SlideShare uma empresa Scribd logo
1
A AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR
2013-2014
I - INTRODUÇÃO
ENQUADRAMENTO NORMATIVO
As principais orientações normativas relativas à avaliação na Educação Pré-Escolar estão
consagradas no Despacho nº 5220/07 de 4 de Agosto (Orientações Curriculares para a
Educação Pré-Escolar) e no Ofício Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007, de 17 de Outubro da
DGIDC (Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar). As orientações neles contidas articulam-
se com o Decreto-Lei nº 241/2001 de 30 de Agosto (Perfil Específico de Desempenho
Profissional do educador de Infância), devendo também ter em consideração as Metas de
Aprendizagem definidas para o final da Educação Pré-Escolar.
“Avaliar o processo e os efeitos, implica tomar consciência da ação para adequar o processo
educativo às necessidades das crianças e do grupo e à sua evolução. A avaliação realizada com
as crianças é uma atividade educativa, constituindo também uma base de avaliação para o
educador…a avaliação é suporte do planeamento” in Orientações Curriculares para a Educação
Pré-Escolar, (v.p.27).
No Perfil de Desempenho Profissional do Educador de Infância, é referido que o educador
”avalia, numa perspetiva formativa…” (anexo nº 1, alínea e), ponto 3, Capítulo II).
Na perspetiva das Metas de Aprendizagem a avaliação deverá ser encarada como
monitorização dos processos das aprendizagens efetuadas pelas crianças. Este documento é
um referencial para os educadores de infância planearem processos, estratégias e modos de
progressão de forma a que todas as crianças possam realizar aprendizagens em cada área de
conteúdo, antes de ingressarem no 1º ciclo do ensino básico.
Por outro lado, o currículo em educação de infância é concebido pelo educador, através da
planificação, organização e avaliação do ambiente educativo, bem como das atividades e
2
projetos curriculares, com vista à construção de aprendizagens integradas, que irão sendo
avaliadas numa perspetiva formativa.
A avaliação formativa é um processo integrado que implica o desenvolvimento de estratégias
de intervenção adequadas às características de cada criança e do grupo, incidindo
preferencialmente sobre os processos, entendidos numa perspetiva de construção progressiva
das aprendizagens e de regulação da ação.
II- FINALIDADES
A avaliação, enquanto elemento integrante e regulador da prática educativa, permite uma
recolha sistemática de informação que, uma vez analisada e interpretada, sustenta a tomada
de decisões adequadas e promove a qualidade das aprendizagens.
Assim, a avaliação tem como finalidade:
 contribuir para a adequação das práticas, tendo por base uma recolha sistemática de
informação que permita às educadoras regularem a atividade educativa, tomar
decisões, planear e ação;
 refletir sobre os efeitos da ação educativa, a partir da observação de cada criança e do
grupo de modo a estabelecer a progressão das aprendizagens;
 promover e acompanhar processos de aprendizagem, tendo em conta a realidade do
grupo e de cada criança, favorecendo o desenvolvimento das suas competências e
desempenhos, de modo a contribuir para o desenvolvimento de todas e de cada uma;
 envolver a criança num processo de análise e de construção conjunta, que lhe permita,
enquanto protagonista da sua aprendizagem, tomar consciência dos progressos e das
dificuldades que vai tendo e como as vai ultrapassando;
 conhecer a criança e o seu contexto, numa perspetiva holística, o que implica
desenvolver processos de reflexão, partilha de informação e aferição entre os vários
intervenientes – pais, equipa e outros profissionais – tendo em vista a adequação do
processo educativo.
3
III – PRINCÍPIOS
A avaliação assenta nos seguintes princípios:
 caráter holístico e contextualizado do processo de desenvolvimento e aprendizagem
da criança;
 coerência entre os processos de avaliação e os princípios subjacentes à organização e
gestão do currículo definidos nas Orientações Curriculares para a Educação Pré-
Escolar;
 utilização de técnicas e instrumentos de observação e registo diversificados;
 caráter marcadamente formativo;
 valorização dos progressos da criança;
 promoção da igualdade de oportunidades e equidade.
IV- PROCESSOS DE AVALIAÇÃO
 avaliação diagnóstica – Com esta avaliação as educadoras pretendem conhecer o que
cada criança e o grupo já sabem e são capazes de fazer, as necessidades e interesses e
os seus contextos familiares que servirão de base para a tomada de decisões da ação
educativa, no âmbito do projeto curricular de grupo.
 avaliação formativa - esta avaliação permite a adoção de estratégias de diferenciação
pedagógica, contribuindo para a elaboração, adequação e reformulação do projeto
curricular de grupo e ainda para facilitar a integração da criança no contexto
educativo.
 avaliação realizada com as crianças – a participação das crianças na avaliação
promove o seu envolvimento na construção do processo educativo, constituindo
também uma base da avaliação para as educadoras.
A avaliação em Educação Pré-Escolar, enquanto processo contínuo de registo dos
progressos realizados pela criança, ao longo do tempo, utiliza procedimentos de natureza
descritiva e narrativa, centrados sobre o modo como a criança aprende, como processa a
informação, como constrói conhecimento ou resolve problemas, em articulação com as
4
Áreas de Conteúdo das Orientações Curriculares e as Metas de Aprendizagem para a
Educação Pré-Escolar.
V- INTERVENIENTES NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO
A avaliação é da responsabilidade da educadora titular de grupo, competindo-lhe definir
uma metodologia de avaliação de acordo com as conceções e opções pedagógicas, capaz
de integrar de forma articulada os conteúdos das diferentes áreas das Orientações
Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Para além da educadora intervêm no processo de
avaliação:
 as crianças;
 a equipa (outros docentes, assistentes operacionais, outros técnicos ou
agentes educativos) com responsabilidades na educação da criança;
 os encarregados de educação;
 os órgãos de gestão – os dados da avaliação realizados pelo Departamento
Curricular de Educação Pré-Escolar, deverão estar na base das orientações e
decisões, bem como, na mobilização e coordenação dos recursos educativos
existentes.
VI – MÉTODOS E INSTRUMETOS DE AVALIAÇÃO
Avaliar é um ato pedagógico que requer uma atitude e um saber específico que permitam
desenvolver estratégias adequadas, tendo em conta os contextos de cada criança e do
grupo no respeito pelos valores de uma pedagogia diferenciada.
Neste sentido, compete às educadoras, de acordo com as suas opções metodológicas,
utilizar técnicas e instrumentos de observação e registo diversificados:
 observação;
 entrevistas;
 abordagens narrativas;
 fotografias;
 gravações de áudio e vídeo;
5
 registos de auto-avaliação;
 portefólios construídos com as crianças;
 questionários a crianças, pais ou outros parceiros educativos;
 outros.
Considerando que a avaliação é realizada em contexto, qualquer momento de interação,
qualquer tarefa realizada pode permitir às educadoras a recolha de informação sobre as
aprendizagens e progressos realizados pela criança e pelo grupo. e simultaneamente
recolher elementos concretos para a reflexão e adequação da sua intervenção educativa.
VII – MOMENTOS DE AVALIAÇÃO
Apesar da avaliação ser um processo contínuo importa definir alguns procedimentos:
 Avaliação diagnóstica
 será realizada no início do ano letivo sob a forma de caracterização do grupo, de
identificação de interesses e necessidades e tem como objetivo a elaboração a
adequação do projeto curricular de grupo e a adoção de estratégias de diferenciação
pedagógica;
 Na caracterização do grupo, no que concerne à avaliação de desenvolvimento por
níveis etários, devem ser referidos os seguintes aspetos:
- 3 anos: adaptação; autonomia; socialização; interesse pelas atividades;
- 4 anos: autonomia; interação entre as crianças e com os adultos; cumprimento de
regras; interesse e participação nas atividades; curiosidade e desejo de aprender;
motricidade global e fina; jogo simbólico; linguagem oral.
- 5 /6 anos: autonomia/iniciativa; cooperação/partilha; cumprimento de regras e
tarefas; interesse e desempenho nas atividades; esquema corporal; motricidade global
e fina; expressões dramática/ plástica/musical; linguagem oral e abordagem à escrita;
conceitos lógico-matemáticos; interesse pelo meio físico e social.
 Poderá realizar-se em qualquer momento como forma de regular o processo
educativo;
6
 AVALIAÇÃO FORMATIVA
 No final dos 1º e 2º períodos letivos
- As educadoras procederão à sistematização das informações recolhidas através do
preenchimento do Registo de Observação/Avaliação do desenvolvimento e das
aprendizagens das crianças;
- De acordo com o Despacho nº 8248/2013, ponto 1.6, “na programação das reuniões
de avaliação é assegurada a articulação entre os educadores de infância e os
professores do 1º ciclo do ensino básico, de modo a garantir o acompanhamento
pedagógico das crianças no seu percurso entre aqueles níveis de educação e de
ensino”.
- Ainda de acordo com o mesmo despacho, o ponto 1.8 refere que “no final dos 1º e
do 2ºperíodos letivos, correspondentes aos ensinos básico e secundário, os
educadores de infância dispõem de um período para realizarem a avaliação das
crianças da respetiva turma, que é obrigatoriamente coincidente com o período de
avaliação estipulado para o 1º ciclo do ensino básico, com o objetivo de permitir a
articulação desse processo avaliativo com os professores daquele nível de ensino”.
- As educadoras comunicarão aos Pais e Encarregados de Educação a avaliação do
desenvolvimento e das aprendizagens das crianças, centrando-se numa apreciação
positiva, sem omitir as dificuldades que possam existir.
 No final do ano letivo
- “Imediatamente após o final do 3º período letivo, previsto para a educação pré-
escolar, os educadores de infância devem realizar a avaliação das aprendizagens das
crianças da respetiva turma e procederem à sua articulação com o 1º ciclo do ensino
básico” (ponto 1. 7).
- Em reunião de Conselho de Docentes as educadores comunicarão, aos professores
das crianças que transitam para o 1º Ciclo, as aprendizagens mais significativas de cada
criança, realçando o seu percurso, evolução e progressos, centrando-se numa apreciação
positiva, sem omitir as dificuldades que possam existir.
7
CRITÉRIOS GERAIS PARA A AVALIAÇÃO DAS CRIANÇAS QUE FREQUENTAM
O ENSINO PRÉ- ESCOLAR
 COMPETÊNCIAS PARA A EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR
As Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar definem, de uma forma global, as
condições favoráveis para que as crianças possam iniciar o 1º Ciclo com possibilidades de
sucesso. No entanto, importa definir um conjunto de competências mais específicas, por
áreas de conteúdo e por níveis etários, que orientem as educadoras na avaliação do
desenvolvimento e das aprendizagens das crianças.
COMPETÊNCIAS – 3 ANOS
ÁREA DA FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL
Estabelece relações afetivas com os adultos
Estabelece relações afetivas com os seus pares
Sabe dizer o seu nome
Sabe dizer a sua idade
Nomeia as principais partes do corpo
Identifica as principais partes do corpo
8
Participa nas rotinas diárias do JI (arruma os seus pertences, vai ao wc, veste e despe
algumas peças de roupas sem botões/fechos)
Participa em atividades de grupo
Inicia a partilha de brinquedos
