SlideShare uma empresa Scribd logo
Parte 2 – Modelos de Demanda Agregada Esta parte compõe-se de dois capítulos (4 e  5) com distintos modelos discutindo os determinantes da demanda agregada.
Capítulo 4  Modelos simplificados de determinação da renda
Aula Anterior ,[object Object],3.1 A macroeconomia antes da Teoria Geral; 3.2 A Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda;  3.3 Da Teoria Keynesiana à Síntese Neoclássica;  3.4 Os Monetaristas;  3.5 Os Novos Clássicos e os Novos-Keynesianos;  3.6 Os Pós-Keynesianos;  3.7 A Teoria do Desequilíbrio;  3.8 A Nova Teoria do Crescimento;  3.9 Os Modelos que serão desenvolvidos.
Nesta Aula ,[object Object],4.1 A identidade dispêndio-renda;  4.2 A identidade dispêndio renda em valores reais;  4.3 A distinção entre investimento planejado e realizado;  4.4 1º Modelo macroeconômico simplificado;  4.5 2º Modelo macroeconômico simplificado;  4.6 Limitações dos modelos macroeconômicos discutidos até agora.
Introdução ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
A origem dos modelos simplificados ,[object Object],[object Object]
Hipóteses dos modelos simplificados ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Utilidades dos modelos simplificados ,[object Object],[object Object],[object Object]
Utilidades dos modelos simplificados ,[object Object],[object Object],[object Object]
A identidade entre dispêndio e renda Supondo Rf = 0, tem-se: Y = C + Ir + G + (X – M)  ótica do dispêndio Y = C + S + T  ótica da alocação da renda gerada Assim: C + Ir + G + (X – M)    Y    C + S + T Dispêndio Renda
A identidade entre dispêndio e renda em valores reais ,[object Object],[object Object],Ou, subtraindo c em ambos os membros
A identidade entre dispêndio e renda em valores reais Produto final, em bens e serviços, não consumido pelas famílias Parcela da renda que não é consumida =  poupança social
Determinantes do investimento privado Reagrupando as variáveis, tem-se: Observe que o investimento privado tem que ser igual à soma da poupança privada, do superávit do governo (t – g) e do déficit em transações correntes (m – x).
Investimento planejado  versus  investimento realizado ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Investimento planejado  versus  investimento realizado ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Demanda Agregada (y d ) Produto Agregado (y o )
Investimento planejado  versus  investimento realizado ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Primeiro modelo macroeconômico simplificado ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Primeiro modelo macroeconômico simplificado ,[object Object]
Primeiro modelo macroeconômico simplificado ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Primeiro modelo macroeconômico simplificado ,[object Object]
Primeiro modelo macroeconômico simplificado ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Primeiro modelo macroeconômico simplificado ,[object Object],[object Object],[object Object]
Primeiro modelo macroeconômico simplificado ,[object Object],[object Object],[object Object]
Primeiro modelo macroeconômico simplificado ,[object Object],Nesse período, a propensão marginal  a consumir foi de 0,65. Qüinqüênio  PMC PMS 1990 a 1994 0,72 0,28 1995 a 1999 0,74 0,26 2000 a 2003* 0,74 0,26
Igualdade entre a produção e a demanda agregada ,[object Object],[object Object],Produto Agregado Renda Alocação da Renda y d  =  c  +  ip  +  g  + x  –  m Demanda Agregada em Equilíbrio
Equações de Equilíbrio ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Produto não consumido pelas famílias Poupança Social
