SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Somos tuas
testemunhas
Conversa sobre ser Catequista no
mundo de hoje
Jesus Cristo, primeiro
mistagogo - centro da catequese!
• Jesus foi chamado pelas multidões de Rabi =
Mestre
• Mistagogo: Alguém que conduz para dentro do
mistério
• Ensinava com a vida, com autoridade
• Jesus instruía com discursos, parábolas, frases de
sabedoria
• Ele ensinou sobre o Reino de Deus!
• Ensinou a valorizar os pobres
ACOMPANHAR NO CAMINHO
A Iniciação à Vida Cristã é
responsabilidade de toda a Igreja, sendo
ela mesma integralmente catecumenal.
TODOS OS MINISTÉRIOS, leigos e
ordenados, TODOS OS SERVIÇOS E
ATIVIDADES são convocados a participar
desse processo, ainda que em diferentes
níveis.
O acompanhamento na caminhada cristã
não se restringe aos catequistas!
Temos sede, à beira do poço
Falta o balde do amor, do respeito.
Vem Senhor, saciar nossa sede
Nos lavar de qualquer preconceito
Canto Comunhão - CF 2002, melodia: Ó Senhor, nesta mesa, buscamos
Quem é o(a) Catequista?
• A vocação para evangelização decorre do sacramento do Batismo,
fortalecida pela Confirmação e alimentado pelo Eucaristia.
• Mesmo que toda a comunidade seja responsável pela catequese, a
Igreja escolhe alguns membros para a delicada tarefa da transmissão
da fé e do acompanhamento às famílias, crianças, adolescentes,
jovens e adultos
• A palavra "catequese" é uma palavra, no fundo, de origem
grega: katá (a partir de) + echos (voz, fala, eco),
resultando: kat'echesis. Sabendo que catequese é significa ecoar,
podemos afirmar que o(a) catequista é alguém que faz ressoar a
mensagem de Jesus.
Catequese querigmática
(A Alegria do Evangelho)
• Voltamos a descobrir que também na catequese tem um
papel fundamental o primeiro anúncio ou querigma, que
deve ocupar o centro da atividade evangelizadora e de toda
a tentativa de renovação eclesial.
• Retornar e ampliar o primeiro anúncio
• Na boca do catequista, volta a ressoar sempre o primeiro
anúncio: “Jesus Cristo ama-te, deu a sua vida para te salvar,
e agora vive contigo todos os dias para te iluminar,
fortalecer, libertar”.
• Não devemos esquecer e nem substituir esse primeiro
anúncio, pois é fundamental
• O anúncio do querigma exige que o evangelizador tenha:
proximidade, abertura ao diálogo, paciência, acolhimento
cordial que não condena.
Catequese mistagógica
A iniciação mistagógica, significa essencialmente duas coisas:
I) a necessária progressividade da experiência formativa na qual
intervém toda a comunidade
II) Uma renovada valorização dos sinais litúrgicos da iniciação cristã.
O encontro catequético é um anúncio da Palavra e está centrado nela,
mas precisa sempre duma ambientação adequada e duma motivação
atraente, do uso de símbolos eloquentes, da sua inserção num amplo
processo de crescimento e da integração de todas as dimensões da
pessoa num caminho comunitário de escuta e resposta.
Catequista: um dos sujeito da IVC – Doc. 107
Algumas indicações do documento “iniciação à vida cristã: itinerário para formar discípulos
missionários”.
• Ser discípulos missionários que aprendem com os catequizandos e os
participantes da ação pastoral;
• Buscar viver o diálogo como fonte de aprendizado e conversão;
