SlideShare uma empresa Scribd logo
Escola E/B 2,3 de Valadares
                           Ficha de Avaliação de História – 7 º ano

Nome: _______________________________________
      ______________________________________________________ Nº__ T ª ___ Data __/__/__
Classificação ________________ Prof.: _________________ Enc. de Educação : _______________
                                                                           __________



      Lê com atenção as questões que se seguem e pensa, com calma, nas
      respostas que vais dar. No final, relê tudo o que escreveste.

      1. Lê, com atenção a seguinte afirmação.


                             Entre 10 000 e 8 000 a. C.
                             verificaram
                             verificaram-se, no planeta Terra,
                             alterações      climatéricas  tão
                             significativas que viriam a mudar
                             profundamente as condições de
                             vida.

      1.1 Descreve as alterações climatéricas referidas na afirmação anterior, e
                                     climatéricas,                afirmaç
          explica de que forma favoreceu o aparecimento da agricultura em
          determinadas regiões da Terra.
         Entre 10 000 e 8000 anos a. C, o clima do nosso planeta sofreu alterações Nos
                                                                          alterações.
         continentes europeu, asiático e americano, os gelos recuaram para norte. Assim,
         o Planeta tornou-se quente e húmido. No espaço, anteriormente coberto de
         gelo, vão surgindo rios e bosques. As temperaturas ficaram mais amenas em
                                     bosques.
         zonas até aí muito frias proporcionando melhores condições de vida ao Homem.
                            frias,
         Estas condições climatéricas tornaram se muito favoráveis à prática da
                                          tornaram-se
         agricultura.
      2. Observa o mapa da figura 1.




                                                                      Fig. 1 – Região do Próximo
                                                                      Oriente onde terão surgido os
                                                                      primeiros focos de agricultura.
                                                                            1|Página
2.1 Identifica a região destacada no mapa da figura 1.
    A região destacada no mapa da figura 1 corresponde à região do Próximo
    Oriente a que os historiadores designaram de Crescente fértil.

2.2 Faz a localização geográfica pormenorizada dessa região.
    Zona do Próximo Oriente que, em forma de meia lua ou crescente que se
    estende do Egipto à Mesopotâmia, abrangendo, entre outros, os vales dos rios
    Nilo, Tigre e Eufrates. Foi aí que se deu o aparecimento da agricultura e da
    criação de gado há cerca de 8000 a.C.
3. Atenta no documento 1.
        DOC. 1
        «(…) Ora, como é que tudo começou? As comunidades
        habituadas a colher e guardar os cereais viram os grãos germinar
        e, logo, passaram a imitar a natureza, semeando a terra. (…)

                                                        G. Lafforgue, A Alta Antiguidade


3.1 Com base no documento 1, analisa o aparecimento da agricultura.
     A agricultura surgiu da observação atenta, das comunidades do Mesolítico,
     sobre os ciclos de crescimento das plantas silvestres, começando elas próprias a
     lançar as sementes à terra. E assim inventaram a agricultura.
4.   A par do aparecimento da agricultura, os primeiros agricultores
     começaram a domesticar várias espécies de animais. Refere alguns
   exemplos dos primeiros animais que foram domesticados.
   O cão foi o primeiro animal a ser domesticado mas outros se seguiram, como: a
   cabra, o carneiro, o porco, o cavalo e o boi.
5. Completa o texto que se segue relacionado com o conceito de Neolítico.
        Intervir            produtor      economia   neolítico     Homem
                alimentação   agricultura      espécies      variedades



       O que caracteriza essencialmente o neolítico é o estabelecimento
       de novas relações entre o Homem e o meio natural. O homem,
       deixando de intervir unicamente num sentido destruidor, torna-se
       produtor, modificando pela sua intervenção, o jogo da selecção
       natural das espécies animais e vegetais. Com a selecção das mais
       rentáveis variedades e a formação de novas espécies, o homem cria
       verdadeiramente, pela primeira vez, as fontes da sua alimentação.
       Então, a criação de gado e a agricultura substituem, mais ou menos
       rapidamente, a caça, a pesca e a colheita como base da economia.




                                                                         2|Página
6. Com base na figura 2, diz como é que o Homem deixou de ser recoletor e
   nómada e passou a ser produtor e sedentário?




                  Fig. 2 – Novas relações do Homem com o meio natural.
As primeiras comunidades recoletoras viviam daquilo que a natureza lhes dava.
Assim, sempre que diminuíam os recursos naturais, viam-se obrigados a deslocar-se
para outras regiões em busca de alimento. Por consequência, levavam um tipo de
vida nómada, o qual não lhes permitia ter casa fixa por não permanecerem muito
tempo no mesmo lugar. Entretanto, estes antigos grupos de caçadores recoletores
vão dar origem a comunidades de agricultores e pastores, os quais passam a
produzir os seus próprios alimentos garantindo, assim, a sua subsistência graças à
prática da agricultura, da pastorícia e da domesticação de animais. Como necessitam
de se fixar junto dos seus rebanhos e das terras que cultivam, tornam-se sedentários.

