SlideShare uma empresa Scribd logo
DOCENTE: Profª. Ana Carvalho
DISCENTES: Bogdan Bodyanchuk
Miguel Cruz Bugalho
Dinâmicas, política organizacional e lógicas
de ação, na constituição e funcionamento de
um agrupamento horizontal de escolas
Margarida Mateus
Seminário de Integração Profissional V
Análise da Tese de Mestrado
 Fundamente a escolha temática deste relatório
 A introdução da tese e os pontos que aborda
 Contexto institucional, o enquadramento, as etapas do projeto e a
estruturação do relatório.
 Objetivos do projeto de intervenção?
 Metodologia
 Conclusões do trabalho
 Dificuldades e constrangimentos
 Balanço pessoal sobre a tese
A escolha da temática desta tese com o título de “ Dinâmicas, política
organizacional e lógicas de ação, na constituição e funcionamento de
um agrupamento horizontal de escolas” da autora Margarida Mateus
recai pela “importância que autonomia e territorialização das políticas
educativas têm nos contextos educativos”, em particular, nos
agrupamentos escolares.
Relaciona-se com o facto de a “ autonomia e a territorialização das
políticas educativas sejam aqui um fator fundamental, determinante,
que condiciona as orientações destas políticas, uma vez que este
decreto configura a possibilidade da criação de Agrupamentos
horizontais de escolas do 1º ciclo de uma determinada área escolar que
assim passariam a funcionar como unidades organizacionais, sendo aí
também incluídos os jardins-de infância da rede pública estatal do
Ministério da Educação.”
 Breve introdução sobre:
◦ Tema/Problemática (Dinâmica política organizacional e lógica da ação
na constituição e funcionamento de um agrupamento horizontal de
escolas)
◦ Objeto de estudo (Agrupamento Horizontal de Escolas de Carvalhais)
◦ Objetivos de estudo e eixos de análise (*)
◦ Justificação do estudo (*)
◦ Organização da dissertação (*)
 Contexto Institucional
“O território escolar do Agrupamento Horizontal de Escolas de
Carvalhais, é situado a 3 quilómetros a Norte de Mirandela, formado
por oito jardins-de-infância e 27 escolas do 1º ciclo do ensino básico.
A sede do agrupamento escolar situa-se em Carvalhais e funciona nas
antigas instalações da Escola Profissional Agrícola de Mirandela e,
depois, Escola Secundária de Carvalhais.”
 Enquadramento
Apresenta-se o Decreto-Lei Nº 115 – A/98, que veio consagrar a criação
dos Agrupamentos de Escolas.
As razões que levam a análise desta lei são:
 Atualidade científica da temática no âmbito da administração
educacional.
 Facto de a investigação poder contribuir para a compreensão da
constituição dos agrupamentos de escolas como processo de mudança
Questão de estudo:
Que dinâmicas políticas e lógicas de ação podem ser identificadas e
caracterizadas para explicar a constituição, organização e manutenção em
funcionamento do Agrupamento Horizontal de Escolas de Carvalhais?
Etapas do projeto
Primeiro eixo de análise: caracterização do território e das escolas antes do
início do processo da constituição do agrupamento horizontal.
Segundo eixo de análise: descrição do processo político que levou à
constituição do agrupamento.
Terceiro eixo de análise: descrição da estrutura e do funcionamento do
agrupamento.
Quarto eixo de análise: atitudes e representações dos professores sobre a
mudança.
Quinto eixo de análise: interpretação do processo (como se explica a
sobrevivência do agrupamento e como se interpretam as atitudes e
representações dos professores sobre o processo e situação atual).
Estrutura relatório
Introdução
Capítulo I – Evolução das políticas educativas
Capítulo II – Regulação e autonomia das escolas
Capítulo III – Metodologia
Capítulo IV – O Agrupamento Horizontal de Escolas de Carvalhais – contexto e
organização
Capítulo V – Dinâmicas e lógicas de ação no Agrupamento Horizontal de Escolas de
Carvalhais
Conclusão
Bibliografia
Anexos
 Descrever e compreender o processo de instituição, em 2001, e de manutenção,
em 2003, do Agrupamento Horizontal de Escolas de Carvalhais, no concelho de
Mirandela
 Descrever a organização do agrupamento, tanto em termos de estruturas
institucionais como intermédias como ainda operacionais e também em termos de
coordenação curricular.
 Identificar e descrever a perceção e avaliação que os professores fazem sobre a
mudança do modelo de escolas isoladas para o modelo de escolas agrupadas.
 Analisar estas perceções e avaliações em termos de lógicas de ação
 Opção metodológica: metodologia Interpretativa –
Descritiva.
 Tipos de Estudo: Estudo de caso.
 Técnicas de recolha de dados: Entrevista; Pesquisa
Documental.
 Análise e tratamento dos dados: Análise de conteúdo
No trabalho é visível a sequência
Elaboração
dos
instrumentos
de recolha de
dados
Aplicação
dos
instrumentos
Análise dos
dados
 O processo de constituição dos agrupamentos surge por força da
regulação burocrática ou normativa do Estado, em que este
exerce o papel “dominador”.
 Agrupamentos foram criados numa lógica de reordenamento da
rede escolar, que procurava uma maior articulação e
sequencialidade
 No agrupamento verifica-se uma maior articulação entre os
professores e entre as escolas, pois o Projeto Educativo é
comum.
 Não se verifica a sequencialidade do ensino escolar (Não há 3º
ciclo)
 Professores não resistiram à esta mudança.
 Dificuldades:
“a nível dos procedimentos legais e principalmente das infraestruturas
de apoio da Administração.”
“A nível financeiro notou-se uma grande falta de apoio do poder
central, uma vez que foi a própria presidente da comissão executiva
instaladora que assumiu a instalação do telefone e do fax.”
 Constrangimentos e limites do projeto:
“A nível do pessoal administrativo, o Agrupamento iniciou sem nenhum
funcionário.”
“A presidente do Conselho Executivo, a professora Laura, salientou ter-
se candidatado por propostas de colegas, acabando por ser eleita,
apesar de surgirem três listas para a Comissão Executiva Instaladora.
(CEI).”
 Curiosidades/Inovações:
Destacamos a gestão articulada de recursos e a descentralização e
inserção territorial dos projetos educativos como os objetivos
fundamentais doo Decreto-Lei 115 – A/98, que propõe novas linhas
de ação na gestão e administração escolar.
Outra curiosidade que destacamos é a atualidade científica da
temática, no âmbito da administração educacional, foi uma das
razões justificativas da pertinência deste estudo.
E, por último, o facto da atualidade da investigação permitir ajudar
à compreensão da constituição dos agrupamentos de escolas, num
processo de mudança, que procura o reforço da autonomia das
escolas.
 Aprendizagens mais significativas decorrentes da leitura:
O papel que os agrupamentos têm no meio escolar e a diferença da
teoria e da prática, ou seja, quando falamos no papel do gestor nos
decretos-lei o mesmo não é aplicável, em algumas situações, no
dia-a-dia.
Esta situação decorre pelo facto de que um diretor de uma escola
por vezes tem que gerir não só os professores, bem como os alunos
e também a restante rede escolar.