• Estar atento aos desafios e exigências atuais, procurando novos caminhos
para transmitir a fé.
• Ter um processo de formação gradual e, nesse processo, acompanhar
outros catequistas no desenvolvimento dos encontros, celebrações...
• Celebrar anualmente o envio dos catequistas (pelo bispo ou pároco)
• Conhecer as celebrações dentro do itinerário da IVC, e em alguns casos
específicos estar preparado para assumir a sua presidência
Ministério dos
Catequistas
• É necessário que os catequistas tenham um
amor fraterno (um amor de pai e mãe!)
pelos que acompanham na fé
• O ministério do catequista é importante e
valioso para o desenvolvimento da
comunidade, pois, ajuda a gerar os seus
novos filhos e filhas
• Os catequistas podem presidir as
celebrações da palavra próprias da
catequese com estilo catecumenal
• Participam ativamente dos ritos da IVC
presididos pelos ministros ordenados
• Rezam pelos seus catequizandos e
catecúmenos
• Alguém integrado no seu tempo, que sabe
compreender, analisar e criticar a realidade
social, política e econômica à luz dos
ensinamentos da Igreja
O Perfil do(a) catequista
O perfil do(a) catequista é um
ideal a ser conquistado, tendo os
olhos fixos em Jesus e seu modo
de agir;
Dimensões que o catequista
precisa desenvolver:
SER, SABER e SABER FAZER
EM COMUNIDADE
O ser do catequista
• Pessoa que ama viver e se sente realizada
• Pessoa de maturidade humana e de equilíbrio psicológico
• Pessoa de espiritualidade, que quer crescer em santidade
• Pessoa que sabe ler a presença de Deus nas atividades
humanas
• Pessoa integrada no seu tempo e identificada com sua
gente
• Pessoa que busca, constantemente, cultivar sua formação
• Pessoa de comunicação, capaz de construir comunhão
O saber do catequista
• Conhecer: A mensagem que transmite, o interlocutor com quem fala e o contexto
social em que vive - unindo teoria e prática
• Suficientemente a Palavra de Deus
• Os elementos básicos que formam o núcleo da nossa fé
• Noções básicas de ciências humanas
• As referências doutrinais e de orientação: Catecismo da Igreja Católica,
documentos ...
• Pluralidade cultural
• As mudanças que ocorrem na sociedade
• Fundamentos teológicos e pastorais
O saber fazer do catequista
• O catequista torna-se uma pessoa de confiança e testemunho na
comunidade, e para melhor desempenho de sua ação catequética deve
superar a IMPROVISAÇÃO e a SIMPLES BOA VONTADE
• E precisa trabalhar as seguintes dimensões:
• Relacional: Relações inter-pessoais e intra-pessoais. Criar espaço de
comunhão, diálogo, amizade...
• Educativa: O(a) catequista deve ter e intenção de ensinar e aprender com o
grupo, caminhando para a maturidade humana e cristã
• Comunicativa: O(a) catequista deve fazer a comunicação entre FÉ e VIDA. É
recomendável que saiba utilizar os diversos meios de comunicação
presentes no mundo de hoje (redes sociais, músicas, aparelhos eletrônicos)
• Pedagógica: Fundamentado na pedagogia (mistagogia)
divina.
Na pedagogia da ENCARNAÇÃO se destaca:
a) Diálogo de Salvação entre Deus e a pessoa
b) Revelação progressiva, adequada às situações, pessoas
e culturas
c) Valorização da experiência pessoal e comunitária da fé
d) Evangelho relacionado com a vida
