SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 114
Baixar para ler offline
Ecologia de Populações
Começo da Viagem

Prof. Dr. Harold Gordon Fowler
popecologia@hotmail.com
Disciplina de Ecologia de
Populações – 90 horas
A lista de presença será
assinada na frente da aula –
não faço chamada!
A sua presencia é obrigatória
por lei federal então não
tente de me convencer por
que faltou.
Ecologia de Populações

As leituras obrigatórias
para as aulas estão no site.
Leia antes da aula. A aula
somente trata o resumo da
matéria mas vocês ficam
responsáveis pelo conteúdo.
Frequência
Não chamo a lista de alunos para registrar
a frequência, mas o aluno assina

A frequência é ao sucesso na disciplina

Se faltar aula pode diminuir sua nota final
É de responsabilidade do aluno para obter
a matéria da aula de outro aluno

Ecologia de Populações
Faltas

A presença é lei federal.
Não tenho como inverter essa regra, e
independente de sua nota será reprovada, sem
direto de reposição!
Algumas práticas serão desenvolvidas ao fim das
aulas e por isso se falta não pode entregar as
tarefas.
Se falta 20% da carga da disciplina, será
reprovado. Por isso…
Não falte!!!
Ecologia de Populações
Obrigatório:
– o uso de um caderno de
campo (15%) da nota final
– Testes semanais (30%) da
nota final colocado no
Internet por uma semana
– Tarefas de casa (30%) a
serem entregues por e-mail
ou formulário eletrônico
– Relatórios de campo e de
laboratório (25%) a serem
entregues por e-mail ou
formulário eletrônico
Ecologia de Populações
Avaliação
A avaliação tenta saber onde você está,
quanto procurou respostas, a dedicação
e pontualidade demonstrada, e sua
capacidade de interagir com suas
colegas. Atribuo as notas merecidas!
Escala de notas:
– 9,0 – 10,0 excepcional
– 7,0 – 8,9 bom
– 5,0 – 6,9 pode melhor muito
– ,5,0 reprovado
As notas se baseiam no acumulo de pontos
durante a disciplina.

Ecologia de Populações
Sisgrad
Ao receber tarefa, relatório, prova ou outro as
notas serão registradas no Sisgrad.
A maioria dessas serão entregues por via
eletrônica. Verifico sempre se chegou seu
trabalho.
Se sua nota não apareça no Sisgrad, procura o
professor ou manda um e-mail.

Ecologia de Populações
Lembre:
– o entrega de tarefas, provas
e relatórios somente será
aceito pelo e-mail:
popecologia@hotmail.com e
somente um por envio de email com seu nome, ra, e titulo
do material entregue.
– Qualquer entrega fora de
data final ou mais de um
trabalho por envio, ou sem
seu nome, ra, e titulo serão
devolvido e não corrigido

Ecologia de Populações

As leituras obrigatórias
para as aulas estão no site.
Leia antes da aula. A aula
somente trata o resumo da
matéria mas vocês ficam
responsáveis pelo conteúdo.
Lembrete:
– o material para cada aula
está disponível em pdf no site
do disciplina. Leia o material
antes da aula. Existe mais
material que será passada em
cada aula, mas você é
responsável para seu
conteúdo. Também o mesmo
para as leituras semanais e o
texto.
– Você será cobrado pelo seu
entendimento de Darwin e por
isso estude
Ecologia de Populações

As leituras obrigatórias
para as aulas estão no site.
Leia antes da aula. A aula
somente trata o resumo da
matéria mas vocês ficam
responsáveis pelo conteúdo.
Obrigatório:
– excursão ao pantanal de uma
semana
– Apresentação de caderneta
de vacinação de febre
amarela junto com todas as
outras vacinações que
precisam estar em dia para a
excursão

Ecologia de Populações

As leituras obrigatórias
para as aulas estão no site.
Leia antes da aula. A aula
somente trata o resumo da
matéria mas vocês ficam
responsáveis para o
conteúdo.
Material de Excursões
Ecologia de Populações
Obrigatório:
para embarcar na excursão
precisa levar seu RG,
caderneta de vacinação,
caderno de campo e uma
caneta com tinta nanquim

Se você tem problemas de
saúde ou dieta avise logo.
Não é um lugar para
vegetarianos!
Ecologia de Populações

Lembre de pesquisar o
campo antes de sair,
especialmente a
geografia, fauna e a
previsão do tempo
Premissa de Maturidade
Todo aluno é presumido ser adulto e deve ter um
decoro e comportamento de adulto.
Todo aluno deve ser familiarizado com os
requerimentos da disciplina.
O aluno não será lembrado das datas de entrega
das avaliações e tarefas que ficam no site da
disciplina.
É obrigatório ler a matéria semanal e
recomendada.
O aluno deve fazer todas as tarefas, relatórios
e avaliações obrigatórios.
Ecologia de Populações
Caderno de aula e leituras
Para aprender bom nessa disciplina deve
manter um caderno das aulas, e ler o
material suplementar disponível no
internet.
Durante sua progressão na universidade e
carreira futura, a importância de
anotações claras e boas fica evidente.
Lembre que você aprende a aprender na
faculdade. A vida inteira é uma
aprendizagem.

Ecologia de Populações
Responsabilidade
Traz todo que precisa a aula.
Fique atento as datas de entrega e
sempre entrega antes da data.
Todos os trabalhos serão informados
por e-mail particular e colocado no
site da disciplina.

Ecologia de Populações
Comportamento Geral
Seja uma pessoa que resolve problemas

– Corrige os problemas rapidamente e
pacificamente antes de que esses escalam.

Seja pontual

– Fique pronto ao começar a aula.

Seja preparado

– Le os matérias antes da aula e fique
atento as datas máximas de entrega.

Seja educado e positivo

– Fale em voz normal, e escute com atenção.

Seja produtiva

– Entregue os trabalhos pontualmente,
sempre tenta melhorar.

Ecologia de Populações
Procedimentos na aula

Cada dia, entre a sala e sente. Não converse
durante a aula.
Se precisa de ajuda, levanta a mão e espera ser
chamado.
Se precisa sair da aula, seja discreto.
Ao fim da aula, ordena as cadeiras, jogo o
necessário no lixo, guardar qualquer material
ou equipamento usado, e espero que o
professor autorize sua saída.

Ecologia de Populações
Mais

Não coma na aula. Existem muitos
insetos para assegurar sua
segurança..
Fique na carteira, e por favor não no
fundo da aula durante a aula.
As tarefas e projetos principais (mas
não as práticas) podem ser
reenviados (tal vez, se estou bom).
Receberão uma dedução de 10%.
Se perda uma prática não tem saída. Não há
reposições.

Ecologia de Populações
Participação na Aula
Espero que os alunos participam na aula
A educação não é uma via única
A matéria da disciplina pode ser complexa
e requer clarificação
Os alunos devem fazer perguntas

Ecologia de Populações
Participação
A participação e toda!
Se presta atenção, se esforça, e se envolve faço
todo possível para que você ter sucesso.
Seja envolvido e posso garantir que terá sucesso
na disciplina.
Posso também atribuir, a minha discrição, notas
de participação. Por isso,
seja enfocada e segue as instruções.

Ecologia de Populações
Requerimentos Tardios ou
Faltantes

As entregas tardias sofrerão a redução de
15% da nota por dia até 3 dias

As avaliações são para fazer em casa e por
isso extensão da data de entrega não
existe
Absolutamente nenhuma extensão
será dado para a entrega do
material
Ecologia de Populações
Tangentes Programadas

Durante o semestre, um marco comum será
usada.
Serão perguntados

Quais são as observações ou teorias implícitas ou
explícitas?
Qual hipótese pode ser lançada?
Seria possível fazer um experimento para testar a
hipótese?
Registre os resultados.

Uma teste por semana será disponibilizado para
fazer antes da aula com as leituras
recomendadas.
Ecologia de Populações

23
Atraso de entrega
Para cada dia de atraso de tarefa, haverá uma
redução de 15% da nota que você receberia se
tinha entregado no prazo.
Após três dias, não receberá nota para a
tarefa.

Ecologia de Populações
Atos Divinos
É raro mas coisas terríveis possam
acontecer
Se tal evento aconteça não espera até o
fim do semestre para lidar com ele

Ecologia de Populações
Privacide
Nada relacionado a notas, avaliações, ou
qualquer outro requerimento será
discutido via email – sem exceção
As notas e outras duvidas somente será
discutida em pessoa após a aula

Ecologia de Populações
Decoro na Aula
Favor chegar a hora
Favor não conversar na aula
Favor desligar qualquer aparelha que faz som
Favor não ler jornal, dormir, enviar mensagem
de texto ou fazer matéria para outras
disciplinas durante a aula
O respeito mutuo e educação são requeridos na
aula sempre
As violações do decoro apropriado para
a aula podem resultar em penalidades

Ecologia de Populações
Honestidade Acadêmica
Qualquer tipo de plágio não será tolerado.
Qualquer aluno que comete qualquer violação de
qualquer requerimento receberá a nota de 0 e seu
comportamento será comunicado para o conselho do
curso
O professor reserva o direito para aplicar a
penalidade máxima independe do valor de qualquer
tarefa, relatório ou avaliação

Ecologia de Populações
Honestidade Acadêmica
Se tem dúvida o que constitua a desonestidade
acadêmica, favor consultar o professor.
A ignorância de que é plágio não serve como
desculpa para as violações
Muitas coisas que são aceitáveis na escola
secundaria não são permitidas na universidade
Se tem perguntas sobre o plagio, pergunte e não
usa a premissa que está certo

Ecologia de Populações
O principal

• Honestidade: Trapaceias e plágio não
são aceitáveis. Coisas horríveis
acontece se você faz qualquer desses
dois.
• Telefones celulares: Não permitidos.
Se você usa na aula, posso pegar o
celular para dar a meus cachorros que
sempre comem seus celulares.
• Respeito: Todo entra sob o respeito,
que precisa demonstrar a instituição, o
curso, o professor e seus colegas.

