SlideShare uma empresa Scribd logo
BIBLIOTECAS
ELETRÔNICAS,
DIGITAIS E VIRTUAIS
Histórico
Ao longo de sua evolução, o homem procurou formas de registrar,
disseminar e preservar conhecimento e informação. Com isso surgiram
vários tipos de documentos, desde as escritas rupestres, manuscritos em
papiros, os livros que hoje conhecemos, etc.
Com essa necessidade, as bibliotecas digitais tiveram suas primeiras
reflexões em 1945 com Vannevar Bush.
Ele idealizou um dispositivo chamado “Memex”, que possibilitaria armazenar textos e
imagens e criar associações entres eles. A informação guardada
no microfilme poderia ser aberta e exposta num ecrã. Tal como a mente humana
forma memórias através de associações, o utilizador do Memex seria capaz de
fazer links entre documentos. Bush denominava esses links como
rastros associativos. Porém, sua ideia não foi posta em prática, e ele veio a falecer
antes da invenção da internet. O surgimento das bibliotecas digitais pode ser
considerado como uma evolução natural da convencional. Deduz-se ela teve seu
início por volta de 1960, com a informatização das bibliotecas.
Memex
Uma nova perspectiva de gerenciamento dos recursos
de informação
As modificações e inovações tecnológicas trouxeram consigo a quebra do
estereótipo dos modelos tradicionais de bibliotecas as quais baseiam-se no
desenvolvimento e manutenção de coleções próprias e internas à instituição
mantenedora, intituladas guardiãs e depositárias dos registros do
conhecimento.
O conceito “Biblioteca Virtual” se apresenta como uma alternativa para ampliar
condições de busca, disponibilidade e recuperação da informações de maneira
qualitativa, racional e pertinente com base nos novíssimos meios de
comunicação existentes.
Tecnologias de Informação e Comunicação - TICs
A utilização cada vez mais frequente das TICs contribuiu com o
surgimento das “Bibliotecas Digitais” e as novas formas de sociabilidade
entre as pessoas. A palavra digital traz consigo a possibilidade de
promover o ACESSO cada vez mais significativo às publicações
eletrônicas. O objetivo dessa tecnologia digitalizada é integrar multiplos
recursos disponíveis, tornando o conhecimento disponível aos usuários
finais, fazendo com que essa forma de acesso seja condizente ao estilo
de vida dessa realidade, possibilitando eliminar barreiras do tempo e do
espaço entre todos.
O pleno compartilhamento e disseminação dos objetos digitais é
denominado INTEROPERABILIDADE, compreendida como um processo
contínuo de assegurar o intercâmbio e reuso das informações digitais.
 ELETRÔNICAS
 DIGITAIS
 VIRTUAIS
DIFERENÇA ENTRE AS BIBLIOTECAS:
Biblioteca Eletrônica
Tem em seus processos básicos natureza eletrônica. Ela amplia o uso
de computadores na busca de textos completos, armazenagem,
recuperação e disponibilidade de informação. Pode envolver-se com
projetos de digitalização de livros.
Biblioteca Eletrônica Oswaldo Cruz
1° Biblioteca Eletrônica do mundo
A informação contida nesse meio é disponibilizada apenas na forma
digital e não possui livros na forma convencional . Possui a vantagem de
compartilhamento fácil e instantâneo, com custos relativamente baixos.
Biblioteca Digital
Biblioteca Digital da UNICAMP
http://gizmodo.uol.com.br/biblioteca-sem-livros-eua/
Tipo de biblioteca que, para existir, depende da tecnologia da realidade
virtual. Neste caso, um software próprio acoplado a um computador
sofisticado reproduz o ambiente de uma biblioteca . É possível, ao entrar
em uma biblioteca virtual, circular entre as salas, selecionar um livro nas
estantes, abri-lo e lê-lo.
Biblioteca Virtual
Biblioteca Virtual em Saúde
Visita Virtual
Referências
• http://dci.ccsa.ufpb.br/enebd/index.php/eneb
d/article/viewFile/55/55
• http://rabci.org/rabci/sites/default/files/BIBLIO
TECA%20DIGITAL%20uma%20abordagem
%20conceitual.pdf
• http://pt.wikipedia.org/wiki/Biblioteca_digital
• http://www.moodle.ufscar.br/file.php/886/Ama
ral_2011f_.pdf
OBRIGADA!!!
Membros: Daniele Ap. C. C. Amaral
Etefania C. Pavarina
Joana L. B. Mesquita
Juliana N. Aguiar
Rita C. F. Iglesias
Tatiane de Oliveira

