SlideShare uma empresa Scribd logo
 
Seminário Disciplina: Fundamentos de BCI Profª. Dra. Luciana Gracioso
Grupo: Bárbara Pereira Baltieri – RA: 405086 Daniel André Rigo Guirra – RA: 405256 Elis Gabriela Copa dos Santos – RA: 405230 Helena Campos Assumpção – RA: 405337 Michelle Cristina Ditomaso RA - 405108 Rebeca Carrari – RA:  405124
Bibliotecas  Digitais
Bibliotecas Digitais? Uma biblioteca Digital é a coleção de serviços e a coleção de objetos de informação, sua organização, estrutura e apresentação, que suporta o relacionamento dos utilizadores com os objetos de informação, disponíveis direta ou indiretamente via meio  electrônico/digital”. (LEINER, 1988)
Biblioteca  Multimídia Uma biblioteca digital não é apenas uma coleção digitalizada e ferramentas de gerenciamento da informação. É também um conjunto de atividades que reúne coleções, serviços e usuários em apoio ao ciclo completo de criação, divulgação, uso e conservação de dados, de informações e de conhecimentos. A biblioteca digital é, também, uma biblioteca “multimídia”. (Virginia Tech Institute, 1998).
 
Tradicional x Digital Ícone de estabilidade e constância, a biblioteca sob as pressões do mundo agitado passou a se tornar mais dinâmica e atrativa. Biblioteca tradicional : a maioria dos itens do seu acervo é constituída de documentos em papel.  Biblioteca digital : Sem paredes e conectada a uma rede. De acordo com Saunders (1992), ela  implica um novo conceito para a armazenagem da informação e para sua disseminação.
BIBLIOTECA DIGITAL As bibliotecas tradicionalmente convivem com dificuldades de instalações físicas, tanto para armazenar seus acervos como prover serviços a seus usuários.  No Brasil, poucas bibliotecas estão equipadas com tecnologias da informação avançadas, que já fazem parte da moderna biblioteca digital. A digitalização do acervo envolve custos de recursos humanos, indexação, equipamentos, e controle de qualidade. Bibliotecas digitais X bibliotecas convencionais: Devem cooperarem com suas bases  organizacionais e tecnológicas.
O advento da internet e o armazenamento digital * Devem ser incluídas ou não essas novas fontes de informação nos catálogos?  * Elas devem ser deixadas de fora do catálogo porque não fazem parte do patrimônio/tombamento da organização?
Vantagens Desvantagens Funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana. Inexistência de infra-estruturas necessárias. Pode ter contribuições individuais dos seus utilizadores. Problemas com direitos autorais. Permite o acesso simultâneo de leitores. Falta do auxílio de um bibliotecário. Os custos de aquisição reduzidos. Informação excessiva e redundante. Comporta diferentes formatos de informação. Complexidade dos sistemas informáticos leva à info-exclusão. Facilitam o acesso a pessoas com deficiência. Dependência total da tecnologia, sendo suscetível a falhas de rede. Ajuda na preservação dos documentos. Tecnologias ainda consideradas caras.  Acervo atualizado. Suportes ópticos com vida útil curta. Fim das barreiras geográficas. Baixo grau de confiabilidade da informação.
DIGITALIZAÇÃO  DO  ACERVO Processo caro,  trabalhoso; scanner ou câmara digital; computador; softwares; impressora  ou  monitor.
LABORATÓRIO DE DIGITALIZAÇÃO DA BIBLIOTECA NACIONAL  DIGITA L
A Biblioteca Digital no Brasil
Possui atualmente  6060  trabalhos publicados em periódicos nacionais e anais de eventos realizados no Brasil.  Inclui trabalhos publicados nos seguintes periódicos: JBCS, RITA, IP e INFOCOMP.  Disponível em: http://www.lbd.dcc.ufmg.br/bdbcomp/
O Projeto da Biblioteca Digital Paulo Freire (BDPF) teve origem no ano 2000 contando, inicialmente, com o apoio da Coordenação Institucional de Educação a Distância (CEAD) e Coordenação de Informática – CODEINFO/PROPLAN/UFPB e posteriormente do CNPq.  Digitalização do acervo de documentos em formatos multimídia como vídeos, fitas cassetes, e mídia impressa - disponibilizar o acesso mais amplo possível a estes documentos via web. Disponível em:  http://www.paulofreire.ce.ufpb.br/paulofreire/
Desde a sua criação em 2002, está associada a nível nacional ao Projeto da Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD), do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT/MCT), e a nível internacional à Network Digital Library of Theses and Dissertations (NDLTD). Disponibiliza e difunde a produção científica, acadêmica e intelectual da Universidade em formato eletrônico/digital de: artigos, fotografias, ilustrações, teses, obras de arte, registros sonoros, revistas, vídeos e outros documentos de interesse ao desenvolvimento científico, tecnológico e sócio-cultural. Disponível em:  http:// cutter.unicamp.br/bibdig/apresentacao. php
Armazena, preserva, divulga e dá acesso, em formato digital, a mais de 181 mil documentos de interesse do Poder Legislativo. O acervo digital é variado, dividindo-se entre livros, obras raras, artigos de revista, notícias de jornal, produção intelectual de senadores e servidores do Senado Federal, legislação em texto e áudio, entre outros documentos. As obras publicadas na BDSF são de domínio público ou possuem direitos autorais cedidos pelos proprietários, possibilitando acesso e download gratuitos das obras. Disponível em:  http://www2.senado.gov.br/bdsf /
Foi criada em 2006 e concebida como um ambiente onde estão integradas todas as coleções digitalizadas da Fundação Biblioteca Nacional, fazendo com que a BN se aproximasse em termos de qualidade às maiores bibliotecas do mundo no processo de digitalização de acervo e acesso às obras e aos serviços via internet. Disponível em:  http:// historiadorio.com.br/index. php ? pg = pontosBibliotecaNacional