Mais conteúdo relacionado

Destaque

2011 08-09 - aula 03 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 1)...
2011 08-09 - aula 03 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 1)...2011 08-09 - aula 03 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 1)...
2011 08-09 - aula 03 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 1)...
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2012 03-21 - 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - burocra...
2012 03-21 - 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - burocra...2012 03-21 - 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - burocra...
2012 03-21 - 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - burocra...
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2011 10-28 - 12 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
2011 10-28 - 12 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...2011 10-28 - 12 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
2011 10-28 - 12 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2012 02-29 - 04 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 2) - co...
2012 02-29 - 04 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 2) - co...2012 02-29 - 04 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 2) - co...
2012 02-29 - 04 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 2) - co...
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2011 09-23 - aula 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 2) - qu...
2011 09-23 - aula 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 2) - qu...2011 09-23 - aula 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 2) - qu...
2011 09-23 - aula 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 2) - qu...
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2012 04-18 - 11 de 20 - correçao da prova e explicaçao sobre o trabalho
2012 04-18 - 11 de 20 - correçao da prova e explicaçao sobre o trabalho2012 04-18 - 11 de 20 - correçao da prova e explicaçao sobre o trabalho
2012 04-18 - 11 de 20 - correçao da prova e explicaçao sobre o trabalho
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2011 12-05 - 19 de 20 - cap. 6 sistemas empresariais ou de gestão baseados em...
2011 12-05 - 19 de 20 - cap. 6 sistemas empresariais ou de gestão baseados em...2011 12-05 - 19 de 20 - cap. 6 sistemas empresariais ou de gestão baseados em...
2011 12-05 - 19 de 20 - cap. 6 sistemas empresariais ou de gestão baseados em...
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócioPalestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
Michelle Raimundo dos Santos
 
