SlideShare uma empresa Scribd logo
CONTROLO DE QUALIDADE,
 SEGURANÇA E HIGIENE
    EM SOLDADURA
2   11 Maio 2007   Ligação dos Metais
Introdução

    O Controlo da Qualidade na Soldadura é necessário porque deve assegurar que operadores,
    procedimentos e equipamentos, sejam capazes de produzir soldas que cumpram as exigências
    das normas, e para garantir que a qualidade seja mantida durante a produção.


    É reconhecido que o custo da soldadura será tanto mais caro, quanto maior for o nível de
    qualidade, então maior será a necessidade de supervisão para manter essa qualidade.


    O controlo da qualidade é uma associação das responsabilidades de todas as pessoas
    envolvidas com a operação de soldadura. Ela começa com o adequado armazenamento e
    protecção do metal base, e termina com um produto final aceitável.




3                                  11 Maio 2007                          Ligação dos Metais
Normas e Especificações

    As normas e especificações, segundo as quais as soldas são realizadas, inspeccionadas e
    testadas, variam de acordo com os requisitos de serviço dos produtos soldados.
    Especificações que abrangem a soldadura para aplicações navais, aeronáuticas, tanques de
    pressão, tanques de armazenamento, equipamentos, etc., são publicadas por sociedades
    classificadoras, tais como as seguintes:
     - American Welding Society (AWS)
     - American Petroieum Institute (API)
     - American Bureau of Shipping (ABS)
     - American Society for Testing and Materiais (ASTM)
     - Canadian Standards Association (CSA)
    Além disso, o “Welding Handbook” publicado pela American Welding Society (AWS) contém
    informações muito úteis sobre controlo da qualidade em soldadura.
    Quando as especificações existentes não forem aplicáveis ao trabalho em questão, o fabricante e
    o cliente devem em comum acordo estabelecer as suas próprias normas.

4                                   11 Maio 2007                         Ligação dos Metais
Qualificação

    PROCEDIMENTOS
    Quando a soldadura segue a orientação de normas ou especificações, geralmente é necessário
    obter a qualificação dos procedimentos de soldadura e de soldadores.
    Para qualificar os procedimentos de soldadura é indispensável comprovar que as suas condições
    especificadas são capazes de proporcionar soldas sem defeitos, quando realizadas por
    soldadores competentes e efectuadas com equipamentos apropriados.




5                                  11 Maio 2007                            Ligação dos Metais
Qualificação

    SOLDADORES
    A qualificação de soldadores é conseguida por meio
    de testes, que comprovam a habilidade do soldador
    em produzir soldas sem defeitos nos vários tipos e
    posições.
    Alguns exemplos de normas e especificações para
    qualificação de soldadores são:
      - AWS B3.0 - Welding Procedure and Performance
    Qualification;
      - ASME - Section IX: Qualification Standard for
    Welding and Brazing - Procedures, Welders, Brazers
    and Welding and Brazing Operators;




6                                     11 Maio 2007       Ligação dos Metais
Factores que Influenciam a Qualidade da Solda

    Os principais factores que podem influenciar a qualidade da solda são:
     - Projecto da junta;
     - Procedimento de soldadura;
     - Preparação do metal;
     - Tipos e eficiência dos dispositivos;
     - Desempenho dos equipamentos de soldadura;
     - Qualidade dos consumíveis de soldadura;
     - Condições de trabalho na Empresa ou local de trabalho;
     - Habilidade do soldador e dedicação à qualidade.




7                                    11 Maio 2007                            Ligação dos Metais
Inspecção Não Destrutiva de Juntas Soldadas

    INSPECÇÃO VISUAL
    INSPECÇ
    Serve para verificar a qualidade de uma junta soldada, e pode ser feito à vista desarmada ou com
    o auxilio de lupa. A inspecção visual é utilizada antes e após a solda, Antes para detectar defeitos
    de geometria da junta e descontinuidades do metal base e após para detectar possíveis defeitos
    induzidos durante a soldadura.
    INSPEÇÃO RADIOGRÁFICA
    INSPEÇ   RADIOGRÁ
    Serve para determinar a presença e a natureza de defeitos ou descontinuidades estruturais no
    interior das soldas.
    INSPEÇÃO POR LÍQUIDO PENETRANTE
    INSPEÇ       LÍ
    Utiliza-se para detectar trincas e porosidade superficial e falta de fusão que se estende até a
    superfície da solda. Pode ser fluorescente e não fluorescente. O fluorescente é utilizado para
    detectar defeitos muito pequenos e o não fluorescente para detectar defeitos superficiais
    grosseiros.



8                                    11 Maio 2007                           Ligação dos Metais
Inspecção Não Destrutiva de Juntas Soldadas

    INSPEÇÃO POR ULTRA-SOM
    INSPEÇ       ULTRA-
    O ensaio por ultra-som realiza-se pela passagem de vibrações ultra-sónicas através do material,
    medindo-se o tempo de transmissão e a amplitude de reflexão dessas vibrações. Tem um “senão”
    que é o facto de ser muito mais difícil de diferenciar os vários tipos de defeitos de solda.
    É utilizado fundamentalmente para verificar a sanidade da solda, ao invés de determinar a
    natureza do defeito.




9                                    11 Maio 2007                             Ligação dos Metais
Ensaios destrutivos

     ENSAIO DE FRACTURA
     É um método muito utilizado para verificar a qualidade
     geral das soldas, sendo de simples execução, eficiente e
     económico. Pode ser feito no próprio local de trabalho.




     ENSAIO DE DOBRAMENTO
     É um método que fornece uma indicação qualitativa da
     ductilidade de uma junta soldada.
     É de rápida execução, económico e de interpretação
     relativamente simples, visto que é um teste do tipo “passa
     não passa”




10                                   11 Maio 2007                 Ligação dos Metais
Ensaios destrutivos

     ENSAIO DE TRACÇÃO
               TRACÇ
     Utiliza-se para determinar a resistência das juntas soldadas e brasadas. É         um ensaio
     relativamente caro e ainda requer que o corpo de prova seja trabalhado para que as suas
     dimensões fiquem exactamente conforme a norma de projecto e com acabamento liso.




11                                11 Maio 2007                        Ligação dos Metais
Análise Metalográfica

     MACROSCÓPICA
     MACROSCÓ
     É a observação visual de um corpo de prova preparado
     rapidamente de uma secção transversal da solda, podendo
     ser feita com ou sem auxílio de uma lupa ou microscópio
     binocular numa ampliação não mais do que cinquenta vezes.