7. Como sabes, a agricultura e a pastorícia obrigaram os homens a
   desenvolver novas técnicas e instrumentos. Completa, então, o seguinte
   quadro.

                      INSTRUMENTOS            TÉCNICAS               FUNÇÃO
                                                              Transportar e armazenar
                      Vasos de cerâmica        Cerâmica
                                                                     alimentos.


                             Tear              Tecelagem         Fabricar vestuário



                             Foice              ----------       Cortar os cereais


                                                              Transportar e armazenar
                            Cestos              Cestaria
                                                                     alimentos


                              Mó                Moagem           Triturar os cereais



                           Machado             ------------      Desbravar a terra



                                                                        3|Página
8. Liga as palavras da coluna da esquerda do quadro com as informações da
   coluna da direita, de modo a obteres respostas correctas.

                        O NOVO MODELO DE ORGANIZAÇÃO SOCIAL
                      (Diferenciação social – comunidades do Neolítico)
                                                                 Neolítico
                                            A sua função era trocar os excedentes
               HOMENS                    agrícolas entre os vários aldeamentos.
                                           Protegiam as riquezas das suas regiões dos
              MULHERES                   povos das regiões menos férteis. Tornaram-se
                                                                            Tornaram
                                         aptos no manejo das armas.
                                             Responsáveis pelos rituais e pelas
             MERCADORES                  cerimónias religiosas.
                                           Dedicavam-se aos cuidados com os filhos;
                                                        se
             GUERREIROS
                                         às atividades artesanais e tarefas agrícolas.
                                           Responsáveis pelo trabalho do campo, pela
             SACERDOTES
                                         caça, pela pesca e pela pastorícia.

   9. Define os seguintes conceitos ou palavras
                                       palavras-chave:
     CONCEITOS/
                                                 DEFINIÇÃO
   PALAVRAS-CHAVE
            CHAVE
                            Grupos de menires em fila associados ao culto da
                               rupos
   •   Alinhamento
                            Natureza.
                            Pedras isoladas, colocadas verticalmente no solo,
   •   Menires
                            ligadas ao culto da Natureza.
                            Conjuntos de menires dispostos em círculo,
   •   Cromeleques          considerados lugares de culto e de reunião e, talvez,
                            observatórios astronómicos.
                            Agrupamentos de pedras ao alto cobertos por grandes
   •   Antas ou Dólmens     lages (alguns com um corredor de acesso), onde as
                            comunidades neolíticas enterravam os mortos.

   9.1 Refere o nome das construções megalíticas, legendando cada uma das
   imagens que se seguem.




   Cromeleque                     Alinhamento                Anta ou dólmen              Menir




                                                                      4|Página
10. Observa o mapa da figura 3.




                         Fig. 3


10.1 Associa a cada um dos rios que observas no mapa a respetiva civilização.
      Rio Amarelo –Civilização do Vale do Rio Indo – Civilização do Vale do Rio
      Rio Amarelo (China).                Indo (Índia).

      Rios Tigre e Eufrates –      Civilização Rio Nilo – Civilização Egípcia.
      Suméria (Mesopotâmia).


11. Preenche o crucigrama que se segue com as informações pedidas.

1. Principal dificuldade encontrada pelo Homem do Neolítico na ocupação de zonas fluviais.
2/3.Construíram-nos para tornarem possível a prática da agricultura.
5. O mesmo que preparar as terras para a prática da agricultura.
6. Fizeram-no aos pântanos.
7. A sua descoberta e, mais tarde o seu domínio, vai permitir o fabrico de instrumentos mais
    eficazes.



 1.   C    H    E   I    A S
 2.   D    I    Q U E         S
 3.   C    A N A I            S
 4.   D    E    S   B    R    A V      A R
 5.   D    R    E   N A R
 6.   M E       T   A L       U R      G I      A




                                                                              5|Página
12. Como sabes, por volta do 4º milénio a. C., os aldeamentos deram lugar às
primeiras cidades. Estas passam a desenvolver se à volta de três edifícios
                                       desenvolver-se
principais.
12.1 Que edifícios eram esses e quais eram as funções aí desempenhadas?
As cidades desenvolveram se à volta de três edifícios principais: o templo, centro da
            desenvolveram-se
vida religiosa; o palácio, centro do poder; o mercado, centro de trocas dos
produtos agrícolas e artesanais.
13. Diz o que entendes por estratificação social.
É o lugar que cada um ocupa na sociedade, o qual é estabelecido pela função que
desempenha.
14. Observa, com atenção, as figuras 4 e 5.




              Fig. 4
                                                  Fig. 5

14.1Identifica o tipo de escrita representado nas figuras 4 e 5.
Na figura 4 está representada a escrita cuneiforme e na figura 5 a escrita hieroglífica.

