SlideShare uma empresa Scribd logo
Catequese
com Inspiração
Catecumenal
Ministério do
IntRodutor
O catecumenato:
ontem e hoje
Documentos da igreja importantes para
a missão catequética
Concílio Vaticano II
(1962 – 1965)
Orientações para a
Catequese
(2014)
Estrutura do Itinerário Catequético
• Parte 1: Fundamentação bíblica, teológica e pastoral.
• Parte 2: Orientações para uma ação pedagógico-
pastoral no processo da Iniciação à vida cristã.
• Parte 3: Itinerários da IVC conforme as idades.
A Catequese a
serviço da
Iniciação à
Vida Cristã
Tarefa da Catequese
• Promover um processo de aprofundamento e vivência
da fé em comunidade.
• Dois serviços importantes:
Um processo de iniciação cristã unitária e coerente
relacionado aos sacramentos.
Um processo de catequese com adultos para
fundamentar melhor a sua fé.
• A catequese a serviço da IVC insistirá em propor os
encontros salvíficos de Jesus, como promotores de
uma fé madura;
• Catequese bíblica e vivencial;
• Missão da catequese: formar para o discipulado;
• Catequese que introduza o catequizando numa
melhor compreensão do mistério celebrado.
Objetivo da catequese hoje
•Formar cristãos adultos, discípulos
missionários, maduros na fé, inseridos numa
comunidade adulta, na comunhão e
participação.
Esta temática visa fazer-nos perceber qual é o autêntico papel do RICA
no processo catequético;
“Assumir a inspiração catecumenal permite-nos um retorno as origens,
revalorizando uma lição catequética histórica de valores tradicionais por
longo tempo esquecidos [...] recorda-nos que a opção cristã deve ser
feita com responsabilidade, empenho e avaliada pela comunidade de fé
com o devido rigor [...] exigindo tempo, progressividade, atitudes e
comportamentos” (p. 42).
esforço para superar ou melhorar os modelos existentes;
superar o modelo escolar, puramente acadêmico e doutrinário;
propor um itinerário mais celebrativo, litúrgico, vivencial e comunitário;
centrado no Mistério Pascal de Jesus Cristo.
A Catequese de Inspiração Catecumenal
TEMPOS E FASES DO ITINERÁRIO
PRÉ-CATECUMENATO
É o primeiro tempo, o tempo do Querigma. Nele, o iniciante é convidado a despertar para uma primeira
aproximação e encantamento com a pessoa de Jesus Cristo.
O CATECUMENATO
É o segundo tempo. É o tempo mais longo porque é dedicado ao ensino bíblico-doutrinal e ao
aprofundamento.
A ILUMINAÇÃO E PURIFICAÇÃO
É o terceiro tempo. Nele, o catecúmeno é eleito pela comunidade eclesial para a iniciação sacramental.
A MISTAGOGIA
É o quarto tempo. É o tempo de vivenciar o mistério de cristão através da vivência comunitária, dos
serviços e ministérios, do engajamento.
ORIENTAÇÕES PARA UMA AÇÃO
PEDAGÓGICO-PASTORAL NO
PROCESSO DA INICIAÇÃO À
VIDA CRISTÃ
1ª ORIENTAÇÃO: Interlocutores da IVC
Adultos batizados não
evangelizados
Os não batizados
que querem
aderir à vida de
fé
Crianças
batizadas que
devem
completar a
iniciação
Candidatos
Catequizandos
Catecúmenos
Candidatos
Acolhidos e
acompanhados
individualmente
Têm sua história
e situação
particular
2ª ORIENTAÇÃO: Comissão da IVC
IVC:
Responsabilidade
Comunidade Ministérios
Constituição da comissão da IVC
Pároco ou
vigário
Pastoral do
Batismo
Pastoral
Familiar
Liturgia
Catequistas
Religiosos e
seminaristas
Movimentos
3ª ORIENTAÇÃO: Ministérios da IVC
Comunidade
Catequistas
Introdutores
Padrinhos /
madrinhas
Equipe de
celebrações
Bispo
Presbíteros
4ª ORIENTAÇÃO: Dimensão festiva
do Itinerário Catequético
Festa
Acolhida e
inscrição
Momentos e
ritos festivos
Celebração
festiva dos
sacramentos
Tem como objetivo/função apresentar e anunciar a pessoa
de Jesus Cristo (Querigma) aos futuros catecúmenos ou
catequizandos;
Trata-se de um ministério de acompanhamento, animação
e motivação dos candidatos a superação dos desafios e
dificuldades na Fé;
O introdutor é o semeador que vai preparar o terreno para
que a semente da fé possa florescer e dar frutos .
O MINISTÉRIO DOS INTRODUTORES
SOBRE O MINISTÉRIO DO INTRODUTOR- RICA
Alguém “que o conhece [o interessado], ajuda e é testemunha de seus
costumes, fé e desejo” (n. 42).
junto com a comunidade, ajuda-os “a encontrar e a seguir a Cristo” (n. 77).
Trata-se de um ministério de “ajuda”, semelhante ao dos padrinhos.
Começa no pré-catecumenato, é ativo em todo o seu desenrolar e, se for o
caso, é substituído pelo padrinho ou madrinha apenas no final do
catecumenato.
O ritual dá preferência que o próprio introdutor venha a ser o padrinho (n.
42).
O padrinho é escolhido “por seu exemplo, qualidade e amizade, e
delegado pela comunidade cristã local com a aprovação do sacerdote” (n.
43).
CARACTERISTICAS DO INTRODUTOR
Pessoas de fé, constantes na vida litúrgica da comunidade, assíduo à confissão
sacramental e na comunhão eucarística, orantes, atentas à Palavra de Deus,
solidárias;
Reconhecida por toda a comunidade;
Que já tenha recebido os Sacramentos da Iniciação Cristã: Batismo, Eucaristia e
Crisma;
Personalidade acolhedora e integradora, sabendo ouvir, dialogar e construir;
Cuidar da perseverança na fé e na vida cristã;
Atenta à Palavra de Deus e ao que esta Palavra nos comunica nos fatos da vida
cotidiana, atenta à mensagem de Deus a si mesmo e aos irmãos;
Que respeite as pessoas, independentemente da origem ou posição religiosa;
É o amigo que, partilhando sua própria experiência, vai ajudar o candidato a caminhar
na fé e a firmar uma relação pessoal com Deus e com a comunidade.
INTRODUTOR NÃO É...
Ministro do acolhimento;
Catequista;
Psicólogo;
METODOLOGIA DO INTRODUTOR
Realizar visitas e encontros com o
catecúmeno/catequizando e sua família;
Colaborar com o catequista no acompanhamento do
catecúmeno/catequizando garantindo sua jornada e
ajudando-o a decidir se continua ou não;
Estar presentes nas celebrações que acontecerão durante a
jornada;

