SlideShare uma empresa Scribd logo
Reino Plantae 
Professora Raquel
Cladograma das plantas
Reprodução das plantas aula 4
Ciclo haplodiplobionte, metagênese ou 
alternância de gerações 
• Existem duas fases – dois tipos de indivíduos 
• Um é diploide 2n e outro é haploide n 
• Um é mais duradouro o outro temporário 
• Embrião gera esporófito 
• Esporo gera gametófito feminino ou 
masculino 
• Fase sexuada e outra assexuada
Reprodução das plantas aula 4
Briófitas 
Anterídios (gametófíto) – anterozoides 
(arquegônios (gametófíto) -oosferas 
Fecundação – embrião - esporófito (2n) 
Esporófito (geração temporária) dependente do gametófito 
(geração duradoura)
CICLO REPRODUTIVO DE UM MUSGO
Reprodução das plantas aula 4
CICLO REPRODUTIVO DE UMA SAMAMBAIA 
Esporo origina prótalo (gametófito) – n e hermafrodita. 
O prótalo origina anterídios (que produzem anterozoides) e arquegônios 
(que produzem oosfera). 
O anterozoide flagelado nada até a oosfera, fecundando-a e formando o 
zigoto 
Zigoto se desenvolve no interior do arquegônio. 
O zigoto origina um esporófito (2n), que formará esporos haploides.
ESPORÓFITO É A SAMAMBAIA 
Adaptação a vida terrestre – esporófito é dominante 
porque não precisa se água
CICLO REPRODUTIVO DE UMA SAMAMBAIA
GIMNOSPERMAS 
Gralha azul 
Araucária ou 
pinheiro do Paraná 
– dá o pinhão 
Resta apenas 2% de 
mata nativa
GIMNOSPERMAS - FAUNA 
Gralha picaça 
Papagaio de peito 
roxo 
Papagaio - charão 
Tucano 
Ouriço
CICLO REPRODUTIVO DE UM PINHEIRO - GIMNOSPERMA 
Óvulo e grão de 
pólen -gametófito 
Pinhão (n) temporário 
Pinheiro - 
esporófito 2n 
dominante
CICLO REPRODUTIVO DE UM PINHEIRO - GIMNOSPERMA 
Gametófito se desenvolve no esporófito 
O grão de pólen entra em contato com o óvulo (gametófito 
feminino), surge o tubo polínico. 
O grão de pólen com tubo polínico é o gametófito masculino. 
O tubo polínico conduz a célula espermática até o interior do 
óvulo onde está a oosfera. 
Fecundação 
ocorre a formação do zigoto diploide. O zigoto origina o 
embrião 
O óvulo origina a semente 
A semente se desprende do estróbilo feminino e quando 
encontra condições adequadas, germina. 
O embrião se desenvolve numa nova planta (esporófito) 
reiniciando o ciclo.
CICLO REPRODUTIVO DE UM PINHEIRO
CICLO REPRODUTIVO DE UMA ANGIOSPERMA
Reprodução das plantas aula 4
CICLO REPRODUTIVO DE UMA ANGIOSPERMA 
O tubo polínico cresce em direção ao óvulo. 
Um núcleo espermático funde-se ao núcleo da oosfera, 
formando o zigoto diploide que originará o embrião. 
outro núcleo espermático funde-se com os dois 
núcleos polares da célula central do óvulo, formando uma 
célula triploide, que originará o endosperma, responsável 
pela nutrição do embrião.
ANGIOSPERMA: DUPLA FECUNDAÇÃO 
O Núcleo triploide dá origem ao ENDOSPERMA ou ALBÚMEN 
(material nutritivo do embrião) 
O desenvolvimento do embrião, do endosperma e das demais 
partes do óvulo forma a SEMENTE. 
Ocorrendo fecundação as paredes do ovário formam o PERICARPO 
FRUTO = SEMENTE + PERICARPO
(UFF-RJ) eserva Biológica do Tinguá resguarda um dos mais significativos remanescentes da 
Mata Atlântica do Estado do Rio de Janeiro. O maciço é um ecossistema formado por diversos 
grupos de plantas, que proporciona refúgio a várias espécies animais. 