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Os Rumos da Catalogação Contemporâneas: RDA: Resource Description Access
Os Rumos da Catalogação Contemporâneas: RDA: Resource Description AccessOs Rumos da Catalogação Contemporâneas: RDA: Resource Description Access
Os Rumos da Catalogação Contemporâneas: RDA: Resource Description Access
Universidade de São Paulo
 
Preparatório Santa Biblioteconomia - Foco UFF e Aeronáutica - Aula 2
Preparatório Santa Biblioteconomia - Foco UFF e Aeronáutica - Aula 2Preparatório Santa Biblioteconomia - Foco UFF e Aeronáutica - Aula 2
Preparatório Santa Biblioteconomia - Foco UFF e Aeronáutica - Aula 2
Thalita Gama
 
AACR
AACRAACR
AACR
UNESP
 
Bibliometria, Cienciometria, Webometria E Informetria
Bibliometria, Cienciometria, Webometria E InformetriaBibliometria, Cienciometria, Webometria E Informetria
Bibliometria, Cienciometria, Webometria E Informetria
Jonathas Carvalho
 
Ppt curso auxiliar de biblioteca
Ppt   curso auxiliar de bibliotecaPpt   curso auxiliar de biblioteca
Ppt curso auxiliar de biblioteca
Flavio Santana
 
Minicurso - Catalogação em RDA
Minicurso - Catalogação em RDAMinicurso - Catalogação em RDA
Minicurso - Catalogação em RDA
Universidade de São Paulo
 
2 histórico da catalogação
2 histórico da catalogação2 histórico da catalogação
2 histórico da catalogação
Maika Amorim
 
Tipos de bibliotecas
Tipos de bibliotecas Tipos de bibliotecas
Tipos de bibliotecas
Ana Glenyr
 
Softwares para bibliotecas: opções gratuitas/livres e critérios para seleção
Softwares para bibliotecas: opções gratuitas/livres e critérios para seleçãoSoftwares para bibliotecas: opções gratuitas/livres e critérios para seleção
Softwares para bibliotecas: opções gratuitas/livres e critérios para seleção
Lígia 'lilly' Freitas
 
Conservação de Acervos Bibliográficos SiBUCS
Conservação de Acervos Bibliográficos SiBUCSConservação de Acervos Bibliográficos SiBUCS
Conservação de Acervos Bibliográficos SiBUCS
Biblioteca UCS
 
Aula 4 biblioteca especializada
Aula 4 biblioteca especializadaAula 4 biblioteca especializada
Aula 4 biblioteca especializada
Biblio 2010
 
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
Daniel Ribeiro dos Santos
 
Sistemas e redes de informação
Sistemas e redes de informaçãoSistemas e redes de informação
Sistemas e redes de informação
Charles Fernandes de Souza
 
Histórico da catalogação e da elaboração de bibliografias
Histórico da catalogação e da elaboração de bibliografiasHistórico da catalogação e da elaboração de bibliografias
Histórico da catalogação e da elaboração de bibliografias
Natallie Alcantara
 
Curso De Auxiliar De Biblioteca
Curso De Auxiliar De BibliotecaCurso De Auxiliar De Biblioteca
Curso De Auxiliar De Biblioteca
Sebastião Mendes de Sousa
 
Basicão de auxiliar de biblioteca
Basicão de auxiliar de bibliotecaBasicão de auxiliar de biblioteca
Basicão de auxiliar de biblioteca
LucianoLLC
 
RDA como novo código de catalogação
RDA como novo código de catalogaçãoRDA como novo código de catalogação
RDA como novo código de catalogação
Marcelo Votto
 
Política de preservação e conservação de acervos
Política de preservação e conservação de acervosPolítica de preservação e conservação de acervos
Política de preservação e conservação de acervos
Makson Reis
 
Catalogacao aulas1
Catalogacao aulas1Catalogacao aulas1
Catalogacao aulas1
Fátima Costa
 