     MICROSCÓPICA
     MICROSCÓ
     Secciona-se o local onde se deseja verificar a qualidade do
     conjunto soldado, e posteriormente faz-se a preparação desta
     secção transversal por meio de um polimento grosseiro.
     Depois, a superfície é levemente atacada com uma solução
     de hidróxido de sódio (soda cáustica) ou outro ataque químico
     próprio, para distinguir as zonas da solda e realçar os
     defeitos.

12                                  11 Maio 2007                     Ligação dos Metais
13   11 Maio 2007   Ligação dos Metais
Perigos nos Trabalhos de Soldadura

     Nesta operação está sempre presente os três elementos essenciais do fogo, que são: a fonte de
     ignição, o oxigénio, que é o responsável pela manutenção do processo de combustão, e o
     material combustível. Estes três elementos formam o Triângulo do Fogo.

     Os riscos que apresentam os trabalhos de solda variam de acordo
     com os locais onde estão a ser executados, ou seja, se o local for um
     processo de produção ou área isolada na oficina, os riscos serão
     menores e será mais fácil tomar as medidas preventivas necessárias,
     no entanto se o trabalho é uma obra ou uma reparação, esta tarefa
     torna-se difícil, pois muitas vezes não é possível afastar os materiais
     combustíveis e os líquidos inflamáveis da zona perigosa. Estes
     incêndios ou explosões podem ser provocador por efeito directo das
     chamas ou dos arcos eléctricos, por condução térmica, partículas
     incandescentes, etc…


14                                   11 Maio 2007                              Ligação dos Metais
Cuidados a Ter na Soldadura

     ANTES DO TRABALHO DEVEMOS:
     - Avaliar se existem materiais combustíveis na área.
     - Verificar se o trabalho pode ser realizado num lugar mais seguro.
     - Livrar a área de materiais combustíveis procedendo da seguinte forma:
      a) Manter os produtos sólidos pelo menos a 12 m de distância do ponto de trabalho;
      b) Manter os recipientes dos líquidos e gases inflamáveis (cheios ou vazios), a pelo menos 12m
      de distância do local de trabalho;
      c) Esvaziar e tornar inerte os reservatórios e tubagens de líquidos e gases inflamáveis;
      d) Se necessário, colocar analisadores de gases para comprovar a inexistência de vapores ou
      gases inflamáveis.
      f) Eliminar resíduos do local de trabalho e proximidades, tais como: óleos, resíduos de tinta,
      desperdícios, papel, etc.;




15                                   11 Maio 2007                           Ligação dos Metais
Cuidados a Ter na Soldadura

     - Proteger os materiais combustíveis que não puderem ser retirados cobrindo-os com lonas ou
      outras protecções incombustíveis e maus condutoras de calor, certificando-se que as partículas
      incandescentes de solda não ultrapassem as protecções e atinjam os materiais.
     - Cobrir com materiais incombustíveis e maus condutores de calor, todas as aberturas, frestas e
      buracos existentes no chão, paredes ou tecto, num raio de 12m.
     - Evitar a condução do calor através de
      tubagens e outros elementos metálicos
      onde será executado o trabalho.
     - Antes de utilizar o equipamento de trabalho,
      deve-se verificar as suas condições de
      manutenção e funcionamento.
     - Manter no local meios adequados para
      extinção de incêndios.



16                                   11 Maio 2007                         Ligação dos Metais
Cuidados a Ter na Soldadura

     DURANTE O TRABALHO:
     - No caso de existir perigo agravado, por exemplo se não for possível eliminar ou cobrir todos os
      materiais de natureza combustível, só devem ser efectuados os trabalhos na presença de
      vigilantes de incêndio. Estes vigilantes devem ter formação na área do incêndio, de preferência
      membros da equipa de intervenção da empresa, devendo estar atentos ao seguinte:
      a) A projecção das partículas incandescentes e seu efeito;
      b) A transmissão de calor por elementos metálicos;
      c) O alcance da chama;
      d) A necessidade de esfriar as superfícies e elementos metálicos afectados, capazes de
      transmitir calor por condução.
     - O maçarico ou eléctrodo deve ser posicionado de forma a que as partículas incandescentes
      tenham o menor alcance possível.
     - Não executar trabalhos de solda e similares nas proximidades de cilindros de gás.
     - Deve-se depositar as pontas de eléctrodos em recipientes com água ou areia.

17                                     11 Maio 2007                         Ligação dos Metais
Cuidados a Ter na Soldadura

     Exemplo de como as partículas incandescentes da soldadura podem incendiar materiais de
     natureza combustível em locais não visíveis.




18                                   11 Maio 2007                  Ligação dos Metais
Cuidados a Ter na Soldadura

     Exemplo do alcance das partículas incandescentes em operações de oxicorte.




19                                 11 Maio 2007                         Ligação dos Metais
Cuidados a Ter na Soldadura

     Exemplo de como soldar reservatórios
     quando no interior existem atmosferas
     explosivas.
     - Deve-se proceder à eliminação das
     atmosferas    explosivas   antes   dos
     trabalhos, enchendo os reservatórios
     com água ou inertiza-los com um gás
     inerte (por ex: dióxido de carbono ou
     azoto).




20                                  11 Maio 2007   Ligação dos Metais
Cuidados a Ter na Soldadura

     APÓS O TRABALHO:
     APÓ
     - Deve-se resfriar todos os elementos que sofreram aquecimento ou acompanhar o seu
      resfriamento até atingir a temperatura ambiente.
     - Realizar uma inspecção minuciosa nos seguintes pontos:
      a) Local onde foi realizado o trabalho;
      b) Áreas adjacentes;
      c) Os pontos atingidos pela projecção de fagulhas incandescentes;
      d) Todos os locais onde existe a possibilidade do calor ter sido transmitido.
     - Manter a inspecção contínua durante pelo menos uma hora após a conclusão do trabalho. Em
      casos especiais, fazer inspecções periódicas até pelo menos, ao dia seguinte.




21                                   11 Maio 2007                            Ligação dos Metais
Equipamentos de Protecção Individual – EPI’s

     Recomenda-se que o soldador e se for o caso seu ajudante utilize os seguintes EPI’s:
      - Máscara de soldar;
      - Avental de raspa de couro;
      - Luvas de raspa de couro;
      - Calçado de segurança com biqueira de aço ou de resina;
      - Blusão de raspa de couro para soldas sobre a cabeça;
      - A roupa deve estar livre de óleo e graxa.


