SlideShare uma empresa Scribd logo
Escola Técnica Estadual de Diadema




NOME DO PROFESSOR : Marcelo Beneti

COORDENADOR DE GESTÃO: - Nelson Gerbelli

COORD.RESP. P/ NÚCLEO DE GESTÃO PED. E ACADÊMICA –




                                      P.F.O
               PLANEJAMENTO FINANCEIRO E ORÇAMENTÁRIO
Escola Técnica Estadual de Diadema



Aluno ___________________________________ Nº ___Turma ____ Habilitação _________




                                         Margem de contribuição

        Margem de Contribuição é quantia em dinheiro que sobra do preço de venda de um produto,
        serviço ou mercadoria após retirar o valor do custo variável unitário. Esta quantia é que irá
        garantir a cobertura do custo fixo e do lucro, após a empresa ter atingido o Ponto de equilíbrio,
        ou ponto crítico de vendas.

        Exemplos:
        1 -)
        Valores em R$(000)

                  Vendas Líquidas..................                                      1.000

                  (-) Custos e Despesas Variáveis
                          Materiais.................                      400
                          Outros Gastos Fabric.                             50
                          Desp.Vendas e Distrib.                           150             600

        MARGEM I = 400 40%

                  (-) Mão de Obra Direta                                                      80

        MARGEM II               320      32%


        2-)


              •   Faturamento líquido                                                         30.000

              (-) Custos e Despesas Variáveis

                          Materiais                             :    18.000
                          Outros Gastos Fabricação            .:       3.000
                          Comissão sobre vendas                  :     1.500
                          Outras Despesas Variáveis             :      5.000         27.500

                          Margem I 2500                8,3%

              (-)MOD–mão de obr,                                                 3.000

                                            MARGEM II                            (    500 )




        MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO DO PRODUTO / M.CONTRIBUIÇÃO HORÁRIA
Escola Técnica Estadual de Diadema




   Produto A         Produto B                 Total

   Vendas líquidas.................            500       500           1.000

   (-) Custos Variáveis..........              275       275            550

   •   Margem de Contribuição                  225       225            450
                                               45,0%     45,0%          45,0%


Assim, de acordo com a forma tradicional de analisar a margem de contribuição, tanto o
 produto A quanto o produto B apresentaram a mesma margem de contribuição. No entanto, ao
analisar a carga horária exigida para produção dos mesmos, pudemos constatar que o produto
A consumiu o dobro de horas. Assim temos:

   •   Horas gastas..................         100 h      50 h

   •   Margem de Contribuição
       Horária...........................   $ 2,25     $ 4,50



       Exemplo :

       Demonstração de Resultado com Margem de Contribuição

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO                                              VALORES (R$)
Receita Bruta                                                                 1.000
(-) Impostos e Vendas Canceladas                                              (220)
(=) Receita Líquida                                                            780
(-) Custos variáveis                                                   (280)
(-) Despesas Variáveis                                                 (60)
(=) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO                                             440
(-) Custos fixos                                                       (120)
(-) Despesas de vendas fixas                                           (100)
(-) Despesas gerais e administrativas                                  (75)
(-) Outras receitas e despesas operacionais                            (05)
(=) Lucro operacional antes das rec.e desp.financeiras                 140
Receitas financeiras                                                     40
(-) Despesas financeiras                                               (61)
(=) Lucro operacional                                                  119
Receitas não operacionais                                                  3
(-) Despesas não operacionais                                             (1)
(=) Lucro antes do Imposto de renda                                     121
(-) Provisão para Imposto de Renda                                      (41)
(=) Lucro (Prejuízo) Líquido                                             80

       Provisão: Provisão é uma reserva de um valor para atender a despesas que se
       esperam. A provisão visa a cobertura de um gasto já considerado certo ou de grande
       possibilidade de ocorrência.

       CÁLCULO DO INDICE DE MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO
Escola Técnica Estadual de Diadema



      MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO X 100
           FATURAMENTO

                  PONTO DE EQUILIBRIO CONTÁBIL

Para o ponto de equilíbrio contábil são levados em conta os custos fixos
contábeis relacionados com o funcionamento da empresa.

Ponto de equilíbrio é o valor ou a quantidade que a empresa precisa vender
para cobrir o custo das mercadorias vendidas, as despesas variáveis e as
despesas fixas.

No ponto de equilíbrio, a empresa não terá lucro nem prejuízo.

O ponto de equilíbrio é calculado das seguintes formas:

1. Ponto de Equilíbrio em Valores:

Valor total das despesas fixas, dividido pela % da margem de contribuição.

Exemplo:

- Valor total das despesas fixas = R$ 5.000,00;

- % margem de contribuição = 30%;

- Ponto de Equilíbrio: R$ 5.000,00 / 30% = R$ 166.666,67.



2. Ponto de Equilíbrio em Quantidades:

Valor total das despesas fixas, dividido pelo valor da margem de contribuição.

Exemplo:

- Valor das despesas fixas = R$ 5.000,00;

- Valor da margem de contribuição = R$ 6,00;

- Ponto de Equilíbrio em Qtde: R$ 5.000,00 / R$ 6,00 = 833 unidades.