2 Desenvolvimento de coleções: política
2 Desenvolvimento de coleções: política2 Desenvolvimento de coleções: política
2 Desenvolvimento de coleções: política
Leticia Strehl
 

Mais procurados (20)

Os Rumos da Catalogação Contemporâneas: RDA: Resource Description Access
Os Rumos da Catalogação Contemporâneas: RDA: Resource Description AccessOs Rumos da Catalogação Contemporâneas: RDA: Resource Description Access
Os Rumos da Catalogação Contemporâneas: RDA: Resource Description Access
 
Preparatório Santa Biblioteconomia - Foco UFF e Aeronáutica - Aula 2
Preparatório Santa Biblioteconomia - Foco UFF e Aeronáutica - Aula 2Preparatório Santa Biblioteconomia - Foco UFF e Aeronáutica - Aula 2
Preparatório Santa Biblioteconomia - Foco UFF e Aeronáutica - Aula 2
 
AACR
AACRAACR
AACR
 
Bibliometria, Cienciometria, Webometria E Informetria
Bibliometria, Cienciometria, Webometria E InformetriaBibliometria, Cienciometria, Webometria E Informetria
Bibliometria, Cienciometria, Webometria E Informetria
 
Ppt curso auxiliar de biblioteca
Ppt   curso auxiliar de bibliotecaPpt   curso auxiliar de biblioteca
Ppt curso auxiliar de biblioteca
 
Minicurso - Catalogação em RDA
Minicurso - Catalogação em RDAMinicurso - Catalogação em RDA
Minicurso - Catalogação em RDA
 
2 histórico da catalogação
2 histórico da catalogação2 histórico da catalogação
2 histórico da catalogação
 
Tipos de bibliotecas
Tipos de bibliotecas Tipos de bibliotecas
Tipos de bibliotecas
 
Softwares para bibliotecas: opções gratuitas/livres e critérios para seleção
Softwares para bibliotecas: opções gratuitas/livres e critérios para seleçãoSoftwares para bibliotecas: opções gratuitas/livres e critérios para seleção
Softwares para bibliotecas: opções gratuitas/livres e critérios para seleção
 
Conservação de Acervos Bibliográficos SiBUCS
Conservação de Acervos Bibliográficos SiBUCSConservação de Acervos Bibliográficos SiBUCS
Conservação de Acervos Bibliográficos SiBUCS
 
Aula 4 biblioteca especializada
Aula 4 biblioteca especializadaAula 4 biblioteca especializada
Aula 4 biblioteca especializada
 
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
 
Sistemas e redes de informação
Sistemas e redes de informaçãoSistemas e redes de informação
Sistemas e redes de informação
 
Histórico da catalogação e da elaboração de bibliografias
Histórico da catalogação e da elaboração de bibliografiasHistórico da catalogação e da elaboração de bibliografias
Histórico da catalogação e da elaboração de bibliografias
 
Curso De Auxiliar De Biblioteca
Curso De Auxiliar De BibliotecaCurso De Auxiliar De Biblioteca
Curso De Auxiliar De Biblioteca
 
Basicão de auxiliar de biblioteca
Basicão de auxiliar de bibliotecaBasicão de auxiliar de biblioteca
Basicão de auxiliar de biblioteca
 
RDA como novo código de catalogação
RDA como novo código de catalogaçãoRDA como novo código de catalogação
RDA como novo código de catalogação
 
Política de preservação e conservação de acervos
Política de preservação e conservação de acervosPolítica de preservação e conservação de acervos
Política de preservação e conservação de acervos
 
Catalogacao aulas1
Catalogacao aulas1Catalogacao aulas1
Catalogacao aulas1
 
2 Desenvolvimento de coleções: política
2 Desenvolvimento de coleções: política2 Desenvolvimento de coleções: política
2 Desenvolvimento de coleções: política
 

Destaque

Atividades BE 1º Ciclo - Janeiro 2015 ppt
Atividades BE 1º Ciclo - Janeiro 2015 pptAtividades BE 1º Ciclo - Janeiro 2015 ppt
Atividades BE 1º Ciclo - Janeiro 2015 ppt
António Pires
 
Atividades BE 1º Ciclo - 2014
Atividades BE 1º Ciclo - 2014Atividades BE 1º Ciclo - 2014
Atividades BE 1º Ciclo - 2014
António Pires
 