Equações de Equilíbrio ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],Equações de Equilíbrio y e  =  1  ·  (a 0   –  a 1 · t + ip + g + x – m) 1  –  a 1 Equação de determinação do PIB de Equilíbrio
Exemplos ,[object Object],[object Object],[object Object],y e  =  1  ·  (10 – 0,8 ·   5 +10 + 5 + 6 – 5) 1 – 0,8  y e  = 110
Exemplos ,[object Object],[object Object],[object Object],y e  =  1  ·  (10 - 0,8 ·   5 +11 + 5 + 6 – 5) 1 – 0,8  y e  = 115 Δ ip = 1 Δ y e  = 5
Igualdade produto = dispêndio  45º y d y y o  = y d
Curva de dispêndio  y d y a 0     a 1 .t + ip + g + x    m a 0     a 1 .t + ip + g  a 0     a 1 .t + ip a 0     a 1 .t  c + ip + g + (x    m) c + ip + g  c + ip  x    m g  ip  c = (a 0     a 1 .t) + a 1 .y
Determinação do produto de equilíbrio  45º y d y y o  = y d a 0     a 1 .t + ip + g + x    m c+ip+g+(x  m) E in > 0  y 1 y 2 y e F G I H in < 0  A variável de ajuste é a produção e não o preço Princípio da Demanda Efetiva
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Determinação do produto de equilíbrio
[object Object],[object Object],Determinação do produto de equilíbrio  s + t = = – a 0  + (1 – a 1 ) · y – (1 – a 1 ) · t + t s + t  = – a 0  – t + a 1 ·t  + t + (1 – a 1 ) · y s + t = – a 0  + a 1 · t + (1 – a 1 ) · y Intercepto
Determinação do produto de equilíbrio  y s + t s + t ip+g+(x  m) ip + g + (x    m) E in > 0  y 1 y 2 y e in < 0   a 0  + a 1 .t F G I H
Efeitos do aumento da Parcimônia sobre o nível de Renda ,[object Object],(1 – a 1 ) a 1 (1 – a 1 ) = 0,3  a 1  = 0,7 (1 – a 1 ) = 0,4  a 1  = 0,6
Efeitos da parcimônia sobre a renda  y s 1  + t s + t  ip + g + (x    m) ip + g + (x    m) E y e s 0  + t F y f As retas  s 1  + t  e  s 0  + t  não  são paralelas  in > 0
Efeitos da parcimônia sobre a renda  y s 1  + t s + t  ip + g + (x    m) ip + g + (x    m) E y e s 0  + t F y f O que ocorre se ip for considerado uma função direta da renda?
Modelo Macroeconômico Simplificado Alternativo ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Modelo Macroeconômico Simplificado Alternativo ( s + t) 0 ( s + t) 1 y f F s 1  + t Paradoxo da Parcimônia s 0  + t ip + g + x – m y y e s + t ip + g + (x    m) E
O multiplicador de Despesas Autônomas Efeitos do aumento do investimento planejado. y s + t s + t  ip + g + (x    m) ip 1  + g + (x    m) E y e H y h ip 0  + g + (x    m)  ip>0 A razão é o multiplicador do investimento
O multiplicador de Despesas Autônomas ,[object Object]
O multiplicador de Despesas Autônomas ,[object Object],Sabe-se que 0 < PMgS < 1, portanto, o multiplicador >1
Etapas do Raciocínio do Multiplicador ( ··· ) Etapa Dispêndio Renda 1 ª R$ 10 milhões (investimento) 10 milhões 2 ª PMgC  ·  10 milhões (consumo)  PMgC  ·  10 milhões 3 ª (PMgC) 2   ·  10 milhões (consumo) (PMgC) 2   ·  10 milhões 4 a (PMgC) 3   ·  10 milhões (consumo) (PMgC) 3   ·  10 milhões
Multiplicador ,[object Object],[object Object],[object Object]
Multiplicador Generalizando,
Teorema do Orçamento Equilibrado ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Teorema do Orçamento Equilibrado ,[object Object],Sendo   y 1  > 0  t = z > 0 Sendo   y 2  < 0
Teorema do Orçamento Equilibrado Mas   g =   t = z  Logo:
Orçamento Equilibrado ,[object Object],[object Object]
Produto de Pleno Emprego ,[object Object]
Produto de Pleno Emprego Políticas para aumentar o produto de equilíbrio: y s + t s + t ip + g + (x    m) ip + g + (x    m) E y e y p
Produto de Pleno Emprego ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
1º Modelo Macroeconômico Simplificado ,[object Object],[object Object],[object Object],Condição de equilíbrio Em que ip, g, x, m e t são valores determinados exogenamente. Sendo c = c(y – t) e s = s(y – t) Equações de comportamento