2012 05-02 - 13 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
2012 05-02 - 13 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...2012 05-02 - 13 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
2012 05-02 - 13 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2011 10-21 - 11 de 20 - explicação sobre o trabalho
2011 10-21 - 11 de 20 - explicação sobre o trabalho2011 10-21 - 11 de 20 - explicação sobre o trabalho
2011 10-21 - 11 de 20 - explicação sobre o trabalho
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2011 09-09 - aula 06 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - bu...
2011 09-09 - aula 06 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - bu...2011 09-09 - aula 06 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - bu...
2011 09-09 - aula 06 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - bu...
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2011 09-02 - aula 05 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 3)...
2011 09-02 - aula 05 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 3)...2011 09-02 - aula 05 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 3)...
2011 09-02 - aula 05 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 3)...
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2012 03-28 - 08 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 2) - qualidade
2012 03-28 - 08 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 2) - qualidade2012 03-28 - 08 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 2) - qualidade
2012 03-28 - 08 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 2) - qualidade
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2012 02-08 - 02 de 20 - fundamentos da administração e funções do administrad...
2012 02-08 - 02 de 20 - fundamentos da administração e funções do administrad...2012 02-08 - 02 de 20 - fundamentos da administração e funções do administrad...
2012 02-08 - 02 de 20 - fundamentos da administração e funções do administrad...
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Abed Unisinos Agosto2009
Abed Unisinos Agosto2009Abed Unisinos Agosto2009
Abed Unisinos Agosto2009
Giancarlo Colombo
 
2012 31-01 - 01 de 20 - Apresentação + Fundamentos da Administração e Funções...
2012 31-01 - 01 de 20 - Apresentação + Fundamentos da Administração e Funções...2012 31-01 - 01 de 20 - Apresentação + Fundamentos da Administração e Funções...
2012 31-01 - 01 de 20 - Apresentação + Fundamentos da Administração e Funções...
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2011 11-25 - 17 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
2011 11-25 - 17 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...2011 11-25 - 17 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
2011 11-25 - 17 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
Fernando Monteiro D'Andrea
 

Destaque (19)

2011 08-09 - aula 03 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 1)...
2011 08-09 - aula 03 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 1)...2011 08-09 - aula 03 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 1)...
2011 08-09 - aula 03 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 1)...
 
2012 03-21 - 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - burocra...
2012 03-21 - 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - burocra...2012 03-21 - 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - burocra...
2012 03-21 - 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - burocra...
 
2011 10-28 - 12 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
2011 10-28 - 12 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...2011 10-28 - 12 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
2011 10-28 - 12 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
 
2012 02-29 - 04 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 2) - co...
2012 02-29 - 04 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 2) - co...2012 02-29 - 04 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 2) - co...
2012 02-29 - 04 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 2) - co...
 
2011 09-23 - aula 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 2) - qu...
2011 09-23 - aula 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 2) - qu...2011 09-23 - aula 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 2) - qu...
2011 09-23 - aula 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 2) - qu...
 
2012 04-18 - 11 de 20 - correçao da prova e explicaçao sobre o trabalho
2012 04-18 - 11 de 20 - correçao da prova e explicaçao sobre o trabalho2012 04-18 - 11 de 20 - correçao da prova e explicaçao sobre o trabalho
2012 04-18 - 11 de 20 - correçao da prova e explicaçao sobre o trabalho
 
2011 12-05 - 19 de 20 - cap. 6 sistemas empresariais ou de gestão baseados em...
2011 12-05 - 19 de 20 - cap. 6 sistemas empresariais ou de gestão baseados em...2011 12-05 - 19 de 20 - cap. 6 sistemas empresariais ou de gestão baseados em...
2011 12-05 - 19 de 20 - cap. 6 sistemas empresariais ou de gestão baseados em...
 