      Observações:
     O local de trabalho deve ter ventilação adequada, para proteger o operador contra a inalação de
      gases e fumos metálicos nocivos à saúde. Em alguns casos a ventilação natural é suficiente,
      mas à outros que exigem sistema de ventilação forçado, cabines ou ainda máscaras de ar.




22                                   11 Maio 2007                         Ligação dos Metais
Conclusão

     Os aspectos fundamentais a considerar num trabalho de soldadura e similares são:
      1. Só executar o serviço mediante prévia autorização;
      2. No local não deve existir qualquer material combustível que possa produzir um incêndio;
      3. Manter no local um vigilante ou ajudante e equipamentos de extinção adequados;
      4. Utilizar equipamentos de boa qualidade e em perfeitas condições de uso;
      5. Operador e ajudante devem utilizar equipamentos de protecção individual adequados.




23                                  11 Maio 2007                          Ligação dos Metais
Controlo de Qualidade, Segurança e Higiene em Soldadura


     Trabalho elaborado por:




                Sérgio Paulo Lopes da Rocha




                      Engenharia de Produção e Manutenção Industrial – 2º Ano




                                                 FIM




24                                11 Maio 2007                       Ligação dos Metais

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura   nr 35Trabalho em altura   nr 35
Trabalho em altura nr 35
Josiel Leite
 
Segurança em Trabalho com Solda
Segurança em Trabalho com SoldaSegurança em Trabalho com Solda
Segurança em Trabalho com Solda
Ivon Pereira
 
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptxNR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
Leomir Borghardt
 
NR 05 CIPA - 16 HORAS 2022.pptx
NR 05 CIPA - 16 HORAS 2022.pptxNR 05 CIPA - 16 HORAS 2022.pptx
NR 05 CIPA - 16 HORAS 2022.pptx
ArenioSoares
 
Treinamento NR 18 .pptx
Treinamento NR 18  .pptxTreinamento NR 18  .pptx
Treinamento NR 18 .pptx
MarceloRodriguesdaLu2
 
Permissao para-trabalho-a-quente
Permissao para-trabalho-a-quentePermissao para-trabalho-a-quente
Permissao para-trabalho-a-quente
Jose Fernandes
 
Furadeira de impacto 1100w ingco chimas
Furadeira de impacto 1100w ingco   chimasFuradeira de impacto 1100w ingco   chimas
Furadeira de impacto 1100w ingco chimas
Chimas Indústria e Comércio
 
Acidente de trabalho com serra circular
Acidente de trabalho com serra circularAcidente de trabalho com serra circular
Acidente de trabalho com serra circular
Universidade Federal Fluminense
 
Treinamento nr 20 posto
Treinamento nr 20   postoTreinamento nr 20   posto
Treinamento nr 20 posto
Rafael Ortiz
 
86932278 apostila-de-trabalho-em-altura-16-hrs
86932278 apostila-de-trabalho-em-altura-16-hrs86932278 apostila-de-trabalho-em-altura-16-hrs
86932278 apostila-de-trabalho-em-altura-16-hrs
Lorena Incutto Bastos
 
Nr 34
Nr 34Nr 34
PGR - Programa de gerenciamento de risco - 00318 [ E 2 ].doc
PGR - Programa de gerenciamento de risco - 00318 [ E 2 ].docPGR - Programa de gerenciamento de risco - 00318 [ E 2 ].doc
PGR - Programa de gerenciamento de risco - 00318 [ E 2 ].doc
Edson Tomás de Lima
 
Treinamento_Motopoda.pptx
Treinamento_Motopoda.pptxTreinamento_Motopoda.pptx
Treinamento_Motopoda.pptx
DayanRodrigues
 
Acidente do trabalho com disco de corte cenas fortes
Acidente do trabalho com disco de corte   cenas fortesAcidente do trabalho com disco de corte   cenas fortes
Acidente do trabalho com disco de corte cenas fortes
Universidade Federal Fluminense
 
TREINAMENTO NR 18
TREINAMENTO NR 18TREINAMENTO NR 18
TREINAMENTO NR 18
SURICATASoluesemSegu
 
Ar comprimido - Segurança na operação (oficial)
Ar comprimido - Segurança na operação (oficial)Ar comprimido - Segurança na operação (oficial)
Ar comprimido - Segurança na operação (oficial)
Claudio Cesar Pontes ن
 
NR 34 SOLDA
NR 34 SOLDANR 34 SOLDA
NR 34 SOLDA
Pilar345603
 
EPI's
EPI'sEPI's
Segurança no processo de soldagem e corte
Segurança no processo de soldagem e corteSegurança no processo de soldagem e corte
Segurança no processo de soldagem e corte
Cibele Guimaraes
 
Relatório técnico Iluminação Oficina Central
Relatório técnico   Iluminação Oficina Central Relatório técnico   Iluminação Oficina Central
Relatório técnico Iluminação Oficina Central
Alexandre Grossi
 

Mais procurados (20)

Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura   nr 35Trabalho em altura   nr 35
Trabalho em altura nr 35
 
Segurança em Trabalho com Solda
Segurança em Trabalho com SoldaSegurança em Trabalho com Solda
Segurança em Trabalho com Solda
 
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptxNR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
 
NR 05 CIPA - 16 HORAS 2022.pptx
NR 05 CIPA - 16 HORAS 2022.pptxNR 05 CIPA - 16 HORAS 2022.pptx
NR 05 CIPA - 16 HORAS 2022.pptx
 
Treinamento NR 18 .pptx
Treinamento NR 18  .pptxTreinamento NR 18  .pptx
Treinamento NR 18 .pptx
 
Permissao para-trabalho-a-quente
Permissao para-trabalho-a-quentePermissao para-trabalho-a-quente
Permissao para-trabalho-a-quente
 
Furadeira de impacto 1100w ingco chimas
Furadeira de impacto 1100w ingco   chimasFuradeira de impacto 1100w ingco   chimas
Furadeira de impacto 1100w ingco chimas
 
Acidente de trabalho com serra circular
Acidente de trabalho com serra circularAcidente de trabalho com serra circular
Acidente de trabalho com serra circular
 
Treinamento nr 20 posto
Treinamento nr 20   postoTreinamento nr 20   posto
Treinamento nr 20 posto
 