Bibliotecas Digitais no Mundo
Países que gerenciam bibliotecas digitais: Américas : Canadá, EUA, Hawaii Europa : Bélgica, Inglaterra, Escócia, Espanha, França, Hungria, Irlanda, Itália, Portugal, Suécia Ásia : China, Coréia do Sul, Japão, Índia, Tibete, Himalaia África : Singapura  Oceania : Austrália e Nova Zelândia Projetos e Federações   Biblioteca Européia;  The World Digital Library Project;  Digital Library Federation.
Fundada em abril de 2009, disponibiliza na Internet, gratuitamente e em formato multilíngue, importantes fontes provenientes de países e culturas de todo o mundo. Os principais objetivos da Biblioteca Digital Mundial são:   Promover a compreensão internacional e intercultural;  Expandir o volume e a variedade de conteúdo cultural na Internet;  Fornecer recursos para educadores, acadêmicos e o público em geral;  Desenvolver capacidades em instituições parceiras, a fim de reduzir a lacuna digital dentro dos e entre os países.  Disponível em:  http ://www.wdl.org/pt/about/
Dentre o acervo estão inclusos manuscritos, mapas, livros raros, partituras, gravações, filmes, gravuras, fotografias e desenhos arquitetônicos.  Ferramentas de navegação e descrições de conteúdos são fornecidas em árabe, chinês, inglês, francês, português, russo e espanhol. Muitos outros idiomas estão representados nos livros, manuscritos, mapas e fotografias reais e em outros materiais essenciais, que são fornecidos em seus idiomas originais.  A Biblioteca Digital Mundial foi desenvolvida por uma equipe da Biblioteca do Congresso dos EUA, com contribuições de instituições parceiras em muitos países, o apoio das Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO);  e o apoio financeiro de uma série de empresas e fundações privadas. Disponível em:  http ://www.wdl.org/pt/about/site.html
Marcos cronológicos da Biblioteca Digital Mundial J unho de 2005:  O Bibliotecário do Congresso, James H. Billington, propõe a criação de uma Biblioteca Digital Mundial para a UNESCO.  Dezembro de 2006:  A UNESCO e a Biblioteca do Congresso co-patrocinam uma Reunião de Peritos com as principais partes interessadas de todas as regiões do mundo. A Reunião de Peritos resulta em uma decisão de estabelecer grupos de trabalho para desenvolver normas e diretrizes para seleção de conteúdos.  Outubro de 2007:  A Biblioteca do Congresso e cinco instituições parceiras apresentam um protótipo da futura Biblioteca Digital Mundial na Conferência Geral da UNESCO  Abril de 2009:  A Biblioteca Digital Mundial é lançada  para o público internacional, com conteúdo sobre cada estado-membro da UNESCO.
A Biblioteca Digital Mundial se associou a países como: Brasil, Egito, Iraque e Rússia a fim de estabelecer centros de conversão digital para produzir imagens digitais de alta qualidade, sendo grande parte do conteúdo dela produzida nestes centros.  Além disso, apoia a missão da UNESCO no desenvolvimento de capacidades nos países em desenvolvimento e pretende trabalhar com ela, os parceiros destes países e os financiadores externos para estabelecer centros de conversão digital adicionais em todo o mundo. A fim de produzir conteúdos não só para a Biblioteca Digital Mundial, mas também para outros projetos nacionais e internacionais. Disponível em:  http://www.wdl.org/pt/about/background.html
Associados Os associados WDL são, principalmente, bibliotecas, arquivos ou outras instituições que possuem coleções de conteúdo cultural, podendo também, incluir instituições, fundações e companhias privadas que contribuem para o projeto de outras formas compartilhando tecnologia, convocando ou patrocinando reuniões de grupos de trabalho, ou contribuindo financeiramente. Contribuintes Financeiros  Google, Fundação Catar, Carnegie Corporation de Nova Iorque, Universidade de Ciência e Tecnologia King Abdullah (Arábia Saudita), Microsoft, Fundação Lawrence e Mary Anne Tucker, Fundação Pontes De Compreensão, Conselho James Madison da Biblioteca do Congresso.  Disponível em:  http://www.wdl.org/pt/about/contributors.html
 
O que é ? Espaço virtual criado com o fim de armazenar e organizar a produção científica gerada por uma instituição. O conteúdo pode ser disponibilizado somente para consulta interna ou aberto para o público geral.
Por que ? “ Antes de tudo, o conteúdo de um repositório institucional destina-se ao compartilhamento.” (TOMAÉL, M.I. SILVA, T.E. da. 2007)
Digital; Online; Livre de custos;  Livre de  copyright;  Licenças de uso. Open … o quê ? Open Acess ou Acesso Livre
Características : • Acesso público transparente; • Ampla tipologia de documentos; • Auto-arquivamento da produção científica institucional • Controle do acesso de pessoas; • Conteúdo heterogêneo; • Gerenciamento da coleção digital institucional; • Material para o Ensino à Distância; • Preservação Digital; • Publicações eletrônicas; • Versões digitais de documentos.
O que posso encontrar em um repositório? • Artigos • Relatórios Técnicos • Livros, Periódicos • Teses e Dissertações • Material de Pesquisa • Software • Publicações multimídia • Dados bibliográficos • Imagens • Arquivos de áudio • Arquivos de vídeo • Coleções de bibliotecas digitais reformatadas • Material didático • Páginas da Web
Como Funciona? São  espaços virtuais.... Acesso pelo Internet... Claro! Um Software!
Exemplos
 