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócioPalestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
 
2012 05-02 - 13 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
2012 05-02 - 13 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...2012 05-02 - 13 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
2012 05-02 - 13 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
 
2011 10-21 - 11 de 20 - explicação sobre o trabalho
2011 10-21 - 11 de 20 - explicação sobre o trabalho2011 10-21 - 11 de 20 - explicação sobre o trabalho
2011 10-21 - 11 de 20 - explicação sobre o trabalho
 
2011 09-09 - aula 06 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - bu...
2011 09-09 - aula 06 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - bu...2011 09-09 - aula 06 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - bu...
2011 09-09 - aula 06 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - bu...
 
2011 09-02 - aula 05 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 3)...
2011 09-02 - aula 05 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 3)...2011 09-02 - aula 05 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 3)...
2011 09-02 - aula 05 de 20 - cap. 3 teorias gerais da administração (parte 3)...
 
2012 03-28 - 08 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 2) - qualidade
2012 03-28 - 08 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 2) - qualidade2012 03-28 - 08 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 2) - qualidade
2012 03-28 - 08 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 2) - qualidade
 
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
 
2012 02-08 - 02 de 20 - fundamentos da administração e funções do administrad...
2012 02-08 - 02 de 20 - fundamentos da administração e funções do administrad...2012 02-08 - 02 de 20 - fundamentos da administração e funções do administrad...
2012 02-08 - 02 de 20 - fundamentos da administração e funções do administrad...
 
Abed Unisinos Agosto2009
Abed Unisinos Agosto2009Abed Unisinos Agosto2009
Abed Unisinos Agosto2009
 
2012 31-01 - 01 de 20 - Apresentação + Fundamentos da Administração e Funções...
2012 31-01 - 01 de 20 - Apresentação + Fundamentos da Administração e Funções...2012 31-01 - 01 de 20 - Apresentação + Fundamentos da Administração e Funções...
2012 31-01 - 01 de 20 - Apresentação + Fundamentos da Administração e Funções...
 
2011 11-25 - 17 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
2011 11-25 - 17 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...2011 11-25 - 17 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
2011 11-25 - 17 de 20 - cap. 5 técnicas e métodos administrativos - plano de ...
 
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
 

Semelhante a Apresentação TESE

OPGEAENE AULA 6 : Coordenação, elaboração e avaliação de projeto político pe...
OPGEAENE  AULA 6 : Coordenação, elaboração e avaliação de projeto político pe...OPGEAENE  AULA 6 : Coordenação, elaboração e avaliação de projeto político pe...
OPGEAENE AULA 6 : Coordenação, elaboração e avaliação de projeto político pe...
profamiriamnavarro
 
Conselhos Escolares: uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
Conselhos Escolares: uma estratégia de gestão democrática da educação pública. Conselhos Escolares: uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
Conselhos Escolares: uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
colegiadoescolar
 
Conselhos escolares uma estratégia de gestão pública
Conselhos escolares uma estratégia de gestão públicaConselhos escolares uma estratégia de gestão pública
Conselhos escolares uma estratégia de gestão pública
Cre Educação
 
universo 2009
universo 2009universo 2009
universo 2009
Ana Paula
 
Caderno 5 – conselho escolar, gestão democrática da educação e escolha do dir...
Caderno 5 – conselho escolar, gestão democrática da educação e escolha do dir...Caderno 5 – conselho escolar, gestão democrática da educação e escolha do dir...
Caderno 5 – conselho escolar, gestão democrática da educação e escolha do dir...
Najara Nascimento
 
Teorias e mod. de superv. aula 2
Teorias e mod. de superv.   aula 2Teorias e mod. de superv.   aula 2
Teorias e mod. de superv. aula 2
lislieribeiro
 
Parabéns Hermógenes Gomes, tu passaste no vestibular 2015
Parabéns Hermógenes Gomes, tu passaste no vestibular 2015Parabéns Hermógenes Gomes, tu passaste no vestibular 2015
Parabéns Hermógenes Gomes, tu passaste no vestibular 2015
Ellen Rodrigues
 
A ética que se constrói na formação de enfermeiros
A ética que se constrói na formação de enfermeirosA ética que se constrói na formação de enfermeiros
A ética que se constrói na formação de enfermeiros
Carla Danielly
 
Conselhos escolares uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
Conselhos escolares uma estratégia de gestão democrática da educação pública.Conselhos escolares uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
Conselhos escolares uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
Najara Nascimento
 
Gestão da informação numa ies estudo de caso
Gestão da informação numa ies estudo de casoGestão da informação numa ies estudo de caso
Gestão da informação numa ies estudo de caso
Isaac Rios
 