Ou seja, quando forem produzidas 833 unidades de produção a empresa
estará em equilibrio financeiro. Este equilibrio tambem pode ser calculado em
Escola Técnica Estadual de Diadema



dias. Nesse caso, quantos dias de produção são necessários para que os
gastos se igualem as receitas.


                        DESPESAS OPERACIONAIS

São operacionais as despesas não computadas nos custos, necessárias à
atividade da empresa e à manutenção da respectiva fonte produtora.

As despesas operacionais admitidas são as usuais ou normais no tipo de
transações, operações ou atividades da empresa, entendendo-se como
necessárias as pagas ou incorridas para a realização das transações ou
operações exigidas pela atividade da empresa.




                       MARKUP E TRIBUTOS
Markup é um termo usado em Economia para indicar quanto do preço do
produto está acima do seu custo de produção e distribuição. Pode ser
expressado como uma quantia fixada ou como percentual. O valor representa a
quantia efetivamente cobrada sobre o produto a fim de obter o preço de venda.

É o percentual do Preço de Venda que paga todas as Contas, que só existem
quando ocorre a Venda de um Produto ou Serviço. São exemplos desta
Contas: Impostos, Comissão, Encargos Financeiros sobre desconto de Títulos
ou Duplicatas, etc. Inclui-se também nestas Contas o Lucro. Todas esta Contas
são representadas, individualmente, em forma de percentuais do Preço de
Venda. Assim, se tomarmos um exemplo de um Produto ou Serviço que foi
Vendido por R$ 100,00 e que: os Impostos sobre a Venda representa 18%, a
Comissão 10%, Encargos Financeiros 4,5% e o Lucro 10%; a Soma destes
percentuais representa o valor do Markup de Venda. Neste exemplo O Markup
de Venda é 42,5% do Preço de Venda. Como o Produto ou Serviço foi Vendido
por R$ 100,00 então R$ 42,50 serão destinados para pagamento das contas do
Markup de Venda, distribuído: R$ 18,00 para pagamento dos Impostos sobre a
Venda, R$ 10,00 para Comissão, R$ 4,50 para Encargos Financeiros e
R$10,00 para o Lucro. Os outros 57,5% que é igual a R$ 57,50, no exemplo
citado, serão destinados para o pagamento do Custo de Produção. Podemos
dizer também que os 57,5% representa o Markup Divisor, ou Coeficiente
Divisor. O Markup Divisor é o percentual que se obtém tomando (1) um inteiro
(100%) e deste subtraindo o percentual do Markup de Venda. Porque Markup
Divisor ? Tomando-se o Custo de Produção e dividindo pelo percentual do
Markup Divisor se obtém o Preço de Venda. No exemplo acima o Custo de
Produção é de R$57,50. Se, tomarmos este valor e dividi - lo por 0,5750
Escola Técnica Estadual de Diadema



(57,5%) teremos como resultado R$ 100,00, que é o Preço com que foi
Vendido o Produto ou Serviço.

                            CAPITAL DE GIRO
Capital de giro é o conjunto de valores necessários para a empresa fazer seus
negócios acontecerem (girar). Existe a expressão "Capital em Giro", que
seriam os bens efetivamente em uso.

Em geral de 50 a 60% do total dos ativos de uma empresa representam a fatia
correspondente a este capital. Além de sua participação sobre o total dos
ativos da empresa, o capital de giro exige um esforço para ser gerido pelo
administrador financeiro maior do que aquele requerido pelo capital fixo.

O capital de giro precisa ser acompanhado e monitorado permanentemente,
pois está sofrendo o impacto das diversas mudanças no panorama econômico
enfrentado pela empresa de forma contínua.

As dificuldades relativas ao capital de giro numa empresa são devidas,
principalmente, à ocorrência dos seguintes fatores:

      - Redução de vendas
      - Crescimento da inadimplência
      - Aumento das despesas financeiras
      - Aumento de custos

Denominando-se de "aplicação permanente" as contas não circulantes do ativo
e de "fonte permanente" as contas não circulantes do passivo, define-se como
Capital de Giro (C.D.G.) a diferença entre as fontes permanentes e aplicações
permanentes.

C.D.G. = Passivo Permanente - Ativo Permanente.

O Capital de Giro também é um conceito econômico - financeiro e não uma
definição legal, constituindo uma fonte de fundos permanente utilizada para
financiar a Necessidade de Capital de Giro.

O Capital de Giro apresenta-se razoavelmente estável ao longo do tempo. O
Capital de Giro diminui quando a empresa realiza novos investimentos em bens
do ativo permanente (aumento dos imobilizados).

Todavia, esses investimentos são, em geral, realizados através de
"Autofinanciamento" (empréstimos a longo prazo, aumento do capital em
dinheiro e lucros líquidos) que por sua vez, aumentam o Capital de Giro
(aumento das fontes permanentes) compensando, aproximadamente, a
diminuição provocada pelos novos investimentos.
Escola Técnica Estadual de Diadema



O Capital de Giro pode ser negativo. Neste caso, as aplicações permanentes
são maiores do que as fontes permanentes, significando que a empresa
financia parte de seu ativo permanente com fundos de curto prazo. Embora
esta condição aumente o risco de insolvência, a empresa poderá se
desenvolver, desde que sua Necessidade de Capital de Giro seja, também
negativa.

