SlideShare uma empresa Scribd logo
BIOLOGIA INTERATIVABIOLOGIA INTERATIVA
Criado e Desenvolvido por:
Ronnielle Cabral RolimRonnielle Cabral Rolim
Todos os direitos são reservados ©2017
tioronnicabral.blogspot.com.br
ANGIOSPERMASANGIOSPERMAS
Atualmente são conhecidas cerca de
350 mil espécies de plantas - desse
total, mais de 250 mil são
angiospermas.
A palavra angiosperma vem do grego
angeios, que significa 'bolsa', e
sperma, 'semente'. Essas plantas
representam o grupo mais variado em
número de espécies entre os
componentes do Reino Plantae ou
Metaphyta.
ANGIOSPERMASANGIOSPERMAS
ANGIOSPERMASANGIOSPERMAS
Cerca de 235 000 espécies (70% do número total de plantas), das quais 40.000 no
Brasil.
- Fanerógamas: com órgão reprodutor visível (flor).
- Espermatófitas: com semente e fruto.
- Traqueófitas (vasculares).
- Independentes de água para fecundação.
- Formam o tubo polínico (sifonogamia).
- Hábitat – maioria terrestre, muitas dulcícolas, raramente marinhas.
- Disseminação por frutos e sementes.
- Divididas em: monocotiledôneas e dicotiledôneas.
As angiospermas são classificadas de acordo com o número de cotilédones em
suas sementes. Assim, não classificadas em monocotiledôneas e dicotiledôneas.
Além do número de cotilédones nas sementes, as monocotiledôneas e
dicotiledôneas apresentam uma série de diferenças. São elas:
Monocotiledôneas
Dicotiledôneas
CLASSIFICAÇÃOCLASSIFICAÇÃO
OBS:
- MonocotiledôneasMonocotiledôneas:
apenas crescimento
longitudinal (primário).
Suas raízes podem se
chamar fasciculada ou
cabeleira.
- DicotiledôneasDicotiledôneas:
crescimento longitudinal e
em espessura (primário e
secundário). Suas pétalas
são 4 ou 5 e seus
múltiplos.
CLASSIFICAÇÃOCLASSIFICAÇÃO
meiose
Estame (2n)
Célula mãe do
micrósporo (2n)
Micrósporos
(n)
Grãos de
pólen
Flor de um esporófito (2n)
Grão de pólen
(n)
Célula
geradora
Célula do
tubo
REPRODUÇÃOREPRODUÇÃO
Gametófito MasculinoGametófito Masculino
Flor do esporófito (2n)
Pistilos (2n)
Óvulo (2n)
Célula mãe do
megásporo
(2n)
Megásporo
funcional (n)
Antípodas (n)
Sinérgides (n) Oosfera
(n)
Núcleos
polares (n)
meiose
REPRODUÇÃOREPRODUÇÃO
Gametófito MasculinoGametófito Masculino
FECUNDAÇÃOFECUNDAÇÃO
CICLO DE VIDACICLO DE VIDA
Observações importantes:
- Gametófito feminino: saco embrionário.
- Gameta feminino: oosfera (uma das células do saco embrionário).
- Gametófito masculino: grão de pólen.
- Gameta masculino: duas células espermáticas (núcleos reprodutivos).
- 1º núcleo espermático (n) + oosfera (n) = zigoto (2n).
- 2º núcleo espermático (n) + núcleo polares (n e n) = endosperma secundário (3n).
- Fruto: ovário desenvolvido.
- Semente: óvulo fecundado e desenvolvido.
CICLO DE VIDACICLO DE VIDA
- Anemófila (vento).
- Entomófila (insetos).
- Ornitófila (aves).
- Quiropterófila (morcego).
- Hidrófila (água).
POLINIZAÇÃOPOLINIZAÇÃO
- Autoesterilidade: incompatibilidade
entre grão de pólen e carpelo da
mesma planta.
- Dicogamia: consiste no
amadurecimento dos órgãos
reprodutores em épocas diferentes.
Protrandria ou protoginia.
- Dioicia: aparecimento de indivíduos
com sexos separados: uma planta
masculina e outra feminina;
- Heterostilia: ocorrência, nas flores,
de estames com filetes curtos e
estiletes longos;
- Hercogamia: ocorre uma barreira
física, que separa o androceu do
gineceu;
MECANISMO QUE IMPEDEMMECANISMO QUE IMPEDEM
AAUTOFECUNDAÇÃOAAUTOFECUNDAÇÃO
Exercício 1
No óvulo maduro a seguir, de uma Angiosperma, é correto afirmar que:
a) 1 é considerado o gametófito feminino.
b) 3 são núcleos polares diploides.
c) 2, após a fecundação, vai formar o endosperma.
d) 4 é a oosfera que, após a fecundação, vai originar o embrião.
e) as células espermáticas, ao penetrarem no óvulo, fecundarão 2 e 4.
Exercício 2
Observe o esquema a seguir e assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(s).
01. A corresponde às plantas denominadas pteridófitas.
02. As samambaias são representantes de B.
04. C representa as gimnospermas.
08. A roseira é um exemplo de D.
16. E e F correspondem, respectivamente, às Criptógamas e às Fanerógamas.
32. Todos os representantes deste Reino possuem, obrigatoriamente, clorofila.
Somatório: 62
Exercício 3
Um vegetal conhecido como "cipó-chumbo" tem aspecto filamentoso e produz flores e
frutos. Suas raízes são do tipo haustório e penetram até o floema da planta sobre a qual
vive. O "cipó-chumbo" é uma:
a) angiosperma epífita, cujas raízes lhe dão suporte, não causando nenhum prejuízo à outra
planta.
b) angiosperma hemiparasita, pois retira a seiva bruta da planta sobre a qual vive.
c) gimnosperma parasita, que retira a seiva elaborada da outra planta.
d) gimnosperma hemiparasita, que retira a seiva bruta da planta hospedeira.
e) angiosperma parasita, que retira a seiva elaborada da outra planta.
Exercício 4
Em relação à propagação das angiospermas, são feitas as seguintes afirmações:
I - A presença do gineceu e do androceu na mesma flor permite, durante o processo de
reprodução, uma variabilidade genética maior.
II - Flores com corolas vistosas, glândulas odoríferas e glândulas nectaríferas geralmente
estão adaptadas à polinização pelo vento.
III - Geralmente os agentes polinizadores e disseminadores de frutos e sementes são o
vento, a água e os animais.
Assinale a alternativa correta:
a) Apenas I.
b) Apenas II.
c) Apenas III.
d) Apenas I e II.
e) I, II e III.
Exercício 5
(PUC RJ/2008) Em relação aos indivíduos do reino vegetal, pode-se afirmar que os(as):
a) briófitas não dependem diretamente da água para sua reprodução.
b) fungos são vegetais aclorofilados.
c) flores das pteridófitas são frutos modificados.
d) gimnospermas possuem flores e frutos verdadeiros.
e) frutos das angiospermas se originam a partir do desenvolvimento do ovário.
Exercício 6
(Mack/2008) Todas as plantas apresentam alternância de gerações, isto é, uma fase
assexuada, seguida de uma sexuada. Nas Briófitas, a fase Gametofítica predomina sobre a
fase Esporofítica. Nas demais plantas (Pteridófitas, Gimnospermas e Angiospermas), a fase
Esporofítica é a predominante sobre a Gametofítica. Células haploides de uma
Angiosperma podem ser observadas:
a) na parede do ovário e no grão de pólen
b) no interior do óvulo e no grão de pólen
c) no endosperma da semente e no tubo polínico.
d) no saco embrionário e na parede da antera.
e) no pistilo e no filete do estame.
Exercício 7
(FGV SP/2009) Em algumas espécies de plantas, ocorre autoincompatibilidade entre o grão
de pólen e o estigma da mesma flor. Esse mecanismo, geneticamente determinado, impede
que nessas espécies ocorra a:
a) polinização.
b) partenogênese.
c) autofecundação.
d) fecundação interna.
e) fecundação cruzada.
Exercício 8
(VUNESP) Observe as estruturas vegetais mostradas na figura a seguir.
Identifique os números das figuras correspondentes aos vegetais monocotiledôneos.
Justifique a sua resposta.
As figuras 1, 3 e 6 representam estruturas de vegetais monocotiledônios pois estes
apresentam, respectivamente às figuras: flores com verticilos organizados em função do
número três ou múltiplos de três (trímeras), folhas com nervuras paralelas (paralelinérveas)
e raízes em cabeleira (fasciculadas).
Exercício 9
O dono de um viveiro de plantas pediu ao seu empregado que separasse algumas monocotiledôneas das
dicotiledôneas na vitrine. Para auxiliá-lo, o patrão lhe deu as dicas de que "a semente de milho tem dois
cotilédones e a semente de feijão apenas um" e uma pequena cartela guia, porém incompleta e sem
nomes, conforme representada a seguir.
angiospermas
Para ajudar o pobre empregado a cumprir CORRETAMENTE a sua tarefa, resolva os itens seguintes:
a) As dicotiledôneas estão indicadas pelos números.
b) As plantas com flores trímeras devem ficar na vitrine juntamente com as.
c) Que tipo de nervura deverá haver nas folhas das plantas para que elas não fiquem juntas com as que
têm raízes fasciculadas?
d) Pode não ser uma dica prática, mas o empregado poderá considerar que o caule de milho tem a
disposição dos feixes líbero-lenhosos difusa e o caule do feijão tem estes feixes regulares?
e) Mesmo que a cartela guia seja completada, cite um bom argumento técnico de botânica para que o
dono da loja mude de ramo.
Exercício 9
O dono de um viveiro de plantas pediu ao seu empregado que separasse algumas monocotiledôneas das
dicotiledôneas na vitrine. Para auxiliá-lo, o patrão lhe deu as dicas de que "a semente de milho tem dois
cotilédones e a semente de feijão apenas um" e uma pequena cartela guia, porém incompleta e sem
nomes, conforme representada a seguir.
Para ajudar o pobre empregado a cumprir CORRETAMENTE a sua tarefa, resolva os itens seguintes:
a) São angiospermas dicotiledôneas os vegetais indicados pelos números II e IV.
b) Plantas com flores trímeras são angiospermas monocotiledôneas e deverão ficar na vitrine com as de
números I e III.
c) Angiospermas dicotiledôneas possuem nervuras reticuladas em suas folhas e raízes pivotantes.
d) Sim. Monocotiledôneas como o milho possuem feixes condutores difusos no caule, ao contrário, as
dicotiledôneas como o feijão apresentam feixes líbero-lenhosos organizados.
e) O dono da loja deve mudar de ramo já que acredita que plantas monocotiledôneas como as sementes
do milho apresentam "dois" cotilédones, enquanto as dicotiledôneas como o feijão possuem apenas
"um" cotilédone.
Exercício 10
O feijão é uma semente de grande importância na alimentação humana. Entretanto, até
atingir a fase de semente, o óvulo fecundado tem seus componentes (I, II, III e IV)
modificados profundamente.
Após a fecundação, os componentes indicados no óvulo darão origem, respectivamente, às
seguintes partes da semente:
a) endosperma, tegumento, embrião, hilo.
b) endosperma, embrião, tegumento, hilo.