86932278 apostila-de-trabalho-em-altura-16-hrs
86932278 apostila-de-trabalho-em-altura-16-hrs86932278 apostila-de-trabalho-em-altura-16-hrs
86932278 apostila-de-trabalho-em-altura-16-hrs
 
Nr 34
Nr 34Nr 34
Nr 34
 
PGR - Programa de gerenciamento de risco - 00318 [ E 2 ].doc
PGR - Programa de gerenciamento de risco - 00318 [ E 2 ].docPGR - Programa de gerenciamento de risco - 00318 [ E 2 ].doc
PGR - Programa de gerenciamento de risco - 00318 [ E 2 ].doc
 
Treinamento_Motopoda.pptx
Treinamento_Motopoda.pptxTreinamento_Motopoda.pptx
Treinamento_Motopoda.pptx
 
Acidente do trabalho com disco de corte cenas fortes
Acidente do trabalho com disco de corte   cenas fortesAcidente do trabalho com disco de corte   cenas fortes
Acidente do trabalho com disco de corte cenas fortes
 
TREINAMENTO NR 18
TREINAMENTO NR 18TREINAMENTO NR 18
TREINAMENTO NR 18
 
Ar comprimido - Segurança na operação (oficial)
Ar comprimido - Segurança na operação (oficial)Ar comprimido - Segurança na operação (oficial)
Ar comprimido - Segurança na operação (oficial)
 
NR 34 SOLDA
NR 34 SOLDANR 34 SOLDA
NR 34 SOLDA
 
EPI's
EPI'sEPI's
EPI's
 
Segurança no processo de soldagem e corte
Segurança no processo de soldagem e corteSegurança no processo de soldagem e corte
Segurança no processo de soldagem e corte
 
Relatório técnico Iluminação Oficina Central
Relatório técnico   Iluminação Oficina Central Relatório técnico   Iluminação Oficina Central
Relatório técnico Iluminação Oficina Central
 

Destaque

Noções básicas de soldadura
Noções básicas de soldaduraNoções básicas de soldadura
Noções básicas de soldadura
Ana Maria Loreto
 
Soldadura
SoldaduraSoldadura
Soldadura
SENATI
 
Soldadura
SoldaduraSoldadura
Aula mecânica e eletromecânica tecnologia da soldagem cópia
Aula mecânica e eletromecânica tecnologia da soldagem   cópiaAula mecânica e eletromecânica tecnologia da soldagem   cópia
Aula mecânica e eletromecânica tecnologia da soldagem cópia
jacqueagnet
 
1901103rev0 apostila soldagemtubulacoes
1901103rev0 apostila soldagemtubulacoes1901103rev0 apostila soldagemtubulacoes
1901103rev0 apostila soldagemtubulacoes
Luiz Carlos
 
Apresentação solda bioquímica
Apresentação solda bioquímicaApresentação solda bioquímica
Apresentação solda bioquímica
HULLES
 
1901100rev0 apostila arcosubmerso
1901100rev0 apostila arcosubmerso1901100rev0 apostila arcosubmerso
1901100rev0 apostila arcosubmerso
LukasSeize
 
Trabalho tensões residuais
Trabalho tensões residuaisTrabalho tensões residuais
Trabalho tensões residuais
David Maciel
 
ApresentaçãO
ApresentaçãOApresentaçãO
ApresentaçãO
catarina_iph
 
energia solar e geotermia
energia solar e geotermiaenergia solar e geotermia
energia solar e geotermia
Escola Básica e Secundária da Sé
 
Apostila arco submerso
Apostila arco submersoApostila arco submerso
Apostila arco submerso
Okutagawa
 
Curso de capacitación de soldadura
Curso de capacitación de soldaduraCurso de capacitación de soldadura
Curso de capacitación de soldadura
Angello Cedillo
 
Apostila de soldagem 2007
Apostila de soldagem 2007Apostila de soldagem 2007
Apostila de soldagem 2007
wellington Nascimento
 
Steel Industry
Steel IndustrySteel Industry
Steel Industry
Daniel Campos
 
Lavanderia industrial, ANEEHA, INTECNO, Hosteur Group, Catalogo Industrial
Lavanderia industrial, ANEEHA, INTECNO, Hosteur Group, Catalogo IndustrialLavanderia industrial, ANEEHA, INTECNO, Hosteur Group, Catalogo Industrial
Lavanderia industrial, ANEEHA, INTECNO, Hosteur Group, Catalogo Industrial
ANEEHA, Asociación Nacional de Empresarios de Equipamientos de Hostelería y Alimentación
 
Att00144
Att00144Att00144
El periódico virtual (capacitación)
El periódico virtual (capacitación)El periódico virtual (capacitación)
El periódico virtual (capacitación)
Parmenio Soler Espinosa
 
Norway DNV certificate
Norway DNV certificateNorway DNV certificate
Norway DNV certificate
★ Michael Ma
 
Make a terrarium mini
Make a terrarium miniMake a terrarium mini
Make a terrarium mini
Norhaizan Ramli
 
La sonrisa es remedio infalible.pps isma ju
La sonrisa es remedio infalible.pps isma juLa sonrisa es remedio infalible.pps isma ju
La sonrisa es remedio infalible.pps isma ju
joflay
 

Destaque (20)

Noções básicas de soldadura
Noções básicas de soldaduraNoções básicas de soldadura
Noções básicas de soldadura
 
Soldadura
SoldaduraSoldadura
Soldadura
 
Soldadura
SoldaduraSoldadura
Soldadura
 
Aula mecânica e eletromecânica tecnologia da soldagem cópia
Aula mecânica e eletromecânica tecnologia da soldagem   cópiaAula mecânica e eletromecânica tecnologia da soldagem   cópia
Aula mecânica e eletromecânica tecnologia da soldagem cópia
 
1901103rev0 apostila soldagemtubulacoes
1901103rev0 apostila soldagemtubulacoes1901103rev0 apostila soldagemtubulacoes
1901103rev0 apostila soldagemtubulacoes
 
Apresentação solda bioquímica
Apresentação solda bioquímicaApresentação solda bioquímica
Apresentação solda bioquímica
 
1901100rev0 apostila arcosubmerso
1901100rev0 apostila arcosubmerso1901100rev0 apostila arcosubmerso
1901100rev0 apostila arcosubmerso
 