e) Relações interpessoais
f) Uso de sinais (linguagem simbólica)
g) Pedagogia litúrgica (Aprender celebrando)
h) Mistagogia do processo catecumenal
• Metodológica
O(a) catequista precisa:
Conhecer o “terreno” – ir se aproximando dos seus interlocutores
Buscar meios para interagir Fé e Vida
Desenvolver em si e nos(as) catequizandos(as) o amor pela Palavra de Deus
Estimular a criatividade dos(as) catequizandos(as)
Destacar a importância da vida em grupo e comunidade
• Organizacional: Elaborar um programação em conjunto com a caminhada
da Igreja local e da comunidade. Tomar conhecimento das atividades
planejadas pela comissão de IVC, coordenação de catequese e
coordenação (arqui)diocesana, setorial, paroquial (área missionária) e
comunitária. Ser realista no planejamento e avaliar atividades realizadas.
Saber ponderar circunstâncias.
O que o catequista de IVC não deve ser
• Um(a) professor(a) de catequese
• Um(a) “instrutor sacramentalista”, um(a) palestrante
• Uma pessoa sem compromisso (Com a comunidade e a
sociedade)
• Centralizador, que não favoreça o diálogo, que não dê
espaço para as pessoas falarem
• Uma pessoa que não busque conhecer mais sobre Jesus, e a
vida da Igreja
• Uma pessoa fora da comunhão, que não seja integrante da
comunidade (Alguém que vem apenas para fazer
“pregações”)
• Alguém que não se alimente da Palavra e da Eucaristia
(...)
MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO
AOS PARTICIPANTES NO SIMPÓSIO INTERNACIONAL SOBRE A CATEQUESE
BUENOS AIRES, JULHO DE 2017
• O catequista caminha rumo a e com Cristo, não é uma pessoa que parte das suas ideias
e gostos pessoais, mas deixa-se fitar por Ele, por aquele olhar que faz arder o coração.
Quanto mais Jesus ocupa o centro da nossa vida, tanto mais nos faz sair de nós mesmos,
nos descentra e nos aproxima dos outros. Este dinamismo do amor é como o movimento
do coração: “sístole e diástole”; concentra-se para encontrar o Senhor e abre-se
imediatamente, saindo de si mesmo por amor, para dar testemunho de Jesus e falar de
Jesus, para anunciar Jesus.
• o catequista é criativo; procura vários meios e formas para anunciar Cristo. É bom
acreditar em Jesus, porque Ele é «o caminho, a verdade e a vida» (Jo 14, 6), que enche a
nossa existência de júbilo e de alegria. Esta procura de dar a conhecer Jesus como suma
beleza leva-nos a encontrar novos sinais e formas para a transmissão da fé.
• Os instrumentos podem ser diversos, mas o importante é ter presente o estilo de Jesus,
o qual se adaptava às pessoas que estavam diante dele, para lhes tornar próximo o amor
de Deus. É necessário saber “mudar”, adaptar-se, para tornar a mensagem mais próxima,
não obstante seja sempre a mesma, porque Deus não muda mas n’Ele tudo se renova.
Na busca criativa de dar a conhecer Jesus não devemos ter medo, porque Ele nos
precede nesta tarefa. Ele já está no homem de hoje e é ali que espera por nós.
“Mais do que como peritos em diagnósticos
apocalípticos ou juízes sombrios que se
comprazem em detectar qualquer perigo ou
desvio, é bom que nos possam ver como
mensageiros alegres de propostas altas,
guardiões do bem e da beleza que resplandecem
numa vida fiel ao Evangelho”
Papa Francisco, EG – 168