Educar com cinema
Educar com cinema Educar com cinema
Educar com cinema
António Pires
 
Apresentação pp forum de leitura
Apresentação pp forum de leituraApresentação pp forum de leitura
Apresentação pp forum de leitura
António Pires
 
Biblioteca virtual
Biblioteca virtualBiblioteca virtual
Biblioteca virtual
gregori ventura
 
Promessas e problemas da pesquisa digital para crianças e jovens
Promessas e problemas da pesquisa digital para crianças e jovensPromessas e problemas da pesquisa digital para crianças e jovens
Promessas e problemas da pesquisa digital para crianças e jovens
António Pires
 
Como fazer o meu livro
Como fazer o meu livroComo fazer o meu livro
Como fazer o meu livro
António Pires
 
Bibliotecarbe8
Bibliotecarbe8Bibliotecarbe8
Bibliotecarbe8
António Pires
 
Evidências das be do agrupament2013 2014
Evidências das be do agrupament2013 2014Evidências das be do agrupament2013 2014
Evidências das be do agrupament2013 2014
António Pires
 
Lendas encantadas nas escolas dos 1º Ciclo
Lendas encantadas nas escolas dos 1º CicloLendas encantadas nas escolas dos 1º Ciclo
Lendas encantadas nas escolas dos 1º Ciclo
António Pires
 
O Cérebro em Mudança na Era da Informação - Teresa Silveira
O Cérebro em Mudança na Era da Informação - Teresa SilveiraO Cérebro em Mudança na Era da Informação - Teresa Silveira
O Cérebro em Mudança na Era da Informação - Teresa Silveira
António Pires
 
Rui Ramos e a história O Doutor Grilo
Rui Ramos e a história O Doutor GriloRui Ramos e a história O Doutor Grilo
Rui Ramos e a história O Doutor Grilo
António Pires
 
Recepção aos Alunos 2008-09
Recepção aos Alunos 2008-09Recepção aos Alunos 2008-09
Recepção aos Alunos 2008-09
Carlos Pinheiro
 
O Plano Nacional de Cinema e a promoção da Literacia Fílmica
O Plano Nacional de Cinema e a promoção da Literacia FílmicaO Plano Nacional de Cinema e a promoção da Literacia Fílmica
O Plano Nacional de Cinema e a promoção da Literacia Fílmica
António Pires
 
Aprender por projetos com a biblioteca escolar
Aprender por projetos com a biblioteca escolarAprender por projetos com a biblioteca escolar
Aprender por projetos com a biblioteca escolar
António Pires
 
SABEbcl – Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares
  SABEbcl – Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares  SABEbcl – Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares
SABEbcl – Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares
António Pires
 
Metodologia de estudo
Metodologia de estudoMetodologia de estudo
Metodologia de estudo
António Pires
 
Biblioteca virtual
Biblioteca virtualBiblioteca virtual
Biblioteca virtual
Michell Avila
 
Slideshare
SlideshareSlideshare
Slideshare
António Pires
 
Redes de saber fazer
Redes de saber fazerRedes de saber fazer
Redes de saber fazer
António Pires
 

Destaque (20)

Atividades BE 1º Ciclo - Janeiro 2015 ppt
Atividades BE 1º Ciclo - Janeiro 2015 pptAtividades BE 1º Ciclo - Janeiro 2015 ppt
Atividades BE 1º Ciclo - Janeiro 2015 ppt
 
Atividades BE 1º Ciclo - 2014
Atividades BE 1º Ciclo - 2014Atividades BE 1º Ciclo - 2014
Atividades BE 1º Ciclo - 2014
 
Educar com cinema
Educar com cinema Educar com cinema
Educar com cinema
 
Apresentação pp forum de leitura
Apresentação pp forum de leituraApresentação pp forum de leitura
Apresentação pp forum de leitura
 
Biblioteca virtual
Biblioteca virtualBiblioteca virtual
Biblioteca virtual
 
Promessas e problemas da pesquisa digital para crianças e jovens
Promessas e problemas da pesquisa digital para crianças e jovensPromessas e problemas da pesquisa digital para crianças e jovens
Promessas e problemas da pesquisa digital para crianças e jovens
 