A tabela contém algumas características de plantas pertencentes às classes Gymnospermae e 
Angyospermae e às divisões Pteridophyta e Bryophyta. 
a) Identifique a que divisão ou classe pertencem as plantas A, B, C e D. 
b) A partir de uma análise evolutiva, indique a ordem temporal de aparecimento das plantas A, 
B, C e D no ambiente terrestre. 
c) Informe a principal diferença no grau de umidade no ambiente de 
reprodução sexuada das plantas A e B. Justifique.
A − Bryophyta; B − Gymnospermae; 
C − Angyospermae; D − Pteridophyta. 
A, D, B e C, respectivamente. 
A umidade precisa ser maior na planta A do 
que na B; 
a planta A, uma briófita, apresenta 
anterozoides 
(gameta masculino), que são flagelados e 
dependem do meio líquido para se mover até a 
oosfera (gameta feminino).
Duas espécies de plantas fanerógamas, X e Y, de porte 
semelhante, foram cultivadas em duas situações 
experimentais: 
I. independentemente − cada planta em um vaso; 
II. em conjunto − as duas plantas em um mesmo vaso.
Em ambas as situações, todas as demais condições 
ambientais foram mantidas idênticas. 
Ao final de algum tempo de cultivo, mediu-se o 
comprimento da parte aérea desses vegetais. Os 
resultados estão apresentados no gráfico 
a)Identifique a provável relação ecológica presente na 
situação experimental II e justifique a diferença de 
comprimento da parte aérea dos vegetais verificada 
nesta situação. 
b) Cite duas características exclusivas das 
fanerógamas e os dois principais grupos em que esses 
vegetais são divididos.
RESPOSTA: Competição interespecífica. Quando 
colocadas em um mesmo vaso, as duas espécies 
competem por nutrientes limitados, sendo que a 
espécie X é mais eficiente na captação desses recursos, 
conseguindo um melhor desenvolvimento de sua parte 
aérea. 
RESPOSTA: As fanerógamas apresentam sementes e órgãos 
reprodutivos evidentes. Os principais grupos são 
gimnospermas e angiospermas.
As plantas, assim como todos os demais seres vivos, possuem 
ancestrais aquáticos; dessa forma, sua história evolutiva 
encontra-se relacionada à ocupação progressiva do ambiente 
terrestre. Para que isso pudesse acontecer, algumas 
características foram selecionadas e dentre elas podemos 
destacar: 
I. sistema vascular; 
II. esporófito dominante; 
III. filoides; 
IV. esporófito não ramificado. 
São características próprias de pteridófitas e briófitas, 
respectivamente: 
a) I e II; III e IV. 
b) I e III; II e IV. 
c) II e IV; I e III. 
RESPOSTA: A 
d) III e IV; I e II.
(Ufal) 
Compare o esporófito de uma samambaia ao 
esporófito de um musgo. 
RESPOSTA: 
O esporófito de uma samambaia é uma planta verde, 
perene, vascular e capaz de produzir esporos por 
meiose. É constituído por raiz, caule do tipo rizoma e 
fronde. 
O esporófito de um musgo é a fase transitória, 
dependente de substâncias nutritivas do gametófito 
feminino, avascular e capaz de produzir esporos por 
meiose. É constituído por uma haste na extremidade 
da qual se localiza o esporângio.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1. apresentação do curso
1. apresentação do curso1. apresentação do curso
1. apresentação do curso
metazoario
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
Pedr457
 
