SlideShare uma empresa Scribd logo
Fauvismo ,[object Object], Explorou novos elementos: - as cores puras em grandes manchas e com fortes contrastes, para acentuar ao máximo o valor expressivo da cor.
Matisse Madame Matisse (1905) - abandono do uso naturalista da cor. Líder dos fauvistas.  Para Matisse, pintar não é mais do que «construir com as cores». As sombras desaparecem, substituídas por tons mais escuros.
Mulher com chapéu –  1905
Henry Matisse - Harmonia em vermelho
Principais Obras A Dança (1909-1910) - Uma das realizações mais notáveis de Matisse, que expressa vigor e leveza ao mesmo tempo.
EXPRESSIONISMO ,[object Object]
  Deforma-se a figura, para ressaltar o sentimento.,[object Object]
VanGogh – auto-retrato
-  BIDIMENSIONALIDADE - Redução dos objectos a figuras geométricas -  Multiplicidade de planos – renuncia à perspectiva tradicional -  Cor quase monocromática ,[object Object], de jornal, bilhetes. Cubismo
A denominação de Cubismo tem origem numa observação feita por Matisse junto de um quadro de uma paisagem de GeorgesBraque, no Salão de Outono de 1908. Matissereferira- se   a “petitscubes”, junto ao crítico de arte LouisVauxcelles , que, viria a utilizar num artigo o termo Cubisme, pela primeira vez.
Pablo Picasso  – Lesdemoiselles d’Avignon (1913) ,[object Object],o fundo; ,[object Object]
 Linhas de contornos bem definidas; - Ausência de modelado.
“Quem vê o rosto humano mais correctamente? O fotógrafo, o espelho ou o pintor?” “Não pinto o que vejo, pinto o que penso.” Pablo Picasso (1881-1973
Pablo Picasso  – Guitarra (1913)
Pablo Picasso, Três Músicos,  1921
Braque (1882-1963) Mulher com uma guitarra,  1913
Braque, Porto, 1909
 ABSTRACCIONISMO              A arte abstracta é geralmente entendida como uma forma de arteque não representa objectos próprios da nossa realidade concreta exterior.  Faz, pelo contrário, uso das relações formais entre cores, linhas e superfícies para compor a realidade da obra.  A arte não tinha nenhuma relação com a natureza, usando uma linguagem puramente abstracta, em que se buscava ritmo e dinamismo através da cor e das formas.  É uma arte não figurativa.
WASSILY kANDINSKY (1866-1944) Kandinsky, Linha Transversal, 1923
Kandinsky, Amarelo, vermelho, azul, 1925
Kandinsky, Composição VII
 FUTURISMO          A pintura futurista foi influenciada pelo cubismo e pelo abstraccionismo, mas a utilização de cores vivas e contrastes e a sobreposição das imagens pretendia dar a ideia de dinamismo. Exalta a velocidade, a máquina, a técnica e tudo o que se relacione com a vida moderna, industrial e urbana. O artista futurista não está interessado em pintar um automóvel, mas sim em captar a forma plástica e a velocidade descrita por ele no espaço.  O seu surgimento, datado de 1909, foi marcado pelo Manifesto Futurista do poeta FilippoMarinetti.
-Alternância de planos e sobreposição de imagens, para dar a noção de velocidade e dinamismo; -Arabescos contorcidos, linhas circulares emaranhadas, espirais e elipses; -Cores muito contrastadas, em composições violentas e chocantes.
GiaccomoBalla, Rapariga a correr na  varanda, 1912 O tempo (4ªdimensão) é valorizado pelos futuristas que o introduzem explicitamente nas suas obras. Tentativa de fundir o espaço e o tempo numa única realidade pictórica.
Giácomo Balla, Vôo de andorinhas
FernandLéger
SURREALISMO Esta corrente nasceu em 1924, através do Manifesto do Surrealismo, de André Breton. Procura libertar-se da realidade, pondo de parte a razão e entregando a arte ao inconsciente, que Freud, pouco antes, inventara. Pretendia, acima de tudo, acabar com a única coisa que ainda restava da arte tradicional: a sua visão lógica da realidade.  Os surrealistas pretendiam exprimir o que se passava no seu subconsciente, sem intervenção, limitação ou censura alguma, baseando-se na teoria psicanalítica de Freud.
Representavam cenas absurdas, sonhos ou alucinações, através da representação de imagens e de objectos reais, mas colocados fora do seu contexto habitual, de modo a exprimirem mensagens inconscientes e de sentido onírico. Os surrealistas deixam o mundo real para penetrarem no irreal e no fantástico, no ponto onde a razão humana perde o controlo.
Dormir, 1937 (muletas= símbolo de tudo o que é débil no mundo)
Mi esposa, desnuda, mirando su propio cuerpo, 1945
Salvador Dali - Criança Geopolítica assistindo ao nascimento do novo homem (1943)
Retrato de Picasso
Casa Museu, emFigueras
Rene Magritte (1898-1967) Conhecidoporcolocarobjectosreaisjuntos, emabsurdascombinações. Rene Magritte,The Son of Man, 1964.
Os Amantes - 1928 - Magritte
Rene Magritte O terapeuta, 1941.
 