14. 2 Indica as civilizações que inventaram as escritas representadas em cada
uma das figuras.
A escrita cuneiforme foi inventada pela civilização suméria e a escrita hieroglífica foi
       ita
inventada pela civilização egípcia.




                                                                              Bom trabalho!
                                                                 A professora: Carla Martins
                                                                                     Mar


                                                                           6|Página

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Expansão Portuguesa
Expansão PortuguesaExpansão Portuguesa
Expansão Portuguesa
Ana Barreiros
 
Século XIV até século XVI
Século XIV até século XVISéculo XIV até século XVI
Século XIV até século XVI
Catarina Sequeira
 
O Expansionismo Europeu
O Expansionismo EuropeuO Expansionismo Europeu
O Expansionismo Europeu
pdalvares
 
Portugal Xv Xvi
Portugal Xv XviPortugal Xv Xvi
Portugal Xv Xvi
Luís Ferreira
 
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano
Caderno Pedagógico de História - 7º AnoCaderno Pedagógico de História - 7º Ano
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano
Patrícia Costa Grigório
 
1º ano expansão marítima européia e absolutismo
1º ano   expansão marítima européia e absolutismo1º ano   expansão marítima européia e absolutismo
1º ano expansão marítima européia e absolutismo
Daniel Alves Bronstrup
 
O comercio à escala mundial
O comercio à escala mundialO comercio à escala mundial
O comercio à escala mundial
Susana Simões
 
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XIIA Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
Jorge Almeida
 
O expansionismo europeu
O expansionismo europeuO expansionismo europeu
O expansionismo europeu
Espaço Emrc
 
A abertura ao mundo
A abertura ao mundoA abertura ao mundo
A abertura ao mundo
Susana Simões
 
23 os descobrimentos
23  os descobrimentos23  os descobrimentos
23 os descobrimentos
Carla Freitas
 
Historia 8ºAno
Historia 8ºAnoHistoria 8ºAno
Historia 8ºAno
rodrigoflambo1
 
Conquista de ceuta
Conquista de ceutaConquista de ceuta
Conquista de ceuta
Susana Simões
 
Expansao portuguesa
Expansao portuguesaExpansao portuguesa
Expansao portuguesa
borgia
 
1261592972 uniao iberica
1261592972 uniao iberica1261592972 uniao iberica
1261592972 uniao iberica
Pelo Siro
 
As condições da expansão portuguesa
As condições da expansão portuguesaAs condições da expansão portuguesa
As condições da expansão portuguesa
Maria Gomes
 
História resumos
História resumosHistória resumos
História resumos
meggytoscano
 
Objectivos descobrimentos
Objectivos descobrimentosObjectivos descobrimentos
Objectivos descobrimentos
Ana Pereira
 
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIVPortugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Carlos Vieira
 
A administração dos Impérios Peninulares
A administração dos Impérios PeninularesA administração dos Impérios Peninulares
A administração dos Impérios Peninulares
Susana Simões
 

Mais procurados (20)

Expansão Portuguesa
Expansão PortuguesaExpansão Portuguesa
Expansão Portuguesa
 
Século XIV até século XVI
Século XIV até século XVISéculo XIV até século XVI
Século XIV até século XVI
 
O Expansionismo Europeu
O Expansionismo EuropeuO Expansionismo Europeu
O Expansionismo Europeu
 
Portugal Xv Xvi
Portugal Xv XviPortugal Xv Xvi
Portugal Xv Xvi
 
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano
Caderno Pedagógico de História - 7º AnoCaderno Pedagógico de História - 7º Ano
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano
 
1º ano expansão marítima européia e absolutismo
1º ano   expansão marítima européia e absolutismo1º ano   expansão marítima européia e absolutismo
1º ano expansão marítima européia e absolutismo
 
O comercio à escala mundial
O comercio à escala mundialO comercio à escala mundial
O comercio à escala mundial
 
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XIIA Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
 
O expansionismo europeu
O expansionismo europeuO expansionismo europeu
O expansionismo europeu
 
A abertura ao mundo
A abertura ao mundoA abertura ao mundo
A abertura ao mundo
 
23 os descobrimentos
23  os descobrimentos23  os descobrimentos
23 os descobrimentos
 
Historia 8ºAno
Historia 8ºAnoHistoria 8ºAno
Historia 8ºAno
 
Conquista de ceuta
Conquista de ceutaConquista de ceuta
Conquista de ceuta
 
Expansao portuguesa
Expansao portuguesaExpansao portuguesa
Expansao portuguesa
 
1261592972 uniao iberica
1261592972 uniao iberica1261592972 uniao iberica
1261592972 uniao iberica
 
As condições da expansão portuguesa
As condições da expansão portuguesaAs condições da expansão portuguesa
As condições da expansão portuguesa
 
História resumos
História resumosHistória resumos
História resumos
 
Objectivos descobrimentos
Objectivos descobrimentosObjectivos descobrimentos
Objectivos descobrimentos
 