Ecologia de Populações
Promova a Aprendizagem
Vital

Pode desenvolver atributos vitais de
aprendizagem:

– Demonstrando curiosidade sobre a natureza
humana e como funciona o mundo.
– Procurando e valorizando a diversidade.
– Persistindo na procura de soluções novas.
– Usando seus talentos e inteligências únicos
para promover uma mudança positiva.
– Aprendendo e aplicando ferramentas e
tecnologias para resolver problemas.

Ecologia de Populações
Meu compromisso

Confio em você até que me de razão de
não confiar.
Demonstrará respeito em você e ajudará
você resolver problemas.
Tentará corrigir e oferecer feedback
sobre seus trabalhos.
Trabalhará com você para atingir suas
metas de aprendizagem.
Se necessário, oferecerá trabalhos
alternativos ou assistência extra.
Ecologia de Populações
Pense em isso!
Afirmação: Um fungo induz as moscas de
estrumem de escolher o lugar apropriado
e pousar para morrer de forma que a
dispersão do fundo é favorecida
D. P. Maitland A Parasitic Fungus Infecting
Yellow Dungflies manipulates Host Perching
Behavior. Proceedings of the Royal
Society, B, 258 (1352) 187-193 (1994)

Ecologia de Populações
Quais organismos existem
atualmente?
Onde estamos?

Ecologia de Populações
Verdadeiro ou falso?
No fundo do mar existe um grupo de
vermes que sobrevivem sem boca, sem
estomago e sem intestino

Ecologia de Populações
Verdadeiro!

Os tubelifeiros são
abundantes nos
escapes hidrotermais
do mar profundo e
hospedem bactéria
hospedeira em
células especiais
(285 bilhões de
bactéria/30 mg de
tecido).

Ecologia de Populações

A bactéria captura a
energia por reações de
redução e oxidação sobre
H2S, O2 e CO2
Verdadeiro o falso?
Fato: os liquens
podem ser
encontrados em
desertos, sobre
rochas e outros
lugares pobres em
nutrientes.

Avalie: Um ‘líquen’ é
formado por duas
espécies que vivem
juntos: uma alga e um
fungo
Ecologia de Populações
Verdadeiro!

Geralmente levam o nome
da espécie de fungo
Em muitos casos, as
espécies individuais de
fungo e alga não se
encontram vivendo
livremente e não podem
ser cultivadas no
laboratório
Existem várias formas de
mutualismo
Ecologia de Populações
Verdadeiro ou Falso?

Existem lesmas do mar que fazem
fotossíntese usando cloroplastos

Verdadeiro!!
Mas os cloroplastos
não são delas

Ecologia de Populações
Image source: http://www.morning-earth.org/Graphic-E/BIOSPHERE/Bios-PL-BenthicBiomes1.htm
Uma solução mas limpa
Eucariota

Ecologia de Populações
A evolução de células
eucarióticas

Lynn Margulis propus a teoria de
endossimbiose.
Bactéria
aeróbica

Cloroplasto

Procariota antiga
Evolução do
envelope
nuclear

Bactéria
fotossintética
Mitocôndria

Eucariota fotossintética
primitiva

Procariota
anaeróbica antiga

Eucariótica aeróbica
primitiva

Ecologia de Populações

Animais, fungos, e
protistas não
similares as
plantas

Plantas e
protistas
similares
as plantas
(Cianobactéria)

Há muito
tempo….

Eucarioto
fotossintético
Cloroplasto
Mitocôndria

Encapsulação
por um
procarioto
grande

Teoria da Endosimbiose
Ecologia de Populações

Procarioto
heterotrófico de
alto poder de
oxidação

Procarioto
fotossintético

(Bacteria De Typhus)
Teoria de Endossimbiose

A bactéria heterotrófica tem
plasmódios (anel de DNA) e
ribossomos simples no citoplasma
Mitocôndria tem um DNA circular e
ribossomos parecidos a do bactéria
Assim, as células eucarióticas poderiam
ter engolidas as células procarióticas
e por via de mutualismo criaram a
“primeira mitocôndria.”
Ecologia de Populações
Bactéria autotróficas são Cianobactéria
com clorofila
Assim, as células eucarióticas poderiam
ter engolidas as células procarióticas e
por via de mutualismo criaram a
“primeira mitocôndria.”
Evolução de
Evolução do Evolução de
mitocôndria de cloroplastos de
núcleo
endossimbiontesEndossimbiontes
fotossintéticos

Procariota
ancestral

Envelope
nuclear

DNA

A Teoria de Endossimbiose
Simbiose heterotrófica = simbionte produz ATP,
hospedeiro usa ATP, hospedeiro protege o
simbionte
Simbiose autotrófico = simbionte produz açúcar,
hospedeiro usa açúcar, hospedeiro protege
simbionte
Essas relações permitam uma longevidade
e reprodução maior do hospedeiro.
No tempo cria células eucarióticas mais
complexas.
Ecologia de Populações
Modelo da Invasão Celular
Procariota aeróbica
heterotrófica

Célula hospedeira
ancestral
DNA hospedeira
Mitocôndria
Procariota
fotossintética
Cloroplasto
Núcleo (de DNA
do hospedeiro)

Ecologia de Populações
Teoria de Endodsimbíose
Cloroplasto
Mitocôndria

Bactéria

Célula primitiva
Análise filogenética baseada nas sequencias
genéticas apoiam a hipótese de endosimbiose.

Ecologia de Populações
Empacotando e
empacotando de novo
Endosimbiose
primária

Endosimbiose
secundária

Ecologia de Populações

Endosimbiose
terciária
Encontrando cloroplastos

Ecologia de Populações
http://www.sciencehelpdesk.com/img/bg3_1/OrganellesChloroplast1.jpg
Evolução das eucariotas:
cooperação máxima

mitochondria

Com o sequenciamento de DNA, estamos
descobrindo mais parasitas e mutualistas
intracelulares

Ecologia de Populações
A madeira e celulose
Amplamente
disponíveis
Ricos em energia

Ecologia de Populações
Verdadeiro ou Falso?
Os cupins são vegetarianos de sucesso
porque evoluíram uma enzima que faz
digestão da celulose

Ecologia de Populações
Falso!
O trato digestivo de cupins está
cheio de protozoários, cujos tratos
digestivos estão cheios de bactérias,
cujas enzimas fazem digestão da
celulose

Ecologia de Populações
Digestion of cellulose--Gut symbionts
Cupins

Trichoninfa degradando a madeira

Ecologia de Populações
A madeira e celulose
Amplamente
disponíveis
Ricos em energia

Ecologia de Populações

Verdadeiro ou
Falso?
A celulose e amida
são construídos
de componentes
diferentes e têm
formulas químicas
diferentes
Falso!

Ambos consistem de cadeias de
milhares ou milhões de moléculas de
glicose juntadas por ligações
covalentes pela perda de uma
molécula de água

amida
celulose
Ecologia de Populações
Verdadeiro ou Falso?
Muitas espécies de bactéria podem
decompor a celulose em glicose;
nenhum vertebrado tem essa
capacidade

Ecologia de Populações
Digestão de celulose
– carboidrato mais abundante na Terra
– cadeia ligada de moléculas de glicose
– a maioria dos animais não podem degradar a celulose
– dependem de micro-organismos celuliticos
Celulose

biomassa animal

Biomassa microbial

Ecologia de Populações
Verdadeiro!

Estamos mal!
Alguns animais ‘enganam’ dando abrigo
para bactérias que podem fazer isso
Mas você não é uma desses animais!
Ecologia de Populações
Verdadeiro ou falso?
O ceco (câmara
para fermentar
a matéria
vegetal) de

Phascolarctos
cinereusé mais
comprido do
que seu corpo

Ecologia de Populações
Verdadeiro! bactéria
A digestão por
é lenta, e se a coala
defeca antes do que
as bactérias
terminam sua função
a coala não obterá
não obtém qualquer
benefício.

Ecologia de Populações
Fato!

A primeira comida
sólida de um
filhote de
Phascolarctos
cinereus é a
fezes da mãe

Por que?
Ecologia de Populações
Porque ...

O filhote de Phascolarctos cinereus
precisa ser capaz de fazer digestão
da celulose, e porque os pais não
repassaram a capacidade genética de
fazer isso, a única solução é
consumir as fezes da mãe
Referencia: Why pandas do handstands and other curious animal
facts by Augustus Brown

Ecologia de Populações
Nome científico: Phascolarctos
cinereus;
Família: Phascolarctidae;
Classe: Mamíferos.

Ecologia de Populações
Coala, no dialeto autóctone
dos aborígenes, que dizer “que
não bebe”

São marsupiais de pêlo cinza e
branco, localizam-se no
Sudeste e Nordeste da
Austrália.
Ecologia de Populações
Eles têm uma média de vida de cerca de
15 anos, podem medir até cerca de 60 cm
e os maiores exemplares pesar 12 kg.

Ecologia de Populações
São animais solitários, mas
podem viver perto de dez
outros coalas.

Ecologia de Populações
Vivem em cima de eucaliptos de
onde tiram seu alimento (folhas).
Passam em média catorze horas
por dia dormindo e o restante
comendo.
Um animal adulto
dorme entre 16 e 18
horas por dias.
Ecologia de Populações
O tempo de gestação ronda os 33 a 36 dias.
Após nasce uma pequena e imatura cria. Essa
rapidamente se aloja na bolsa da mãe, guiada
pelo cheiro do leite.