As novas correntes artísticas chegam a Portugal com muita dificuldade.  Foi o pintor Amadeu de Sousa Cardoso que trouxe de Paris as influências do cubismo, futurismo e abstraccionismo. Conjuntamente com Santa - Rita e Almada Negreiros lançam o movimento Modernista Português.
DADAÍSMO O movimento Dadásurgiu em Zurique, em 1916, no decurso da Primeira Guerra Mundial, pela mão de artistas que aí se encontravam refugiados. Negando o passado, o presente e o futuro, o Dadaísmo é a total falta de perspectiva diante da guerra; daí ser contra as teorias, pouco se importando com o espectador.  Contestavam o belicismo e todos os valores considerados eternos. Para isso, utilizava   a ironia, a troça, o insulto, de modo a destruir a ordem  e estabelecer o caos. O próprio nome do movimento não tem significado algum.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9
História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9
História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9
Carlos Pinheiro
 
Surrealismo e neorealismo
Surrealismo e neorealismoSurrealismo e neorealismo
Surrealismo e neorealismo
Ana Barreiros
 
A cultura do cinema
A cultura do cinema   A cultura do cinema
A cultura do cinema
Ana Barreiros
 
O Impressionismo
O ImpressionismoO Impressionismo
O Impressionismo
Jorge Almeida
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
Carlos Vieira
 
Coca cola
Coca colaCoca cola
Coca cola
cattonia
 
A arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xxA arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xx
Itamir Beserra
 
Op Art
Op ArtOp Art
Cubismo
CubismoCubismo
HCA 11º, Espaço Virtual, Pintura e Arte Acontecimento
HCA 11º, Espaço Virtual, Pintura e Arte AcontecimentoHCA 11º, Espaço Virtual, Pintura e Arte Acontecimento
HCA 11º, Espaço Virtual, Pintura e Arte Acontecimento
Valeriya Rozhkova
 
Módulo 8 contextualização histórica
Módulo 8   contextualização históricaMódulo 8   contextualização histórica
Módulo 8 contextualização histórica
Carla Freitas
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
Carlos Vieira
 
Futurismo
FuturismoFuturismo
Futurismo
Michele Pó
 
Naturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na PinturaNaturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na Pintura
Carlos Pinheiro
 
Arquitectura do Séc.XX
Arquitectura do Séc.XXArquitectura do Séc.XX
Arquitectura do Séc.XX
Michele Pó
 
Arte em Portugal finais seculo xix
Arte em Portugal finais seculo xixArte em Portugal finais seculo xix
Arte em Portugal finais seculo xix
Ana Barreiros
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
Andressa Brossi
 
Picasso
PicassoPicasso
Picasso
hcaslides
 
Impressionismo, neo-impressionismo e pós-impressionismo
Impressionismo, neo-impressionismo e pós-impressionismoImpressionismo, neo-impressionismo e pós-impressionismo
Impressionismo, neo-impressionismo e pós-impressionismo
Carlos Pinheiro
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
Ellen_Assad
 