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIVPortugal no contexto europeu do Século XII a XIV
Portugal no contexto europeu do Século XII a XIV
 
A administração dos Impérios Peninulares
A administração dos Impérios PeninularesA administração dos Impérios Peninulares
A administração dos Impérios Peninulares
 

Destaque

Teste de história 7ºano
Teste de história 7ºanoTeste de história 7ºano
Teste de história 7ºano
João Couto
 
Teste 1 hist 2.º periodo
Teste 1 hist 2.º periodoTeste 1 hist 2.º periodo
Teste 1 hist 2.º periodo
emanuelcarvalhal765
 
Teste 7º ano Fenícia e Grecia 2º 2012
Teste 7º ano Fenícia e Grecia 2º 2012Teste 7º ano Fenícia e Grecia 2º 2012
Teste 7º ano Fenícia e Grecia 2º 2012
João Couto
 
Correção do Teste de Avaliação_Civilização Grega
Correção do Teste de Avaliação_Civilização GregaCorreção do Teste de Avaliação_Civilização Grega
Correção do Teste de Avaliação_Civilização Grega
Patrícia Morais
 
1.1 ossos ficha informativa (1)
1.1 ossos   ficha informativa (1)1.1 ossos   ficha informativa (1)
1.1 ossos ficha informativa (1)
Elisa Dias
 
Technology in the Travel Industry - Insights
Technology in the Travel Industry - InsightsTechnology in the Travel Industry - Insights
Technology in the Travel Industry - Insights
TTS
 
Primeiras Civilizaçoes
Primeiras CivilizaçoesPrimeiras Civilizaçoes
Primeiras Civilizaçoes
Fabio Santos
 
Correção das fichas 7 a 11 do caderno de atividadesesrp
Correção das fichas 7 a 11 do caderno de atividadesesrpCorreção das fichas 7 a 11 do caderno de atividadesesrp
Correção das fichas 7 a 11 do caderno de atividadesesrp
Geografias Geo
 
Service environment
Service environmentService environment
Service environment
Prithvi Ghag
 
2.º teste 7 a 2014 2015 - correção
2.º teste 7 a 2014 2015 - correção2.º teste 7 a 2014 2015 - correção
2.º teste 7 a 2014 2015 - correção
valtervnunes
 
Exercício Grécia 7º ano
Exercício Grécia 7º anoExercício Grécia 7º ano
Exercício Grécia 7º ano
ricardorodrigues23091988
 
4 o mundo industrializado no século xix
4   o mundo industrializado no século xix4   o mundo industrializado no século xix
4 o mundo industrializado no século xix
sofiasimao
 
Teste romanos
Teste romanosTeste romanos
Teste romanos
Nathalie Ramires
 
Fichas estudo do meio
Fichas estudo do meioFichas estudo do meio
Fichas estudo do meio
Elisabete Freitas
 
Ficha grécia
Ficha gréciaFicha grécia
Ficha grécia
Ana Barreiros
 
As primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesAs primeiras civilizações
As primeiras civilizações
inessalgado
 
Esquema resumo da vida dos primeiros povos na p.i.
Esquema resumo da vida dos primeiros povos na p.i.Esquema resumo da vida dos primeiros povos na p.i.
Esquema resumo da vida dos primeiros povos na p.i.
anacrmachado
 
Portugal,Território de Altitude Inconstante
Portugal,Território de Altitude InconstantePortugal,Território de Altitude Inconstante
Portugal,Território de Altitude Inconstante
abarros
 
Ficha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoesFicha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoes
Ana Barreiros
 
Hgp 5º ano ambiente natural da p. iberica.
Hgp 5º ano   ambiente natural da p. iberica.Hgp 5º ano   ambiente natural da p. iberica.
Hgp 5º ano ambiente natural da p. iberica.
jaugf
 

Destaque (20)

Teste de história 7ºano
Teste de história 7ºanoTeste de história 7ºano
Teste de história 7ºano
 
Teste 1 hist 2.º periodo
Teste 1 hist 2.º periodoTeste 1 hist 2.º periodo
Teste 1 hist 2.º periodo
 
Teste 7º ano Fenícia e Grecia 2º 2012
Teste 7º ano Fenícia e Grecia 2º 2012Teste 7º ano Fenícia e Grecia 2º 2012
Teste 7º ano Fenícia e Grecia 2º 2012
 
Correção do Teste de Avaliação_Civilização Grega
Correção do Teste de Avaliação_Civilização GregaCorreção do Teste de Avaliação_Civilização Grega
Correção do Teste de Avaliação_Civilização Grega
 
1.1 ossos ficha informativa (1)
1.1 ossos   ficha informativa (1)1.1 ossos   ficha informativa (1)
1.1 ossos ficha informativa (1)
 