1º Modelo Macroeconômico Simplificado Modelo com três equações e três variáveis endógenas (y, c e s)    tem solução matemática.
2º Modelo Macroeconômico Simplificado ,[object Object],[object Object],y t t (y)
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],2º Modelo Macroeconômico Simplificado
2º Modelo Macroeconômico Simplificado ,[object Object],[object Object],[object Object],Condição de equilíbrio Em que ip, g, x, e m são valores determinados exogenamente. Sendo c = c[y – t(y)] s = s[y – t(y)] t = t(y) Equações de comportamento
2º Modelo Macroeconômico Simplificado Modelo com quatro equações e quatro variáveis endógenas (y, c, s e t)    tem solução matemática.
[object Object],[object Object],[object Object],2º Modelo Macroeconômico Simplificado
2º Modelo Macroeconômico Simplificado ,[object Object],Se ocorrerem funções lineares,
[object Object],2º Modelo Macroeconômico Simplificado Tem-se:
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],2º Modelo Macroeconômico Simplificado
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],2º Modelo Macroeconômico Simplificado Tangente da inclinação da função poupança social no 2 o  modelo
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],2º Modelo Macroeconômico Simplificado Tangente da inclinação da função poupança social no 1 o  modelo
2º Modelo Macroeconômico Simplificado Curvas de poupança social. y s [y    t(y)]+ t(y) s + t  Δ (s + t) /  Δ y = s’ Δ (s + t) /  Δ y = s’ + t’ (1 – s’) s (y    t ) +  t
O Multiplicador de Gastos Autônomos Multiplicador do investimento y s + t ip + g + (x    m) ip 0  + g + (x    m) E y 0 s[y    t(y)] + t(y) ip 1  + g + (x    m) F y 2 G y 1 s (y    t ) +  t
O Multiplicador de Gastos Autônomos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Fórmula do Multiplicador de Gastos Autônomos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Multiplicador de Gastos Autônomos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Multiplicador de Gastos Autônomos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Multiplicador de Gastos Autônomos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],É o que ocorre, pois não é socialmente e politicamente correto que, para cada R$ 1 a mais de renda, o governo arrecade mais de R$ 1 em tributos adicionais.
Multiplicador de Gastos Autônomos ,[object Object],[object Object],[object Object]
Modificações das alíquotas de Tributos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],Modificações das alíquotas de Tributos
[object Object],[object Object],[object Object],Modificações das alíquotas de Tributos s’+ t’ (1-s’) [- (1 – s’)  Δ   y 0 ]
[object Object],Modificações das alíquotas de Tributos s’+ t’ (1-s’)  (  Δ   y 0 ) s’+ t’ (1-s’)  Δ y =  Δ y 1  + Δ y 2  =  (- c’ Δ   y 0 ) s’+ t’ (1-s’)  s’+ t’ (1-s’)  + s’+ t’ (1-s’)  (1- c’)  Δ   y 0 (  Δ   y 0 ) Δ y =  Δ y 1  + Δ y 2  =
Modificações das alíquotas de Tributos ,[object Object],Δ y =  Δ y 1  + Δ y 2  =  s’+ t’ (1-s’)  (1- c’)  Δ   y 0 < 1 s’+ t’ (1-s’)  s’ Δ y <  Δ   y 0
Limitações dos modelos macroeconômicos já discutidos ,[object Object],[object Object],[object Object]
Limitações dos modelos macroeconômicos já discutidos ,[object Object],[object Object]
Próxima Aula ,[object Object],5.1 Determinação da curva de demanda agregada;  5.1.1 A curva IS – O equilíbrio no mercado de produto;  5.1.2 A curva LM – o equilíbrio no mercado moedas e títulos;  5.1.3 Equilíbrio simultâneo nos mercados de produto e de moeda;  5.1.4 A curva de demanda agregada;  5.1.5 Política fiscal e monetária.
Referências Bibliográficas ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Cap2macro 110223114603-phpapp02
Cap2macro 110223114603-phpapp02Cap2macro 110223114603-phpapp02
Cap2macro 110223114603-phpapp02
Vanessa Alves
 