Em Contabilidade, existe o Capital de Giro Circulante, que seria a diferença do
Ativo Circulante e do Passivo Circulante, grupos de contas do Balanço
Patrimonial.

Esse índice é decomposto na Demonstração conhecida legalmente como
Demonstração de Origens e Aplicações de Recursos, fonte de valiosos dados
econômicos acerca da informação contábil. Essa Demonstração (que antes da
lei das S/A também já foi chamada de Demonstração de Fundos), pode ser
combinada com a Demonstração de Fluxo de Caixa, acrescentado-se
informações financeiras de uso gerencial.

Os conceitos financeiros e contábeis provieram de pontos clássicos da
Economia. O Capital Circulante, sob essa abordagem, é um conceito criado
como o oposto do Capital Fixo.Adam Smith e principalmente David Ricardo,
foram os primeiros a estudar essa matéria de uma forma científica, própria da
Ciência Econômica.



                  INDICADORES OPERACIONAIS
                  PRAZO MÉDIO DE RECEBIMENTO (PMR)

É o tempo médio que a empresa demora para receber suas vendas a prazo



PMR = SMDR X 360 dias

             VP



SMDR= saldo médio de duplicatas a receber

VP= total de vendas anuais a prazo

                   PRAZO MÉDIO DE PAGAMENTO (PMP)
Escola Técnica Estadual de Diadema




É o tempo médio que a empresa demora para pagar suas compras de insumos
a prazo.

PMP = SMDP X 360 dias

            CV

SME = Saldo médio de duplicatas a pagar

CP = total de compras anuais a prazo




                  PRAZO MÉDIO DE ESTOCAGEM (PME)

PME = SME X 360 dias

           CV



SME = Saldo médio de estoques

CV = Custo das vendas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Contabil esquema basico de custos
Contabil esquema basico de custosContabil esquema basico de custos
Contabil esquema basico de custos
simuladocontabil
 
Alavancagem
AlavancagemAlavancagem
Alavancagem
MalGomSam
 
Lista de-exerc%a1cios-com-resposta-gestao-de-custos
Lista de-exerc%a1cios-com-resposta-gestao-de-custosLista de-exerc%a1cios-com-resposta-gestao-de-custos
Lista de-exerc%a1cios-com-resposta-gestao-de-custos
fapealunospe
 
Questões de contabilidade de custos
Questões de contabilidade de custosQuestões de contabilidade de custos
Questões de contabilidade de custos
zeramento contabil
 
Custo, Volume e Lucro
Custo, Volume e LucroCusto, Volume e Lucro
Custo, Volume e Lucro
Margareth Marcon
 
Esquema básico de custos i
Esquema básico de custos  i Esquema básico de custos  i
Esquema básico de custos i
simuladocontabil
 
Exercicio custos 2
Exercicio custos 2Exercicio custos 2
Exercicio custos 2
Dartanhan Henrique
 
Apostila gestão estratégica de custos
Apostila gestão estratégica de custosApostila gestão estratégica de custos
Apostila gestão estratégica de custos
zeramento contabil
 
Analise de Ponto de Equilibrio
Analise de Ponto de EquilibrioAnalise de Ponto de Equilibrio
Analise de Ponto de Equilibrio
Filipe Mello
 
Contabilidade de custos exercicios gabarito
Contabilidade de custos exercicios gabaritoContabilidade de custos exercicios gabarito
Contabilidade de custos exercicios gabarito
custos contabil
 
Contabilidade de custos exercicios
Contabilidade de custos exerciciosContabilidade de custos exercicios
Contabilidade de custos exercicios
custos contabil
 
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
Capitulo 4   análise de custo  volume _lucroCapitulo 4   análise de custo  volume _lucro
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
Daniel Moura
 
Alavancagem alunos (1)
Alavancagem alunos (1)Alavancagem alunos (1)
Alavancagem alunos (1)
jose rodrigo machado alves
 
Unidade iv contabilidade custos - exercicios
Unidade iv   contabilidade custos - exerciciosUnidade iv   contabilidade custos - exercicios
Unidade iv contabilidade custos - exercicios
custos contabil
 
Werneckcontcustoexer
WerneckcontcustoexerWerneckcontcustoexer
Werneckcontcustoexer
Kezia Suely
 
Apresentação custos
Apresentação custosApresentação custos
Apresentação custos
Rafhael Sena
 
Custos
CustosCustos
Exercio ponto equilibrio
Exercio ponto equilibrioExercio ponto equilibrio
Exercio ponto equilibrio
Elisangela Cabral
 
Apostila etec pfo iii
Apostila etec   pfo iiiApostila etec   pfo iii
Apostila etec pfo iii
simuladocontabil
 
Margem de seguranca teoria
Margem de seguranca  teoriaMargem de seguranca  teoria
Margem de seguranca teoria
Claudio Parra
 

Mais procurados (20)

Contabil esquema basico de custos
Contabil esquema basico de custosContabil esquema basico de custos
Contabil esquema basico de custos
 
Alavancagem
AlavancagemAlavancagem
Alavancagem
 
Lista de-exerc%a1cios-com-resposta-gestao-de-custos
Lista de-exerc%a1cios-com-resposta-gestao-de-custosLista de-exerc%a1cios-com-resposta-gestao-de-custos
Lista de-exerc%a1cios-com-resposta-gestao-de-custos
 