Aula fungos 2018
Aula fungos 2018Aula fungos 2018
Aula fungos 2018
Andre Luiz Nascimento
 
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermasAula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Fatima Comiotto
 
Reprodução sexuada e assexuada
Reprodução sexuada e assexuadaReprodução sexuada e assexuada
Reprodução sexuada e assexuada
Jocimar Araujo
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
Killer Max
 
Gimnospermas e Angiospermas
Gimnospermas e AngiospermasGimnospermas e Angiospermas
Gimnospermas e Angiospermas
Elisa Margarita Orlandi
 
As Algas
As AlgasAs Algas
As Algas
thaysribeiro
 
Tipos de reprodução
Tipos de reproduçãoTipos de reprodução
Tipos de reprodução
URCA
 
Aula 11 fungos
Aula   11 fungosAula   11 fungos
Aula 11 fungos
Gildo Crispim
 
Reino protoctista
Reino protoctistaReino protoctista
Reino protoctista
Marcia Bantim
 
Aula 2° Ano EM - O reino dos vegetais (Reino Plantae)
Aula 2° Ano EM - O reino dos vegetais (Reino Plantae)Aula 2° Ano EM - O reino dos vegetais (Reino Plantae)
Aula 2° Ano EM - O reino dos vegetais (Reino Plantae)
Ronaldo Santana
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
profatatiana
 
Reino das plantas
Reino das plantasReino das plantas
Reino Plantae Power Point
Reino Plantae Power PointReino Plantae Power Point
Reino Plantae Power Point
infoeducp2
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
infoeducp2
 
7 ano classificação das plantas
7 ano classificação das plantas7 ano classificação das plantas
7 ano classificação das plantas
crisbassanimedeiros
 
Evolução biológica
Evolução biológicaEvolução biológica
Evolução biológica
César Milani
 
Anatomia vegetal
Anatomia vegetalAnatomia vegetal
Fungos
FungosFungos

Mais procurados (20)

1. apresentação do curso
1. apresentação do curso1. apresentação do curso
1. apresentação do curso
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
 
Aula fungos 2018
Aula fungos 2018Aula fungos 2018
Aula fungos 2018
 
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermasAula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
 
Reprodução sexuada e assexuada
Reprodução sexuada e assexuadaReprodução sexuada e assexuada
Reprodução sexuada e assexuada
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
 
Gimnospermas e Angiospermas
Gimnospermas e AngiospermasGimnospermas e Angiospermas
Gimnospermas e Angiospermas
 
As Algas
As AlgasAs Algas
As Algas
 
Tipos de reprodução
Tipos de reproduçãoTipos de reprodução
Tipos de reprodução
 
Aula 11 fungos
Aula   11 fungosAula   11 fungos
Aula 11 fungos
 
Reino protoctista
Reino protoctistaReino protoctista
Reino protoctista
 
Aula 2° Ano EM - O reino dos vegetais (Reino Plantae)
Aula 2° Ano EM - O reino dos vegetais (Reino Plantae)Aula 2° Ano EM - O reino dos vegetais (Reino Plantae)
Aula 2° Ano EM - O reino dos vegetais (Reino Plantae)
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
 
Reino das plantas
Reino das plantasReino das plantas
Reino das plantas
 
Reino Plantae Power Point
Reino Plantae Power PointReino Plantae Power Point
Reino Plantae Power Point
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
 
7 ano classificação das plantas
7 ano classificação das plantas7 ano classificação das plantas
7 ano classificação das plantas
 
Evolução biológica
Evolução biológicaEvolução biológica
Evolução biológica
 
Anatomia vegetal
Anatomia vegetalAnatomia vegetal
Anatomia vegetal
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 

Destaque

7º ano reino plantae 1
7º ano    reino plantae 17º ano    reino plantae 1
7º ano reino plantae 1
Simone Maia
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
Lucas Roberto
 
Reprodução vegetativa de plantas
Reprodução vegetativa de plantasReprodução vegetativa de plantas
Reprodução vegetativa de plantas
chiripito
 
Reprodução das plantas 6º
Reprodução das plantas 6ºReprodução das plantas 6º
Reprodução das plantas 6º
Alexandre Marques
 
reprodução das plantas.
reprodução das plantas.reprodução das plantas.
reprodução das plantas.
Alexandre Marques
 
Reproducao plantas
Reproducao   plantasReproducao   plantas
Reproducao plantas
Colégios particulares
 
Fanerógamas
FanerógamasFanerógamas
Fanerógamas
Bio Sem Limites
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Reprodução das plantas com flor
Reprodução das plantas com florReprodução das plantas com flor
Reprodução das plantas com flor
Sandra Soeiro
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e AngiospermasEvolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
Sergio Nascimento
 
