SlideShare uma empresa Scribd logo
0
Diagnóstico
Digital
Novembro/2011
1
ÍNDICE
INTRODUÇÃO ........................................................................................................................ 3
WEBCENÁRIO ........................................................................................................................ 5
 Consumidores das Classes ABC ............................................................................................. 15
 Decoração, decoradores e cortinas na Web ......................................................................... 20
 Cortinas nas conversas das Redes Sociais ............................................................................. 27
 Decoração Online .................................................................................................................. 55
 Conclusão .............................................................................................................................. 60
ANATEX NA WEB .................................................................................................................. 62
 Anatex nas Redes Sociais ...................................................................................................... 77
 Anatex nas conversas das Redes Sociais .............................................................................. 82
 Conclusão ............................................................................................................................. 84
ANÁLISE DO SITE INSTITUCIONAL .............................................................................................. 85
 Análise de SEO ...................................................................................................................... 89
 Análise de Usabilidade ........................................................................................................ 98
 Conclusão ........................................................................................................................... 104
ANÁLISE DE CONCORRENTES .................................................................................................. 105
 Bella Janela ......................................................................................................................... 107
 Branyl .................................................................................................................................. 122
 Nella Cortinas ..................................................................................................................... 124
 Corttex ................................................................................................................................ 125
 Fatex ................................................................................................................................... 126
 Luxaflex ............................................................................................................................... 127
 BlindLux .............................................................................................................................. 130
 Criativa Persianas e Cortinas .............................................................................................. 133
 Dohler ................................................................................................................................. 146
 Altenburg ............................................................................................................................ 159
 Belchior Cortinas …………………………………………………………………………………............................ 171
 ByFloor ………..................................................................................................…………………… 183
 Conclusão …….............................................................................................................………. 187
CONCLUSÕES GERAIS …........................................................................................................ 188
2
Introdução
3
INTRODUÇÃO
O Diagnóstico, etapa anterior ao desenvolvimento da estratégia de Comunicação Digital, é a base
de todo o trabalho que virá a seguir. Ele serve para se entender o universo que será trabalhado
além de nortear as ações que serão realizadas no ambiente digital. Nesta fase, a ideia é analisar a
percepção externa da marca no universo online pelos usuários.
Para realizar este Diagnóstico foi feita uma leitura prévia do material impresso fornecido pela
Anatex e do Planejamento de Marketing da empresa. Além de leitura de informações e conteúdos
disponíveis no site institucional.
 Recomenda-se uma revisão destes materiais em relação ao texto que apresentam alguns
erros de gramática. Alguns trechos também podem ser reescritos para melhor compreensão
do leitor.
Além do material institucional, foram estudadas várias edições de diferentes revistas, websites
sobre decoração e referências internacionais indicadas pela Anatex como:
 Arquitetura&Construção – Editora Abril
 Casa & Decoração – On line Editora
 Casa Claudia – Editora Abril
 Casa Vogue – Carta editorial
 Casa, projetos &estilo – editora Principis Editora
 Decorar mais por menos – editora Escala
 Decore sua casa – On line Editora
 KAZA – Ação editora
 Mas pratica (Micasa) - editora Hachette (Espanha)
 Micasa – editora Hachette (Espanha)
 Projetos para Salas – On line Editora
 Vestir a casa (Casa Claudia) – Editora Abril
 ViverBem – Editora Preta
 Apelt - www.apelt.com
 Curtain 4U - www.curtain4u.co.uk
 InnerCity - www.innercityhomeproducts.com.au
 Moltex - www.moltex.se
 Mostyns - www.mostynscurtains.co.uk/curtains
 Oka - www.okadirect.com
 Vosberg - www.vosberg.com
A partir desse entendimento, foi realizado o que chamamos Webcenário. Nesta análise procura-se
avaliar o atual estágio da Web e das Redes Sociais no Brasil e sua adesão pelo público-alvo.
Procurou-se, então, entender, a partir de pesquisa e da utilização de ferramentas online, o volume
e a abordagem dos assuntos relativos ao universo da Anatex.
4
Em seguida, foi analisada a presença digital da Anatex e a atuação nas redes sociais de algumas
concorrentes e empresas do setor, por meio de pesquisa e de monitoramento. Além de entender
como a Anatex aparece em ambiente online e nas conversas de redes sociais, a ideia era avaliar
como outras empresas estão se posicionando nestas plataformas sociais.
ainda que não fizesse parte do escopo inicial, o site institucional da Anatex também foi analisado
por um especialista em SEO e outro especialista em Usabilidade. O objetivo é entender a
encontrabilidade e a navegabilidade do site para o público-alvo.
Embora este documento seja focado no Diagnóstico, foi levantada uma série de sugestões ao longo
das análises que serão consideradas na fase de elaboração da Estratégia para Comunicação Digital,
desenvolvida em seguida. Estas recomendações serão encontradas ao longo do documento pela
marcação em itálico:
Ao longo do documento, foram destacadas também ações interessantes que podem inspirar as que
serão realizadas pela Anatex. Este levantamento fará parte do Benchmarking completo que será
usado na fase de elaboração da estratégia da Comunicação Digital.
Paralelamente a este trabalho de Diagnóstico, também foi realizado um Mapeamento de blogs e de
sites especializados, além de levantamento de influenciadores de redes sociais, para as ações de
RP2.0.
Boa leitura!
Equipe Aeroplano Digital
Rio de Janeiro, 18 de novembro de 2011.
5
Webcenário
6
WEBCENÁRIO
“As empresas não escolhem estar nas redes sociais. As pessoas
já as colocaram lá” - Marcelo Coutinho1
"A internet se incorpora a tudo e muda uma série de relações que
são construídas através das plataformas de comunicação" -
Marcelo Coutinho
O acesso à internet em qualquer ambiente (domicílios, trabalho, escolas, lan houses ou outros
locais) atingiu 77,8 milhões de pessoas no segundo trimestre de 2011, segundo o IBOPE Nielsen
Online. Esse número é 5,5% superior ao do segundo trimestre de 2010 e 20% maior que o do
segundo trimestre de 2009. Segundo estimativa recente da IAB - Interactive Advertising Bureau, a
web deve reunir mais de 85 milhões brasileiros com 16 anos ou mais em 2011.
Ainda de acordo com o IBOPE, a subcategoria Comunidades, em que se classificam os sites de redes
sociais, fóruns, blogs, microblogs e outras páginas de relacionamento, chegou a 39,3 milhões de
pessoas, equivalente a um alcance de 87% dos internautas brasileiros de agosto. Esse alcance
posiciona os sites sociais como a terceira subcategoria em número de usuários e mantém o Brasil
com o maior alcance em sites de comunidades entre os dez países acompanhados com a mesma
metodologia.
Em agosto, o Facebook atingiu 30,9 milhões de usuários únicos, ou 68,2% dos internautas no
trabalho e em domicílios, equiparando-se ao Orkut, o maior site social no Brasil, até então, que
registrou alcance de 64%, ou 29 milhões de usuários. O Twitter também manteve tendência de
crescimento no Brasil e em agosto marcou 14,2 milhões de usuários únicos, ou 31,3%.
1
Marcelo Coutinho é doutor (2002) e mestre (1996) em Sociologia pela Universidade de São Paulo, com graduação em Comunicação
Social pela mesma universidade (1987) e graduação em Administração pela Fundação Getúlio Vargas (1986). Foi pesquisador
visitante no Grupo Internacional de Tecnologia da Harvard University (EUA). Atualmente é Diretor de Inteligência de Mercado para
América Latina do Terra Networks e professor de pós graduação na Fundação Getulio Vargas. Ocupou diversos cargos executivos no
Grupo IBOPE, Zoom Media Group (EUA) e Grupo O Estado de S. Paulo. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em
Relações Públicas e Propaganda, atuando principalmente nos seguintes temas: Internet, Economia da Mídia, eleições e globalização.
7
Com esses resultados, o Brasil se consolida como um mercado com elevada utilização de sites
sociais, com uso diversificado, refletindo o interesse dos brasileiros pela internet. O expressivo
engajamento dos internautas brasileiros pelos sites sociais, como mostra a ferramenta de
monitoramento de discussões online, BuzzMetrics (do IBOPE), inclui menções a produtos, serviços
ou marcas, proporcionando uma considerável oportunidade de relacionamento com
consumidores. Em agosto, em média, cada usuário brasileiro de redes sociais conectou-se a esses
sites por um tempo de 7 horas e 14 minutos.
Classes Sociais - As classes A e B obtiveram significativa ascensão nos últimos anos, com mais de
3 milhões de novos integrantes. Juntas, elas representam 32% da população, mas absorvem acima
de 55% do consumo do País, em todos os grupos de produtos, exceto alimentação.
As projeções feitas pelo Pyxis, ferramenta desenvolvida pelo IBOPE Inteligência que dimensiona o
mercado de consumo, mostram que o brasileiro gastará mais com alimentação (R$ 226,7 bilhões),
com eletrodomésticos (R$ 94,3 bilhões) e com vestuário (R$ 81,4 bilhões). Esta mobilidade social
tem chamado a atenção de diversos setores da economia, entre eles o varejo.
Outro estudo apontou que 40% dos consumidores A e B são mais atentos às marcas, pois a taxa de
consumo mais elevada nas classes A e B apresenta uma forte ligação com o status que as
grandes marcas conferem a quem as consome. Os consumidores A e B procuram entender melhor
o trabalho das marcas nas redes sociais: os de maior poder aquisitivo seguem as marcas por
gostarem e identificarem-se com ela, ao contrário da classe média e as demais que buscam
descontos. Os consumidores classe A buscam novidades nas redes, conteúdo, informações, e
depois os descontos.
A preferência dos internautas pelas principais redes sociais da atualidade – Orkut e Facebook – é
apontada por especialistas, do ponto de vista sócio-econômico, como um divisor de classes. O
Orkut, considerado a primeira rede social a desembarcar no Brasil, é tido como uma porta de
entrada para novos internautas brasileiros – e, por isso, atrai usuários da emergente classe C.
Já o Facebook, rede com alcance internacional e composta por recursos sofisticados, tem se
consolidado como a favorita dos brasileiros das classes A e B. Muitos usuários antigos do Orkut
cometem o “orkuticídio” (cancelamento ou abandono de conta) e migram para o Facebook. É
importante lembrar que um estudo feito pela empresa Qualibest mostra que 91% dos usuários
brasileiros mantêm perfil no Orkut. A mesma pesquisa também aponta que a adesão ao Facebook
é maior entre os ricos (78%), enquanto que o Orkut tem 66% da preferência da classe C.
Profissionais nas Redes Sociais - Diferente do que se acreditava, as redes sociais não atraem
apenas internautas comuns. Pesquisa recente da PRNewswire aponta, por exemplo, que 79,7% dos
jornalistas entrevistados usam redes sociais para entrar em contato com suas fontes. A pesquisa
destaca ainda que 83,3% destes jornalistas admitiram usar assuntos nascidos em redes sociais para
pautarem veículos. Outra pesquisa com jornalistas, realizada pela Cision US Survey, em 2010,
aponta que 90% destes profissionais usam blogs, 65% redes sociais, sendo 52% especificamente
Twitter.
8
Os executivos também estão nas redes sociais. Uma pesquisa realizada entre os membros do grupo
internacional de executivos Vistage mostra que 41% dos empresários brasileiros que mantém ao
menos um perfil nas redes sociais está no Facebook. Os dados, divulgados em maio deste ano,
mostra ainda como segundo colocado entre os líderes a rede profissional LinkedIn, que conta com a
adesão de 21% do empresariado brasileiro. Orkut, terceiro colocado, tem conta de 17% dos líderes,
o Twitter soma 10% e blogs e outras redes têm 3% das contas.
Decoradores e designers de interiores – Segundo o publicitário paulistano, Ricardo Botelho, o
Brasil tem hoje cerca de 70 mil profissionais com atuação regular no mercado de decoração. Juntos,
movimentam algo como R$ 60 bilhões anuais em produtos e serviços. Não há dados disponíveis
sobre o número de profissionais da área de decoração e design de interiores presentes nas redes
sociais. Porém, estes profissionais são facilmente identificados nestes ambientes.
De acordo com texto publicado pelo Shopping Minascasa, o aumento do poder aquisitivo das
classes B e C impulsiona o setor de decoração. “Antes, a procura por esse tipo de serviço estava
mais restrito à classe A. Hoje, a demanda se expandiu para outras classes também, nem que seja
para fazer o projeto de apenas um ambiente”, explica a decoradora parceira do Shopping
Minascasa, Sheila Mundin.
O espaço para a atuação de decoradores dentro das lojas é outra tendência que vem crescendo. No
Shopping Minascasa, a grande maioria das lojas já possui serviço de profissionais da área, que
auxiliam o cliente e orientam as compras. “A consultoria de profissionais é benéfica para todas as
partes. As lojas ganham em atendimento e conquistam o cliente, ajudando-o a encontrar
exatamente o que precisa. Os clientes poupam tempo e contam com auxílio qualificado. Já os
decoradores encontram outro espaço para atuação, além de ampliar a cartela de clientes”, afirma o
superintendente do Shopping Minascasa, Alexandre Botelho.
Além disso, a correria do dia a dia e o crescimento do acesso à internet favorecem o surgimento de
outro tipo de serviço, o de consultoria de decoradores online. O Minascasa possui, desde 2008, um
serviço do tipo em seu site, que permite tirar dúvidas em até 72 horas. A iniciativa tem trazido
resultados positivos e, somente no primeiro trimestre de 2011, foram realizados 80 atendimentos
por meio do serviço. Para Alexandre Botelho, o serviço é ideal para quem possui dúvidas pontuais
sobre decoração. “Na hora de comprar artigos decorativos para a casa, muitas pessoas não sabem
9
qual cor combina mais com o tapete, sofá, mesa ou com as paredes. Para isso, é só mandar a
pergunta para o Decorador On-line, que a resposta será dada o mais rapidamente possível”, diz.
De olho na presença deste profissionais nas redes sociais, a Editora Abril desenvolveu a plataforma
de rede social CasaPro que, segundo dados2
divulgados em julho deste ano pela empresa, conta
com a participação de cerca de 10 mil profissionais da área de decoração. Já a comunidade Casa
Claudia, também da editora Abril e voltado para consumidor final, conta com cerca de 12 mil
cadastrados; e a comunidade da revista Minha Casa, também do grupo, mais de 20 mil cadastrados.
Todas estas comunidades são parte do portal casa.com.br, com audiência de 2,5 milhões de
visitantes únicos (maio de 2011), sendo 82% de mulheres entre 20 e 49 anos, 59% da classe B e 31%
da classe A. O portal conta ainda com cursos online que, somente em 2010, tiveram 52.000
internautas inscritos.
De olho na presença deste profissionais nas redes sociais, a Editora Abril desenvolveu em 2009 a
plataforma de rede social CasaPro (http://pro.casa.abril.com.br/) que, segundo dados3
divulgados
em julho deste ano pela empresa, conta com a participação de cerca de 10 mil profissionais da área
de decoração. A comunidade também conta com um perfil no Twitter com quase 4 mil seguidores.
Na comunidade, além Segundo matéria publicada no site do Meio&Mensagem4
, "o portal CasaPro,
por sua vez, surgiu da necessidade do núcleo de se aproximar da comunidade de arquitetos,
engenheiros, designers e decoradores, bem como da percepção de que esses profissionais
precisavam ter um espaço próprio (...) Além dos espaços publicitários tradicionais, o CasaPro
oferece aos anunciantes a oportunidade de ter canais customizados".
2
http://www.publiabril.com.br/upload/files/0000/0606/MIDIA_KIT_CASA_COM_BR_FINAL.pdf
3
http://www.publiabril.com.br/upload/files/0000/0606/MIDIA_KIT_CASA_COM_BR_FINAL.pdf
4
http://grupomm.mmonline.com.br/noticias.mm?url=Novidades_na_casa_da_Abril
10
 Pode se interessante a Anatex avaliar a possibilidade de manter um canal customizado na
plataforma ou mesmo publicar anúncios.
11
É interessante notar que, além de ser um espaço de relacionamento entre os profissionais, também
é uma plataforma que permite que a Editora Abril se aproxime deste público. Profissionais
cadastrados nesta rede social, por exemplo, são convidados para ações exclusivas e participação
em eventos:
E os participantes repercutem as ações realizadas, especialmente em seus blogs particulares:
http://designdemaquetes.blogspot.com/2010/04/e-o-oscar-vai-para.html
12
Já a comunidade Casa Claudia, também da Editora Abril e voltado para consumidor final, conta com
cerca de 12 mil cadastrados; e a comunidade da revista Minha Casa, também do grupo, mais de 20
mil cadastrados. Todas estas comunidades são parte do portal casa.com.br, com audiência de 2,5
milhões de visitantes únicos (maio de 2011), sendo 82% de mulheres entre 20 e 49 anos, 59% da
classe B e 31% da classe A. O portal conta ainda com cursos online que, somente em 2010, tiveram
52.000 internautas inscritos.
Redes Sociais para empresas - Empresas de diferentes áreas já perceberam que as redes
sociais podem ser ótimos canais de relacionamento com seus stakeholders uma vez que os mesmos
já estão presentes nestes ambientes.
Para se ter uma ideia, dados de uma pesquisa realizada pelo Altimer Group e Wetpaint para a
revista Business Week com as 100 empresas mais valiosas ao redor do globo mostraram que os
empreendimentos que investem em mídias sociais apresentam melhores resultados e receitas
finais mais recheadas. Em média, empresas que investiram em mídias sociais cresceram 18% em
um ano, enquanto aquelas que investiram pouco nas redes tiveram queda de 6%, em média, em
suas receitas no mesmo período.
Um estudo divulgado pela Burston- Marsteller mostrou que 63% das empresas no Brasil estão
presentes em pelo menos uma rede social. Na época, a maior participação era no Twitter, que
contava com a presença de 53% das empresas que usam as redes sociais.
Hoje, a atuação no Facebook tem aumentado cada vez mais, embora, estudo5
da Accenture indica
que uma grande parcela dos varejistas e sites do tipo ainda não explora por completo essa
oportunidade dada pelas redes sociais. Segundo a consultoria, empresas que possuem marketing
digital em redes sociais podem se beneficiar quando o usuário clica no link da marca e visita a
página oficial da companhia, além de desenvolverem campanhas para atingir um número maior de
pessoas.
Empresas das mais diferentes áreas já garantem sua presença redes sociais como as construtoras
Rossi6
, Gafisa, Tecnisa, entre várias outras. Todas elas admitem que as plataformas são
fundamentais nas ações de relacionamento com seus públicos além de fortalecer a marca no
ambiente digital. “Primeiro utilizávamos o correio tradicional, com o envio de cartas e telegramas.
Depois migramos para o e-mail com fotos anexadas. Hoje continuamos utilizando o e-mail, só que
com o envio de link para o acesso às fotos no Flickr, além, claro, da ampla divulgação nas redes
sociais”, contou o diretor da Marques Construtora, Vitor Marques em entrevista ao portal da
Revista Exame7
.
Redes Sociais e decisão de compra - Uma pesquisa realizada pelo IBOPE Mídia, e divulgada em
novembro de 2010, apontou que pelo menos um quarto (25%) dos internautas brasileiros admitem
5
http://colunistas.ig.com.br/guilhermebarros/2010/10/20/redes-sociais-vao-transformar-marketing-online-preve-
consultoria/
6
http://colunistas.ig.com.br/guilhermebarros/2011/10/06/rossi-e-lider-de-seguidores-em-redes-sociais-entre-
construtoras/
7
http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/status-do-imovel-dia-a-dia-da-obra-nas-redes-sociais
13
ser influenciados por redes sociais como Twitter e Facebook na hora de comprar. O estudo
envolveu 8.561 entrevistados em onze metrópoles do País.
De acordo com o documento, os internautas do Rio de Janeiro são aqueles que mais levam em
conta o fator redes sociais em suas decisões de compras, com 33% dos entrevistados dizendo-se
influenciados pelas plataformas. O relatório indica ainda que 20% dos participantes compraram
um telefone ou mudaram o seu plano para facilitar o acesso às redes. Ainda que não tenham
apontado um percentual, a maior parte dos participantes se diz favorável às ações publicitárias nas
redes.
A pesquisa mostrou ainda que os internautas nacionais têm um alto nível de interação com as redes
sociais: 96% deles lêem, assistem e ouvem conteúdos nelas; já 83% compartilham informações e
44% avaliam os dados. Cerca de 33% publicam, mantêm e criam conteúdos e apenas 10% editam,
moderam e influenciam nas redes.
Pesquisa mais recente, divulgada em junho deste ano, aponta que 56% dos usuários de internet do
Brasil usam as redes sociais para adquirir produtos e serviços na internet. O estudo, realizado pela
Oh! Panel e encomendada pelo Mercado Livre, mostra ainda que cerca de seis em cada dez dos
usuários de internet do país realizam pesquisas nas redes sociais antes de comprar produtos e
serviços. Por fim, 72,8% dos entrevistados disseram confiar mais na recomendação dos amigos em
redes como Facebook, Twitter e Orkut do que na análise de um especialista.
14
A pesquisa mostrou ainda que mais de 40% dos brasileiros entrevistados acompanham a atuação
de suas marcas favoritas nas redes. Eles apresentam duas razões para isso: conhecer novos
produtos (81%) e encontrar novas ofertas (75,6%).
Segundo estudo da Sophia Mind - núcleo de pesquisa do portal BolsadeMulher.com.br, voltado ao
público feminino -, entre outubro de 2009 e janeiro de 2010, 67% das usuárias buscaram
informações na rede sobre produtos ou serviços. A pesquisa mostrou ainda que 60% das mulheres
comentaram suas experiências de consumo nas redes sociais, sendo elas positivas ou negativas.
Mais da metade das entrevistadas já compraram algum produto baseado em indicações que
tiveram em redes sociais, sendo que 21% delas confiam em comentários de pessoas conhecidas e
33% compram independentemente da pessoa que indica o produto.
15
CONSUMIDORES DA CLASSE ABC
Segundo recente levantamento do IBOPE, as classes A e B juntas representam 32% da população,
mas, mesmo com a ascensão da classe C, ambas absorvem acima de 55% do consumo do País, em
todos os grupos de produtos, exceto alimentação. O estudo foi feito através do Pyxis, software que
mostra o potencial de consumo por grupos de produtos e por classes sociais em todos os
municípios brasileiros.
Vale destacar que, segundo pesquisas, de acordo com informações publicadas no jornal Estado de
Minas, em outubro de 2010, os brasileiros da nova classe média brasileira, a popular classe C, com
rendimento familiar entre R$ 1.126 e R$ 4.854, estão pouco a pouco melhorando de vida,
aumentando os seus rendimentos e virando classe B, que tem renda mensal entre R$ 4.854 e R$
6.329.
Segundo estudos da Fundação Getulio Vargas (FGV) e da Ativa Corretora, os brasileiros da nova
classe média brasileira, a popular classe C, com rendimento familiar entre R$ 1.126 e R$ 4.854,
estão pouco a pouco melhorando de vida, aumentando os seus rendimentos e virando classe B, que
tem renda mensal entre R$ 4.854 e R$ 6.329. Entre 2008 e 2009, segundo levantamento do Centro
de Políticas Sociais da FGV, 443 mil pessoas saíram da classe C para a B. Levando em conta os seis
anos entre 2003 e 2009, ingressaram na classe B um batalhão de 3,4 milhões de cidadãos. A
escalada social empurra a demanda por serviços mais sofisticados, aos quais essa parcela da
população tinha acesso limitado até então.
Nos próximos anos, segundo o relatório da Ativa, empresas que estejam migrando parte do seu mix
de produtos para o padrão de consumo da classe B devem ser beneficiadas. Em 2011, as classes A e
B serão responsáveis por quase 53% do consumo total do país, embora não representem nem 20%
da população.
O novo perfil da classe B, de acordo com matéria divulgada pela DCI – Diário de Comércio e
Indústria - em outubro de 2010, é formado por pessoas que se casam mais tarde, não têm filhos, e
são o que os americanos chamam de dink (dupla renda sem filhos). Segundo a Pesquisa de
Orçamento familiar do IBGE de 2003 a 2009 eles aumentaram a participação de 7% em 2003 para
10% no ano passado. Estes homens e mulheres de classe média ou média alta têm maiores rendas
individuais e podem gastar mais com suas casas (reformas e decoração, nos jardins, na cozinha, nos
banheiros e quartos e nas diversas utilidades das salas: salas de estar, jantar, de TV, meditação e
leitura).
Consumo de itens de decoração - Em estudo realizado pelo IBOPE Inteligência, por meio da
ferramenta de dimensionamento de mercado Pyxis – divulgado em setembro de 2010 -, a cidade de
São Paulo foi apontada como o principal mercado de itens para casa no Brasil.
A capital paulista detém 11% do total de móveis, artigos para decoração, utensílios domésticos e
cama, mesa e banho consumidos no país, seguida por Rio de Janeiro (5,5%), Salvador (2,5%), Belo
Horizonte (2,3%) e Curitiba (2%).
O paulistano gasta em média R$406 por ano com essa categoria de produto, quase o drobro da
média nacional (R$ 236). O gasto médio no Estado de São Paulo, que responde por 30% do
16
consumo brasileiro, é de R$ 288. O estudo revela ainda que esse mercado movimenta R$ 37,7
bilhões anualmente em todo o Brasil. As classes B e C são responsáveis por 74% dos gastos – a
classe B é responsável pela maior fatia, com 42% do total –,enquanto a classe A responde por 19%
e a DE, por 7%.
Segundo Antônio Carlos Ruótolo, diretor de geonegócios do IBOPE Inteligência, os produtos
relacionados à casa, construção, reforma e decoração tem crescido na prioridade dos
consumidores.
Todo este movimento das classes B e C tem feito algumas empresas se reposicionarem. Mario
Sette, diretor comercial da Coteminas S.A, explicou, em matéria para o site Textilia8
que a
revitalização das marcas Artex e Santista resultou de um profundo trabalho de pesquisa junto ao
mercado nacional. “Em 2007, após esta sondagem, detectamos mudanças significativas no
comportamento do consumidor. Os segmentos B e C cresceram enquanto o A permaneceu estável.
Houve uma transformação no poder de compra da nova classe média brasileira, que migrou da
faixa D para a C. Além disso, a estrutura familiar também mudou, as pessoas estão se casando mais
tarde, entre os 28 e 35 anos, quando já estão razoavelmente estabilizadas. Outro fator importante:
muitos lares estão sendo chefiados por mulheres que, naturalmente, tendem a se preocupar mais
com a casa”.
Mulheres - pesquisa realizada em 2009 pela Oceano Azul Social Research com mulheres de classe
AB entre 21 e 41 anos de Florianópolis (SC), aponta elas são responsáveis por até 80% das compras
da casa. Dão importância para o conforto do lar, gostam de ambientes organizados, leves,
modernos e clean, valorizam o design e entendem que tapetes, almofadas e cortinas "vestem" o
ambiente. Dão preferência para produtos com qualidade, com alta durabilidade e citam as marcas:
Döhler, Buettner, Teka, Artex, Altemburg, Buddmeyer, Havan, Flamingo, MMartan e Trussard.
8
http://www.textilia.net/materias/ler/decoracao-textil-e-lar/atualidades/texteis_lar_ao_gosto_do_cliente
17
A pesquisa destaca ainda dados da Pesquisa Nacional de Demografia em Saúde (PNDS), divulgada
recentemente pelo Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), que mostram um
aumento em 15% da mulher no mercado de trabalho e como empreendedoras: 38% das micro e
pequenas empresas nacionais são comandadas por mulheres.
Outra pesquisa do IBOPE, também de 2009, revela que estas mulheres de classe AB somam 40% da
população ativa, sendo que 56% são de alunas universitárias. Pelo menos 19% destas mulheres de
classe AB (Cerca de 1,7 milhões) são independentes, sofisticadas, gostam de experimentar coisas
novas, viciadas em informação.
Em 2007, a empresa Rohde&Carvalho Diagnóstico e Pesquisa, com o apoio da Uffizi Consultoria em
Comunicação e Lojas Renner, realizou um levantamento sobre o comportamento feminino nas sete
principais capitais brasileiras. O levantamento ouviu 2.120 mulheres residentes em São Paulo, Rio
de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Salvador e Recife. Deste total, 36% pertenciam à
Classe C, 35% à Classe B e 29% à Classe A. A metade do público pesquisado era casada ou tinha
namorado.
A pesquisa apontou ainda que apesar de 76% das mulheres trabalharem fora, apenas 46% têm
carteira assinada e 24% são autônomas ou profissionais liberais. Um grande número de mulheres é
responsável por parte do orçamento familiar (73%). Estão envolvidas com o seu trabalho na maior
parte do tempo (72%), e são independentes financeiramente (71%).
Há uma preferência pelo consumo de alimentos prontos ou congelados (68%) e com baixo teor de
gordura (56%). Serviços como vídeo locadoras (66%) e entregas por telefone (47%) estão entre
aqueles que mais são usados pelo sexo feminino. Para estas mulheres, ter família completa ainda é
muito importante (89%), e reunir amigos e ir ao shopping (ambos com 69%) são os programas
preferidos.
Segundo pesquisa “As poderosas da nova classe média brasileira” - divulgada em setembro deste
ano e realizada pelo Instituto Data Popular em parceria com a Abril Mídia - 62% têm interesse em
decoração e 80% tem prazer de receber pessoas em casa (a decoração é símbolo de status).
Pesquisa realizada pela Editora Abril em parceria com o IBOPE, divulgada em maio deste ano,
aponta que 81% das mulheres da classe C investiriam para ter uma casa mais aconchegante e
bonita e 50% delas consideram as cortinas fundamentais para deixar a casa mais bela.
Solteiros - Matéria publicada em outubro deste ano no jornal O Diário, de Londrina (PR), aponta
que, no Brasil, os solteiros são responsáveis pela circulação de R$ 419 bilhões anualmente. Com
dinheiro no bolso, eles investem cada vez mais na decoração do imóvel, sobretudo com a intenção
