há quem empregue a lei de Deus de maneira inadequada. A lei: Revela o pecado, para nos conscientizar de que somos pecadores e necessitamos de um Salvador. Não tem o poder de nos salvar, esta é uma atribuição de Cristo e tão somente dele. Inibe a ação pecaminosa enquanto nos conduz a uma vida de santificação.
  • 33. DT 11.25 - Esta não é uma profecia falsa? PROBLEMA: Moisés disse aos filhos de Israel: "ninguém vos poderá resistir; o Senhor vosso Deus porá sobre toda terra que pisardes o vosso terror e o vosso temor, como já vos tem dito“. Mas isto parece ser falso, tanto a curto como a longo prazo. Mesmo sob a liderança de Josué, Israel perdeu algumas batalhas (Js 7.4). E a longo prazo eles foram vencidos pelos assírios (2 Rs 16.9) e pelos babilônios (2 Rs 25.22).
  • 34. SOLUÇÃO Não foi uma falsa profecia - mas uma promessa condicional. Observe-se que ela foi antecedida pela condição: "se diligentemente obedecerdes a meus mandamentos que hoje vos ordeno..." (11.13), e "se diligentemente guardardes todos estes mandamentos..." (11.22). Em resumo, não se tratava de uma profecia do que iria acontecer, mas de uma projeção condicional. Quando Israel obedecia a Deus, tornava-se invencível, por mais poderosos que fossem seus inimigos (Js 6). Mas quando o povo não obedecia a Deus, era derrotado até mesmo pelo adversário mais frágil (Js 7).
  • 35. Dt 23.1,2 Fala das qualificações necessárias para se ingressar na assembleia: politica (estado teocrático), religiosa, militar e judicial (exclui dela os eunucos). Esta proibição se torna um problema quando Jerusalém caiu nas mãos do rei babilônio, Nabucodonosor II, em 598 a.C., e os homens de Israel se tornam escravos, muitos são transformados em eunucos nas cortes e haréns da Babilônia; quando Ciro II, rei da Pérsia, em 537 a.C., invadiu a Babilônia, libertou o povo judeu que pode retornar a Jerusalém, muitos dos que retornaram eram eunucos. Pela lei estariam destituídos de sua participação política e religiosa na cidade, porém, no livro de Isaías - escrito entre 700  e 400 a.C. - é instituído um mecanismo de fuga desta regra. Is 56.3-6.
  • 36. Dt 22.5 Uma proibição ao travestir-se (crossdressing), uma prática que daria margem a toda sorte de impropriedades, tanto de ordem social como moral. A preocupação israelita é construir sua imagem que os distancie dos comportamentos comuns às populações que viviam ao seu redor. A hierogamia era o ritual do casamento entre o sacerdote com a deusa, no rito de Astarte, comum entre os fenícios e filisteus, um sacerdote se travestia com as roupas da deusa e fazia sexo com outro sacerdote em nome dela, realizando assim o casamento ritual e, com isso, garantia- se a fecundidade da terra pela boa vontade da deusa. O ponto principal desta passagem é fazer a distinção clara entre os sexos.
  • 37. DT 23.19 - Por que receber juros foi proibido para os judeus em alguns casos e não em outros? PROBLEMA: Em Ex 22.25, emprestar dinheiro a juros somente era proibido quando fosse para um pobre, mas em Dt 23.19 a proibição referia-se a quando o empréstimo era feito para qualquer outro judeu, sem distinção. Isso levanta dois problemas: 1.Por que a mudança? 2.Por que a parcialidade?
  • 38. Primeiro, a alteração feita em Deuteronômio em relação ao que Êxodo estabelecia foi necessária, pois veio a se mostrar difícil determinar quem deveria ser considerado pobre. Estendeu-se a proibição a todos os hebreus, e se assim não fosse, nenhum pobre conseguiria um empréstimo, pois acabariam sendo feitos somente àqueles que pagassem juros. Cobrar juros não foi proibido em relação a estrangeiros (não- judeus), mas somente em relação a irmãos (outros judeus). Se parece discriminatório, é apenas porque as leis que proibiam cobrar juros em relação aos pobres (ou em relação aos irmãos) constituíam um ato de benevolência estabelecido por Deus, e não precisamente uma questão de negócios. Nos negócios, tem-se direito a um razoável lucro pelo investimento feito, e como compensação ao risco de perda (pelo não pagamento) do empréstimo concedido, é justo pagar ao investidor uma certa quantia pelo risco e pelo investimento.
  • 39. Cidades de Refúgio 19.2 Eram 3 cidades para abrigar os homicidas sem ódio. Aqueles que mataram por ódio, se fossem encontrados nestas cidades seriam de lá retirados e entregues aos seus vingadores de sangue: os parentes mais próximos do assassinado, que o matariam.
  • 40. Mutilação do Corpo Proibida 14.1 Antigamente os pagãos cananeus raspavam a cabeça e se cortavam em rituais para lamentar seus mortos. Israel como nação santa não deveria identificar-se com nenhuma prática pagã.
  • 41. Dt 14.3-21 – Sobre comer carnes Pode ser que a higiene tenha sido o critério. Algumas carnes eram mais tóxicas que outras e poderiam não ser saudáveis para o consumo no deserto. Alguns animais listados como impuros são predadores e comem sangue de suas presas, portanto comer carne destes animais corromperia os israelitas. Alguns animais eram sagrados para algumas religiões pagãs como a cobra e o porco e esta associação com a idolatria os tornava imundos. O cabrito jovem não poderia ser cozido no leite de sua mãe pois seu leite era para sustentar a cria.
  • 42. DT 15.4 - Como pode esta passagem declarar que não haveria pobres entre eles, se o versículo 11 diz que sempre haveria pobres na terra? A promessa está condicionada ao povo ouvir "atentamente a voz do Senhor," seu Deus, e cuidar "em cumprir todos estes mandamentos" dados por Deus naqueles dias (15.5). Um dos mandamentos era que, se houvesse um pobre em Israel, as pessoas não deveriam endurecer o coração, mas sim abrir as mãos e emprestar-lhe dinheiro e bens suficientes para suas necessidades ("o que lhe falta“ 15.8). O versículo 11 pode ser entendido como uma afirmação de que sempre haveria pessoas em dificuldades, precisando de assistência, e que outras pessoas seriam requeridas para suprir-lhes as necessidades . Se assim se portassem o Senhor faria a terra prosperar de tal forma que sempre haveria suprimentos suficientes para que uns atendessem às necessidades de outros.
  • 43. As Testemunhas 17.5 e 19.15 Uma testemunha não era suficiente para condenar uma pessoa. Aquele que tivesse levado testemunho jogaria a primeira pedra. Se mais tarde se provasse que seu testemunho fora falso, sofreria o mesmo tipo de execução como penalidade por assassinar um inocente.
  • 44. 44 A promulgação de uma lei consiste no reconhecimento de sua autenticidade, ou seja, a condição de reconhecê-la como uma obrigação que deve ser cumprida por todos.
  • 45. 45
  • 46. 46
  • 47. O ano era 1410 a.C. O 1º sermão ocorreu no 1º dia do mês 11 (1.3) Como atravessaram o Jordão 70 dias depois, no 10º dia do mês 1 (Js 4.19), deve-se subtrair 30 dias de luto após a morte de Moisés (Dt 34.8) e se conclui que a pregação foi feita por Moisés durante os 40 dias antes de entrarem na Terra Prometida.