Ecologia de Populações
Permanece durante cerca de seis meses,
onde se desenvolve até ter força
suficiente para andar agarrado a
progenitora em boas condições de
segurança e ter alguma autonomia.

Ecologia de Populações
Processo de Extinção:

• iniciou como o hábito de matá-los
para usar sua pele;
• queimadas nas florestas;

• eliminação das árvores;
• atropelamentos durante a noite;
• caçado por cães.

Ecologia de Populações
Vocabulário
Ceco (caecum):
uma bolsa ou
tubo no começo
do intestino
grosso

Ecologia de Populações
Verdadeiro o falso?
O sistema digestivo da

Ailuropoda melanoleuca
é tão eficiente em
degradar as folhas de
bambo, passa a maior
parte do dia dormindo.

Ecologia de Populações
Falso!

Ailuropoda melanoleuca
evolui recentemente
dos ursos, e quase não
tem especialização
digestiva para uma
dieta vegetal

Ailuropoda melanoleuca gasta a maior

parte do dia mastigando folhas até o
limite de sua capacidade reduzida
(recuperando < 20% da celulose como
açúcar)1

Ecologia de Populações
Verdadeiro ou Falso?
Fato: O ceco de Equus
ferus caballus cavalo tem
> 1 m de comprimento

A evolução criou uma estrutura
com a saída ao lado oposto da
entrada, assim maximizando a
eficiência digestiva?
Ecologia de Populações
Falso!
Aparentemente
não é a melhor
solução, mas o
que existe é
suficiente…ainda
estão vivos!
Esse arranjo absurdo causa
muitos problemas para os
cavalos

Ecologia de Populações
Verdadeiro ou falso?
Nos coelhos, o ceco
está localizado
anteriormente ao
intestino fino, que
permite a absorção
eficiente da glicose
extraída da celulose
por bactéria

Ecologia de Populações
Falso!
O ceco está localizado após o intestino fino
comprido, e a estratégia do coelho é de se
alimentar de parte de seus pellets fecais
que já foram processados no ceco.
Essa repescagem coloca o ceco efetivamente
antes do intestino fino, resolvendo o
problema

Ecologia de Populações
Olhe o tamanho do caecum.

Por que???
1a rodada

2a rodada

Intestino fino
estômago
caecum
fígado

cecotrofos

pâncreas
colo
Recto com pellets
fecais

Ecologia de Populações

Anus
Verdadeiro ou Falso?
Fato: Bos primigenius é
Um ruminante; e têm
uma câmara especial de
fermentação (o rúmen)
Avalie: Bos primigenius mastiga o pasto com tanta
eficiência que somente precisa passa por um
rúmen pequeno em caminho ao resto do
sistema digestivo?
Ecologia de Populações
Falso

Bos primigenius mastiga

de novo o material
regurgitado do
rúmen; 500 ciclos
por dia. O rúmen
tem uma capacidade
de aproximadamente
400 litros

Ecologia de Populações
Ruminant digestion
O rumem fica na camará
de fermentação onde
bactéria e protozoa
hidroliza a celulose a
cenobiose e (açucares),
que sofrem mais
hidrolizaçao para formar
ácidos de gordura

“Os ruminantes são os herbívoros vertebrados mais
dominantes da Terra, devido parcialmente a evolução
dentro desse grupo de um mecanismo que usa microorganismos para degradar os componentes da plantas
não suscetíveis ao ataque das enzimas do ruminante.”
(Hungate 1975)

Ecologia de Populações
Ruminant digestion

Abomaso é como um
estomago
monogástrico. O
ruminante faz
digestão de todo
incluindo os micróbios
simbióticos, dos quais
obtém em adição
nitrogênio

Existem muitas espécies de micróbios simbióticos
que formam um sistema ecológico complexo
dentro do hospedeiro. Bacteriodes succinogenes
e Ruminococcus albus estão entre a bactéria
celulítica mais importantes do
rumem. Methanobacterium ruminantium ataca os
produtos secundários da digestão

Ecologia de Populações
Pelo menos terminam
rúmen
esôfago
omaso

reticulo
obamaso

Verdadeiro ou falso?
Quando Bos primigenius termina finalmente
com o pasto, quase toda a energia que pode
ser retirada sumiu?
Ecologia de Populações
falso!

Existem vira
Scarabaeoidea!

Ecologia de Populações
De volta as vacas-verdadeiro ou falso?
Nos bezerros dos ruminantes a leite materna é
canalizada ao rúmen como o resto da comida,
onde uma perda significante de nutrição
ocorre devido a digestão por bactéria?

Ecologia de Populações
De volta as vacas
Falso!!!

“em quase todos os
fermentadores o
intestino grosso tem
um sulco ventricular
(reticuli) que leva
diretamente do esôfago
a estomago posterior
(abdômen nos ruminantes).
Isso garanta que quando mama a leite é canalizada
diretamente ao abdômen desviando da
fermentação caro do rúmen.“
Ecologia(de Populaçõesand Comp. Biol, 42: 319-326 (2002))
R. L. Mackie, Intro.
Verdadeiro ou Falso?
Felizmente estamos livres do caecum, e
temos um sistema digestivo linear, mas
comprido, sem a presença de
câmaras?
Falso!! Seu apêndice pode não ser
precisa (ou útil) para qualquer coisa,
mais ainda existe como seu caecum
vestigial!

Ecologia de Populações
Onde estamos?

Gambá

Você

Ecologia de Populações

Canguru

Coelho

Coala

Zebra
Onde
estamos?

Ecologia de Populações
A Apêndice
A apêndice e o caecum tomam papeis vitais na
digestão de celulose nos animais herbívoros.
Mamíferos, como coelhos, têm apêndices, mas a
apêndice têm função definida. Nos coelhos, a
apêndice tem um papel importante no sistema
imunológico, com a metade dos tecidos linfáticos
encontrada na apêndice.

Ecologia de Populações
A Apêndice

Ecologia de Populações
A Apêndice
“A apêndice n, do colo n m, é
parte do caecum e é capaz de
contração e dilação de forma que
ar excessivo não ruptura o."
Leonardo da Vinci
“Sua importância maior parece
ser o apoio financeiro da profissão
de cirurgião.”
Ecologia de Populações
A Controvérsia da Apêndice
A apêndice humana é uma estrutura fina do sistema
digestivo no fim do “caecum” e que diminua
gradualmente durante nosso crescimento.
Os biólogos acreditam que a apêndice é um vestígio
de um órgão encontrado em mamíferos que
consumem quantidades grandes de celulose, um
componente principal de gramíneas. Nosso
conhecimento atual é que o Homem não usa mais
esse órgão porque nossas dietas mudaram.
A apêndice pode ser retirada cirurgicamente
sem causar efeitos secundários grandes.

Ecologia de Populações
A Função da Apêndice
No Homem, as enzimas usadas para fazer digestão da
celulose se encontram em níveis baixos no caecum
e quase não se encontram na apêndice. Além disso,
a maioria dos tecidos linfáticos se encontram nos
intestinos grossos e finos.
Professor Loren G. Martin, Universidade Estadual de
Oklahoma, acredita, que no desenvolvimento inicial
do embrião, a apêndice serve uma função
importante no sistema imune, e que a apêndice
“ensina” o sistema imune para distinguir
patógenos perigosos de partículas
alimentares não perigosas.

Ecologia de Populações
The Descent of Man (1871)
• Darwin cita as estruturas
vestigiais como evidencia da
evolução.
• “…que o Homem é descendente
de uma forma organizada
primitiva, será desagradável
para muitas pessoas. Mas não
existe dúvida de que somos
descendentes dos bárbaros.”

• Porém, precisamos reconhecer, que o
Homem com todas suas qualidades
nobres ... Ainda carrega no seu corpo o
carimbo indelével de sua origem
inferior.

Ecologia de Populações
Vestigial
Uma traçada, evidencia, ou signo visível de algo
que existiu uma vez ou não aparece mais.
Biologia. Uma estrutura rudimentar ou
degenerada, usualmente não funcional, que é
um remanescente de um órgão ou parte que
foi desenvolvido ou funcionando numa geração
anterior ou um estágio anterior de
desenvolvimento.

Ecologia de Populações
▪

O biólogo Robert Wiedersheim em 1893 fez uma
lista de 86 órgãos vestigiais incluindo:
Adenoides
Pelo corporal
Músculos de orelha
Membrana nictitante do olho
Nodos das orelhas
Glândula Pineal
Músculo Plantaris
Ossos III,IV, e V dos dedos
Válvulas das veias

Ecologia de Populações

Apêndice
Cóccix
Glândulas Lacrimais
Mamilos masculinos
Paratireoide
Glândula Pituitária
Timo
Amígdalas
Dentes de juízo

From wikipedia.com
Mas
Adenoides e amígdala – Funções importantes no sistema imunológica
durante o primeiro ano de vida.
Glândulas Lacrimais –produzem lagrimas que umedecem e limpam os
olhos.
Paratireoide – mantém níveis de cálcio
Glândula Pineal -produz melatonina e regula os ritmos diários
Glândula Pituitário - Controla: crescimento, pressão sanguínea,
produção de leite, funções da glândula tiroide e órgãos sexuais,
aspectos da gravidez.
Timo –Importante no desenvolvimento de células sanguíneas brancas.
Ossos III, IV e V nos dedos do pé- importantes na locomoção e
balance.
Válvulas das veias –controla o retorno sanguíneo ao
coração vencendo a gravidade.