de otimizar o espaço, bem como de promover a sensação de amplitude.
Os solteiros, segundo a matéria, destinavam seus salários para viagens, entretenimento e
tecnologia. Ainda destinam, mas agora as classes A e B de solteiros também investem na área de
arquitetura e design de interiores. O grupo corresponde a 47,1 milhões de pessoas – conforme
dados do Data Popular.
Conforto, sustentabilidade e pessoalidade são algumas das características exigidas por esse público,
como explica o arquiteto e designer de interiores Glaucio Gonçalves em entrevista ao Portal
18
Obra24Horas, em outubro deste ano. A matéria completa ainda que, com bons salários e poucas
despesas, esse grupo destinava grandes quantias em viagens, entretenimento e tecnologia. Hoje,
no entanto, ele vê a contratação de arquitetos e designers de interiores como investimento e
procura nos profissionais uma forma de imprimir sua personalidade ao imóvel que habita.
Classe C – por outro lado, a Classe C tem investido em decoração. Segundo matéria apresentada
no Jornal da Record, no canal Record News (http://www.youtube.com/watch?v=tBRaFMUnfEk),
dados da Associação de Designers de Interiores apontam um crescimento de 500% nos no setor de
decoração nos últimos em todo país. Com o aumento da renda média do brasileiro, principalmente
a Classe C tem investido mais no setor. Famílias que ganham até cinco mil reais buscam artigos
modernos, de bom gosto e a preços acessíveis.
Matéria publicada no jornal ABCD Maio, em julho deste ano, destaca que Com a migração de 19
milhões de brasileiros para a classe C no ano passado cresceu a procura pelos serviços de designers
de interiores, uma novidade no setor, antes limitado a um público com maior poder aquisitivo. Na
concepção da presidente da IAB (Instituto dos Arquitetos do Brasil), Rosana Ferrari, o programa do
governo federal de incentivo a moradia própria, as construções de novas habitações verticais e
horizontais e o crescimento das empresas assaram a ser um dos fatores que favorecem o
crescimento da demanda pelos profissionais.
Matéria publicada no jornal Estado de Minas, em abril deste ano, lembra que o fato de contar com
menor poder aquisitivo que o público B, por exemplo, não significa que a classe média descuida-se
da qualidade. "Não existem grandes diferenciais em termos de exigência. Os dois públicos querem
design e qualidade. Mas classe a média tem um pouco mais de preocupação com o preço e opta
mais pelas compras a prazo", observa Alexandre.
19
Letícia Dias diz que, no caso de arquitetos e decoradores, os projetos são desenvolvidos
independente da classe social. Tendo como ponto de partida o equilíbrio entre a estética e a
funcionalidade, o que diferencia os públicos é a importância que cada segmento atribui a itens do
projeto. "A classe C não trocaria a funcionalidade pela estética. Já os públicos das classes A e B,
apesar de prezarem pela praticidade, algumas vezes optam por um produto apenas por sua
aparência", verifica a arquiteta.
20
DECORAÇÃO, DECORADORES E CORTINAS NA WEB
Para entender as oportunidades da Anatex em participar de conversas das redes sociais, foram
pesquisados alguns termos em torno da marca como “decoração”, “decoradores”, “design de
interiores”, “cortinas” e algumas variações.
Uma pesquisa pelo termo “cortinas”, por exemplo, realizada com o buscador online mais popular
entre os brasileiros, o Google, e com o filtro para resultados em Português, a ferramenta retorna
mais de 11 milhões de links. O número salta para busca pelo termo “decoração” que chega perto
dos 85 milhões.
Utilizando ainda o Google para a busca do termo “design de interiores” filtrado para resultados no
Twitter, a ferramenta retorna mais de 22 mil mensagens. Já “designer de interiores”, o número cai
para 2.700 resultados de busca. Os termos “decoradores” e “decoradora” têm resultados
semelhantes, alcançando o numero de 3.500. O número de resultados sobe para 5 mil quando o
termo buscado é “decorador”. O termo “decoração”, sem dúvida, é o que mais aparece nos
resultados de busca alcançando quase 350 mil mensagens. Curiosamente, o termo “cortinas”
também apresenta um resultado expressivo com mais de 80 mil mensagens.
Impressionantemente, o termo “cortinas” filtrado em português para resultados do Facebook,
ultrapassam o número de 7 milhões. O termo “decoração “chega a 10,5 milhões e “design de
interiores” 377 mil. Já os termos “Designer de interiores", “decoradores”, “decoradora” e
“decorador” apresentam entre 10 e 13 mil resultados de busca, utilizando-se os mesmos filtros.
Utilizando a ferramenta Google Trends9
, que apresenta o volume de busca por termos durante um
período e por região. Ao utilizar o filtro da ferramenta para volume de buscas no Brasil em 2011,
por exemplo, é possível observar uma leve tendência crescente na busca pelo termo “cortinas”.
9
http://pt.wikipedia.org/wiki/Google_Trends
21
Ao ampliar a mesma pesquisa para o período de 12 meses, observa-se um pico de buscas pelo
termo “cortinas” no início de dezembro e uma queda na segunda quinzena de dezembro, natural
no período de festas.
Uma comparação de busca entre os termos “cortinas” e “persianas”, produto concorrente,
apresenta a mesma oscilação em dezembro, porém, é possível observar dois pontos interessantes:
1) o volume de buscas pelo termo “cortinas” é superior em relação ao termo “persianas”; 2)
embora as oscilações de busca sejam parecidas, o termo “cortinas” apresenta esta leve tendência
de crescimento, conforme falado anteriormente. Isso pode significar um interesse maior por
cortinas em relação às persianas, que podemos considerar produto concorrente.
22
 Diante deste cenário, recomenda-se, no plano de comunicação para redes sociais,
apresentar as diferenças e, especialmente, vantagens do produto “cortinas” em relação ao
produto “persianas”. As mensagens, porém, não devem denegrir este segundo produto, uma
vez que a Anatex poderá vir, futuramente, a incluí-lo em seu portfólio.
Pelo Google Trends é possível levantar ainda o volume de buscas do termo “cortinas” por região
brasileira, nos últimos 12 meses. A ferramenta apresenta ainda as 10 principais cidades que
realizam busca pelo termo. É interessante observar que os três estados que apresentam os maiores
volumes de busca são todos os da região sul.
Embora a ordem dos estados brasileiros em volume de buscas pelo termo “persianas” tenha sido
um pouco diferente nos últimos 12 meses, o principal volume dos três principais estados também
se concentra no sul do país.
Outra ferramenta do Google que levanta o interesse de palavras-chave pelos usuários do buscador
é o Google Insights. Ao se realizar uma pesquisa comparativa entre o termo “cortinas” e
“persianas”, é possível observar a tendência de crescimento pelo concorrente Bella Janela Com
volume de buscas especialmente em Santa Catarina e em São Paulo
23
Ao utilizar o filtro para o termo “persianas”, observa-se a concorrente Luxaflex aparecendo nas
principais pesquisas, além da Columbia e a Persol, que também comercializa cortinas, na lista de
tendências.
24
Outra ferramenta do Google, o AdWords10
, também apresenta volume de busca para sugerir
termos e palavras-chave. Ao se solicitar sugestões de termos para acompanhar a palavra-chave
“cortinas”, a ferramenta sugere as seguintes palavras, por volume:
10
http://pt.wikipedia.org/wiki/Adwords
25
 É interessante destacar o termo “Black out” sugerido pela ferramenta. Embora o termo
apresente um alto volume de buscas, é pouco trabalhado nos links patrocinados.
Aproveitando o verão, é interessante utilizar bastante este termo no conteúdo e nas
campanhas online da Anatex.
Ainda pelo Google Insights, é possível observar um maior interesse pela marca Luxaflex em relação
à Bella Janela, que apresenta um melhor posicionamento em Santa Catarina.
Porém, ao incluir a marca Corttex, indicada pela Anatex como uma de suas concorrentes, é possível
observar que esta apresenta interesse similar à da marca Bella Janela, embora a primeira tenha um
volume inferior, além de não aparecer nos interesses de busca de São Paulo:
26
A Anatex não apareceu em nenhuma das comparações realizadas, o que mostra o baixíssimo
interesse pela marca na utilização da ferramenta Google para realização de buscas.
27
CORTINAS NAS CONVERSAS DAS REDES SOCIAIS
Além de terem sido encontrados muitos perfis no Twitter de decoradores e de designers de
interiores, foram encontradas também páginas institucionais no Facebook e perfis oficiais no
Twitter de empresas da área. Estas serão analisadas mais adiante.
Foi encontrado também um verbete “cortina” no Wikipedia, porém, ainda não foi criado para
“cortinas”:
28
Ao se buscar o termo “cortinas” no Twitter, com filtro para mensagens em língua portuguesa, é
possível observar sentimentos e temas recorrentes em relação ao produto:
 Dificuldade de instalação, sinônimo de tarefa chata (geralmente feita no fim de semana)
 Incômodo com profissionais contratados para instalação e manutenção/lavagem
 Comprar/instalar cortinas são consideradas tarefas e não experiências
 Cortina como sinônimo de privacidade e de descanso
 Cortina é o último item da decoração, mas é sinônimo de finalização
 Cortina é vista como necessidade para controle de luminosidade, especialmente no quarto
 Alguns usuários comemoram a instalação das cortinas e as vêem como diferencial da
decoração
Instalação e tarefas
29
30
31
Comemora instalação
32
33
34
Necessidade
35
Dicas
36
37
38
Dúvidas
39
Outros temas
40
41
42
Facebook
43
44
Yahoo Respostas
É possível perceber também o interesse dos usuários pelo assunto em outras plataformas online
como o Yahoo Respostas, onde publicam-se dúvidas e questões sobre diferentes temas. Encontra-
se, por exemplo, uma série de dúvidas sobre escolha de cortinas, cominação com a decoração e até
instalação:
45
Alguns exemplos de perguntas publicadas por usuários comuns nesta plataforma:
46
47
48
49
50
51
52
53
54
55
DECORAÇÃO ONLINE
Além do serviço “Decorador Online”, oferecido pelo Shopping Minascasa, que vimos
anteriormente, há também disponível na web a plataforma Decoradornet
(http://www.decoradornet.com.br/ - Page rank 4). Uma equipe de decoradores e de arquitetos,
coordenada pelo engenheiro Guilherme Ommundsen e pela arquiteta Mariana Albuquerque,
desenvolve projetos de decoração via internet. O cliente envia fotos do ambiente que será
decorado, além de responder um questionário e recebe seu projeto, com indicações de peças, em
15 dias após o pagamento. Feito o projeto, o Decoradornet indica os móveis e objetos de
decoração que devem ser comprados. A compra é feita por intermédio do próprio site. “Nós temos
um contrato de parceria com os fornecedores. Como estamos trabalhando via internet o
fornecedor deixa de ter custos que teria ao fazer uma venda na loja e essa economia ele repassa no
preço do produto”, explicou, para o portal Casa Abril11
, Mariângela Dabbur Nader, que faz parte da
equipe de profissionais do site.
O DecoradorNet conta ainda com uma série de parceiros:
11
http://casa.abril.com.br/noticias/profissionais-oferecem-projetos-decoracao-site-611113.shtml
56
 Pode ser interessante a Anatex estudar uma possibilidade de parceria com a DecoradorNet.
A plataforma conta ainda com um perfil no Twitter com mais de mil seguidores, além de blog
(decoradornet.blogspot.com) e página no Facebook (www.facebook.com/decoradornet):
A proposta do WebDecorador (http://www.webdecorador.com/ - Page rank 0), do designer de
interiores David Defizio, também é parecida com a do Decoradornet:
57
Já a Quality Móveis, da cidade de Cláudio (MG), oferece um banco de profissionais de decoração
que, se aprovados após cadastro, são divulgados em seu blog:
http://www.centrodeatendimento.com.br/quality/
58
A empresa postuguesa Sublime Cortinas (http://www.sublime-cortinas.com/) oferece uma
ferramenta online para personalização de cortinas:
59
60
CONCLUSÃO
O assunto “cortinas” e outros temas em torno deste termo, já fazem parte tanto de conteúdo na
web quanto das conversas nas redes sociais. Algumas empresas já perceberam este potencial e
ativaram seus perfis e páginas nestes ambientes, como veremos no capítulo “Análise de
Concorrentes”. Ainda assim, é possível perceber que há mensagens negativas em torno dos temas,
principalmente em relação à instalação e manutenção.
Pelo levantamento das mensagens com o termo “cortinas” é possível perceber ainda a dificuldade
dos clientes na escolha do produto e desconhecimento de marcas disponíveis. Embora haja a
percepção de que se trata de um item importante do lar, é o último na lista da decoração. Por
outro lado, os usuários repercutem matérias e conteúdos positivos produzidos por veículos,
blogueiros e empresas, além de comemorar o novo item do lar.
A Anatex, ao participar do ambiente online e das conversas nas redes sociais, tem uma importante
missão em desmistificar o universo das cortinas, especialmente para o consumidor comum. É
importante divulgar não só os produtos, mas também sua praticidade na instalação/manutenção e,
principalmente, apresentar as cortinas como item fundamental da decoração do lar. A Anatex deve
ser reconhecida ainda pela sua característica de consultora de decoração e de estilo, além de
empresa de tecelagem e confecção de cortinas que aliam qualidade, tecnologia e design de ponta a
preços acessíveis, com praticidade de instalação e de manutenção. O levantamento dos temas que
serão trabalhados na produção do conteúdo para estas plataformas devem ser definidos a partir
das mensagens-chave da marca. E detalhados no plano editorial, desenvolvido na segunda fase,
posteriormente à finalização do Diagnóstico e da Imersão.
O público-alvo na Anatex está focado na classe B e, embora abranja homens e mulheres adultos e
ativamente profissionais, sem dúvida as mulheres são as principais consumidoras dos produtos da
empresa. Também entende-se que os solteiros e os dinks (jovens casais) desta classe possam ver os
produtos da Anatex como itens que podem agregar, com praticidade e design atual, à decoração do
seu lar.
Outro ponto importante é que, nesta fase, em que seus produtos devem ser reconhecidos pela
classe B, não é recomendável o desenvolvimento de um trabalho no Orkut, ambiente com maior
adesão da classe C. O trabalho de relacionamento e de produção/publicação de conteúdo nas redes
sociais deve ser iniciado nas plataformas como Twitter e Facebook, que têm maior adesão da classe
A e B.
Vale ainda, analisar a possibilidade de produzir e publicar conteúdo para outros ambientes,
também acessados pela classe A e B e que também contribuem para a Divulgação e
encontrabilidade da marca. No Slideshare, Issuu ou Scribd, por exemplo, é possível publicar
portfólios e catálogos dos produtos, além de guias e manuais da marca.
Para finalizar, é importante, como dito anteriormente, que se acompanhe de perto onde a marca
Anatex está presente, por meio de monitoramento, seja em plataformas onde ela está oficialmente
ou não. Além de acompanhar mensagens e páginas que citam a marca, é interessante entender as
oportunidades de se interagir e de se relacionar com potenciais clientes nestas outras plataformas,
61
como respondendo às dúvidas dos usuários no Yahoo Respostas, por exemplo. Ou ainda
desenvolver o verberte “cortinas” no Wikipedia, que já possui o verbete “cortina”:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Cortina
62
Anatex na Web
63
ANATEX NA WEB
Ao se realizar uma busca pelo termo “Anatex” no Google, a empresa aparece bem colocada na
primeira página com diferentes endereços com link direto para acesso ao site institucional, sendo o
terceiro com uma colocação inferior em relação aos dois primeiros:
 Anatex.net.br
 Anatexdecoracoes.com.br
 Anatexcortinas.com.br
 Recomenda-se trabalhar nas ações de Comunicação e de Marketing apenas uma URL. Neste
momento, a mais indicada seria a terceira (Anatexcortinas.com.br).
64
Além do resultado de busca indicar endereços com links diretos para acesso ao site institucional,
pode-se encontrar citações à Anatex em ferramentas de Mapas, em Guias de endereços, em
releases de feiras e até em ofertas de vagas de emprego. Alguns exemplos:
Guias e Mapas
 E-guias
http://eguias.net/empresas/MG/borda-da-mata/588088-Anatex-industria-e-comercio.html
65
 Buscapé
http://parceiro.buscape.com.br/empresa/telefone-endereco-Anatex-industria-e-comercio--
300018.html
 Wikimapia
http://wikimapia.org/21336551/pt/Anatex
66
 Qype
http://www.qype.com.br/place/1885225-Anatex-Comercio-e-Industria-de-Artigos-para-
Decoracao-Borda-da-Mata
67
 Guia Têxtil
http://www.guiatextil.com/site/empresa/Anatex/contact/
 Guia Mais
http://www.guiamais.com.br/local/Anatex+decoracoes-decoracoes-socorro-sp-14210688-2
68
 Tuugo
http://www.tuugo.com.br/Companies/Anatex-industria-e-comercio/007000408986
 Cuiket
http://www.cuiket.com.br/empresa/Anatex_1787072.html
69
 Portal Acontece
http://www.portalacontece.com.br/empresas/Anatex-industria-e-comercio-ltda.html
70
Ofertas de emprego
 Catho
http://cadastro.catho.com.br/Anatex/412746/
 Brasil Vagas
http://www.brasilvagas.com/2011/05/contra-mestre-borda-da-mata.html
71
Releases
 Guia Têxtil (Fonte: mídiamoda)
http://www.guiatextil.com/site/noticias/negocios/compradores_qualificados_superaram_a
s_expectativas_da_texfair_home_2011
 Guia Têxtil (Fonte: Mídia Moda)
http://www.guiatextil.com/site/noticias/feiras/texfair_2010_destaca_novos_expositores_e
_parcerias_para_atrair_compradores_internacionais
72
 Maxpressnet
http://www.maxpressnet.com.br/Conteudo/1,436397,Anatex_apresenta_novas_tendencias
_em_design_de_cortinas_de_alto_padrao_,436397,6.htm
 Móveis Total
http://www.moveistotal.com.br/noticia.php?id=15742&volta=index.php
73
 Agregário
http://agregario.com/Anatex-apresenta-novas-tendencias-design-cortinas-alto-padrao
 É fundamental acompanhar a interação e inserção de comentários de usuários também
nestas páginas onde a Anatex está presente. Um bom exemplo seria o caso do site Qype,
onde há um pedido de uma usuária para ser revendedora da marca, uma oportunidade de
ampliar a atuação da Anatex.
 É importante também manter a divulgação de releases para sites especializados e voltados
para jornalistas, como o Maxpress, o que contribui consideravelmente para a exposição da
marca.
74
A marca aparece ainda em várias lojas e magazines online, além de ferramentas de comparadores
de preço como Buscapé:
Além destas referências, foi encontrado também uma página dedicada a uma loja Anatex
Decorações no portal do Moda Loja de Fábricas, de Socorro-SP:
 Moda de Fábrica
http://www.modadefabrica.com.br/lojas/decoracao/Anatex.asp
75
76
OUTRAS EMPRESAS “ANATEX”
Ainda ao se navegar pelas páginas de resultado de busca por “Anatex” no Google, utilizando o filtro
“em português”, encontram-se a marca Anatex ligada a outras empresas e produtos, até mesmo a
um time de futebol, o que reforça a importância de se trabalhar a marca “Anatex Cortinas” em
todos os projetos de Comunicação, ao menos nesta fase:
Nome Área Local URL
Anatex Futebol
Clube
Futebol Anápolis-GO http://migre.me/69YKc
Anatex Comercio
Confecções e
Malharia Ltda
Confecção/malharia Goiânia-GO http://migre.me/69YM7
Anatex Armarinho e
Perfumaria Ltda
Armarinhos e
perfumes
Rio de Janeiro-RJ http://migre.me/69YQE
Anatex Magazine
Ltda
Calçados Lagoa Vermelha-RS http://migre.me/69YSN
Malharia Anatex Confecção São Paulo-SP http://migre.me/69YUq
Maison Anatex
(noivas)
Roupas de festa Brasília-DF http://migre.me/69YVq
77
ANATEX NAS REDES SOCIAIS
A Anatex criou alguns canais nas redes sociais – Twitter, Facebook, YouTube, Flickr, Orkut - mas
nem todos estão ativados. Todas as contas das redes sociais estão linkadas no site institucional.
Apenas o Flickr e o YouTube contém conteúdo publicado. Os perfis no Twitter e no Orkut foram
criados, mas não há seguidores, conteúdo publicado ou atividade. É importante destacar que foi
criado um perfil e não uma página no Facebook como é recomendado pela política de uso desta
rede social.
Análise e Recomendações:
 Facebook: www.facebook.com/profile.php?id=100002962857890
A Anatex criou um perfil (profile), que não está ativado, e não uma página (Page) como é
regra do Facebook: os perfis são destinados às Pessoas Físicas e as páginas são específicas
para empresas, marcas ou corporações. Esta prática não é recomendável: além do perfil não
oferecer os mesmos recursos de uma página (como analise de audiência e métricas,
utilização de aplicativos, personalização de abas etc), corre-se o risco, do perfil da Anatex
ser banido do Facebook por estar contra a política de uso desta rede social. É importante
ainda personalizar a URL para que fique mais amigável para o usuário.
 Twitter: twitter.com/#!/Anatexhome
A conta do microblog apresenta apenas uma publicação. É importante rever a BIO com foco
em palavras-chaves. É importante também definir se a URL do site oficial divulgada na BIO
será mesmo a net.br. Outro ponto é em relação ao nome do perfil: vale repensar padronizar
o uso de “Anatexcortinas” para todas as contas.
78
 YouTube: www.youtube.com/user/canalAnatex e www.youtube.com/user/Anatexcortinas
A empresa apresenta dois endereços diferentes de canais de vídeos: canalAnatex e
Anatexcortinas. É importante concentrar as publicações em um único canal para não
dispersar a audiência ou confundir o usuário. A sugestão é a utilização de um perfil padrão
como “Anatexcortinas”. É importante também incluir descrição em cada vídeo, utilizando
palavras-chave e link para o site institucional. Valle também completar as informações do
perfil.
Perfil Anatexcortinas:
79
Perfil canalAnatex:
 Flickr: www.flickr.com/photos/Anatex/sets e htwww.flickr.com/photos/Anatextrade/sets/
É importante completar as informações do perfil e rever as descrições das imagens para
aumentar a encontrabilidade dos álbuns. É interessante notar que, além do perfil
institucional “Anatex” que está destacado nos links de redes sociais no site institucional, há
também o perfil ‘Anatextrade’ que também está com as informações do perfil incompletas.
Perfil Anatex:
80
Perfil Anatextrade:
81
 Orkut: www.orkut.com.br/Community?cmm=118915358&refresh=1
Conforme foi citado anteriormente, esta plataforma, hoje, tem maior adesão da classe C, D
e E. Uma vez que as ações de comunicação estão voltadas para a classe B, não é
recomendável que esta conta seja ativada neste momento.
82
ANATEX NAS CONVERSAS DAS REDES SOCIAIS
Foram monitoradas pouquíssimas citações à Anatex nas conversas das Redes Sociais. Foram
encontrados, porém, pelo menos dois vídeos no YouTube de lojas que citam a Anatex, com pouca
visualização e sem comentários:
http://www.youtube.com/watch?v=9J3jb2UlCro
http://www.youtube.com/watch?v=Gx-RMJ0Jj8s
E um álbum de fotos “Cortinas Anatex” na página da loja “Paraíso dos Bordados”, de Recife-PE, no
Facebook:
https://www.facebook.com/media/set/?set=a.208539159194785.52956.169695383079163&type=
3
A mesma loja também citou a Anatex em um post:
https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=223878744327493&id=169695383079163
A empresa “Otavio Saad Gastronomia em eventos” também citou a Anatex em pelo menos duas
fotos de um de seus álbuns no Facebook:
83
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=166840870061709&set=a.152340714845058.40940.1
20004638078666&type=1
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=166840330061763&set=a.152340714845058.40940.1
20004638078666&type=1
84
CONCLUSÃO
A presença digital e nas redes sociais da Anatex ainda é praticamente nula. A marca aparece ainda
apenas em canais específicos. O fato da Anatex não ser citada nas conversas das redes sociais
mostra o desconhecimento da marca pelo consumidor final.
É importante ativar as contas das redes sociais o quanto antes, ainda que com baixa freqüência de
publicação. Caso não sejam ativados, não é recomendável que sejam linkados no site institucional.
Recomenda-se que todas as contas nestas plataformas sejam cadastradas com um único e-mail
institucional e não pessoal ou de algum funcionário. Uma sugestão é que o e-mail seja algo como
Anatexdigital@Anatex.com.br.
Para otimizar ao máximo a encontrabilidade das plataformas utilizadas na Estratégia de
Comunicação Digital, além de fortalecer a fixação da marca, recomenda-se utilizar as seguintes
URLS. Ex.:
 Site: www.Anatexcortinas.com.br/site
 Blog: www.Anatexcortinas.com.br/blog
 Facebook: www.Anatexcortinas.com.br/facebook
 Twitter: www.Anatexcortinas.com.br/twitter
Estas URLs devem ser incluídas em todo o material enviado ou distribuído nas ações de RP2.0, bem
como nas campanhas do plano de mídia online. Devem também ser usadas em outros materiais
impresso, de divulgação e nas embalagens dos produtos.
É interessante também a Anatex utilizar outras plataformas sociais de compartilhamento de
documentos e de conteúdo como o ISSU, Slideshare e Scribd. Esta utilização contribui também para
aumentar a exposição da marca na web por conta de seu ótimo SEO.
85
SITE INSTITUCIONAL
Analise do site
institucional
86
ANÁLISE DO SITE INSTITUCIONAL
Diferentes endereços (URLs) são direcionados à versão institucional da nova versão do site da
Anatex. Com uma linguagem visual institucional e pouco carismática - porém, com boas imagens,
vídeos e conteúdo -, o site foi recentemente reformulado e parece mais focado no Trade.
A versão anterior, que estava no ar desde 2006 sob o endereço www.Anatexdecoracoes.com.br ,
desenvolvida pela agência Mr. Web, pode ser visualizada pela ferramenta Web.Archive:
http://web.archive.org/web/20060428130334/http://www.Anatexdecoracoes.com.br/Anatex.asp
87
O site atual apresenta ainda alguns pontos negativos em relação ao SEO e à usabilidade que serão
analisados a seguir. Juntamente com a análise, serão levantadas algumas recomendações de
melhorias.
É interessante notar ainda que o catálogo online (http://cortibella.net/colecao/catalogo/) e a
página de coleção (http://cortibella.net/colecao/)não estão sob nenhum endereço com a marca
Anatex.
A URL Anatex.com.br está registrada pela empresa gaúcha Anatex Magazine Ltda, mas o site,
cadastrado no portal Terra Empresas, não está no ar.
88
89
ANÁLISE DE SEO
Sigla para Search Engine Optmization, SEO - em português "otimização para mecanismos de busca"
- é o conjunto de estratégias com o objetivo de potencializar e melhorar o posicionamento de um
site nas páginas de resultados naturais (orgânicos) nos sites de busca. Em outras palavras são as
técnicas usadas para melhorar a encontrabilidade de um site nos mecanismos de busca.
Nem sempre sites são construídos levando em conta estas técnicas e podem ficar "escondidos"
para os mecanismos de buscas, como o Google, dificultando sua encontrabilidade.
A análise a seguir é um levantamento de pontos a melhorar no site para que ele possa ter uma
maior visibilidade. Além destes ajustes, é fundamental usar técnicas de Webwriting (e de palavras-
chave) em todo o conteúdo do site e não apenas em seu código de programação.
ARQUITETURA DE INFORMAÇÃO
A arquitetura de informação diz respeito principalmente à facilidade de acesso e à clareza de
informação de um website. Para isso, é necessário tornar o site encontrável, através do uso de
palavras-chave relevantes para os usuários e para o negócio, e usável, com uma navegação bem
definida e conteúdo segmentado.
Dentro do processo de indexação (leitura) de um site, os links internos são os responsáveis pelo
direcionamento do mecanismo de busca dentro do site e pela transferência de relevância entre as
páginas. Páginas importantes passam sua importância pelos links.
 Status: negativo
LINKS QUEBRADOS
http://Anatexcortinas.com.br/pos_venda/mailtocomercial@Anatexcortinas.com.br
Código de erro: 404 (not found), na(s) página(s):
http://Anatexcortinas.com.br/pos_venda/manutencao.php
maito:comercial@@Anatexcortinas.com.br
Código de erro: 404 (not found), na(s) página(s):
http://Anatexcortinas.com.br/home.php
maito:comercial@Anatex.net.br
Código de erro: 404 (not found), na(s) página(s):
http://Anatexcortinas.com.br/en/
http://Anatexcortinas.com.br/fr/
90
maito:comercial@Anatexcortinas.com.br
Código de erro: 404 (not found), na(s) página(s):
http://Anatexcortinas.com.br/pos_venda/
http://Anatexcortinas.com.br/empresa/
http://Anatexcortinas.com.br/localizacao/
http://Anatexcortinas.com.br/representantes/trade.php
http://Anatexcortinas.com.br/imprensa/
http://Anatexcortinas.com.br/contato/
http://Anatexcortinas.com.br/acoes/
http://Anatexcortinas.com.br/colecao/colecao-elegance.php
http://Anatexcortinas.com.br/colecao/colecao-blackout.php
http://Anatexcortinas.com.br/colecao/colecao-equilibrio.php
http://Anatexcortinas.com.br/colecao/
http://Anatexcortinas.com.br/colecao/colecao-classic.php
http://Anatexcortinas.com.br/pos_venda/manutencao.php
http://Anatexcortinas.com.br/representantes/
http://Anatexcortinas.com.br/colecao/colecao-organza.php
PALAVRAS-CHAVE
A navegação do site não apresenta em nenhuma das categorias palavras-chave relacionadas com o
produto principal da empresa.
PÁGINAS DE PRODUTO
Embora as linhas de produto estejam segmentadas em páginas por coleção, os produtos individuais
se encontram em uma página só, diminuindo sua relevância.
LINKS INTERNOS
Como todos os links externos apontam para a raiz do site, e lá existe apenas uma página de
abertura sem links para outras páginas, a relevância dessa página é potencialmente perdida e não é
passada para as demais.
 Recomendações:
o Correção dos links quebrados: substituir “maito:” por “mailto:”;
o Trocar o título de categoria “Coleção” para “Cortinas”;
o Criar páginas separadas para cada produto, linkando-as na página da coleção
correspondente.
o Remover a página de abertura e tornar a página inicial (home.php) a raiz do site
91
HOSPEDAGEM
A velocidade de carregamento do site é um dos principais fatores de rankeamento dos resultados
de uma consulta realizada por um usuário. O Google considera que uma experiência de busca
satisfatória por parte do usuário é consequência de um carregamento rápido do site encontrado.
A qualidade dos serviços de hospedagem são os principais responsáveis pelo tempo de
carregamento do site.
 Status: positivo
A página inicial da Anatex Cortinas, após a introdução em flash, apresentou um tempo de
carregamento médio de 8,99s, em decorrência do tamanho das imagens do banner principal.
Embora o tempo seja considerado alto para algumas velocidades de conexão, o carregamento
assíncrono das imagens permite que o o menu seja acessado.
 Recomendações
o O carregamento da home pode ser agilizado através de uma maior compressão das
imagens.
o O carregador do banner da página inicial pode ser exibido sobre a própria imagem
inicial do banner, para melhor compor o layout durante o carregamento.
TECNOLOGIA UTILIZADA
A escolha da tecnologia utilizada para desenvolver o site tem impacto direto sobre a forma como o
conteúdo é visualizado por seu usuário e, principalmente, sobre os requisitos tecnológicos que ele
necessita.
Ferramentas de busca, em geral, possuem limitações quanto a leitura de conteúdo em outros
padrões que não o HTML, como Flash, Ajax e alguns usos de Javascript.
Além disso algumas tecnologias podem representar obstáculos para o acesso através de
dispositivos móveis, como tablets e smartphones.
 Status: negativo
Embora o php/html utilizado no site não seja um problema, a página de abertura, acessível através
do endereço principal da Anatex foi desenvolvida em Flash, o que prejudica a indexação de seu
conteúdo por parte de ferramentas de busca.
Além disso, a grande maioria dos dispositivos do mercado, simplesmente não consegue exibir essa
página para seu usuário, que não consegue navegar pelo resto do site.
92
 Recomendações
o Considerando o nível de complexidade da animação de abertura, não há justificativa