Trabalho tensões residuais
Trabalho tensões residuaisTrabalho tensões residuais
Trabalho tensões residuais
 
ApresentaçãO
ApresentaçãOApresentaçãO
ApresentaçãO
 
energia solar e geotermia
energia solar e geotermiaenergia solar e geotermia
energia solar e geotermia
 
Apostila arco submerso
Apostila arco submersoApostila arco submerso
Apostila arco submerso
 
Curso de capacitación de soldadura
Curso de capacitación de soldaduraCurso de capacitación de soldadura
Curso de capacitación de soldadura
 
Apostila de soldagem 2007
Apostila de soldagem 2007Apostila de soldagem 2007
Apostila de soldagem 2007
 
Steel Industry
Steel IndustrySteel Industry
Steel Industry
 
Lavanderia industrial, ANEEHA, INTECNO, Hosteur Group, Catalogo Industrial
Lavanderia industrial, ANEEHA, INTECNO, Hosteur Group, Catalogo IndustrialLavanderia industrial, ANEEHA, INTECNO, Hosteur Group, Catalogo Industrial
Lavanderia industrial, ANEEHA, INTECNO, Hosteur Group, Catalogo Industrial
 
Att00144
Att00144Att00144
Att00144
 
El periódico virtual (capacitación)
El periódico virtual (capacitación)El periódico virtual (capacitación)
El periódico virtual (capacitación)
 
Norway DNV certificate
Norway DNV certificateNorway DNV certificate
Norway DNV certificate
 
Make a terrarium mini
Make a terrarium miniMake a terrarium mini
Make a terrarium mini
 
La sonrisa es remedio infalible.pps isma ju
La sonrisa es remedio infalible.pps isma juLa sonrisa es remedio infalible.pps isma ju
La sonrisa es remedio infalible.pps isma ju
 

Semelhante a Controlo da qualidade, segurança e higiene em soldadura

Soldadura
SoldaduraSoldadura
Soldadura
sr adil
 
Teste de soldabilidade
Teste de soldabilidadeTeste de soldabilidade
Teste de soldabilidade
Nayara Neres
 
Qualificaã ã-o+de+procedimento
Qualificaã ã-o+de+procedimentoQualificaã ã-o+de+procedimento
Qualificaã ã-o+de+procedimento
Anderson Santana
 
Qualificação de Procedimento
Qualificação de ProcedimentoQualificação de Procedimento
Qualificação de Procedimento
Anderson Santana
 
qualidade_em_soldagem.pdf
qualidade_em_soldagem.pdfqualidade_em_soldagem.pdf
qualidade_em_soldagem.pdf
Gabriela418994
 
Resumo ensaios
Resumo ensaiosResumo ensaios
Resumo ensaios
Marcelo Cividini
 
Slides Ensaios não destrutivos (END) em Pdf
Slides Ensaios não destrutivos (END) em PdfSlides Ensaios não destrutivos (END) em Pdf
Slides Ensaios não destrutivos (END) em Pdf
gilmarmatheus1
 
Soldageeewewedwedwedwedeeewwwwccewceem.pptx
Soldageeewewedwedwedwedeeewwwwccewceem.pptxSoldageeewewedwedwedwedeeewwwwccewceem.pptx
Soldageeewewedwedwedwedeeewwwwccewceem.pptx
engbpimenta
 
Soldageeewewedwedwedwedeeewwwwccewceem.pptx
Soldageeewewedwedwedwedeeewwwwccewceem.pptxSoldageeewewedwedwedwedeeewwwwccewceem.pptx
Soldageeewewedwedwedwedeeewwwwccewceem.pptx
engbpimenta
 
Qualifica odeprocedimento-120109075432-phpapp01 (1)
Qualifica odeprocedimento-120109075432-phpapp01 (1)Qualifica odeprocedimento-120109075432-phpapp01 (1)
Qualifica odeprocedimento-120109075432-phpapp01 (1)
Daniel Deusdete
 
Apresentação soldador
Apresentação  soldadorApresentação  soldador
Apresentação soldador
Edvaldo Alves - Network
 
Fundamentos da soldagem revisado 2a.pptx
Fundamentos da soldagem revisado 2a.pptxFundamentos da soldagem revisado 2a.pptx
Fundamentos da soldagem revisado 2a.pptx
Thiago Braga
 
Terminologia de soldagem
Terminologia de soldagemTerminologia de soldagem
Terminologia de soldagem
Jose Luiz Duarte
 
30272.pdf
30272.pdf30272.pdf
Apostila soldagem 1
Apostila soldagem 1Apostila soldagem 1
Apostila soldagem 1
tchuba
 
Nbr14842
Nbr14842Nbr14842
Nbr14842
Renaldo Adriano
 
Artigo dureza
Artigo durezaArtigo dureza
Artigo dureza
Carlos Araújo Souza
 
Procedimento soldagem
Procedimento soldagemProcedimento soldagem
Procedimento soldagem
marcelloc0
 
Edital petrobrás
Edital petrobrásEdital petrobrás
Edital petrobrás
vicarol
 
Edital petrobrás
Edital petrobrásEdital petrobrás
Edital petrobrás
vicarol
 

Semelhante a Controlo da qualidade, segurança e higiene em soldadura (20)

Soldadura
SoldaduraSoldadura
Soldadura
 
Teste de soldabilidade
Teste de soldabilidadeTeste de soldabilidade
Teste de soldabilidade
 
Qualificaã ã-o+de+procedimento
Qualificaã ã-o+de+procedimentoQualificaã ã-o+de+procedimento
Qualificaã ã-o+de+procedimento
 
Qualificação de Procedimento
Qualificação de ProcedimentoQualificação de Procedimento
Qualificação de Procedimento
 
qualidade_em_soldagem.pdf
qualidade_em_soldagem.pdfqualidade_em_soldagem.pdf
qualidade_em_soldagem.pdf
 
Resumo ensaios
Resumo ensaiosResumo ensaios
Resumo ensaios
 
Slides Ensaios não destrutivos (END) em Pdf
Slides Ensaios não destrutivos (END) em PdfSlides Ensaios não destrutivos (END) em Pdf
Slides Ensaios não destrutivos (END) em Pdf
 
Soldageeewewedwedwedwedeeewwwwccewceem.pptx
Soldageeewewedwedwedwedeeewwwwccewceem.pptxSoldageeewewedwedwedwedeeewwwwccewceem.pptx
Soldageeewewedwedwedwedeeewwwwccewceem.pptx
 