Cumpre regras (espera pela sua vez para participar; arruma os materiais que utiliza)
É autónomo nas atividades da sala (inicia o trabalho sozinho, escolhe sozinho o que vai fazer,
utiliza diferentes materiais da sala)
Pede a colaboração do adulto para resolver problemas
Sabe utilizar regras de convivência social (bom dia, obrigada, por favor…)
ÁREA DE EXPRESSÃO E COMUNICAÇÃO
Desenha a figura humana simples
Atribui significado ao que faz
Utiliza diversos materiais de expressão plástica
Segura lápis e pincel corretamente
Amachuca pedaços de papel para fazer bolas
9
Adapta o corpo a diferentes posturas por imitação
Cria os seus próprios jogos e brincadeiras (casinha das bonecas, garagem etc.)
Representa uma personagem numa peça ou história
Reproduz canções mimadas
Imita vozes de animais e sons familiares
Anda, salta, corre
Sobe escadas com alternância de pés
Desce escadas com alternância de pés
Pontapeia uma bola
DOMÍNIO DA LINGUAGEM ORAL E ABORDAGEM À ESCRITA
Compreende uma tarefa/ordem se o discurso for simples e direto
Utiliza frases simples
Identifica e nomeia objetos pela sua função
10
Descreve e identifica imagens simples
Comunica verbalmente com o adulto (responde a perguntas simples, conta acontecimentos do
dia a dia, faz perguntas)
Comunica verbalmente com os seus pares
Gosta de ver livros
Gosta de ouvir histórias
DOMÍNIO DA MATEMÁTICA
Identifica cores primárias (vermelho, azul e amarelo)
Tem noção de: grande/pequeno
Tem noção de dentro/fora
Tem noção de em cima/em baixo
Agrupa objetos segundo uma característica
Identifica objetos iguais
Faz jogos de encaixe com figuras simples/puzzles
11
Faz construções em volume (torres, comboios)
ÁREA DO CONHECIMENTO DO MUNDO
Mostra interesse pelo meio envolvente (é curioso, é observador, faz perguntas)
Identifica os principais membros da família (pai, mãe, irmãos, avós)
Identifica alguns estados meteorológicos (está calor, está frio, está a chover)
Reconhece plantas
Reconhece animais
Distingue dia /noite
Mostra interesse pelas festividades (natal, carnaval, aniversário)
12
COMPETÊNCIAS - 4 ANOS
ÁREA DA FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL
Estabelece relações afetivas com os adultos
Estabelece relações afetivas com os seus pares
Sabe dizer o nome e apelido
Sabe dizer a sua idade
Sabe dizer o nome dos pais e dos irmãos
Identifica e nomeia as diferentes partes do corpo
Identifica-se como pertencendo ao sexo M/F
Exprime sentimentos/emoções
Nomeia os seus amigos
Brinca em cooperação com outras crianças
Manifesta atitudes de respeito pelos outros
13
Partilha objetos /materiais
Espera pela sua vez para participar
Conhece e respeita as regras de convivência
Respeita as regras do jogo
Participa em atividades de grupo
Inicia e termina uma tarefa/atividade
Pede ajuda quando sente dificuldades
Responsabiliza-se pelo cumprimento das tarefas que lhe são confiadas
Identifica as diversas áreas da sala e utiliza-as corretamente
Arruma os materiais disponíveis na sala
Resolve pequenos problemas sem ajuda
Revela autonomia nas rotinas (ir ao wc, comer sozinho, vestir/despir roupa sem
botões/fechos)
14
ÁREA DE EXPRESSÕES E COMUNICAÇÃO
Desloca-se no espaço obedecendo a vários ritmos e em várias direções
Salta a pés juntos
Sobe e desce escadas com alternância de pés
Salta usando alternadamente um pé e o outro
Pontapeia uma bola em movimento
Lança e agarra uma bola com as duas mãos
Revela equilíbrio em várias situações (andar, correr, saltar)
Rola sobre si próprio
Situa-se relativamente aos outros e aos objetos
Recorta com tesoura sobre uma linha simples
Pega corretamente no lápis/pincel
Desenha a figura humana com, pelo menos, as três partes principais
Inicia a pintura figurativa
15
Explora e utiliza diferentes materiais
Respeita espaços delimitados
Modela com intenção de obter um resultado
Utiliza linguagem corporal e gestual
Imita/representa vivências familiares
Mima com facilidade histórias/canções/lengalengas
Assume um papel numa dramatização
Reproduz ritmos simples utilizando o próprio corpo
Identifica e reconhece diferentes sons (meio envolvente, vozes humanas, natureza…)
Memoriza canções simples
Respeita momentos de silêncio
Movimenta-se ao som de ritmos diferentes
16
DOMÍNIO DA LINGUAGEM ORAL E ABORDAGEM À ESCRITA
É comunicativo (participa nas conversas da sala, relata acontecimentos)
Transmite recados (se forem simples e curtos)
Utiliza frases corretas
Descreve imagens com pormenor
Conta/reconta histórias simples
Tem vocabulário adequado à idade
Identifica o nome próprio
Escreve o nome com recurso a um modelo
Participa nos registos escritos
DOMÍNIO DA MATEMÁTICA
Identifica 5 a 10 cores
Conta estabelecendo correspondência um a um
17
Ordena segundo um modelo
Classifica atendendo a critérios (cor, tamanho, forma, função)
Identifica/nomeia o círculo e o quadrado
Tem noção de: grande /pequeno
dentro/fora
à frente/atrás
lento/rápido
em cima/em baixo
Identifica muito, pouco/nada
Identifica aberto/fechado
Elabora puzzles com nove ou mais peças
Conta sequencialmente até:
ÁREA DO CONHECIMENTO DO MUNDO
Conhece alguns aspetos do ambiente natural e social
Identifica condições atmosféricas
18
Respeita e valoriza a preservação do meio ambiente
Identifica e nomeia diferentes tipos de transporte
Participa em festividades
Revela curiosidade e desejo de saber
Revela interesse pela realização de experiências
Responde a questões sobre o que observou
Distingue e caracteriza: manhã/tarde/noite
19
COMPETÊNCIAS – 5/6 ANOS
ÁREA DA FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL
Estabelece relações afetivas com os adultos
Estabelece relações afetivas com os seus pares
Sabe dizer o nome completo
Sabe dizer a idade
Sabe dizer a data de aniversário
Sabe dizer onde mora
Identifica os principais membros da família e respetivo grau de parentesco
Partilha ideias
Respeita as características dos outros
Aceita pequenas frustrações e tenta superar dificuldades
Participa e coopera em atividades de grupo
20
Adapta-se a novas situações
Mostra iniciativa e participa na tomada de decisões, nas atividades diárias
Valoriza o trabalho, reconhece os erros e aceita as correções
Veste-se e despe-se sozinha
Calça-se corretamente
É autónomo em relação à higiene (vai sozinha ao wc, lava mãos sozinha)
Desenvolve atitudes de ajuda e colaboração com o grupo
Partilha objetos pessoais
Espera pela sua vez de falar e de participar nas atividades
Escolhe/planeia o que vai fazer, inicia, persiste e termina uma tarefa sem ajuda
Revela sentido crítico
Respeita as regras de jogos em grupo
Cumpre as regras da sala (utiliza as áreas corretamente, arruma os materiais disponíveis,
etc.)
21
ÁREA DE EXPRESSÃO E COMUNICAÇÃO
Apresenta coordenação global do movimento
Salta ao pé-coxinho
Mantém o equilíbrio em situações estáticas e dinâmicas
Posiciona-se em relação a algo ou alguém, a partir de uma ordem verbal
Imita posições com o corpo
Identifica a direita e a esquerda em si próprio
Memoriza e realiza percursos simples
Realiza atividades de controlo motor fino
Recorta uma imagem com contornos irregulares
Recria/mima/dramatiza situações do quotidiano/e ou imaginário
Exprime emoções/sentimentos
Utiliza formas de expressão não verbal
Utiliza adereços
22
Nas dramatizações coordena o seu papel com outras crianças/adulto
Representa para um público diferente (que não pertence à sua sala)
Desenha a figura humana com pormenores
Faz desenhos com detalhes
Representa graficamente uma história/ personagem/ um acontecimento
Manifesta um progressivo controlo do traço e de orientação no espaço gráfico
Experimenta diversas técnicas e materiais
Utiliza criativamente materiais de desperdício
Exprime-se através da pintura, digitinta, recorte, colagem e modelagem
Preocupa-se com a apresentação dos trabalhos
Sabe escutar e identificar diferentes sons
Sabe cantar várias canções simples
Reproduz ritmos
Explora e identifica a intensidade, a altura a duração e timbre dos sons
23
Reconhece e nomeia instrumentos musicais
Utiliza instrumentos musicais individualmente e em grupo
Exprime-se através da dança
DOMÍNIO DA LINGUAGEM ORAL E ABORDAGEM À ESCRITA
Conta, reconta e inventa histórias
Mantém uma conversa participando de forma alternada
Utiliza vocabulário diversificado
Articula as palavras com clareza
Utiliza frases corretas e complexas
Compreende e executa uma sequência de ordens/tarefas
Relata experiências vividas
Planeia oralmente o que pretende fazer e conta o que realizou
Realiza leitura e interpretação de imagens, códigos e símbolos
Organiza sequências
24
É capaz de distinguir a escrita do desenho e dos números
Reconhece símbolos convencionais
Reproduz símbolos e algumas palavras
Estabelece correspondência entre o código oral e escrito
Compreende as diferentes funções da escrita
Aplica o sentido da leitura e da escrita (da esquerda para a direita e de cima para baixo)
Identifica e reproduz o seu nome sem recurso a modelo
Sabe produzir rimas simples de palavras
Reconhece os sons das palavras que começam ou acabam de forma igual
DOMÍNIO DA MATEMÁTICA
Identifica e nomeia todas as cores e tonalidades
Conta até 10, estabelecendo correspondência um a um
Identifica e nomeia a ordem: 1º, 2º 3º
Ordena sequências de 3 ou mais itens
25
Identifica e nomeia as figuras geométricas básicas (retângulo, triângulo, círculo e
quadrado)
Classifica e forma conjuntos de acordo com critérios previamente estabelecidos
Reconhece semelhanças e diferenças
Distingue o ontem, hoje e amanhã
Explora as unidades de tempo, dia, semana mês
Identifica os conceitos grosso/fino; largo/estreito, leve/pesado
Identifica posições face a um elemento de referência: em cima/em baixo; dentro/fora;
interior/exterior, à frente/atrás; debaixo; à volta de
Compara tamanhos e pesos entre objetos
Tem a noção de quantidade
Faz seriações
Resolve problemas simples
26
ÁREA DO CONHECIMENTO DO MUNDO
Observa/explora aspetos do meio físico e social
Identifica e caracteriza as estações do ano
Observa e identifica os fenómenos atmosféricos mais frequentes
Reconhece e identifica elementos da natureza: água, terra, ar
Identifica alguns fatores de poluição e valoriza a preservação do meio ambiente
Identifica e compreende as funções de algumas partes do corpo
Conhece as regras de uma alimentação saudável
Identifica profissões e reconhece a sua importância para a sociedade
Manifesta curiosidade em aprender
Mostra gosto pela pesquisa e experimentação
Observa e formula questões
Dá sugestões para a resolução de problemas
Distingue e carateriza: manhã/tarde/noite
27
Regista o que observou
CONCLUSÃO
Este documento pretende clarificar e uniformizar os procedimentos e práticas
organizativas e pedagógicas relativamente à avaliação na Educação Pré-Escolar, no
Agrupamento de Escolas de S. Julião da Barra.
A definição de competências procura ser uma referência e uma orientação para as
educadoras, sem pôr em causa o respeito pelos valores de uma pedagogia diferenciada.
Neste contexto, a avaliação deve centrar-se sempre na criança e na sua evolução e a
referência comparativa deve ser sempre a própria criança, em diferentes momentos de
aprendizagem.
Tendo como principal função a melhoria da qualidade das aprendizagens, a avaliação
implica, no quadro da relação entre o Jardim-de infância, a família e a escola, uma
construção partilhada que passa pelo diálogo, pela comunicação de processos e resultados,
tendo em vista a criação de contextos facilitadores de um percurso educativo e formativo
de sucesso.
Aprovado pelo conselho pedagógico do Agrupamento de Escolas de São Julião da
Barra em 7 de novembro de 2013