Como fazer o meu livro
Como fazer o meu livroComo fazer o meu livro
Como fazer o meu livro
 
Bibliotecarbe8
Bibliotecarbe8Bibliotecarbe8
Bibliotecarbe8
 
Evidências das be do agrupament2013 2014
Evidências das be do agrupament2013 2014Evidências das be do agrupament2013 2014
Evidências das be do agrupament2013 2014
 
Lendas encantadas nas escolas dos 1º Ciclo
Lendas encantadas nas escolas dos 1º CicloLendas encantadas nas escolas dos 1º Ciclo
Lendas encantadas nas escolas dos 1º Ciclo
 
O Cérebro em Mudança na Era da Informação - Teresa Silveira
O Cérebro em Mudança na Era da Informação - Teresa SilveiraO Cérebro em Mudança na Era da Informação - Teresa Silveira
O Cérebro em Mudança na Era da Informação - Teresa Silveira
 
Rui Ramos e a história O Doutor Grilo
Rui Ramos e a história O Doutor GriloRui Ramos e a história O Doutor Grilo
Rui Ramos e a história O Doutor Grilo
 
Recepção aos Alunos 2008-09
Recepção aos Alunos 2008-09Recepção aos Alunos 2008-09
Recepção aos Alunos 2008-09
 
O Plano Nacional de Cinema e a promoção da Literacia Fílmica
O Plano Nacional de Cinema e a promoção da Literacia FílmicaO Plano Nacional de Cinema e a promoção da Literacia Fílmica
O Plano Nacional de Cinema e a promoção da Literacia Fílmica
 
Aprender por projetos com a biblioteca escolar
Aprender por projetos com a biblioteca escolarAprender por projetos com a biblioteca escolar
Aprender por projetos com a biblioteca escolar
 
SABEbcl – Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares
  SABEbcl – Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares  SABEbcl – Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares
SABEbcl – Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares
 
Metodologia de estudo
Metodologia de estudoMetodologia de estudo
Metodologia de estudo
 
Biblioteca virtual
Biblioteca virtualBiblioteca virtual
Biblioteca virtual
 
Slideshare
SlideshareSlideshare
Slideshare
 
Redes de saber fazer
Redes de saber fazerRedes de saber fazer
Redes de saber fazer
 

Semelhante a Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais

Bibliotecas Digitais CenáRios E Perspectivas
Bibliotecas Digitais   CenáRios E PerspectivasBibliotecas Digitais   CenáRios E Perspectivas
Bibliotecas Digitais CenáRios E Perspectivas
AnaSAnaO
 
Bibliotecas virtuais
Bibliotecas virtuaisBibliotecas virtuais
Bibliotecas virtuais
tutoriaweb
 
Educação e bibliotecas digitais
Educação e bibliotecas digitaisEducação e bibliotecas digitais
Educação e bibliotecas digitais
Cassia Furtado
 
A BIBLIOTECA DIGITAL: novos meios para velhas práticas
A BIBLIOTECA DIGITAL:  novos meios para velhas práticas A BIBLIOTECA DIGITAL:  novos meios para velhas práticas
A BIBLIOTECA DIGITAL: novos meios para velhas práticas
Diana Carla Mendonça
 
Modelos be
Modelos beModelos be
Modelos be
esperancasantos
 
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
Biblioteca digital
Biblioteca digitalBiblioteca digital
Biblioteca digital
Biblio 2010
 
GESTÃO DA INFORMAÇÃO ELETRÔNICA
GESTÃO DA INFORMAÇÃO ELETRÔNICAGESTÃO DA INFORMAÇÃO ELETRÔNICA
GESTÃO DA INFORMAÇÃO ELETRÔNICA
Miguel Arellano
 
Informação e redes de informação
Informação e redes de informaçãoInformação e redes de informação
Informação e redes de informação
Raquel de Oliveira
 
Biblioteca escolar 2
Biblioteca escolar  2Biblioteca escolar  2
Biblioteca escolar 2
jpedrofernandes
 
A (re) evolução da cultura moderna por meio do ciberespaço: um recurso para...
A (re) evolução da cultura moderna por meio do ciberespaço:   um recurso para...A (re) evolução da cultura moderna por meio do ciberespaço:   um recurso para...
A (re) evolução da cultura moderna por meio do ciberespaço: um recurso para...
Elaine Teixeira
 