Technology in the Travel Industry - Insights
Technology in the Travel Industry - InsightsTechnology in the Travel Industry - Insights
Technology in the Travel Industry - Insights
 
Primeiras Civilizaçoes
Primeiras CivilizaçoesPrimeiras Civilizaçoes
Primeiras Civilizaçoes
 
Correção das fichas 7 a 11 do caderno de atividadesesrp
Correção das fichas 7 a 11 do caderno de atividadesesrpCorreção das fichas 7 a 11 do caderno de atividadesesrp
Correção das fichas 7 a 11 do caderno de atividadesesrp
 
Service environment
Service environmentService environment
Service environment
 
2.º teste 7 a 2014 2015 - correção
2.º teste 7 a 2014 2015 - correção2.º teste 7 a 2014 2015 - correção
2.º teste 7 a 2014 2015 - correção
 
Exercício Grécia 7º ano
Exercício Grécia 7º anoExercício Grécia 7º ano
Exercício Grécia 7º ano
 
4 o mundo industrializado no século xix
4   o mundo industrializado no século xix4   o mundo industrializado no século xix
4 o mundo industrializado no século xix
 
Teste romanos
Teste romanosTeste romanos
Teste romanos
 
Fichas estudo do meio
Fichas estudo do meioFichas estudo do meio
Fichas estudo do meio
 
Ficha grécia
Ficha gréciaFicha grécia
Ficha grécia
 
As primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesAs primeiras civilizações
As primeiras civilizações
 
Esquema resumo da vida dos primeiros povos na p.i.
Esquema resumo da vida dos primeiros povos na p.i.Esquema resumo da vida dos primeiros povos na p.i.
Esquema resumo da vida dos primeiros povos na p.i.
 
Portugal,Território de Altitude Inconstante
Portugal,Território de Altitude InconstantePortugal,Território de Altitude Inconstante
Portugal,Território de Altitude Inconstante
 
Ficha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoesFicha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoes
 
Hgp 5º ano ambiente natural da p. iberica.
Hgp 5º ano   ambiente natural da p. iberica.Hgp 5º ano   ambiente natural da p. iberica.
Hgp 5º ano ambiente natural da p. iberica.
 

Mais de sofiasimao

15 a arte e a mentalidade barrocas
15   a arte e a mentalidade barrocas15   a arte e a mentalidade barrocas
15 a arte e a mentalidade barrocas
sofiasimao
 
2 industrialização dos eua e do japão
2   industrialização dos eua e do japão2   industrialização dos eua e do japão
2 industrialização dos eua e do japão
sofiasimao
 
O ombro de cláudia
O ombro de cláudiaO ombro de cláudia
O ombro de cláudia
sofiasimao
 
Atividades poemas sobre o inverno 1º ciclo
Atividades poemas sobre o inverno   1º cicloAtividades poemas sobre o inverno   1º ciclo
Atividades poemas sobre o inverno 1º ciclo
sofiasimao
 
O principezinho - resumo
O principezinho - resumoO principezinho - resumo
O principezinho - resumo
sofiasimao
 
Ficha de avaliação 4.doc correção
Ficha de avaliação 4.doc   correçãoFicha de avaliação 4.doc   correção
Ficha de avaliação 4.doc correção
sofiasimao
 
Ficha de trabalho a vida a bordo de uma nau
Ficha de trabalho a vida a bordo de uma nauFicha de trabalho a vida a bordo de uma nau
Ficha de trabalho a vida a bordo de uma nau
sofiasimao
 
Correção da Ficha de Avaliação 2
Correção da Ficha de Avaliação 2Correção da Ficha de Avaliação 2
Correção da Ficha de Avaliação 2
sofiasimao
 
Correção da Ficha de Avalição 2
Correção da Ficha de Avalição 2Correção da Ficha de Avalição 2
Correção da Ficha de Avalição 2
sofiasimao
 
Iberica seca, humida trabalho da patrícia - 5º j
Iberica seca, humida   trabalho da patrícia - 5º jIberica seca, humida   trabalho da patrícia - 5º j
Iberica seca, humida trabalho da patrícia - 5º j
sofiasimao
 
Vegetação p. ibérica trabalho rodrigo
Vegetação p. ibérica   trabalho rodrigoVegetação p. ibérica   trabalho rodrigo
Vegetação p. ibérica trabalho rodrigo
sofiasimao
 
Panfleto da Rute
Panfleto da RutePanfleto da Rute
Panfleto da Rute
sofiasimao
 
Panfleto do Luís Magalhães, Pedro Neto e Rui Silva
Panfleto do Luís Magalhães, Pedro Neto e Rui SilvaPanfleto do Luís Magalhães, Pedro Neto e Rui Silva
Panfleto do Luís Magalhães, Pedro Neto e Rui Silva
sofiasimao
 
Panfleto da Paula leite
Panfleto da Paula leitePanfleto da Paula leite
Panfleto da Paula leite
sofiasimao
 