para utilização do flash, uma vez que um banner em JQuery teria o mesmo resultado
visual e não traria problemas de indexação e acesso por dispositivos móveis.
o Considerando que o layout da página inicial do site dá grande destaque ao banner e
apresenta a mesma música da apresentação, a remoção da página de abertura deve ser
seriamente considerada e seu conteúdo ser inserido como início do banner da página
inicial.
URL E DOMÍNIO
A URL do site, ou seja, seu endereço na web é um dos principais fatores através do qual o Google
relaciona uma determinada página com um assunto e a considera relevante. Essa URL é composta
pelo nome do domínio do site e pelo endereço interno das páginas.
Todo o processo de leitura do site também segue as URLs para isso, fazendo com que o buscador
considere cada endereço diferente uma página diferente. Caso uma mesma página seja acessível
por endereços diferentes, temos um caso de conteúdo duplicado, que pode prejudicar a relevância
atribuída a página e dividir o tráfego de links externos.
Para evitar esse problema, faz-se necessário trabalhar a canonização das URLs e o
redirecionamento de páginas duplicadas.
 Status: negativo
O site da Anatex encontra-se disponível em três domínios diferentes e, para o Google, cada um
deles pode ser acessado de duas formas distintas, com ou sem www:
www.Anatexcortinas.com.br
Anatexcortinas.com.br
www.Anatex.net.br
Anatex.net.br
www.Anatexdecoracoes.com.br
Anatexdecoracoes.com.br
Essa variação apenas colabora com a divisão de relevância, criando diferentes versões do site que
concorrem entre si.
Esse problema é ainda maior quando analisamos os links externos direcionados ao site e
percebemos que eles se dividem entre as três diferentes possibilidades de acesso ao site.
O uso de links relativos em todo o site, ou seja, sem endereço absoluto e sempre em relação ao
domínio atual, só reforçam essa situação, ao permitirem a duplicação funcional de todo o site.
93
Dentre os domínios utilizados, o mais recomendado é o www.Anatexcortinas.com.br, pois mantém
o nome da marca associada a mais importante palavra-chave do segmento (cortinas).
 Recomendações:
o Implementar um redirecionamento 301 para resolver a questão do www, através do
arquivo .htaccess na raiz do site, com a seguinte instrução:
Options +FollowSymlinks
RewriteEngine on
rewritecond %{http_host} ^Anatexcortinas.com.br [NC]
rewriterule ^(.*)$ http://www.Anatexcortinas.com.br/$1 [r=301,NC]
o Redirecionar os outros domínios para o domínio correto através do DNS da hospedagem
ou de outro 301.
Options +FollowSymlinks
RewriteEngine on
rewritecond %{http_host} www.Anatexdecoracoes.com.br [NC]
rewriterule ^(.*)$ http://www.Anatexcortinas.com.br/$1 [r=301,NC]
o Repetir para todos
ARQUIVOS DE CONFIGURAÇÃO DO SERVIDOR
Os arquivos de configuração do servidor oferecem informações importantes para os mecanismos
de busca. O arquivo robots.txt indica quais áreas do site devem ser ignoradas pelos buscadores. O
arquivo sitemap.xml, por outro lado, apresenta de forma organizada as urls que devem ser
indexadas. A página 404 informa ao usuário que aquele conteúdo não existe mais e ao buscador
que aquela url deve ser retirada do index.
 Status: negativo
O site não apresenta os arquivos robots.txt, fazendo com que urls internas como webmail sejam
indexadas;
Não há arquivo sitemap.xml. Devido ao pequeno número de URLs a serem indexadas, isso não é um
problema, porém é uma boa prática;
Não há uma página de erro 404 amigável. Os usuários podem ficar confusos e desistir do site;
 Recomendações
o Criar um arquivo robots.txt e adicionar as regras para bloquear o acesso dos buscadores
às áreas internas do site, como Webmail e área de representantes. Exemplo:
User-agent: *
Disallow: webmail.Anatex.net.br/
94
o Criar um arquivo sitemap.xml com todas as URLs que devem ser indexadas, e hospedá-lo
na raiz do site;
o Criar uma página de erro 404 amigável para os usuários, que forneça uma mensagem
clara e um caminho de volta para o conteúdo do site.
ELEMENTOS (HTML) DAS PÁGINAS
Quando uma ferramenta de busca acessa uma página de um site, sua leitura é bem diferente do
resultado visual oferecido ao usuário. Na prática a capacidade de indexação de um buscador, como
o Google, é limitada ao sentido que seu processo automatizado é capaz de atribuir a partir da
leitura do HTML. Por isso , o robô responsável por essa leitura é alheio a cores, imagens e conteúdo
dinâmico, ficando restrito ao conteúdo como ele está no código HTML.
Assim, as palavras-chaves importantes para a estratégia de SEO do negócio devem ser destacadas
no próprio código das páginas em alguns pontos chaves, conforme a análise de
Status abaixo.
Títulos - O título, definido pela tag <title> do Html é um dos principais fatores utilizados pelo
Google para atribuir significado a uma página. Como em um texto convencional, é a partir da leitura
do título da página que ele “sabe” do que o conteúdo fala. Esse título aparece na barra de título da
janela do navegador.
Subtítulos - Na linguagem HTML, as tags de cabeçalho (header) <h1>,<h2>,...,<h6> são utilizadas
para ordenar os diferentes níveis de um conteúdo, do mais importante para o menos importante.
Dessa forma, o título de cada página deve estar contido também no corpo da página, indicado pela
tag <h1> e quaisquer subtitulos subordinados a ele, indicados pela tag <h2> e assim
sucessivamente.
Metadados - Cada página HTML pode apresentar um tipo especial de tag, chamada de metadado e
indicada pela expressão meta name no cabeçalho do código html. Essa tag pode indicar diferentes
valores e propriedades para a página e, no passado, já foi utilizada como indicador de palavras-
chaves de um conteúdo. Hoje, apenas a informação description é relevante, porque é dela que o
Google pega (antes de ler a página) o texto que é utilizado em suas páginas de resultado de busca,
como introdução das páginas.
Normalmente ela desempenha um papel importante, quase como um texto publicitário que faz o
usuário acessar o site.
 Status: negativo
TÍTULO ÚNICO EM TODAS AS PÁGINAS
O site está utilizando um script com o propósito de substituir todos os títulos de páginas pela
expressão “Anatex Cortinas de Alto Padrão”, perdendo assim a oportunidade de dar mais
visibilidade às palavras-chaves importantes de cada página.
95
FALTA DE HEADING TAGS
Os títulos de todas páginas, visível no conteúdo, é montado a partir de uma imagem e não possui
qualquer indicação legível pelo Google de seu valor como título. Da mesma forma, os nomes dos
produtos nas páginas e linhas de coleção não possuem uma tag h2 como deveriam, tendo seu
destaque atribuído a eles por uma tag de negrito.
METADADOS
Nenhuma das páginas possui a tag meta name=description definida, o que faz com que todas
listagens por resultados de páginas do site no Google não apresentam descrição (caso da home em
flash) ou apresentem conteúdo não relacionado com o site.
Além disso, existem metadados sem utilidade prática definidos nas páginas, como a definição de
autor das páginas (atribuída à Budai Creative) e a instruções nao consideradas por buscadores,
como o “revisit-after” que é substituído pela correta configuração do sitemap.xml
 Recomendações
o Remover o script abaixo, que impede que as páginas possuam títulos únicos.
<script type="text/javascript">
Cufon.replace('.titulos-internos');
Cufon.replace('.subtitulos-internos');
</script>
o Revisar os títulos das páginas para garantir que eles possuem palavras-chaves
relevantes. Os títulos não devem possuir mais de 65 caracteres (incluindo os espaços) e
as palavras-chaves devem estar o mais próximo do começo do título possível.
o Inserir um texto como h1 em todas as páginas com o título de cada página e, se
necessário para composição do layout, substituí-lo pela imagem com a fonte especial
através de CSS.
o Inserir a tag <h2> nao título de cada produto nas páginas de coleção.
o Inserir uma meta description única para cada página, que introduza seu conteúdo e
convide o usuário a clicar a partir da página de resultados de busca. Esse texto deve ser
limitado a 160 caracteres, incluindo os espaços.
<meta name="description" content="insira sua descrição aqui" />
o Remover os metadados sem efeito prático.
USO DE IMAGENS
O uso correto de imagens no site traz benefícios para a acessibilidade e encontrabilidade do site. É
necessário que as imagens apresentem um texto alternativo (que será exibido caso as imagens não
carreguem) descritivo, nomes de arquivos amigáveis e um tamanho razoável que não prejudique a
96
velocidade de carregamento do site. Também é importante que a imagem esteja de acordo com o
conteúdo que a acompanha, como textos e descrições de produto.
 Status: negativo
A maioria das imagens do site não apresenta texto alternativo ou apresenta um texto alternativo
pouco relevante;
Os nomes de arquivos de imagens não fazem referência ao seu conteúdo ou a palavras-chaves
importantes para o negócio, como cortinas.
 Recomendações
o Inserir um ALT (texto alternativo) mais descritivo para as imagens.
o Renomear os arquivos de imagens seguindo termos mais relevantes.
o Utilizar o endereço absoluto das imagens ao invés do relativo (contendo o dominio).
o Otimizar a resolução das imagens para reduzir seu tempo de carregamento
o Simplificar o carregamento das imagens dos banners de cada área para evitar a exibição
do carregamento.
LINKS EXTERNOS
Além dos fatores internos do site, a existência de links de outros domínios para ele e a autoridade
desses domínios é um fator de extrema importância para o algoritmo de posicionamento do
Google. Sites que recebem links de sites autoritativos, como grandes portais ou sites de notícias,
tem suas páginas indexadasmais rápido e seu posicionamento em buscas relevantes para seu
conteúdo evolue mais rápido.
Durante a análise desses links dois aspectos são considerados: o texto âncora (a palavra que recebe
o link) e o endereço do link (a página que recebe a indicação).
 Status: negativo
Atualmente o site da Anatex possui poucos (menos de 6) links direcionados a ele e o principal
problema desses links é o fato de cada um fazer referência a um domínio diferente.
Todos os links são direcionados a home do site, e usam o próprio nome da marca (sem cortinas)
como texto âncora, o que não ajuda a posicionar o site para buscas mais focadas em produtos ou
necessidades do público-alvo.
 Recomendações
o Consolidar os links em um único endereço através do redirecionamento 301 citado
anteriormente.
97
o Desenvolver uma estratégia de conteúdo e atuação em redes sociais que possibilite a
obtenção de novos links para o site, com textos-âncora mais otimizados e direcionados a
páginas internas.
EXTRA: IMPLEMENTAÇÃO DE FERRAMENTAS DO GOOGLE
GOOGLE ANALYTICS
A média de quase 700 visitas/mês nos últimos dois meses pode ser influenciada por acessos
internos a própria estrutura da Anatex. Assim, faz-se necessário conferir se a implementação do GA
está desconsiderando essas visitas nesse resultado final.
GOOGLE WEBMASTER TOOLS
A fim de melhor analisar o comportamento do site em resultados de busca, é importante
implementar o Google Webmaster Tools no site e vinculá-lo ao usuário responsável pela
administração do Google Analytics.
PAPEL DA BUSCA ORGÂNICA PELA MARCA
Embora, segundo o Google Analytics, a pesquisa em buscadores represente 52,37% das buscas do
mês de outubro, apenas 5,89% do total de visitas foram referentes a buscas que não continham a
marca Anatex em seus termos.
A partir desse dado, percebemos que a grande maioria dos acessos ao site, seja por acesso direto
ou buscas com a marca, atingiu aproximadamente 89% das visitas. Podemos, assim, concluir que a
o site não está atraindo um número significativo de novos visitantes sem conhecimento prévio da
marca.
98
ANÁLISE DE USABILIDADE
Usabilidade é um termo usado para definir a facilidade com que as pessoas podem empregar uma
ferramenta ou objeto a fim de realizar uma tarefa específica e importante. A usabilidade pode
também se referir aos métodos de mensuração da usabilidade e ao estudo dos princípios por trás
da eficiência percebida de um objeto.
Na Interação Humano-computador e na Ciência da Computação, usabilidade normalmente se
refere à simplicidade e facilidade com que uma interface, um programa de computador ou um
website pode ser utilizado. O Termo também é utilizado em contexto de produtos como aparelhos
eletrônicos, em áreas da comunicação e produtos de transferência de conhecimento, como
manuais, documentos e ajudas online. Também pode se referir a eficiência do design de objetos
como uma maçaneta ou um martelo.
A análise a seguir, busca avaliar a navegabilidade, ou seja, a facilidade de navegação para o usuário.
O objetivo é sugerir melhorias para que a experiência do usuário no site seja a mais agradável
possível.
SÍNTESE
O site da Anatex Cortinas não apresenta um caminho claro para os usuários com diferentes
objetivos que tenham interesse no site. Além disso, inconsistências técnicas e estéticas dificultam a
realização das tarefas, como preenchimento de formulários, e visualização de conteúdos, como
catálogos e manuais.
Há oportunidades para melhorar a experiência do usuário nas seguintes áreas:
NAVEGAÇÃO
O destino de alguns links não está claro, e a navegação atual pode ser melhorada para promover
um uso mais eficiente do site.
 Recomendações
Recomenda-se a segmentação da navegação em dois níveis: para clientes interessados nos
produtos e representantes que precisam acessar a área restrita.
ENCONTRABILIDADE / ARQUITETURA DE INFORMAÇÃO
Conteúdos diferentes estão na mesma página, e a nomenclatura das seções não é clara em relação
ao conteúdo oferecido.
 Recomendações
A estrutura do site pode ser revista para segmentar o conteúdo e torná-lo mais aparente. A
nomenclatura dos menus pode ser revista para tornar mais claro para o usuário o conteúdo
que está em cada seção.
99
ACESSIBILIDADE
Um site é considerado acessível quando é possível visualizar seu conteúdo em diferentes browsers
e dispositivos, e é usável por pessoas com deficiência. Atualmente, o site da Anatex não pode ser
considerado acessível, pois não segue padrões de acessibilidade que tornam seu uso possível por
todas as pessoas e apresenta um uso elevado de flash, que impossibilita a visualização do conteúdo
daqueles que não possuem o plugin.
 Recomendações
É necessária a adoção de padrões que tornem o site acessível nos diversos browsers e
dispositivos; além disso, é preciso oferecer o conteúdo de formas alternativas que não
dependam de flash.
LEITURABILIDADE
A diagramação do texto dificulta a leitura.
 Recomendações
Rever a diagramação para facilitar a compreensão e utilizar o negrito para destacar itens
importantes dentro do texto.
Um sumário detalhado dos problemas encontrados no site é apresentado na próxima seção, bem
como recomendações para corrigi-los.
PROBLEMAS ENCONTRADOS
A tabela a seguir contém o detalhamento dos problemas de usabilidade encontrados categorizados
por área.
NÍVEIS DE GRAVIDADE
Alto - Uma condição séria que prejudica a realização de uma ou mais tarefas no site e que não pode
ser facilmente contornada ou evitada; O site não impede o usuário de cometer um erro sério; O
problema de usabilidade é freqüente, persistente e afeta muitos usuários; Há uma violação séria de
padrões de usabilidade e/ou acessibilidade.
Médio - Um problema limitado e pouco crítico; Não impede a realização de tarefas e pode ser
temporariamente contornado ou evitado; O problema causa confusão ou irritação moderada no
usuário.
Baixo - Um problema não crítico ou genérico do site; há pequenas inconsistências que causam
hesitação, ou problemas estéticos como títulos e campos de um formulário que não estão
alinhados.
100
Gravidade Localização Tipo Problema Recomendação
Alta Abertura Acessibilidade Abertura em Flash - A abertura em
flash distancia o usuário do
conteúdo do site, além de aumentar
o tempo de carregamento. Usuários
que não possuem o plugin não
conseguem chegar ao conteúdo.
Retirar a abertura em flash. Uma
pesquisa divulgada em 2011
mostra que os usuários levam em
média 10 segundos para decidir se
continuarão no site. Utilizar uma
abertura impede que os usuários
reconheçam imediatamente o
propósito do site.
Média Global Acessibilidade Banner em Flash - O slider em flash
impede que as imagens exibidas
possuam atributos alternativos,
além de aumentar o tempo de
carregamento e não ser visível para
usuários sem o plugin.
Refazer o slider utilizando jquery
ou outra tecnologia que permita o
carregamento das imagens
individualmente.
Alta Página Inicial Arquitetura de
Informação
Títulos do menu - Nenhum dos
títulos apresenta uma indicação
forte para o usuário que está
procurando pelos produtos da
Anatex.
Renomear o título "Coleção" para
"Produtos" ou "Cortinas".
Alta Página Inicial Arquitetura de
Informação
Estrutura do menu: atualmente,
todas as seções do site tem um
peso igual no menu, deixando de
priorizar as seções mais
importantes para os objetivos do
site.
Reorganizar a Arquitetura do site,
hierarquizando as seções de
acordo com os objetivos do site.
Média Página Inicial Navegação/Aces
sibilidade
Menus sem indicação de sub-itens:
o usuário precisa passar o mouse
para descobri-los.
Adicionar indicação de que há mais
conteúdo na seção (como no menu
das páginas internas).
Média Página Inicial Acessibilidade Música automática: a execução da
música sem opção e nem aviso
para o usuário pode causar
surpresa e constrangimento.
Oferecer ao usuário a opção de
executar a música, que não deve
ser iniciada automaticamente.
Média Página Inicial Navegação/Aces
sibilidade
Não é possível distinguir links no
texto.
Adicionar indicação de que o texto
é um link, utilizando sublinhado.
Alta Página Inicial Navegação/Aces
sibilidade
Link para email não funciona. Corrigir o link
Baixa Página Inicial Navegação Link para perfil de twitter não
existente.
Corrigir o link ou remover da
página principal
Baixa Página Inicial Navegação Links para versões em outras
línguas do site levam para páginas
em construção.
Exibir o link para versões em inglês
ou francês apenas quanto o
conteúdo existir.
Média A Empresa Leiturabilidade Comprimento da linha de texto:
linhas muito longas dificultam a
leitura e compreensão de textos.
Diminuir o comprimento da linha
para facilitar a leitura do texto. O
comprimento ideal está entre 45 e
75 caracteres por linha.
Média A Empresa Acessibilidade As imagens não possuem atributos
alternativos
Adicionar "alt text" às imagens
Média Coleção Leiturabilidade Comprimento da linha de texto:
linhas muito longas dificultam a
leitura e compreensão de textos.
Diminuir o comprimento da linha
para facilitar a leitura do texto. O
comprimento ideal está entre 45 e
75 caracteres por linha.
Média Coleção Acessibilidade As imagens não possuem atributos
alternativos.
Adicionar "alt text" que descreva o
conteúdo das imagens.
Média Linha Classic Arquitetura de
Informação
Vários produtos na mesma página. Criar uma página para cada
produto.
Média Linha Classic Acessibilidade As imagens não possuem atributos
alternativos.
Adicionar "alt text" que descreva o
conteúdo das imagens.
101
Média Linha Equílibrio Arquitetura de
Informação
Vários produtos na mesma página. Criar uma página para cada
produto.
Média Linha Equílibrio Acessibilidade As imagens não possuem atributos
alternativos.
Adicionar "alt text" que descreva o
conteúdo das imagens.
Média Linha Elegance Arquitetura de
Informação
Vários produtos na mesma página. Criar uma página para cada
produto.
Média Linha Elegance Acessibilidade As imagens não possuem atributos
alternativos.
Adicionar "alt text" que descreva o
conteúdo das imagens.
Média Linha Organza Arquitetura de
Informação
Vários produtos na mesma página. Criar uma página para cada
produto.
Média Linha Organza Acessibilidade As imagens não possuem atributos
alternativos.
Adicionar "alt text" que descreva o
conteúdo das imagens.
Média Linha Blackout Arquitetura de
Informação
Vários produtos na mesma página. Criar uma página para cada
produto.
Média Linha Blackout Acessibilidade As imagens não possuem atributos
alternativos.
Adicionar "alt text" que descreva o
conteúdo das imagens.
Alta Catálogo Acessibilidade O catálogo só pode ser acessado
na versão Flash.
Oferecer formas alternativas de
visualizar o catálogo, como por
exemplo, download do PDF.
Alta Representantes Navegação/Aces
sibilidade
O mapa em Flash não exibe os
representantes quando um estado é
selecionado.
Oferecer a informação sobre os
representantes fora do Flash.
Média Representantes Arquitetura de
Informação
O formulário possui muitos campos. Rever a necessidade dos campos
Sobrenome e Assunto. No caso de
um formulário de contato, a
recompensa do usuário não é forte
o suficiente para justificar o
preenchimento de formulários
longos.
Alta Representantes Arquitetura de
Informação
Não há indicação de quais campos
são obrigatórios ou opcionais para o
preenchimento do formulário.
Indicar quais campos são
obrigatórios.
Alta Representantes Arquitetura de
Informação
Feedback dos formulários: feedback
acontece através de janela de
prompt.
O feedback deve ser oferecido no
próprio formulário, com indicação
clara do que foi preenchido errado
ou não foi preenchido, para
orientar o usuário na correção de
erros.
Baixa Representantes Arquitetura de
Informação/Leitu
rabilidade
Os botões de envio não estão
alinhados com o formulário e nem
destacados o suficiente.
Alinhar os botões à esquerda dos
campos e utilizar uma cor
contrastante para destacá-los para
o usuário.
Alta Representantes Navegação Não há indicação clara de acesso à
área restrita para representantes e
nem instruções para obter login e
senha de acesso.
Oferecer uma marcação mais clara
de área restrita e mais informações
para representantes. O ideal é
colocar esse conteúdo em outra
página, para não confundir o
usuário que apenas busca por um
representante.
Média Trade Marketing Leiturabilidade Comprimento da linha de texto:
linhas muito longas dificultam a
leitura e compreensão de textos.
Diminuir o comprimento da linha
para facilitar a leitura do texto. O
comprimento ideal está entre 45 e
75 caracteres por linha.
102
Alta Trade Marketing Navegação Não há indicação clara de acesso à
área restrita para representantes e
nem instruções para obter login e
senha de acesso.
Oferecer uma marcação mais clara
de área restrita e mais informações
para representantes. O ideal é
colocar esse conteúdo em outra
página, para não confundir o
usuário que apenas busca por um
representante.
Média Pós-venda Arquitetura de
Informação
Os formulários de satisfação do
consumidor estão na mesma página
que as informações de instalação,
um conteúdo diferente.
Colocar os formulários em páginas
separadas.
Alta Pós-venda Arquitetura de
Informação
Feedback dos formulários: feedback
acontece através de janela de
prompt.
O feedback deve ser oferecido no
próprio formulário, com indicação
clara do que foi preenchido errado
ou não foi preenchido, para
orientar o usuário na correção de
erros.
Baixa Pós-venda Arquitetura de
Informação/Leitu
rabilidade
Os botões de envio não estão
alinhados com o formulário e nem
destacados o suficiente.
Alinhar os botões à esquerda dos
campos e utilizar uma cor
contrastante para destacá-los para
o usuário.
Média Pós-venda Leiturabilidade Comprimento da linha de texto:
linhas muito longas dificultam a
leitura e compreensão de textos.
Diminuir o comprimento da linha
para facilitar a leitura do texto. O
comprimento ideal está entre 45 e
75 caracteres por linha.
Alta Manual Acessibilidade O manual só pode ser acessado na
versão Flash.
Oferecer formas alternativas de
visualizar o manual como, por
exemplo, download do PDF.
Média Manutenção Leiturabilidade Comprimento da linha de texto:
linhas muito longas dificultam a
leitura e compreensão de textos.
Diminuir o comprimento da linha
para facilitar a leitura do texto. O
comprimento ideal está entre 45 e
75 caracteres por linha.
Alta Manutenção Acessibilidade O manual só pode ser acessado na
versão Flash.
Oferecer formas alternativas de
visualizar o manual como, por
exemplo, download do PDF.
Alta Imprensa Acessibilidade O documento miv só pode ser
acessado na versão Flash.
Oferecer formas alternativas de
visualizar o miv como, por
exemplo, download do PDF.
Alta Imprensa Navegação Não há indicação clara de acesso à
área restrita e nem instruções para
obter login e senha de acesso.
Oferecer uma marcação mais clara
de área restrita e mais informações
para a imprensa.
Alta Imprensa Arquitetura de
Informação
Feedback dos formulários: feedback
acontece através de janela de
prompt.
O feedback deve ser oferecido no
próprio formulário, com indicação
clara do que foi preenchido errado
ou não foi preenchido, para
orientar o usuário na correção de
erros.
Baixa Imprensa Arquitetura de
Informação/Leitu
rabilidade
Os botões de envio não estão
alinhados com o formulário e nem
destacados o suficiente.
Alinhar os botões à esquerda dos
campos e utilizar uma cor
contrastante para destacá-los para
o usuário.
Alta Imprensa Acessibilidade O catálogo só pode ser acessado
na versão Flash.
Oferecer formas alternativas de
visualizar o catálogo, como por
exemplo, download do PDF.
Média Ações Sociais Leiturabilidade Comprimento da linha de texto:
linhas muito longas dificultam a
leitura e compreensão de textos.
Diminuir o comprimento da linha
para facilitar a leitura do texto. O
comprimento ideal está entre 45 e
75 caracteres por linha.
103
Média Contato Arquitetura de
Informação
O formulário possui muitos campos. Rever a necessidade dos campos
Sobrenome, Endereço e Assunto.
No caso de um formulário de
contato, a recompensa do usuário
não é forte o suficiente para
justificar o preenchimento de
formulários longos.
Baixa Contato Arquitetura de
Informação/Leitu
rabilidade
Os botões de envio não estão
alinhados com o formulário e nem
destacados o suficiente.
Alinhar os botões à esquerda dos
campos e utilizar uma cor
contrastante para destacá-los para
o usuário.
Baixa Contato Navegação Link para perfil de Twitter não
existente.
Corrigir o link ou remover da
página.
104
CONCLUSÃO
É importante implementar o quanto antes as correções de SEO para aumentar a encontrabilidade
do site nos mecanismos de busca, especialmente Google. Além de implementar as melhorias
sugeridas a partir da avaliação de Usabilidade para garantir uma melhor experiência do usuário no
site institucional da Anatex.
Atenção aos links disponíveis no site para os canais de redes sociais que não estão ativos. Vale
avaliar a possibilidade de não destacá-los no site até sua ativação. Mantê-los disponíveis no site,
pode frustar o cliente/usuário ao clicar nos links e encontrar perfis sem conteúdo.
É recomendável ainda fazer uma revisão no texto com atenção a erros de português e utilização de
técnicas de webwriting e SEO.
105
Análise de
concorrentes
106
ANÁLISE DE CONCORRENTES
Foram analisadas as presenças nas redes sociais das marcas concorrentes e referências listadas pela
Anatex como Bella Janela, Branyl, Corttex, Nella Indústria Têxtil e Altenburg, além de outras
empresas do setor como Fatex, Luxaflex, Blindlux, Criativa Persianas e Cortinas, Dohler, Belchior e
ByFloor, selecionadas por meio de busca online e leitura de sites especializados.
A análise busca entender como as marcas se posicionam online e como se relacionam com os
usuários. Para isso, buscou-se entender qual tipo de conteúdo e ações de interações são realizadas
nas redes sociais pelas mesmas.
Cada rede social oferece diferente métrica para medir sua popularidade como “seguidores” para
Twitter e “curtir” para Facebook. Para entender a audiência dos sites institucionais e dos blogs
oficiais, foi usada a métrica “Page rank”. PageRank™ é um conjunto de algoritmos que mede o peso
e a importância de um endereço online para Google. Para comparação, portais brasileiros como
UOL, iG, Terra e Globo.com apresentam, hoje, PageRank 7.
A seguir, a análise da atuação nas redes sociais das empresas:
 Bella Janela
 Branyl
 Nella Cortinas
 Corttex
 Fatex
 Luxaflex
 BlindLux
 Criativa Persianas e Cortinas
 Dohler
 Altenburg
 Belchior Cortinas
 ByFloor
107
BELLA JANELA CORTINAS
A Bella Janela tem se posicionado como “pioneira e responsável pela inovação no segmento de
cortinas prontas de qualidade, design e com conceito de alta decoração”, segundo releases de
divulgação. Com produção mensal de 220 mil peças, de 2008 para 2009, a produção aumentou em
50% e a meta para 2010 era crescer ainda mais 40%.
Ainda segundo informações de releases institucionais, para crescer, a Bella Janela investiu na
profissionalização e em uma área de criação e desenvolvimento que acompanha as tendências
mundiais de decoração e participa de eventos como a Heimtextil, maior feira internacional de
têxteis para o lar, na Alemanha.
Além de reformular sua logomarca e embalagens, a empresa tem um trabalho agressivo de
divulgação e de comunicação incluindo publicidade e editoriais em revistas como Minha Casa, na
revista Casa Claudia – ambos da Editora Abril -, no site casa.com.br, além de merchandising no
programa dominical televisivo “Domingo Legal, no SBT” desde abril deste ano. Em entrevista ao
site de negócios catarinense, Noticenter, um dos sócios da empresa afirmou ser difícil medir o
crescimento nas vendas desde que a empresa passou a exibir sua marca no programa: “Entramos
nas mídias sociais e investimentos na contratação de uma assessoria de imprensa (...) na internet, a
busca e acesso ao nosso site aumentou muito. Recebemos muitos e-mails com questionamentos
sobre os produtos e elogios à qualidade e beleza dos materiais”.
Sua presença nas redes sociais é intensa e a estratégia foi ativada em julho deste ano, segundo
matéria divulgada no site especializado MidiaModa (http://migre.me/6cybq). Sua atuação e
interação porém, poderiam ser mais engajada e mais bem trabalhada, especialmente nos quesitos
conteúdo e interação. Embora os temas dos conteúdos sejam pouco relevantes para o usuário e
limitados aos produtos ou sobre a atuação da empresa, os usuários buscam informações nestes
canais. O grande erro da empresa nas redes sociais é não responder adequadamente aos seus
usuários, fragilizando estes canais de relacionamento.
Outra ações incluem um programa de capacitação e treinamento de vendedores. A empresa vai até
as lojas para aperfeiçoar o atendimento de profissionais na venda de cortinas e intensificar sua
presença nos pontos de venda. Segundo Baby, o objetivo é consolidar a Bella Janela no segmento
de cortinas. “Quando se fala no segmento cama, mesa e banho, há indústrias de todo o Brasil que,
com suas marcas, representam o setor. Quando se fala em cortinas, não há um nome em
destaque”, justifica o executivo. Os treinamentos periódicos de vendedores faz parte de uma
estratégia para estreitar o relacionamento com os profissionais. A programação do treinamento,
segundo release institucional, tem cunho técnico e motivacional, para capacitar e incentivar os
vendedores a oferecer o melhor produto para a necessidade de cada cliente. Além do treinamento,
a Bella Janela oferce curso online de Consultora de Decoração e bonificação por volume de vendas.
Em entrevista para um trabalho de conclusão de curso, publicada na Revista Interdisciplinar
Científica Aplicada, em 2009, o então gerente de Marketing da empresa afirmou: “as cortinas são
um produto onde a decisão de compra é no ponto de venda, portanto para empresa crescer e se
tornar mais conhecida precisamos abranger uma maior quantidade de revendedores – os
balconistas”. Embora o trabalho de conclusão de curso tenha destacado o investimento da empresa
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais
Diagnóstico para Mídias Sociais