Ecologia de Populações
O Cóccix
Os organismos usam o cóccix para
balance, comunicação e locomoção;
Outros organismos como cães têm um
cóccix muito maior e mais pronunciado do
que no Homem.
Formado pela fusão de 4 cóccix.
O cóccix humano forma um gancho
pequeno no fim do coluna vertebral..
Sua função anterior era de suporte do
rabo e os nervos associados com o rabo.
Atualmente serve como ponto de ligação
muscular do gluteus maximus.
Tem a função de amortecedor mas sem
função na movimentação ou equilíbrio

Ecologia de Populações
Plica semilunaris
A remanescente da “terceira
palpita” ou membrana
nictitante.
• No Homem ainda funciona
para expelir o muco dos
olhos.

Ecologia de Populações
Arrepio e Calafrio
São reflexos vestigiais.
Nos mamíferos com pelo o arrepio
permitiu que os pelos ficaram eretos e o
animal aparentava ser maior como
defesa ou sinalização.
O calafrio ainda serve a função de
esquentar o corpo com vários milhares
de músculos contratando para criar
calor.
From wiki

Ecologia de Populações
Plantaris Longus
Plantaris longus é o músculo
nos primatas que é usada
para agarrar árvores com os
pés.
No Homem funciona
fracamente para permitir
que ficamos a ponto de pé e
de fazer flexão do joelho”
Quase 10% das pessoas não
tem essa estrutura

Ecologia de Populações
Músculos Externos da
Orelha
Os primatas tem três
músculos pequenos na
parte externa da
orelha, que são usados
para orientar as
orelhas na direção do
som.
No Homem, a maioria das
pessoas não tem
controle sobre esses
músculos.

Ecologia de Populações
Dentes de Juízo
Chamados dentes de juízo porque nascem a idades de
17 a 21, uma idade de mais juízo do que quando os
dentes anteriores nascerem!
A maioria das pessoas tem 4 dentes de juízo mas o número varia
entre 0 e 4. Podem ser impactados em osso ou tecido mole e não
conseguem nascer.
Existem várias teorias do por que os dentes de juízo tem utilidade
limitada:
Temos uma dieta mais refinada sem a necessidade de molares
adicionais
Os dentes têm menor probabilidade de serem perdidos, tornando
“substituições” não necessárias.
O Homem evolveu uma mandíbula menor.

Ecologia de Populações
Outras Estruturas Vestigiais no
Homem
Genes de Vitamina C - Ascórbico
A genoma humana tem a maioria dos genes
necessários para produzir internamente a
vitamina C, mas o Homem não tem essa
capacidade.
Evolveu esse atributo porque os
humanos ancestrais consumiram
muita vitamina C em sua dieta diária.
Ecologia de Populações
O Mito dos Mamilos
Masculinos

Os mamilos masculinos não são
órgãos vestigiais porque
NUNCA tiveram função.
Os mamilos dos dois sexos cedo
na gravidez.
A testosterona que produz a
“masculinidade” não aparece
antes da formação dos mamilos
as 14 semanas.
Ecologia de Populações
Seu apêndice agora não tem função para
nada, ainda existe, seu caecum
vestigial!

Você
Você

Ecologia de Populações

Coelho

Zebra
O hypocone dos mamíferos e a
radiação adaptativa

Evoluiu > 20 vezes de
forma independente
durante os últimos 65
Milhões de anos. Os grupos
com hypocone
diversificaram mas do que
os grupos sem. O
hypocone melhora o
processamento de matéria
vegetal.

Por que?
Ecologia de Populações
Sem hypocone
Vestígios de hypocone
hypocone

Ecologia de Populações
Ecologia de Populações
Volte a aula em 15 minutos
Café, salgadinhos, doces e
refrigerantes podem ser
comprados na cantina

Ecologia de Populações
Começo

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Treinamento de evolução
Treinamento de evoluçãoTreinamento de evolução
Treinamento de evolução
emanuel
 
Alaric Compliance
Alaric ComplianceAlaric Compliance
Alaric Compliance
chardyl
 
AFMC General knowledge 2008
AFMC General knowledge   2008AFMC General knowledge   2008
AFMC General knowledge 2008
Vasista Vinuthan
 

Destaque (20)

Treinamento de evolução
Treinamento de evoluçãoTreinamento de evolução
Treinamento de evolução
 
Alaric Compliance
Alaric ComplianceAlaric Compliance
Alaric Compliance
 
Kedelai
KedelaiKedelai
Kedelai
 
AFMC General knowledge 2008
AFMC General knowledge   2008AFMC General knowledge   2008
AFMC General knowledge 2008
 
General Seed Collection Guidelines for California Native Plant Species
General Seed Collection Guidelines for California Native Plant Species General Seed Collection Guidelines for California Native Plant Species
General Seed Collection Guidelines for California Native Plant Species
 
8 (1)
8 (1)8 (1)
8 (1)
 
Kumis kucing
Kumis kucingKumis kucing
Kumis kucing
 
Itapua tripes cavalleri
Itapua tripes cavalleriItapua tripes cavalleri
Itapua tripes cavalleri
 
A Guide to the Water Needs of Landscape Plants
A Guide to the Water Needs of Landscape PlantsA Guide to the Water Needs of Landscape Plants
A Guide to the Water Needs of Landscape Plants
 
Tirant
TirantTirant
Tirant
 
Choques (muito bom)
Choques (muito bom)Choques (muito bom)
Choques (muito bom)
 
Atlas pampulha
Atlas pampulhaAtlas pampulha
Atlas pampulha
 
Diari del 7 de gener del 2014
Diari del 7 de gener del 2014Diari del 7 de gener del 2014
Diari del 7 de gener del 2014
 
Accidentes_aracnidos
Accidentes_aracnidosAccidentes_aracnidos
Accidentes_aracnidos
 
Terra fria
Terra friaTerra fria
Terra fria
 
ADE
ADEADE
ADE
 
VOCÊ SABIA?
VOCÊ SABIA?VOCÊ SABIA?
VOCÊ SABIA?
 
A
AA
A
 
Output Devices UoS Fsd
Output Devices UoS FsdOutput Devices UoS Fsd
Output Devices UoS Fsd
 
Metabolismo
MetabolismoMetabolismo
Metabolismo
 

Semelhante a Começo

Sistematica 2 ano 4 bimestre modelo unasp
Sistematica 2 ano 4 bimestre modelo unaspSistematica 2 ano 4 bimestre modelo unasp
Sistematica 2 ano 4 bimestre modelo unasp
Ronaldo Santana
 
Ronaldo sistemática modelo unasp 2 ano ti
Ronaldo sistemática modelo unasp 2 ano tiRonaldo sistemática modelo unasp 2 ano ti
Ronaldo sistemática modelo unasp 2 ano ti
Ronaldo Santana
 
Sistematica modelo unasp 12 a&amp;b 1o bim biologia 2016
Sistematica modelo unasp 12 a&amp;b 1o bim biologia 2016Sistematica modelo unasp 12 a&amp;b 1o bim biologia 2016
Sistematica modelo unasp 12 a&amp;b 1o bim biologia 2016
Ronaldo Santana
 
Ronaldo sistemática modelo unasp 1 ano ti
Ronaldo sistemática modelo unasp 1 ano tiRonaldo sistemática modelo unasp 1 ano ti
Ronaldo sistemática modelo unasp 1 ano ti
Ronaldo Santana
 
Sistematica de física 04 bimestre modelo unasp
Sistematica de física 04 bimestre   modelo unaspSistematica de física 04 bimestre   modelo unasp
Sistematica de física 04 bimestre modelo unasp
Ronaldo Santana
 
Sistemática modelo unasp 2° ano TI 3 bimestre
Sistemática modelo unasp 2° ano TI 3 bimestreSistemática modelo unasp 2° ano TI 3 bimestre
Sistemática modelo unasp 2° ano TI 3 bimestre
Ronaldo Santana
 
Sistematica 2 ano ti 2 bimestre
Sistematica 2 ano  ti 2 bimestreSistematica 2 ano  ti 2 bimestre
Sistematica 2 ano ti 2 bimestre
Ronaldo Santana
 
Sistematica 2 ano do Ensino Médio Técnico de Informática TI 1 bimestre
Sistematica 2 ano  do Ensino Médio Técnico de Informática TI 1 bimestreSistematica 2 ano  do Ensino Médio Técnico de Informática TI 1 bimestre
Sistematica 2 ano do Ensino Médio Técnico de Informática TI 1 bimestre
Ronaldo Santana
 
Sistematica 1º ano do Ensino Médio Técnico de Informática TI 1 bimestre
Sistematica 1º ano do Ensino Médio Técnico de Informática TI 1 bimestreSistematica 1º ano do Ensino Médio Técnico de Informática TI 1 bimestre
Sistematica 1º ano do Ensino Médio Técnico de Informática TI 1 bimestre
Ronaldo Santana
 
Sistematica modelo unasp 1° ano TI Biologia 01/2016
Sistematica modelo unasp 1° ano TI Biologia 01/2016Sistematica modelo unasp 1° ano TI Biologia 01/2016
Sistematica modelo unasp 1° ano TI Biologia 01/2016
Ronaldo Santana
 
Sistemática Ensino médio 1° ano exatas 1 bimestre
Sistemática Ensino médio 1° ano exatas 1 bimestreSistemática Ensino médio 1° ano exatas 1 bimestre
Sistemática Ensino médio 1° ano exatas 1 bimestre
Ronaldo Santana
 
Ronaldo sistemática modelo unasp 2bimestre
Ronaldo sistemática modelo unasp 2bimestreRonaldo sistemática modelo unasp 2bimestre
Ronaldo sistemática modelo unasp 2bimestre
Ronaldo Santana
 
Sistemática modelo unasp 9° ano EF 3 bimestre
Sistemática modelo unasp 9° ano EF 3 bimestreSistemática modelo unasp 9° ano EF 3 bimestre
Sistemática modelo unasp 9° ano EF 3 bimestre
Ronaldo Santana
 