Panfleto da Micaela Magalhães
Panfleto da Micaela MagalhãesPanfleto da Micaela Magalhães
Panfleto da Micaela Magalhães
sofiasimao
 
Panfleto da Marta Freire
Panfleto da Marta FreirePanfleto da Marta Freire
Panfleto da Marta Freire
sofiasimao
 
Panfleto da Flávia Carvalho e da Vânia Miranda
Panfleto da Flávia Carvalho e da Vânia MirandaPanfleto da Flávia Carvalho e da Vânia Miranda
Panfleto da Flávia Carvalho e da Vânia Miranda
sofiasimao
 
Panfleto da Andreia Barbosa, Filipa Cunha e Leonel Santos
Panfleto da Andreia Barbosa, Filipa Cunha e Leonel Santos Panfleto da Andreia Barbosa, Filipa Cunha e Leonel Santos
Panfleto da Andreia Barbosa, Filipa Cunha e Leonel Santos
sofiasimao
 
Panfleto do Bruno Dias, Everton Santos e Fábio Silva
Panfleto do Bruno Dias, Everton Santos e Fábio SilvaPanfleto do Bruno Dias, Everton Santos e Fábio Silva
Panfleto do Bruno Dias, Everton Santos e Fábio Silva
sofiasimao
 
Panfleto da Eugénia Silva, Sandra Monteiro e da Sara Pinto
Panfleto da Eugénia Silva, Sandra Monteiro e da Sara PintoPanfleto da Eugénia Silva, Sandra Monteiro e da Sara Pinto
Panfleto da Eugénia Silva, Sandra Monteiro e da Sara Pinto
sofiasimao
 

Mais de sofiasimao (20)

15 a arte e a mentalidade barrocas
15   a arte e a mentalidade barrocas15   a arte e a mentalidade barrocas
15 a arte e a mentalidade barrocas
 
2 industrialização dos eua e do japão
2   industrialização dos eua e do japão2   industrialização dos eua e do japão
2 industrialização dos eua e do japão
 
O ombro de cláudia
O ombro de cláudiaO ombro de cláudia
O ombro de cláudia
 
Atividades poemas sobre o inverno 1º ciclo
Atividades poemas sobre o inverno   1º cicloAtividades poemas sobre o inverno   1º ciclo
Atividades poemas sobre o inverno 1º ciclo
 
O principezinho - resumo
O principezinho - resumoO principezinho - resumo
O principezinho - resumo
 
Ficha de avaliação 4.doc correção
Ficha de avaliação 4.doc   correçãoFicha de avaliação 4.doc   correção
Ficha de avaliação 4.doc correção
 
Ficha de trabalho a vida a bordo de uma nau
Ficha de trabalho a vida a bordo de uma nauFicha de trabalho a vida a bordo de uma nau
Ficha de trabalho a vida a bordo de uma nau
 
Correção da Ficha de Avaliação 2
Correção da Ficha de Avaliação 2Correção da Ficha de Avaliação 2
Correção da Ficha de Avaliação 2
 
Correção da Ficha de Avalição 2
Correção da Ficha de Avalição 2Correção da Ficha de Avalição 2
Correção da Ficha de Avalição 2
 
Iberica seca, humida trabalho da patrícia - 5º j
Iberica seca, humida   trabalho da patrícia - 5º jIberica seca, humida   trabalho da patrícia - 5º j
Iberica seca, humida trabalho da patrícia - 5º j
 
Vegetação p. ibérica trabalho rodrigo
Vegetação p. ibérica   trabalho rodrigoVegetação p. ibérica   trabalho rodrigo
Vegetação p. ibérica trabalho rodrigo
 
Panfleto da Rute
Panfleto da RutePanfleto da Rute
Panfleto da Rute
 
Panfleto do Luís Magalhães, Pedro Neto e Rui Silva
Panfleto do Luís Magalhães, Pedro Neto e Rui SilvaPanfleto do Luís Magalhães, Pedro Neto e Rui Silva
Panfleto do Luís Magalhães, Pedro Neto e Rui Silva
 
Panfleto da Paula leite
Panfleto da Paula leitePanfleto da Paula leite
Panfleto da Paula leite
 
Panfleto da Micaela Magalhães
Panfleto da Micaela MagalhãesPanfleto da Micaela Magalhães
Panfleto da Micaela Magalhães
 
Panfleto da Marta Freire
Panfleto da Marta FreirePanfleto da Marta Freire
Panfleto da Marta Freire
 
Panfleto da Flávia Carvalho e da Vânia Miranda
Panfleto da Flávia Carvalho e da Vânia MirandaPanfleto da Flávia Carvalho e da Vânia Miranda
Panfleto da Flávia Carvalho e da Vânia Miranda
 
Panfleto da Andreia Barbosa, Filipa Cunha e Leonel Santos
Panfleto da Andreia Barbosa, Filipa Cunha e Leonel Santos Panfleto da Andreia Barbosa, Filipa Cunha e Leonel Santos
Panfleto da Andreia Barbosa, Filipa Cunha e Leonel Santos
 