c) embrião, hilo, endosperma, tegumento.
d) endosperma, tegumento, hilo, embrião.
e) embrião, tegumento, endosperma, hilo.
Exercício 11
(UNICAMP) Frutos carnosos imaturos são na maioria verdes e duros. Durante o amadurecimento,
ocorre a decomposição da clorofila e a síntese de outros pigmentos, resultando em uma coloração
amarelada ou avermelhada. Com o amadurecimento também ocorre o amolecimento devido à
degradação de componentes da parede celular e aumento nos níveis de açúcares.
a) Qual a vantagem adaptativa das modificações que ocorrem durante o amadurecimento dos frutos
carnosos?
b) De que estrutura da flor se origina a porção carnosa de um fruto verdadeiro?
c) A maçã, apesar de carnosa, não é fruto verdadeiro. Explique de que estrutura ela se origina.
Os frutos carnosos, quando amadurecem, tornam-se atraentes e fornecem alimento para os animais que
vão promover a dispersão das sementes.
O fruto verdadeiro é originado a partir do desenvolvimento do ovário.
A maçã não é considerada um fruto verdadeiro porque a parte carnosa (comestível) origina-se do
desenvolvimento do receptáculo floral e não do ovário da flor.
Exercício 12
(UFMG) Observe a figura:
a) Que estrutura da flor originou o tomate?
b) Cite uma vantagem evolutiva das plantas que possuem fruto?
c) Qual é o provável mecanismo de dispersão dos vegetais que possuem frutos coloridos, suculentos e
nutritivos?
d) Qual é a estrutura indicada pela seta, no esquema, e qual é a sua função?
O tomate é um fruto, portanto originou-se do ovário da flor.
O fruto auxilia na dispersão da semente, ou seja, da espécie.
Os frutos coloridos, suculentos e nutritivos são disseminados geralmente por animais, processo
denominado de zoocoria.
A estrutura indicada é a semente, cujas funções são a reprodução e proteção do embrião vegetal.
Exercício 13
(UFG) Observe as figuras a seguir que ilustram os frutos de duas espécies de dicotiledôneas:
a) Qual a parte da flor que deu origem ao pseudofruto na Figura A e ao fruto na Figura B?
b) Explique como ocorre o processo de fecundação nesses vegetais, após a polinização.
Na figura A, a parte comestível do pseudofruto desenvolveu-se a partir do receptáculo floral e, na figura
B, o fruto desenvolveu-se a partir do ovário (gineceu).
O grão de pólen, germinando sobre o estigma, dá origem ao tubo polínico que carrega os dois núcleos
gaméticos masculinos (espermáticos).O tubo polínico penetra no óvulo através da micrópila. Um dos
núcleos gaméticos masculino fecunda a oosfera, originando o ovo ou zigoto, que se desenvolverá como
embrião. O outro núcleo gamético masculino une-se aos núcleos polares, dando origem a um tecido
triplóide, formador do endosperma ou albume.
Exercício 14
Observe o esquema da flor a seguir e marque a alternativa incorreta a respeito dessa
estrutura reprodutora:
a) 1 e 2 representam, respectivamente, a antera e o filete.
b) 3 representa o estigma, uma parte do gineceu.
c) A estrutura 4 é chamada de pistilo.
d) O ovário está representado pelo número 5.
e) A estrutura 6 é conhecida por sépala.
Exercício 15
(Enem-MEC) Caso os cientistas descobrissem alguma substância que impedisse a
reprodução de todos os insetos, certamente nos livraríamos de várias doenças em que esses
animais são vetores. Em compensação teríamos grandes problemas como a diminuição
drástica de plantas que dependem dos insetos para polinização, que é o caso das:
a) algas.
b) briófitas como os musgos.
c) pteridófitas como as samambaias.
d) gimnospermas como os pinheiros.
e) angiospermas como as árvores frutíferas.
Exercício 16
Um casal de namorados, numa prática condenável, gravou os seus nomes a um metro do
solo, em uma árvore de dois metros de altura. Anos depois, voltando ao local, verificaram
que a mesma árvore media agora quatro metros de altura. É válido procurar a antiga
inscrição:
a) a 1 metro do solo;
b) a 2 metros do solo;
c) a 3 metros do solo;
d) a qualquer altura, pois nada se pode prever;
e) acima de 1 metro do solo.
Exercício 17
(UFRRJ/2004) Leia o texto a seguir, sobre evolução dos processos reprodutivos das plantas
e responda.
Os cientistas afirmam que as plantas terrestres evoluíram a partir de algas verdes que
conquistaram o ambiente terrestre. Basicamente, a tendência manifestada na reprodução foi
eliminar sua dependência da água.
AMABIS, J. M.; MARTHO, G. R. "Fundamentos da biologia moderna". São Paulo: Moderna, 1995.
a) Que estrutura tornou os vegetais superiores independentes da água, para a sua
reprodução?
b) De que maneira age a estrutura que torna os vegetais superiores independentes da água?
Tubo polínico, uma expansão do grão de pólen.
Age à maneira de um sifão, conduzindo o gameta masculino ao encontro de gameta
feminino. Ocorre a fecundação e surge um embrião, que ficará protegido dentro da
semente.
OBRIGADOOBRIGADO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