Sistematica modelo unasp 22 a&amp;b 1o bim biologia 2016
Sistematica modelo unasp 22 a&amp;b 1o bim biologia 2016Sistematica modelo unasp 22 a&amp;b 1o bim biologia 2016
Sistematica modelo unasp 22 a&amp;b 1o bim biologia 2016
Ronaldo Santana
 

Semelhante a Começo (20)

Sistematica 2 ano 4 bimestre modelo unasp
Sistematica 2 ano 4 bimestre modelo unaspSistematica 2 ano 4 bimestre modelo unasp
Sistematica 2 ano 4 bimestre modelo unasp
 
Slides apres.alunos-blog
Slides apres.alunos-blogSlides apres.alunos-blog
Slides apres.alunos-blog
 
Ronaldo sistemática modelo unasp 2 ano ti
Ronaldo sistemática modelo unasp 2 ano tiRonaldo sistemática modelo unasp 2 ano ti
Ronaldo sistemática modelo unasp 2 ano ti
 
Sistematica modelo unasp 12 a&amp;b 1o bim biologia 2016
Sistematica modelo unasp 12 a&amp;b 1o bim biologia 2016Sistematica modelo unasp 12 a&amp;b 1o bim biologia 2016
Sistematica modelo unasp 12 a&amp;b 1o bim biologia 2016
 
Ronaldo sistemática modelo unasp 1 ano ti
Ronaldo sistemática modelo unasp 1 ano tiRonaldo sistemática modelo unasp 1 ano ti
Ronaldo sistemática modelo unasp 1 ano ti
 
Sistematica de física 04 bimestre modelo unasp
Sistematica de física 04 bimestre   modelo unaspSistematica de física 04 bimestre   modelo unasp
Sistematica de física 04 bimestre modelo unasp
 
Sistemática modelo unasp 2° ano TI 3 bimestre
Sistemática modelo unasp 2° ano TI 3 bimestreSistemática modelo unasp 2° ano TI 3 bimestre
Sistemática modelo unasp 2° ano TI 3 bimestre
 
Sistematica 2 ano ti 2 bimestre
Sistematica 2 ano  ti 2 bimestreSistematica 2 ano  ti 2 bimestre
Sistematica 2 ano ti 2 bimestre
 
Sistematica 2 ano do Ensino Médio Técnico de Informática TI 1 bimestre
Sistematica 2 ano  do Ensino Médio Técnico de Informática TI 1 bimestreSistematica 2 ano  do Ensino Médio Técnico de Informática TI 1 bimestre
Sistematica 2 ano do Ensino Médio Técnico de Informática TI 1 bimestre
 
Sistematica 1º ano do Ensino Médio Técnico de Informática TI 1 bimestre
Sistematica 1º ano do Ensino Médio Técnico de Informática TI 1 bimestreSistematica 1º ano do Ensino Médio Técnico de Informática TI 1 bimestre
Sistematica 1º ano do Ensino Médio Técnico de Informática TI 1 bimestre
 
Sistematica modelo unasp 1° ano TI Biologia 01/2016
Sistematica modelo unasp 1° ano TI Biologia 01/2016Sistematica modelo unasp 1° ano TI Biologia 01/2016
Sistematica modelo unasp 1° ano TI Biologia 01/2016
 
Sistemática Ensino médio 1° ano exatas 1 bimestre
Sistemática Ensino médio 1° ano exatas 1 bimestreSistemática Ensino médio 1° ano exatas 1 bimestre
Sistemática Ensino médio 1° ano exatas 1 bimestre
 
Desafio inglês 1 vídeo 3
Desafio inglês 1   vídeo 3Desafio inglês 1   vídeo 3
Desafio inglês 1 vídeo 3
 
Ronaldo sistemática modelo unasp 2bimestre
Ronaldo sistemática modelo unasp 2bimestreRonaldo sistemática modelo unasp 2bimestre
Ronaldo sistemática modelo unasp 2bimestre
 
Diretivas ciências 8o ano 2017 nahya
Diretivas ciências 8o ano 2017 nahyaDiretivas ciências 8o ano 2017 nahya
Diretivas ciências 8o ano 2017 nahya
 
Reunião pais 2012
Reunião pais 2012Reunião pais 2012
Reunião pais 2012
 
Cartilha Do Aluno(A)
Cartilha Do Aluno(A)Cartilha Do Aluno(A)
Cartilha Do Aluno(A)
 
Apresentação F8
Apresentação F8Apresentação F8
Apresentação F8
 
Sistemática modelo unasp 9° ano EF 3 bimestre
Sistemática modelo unasp 9° ano EF 3 bimestreSistemática modelo unasp 9° ano EF 3 bimestre
Sistemática modelo unasp 9° ano EF 3 bimestre
 
Sistematica modelo unasp 22 a&amp;b 1o bim biologia 2016
Sistematica modelo unasp 22 a&amp;b 1o bim biologia 2016Sistematica modelo unasp 22 a&amp;b 1o bim biologia 2016
Sistematica modelo unasp 22 a&amp;b 1o bim biologia 2016
 

Mais de unesp

Fatores chaves
Fatores chavesFatores chaves
Fatores chaves
unesp
 
Uso e construção de Mapas na pesquisa
Uso e construção de Mapas na pesquisaUso e construção de Mapas na pesquisa
Uso e construção de Mapas na pesquisa
unesp
 

Mais de unesp (20)

Bacias
BaciasBacias
Bacias
 
Os parametros da pesquisa
Os parametros da pesquisaOs parametros da pesquisa
Os parametros da pesquisa
 
Fragmentação
FragmentaçãoFragmentação
Fragmentação
 
Básico de populações
Básico de populaçõesBásico de populações
Básico de populações
 
Caminiculas e classificação
Caminiculas e classificaçãoCaminiculas e classificação
Caminiculas e classificação
 
Leis da ecologia
Leis da ecologiaLeis da ecologia
Leis da ecologia
 
Sistemas de acasalamento
Sistemas de acasalamentoSistemas de acasalamento
Sistemas de acasalamento
 
O que é a ciência
O que é a ciênciaO que é a ciência
O que é a ciência
 
Propriedades da vida
Propriedades da vidaPropriedades da vida
Propriedades da vida
 
Lista Vermelha
Lista VermelhaLista Vermelha
Lista Vermelha
 
Protocolos de campo
Protocolos  de campoProtocolos  de campo
Protocolos de campo
 
De modelos aos levantamentos de campo
De modelos aos levantamentos de campoDe modelos aos levantamentos de campo
De modelos aos levantamentos de campo
 
Fatores chaves
Fatores chavesFatores chaves
Fatores chaves
 
A verdade e a criatividade
A verdade e a criatividadeA verdade e a criatividade
A verdade e a criatividade
 
Legislação de biodiversidade
Legislação de biodiversidadeLegislação de biodiversidade
Legislação de biodiversidade
 
O que implica ser biólogo
O que implica ser biólogoO que implica ser biólogo
O que implica ser biólogo
 
Conceitos de estatística espacial
Conceitos de estatística espacialConceitos de estatística espacial
Conceitos de estatística espacial
 
Estrutura espacial e temporal de populações
Estrutura espacial e temporal de populaçõesEstrutura espacial e temporal de populações
Estrutura espacial e temporal de populações
 
Uso e construção de Mapas na pesquisa
Uso e construção de Mapas na pesquisaUso e construção de Mapas na pesquisa
Uso e construção de Mapas na pesquisa
 
Treino
TreinoTreino
Treino
 

Último

O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 

Último (20)

ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdfDiálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasSlide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 