Panfleto do Bruno Dias, Everton Santos e Fábio Silva
Panfleto do Bruno Dias, Everton Santos e Fábio SilvaPanfleto do Bruno Dias, Everton Santos e Fábio Silva
Panfleto do Bruno Dias, Everton Santos e Fábio Silva
 
Panfleto da Eugénia Silva, Sandra Monteiro e da Sara Pinto
Panfleto da Eugénia Silva, Sandra Monteiro e da Sara PintoPanfleto da Eugénia Silva, Sandra Monteiro e da Sara Pinto
Panfleto da Eugénia Silva, Sandra Monteiro e da Sara Pinto
 

Último

PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 

Correção da Ficha de avaliação 2

  • 1. Escola E/B 2,3 de Valadares Ficha de Avaliação de História – 7 º ano Nome: _______________________________________ ______________________________________________________ Nº__ T ª ___ Data __/__/__ Classificação ________________ Prof.: _________________ Enc. de Educação : _______________ __________ Lê com atenção as questões que se seguem e pensa, com calma, nas respostas que vais dar. No final, relê tudo o que escreveste. 1. Lê, com atenção a seguinte afirmação. Entre 10 000 e 8 000 a. C. verificaram verificaram-se, no planeta Terra, alterações climatéricas tão significativas que viriam a mudar profundamente as condições de vida. 1.1 Descreve as alterações climatéricas referidas na afirmação anterior, e climatéricas, afirmaç explica de que forma favoreceu o aparecimento da agricultura em determinadas regiões da Terra. Entre 10 000 e 8000 anos a. C, o clima do nosso planeta sofreu alterações Nos alterações. continentes europeu, asiático e americano, os gelos recuaram para norte. Assim, o Planeta tornou-se quente e húmido. No espaço, anteriormente coberto de gelo, vão surgindo rios e bosques. As temperaturas ficaram mais amenas em bosques. zonas até aí muito frias proporcionando melhores condições de vida ao Homem. frias, Estas condições climatéricas tornaram se muito favoráveis à prática da tornaram-se agricultura. 2. Observa o mapa da figura 1. Fig. 1 – Região do Próximo Oriente onde terão surgido os primeiros focos de agricultura. 1|Página
  • 2. 2.1 Identifica a região destacada no mapa da figura 1. A região destacada no mapa da figura 1 corresponde à região do Próximo Oriente a que os historiadores designaram de Crescente fértil. 2.2 Faz a localização geográfica pormenorizada dessa região. Zona do Próximo Oriente que, em forma de meia lua ou crescente que se estende do Egipto à Mesopotâmia, abrangendo, entre outros, os vales dos rios Nilo, Tigre e Eufrates. Foi aí que se deu o aparecimento da agricultura e da criação de gado há cerca de 8000 a.C. 3. Atenta no documento 1. DOC. 1 «(…) Ora, como é que tudo começou? As comunidades habituadas a colher e guardar os cereais viram os grãos germinar e, logo, passaram a imitar a natureza, semeando a terra. (…) G. Lafforgue, A Alta Antiguidade 3.1 Com base no documento 1, analisa o aparecimento da agricultura. A agricultura surgiu da observação atenta, das comunidades do Mesolítico, sobre os ciclos de crescimento das plantas silvestres, começando elas próprias a lançar as sementes à terra. E assim inventaram a agricultura. 4. A par do aparecimento da agricultura, os primeiros agricultores começaram a domesticar várias espécies de animais. Refere alguns exemplos dos primeiros animais que foram domesticados. O cão foi o primeiro animal a ser domesticado mas outros se seguiram, como: a cabra, o carneiro, o porco, o cavalo e o boi. 5. Completa o texto que se segue relacionado com o conceito de Neolítico. Intervir produtor economia neolítico Homem alimentação agricultura espécies variedades O que caracteriza essencialmente o neolítico é o estabelecimento de novas relações entre o Homem e o meio natural. O homem, deixando de intervir unicamente num sentido destruidor, torna-se produtor, modificando pela sua intervenção, o jogo da selecção natural das espécies animais e vegetais. Com a selecção das mais rentáveis variedades e a formação de novas espécies, o homem cria verdadeiramente, pela primeira vez, as fontes da sua alimentação. Então, a criação de gado e a agricultura substituem, mais ou menos rapidamente, a caça, a pesca e a colheita como base da economia. 2|Página