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a introdutores.pptx

Ritual da Iniciação Cristã de Adultos
Ritual da Iniciação Cristã de AdultosRitual da Iniciação Cristã de Adultos
Ritual da Iniciação Cristã de Adultos
João Pereira
 
PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENALPARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
Liana Plentz
 
Como formar Discípulos Missionários para jesus.pptx
Como formar Discípulos Missionários para jesus.pptxComo formar Discípulos Missionários para jesus.pptx
Como formar Discípulos Missionários para jesus.pptx
Nuno Melo
 
História da Iniciação à vida cristã desde a origem
História da Iniciação à vida cristã desde a origemHistória da Iniciação à vida cristã desde a origem
História da Iniciação à vida cristã desde a origem
JosWolney
 
Itinerário catecumenal
Itinerário catecumenalItinerário catecumenal
Itinerário catecumenal
Sergio Cabral
 
Apostila preparacao catequese_de_adultos
Apostila preparacao catequese_de_adultosApostila preparacao catequese_de_adultos
Apostila preparacao catequese_de_adultos
Antonio Cardoso
 
CNBB - Diretorio Nancional de Catequese
CNBB - Diretorio Nancional de CatequeseCNBB - Diretorio Nancional de Catequese
CNBB - Diretorio Nancional de Catequese
Luís Miguel Rodrigues
 
DIRETÓRIO para avaliação (sacramentos).pdf
DIRETÓRIO para avaliação (sacramentos).pdfDIRETÓRIO para avaliação (sacramentos).pdf
DIRETÓRIO para avaliação (sacramentos).pdf
MaricleusaSilva1
 