 
 
 
 
Referências : HIRWADE, Mangala; HIRWADE, Anil – Institutional repositories: Challenge and opportunity for LIS  Professionals in digital age. . Nagpur: Congress Nagar [etc.], 2006. [Consult. 8 Março 2007]. Disponível na internet: <URL: http://eprints.rclis.org/archive/00006978/01/7D311B68.pdf>, p.1”. MARQUES, A.M.N; MAIO, S.R.S. Repositórios Institucionais. Disponível em: http://repositoriosdigitais.web.simplesnet.pt/PDF'S/Artigo%20%20Repositorios%20Institucionais.pdf  Acesso em 16 mai 2011. VIANA, C. L. M; MÁRDERO ARELLANO, M. A; SHINTAKU, M.   REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA: UMA EXPERIÊNCIA DE CUSTOMIZAÇÃO DO DSPACE.  IBICT. Disponível em: < < http://dspace.ibict.br/dmdocuments/viana358.pdf >.  Acesso em 16 mai. 11 Cunha, MB. Desafios na construção de uma biblioteca digital. Ci. Inf., Brasília, v. 28, n. 3, p. 257-268, set./dez. 1999
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra e Minicurso Dispositivos Móveis XXXVII Enebd Jul 2014
Palestra e Minicurso Dispositivos Móveis XXXVII Enebd Jul 2014Palestra e Minicurso Dispositivos Móveis XXXVII Enebd Jul 2014
Palestra e Minicurso Dispositivos Móveis XXXVII Enebd Jul 2014
Universidade Federal do Cariri
 
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS NO BRASIL
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS NO BRASILSISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS NO BRASIL
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS NO BRASIL
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Bibliotecas Digitais CenáRios E Perspectivas
Bibliotecas Digitais   CenáRios E PerspectivasBibliotecas Digitais   CenáRios E Perspectivas
Bibliotecas Digitais CenáRios E Perspectivas
AnaSAnaO
 
Curadoria de conteúdos abertos em instituições de memória cultural
Curadoria de conteúdos abertos em instituições de memória culturalCuradoria de conteúdos abertos em instituições de memória cultural
Curadoria de conteúdos abertos em instituições de memória cultural
Liber UFPE
 
Congresso brasileiro bibliotecarios_22_julho_2015
Congresso brasileiro bibliotecarios_22_julho_2015Congresso brasileiro bibliotecarios_22_julho_2015
Congresso brasileiro bibliotecarios_22_julho_2015
Aquiles Alencar Brayner
 
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
Liber UFPE
 
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuaisBibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
Rita De Cássia Figueredo
 
O uso de tecnologias móveis em bibliotecas
O uso de tecnologias móveis em bibliotecasO uso de tecnologias móveis em bibliotecas
O uso de tecnologias móveis em bibliotecas
Universidade Federal do Cariri
 
Biblioteca digital
Biblioteca digitalBiblioteca digital
Biblioteca digital
Biblio 2010
 
Acesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Acesso livre e Comunicação Científica: IntersecçõesAcesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Acesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Miguel Angel Mardero Arellano
 
O perfil do bibliotecário 2.0 unifor
O perfil do bibliotecário 2.0 unifor O perfil do bibliotecário 2.0 unifor
O perfil do bibliotecário 2.0 unifor
Universidade Federal do Cariri
 
Bibliotecas digitais
Bibliotecas digitaisBibliotecas digitais
Bibliotecas digitais
Carlos Pinheiro
 
Curadoria digital fcrb 2015_dia 1
Curadoria digital fcrb 2015_dia 1Curadoria digital fcrb 2015_dia 1
Curadoria digital fcrb 2015_dia 1
Aquiles Alencar Brayner
 
Curadoria digital fcrb 2015_dia 2
Curadoria digital fcrb 2015_dia 2Curadoria digital fcrb 2015_dia 2
Curadoria digital fcrb 2015_dia 2
Aquiles Alencar Brayner
 
Slides 1o Ciclo de Palestras BC UFPA Abr 2014
Slides 1o Ciclo de Palestras BC UFPA Abr 2014Slides 1o Ciclo de Palestras BC UFPA Abr 2014
Slides 1o Ciclo de Palestras BC UFPA Abr 2014
Universidade Federal do Cariri
 
Palestra Museus das Minas e do Metal
Palestra Museus das Minas e do MetalPalestra Museus das Minas e do Metal
Palestra Museus das Minas e do Metal
Luiz Algarra
 
Apoio_bibliotecasUAveiro
Apoio_bibliotecasUAveiroApoio_bibliotecasUAveiro
Apoio_bibliotecasUAveiro
Diana Silva
 
Artigo CBBD 2013 marketing de geolocalização 10/07/2013
Artigo CBBD 2013 marketing de geolocalização 10/07/2013Artigo CBBD 2013 marketing de geolocalização 10/07/2013
Artigo CBBD 2013 marketing de geolocalização 10/07/2013
Universidade Federal do Cariri
 