Mais procurados (20)

História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9
História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9
História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9
 
Surrealismo e neorealismo
Surrealismo e neorealismoSurrealismo e neorealismo
Surrealismo e neorealismo
 
A cultura do cinema
A cultura do cinema   A cultura do cinema
A cultura do cinema
 
O Impressionismo
O ImpressionismoO Impressionismo
O Impressionismo
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Coca cola
Coca colaCoca cola
Coca cola
 
A arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xxA arte da primeira metade do século xx
A arte da primeira metade do século xx
 
Op Art
Op ArtOp Art
Op Art
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
HCA 11º, Espaço Virtual, Pintura e Arte Acontecimento
HCA 11º, Espaço Virtual, Pintura e Arte AcontecimentoHCA 11º, Espaço Virtual, Pintura e Arte Acontecimento
HCA 11º, Espaço Virtual, Pintura e Arte Acontecimento
 
Módulo 8 contextualização histórica
Módulo 8   contextualização históricaMódulo 8   contextualização histórica
Módulo 8 contextualização histórica
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
 
Futurismo
FuturismoFuturismo
Futurismo
 
Naturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na PinturaNaturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na Pintura
 
Arquitectura do Séc.XX
Arquitectura do Séc.XXArquitectura do Séc.XX
Arquitectura do Séc.XX
 
Arte em Portugal finais seculo xix
Arte em Portugal finais seculo xixArte em Portugal finais seculo xix
Arte em Portugal finais seculo xix
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 
Picasso
PicassoPicasso
Picasso
 
Impressionismo, neo-impressionismo e pós-impressionismo
Impressionismo, neo-impressionismo e pós-impressionismoImpressionismo, neo-impressionismo e pós-impressionismo
Impressionismo, neo-impressionismo e pós-impressionismo
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 

Destaque

Movimentos Artísticos
Movimentos ArtísticosMovimentos Artísticos
Movimentos Artísticos
Cristiana Gomes
 
Correntes Artisticas Sec20
Correntes Artisticas Sec20Correntes Artisticas Sec20
Correntes Artisticas Sec20
MGQ
 
Movimentos artísticos
Movimentos artísticosMovimentos artísticos
Movimentos artísticos
Daniele Duque
 
Arte século XX
Arte século XXArte século XX
Arte século XX
Maria Gomes
 
Principais Movimentos Artísticos do Séc. XX
Principais Movimentos Artísticos do Séc. XXPrincipais Movimentos Artísticos do Séc. XX
Principais Movimentos Artísticos do Séc. XX
Cinthya Nascimento
 
Novas correntes artísticas no início do século xx
Novas correntes artísticas no início do século xxNovas correntes artísticas no início do século xx
Novas correntes artísticas no início do século xx
Vitor Peixoto
 
Movimentos artísticos
Movimentos artísticosMovimentos artísticos
Movimentos artísticos
Bruno Costa
 
Movimentos Artísticos
Movimentos ArtísticosMovimentos Artísticos
Movimentos Artísticos
713773
 

Destaque (8)

Movimentos Artísticos
Movimentos ArtísticosMovimentos Artísticos
Movimentos Artísticos
 
Correntes Artisticas Sec20
Correntes Artisticas Sec20Correntes Artisticas Sec20
Correntes Artisticas Sec20
 
Movimentos artísticos
Movimentos artísticosMovimentos artísticos
Movimentos artísticos
 
Arte século XX
Arte século XXArte século XX
Arte século XX
 
Principais Movimentos Artísticos do Séc. XX
Principais Movimentos Artísticos do Séc. XXPrincipais Movimentos Artísticos do Séc. XX
Principais Movimentos Artísticos do Séc. XX
 
Novas correntes artísticas no início do século xx
Novas correntes artísticas no início do século xxNovas correntes artísticas no início do século xx
Novas correntes artísticas no início do século xx
 
Movimentos artísticos
Movimentos artísticosMovimentos artísticos
Movimentos artísticos
 
Movimentos Artísticos
Movimentos ArtísticosMovimentos Artísticos
Movimentos Artísticos
 