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Técnicas de produção e estratégias de conteúdo digital - aula 01 - 08 e 09-07...
Técnicas de produção e estratégias de conteúdo digital - aula 01 - 08 e 09-07...Técnicas de produção e estratégias de conteúdo digital - aula 01 - 08 e 09-07...
Técnicas de produção e estratégias de conteúdo digital - aula 01 - 08 e 09-07...
MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web
 
Gestão de Conteudo para Midias Sociais
Gestão de Conteudo para Midias SociaisGestão de Conteudo para Midias Sociais
Gestão de Conteudo para Midias Sociais
Lisandra Maioli
 
Apresentação - Gerenciamento de Mídias Sociais
Apresentação - Gerenciamento de Mídias SociaisApresentação - Gerenciamento de Mídias Sociais
Apresentação - Gerenciamento de Mídias Sociais
Resulta Mkt & Vendas
 
Aula 3 - O Marketing de Busca e Suas Ferramentas - Disciplina Planejamento E...
Aula 3 -  O Marketing de Busca e Suas Ferramentas - Disciplina Planejamento E...Aula 3 -  O Marketing de Busca e Suas Ferramentas - Disciplina Planejamento E...
Aula 3 - O Marketing de Busca e Suas Ferramentas - Disciplina Planejamento E...
Pedro Cordier
 
Planejamento estratégico Natura
Planejamento estratégico NaturaPlanejamento estratégico Natura
Planejamento estratégico Natura
Vanessa Maciel
 
Marketing Digital por Edm2
Marketing Digital por Edm2Marketing Digital por Edm2
Marketing Digital por Edm2
Edson Martins da Rosa Junior
 
Proposta para prestação de serviços de consultoria (empresa de agronegócios)
Proposta para prestação de serviços de consultoria (empresa de agronegócios)Proposta para prestação de serviços de consultoria (empresa de agronegócios)
Proposta para prestação de serviços de consultoria (empresa de agronegócios)
Adriano Alves de Aquino
 
Diagnostico Empresarial
Diagnostico EmpresarialDiagnostico Empresarial
Diagnostico Empresarial
Lauro Jorge Prado
 
11 - PROPOSTA COMERCIAL.pptx
11 - PROPOSTA COMERCIAL.pptx11 - PROPOSTA COMERCIAL.pptx
11 - PROPOSTA COMERCIAL.pptx
FalaPriih
 
8 modelo de carta - agradecimento aos patrocinadores
8   modelo de carta - agradecimento aos patrocinadores8   modelo de carta - agradecimento aos patrocinadores
8 modelo de carta - agradecimento aos patrocinadores
Roberta de Araujo
 
Resposta do Estado à recomendação
Resposta do Estado à recomendaçãoResposta do Estado à recomendação
Resposta do Estado à recomendação
Ministério Público de Santa Catarina
 
Apresentação Agência Galpão162
Apresentação Agência Galpão162Apresentação Agência Galpão162
Apresentação Agência Galpão162
Omar Hamam Junior
 
Projeto Social - Estrutura
Projeto Social - EstruturaProjeto Social - Estrutura
Projeto Social - Estrutura
Daniel Santos
 
Marketing Digital
Marketing DigitalMarketing Digital
Marketing Digital
Rafael Comin
 
Aula 2 - A Estrutura de Marketing Digital para a Audiência - Disciplina Plane...
Aula 2 - A Estrutura de Marketing Digital para a Audiência - Disciplina Plane...Aula 2 - A Estrutura de Marketing Digital para a Audiência - Disciplina Plane...
Aula 2 - A Estrutura de Marketing Digital para a Audiência - Disciplina Plane...
Pedro Cordier
 
Marketing Digital nas Mídias Sociais - Slides do Curso
Marketing Digital nas Mídias Sociais - Slides do CursoMarketing Digital nas Mídias Sociais - Slides do Curso
Marketing Digital nas Mídias Sociais - Slides do Curso
Junior Portare
 
Planejamento e Gestão de Mídias Sociais por Rafael Terra
Planejamento e Gestão de Mídias Sociais por Rafael TerraPlanejamento e Gestão de Mídias Sociais por Rafael Terra
Planejamento e Gestão de Mídias Sociais por Rafael Terra
Rafael Terra
 
Projeto #The Social Media Hub
Projeto #The Social Media HubProjeto #The Social Media Hub
Projeto #The Social Media Hub
thesocialmediahub
 
Gestão de conteúdo para redes sociais versão para slide share
Gestão de conteúdo para redes sociais   versão para slide shareGestão de conteúdo para redes sociais   versão para slide share
Gestão de conteúdo para redes sociais versão para slide share
Gustavo Piopardo
 
Estratégia de Marketing Digital - Publicsin Comunicação
Estratégia de Marketing Digital - Publicsin ComunicaçãoEstratégia de Marketing Digital - Publicsin Comunicação
Estratégia de Marketing Digital - Publicsin Comunicação
PublicSin Comunicação
 

Mais procurados (20)

Técnicas de produção e estratégias de conteúdo digital - aula 01 - 08 e 09-07...
Técnicas de produção e estratégias de conteúdo digital - aula 01 - 08 e 09-07...Técnicas de produção e estratégias de conteúdo digital - aula 01 - 08 e 09-07...
Técnicas de produção e estratégias de conteúdo digital - aula 01 - 08 e 09-07...
 
Gestão de Conteudo para Midias Sociais
Gestão de Conteudo para Midias SociaisGestão de Conteudo para Midias Sociais
Gestão de Conteudo para Midias Sociais
 
Apresentação - Gerenciamento de Mídias Sociais
Apresentação - Gerenciamento de Mídias SociaisApresentação - Gerenciamento de Mídias Sociais
Apresentação - Gerenciamento de Mídias Sociais
 
Aula 3 - O Marketing de Busca e Suas Ferramentas - Disciplina Planejamento E...
Aula 3 -  O Marketing de Busca e Suas Ferramentas - Disciplina Planejamento E...Aula 3 -  O Marketing de Busca e Suas Ferramentas - Disciplina Planejamento E...
Aula 3 - O Marketing de Busca e Suas Ferramentas - Disciplina Planejamento E...
 
Planejamento estratégico Natura
Planejamento estratégico NaturaPlanejamento estratégico Natura
Planejamento estratégico Natura
 
Marketing Digital por Edm2
Marketing Digital por Edm2Marketing Digital por Edm2
Marketing Digital por Edm2
 
Proposta para prestação de serviços de consultoria (empresa de agronegócios)
Proposta para prestação de serviços de consultoria (empresa de agronegócios)Proposta para prestação de serviços de consultoria (empresa de agronegócios)
Proposta para prestação de serviços de consultoria (empresa de agronegócios)
 
Diagnostico Empresarial
Diagnostico EmpresarialDiagnostico Empresarial
Diagnostico Empresarial
 
11 - PROPOSTA COMERCIAL.pptx
11 - PROPOSTA COMERCIAL.pptx11 - PROPOSTA COMERCIAL.pptx
11 - PROPOSTA COMERCIAL.pptx
 
8 modelo de carta - agradecimento aos patrocinadores
8   modelo de carta - agradecimento aos patrocinadores8   modelo de carta - agradecimento aos patrocinadores
8 modelo de carta - agradecimento aos patrocinadores
 
Resposta do Estado à recomendação
Resposta do Estado à recomendaçãoResposta do Estado à recomendação
Resposta do Estado à recomendação
 
Apresentação Agência Galpão162
Apresentação Agência Galpão162Apresentação Agência Galpão162
Apresentação Agência Galpão162
 
Projeto Social - Estrutura
Projeto Social - EstruturaProjeto Social - Estrutura
Projeto Social - Estrutura
 
Marketing Digital
Marketing DigitalMarketing Digital
Marketing Digital
 
Aula 2 - A Estrutura de Marketing Digital para a Audiência - Disciplina Plane...
Aula 2 - A Estrutura de Marketing Digital para a Audiência - Disciplina Plane...Aula 2 - A Estrutura de Marketing Digital para a Audiência - Disciplina Plane...
Aula 2 - A Estrutura de Marketing Digital para a Audiência - Disciplina Plane...
 