PORTAIS DE PERIÓDICOS OJS/SEER
PORTAIS DE PERIÓDICOS OJS/SEERPORTAIS DE PERIÓDICOS OJS/SEER
PORTAIS DE PERIÓDICOS OJS/SEER
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Apresentacao I EADCE relatos de experiências exitosas de uso de tecnologias v...
Apresentacao I EADCE relatos de experiências exitosas de uso de tecnologias v...Apresentacao I EADCE relatos de experiências exitosas de uso de tecnologias v...
Apresentacao I EADCE relatos de experiências exitosas de uso de tecnologias v...
Universidade Federal do Cariri
 

Mais procurados (20)

Palestra e Minicurso Dispositivos Móveis XXXVII Enebd Jul 2014
Palestra e Minicurso Dispositivos Móveis XXXVII Enebd Jul 2014Palestra e Minicurso Dispositivos Móveis XXXVII Enebd Jul 2014
Palestra e Minicurso Dispositivos Móveis XXXVII Enebd Jul 2014
 
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS NO BRASIL
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS NO BRASILSISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS NO BRASIL
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS NO BRASIL
 
Bibliotecas Digitais CenáRios E Perspectivas
Bibliotecas Digitais   CenáRios E PerspectivasBibliotecas Digitais   CenáRios E Perspectivas
Bibliotecas Digitais CenáRios E Perspectivas
 
Curadoria de conteúdos abertos em instituições de memória cultural
Curadoria de conteúdos abertos em instituições de memória culturalCuradoria de conteúdos abertos em instituições de memória cultural
Curadoria de conteúdos abertos em instituições de memória cultural
 
Congresso brasileiro bibliotecarios_22_julho_2015
Congresso brasileiro bibliotecarios_22_julho_2015Congresso brasileiro bibliotecarios_22_julho_2015
Congresso brasileiro bibliotecarios_22_julho_2015
 
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
 
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuaisBibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
Bibliotecas eletrônicas, digitais e virtuais
 
O uso de tecnologias móveis em bibliotecas
O uso de tecnologias móveis em bibliotecasO uso de tecnologias móveis em bibliotecas
O uso de tecnologias móveis em bibliotecas
 
Biblioteca digital
Biblioteca digitalBiblioteca digital
Biblioteca digital
 
Acesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Acesso livre e Comunicação Científica: IntersecçõesAcesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Acesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
 
O perfil do bibliotecário 2.0 unifor
O perfil do bibliotecário 2.0 unifor O perfil do bibliotecário 2.0 unifor
O perfil do bibliotecário 2.0 unifor
 
Bibliotecas digitais
Bibliotecas digitaisBibliotecas digitais
Bibliotecas digitais
 
Curadoria digital fcrb 2015_dia 1
Curadoria digital fcrb 2015_dia 1Curadoria digital fcrb 2015_dia 1
Curadoria digital fcrb 2015_dia 1
 
Curadoria digital fcrb 2015_dia 2
Curadoria digital fcrb 2015_dia 2Curadoria digital fcrb 2015_dia 2
Curadoria digital fcrb 2015_dia 2
 
Slides 1o Ciclo de Palestras BC UFPA Abr 2014
Slides 1o Ciclo de Palestras BC UFPA Abr 2014Slides 1o Ciclo de Palestras BC UFPA Abr 2014
Slides 1o Ciclo de Palestras BC UFPA Abr 2014
 
Palestra Museus das Minas e do Metal
Palestra Museus das Minas e do MetalPalestra Museus das Minas e do Metal
Palestra Museus das Minas e do Metal
 
Apoio_bibliotecasUAveiro
Apoio_bibliotecasUAveiroApoio_bibliotecasUAveiro
Apoio_bibliotecasUAveiro
 
Artigo CBBD 2013 marketing de geolocalização 10/07/2013
Artigo CBBD 2013 marketing de geolocalização 10/07/2013Artigo CBBD 2013 marketing de geolocalização 10/07/2013
Artigo CBBD 2013 marketing de geolocalização 10/07/2013
 
PORTAIS DE PERIÓDICOS OJS/SEER
PORTAIS DE PERIÓDICOS OJS/SEERPORTAIS DE PERIÓDICOS OJS/SEER
PORTAIS DE PERIÓDICOS OJS/SEER
 
Apresentacao I EADCE relatos de experiências exitosas de uso de tecnologias v...
Apresentacao I EADCE relatos de experiências exitosas de uso de tecnologias v...Apresentacao I EADCE relatos de experiências exitosas de uso de tecnologias v...
Apresentacao I EADCE relatos de experiências exitosas de uso de tecnologias v...
 

Destaque

Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
Susana Faria
 
Biblioteca digital
Biblioteca digital Biblioteca digital
Biblioteca digital
lorenaj7
 
Biblioteca digital interativa do campus de Rio Claro, UNESP: acoes idealizada...
Biblioteca digital interativa do campus de Rio Claro, UNESP: acoes idealizada...Biblioteca digital interativa do campus de Rio Claro, UNESP: acoes idealizada...
Biblioteca digital interativa do campus de Rio Claro, UNESP: acoes idealizada...
Suelybcs .
 