V.3 Gimnospermas
V.3 GimnospermasV.3 Gimnospermas
V.3 Gimnospermas
Rebeca Vale
 
7 ano classificação das plantas
7 ano classificação das plantas7 ano classificação das plantas
7 ano classificação das plantas
crisbassanimedeiros
 
Gimnospermas e angiospermas
Gimnospermas e angiospermasGimnospermas e angiospermas
Gimnospermas e angiospermas
Grazi Grazi
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetal
profatatiana
 
Tecidos vegetais
Tecidos vegetaisTecidos vegetais
Tecidos vegetais
turma21
 
Movimentos vegetal
Movimentos vegetalMovimentos vegetal
Movimentos vegetal
URCA
 
Aula tecidos vegetais
Aula tecidos vegetaisAula tecidos vegetais
Aula tecidos vegetais
Ronaldo Professorr
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
Fatima Comiotto
 
Briófitas e Pteridófitas
Briófitas e PteridófitasBriófitas e Pteridófitas
Briófitas e Pteridófitas
Elisa Margarita Orlandi
 
7º ano cap 9 briófitas
7º ano cap 9   briófitas7º ano cap 9   briófitas
7º ano cap 9 briófitas
ISJ
 
Briofitas E Pteridofitas
Briofitas E PteridofitasBriofitas E Pteridofitas
Briofitas E Pteridofitas
Andrea Barreto
 
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermasAula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Fatima Comiotto
 
Classificação das Plantas
Classificação das PlantasClassificação das Plantas
Classificação das Plantas
Leandro A. Machado de Moura
 
Aula 9 gimnospermas
Aula 9   gimnospermasAula 9   gimnospermas
Aula 9 gimnospermas
Grupo UNIASSELVI
 
V.2 Briófitas e Pteridófitas
V.2 Briófitas e PteridófitasV.2 Briófitas e Pteridófitas
V.2 Briófitas e Pteridófitas
Rebeca Vale
 
Reino das plantas
Reino das plantasReino das plantas
Biologia - Morfologia Vegetal
Biologia - Morfologia VegetalBiologia - Morfologia Vegetal
Biologia - Morfologia Vegetal
Carson Souza
 
O Sistema Respiratório
O Sistema RespiratórioO Sistema Respiratório
O Sistema Respiratório
Ubirajara Neves
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetal
Eldon Clayton
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
infoeducp2
 

Mais procurados (20)

V.3 Gimnospermas
V.3 GimnospermasV.3 Gimnospermas
V.3 Gimnospermas
 
7 ano classificação das plantas
7 ano classificação das plantas7 ano classificação das plantas
7 ano classificação das plantas
 
Gimnospermas e angiospermas
Gimnospermas e angiospermasGimnospermas e angiospermas
Gimnospermas e angiospermas
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetal
 
Tecidos vegetais
Tecidos vegetaisTecidos vegetais
Tecidos vegetais
 
Movimentos vegetal
Movimentos vegetalMovimentos vegetal
Movimentos vegetal
 
Aula tecidos vegetais
Aula tecidos vegetaisAula tecidos vegetais
Aula tecidos vegetais
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
 
Briófitas e Pteridófitas
Briófitas e PteridófitasBriófitas e Pteridófitas
Briófitas e Pteridófitas
 
7º ano cap 9 briófitas
7º ano cap 9   briófitas7º ano cap 9   briófitas
7º ano cap 9 briófitas
 
Briofitas E Pteridofitas
Briofitas E PteridofitasBriofitas E Pteridofitas
Briofitas E Pteridofitas
 
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermasAula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
 
Classificação das Plantas
Classificação das PlantasClassificação das Plantas
Classificação das Plantas
 
Aula 9 gimnospermas
Aula 9   gimnospermasAula 9   gimnospermas
Aula 9 gimnospermas
 
V.2 Briófitas e Pteridófitas
V.2 Briófitas e PteridófitasV.2 Briófitas e Pteridófitas
V.2 Briófitas e Pteridófitas
 
Reino das plantas
Reino das plantasReino das plantas
Reino das plantas
 
Biologia - Morfologia Vegetal
Biologia - Morfologia VegetalBiologia - Morfologia Vegetal
Biologia - Morfologia Vegetal
 
O Sistema Respiratório
O Sistema RespiratórioO Sistema Respiratório
O Sistema Respiratório
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetal
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
 

Semelhante a Angiospermas

Exercicios angiospermas
Exercicios angiospermasExercicios angiospermas
Exercicios angiospermas
Grupo UNIASSELVI
 
Exerciciosgimnosp.e.angiosfaceis
Exerciciosgimnosp.e.angiosfaceisExerciciosgimnosp.e.angiosfaceis
Exerciciosgimnosp.e.angiosfaceis
Michelle Miranda
 
7º ano ciências plantas
7º ano ciências plantas7º ano ciências plantas
7º ano ciências plantas
Carlos Magno Braga
 
Classificação do reino plantae
Classificação do reino plantaeClassificação do reino plantae
Classificação do reino plantae
francisco sergio costa e souza
 
Briofitas
BriofitasBriofitas
Briofitas
URCA
 
Flores e frutos
Flores e frutosFlores e frutos
Flores e frutos
URCA
 
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
MayaraOliveira228
 
Reino vegetal aprofundamento
Reino vegetal aprofundamentoReino vegetal aprofundamento
Reino vegetal aprofundamento
letyap
 
Grandes grupos-vegetais Exercícios
Grandes grupos-vegetais ExercíciosGrandes grupos-vegetais Exercícios
Grandes grupos-vegetais Exercícios
BriefCase
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
biologando
 
Angiospermas 2014 exercicios sobre plantas
Angiospermas   2014 exercicios sobre plantasAngiospermas   2014 exercicios sobre plantas
Angiospermas 2014 exercicios sobre plantas
Patricia Sanches
 
Angiospermas 2014 exercicios sobre plantas
Angiospermas   2014 exercicios sobre plantasAngiospermas   2014 exercicios sobre plantas
Angiospermas 2014 exercicios sobre plantas
Patricia Sanches
 