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A pessoa do catequista
A pessoa do catequistaA pessoa do catequista
A pessoa do catequista
Bruno Costa
 
Catequese dinâmica
Catequese dinâmicaCatequese dinâmica
Catequese dinâmica
jcsa.media
 

Mais procurados (20)

Crisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativoCrisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativo
 
Missão do Catequista
Missão do CatequistaMissão do Catequista
Missão do Catequista
 
O sacramento do Crisma
O sacramento do CrismaO sacramento do Crisma
O sacramento do Crisma
 
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristãItinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
 
Organização da catequese
Organização da catequeseOrganização da catequese
Organização da catequese
 
A pessoa do catequista
A pessoa do catequistaA pessoa do catequista
A pessoa do catequista
 
A Santa Missa
A Santa MissaA Santa Missa
A Santa Missa
 
Catequese dinâmica
Catequese dinâmicaCatequese dinâmica
Catequese dinâmica
 
Retiro com catequistas
Retiro com catequistasRetiro com catequistas
Retiro com catequistas
 
Metologia na catequese
Metologia na catequeseMetologia na catequese
Metologia na catequese
 
O que é catequese
O que é catequeseO que é catequese
O que é catequese
 
formação para catequistas
formação para catequistasformação para catequistas
formação para catequistas
 
Retiro com Crismandos
Retiro com CrismandosRetiro com Crismandos
Retiro com Crismandos
 
O sacramento da crisma
O sacramento da crismaO sacramento da crisma
O sacramento da crisma
 
Encontro com Catequistas
Encontro com CatequistasEncontro com Catequistas
Encontro com Catequistas
 
Catequese iniciacao a vida cristã ii
Catequese   iniciacao a vida cristã iiCatequese   iniciacao a vida cristã ii
Catequese iniciacao a vida cristã ii
 
A missa– parte por parte
A missa– parte por parteA missa– parte por parte
A missa– parte por parte
 
Missa parte por parte
Missa parte por parteMissa parte por parte
Missa parte por parte
 
Encontro de Catequistas
Encontro de Catequistas  Encontro de Catequistas
Encontro de Catequistas
 
Os sacramentos da igreja - Aula 03
Os sacramentos da igreja - Aula 03Os sacramentos da igreja - Aula 03
Os sacramentos da igreja - Aula 03
 

Semelhante a Catequistas: missão na comunidade

A catequese e seus desafios 2012
A catequese e seus desafios 2012A catequese e seus desafios 2012
A catequese e seus desafios 2012
Cris Janeiro
 
Querigma parte por parte
Querigma parte por parteQuerigma parte por parte
Querigma parte por parte
Cassio Felipe
 
Querigma parte por parte
Querigma parte por parteQuerigma parte por parte
Querigma parte por parte
Cassio Felipe
 
Dgae 2011 2015 visitapastoral
Dgae 2011 2015 visitapastoralDgae 2011 2015 visitapastoral
Dgae 2011 2015 visitapastoral
Kleber Silva
 

Semelhante a Catequistas: missão na comunidade (20)

Vocação e missão_do_catequista 03out15
Vocação e missão_do_catequista 03out15Vocação e missão_do_catequista 03out15
Vocação e missão_do_catequista 03out15
 
A catequese e seus desafios 2012
A catequese e seus desafios 2012A catequese e seus desafios 2012
A catequese e seus desafios 2012
 
Diretrizes evangelização Arquidiocese de Manaus
Diretrizes evangelização Arquidiocese de ManausDiretrizes evangelização Arquidiocese de Manaus
Diretrizes evangelização Arquidiocese de Manaus
 
Doc aparecida
Doc aparecidaDoc aparecida
Doc aparecida
 
Palestra encontro de catequistas 2015
Palestra encontro de catequistas 2015Palestra encontro de catequistas 2015
Palestra encontro de catequistas 2015
 
A pessoa do catequista
A pessoa do catequistaA pessoa do catequista
A pessoa do catequista
 
06 diretorio nacionalcatequese
06 diretorio nacionalcatequese06 diretorio nacionalcatequese
06 diretorio nacionalcatequese
 
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
 
Say-Yes-.-apresentação-do-projeto-Diocese-do-PORTO.ppt
Say-Yes-.-apresentação-do-projeto-Diocese-do-PORTO.pptSay-Yes-.-apresentação-do-projeto-Diocese-do-PORTO.ppt
Say-Yes-.-apresentação-do-projeto-Diocese-do-PORTO.ppt
 
METODOLOGIA.ppt
METODOLOGIA.pptMETODOLOGIA.ppt
METODOLOGIA.ppt
 
Vocação e missão do catequista1396034653vocacaoemissaodocatequista 1396034653
Vocação e missão do catequista1396034653vocacaoemissaodocatequista 1396034653Vocação e missão do catequista1396034653vocacaoemissaodocatequista 1396034653
Vocação e missão do catequista1396034653vocacaoemissaodocatequista 1396034653
 