Soldageeewewedwedwedwedeeewwwwccewceem.pptx
Soldageeewewedwedwedwedeeewwwwccewceem.pptxSoldageeewewedwedwedwedeeewwwwccewceem.pptx
Soldageeewewedwedwedwedeeewwwwccewceem.pptx
 
Qualifica odeprocedimento-120109075432-phpapp01 (1)
Qualifica odeprocedimento-120109075432-phpapp01 (1)Qualifica odeprocedimento-120109075432-phpapp01 (1)
Qualifica odeprocedimento-120109075432-phpapp01 (1)
 
Apresentação soldador
Apresentação  soldadorApresentação  soldador
Apresentação soldador
 
Fundamentos da soldagem revisado 2a.pptx
Fundamentos da soldagem revisado 2a.pptxFundamentos da soldagem revisado 2a.pptx
Fundamentos da soldagem revisado 2a.pptx
 
Terminologia de soldagem
Terminologia de soldagemTerminologia de soldagem
Terminologia de soldagem
 
30272.pdf
30272.pdf30272.pdf
30272.pdf
 
Apostila soldagem 1
Apostila soldagem 1Apostila soldagem 1
Apostila soldagem 1
 
Nbr14842
Nbr14842Nbr14842
Nbr14842
 
Artigo dureza
Artigo durezaArtigo dureza
Artigo dureza
 
Procedimento soldagem
Procedimento soldagemProcedimento soldagem
Procedimento soldagem
 
Edital petrobrás
Edital petrobrásEdital petrobrás
Edital petrobrás
 
Edital petrobrás
Edital petrobrásEdital petrobrás
Edital petrobrás
 

Mais de Sérgio Rocha

World Wide Web
World Wide WebWorld Wide Web
World Wide Web
Sérgio Rocha
 
Web services
Web servicesWeb services
Web services
Sérgio Rocha
 
Versões do windows
Versões do windowsVersões do windows
Versões do windows
Sérgio Rocha
 
HTML
HTMLHTML
XML
XMLXML
http
httphttp
Criminalidade informatica (sabotagem)
Criminalidade informatica (sabotagem)Criminalidade informatica (sabotagem)
Criminalidade informatica (sabotagem)
Sérgio Rocha
 
Trabalho prático de pneumática
Trabalho prático de pneumáticaTrabalho prático de pneumática
Trabalho prático de pneumática
Sérgio Rocha
 
Trabalho de convecção natural
Trabalho de convecção naturalTrabalho de convecção natural
Trabalho de convecção natural
Sérgio Rocha
 
Trabalho de climatização (cálculo de caudais)
Trabalho de climatização (cálculo de caudais)Trabalho de climatização (cálculo de caudais)
Trabalho de climatização (cálculo de caudais)
Sérgio Rocha
 
Reflexão sobre pr np4428
Reflexão sobre pr np4428Reflexão sobre pr np4428
Reflexão sobre pr np4428
Sérgio Rocha
 
ética e deontologia profissional
ética e deontologia profissionalética e deontologia profissional
ética e deontologia profissional
Sérgio Rocha
 
Energia fotovoltaica
Energia fotovoltaicaEnergia fotovoltaica
Energia fotovoltaica
Sérgio Rocha
 
Dimensionamento de pilar(es) de suporte de um passadiço
Dimensionamento de pilar(es) de suporte de um passadiçoDimensionamento de pilar(es) de suporte de um passadiço
Dimensionamento de pilar(es) de suporte de um passadiço
Sérgio Rocha
 
Cork in aerospace
Cork in aerospaceCork in aerospace
Cork in aerospace
Sérgio Rocha
 
A cortiça
A cortiçaA cortiça
A cortiça
Sérgio Rocha
 
Water on fire
Water on fireWater on fire
Water on fire
Sérgio Rocha
 
Projecto de uma estrutura metálica (apresentação)
Projecto de uma estrutura metálica  (apresentação)Projecto de uma estrutura metálica  (apresentação)
Projecto de uma estrutura metálica (apresentação)
Sérgio Rocha
 
Leis fundamentais da dinâmica dos fluidos
Leis fundamentais da dinâmica dos fluidosLeis fundamentais da dinâmica dos fluidos
Leis fundamentais da dinâmica dos fluidos
Sérgio Rocha
 
ética e deontologia profissional (apresentação)
ética e deontologia profissional  (apresentação)ética e deontologia profissional  (apresentação)
ética e deontologia profissional (apresentação)
Sérgio Rocha
 

Mais de Sérgio Rocha (20)

World Wide Web
World Wide WebWorld Wide Web
World Wide Web
 
Web services
Web servicesWeb services
Web services
 
Versões do windows
Versões do windowsVersões do windows
Versões do windows
 
HTML
HTMLHTML
HTML
 
XML
XMLXML
XML
 
http
httphttp
http
 
Criminalidade informatica (sabotagem)
Criminalidade informatica (sabotagem)Criminalidade informatica (sabotagem)
Criminalidade informatica (sabotagem)
 
Trabalho prático de pneumática
Trabalho prático de pneumáticaTrabalho prático de pneumática
Trabalho prático de pneumática
 
Trabalho de convecção natural
Trabalho de convecção naturalTrabalho de convecção natural
Trabalho de convecção natural
 
Trabalho de climatização (cálculo de caudais)
Trabalho de climatização (cálculo de caudais)Trabalho de climatização (cálculo de caudais)
Trabalho de climatização (cálculo de caudais)
 
Reflexão sobre pr np4428
Reflexão sobre pr np4428Reflexão sobre pr np4428
Reflexão sobre pr np4428
 
ética e deontologia profissional
ética e deontologia profissionalética e deontologia profissional
ética e deontologia profissional
 
Energia fotovoltaica
Energia fotovoltaicaEnergia fotovoltaica
Energia fotovoltaica
 
Dimensionamento de pilar(es) de suporte de um passadiço
Dimensionamento de pilar(es) de suporte de um passadiçoDimensionamento de pilar(es) de suporte de um passadiço
Dimensionamento de pilar(es) de suporte de um passadiço
 
Cork in aerospace
Cork in aerospaceCork in aerospace
Cork in aerospace
 
A cortiça
A cortiçaA cortiça
A cortiça
 
Water on fire
Water on fireWater on fire
Water on fire
 
Projecto de uma estrutura metálica (apresentação)
Projecto de uma estrutura metálica  (apresentação)Projecto de uma estrutura metálica  (apresentação)
Projecto de uma estrutura metálica (apresentação)
 