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Planificacao Março
Planificacao MarçoPlanificacao Março
Planificacao Março
SalaAmarela Enxara Do Bispo
 
Planificação novembro
Planificação novembroPlanificação novembro
Planificação novembro
Diamantina Caeiro
 
Planificação dia de reis
Planificação dia de reisPlanificação dia de reis
Planificação dia de reis
mvaznunes
 
Planificacao Janeiro
Planificacao JaneiroPlanificacao Janeiro
Planificacao Janeiro
SalaAmarela Enxara Do Bispo
 
Manual de acolhimento bercario
Manual de acolhimento bercarioManual de acolhimento bercario
Manual de acolhimento bercario
jicnsn
 
Relatorio sintese PCG
Relatorio sintese PCGRelatorio sintese PCG
Relatorio sintese PCG
SalaAmarela Enxara Do Bispo
 
Relatorio 3periodo sala-amarela-2012-2013
Relatorio 3periodo sala-amarela-2012-2013Relatorio 3periodo sala-amarela-2012-2013
Relatorio 3periodo sala-amarela-2012-2013
SalaAmarela Enxara Do Bispo
 
Educação pré escolar avaliação das crianças e as metas de aprendizagem
Educação pré escolar avaliação das crianças e as metas de aprendizagemEducação pré escolar avaliação das crianças e as metas de aprendizagem
Educação pré escolar avaliação das crianças e as metas de aprendizagem
Maria João Silva
 
Manual de acolhimento creche
Manual de acolhimento crecheManual de acolhimento creche
Manual de acolhimento creche
jicnsn
 
Relatorio 2º Periodo
Relatorio 2º Periodo Relatorio 2º Periodo
Relatorio 2º Periodo
SalaAmarela Enxara Do Bispo
 
Planificação 22 de abril a 16 maio 2013-2014
Planificação 22 de abril a 16 maio   2013-2014Planificação 22 de abril a 16 maio   2013-2014
Planificação 22 de abril a 16 maio 2013-2014
mvaznunes
 
Relatório Síntese 2º Período
Relatório Síntese 2º PeríodoRelatório Síntese 2º Período
Relatório Síntese 2º Período
SalaAmarelaJIGradil
 
Relatorio 3º Periodo 2011-2012
Relatorio 3º Periodo 2011-2012Relatorio 3º Periodo 2011-2012
Relatorio 3º Periodo 2011-2012
SalaAmarela Enxara Do Bispo
 
1 planificação setembro convertido
1 planificação setembro convertido1 planificação setembro convertido
1 planificação setembro convertido
ermelinda mestre
 
Projeto rei leão
Projeto rei leãoProjeto rei leão
Projeto rei leão
Nokkas
 
Planificacao Maio
Planificacao MaioPlanificacao Maio
Planificacao Maio
SalaAmarela Enxara Do Bispo
 
projecto curricular de grupo sala 3
projecto curricular de grupo sala 3projecto curricular de grupo sala 3
projecto curricular de grupo sala 3
fatimasilva1957
 