«O Diretório para a Catequese desafios à sinodalidade na catequese»
«O Diretório para a Catequese desafios à sinodalidade na catequese»«O Diretório para a Catequese desafios à sinodalidade na catequese»
«O Diretório para a Catequese desafios à sinodalidade na catequese»
 
Querigma parte por parte
Querigma parte por parteQuerigma parte por parte
Querigma parte por parte
 
Querigma parte por parte
Querigma parte por parteQuerigma parte por parte
Querigma parte por parte
 
DGAE 2011 2015 padrekleber
DGAE 2011 2015 padrekleberDGAE 2011 2015 padrekleber
DGAE 2011 2015 padrekleber
 
Dgae 2011 2015 visitapastoral
Dgae 2011 2015 visitapastoralDgae 2011 2015 visitapastoral
Dgae 2011 2015 visitapastoral
 
Formação de Catequistas da paróquia de São Sebastiao Tanque
Formação de Catequistas da paróquia de São Sebastiao TanqueFormação de Catequistas da paróquia de São Sebastiao Tanque
Formação de Catequistas da paróquia de São Sebastiao Tanque
 
Para Que Acreditem E Tenham Vida
Para Que Acreditem E Tenham VidaPara Que Acreditem E Tenham Vida
Para Que Acreditem E Tenham Vida
 
Mistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistérioMistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistério
 
Formação para catequistas
Formação para catequistasFormação para catequistas
Formação para catequistas
 

Mais de Fábio Vasconcelos

Mais de Fábio Vasconcelos (20)

Habermas linguagem
Habermas linguagemHabermas linguagem
Habermas linguagem
 
Youcat: como celebramos os mistérios cristãos
Youcat: como celebramos os mistérios cristãosYoucat: como celebramos os mistérios cristãos
Youcat: como celebramos os mistérios cristãos
 
Advento: tempo de espera
Advento: tempo de esperaAdvento: tempo de espera
Advento: tempo de espera
 
Mistagogia da eucaristia vi
Mistagogia da eucaristia viMistagogia da eucaristia vi
Mistagogia da eucaristia vi
 
Mistagogia da eucaristia iv
Mistagogia da eucaristia ivMistagogia da eucaristia iv
Mistagogia da eucaristia iv
 
Mistagogia da eucaristia iii
Mistagogia da eucaristia iiiMistagogia da eucaristia iii
Mistagogia da eucaristia iii
 
Mistagogia da Eucaristia II
Mistagogia da Eucaristia IIMistagogia da Eucaristia II
Mistagogia da Eucaristia II
 
Mistagogia da eucaristia
Mistagogia da eucaristiaMistagogia da eucaristia
Mistagogia da eucaristia
 
Onde celebrar
Onde celebrarOnde celebrar
Onde celebrar
 
A missa segundo o papa francisco
A missa segundo o papa franciscoA missa segundo o papa francisco
A missa segundo o papa francisco
 
Teilhard Chardin e o ser amazônico
Teilhard Chardin e o ser amazônicoTeilhard Chardin e o ser amazônico
Teilhard Chardin e o ser amazônico
 
Filosofia e crise: Crise do racionalismo e crise européia.
Filosofia e crise: Crise do racionalismo e crise européia. Filosofia e crise: Crise do racionalismo e crise européia.
Filosofia e crise: Crise do racionalismo e crise européia.
 