Questões de contabilidade de custos
Questões de contabilidade de custosQuestões de contabilidade de custos
Questões de contabilidade de custos
 
Custo, Volume e Lucro
Custo, Volume e LucroCusto, Volume e Lucro
Custo, Volume e Lucro
 
Esquema básico de custos i
Esquema básico de custos  i Esquema básico de custos  i
Esquema básico de custos i
 
Exercicio custos 2
Exercicio custos 2Exercicio custos 2
Exercicio custos 2
 
Apostila gestão estratégica de custos
Apostila gestão estratégica de custosApostila gestão estratégica de custos
Apostila gestão estratégica de custos
 
Analise de Ponto de Equilibrio
Analise de Ponto de EquilibrioAnalise de Ponto de Equilibrio
Analise de Ponto de Equilibrio
 
Contabilidade de custos exercicios gabarito
Contabilidade de custos exercicios gabaritoContabilidade de custos exercicios gabarito
Contabilidade de custos exercicios gabarito
 
Contabilidade de custos exercicios
Contabilidade de custos exerciciosContabilidade de custos exercicios
Contabilidade de custos exercicios
 
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
Capitulo 4   análise de custo  volume _lucroCapitulo 4   análise de custo  volume _lucro
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
 
Alavancagem alunos (1)
Alavancagem alunos (1)Alavancagem alunos (1)
Alavancagem alunos (1)
 
Unidade iv contabilidade custos - exercicios
Unidade iv   contabilidade custos - exerciciosUnidade iv   contabilidade custos - exercicios
Unidade iv contabilidade custos - exercicios
 
Werneckcontcustoexer
WerneckcontcustoexerWerneckcontcustoexer
Werneckcontcustoexer
 
Apresentação custos
Apresentação custosApresentação custos
Apresentação custos
 
Custos
CustosCustos
Custos
 
Exercio ponto equilibrio
Exercio ponto equilibrioExercio ponto equilibrio
Exercio ponto equilibrio
 
Apostila etec pfo iii
Apostila etec   pfo iiiApostila etec   pfo iii
Apostila etec pfo iii
 
Margem de seguranca teoria
Margem de seguranca  teoriaMargem de seguranca  teoria
Margem de seguranca teoria
 

Semelhante a Apostila etec pfo ii

5° modulo de contabilidade
5° modulo de contabilidade5° modulo de contabilidade
5° modulo de contabilidade
Jeferson Souza
 
Palestra Entendendo Custos, Despesas e Preço de Venda
Palestra Entendendo Custos, Despesas e Preço de VendaPalestra Entendendo Custos, Despesas e Preço de Venda
Palestra Entendendo Custos, Despesas e Preço de Venda
sebraeleste1
 
03 como administrar_os_custos_de_sua_empresa
03 como administrar_os_custos_de_sua_empresa03 como administrar_os_custos_de_sua_empresa
03 como administrar_os_custos_de_sua_empresa
Eliabe Denes
 
Classifique os custos 11
Classifique os custos 11Classifique os custos 11
Classifique os custos 11
razonetecontabil
 
Exercicios basicos para_estudos
Exercicios basicos para_estudosExercicios basicos para_estudos
Exercicios basicos para_estudos
Graciela Lopes
 
Gestão fiscal e orçamentária
Gestão fiscal e orçamentáriaGestão fiscal e orçamentária
Gestão fiscal e orçamentária
Denis Carlos Sodré
 
Nocoes contabeis 04
Nocoes contabeis 04Nocoes contabeis 04
Nocoes contabeis 04
contacontabil
 
Apostila de topicos vi custos ii
Apostila de topicos vi   custos iiApostila de topicos vi   custos ii
Apostila de topicos vi custos ii
zeramento contabil
 
Módulo 4 contabilidade gerencial
Módulo 4   contabilidade gerencialMódulo 4   contabilidade gerencial
Módulo 4 contabilidade gerencial
PUC Minas
 
Entendendo Custos, Despesas e Formação do Preço de Venda
Entendendo Custos, Despesas e Formação do Preço de VendaEntendendo Custos, Despesas e Formação do Preço de Venda
Entendendo Custos, Despesas e Formação do Preço de Venda
Wandick Rocha de Aquino
 
Viabilidade de Projetos
Viabilidade de ProjetosViabilidade de Projetos
Viabilidade de Projetos
Vinícius Luiz
 
Cap 03 gabarito cf cap_tulo_03 dre
Cap 03 gabarito cf cap_tulo_03 dreCap 03 gabarito cf cap_tulo_03 dre
Cap 03 gabarito cf cap_tulo_03 dre
controladoriacontab
 
Balancetes e razonetes cap 03
Balancetes e razonetes cap 03Balancetes e razonetes cap 03
Balancetes e razonetes cap 03
zeramento contabil
 
Alavancar me gestão financeira aula1
Alavancar me gestão financeira aula1Alavancar me gestão financeira aula1
Alavancar me gestão financeira aula1
Thiago Reis
 