Projecto curricular de sala 3 anos (leandra vital)
Projecto curricular de sala   3 anos (leandra vital)Projecto curricular de sala   3 anos (leandra vital)
Projecto curricular de sala 3 anos (leandra vital)
leandravital
 
Relatorio Sintese 3º Periodo
Relatorio Sintese 3º PeriodoRelatorio Sintese 3º Periodo
Relatorio Sintese 3º Periodo
SalaAmarelaJIGradil
 

Mais procurados (20)

Planificacao Março
Planificacao MarçoPlanificacao Março
Planificacao Março
 
Planificação novembro
Planificação novembroPlanificação novembro
Planificação novembro
 
Planificação dia de reis
Planificação dia de reisPlanificação dia de reis
Planificação dia de reis
 
Planificacao Janeiro
Planificacao JaneiroPlanificacao Janeiro
Planificacao Janeiro
 
Manual de acolhimento bercario
Manual de acolhimento bercarioManual de acolhimento bercario
Manual de acolhimento bercario
 
Relatorio sintese PCG
Relatorio sintese PCGRelatorio sintese PCG
Relatorio sintese PCG
 
Relatorio 3periodo sala-amarela-2012-2013
Relatorio 3periodo sala-amarela-2012-2013Relatorio 3periodo sala-amarela-2012-2013
Relatorio 3periodo sala-amarela-2012-2013
 
Educação pré escolar avaliação das crianças e as metas de aprendizagem
Educação pré escolar avaliação das crianças e as metas de aprendizagemEducação pré escolar avaliação das crianças e as metas de aprendizagem
Educação pré escolar avaliação das crianças e as metas de aprendizagem
 
Manual de acolhimento creche
Manual de acolhimento crecheManual de acolhimento creche
Manual de acolhimento creche
 
Relatorio 2º Periodo
Relatorio 2º Periodo Relatorio 2º Periodo
Relatorio 2º Periodo
 
Planificação 22 de abril a 16 maio 2013-2014
Planificação 22 de abril a 16 maio   2013-2014Planificação 22 de abril a 16 maio   2013-2014
Planificação 22 de abril a 16 maio 2013-2014
 
Minha mãe é Negra Sim.
Minha mãe é Negra Sim.Minha mãe é Negra Sim.
Minha mãe é Negra Sim.
 
Relatório Síntese 2º Período
Relatório Síntese 2º PeríodoRelatório Síntese 2º Período
Relatório Síntese 2º Período
 
Relatorio 3º Periodo 2011-2012
Relatorio 3º Periodo 2011-2012Relatorio 3º Periodo 2011-2012
Relatorio 3º Periodo 2011-2012
 
1 planificação setembro convertido
1 planificação setembro convertido1 planificação setembro convertido
1 planificação setembro convertido
 
Projeto rei leão
Projeto rei leãoProjeto rei leão
Projeto rei leão
 
Planificacao Maio
Planificacao MaioPlanificacao Maio
Planificacao Maio
 
projecto curricular de grupo sala 3
projecto curricular de grupo sala 3projecto curricular de grupo sala 3
projecto curricular de grupo sala 3
 
Projecto curricular de sala 3 anos (leandra vital)
Projecto curricular de sala   3 anos (leandra vital)Projecto curricular de sala   3 anos (leandra vital)
Projecto curricular de sala 3 anos (leandra vital)
 
Relatorio Sintese 3º Periodo
Relatorio Sintese 3º PeriodoRelatorio Sintese 3º Periodo
Relatorio Sintese 3º Periodo
 

Semelhante a Citeriosaval preescolar 2013_2014

Apresentação_detalhada_e_aberta__Acomp._Aprendizagens.pptx
Apresentação_detalhada_e_aberta__Acomp._Aprendizagens.pptxApresentação_detalhada_e_aberta__Acomp._Aprendizagens.pptx
Apresentação_detalhada_e_aberta__Acomp._Aprendizagens.pptx
SupervisoEMAC
 
Circular gestao do curriculo
Circular gestao do curriculoCircular gestao do curriculo
Circular gestao do curriculo
Bela Catarina
 
AVALIAÇÃO-ESCOLAR-E-CONCEPÇÕES-PEDAGÓGICAS-DE-ENSINO.pdf
AVALIAÇÃO-ESCOLAR-E-CONCEPÇÕES-PEDAGÓGICAS-DE-ENSINO.pdfAVALIAÇÃO-ESCOLAR-E-CONCEPÇÕES-PEDAGÓGICAS-DE-ENSINO.pdf
AVALIAÇÃO-ESCOLAR-E-CONCEPÇÕES-PEDAGÓGICAS-DE-ENSINO.pdf
LucianeTomzRodrigues
 
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
aninhaw2
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolar
Elenkris
 
Os desafios da escola pública
Os desafios da escola públicaOs desafios da escola pública
Os desafios da escola pública
SimoneHelenDrumond
 
2014 unioeste ped_pdp_soeli_regiane_hermes
2014 unioeste ped_pdp_soeli_regiane_hermes2014 unioeste ped_pdp_soeli_regiane_hermes
2014 unioeste ped_pdp_soeli_regiane_hermes
SimoneHelenDrumond
 
2014 unioeste ped_pdp_soeli_regiane_hermes
2014 unioeste ped_pdp_soeli_regiane_hermes2014 unioeste ped_pdp_soeli_regiane_hermes
2014 unioeste ped_pdp_soeli_regiane_hermes
SimoneHelenDrumond
 
Proposta da rede estadual de avaliação formativa formatado 29 08-11
Proposta da rede estadual de avaliação formativa formatado 29 08-11Proposta da rede estadual de avaliação formativa formatado 29 08-11
Proposta da rede estadual de avaliação formativa formatado 29 08-11
Linna Braga
 
Simulado concurso professor de educacao fisica questoes concurso pedagogia ...
Simulado concurso professor de educacao fisica questoes concurso pedagogia   ...Simulado concurso professor de educacao fisica questoes concurso pedagogia   ...
Simulado concurso professor de educacao fisica questoes concurso pedagogia ...
vinicius_lyma
 
Avaliacao formativa
Avaliacao formativaAvaliacao formativa
Avaliacao formativa
Marcelo Brito
 
78751989 planejamento-escolar
78751989 planejamento-escolar78751989 planejamento-escolar
78751989 planejamento-escolar
MariGiopato
 
Artigo avaliação da aprendizagem
Artigo avaliação da aprendizagemArtigo avaliação da aprendizagem
Artigo avaliação da aprendizagem
cefaprodematupa
 
Avaliação artigo da ufpi
Avaliação artigo da ufpiAvaliação artigo da ufpi
Avaliação artigo da ufpi
Robson Eugênio
 
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao PedagogicaAvaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
Agostinho NSilva
 
Fabi e sílvia final 2
Fabi e sílvia final 2Fabi e sílvia final 2
Fabi e sílvia final 2
Mariana Correia
 
Módulo xi texto 2
Módulo xi   texto 2Módulo xi   texto 2
Módulo xi texto 2
♥Marcinhatinelli♥
 
Sugestões de como avaliar estudantes com deficiência intelectual, autismo e d...
Sugestões de como avaliar estudantes com deficiência intelectual, autismo e d...Sugestões de como avaliar estudantes com deficiência intelectual, autismo e d...
Sugestões de como avaliar estudantes com deficiência intelectual, autismo e d...
dilaina maria araujo maria
 
Atribuições do professor de educação infantil
Atribuições do professor de educação infantilAtribuições do professor de educação infantil
Atribuições do professor de educação infantil
Solange Silva Martini
 
1 artigo simone helen drumond fund. sócio, político e filosófico da educação...
1 artigo simone helen drumond  fund. sócio, político e filosófico da educação...1 artigo simone helen drumond  fund. sócio, político e filosófico da educação...
1 artigo simone helen drumond fund. sócio, político e filosófico da educação...
SimoneHelenDrumond
 

Semelhante a Citeriosaval preescolar 2013_2014 (20)

Apresentação_detalhada_e_aberta__Acomp._Aprendizagens.pptx
Apresentação_detalhada_e_aberta__Acomp._Aprendizagens.pptxApresentação_detalhada_e_aberta__Acomp._Aprendizagens.pptx
Apresentação_detalhada_e_aberta__Acomp._Aprendizagens.pptx
 
Circular gestao do curriculo
Circular gestao do curriculoCircular gestao do curriculo
Circular gestao do curriculo
 
AVALIAÇÃO-ESCOLAR-E-CONCEPÇÕES-PEDAGÓGICAS-DE-ENSINO.pdf
AVALIAÇÃO-ESCOLAR-E-CONCEPÇÕES-PEDAGÓGICAS-DE-ENSINO.pdfAVALIAÇÃO-ESCOLAR-E-CONCEPÇÕES-PEDAGÓGICAS-DE-ENSINO.pdf
AVALIAÇÃO-ESCOLAR-E-CONCEPÇÕES-PEDAGÓGICAS-DE-ENSINO.pdf
 