Entregas: Creio, Pai nosso e Mandamento do amor
Entregas: Creio, Pai nosso e Mandamento do amorEntregas: Creio, Pai nosso e Mandamento do amor
Entregas: Creio, Pai nosso e Mandamento do amor
 
Ética e relações de gênero
Ética e relações de gêneroÉtica e relações de gênero
Ética e relações de gênero
 
Tendência pedagógica histórico crítica
Tendência pedagógica histórico críticaTendência pedagógica histórico crítica
Tendência pedagógica histórico crítica
 
Ética epicurista
Ética epicuristaÉtica epicurista
Ética epicurista
 
Catequese IVC - Reflexão para Retiro com jovens
Catequese IVC - Reflexão para Retiro com jovensCatequese IVC - Reflexão para Retiro com jovens
Catequese IVC - Reflexão para Retiro com jovens
 
RICA: Escrutínios e Exorcismos
RICA: Escrutínios e Exorcismos RICA: Escrutínios e Exorcismos
RICA: Escrutínios e Exorcismos
 
Ofício de romaria ao círio de nazaré
Ofício de romaria ao círio de nazaréOfício de romaria ao círio de nazaré
Ofício de romaria ao círio de nazaré
 
Catequese rito de eleição e inscrição do nome
Catequese rito de eleição e inscrição do nomeCatequese rito de eleição e inscrição do nome
Catequese rito de eleição e inscrição do nome
 

Último

O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
thandreola
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
MilyFonceca
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
StelaWilbert
 

Último (15)

Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 

Catequistas: missão na comunidade

  • 1. Somos tuas testemunhas Conversa sobre ser Catequista no mundo de hoje
  • 2. Jesus Cristo, primeiro mistagogo - centro da catequese! • Jesus foi chamado pelas multidões de Rabi = Mestre • Mistagogo: Alguém que conduz para dentro do mistério • Ensinava com a vida, com autoridade • Jesus instruía com discursos, parábolas, frases de sabedoria • Ele ensinou sobre o Reino de Deus! • Ensinou a valorizar os pobres
  • 3. ACOMPANHAR NO CAMINHO A Iniciação à Vida Cristã é responsabilidade de toda a Igreja, sendo ela mesma integralmente catecumenal. TODOS OS MINISTÉRIOS, leigos e ordenados, TODOS OS SERVIÇOS E ATIVIDADES são convocados a participar desse processo, ainda que em diferentes níveis. O acompanhamento na caminhada cristã não se restringe aos catequistas!
  • 4.
  • 5. Temos sede, à beira do poço Falta o balde do amor, do respeito. Vem Senhor, saciar nossa sede Nos lavar de qualquer preconceito Canto Comunhão - CF 2002, melodia: Ó Senhor, nesta mesa, buscamos
  • 6. Quem é o(a) Catequista? • A vocação para evangelização decorre do sacramento do Batismo, fortalecida pela Confirmação e alimentado pelo Eucaristia. • Mesmo que toda a comunidade seja responsável pela catequese, a Igreja escolhe alguns membros para a delicada tarefa da transmissão da fé e do acompanhamento às famílias, crianças, adolescentes, jovens e adultos • A palavra "catequese" é uma palavra, no fundo, de origem grega: katá (a partir de) + echos (voz, fala, eco), resultando: kat'echesis. Sabendo que catequese é significa ecoar, podemos afirmar que o(a) catequista é alguém que faz ressoar a mensagem de Jesus.
  • 7. Catequese querigmática (A Alegria do Evangelho) • Voltamos a descobrir que também na catequese tem um papel fundamental o primeiro anúncio ou querigma, que deve ocupar o centro da atividade evangelizadora e de toda a tentativa de renovação eclesial. • Retornar e ampliar o primeiro anúncio • Na boca do catequista, volta a ressoar sempre o primeiro anúncio: “Jesus Cristo ama-te, deu a sua vida para te salvar, e agora vive contigo todos os dias para te iluminar, fortalecer, libertar”. • Não devemos esquecer e nem substituir esse primeiro anúncio, pois é fundamental • O anúncio do querigma exige que o evangelizador tenha: proximidade, abertura ao diálogo, paciência, acolhimento cordial que não condena.
  • 8. Catequese mistagógica A iniciação mistagógica, significa essencialmente duas coisas: I) a necessária progressividade da experiência formativa na qual intervém toda a comunidade II) Uma renovada valorização dos sinais litúrgicos da iniciação cristã. O encontro catequético é um anúncio da Palavra e está centrado nela, mas precisa sempre duma ambientação adequada e duma motivação atraente, do uso de símbolos eloquentes, da sua inserção num amplo processo de crescimento e da integração de todas as dimensões da pessoa num caminho comunitário de escuta e resposta.
  • 9. Catequista: um dos sujeito da IVC – Doc. 107 Algumas indicações do documento “iniciação à vida cristã: itinerário para formar discípulos missionários”. • Ser discípulos missionários que aprendem com os catequizandos e os participantes da ação pastoral; • Buscar viver o diálogo como fonte de aprendizado e conversão; • Estar atento aos desafios e exigências atuais, procurando novos caminhos para transmitir a fé. • Ter um processo de formação gradual e, nesse processo, acompanhar outros catequistas no desenvolvimento dos encontros, celebrações... • Celebrar anualmente o envio dos catequistas (pelo bispo ou pároco) • Conhecer as celebrações dentro do itinerário da IVC, e em alguns casos específicos estar preparado para assumir a sua presidência
  • 10. Ministério dos Catequistas • É necessário que os catequistas tenham um amor fraterno (um amor de pai e mãe!) pelos que acompanham na fé • O ministério do catequista é importante e valioso para o desenvolvimento da comunidade, pois, ajuda a gerar os seus novos filhos e filhas • Os catequistas podem presidir as celebrações da palavra próprias da catequese com estilo catecumenal • Participam ativamente dos ritos da IVC presididos pelos ministros ordenados • Rezam pelos seus catequizandos e catecúmenos • Alguém integrado no seu tempo, que sabe compreender, analisar e criticar a realidade social, política e econômica à luz dos ensinamentos da Igreja
  • 11. O Perfil do(a) catequista O perfil do(a) catequista é um ideal a ser conquistado, tendo os olhos fixos em Jesus e seu modo de agir; Dimensões que o catequista precisa desenvolver: SER, SABER e SABER FAZER EM COMUNIDADE
  • 12. O ser do catequista • Pessoa que ama viver e se sente realizada • Pessoa de maturidade humana e de equilíbrio psicológico • Pessoa de espiritualidade, que quer crescer em santidade • Pessoa que sabe ler a presença de Deus nas atividades humanas • Pessoa integrada no seu tempo e identificada com sua gente • Pessoa que busca, constantemente, cultivar sua formação • Pessoa de comunicação, capaz de construir comunhão