Aula 3-Relação Custo-Volume-Lucro.pptx
Aula 3-Relação Custo-Volume-Lucro.pptxAula 3-Relação Custo-Volume-Lucro.pptx
Aula 3-Relação Custo-Volume-Lucro.pptx
Universidade Estadual da Paraíba
 
Cc exercicios revisão
Cc exercicios revisãoCc exercicios revisão
Cc exercicios revisão
simuladocontabil
 
Cco aula05 custos
Cco aula05 custosCco aula05 custos
Cco aula05 custos
albumina
 
Cco aula14 custos
Cco aula14 custosCco aula14 custos
Cco aula14 custos
albumina
 
Apostila iv margem de contribuicao
Apostila iv   margem de contribuicaoApostila iv   margem de contribuicao
Apostila iv margem de contribuicao
zeramento contabil
 
Cap 13 formação do preço de venda e do lucro
Cap 13 formação do preço de venda e do lucroCap 13 formação do preço de venda e do lucro
Cap 13 formação do preço de venda e do lucro
PROFESSORA_LIVIA
 

Semelhante a Apostila etec pfo ii (20)

5° modulo de contabilidade
5° modulo de contabilidade5° modulo de contabilidade
5° modulo de contabilidade
 
Palestra Entendendo Custos, Despesas e Preço de Venda
Palestra Entendendo Custos, Despesas e Preço de VendaPalestra Entendendo Custos, Despesas e Preço de Venda
Palestra Entendendo Custos, Despesas e Preço de Venda
 
03 como administrar_os_custos_de_sua_empresa
03 como administrar_os_custos_de_sua_empresa03 como administrar_os_custos_de_sua_empresa
03 como administrar_os_custos_de_sua_empresa
 
Classifique os custos 11
Classifique os custos 11Classifique os custos 11
Classifique os custos 11
 
Exercicios basicos para_estudos
Exercicios basicos para_estudosExercicios basicos para_estudos
Exercicios basicos para_estudos
 
Gestão fiscal e orçamentária
Gestão fiscal e orçamentáriaGestão fiscal e orçamentária
Gestão fiscal e orçamentária
 
Nocoes contabeis 04
Nocoes contabeis 04Nocoes contabeis 04
Nocoes contabeis 04
 
Apostila de topicos vi custos ii
Apostila de topicos vi   custos iiApostila de topicos vi   custos ii
Apostila de topicos vi custos ii
 
Módulo 4 contabilidade gerencial
Módulo 4   contabilidade gerencialMódulo 4   contabilidade gerencial
Módulo 4 contabilidade gerencial
 
Entendendo Custos, Despesas e Formação do Preço de Venda
Entendendo Custos, Despesas e Formação do Preço de VendaEntendendo Custos, Despesas e Formação do Preço de Venda
Entendendo Custos, Despesas e Formação do Preço de Venda
 
Viabilidade de Projetos
Viabilidade de ProjetosViabilidade de Projetos
Viabilidade de Projetos
 
Cap 03 gabarito cf cap_tulo_03 dre
Cap 03 gabarito cf cap_tulo_03 dreCap 03 gabarito cf cap_tulo_03 dre
Cap 03 gabarito cf cap_tulo_03 dre
 
Balancetes e razonetes cap 03
Balancetes e razonetes cap 03Balancetes e razonetes cap 03
Balancetes e razonetes cap 03
 
Alavancar me gestão financeira aula1
Alavancar me gestão financeira aula1Alavancar me gestão financeira aula1
Alavancar me gestão financeira aula1
 
Aula 3-Relação Custo-Volume-Lucro.pptx
Aula 3-Relação Custo-Volume-Lucro.pptxAula 3-Relação Custo-Volume-Lucro.pptx
Aula 3-Relação Custo-Volume-Lucro.pptx
 
Cc exercicios revisão
Cc exercicios revisãoCc exercicios revisão
Cc exercicios revisão
 
Cco aula05 custos
Cco aula05 custosCco aula05 custos
Cco aula05 custos
 
Cco aula14 custos
Cco aula14 custosCco aula14 custos
Cco aula14 custos
 
Apostila iv margem de contribuicao
Apostila iv   margem de contribuicaoApostila iv   margem de contribuicao
Apostila iv margem de contribuicao
 
Cap 13 formação do preço de venda e do lucro
Cap 13 formação do preço de venda e do lucroCap 13 formação do preço de venda e do lucro
Cap 13 formação do preço de venda e do lucro
 

Mais de simuladocontabil

Contabilidade decifrada 10
Contabilidade decifrada 10Contabilidade decifrada 10
Contabilidade decifrada 10
simuladocontabil
 
Cb atividade1
Cb atividade1Cb atividade1
Cb atividade1
simuladocontabil
 
Dos produtos vendidos (cpv)
Dos produtos vendidos (cpv)Dos produtos vendidos (cpv)
Dos produtos vendidos (cpv)
simuladocontabil
 
Matematica rm triangulo retangulo
Matematica rm triangulo retanguloMatematica rm triangulo retangulo
Matematica rm triangulo retangulo
simuladocontabil
 
Gp impactos
Gp impactosGp impactos
Gp impactos
simuladocontabil
 
Contabilidade decifrada 05
Contabilidade decifrada 05Contabilidade decifrada 05
Contabilidade decifrada 05
simuladocontabil
 