Marketing Digital nas Mídias Sociais - Slides do Curso
Marketing Digital nas Mídias Sociais - Slides do CursoMarketing Digital nas Mídias Sociais - Slides do Curso
Marketing Digital nas Mídias Sociais - Slides do Curso
 
Planejamento e Gestão de Mídias Sociais por Rafael Terra
Planejamento e Gestão de Mídias Sociais por Rafael TerraPlanejamento e Gestão de Mídias Sociais por Rafael Terra
Planejamento e Gestão de Mídias Sociais por Rafael Terra
 
Projeto #The Social Media Hub
Projeto #The Social Media HubProjeto #The Social Media Hub
Projeto #The Social Media Hub
 
Gestão de conteúdo para redes sociais versão para slide share
Gestão de conteúdo para redes sociais   versão para slide shareGestão de conteúdo para redes sociais   versão para slide share
Gestão de conteúdo para redes sociais versão para slide share
 
Estratégia de Marketing Digital - Publicsin Comunicação
Estratégia de Marketing Digital - Publicsin ComunicaçãoEstratégia de Marketing Digital - Publicsin Comunicação
Estratégia de Marketing Digital - Publicsin Comunicação
 

Destaque

EGEE 3 Project
EGEE 3 ProjectEGEE 3 Project
EGEE 3 Project
alexstanciu
 
Quickbooks
QuickbooksQuickbooks
Quickbooks
Dydacomp
 
Ibnu Khaldun
Ibnu KhaldunIbnu Khaldun
Ibnu Khaldun
Nurhazman Abdul Aziz
 
Organizacja ruchu w Dniu Wszystkich Świętych 2015
Organizacja ruchu w Dniu Wszystkich Świętych 2015Organizacja ruchu w Dniu Wszystkich Świętych 2015
Organizacja ruchu w Dniu Wszystkich Świętych 2015
RadioGdansk
 
Chistes
ChistesChistes
Chistes
runruncacaca
 
cultura chancay
cultura chancaycultura chancay
cultura chancay
Alberto Colán Falcón
 
Prevencion violencia adolescentes mp3
Prevencion violencia adolescentes mp3Prevencion violencia adolescentes mp3
Prevencion violencia adolescentes mp3
subapa17
 
INICIO DIPLOMADO GESTION DEL CAMBIO
INICIO DIPLOMADO GESTION DEL CAMBIOINICIO DIPLOMADO GESTION DEL CAMBIO
INICIO DIPLOMADO GESTION DEL CAMBIO
Leonnys Ml. Acosta Sanchez
 
Planejamento em mídias sociais
Planejamento em mídias sociaisPlanejamento em mídias sociais
Planejamento em mídias sociais
Edney Souza
 
Empresas mexicanas
Empresas mexicanasEmpresas mexicanas
Empresas mexicanas
Ana Karen Prieto Santos
 
Practica 2 pd - Enrique Maquilon
Practica 2   pd - Enrique MaquilonPractica 2   pd - Enrique Maquilon
Practica 2 pd - Enrique Maquilon
kikestock
 
Feliz aniversário, querida estranha
Feliz aniversário, querida estranhaFeliz aniversário, querida estranha
Feliz aniversário, querida estranha
Sá Editora
 
The Game: A powerful tool
The Game: A powerful toolThe Game: A powerful tool
The Game: A powerful tool
Alvaro Gonzalez
 
Bestellbestätigung
BestellbestätigungBestellbestätigung
Bestellbestätigung
Ljubinko
 
werlügt
werlügtwerlügt
werlügt
ecamp14
 
Presentacion de Oportunidad Organo Gold (Republica Dominicana) 2015
Presentacion de Oportunidad Organo Gold (Republica Dominicana) 2015Presentacion de Oportunidad Organo Gold (Republica Dominicana) 2015
Presentacion de Oportunidad Organo Gold (Republica Dominicana) 2015
Jorge Lopez de Victoria
 
Patrocinio Congreso SEO Pro 2012
Patrocinio Congreso SEO Pro 2012Patrocinio Congreso SEO Pro 2012
Patrocinio Congreso SEO Pro 2012
Marketing Online Valencia
 
Un soneto me manda hacer mi profe
Un soneto me manda hacer mi profeUn soneto me manda hacer mi profe
Un soneto me manda hacer mi profe
framoslyl
 
Delisting - An Unfair Binary Game
Delisting - An Unfair Binary GameDelisting - An Unfair Binary Game
Delisting - An Unfair Binary Game
perfectresearch
 
Apuntes 1º eso
Apuntes 1º esoApuntes 1º eso
Apuntes 1º eso
elrinconsaludable
 

Destaque (20)

EGEE 3 Project
EGEE 3 ProjectEGEE 3 Project
EGEE 3 Project
 
Quickbooks
QuickbooksQuickbooks
Quickbooks
 
Ibnu Khaldun
Ibnu KhaldunIbnu Khaldun
Ibnu Khaldun
 
Organizacja ruchu w Dniu Wszystkich Świętych 2015
Organizacja ruchu w Dniu Wszystkich Świętych 2015Organizacja ruchu w Dniu Wszystkich Świętych 2015
Organizacja ruchu w Dniu Wszystkich Świętych 2015
 
Chistes
ChistesChistes
Chistes
 
cultura chancay
cultura chancaycultura chancay
cultura chancay
 
Prevencion violencia adolescentes mp3
Prevencion violencia adolescentes mp3Prevencion violencia adolescentes mp3
Prevencion violencia adolescentes mp3
 
INICIO DIPLOMADO GESTION DEL CAMBIO
INICIO DIPLOMADO GESTION DEL CAMBIOINICIO DIPLOMADO GESTION DEL CAMBIO
INICIO DIPLOMADO GESTION DEL CAMBIO
 
Planejamento em mídias sociais
Planejamento em mídias sociaisPlanejamento em mídias sociais
Planejamento em mídias sociais
 
Empresas mexicanas
Empresas mexicanasEmpresas mexicanas
Empresas mexicanas
 
Practica 2 pd - Enrique Maquilon
Practica 2   pd - Enrique MaquilonPractica 2   pd - Enrique Maquilon
Practica 2 pd - Enrique Maquilon
 
Feliz aniversário, querida estranha
Feliz aniversário, querida estranhaFeliz aniversário, querida estranha
Feliz aniversário, querida estranha
 
The Game: A powerful tool
The Game: A powerful toolThe Game: A powerful tool
The Game: A powerful tool
 
Bestellbestätigung
BestellbestätigungBestellbestätigung
Bestellbestätigung
 
werlügt
werlügtwerlügt
werlügt
 
Presentacion de Oportunidad Organo Gold (Republica Dominicana) 2015
Presentacion de Oportunidad Organo Gold (Republica Dominicana) 2015Presentacion de Oportunidad Organo Gold (Republica Dominicana) 2015
Presentacion de Oportunidad Organo Gold (Republica Dominicana) 2015
 
Patrocinio Congreso SEO Pro 2012
Patrocinio Congreso SEO Pro 2012Patrocinio Congreso SEO Pro 2012
Patrocinio Congreso SEO Pro 2012
 
Un soneto me manda hacer mi profe
Un soneto me manda hacer mi profeUn soneto me manda hacer mi profe
Un soneto me manda hacer mi profe
 
Delisting - An Unfair Binary Game
Delisting - An Unfair Binary GameDelisting - An Unfair Binary Game
Delisting - An Unfair Binary Game
 
Apuntes 1º eso
Apuntes 1º esoApuntes 1º eso
Apuntes 1º eso
 

Semelhante a Diagnóstico para Mídias Sociais

Propostas de metodologias para Monitoramento
Propostas de metodologias para MonitoramentoPropostas de metodologias para Monitoramento
Propostas de metodologias para Monitoramento
Ana Célia Costa
 
Revistas online: do papel às telinhas
Revistas online: do papel às telinhasRevistas online: do papel às telinhas
Revistas online: do papel às telinhas
Tarcízio Silva
 
Revistas online: do papel as telinhas
Revistas online: do papel as telinhasRevistas online: do papel as telinhas
Revistas online: do papel as telinhas
Samuel Barros
 
Relatório de análise da plataforma cultura digital
Relatório de análise da plataforma cultura digitalRelatório de análise da plataforma cultura digital
Relatório de análise da plataforma cultura digital
Gabriela Agustini
 
Projeto 3 Doc
Projeto 3 DocProjeto 3 Doc
Projeto 3 Doc
Inova Gestão
 
Blogs e Twitter
Blogs e Twitter Blogs e Twitter
Blogs e Twitter
Lucia Freitas
 
Relatório do Portal Federal da Participação Social, Participa.br
Relatório do Portal Federal da Participação Social, Participa.brRelatório do Portal Federal da Participação Social, Participa.br
Relatório do Portal Federal da Participação Social, Participa.br
Ana Célia Costa
 
Social
Social Social
Social
frfonseca
 
Social Media Influence Report Instagram em Portugal By PrimeTag
Social Media Influence Report Instagram em Portugal By PrimeTagSocial Media Influence Report Instagram em Portugal By PrimeTag
Social Media Influence Report Instagram em Portugal By PrimeTag
Muhammad El
 
Revistas Online - cartografia de um território em transformação permanente
Revistas Online - cartografia de um território em transformação permanenteRevistas Online - cartografia de um território em transformação permanente
Revistas Online - cartografia de um território em transformação permanente
Tarcízio Silva
 
Web dócil para jornalistas
Web dócil para jornalistasWeb dócil para jornalistas
Web dócil para jornalistas
DricaSantiago
 
Mídias Sociais para pequenos negócios, como usar as mídias sociais para vende...
Mídias Sociais para pequenos negócios, como usar as mídias sociais para vende...Mídias Sociais para pequenos negócios, como usar as mídias sociais para vende...
Mídias Sociais para pequenos negócios, como usar as mídias sociais para vende...
Inventtando Agencia de Palestrantes
 
Hub curitiba techyredes 08mar12
Hub curitiba techyredes 08mar12Hub curitiba techyredes 08mar12
Hub curitiba techyredes 08mar12
Márcio Vasconcelos Pinto
 
Hub curitiba techyredes 08mar12
Hub curitiba techyredes 08mar12Hub curitiba techyredes 08mar12
Hub curitiba techyredes 08mar12
techyredes
 
Expertise Social Media Research - out 2013
Expertise   Social Media Research - out 2013Expertise   Social Media Research - out 2013
Expertise Social Media Research - out 2013
Expertise Inteligência e Pesquisa de Mercado ltda
 
Rain
RainRain
Redes Sociais na Internet e a Economia Étnica: um estudo sobre o Afroempreend...
Redes Sociais na Internet e a Economia Étnica: um estudo sobre o Afroempreend...Redes Sociais na Internet e a Economia Étnica: um estudo sobre o Afroempreend...
Redes Sociais na Internet e a Economia Étnica: um estudo sobre o Afroempreend...
Taís Oliveira
 
1627474248804 (1)
1627474248804 (1)1627474248804 (1)
1627474248804 (1)
RicardoWilliamFerrei
 
Linck-Se | Programa de Capacitação em Mídias Digitais - 3a parte
Linck-Se | Programa de Capacitação em Mídias Digitais - 3a parteLinck-Se | Programa de Capacitação em Mídias Digitais - 3a parte
Linck-Se | Programa de Capacitação em Mídias Digitais - 3a parte
Lincks - Real Estate Marketing
 
WEBmarketing 3 Web20
WEBmarketing 3 Web20WEBmarketing 3 Web20
WEBmarketing 3 Web20
Ronaldo Hofmeister
 

Semelhante a Diagnóstico para Mídias Sociais (20)

Propostas de metodologias para Monitoramento
Propostas de metodologias para MonitoramentoPropostas de metodologias para Monitoramento
Propostas de metodologias para Monitoramento
 
Revistas online: do papel às telinhas
Revistas online: do papel às telinhasRevistas online: do papel às telinhas
Revistas online: do papel às telinhas
 
Revistas online: do papel as telinhas
Revistas online: do papel as telinhasRevistas online: do papel as telinhas
Revistas online: do papel as telinhas
 
Relatório de análise da plataforma cultura digital
Relatório de análise da plataforma cultura digitalRelatório de análise da plataforma cultura digital
Relatório de análise da plataforma cultura digital
 
Projeto 3 Doc
Projeto 3 DocProjeto 3 Doc
Projeto 3 Doc
 
Blogs e Twitter
Blogs e Twitter Blogs e Twitter
Blogs e Twitter
 
Relatório do Portal Federal da Participação Social, Participa.br
Relatório do Portal Federal da Participação Social, Participa.brRelatório do Portal Federal da Participação Social, Participa.br
Relatório do Portal Federal da Participação Social, Participa.br
 
Social
Social Social
Social
 
Social Media Influence Report Instagram em Portugal By PrimeTag
Social Media Influence Report Instagram em Portugal By PrimeTagSocial Media Influence Report Instagram em Portugal By PrimeTag
Social Media Influence Report Instagram em Portugal By PrimeTag
 
Revistas Online - cartografia de um território em transformação permanente
Revistas Online - cartografia de um território em transformação permanenteRevistas Online - cartografia de um território em transformação permanente
Revistas Online - cartografia de um território em transformação permanente
 
Web dócil para jornalistas
Web dócil para jornalistasWeb dócil para jornalistas
Web dócil para jornalistas
 
Mídias Sociais para pequenos negócios, como usar as mídias sociais para vende...
Mídias Sociais para pequenos negócios, como usar as mídias sociais para vende...Mídias Sociais para pequenos negócios, como usar as mídias sociais para vende...
Mídias Sociais para pequenos negócios, como usar as mídias sociais para vende...
 
Hub curitiba techyredes 08mar12
Hub curitiba techyredes 08mar12Hub curitiba techyredes 08mar12
Hub curitiba techyredes 08mar12
 
Hub curitiba techyredes 08mar12
Hub curitiba techyredes 08mar12Hub curitiba techyredes 08mar12
Hub curitiba techyredes 08mar12
 
Expertise Social Media Research - out 2013
Expertise   Social Media Research - out 2013Expertise   Social Media Research - out 2013
Expertise Social Media Research - out 2013
 
Rain
RainRain
Rain
 
Redes Sociais na Internet e a Economia Étnica: um estudo sobre o Afroempreend...
Redes Sociais na Internet e a Economia Étnica: um estudo sobre o Afroempreend...Redes Sociais na Internet e a Economia Étnica: um estudo sobre o Afroempreend...
Redes Sociais na Internet e a Economia Étnica: um estudo sobre o Afroempreend...
 
1627474248804 (1)
1627474248804 (1)1627474248804 (1)
1627474248804 (1)
 
Linck-Se | Programa de Capacitação em Mídias Digitais - 3a parte
Linck-Se | Programa de Capacitação em Mídias Digitais - 3a parteLinck-Se | Programa de Capacitação em Mídias Digitais - 3a parte
Linck-Se | Programa de Capacitação em Mídias Digitais - 3a parte
 
WEBmarketing 3 Web20
WEBmarketing 3 Web20WEBmarketing 3 Web20
WEBmarketing 3 Web20
 

Mais de Lisandra Maioli

Hero's Journey para UX - EN (Lisandra Maioli).pptx
Hero's Journey para UX - EN (Lisandra Maioli).pptxHero's Journey para UX - EN (Lisandra Maioli).pptx
Hero's Journey para UX - EN (Lisandra Maioli).pptx
Lisandra Maioli
 
Hero's Journey para UX.pptx
Hero's Journey para UX.pptxHero's Journey para UX.pptx
Hero's Journey para UX.pptx
Lisandra Maioli
 
Don't let ux ui be a block_ embedding development on product design process _
 Don't let ux ui be a block_ embedding development on product design process _ Don't let ux ui be a block_ embedding development on product design process _
Don't let ux ui be a block_ embedding development on product design process _
Lisandra Maioli
 
UX Research by Lisandra Maioli
UX Research by Lisandra MaioliUX Research by Lisandra Maioli
UX Research by Lisandra Maioli
Lisandra Maioli
 
Intrax - Social Media Strategy
Intrax - Social Media StrategyIntrax - Social Media Strategy
Intrax - Social Media Strategy
Lisandra Maioli
 
UX e dicas práticas
UX e dicas práticasUX e dicas práticas
UX e dicas práticas
Lisandra Maioli
 
Social Media Strategy (2013)
Social Media Strategy (2013)Social Media Strategy (2013)
Social Media Strategy (2013)
Lisandra Maioli
 
UX - Online Classify wireframe
UX - Online Classify wireframeUX - Online Classify wireframe
UX - Online Classify wireframe
Lisandra Maioli
 
Consumer Research
Consumer ResearchConsumer Research
Consumer Research
Lisandra Maioli
 
UX - Experiência do Usuário com foco em Alta Performance
UX - Experiência do Usuário com foco em Alta PerformanceUX - Experiência do Usuário com foco em Alta Performance
UX - Experiência do Usuário com foco em Alta Performance
Lisandra Maioli
 
Online magazine wireframe (Lisandra Maioli))
Online magazine wireframe (Lisandra Maioli))Online magazine wireframe (Lisandra Maioli))
Online magazine wireframe (Lisandra Maioli))
Lisandra Maioli
 
New Website Architecture (by Lisandra Maioli)
New Website Architecture (by Lisandra Maioli)New Website Architecture (by Lisandra Maioli)
New Website Architecture (by Lisandra Maioli)
Lisandra Maioli
 
UX App Design - MeuCarroNovo App
UX App Design - MeuCarroNovo AppUX App Design - MeuCarroNovo App
UX App Design - MeuCarroNovo App
Lisandra Maioli
 
UX Project for LACMA Online Store
UX Project for LACMA Online StoreUX Project for LACMA Online Store
UX Project for LACMA Online Store
Lisandra Maioli
 
James Bond App
James Bond AppJames Bond App
James Bond App
Lisandra Maioli
 
Who is who in UX: Alan Cooper
Who is who in UX: Alan CooperWho is who in UX: Alan Cooper
Who is who in UX: Alan Cooper
Lisandra Maioli
 
GoPro - UCLA project
GoPro - UCLA projectGoPro - UCLA project
GoPro - UCLA project
Lisandra Maioli
 
Talenthouse - Ad Campaign
Talenthouse - Ad CampaignTalenthouse - Ad Campaign
Talenthouse - Ad Campaign
Lisandra Maioli
 
UX Design - Talenthouse Redesign (UCLA)
UX Design - Talenthouse Redesign (UCLA)UX Design - Talenthouse Redesign (UCLA)
UX Design - Talenthouse Redesign (UCLA)
Lisandra Maioli
 
Talenthouse - UX Website Redesign
Talenthouse - UX Website RedesignTalenthouse - UX Website Redesign
Talenthouse - UX Website Redesign
Lisandra Maioli
 

Mais de Lisandra Maioli (20)

Hero's Journey para UX - EN (Lisandra Maioli).pptx
Hero's Journey para UX - EN (Lisandra Maioli).pptxHero's Journey para UX - EN (Lisandra Maioli).pptx
Hero's Journey para UX - EN (Lisandra Maioli).pptx
 
Hero's Journey para UX.pptx
Hero's Journey para UX.pptxHero's Journey para UX.pptx
Hero's Journey para UX.pptx
 
Don't let ux ui be a block_ embedding development on product design process _
 Don't let ux ui be a block_ embedding development on product design process _ Don't let ux ui be a block_ embedding development on product design process _
Don't let ux ui be a block_ embedding development on product design process _
 
UX Research by Lisandra Maioli
UX Research by Lisandra MaioliUX Research by Lisandra Maioli
UX Research by Lisandra Maioli
 
Intrax - Social Media Strategy
Intrax - Social Media StrategyIntrax - Social Media Strategy
Intrax - Social Media Strategy
 
UX e dicas práticas
UX e dicas práticasUX e dicas práticas
UX e dicas práticas
 
Social Media Strategy (2013)
Social Media Strategy (2013)Social Media Strategy (2013)
Social Media Strategy (2013)
 
UX - Online Classify wireframe
UX - Online Classify wireframeUX - Online Classify wireframe
UX - Online Classify wireframe
 
Consumer Research
Consumer ResearchConsumer Research
Consumer Research
 
UX - Experiência do Usuário com foco em Alta Performance
UX - Experiência do Usuário com foco em Alta PerformanceUX - Experiência do Usuário com foco em Alta Performance
UX - Experiência do Usuário com foco em Alta Performance
 
Online magazine wireframe (Lisandra Maioli))
Online magazine wireframe (Lisandra Maioli))Online magazine wireframe (Lisandra Maioli))
Online magazine wireframe (Lisandra Maioli))
 
New Website Architecture (by Lisandra Maioli)
New Website Architecture (by Lisandra Maioli)New Website Architecture (by Lisandra Maioli)
New Website Architecture (by Lisandra Maioli)
 
UX App Design - MeuCarroNovo App
UX App Design - MeuCarroNovo AppUX App Design - MeuCarroNovo App
UX App Design - MeuCarroNovo App
 
UX Project for LACMA Online Store
UX Project for LACMA Online StoreUX Project for LACMA Online Store
UX Project for LACMA Online Store
 
James Bond App
James Bond AppJames Bond App
James Bond App
 
Who is who in UX: Alan Cooper
Who is who in UX: Alan CooperWho is who in UX: Alan Cooper
Who is who in UX: Alan Cooper
 
GoPro - UCLA project
GoPro - UCLA projectGoPro - UCLA project
GoPro - UCLA project
 
Talenthouse - Ad Campaign
Talenthouse - Ad CampaignTalenthouse - Ad Campaign
Talenthouse - Ad Campaign
 
UX Design - Talenthouse Redesign (UCLA)
UX Design - Talenthouse Redesign (UCLA)UX Design - Talenthouse Redesign (UCLA)
UX Design - Talenthouse Redesign (UCLA)
 
Talenthouse - UX Website Redesign
Talenthouse - UX Website RedesignTalenthouse - UX Website Redesign
Talenthouse - UX Website Redesign
 

Último

Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
AlfeuBuriti1
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
InsttLcioEvangelista
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Dantas
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Renan Batista Bitcoin
 

Último (7)

Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
 

Diagnóstico para Mídias Sociais

  • 2. 1 ÍNDICE INTRODUÇÃO ........................................................................................................................ 3 WEBCENÁRIO ........................................................................................................................ 5  Consumidores das Classes ABC ............................................................................................. 15  Decoração, decoradores e cortinas na Web ......................................................................... 20  Cortinas nas conversas das Redes Sociais ............................................................................. 27  Decoração Online .................................................................................................................. 55  Conclusão .............................................................................................................................. 60 ANATEX NA WEB .................................................................................................................. 62  Anatex nas Redes Sociais ...................................................................................................... 77  Anatex nas conversas das Redes Sociais .............................................................................. 82  Conclusão ............................................................................................................................. 84 ANÁLISE DO SITE INSTITUCIONAL .............................................................................................. 85  Análise de SEO ...................................................................................................................... 89  Análise de Usabilidade ........................................................................................................ 98  Conclusão ........................................................................................................................... 104 ANÁLISE DE CONCORRENTES .................................................................................................. 105  Bella Janela ......................................................................................................................... 107  Branyl .................................................................................................................................. 122  Nella Cortinas ..................................................................................................................... 124  Corttex ................................................................................................................................ 125  Fatex ................................................................................................................................... 126  Luxaflex ............................................................................................................................... 127  BlindLux .............................................................................................................................. 130  Criativa Persianas e Cortinas .............................................................................................. 133  Dohler ................................................................................................................................. 146  Altenburg ............................................................................................................................ 159  Belchior Cortinas …………………………………………………………………………………............................ 171  ByFloor ………..................................................................................................…………………… 183  Conclusão …….............................................................................................................………. 187 CONCLUSÕES GERAIS …........................................................................................................ 188
  • 4. 3 INTRODUÇÃO O Diagnóstico, etapa anterior ao desenvolvimento da estratégia de Comunicação Digital, é a base de todo o trabalho que virá a seguir. Ele serve para se entender o universo que será trabalhado além de nortear as ações que serão realizadas no ambiente digital. Nesta fase, a ideia é analisar a percepção externa da marca no universo online pelos usuários. Para realizar este Diagnóstico foi feita uma leitura prévia do material impresso fornecido pela Anatex e do Planejamento de Marketing da empresa. Além de leitura de informações e conteúdos disponíveis no site institucional.  Recomenda-se uma revisão destes materiais em relação ao texto que apresentam alguns erros de gramática. Alguns trechos também podem ser reescritos para melhor compreensão do leitor. Além do material institucional, foram estudadas várias edições de diferentes revistas, websites sobre decoração e referências internacionais indicadas pela Anatex como:  Arquitetura&Construção – Editora Abril  Casa & Decoração – On line Editora  Casa Claudia – Editora Abril  Casa Vogue – Carta editorial  Casa, projetos &estilo – editora Principis Editora  Decorar mais por menos – editora Escala  Decore sua casa – On line Editora  KAZA – Ação editora  Mas pratica (Micasa) - editora Hachette (Espanha)  Micasa – editora Hachette (Espanha)  Projetos para Salas – On line Editora  Vestir a casa (Casa Claudia) – Editora Abril  ViverBem – Editora Preta  Apelt - www.apelt.com  Curtain 4U - www.curtain4u.co.uk  InnerCity - www.innercityhomeproducts.com.au  Moltex - www.moltex.se  Mostyns - www.mostynscurtains.co.uk/curtains  Oka - www.okadirect.com  Vosberg - www.vosberg.com A partir desse entendimento, foi realizado o que chamamos Webcenário. Nesta análise procura-se avaliar o atual estágio da Web e das Redes Sociais no Brasil e sua adesão pelo público-alvo. Procurou-se, então, entender, a partir de pesquisa e da utilização de ferramentas online, o volume e a abordagem dos assuntos relativos ao universo da Anatex.
  • 5. 4 Em seguida, foi analisada a presença digital da Anatex e a atuação nas redes sociais de algumas concorrentes e empresas do setor, por meio de pesquisa e de monitoramento. Além de entender como a Anatex aparece em ambiente online e nas conversas de redes sociais, a ideia era avaliar como outras empresas estão se posicionando nestas plataformas sociais. ainda que não fizesse parte do escopo inicial, o site institucional da Anatex também foi analisado por um especialista em SEO e outro especialista em Usabilidade. O objetivo é entender a encontrabilidade e a navegabilidade do site para o público-alvo. Embora este documento seja focado no Diagnóstico, foi levantada uma série de sugestões ao longo das análises que serão consideradas na fase de elaboração da Estratégia para Comunicação Digital, desenvolvida em seguida. Estas recomendações serão encontradas ao longo do documento pela marcação em itálico: Ao longo do documento, foram destacadas também ações interessantes que podem inspirar as que serão realizadas pela Anatex. Este levantamento fará parte do Benchmarking completo que será usado na fase de elaboração da estratégia da Comunicação Digital. Paralelamente a este trabalho de Diagnóstico, também foi realizado um Mapeamento de blogs e de sites especializados, além de levantamento de influenciadores de redes sociais, para as ações de RP2.0. Boa leitura! Equipe Aeroplano Digital Rio de Janeiro, 18 de novembro de 2011.
  • 7. 6 WEBCENÁRIO “As empresas não escolhem estar nas redes sociais. As pessoas já as colocaram lá” - Marcelo Coutinho1 "A internet se incorpora a tudo e muda uma série de relações que são construídas através das plataformas de comunicação" - Marcelo Coutinho O acesso à internet em qualquer ambiente (domicílios, trabalho, escolas, lan houses ou outros locais) atingiu 77,8 milhões de pessoas no segundo trimestre de 2011, segundo o IBOPE Nielsen Online. Esse número é 5,5% superior ao do segundo trimestre de 2010 e 20% maior que o do segundo trimestre de 2009. Segundo estimativa recente da IAB - Interactive Advertising Bureau, a web deve reunir mais de 85 milhões brasileiros com 16 anos ou mais em 2011. Ainda de acordo com o IBOPE, a subcategoria Comunidades, em que se classificam os sites de redes sociais, fóruns, blogs, microblogs e outras páginas de relacionamento, chegou a 39,3 milhões de pessoas, equivalente a um alcance de 87% dos internautas brasileiros de agosto. Esse alcance posiciona os sites sociais como a terceira subcategoria em número de usuários e mantém o Brasil com o maior alcance em sites de comunidades entre os dez países acompanhados com a mesma metodologia. Em agosto, o Facebook atingiu 30,9 milhões de usuários únicos, ou 68,2% dos internautas no trabalho e em domicílios, equiparando-se ao Orkut, o maior site social no Brasil, até então, que registrou alcance de 64%, ou 29 milhões de usuários. O Twitter também manteve tendência de crescimento no Brasil e em agosto marcou 14,2 milhões de usuários únicos, ou 31,3%. 1 Marcelo Coutinho é doutor (2002) e mestre (1996) em Sociologia pela Universidade de São Paulo, com graduação em Comunicação Social pela mesma universidade (1987) e graduação em Administração pela Fundação Getúlio Vargas (1986). Foi pesquisador visitante no Grupo Internacional de Tecnologia da Harvard University (EUA). Atualmente é Diretor de Inteligência de Mercado para América Latina do Terra Networks e professor de pós graduação na Fundação Getulio Vargas. Ocupou diversos cargos executivos no Grupo IBOPE, Zoom Media Group (EUA) e Grupo O Estado de S. Paulo. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Relações Públicas e Propaganda, atuando principalmente nos seguintes temas: Internet, Economia da Mídia, eleições e globalização.
  • 8. 7 Com esses resultados, o Brasil se consolida como um mercado com elevada utilização de sites sociais, com uso diversificado, refletindo o interesse dos brasileiros pela internet. O expressivo engajamento dos internautas brasileiros pelos sites sociais, como mostra a ferramenta de monitoramento de discussões online, BuzzMetrics (do IBOPE), inclui menções a produtos, serviços ou marcas, proporcionando uma considerável oportunidade de relacionamento com consumidores. Em agosto, em média, cada usuário brasileiro de redes sociais conectou-se a esses sites por um tempo de 7 horas e 14 minutos. Classes Sociais - As classes A e B obtiveram significativa ascensão nos últimos anos, com mais de 3 milhões de novos integrantes. Juntas, elas representam 32% da população, mas absorvem acima de 55% do consumo do País, em todos os grupos de produtos, exceto alimentação. As projeções feitas pelo Pyxis, ferramenta desenvolvida pelo IBOPE Inteligência que dimensiona o mercado de consumo, mostram que o brasileiro gastará mais com alimentação (R$ 226,7 bilhões), com eletrodomésticos (R$ 94,3 bilhões) e com vestuário (R$ 81,4 bilhões). Esta mobilidade social tem chamado a atenção de diversos setores da economia, entre eles o varejo. Outro estudo apontou que 40% dos consumidores A e B são mais atentos às marcas, pois a taxa de consumo mais elevada nas classes A e B apresenta uma forte ligação com o status que as grandes marcas conferem a quem as consome. Os consumidores A e B procuram entender melhor o trabalho das marcas nas redes sociais: os de maior poder aquisitivo seguem as marcas por gostarem e identificarem-se com ela, ao contrário da classe média e as demais que buscam descontos. Os consumidores classe A buscam novidades nas redes, conteúdo, informações, e depois os descontos. A preferência dos internautas pelas principais redes sociais da atualidade – Orkut e Facebook – é apontada por especialistas, do ponto de vista sócio-econômico, como um divisor de classes. O Orkut, considerado a primeira rede social a desembarcar no Brasil, é tido como uma porta de entrada para novos internautas brasileiros – e, por isso, atrai usuários da emergente classe C. Já o Facebook, rede com alcance internacional e composta por recursos sofisticados, tem se consolidado como a favorita dos brasileiros das classes A e B. Muitos usuários antigos do Orkut cometem o “orkuticídio” (cancelamento ou abandono de conta) e migram para o Facebook. É importante lembrar que um estudo feito pela empresa Qualibest mostra que 91% dos usuários brasileiros mantêm perfil no Orkut. A mesma pesquisa também aponta que a adesão ao Facebook é maior entre os ricos (78%), enquanto que o Orkut tem 66% da preferência da classe C. Profissionais nas Redes Sociais - Diferente do que se acreditava, as redes sociais não atraem apenas internautas comuns. Pesquisa recente da PRNewswire aponta, por exemplo, que 79,7% dos jornalistas entrevistados usam redes sociais para entrar em contato com suas fontes. A pesquisa destaca ainda que 83,3% destes jornalistas admitiram usar assuntos nascidos em redes sociais para pautarem veículos. Outra pesquisa com jornalistas, realizada pela Cision US Survey, em 2010, aponta que 90% destes profissionais usam blogs, 65% redes sociais, sendo 52% especificamente Twitter.
  • 9. 8 Os executivos também estão nas redes sociais. Uma pesquisa realizada entre os membros do grupo internacional de executivos Vistage mostra que 41% dos empresários brasileiros que mantém ao menos um perfil nas redes sociais está no Facebook. Os dados, divulgados em maio deste ano, mostra ainda como segundo colocado entre os líderes a rede profissional LinkedIn, que conta com a adesão de 21% do empresariado brasileiro. Orkut, terceiro colocado, tem conta de 17% dos líderes, o Twitter soma 10% e blogs e outras redes têm 3% das contas. Decoradores e designers de interiores – Segundo o publicitário paulistano, Ricardo Botelho, o Brasil tem hoje cerca de 70 mil profissionais com atuação regular no mercado de decoração. Juntos, movimentam algo como R$ 60 bilhões anuais em produtos e serviços. Não há dados disponíveis sobre o número de profissionais da área de decoração e design de interiores presentes nas redes sociais. Porém, estes profissionais são facilmente identificados nestes ambientes. De acordo com texto publicado pelo Shopping Minascasa, o aumento do poder aquisitivo das classes B e C impulsiona o setor de decoração. “Antes, a procura por esse tipo de serviço estava mais restrito à classe A. Hoje, a demanda se expandiu para outras classes também, nem que seja para fazer o projeto de apenas um ambiente”, explica a decoradora parceira do Shopping Minascasa, Sheila Mundin. O espaço para a atuação de decoradores dentro das lojas é outra tendência que vem crescendo. No Shopping Minascasa, a grande maioria das lojas já possui serviço de profissionais da área, que auxiliam o cliente e orientam as compras. “A consultoria de profissionais é benéfica para todas as partes. As lojas ganham em atendimento e conquistam o cliente, ajudando-o a encontrar exatamente o que precisa. Os clientes poupam tempo e contam com auxílio qualificado. Já os decoradores encontram outro espaço para atuação, além de ampliar a cartela de clientes”, afirma o superintendente do Shopping Minascasa, Alexandre Botelho. Além disso, a correria do dia a dia e o crescimento do acesso à internet favorecem o surgimento de outro tipo de serviço, o de consultoria de decoradores online. O Minascasa possui, desde 2008, um serviço do tipo em seu site, que permite tirar dúvidas em até 72 horas. A iniciativa tem trazido resultados positivos e, somente no primeiro trimestre de 2011, foram realizados 80 atendimentos por meio do serviço. Para Alexandre Botelho, o serviço é ideal para quem possui dúvidas pontuais sobre decoração. “Na hora de comprar artigos decorativos para a casa, muitas pessoas não sabem
  • 10. 9 qual cor combina mais com o tapete, sofá, mesa ou com as paredes. Para isso, é só mandar a pergunta para o Decorador On-line, que a resposta será dada o mais rapidamente possível”, diz. De olho na presença deste profissionais nas redes sociais, a Editora Abril desenvolveu a plataforma de rede social CasaPro que, segundo dados2 divulgados em julho deste ano pela empresa, conta com a participação de cerca de 10 mil profissionais da área de decoração. Já a comunidade Casa Claudia, também da editora Abril e voltado para consumidor final, conta com cerca de 12 mil cadastrados; e a comunidade da revista Minha Casa, também do grupo, mais de 20 mil cadastrados. Todas estas comunidades são parte do portal casa.com.br, com audiência de 2,5 milhões de visitantes únicos (maio de 2011), sendo 82% de mulheres entre 20 e 49 anos, 59% da classe B e 31% da classe A. O portal conta ainda com cursos online que, somente em 2010, tiveram 52.000 internautas inscritos. De olho na presença deste profissionais nas redes sociais, a Editora Abril desenvolveu em 2009 a plataforma de rede social CasaPro (http://pro.casa.abril.com.br/) que, segundo dados3 divulgados em julho deste ano pela empresa, conta com a participação de cerca de 10 mil profissionais da área de decoração. A comunidade também conta com um perfil no Twitter com quase 4 mil seguidores. Na comunidade, além Segundo matéria publicada no site do Meio&Mensagem4 , "o portal CasaPro, por sua vez, surgiu da necessidade do núcleo de se aproximar da comunidade de arquitetos, engenheiros, designers e decoradores, bem como da percepção de que esses profissionais precisavam ter um espaço próprio (...) Além dos espaços publicitários tradicionais, o CasaPro oferece aos anunciantes a oportunidade de ter canais customizados". 2 http://www.publiabril.com.br/upload/files/0000/0606/MIDIA_KIT_CASA_COM_BR_FINAL.pdf 3 http://www.publiabril.com.br/upload/files/0000/0606/MIDIA_KIT_CASA_COM_BR_FINAL.pdf 4 http://grupomm.mmonline.com.br/noticias.mm?url=Novidades_na_casa_da_Abril
  • 11. 10  Pode se interessante a Anatex avaliar a possibilidade de manter um canal customizado na plataforma ou mesmo publicar anúncios.
  • 12. 11 É interessante notar que, além de ser um espaço de relacionamento entre os profissionais, também é uma plataforma que permite que a Editora Abril se aproxime deste público. Profissionais cadastrados nesta rede social, por exemplo, são convidados para ações exclusivas e participação em eventos: E os participantes repercutem as ações realizadas, especialmente em seus blogs particulares: http://designdemaquetes.blogspot.com/2010/04/e-o-oscar-vai-para.html
  • 13. 12 Já a comunidade Casa Claudia, também da Editora Abril e voltado para consumidor final, conta com cerca de 12 mil cadastrados; e a comunidade da revista Minha Casa, também do grupo, mais de 20 mil cadastrados. Todas estas comunidades são parte do portal casa.com.br, com audiência de 2,5 milhões de visitantes únicos (maio de 2011), sendo 82% de mulheres entre 20 e 49 anos, 59% da classe B e 31% da classe A. O portal conta ainda com cursos online que, somente em 2010, tiveram 52.000 internautas inscritos. Redes Sociais para empresas - Empresas de diferentes áreas já perceberam que as redes sociais podem ser ótimos canais de relacionamento com seus stakeholders uma vez que os mesmos já estão presentes nestes ambientes. Para se ter uma ideia, dados de uma pesquisa realizada pelo Altimer Group e Wetpaint para a revista Business Week com as 100 empresas mais valiosas ao redor do globo mostraram que os empreendimentos que investem em mídias sociais apresentam melhores resultados e receitas finais mais recheadas. Em média, empresas que investiram em mídias sociais cresceram 18% em um ano, enquanto aquelas que investiram pouco nas redes tiveram queda de 6%, em média, em suas receitas no mesmo período. Um estudo divulgado pela Burston- Marsteller mostrou que 63% das empresas no Brasil estão presentes em pelo menos uma rede social. Na época, a maior participação era no Twitter, que contava com a presença de 53% das empresas que usam as redes sociais. Hoje, a atuação no Facebook tem aumentado cada vez mais, embora, estudo5 da Accenture indica que uma grande parcela dos varejistas e sites do tipo ainda não explora por completo essa oportunidade dada pelas redes sociais. Segundo a consultoria, empresas que possuem marketing digital em redes sociais podem se beneficiar quando o usuário clica no link da marca e visita a página oficial da companhia, além de desenvolverem campanhas para atingir um número maior de pessoas. Empresas das mais diferentes áreas já garantem sua presença redes sociais como as construtoras Rossi6 , Gafisa, Tecnisa, entre várias outras. Todas elas admitem que as plataformas são fundamentais nas ações de relacionamento com seus públicos além de fortalecer a marca no ambiente digital. “Primeiro utilizávamos o correio tradicional, com o envio de cartas e telegramas. Depois migramos para o e-mail com fotos anexadas. Hoje continuamos utilizando o e-mail, só que com o envio de link para o acesso às fotos no Flickr, além, claro, da ampla divulgação nas redes sociais”, contou o diretor da Marques Construtora, Vitor Marques em entrevista ao portal da Revista Exame7 . Redes Sociais e decisão de compra - Uma pesquisa realizada pelo IBOPE Mídia, e divulgada em novembro de 2010, apontou que pelo menos um quarto (25%) dos internautas brasileiros admitem 5 http://colunistas.ig.com.br/guilhermebarros/2010/10/20/redes-sociais-vao-transformar-marketing-online-preve- consultoria/ 6 http://colunistas.ig.com.br/guilhermebarros/2011/10/06/rossi-e-lider-de-seguidores-em-redes-sociais-entre- construtoras/ 7 http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/status-do-imovel-dia-a-dia-da-obra-nas-redes-sociais
  • 14. 13 ser influenciados por redes sociais como Twitter e Facebook na hora de comprar. O estudo envolveu 8.561 entrevistados em onze metrópoles do País. De acordo com o documento, os internautas do Rio de Janeiro são aqueles que mais levam em conta o fator redes sociais em suas decisões de compras, com 33% dos entrevistados dizendo-se influenciados pelas plataformas. O relatório indica ainda que 20% dos participantes compraram um telefone ou mudaram o seu plano para facilitar o acesso às redes. Ainda que não tenham apontado um percentual, a maior parte dos participantes se diz favorável às ações publicitárias nas redes. A pesquisa mostrou ainda que os internautas nacionais têm um alto nível de interação com as redes sociais: 96% deles lêem, assistem e ouvem conteúdos nelas; já 83% compartilham informações e 44% avaliam os dados. Cerca de 33% publicam, mantêm e criam conteúdos e apenas 10% editam, moderam e influenciam nas redes. Pesquisa mais recente, divulgada em junho deste ano, aponta que 56% dos usuários de internet do Brasil usam as redes sociais para adquirir produtos e serviços na internet. O estudo, realizado pela Oh! Panel e encomendada pelo Mercado Livre, mostra ainda que cerca de seis em cada dez dos usuários de internet do país realizam pesquisas nas redes sociais antes de comprar produtos e serviços. Por fim, 72,8% dos entrevistados disseram confiar mais na recomendação dos amigos em redes como Facebook, Twitter e Orkut do que na análise de um especialista.
  • 15. 14 A pesquisa mostrou ainda que mais de 40% dos brasileiros entrevistados acompanham a atuação de suas marcas favoritas nas redes. Eles apresentam duas razões para isso: conhecer novos produtos (81%) e encontrar novas ofertas (75,6%). Segundo estudo da Sophia Mind - núcleo de pesquisa do portal BolsadeMulher.com.br, voltado ao público feminino -, entre outubro de 2009 e janeiro de 2010, 67% das usuárias buscaram informações na rede sobre produtos ou serviços. A pesquisa mostrou ainda que 60% das mulheres comentaram suas experiências de consumo nas redes sociais, sendo elas positivas ou negativas. Mais da metade das entrevistadas já compraram algum produto baseado em indicações que tiveram em redes sociais, sendo que 21% delas confiam em comentários de pessoas conhecidas e 33% compram independentemente da pessoa que indica o produto.
  • 16. 15 CONSUMIDORES DA CLASSE ABC Segundo recente levantamento do IBOPE, as classes A e B juntas representam 32% da população, mas, mesmo com a ascensão da classe C, ambas absorvem acima de 55% do consumo do País, em todos os grupos de produtos, exceto alimentação. O estudo foi feito através do Pyxis, software que mostra o potencial de consumo por grupos de produtos e por classes sociais em todos os municípios brasileiros. Vale destacar que, segundo pesquisas, de acordo com informações publicadas no jornal Estado de Minas, em outubro de 2010, os brasileiros da nova classe média brasileira, a popular classe C, com rendimento familiar entre R$ 1.126 e R$ 4.854, estão pouco a pouco melhorando de vida, aumentando os seus rendimentos e virando classe B, que tem renda mensal entre R$ 4.854 e R$ 6.329. Segundo estudos da Fundação Getulio Vargas (FGV) e da Ativa Corretora, os brasileiros da nova classe média brasileira, a popular classe C, com rendimento familiar entre R$ 1.126 e R$ 4.854, estão pouco a pouco melhorando de vida, aumentando os seus rendimentos e virando classe B, que tem renda mensal entre R$ 4.854 e R$ 6.329. Entre 2008 e 2009, segundo levantamento do Centro de Políticas Sociais da FGV, 443 mil pessoas saíram da classe C para a B. Levando em conta os seis anos entre 2003 e 2009, ingressaram na classe B um batalhão de 3,4 milhões de cidadãos. A escalada social empurra a demanda por serviços mais sofisticados, aos quais essa parcela da população tinha acesso limitado até então. Nos próximos anos, segundo o relatório da Ativa, empresas que estejam migrando parte do seu mix de produtos para o padrão de consumo da classe B devem ser beneficiadas. Em 2011, as classes A e B serão responsáveis por quase 53% do consumo total do país, embora não representem nem 20% da população. O novo perfil da classe B, de acordo com matéria divulgada pela DCI – Diário de Comércio e Indústria - em outubro de 2010, é formado por pessoas que se casam mais tarde, não têm filhos, e são o que os americanos chamam de dink (dupla renda sem filhos). Segundo a Pesquisa de Orçamento familiar do IBGE de 2003 a 2009 eles aumentaram a participação de 7% em 2003 para 10% no ano passado. Estes homens e mulheres de classe média ou média alta têm maiores rendas individuais e podem gastar mais com suas casas (reformas e decoração, nos jardins, na cozinha, nos banheiros e quartos e nas diversas utilidades das salas: salas de estar, jantar, de TV, meditação e leitura). Consumo de itens de decoração - Em estudo realizado pelo IBOPE Inteligência, por meio da ferramenta de dimensionamento de mercado Pyxis – divulgado em setembro de 2010 -, a cidade de São Paulo foi apontada como o principal mercado de itens para casa no Brasil. A capital paulista detém 11% do total de móveis, artigos para decoração, utensílios domésticos e cama, mesa e banho consumidos no país, seguida por Rio de Janeiro (5,5%), Salvador (2,5%), Belo Horizonte (2,3%) e Curitiba (2%). O paulistano gasta em média R$406 por ano com essa categoria de produto, quase o drobro da média nacional (R$ 236). O gasto médio no Estado de São Paulo, que responde por 30% do
  • 17. 16 consumo brasileiro, é de R$ 288. O estudo revela ainda que esse mercado movimenta R$ 37,7 bilhões anualmente em todo o Brasil. As classes B e C são responsáveis por 74% dos gastos – a classe B é responsável pela maior fatia, com 42% do total –,enquanto a classe A responde por 19% e a DE, por 7%. Segundo Antônio Carlos Ruótolo, diretor de geonegócios do IBOPE Inteligência, os produtos relacionados à casa, construção, reforma e decoração tem crescido na prioridade dos consumidores. Todo este movimento das classes B e C tem feito algumas empresas se reposicionarem. Mario Sette, diretor comercial da Coteminas S.A, explicou, em matéria para o site Textilia8 que a revitalização das marcas Artex e Santista resultou de um profundo trabalho de pesquisa junto ao mercado nacional. “Em 2007, após esta sondagem, detectamos mudanças significativas no comportamento do consumidor. Os segmentos B e C cresceram enquanto o A permaneceu estável. Houve uma transformação no poder de compra da nova classe média brasileira, que migrou da faixa D para a C. Além disso, a estrutura familiar também mudou, as pessoas estão se casando mais tarde, entre os 28 e 35 anos, quando já estão razoavelmente estabilizadas. Outro fator importante: muitos lares estão sendo chefiados por mulheres que, naturalmente, tendem a se preocupar mais com a casa”. Mulheres - pesquisa realizada em 2009 pela Oceano Azul Social Research com mulheres de classe AB entre 21 e 41 anos de Florianópolis (SC), aponta elas são responsáveis por até 80% das compras da casa. Dão importância para o conforto do lar, gostam de ambientes organizados, leves, modernos e clean, valorizam o design e entendem que tapetes, almofadas e cortinas "vestem" o ambiente. Dão preferência para produtos com qualidade, com alta durabilidade e citam as marcas: Döhler, Buettner, Teka, Artex, Altemburg, Buddmeyer, Havan, Flamingo, MMartan e Trussard. 8 http://www.textilia.net/materias/ler/decoracao-textil-e-lar/atualidades/texteis_lar_ao_gosto_do_cliente