Manual pesquisa fac_doctum_iuna2017
Manual pesquisa fac_doctum_iuna2017Manual pesquisa fac_doctum_iuna2017
Manual pesquisa fac_doctum_iuna2017
Victor Almeida Pereira
 
A investigação ação na formação
A investigação ação na formaçãoA investigação ação na formação
A investigação ação na formação
Mary Carneiro Rezende
 
Políticas e Programas de Apoio aos Professores Iniciantes no Brasil
Políticas e Programas de Apoio aos Professores Iniciantes no BrasilPolíticas e Programas de Apoio aos Professores Iniciantes no Brasil
Políticas e Programas de Apoio aos Professores Iniciantes no Brasil
ProfessorPrincipiante
 
Web de O.G.T.E
Web de O.G.T.EWeb de O.G.T.E
Web de O.G.T.E
Eduardo Cruz
 
Artigo bioterra v21_n2_09
Artigo bioterra v21_n2_09Artigo bioterra v21_n2_09
Artigo bioterra v21_n2_09
Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Construção de um dispositivo de autoavaliaçao docente dm iris ribeiro_2015
Construção de um dispositivo de autoavaliaçao docente dm  iris ribeiro_2015Construção de um dispositivo de autoavaliaçao docente dm  iris ribeiro_2015
Construção de um dispositivo de autoavaliaçao docente dm iris ribeiro_2015
CARLO Mantinni
 
Gestao da educação escolar
Gestao da educação escolarGestao da educação escolar
Gestao da educação escolar
eliasdemoch
 
06 gest edu_esc
06 gest edu_esc06 gest edu_esc
06 gest edu_esc
Bricio29
 
Gestão da educação escolar unieubra
Gestão da educação escolar   unieubraGestão da educação escolar   unieubra
Gestão da educação escolar unieubra
unieubra
 
Opec 4 Pacheco
Opec 4 PachecoOpec 4 Pacheco
Opec 4 Pacheco
Lucila Pesce
 

Semelhante a Apresentação TESE (20)

OPGEAENE AULA 6 : Coordenação, elaboração e avaliação de projeto político pe...
OPGEAENE  AULA 6 : Coordenação, elaboração e avaliação de projeto político pe...OPGEAENE  AULA 6 : Coordenação, elaboração e avaliação de projeto político pe...
OPGEAENE AULA 6 : Coordenação, elaboração e avaliação de projeto político pe...
 
Conselhos Escolares: uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
Conselhos Escolares: uma estratégia de gestão democrática da educação pública. Conselhos Escolares: uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
Conselhos Escolares: uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
 
Conselhos escolares uma estratégia de gestão pública
Conselhos escolares uma estratégia de gestão públicaConselhos escolares uma estratégia de gestão pública
Conselhos escolares uma estratégia de gestão pública
 
universo 2009
universo 2009universo 2009
universo 2009
 
Caderno 5 – conselho escolar, gestão democrática da educação e escolha do dir...
Caderno 5 – conselho escolar, gestão democrática da educação e escolha do dir...Caderno 5 – conselho escolar, gestão democrática da educação e escolha do dir...
Caderno 5 – conselho escolar, gestão democrática da educação e escolha do dir...
 
Teorias e mod. de superv. aula 2
Teorias e mod. de superv.   aula 2Teorias e mod. de superv.   aula 2
Teorias e mod. de superv. aula 2
 
Parabéns Hermógenes Gomes, tu passaste no vestibular 2015
Parabéns Hermógenes Gomes, tu passaste no vestibular 2015Parabéns Hermógenes Gomes, tu passaste no vestibular 2015
Parabéns Hermógenes Gomes, tu passaste no vestibular 2015
 
A ética que se constrói na formação de enfermeiros
A ética que se constrói na formação de enfermeirosA ética que se constrói na formação de enfermeiros
A ética que se constrói na formação de enfermeiros
 
Conselhos escolares uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
Conselhos escolares uma estratégia de gestão democrática da educação pública.Conselhos escolares uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
Conselhos escolares uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
 
Gestão da informação numa ies estudo de caso
Gestão da informação numa ies estudo de casoGestão da informação numa ies estudo de caso
Gestão da informação numa ies estudo de caso
 
Manual pesquisa fac_doctum_iuna2017
Manual pesquisa fac_doctum_iuna2017Manual pesquisa fac_doctum_iuna2017
Manual pesquisa fac_doctum_iuna2017
 
