Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional

4.385 visualizações

Publicada em

Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.385
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
128
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional

  1. 1. 1 CONTABILIDADE E GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS Ponto de Equilíbrio e Grau de Alavancagem 1 Análise Custo/Volume/Lucro Margem de contribuição, ponto de equilíbrio e grau de alavancagem. Entender a importância e utilizar a margem de contribuição. Compreender a importância e utilizar o ponto de equilíbrio no processo decisório da sociedade. Identificar o ponto de equilíbrio contábil e o ponto de equilíbrio econômico. Conhecer o grau de alavancagem operacional e financeiro de uma empresa. 2
  2. 2. 2 Análise Custo/Volume/Lucro Os conceitos de custos fixos e variáveis permitem uma expansão das possibilidades de analise dos gastos da empresa em relação aos volumes produzidos e vendidos. Essa análise permite determinar pontos importantes para fundamentar futuras decisões do volume de produção e mix de produtos. A análise custo/volume/lucro conduz a três importantes conceitos: Margem de contribuição, ponto de equilíbrio e alavancagem operacional e financeira. 3 Análise Custo/Volume/Lucro As empresas incorrem em custos fixos e custos e variáveis na execução das suas atividades operacionais. A margem de contribuição, segundo Crepaldi (2002, p. 224), representa o valor que cobrirá os custos e as despesas fixas da empresa e proporcionará o lucro. Segundo Padovezi PLT (2011 p. 377), margem de Contribuição é margem bruta obtida pela venda de um produto. É o mesmo que lucro variável unitário do produto deduzido dos custos as despesas variáveis necessários para produzir e vender o produto” 4
  3. 3. 3 Margem de contribuição, ponto de equilíbrio Determinada industria de pneus produz quatro tipos de pneus: PN165, PN175, PN190 e PN190X e apresenta as seguintes informações relativas aos seus preços de vendas, seus custos e despesas variáveis: Modelo de Pneu PN165 PN175 PN190 PN190X Preço de venda unitário 120.00 140,00 195.00 210,00 (-) Custos e despesas variáveis 65.00 80.00 135.00 160,00 por unidade 5 (=) Margem de contribuição unitária em R$ 55,00 60,00 60,00 50,00 Margem de contribuição em % 45,83% 42.85% 30,76% 23,80% Margem de contribuição, ponto de equilíbrio ESSA ANÁLISE PODE TAMBÉM DAR INFORMAÇÕES DO TIPO: Qual é o produto mais lucrativo? Qual é o produto com menor lucratividade? Qual é o produto que deve ter sua venda incrementada? Qual é o produto que pode ser tirado de linha? 6
  4. 4. 4 Margem de contribuição, ponto de equilíbrio Fórmula da margem de contribuição MC (u) = Pv(u) - cv(u) Onde: MC(u) = margem de contribuição unitária; Pv(u) = preço de venda unitário; Cv(u) = custo variável unitário. MC (u) = R$ 50,00 – R$ 35,00 = R$ 15,00 7 Margem de contribuição, ponto de equilíbrio Os custos variáveis (CV) possuem característica de variabilidade (varia conforme a produção). Os custos fixos (CF) são gastos constantes que não variam em relação às quantidades produzidas. O custo total (CT) representa a soma dos custos fixos (CF) mais os custo, variáveis (CV). A receita total (RT) representa o número de unidades vendidas multiplicado pelo preço de venda unitário de cada produto. 8
  5. 5. 5 Margem de contribuição, ponto de equilíbrio O ponto de equilíbrio contábil indica o momento em que a empresa não tem nem lucro e nem prejuízo, ou seja, o resultado das suas receitas menos os seus custos variáveis e custos fixos é igual a zero. Quando e para que o ponto de equilíbrio é usado na empresa? O ponto de equilíbrio pode e deve ser utilizado em diversas atividades empresariais. Serve para identificar em que momento a empresa equilibra as suas receitas com os seus custos e suas despesas. 9 PREÇO DE VENDA UNITÁRIO = 100 30 10 70 Preço de venda unitário Margem de Contribuição para o lucro Custo Variavel Unitario Matéria Prima Embalagem Salário variável Energia das maquinas MCLU (1) 30 + MCLU (2) 30 + MCLU (3) 30 MCL (u) = Pv(u) - Cv(u) MCL (u) = 100 – 70 = 30 MCLU (4) 30 + MCLU (N) 30 ..........