Começo

  • 1. Ecologia de Populações Começo da Viagem Prof. Dr. Harold Gordon Fowler popecologia@hotmail.com
  • 2. Disciplina de Ecologia de Populações – 90 horas A lista de presença será assinada na frente da aula – não faço chamada! A sua presencia é obrigatória por lei federal então não tente de me convencer por que faltou. Ecologia de Populações As leituras obrigatórias para as aulas estão no site. Leia antes da aula. A aula somente trata o resumo da matéria mas vocês ficam responsáveis pelo conteúdo.
  • 3. Frequência Não chamo a lista de alunos para registrar a frequência, mas o aluno assina A frequência é ao sucesso na disciplina Se faltar aula pode diminuir sua nota final É de responsabilidade do aluno para obter a matéria da aula de outro aluno Ecologia de Populações
  • 4. Faltas A presença é lei federal. Não tenho como inverter essa regra, e independente de sua nota será reprovada, sem direto de reposição! Algumas práticas serão desenvolvidas ao fim das aulas e por isso se falta não pode entregar as tarefas. Se falta 20% da carga da disciplina, será reprovado. Por isso… Não falte!!! Ecologia de Populações
  • 5. Obrigatório: – o uso de um caderno de campo (15%) da nota final – Testes semanais (30%) da nota final colocado no Internet por uma semana – Tarefas de casa (30%) a serem entregues por e-mail ou formulário eletrônico – Relatórios de campo e de laboratório (25%) a serem entregues por e-mail ou formulário eletrônico Ecologia de Populações
  • 6. Avaliação A avaliação tenta saber onde você está, quanto procurou respostas, a dedicação e pontualidade demonstrada, e sua capacidade de interagir com suas colegas. Atribuo as notas merecidas! Escala de notas: – 9,0 – 10,0 excepcional – 7,0 – 8,9 bom – 5,0 – 6,9 pode melhor muito – ,5,0 reprovado As notas se baseiam no acumulo de pontos durante a disciplina. Ecologia de Populações
  • 7. Sisgrad Ao receber tarefa, relatório, prova ou outro as notas serão registradas no Sisgrad. A maioria dessas serão entregues por via eletrônica. Verifico sempre se chegou seu trabalho. Se sua nota não apareça no Sisgrad, procura o professor ou manda um e-mail. Ecologia de Populações
  • 8. Lembre: – o entrega de tarefas, provas e relatórios somente será aceito pelo e-mail: popecologia@hotmail.com e somente um por envio de email com seu nome, ra, e titulo do material entregue. – Qualquer entrega fora de data final ou mais de um trabalho por envio, ou sem seu nome, ra, e titulo serão devolvido e não corrigido Ecologia de Populações As leituras obrigatórias para as aulas estão no site. Leia antes da aula. A aula somente trata o resumo da matéria mas vocês ficam responsáveis pelo conteúdo.
  • 9. Lembrete: – o material para cada aula está disponível em pdf no site do disciplina. Leia o material antes da aula. Existe mais material que será passada em cada aula, mas você é responsável para seu conteúdo. Também o mesmo para as leituras semanais e o texto. – Você será cobrado pelo seu entendimento de Darwin e por isso estude Ecologia de Populações As leituras obrigatórias para as aulas estão no site. Leia antes da aula. A aula somente trata o resumo da matéria mas vocês ficam responsáveis pelo conteúdo.
  • 10. Obrigatório: – excursão ao pantanal de uma semana – Apresentação de caderneta de vacinação de febre amarela junto com todas as outras vacinações que precisam estar em dia para a excursão Ecologia de Populações As leituras obrigatórias para as aulas estão no site. Leia antes da aula. A aula somente trata o resumo da matéria mas vocês ficam responsáveis para o conteúdo.
  • 13. Obrigatório: para embarcar na excursão precisa levar seu RG, caderneta de vacinação, caderno de campo e uma caneta com tinta nanquim Se você tem problemas de saúde ou dieta avise logo. Não é um lugar para vegetarianos! Ecologia de Populações Lembre de pesquisar o campo antes de sair, especialmente a geografia, fauna e a previsão do tempo
  • 14. Premissa de Maturidade Todo aluno é presumido ser adulto e deve ter um decoro e comportamento de adulto. Todo aluno deve ser familiarizado com os requerimentos da disciplina. O aluno não será lembrado das datas de entrega das avaliações e tarefas que ficam no site da disciplina. É obrigatório ler a matéria semanal e recomendada. O aluno deve fazer todas as tarefas, relatórios e avaliações obrigatórios. Ecologia de Populações
  • 15. Caderno de aula e leituras Para aprender bom nessa disciplina deve manter um caderno das aulas, e ler o material suplementar disponível no internet. Durante sua progressão na universidade e carreira futura, a importância de anotações claras e boas fica evidente. Lembre que você aprende a aprender na faculdade. A vida inteira é uma aprendizagem. Ecologia de Populações
  • 16. Responsabilidade Traz todo que precisa a aula. Fique atento as datas de entrega e sempre entrega antes da data. Todos os trabalhos serão informados por e-mail particular e colocado no site da disciplina. Ecologia de Populações
  • 17. Comportamento Geral Seja uma pessoa que resolve problemas – Corrige os problemas rapidamente e pacificamente antes de que esses escalam. Seja pontual – Fique pronto ao começar a aula. Seja preparado – Le os matérias antes da aula e fique atento as datas máximas de entrega. Seja educado e positivo – Fale em voz normal, e escute com atenção. Seja produtiva – Entregue os trabalhos pontualmente, sempre tenta melhorar. Ecologia de Populações
  • 18. Procedimentos na aula Cada dia, entre a sala e sente. Não converse durante a aula. Se precisa de ajuda, levanta a mão e espera ser chamado. Se precisa sair da aula, seja discreto. Ao fim da aula, ordena as cadeiras, jogo o necessário no lixo, guardar qualquer material ou equipamento usado, e espero que o professor autorize sua saída. Ecologia de Populações
  • 19. Mais Não coma na aula. Existem muitos insetos para assegurar sua segurança.. Fique na carteira, e por favor não no fundo da aula durante a aula. As tarefas e projetos principais (mas não as práticas) podem ser reenviados (tal vez, se estou bom). Receberão uma dedução de 10%. Se perda uma prática não tem saída. Não há reposições. Ecologia de Populações
  • 20. Participação na Aula Espero que os alunos participam na aula A educação não é uma via única A matéria da disciplina pode ser complexa e requer clarificação Os alunos devem fazer perguntas Ecologia de Populações
  • 21. Participação A participação e toda! Se presta atenção, se esforça, e se envolve faço todo possível para que você ter sucesso. Seja envolvido e posso garantir que terá sucesso na disciplina. Posso também atribuir, a minha discrição, notas de participação. Por isso, seja enfocada e segue as instruções. Ecologia de Populações
  • 22. Requerimentos Tardios ou Faltantes As entregas tardias sofrerão a redução de 15% da nota por dia até 3 dias As avaliações são para fazer em casa e por isso extensão da data de entrega não existe Absolutamente nenhuma extensão será dado para a entrega do material Ecologia de Populações
  • 23. Tangentes Programadas Durante o semestre, um marco comum será usada. Serão perguntados Quais são as observações ou teorias implícitas ou explícitas? Qual hipótese pode ser lançada? Seria possível fazer um experimento para testar a hipótese? Registre os resultados. Uma teste por semana será disponibilizado para fazer antes da aula com as leituras recomendadas. Ecologia de Populações 23
  • 24. Atraso de entrega Para cada dia de atraso de tarefa, haverá uma redução de 15% da nota que você receberia se tinha entregado no prazo. Após três dias, não receberá nota para a tarefa. Ecologia de Populações
  • 25. Atos Divinos É raro mas coisas terríveis possam acontecer Se tal evento aconteça não espera até o fim do semestre para lidar com ele Ecologia de Populações
  • 26. Privacide Nada relacionado a notas, avaliações, ou qualquer outro requerimento será discutido via email – sem exceção As notas e outras duvidas somente será discutida em pessoa após a aula Ecologia de Populações
  • 27. Decoro na Aula Favor chegar a hora Favor não conversar na aula Favor desligar qualquer aparelha que faz som Favor não ler jornal, dormir, enviar mensagem de texto ou fazer matéria para outras disciplinas durante a aula O respeito mutuo e educação são requeridos na aula sempre As violações do decoro apropriado para a aula podem resultar em penalidades Ecologia de Populações
  • 28. Honestidade Acadêmica Qualquer tipo de plágio não será tolerado. Qualquer aluno que comete qualquer violação de qualquer requerimento receberá a nota de 0 e seu comportamento será comunicado para o conselho do curso O professor reserva o direito para aplicar a penalidade máxima independe do valor de qualquer tarefa, relatório ou avaliação Ecologia de Populações
  • 29. Honestidade Acadêmica Se tem dúvida o que constitua a desonestidade acadêmica, favor consultar o professor. A ignorância de que é plágio não serve como desculpa para as violações Muitas coisas que são aceitáveis na escola secundaria não são permitidas na universidade Se tem perguntas sobre o plagio, pergunte e não usa a premissa que está certo Ecologia de Populações
  • 30. O principal • Honestidade: Trapaceias e plágio não são aceitáveis. Coisas horríveis acontece se você faz qualquer desses dois. • Telefones celulares: Não permitidos. Se você usa na aula, posso pegar o celular para dar a meus cachorros que sempre comem seus celulares. • Respeito: Todo entra sob o respeito, que precisa demonstrar a instituição, o curso, o professor e seus colegas. Ecologia de Populações
  • 31. Promova a Aprendizagem Vital Pode desenvolver atributos vitais de aprendizagem: – Demonstrando curiosidade sobre a natureza humana e como funciona o mundo. – Procurando e valorizando a diversidade. – Persistindo na procura de soluções novas. – Usando seus talentos e inteligências únicos para promover uma mudança positiva. – Aprendendo e aplicando ferramentas e tecnologias para resolver problemas. Ecologia de Populações