Gimnospermas
GimnospermasGimnospermas
Gimnospermas
URCA
 
Angiospermas www unifev_edu_br
Angiospermas www unifev_edu_brAngiospermas www unifev_edu_br
Angiospermas www unifev_edu_br
EduardoEmiliano
 
Angiospermas2
Angiospermas2Angiospermas2
Angiospermas2
Elizabete Costa
 
EXERCÍCIOS - REPRODUÇÃO VEGETAL
EXERCÍCIOS - REPRODUÇÃO VEGETALEXERCÍCIOS - REPRODUÇÃO VEGETAL
EXERCÍCIOS - REPRODUÇÃO VEGETAL
Alexandre Pusaudse
 
Quizz da Botânica - Características Gerais das Plantas
Quizz da Botânica - Características Gerais das PlantasQuizz da Botânica - Características Gerais das Plantas
Quizz da Botânica - Características Gerais das Plantas
Colégio Estadual Padre Fernando Gomes de Melo
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
SEMED de Santarém/PA
 
Exercicios gimnospermas
Exercicios gimnospermasExercicios gimnospermas
Exercicios gimnospermas
Grupo UNIASSELVI
 
BotâNicaquasecompleto
BotâNicaquasecompletoBotâNicaquasecompleto

Semelhante a Angiospermas (20)

Exercicios angiospermas
Exercicios angiospermasExercicios angiospermas
Exercicios angiospermas
 
Exerciciosgimnosp.e.angiosfaceis
Exerciciosgimnosp.e.angiosfaceisExerciciosgimnosp.e.angiosfaceis
Exerciciosgimnosp.e.angiosfaceis
 
7º ano ciências plantas
7º ano ciências plantas7º ano ciências plantas
7º ano ciências plantas
 
Classificação do reino plantae
Classificação do reino plantaeClassificação do reino plantae
Classificação do reino plantae
 
Briofitas
BriofitasBriofitas
Briofitas
 
Flores e frutos
Flores e frutosFlores e frutos
Flores e frutos
 
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
 
Reino vegetal aprofundamento
Reino vegetal aprofundamentoReino vegetal aprofundamento
Reino vegetal aprofundamento
 
Grandes grupos-vegetais Exercícios
Grandes grupos-vegetais ExercíciosGrandes grupos-vegetais Exercícios
Grandes grupos-vegetais Exercícios
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
 
Angiospermas 2014 exercicios sobre plantas
Angiospermas   2014 exercicios sobre plantasAngiospermas   2014 exercicios sobre plantas
Angiospermas 2014 exercicios sobre plantas
 
Angiospermas 2014 exercicios sobre plantas
Angiospermas   2014 exercicios sobre plantasAngiospermas   2014 exercicios sobre plantas
Angiospermas 2014 exercicios sobre plantas
 
Gimnospermas
GimnospermasGimnospermas
Gimnospermas
 
Angiospermas www unifev_edu_br
Angiospermas www unifev_edu_brAngiospermas www unifev_edu_br
Angiospermas www unifev_edu_br
 
Angiospermas2
Angiospermas2Angiospermas2
Angiospermas2
 
EXERCÍCIOS - REPRODUÇÃO VEGETAL
EXERCÍCIOS - REPRODUÇÃO VEGETALEXERCÍCIOS - REPRODUÇÃO VEGETAL
EXERCÍCIOS - REPRODUÇÃO VEGETAL
 
Quizz da Botânica - Características Gerais das Plantas
Quizz da Botânica - Características Gerais das PlantasQuizz da Botânica - Características Gerais das Plantas
Quizz da Botânica - Características Gerais das Plantas
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
 
Exercicios gimnospermas
Exercicios gimnospermasExercicios gimnospermas
Exercicios gimnospermas
 
BotâNicaquasecompleto
BotâNicaquasecompletoBotâNicaquasecompleto
BotâNicaquasecompleto
 

Mais de URCA

Máquinas Simples
Máquinas SimplesMáquinas Simples
Máquinas Simples
URCA
 
Transformações Químicas
Transformações QuímicasTransformações Químicas
Transformações Químicas
URCA
 
Separação de Materiais
Separação de MateriaisSeparação de Materiais
Separação de Materiais
URCA
 
Misturas homogêneas e Heterogeneas
Misturas homogêneas e HeterogeneasMisturas homogêneas e Heterogeneas
Misturas homogêneas e Heterogeneas
URCA
 
Folhas caules e raízes
Folhas caules e raízesFolhas caules e raízes
Folhas caules e raízes
URCA
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
URCA
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
URCA
 
Dsts
DstsDsts
Dsts
URCA
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
URCA
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
URCA
 
Taxonomia
TaxonomiaTaxonomia
Taxonomia
URCA
 
Tipos de reprodução
Tipos de reproduçãoTipos de reprodução
Tipos de reprodução
URCA
 
Métodos contaceptivos
Métodos contaceptivosMétodos contaceptivos
Métodos contaceptivos
URCA
 
Reino protoctista
Reino protoctistaReino protoctista
Reino protoctista
URCA
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
URCA
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
URCA
 
Répteis
RépteisRépteis
Répteis
URCA
 
Protocordados e cordados
Protocordados e cordadosProtocordados e cordados
Protocordados e cordados
URCA
 
Poríferos
PoríferosPoríferos
Poríferos
URCA
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
URCA
 

Mais de URCA (20)

Máquinas Simples
Máquinas SimplesMáquinas Simples
Máquinas Simples
 
Transformações Químicas
Transformações QuímicasTransformações Químicas
Transformações Químicas
 
Separação de Materiais
Separação de MateriaisSeparação de Materiais
Separação de Materiais
 