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolar
 
Os desafios da escola pública
Os desafios da escola públicaOs desafios da escola pública
Os desafios da escola pública
 
2014 unioeste ped_pdp_soeli_regiane_hermes
2014 unioeste ped_pdp_soeli_regiane_hermes2014 unioeste ped_pdp_soeli_regiane_hermes
2014 unioeste ped_pdp_soeli_regiane_hermes
 
2014 unioeste ped_pdp_soeli_regiane_hermes
2014 unioeste ped_pdp_soeli_regiane_hermes2014 unioeste ped_pdp_soeli_regiane_hermes
2014 unioeste ped_pdp_soeli_regiane_hermes
 
Proposta da rede estadual de avaliação formativa formatado 29 08-11
Proposta da rede estadual de avaliação formativa formatado 29 08-11Proposta da rede estadual de avaliação formativa formatado 29 08-11
Proposta da rede estadual de avaliação formativa formatado 29 08-11
 
Simulado concurso professor de educacao fisica questoes concurso pedagogia ...
Simulado concurso professor de educacao fisica questoes concurso pedagogia   ...Simulado concurso professor de educacao fisica questoes concurso pedagogia   ...
Simulado concurso professor de educacao fisica questoes concurso pedagogia ...
 
Avaliacao formativa
Avaliacao formativaAvaliacao formativa
Avaliacao formativa
 
78751989 planejamento-escolar
78751989 planejamento-escolar78751989 planejamento-escolar
78751989 planejamento-escolar
 
Artigo avaliação da aprendizagem
Artigo avaliação da aprendizagemArtigo avaliação da aprendizagem
Artigo avaliação da aprendizagem
 
Avaliação artigo da ufpi
Avaliação artigo da ufpiAvaliação artigo da ufpi
Avaliação artigo da ufpi
 
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao PedagogicaAvaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
 
Fabi e sílvia final 2
Fabi e sílvia final 2Fabi e sílvia final 2
Fabi e sílvia final 2
 
Módulo xi texto 2
Módulo xi   texto 2Módulo xi   texto 2
Módulo xi texto 2
 
Sugestões de como avaliar estudantes com deficiência intelectual, autismo e d...
Sugestões de como avaliar estudantes com deficiência intelectual, autismo e d...Sugestões de como avaliar estudantes com deficiência intelectual, autismo e d...
Sugestões de como avaliar estudantes com deficiência intelectual, autismo e d...
 
Atribuições do professor de educação infantil
Atribuições do professor de educação infantilAtribuições do professor de educação infantil
Atribuições do professor de educação infantil
 
1 artigo simone helen drumond fund. sócio, político e filosófico da educação...
1 artigo simone helen drumond  fund. sócio, político e filosófico da educação...1 artigo simone helen drumond  fund. sócio, político e filosófico da educação...
1 artigo simone helen drumond fund. sócio, político e filosófico da educação...
 

Mais de Bela Catarina

Amenina gotinha-de-agua-131027183129-phpapp01
Amenina gotinha-de-agua-131027183129-phpapp01Amenina gotinha-de-agua-131027183129-phpapp01
Amenina gotinha-de-agua-131027183129-phpapp01
Bela Catarina
 
Ostrsporquinhosmalcriadoseolobobom 130618093450-phpapp02
Ostrsporquinhosmalcriadoseolobobom 130618093450-phpapp02Ostrsporquinhosmalcriadoseolobobom 130618093450-phpapp02
Ostrsporquinhosmalcriadoseolobobom 130618093450-phpapp02
Bela Catarina
 
Palavrasruthrocha 121213134535-phpapp02
Palavrasruthrocha 121213134535-phpapp02Palavrasruthrocha 121213134535-phpapp02
Palavrasruthrocha 121213134535-phpapp02
Bela Catarina
 
Amamaposumovo1 100922131739-phpapp01
Amamaposumovo1 100922131739-phpapp01Amamaposumovo1 100922131739-phpapp01
Amamaposumovo1 100922131739-phpapp01
Bela Catarina
 
Paraondefoiozzinho ppt-091017071920-phpapp01
Paraondefoiozzinho ppt-091017071920-phpapp01Paraondefoiozzinho ppt-091017071920-phpapp01
Paraondefoiozzinho ppt-091017071920-phpapp01
Bela Catarina
 
Serkajoaninhatemumapilinha 100125051424-phpapp02
Serkajoaninhatemumapilinha 100125051424-phpapp02Serkajoaninhatemumapilinha 100125051424-phpapp02
Serkajoaninhatemumapilinha 100125051424-phpapp02
Bela Catarina
 
Ochdasdez 130802075255-phpapp02
Ochdasdez 130802075255-phpapp02Ochdasdez 130802075255-phpapp02
Ochdasdez 130802075255-phpapp02
Bela Catarina
 
Osonho 140916192955-phpapp01
Osonho 140916192955-phpapp01Osonho 140916192955-phpapp01
Osonho 140916192955-phpapp01
Bela Catarina
 
Tubaronabanheirabeg 130624085647-phpapp01
Tubaronabanheirabeg 130624085647-phpapp01Tubaronabanheirabeg 130624085647-phpapp01
Tubaronabanheirabeg 130624085647-phpapp01
Bela Catarina
 
Opequenopainatal 110401101637-phpapp02
Opequenopainatal 110401101637-phpapp02Opequenopainatal 110401101637-phpapp02
Opequenopainatal 110401101637-phpapp02
Bela Catarina
 
Paraondefoiozzinho ppt-091017071920-phpapp01
Paraondefoiozzinho ppt-091017071920-phpapp01Paraondefoiozzinho ppt-091017071920-phpapp01
Paraondefoiozzinho ppt-091017071920-phpapp01
Bela Catarina
 
Apresentaohistriadas5vogais 100521104550-phpapp01
Apresentaohistriadas5vogais 100521104550-phpapp01Apresentaohistriadas5vogais 100521104550-phpapp01
Apresentaohistriadas5vogais 100521104550-phpapp01
Bela Catarina
 
Quemsoltouopum 130917060143-phpapp02 (1)
Quemsoltouopum 130917060143-phpapp02 (1)Quemsoltouopum 130917060143-phpapp02 (1)
Quemsoltouopum 130917060143-phpapp02 (1)
Bela Catarina
 
Amentiratempernacurta 130324185909-phpapp01
Amentiratempernacurta 130324185909-phpapp01Amentiratempernacurta 130324185909-phpapp01
Amentiratempernacurta 130324185909-phpapp01
Bela Catarina
 
Powerpoint a criança e o j i
Powerpoint a criança e o j iPowerpoint a criança e o j i
Powerpoint a criança e o j i
Bela Catarina
 
Lagartinha comilona-111228055941-phpapp01
Lagartinha comilona-111228055941-phpapp01Lagartinha comilona-111228055941-phpapp01
Lagartinha comilona-111228055941-phpapp01
Bela Catarina
 
Amamaposumovo1 100922131739-phpapp01
Amamaposumovo1 100922131739-phpapp01Amamaposumovo1 100922131739-phpapp01
Amamaposumovo1 100922131739-phpapp01
Bela Catarina
 
27 historias-para-comer-a-sopa-pt-131227125206-phpapp01
27 historias-para-comer-a-sopa-pt-131227125206-phpapp0127 historias-para-comer-a-sopa-pt-131227125206-phpapp01
27 historias-para-comer-a-sopa-pt-131227125206-phpapp01
Bela Catarina
 
Histriadeoutono 111025053616-phpapp01
Histriadeoutono 111025053616-phpapp01Histriadeoutono 111025053616-phpapp01
Histriadeoutono 111025053616-phpapp01
Bela Catarina
 

Mais de Bela Catarina (20)

Amenina gotinha-de-agua-131027183129-phpapp01
Amenina gotinha-de-agua-131027183129-phpapp01Amenina gotinha-de-agua-131027183129-phpapp01
Amenina gotinha-de-agua-131027183129-phpapp01
 
Ostrsporquinhosmalcriadoseolobobom 130618093450-phpapp02
Ostrsporquinhosmalcriadoseolobobom 130618093450-phpapp02Ostrsporquinhosmalcriadoseolobobom 130618093450-phpapp02
Ostrsporquinhosmalcriadoseolobobom 130618093450-phpapp02
 
Palavrasruthrocha 121213134535-phpapp02
Palavrasruthrocha 121213134535-phpapp02Palavrasruthrocha 121213134535-phpapp02
Palavrasruthrocha 121213134535-phpapp02
 
Amamaposumovo1 100922131739-phpapp01
Amamaposumovo1 100922131739-phpapp01Amamaposumovo1 100922131739-phpapp01
Amamaposumovo1 100922131739-phpapp01
 