Contabilidade basica peps ueps
Contabilidade basica peps uepsContabilidade basica peps ueps
Contabilidade basica peps ueps
simuladocontabil
 
Cetec ensino médio
Cetec ensino médioCetec ensino médio
Cetec ensino médio
simuladocontabil
 
Pfc tabela comparativa
Pfc tabela comparativaPfc tabela comparativa
Pfc tabela comparativa
simuladocontabil
 
Avaliação do ativo e passivo estoques
Avaliação do ativo e passivo estoquesAvaliação do ativo e passivo estoques
Avaliação do ativo e passivo estoques
simuladocontabil
 
Indices
IndicesIndices
Resumo ativo
Resumo ativoResumo ativo
Resumo ativo
simuladocontabil
 
Principios de contabilidade
Principios de contabilidadePrincipios de contabilidade
Principios de contabilidade
simuladocontabil
 
Patrimonio
PatrimonioPatrimonio
Patrimonio
simuladocontabil
 
Contabilidade decifrada 15
Contabilidade decifrada 15Contabilidade decifrada 15
Contabilidade decifrada 15
simuladocontabil
 
Ganhos e perdas
Ganhos e perdasGanhos e perdas
Ganhos e perdas
simuladocontabil
 
Contabilidade decifrada 09
Contabilidade decifrada 09Contabilidade decifrada 09
Contabilidade decifrada 09
simuladocontabil
 
Custo das mercadoria vendidas
Custo das mercadoria vendidasCusto das mercadoria vendidas
Custo das mercadoria vendidas
simuladocontabil
 
Encerramento do exercicio
Encerramento do exercicioEncerramento do exercicio
Encerramento do exercicio
simuladocontabil
 
Questoes respondidas custos
Questoes respondidas custosQuestoes respondidas custos
Questoes respondidas custos
simuladocontabil
 

Mais de simuladocontabil (20)

Contabilidade decifrada 10
Contabilidade decifrada 10Contabilidade decifrada 10
Contabilidade decifrada 10
 
Cb atividade1
Cb atividade1Cb atividade1
Cb atividade1
 
Dos produtos vendidos (cpv)
Dos produtos vendidos (cpv)Dos produtos vendidos (cpv)
Dos produtos vendidos (cpv)
 
Matematica rm triangulo retangulo
Matematica rm triangulo retanguloMatematica rm triangulo retangulo
Matematica rm triangulo retangulo
 
Gp impactos
Gp impactosGp impactos
Gp impactos
 
Contabilidade decifrada 05
Contabilidade decifrada 05Contabilidade decifrada 05
Contabilidade decifrada 05
 
Contabilidade basica peps ueps
Contabilidade basica peps uepsContabilidade basica peps ueps
Contabilidade basica peps ueps
 
Cetec ensino médio
Cetec ensino médioCetec ensino médio
Cetec ensino médio
 
Pfc tabela comparativa
Pfc tabela comparativaPfc tabela comparativa
Pfc tabela comparativa
 
Avaliação do ativo e passivo estoques
Avaliação do ativo e passivo estoquesAvaliação do ativo e passivo estoques
Avaliação do ativo e passivo estoques
 
Indices
IndicesIndices
Indices
 
Resumo ativo
Resumo ativoResumo ativo
Resumo ativo
 
Principios de contabilidade
Principios de contabilidadePrincipios de contabilidade
Principios de contabilidade
 
Patrimonio
PatrimonioPatrimonio
Patrimonio
 
Contabilidade decifrada 15
Contabilidade decifrada 15Contabilidade decifrada 15
Contabilidade decifrada 15
 
Ganhos e perdas
Ganhos e perdasGanhos e perdas
Ganhos e perdas
 
Contabilidade decifrada 09
Contabilidade decifrada 09Contabilidade decifrada 09
Contabilidade decifrada 09
 
Custo das mercadoria vendidas
Custo das mercadoria vendidasCusto das mercadoria vendidas
Custo das mercadoria vendidas
 
Encerramento do exercicio
Encerramento do exercicioEncerramento do exercicio
Encerramento do exercicio
 
Questoes respondidas custos
Questoes respondidas custosQuestoes respondidas custos
Questoes respondidas custos
 