Misturas homogêneas e Heterogeneas
Misturas homogêneas e HeterogeneasMisturas homogêneas e Heterogeneas
Misturas homogêneas e Heterogeneas
 
Folhas caules e raízes
Folhas caules e raízesFolhas caules e raízes
Folhas caules e raízes
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Dsts
DstsDsts
Dsts
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
 
Taxonomia
TaxonomiaTaxonomia
Taxonomia
 
Tipos de reprodução
Tipos de reproduçãoTipos de reprodução
Tipos de reprodução
 
Métodos contaceptivos
Métodos contaceptivosMétodos contaceptivos
Métodos contaceptivos
 
Reino protoctista
Reino protoctistaReino protoctista
Reino protoctista
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
Répteis
RépteisRépteis
Répteis
 
Protocordados e cordados
Protocordados e cordadosProtocordados e cordados
Protocordados e cordados
 
Poríferos
PoríferosPoríferos
Poríferos
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
 

Último

Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 

Angiospermas

  • 1. BIOLOGIA INTERATIVABIOLOGIA INTERATIVA Criado e Desenvolvido por: Ronnielle Cabral RolimRonnielle Cabral Rolim Todos os direitos são reservados ©2017 tioronnicabral.blogspot.com.br
  • 3. Atualmente são conhecidas cerca de 350 mil espécies de plantas - desse total, mais de 250 mil são angiospermas. A palavra angiosperma vem do grego angeios, que significa 'bolsa', e sperma, 'semente'. Essas plantas representam o grupo mais variado em número de espécies entre os componentes do Reino Plantae ou Metaphyta. ANGIOSPERMASANGIOSPERMAS
  • 4. ANGIOSPERMASANGIOSPERMAS Cerca de 235 000 espécies (70% do número total de plantas), das quais 40.000 no Brasil. - Fanerógamas: com órgão reprodutor visível (flor). - Espermatófitas: com semente e fruto. - Traqueófitas (vasculares). - Independentes de água para fecundação. - Formam o tubo polínico (sifonogamia). - Hábitat – maioria terrestre, muitas dulcícolas, raramente marinhas. - Disseminação por frutos e sementes. - Divididas em: monocotiledôneas e dicotiledôneas.
  • 5. As angiospermas são classificadas de acordo com o número de cotilédones em suas sementes. Assim, não classificadas em monocotiledôneas e dicotiledôneas. Além do número de cotilédones nas sementes, as monocotiledôneas e dicotiledôneas apresentam uma série de diferenças. São elas: Monocotiledôneas Dicotiledôneas CLASSIFICAÇÃOCLASSIFICAÇÃO
  • 6. OBS: - MonocotiledôneasMonocotiledôneas: apenas crescimento longitudinal (primário). Suas raízes podem se chamar fasciculada ou cabeleira. - DicotiledôneasDicotiledôneas: crescimento longitudinal e em espessura (primário e secundário). Suas pétalas são 4 ou 5 e seus múltiplos. CLASSIFICAÇÃOCLASSIFICAÇÃO
  • 7. meiose Estame (2n) Célula mãe do micrósporo (2n) Micrósporos (n) Grãos de pólen Flor de um esporófito (2n) Grão de pólen (n) Célula geradora Célula do tubo REPRODUÇÃOREPRODUÇÃO Gametófito MasculinoGametófito Masculino
  • 8. Flor do esporófito (2n) Pistilos (2n) Óvulo (2n) Célula mãe do megásporo (2n) Megásporo funcional (n) Antípodas (n) Sinérgides (n) Oosfera (n) Núcleos polares (n) meiose REPRODUÇÃOREPRODUÇÃO Gametófito MasculinoGametófito Masculino
  • 11. Observações importantes: - Gametófito feminino: saco embrionário. - Gameta feminino: oosfera (uma das células do saco embrionário). - Gametófito masculino: grão de pólen. - Gameta masculino: duas células espermáticas (núcleos reprodutivos). - 1º núcleo espermático (n) + oosfera (n) = zigoto (2n). - 2º núcleo espermático (n) + núcleo polares (n e n) = endosperma secundário (3n). - Fruto: ovário desenvolvido. - Semente: óvulo fecundado e desenvolvido. CICLO DE VIDACICLO DE VIDA
  • 12. - Anemófila (vento). - Entomófila (insetos). - Ornitófila (aves). - Quiropterófila (morcego). - Hidrófila (água). POLINIZAÇÃOPOLINIZAÇÃO
  • 13. - Autoesterilidade: incompatibilidade entre grão de pólen e carpelo da mesma planta. - Dicogamia: consiste no amadurecimento dos órgãos reprodutores em épocas diferentes. Protrandria ou protoginia. - Dioicia: aparecimento de indivíduos com sexos separados: uma planta masculina e outra feminina; - Heterostilia: ocorrência, nas flores, de estames com filetes curtos e estiletes longos; - Hercogamia: ocorre uma barreira física, que separa o androceu do gineceu; MECANISMO QUE IMPEDEMMECANISMO QUE IMPEDEM AAUTOFECUNDAÇÃOAAUTOFECUNDAÇÃO
  • 14. Exercício 1 No óvulo maduro a seguir, de uma Angiosperma, é correto afirmar que: a) 1 é considerado o gametófito feminino. b) 3 são núcleos polares diploides. c) 2, após a fecundação, vai formar o endosperma. d) 4 é a oosfera que, após a fecundação, vai originar o embrião. e) as células espermáticas, ao penetrarem no óvulo, fecundarão 2 e 4.
  • 15. Exercício 2 Observe o esquema a seguir e assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(s). 01. A corresponde às plantas denominadas pteridófitas. 02. As samambaias são representantes de B. 04. C representa as gimnospermas. 08. A roseira é um exemplo de D. 16. E e F correspondem, respectivamente, às Criptógamas e às Fanerógamas. 32. Todos os representantes deste Reino possuem, obrigatoriamente, clorofila. Somatório: 62