Paraondefoiozzinho ppt-091017071920-phpapp01
Paraondefoiozzinho ppt-091017071920-phpapp01Paraondefoiozzinho ppt-091017071920-phpapp01
Paraondefoiozzinho ppt-091017071920-phpapp01
 
Serkajoaninhatemumapilinha 100125051424-phpapp02
Serkajoaninhatemumapilinha 100125051424-phpapp02Serkajoaninhatemumapilinha 100125051424-phpapp02
Serkajoaninhatemumapilinha 100125051424-phpapp02
 
Ochdasdez 130802075255-phpapp02
Ochdasdez 130802075255-phpapp02Ochdasdez 130802075255-phpapp02
Ochdasdez 130802075255-phpapp02
 
Osonho 140916192955-phpapp01
Osonho 140916192955-phpapp01Osonho 140916192955-phpapp01
Osonho 140916192955-phpapp01
 
Tubaronabanheirabeg 130624085647-phpapp01
Tubaronabanheirabeg 130624085647-phpapp01Tubaronabanheirabeg 130624085647-phpapp01
Tubaronabanheirabeg 130624085647-phpapp01
 
Opequenopainatal 110401101637-phpapp02
Opequenopainatal 110401101637-phpapp02Opequenopainatal 110401101637-phpapp02
Opequenopainatal 110401101637-phpapp02
 
Paraondefoiozzinho ppt-091017071920-phpapp01
Paraondefoiozzinho ppt-091017071920-phpapp01Paraondefoiozzinho ppt-091017071920-phpapp01
Paraondefoiozzinho ppt-091017071920-phpapp01
 
Apresentaohistriadas5vogais 100521104550-phpapp01
Apresentaohistriadas5vogais 100521104550-phpapp01Apresentaohistriadas5vogais 100521104550-phpapp01
Apresentaohistriadas5vogais 100521104550-phpapp01
 
Quemsoltouopum 130917060143-phpapp02 (1)
Quemsoltouopum 130917060143-phpapp02 (1)Quemsoltouopum 130917060143-phpapp02 (1)
Quemsoltouopum 130917060143-phpapp02 (1)
 
Amentiratempernacurta 130324185909-phpapp01
Amentiratempernacurta 130324185909-phpapp01Amentiratempernacurta 130324185909-phpapp01
Amentiratempernacurta 130324185909-phpapp01
 
Tesouro o livro
Tesouro o livroTesouro o livro
Tesouro o livro
 
Powerpoint a criança e o j i
Powerpoint a criança e o j iPowerpoint a criança e o j i
Powerpoint a criança e o j i
 
Lagartinha comilona-111228055941-phpapp01
Lagartinha comilona-111228055941-phpapp01Lagartinha comilona-111228055941-phpapp01
Lagartinha comilona-111228055941-phpapp01
 
Amamaposumovo1 100922131739-phpapp01
Amamaposumovo1 100922131739-phpapp01Amamaposumovo1 100922131739-phpapp01
Amamaposumovo1 100922131739-phpapp01
 
27 historias-para-comer-a-sopa-pt-131227125206-phpapp01
27 historias-para-comer-a-sopa-pt-131227125206-phpapp0127 historias-para-comer-a-sopa-pt-131227125206-phpapp01
27 historias-para-comer-a-sopa-pt-131227125206-phpapp01
 
Histriadeoutono 111025053616-phpapp01
Histriadeoutono 111025053616-phpapp01Histriadeoutono 111025053616-phpapp01
Histriadeoutono 111025053616-phpapp01
 