Aula2macro
Aula2macroAula2macro
Aula2macro
Vanessa Alves
 
Cap1macro 110223114444-phpapp01
Cap1macro 110223114444-phpapp01Cap1macro 110223114444-phpapp01
Cap1macro 110223114444-phpapp01
Vanessa Alves
 
Geografia e macroeconomia[1](2)
Geografia e macroeconomia[1](2)Geografia e macroeconomia[1](2)
Geografia e macroeconomia[1](2)
John Naq Andrew
 
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Cap3macro 110223114501-phpapp01
Cap3macro 110223114501-phpapp01Cap3macro 110223114501-phpapp01
Cap3macro 110223114501-phpapp01
Vanessa Alves
 
Cap4macro 110223114451-phpapp01
Cap4macro 110223114451-phpapp01Cap4macro 110223114451-phpapp01
Cap4macro 110223114451-phpapp01
Vanessa Alves
 
Aula 6 introdução à economia - macro
Aula 6   introdução à economia - macroAula 6   introdução à economia - macro
Aula 6 introdução à economia - macro
Vanessa Alves
 
Aula2 evolucao pensamento_economico
Aula2 evolucao pensamento_economicoAula2 evolucao pensamento_economico
Aula2 evolucao pensamento_economico
Vanessa Alves
 
Apresentação Tese Mestrado (14_10_2011)
Apresentação Tese Mestrado (14_10_2011)Apresentação Tese Mestrado (14_10_2011)
Apresentação Tese Mestrado (14_10_2011)
Susana Lemos
 
As instituições da união europeia
As instituições da união europeiaAs instituições da união europeia
As instituições da união europeia
João Couto
 
Guia para apresentação de uma Tese
Guia para apresentação de uma TeseGuia para apresentação de uma Tese
Guia para apresentação de uma Tese
Márcia Castilho de Sales
 
Novo dhello worldocumento de texto
Novo dhello worldocumento de textoNovo dhello worldocumento de texto
Novo dhello worldocumento de texto
John Naq Andrew
 
Apresentacao Tese
Apresentacao TeseApresentacao Tese
Apresentacao Tese
Pedro Dias
 
Socialismo exemplificado
Socialismo exemplificadoSocialismo exemplificado
Socialismo exemplificado
camilabb
 
Apresentação TESE
Apresentação TESEApresentação TESE
Apresentação TESE
JSD Oeiras
 
Apresentação da tese de doutorado andrius1
Apresentação da tese de doutorado andrius1Apresentação da tese de doutorado andrius1
Apresentação da tese de doutorado andrius1Andrius Noronha
 
Aula12 macro economia monetária
Aula12   macro economia monetáriaAula12   macro economia monetária
Aula12 macro economia monetária
Vanessa Alves
 
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócioPalestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
Michelle Raimundo dos Santos
 
2012 03-21 - 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - burocra...
2012 03-21 - 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - burocra...2012 03-21 - 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - burocra...
2012 03-21 - 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - burocra...
Fernando Monteiro D'Andrea
 

Destaque (20)

Cap2macro 110223114603-phpapp02
Cap2macro 110223114603-phpapp02Cap2macro 110223114603-phpapp02
Cap2macro 110223114603-phpapp02
 
Aula2macro
Aula2macroAula2macro
Aula2macro
 
Cap1macro 110223114444-phpapp01
Cap1macro 110223114444-phpapp01Cap1macro 110223114444-phpapp01
Cap1macro 110223114444-phpapp01
 
Geografia e macroeconomia[1](2)
Geografia e macroeconomia[1](2)Geografia e macroeconomia[1](2)
Geografia e macroeconomia[1](2)
 
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
2012 04-25 - 12 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 4) - globali...
 
Cap3macro 110223114501-phpapp01
Cap3macro 110223114501-phpapp01Cap3macro 110223114501-phpapp01
Cap3macro 110223114501-phpapp01
 
Cap4macro 110223114451-phpapp01
Cap4macro 110223114451-phpapp01Cap4macro 110223114451-phpapp01
Cap4macro 110223114451-phpapp01
 
Aula 6 introdução à economia - macro
Aula 6   introdução à economia - macroAula 6   introdução à economia - macro
Aula 6 introdução à economia - macro
 
Aula2 evolucao pensamento_economico
Aula2 evolucao pensamento_economicoAula2 evolucao pensamento_economico
Aula2 evolucao pensamento_economico
 
Apresentação Tese Mestrado (14_10_2011)
Apresentação Tese Mestrado (14_10_2011)Apresentação Tese Mestrado (14_10_2011)
Apresentação Tese Mestrado (14_10_2011)
 
As instituições da união europeia
As instituições da união europeiaAs instituições da união europeia
As instituições da união europeia
 
Guia para apresentação de uma Tese
Guia para apresentação de uma TeseGuia para apresentação de uma Tese
Guia para apresentação de uma Tese
 
Novo dhello worldocumento de texto
Novo dhello worldocumento de textoNovo dhello worldocumento de texto
Novo dhello worldocumento de texto
 
Apresentacao Tese
Apresentacao TeseApresentacao Tese
Apresentacao Tese
 
Socialismo exemplificado
Socialismo exemplificadoSocialismo exemplificado
Socialismo exemplificado
 