Apostila etec pfo ii

  • 1. Escola Técnica Estadual de Diadema NOME DO PROFESSOR : Marcelo Beneti COORDENADOR DE GESTÃO: - Nelson Gerbelli COORD.RESP. P/ NÚCLEO DE GESTÃO PED. E ACADÊMICA – P.F.O PLANEJAMENTO FINANCEIRO E ORÇAMENTÁRIO
  • 2. Escola Técnica Estadual de Diadema Aluno ___________________________________ Nº ___Turma ____ Habilitação _________ Margem de contribuição Margem de Contribuição é quantia em dinheiro que sobra do preço de venda de um produto, serviço ou mercadoria após retirar o valor do custo variável unitário. Esta quantia é que irá garantir a cobertura do custo fixo e do lucro, após a empresa ter atingido o Ponto de equilíbrio, ou ponto crítico de vendas. Exemplos: 1 -) Valores em R$(000) Vendas Líquidas.................. 1.000 (-) Custos e Despesas Variáveis Materiais................. 400 Outros Gastos Fabric. 50 Desp.Vendas e Distrib. 150 600 MARGEM I = 400 40% (-) Mão de Obra Direta 80 MARGEM II 320 32% 2-) • Faturamento líquido 30.000 (-) Custos e Despesas Variáveis Materiais : 18.000 Outros Gastos Fabricação .: 3.000 Comissão sobre vendas : 1.500 Outras Despesas Variáveis : 5.000 27.500 Margem I 2500 8,3% (-)MOD–mão de obr, 3.000 MARGEM II ( 500 ) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO DO PRODUTO / M.CONTRIBUIÇÃO HORÁRIA
  • 3. Escola Técnica Estadual de Diadema Produto A Produto B Total Vendas líquidas................. 500 500 1.000 (-) Custos Variáveis.......... 275 275 550 • Margem de Contribuição 225 225 450 45,0% 45,0% 45,0% Assim, de acordo com a forma tradicional de analisar a margem de contribuição, tanto o produto A quanto o produto B apresentaram a mesma margem de contribuição. No entanto, ao analisar a carga horária exigida para produção dos mesmos, pudemos constatar que o produto A consumiu o dobro de horas. Assim temos: • Horas gastas.................. 100 h 50 h • Margem de Contribuição Horária........................... $ 2,25 $ 4,50 Exemplo : Demonstração de Resultado com Margem de Contribuição DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO VALORES (R$) Receita Bruta 1.000 (-) Impostos e Vendas Canceladas (220) (=) Receita Líquida 780 (-) Custos variáveis (280) (-) Despesas Variáveis (60) (=) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO 440 (-) Custos fixos (120) (-) Despesas de vendas fixas (100) (-) Despesas gerais e administrativas (75) (-) Outras receitas e despesas operacionais (05) (=) Lucro operacional antes das rec.e desp.financeiras 140 Receitas financeiras 40 (-) Despesas financeiras (61) (=) Lucro operacional 119 Receitas não operacionais 3 (-) Despesas não operacionais (1) (=) Lucro antes do Imposto de renda 121 (-) Provisão para Imposto de Renda (41) (=) Lucro (Prejuízo) Líquido 80 Provisão: Provisão é uma reserva de um valor para atender a despesas que se esperam. A provisão visa a cobertura de um gasto já considerado certo ou de grande possibilidade de ocorrência. CÁLCULO DO INDICE DE MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO
  • 4. Escola Técnica Estadual de Diadema MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO X 100 FATURAMENTO PONTO DE EQUILIBRIO CONTÁBIL Para o ponto de equilíbrio contábil são levados em conta os custos fixos contábeis relacionados com o funcionamento da empresa. Ponto de equilíbrio é o valor ou a quantidade que a empresa precisa vender para cobrir o custo das mercadorias vendidas, as despesas variáveis e as despesas fixas. No ponto de equilíbrio, a empresa não terá lucro nem prejuízo. O ponto de equilíbrio é calculado das seguintes formas: 1. Ponto de Equilíbrio em Valores: Valor total das despesas fixas, dividido pela % da margem de contribuição. Exemplo: - Valor total das despesas fixas = R$ 5.000,00; - % margem de contribuição = 30%; - Ponto de Equilíbrio: R$ 5.000,00 / 30% = R$ 166.666,67. 2. Ponto de Equilíbrio em Quantidades: Valor total das despesas fixas, dividido pelo valor da margem de contribuição. Exemplo: - Valor das despesas fixas = R$ 5.000,00; - Valor da margem de contribuição = R$ 6,00; - Ponto de Equilíbrio em Qtde: R$ 5.000,00 / R$ 6,00 = 833 unidades. Ou seja, quando forem produzidas 833 unidades de produção a empresa estará em equilibrio financeiro. Este equilibrio tambem pode ser calculado em
  • 5. Escola Técnica Estadual de Diadema dias. Nesse caso, quantos dias de produção são necessários para que os gastos se igualem as receitas. DESPESAS OPERACIONAIS São operacionais as despesas não computadas nos custos, necessárias à atividade da empresa e à manutenção da respectiva fonte produtora. As despesas operacionais admitidas são as usuais ou normais no tipo de transações, operações ou atividades da empresa, entendendo-se como necessárias as pagas ou incorridas para a realização das transações ou operações exigidas pela atividade da empresa. MARKUP E TRIBUTOS Markup é um termo usado em Economia para indicar quanto do preço do produto está acima do seu custo de produção e distribuição. Pode ser expressado como uma quantia fixada ou como percentual. O valor representa a quantia efetivamente cobrada sobre o produto a fim de obter o preço de venda. É o percentual do Preço de Venda que paga todas as Contas, que só existem quando ocorre a Venda de um Produto ou Serviço. São exemplos desta Contas: Impostos, Comissão, Encargos