Citeriosaval preescolar 2013_2014

  • 1. 1 A AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 2013-2014 I - INTRODUÇÃO ENQUADRAMENTO NORMATIVO As principais orientações normativas relativas à avaliação na Educação Pré-Escolar estão consagradas no Despacho nº 5220/07 de 4 de Agosto (Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar) e no Ofício Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007, de 17 de Outubro da DGIDC (Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar). As orientações neles contidas articulam- se com o Decreto-Lei nº 241/2001 de 30 de Agosto (Perfil Específico de Desempenho Profissional do educador de Infância), devendo também ter em consideração as Metas de Aprendizagem definidas para o final da Educação Pré-Escolar. “Avaliar o processo e os efeitos, implica tomar consciência da ação para adequar o processo educativo às necessidades das crianças e do grupo e à sua evolução. A avaliação realizada com as crianças é uma atividade educativa, constituindo também uma base de avaliação para o educador…a avaliação é suporte do planeamento” in Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar, (v.p.27). No Perfil de Desempenho Profissional do Educador de Infância, é referido que o educador ”avalia, numa perspetiva formativa…” (anexo nº 1, alínea e), ponto 3, Capítulo II). Na perspetiva das Metas de Aprendizagem a avaliação deverá ser encarada como monitorização dos processos das aprendizagens efetuadas pelas crianças. Este documento é um referencial para os educadores de infância planearem processos, estratégias e modos de progressão de forma a que todas as crianças possam realizar aprendizagens em cada área de conteúdo, antes de ingressarem no 1º ciclo do ensino básico. Por outro lado, o currículo em educação de infância é concebido pelo educador, através da planificação, organização e avaliação do ambiente educativo, bem como das atividades e
  • 2. 2 projetos curriculares, com vista à construção de aprendizagens integradas, que irão sendo avaliadas numa perspetiva formativa. A avaliação formativa é um processo integrado que implica o desenvolvimento de estratégias de intervenção adequadas às características de cada criança e do grupo, incidindo preferencialmente sobre os processos, entendidos numa perspetiva de construção progressiva das aprendizagens e de regulação da ação. II- FINALIDADES A avaliação, enquanto elemento integrante e regulador da prática educativa, permite uma recolha sistemática de informação que, uma vez analisada e interpretada, sustenta a tomada de decisões adequadas e promove a qualidade das aprendizagens. Assim, a avaliação tem como finalidade:  contribuir para a adequação das práticas, tendo por base uma recolha sistemática de informação que permita às educadoras regularem a atividade educativa, tomar decisões, planear e ação;  refletir sobre os efeitos da ação educativa, a partir da observação de cada criança e do grupo de modo a estabelecer a progressão das aprendizagens;  promover e acompanhar processos de aprendizagem, tendo em conta a realidade do grupo e de cada criança, favorecendo o desenvolvimento das suas competências e desempenhos, de modo a contribuir para o desenvolvimento de todas e de cada uma;  envolver a criança num processo de análise e de construção conjunta, que lhe permita, enquanto protagonista da sua aprendizagem, tomar consciência dos progressos e das dificuldades que vai tendo e como as vai ultrapassando;  conhecer a criança e o seu contexto, numa perspetiva holística, o que implica desenvolver processos de reflexão, partilha de informação e aferição entre os vários intervenientes – pais, equipa e outros profissionais – tendo em vista a adequação do processo educativo.
  • 3. 3 III – PRINCÍPIOS A avaliação assenta nos seguintes princípios:  caráter holístico e contextualizado do processo de desenvolvimento e aprendizagem da criança;  coerência entre os processos de avaliação e os princípios subjacentes à organização e gestão do currículo definidos nas Orientações Curriculares para a Educação Pré- Escolar;  utilização de técnicas e instrumentos de observação e registo diversificados;  caráter marcadamente formativo;  valorização dos progressos da criança;  promoção da igualdade de oportunidades e equidade. IV- PROCESSOS DE AVALIAÇÃO  avaliação diagnóstica – Com esta avaliação as educadoras pretendem conhecer o que cada criança e o grupo já sabem e são capazes de fazer, as necessidades e interesses e os seus contextos familiares que servirão de base para a tomada de decisões da ação educativa, no âmbito do projeto curricular de grupo.  avaliação formativa - esta avaliação permite a adoção de estratégias de diferenciação pedagógica, contribuindo para a elaboração, adequação e reformulação do projeto curricular de grupo e ainda para facilitar a integração da criança no contexto educativo.  avaliação realizada com as crianças – a participação das crianças na avaliação promove o seu envolvimento na construção do processo educativo, constituindo também uma base da avaliação para as educadoras. A avaliação em Educação Pré-Escolar, enquanto processo contínuo de registo dos progressos realizados pela criança, ao longo do tempo, utiliza procedimentos de natureza descritiva e narrativa, centrados sobre o modo como a criança aprende, como processa a informação, como constrói conhecimento ou resolve problemas, em articulação com as
  • 4. 4 Áreas de Conteúdo das Orientações Curriculares e as Metas de Aprendizagem para a Educação Pré-Escolar. V- INTERVENIENTES NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO A avaliação é da responsabilidade da educadora titular de grupo, competindo-lhe definir uma metodologia de avaliação de acordo com as conceções e opções pedagógicas, capaz de integrar de forma articulada os conteúdos das diferentes áreas das Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Para além da educadora intervêm no processo de avaliação:  as crianças;  a equipa (outros docentes, assistentes operacionais, outros técnicos ou agentes educativos) com responsabilidades na educação da criança;  os encarregados de educação;  os órgãos de gestão – os dados da avaliação realizados pelo Departamento Curricular de Educação Pré-Escolar, deverão estar na base das orientações e decisões, bem como, na mobilização e coordenação dos recursos educativos existentes. VI – MÉTODOS E INSTRUMETOS DE AVALIAÇÃO Avaliar é um ato pedagógico que requer uma atitude e um saber específico que permitam desenvolver estratégias adequadas, tendo em conta os contextos de cada criança e do grupo no respeito pelos valores de uma pedagogia diferenciada. Neste sentido, compete às educadoras, de acordo com as suas opções metodológicas, utilizar técnicas e instrumentos de observação e registo diversificados:  observação;  entrevistas;  abordagens narrativas;  fotografias;  gravações de áudio e vídeo;
  • 5. 5  registos de auto-avaliação;  portefólios construídos com as crianças;  questionários a crianças, pais ou outros parceiros educativos;  outros. Considerando que a avaliação é realizada em contexto, qualquer momento de interação, qualquer tarefa realizada pode permitir às educadoras a recolha de informação sobre as aprendizagens e progressos realizados pela criança e pelo grupo. e simultaneamente recolher elementos concretos para a reflexão e adequação da sua intervenção educativa. VII – MOMENTOS DE AVALIAÇÃO Apesar da avaliação ser um processo contínuo importa definir alguns procedimentos:  Avaliação diagnóstica  será realizada no início do ano letivo sob a forma de caracterização do grupo, de identificação de interesses e necessidades e tem como objetivo a elaboração a adequação do projeto curricular de grupo e a adoção de estratégias de diferenciação pedagógica;  Na caracterização do grupo, no que concerne à avaliação de desenvolvimento por níveis etários, devem ser referidos os seguintes aspetos: - 3 anos: adaptação; autonomia; socialização; interesse pelas atividades; - 4 anos: autonomia; interação entre as crianças e com os adultos; cumprimento de regras; interesse e participação nas atividades; curiosidade e desejo de aprender; motricidade global e fina; jogo simbólico; linguagem oral. - 5 /6 anos: autonomia/iniciativa; cooperação/partilha; cumprimento de regras e tarefas; interesse e desempenho nas atividades; esquema corporal; motricidade global e fina; expressões dramática/ plástica/musical; linguagem oral e abordagem à escrita; conceitos lógico-matemáticos; interesse pelo meio físico e social.  Poderá realizar-se em qualquer momento como forma de regular o processo educativo;
  • 6. 6  AVALIAÇÃO FORMATIVA  No final dos 1º e 2º períodos letivos - As educadoras procederão à sistematização das informações recolhidas através do preenchimento do Registo de Observação/Avaliação do desenvolvimento e das aprendizagens das crianças; - De acordo com o Despacho nº 8248/2013, ponto 1.6, “na programação das reuniões de avaliação é assegurada a articulação entre os educadores de infância e os professores do 1º ciclo do ensino básico, de modo a garantir o acompanhamento pedagógico das crianças no seu percurso entre aqueles níveis de educação e de ensino”. - Ainda de acordo com o mesmo despacho, o ponto 1.8 refere que “no final dos 1º e do 2ºperíodos letivos, correspondentes aos ensinos básico e secundário, os educadores de infância dispõem de um período para realizarem a avaliação das crianças da respetiva turma, que é obrigatoriamente coincidente com o período de avaliação estipulado para o 1º ciclo do ensino básico, com o objetivo de permitir a articulação desse processo avaliativo com os professores daquele nível de ensino”. - As educadoras comunicarão aos Pais e Encarregados de Educação a avaliação do desenvolvimento e das aprendizagens das crianças, centrando-se numa apreciação positiva, sem omitir as dificuldades que possam existir.  No final do ano letivo - “Imediatamente após o final do 3º período letivo, previsto para a educação pré- escolar, os educadores de infância devem realizar a avaliação das aprendizagens das crianças da respetiva turma e procederem à sua articulação com o 1º ciclo do ensino básico” (ponto 1. 7). - Em reunião de Conselho de Docentes as educadores comunicarão, aos professores das crianças que transitam para o 1º Ciclo, as aprendizagens mais significativas de cada criança, realçando o seu percurso, evolução e progressos, centrando-se numa apreciação positiva, sem omitir as dificuldades que possam existir.
  • 7. 7 CRITÉRIOS GERAIS PARA A AVALIAÇÃO DAS CRIANÇAS QUE FREQUENTAM O ENSINO PRÉ- ESCOLAR  COMPETÊNCIAS PARA A EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR As Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar definem, de uma forma global, as condições favoráveis para que as crianças possam iniciar o 1º Ciclo com possibilidades de sucesso. No entanto, importa definir um conjunto de competências mais específicas, por áreas de conteúdo e por níveis etários, que orientem as educadoras na avaliação do desenvolvimento e das aprendizagens das crianças. COMPETÊNCIAS – 3 ANOS ÁREA DA FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL Estabelece relações afetivas com os adultos Estabelece relações afetivas com os seus pares Sabe dizer o seu nome Sabe dizer a sua idade Nomeia as principais partes do corpo Identifica as principais partes do corpo