Leitura científica: livre acesso na era digital - Biblioteca da Universidade ...
Leitura científica: livre acesso na era digital - Biblioteca da Universidade ...Leitura científica: livre acesso na era digital - Biblioteca da Universidade ...
Leitura científica: livre acesso na era digital - Biblioteca da Universidade ...
RBE Algarve
 
Pesquisa sobre a biblioteca digital brasileira de teses
Pesquisa sobre a biblioteca digital brasileira de tesesPesquisa sobre a biblioteca digital brasileira de teses
Pesquisa sobre a biblioteca digital brasileira de teses
GrazielaSamara
 
Preservação da Informação na Biblioteca Digital
Preservação da Informação na Biblioteca DigitalPreservação da Informação na Biblioteca Digital
Preservação da Informação na Biblioteca Digital
gueste76474
 
Acessibilidade em bibliotecas digitais
Acessibilidade em bibliotecas digitaisAcessibilidade em bibliotecas digitais
Acessibilidade em bibliotecas digitais
aiadufmg
 

Destaque (7)

Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
Biblioteca digital
Biblioteca digital Biblioteca digital
Biblioteca digital
 
Biblioteca digital interativa do campus de Rio Claro, UNESP: acoes idealizada...
Biblioteca digital interativa do campus de Rio Claro, UNESP: acoes idealizada...Biblioteca digital interativa do campus de Rio Claro, UNESP: acoes idealizada...
Biblioteca digital interativa do campus de Rio Claro, UNESP: acoes idealizada...
 
Leitura científica: livre acesso na era digital - Biblioteca da Universidade ...
Leitura científica: livre acesso na era digital - Biblioteca da Universidade ...Leitura científica: livre acesso na era digital - Biblioteca da Universidade ...
Leitura científica: livre acesso na era digital - Biblioteca da Universidade ...
 
Pesquisa sobre a biblioteca digital brasileira de teses
Pesquisa sobre a biblioteca digital brasileira de tesesPesquisa sobre a biblioteca digital brasileira de teses
Pesquisa sobre a biblioteca digital brasileira de teses
 
Preservação da Informação na Biblioteca Digital
Preservação da Informação na Biblioteca DigitalPreservação da Informação na Biblioteca Digital
Preservação da Informação na Biblioteca Digital
 
Acessibilidade em bibliotecas digitais
Acessibilidade em bibliotecas digitaisAcessibilidade em bibliotecas digitais
Acessibilidade em bibliotecas digitais
 

Semelhante a Seminário "Bibliotecas digitais e repositórios institucionais"

Acesso, Inclusão, Preservação Ibict cinform 2013
Acesso, Inclusão, Preservação Ibict cinform 2013Acesso, Inclusão, Preservação Ibict cinform 2013
Acesso, Inclusão, Preservação Ibict cinform 2013
Miguel Arellano
 
Bibliotecas
BibliotecasBibliotecas
Bibliotecas
Tainara Cristina
 
Repositório Filatélico Brasileiro (REFIBRA) - Philatelic Brazilian Repository
Repositório Filatélico Brasileiro (REFIBRA) - Philatelic Brazilian RepositoryRepositório Filatélico Brasileiro (REFIBRA) - Philatelic Brazilian Repository
Repositório Filatélico Brasileiro (REFIBRA) - Philatelic Brazilian Repository
Diego Salcedo
 
Forum sc rosaly
Forum sc rosalyForum sc rosaly
Repositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Repositórios, Acesso Livre e Preservação DigitalRepositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Repositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Cariniana Rede
 
IV Reunião do Comitê Consultivo da Rede BHL SciELO - Fabiana Montanari
IV Reunião do Comitê Consultivo da Rede BHL SciELO - Fabiana MontanariIV Reunião do Comitê Consultivo da Rede BHL SciELO - Fabiana Montanari
IV Reunião do Comitê Consultivo da Rede BHL SciELO - Fabiana Montanari
SciELO - Scientific Electronic Library Online
 
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
Oclc cbbd-2013
Oclc cbbd-2013Oclc cbbd-2013
Oclc cbbd-2013
Eugenio Hansen, OFS
 
Reuniao OCLC no CBBD 2013
Reuniao OCLC no CBBD 2013Reuniao OCLC no CBBD 2013
Reuniao OCLC no CBBD 2013
OCLC LAC
 
Rede Bibliodata
Rede BibliodataRede Bibliodata
Rede Bibliodata
Klicia Mendonca
 
Material oficina Tainacan Porto Alegre - apresentação_inicial
Material oficina Tainacan Porto Alegre - apresentação_inicialMaterial oficina Tainacan Porto Alegre - apresentação_inicial
Material oficina Tainacan Porto Alegre - apresentação_inicial
Laboratório de Políticas Públicas Participativas
 
Arquivos E Bib Digitais Apr 1
Arquivos E Bib  Digitais Apr  1Arquivos E Bib  Digitais Apr  1
Arquivos E Bib Digitais Apr 1
guest6835bb
 
Trabalho1 adultos1
Trabalho1 adultos1Trabalho1 adultos1
Trabalho1 adultos1
Isabel Rosa
 
Regimento 2012 2013
Regimento 2012 2013Regimento 2012 2013
Regimento 2012 2013
Maria José Ramalho
 
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Pedro Príncipe
 
Atualizacao cientifica
Atualizacao cientificaAtualizacao cientifica
Atualizacao cientifica
Joao P. Dubas
 
Apresentação cariniana rbsp-2014
Apresentação cariniana rbsp-2014Apresentação cariniana rbsp-2014
Apresentação cariniana rbsp-2014
Cariniana Rede
 
Educação e bibliotecas digitais
Educação e bibliotecas digitaisEducação e bibliotecas digitais
Educação e bibliotecas digitais
Cassia Furtado
 