Financeiros sobre desconto de Títulos ou Duplicatas, etc. Inclui-se também nestas Contas o Lucro. Todas esta Contas são representadas, individualmente, em forma de percentuais do Preço de Venda. Assim, se tomarmos um exemplo de um Produto ou Serviço que foi Vendido por R$ 100,00 e que: os Impostos sobre a Venda representa 18%, a Comissão 10%, Encargos Financeiros 4,5% e o Lucro 10%; a Soma destes percentuais representa o valor do Markup de Venda. Neste exemplo O Markup de Venda é 42,5% do Preço de Venda. Como o Produto ou Serviço foi Vendido por R$ 100,00 então R$ 42,50 serão destinados para pagamento das contas do Markup de Venda, distribuído: R$ 18,00 para pagamento dos Impostos sobre a Venda, R$ 10,00 para Comissão, R$ 4,50 para Encargos Financeiros e R$10,00 para o Lucro. Os outros 57,5% que é igual a R$ 57,50, no exemplo citado, serão destinados para o pagamento do Custo de Produção. Podemos dizer também que os 57,5% representa o Markup Divisor, ou Coeficiente Divisor. O Markup Divisor é o percentual que se obtém tomando (1) um inteiro (100%) e deste subtraindo o percentual do Markup de Venda. Porque Markup Divisor ? Tomando-se o Custo de Produção e dividindo pelo percentual do Markup Divisor se obtém o Preço de Venda. No exemplo acima o Custo de Produção é de R$57,50. Se, tomarmos este valor e dividi - lo por 0,5750
  • 6. Escola Técnica Estadual de Diadema (57,5%) teremos como resultado R$ 100,00, que é o Preço com que foi Vendido o Produto ou Serviço. CAPITAL DE GIRO Capital de giro é o conjunto de valores necessários para a empresa fazer seus negócios acontecerem (girar). Existe a expressão "Capital em Giro", que seriam os bens efetivamente em uso. Em geral de 50 a 60% do total dos ativos de uma empresa representam a fatia correspondente a este capital. Além de sua participação sobre o total dos ativos da empresa, o capital de giro exige um esforço para ser gerido pelo administrador financeiro maior do que aquele requerido pelo capital fixo. O capital de giro precisa ser acompanhado e monitorado permanentemente, pois está sofrendo o impacto das diversas mudanças no panorama econômico enfrentado pela empresa de forma contínua. As dificuldades relativas ao capital de giro numa empresa são devidas, principalmente, à ocorrência dos seguintes fatores: - Redução de vendas - Crescimento da inadimplência - Aumento das despesas financeiras - Aumento de custos Denominando-se de "aplicação permanente" as contas não circulantes do ativo e de "fonte permanente" as contas não circulantes do passivo, define-se como Capital de Giro (C.D.G.) a diferença entre as fontes permanentes e aplicações permanentes. C.D.G. = Passivo Permanente - Ativo Permanente. O Capital de Giro também é um conceito econômico - financeiro e não uma definição legal, constituindo uma fonte de fundos permanente utilizada para financiar a Necessidade de Capital de Giro. O Capital de Giro apresenta-se razoavelmente estável ao longo do tempo. O Capital de Giro diminui quando a empresa realiza novos investimentos em bens do ativo permanente (aumento dos imobilizados). Todavia, esses investimentos são, em geral, realizados através de "Autofinanciamento" (empréstimos a longo prazo, aumento do capital em dinheiro e lucros líquidos) que por sua vez, aumentam o Capital de Giro (aumento das fontes permanentes) compensando, aproximadamente, a diminuição provocada pelos novos investimentos.
  • 7. Escola Técnica Estadual de Diadema O Capital de Giro pode ser negativo. Neste caso, as aplicações permanentes são maiores do que as fontes permanentes, significando que a empresa financia parte de seu ativo permanente com fundos de curto prazo. Embora esta condição aumente o risco de insolvência, a empresa poderá se desenvolver, desde que sua Necessidade de Capital de Giro seja, também negativa. Em Contabilidade, existe o Capital de Giro Circulante, que seria a diferença do Ativo Circulante e do Passivo Circulante, grupos de contas do Balanço Patrimonial. Esse índice é decomposto na Demonstração conhecida legalmente como Demonstração de Origens e Aplicações de Recursos, fonte de valiosos dados econômicos acerca da informação contábil. Essa Demonstração (que antes da lei das S/A também já foi chamada de Demonstração de Fundos), pode ser combinada com a Demonstração de Fluxo de Caixa, acrescentado-se informações financeiras de uso gerencial. Os conceitos financeiros e contábeis provieram de pontos clássicos da Economia. O Capital Circulante, sob essa abordagem, é um conceito criado como o oposto do Capital Fixo.Adam Smith e principalmente David Ricardo, foram os primeiros a estudar essa matéria de uma forma científica, própria da Ciência Econômica. INDICADORES OPERACIONAIS PRAZO MÉDIO DE RECEBIMENTO (PMR) É o tempo médio que a empresa demora para receber suas vendas a prazo PMR = SMDR X 360 dias VP SMDR= saldo médio de duplicatas a receber VP= total de vendas anuais a prazo PRAZO MÉDIO DE PAGAMENTO (PMP)
  • 8. Escola Técnica Estadual de Diadema É o tempo médio que a empresa demora para pagar suas compras de insumos a prazo. PMP = SMDP X 360 dias CV SME = Saldo médio de duplicatas a pagar CP = total de compras anuais a prazo PRAZO MÉDIO DE ESTOCAGEM (PME) PME = SME X 360 dias CV SME = Saldo médio de estoques CV = Custo das vendas