A investigação ação na formação
A investigação ação na formaçãoA investigação ação na formação
A investigação ação na formação
 
Políticas e Programas de Apoio aos Professores Iniciantes no Brasil
Políticas e Programas de Apoio aos Professores Iniciantes no BrasilPolíticas e Programas de Apoio aos Professores Iniciantes no Brasil
Políticas e Programas de Apoio aos Professores Iniciantes no Brasil
 
Web de O.G.T.E
Web de O.G.T.EWeb de O.G.T.E
Web de O.G.T.E
 
Artigo bioterra v21_n2_09
Artigo bioterra v21_n2_09Artigo bioterra v21_n2_09
Artigo bioterra v21_n2_09
 
Construção de um dispositivo de autoavaliaçao docente dm iris ribeiro_2015
Construção de um dispositivo de autoavaliaçao docente dm  iris ribeiro_2015Construção de um dispositivo de autoavaliaçao docente dm  iris ribeiro_2015
Construção de um dispositivo de autoavaliaçao docente dm iris ribeiro_2015
 
Gestao da educação escolar
Gestao da educação escolarGestao da educação escolar
Gestao da educação escolar
 
06 gest edu_esc
06 gest edu_esc06 gest edu_esc
06 gest edu_esc
 
Gestão da educação escolar unieubra
Gestão da educação escolar   unieubraGestão da educação escolar   unieubra
Gestão da educação escolar unieubra
 
Opec 4 Pacheco
Opec 4 PachecoOpec 4 Pacheco
Opec 4 Pacheco
 

Último

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
ILDISONRAFAELBARBOSA
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 