  • 18. 17 A pesquisa destaca ainda dados da Pesquisa Nacional de Demografia em Saúde (PNDS), divulgada recentemente pelo Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), que mostram um aumento em 15% da mulher no mercado de trabalho e como empreendedoras: 38% das micro e pequenas empresas nacionais são comandadas por mulheres. Outra pesquisa do IBOPE, também de 2009, revela que estas mulheres de classe AB somam 40% da população ativa, sendo que 56% são de alunas universitárias. Pelo menos 19% destas mulheres de classe AB (Cerca de 1,7 milhões) são independentes, sofisticadas, gostam de experimentar coisas novas, viciadas em informação. Em 2007, a empresa Rohde&Carvalho Diagnóstico e Pesquisa, com o apoio da Uffizi Consultoria em Comunicação e Lojas Renner, realizou um levantamento sobre o comportamento feminino nas sete principais capitais brasileiras. O levantamento ouviu 2.120 mulheres residentes em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Salvador e Recife. Deste total, 36% pertenciam à Classe C, 35% à Classe B e 29% à Classe A. A metade do público pesquisado era casada ou tinha namorado. A pesquisa apontou ainda que apesar de 76% das mulheres trabalharem fora, apenas 46% têm carteira assinada e 24% são autônomas ou profissionais liberais. Um grande número de mulheres é responsável por parte do orçamento familiar (73%). Estão envolvidas com o seu trabalho na maior parte do tempo (72%), e são independentes financeiramente (71%). Há uma preferência pelo consumo de alimentos prontos ou congelados (68%) e com baixo teor de gordura (56%). Serviços como vídeo locadoras (66%) e entregas por telefone (47%) estão entre aqueles que mais são usados pelo sexo feminino. Para estas mulheres, ter família completa ainda é muito importante (89%), e reunir amigos e ir ao shopping (ambos com 69%) são os programas preferidos. Segundo pesquisa “As poderosas da nova classe média brasileira” - divulgada em setembro deste ano e realizada pelo Instituto Data Popular em parceria com a Abril Mídia - 62% têm interesse em decoração e 80% tem prazer de receber pessoas em casa (a decoração é símbolo de status). Pesquisa realizada pela Editora Abril em parceria com o IBOPE, divulgada em maio deste ano, aponta que 81% das mulheres da classe C investiriam para ter uma casa mais aconchegante e bonita e 50% delas consideram as cortinas fundamentais para deixar a casa mais bela. Solteiros - Matéria publicada em outubro deste ano no jornal O Diário, de Londrina (PR), aponta que, no Brasil, os solteiros são responsáveis pela circulação de R$ 419 bilhões anualmente. Com dinheiro no bolso, eles investem cada vez mais na decoração do imóvel, sobretudo com a intenção de otimizar o espaço, bem como de promover a sensação de amplitude. Os solteiros, segundo a matéria, destinavam seus salários para viagens, entretenimento e tecnologia. Ainda destinam, mas agora as classes A e B de solteiros também investem na área de arquitetura e design de interiores. O grupo corresponde a 47,1 milhões de pessoas – conforme dados do Data Popular. Conforto, sustentabilidade e pessoalidade são algumas das características exigidas por esse público, como explica o arquiteto e designer de interiores Glaucio Gonçalves em entrevista ao Portal
  • 19. 18 Obra24Horas, em outubro deste ano. A matéria completa ainda que, com bons salários e poucas despesas, esse grupo destinava grandes quantias em viagens, entretenimento e tecnologia. Hoje, no entanto, ele vê a contratação de arquitetos e designers de interiores como investimento e procura nos profissionais uma forma de imprimir sua personalidade ao imóvel que habita. Classe C – por outro lado, a Classe C tem investido em decoração. Segundo matéria apresentada no Jornal da Record, no canal Record News (http://www.youtube.com/watch?v=tBRaFMUnfEk), dados da Associação de Designers de Interiores apontam um crescimento de 500% nos no setor de decoração nos últimos em todo país. Com o aumento da renda média do brasileiro, principalmente a Classe C tem investido mais no setor. Famílias que ganham até cinco mil reais buscam artigos modernos, de bom gosto e a preços acessíveis. Matéria publicada no jornal ABCD Maio, em julho deste ano, destaca que Com a migração de 19 milhões de brasileiros para a classe C no ano passado cresceu a procura pelos serviços de designers de interiores, uma novidade no setor, antes limitado a um público com maior poder aquisitivo. Na concepção da presidente da IAB (Instituto dos Arquitetos do Brasil), Rosana Ferrari, o programa do governo federal de incentivo a moradia própria, as construções de novas habitações verticais e horizontais e o crescimento das empresas assaram a ser um dos fatores que favorecem o crescimento da demanda pelos profissionais. Matéria publicada no jornal Estado de Minas, em abril deste ano, lembra que o fato de contar com menor poder aquisitivo que o público B, por exemplo, não significa que a classe média descuida-se da qualidade. "Não existem grandes diferenciais em termos de exigência. Os dois públicos querem design e qualidade. Mas classe a média tem um pouco mais de preocupação com o preço e opta mais pelas compras a prazo", observa Alexandre.
  • 20. 19 Letícia Dias diz que, no caso de arquitetos e decoradores, os projetos são desenvolvidos independente da classe social. Tendo como ponto de partida o equilíbrio entre a estética e a funcionalidade, o que diferencia os públicos é a importância que cada segmento atribui a itens do projeto. "A classe C não trocaria a funcionalidade pela estética. Já os públicos das classes A e B, apesar de prezarem pela praticidade, algumas vezes optam por um produto apenas por sua aparência", verifica a arquiteta.
  • 21. 20 DECORAÇÃO, DECORADORES E CORTINAS NA WEB Para entender as oportunidades da Anatex em participar de conversas das redes sociais, foram pesquisados alguns termos em torno da marca como “decoração”, “decoradores”, “design de interiores”, “cortinas” e algumas variações. Uma pesquisa pelo termo “cortinas”, por exemplo, realizada com o buscador online mais popular entre os brasileiros, o Google, e com o filtro para resultados em Português, a ferramenta retorna mais de 11 milhões de links. O número salta para busca pelo termo “decoração” que chega perto dos 85 milhões. Utilizando ainda o Google para a busca do termo “design de interiores” filtrado para resultados no Twitter, a ferramenta retorna mais de 22 mil mensagens. Já “designer de interiores”, o número cai para 2.700 resultados de busca. Os termos “decoradores” e “decoradora” têm resultados semelhantes, alcançando o numero de 3.500. O número de resultados sobe para 5 mil quando o termo buscado é “decorador”. O termo “decoração”, sem dúvida, é o que mais aparece nos resultados de busca alcançando quase 350 mil mensagens. Curiosamente, o termo “cortinas” também apresenta um resultado expressivo com mais de 80 mil mensagens. Impressionantemente, o termo “cortinas” filtrado em português para resultados do Facebook, ultrapassam o número de 7 milhões. O termo “decoração “chega a 10,5 milhões e “design de interiores” 377 mil. Já os termos “Designer de interiores", “decoradores”, “decoradora” e “decorador” apresentam entre 10 e 13 mil resultados de busca, utilizando-se os mesmos filtros. Utilizando a ferramenta Google Trends9 , que apresenta o volume de busca por termos durante um período e por região. Ao utilizar o filtro da ferramenta para volume de buscas no Brasil em 2011, por exemplo, é possível observar uma leve tendência crescente na busca pelo termo “cortinas”. 9 http://pt.wikipedia.org/wiki/Google_Trends
  • 22. 21 Ao ampliar a mesma pesquisa para o período de 12 meses, observa-se um pico de buscas pelo termo “cortinas” no início de dezembro e uma queda na segunda quinzena de dezembro, natural no período de festas. Uma comparação de busca entre os termos “cortinas” e “persianas”, produto concorrente, apresenta a mesma oscilação em dezembro, porém, é possível observar dois pontos interessantes: 1) o volume de buscas pelo termo “cortinas” é superior em relação ao termo “persianas”; 2) embora as oscilações de busca sejam parecidas, o termo “cortinas” apresenta esta leve tendência de crescimento, conforme falado anteriormente. Isso pode significar um interesse maior por cortinas em relação às persianas, que podemos considerar produto concorrente.
  • 23. 22  Diante deste cenário, recomenda-se, no plano de comunicação para redes sociais, apresentar as diferenças e, especialmente, vantagens do produto “cortinas” em relação ao produto “persianas”. As mensagens, porém, não devem denegrir este segundo produto, uma vez que a Anatex poderá vir, futuramente, a incluí-lo em seu portfólio. Pelo Google Trends é possível levantar ainda o volume de buscas do termo “cortinas” por região brasileira, nos últimos 12 meses. A ferramenta apresenta ainda as 10 principais cidades que realizam busca pelo termo. É interessante observar que os três estados que apresentam os maiores volumes de busca são todos os da região sul. Embora a ordem dos estados brasileiros em volume de buscas pelo termo “persianas” tenha sido um pouco diferente nos últimos 12 meses, o principal volume dos três principais estados também se concentra no sul do país. Outra ferramenta do Google que levanta o interesse de palavras-chave pelos usuários do buscador é o Google Insights. Ao se realizar uma pesquisa comparativa entre o termo “cortinas” e “persianas”, é possível observar a tendência de crescimento pelo concorrente Bella Janela Com volume de buscas especialmente em Santa Catarina e em São Paulo
  • 24. 23 Ao utilizar o filtro para o termo “persianas”, observa-se a concorrente Luxaflex aparecendo nas principais pesquisas, além da Columbia e a Persol, que também comercializa cortinas, na lista de tendências.
  • 25. 24 Outra ferramenta do Google, o AdWords10 , também apresenta volume de busca para sugerir termos e palavras-chave. Ao se solicitar sugestões de termos para acompanhar a palavra-chave “cortinas”, a ferramenta sugere as seguintes palavras, por volume: 10 http://pt.wikipedia.org/wiki/Adwords
  • 26. 25  É interessante destacar o termo “Black out” sugerido pela ferramenta. Embora o termo apresente um alto volume de buscas, é pouco trabalhado nos links patrocinados. Aproveitando o verão, é interessante utilizar bastante este termo no conteúdo e nas campanhas online da Anatex. Ainda pelo Google Insights, é possível observar um maior interesse pela marca Luxaflex em relação à Bella Janela, que apresenta um melhor posicionamento em Santa Catarina. Porém, ao incluir a marca Corttex, indicada pela Anatex como uma de suas concorrentes, é possível observar que esta apresenta interesse similar à da marca Bella Janela, embora a primeira tenha um volume inferior, além de não aparecer nos interesses de busca de São Paulo:
  • 27. 26 A Anatex não apareceu em nenhuma das comparações realizadas, o que mostra o baixíssimo interesse pela marca na utilização da ferramenta Google para realização de buscas.
  • 28. 27 CORTINAS NAS CONVERSAS DAS REDES SOCIAIS Além de terem sido encontrados muitos perfis no Twitter de decoradores e de designers de interiores, foram encontradas também páginas institucionais no Facebook e perfis oficiais no Twitter de empresas da área. Estas serão analisadas mais adiante. Foi encontrado também um verbete “cortina” no Wikipedia, porém, ainda não foi criado para “cortinas”:
  • 29. 28 Ao se buscar o termo “cortinas” no Twitter, com filtro para mensagens em língua portuguesa, é possível observar sentimentos e temas recorrentes em relação ao produto:  Dificuldade de instalação, sinônimo de tarefa chata (geralmente feita no fim de semana)  Incômodo com profissionais contratados para instalação e manutenção/lavagem  Comprar/instalar cortinas são consideradas tarefas e não experiências  Cortina como sinônimo de privacidade e de descanso  Cortina é o último item da decoração, mas é sinônimo de finalização  Cortina é vista como necessidade para controle de luminosidade, especialmente no quarto  Alguns usuários comemoram a instalação das cortinas e as vêem como diferencial da decoração Instalação e tarefas
  • 30. 29
  • 31. 30
  • 33. 32
  • 34. 33
  • 37. 36
  • 38. 37
  • 41. 40
  • 42. 41
  • 44. 43
  • 45. 44 Yahoo Respostas É possível perceber também o interesse dos usuários pelo assunto em outras plataformas online como o Yahoo Respostas, onde publicam-se dúvidas e questões sobre diferentes temas. Encontra- se, por exemplo, uma série de dúvidas sobre escolha de cortinas, cominação com a decoração e até instalação:
  • 46. 45 Alguns exemplos de perguntas publicadas por usuários comuns nesta plataforma:
  • 47. 46
  • 48. 47
  • 49. 48
  • 50. 49
  • 51. 50
  • 52. 51
  • 53. 52
  • 54. 53
  • 55. 54
  • 56. 55 DECORAÇÃO ONLINE Além do serviço “Decorador Online”, oferecido pelo Shopping Minascasa, que vimos anteriormente, há também disponível na web a plataforma Decoradornet (http://www.decoradornet.com.br/ - Page rank 4). Uma equipe de decoradores e de arquitetos, coordenada pelo engenheiro Guilherme Ommundsen e pela arquiteta Mariana Albuquerque, desenvolve projetos de decoração via internet. O cliente envia fotos do ambiente que será decorado, além de responder um questionário e recebe seu projeto, com indicações de peças, em 15 dias após o pagamento. Feito o projeto, o Decoradornet indica os móveis e objetos de decoração que devem ser comprados. A compra é feita por intermédio do próprio site. “Nós temos um contrato de parceria com os fornecedores. Como estamos trabalhando via internet o fornecedor deixa de ter custos que teria ao fazer uma venda na loja e essa economia ele repassa no preço do produto”, explicou, para o portal Casa Abril11 , Mariângela Dabbur Nader, que faz parte da equipe de profissionais do site. O DecoradorNet conta ainda com uma série de parceiros: 11 http://casa.abril.com.br/noticias/profissionais-oferecem-projetos-decoracao-site-611113.shtml
  • 57. 56  Pode ser interessante a Anatex estudar uma possibilidade de parceria com a DecoradorNet. A plataforma conta ainda com um perfil no Twitter com mais de mil seguidores, além de blog (decoradornet.blogspot.com) e página no Facebook (www.facebook.com/decoradornet): A proposta do WebDecorador (http://www.webdecorador.com/ - Page rank 0), do designer de interiores David Defizio, também é parecida com a do Decoradornet:
  • 58. 57 Já a Quality Móveis, da cidade de Cláudio (MG), oferece um banco de profissionais de decoração que, se aprovados após cadastro, são divulgados em seu blog: http://www.centrodeatendimento.com.br/quality/
  • 59. 58 A empresa postuguesa Sublime Cortinas (http://www.sublime-cortinas.com/) oferece uma ferramenta online para personalização de cortinas:
  • 60. 59
  • 61. 60 CONCLUSÃO O assunto “cortinas” e outros temas em torno deste termo, já fazem parte tanto de conteúdo na web quanto das conversas nas redes sociais. Algumas empresas já perceberam este potencial e ativaram seus perfis e páginas nestes ambientes, como veremos no capítulo “Análise de Concorrentes”. Ainda assim, é possível perceber que há mensagens negativas em torno dos temas, principalmente em relação à instalação e manutenção. Pelo levantamento das mensagens com o termo “cortinas” é possível perceber ainda a dificuldade dos clientes na escolha do produto e desconhecimento de marcas disponíveis. Embora haja a percepção de que se trata de um item importante do lar, é o último na lista da decoração. Por outro lado, os usuários repercutem matérias e conteúdos positivos produzidos por veículos, blogueiros e empresas, além de comemorar o novo item do lar. A Anatex, ao participar do ambiente online e das conversas nas redes sociais, tem uma importante missão em desmistificar o universo das cortinas, especialmente para o consumidor comum. É importante divulgar não só os produtos, mas também sua praticidade na instalação/manutenção e, principalmente, apresentar as cortinas como item fundamental da decoração do lar. A Anatex deve ser reconhecida ainda pela sua característica de consultora de decoração e de estilo, além de empresa de tecelagem e confecção de cortinas que aliam qualidade, tecnologia e design de ponta a preços acessíveis, com praticidade de instalação e de manutenção. O levantamento dos temas que serão trabalhados na produção do conteúdo para estas plataformas devem ser definidos a partir das mensagens-chave da marca. E detalhados no plano editorial, desenvolvido na segunda fase, posteriormente à finalização do Diagnóstico e da Imersão. O público-alvo na Anatex está focado na classe B e, embora abranja homens e mulheres adultos e ativamente profissionais, sem dúvida as mulheres são as principais consumidoras dos produtos da empresa. Também entende-se que os solteiros e os dinks (jovens casais) desta classe possam ver os produtos da Anatex como itens que podem agregar, com praticidade e design atual, à decoração do seu lar. Outro ponto importante é que, nesta fase, em que seus produtos devem ser reconhecidos pela classe B, não é recomendável o desenvolvimento de um trabalho no Orkut, ambiente com maior adesão da classe C. O trabalho de relacionamento e de produção/publicação de conteúdo nas redes sociais deve ser iniciado nas plataformas como Twitter e Facebook, que têm maior adesão da classe A e B. Vale ainda, analisar a possibilidade de produzir e publicar conteúdo para outros ambientes, também acessados pela classe A e B e que também contribuem para a Divulgação e encontrabilidade da marca. No Slideshare, Issuu ou Scribd, por exemplo, é possível publicar portfólios e catálogos dos produtos, além de guias e manuais da marca. Para finalizar, é importante, como dito anteriormente, que se acompanhe de perto onde a marca Anatex está presente, por meio de monitoramento, seja em plataformas onde ela está oficialmente ou não. Além de acompanhar mensagens e páginas que citam a marca, é interessante entender as oportunidades de se interagir e de se relacionar com potenciais clientes nestas outras plataformas,
  • 62. 61 como respondendo às dúvidas dos usuários no Yahoo Respostas, por exemplo. Ou ainda desenvolver o verberte “cortinas” no Wikipedia, que já possui o verbete “cortina”: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cortina
  • 64. 63 ANATEX NA WEB Ao se realizar uma busca pelo termo “Anatex” no Google, a empresa aparece bem colocada na primeira página com diferentes endereços com link direto para acesso ao site institucional, sendo o terceiro com uma colocação inferior em relação aos dois primeiros:  Anatex.net.br  Anatexdecoracoes.com.br  Anatexcortinas.com.br  Recomenda-se trabalhar nas ações de Comunicação e de Marketing apenas uma URL. Neste momento, a mais indicada seria a terceira (Anatexcortinas.com.br).
  • 65. 64 Além do resultado de busca indicar endereços com links diretos para acesso ao site institucional, pode-se encontrar citações à Anatex em ferramentas de Mapas, em Guias de endereços, em releases de feiras e até em ofertas de vagas de emprego. Alguns exemplos: Guias e Mapas  E-guias http://eguias.net/empresas/MG/borda-da-mata/588088-Anatex-industria-e-comercio.html
  • 68. 67  Guia Têxtil http://www.guiatextil.com/site/empresa/Anatex/contact/  Guia Mais http://www.guiamais.com.br/local/Anatex+decoracoes-decoracoes-socorro-sp-14210688-2
  • 71. 70 Ofertas de emprego  Catho http://cadastro.catho.com.br/Anatex/412746/  Brasil Vagas http://www.brasilvagas.com/2011/05/contra-mestre-borda-da-mata.html
  • 72. 71 Releases  Guia Têxtil (Fonte: mídiamoda) http://www.guiatextil.com/site/noticias/negocios/compradores_qualificados_superaram_a s_expectativas_da_texfair_home_2011  Guia Têxtil (Fonte: Mídia Moda) http://www.guiatextil.com/site/noticias/feiras/texfair_2010_destaca_novos_expositores_e _parcerias_para_atrair_compradores_internacionais
  • 74. 73  Agregário http://agregario.com/Anatex-apresenta-novas-tendencias-design-cortinas-alto-padrao  É fundamental acompanhar a interação e inserção de comentários de usuários também nestas páginas onde a Anatex está presente. Um bom exemplo seria o caso do site Qype, onde há um pedido de uma usuária para ser revendedora da marca, uma oportunidade de ampliar a atuação da Anatex.  É importante também manter a divulgação de releases para sites especializados e voltados para jornalistas, como o Maxpress, o que contribui consideravelmente para a exposição da marca.
  • 75. 74 A marca aparece ainda em várias lojas e magazines online, além de ferramentas de comparadores de preço como Buscapé: Além destas referências, foi encontrado também uma página dedicada a uma loja Anatex Decorações no portal do Moda Loja de Fábricas, de Socorro-SP:  Moda de Fábrica http://www.modadefabrica.com.br/lojas/decoracao/Anatex.asp
  • 76. 75
  • 77. 76 OUTRAS EMPRESAS “ANATEX” Ainda ao se navegar pelas páginas de resultado de busca por “Anatex” no Google, utilizando o filtro “em português”, encontram-se a marca Anatex ligada a outras empresas e produtos, até mesmo a um time de futebol, o que reforça a importância de se trabalhar a marca “Anatex Cortinas” em todos os projetos de Comunicação, ao menos nesta fase: Nome Área Local URL Anatex Futebol Clube Futebol Anápolis-GO http://migre.me/69YKc Anatex Comercio Confecções e Malharia Ltda Confecção/malharia Goiânia-GO http://migre.me/69YM7 Anatex Armarinho e Perfumaria Ltda Armarinhos e perfumes Rio de Janeiro-RJ http://migre.me/69YQE Anatex Magazine Ltda Calçados Lagoa Vermelha-RS http://migre.me/69YSN Malharia Anatex Confecção São Paulo-SP http://migre.me/69YUq Maison Anatex (noivas) Roupas de festa Brasília-DF http://migre.me/69YVq
  • 78. 77 ANATEX NAS REDES SOCIAIS A Anatex criou alguns canais nas redes sociais – Twitter, Facebook, YouTube, Flickr, Orkut - mas nem todos estão ativados. Todas as contas das redes sociais estão linkadas no site institucional. Apenas o Flickr e o YouTube contém conteúdo publicado. Os perfis no Twitter e no Orkut foram criados, mas não há seguidores, conteúdo publicado ou atividade. É importante destacar que foi criado um perfil e não uma página no Facebook como é recomendado pela política de uso desta rede social. Análise e Recomendações:  Facebook: www.facebook.com/profile.php?id=100002962857890 A Anatex criou um perfil (profile), que não está ativado, e não uma página (Page) como é regra do Facebook: os perfis são destinados às Pessoas Físicas e as páginas são específicas para empresas, marcas ou corporações. Esta prática não é recomendável: além do perfil não oferecer os mesmos recursos de uma página (como analise de audiência e métricas, utilização de aplicativos, personalização de abas etc), corre-se o risco, do perfil da Anatex ser banido do Facebook por estar contra a política de uso desta rede social. É importante ainda personalizar a URL para que fique mais amigável para o usuário.  Twitter: twitter.com/#!/Anatexhome A conta do microblog apresenta apenas uma publicação. É importante rever a BIO com foco em palavras-chaves. É importante também definir se a URL do site oficial divulgada na BIO será mesmo a net.br. Outro ponto é em relação ao nome do perfil: vale repensar padronizar o uso de “Anatexcortinas” para todas as contas.
  • 79. 78  YouTube: www.youtube.com/user/canalAnatex e www.youtube.com/user/Anatexcortinas A empresa apresenta dois endereços diferentes de canais de vídeos: canalAnatex e Anatexcortinas. É importante concentrar as publicações em um único canal para não dispersar a audiência ou confundir o usuário. A sugestão é a utilização de um perfil padrão como “Anatexcortinas”. É importante também incluir descrição em cada vídeo, utilizando palavras-chave e link para o site institucional. Valle também completar as informações do perfil. Perfil Anatexcortinas:
  • 80. 79 Perfil canalAnatex:  Flickr: www.flickr.com/photos/Anatex/sets e htwww.flickr.com/photos/Anatextrade/sets/ É importante completar as informações do perfil e rever as descrições das imagens para aumentar a encontrabilidade dos álbuns. É interessante notar que, além do perfil institucional “Anatex” que está destacado nos links de redes sociais no site institucional, há também o perfil ‘Anatextrade’ que também está com as informações do perfil incompletas. Perfil Anatex:
  • 82. 81  Orkut: www.orkut.com.br/Community?cmm=118915358&refresh=1 Conforme foi citado anteriormente, esta plataforma, hoje, tem maior adesão da classe C, D e E. Uma vez que as ações de comunicação estão voltadas para a classe B, não é recomendável que esta conta seja ativada neste momento.
  • 83. 82 ANATEX NAS CONVERSAS DAS REDES SOCIAIS Foram monitoradas pouquíssimas citações à Anatex nas conversas das Redes Sociais. Foram encontrados, porém, pelo menos dois vídeos no YouTube de lojas que citam a Anatex, com pouca visualização e sem comentários: http://www.youtube.com/watch?v=9J3jb2UlCro http://www.youtube.com/watch?v=Gx-RMJ0Jj8s E um álbum de fotos “Cortinas Anatex” na página da loja “Paraíso dos Bordados”, de Recife-PE, no Facebook: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.208539159194785.52956.169695383079163&type= 3 A mesma loja também citou a Anatex em um post: https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=223878744327493&id=169695383079163 A empresa “Otavio Saad Gastronomia em eventos” também citou a Anatex em pelo menos duas fotos de um de seus álbuns no Facebook:
  • 85. 84 CONCLUSÃO A presença digital e nas redes sociais da Anatex ainda é praticamente nula. A marca aparece ainda apenas em canais específicos. O fato da Anatex não ser citada nas conversas das redes sociais mostra o desconhecimento da marca pelo consumidor final. É importante ativar as contas das redes sociais o quanto antes, ainda que com baixa freqüência de publicação. Caso não sejam ativados, não é recomendável que sejam linkados no site institucional. Recomenda-se que todas as contas nestas plataformas sejam cadastradas com um único e-mail institucional e não pessoal ou de algum funcionário. Uma sugestão é que o e-mail seja algo como Anatexdigital@Anatex.com.br. Para otimizar ao máximo a encontrabilidade das plataformas utilizadas na Estratégia de Comunicação Digital, além de fortalecer a fixação da marca, recomenda-se utilizar as seguintes URLS. Ex.:  Site: www.Anatexcortinas.com.br/site  Blog: www.Anatexcortinas.com.br/blog  Facebook: www.Anatexcortinas.com.br/facebook  Twitter: www.Anatexcortinas.com.br/twitter Estas URLs devem ser incluídas em todo o material enviado ou distribuído nas ações de RP2.0, bem como nas campanhas do plano de mídia online. Devem também ser usadas em outros materiais impresso, de divulgação e nas embalagens dos produtos. É interessante também a Anatex utilizar outras plataformas sociais de compartilhamento de documentos e de conteúdo como o ISSU, Slideshare e Scribd. Esta utilização contribui também para aumentar a exposição da marca na web por conta de seu ótimo SEO.
  • 86. 85 SITE INSTITUCIONAL Analise do site institucional