  • 32. Meu compromisso Confio em você até que me de razão de não confiar. Demonstrará respeito em você e ajudará você resolver problemas. Tentará corrigir e oferecer feedback sobre seus trabalhos. Trabalhará com você para atingir suas metas de aprendizagem. Se necessário, oferecerá trabalhos alternativos ou assistência extra. Ecologia de Populações
  • 33. Pense em isso! Afirmação: Um fungo induz as moscas de estrumem de escolher o lugar apropriado e pousar para morrer de forma que a dispersão do fundo é favorecida D. P. Maitland A Parasitic Fungus Infecting Yellow Dungflies manipulates Host Perching Behavior. Proceedings of the Royal Society, B, 258 (1352) 187-193 (1994) Ecologia de Populações
  • 34. Quais organismos existem atualmente? Onde estamos? Ecologia de Populações
  • 35. Verdadeiro ou falso? No fundo do mar existe um grupo de vermes que sobrevivem sem boca, sem estomago e sem intestino Ecologia de Populações
  • 36. Verdadeiro! Os tubelifeiros são abundantes nos escapes hidrotermais do mar profundo e hospedem bactéria hospedeira em células especiais (285 bilhões de bactéria/30 mg de tecido). Ecologia de Populações A bactéria captura a energia por reações de redução e oxidação sobre H2S, O2 e CO2
  • 37. Verdadeiro o falso? Fato: os liquens podem ser encontrados em desertos, sobre rochas e outros lugares pobres em nutrientes. Avalie: Um ‘líquen’ é formado por duas espécies que vivem juntos: uma alga e um fungo Ecologia de Populações
  • 38. Verdadeiro! Geralmente levam o nome da espécie de fungo Em muitos casos, as espécies individuais de fungo e alga não se encontram vivendo livremente e não podem ser cultivadas no laboratório Existem várias formas de mutualismo Ecologia de Populações
  • 39. Verdadeiro ou Falso? Existem lesmas do mar que fazem fotossíntese usando cloroplastos Verdadeiro!! Mas os cloroplastos não são delas Ecologia de Populações Image source: http://www.morning-earth.org/Graphic-E/BIOSPHERE/Bios-PL-BenthicBiomes1.htm
  • 40. Uma solução mas limpa Eucariota Ecologia de Populações
  • 41. A evolução de células eucarióticas Lynn Margulis propus a teoria de endossimbiose. Bactéria aeróbica Cloroplasto Procariota antiga Evolução do envelope nuclear Bactéria fotossintética Mitocôndria Eucariota fotossintética primitiva Procariota anaeróbica antiga Eucariótica aeróbica primitiva Ecologia de Populações Animais, fungos, e protistas não similares as plantas Plantas e protistas similares as plantas
  • 42. (Cianobactéria) Há muito tempo…. Eucarioto fotossintético Cloroplasto Mitocôndria Encapsulação por um procarioto grande Teoria da Endosimbiose Ecologia de Populações Procarioto heterotrófico de alto poder de oxidação Procarioto fotossintético (Bacteria De Typhus)
  • 43. Teoria de Endossimbiose A bactéria heterotrófica tem plasmódios (anel de DNA) e ribossomos simples no citoplasma Mitocôndria tem um DNA circular e ribossomos parecidos a do bactéria Assim, as células eucarióticas poderiam ter engolidas as células procarióticas e por via de mutualismo criaram a “primeira mitocôndria.” Ecologia de Populações
  • 44. Bactéria autotróficas são Cianobactéria com clorofila Assim, as células eucarióticas poderiam ter engolidas as células procarióticas e por via de mutualismo criaram a “primeira mitocôndria.” Evolução de Evolução do Evolução de mitocôndria de cloroplastos de núcleo endossimbiontesEndossimbiontes fotossintéticos Procariota ancestral Envelope nuclear DNA A Teoria de Endossimbiose
  • 45. Simbiose heterotrófica = simbionte produz ATP, hospedeiro usa ATP, hospedeiro protege o simbionte Simbiose autotrófico = simbionte produz açúcar, hospedeiro usa açúcar, hospedeiro protege simbionte Essas relações permitam uma longevidade e reprodução maior do hospedeiro. No tempo cria células eucarióticas mais complexas. Ecologia de Populações
  • 46. Modelo da Invasão Celular Procariota aeróbica heterotrófica Célula hospedeira ancestral DNA hospedeira Mitocôndria Procariota fotossintética Cloroplasto Núcleo (de DNA do hospedeiro) Ecologia de Populações
  • 48. Análise filogenética baseada nas sequencias genéticas apoiam a hipótese de endosimbiose. Ecologia de Populações
  • 49. Empacotando e empacotando de novo Endosimbiose primária Endosimbiose secundária Ecologia de Populações Endosimbiose terciária
  • 50. Encontrando cloroplastos Ecologia de Populações http://www.sciencehelpdesk.com/img/bg3_1/OrganellesChloroplast1.jpg
  • 51. Evolução das eucariotas: cooperação máxima mitochondria Com o sequenciamento de DNA, estamos descobrindo mais parasitas e mutualistas intracelulares Ecologia de Populações
  • 52. A madeira e celulose Amplamente disponíveis Ricos em energia Ecologia de Populações
  • 53. Verdadeiro ou Falso? Os cupins são vegetarianos de sucesso porque evoluíram uma enzima que faz digestão da celulose Ecologia de Populações
  • 54. Falso! O trato digestivo de cupins está cheio de protozoários, cujos tratos digestivos estão cheios de bactérias, cujas enzimas fazem digestão da celulose Ecologia de Populações
  • 55. Digestion of cellulose--Gut symbionts Cupins Trichoninfa degradando a madeira Ecologia de Populações
  • 56. A madeira e celulose Amplamente disponíveis Ricos em energia Ecologia de Populações Verdadeiro ou Falso? A celulose e amida são construídos de componentes diferentes e têm formulas químicas diferentes
  • 57. Falso! Ambos consistem de cadeias de milhares ou milhões de moléculas de glicose juntadas por ligações covalentes pela perda de uma molécula de água amida celulose Ecologia de Populações
  • 58. Verdadeiro ou Falso? Muitas espécies de bactéria podem decompor a celulose em glicose; nenhum vertebrado tem essa capacidade Ecologia de Populações
  • 59. Digestão de celulose – carboidrato mais abundante na Terra – cadeia ligada de moléculas de glicose – a maioria dos animais não podem degradar a celulose – dependem de micro-organismos celuliticos Celulose biomassa animal Biomassa microbial Ecologia de Populações
  • 60. Verdadeiro! Estamos mal! Alguns animais ‘enganam’ dando abrigo para bactérias que podem fazer isso Mas você não é uma desses animais! Ecologia de Populações
  • 61. Verdadeiro ou falso? O ceco (câmara para fermentar a matéria vegetal) de Phascolarctos cinereusé mais comprido do que seu corpo Ecologia de Populações
  • 62. Verdadeiro! bactéria A digestão por é lenta, e se a coala defeca antes do que as bactérias terminam sua função a coala não obterá não obtém qualquer benefício. Ecologia de Populações
  • 63. Fato! A primeira comida sólida de um filhote de Phascolarctos cinereus é a fezes da mãe Por que? Ecologia de Populações
  • 64. Porque ... O filhote de Phascolarctos cinereus precisa ser capaz de fazer digestão da celulose, e porque os pais não repassaram a capacidade genética de fazer isso, a única solução é consumir as fezes da mãe Referencia: Why pandas do handstands and other curious animal facts by Augustus Brown Ecologia de Populações
  • 65. Nome científico: Phascolarctos cinereus; Família: Phascolarctidae; Classe: Mamíferos. Ecologia de Populações
  • 66. Coala, no dialeto autóctone dos aborígenes, que dizer “que não bebe” São marsupiais de pêlo cinza e branco, localizam-se no Sudeste e Nordeste da Austrália. Ecologia de Populações
  • 67. Eles têm uma média de vida de cerca de 15 anos, podem medir até cerca de 60 cm e os maiores exemplares pesar 12 kg. Ecologia de Populações
  • 68. São animais solitários, mas podem viver perto de dez outros coalas. Ecologia de Populações
  • 69. Vivem em cima de eucaliptos de onde tiram seu alimento (folhas). Passam em média catorze horas por dia dormindo e o restante comendo. Um animal adulto dorme entre 16 e 18 horas por dias. Ecologia de Populações
  • 70. O tempo de gestação ronda os 33 a 36 dias. Após nasce uma pequena e imatura cria. Essa rapidamente se aloja na bolsa da mãe, guiada pelo cheiro do leite. Ecologia de Populações
  • 71. Permanece durante cerca de seis meses, onde se desenvolve até ter força suficiente para andar agarrado a progenitora em boas condições de segurança e ter alguma autonomia. Ecologia de Populações
  • 72. Processo de Extinção: • iniciou como o hábito de matá-los para usar sua pele; • queimadas nas florestas; • eliminação das árvores; • atropelamentos durante a noite; • caçado por cães. Ecologia de Populações
  • 73. Vocabulário Ceco (caecum): uma bolsa ou tubo no começo do intestino grosso Ecologia de Populações
  • 74. Verdadeiro o falso? O sistema digestivo da Ailuropoda melanoleuca é tão eficiente em degradar as folhas de bambo, passa a maior parte do dia dormindo. Ecologia de Populações
  • 75. Falso! Ailuropoda melanoleuca evolui recentemente dos ursos, e quase não tem especialização digestiva para uma dieta vegetal Ailuropoda melanoleuca gasta a maior parte do dia mastigando folhas até o limite de sua capacidade reduzida (recuperando < 20% da celulose como açúcar)1 Ecologia de Populações
  • 76. Verdadeiro ou Falso? Fato: O ceco de Equus ferus caballus cavalo tem > 1 m de comprimento A evolução criou uma estrutura com a saída ao lado oposto da entrada, assim maximizando a eficiência digestiva? Ecologia de Populações
  • 77. Falso! Aparentemente não é a melhor solução, mas o que existe é suficiente…ainda estão vivos! Esse arranjo absurdo causa muitos problemas para os cavalos Ecologia de Populações
  • 78. Verdadeiro ou falso? Nos coelhos, o ceco está localizado anteriormente ao intestino fino, que permite a absorção eficiente da glicose extraída da celulose por bactéria Ecologia de Populações
  • 79. Falso! O ceco está localizado após o intestino fino comprido, e a estratégia do coelho é de se alimentar de parte de seus pellets fecais que já foram processados no ceco. Essa repescagem coloca o ceco efetivamente antes do intestino fino, resolvendo o problema Ecologia de Populações