Apresentação TESE
Apresentação TESEApresentação TESE
Apresentação TESE
 
Apresentação da tese de doutorado andrius1
Apresentação da tese de doutorado andrius1Apresentação da tese de doutorado andrius1
Apresentação da tese de doutorado andrius1
 
Aula12 macro economia monetária
Aula12   macro economia monetáriaAula12   macro economia monetária
Aula12 macro economia monetária
 
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócioPalestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
Palestra - Como a qualidade contribui pra o seu negócio
 
2012 03-21 - 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - burocra...
2012 03-21 - 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - burocra...2012 03-21 - 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - burocra...
2012 03-21 - 07 de 20 - cap. 4 novos paradigmas de gestão (parte 1) - burocra...
 

Semelhante a Cap4macro 110223114451-phpapp01

Aula 3-modelo-keynesiano-e-is-lm-resolvida-versao-1
Aula 3-modelo-keynesiano-e-is-lm-resolvida-versao-1Aula 3-modelo-keynesiano-e-is-lm-resolvida-versao-1
Aula 3-modelo-keynesiano-e-is-lm-resolvida-versao-1
Luana Lourenço
 
Matemática financeira aula 4
Matemática financeira aula 4Matemática financeira aula 4
Matemática financeira aula 4
Augusto Junior
 
Tópico 08 - Derivadas
Tópico 08 - DerivadasTópico 08 - Derivadas
Aula 5-teoria-da-produc3a7c3a3o
Aula 5-teoria-da-produc3a7c3a3oAula 5-teoria-da-produc3a7c3a3o
Aula 5-teoria-da-produc3a7c3a3o
Isabela Freitas
 
Macro cap 2
Macro cap 2Macro cap 2
Macro cap 2
Sandra Correia
 
Livro prep economia a
Livro prep economia aLivro prep economia a
Livro prep economia a
AidaCunha73
 
Livro prep economia a
Livro prep economia aLivro prep economia a
Livro prep economia a
AidaCunha73
 
Ficha 5.pdf
Ficha 5.pdfFicha 5.pdf
Ficha 5.pdf
JoaquimQueirs2
 
Aula 3 macro- modelo clássico
Aula 3 macro- modelo clássicoAula 3 macro- modelo clássico
Aula 3 macro- modelo clássico
Neli Chastinet
 
Aula 3 macro- modelo clássico
Aula 3 macro- modelo clássicoAula 3 macro- modelo clássico
Aula 3 macro- modelo clássico
Neli Chastinet
 
Cap 1 - MACRO.pdf
Cap 1 - MACRO.pdfCap 1 - MACRO.pdf
Cap 1 - MACRO.pdf
ManuelSitoe
 
C. Bombardelli - Otimizacao no agendamento da produção de uma refinaria de pe...
C. Bombardelli - Otimizacao no agendamento da produção de uma refinaria de pe...C. Bombardelli - Otimizacao no agendamento da produção de uma refinaria de pe...
C. Bombardelli - Otimizacao no agendamento da produção de uma refinaria de pe...
Clovis Bombardelli
 
Avaliação de investimentos
Avaliação de investimentosAvaliação de investimentos
Avaliação de investimentos
Hamilton Alves da Silva
 
Economia aula 4 - introdução à macroeconomia
Economia   aula 4 - introdução à macroeconomiaEconomia   aula 4 - introdução à macroeconomia
Economia aula 4 - introdução à macroeconomia
Felipe Leo
 
Material uff análise de projetos
Material uff análise de projetosMaterial uff análise de projetos
Material uff análise de projetos
franco102
 
Ex 1 (mercado de bens e monetario)
Ex 1 (mercado de bens e monetario)Ex 1 (mercado de bens e monetario)
Ex 1 (mercado de bens e monetario)
Alexsandro Evangelista
 
Determinação da Renda e do Nível de Atividade
Determinação da Renda e do Nível de AtividadeDeterminação da Renda e do Nível de Atividade
Determinação da Renda e do Nível de Atividade
Yuri Silver
 
Introdução aos Derivativos Exóticos
Introdução aos Derivativos ExóticosIntrodução aos Derivativos Exóticos
Introdução aos Derivativos Exóticos
Augusto_Carvalho
 
Cap2 macro
Cap2 macroCap2 macro
Cap2 macro
Roberto Arruda
 
Slides de Cálculo Financeiro_Capitulo_02_RC_2023_24.pdf
Slides de Cálculo Financeiro_Capitulo_02_RC_2023_24.pdfSlides de Cálculo Financeiro_Capitulo_02_RC_2023_24.pdf
Slides de Cálculo Financeiro_Capitulo_02_RC_2023_24.pdf
ssuserc499291
 