Leis fundamentais da dinâmica dos fluidos
Leis fundamentais da dinâmica dos fluidosLeis fundamentais da dinâmica dos fluidos
Leis fundamentais da dinâmica dos fluidos
 
ética e deontologia profissional (apresentação)
ética e deontologia profissional  (apresentação)ética e deontologia profissional  (apresentação)
ética e deontologia profissional (apresentação)
 

Controlo da qualidade, segurança e higiene em soldadura

  • 1. CONTROLO DE QUALIDADE, SEGURANÇA E HIGIENE EM SOLDADURA
  • 2. 2 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 3. Introdução O Controlo da Qualidade na Soldadura é necessário porque deve assegurar que operadores, procedimentos e equipamentos, sejam capazes de produzir soldas que cumpram as exigências das normas, e para garantir que a qualidade seja mantida durante a produção. É reconhecido que o custo da soldadura será tanto mais caro, quanto maior for o nível de qualidade, então maior será a necessidade de supervisão para manter essa qualidade. O controlo da qualidade é uma associação das responsabilidades de todas as pessoas envolvidas com a operação de soldadura. Ela começa com o adequado armazenamento e protecção do metal base, e termina com um produto final aceitável. 3 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 4. Normas e Especificações As normas e especificações, segundo as quais as soldas são realizadas, inspeccionadas e testadas, variam de acordo com os requisitos de serviço dos produtos soldados. Especificações que abrangem a soldadura para aplicações navais, aeronáuticas, tanques de pressão, tanques de armazenamento, equipamentos, etc., são publicadas por sociedades classificadoras, tais como as seguintes: - American Welding Society (AWS) - American Petroieum Institute (API) - American Bureau of Shipping (ABS) - American Society for Testing and Materiais (ASTM) - Canadian Standards Association (CSA) Além disso, o “Welding Handbook” publicado pela American Welding Society (AWS) contém informações muito úteis sobre controlo da qualidade em soldadura. Quando as especificações existentes não forem aplicáveis ao trabalho em questão, o fabricante e o cliente devem em comum acordo estabelecer as suas próprias normas. 4 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 5. Qualificação PROCEDIMENTOS Quando a soldadura segue a orientação de normas ou especificações, geralmente é necessário obter a qualificação dos procedimentos de soldadura e de soldadores. Para qualificar os procedimentos de soldadura é indispensável comprovar que as suas condições especificadas são capazes de proporcionar soldas sem defeitos, quando realizadas por soldadores competentes e efectuadas com equipamentos apropriados. 5 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 6. Qualificação SOLDADORES A qualificação de soldadores é conseguida por meio de testes, que comprovam a habilidade do soldador em produzir soldas sem defeitos nos vários tipos e posições. Alguns exemplos de normas e especificações para qualificação de soldadores são: - AWS B3.0 - Welding Procedure and Performance Qualification; - ASME - Section IX: Qualification Standard for Welding and Brazing - Procedures, Welders, Brazers and Welding and Brazing Operators; 6 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 7. Factores que Influenciam a Qualidade da Solda Os principais factores que podem influenciar a qualidade da solda são: - Projecto da junta; - Procedimento de soldadura; - Preparação do metal; - Tipos e eficiência dos dispositivos; - Desempenho dos equipamentos de soldadura; - Qualidade dos consumíveis de soldadura; - Condições de trabalho na Empresa ou local de trabalho; - Habilidade do soldador e dedicação à qualidade. 7 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 8. Inspecção Não Destrutiva de Juntas Soldadas INSPECÇÃO VISUAL INSPECÇ Serve para verificar a qualidade de uma junta soldada, e pode ser feito à vista desarmada ou com o auxilio de lupa. A inspecção visual é utilizada antes e após a solda, Antes para detectar defeitos de geometria da junta e descontinuidades do metal base e após para detectar possíveis defeitos induzidos durante a soldadura. INSPEÇÃO RADIOGRÁFICA INSPEÇ RADIOGRÁ Serve para determinar a presença e a natureza de defeitos ou descontinuidades estruturais no interior das soldas. INSPEÇÃO POR LÍQUIDO PENETRANTE INSPEÇ LÍ Utiliza-se para detectar trincas e porosidade superficial e falta de fusão que se estende até a superfície da solda. Pode ser fluorescente e não fluorescente. O fluorescente é utilizado para detectar defeitos muito pequenos e o não fluorescente para detectar defeitos superficiais grosseiros. 8 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 9. Inspecção Não Destrutiva de Juntas Soldadas INSPEÇÃO POR ULTRA-SOM INSPEÇ ULTRA- O ensaio por ultra-som realiza-se pela passagem de vibrações ultra-sónicas através do material, medindo-se o tempo de transmissão e a amplitude de reflexão dessas vibrações. Tem um “senão” que é o facto de ser muito mais difícil de diferenciar os vários tipos de defeitos de solda. É utilizado fundamentalmente para verificar a sanidade da solda, ao invés de determinar a natureza do defeito. 9 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 10. Ensaios destrutivos ENSAIO DE FRACTURA É um método muito utilizado para verificar a qualidade geral das soldas, sendo de simples execução, eficiente e económico. Pode ser feito no próprio local de trabalho. ENSAIO DE DOBRAMENTO É um método que fornece uma indicação qualitativa da ductilidade de uma junta soldada. É de rápida execução, económico e de interpretação relativamente simples, visto que é um teste do tipo “passa não passa” 10 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 11. Ensaios destrutivos ENSAIO DE TRACÇÃO TRACÇ Utiliza-se para determinar a resistência das juntas soldadas e brasadas. É um ensaio relativamente caro e ainda requer que o corpo de prova seja trabalhado para que as suas dimensões fiquem exactamente conforme a norma de projecto e com acabamento liso. 11 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 12. Análise Metalográfica MACROSCÓPICA MACROSCÓ É a observação visual de um corpo de prova preparado rapidamente de uma secção transversal da solda, podendo ser feita com ou sem auxílio de uma lupa ou microscópio binocular numa ampliação não mais do que cinquenta vezes. MICROSCÓPICA MICROSCÓ Secciona-se o local onde se deseja verificar a qualidade do conjunto soldado, e posteriormente faz-se a preparação desta secção transversal por meio de um polimento grosseiro. Depois, a superfície é levemente atacada com uma solução de hidróxido de sódio (soda cáustica) ou outro ataque químico próprio, para distinguir as zonas da solda e realçar os defeitos. 