Briofitas E Pteridofitas
Briofitas E PteridofitasBriofitas E Pteridofitas
Briofitas E Pteridofitas
Andrea Barreto
 
Ficha trab c.nat 6º reproducao plantas-com-flor
Ficha trab c.nat 6º reproducao plantas-com-florFicha trab c.nat 6º reproducao plantas-com-flor
Ficha trab c.nat 6º reproducao plantas-com-flor
marcommendes
 
Reprodução das plantas
Reprodução das plantasReprodução das plantas
Reprodução das plantas
Andrea Lemos
 
Técnicas de Propagação Vegetativa
Técnicas de Propagação Vegetativa Técnicas de Propagação Vegetativa
Técnicas de Propagação Vegetativa
Leandro A. Machado de Moura
 

Destaque (15)

7º ano reino plantae 1
7º ano    reino plantae 17º ano    reino plantae 1
7º ano reino plantae 1
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
 
Reprodução vegetativa de plantas
Reprodução vegetativa de plantasReprodução vegetativa de plantas
Reprodução vegetativa de plantas
 
Reprodução das plantas 6º
Reprodução das plantas 6ºReprodução das plantas 6º
Reprodução das plantas 6º
 
reprodução das plantas.
reprodução das plantas.reprodução das plantas.
reprodução das plantas.
 
Reproducao plantas
Reproducao   plantasReproducao   plantas
Reproducao plantas
 
Fanerógamas
FanerógamasFanerógamas
Fanerógamas
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Reprodução das plantas com flor
Reprodução das plantas com florReprodução das plantas com flor
Reprodução das plantas com flor
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
 
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e AngiospermasEvolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
 
Briofitas E Pteridofitas
Briofitas E PteridofitasBriofitas E Pteridofitas
Briofitas E Pteridofitas
 
Ficha trab c.nat 6º reproducao plantas-com-flor
Ficha trab c.nat 6º reproducao plantas-com-florFicha trab c.nat 6º reproducao plantas-com-flor
Ficha trab c.nat 6º reproducao plantas-com-flor
 
Reprodução das plantas
Reprodução das plantasReprodução das plantas
Reprodução das plantas
 
Técnicas de Propagação Vegetativa
Técnicas de Propagação Vegetativa Técnicas de Propagação Vegetativa
Técnicas de Propagação Vegetativa
 

Semelhante a Reprodução das plantas aula 4

Exercicios gimnospermas
Exercicios gimnospermasExercicios gimnospermas
Exercicios gimnospermas
Grupo UNIASSELVI
 
Briofitas
BriofitasBriofitas
Briofitas
URCA
 
Vegetais2007
Vegetais2007Vegetais2007
Vegetais2007
TANIA VINHOLI
 
Excelente material para ministra aulas sobre vegetais indico aos colegas.
Excelente material para ministra aulas sobre vegetais indico aos colegas.Excelente material para ministra aulas sobre vegetais indico aos colegas.
Excelente material para ministra aulas sobre vegetais indico aos colegas.
diasferraciolli
 
Classificação do reino plantae
Classificação do reino plantaeClassificação do reino plantae
Classificação do reino plantae
francisco sergio costa e souza
 
Classificacao e reproducao das plantas
Classificacao e reproducao das plantasClassificacao e reproducao das plantas
Classificacao e reproducao das plantas
biroskaa
 
Reino vegetal aprofundamento
Reino vegetal aprofundamentoReino vegetal aprofundamento
Reino vegetal aprofundamento
letyap
 
Reprodução das plantas
Reprodução das plantasReprodução das plantas
Reprodução das plantas
supertrabalhos4
 
9 ciclos de vida
9   ciclos de vida9   ciclos de vida
9 ciclos de vida
margaridabt
 
Lista de exercícios 1 - BIO 2º ano 2º bim 2017
Lista de exercícios 1 - BIO 2º ano 2º bim 2017Lista de exercícios 1 - BIO 2º ano 2º bim 2017
Lista de exercícios 1 - BIO 2º ano 2º bim 2017
James Martins
 