  • 16. Exercício 3 Um vegetal conhecido como "cipó-chumbo" tem aspecto filamentoso e produz flores e frutos. Suas raízes são do tipo haustório e penetram até o floema da planta sobre a qual vive. O "cipó-chumbo" é uma: a) angiosperma epífita, cujas raízes lhe dão suporte, não causando nenhum prejuízo à outra planta. b) angiosperma hemiparasita, pois retira a seiva bruta da planta sobre a qual vive. c) gimnosperma parasita, que retira a seiva elaborada da outra planta. d) gimnosperma hemiparasita, que retira a seiva bruta da planta hospedeira. e) angiosperma parasita, que retira a seiva elaborada da outra planta.
  • 17. Exercício 4 Em relação à propagação das angiospermas, são feitas as seguintes afirmações: I - A presença do gineceu e do androceu na mesma flor permite, durante o processo de reprodução, uma variabilidade genética maior. II - Flores com corolas vistosas, glândulas odoríferas e glândulas nectaríferas geralmente estão adaptadas à polinização pelo vento. III - Geralmente os agentes polinizadores e disseminadores de frutos e sementes são o vento, a água e os animais. Assinale a alternativa correta: a) Apenas I. b) Apenas II. c) Apenas III. d) Apenas I e II. e) I, II e III.
  • 18. Exercício 5 (PUC RJ/2008) Em relação aos indivíduos do reino vegetal, pode-se afirmar que os(as): a) briófitas não dependem diretamente da água para sua reprodução. b) fungos são vegetais aclorofilados. c) flores das pteridófitas são frutos modificados. d) gimnospermas possuem flores e frutos verdadeiros. e) frutos das angiospermas se originam a partir do desenvolvimento do ovário.
  • 19. Exercício 6 (Mack/2008) Todas as plantas apresentam alternância de gerações, isto é, uma fase assexuada, seguida de uma sexuada. Nas Briófitas, a fase Gametofítica predomina sobre a fase Esporofítica. Nas demais plantas (Pteridófitas, Gimnospermas e Angiospermas), a fase Esporofítica é a predominante sobre a Gametofítica. Células haploides de uma Angiosperma podem ser observadas: a) na parede do ovário e no grão de pólen b) no interior do óvulo e no grão de pólen c) no endosperma da semente e no tubo polínico. d) no saco embrionário e na parede da antera. e) no pistilo e no filete do estame.
  • 20. Exercício 7 (FGV SP/2009) Em algumas espécies de plantas, ocorre autoincompatibilidade entre o grão de pólen e o estigma da mesma flor. Esse mecanismo, geneticamente determinado, impede que nessas espécies ocorra a: a) polinização. b) partenogênese. c) autofecundação. d) fecundação interna. e) fecundação cruzada.
  • 21. Exercício 8 (VUNESP) Observe as estruturas vegetais mostradas na figura a seguir. Identifique os números das figuras correspondentes aos vegetais monocotiledôneos. Justifique a sua resposta. As figuras 1, 3 e 6 representam estruturas de vegetais monocotiledônios pois estes apresentam, respectivamente às figuras: flores com verticilos organizados em função do número três ou múltiplos de três (trímeras), folhas com nervuras paralelas (paralelinérveas) e raízes em cabeleira (fasciculadas).
  • 22. Exercício 9 O dono de um viveiro de plantas pediu ao seu empregado que separasse algumas monocotiledôneas das dicotiledôneas na vitrine. Para auxiliá-lo, o patrão lhe deu as dicas de que "a semente de milho tem dois cotilédones e a semente de feijão apenas um" e uma pequena cartela guia, porém incompleta e sem nomes, conforme representada a seguir. angiospermas Para ajudar o pobre empregado a cumprir CORRETAMENTE a sua tarefa, resolva os itens seguintes: a) As dicotiledôneas estão indicadas pelos números. b) As plantas com flores trímeras devem ficar na vitrine juntamente com as. c) Que tipo de nervura deverá haver nas folhas das plantas para que elas não fiquem juntas com as que têm raízes fasciculadas? d) Pode não ser uma dica prática, mas o empregado poderá considerar que o caule de milho tem a disposição dos feixes líbero-lenhosos difusa e o caule do feijão tem estes feixes regulares? e) Mesmo que a cartela guia seja completada, cite um bom argumento técnico de botânica para que o dono da loja mude de ramo.
  • 23. Exercício 9 O dono de um viveiro de plantas pediu ao seu empregado que separasse algumas monocotiledôneas das dicotiledôneas na vitrine. Para auxiliá-lo, o patrão lhe deu as dicas de que "a semente de milho tem dois cotilédones e a semente de feijão apenas um" e uma pequena cartela guia, porém incompleta e sem nomes, conforme representada a seguir. Para ajudar o pobre empregado a cumprir CORRETAMENTE a sua tarefa, resolva os itens seguintes: a) São angiospermas dicotiledôneas os vegetais indicados pelos números II e IV. b) Plantas com flores trímeras são angiospermas monocotiledôneas e deverão ficar na vitrine com as de números I e III. c) Angiospermas dicotiledôneas possuem nervuras reticuladas em suas folhas e raízes pivotantes. d) Sim. Monocotiledôneas como o milho possuem feixes condutores difusos no caule, ao contrário, as dicotiledôneas como o feijão apresentam feixes líbero-lenhosos organizados. e) O dono da loja deve mudar de ramo já que acredita que plantas monocotiledôneas como as sementes do milho apresentam "dois" cotilédones, enquanto as dicotiledôneas como o feijão possuem apenas "um" cotilédone.