Biblioteca 2.0 apresentação
Biblioteca 2.0 apresentaçãoBiblioteca 2.0 apresentação
Biblioteca 2.0 apresentação
sorayaqueiroz
 
Que passos poderiam dar as nossas bibliotecas para se aproximarem de um mode...
 Que passos poderiam dar as nossas bibliotecas para se aproximarem de um mode... Que passos poderiam dar as nossas bibliotecas para se aproximarem de um mode...
Que passos poderiam dar as nossas bibliotecas para se aproximarem de um mode...
Zé Domingues
 
Cibercultura
CiberculturaCibercultura
Cibercultura
apvalente
 
Rumo à biblioteca 3.0: tecnologias, mitos e tendências
Rumo à biblioteca 3.0: tecnologias, mitos e tendênciasRumo à biblioteca 3.0: tecnologias, mitos e tendências
Rumo à biblioteca 3.0: tecnologias, mitos e tendências
Vitor Gonçalves
 
Hipertextos
HipertextosHipertextos
Hipertextos
Aparecida Atual
 
Santaella
SantaellaSantaella
Santaella
Letícia Baccin
 
Hipertexto e generos digitais
Hipertexto e generos digitaisHipertexto e generos digitais
Hipertexto e generos digitais
Patricia Barroso
 
Cibercultura
CiberculturaCibercultura
Cibercultura
Amábile Piacentine
 
Projeto CCajuru Cultural
Projeto CCajuru CulturalProjeto CCajuru Cultural
Projeto CCajuru Cultural
fflorion
 

Semelhante a Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais (20)

Bibliotecas Digitais CenáRios E Perspectivas
Bibliotecas Digitais   CenáRios E PerspectivasBibliotecas Digitais   CenáRios E Perspectivas
Bibliotecas Digitais CenáRios E Perspectivas
 
Bibliotecas virtuais
Bibliotecas virtuaisBibliotecas virtuais
Bibliotecas virtuais
 
Educação e bibliotecas digitais
Educação e bibliotecas digitaisEducação e bibliotecas digitais
Educação e bibliotecas digitais
 
A BIBLIOTECA DIGITAL: novos meios para velhas práticas
A BIBLIOTECA DIGITAL:  novos meios para velhas práticas A BIBLIOTECA DIGITAL:  novos meios para velhas práticas
A BIBLIOTECA DIGITAL: novos meios para velhas práticas
 
Modelos be
Modelos beModelos be
Modelos be
 
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
 
Biblioteca digital
Biblioteca digitalBiblioteca digital
Biblioteca digital
 
GESTÃO DA INFORMAÇÃO ELETRÔNICA
GESTÃO DA INFORMAÇÃO ELETRÔNICAGESTÃO DA INFORMAÇÃO ELETRÔNICA
GESTÃO DA INFORMAÇÃO ELETRÔNICA
 
Informação e redes de informação
Informação e redes de informaçãoInformação e redes de informação
Informação e redes de informação
 
Biblioteca escolar 2
Biblioteca escolar  2Biblioteca escolar  2
Biblioteca escolar 2
 
A (re) evolução da cultura moderna por meio do ciberespaço: um recurso para...
A (re) evolução da cultura moderna por meio do ciberespaço:   um recurso para...A (re) evolução da cultura moderna por meio do ciberespaço:   um recurso para...
A (re) evolução da cultura moderna por meio do ciberespaço: um recurso para...
 
Biblioteca 2.0 apresentação
Biblioteca 2.0 apresentaçãoBiblioteca 2.0 apresentação
Biblioteca 2.0 apresentação
 
Que passos poderiam dar as nossas bibliotecas para se aproximarem de um mode...
 Que passos poderiam dar as nossas bibliotecas para se aproximarem de um mode... Que passos poderiam dar as nossas bibliotecas para se aproximarem de um mode...
Que passos poderiam dar as nossas bibliotecas para se aproximarem de um mode...
 