Integrar 2016
Integrar 2016Integrar 2016
Curadoria digital fcrb 2017_dia 2
Curadoria digital fcrb 2017_dia 2Curadoria digital fcrb 2017_dia 2
Curadoria digital fcrb 2017_dia 2
Aquiles Alencar Brayner
 

Semelhante a Seminário "Bibliotecas digitais e repositórios institucionais" (20)

Acesso, Inclusão, Preservação Ibict cinform 2013
Acesso, Inclusão, Preservação Ibict cinform 2013Acesso, Inclusão, Preservação Ibict cinform 2013
Acesso, Inclusão, Preservação Ibict cinform 2013
 
Bibliotecas
BibliotecasBibliotecas
Bibliotecas
 
Repositório Filatélico Brasileiro (REFIBRA) - Philatelic Brazilian Repository
Repositório Filatélico Brasileiro (REFIBRA) - Philatelic Brazilian RepositoryRepositório Filatélico Brasileiro (REFIBRA) - Philatelic Brazilian Repository
Repositório Filatélico Brasileiro (REFIBRA) - Philatelic Brazilian Repository
 
Forum sc rosaly
Forum sc rosalyForum sc rosaly
Forum sc rosaly
 
Repositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Repositórios, Acesso Livre e Preservação DigitalRepositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Repositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
 
IV Reunião do Comitê Consultivo da Rede BHL SciELO - Fabiana Montanari
IV Reunião do Comitê Consultivo da Rede BHL SciELO - Fabiana MontanariIV Reunião do Comitê Consultivo da Rede BHL SciELO - Fabiana Montanari
IV Reunião do Comitê Consultivo da Rede BHL SciELO - Fabiana Montanari
 
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
 
Oclc cbbd-2013
Oclc cbbd-2013Oclc cbbd-2013
Oclc cbbd-2013
 
Reuniao OCLC no CBBD 2013
Reuniao OCLC no CBBD 2013Reuniao OCLC no CBBD 2013
Reuniao OCLC no CBBD 2013
 
Rede Bibliodata
Rede BibliodataRede Bibliodata
Rede Bibliodata
 
Material oficina Tainacan Porto Alegre - apresentação_inicial
Material oficina Tainacan Porto Alegre - apresentação_inicialMaterial oficina Tainacan Porto Alegre - apresentação_inicial
Material oficina Tainacan Porto Alegre - apresentação_inicial
 
Arquivos E Bib Digitais Apr 1
Arquivos E Bib  Digitais Apr  1Arquivos E Bib  Digitais Apr  1
Arquivos E Bib Digitais Apr 1
 
Trabalho1 adultos1
Trabalho1 adultos1Trabalho1 adultos1
Trabalho1 adultos1
 
Regimento 2012 2013
Regimento 2012 2013Regimento 2012 2013
Regimento 2012 2013
 
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
 
Atualizacao cientifica
Atualizacao cientificaAtualizacao cientifica
Atualizacao cientifica
 
Apresentação cariniana rbsp-2014
Apresentação cariniana rbsp-2014Apresentação cariniana rbsp-2014
Apresentação cariniana rbsp-2014
 
Educação e bibliotecas digitais
Educação e bibliotecas digitaisEducação e bibliotecas digitais
Educação e bibliotecas digitais
 
Integrar 2016
Integrar 2016Integrar 2016
Integrar 2016
 
Curadoria digital fcrb 2017_dia 2
Curadoria digital fcrb 2017_dia 2Curadoria digital fcrb 2017_dia 2
Curadoria digital fcrb 2017_dia 2
 

Último

Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 

Último (20)

FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 

Seminário "Bibliotecas digitais e repositórios institucionais"