Semelhante a Cap4macro 110223114451-phpapp01 (20)

Aula 3-modelo-keynesiano-e-is-lm-resolvida-versao-1
Aula 3-modelo-keynesiano-e-is-lm-resolvida-versao-1Aula 3-modelo-keynesiano-e-is-lm-resolvida-versao-1
Aula 3-modelo-keynesiano-e-is-lm-resolvida-versao-1
 
Matemática financeira aula 4
Matemática financeira aula 4Matemática financeira aula 4
Matemática financeira aula 4
 
Tópico 08 - Derivadas
Tópico 08 - DerivadasTópico 08 - Derivadas
Tópico 08 - Derivadas
 
Aula 5-teoria-da-produc3a7c3a3o
Aula 5-teoria-da-produc3a7c3a3oAula 5-teoria-da-produc3a7c3a3o
Aula 5-teoria-da-produc3a7c3a3o
 
Macro cap 2
Macro cap 2Macro cap 2
Macro cap 2
 
Livro prep economia a
Livro prep economia aLivro prep economia a
Livro prep economia a
 
Livro prep economia a
Livro prep economia aLivro prep economia a
Livro prep economia a
 
Ficha 5.pdf
Ficha 5.pdfFicha 5.pdf
Ficha 5.pdf
 
Aula 3 macro- modelo clássico
Aula 3 macro- modelo clássicoAula 3 macro- modelo clássico
Aula 3 macro- modelo clássico
 
Aula 3 macro- modelo clássico
Aula 3 macro- modelo clássicoAula 3 macro- modelo clássico
Aula 3 macro- modelo clássico
 
Cap 1 - MACRO.pdf
Cap 1 - MACRO.pdfCap 1 - MACRO.pdf
Cap 1 - MACRO.pdf
 
C. Bombardelli - Otimizacao no agendamento da produção de uma refinaria de pe...
C. Bombardelli - Otimizacao no agendamento da produção de uma refinaria de pe...C. Bombardelli - Otimizacao no agendamento da produção de uma refinaria de pe...
C. Bombardelli - Otimizacao no agendamento da produção de uma refinaria de pe...
 
Avaliação de investimentos
Avaliação de investimentosAvaliação de investimentos
Avaliação de investimentos
 
Economia aula 4 - introdução à macroeconomia
Economia   aula 4 - introdução à macroeconomiaEconomia   aula 4 - introdução à macroeconomia
Economia aula 4 - introdução à macroeconomia
 
Material uff análise de projetos
Material uff análise de projetosMaterial uff análise de projetos
Material uff análise de projetos
 
Ex 1 (mercado de bens e monetario)
Ex 1 (mercado de bens e monetario)Ex 1 (mercado de bens e monetario)
Ex 1 (mercado de bens e monetario)
 
Determinação da Renda e do Nível de Atividade
Determinação da Renda e do Nível de AtividadeDeterminação da Renda e do Nível de Atividade
Determinação da Renda e do Nível de Atividade
 
Introdução aos Derivativos Exóticos
Introdução aos Derivativos ExóticosIntrodução aos Derivativos Exóticos
Introdução aos Derivativos Exóticos
 
Cap2 macro
Cap2 macroCap2 macro
Cap2 macro
 
Slides de Cálculo Financeiro_Capitulo_02_RC_2023_24.pdf
Slides de Cálculo Financeiro_Capitulo_02_RC_2023_24.pdfSlides de Cálculo Financeiro_Capitulo_02_RC_2023_24.pdf
Slides de Cálculo Financeiro_Capitulo_02_RC_2023_24.pdf
 