Semelhante a Arte no Séc. XX

Primeira metade do século XX
Primeira metade do século XXPrimeira metade do século XX
Primeira metade do século XX
CEF16
 
A arte da 1ª metade do séc beatriz
A arte da 1ª metade do séc   beatrizA arte da 1ª metade do séc   beatriz
A arte da 1ª metade do séc beatriz
Bioquinha
 
Vanguardas CBG
Vanguardas CBGVanguardas CBG
Vanguardas CBG
Aline Raposo
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
Lú Carvalho
 
RESUMO DAS VANGUARDAS EUROPEIAS.pdf
RESUMO DAS VANGUARDAS EUROPEIAS.pdfRESUMO DAS VANGUARDAS EUROPEIAS.pdf
RESUMO DAS VANGUARDAS EUROPEIAS.pdf
ProfNILO
 
As experiências das vanguardas
As experiências das vanguardasAs experiências das vanguardas
As experiências das vanguardas
Professores História
 
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
Professores História
 
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
Professores História
 
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneoRevisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Cubismo, Abstraccionismo, Futurismo e Surrealismo
Cubismo, Abstraccionismo, Futurismo e SurrealismoCubismo, Abstraccionismo, Futurismo e Surrealismo
Cubismo, Abstraccionismo, Futurismo e Surrealismo
Jorge Almeida
 
O desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologiaO desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologia
Sofia Oliveira
 
Objetivo 2018
Objetivo 2018Objetivo 2018
Objetivo 2018
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
WHANESSA
 
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docxMapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
PolianaMendes21
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
Michele Pó
 
O Modernismo na Arte
O Modernismo na ArteO Modernismo na Arte
O Modernismo na Arte
Michele Wilbert
 
Vanguardas do século XX.pdf
Vanguardas do século XX.pdfVanguardas do século XX.pdf
Vanguardas do século XX.pdf
Ricardo Santos
 
As Vanguardas: Ruturas com os Cânones das Artes
As Vanguardas: Ruturas com os Cânones das ArtesAs Vanguardas: Ruturas com os Cânones das Artes
As Vanguardas: Ruturas com os Cânones das Artes
Jorge Fernandes
 
Arte vanguarda.pptx
Arte vanguarda.pptxArte vanguarda.pptx
Arte vanguarda.pptx
Domingos Mesquita
 

Semelhante a Arte no Séc. XX (20)

Primeira metade do século XX
Primeira metade do século XXPrimeira metade do século XX
Primeira metade do século XX
 
A arte da 1ª metade do séc beatriz
A arte da 1ª metade do séc   beatrizA arte da 1ª metade do séc   beatriz
A arte da 1ª metade do séc beatriz
 
Vanguardas CBG
Vanguardas CBGVanguardas CBG
Vanguardas CBG
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
RESUMO DAS VANGUARDAS EUROPEIAS.pdf
RESUMO DAS VANGUARDAS EUROPEIAS.pdfRESUMO DAS VANGUARDAS EUROPEIAS.pdf
RESUMO DAS VANGUARDAS EUROPEIAS.pdf
 
As experiências das vanguardas
As experiências das vanguardasAs experiências das vanguardas
As experiências das vanguardas
 
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
 
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
 
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
 
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneoRevisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
 
Cubismo, Abstraccionismo, Futurismo e Surrealismo
Cubismo, Abstraccionismo, Futurismo e SurrealismoCubismo, Abstraccionismo, Futurismo e Surrealismo
Cubismo, Abstraccionismo, Futurismo e Surrealismo
 
O desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologiaO desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologia
 
Objetivo 2018
Objetivo 2018Objetivo 2018
Objetivo 2018
 
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
 
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docxMapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
Mapa Mental de Arte - Vanguardas Europeias.docx
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 
O Modernismo na Arte
O Modernismo na ArteO Modernismo na Arte
O Modernismo na Arte
 
Vanguardas do século XX.pdf
Vanguardas do século XX.pdfVanguardas do século XX.pdf
Vanguardas do século XX.pdf
 