  • 1.  
  • 2. Seminário Disciplina: Fundamentos de BCI Profª. Dra. Luciana Gracioso
  • 3. Grupo: Bárbara Pereira Baltieri – RA: 405086 Daniel André Rigo Guirra – RA: 405256 Elis Gabriela Copa dos Santos – RA: 405230 Helena Campos Assumpção – RA: 405337 Michelle Cristina Ditomaso RA - 405108 Rebeca Carrari – RA: 405124
  • 5. Bibliotecas Digitais? Uma biblioteca Digital é a coleção de serviços e a coleção de objetos de informação, sua organização, estrutura e apresentação, que suporta o relacionamento dos utilizadores com os objetos de informação, disponíveis direta ou indiretamente via meio electrônico/digital”. (LEINER, 1988)
  • 6. Biblioteca Multimídia Uma biblioteca digital não é apenas uma coleção digitalizada e ferramentas de gerenciamento da informação. É também um conjunto de atividades que reúne coleções, serviços e usuários em apoio ao ciclo completo de criação, divulgação, uso e conservação de dados, de informações e de conhecimentos. A biblioteca digital é, também, uma biblioteca “multimídia”. (Virginia Tech Institute, 1998).
  • 7.  
  • 8. Tradicional x Digital Ícone de estabilidade e constância, a biblioteca sob as pressões do mundo agitado passou a se tornar mais dinâmica e atrativa. Biblioteca tradicional : a maioria dos itens do seu acervo é constituída de documentos em papel. Biblioteca digital : Sem paredes e conectada a uma rede. De acordo com Saunders (1992), ela implica um novo conceito para a armazenagem da informação e para sua disseminação.
  • 9. BIBLIOTECA DIGITAL As bibliotecas tradicionalmente convivem com dificuldades de instalações físicas, tanto para armazenar seus acervos como prover serviços a seus usuários. No Brasil, poucas bibliotecas estão equipadas com tecnologias da informação avançadas, que já fazem parte da moderna biblioteca digital. A digitalização do acervo envolve custos de recursos humanos, indexação, equipamentos, e controle de qualidade. Bibliotecas digitais X bibliotecas convencionais: Devem cooperarem com suas bases organizacionais e tecnológicas.
  • 10. O advento da internet e o armazenamento digital * Devem ser incluídas ou não essas novas fontes de informação nos catálogos? * Elas devem ser deixadas de fora do catálogo porque não fazem parte do patrimônio/tombamento da organização?
  • 11. Vantagens Desvantagens Funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana. Inexistência de infra-estruturas necessárias. Pode ter contribuições individuais dos seus utilizadores. Problemas com direitos autorais. Permite o acesso simultâneo de leitores. Falta do auxílio de um bibliotecário. Os custos de aquisição reduzidos. Informação excessiva e redundante. Comporta diferentes formatos de informação. Complexidade dos sistemas informáticos leva à info-exclusão. Facilitam o acesso a pessoas com deficiência. Dependência total da tecnologia, sendo suscetível a falhas de rede. Ajuda na preservação dos documentos. Tecnologias ainda consideradas caras. Acervo atualizado. Suportes ópticos com vida útil curta. Fim das barreiras geográficas. Baixo grau de confiabilidade da informação.
  • 12. DIGITALIZAÇÃO DO ACERVO Processo caro, trabalhoso; scanner ou câmara digital; computador; softwares; impressora ou monitor.
  • 13. LABORATÓRIO DE DIGITALIZAÇÃO DA BIBLIOTECA NACIONAL DIGITA L
  • 14. A Biblioteca Digital no Brasil
  • 15. Possui atualmente 6060 trabalhos publicados em periódicos nacionais e anais de eventos realizados no Brasil. Inclui trabalhos publicados nos seguintes periódicos: JBCS, RITA, IP e INFOCOMP. Disponível em: http://www.lbd.dcc.ufmg.br/bdbcomp/
  • 16. O Projeto da Biblioteca Digital Paulo Freire (BDPF) teve origem no ano 2000 contando, inicialmente, com o apoio da Coordenação Institucional de Educação a Distância (CEAD) e Coordenação de Informática – CODEINFO/PROPLAN/UFPB e posteriormente do CNPq. Digitalização do acervo de documentos em formatos multimídia como vídeos, fitas cassetes, e mídia impressa - disponibilizar o acesso mais amplo possível a estes documentos via web. Disponível em: http://www.paulofreire.ce.ufpb.br/paulofreire/
  • 17. Desde a sua criação em 2002, está associada a nível nacional ao Projeto da Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD), do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT/MCT), e a nível internacional à Network Digital Library of Theses and Dissertations (NDLTD). Disponibiliza e difunde a produção científica, acadêmica e intelectual da Universidade em formato eletrônico/digital de: artigos, fotografias, ilustrações, teses, obras de arte, registros sonoros, revistas, vídeos e outros documentos de interesse ao desenvolvimento científico, tecnológico e sócio-cultural. Disponível em: http:// cutter.unicamp.br/bibdig/apresentacao. php
  • 18. Armazena, preserva, divulga e dá acesso, em formato digital, a mais de 181 mil documentos de interesse do Poder Legislativo. O acervo digital é variado, dividindo-se entre livros, obras raras, artigos de revista, notícias de jornal, produção intelectual de senadores e servidores do Senado Federal, legislação em texto e áudio, entre outros documentos. As obras publicadas na BDSF são de domínio público ou possuem direitos autorais cedidos pelos proprietários, possibilitando acesso e download gratuitos das obras. Disponível em: http://www2.senado.gov.br/bdsf /
  • 19. Foi criada em 2006 e concebida como um ambiente onde estão integradas todas as coleções digitalizadas da Fundação Biblioteca Nacional, fazendo com que a BN se aproximasse em termos de qualidade às maiores bibliotecas do mundo no processo de digitalização de acervo e acesso às obras e aos serviços via internet. Disponível em: http:// historiadorio.com.br/index. php ? pg = pontosBibliotecaNacional
  • 21. Países que gerenciam bibliotecas digitais: Américas : Canadá, EUA, Hawaii Europa : Bélgica, Inglaterra, Escócia, Espanha, França, Hungria, Irlanda, Itália, Portugal, Suécia Ásia : China, Coréia do Sul, Japão, Índia, Tibete, Himalaia África : Singapura Oceania : Austrália e Nova Zelândia Projetos e Federações   Biblioteca Européia; The World Digital Library Project; Digital Library Federation.