Cap4macro 110223114451-phpapp01

  • 1. Parte 2 – Modelos de Demanda Agregada Esta parte compõe-se de dois capítulos (4 e 5) com distintos modelos discutindo os determinantes da demanda agregada.
  • 2. Capítulo 4 Modelos simplificados de determinação da renda
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10. A identidade entre dispêndio e renda Supondo Rf = 0, tem-se: Y = C + Ir + G + (X – M) ótica do dispêndio Y = C + S + T ótica da alocação da renda gerada Assim: C + Ir + G + (X – M)  Y  C + S + T Dispêndio Renda
  • 11.
  • 12. A identidade entre dispêndio e renda em valores reais Produto final, em bens e serviços, não consumido pelas famílias Parcela da renda que não é consumida = poupança social
  • 13. Determinantes do investimento privado Reagrupando as variáveis, tem-se: Observe que o investimento privado tem que ser igual à soma da poupança privada, do superávit do governo (t – g) e do déficit em transações correntes (m – x).
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 31. Igualdade produto = dispêndio 45º y d y y o = y d
  • 32. Curva de dispêndio y d y a 0  a 1 .t + ip + g + x  m a 0  a 1 .t + ip + g a 0  a 1 .t + ip a 0  a 1 .t c + ip + g + (x  m) c + ip + g c + ip x  m g ip c = (a 0  a 1 .t) + a 1 .y
  • 33. Determinação do produto de equilíbrio 45º y d y y o = y d a 0  a 1 .t + ip + g + x  m c+ip+g+(x  m) E in > 0 y 1 y 2 y e F G I H in < 0 A variável de ajuste é a produção e não o preço Princípio da Demanda Efetiva
  • 34.
  • 35.
  • 36. Determinação do produto de equilíbrio y s + t s + t ip+g+(x  m) ip + g + (x  m) E in > 0 y 1 y 2 y e in < 0  a 0 + a 1 .t F G I H
  • 37.
  • 38. Efeitos da parcimônia sobre a renda y s 1 + t s + t ip + g + (x  m) ip + g + (x  m) E y e s 0 + t F y f As retas s 1 + t e s 0 + t não são paralelas in > 0
  • 39. Efeitos da parcimônia sobre a renda y s 1 + t s + t ip + g + (x  m) ip + g + (x  m) E y e s 0 + t F y f O que ocorre se ip for considerado uma função direta da renda?
  • 40.
  • 41. Modelo Macroeconômico Simplificado Alternativo ( s + t) 0 ( s + t) 1 y f F s 1 + t Paradoxo da Parcimônia s 0 + t ip + g + x – m y y e s + t ip + g + (x  m) E
  • 42. O multiplicador de Despesas Autônomas Efeitos do aumento do investimento planejado. y s + t s + t ip + g + (x  m) ip 1 + g + (x  m) E y e H y h ip 0 + g + (x  m)  ip>0 A razão é o multiplicador do investimento
  • 43.
  • 44.
  • 45. Etapas do Raciocínio do Multiplicador ( ··· ) Etapa Dispêndio Renda 1 ª R$ 10 milhões (investimento) 10 milhões 2 ª PMgC · 10 milhões (consumo) PMgC · 10 milhões 3 ª (PMgC) 2 · 10 milhões (consumo) (PMgC) 2 · 10 milhões 4 a (PMgC) 3 · 10 milhões (consumo) (PMgC) 3 · 10 milhões
  • 46.
  • 48.
  • 49.
  • 50. Teorema do Orçamento Equilibrado Mas  g =  t = z Logo:
  • 51.
  • 52.
  • 53. Produto de Pleno Emprego Políticas para aumentar o produto de equilíbrio: y s + t s + t ip + g + (x  m) ip + g + (x  m) E y e y p
  • 54.
  • 55.
  • 56. 1º Modelo Macroeconômico Simplificado Modelo com três equações e três variáveis endógenas (y, c e s)  tem solução matemática.
  • 57.
  • 58.
  • 59.
  • 60. 2º Modelo Macroeconômico Simplificado Modelo com quatro equações e quatro variáveis endógenas (y, c, s e t)  tem solução matemática.
  • 61.
  • 62.
  • 63.
  • 64.
  • 65.
  • 66.
  • 67. 2º Modelo Macroeconômico Simplificado Curvas de poupança social. y s [y  t(y)]+ t(y) s + t Δ (s + t) / Δ y = s’ Δ (s + t) / Δ y = s’ + t’ (1 – s’) s (y  t ) + t
  • 68. O Multiplicador de Gastos Autônomos Multiplicador do investimento y s + t ip + g + (x  m) ip 0 + g + (x  m) E y 0 s[y  t(y)] + t(y) ip 1 + g + (x  m) F y 2 G y 1 s (y  t ) + t
  • 69.
  • 70.
  • 71.
  • 72.
  • 73.
  • 74.
  • 75.
  • 76.
  • 77.
  • 78.
  • 79.
  • 80.
  • 81.
  • 82.
  • 83.