  • 80. Olhe o tamanho do caecum. Por que??? 1a rodada 2a rodada Intestino fino estômago caecum fígado cecotrofos pâncreas colo Recto com pellets fecais Ecologia de Populações Anus
  • 81. Verdadeiro ou Falso? Fato: Bos primigenius é Um ruminante; e têm uma câmara especial de fermentação (o rúmen) Avalie: Bos primigenius mastiga o pasto com tanta eficiência que somente precisa passa por um rúmen pequeno em caminho ao resto do sistema digestivo? Ecologia de Populações
  • 82. Falso Bos primigenius mastiga de novo o material regurgitado do rúmen; 500 ciclos por dia. O rúmen tem uma capacidade de aproximadamente 400 litros Ecologia de Populações
  • 83. Ruminant digestion O rumem fica na camará de fermentação onde bactéria e protozoa hidroliza a celulose a cenobiose e (açucares), que sofrem mais hidrolizaçao para formar ácidos de gordura “Os ruminantes são os herbívoros vertebrados mais dominantes da Terra, devido parcialmente a evolução dentro desse grupo de um mecanismo que usa microorganismos para degradar os componentes da plantas não suscetíveis ao ataque das enzimas do ruminante.” (Hungate 1975) Ecologia de Populações
  • 84. Ruminant digestion Abomaso é como um estomago monogástrico. O ruminante faz digestão de todo incluindo os micróbios simbióticos, dos quais obtém em adição nitrogênio Existem muitas espécies de micróbios simbióticos que formam um sistema ecológico complexo dentro do hospedeiro. Bacteriodes succinogenes e Ruminococcus albus estão entre a bactéria celulítica mais importantes do rumem. Methanobacterium ruminantium ataca os produtos secundários da digestão Ecologia de Populações
  • 85. Pelo menos terminam rúmen esôfago omaso reticulo obamaso Verdadeiro ou falso? Quando Bos primigenius termina finalmente com o pasto, quase toda a energia que pode ser retirada sumiu? Ecologia de Populações
  • 87. De volta as vacas-verdadeiro ou falso? Nos bezerros dos ruminantes a leite materna é canalizada ao rúmen como o resto da comida, onde uma perda significante de nutrição ocorre devido a digestão por bactéria? Ecologia de Populações
  • 88. De volta as vacas Falso!!! “em quase todos os fermentadores o intestino grosso tem um sulco ventricular (reticuli) que leva diretamente do esôfago a estomago posterior (abdômen nos ruminantes). Isso garanta que quando mama a leite é canalizada diretamente ao abdômen desviando da fermentação caro do rúmen.“ Ecologia(de Populaçõesand Comp. Biol, 42: 319-326 (2002)) R. L. Mackie, Intro.
  • 89. Verdadeiro ou Falso? Felizmente estamos livres do caecum, e temos um sistema digestivo linear, mas comprido, sem a presença de câmaras? Falso!! Seu apêndice pode não ser precisa (ou útil) para qualquer coisa, mais ainda existe como seu caecum vestigial! Ecologia de Populações
  • 90. Onde estamos? Gambá Você Ecologia de Populações Canguru Coelho Coala Zebra
  • 92. A Apêndice A apêndice e o caecum tomam papeis vitais na digestão de celulose nos animais herbívoros. Mamíferos, como coelhos, têm apêndices, mas a apêndice têm função definida. Nos coelhos, a apêndice tem um papel importante no sistema imunológico, com a metade dos tecidos linfáticos encontrada na apêndice. Ecologia de Populações
  • 93. A Apêndice Ecologia de Populações
  • 94. A Apêndice “A apêndice n, do colo n m, é parte do caecum e é capaz de contração e dilação de forma que ar excessivo não ruptura o." Leonardo da Vinci “Sua importância maior parece ser o apoio financeiro da profissão de cirurgião.” Ecologia de Populações
  • 95. A Controvérsia da Apêndice A apêndice humana é uma estrutura fina do sistema digestivo no fim do “caecum” e que diminua gradualmente durante nosso crescimento. Os biólogos acreditam que a apêndice é um vestígio de um órgão encontrado em mamíferos que consumem quantidades grandes de celulose, um componente principal de gramíneas. Nosso conhecimento atual é que o Homem não usa mais esse órgão porque nossas dietas mudaram. A apêndice pode ser retirada cirurgicamente sem causar efeitos secundários grandes. Ecologia de Populações
  • 96. A Função da Apêndice No Homem, as enzimas usadas para fazer digestão da celulose se encontram em níveis baixos no caecum e quase não se encontram na apêndice. Além disso, a maioria dos tecidos linfáticos se encontram nos intestinos grossos e finos. Professor Loren G. Martin, Universidade Estadual de Oklahoma, acredita, que no desenvolvimento inicial do embrião, a apêndice serve uma função importante no sistema imune, e que a apêndice “ensina” o sistema imune para distinguir patógenos perigosos de partículas alimentares não perigosas. Ecologia de Populações
  • 97. The Descent of Man (1871) • Darwin cita as estruturas vestigiais como evidencia da evolução. • “…que o Homem é descendente de uma forma organizada primitiva, será desagradável para muitas pessoas. Mas não existe dúvida de que somos descendentes dos bárbaros.” • Porém, precisamos reconhecer, que o Homem com todas suas qualidades nobres ... Ainda carrega no seu corpo o carimbo indelével de sua origem inferior. Ecologia de Populações
  • 98. Vestigial Uma traçada, evidencia, ou signo visível de algo que existiu uma vez ou não aparece mais. Biologia. Uma estrutura rudimentar ou degenerada, usualmente não funcional, que é um remanescente de um órgão ou parte que foi desenvolvido ou funcionando numa geração anterior ou um estágio anterior de desenvolvimento. Ecologia de Populações
  • 99. ▪ O biólogo Robert Wiedersheim em 1893 fez uma lista de 86 órgãos vestigiais incluindo: Adenoides Pelo corporal Músculos de orelha Membrana nictitante do olho Nodos das orelhas Glândula Pineal Músculo Plantaris Ossos III,IV, e V dos dedos Válvulas das veias Ecologia de Populações Apêndice Cóccix Glândulas Lacrimais Mamilos masculinos Paratireoide Glândula Pituitária Timo Amígdalas Dentes de juízo From wikipedia.com
  • 100. Mas Adenoides e amígdala – Funções importantes no sistema imunológica durante o primeiro ano de vida. Glândulas Lacrimais –produzem lagrimas que umedecem e limpam os olhos. Paratireoide – mantém níveis de cálcio Glândula Pineal -produz melatonina e regula os ritmos diários Glândula Pituitário - Controla: crescimento, pressão sanguínea, produção de leite, funções da glândula tiroide e órgãos sexuais, aspectos da gravidez. Timo –Importante no desenvolvimento de células sanguíneas brancas. Ossos III, IV e V nos dedos do pé- importantes na locomoção e balance. Válvulas das veias –controla o retorno sanguíneo ao coração vencendo a gravidade. Ecologia de Populações
  • 101. O Cóccix Os organismos usam o cóccix para balance, comunicação e locomoção; Outros organismos como cães têm um cóccix muito maior e mais pronunciado do que no Homem. Formado pela fusão de 4 cóccix. O cóccix humano forma um gancho pequeno no fim do coluna vertebral.. Sua função anterior era de suporte do rabo e os nervos associados com o rabo. Atualmente serve como ponto de ligação muscular do gluteus maximus. Tem a função de amortecedor mas sem função na movimentação ou equilíbrio Ecologia de Populações
  • 102. Plica semilunaris A remanescente da “terceira palpita” ou membrana nictitante. • No Homem ainda funciona para expelir o muco dos olhos. Ecologia de Populações
  • 103. Arrepio e Calafrio São reflexos vestigiais. Nos mamíferos com pelo o arrepio permitiu que os pelos ficaram eretos e o animal aparentava ser maior como defesa ou sinalização. O calafrio ainda serve a função de esquentar o corpo com vários milhares de músculos contratando para criar calor. From wiki Ecologia de Populações
  • 104. Plantaris Longus Plantaris longus é o músculo nos primatas que é usada para agarrar árvores com os pés. No Homem funciona fracamente para permitir que ficamos a ponto de pé e de fazer flexão do joelho” Quase 10% das pessoas não tem essa estrutura Ecologia de Populações
  • 105. Músculos Externos da Orelha Os primatas tem três músculos pequenos na parte externa da orelha, que são usados para orientar as orelhas na direção do som. No Homem, a maioria das pessoas não tem controle sobre esses músculos. Ecologia de Populações
  • 106. Dentes de Juízo Chamados dentes de juízo porque nascem a idades de 17 a 21, uma idade de mais juízo do que quando os dentes anteriores nascerem! A maioria das pessoas tem 4 dentes de juízo mas o número varia entre 0 e 4. Podem ser impactados em osso ou tecido mole e não conseguem nascer. Existem várias teorias do por que os dentes de juízo tem utilidade limitada: Temos uma dieta mais refinada sem a necessidade de molares adicionais Os dentes têm menor probabilidade de serem perdidos, tornando “substituições” não necessárias. O Homem evolveu uma mandíbula menor. Ecologia de Populações
  • 107. Outras Estruturas Vestigiais no Homem Genes de Vitamina C - Ascórbico A genoma humana tem a maioria dos genes necessários para produzir internamente a vitamina C, mas o Homem não tem essa capacidade. Evolveu esse atributo porque os humanos ancestrais consumiram muita vitamina C em sua dieta diária. Ecologia de Populações
  • 108. O Mito dos Mamilos Masculinos Os mamilos masculinos não são órgãos vestigiais porque NUNCA tiveram função. Os mamilos dos dois sexos cedo na gravidez. A testosterona que produz a “masculinidade” não aparece antes da formação dos mamilos as 14 semanas. Ecologia de Populações
  • 109. Seu apêndice agora não tem função para nada, ainda existe, seu caecum vestigial! Você Você Ecologia de Populações Coelho Zebra
  • 110. O hypocone dos mamíferos e a radiação adaptativa Evoluiu > 20 vezes de forma independente durante os últimos 65 Milhões de anos. Os grupos com hypocone diversificaram mas do que os grupos sem. O hypocone melhora o processamento de matéria vegetal. Por que? Ecologia de Populações
  • 111. Sem hypocone Vestígios de hypocone hypocone Ecologia de Populações
  • 113. Volte a aula em 15 minutos Café, salgadinhos, doces e refrigerantes podem ser comprados na cantina Ecologia de Populações