  • 3. 6. Com base na figura 2, diz como é que o Homem deixou de ser recoletor e nómada e passou a ser produtor e sedentário? Fig. 2 – Novas relações do Homem com o meio natural. As primeiras comunidades recoletoras viviam daquilo que a natureza lhes dava. Assim, sempre que diminuíam os recursos naturais, viam-se obrigados a deslocar-se para outras regiões em busca de alimento. Por consequência, levavam um tipo de vida nómada, o qual não lhes permitia ter casa fixa por não permanecerem muito tempo no mesmo lugar. Entretanto, estes antigos grupos de caçadores recoletores vão dar origem a comunidades de agricultores e pastores, os quais passam a produzir os seus próprios alimentos garantindo, assim, a sua subsistência graças à prática da agricultura, da pastorícia e da domesticação de animais. Como necessitam de se fixar junto dos seus rebanhos e das terras que cultivam, tornam-se sedentários. 7. Como sabes, a agricultura e a pastorícia obrigaram os homens a desenvolver novas técnicas e instrumentos. Completa, então, o seguinte quadro. INSTRUMENTOS TÉCNICAS FUNÇÃO Transportar e armazenar Vasos de cerâmica Cerâmica alimentos. Tear Tecelagem Fabricar vestuário Foice ---------- Cortar os cereais Transportar e armazenar Cestos Cestaria alimentos Mó Moagem Triturar os cereais Machado ------------ Desbravar a terra 3|Página
  • 4. 8. Liga as palavras da coluna da esquerda do quadro com as informações da coluna da direita, de modo a obteres respostas correctas. O NOVO MODELO DE ORGANIZAÇÃO SOCIAL (Diferenciação social – comunidades do Neolítico) Neolítico A sua função era trocar os excedentes HOMENS agrícolas entre os vários aldeamentos. Protegiam as riquezas das suas regiões dos MULHERES povos das regiões menos férteis. Tornaram-se Tornaram aptos no manejo das armas. Responsáveis pelos rituais e pelas MERCADORES cerimónias religiosas. Dedicavam-se aos cuidados com os filhos; se GUERREIROS às atividades artesanais e tarefas agrícolas. Responsáveis pelo trabalho do campo, pela SACERDOTES caça, pela pesca e pela pastorícia. 9. Define os seguintes conceitos ou palavras palavras-chave: CONCEITOS/ DEFINIÇÃO PALAVRAS-CHAVE CHAVE Grupos de menires em fila associados ao culto da rupos • Alinhamento Natureza. Pedras isoladas, colocadas verticalmente no solo, • Menires ligadas ao culto da Natureza. Conjuntos de menires dispostos em círculo, • Cromeleques considerados lugares de culto e de reunião e, talvez, observatórios astronómicos. Agrupamentos de pedras ao alto cobertos por grandes • Antas ou Dólmens lages (alguns com um corredor de acesso), onde as comunidades neolíticas enterravam os mortos. 9.1 Refere o nome das construções megalíticas, legendando cada uma das imagens que se seguem. Cromeleque Alinhamento Anta ou dólmen Menir 4|Página
  • 5. 10. Observa o mapa da figura 3. Fig. 3 10.1 Associa a cada um dos rios que observas no mapa a respetiva civilização. Rio Amarelo –Civilização do Vale do Rio Indo – Civilização do Vale do Rio Rio Amarelo (China). Indo (Índia). Rios Tigre e Eufrates – Civilização Rio Nilo – Civilização Egípcia. Suméria (Mesopotâmia). 11. Preenche o crucigrama que se segue com as informações pedidas. 1. Principal dificuldade encontrada pelo Homem do Neolítico na ocupação de zonas fluviais. 2/3.Construíram-nos para tornarem possível a prática da agricultura. 5. O mesmo que preparar as terras para a prática da agricultura. 6. Fizeram-no aos pântanos. 7. A sua descoberta e, mais tarde o seu domínio, vai permitir o fabrico de instrumentos mais eficazes. 1. C H E I A S 2. D I Q U E S 3. C A N A I S 4. D E S B R A V A R 5. D R E N A R 6. M E T A L U R G I A 5|Página
  • 6. 12. Como sabes, por volta do 4º milénio a. C., os aldeamentos deram lugar às primeiras cidades. Estas passam a desenvolver se à volta de três edifícios desenvolver-se principais. 12.1 Que edifícios eram esses e quais eram as funções aí desempenhadas? As cidades desenvolveram se à volta de três edifícios principais: o templo, centro da desenvolveram-se vida religiosa; o palácio, centro do poder; o mercado, centro de trocas dos produtos agrícolas e artesanais. 13. Diz o que entendes por estratificação social. É o lugar que cada um ocupa na sociedade, o qual é estabelecido pela função que desempenha. 14. Observa, com atenção, as figuras 4 e 5. Fig. 4 Fig. 5 14.1Identifica o tipo de escrita representado nas figuras 4 e 5. Na figura 4 está representada a escrita cuneiforme e na figura 5 a escrita hieroglífica. 14. 2 Indica as civilizações que inventaram as escritas representadas em cada uma das figuras. A escrita cuneiforme foi inventada pela civilização suméria e a escrita hieroglífica foi ita inventada pela civilização egípcia. Bom trabalho! A professora: Carla Martins Mar 6|Página