  • 22. Fundada em abril de 2009, disponibiliza na Internet, gratuitamente e em formato multilíngue, importantes fontes provenientes de países e culturas de todo o mundo. Os principais objetivos da Biblioteca Digital Mundial são: Promover a compreensão internacional e intercultural; Expandir o volume e a variedade de conteúdo cultural na Internet; Fornecer recursos para educadores, acadêmicos e o público em geral; Desenvolver capacidades em instituições parceiras, a fim de reduzir a lacuna digital dentro dos e entre os países. Disponível em: http ://www.wdl.org/pt/about/
  • 23. Dentre o acervo estão inclusos manuscritos, mapas, livros raros, partituras, gravações, filmes, gravuras, fotografias e desenhos arquitetônicos. Ferramentas de navegação e descrições de conteúdos são fornecidas em árabe, chinês, inglês, francês, português, russo e espanhol. Muitos outros idiomas estão representados nos livros, manuscritos, mapas e fotografias reais e em outros materiais essenciais, que são fornecidos em seus idiomas originais. A Biblioteca Digital Mundial foi desenvolvida por uma equipe da Biblioteca do Congresso dos EUA, com contribuições de instituições parceiras em muitos países, o apoio das Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO);  e o apoio financeiro de uma série de empresas e fundações privadas. Disponível em: http ://www.wdl.org/pt/about/site.html
  • 24. Marcos cronológicos da Biblioteca Digital Mundial J unho de 2005: O Bibliotecário do Congresso, James H. Billington, propõe a criação de uma Biblioteca Digital Mundial para a UNESCO. Dezembro de 2006: A UNESCO e a Biblioteca do Congresso co-patrocinam uma Reunião de Peritos com as principais partes interessadas de todas as regiões do mundo. A Reunião de Peritos resulta em uma decisão de estabelecer grupos de trabalho para desenvolver normas e diretrizes para seleção de conteúdos. Outubro de 2007: A Biblioteca do Congresso e cinco instituições parceiras apresentam um protótipo da futura Biblioteca Digital Mundial na Conferência Geral da UNESCO Abril de 2009: A Biblioteca Digital Mundial é lançada  para o público internacional, com conteúdo sobre cada estado-membro da UNESCO.
  • 25. A Biblioteca Digital Mundial se associou a países como: Brasil, Egito, Iraque e Rússia a fim de estabelecer centros de conversão digital para produzir imagens digitais de alta qualidade, sendo grande parte do conteúdo dela produzida nestes centros. Além disso, apoia a missão da UNESCO no desenvolvimento de capacidades nos países em desenvolvimento e pretende trabalhar com ela, os parceiros destes países e os financiadores externos para estabelecer centros de conversão digital adicionais em todo o mundo. A fim de produzir conteúdos não só para a Biblioteca Digital Mundial, mas também para outros projetos nacionais e internacionais. Disponível em: http://www.wdl.org/pt/about/background.html
  • 26. Associados Os associados WDL são, principalmente, bibliotecas, arquivos ou outras instituições que possuem coleções de conteúdo cultural, podendo também, incluir instituições, fundações e companhias privadas que contribuem para o projeto de outras formas compartilhando tecnologia, convocando ou patrocinando reuniões de grupos de trabalho, ou contribuindo financeiramente. Contribuintes Financeiros  Google, Fundação Catar, Carnegie Corporation de Nova Iorque, Universidade de Ciência e Tecnologia King Abdullah (Arábia Saudita), Microsoft, Fundação Lawrence e Mary Anne Tucker, Fundação Pontes De Compreensão, Conselho James Madison da Biblioteca do Congresso. Disponível em: http://www.wdl.org/pt/about/contributors.html
  • 27.  
  • 28. O que é ? Espaço virtual criado com o fim de armazenar e organizar a produção científica gerada por uma instituição. O conteúdo pode ser disponibilizado somente para consulta interna ou aberto para o público geral.
  • 29. Por que ? “ Antes de tudo, o conteúdo de um repositório institucional destina-se ao compartilhamento.” (TOMAÉL, M.I. SILVA, T.E. da. 2007)
  • 30. Digital; Online; Livre de custos; Livre de copyright; Licenças de uso. Open … o quê ? Open Acess ou Acesso Livre
  • 31. Características : • Acesso público transparente; • Ampla tipologia de documentos; • Auto-arquivamento da produção científica institucional • Controle do acesso de pessoas; • Conteúdo heterogêneo; • Gerenciamento da coleção digital institucional; • Material para o Ensino à Distância; • Preservação Digital; • Publicações eletrônicas; • Versões digitais de documentos.
  • 32. O que posso encontrar em um repositório? • Artigos • Relatórios Técnicos • Livros, Periódicos • Teses e Dissertações • Material de Pesquisa • Software • Publicações multimídia • Dados bibliográficos • Imagens • Arquivos de áudio • Arquivos de vídeo • Coleções de bibliotecas digitais reformatadas • Material didático • Páginas da Web
  • 33. Como Funciona? São espaços virtuais.... Acesso pelo Internet... Claro! Um Software!
  • 35.  
  • 36.  
  • 37.  
  • 38.  
  • 39.  
  • 40. Referências : HIRWADE, Mangala; HIRWADE, Anil – Institutional repositories: Challenge and opportunity for LIS Professionals in digital age. . Nagpur: Congress Nagar [etc.], 2006. [Consult. 8 Março 2007]. Disponível na internet: <URL: http://eprints.rclis.org/archive/00006978/01/7D311B68.pdf>, p.1”. MARQUES, A.M.N; MAIO, S.R.S. Repositórios Institucionais. Disponível em: http://repositoriosdigitais.web.simplesnet.pt/PDF'S/Artigo%20%20Repositorios%20Institucionais.pdf Acesso em 16 mai 2011. VIANA, C. L. M; MÁRDERO ARELLANO, M. A; SHINTAKU, M. REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA: UMA EXPERIÊNCIA DE CUSTOMIZAÇÃO DO DSPACE. IBICT. Disponível em: < < http://dspace.ibict.br/dmdocuments/viana358.pdf >. Acesso em 16 mai. 11 Cunha, MB. Desafios na construção de uma biblioteca digital. Ci. Inf., Brasília, v. 28, n. 3, p. 257-268, set./dez. 1999
  • 41.