  • 13. O saber do catequista • Conhecer: A mensagem que transmite, o interlocutor com quem fala e o contexto social em que vive - unindo teoria e prática • Suficientemente a Palavra de Deus • Os elementos básicos que formam o núcleo da nossa fé • Noções básicas de ciências humanas • As referências doutrinais e de orientação: Catecismo da Igreja Católica, documentos ... • Pluralidade cultural • As mudanças que ocorrem na sociedade • Fundamentos teológicos e pastorais
  • 14. O saber fazer do catequista • O catequista torna-se uma pessoa de confiança e testemunho na comunidade, e para melhor desempenho de sua ação catequética deve superar a IMPROVISAÇÃO e a SIMPLES BOA VONTADE • E precisa trabalhar as seguintes dimensões: • Relacional: Relações inter-pessoais e intra-pessoais. Criar espaço de comunhão, diálogo, amizade... • Educativa: O(a) catequista deve ter e intenção de ensinar e aprender com o grupo, caminhando para a maturidade humana e cristã • Comunicativa: O(a) catequista deve fazer a comunicação entre FÉ e VIDA. É recomendável que saiba utilizar os diversos meios de comunicação presentes no mundo de hoje (redes sociais, músicas, aparelhos eletrônicos)
  • 15. • Pedagógica: Fundamentado na pedagogia (mistagogia) divina. Na pedagogia da ENCARNAÇÃO se destaca: a) Diálogo de Salvação entre Deus e a pessoa b) Revelação progressiva, adequada às situações, pessoas e culturas c) Valorização da experiência pessoal e comunitária da fé d) Evangelho relacionado com a vida e) Relações interpessoais f) Uso de sinais (linguagem simbólica) g) Pedagogia litúrgica (Aprender celebrando) h) Mistagogia do processo catecumenal
  • 16. • Metodológica O(a) catequista precisa: Conhecer o “terreno” – ir se aproximando dos seus interlocutores Buscar meios para interagir Fé e Vida Desenvolver em si e nos(as) catequizandos(as) o amor pela Palavra de Deus Estimular a criatividade dos(as) catequizandos(as) Destacar a importância da vida em grupo e comunidade • Organizacional: Elaborar um programação em conjunto com a caminhada da Igreja local e da comunidade. Tomar conhecimento das atividades planejadas pela comissão de IVC, coordenação de catequese e coordenação (arqui)diocesana, setorial, paroquial (área missionária) e comunitária. Ser realista no planejamento e avaliar atividades realizadas. Saber ponderar circunstâncias.
  • 17. O que o catequista de IVC não deve ser • Um(a) professor(a) de catequese • Um(a) “instrutor sacramentalista”, um(a) palestrante • Uma pessoa sem compromisso (Com a comunidade e a sociedade) • Centralizador, que não favoreça o diálogo, que não dê espaço para as pessoas falarem • Uma pessoa que não busque conhecer mais sobre Jesus, e a vida da Igreja • Uma pessoa fora da comunhão, que não seja integrante da comunidade (Alguém que vem apenas para fazer “pregações”) • Alguém que não se alimente da Palavra e da Eucaristia (...)
  • 18. MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO AOS PARTICIPANTES NO SIMPÓSIO INTERNACIONAL SOBRE A CATEQUESE BUENOS AIRES, JULHO DE 2017 • O catequista caminha rumo a e com Cristo, não é uma pessoa que parte das suas ideias e gostos pessoais, mas deixa-se fitar por Ele, por aquele olhar que faz arder o coração. Quanto mais Jesus ocupa o centro da nossa vida, tanto mais nos faz sair de nós mesmos, nos descentra e nos aproxima dos outros. Este dinamismo do amor é como o movimento do coração: “sístole e diástole”; concentra-se para encontrar o Senhor e abre-se imediatamente, saindo de si mesmo por amor, para dar testemunho de Jesus e falar de Jesus, para anunciar Jesus. • o catequista é criativo; procura vários meios e formas para anunciar Cristo. É bom acreditar em Jesus, porque Ele é «o caminho, a verdade e a vida» (Jo 14, 6), que enche a nossa existência de júbilo e de alegria. Esta procura de dar a conhecer Jesus como suma beleza leva-nos a encontrar novos sinais e formas para a transmissão da fé. • Os instrumentos podem ser diversos, mas o importante é ter presente o estilo de Jesus, o qual se adaptava às pessoas que estavam diante dele, para lhes tornar próximo o amor de Deus. É necessário saber “mudar”, adaptar-se, para tornar a mensagem mais próxima, não obstante seja sempre a mesma, porque Deus não muda mas n’Ele tudo se renova. Na busca criativa de dar a conhecer Jesus não devemos ter medo, porque Ele nos precede nesta tarefa. Ele já está no homem de hoje e é ali que espera por nós.
  • 19. “Mais do que como peritos em diagnósticos apocalípticos ou juízes sombrios que se comprazem em detectar qualquer perigo ou desvio, é bom que nos possam ver como mensageiros alegres de propostas altas, guardiões do bem e da beleza que resplandecem numa vida fiel ao Evangelho” Papa Francisco, EG – 168