As Vanguardas: Ruturas com os Cânones das Artes
As Vanguardas: Ruturas com os Cânones das ArtesAs Vanguardas: Ruturas com os Cânones das Artes
As Vanguardas: Ruturas com os Cânones das Artes
 
Arte vanguarda.pptx
Arte vanguarda.pptxArte vanguarda.pptx
Arte vanguarda.pptx
 

Mais de omniblog

Crise de 1929 e new deal
Crise de 1929 e new dealCrise de 1929 e new deal
Crise de 1929 e new deal
omniblog
 
Crise De 1929 E New Deal
Crise De 1929 E New DealCrise De 1929 E New Deal
Crise De 1929 E New Deal
omniblog
 
Lista D AERF
Lista D AERFLista D AERF
Lista D AERF
omniblog
 
O enforcado do_auto_da_barca_do_inferno dinis
O enforcado do_auto_da_barca_do_inferno dinisO enforcado do_auto_da_barca_do_inferno dinis
O enforcado do_auto_da_barca_do_inferno dinis
omniblog
 
Trabalho de Bárbara Dias Diana Sofia
Trabalho de Bárbara Dias   Diana SofiaTrabalho de Bárbara Dias   Diana Sofia
Trabalho de Bárbara Dias Diana Sofia
omniblog
 
Paula e da Maria Inês
Paula e da Maria InêsPaula e da Maria Inês
Paula e da Maria Inês
omniblog
 

Mais de omniblog (6)

Crise de 1929 e new deal
Crise de 1929 e new dealCrise de 1929 e new deal
Crise de 1929 e new deal
 
Crise De 1929 E New Deal
Crise De 1929 E New DealCrise De 1929 E New Deal
Crise De 1929 E New Deal
 
Lista D AERF
Lista D AERFLista D AERF
Lista D AERF
 
O enforcado do_auto_da_barca_do_inferno dinis
O enforcado do_auto_da_barca_do_inferno dinisO enforcado do_auto_da_barca_do_inferno dinis
O enforcado do_auto_da_barca_do_inferno dinis
 
Trabalho de Bárbara Dias Diana Sofia
Trabalho de Bárbara Dias   Diana SofiaTrabalho de Bárbara Dias   Diana Sofia
Trabalho de Bárbara Dias Diana Sofia
 
Paula e da Maria Inês
Paula e da Maria InêsPaula e da Maria Inês
Paula e da Maria Inês
 