Apresentação TESE

  • 1. DOCENTE: Profª. Ana Carvalho DISCENTES: Bogdan Bodyanchuk Miguel Cruz Bugalho Dinâmicas, política organizacional e lógicas de ação, na constituição e funcionamento de um agrupamento horizontal de escolas Margarida Mateus Seminário de Integração Profissional V Análise da Tese de Mestrado
  • 2.  Fundamente a escolha temática deste relatório  A introdução da tese e os pontos que aborda  Contexto institucional, o enquadramento, as etapas do projeto e a estruturação do relatório.  Objetivos do projeto de intervenção?  Metodologia  Conclusões do trabalho  Dificuldades e constrangimentos  Balanço pessoal sobre a tese
  • 3. A escolha da temática desta tese com o título de “ Dinâmicas, política organizacional e lógicas de ação, na constituição e funcionamento de um agrupamento horizontal de escolas” da autora Margarida Mateus recai pela “importância que autonomia e territorialização das políticas educativas têm nos contextos educativos”, em particular, nos agrupamentos escolares. Relaciona-se com o facto de a “ autonomia e a territorialização das políticas educativas sejam aqui um fator fundamental, determinante, que condiciona as orientações destas políticas, uma vez que este decreto configura a possibilidade da criação de Agrupamentos horizontais de escolas do 1º ciclo de uma determinada área escolar que assim passariam a funcionar como unidades organizacionais, sendo aí também incluídos os jardins-de infância da rede pública estatal do Ministério da Educação.”
  • 4.  Breve introdução sobre: ◦ Tema/Problemática (Dinâmica política organizacional e lógica da ação na constituição e funcionamento de um agrupamento horizontal de escolas) ◦ Objeto de estudo (Agrupamento Horizontal de Escolas de Carvalhais) ◦ Objetivos de estudo e eixos de análise (*) ◦ Justificação do estudo (*) ◦ Organização da dissertação (*)
  • 5.  Contexto Institucional “O território escolar do Agrupamento Horizontal de Escolas de Carvalhais, é situado a 3 quilómetros a Norte de Mirandela, formado por oito jardins-de-infância e 27 escolas do 1º ciclo do ensino básico. A sede do agrupamento escolar situa-se em Carvalhais e funciona nas antigas instalações da Escola Profissional Agrícola de Mirandela e, depois, Escola Secundária de Carvalhais.”
  • 6.  Enquadramento Apresenta-se o Decreto-Lei Nº 115 – A/98, que veio consagrar a criação dos Agrupamentos de Escolas. As razões que levam a análise desta lei são:  Atualidade científica da temática no âmbito da administração educacional.  Facto de a investigação poder contribuir para a compreensão da constituição dos agrupamentos de escolas como processo de mudança
  • 7. Questão de estudo: Que dinâmicas políticas e lógicas de ação podem ser identificadas e caracterizadas para explicar a constituição, organização e manutenção em funcionamento do Agrupamento Horizontal de Escolas de Carvalhais? Etapas do projeto Primeiro eixo de análise: caracterização do território e das escolas antes do início do processo da constituição do agrupamento horizontal. Segundo eixo de análise: descrição do processo político que levou à constituição do agrupamento. Terceiro eixo de análise: descrição da estrutura e do funcionamento do agrupamento. Quarto eixo de análise: atitudes e representações dos professores sobre a mudança. Quinto eixo de análise: interpretação do processo (como se explica a sobrevivência do agrupamento e como se interpretam as atitudes e representações dos professores sobre o processo e situação atual).
  • 8. Estrutura relatório Introdução Capítulo I – Evolução das políticas educativas Capítulo II – Regulação e autonomia das escolas Capítulo III – Metodologia Capítulo IV – O Agrupamento Horizontal de Escolas de Carvalhais – contexto e organização Capítulo V – Dinâmicas e lógicas de ação no Agrupamento Horizontal de Escolas de Carvalhais Conclusão Bibliografia Anexos
  • 9.  Descrever e compreender o processo de instituição, em 2001, e de manutenção, em 2003, do Agrupamento Horizontal de Escolas de Carvalhais, no concelho de Mirandela  Descrever a organização do agrupamento, tanto em termos de estruturas institucionais como intermédias como ainda operacionais e também em termos de coordenação curricular.  Identificar e descrever a perceção e avaliação que os professores fazem sobre a mudança do modelo de escolas isoladas para o modelo de escolas agrupadas.  Analisar estas perceções e avaliações em termos de lógicas de ação
  • 10.  Opção metodológica: metodologia Interpretativa – Descritiva.  Tipos de Estudo: Estudo de caso.  Técnicas de recolha de dados: Entrevista; Pesquisa Documental.  Análise e tratamento dos dados: Análise de conteúdo
  • 11. No trabalho é visível a sequência Elaboração dos instrumentos de recolha de dados Aplicação dos instrumentos Análise dos dados
  • 12.  O processo de constituição dos agrupamentos surge por força da regulação burocrática ou normativa do Estado, em que este exerce o papel “dominador”.  Agrupamentos foram criados numa lógica de reordenamento da rede escolar, que procurava uma maior articulação e sequencialidade  No agrupamento verifica-se uma maior articulação entre os professores e entre as escolas, pois o Projeto Educativo é comum.  Não se verifica a sequencialidade do ensino escolar (Não há 3º ciclo)  Professores não resistiram à esta mudança.
  • 13.  Dificuldades: “a nível dos procedimentos legais e principalmente das infraestruturas de apoio da Administração.” “A nível financeiro notou-se uma grande falta de apoio do poder central, uma vez que foi a própria presidente da comissão executiva instaladora que assumiu a instalação do telefone e do fax.”  Constrangimentos e limites do projeto: “A nível do pessoal administrativo, o Agrupamento iniciou sem nenhum funcionário.” “A presidente do Conselho Executivo, a professora Laura, salientou ter- se candidatado por propostas de colegas, acabando por ser eleita, apesar de surgirem três listas para a Comissão Executiva Instaladora. (CEI).”
  • 14.  Curiosidades/Inovações: Destacamos a gestão articulada de recursos e a descentralização e inserção territorial dos projetos educativos como os objetivos fundamentais doo Decreto-Lei 115 – A/98, que propõe novas linhas de ação na gestão e administração escolar. Outra curiosidade que destacamos é a atualidade científica da temática, no âmbito da administração educacional, foi uma das razões justificativas da pertinência deste estudo. E, por último, o facto da atualidade da investigação permitir ajudar à compreensão da constituição dos agrupamentos de escolas, num processo de mudança, que procura o reforço da autonomia das escolas.  Aprendizagens mais significativas decorrentes da leitura: O papel que os agrupamentos têm no meio escolar e a diferença da teoria e da prática, ou seja, quando falamos no papel do gestor nos decretos-lei o mesmo não é aplicável, em algumas situações, no dia-a-dia. Esta situação decorre pelo facto de que um diretor de uma escola por vezes tem que gerir não só os professores, bem como os alunos e também a restante rede escolar.