12 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 13. 13 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 14. Perigos nos Trabalhos de Soldadura Nesta operação está sempre presente os três elementos essenciais do fogo, que são: a fonte de ignição, o oxigénio, que é o responsável pela manutenção do processo de combustão, e o material combustível. Estes três elementos formam o Triângulo do Fogo. Os riscos que apresentam os trabalhos de solda variam de acordo com os locais onde estão a ser executados, ou seja, se o local for um processo de produção ou área isolada na oficina, os riscos serão menores e será mais fácil tomar as medidas preventivas necessárias, no entanto se o trabalho é uma obra ou uma reparação, esta tarefa torna-se difícil, pois muitas vezes não é possível afastar os materiais combustíveis e os líquidos inflamáveis da zona perigosa. Estes incêndios ou explosões podem ser provocador por efeito directo das chamas ou dos arcos eléctricos, por condução térmica, partículas incandescentes, etc… 14 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 15. Cuidados a Ter na Soldadura ANTES DO TRABALHO DEVEMOS: - Avaliar se existem materiais combustíveis na área. - Verificar se o trabalho pode ser realizado num lugar mais seguro. - Livrar a área de materiais combustíveis procedendo da seguinte forma: a) Manter os produtos sólidos pelo menos a 12 m de distância do ponto de trabalho; b) Manter os recipientes dos líquidos e gases inflamáveis (cheios ou vazios), a pelo menos 12m de distância do local de trabalho; c) Esvaziar e tornar inerte os reservatórios e tubagens de líquidos e gases inflamáveis; d) Se necessário, colocar analisadores de gases para comprovar a inexistência de vapores ou gases inflamáveis. f) Eliminar resíduos do local de trabalho e proximidades, tais como: óleos, resíduos de tinta, desperdícios, papel, etc.; 15 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 16. Cuidados a Ter na Soldadura - Proteger os materiais combustíveis que não puderem ser retirados cobrindo-os com lonas ou outras protecções incombustíveis e maus condutoras de calor, certificando-se que as partículas incandescentes de solda não ultrapassem as protecções e atinjam os materiais. - Cobrir com materiais incombustíveis e maus condutores de calor, todas as aberturas, frestas e buracos existentes no chão, paredes ou tecto, num raio de 12m. - Evitar a condução do calor através de tubagens e outros elementos metálicos onde será executado o trabalho. - Antes de utilizar o equipamento de trabalho, deve-se verificar as suas condições de manutenção e funcionamento. - Manter no local meios adequados para extinção de incêndios. 16 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 17. Cuidados a Ter na Soldadura DURANTE O TRABALHO: - No caso de existir perigo agravado, por exemplo se não for possível eliminar ou cobrir todos os materiais de natureza combustível, só devem ser efectuados os trabalhos na presença de vigilantes de incêndio. Estes vigilantes devem ter formação na área do incêndio, de preferência membros da equipa de intervenção da empresa, devendo estar atentos ao seguinte: a) A projecção das partículas incandescentes e seu efeito; b) A transmissão de calor por elementos metálicos; c) O alcance da chama; d) A necessidade de esfriar as superfícies e elementos metálicos afectados, capazes de transmitir calor por condução. - O maçarico ou eléctrodo deve ser posicionado de forma a que as partículas incandescentes tenham o menor alcance possível. - Não executar trabalhos de solda e similares nas proximidades de cilindros de gás. - Deve-se depositar as pontas de eléctrodos em recipientes com água ou areia. 17 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 18. Cuidados a Ter na Soldadura Exemplo de como as partículas incandescentes da soldadura podem incendiar materiais de natureza combustível em locais não visíveis. 18 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 19. Cuidados a Ter na Soldadura Exemplo do alcance das partículas incandescentes em operações de oxicorte. 19 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 20. Cuidados a Ter na Soldadura Exemplo de como soldar reservatórios quando no interior existem atmosferas explosivas. - Deve-se proceder à eliminação das atmosferas explosivas antes dos trabalhos, enchendo os reservatórios com água ou inertiza-los com um gás inerte (por ex: dióxido de carbono ou azoto). 20 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 21. Cuidados a Ter na Soldadura APÓS O TRABALHO: APÓ - Deve-se resfriar todos os elementos que sofreram aquecimento ou acompanhar o seu resfriamento até atingir a temperatura ambiente. - Realizar uma inspecção minuciosa nos seguintes pontos: a) Local onde foi realizado o trabalho; b) Áreas adjacentes; c) Os pontos atingidos pela projecção de fagulhas incandescentes; d) Todos os locais onde existe a possibilidade do calor ter sido transmitido. - Manter a inspecção contínua durante pelo menos uma hora após a conclusão do trabalho. Em casos especiais, fazer inspecções periódicas até pelo menos, ao dia seguinte. 21 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 22. Equipamentos de Protecção Individual – EPI’s Recomenda-se que o soldador e se for o caso seu ajudante utilize os seguintes EPI’s: - Máscara de soldar; - Avental de raspa de couro; - Luvas de raspa de couro; - Calçado de segurança com biqueira de aço ou de resina; - Blusão de raspa de couro para soldas sobre a cabeça; - A roupa deve estar livre de óleo e graxa. Observações: O local de trabalho deve ter ventilação adequada, para proteger o operador contra a inalação de gases e fumos metálicos nocivos à saúde. Em alguns casos a ventilação natural é suficiente, mas à outros que exigem sistema de ventilação forçado, cabines ou ainda máscaras de ar. 22 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 23. Conclusão Os aspectos fundamentais a considerar num trabalho de soldadura e similares são: 1. Só executar o serviço mediante prévia autorização; 2. No local não deve existir qualquer material combustível que possa produzir um incêndio; 3. Manter no local um vigilante ou ajudante e equipamentos de extinção adequados; 4. Utilizar equipamentos de boa qualidade e em perfeitas condições de uso; 5. Operador e ajudante devem utilizar equipamentos de protecção individual adequados. 23 11 Maio 2007 Ligação dos Metais
  • 24. Controlo de Qualidade, Segurança e Higiene em Soldadura Trabalho elaborado por: Sérgio Paulo Lopes da Rocha Engenharia de Produção e Manutenção Industrial – 2º Ano FIM 24 11 Maio 2007 Ligação dos Metais