Grupos Vegetais
Grupos VegetaisGrupos Vegetais
Grupos Vegetais
ilk Sala4
 
(3) ciclos de vida
(3) ciclos de vida(3) ciclos de vida
(3) ciclos de vida
Hugo Martins
 
Mód i botânica
Mód i  botânicaMód i  botânica
Mód i botânica
IsabelVilela
 
2º estudo de ciências – 7º ano – maio
2º estudo de ciências – 7º ano – maio2º estudo de ciências – 7º ano – maio
2º estudo de ciências – 7º ano – maio
Luiza Collet
 
Reino vegetal
Reino vegetalReino vegetal
Reino vegetal
ISJ
 
reino plantae conceito, briofitas e pteridofitas.pdf
reino plantae conceito, briofitas e pteridofitas.pdfreino plantae conceito, briofitas e pteridofitas.pdf
reino plantae conceito, briofitas e pteridofitas.pdf
antoniojosdaschagas
 
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
MayaraOliveira228
 
BotâNicaquasecompleto
BotâNicaquasecompletoBotâNicaquasecompleto
7º ano cap 9 pteridófitas
7º ano cap 9   pteridófitas7º ano cap 9   pteridófitas
7º ano cap 9 pteridófitas
ISJ
 
Pteridófitas & briofitas
Pteridófitas &  briofitasPteridófitas &  briofitas
Pteridófitas & briofitas
Andrea Barreto
 

Semelhante a Reprodução das plantas aula 4 (20)

Exercicios gimnospermas
Exercicios gimnospermasExercicios gimnospermas
Exercicios gimnospermas
 
Briofitas
BriofitasBriofitas
Briofitas
 
Vegetais2007
Vegetais2007Vegetais2007
Vegetais2007
 
Excelente material para ministra aulas sobre vegetais indico aos colegas.
Excelente material para ministra aulas sobre vegetais indico aos colegas.Excelente material para ministra aulas sobre vegetais indico aos colegas.
Excelente material para ministra aulas sobre vegetais indico aos colegas.
 
Classificação do reino plantae
Classificação do reino plantaeClassificação do reino plantae
Classificação do reino plantae
 
Classificacao e reproducao das plantas
Classificacao e reproducao das plantasClassificacao e reproducao das plantas
Classificacao e reproducao das plantas
 
Reino vegetal aprofundamento
Reino vegetal aprofundamentoReino vegetal aprofundamento
Reino vegetal aprofundamento
 
Reprodução das plantas
Reprodução das plantasReprodução das plantas
Reprodução das plantas
 
9 ciclos de vida
9   ciclos de vida9   ciclos de vida
9 ciclos de vida
 
Lista de exercícios 1 - BIO 2º ano 2º bim 2017
Lista de exercícios 1 - BIO 2º ano 2º bim 2017Lista de exercícios 1 - BIO 2º ano 2º bim 2017
Lista de exercícios 1 - BIO 2º ano 2º bim 2017
 
Grupos Vegetais
Grupos VegetaisGrupos Vegetais
Grupos Vegetais
 
(3) ciclos de vida
(3) ciclos de vida(3) ciclos de vida
(3) ciclos de vida
 
Mód i botânica
Mód i  botânicaMód i  botânica
Mód i botânica
 
2º estudo de ciências – 7º ano – maio
2º estudo de ciências – 7º ano – maio2º estudo de ciências – 7º ano – maio
2º estudo de ciências – 7º ano – maio
 
Reino vegetal
Reino vegetalReino vegetal
Reino vegetal
 
reino plantae conceito, briofitas e pteridofitas.pdf
reino plantae conceito, briofitas e pteridofitas.pdfreino plantae conceito, briofitas e pteridofitas.pdf
reino plantae conceito, briofitas e pteridofitas.pdf
 
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
 
BotâNicaquasecompleto
BotâNicaquasecompletoBotâNicaquasecompleto
BotâNicaquasecompleto
 
7º ano cap 9 pteridófitas
7º ano cap 9   pteridófitas7º ano cap 9   pteridófitas
7º ano cap 9 pteridófitas
 