Guimarães e Vizela - 2010
Guimarães e Vizela - 2010Guimarães e Vizela - 2010
Guimarães e Vizela - 2010
Luís Miguel Rodrigues
 
Catequese iniciacao a vida cristã ii
Catequese   iniciacao a vida cristã iiCatequese   iniciacao a vida cristã ii
Catequese iniciacao a vida cristã ii
Henrique Fernandes de Souza
 
PARÓQUIA SÃO GERALDO - INICIAÇÃO CRISTÃ
PARÓQUIA SÃO GERALDO - INICIAÇÃO CRISTÃPARÓQUIA SÃO GERALDO - INICIAÇÃO CRISTÃ
PARÓQUIA SÃO GERALDO - INICIAÇÃO CRISTÃ
Ramon Gimenez
 
O Que é Iniciação Cristã (1) - Barra.pptx
O Que é  Iniciação Cristã (1) - Barra.pptxO Que é  Iniciação Cristã (1) - Barra.pptx
O Que é Iniciação Cristã (1) - Barra.pptx
IvaneideRodrigues6
 
Palestra encontro de catequistas 2015
Palestra encontro de catequistas 2015Palestra encontro de catequistas 2015
Palestra encontro de catequistas 2015
Catequista Verinha
 
TEMPOS DA CATEQUESE_CATEQUESE CONFORME AS IDADES.pptx
TEMPOS DA CATEQUESE_CATEQUESE CONFORME AS IDADES.pptxTEMPOS DA CATEQUESE_CATEQUESE CONFORME AS IDADES.pptx
TEMPOS DA CATEQUESE_CATEQUESE CONFORME AS IDADES.pptx
Manuela Siqueira
 
Rica amostra
Rica amostraRica amostra
Rica amostra
Sergio Cabral
 
APRESENTAÇÃO - Itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, com as ...
APRESENTAÇÃO - Itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, com as ...APRESENTAÇÃO - Itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, com as ...
APRESENTAÇÃO - Itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, com as ...
BlogMaterialdeCatequ
 
Uma nova paroquia
Uma nova paroquiaUma nova paroquia
Uma nova paroquia
Pe Gil Medeiros
 
Catecumenato
CatecumenatoCatecumenato
Catecumenato
paroquiasaojose
 
CNBB documento 107 - Aplicação prática
CNBB documento 107 - Aplicação práticaCNBB documento 107 - Aplicação prática
CNBB documento 107 - Aplicação prática
IRINEU FILHO
 
DGAE 2011 2015 padrekleber
DGAE 2011 2015 padrekleberDGAE 2011 2015 padrekleber
DGAE 2011 2015 padrekleber
Kleber Silva
 

Semelhante a introdutores.pptx (20)

Ritual da Iniciação Cristã de Adultos
Ritual da Iniciação Cristã de AdultosRitual da Iniciação Cristã de Adultos
Ritual da Iniciação Cristã de Adultos
 
PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENALPARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
 
Como formar Discípulos Missionários para jesus.pptx
Como formar Discípulos Missionários para jesus.pptxComo formar Discípulos Missionários para jesus.pptx
Como formar Discípulos Missionários para jesus.pptx
 
História da Iniciação à vida cristã desde a origem
História da Iniciação à vida cristã desde a origemHistória da Iniciação à vida cristã desde a origem
História da Iniciação à vida cristã desde a origem
 
Itinerário catecumenal
Itinerário catecumenalItinerário catecumenal
Itinerário catecumenal
 
Apostila preparacao catequese_de_adultos
Apostila preparacao catequese_de_adultosApostila preparacao catequese_de_adultos
Apostila preparacao catequese_de_adultos
 
CNBB - Diretorio Nancional de Catequese
CNBB - Diretorio Nancional de CatequeseCNBB - Diretorio Nancional de Catequese
CNBB - Diretorio Nancional de Catequese
 
DIRETÓRIO para avaliação (sacramentos).pdf
DIRETÓRIO para avaliação (sacramentos).pdfDIRETÓRIO para avaliação (sacramentos).pdf
DIRETÓRIO para avaliação (sacramentos).pdf
 
Guimarães e Vizela - 2010
Guimarães e Vizela - 2010Guimarães e Vizela - 2010
Guimarães e Vizela - 2010
 
Catequese iniciacao a vida cristã ii
Catequese   iniciacao a vida cristã iiCatequese   iniciacao a vida cristã ii
Catequese iniciacao a vida cristã ii
 