  6. 6. 6 Representação gráfica do ponto de equilíbrio PE 11 RT CT CV CF R$ 100 Onde: PE = Ponto de Equilibrio RT = Receita Total CT = Custo Total CV= Custo Variável CF = Custo Fixo 1000 Custos Fixos = R$ 3.000 MCL (u) = Pv(u) - Cv(u) MCL (u) = 100 – 70 = 30 PE = 3.000 ÷ 30 = 1000 un. PREÇO QT Ponto de Equilíbrio Contábil (PEC) Como identificar o ponto de equilíbrio contábil (PEC)? Nesse ponto de equilíbrio, a empresa não tem nem lucro nem prejuízo. Onde:(CD)F = custos e despesas fixas; Pv (u) = preço de venda unitário; Cv (u) = custo variável unitário; MC (u) = margem de contribuição unitária. PEC = (CD) F = (CD) F Pv (u) – Cv (u) MC (u) 12
  7. 7. 7 Ponto de Equilíbrio Contábil (PEC) Determinada empresa possui um custo fixo total de R$ 90.000,00 e seu custo variável é de R$ 60.000,00 para uma produção máxima de 20.000 unidades a um preço de venda unitária de R$ 8,00, qual o Ponto de Equilíbrio Operacional (PEC)? PEO = (CD)F = 90.000,00 90.000,00 Pv(u u) - cv(u) 8,00 - (60.000,00 ÷ 20.000) 8,00 - 3,00 13 18.000 unidades Receita de vendas (R$ 8,00 x 18.000 unidades) (-) Custos variáveis (R$ 3,00 x 18.000 unidades) (-) Custos fixos (=) Lucro 144.000,00 54.000,00 90.000,00 0,00 DRE PEC = Ponto de Equilíbrio Contábil (PEC %) Determinada empresa possui um custo fixo total de R$ 90.000,00 e seu custo variável é de R$ 60.000,00 para uma produção máxima de 20.000 unidades a um preço de venda unitária de R$ 8,00, qual o Ponto de Equilíbrio Operacional (PEO)? PEO = (CD)F = 90.000,00 90.000,00 Pv(u u) - cv(u) 8,00 - (60.000,00 ÷ 20.000) 8,00 - 3,00 14 18.000 unidades PEC = Supondo-se que a capacidade total da empresa produzir seja de 20.000 unidades qual é o percentual no Ponto de Equilíbrio Contábil (PEC) ? PEC % = 18.000 / 20.000 X 100 PEC % = 90% (dia 27) Significa que o Ponto de Equilíbrio Contábil (PEC) consome 90% da Capacidade Produtiva da Empresa
  8. 8. 8 Ponto de Equilíbrio Ecônomico (PEE) O conceito de Custo de Oportunidade está intrinsecamente ligado ao conceito de escolhas. Analisa precisamente o valor da melhor alternativa sacrificada. É um custo implícito no qual incorre-se SEMPRE que toma-se uma decisão financeira. Ao fazer -se uma escolha opta-se por uma opção em detrimento de outra e o custo de oportunidade é precisamente o valor do produto não escolhido. Exemplo: se um empresário investe no mercado financeiro, o custo de oportunidade perdido, pode ser um investimento na aquisição de um negócio + rentável (risco associado). 15 Ponto de Equilíbrio Ecônomico (PEE) CUSTO DO CAPITAL PRÓPRIO O CCP é implícito e costumeiramente não documentado. Todavia ele existe. É a expectativa de retorno desejada pelos proprietários em cima do seu capital investido no negócio (Patrimônio Líquido). É representado pelo desejo dos proprietários de (ganho de capital associado a lucros obtidos), que ficam retidos para financiar projetos que contribuirão para elevar dividendos futuros). 16
  9. 9. 9 Ponto de Equilíbrio Econômico (PEE) Como identificar o ponto de equilíbrio econômico (PEE)? Nesse ponto a empresa não teria nem lucro nem prejuízo e remuneraria o capital investido com uma taxa desejada (lucro). Onde: i = Taxa de juros sobre capital investido (CD)F = custos e despesas fixas; Pv (u) = preço de venda unitário; Cv (u) = custo variável unitário; MC (u) = margem de contribuição unitária. PEE = (CD)F + i = (CD)F + i Pv (u) – Cv (u) MC (u) 17 Ponto de Equilíbrio Econômico (PEE) Exemplo: Capital investido R$ 100.000,00; Custo de oportunidade do Capital = i de 3% sobre o capital investido = (100.000,00 X 3% = R$ 3.000,00) Venda total: 22.000 unidades; Custo fixo total: R$ 42.000,00; Custo variável total: R$ 33.000,00; Preço de venda unitário: R$ 2,00. PEE = (CD)F + i = 42.000,00 + 3.000,00 45.000,00 = Pv(u u) - cv(u) 2,00 - (33.000,00 ÷ 22.000) 2,00 - 1,50 18 DRE 90.000 unidades Receita de vendas (R$ 2,00 x 90.000 unidades) (-) Custos variáveis (R$ 1,50 x 90.000 unidades) (-) Custos fixos (=) Lucro 180.000,00 135.000,00 42.000,00 3.000,00