Pteridófitas & briofitas
Pteridófitas &  briofitasPteridófitas &  briofitas
Pteridófitas & briofitas
 

Mais de Professora Raquel

Tipos de ovos
Tipos de ovosTipos de ovos
Tipos de ovos
Professora Raquel
 
Alterações cromossomiais 2016
Alterações cromossomiais 2016Alterações cromossomiais 2016
Alterações cromossomiais 2016
Professora Raquel
 
Duplicação, transcrição e tradução
Duplicação, transcrição e traduçãoDuplicação, transcrição e tradução
Duplicação, transcrição e tradução
Professora Raquel
 
Cap 13
Cap 13Cap 13
Duplicação, transcrição e tradução
Duplicação, transcrição e traduçãoDuplicação, transcrição e tradução
Duplicação, transcrição e tradução
Professora Raquel
 
Cap 13
Cap 13Cap 13
Alterações cromossomiais 2016
Alterações cromossomiais 2016Alterações cromossomiais 2016
Alterações cromossomiais 2016
Professora Raquel
 
Núcleo cromatina e cromossomo
Núcleo cromatina e cromossomoNúcleo cromatina e cromossomo
Núcleo cromatina e cromossomo
Professora Raquel
 
Mitose e meiose
Mitose e meioseMitose e meiose
Mitose e meiose
Professora Raquel
 
Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidáriosPoríferos e cnidários
Poríferos e cnidários
Professora Raquel
 
Platyhelminthes e nematoda
Platyhelminthes e nematodaPlatyhelminthes e nematoda
Platyhelminthes e nematoda
Professora Raquel
 
Introdução ao reino animal
Introdução ao reino animalIntrodução ao reino animal
Introdução ao reino animal
Professora Raquel
 
Fotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossínteseFotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossíntese
Professora Raquel
 
Respiração celular e fermentação
Respiração celular e fermentaçãoRespiração celular e fermentação
Respiração celular e fermentação
Professora Raquel
 
Parte escrita metabolismo
Parte escrita metabolismoParte escrita metabolismo
Parte escrita metabolismo
Professora Raquel
 
Ferramentas do metabolismo
Ferramentas do metabolismoFerramentas do metabolismo
Ferramentas do metabolismo
Professora Raquel
 
Horta escolar eixo_gerador_dinamicas_comunitarias
Horta escolar eixo_gerador_dinamicas_comunitariasHorta escolar eixo_gerador_dinamicas_comunitarias
Horta escolar eixo_gerador_dinamicas_comunitarias
Professora Raquel
 
Educando horta escolas_gastronomia
Educando horta escolas_gastronomiaEducando horta escolas_gastronomia
Educando horta escolas_gastronomia
Professora Raquel
 
Capítulo 9
Capítulo 9Capítulo 9
Capítulo 9
Professora Raquel
 
Cap 8
Cap 8Cap 8

Mais de Professora Raquel (20)

Tipos de ovos
Tipos de ovosTipos de ovos
Tipos de ovos
 
Alterações cromossomiais 2016
Alterações cromossomiais 2016Alterações cromossomiais 2016
Alterações cromossomiais 2016
 
Duplicação, transcrição e tradução
Duplicação, transcrição e traduçãoDuplicação, transcrição e tradução
Duplicação, transcrição e tradução
 
Cap 13
Cap 13Cap 13
Cap 13
 
Duplicação, transcrição e tradução
Duplicação, transcrição e traduçãoDuplicação, transcrição e tradução
Duplicação, transcrição e tradução
 
Cap 13
Cap 13Cap 13
Cap 13
 
Alterações cromossomiais 2016
Alterações cromossomiais 2016Alterações cromossomiais 2016
Alterações cromossomiais 2016
 
Núcleo cromatina e cromossomo
Núcleo cromatina e cromossomoNúcleo cromatina e cromossomo
Núcleo cromatina e cromossomo
 
Mitose e meiose
Mitose e meioseMitose e meiose
Mitose e meiose
 
Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidáriosPoríferos e cnidários
Poríferos e cnidários
 