Cibercultura
CiberculturaCibercultura
Cibercultura
 
Rumo à biblioteca 3.0: tecnologias, mitos e tendências
Rumo à biblioteca 3.0: tecnologias, mitos e tendênciasRumo à biblioteca 3.0: tecnologias, mitos e tendências
Rumo à biblioteca 3.0: tecnologias, mitos e tendências
 
Hipertextos
HipertextosHipertextos
Hipertextos
 
Santaella
SantaellaSantaella
Santaella
 
Hipertexto e generos digitais
Hipertexto e generos digitaisHipertexto e generos digitais
Hipertexto e generos digitais
 
Cibercultura
CiberculturaCibercultura
Cibercultura
 
Projeto CCajuru Cultural
Projeto CCajuru CulturalProjeto CCajuru Cultural
Projeto CCajuru Cultural
 

Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais

  • 2. Histórico Ao longo de sua evolução, o homem procurou formas de registrar, disseminar e preservar conhecimento e informação. Com isso surgiram vários tipos de documentos, desde as escritas rupestres, manuscritos em papiros, os livros que hoje conhecemos, etc. Com essa necessidade, as bibliotecas digitais tiveram suas primeiras reflexões em 1945 com Vannevar Bush.
  • 3. Ele idealizou um dispositivo chamado “Memex”, que possibilitaria armazenar textos e imagens e criar associações entres eles. A informação guardada no microfilme poderia ser aberta e exposta num ecrã. Tal como a mente humana forma memórias através de associações, o utilizador do Memex seria capaz de fazer links entre documentos. Bush denominava esses links como rastros associativos. Porém, sua ideia não foi posta em prática, e ele veio a falecer antes da invenção da internet. O surgimento das bibliotecas digitais pode ser considerado como uma evolução natural da convencional. Deduz-se ela teve seu início por volta de 1960, com a informatização das bibliotecas.
  • 5. Uma nova perspectiva de gerenciamento dos recursos de informação As modificações e inovações tecnológicas trouxeram consigo a quebra do estereótipo dos modelos tradicionais de bibliotecas as quais baseiam-se no desenvolvimento e manutenção de coleções próprias e internas à instituição mantenedora, intituladas guardiãs e depositárias dos registros do conhecimento. O conceito “Biblioteca Virtual” se apresenta como uma alternativa para ampliar condições de busca, disponibilidade e recuperação da informações de maneira qualitativa, racional e pertinente com base nos novíssimos meios de comunicação existentes.
  • 6. Tecnologias de Informação e Comunicação - TICs A utilização cada vez mais frequente das TICs contribuiu com o surgimento das “Bibliotecas Digitais” e as novas formas de sociabilidade entre as pessoas. A palavra digital traz consigo a possibilidade de promover o ACESSO cada vez mais significativo às publicações eletrônicas. O objetivo dessa tecnologia digitalizada é integrar multiplos recursos disponíveis, tornando o conhecimento disponível aos usuários finais, fazendo com que essa forma de acesso seja condizente ao estilo de vida dessa realidade, possibilitando eliminar barreiras do tempo e do espaço entre todos. O pleno compartilhamento e disseminação dos objetos digitais é denominado INTEROPERABILIDADE, compreendida como um processo contínuo de assegurar o intercâmbio e reuso das informações digitais.
  • 7.  ELETRÔNICAS  DIGITAIS  VIRTUAIS DIFERENÇA ENTRE AS BIBLIOTECAS:
  • 8. Biblioteca Eletrônica Tem em seus processos básicos natureza eletrônica. Ela amplia o uso de computadores na busca de textos completos, armazenagem, recuperação e disponibilidade de informação. Pode envolver-se com projetos de digitalização de livros.
  • 11. A informação contida nesse meio é disponibilizada apenas na forma digital e não possui livros na forma convencional . Possui a vantagem de compartilhamento fácil e instantâneo, com custos relativamente baixos. Biblioteca Digital
  • 14. Tipo de biblioteca que, para existir, depende da tecnologia da realidade virtual. Neste caso, um software próprio acoplado a um computador sofisticado reproduz o ambiente de uma biblioteca . É possível, ao entrar em uma biblioteca virtual, circular entre as salas, selecionar um livro nas estantes, abri-lo e lê-lo. Biblioteca Virtual
  • 18. OBRIGADA!!! Membros: Daniele Ap. C. C. Amaral Etefania C. Pavarina Joana L. B. Mesquita Juliana N. Aguiar Rita C. F. Iglesias Tatiane de Oliveira