  10. 10. 10 Ponto de Equilíbrio Econômico (PEE) Exemplo: Capital investido R$ 100.000,00; Custo de oportunidade do Capital = i de 3% sobre o capital investido = (100.000,00 X 3% = R$ 3.000,00) Venda total: 22.000 unidades; Custo fixo total: R$ 42.000,00; Custo variável total: R$ 33.000,00; Preço de venda unitário: R$ 2,00. PEE = (CD)F + i = 42.000,00 + 3.000,00 45.000,00 = Pv(u u) - cv(u) 2,00 - (33.000,00 ÷ 22.000) 2,00 - 1,50 19 90.000 unidades Supondo-se que a capacidade total da empresa produzir seja de 128.500 unidades qual é o percentual no Ponto de Equilíbrio Econômico? PEE % = 90.000 / 128.500 X 100 PEE % = 70% (21 dias) Significa que o Ponto de Equilíbrio Econômico consome 70% da Capacidade Produtiva da Empresa, nesse ponto a empresa pagaria os custos fixos e remuneraria o capital investido na taxa de lucro desejada (custo de oportunidade = 3%) ALAVANCAGEM E ESTRUTURA DE CAPITAL ALAVANCAGEM é o uso de ativos ou recursos com um custo fixo, a fim de aumentar os retornos dos proprietários da empresa. Elevações na alavancagem resultam em aumento de risco e retorno: enquanto que reduções na alavancagem, resultam em menor risco e retorno. A alavancagem operacional atua nas duas direções: quando uma empresa tem custos operacionais fixos, existe alavancagem operacional e; um aumento de vendas resulta em um crescimento mais do que proporcional do Lucro ou; uma redução de vendas resulta em uma queda mais do que proporcional do Lucro. 20
  11. 11. 11 Grau de alavancagem operacional Grau de alavancagem operacional é, segundo Crepaldi (2002), o índice que relaciona o aumento percentual nos lucros com o aumento percentual nas quantidades vendidas em determinado nível de atividades. Com o grau de alavancagem operacional, a empresa poderá calcular o que acontecerá com o seu lucro caso haja um aumento ou redução nas quantidades vendidas. Na condição de ser mantido constante (a margem de contribuição, o total das despesas e os custos fixos), o grau de alavancagem operacional pode ser utilizado para calcular o possível lucro da empresa. 21 Grau de alavancagem operacional aumento das qtdes vendidas Tabela 8.8 – Cálculo do lucro janeiro Receita de vendas (R$ 10,00 x 20.000 unidades) 200.000,00 (-) Custos variáveis (R$ 6,00 x 20.000 unidades) 120.000,00 (=) Margem de contribuição total 80.000,00 (-) Custos e despesas fixas 40.000,00 (=) Lucro 40.000,00 Tabela 8.9 – Cálculo do lucro fevereiro Receita de vendas (R$ 10,00 x 22.000 unidades) 220.000,00 (-) Custos variáveis (R$ 6,00 x 22.000 unidades) 132.000,00 (=) Margem de contribuição total 88.000,00 (-) Custos e despesas fixas 40.000,00 (=) Lucro 48.000,00 O Lucro do Mês de Janeiro era de R$ 40.000,00 passando para R$ 48.000.00 Aumentando em 20% A quantidade Vendida era de 20.000 unidades e passou para 22.000 unidades, aumentando em 10% GAO = Variação % no Lucro = 20% = 2 vezes Variação % nas qtdes vendidas 10% Esse resultado significa que no volume de 20.000 unidades qualquer que seja o aumento nas unidades vendidas implicará num lucro proporcional de duas vezes. Isso implica que a cada aumento das vendas, diminui a alavancagem, em função da diluição dos custos fixos nas qtdes vendidas. 22
  12. 12. 12 Grau de alavancagem operacional redução das qtdes vendidas Tabela 8.8 – Cálculo do lucro janeiro Receita de vendas (R$ 10,00 x 20.000 unidades) 200.000,00 (-) Custos variáveis (R$ 6,00 x 20.000 unidades) 120.000,00 (=) Margem de contribuição total 80.000,00 (-) Custos e despesas fixas 40.000,00 (=) Lucro 40.000,00 Tabela 8.9 – Cálculo do lucro fevereiro Receita de vendas (R$ 10,00 x 18.000 unidades) 180.000,00 (-) Custos variáveis (R$ 6,00 x 18.000 unidades) 108.000,00 (=) Margem de contribuição total 72.000,00 (-) Custos e despesas fixas 40.000,00 (=) Lucro 32.000,00 O Lucro do Mês de Janeiro era de R$ 40.000,00 passando para R$ 32.000.00 , Reduzindo em 20% A quantidade Vendida era de 20.000 unidades e passou para 18.000 unidades, reduzndo em 10% GAO = Variação % no Lucro = 20% = 2 vezes Variação % nas qtdes vendidas 10% Esse resultado significa que no volume de 20.000 unidades qualquer que seja a redução nas unidades vendidas implicará num lucro proporcional de duas vezes menor. Efeitos da Alvancagem Operacional = aumento de vendas resulta em um crescimento mais do que proporcional do Lucro ou; uma redução de vendas resulta em uma queda mais do que proporcional do Lucro. 23

×