PARÓQUIA SÃO GERALDO - INICIAÇÃO CRISTÃ
PARÓQUIA SÃO GERALDO - INICIAÇÃO CRISTÃPARÓQUIA SÃO GERALDO - INICIAÇÃO CRISTÃ
PARÓQUIA SÃO GERALDO - INICIAÇÃO CRISTÃ
 
O Que é Iniciação Cristã (1) - Barra.pptx
O Que é  Iniciação Cristã (1) - Barra.pptxO Que é  Iniciação Cristã (1) - Barra.pptx
O Que é Iniciação Cristã (1) - Barra.pptx
 
Palestra encontro de catequistas 2015
Palestra encontro de catequistas 2015Palestra encontro de catequistas 2015
Palestra encontro de catequistas 2015
 
TEMPOS DA CATEQUESE_CATEQUESE CONFORME AS IDADES.pptx
TEMPOS DA CATEQUESE_CATEQUESE CONFORME AS IDADES.pptxTEMPOS DA CATEQUESE_CATEQUESE CONFORME AS IDADES.pptx
TEMPOS DA CATEQUESE_CATEQUESE CONFORME AS IDADES.pptx
 
Rica amostra
Rica amostraRica amostra
Rica amostra
 
APRESENTAÇÃO - Itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, com as ...
APRESENTAÇÃO - Itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, com as ...APRESENTAÇÃO - Itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, com as ...
APRESENTAÇÃO - Itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, com as ...
 
Uma nova paroquia
Uma nova paroquiaUma nova paroquia
Uma nova paroquia
 
Catecumenato
CatecumenatoCatecumenato
Catecumenato
 
CNBB documento 107 - Aplicação prática
CNBB documento 107 - Aplicação práticaCNBB documento 107 - Aplicação prática
CNBB documento 107 - Aplicação prática
 
DGAE 2011 2015 padrekleber
DGAE 2011 2015 padrekleberDGAE 2011 2015 padrekleber
DGAE 2011 2015 padrekleber
 

Último

Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 

Último (16)

Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 

introdutores.pptx

  • 3. Documentos da igreja importantes para a missão catequética Concílio Vaticano II (1962 – 1965) Orientações para a Catequese (2014)
  • 4. Estrutura do Itinerário Catequético • Parte 1: Fundamentação bíblica, teológica e pastoral. • Parte 2: Orientações para uma ação pedagógico- pastoral no processo da Iniciação à vida cristã. • Parte 3: Itinerários da IVC conforme as idades.
  • 5. A Catequese a serviço da Iniciação à Vida Cristã
  • 6. Tarefa da Catequese • Promover um processo de aprofundamento e vivência da fé em comunidade. • Dois serviços importantes: Um processo de iniciação cristã unitária e coerente relacionado aos sacramentos. Um processo de catequese com adultos para fundamentar melhor a sua fé.
  • 7. • A catequese a serviço da IVC insistirá em propor os encontros salvíficos de Jesus, como promotores de uma fé madura; • Catequese bíblica e vivencial; • Missão da catequese: formar para o discipulado; • Catequese que introduza o catequizando numa melhor compreensão do mistério celebrado.
  • 8. Objetivo da catequese hoje •Formar cristãos adultos, discípulos missionários, maduros na fé, inseridos numa comunidade adulta, na comunhão e participação.
  • 9. Esta temática visa fazer-nos perceber qual é o autêntico papel do RICA no processo catequético; “Assumir a inspiração catecumenal permite-nos um retorno as origens, revalorizando uma lição catequética histórica de valores tradicionais por longo tempo esquecidos [...] recorda-nos que a opção cristã deve ser feita com responsabilidade, empenho e avaliada pela comunidade de fé com o devido rigor [...] exigindo tempo, progressividade, atitudes e comportamentos” (p. 42). esforço para superar ou melhorar os modelos existentes; superar o modelo escolar, puramente acadêmico e doutrinário; propor um itinerário mais celebrativo, litúrgico, vivencial e comunitário; centrado no Mistério Pascal de Jesus Cristo. A Catequese de Inspiração Catecumenal
  • 10.
  • 11. TEMPOS E FASES DO ITINERÁRIO PRÉ-CATECUMENATO É o primeiro tempo, o tempo do Querigma. Nele, o iniciante é convidado a despertar para uma primeira aproximação e encantamento com a pessoa de Jesus Cristo. O CATECUMENATO É o segundo tempo. É o tempo mais longo porque é dedicado ao ensino bíblico-doutrinal e ao aprofundamento. A ILUMINAÇÃO E PURIFICAÇÃO É o terceiro tempo. Nele, o catecúmeno é eleito pela comunidade eclesial para a iniciação sacramental. A MISTAGOGIA É o quarto tempo. É o tempo de vivenciar o mistério de cristão através da vivência comunitária, dos serviços e ministérios, do engajamento.
  • 12. ORIENTAÇÕES PARA UMA AÇÃO PEDAGÓGICO-PASTORAL NO PROCESSO DA INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ
  • 13. 1ª ORIENTAÇÃO: Interlocutores da IVC Adultos batizados não evangelizados Os não batizados que querem aderir à vida de fé Crianças batizadas que devem completar a iniciação
  • 16. 2ª ORIENTAÇÃO: Comissão da IVC IVC: Responsabilidade Comunidade Ministérios
  • 17. Constituição da comissão da IVC Pároco ou vigário Pastoral do Batismo Pastoral Familiar Liturgia Catequistas Religiosos e seminaristas Movimentos
  • 18. 3ª ORIENTAÇÃO: Ministérios da IVC Comunidade Catequistas Introdutores Padrinhos / madrinhas Equipe de celebrações Bispo Presbíteros
  • 19. 4ª ORIENTAÇÃO: Dimensão festiva do Itinerário Catequético Festa Acolhida e inscrição Momentos e ritos festivos Celebração festiva dos sacramentos
  • 20. Tem como objetivo/função apresentar e anunciar a pessoa de Jesus Cristo (Querigma) aos futuros catecúmenos ou catequizandos; Trata-se de um ministério de acompanhamento, animação e motivação dos candidatos a superação dos desafios e dificuldades na Fé; O introdutor é o semeador que vai preparar o terreno para que a semente da fé possa florescer e dar frutos . O MINISTÉRIO DOS INTRODUTORES
  • 21. SOBRE O MINISTÉRIO DO INTRODUTOR- RICA Alguém “que o conhece [o interessado], ajuda e é testemunha de seus costumes, fé e desejo” (n. 42). junto com a comunidade, ajuda-os “a encontrar e a seguir a Cristo” (n. 77). Trata-se de um ministério de “ajuda”, semelhante ao dos padrinhos. Começa no pré-catecumenato, é ativo em todo o seu desenrolar e, se for o caso, é substituído pelo padrinho ou madrinha apenas no final do catecumenato. O ritual dá preferência que o próprio introdutor venha a ser o padrinho (n. 42). O padrinho é escolhido “por seu exemplo, qualidade e amizade, e delegado pela comunidade cristã local com a aprovação do sacerdote” (n. 43).
  • 22. CARACTERISTICAS DO INTRODUTOR Pessoas de fé, constantes na vida litúrgica da comunidade, assíduo à confissão sacramental e na comunhão eucarística, orantes, atentas à Palavra de Deus, solidárias; Reconhecida por toda a comunidade; Que já tenha recebido os Sacramentos da Iniciação Cristã: Batismo, Eucaristia e Crisma; Personalidade acolhedora e integradora, sabendo ouvir, dialogar e construir; Cuidar da perseverança na fé e na vida cristã; Atenta à Palavra de Deus e ao que esta Palavra nos comunica nos fatos da vida cotidiana, atenta à mensagem de Deus a si mesmo e aos irmãos; Que respeite as pessoas, independentemente da origem ou posição religiosa; É o amigo que, partilhando sua própria experiência, vai ajudar o candidato a caminhar na fé e a firmar uma relação pessoal com Deus e com a comunidade.
  • 23. INTRODUTOR NÃO É... Ministro do acolhimento; Catequista; Psicólogo;
  • 24. METODOLOGIA DO INTRODUTOR Realizar visitas e encontros com o catecúmeno/catequizando e sua família; Colaborar com o catequista no acompanhamento do catecúmeno/catequizando garantindo sua jornada e ajudando-o a decidir se continua ou não; Estar presentes nas celebrações que acontecerão durante a jornada;