Platyhelminthes e nematoda
Platyhelminthes e nematodaPlatyhelminthes e nematoda
Platyhelminthes e nematoda
 
Introdução ao reino animal
Introdução ao reino animalIntrodução ao reino animal
Introdução ao reino animal
 
Fotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossínteseFotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossíntese
 
Respiração celular e fermentação
Respiração celular e fermentaçãoRespiração celular e fermentação
Respiração celular e fermentação
 
Parte escrita metabolismo
Parte escrita metabolismoParte escrita metabolismo
Parte escrita metabolismo
 
Ferramentas do metabolismo
Ferramentas do metabolismoFerramentas do metabolismo
Ferramentas do metabolismo
 
Horta escolar eixo_gerador_dinamicas_comunitarias
Horta escolar eixo_gerador_dinamicas_comunitariasHorta escolar eixo_gerador_dinamicas_comunitarias
Horta escolar eixo_gerador_dinamicas_comunitarias
 
Educando horta escolas_gastronomia
Educando horta escolas_gastronomiaEducando horta escolas_gastronomia
Educando horta escolas_gastronomia
 
Capítulo 9
Capítulo 9Capítulo 9
Capítulo 9
 
Cap 8
Cap 8Cap 8
Cap 8
 

Último

EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
sesiomzezao
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 

Último (20)

EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 

Reprodução das plantas aula 4

  • 4. Ciclo haplodiplobionte, metagênese ou alternância de gerações • Existem duas fases – dois tipos de indivíduos • Um é diploide 2n e outro é haploide n • Um é mais duradouro o outro temporário • Embrião gera esporófito • Esporo gera gametófito feminino ou masculino • Fase sexuada e outra assexuada
  • 6. Briófitas Anterídios (gametófíto) – anterozoides (arquegônios (gametófíto) -oosferas Fecundação – embrião - esporófito (2n) Esporófito (geração temporária) dependente do gametófito (geração duradoura)
  • 9. CICLO REPRODUTIVO DE UMA SAMAMBAIA Esporo origina prótalo (gametófito) – n e hermafrodita. O prótalo origina anterídios (que produzem anterozoides) e arquegônios (que produzem oosfera). O anterozoide flagelado nada até a oosfera, fecundando-a e formando o zigoto Zigoto se desenvolve no interior do arquegônio. O zigoto origina um esporófito (2n), que formará esporos haploides.
  • 10. ESPORÓFITO É A SAMAMBAIA Adaptação a vida terrestre – esporófito é dominante porque não precisa se água
  • 11. CICLO REPRODUTIVO DE UMA SAMAMBAIA
  • 12. GIMNOSPERMAS Gralha azul Araucária ou pinheiro do Paraná – dá o pinhão Resta apenas 2% de mata nativa
  • 13. GIMNOSPERMAS - FAUNA Gralha picaça Papagaio de peito roxo Papagaio - charão Tucano Ouriço
  • 14. CICLO REPRODUTIVO DE UM PINHEIRO - GIMNOSPERMA Óvulo e grão de pólen -gametófito Pinhão (n) temporário Pinheiro - esporófito 2n dominante
  • 15. CICLO REPRODUTIVO DE UM PINHEIRO - GIMNOSPERMA Gametófito se desenvolve no esporófito O grão de pólen entra em contato com o óvulo (gametófito feminino), surge o tubo polínico. O grão de pólen com tubo polínico é o gametófito masculino. O tubo polínico conduz a célula espermática até o interior do óvulo onde está a oosfera. Fecundação ocorre a formação do zigoto diploide. O zigoto origina o embrião O óvulo origina a semente A semente se desprende do estróbilo feminino e quando encontra condições adequadas, germina. O embrião se desenvolve numa nova planta (esporófito) reiniciando o ciclo.
  • 16. CICLO REPRODUTIVO DE UM PINHEIRO
  • 17. CICLO REPRODUTIVO DE UMA ANGIOSPERMA
  • 19. CICLO REPRODUTIVO DE UMA ANGIOSPERMA O tubo polínico cresce em direção ao óvulo. Um núcleo espermático funde-se ao núcleo da oosfera, formando o zigoto diploide que originará o embrião. outro núcleo espermático funde-se com os dois núcleos polares da célula central do óvulo, formando uma célula triploide, que originará o endosperma, responsável pela nutrição do embrião.
  • 20. ANGIOSPERMA: DUPLA FECUNDAÇÃO O Núcleo triploide dá origem ao ENDOSPERMA ou ALBÚMEN (material nutritivo do embrião) O desenvolvimento do embrião, do endosperma e das demais partes do óvulo forma a SEMENTE. Ocorrendo fecundação as paredes do ovário formam o PERICARPO FRUTO = SEMENTE + PERICARPO
  • 21. (UFF-RJ) eserva Biológica do Tinguá resguarda um dos mais significativos remanescentes da Mata Atlântica do Estado do Rio de Janeiro. O maciço é um ecossistema formado por diversos grupos de plantas, que proporciona refúgio a várias espécies animais. A tabela contém algumas características de plantas pertencentes às classes Gymnospermae e Angyospermae e às divisões Pteridophyta e Bryophyta. a) Identifique a que divisão ou classe pertencem as plantas A, B, C e D. b) A partir de uma análise evolutiva, indique a ordem temporal de aparecimento das plantas A, B, C e D no ambiente terrestre. c) Informe a principal diferença no grau de umidade no ambiente de reprodução sexuada das plantas A e B. Justifique.
  • 22. A − Bryophyta; B − Gymnospermae; C − Angyospermae; D − Pteridophyta. A, D, B e C, respectivamente. A umidade precisa ser maior na planta A do que na B; a planta A, uma briófita, apresenta anterozoides (gameta masculino), que são flagelados e dependem do meio líquido para se mover até a oosfera (gameta feminino).
  • 23. Duas espécies de plantas fanerógamas, X e Y, de porte semelhante, foram cultivadas em duas situações experimentais: I. independentemente − cada planta em um vaso; II. em conjunto − as duas plantas em um mesmo vaso.
  • 24. Em ambas as situações, todas as demais condições ambientais foram mantidas idênticas. Ao final de algum tempo de cultivo, mediu-se o comprimento da parte aérea desses vegetais. Os resultados estão apresentados no gráfico a)Identifique a provável relação ecológica presente na situação experimental II e justifique a diferença de comprimento da parte aérea dos vegetais verificada nesta situação. b) Cite duas características exclusivas das fanerógamas e os dois principais grupos em que esses vegetais são divididos.
  • 25. RESPOSTA: Competição interespecífica. Quando colocadas em um mesmo vaso, as duas espécies competem por nutrientes limitados, sendo que a espécie X é mais eficiente na captação desses recursos, conseguindo um melhor desenvolvimento de sua parte aérea. RESPOSTA: As fanerógamas apresentam sementes e órgãos reprodutivos evidentes. Os principais grupos são gimnospermas e angiospermas.
  • 26. As plantas, assim como todos os demais seres vivos, possuem ancestrais aquáticos; dessa forma, sua história evolutiva encontra-se relacionada à ocupação progressiva do ambiente terrestre. Para que isso pudesse acontecer, algumas características foram selecionadas e dentre elas podemos destacar: I. sistema vascular; II. esporófito dominante; III. filoides; IV. esporófito não ramificado. São características próprias de pteridófitas e briófitas, respectivamente: a) I e II; III e IV. b) I e III; II e IV. c) II e IV; I e III. RESPOSTA: A d) III e IV; I e II.
  • 27. (Ufal) Compare o esporófito de uma samambaia ao esporófito de um musgo. RESPOSTA: O esporófito de uma samambaia é uma planta verde, perene, vascular e capaz de produzir esporos por meiose. É constituído por raiz, caule do tipo rizoma e fronde. O esporófito de um musgo é a fase transitória, dependente de substâncias nutritivas do gametófito feminino, avascular e capaz de produzir esporos por meiose. É constituído por uma haste na extremidade da qual se localiza o esporângio.

Notas do Editor

  1. 21
  2. 22
  3. 23
  4. 25
  5. 26
  6. 27