Arte no Séc. XX

  • 1.
  • 2. Matisse Madame Matisse (1905) - abandono do uso naturalista da cor. Líder dos fauvistas. Para Matisse, pintar não é mais do que «construir com as cores». As sombras desaparecem, substituídas por tons mais escuros.
  • 4. Henry Matisse - Harmonia em vermelho
  • 5. Principais Obras A Dança (1909-1910) - Uma das realizações mais notáveis de Matisse, que expressa vigor e leveza ao mesmo tempo.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13. A denominação de Cubismo tem origem numa observação feita por Matisse junto de um quadro de uma paisagem de GeorgesBraque, no Salão de Outono de 1908. Matissereferira- se a “petitscubes”, junto ao crítico de arte LouisVauxcelles , que, viria a utilizar num artigo o termo Cubisme, pela primeira vez.
  • 14.
  • 15. Linhas de contornos bem definidas; - Ausência de modelado.
  • 16. “Quem vê o rosto humano mais correctamente? O fotógrafo, o espelho ou o pintor?” “Não pinto o que vejo, pinto o que penso.” Pablo Picasso (1881-1973
  • 17. Pablo Picasso – Guitarra (1913)
  • 18. Pablo Picasso, Três Músicos, 1921
  • 19. Braque (1882-1963) Mulher com uma guitarra, 1913
  • 21. ABSTRACCIONISMO A arte abstracta é geralmente entendida como uma forma de arteque não representa objectos próprios da nossa realidade concreta exterior. Faz, pelo contrário, uso das relações formais entre cores, linhas e superfícies para compor a realidade da obra. A arte não tinha nenhuma relação com a natureza, usando uma linguagem puramente abstracta, em que se buscava ritmo e dinamismo através da cor e das formas. É uma arte não figurativa.
  • 22. WASSILY kANDINSKY (1866-1944) Kandinsky, Linha Transversal, 1923
  • 25. FUTURISMO A pintura futurista foi influenciada pelo cubismo e pelo abstraccionismo, mas a utilização de cores vivas e contrastes e a sobreposição das imagens pretendia dar a ideia de dinamismo. Exalta a velocidade, a máquina, a técnica e tudo o que se relacione com a vida moderna, industrial e urbana. O artista futurista não está interessado em pintar um automóvel, mas sim em captar a forma plástica e a velocidade descrita por ele no espaço. O seu surgimento, datado de 1909, foi marcado pelo Manifesto Futurista do poeta FilippoMarinetti.
  • 26. -Alternância de planos e sobreposição de imagens, para dar a noção de velocidade e dinamismo; -Arabescos contorcidos, linhas circulares emaranhadas, espirais e elipses; -Cores muito contrastadas, em composições violentas e chocantes.
  • 27. GiaccomoBalla, Rapariga a correr na varanda, 1912 O tempo (4ªdimensão) é valorizado pelos futuristas que o introduzem explicitamente nas suas obras. Tentativa de fundir o espaço e o tempo numa única realidade pictórica.
  • 28. Giácomo Balla, Vôo de andorinhas
  • 29.
  • 31. SURREALISMO Esta corrente nasceu em 1924, através do Manifesto do Surrealismo, de André Breton. Procura libertar-se da realidade, pondo de parte a razão e entregando a arte ao inconsciente, que Freud, pouco antes, inventara. Pretendia, acima de tudo, acabar com a única coisa que ainda restava da arte tradicional: a sua visão lógica da realidade. Os surrealistas pretendiam exprimir o que se passava no seu subconsciente, sem intervenção, limitação ou censura alguma, baseando-se na teoria psicanalítica de Freud.
  • 32. Representavam cenas absurdas, sonhos ou alucinações, através da representação de imagens e de objectos reais, mas colocados fora do seu contexto habitual, de modo a exprimirem mensagens inconscientes e de sentido onírico. Os surrealistas deixam o mundo real para penetrarem no irreal e no fantástico, no ponto onde a razão humana perde o controlo.
  • 33.
  • 34.
  • 35. Dormir, 1937 (muletas= símbolo de tudo o que é débil no mundo)
  • 36. Mi esposa, desnuda, mirando su propio cuerpo, 1945
  • 37. Salvador Dali - Criança Geopolítica assistindo ao nascimento do novo homem (1943)
  • 40.
  • 41. Rene Magritte (1898-1967) Conhecidoporcolocarobjectosreaisjuntos, emabsurdascombinações. Rene Magritte,The Son of Man, 1964.
  • 42. Os Amantes - 1928 - Magritte
  • 43.
  • 44. Rene Magritte O terapeuta, 1941.
  • 45.
  • 46.
  • 47.  
  • 48.
  • 49. As novas correntes artísticas chegam a Portugal com muita dificuldade. Foi o pintor Amadeu de Sousa Cardoso que trouxe de Paris as influências do cubismo, futurismo e abstraccionismo. Conjuntamente com Santa - Rita e Almada Negreiros lançam o movimento Modernista Português.
  • 50.
  • 51.
  • 52. DADAÍSMO O movimento Dadásurgiu em Zurique, em 1916, no decurso da Primeira Guerra Mundial, pela mão de artistas que aí se encontravam refugiados. Negando o passado, o presente e o futuro, o Dadaísmo é a total falta de perspectiva diante da guerra; daí ser contra as teorias, pouco se importando com o espectador. Contestavam o belicismo e todos os valores considerados eternos. Para isso, utilizava a ironia, a troça, o insulto, de modo a destruir a ordem e estabelecer o caos. O próprio nome do movimento não tem significado algum.
  • 53. Objectos encontrados são retirados do seu contexto, assinados e considerados obras de arte (são os readymade). Esta atitude provocatória foi característica do movimento Dada, que contesta a obra de arte de sentido tradicional, propondo uma nova estética. MarcelDuchamps, Fonte, 1917