  • 24. Exercício 10 O feijão é uma semente de grande importância na alimentação humana. Entretanto, até atingir a fase de semente, o óvulo fecundado tem seus componentes (I, II, III e IV) modificados profundamente. Após a fecundação, os componentes indicados no óvulo darão origem, respectivamente, às seguintes partes da semente: a) endosperma, tegumento, embrião, hilo. b) endosperma, embrião, tegumento, hilo. c) embrião, hilo, endosperma, tegumento. d) endosperma, tegumento, hilo, embrião. e) embrião, tegumento, endosperma, hilo.
  • 25. Exercício 11 (UNICAMP) Frutos carnosos imaturos são na maioria verdes e duros. Durante o amadurecimento, ocorre a decomposição da clorofila e a síntese de outros pigmentos, resultando em uma coloração amarelada ou avermelhada. Com o amadurecimento também ocorre o amolecimento devido à degradação de componentes da parede celular e aumento nos níveis de açúcares. a) Qual a vantagem adaptativa das modificações que ocorrem durante o amadurecimento dos frutos carnosos? b) De que estrutura da flor se origina a porção carnosa de um fruto verdadeiro? c) A maçã, apesar de carnosa, não é fruto verdadeiro. Explique de que estrutura ela se origina. Os frutos carnosos, quando amadurecem, tornam-se atraentes e fornecem alimento para os animais que vão promover a dispersão das sementes. O fruto verdadeiro é originado a partir do desenvolvimento do ovário. A maçã não é considerada um fruto verdadeiro porque a parte carnosa (comestível) origina-se do desenvolvimento do receptáculo floral e não do ovário da flor.
  • 26. Exercício 12 (UFMG) Observe a figura: a) Que estrutura da flor originou o tomate? b) Cite uma vantagem evolutiva das plantas que possuem fruto? c) Qual é o provável mecanismo de dispersão dos vegetais que possuem frutos coloridos, suculentos e nutritivos? d) Qual é a estrutura indicada pela seta, no esquema, e qual é a sua função? O tomate é um fruto, portanto originou-se do ovário da flor. O fruto auxilia na dispersão da semente, ou seja, da espécie. Os frutos coloridos, suculentos e nutritivos são disseminados geralmente por animais, processo denominado de zoocoria. A estrutura indicada é a semente, cujas funções são a reprodução e proteção do embrião vegetal.
  • 27. Exercício 13 (UFG) Observe as figuras a seguir que ilustram os frutos de duas espécies de dicotiledôneas: a) Qual a parte da flor que deu origem ao pseudofruto na Figura A e ao fruto na Figura B? b) Explique como ocorre o processo de fecundação nesses vegetais, após a polinização. Na figura A, a parte comestível do pseudofruto desenvolveu-se a partir do receptáculo floral e, na figura B, o fruto desenvolveu-se a partir do ovário (gineceu). O grão de pólen, germinando sobre o estigma, dá origem ao tubo polínico que carrega os dois núcleos gaméticos masculinos (espermáticos).O tubo polínico penetra no óvulo através da micrópila. Um dos núcleos gaméticos masculino fecunda a oosfera, originando o ovo ou zigoto, que se desenvolverá como embrião. O outro núcleo gamético masculino une-se aos núcleos polares, dando origem a um tecido triplóide, formador do endosperma ou albume.
  • 28. Exercício 14 Observe o esquema da flor a seguir e marque a alternativa incorreta a respeito dessa estrutura reprodutora: a) 1 e 2 representam, respectivamente, a antera e o filete. b) 3 representa o estigma, uma parte do gineceu. c) A estrutura 4 é chamada de pistilo. d) O ovário está representado pelo número 5. e) A estrutura 6 é conhecida por sépala.
  • 29. Exercício 15 (Enem-MEC) Caso os cientistas descobrissem alguma substância que impedisse a reprodução de todos os insetos, certamente nos livraríamos de várias doenças em que esses animais são vetores. Em compensação teríamos grandes problemas como a diminuição drástica de plantas que dependem dos insetos para polinização, que é o caso das: a) algas. b) briófitas como os musgos. c) pteridófitas como as samambaias. d) gimnospermas como os pinheiros. e) angiospermas como as árvores frutíferas.
  • 30. Exercício 16 Um casal de namorados, numa prática condenável, gravou os seus nomes a um metro do solo, em uma árvore de dois metros de altura. Anos depois, voltando ao local, verificaram que a mesma árvore media agora quatro metros de altura. É válido procurar a antiga inscrição: a) a 1 metro do solo; b) a 2 metros do solo; c) a 3 metros do solo; d) a qualquer altura, pois nada se pode prever; e) acima de 1 metro do solo.
  • 31. Exercício 17 (UFRRJ/2004) Leia o texto a seguir, sobre evolução dos processos reprodutivos das plantas e responda. Os cientistas afirmam que as plantas terrestres evoluíram a partir de algas verdes que conquistaram o ambiente terrestre. Basicamente, a tendência manifestada na reprodução foi eliminar sua dependência da água. AMABIS, J. M.; MARTHO, G. R. "Fundamentos da biologia moderna". São Paulo: Moderna, 1995. a) Que estrutura tornou os vegetais superiores independentes da água, para a sua reprodução? b) De que maneira age a estrutura que torna os vegetais superiores independentes da água? Tubo polínico, uma expansão do grão de pólen. Age à maneira de um sifão, conduzindo o gameta masculino ao encontro de gameta feminino. Ocorre a fecundação e surge um embrião, que ficará protegido dentro da semente.

Notas do Editor

  1. Ronnielle Cabral. www.tioronni.com.br <número>