  • 8. 8 Participa nas rotinas diárias do JI (arruma os seus pertences, vai ao wc, veste e despe algumas peças de roupas sem botões/fechos) Participa em atividades de grupo Inicia a partilha de brinquedos Cumpre regras (espera pela sua vez para participar; arruma os materiais que utiliza) É autónomo nas atividades da sala (inicia o trabalho sozinho, escolhe sozinho o que vai fazer, utiliza diferentes materiais da sala) Pede a colaboração do adulto para resolver problemas Sabe utilizar regras de convivência social (bom dia, obrigada, por favor…) ÁREA DE EXPRESSÃO E COMUNICAÇÃO Desenha a figura humana simples Atribui significado ao que faz Utiliza diversos materiais de expressão plástica Segura lápis e pincel corretamente Amachuca pedaços de papel para fazer bolas
  • 9. 9 Adapta o corpo a diferentes posturas por imitação Cria os seus próprios jogos e brincadeiras (casinha das bonecas, garagem etc.) Representa uma personagem numa peça ou história Reproduz canções mimadas Imita vozes de animais e sons familiares Anda, salta, corre Sobe escadas com alternância de pés Desce escadas com alternância de pés Pontapeia uma bola DOMÍNIO DA LINGUAGEM ORAL E ABORDAGEM À ESCRITA Compreende uma tarefa/ordem se o discurso for simples e direto Utiliza frases simples Identifica e nomeia objetos pela sua função
  • 10. 10 Descreve e identifica imagens simples Comunica verbalmente com o adulto (responde a perguntas simples, conta acontecimentos do dia a dia, faz perguntas) Comunica verbalmente com os seus pares Gosta de ver livros Gosta de ouvir histórias DOMÍNIO DA MATEMÁTICA Identifica cores primárias (vermelho, azul e amarelo) Tem noção de: grande/pequeno Tem noção de dentro/fora Tem noção de em cima/em baixo Agrupa objetos segundo uma característica Identifica objetos iguais Faz jogos de encaixe com figuras simples/puzzles
  • 11. 11 Faz construções em volume (torres, comboios) ÁREA DO CONHECIMENTO DO MUNDO Mostra interesse pelo meio envolvente (é curioso, é observador, faz perguntas) Identifica os principais membros da família (pai, mãe, irmãos, avós) Identifica alguns estados meteorológicos (está calor, está frio, está a chover) Reconhece plantas Reconhece animais Distingue dia /noite Mostra interesse pelas festividades (natal, carnaval, aniversário)
  • 12. 12 COMPETÊNCIAS - 4 ANOS ÁREA DA FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL Estabelece relações afetivas com os adultos Estabelece relações afetivas com os seus pares Sabe dizer o nome e apelido Sabe dizer a sua idade Sabe dizer o nome dos pais e dos irmãos Identifica e nomeia as diferentes partes do corpo Identifica-se como pertencendo ao sexo M/F Exprime sentimentos/emoções Nomeia os seus amigos Brinca em cooperação com outras crianças Manifesta atitudes de respeito pelos outros
  • 13. 13 Partilha objetos /materiais Espera pela sua vez para participar Conhece e respeita as regras de convivência Respeita as regras do jogo Participa em atividades de grupo Inicia e termina uma tarefa/atividade Pede ajuda quando sente dificuldades Responsabiliza-se pelo cumprimento das tarefas que lhe são confiadas Identifica as diversas áreas da sala e utiliza-as corretamente Arruma os materiais disponíveis na sala Resolve pequenos problemas sem ajuda Revela autonomia nas rotinas (ir ao wc, comer sozinho, vestir/despir roupa sem botões/fechos)
  • 14. 14 ÁREA DE EXPRESSÕES E COMUNICAÇÃO Desloca-se no espaço obedecendo a vários ritmos e em várias direções Salta a pés juntos Sobe e desce escadas com alternância de pés Salta usando alternadamente um pé e o outro Pontapeia uma bola em movimento Lança e agarra uma bola com as duas mãos Revela equilíbrio em várias situações (andar, correr, saltar) Rola sobre si próprio Situa-se relativamente aos outros e aos objetos Recorta com tesoura sobre uma linha simples Pega corretamente no lápis/pincel Desenha a figura humana com, pelo menos, as três partes principais Inicia a pintura figurativa
  • 15. 15 Explora e utiliza diferentes materiais Respeita espaços delimitados Modela com intenção de obter um resultado Utiliza linguagem corporal e gestual Imita/representa vivências familiares Mima com facilidade histórias/canções/lengalengas Assume um papel numa dramatização Reproduz ritmos simples utilizando o próprio corpo Identifica e reconhece diferentes sons (meio envolvente, vozes humanas, natureza…) Memoriza canções simples Respeita momentos de silêncio Movimenta-se ao som de ritmos diferentes
  • 16. 16 DOMÍNIO DA LINGUAGEM ORAL E ABORDAGEM À ESCRITA É comunicativo (participa nas conversas da sala, relata acontecimentos) Transmite recados (se forem simples e curtos) Utiliza frases corretas Descreve imagens com pormenor Conta/reconta histórias simples Tem vocabulário adequado à idade Identifica o nome próprio Escreve o nome com recurso a um modelo Participa nos registos escritos DOMÍNIO DA MATEMÁTICA Identifica 5 a 10 cores Conta estabelecendo correspondência um a um
  • 17. 17 Ordena segundo um modelo Classifica atendendo a critérios (cor, tamanho, forma, função) Identifica/nomeia o círculo e o quadrado Tem noção de: grande /pequeno dentro/fora à frente/atrás lento/rápido em cima/em baixo Identifica muito, pouco/nada Identifica aberto/fechado Elabora puzzles com nove ou mais peças Conta sequencialmente até: ÁREA DO CONHECIMENTO DO MUNDO Conhece alguns aspetos do ambiente natural e social Identifica condições atmosféricas
  • 18. 18 Respeita e valoriza a preservação do meio ambiente Identifica e nomeia diferentes tipos de transporte Participa em festividades Revela curiosidade e desejo de saber Revela interesse pela realização de experiências Responde a questões sobre o que observou Distingue e caracteriza: manhã/tarde/noite
  • 19. 19 COMPETÊNCIAS – 5/6 ANOS ÁREA DA FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL Estabelece relações afetivas com os adultos Estabelece relações afetivas com os seus pares Sabe dizer o nome completo Sabe dizer a idade Sabe dizer a data de aniversário Sabe dizer onde mora Identifica os principais membros da família e respetivo grau de parentesco Partilha ideias Respeita as características dos outros Aceita pequenas frustrações e tenta superar dificuldades Participa e coopera em atividades de grupo
  • 20. 20 Adapta-se a novas situações Mostra iniciativa e participa na tomada de decisões, nas atividades diárias Valoriza o trabalho, reconhece os erros e aceita as correções Veste-se e despe-se sozinha Calça-se corretamente É autónomo em relação à higiene (vai sozinha ao wc, lava mãos sozinha) Desenvolve atitudes de ajuda e colaboração com o grupo Partilha objetos pessoais Espera pela sua vez de falar e de participar nas atividades Escolhe/planeia o que vai fazer, inicia, persiste e termina uma tarefa sem ajuda Revela sentido crítico Respeita as regras de jogos em grupo Cumpre as regras da sala (utiliza as áreas corretamente, arruma os materiais disponíveis, etc.)
  • 21. 21 ÁREA DE EXPRESSÃO E COMUNICAÇÃO Apresenta coordenação global do movimento Salta ao pé-coxinho Mantém o equilíbrio em situações estáticas e dinâmicas Posiciona-se em relação a algo ou alguém, a partir de uma ordem verbal Imita posições com o corpo Identifica a direita e a esquerda em si próprio Memoriza e realiza percursos simples Realiza atividades de controlo motor fino Recorta uma imagem com contornos irregulares Recria/mima/dramatiza situações do quotidiano/e ou imaginário Exprime emoções/sentimentos Utiliza formas de expressão não verbal Utiliza adereços
  • 22. 22 Nas dramatizações coordena o seu papel com outras crianças/adulto Representa para um público diferente (que não pertence à sua sala) Desenha a figura humana com pormenores Faz desenhos com detalhes Representa graficamente uma história/ personagem/ um acontecimento Manifesta um progressivo controlo do traço e de orientação no espaço gráfico Experimenta diversas técnicas e materiais Utiliza criativamente materiais de desperdício Exprime-se através da pintura, digitinta, recorte, colagem e modelagem Preocupa-se com a apresentação dos trabalhos Sabe escutar e identificar diferentes sons Sabe cantar várias canções simples Reproduz ritmos Explora e identifica a intensidade, a altura a duração e timbre dos sons
  • 23. 23 Reconhece e nomeia instrumentos musicais Utiliza instrumentos musicais individualmente e em grupo Exprime-se através da dança DOMÍNIO DA LINGUAGEM ORAL E ABORDAGEM À ESCRITA Conta, reconta e inventa histórias Mantém uma conversa participando de forma alternada Utiliza vocabulário diversificado Articula as palavras com clareza Utiliza frases corretas e complexas Compreende e executa uma sequência de ordens/tarefas Relata experiências vividas Planeia oralmente o que pretende fazer e conta o que realizou Realiza leitura e interpretação de imagens, códigos e símbolos Organiza sequências
  • 24. 24 É capaz de distinguir a escrita do desenho e dos números Reconhece símbolos convencionais Reproduz símbolos e algumas palavras Estabelece correspondência entre o código oral e escrito Compreende as diferentes funções da escrita Aplica o sentido da leitura e da escrita (da esquerda para a direita e de cima para baixo) Identifica e reproduz o seu nome sem recurso a modelo Sabe produzir rimas simples de palavras Reconhece os sons das palavras que começam ou acabam de forma igual DOMÍNIO DA MATEMÁTICA Identifica e nomeia todas as cores e tonalidades Conta até 10, estabelecendo correspondência um a um Identifica e nomeia a ordem: 1º, 2º 3º Ordena sequências de 3 ou mais itens
  • 25. 25 Identifica e nomeia as figuras geométricas básicas (retângulo, triângulo, círculo e quadrado) Classifica e forma conjuntos de acordo com critérios previamente estabelecidos Reconhece semelhanças e diferenças Distingue o ontem, hoje e amanhã Explora as unidades de tempo, dia, semana mês Identifica os conceitos grosso/fino; largo/estreito, leve/pesado Identifica posições face a um elemento de referência: em cima/em baixo; dentro/fora; interior/exterior, à frente/atrás; debaixo; à volta de Compara tamanhos e pesos entre objetos Tem a noção de quantidade Faz seriações Resolve problemas simples
  • 26. 26 ÁREA DO CONHECIMENTO DO MUNDO Observa/explora aspetos do meio físico e social Identifica e caracteriza as estações do ano Observa e identifica os fenómenos atmosféricos mais frequentes Reconhece e identifica elementos da natureza: água, terra, ar Identifica alguns fatores de poluição e valoriza a preservação do meio ambiente Identifica e compreende as funções de algumas partes do corpo Conhece as regras de uma alimentação saudável Identifica profissões e reconhece a sua importância para a sociedade Manifesta curiosidade em aprender Mostra gosto pela pesquisa e experimentação Observa e formula questões Dá sugestões para a resolução de problemas Distingue e carateriza: manhã/tarde/noite
  • 27. 27 Regista o que observou CONCLUSÃO Este documento pretende clarificar e uniformizar os procedimentos e práticas organizativas e pedagógicas relativamente à avaliação na Educação Pré-Escolar, no Agrupamento de Escolas de S. Julião da Barra. A definição de competências procura ser uma referência e uma orientação para as educadoras, sem pôr em causa o respeito pelos valores de uma pedagogia diferenciada. Neste contexto, a avaliação deve centrar-se sempre na criança e na sua evolução e a referência comparativa deve ser sempre a própria criança, em diferentes momentos de aprendizagem. Tendo como principal função a melhoria da qualidade das aprendizagens, a avaliação implica, no quadro da relação entre o Jardim-de infância, a família e a escola, uma construção partilhada que passa pelo diálogo, pela comunicação de processos e resultados, tendo em vista a criação de contextos facilitadores de um percurso educativo e formativo de sucesso. Aprovado pelo conselho pedagógico do Agrupamento de Escolas de São Julião da Barra em 7 de novembro de 2013