  • 87. 86 ANÁLISE DO SITE INSTITUCIONAL Diferentes endereços (URLs) são direcionados à versão institucional da nova versão do site da Anatex. Com uma linguagem visual institucional e pouco carismática - porém, com boas imagens, vídeos e conteúdo -, o site foi recentemente reformulado e parece mais focado no Trade. A versão anterior, que estava no ar desde 2006 sob o endereço www.Anatexdecoracoes.com.br , desenvolvida pela agência Mr. Web, pode ser visualizada pela ferramenta Web.Archive: http://web.archive.org/web/20060428130334/http://www.Anatexdecoracoes.com.br/Anatex.asp
  • 88. 87 O site atual apresenta ainda alguns pontos negativos em relação ao SEO e à usabilidade que serão analisados a seguir. Juntamente com a análise, serão levantadas algumas recomendações de melhorias. É interessante notar ainda que o catálogo online (http://cortibella.net/colecao/catalogo/) e a página de coleção (http://cortibella.net/colecao/)não estão sob nenhum endereço com a marca Anatex. A URL Anatex.com.br está registrada pela empresa gaúcha Anatex Magazine Ltda, mas o site, cadastrado no portal Terra Empresas, não está no ar.
  • 89. 88
  • 90. 89 ANÁLISE DE SEO Sigla para Search Engine Optmization, SEO - em português "otimização para mecanismos de busca" - é o conjunto de estratégias com o objetivo de potencializar e melhorar o posicionamento de um site nas páginas de resultados naturais (orgânicos) nos sites de busca. Em outras palavras são as técnicas usadas para melhorar a encontrabilidade de um site nos mecanismos de busca. Nem sempre sites são construídos levando em conta estas técnicas e podem ficar "escondidos" para os mecanismos de buscas, como o Google, dificultando sua encontrabilidade. A análise a seguir é um levantamento de pontos a melhorar no site para que ele possa ter uma maior visibilidade. Além destes ajustes, é fundamental usar técnicas de Webwriting (e de palavras- chave) em todo o conteúdo do site e não apenas em seu código de programação. ARQUITETURA DE INFORMAÇÃO A arquitetura de informação diz respeito principalmente à facilidade de acesso e à clareza de informação de um website. Para isso, é necessário tornar o site encontrável, através do uso de palavras-chave relevantes para os usuários e para o negócio, e usável, com uma navegação bem definida e conteúdo segmentado. Dentro do processo de indexação (leitura) de um site, os links internos são os responsáveis pelo direcionamento do mecanismo de busca dentro do site e pela transferência de relevância entre as páginas. Páginas importantes passam sua importância pelos links.  Status: negativo LINKS QUEBRADOS http://Anatexcortinas.com.br/pos_venda/mailtocomercial@Anatexcortinas.com.br Código de erro: 404 (not found), na(s) página(s): http://Anatexcortinas.com.br/pos_venda/manutencao.php maito:comercial@@Anatexcortinas.com.br Código de erro: 404 (not found), na(s) página(s): http://Anatexcortinas.com.br/home.php maito:comercial@Anatex.net.br Código de erro: 404 (not found), na(s) página(s): http://Anatexcortinas.com.br/en/ http://Anatexcortinas.com.br/fr/
  • 91. 90 maito:comercial@Anatexcortinas.com.br Código de erro: 404 (not found), na(s) página(s): http://Anatexcortinas.com.br/pos_venda/ http://Anatexcortinas.com.br/empresa/ http://Anatexcortinas.com.br/localizacao/ http://Anatexcortinas.com.br/representantes/trade.php http://Anatexcortinas.com.br/imprensa/ http://Anatexcortinas.com.br/contato/ http://Anatexcortinas.com.br/acoes/ http://Anatexcortinas.com.br/colecao/colecao-elegance.php http://Anatexcortinas.com.br/colecao/colecao-blackout.php http://Anatexcortinas.com.br/colecao/colecao-equilibrio.php http://Anatexcortinas.com.br/colecao/ http://Anatexcortinas.com.br/colecao/colecao-classic.php http://Anatexcortinas.com.br/pos_venda/manutencao.php http://Anatexcortinas.com.br/representantes/ http://Anatexcortinas.com.br/colecao/colecao-organza.php PALAVRAS-CHAVE A navegação do site não apresenta em nenhuma das categorias palavras-chave relacionadas com o produto principal da empresa. PÁGINAS DE PRODUTO Embora as linhas de produto estejam segmentadas em páginas por coleção, os produtos individuais se encontram em uma página só, diminuindo sua relevância. LINKS INTERNOS Como todos os links externos apontam para a raiz do site, e lá existe apenas uma página de abertura sem links para outras páginas, a relevância dessa página é potencialmente perdida e não é passada para as demais.  Recomendações: o Correção dos links quebrados: substituir “maito:” por “mailto:”; o Trocar o título de categoria “Coleção” para “Cortinas”; o Criar páginas separadas para cada produto, linkando-as na página da coleção correspondente. o Remover a página de abertura e tornar a página inicial (home.php) a raiz do site
  • 92. 91 HOSPEDAGEM A velocidade de carregamento do site é um dos principais fatores de rankeamento dos resultados de uma consulta realizada por um usuário. O Google considera que uma experiência de busca satisfatória por parte do usuário é consequência de um carregamento rápido do site encontrado. A qualidade dos serviços de hospedagem são os principais responsáveis pelo tempo de carregamento do site.  Status: positivo A página inicial da Anatex Cortinas, após a introdução em flash, apresentou um tempo de carregamento médio de 8,99s, em decorrência do tamanho das imagens do banner principal. Embora o tempo seja considerado alto para algumas velocidades de conexão, o carregamento assíncrono das imagens permite que o o menu seja acessado.  Recomendações o O carregamento da home pode ser agilizado através de uma maior compressão das imagens. o O carregador do banner da página inicial pode ser exibido sobre a própria imagem inicial do banner, para melhor compor o layout durante o carregamento. TECNOLOGIA UTILIZADA A escolha da tecnologia utilizada para desenvolver o site tem impacto direto sobre a forma como o conteúdo é visualizado por seu usuário e, principalmente, sobre os requisitos tecnológicos que ele necessita. Ferramentas de busca, em geral, possuem limitações quanto a leitura de conteúdo em outros padrões que não o HTML, como Flash, Ajax e alguns usos de Javascript. Além disso algumas tecnologias podem representar obstáculos para o acesso através de dispositivos móveis, como tablets e smartphones.  Status: negativo Embora o php/html utilizado no site não seja um problema, a página de abertura, acessível através do endereço principal da Anatex foi desenvolvida em Flash, o que prejudica a indexação de seu conteúdo por parte de ferramentas de busca. Além disso, a grande maioria dos dispositivos do mercado, simplesmente não consegue exibir essa página para seu usuário, que não consegue navegar pelo resto do site.
  • 93. 92  Recomendações o Considerando o nível de complexidade da animação de abertura, não há justificativa para utilização do flash, uma vez que um banner em JQuery teria o mesmo resultado visual e não traria problemas de indexação e acesso por dispositivos móveis. o Considerando que o layout da página inicial do site dá grande destaque ao banner e apresenta a mesma música da apresentação, a remoção da página de abertura deve ser seriamente considerada e seu conteúdo ser inserido como início do banner da página inicial. URL E DOMÍNIO A URL do site, ou seja, seu endereço na web é um dos principais fatores através do qual o Google relaciona uma determinada página com um assunto e a considera relevante. Essa URL é composta pelo nome do domínio do site e pelo endereço interno das páginas. Todo o processo de leitura do site também segue as URLs para isso, fazendo com que o buscador considere cada endereço diferente uma página diferente. Caso uma mesma página seja acessível por endereços diferentes, temos um caso de conteúdo duplicado, que pode prejudicar a relevância atribuída a página e dividir o tráfego de links externos. Para evitar esse problema, faz-se necessário trabalhar a canonização das URLs e o redirecionamento de páginas duplicadas.  Status: negativo O site da Anatex encontra-se disponível em três domínios diferentes e, para o Google, cada um deles pode ser acessado de duas formas distintas, com ou sem www: www.Anatexcortinas.com.br Anatexcortinas.com.br www.Anatex.net.br Anatex.net.br www.Anatexdecoracoes.com.br Anatexdecoracoes.com.br Essa variação apenas colabora com a divisão de relevância, criando diferentes versões do site que concorrem entre si. Esse problema é ainda maior quando analisamos os links externos direcionados ao site e percebemos que eles se dividem entre as três diferentes possibilidades de acesso ao site. O uso de links relativos em todo o site, ou seja, sem endereço absoluto e sempre em relação ao domínio atual, só reforçam essa situação, ao permitirem a duplicação funcional de todo o site.
  • 94. 93 Dentre os domínios utilizados, o mais recomendado é o www.Anatexcortinas.com.br, pois mantém o nome da marca associada a mais importante palavra-chave do segmento (cortinas).  Recomendações: o Implementar um redirecionamento 301 para resolver a questão do www, através do arquivo .htaccess na raiz do site, com a seguinte instrução: Options +FollowSymlinks RewriteEngine on rewritecond %{http_host} ^Anatexcortinas.com.br [NC] rewriterule ^(.*)$ http://www.Anatexcortinas.com.br/$1 [r=301,NC] o Redirecionar os outros domínios para o domínio correto através do DNS da hospedagem ou de outro 301. Options +FollowSymlinks RewriteEngine on rewritecond %{http_host} www.Anatexdecoracoes.com.br [NC] rewriterule ^(.*)$ http://www.Anatexcortinas.com.br/$1 [r=301,NC] o Repetir para todos ARQUIVOS DE CONFIGURAÇÃO DO SERVIDOR Os arquivos de configuração do servidor oferecem informações importantes para os mecanismos de busca. O arquivo robots.txt indica quais áreas do site devem ser ignoradas pelos buscadores. O arquivo sitemap.xml, por outro lado, apresenta de forma organizada as urls que devem ser indexadas. A página 404 informa ao usuário que aquele conteúdo não existe mais e ao buscador que aquela url deve ser retirada do index.  Status: negativo O site não apresenta os arquivos robots.txt, fazendo com que urls internas como webmail sejam indexadas; Não há arquivo sitemap.xml. Devido ao pequeno número de URLs a serem indexadas, isso não é um problema, porém é uma boa prática; Não há uma página de erro 404 amigável. Os usuários podem ficar confusos e desistir do site;  Recomendações o Criar um arquivo robots.txt e adicionar as regras para bloquear o acesso dos buscadores às áreas internas do site, como Webmail e área de representantes. Exemplo: User-agent: * Disallow: webmail.Anatex.net.br/
  • 95. 94 o Criar um arquivo sitemap.xml com todas as URLs que devem ser indexadas, e hospedá-lo na raiz do site; o Criar uma página de erro 404 amigável para os usuários, que forneça uma mensagem clara e um caminho de volta para o conteúdo do site. ELEMENTOS (HTML) DAS PÁGINAS Quando uma ferramenta de busca acessa uma página de um site, sua leitura é bem diferente do resultado visual oferecido ao usuário. Na prática a capacidade de indexação de um buscador, como o Google, é limitada ao sentido que seu processo automatizado é capaz de atribuir a partir da leitura do HTML. Por isso , o robô responsável por essa leitura é alheio a cores, imagens e conteúdo dinâmico, ficando restrito ao conteúdo como ele está no código HTML. Assim, as palavras-chaves importantes para a estratégia de SEO do negócio devem ser destacadas no próprio código das páginas em alguns pontos chaves, conforme a análise de Status abaixo. Títulos - O título, definido pela tag <title> do Html é um dos principais fatores utilizados pelo Google para atribuir significado a uma página. Como em um texto convencional, é a partir da leitura do título da página que ele “sabe” do que o conteúdo fala. Esse título aparece na barra de título da janela do navegador. Subtítulos - Na linguagem HTML, as tags de cabeçalho (header) <h1>,<h2>,...,<h6> são utilizadas para ordenar os diferentes níveis de um conteúdo, do mais importante para o menos importante. Dessa forma, o título de cada página deve estar contido também no corpo da página, indicado pela tag <h1> e quaisquer subtitulos subordinados a ele, indicados pela tag <h2> e assim sucessivamente. Metadados - Cada página HTML pode apresentar um tipo especial de tag, chamada de metadado e indicada pela expressão meta name no cabeçalho do código html. Essa tag pode indicar diferentes valores e propriedades para a página e, no passado, já foi utilizada como indicador de palavras- chaves de um conteúdo. Hoje, apenas a informação description é relevante, porque é dela que o Google pega (antes de ler a página) o texto que é utilizado em suas páginas de resultado de busca, como introdução das páginas. Normalmente ela desempenha um papel importante, quase como um texto publicitário que faz o usuário acessar o site.  Status: negativo TÍTULO ÚNICO EM TODAS AS PÁGINAS O site está utilizando um script com o propósito de substituir todos os títulos de páginas pela expressão “Anatex Cortinas de Alto Padrão”, perdendo assim a oportunidade de dar mais visibilidade às palavras-chaves importantes de cada página.
  • 96. 95 FALTA DE HEADING TAGS Os títulos de todas páginas, visível no conteúdo, é montado a partir de uma imagem e não possui qualquer indicação legível pelo Google de seu valor como título. Da mesma forma, os nomes dos produtos nas páginas e linhas de coleção não possuem uma tag h2 como deveriam, tendo seu destaque atribuído a eles por uma tag de negrito. METADADOS Nenhuma das páginas possui a tag meta name=description definida, o que faz com que todas listagens por resultados de páginas do site no Google não apresentam descrição (caso da home em flash) ou apresentem conteúdo não relacionado com o site. Além disso, existem metadados sem utilidade prática definidos nas páginas, como a definição de autor das páginas (atribuída à Budai Creative) e a instruções nao consideradas por buscadores, como o “revisit-after” que é substituído pela correta configuração do sitemap.xml  Recomendações o Remover o script abaixo, que impede que as páginas possuam títulos únicos. <script type="text/javascript"> Cufon.replace('.titulos-internos'); Cufon.replace('.subtitulos-internos'); </script> o Revisar os títulos das páginas para garantir que eles possuem palavras-chaves relevantes. Os títulos não devem possuir mais de 65 caracteres (incluindo os espaços) e as palavras-chaves devem estar o mais próximo do começo do título possível. o Inserir um texto como h1 em todas as páginas com o título de cada página e, se necessário para composição do layout, substituí-lo pela imagem com a fonte especial através de CSS. o Inserir a tag <h2> nao título de cada produto nas páginas de coleção. o Inserir uma meta description única para cada página, que introduza seu conteúdo e convide o usuário a clicar a partir da página de resultados de busca. Esse texto deve ser limitado a 160 caracteres, incluindo os espaços. <meta name="description" content="insira sua descrição aqui" /> o Remover os metadados sem efeito prático. USO DE IMAGENS O uso correto de imagens no site traz benefícios para a acessibilidade e encontrabilidade do site. É necessário que as imagens apresentem um texto alternativo (que será exibido caso as imagens não carreguem) descritivo, nomes de arquivos amigáveis e um tamanho razoável que não prejudique a
  • 97. 96 velocidade de carregamento do site. Também é importante que a imagem esteja de acordo com o conteúdo que a acompanha, como textos e descrições de produto.  Status: negativo A maioria das imagens do site não apresenta texto alternativo ou apresenta um texto alternativo pouco relevante; Os nomes de arquivos de imagens não fazem referência ao seu conteúdo ou a palavras-chaves importantes para o negócio, como cortinas.  Recomendações o Inserir um ALT (texto alternativo) mais descritivo para as imagens. o Renomear os arquivos de imagens seguindo termos mais relevantes. o Utilizar o endereço absoluto das imagens ao invés do relativo (contendo o dominio). o Otimizar a resolução das imagens para reduzir seu tempo de carregamento o Simplificar o carregamento das imagens dos banners de cada área para evitar a exibição do carregamento. LINKS EXTERNOS Além dos fatores internos do site, a existência de links de outros domínios para ele e a autoridade desses domínios é um fator de extrema importância para o algoritmo de posicionamento do Google. Sites que recebem links de sites autoritativos, como grandes portais ou sites de notícias, tem suas páginas indexadasmais rápido e seu posicionamento em buscas relevantes para seu conteúdo evolue mais rápido. Durante a análise desses links dois aspectos são considerados: o texto âncora (a palavra que recebe o link) e o endereço do link (a página que recebe a indicação).  Status: negativo Atualmente o site da Anatex possui poucos (menos de 6) links direcionados a ele e o principal problema desses links é o fato de cada um fazer referência a um domínio diferente. Todos os links são direcionados a home do site, e usam o próprio nome da marca (sem cortinas) como texto âncora, o que não ajuda a posicionar o site para buscas mais focadas em produtos ou necessidades do público-alvo.  Recomendações o Consolidar os links em um único endereço através do redirecionamento 301 citado anteriormente.
  • 98. 97 o Desenvolver uma estratégia de conteúdo e atuação em redes sociais que possibilite a obtenção de novos links para o site, com textos-âncora mais otimizados e direcionados a páginas internas. EXTRA: IMPLEMENTAÇÃO DE FERRAMENTAS DO GOOGLE GOOGLE ANALYTICS A média de quase 700 visitas/mês nos últimos dois meses pode ser influenciada por acessos internos a própria estrutura da Anatex. Assim, faz-se necessário conferir se a implementação do GA está desconsiderando essas visitas nesse resultado final. GOOGLE WEBMASTER TOOLS A fim de melhor analisar o comportamento do site em resultados de busca, é importante implementar o Google Webmaster Tools no site e vinculá-lo ao usuário responsável pela administração do Google Analytics. PAPEL DA BUSCA ORGÂNICA PELA MARCA Embora, segundo o Google Analytics, a pesquisa em buscadores represente 52,37% das buscas do mês de outubro, apenas 5,89% do total de visitas foram referentes a buscas que não continham a marca Anatex em seus termos. A partir desse dado, percebemos que a grande maioria dos acessos ao site, seja por acesso direto ou buscas com a marca, atingiu aproximadamente 89% das visitas. Podemos, assim, concluir que a o site não está atraindo um número significativo de novos visitantes sem conhecimento prévio da marca.
  • 99. 98 ANÁLISE DE USABILIDADE Usabilidade é um termo usado para definir a facilidade com que as pessoas podem empregar uma ferramenta ou objeto a fim de realizar uma tarefa específica e importante. A usabilidade pode também se referir aos métodos de mensuração da usabilidade e ao estudo dos princípios por trás da eficiência percebida de um objeto. Na Interação Humano-computador e na Ciência da Computação, usabilidade normalmente se refere à simplicidade e facilidade com que uma interface, um programa de computador ou um website pode ser utilizado. O Termo também é utilizado em contexto de produtos como aparelhos eletrônicos, em áreas da comunicação e produtos de transferência de conhecimento, como manuais, documentos e ajudas online. Também pode se referir a eficiência do design de objetos como uma maçaneta ou um martelo. A análise a seguir, busca avaliar a navegabilidade, ou seja, a facilidade de navegação para o usuário. O objetivo é sugerir melhorias para que a experiência do usuário no site seja a mais agradável possível. SÍNTESE O site da Anatex Cortinas não apresenta um caminho claro para os usuários com diferentes objetivos que tenham interesse no site. Além disso, inconsistências técnicas e estéticas dificultam a realização das tarefas, como preenchimento de formulários, e visualização de conteúdos, como catálogos e manuais. Há oportunidades para melhorar a experiência do usuário nas seguintes áreas: NAVEGAÇÃO O destino de alguns links não está claro, e a navegação atual pode ser melhorada para promover um uso mais eficiente do site.  Recomendações Recomenda-se a segmentação da navegação em dois níveis: para clientes interessados nos produtos e representantes que precisam acessar a área restrita. ENCONTRABILIDADE / ARQUITETURA DE INFORMAÇÃO Conteúdos diferentes estão na mesma página, e a nomenclatura das seções não é clara em relação ao conteúdo oferecido.  Recomendações A estrutura do site pode ser revista para segmentar o conteúdo e torná-lo mais aparente. A nomenclatura dos menus pode ser revista para tornar mais claro para o usuário o conteúdo que está em cada seção.
  • 100. 99 ACESSIBILIDADE Um site é considerado acessível quando é possível visualizar seu conteúdo em diferentes browsers e dispositivos, e é usável por pessoas com deficiência. Atualmente, o site da Anatex não pode ser considerado acessível, pois não segue padrões de acessibilidade que tornam seu uso possível por todas as pessoas e apresenta um uso elevado de flash, que impossibilita a visualização do conteúdo daqueles que não possuem o plugin.  Recomendações É necessária a adoção de padrões que tornem o site acessível nos diversos browsers e dispositivos; além disso, é preciso oferecer o conteúdo de formas alternativas que não dependam de flash. LEITURABILIDADE A diagramação do texto dificulta a leitura.  Recomendações Rever a diagramação para facilitar a compreensão e utilizar o negrito para destacar itens importantes dentro do texto. Um sumário detalhado dos problemas encontrados no site é apresentado na próxima seção, bem como recomendações para corrigi-los. PROBLEMAS ENCONTRADOS A tabela a seguir contém o detalhamento dos problemas de usabilidade encontrados categorizados por área. NÍVEIS DE GRAVIDADE Alto - Uma condição séria que prejudica a realização de uma ou mais tarefas no site e que não pode ser facilmente contornada ou evitada; O site não impede o usuário de cometer um erro sério; O problema de usabilidade é freqüente, persistente e afeta muitos usuários; Há uma violação séria de padrões de usabilidade e/ou acessibilidade. Médio - Um problema limitado e pouco crítico; Não impede a realização de tarefas e pode ser temporariamente contornado ou evitado; O problema causa confusão ou irritação moderada no usuário. Baixo - Um problema não crítico ou genérico do site; há pequenas inconsistências que causam hesitação, ou problemas estéticos como títulos e campos de um formulário que não estão alinhados.
  • 101. 100 Gravidade Localização Tipo Problema Recomendação Alta Abertura Acessibilidade Abertura em Flash - A abertura em flash distancia o usuário do conteúdo do site, além de aumentar o tempo de carregamento. Usuários que não possuem o plugin não conseguem chegar ao conteúdo. Retirar a abertura em flash. Uma pesquisa divulgada em 2011 mostra que os usuários levam em média 10 segundos para decidir se continuarão no site. Utilizar uma abertura impede que os usuários reconheçam imediatamente o propósito do site. Média Global Acessibilidade Banner em Flash - O slider em flash impede que as imagens exibidas possuam atributos alternativos, além de aumentar o tempo de carregamento e não ser visível para usuários sem o plugin. Refazer o slider utilizando jquery ou outra tecnologia que permita o carregamento das imagens individualmente. Alta Página Inicial Arquitetura de Informação Títulos do menu - Nenhum dos títulos apresenta uma indicação forte para o usuário que está procurando pelos produtos da Anatex. Renomear o título "Coleção" para "Produtos" ou "Cortinas". Alta Página Inicial Arquitetura de Informação Estrutura do menu: atualmente, todas as seções do site tem um peso igual no menu, deixando de priorizar as seções mais importantes para os objetivos do site. Reorganizar a Arquitetura do site, hierarquizando as seções de acordo com os objetivos do site. Média Página Inicial Navegação/Aces sibilidade Menus sem indicação de sub-itens: o usuário precisa passar o mouse para descobri-los. Adicionar indicação de que há mais conteúdo na seção (como no menu das páginas internas). Média Página Inicial Acessibilidade Música automática: a execução da música sem opção e nem aviso para o usuário pode causar surpresa e constrangimento. Oferecer ao usuário a opção de executar a música, que não deve ser iniciada automaticamente. Média Página Inicial Navegação/Aces sibilidade Não é possível distinguir links no texto. Adicionar indicação de que o texto é um link, utilizando sublinhado. Alta Página Inicial Navegação/Aces sibilidade Link para email não funciona. Corrigir o link Baixa Página Inicial Navegação Link para perfil de twitter não existente. Corrigir o link ou remover da página principal Baixa Página Inicial Navegação Links para versões em outras línguas do site levam para páginas em construção. Exibir o link para versões em inglês ou francês apenas quanto o conteúdo existir. Média A Empresa Leiturabilidade Comprimento da linha de texto: linhas muito longas dificultam a leitura e compreensão de textos. Diminuir o comprimento da linha para facilitar a leitura do texto. O comprimento ideal está entre 45 e 75 caracteres por linha. Média A Empresa Acessibilidade As imagens não possuem atributos alternativos Adicionar "alt text" às imagens Média Coleção Leiturabilidade Comprimento da linha de texto: linhas muito longas dificultam a leitura e compreensão de textos. Diminuir o comprimento da linha para facilitar a leitura do texto. O comprimento ideal está entre 45 e 75 caracteres por linha. Média Coleção Acessibilidade As imagens não possuem atributos alternativos. Adicionar "alt text" que descreva o conteúdo das imagens. Média Linha Classic Arquitetura de Informação Vários produtos na mesma página. Criar uma página para cada produto. Média Linha Classic Acessibilidade As imagens não possuem atributos alternativos. Adicionar "alt text" que descreva o conteúdo das imagens.
  • 102. 101 Média Linha Equílibrio Arquitetura de Informação Vários produtos na mesma página. Criar uma página para cada produto. Média Linha Equílibrio Acessibilidade As imagens não possuem atributos alternativos. Adicionar "alt text" que descreva o conteúdo das imagens. Média Linha Elegance Arquitetura de Informação Vários produtos na mesma página. Criar uma página para cada produto. Média Linha Elegance Acessibilidade As imagens não possuem atributos alternativos. Adicionar "alt text" que descreva o conteúdo das imagens. Média Linha Organza Arquitetura de Informação Vários produtos na mesma página. Criar uma página para cada produto. Média Linha Organza Acessibilidade As imagens não possuem atributos alternativos. Adicionar "alt text" que descreva o conteúdo das imagens. Média Linha Blackout Arquitetura de Informação Vários produtos na mesma página. Criar uma página para cada produto. Média Linha Blackout Acessibilidade As imagens não possuem atributos alternativos. Adicionar "alt text" que descreva o conteúdo das imagens. Alta Catálogo Acessibilidade O catálogo só pode ser acessado na versão Flash. Oferecer formas alternativas de visualizar o catálogo, como por exemplo, download do PDF. Alta Representantes Navegação/Aces sibilidade O mapa em Flash não exibe os representantes quando um estado é selecionado. Oferecer a informação sobre os representantes fora do Flash. Média Representantes Arquitetura de Informação O formulário possui muitos campos. Rever a necessidade dos campos Sobrenome e Assunto. No caso de um formulário de contato, a recompensa do usuário não é forte o suficiente para justificar o preenchimento de formulários longos. Alta Representantes Arquitetura de Informação Não há indicação de quais campos são obrigatórios ou opcionais para o preenchimento do formulário. Indicar quais campos são obrigatórios. Alta Representantes Arquitetura de Informação Feedback dos formulários: feedback acontece através de janela de prompt. O feedback deve ser oferecido no próprio formulário, com indicação clara do que foi preenchido errado ou não foi preenchido, para orientar o usuário na correção de erros. Baixa Representantes Arquitetura de Informação/Leitu rabilidade Os botões de envio não estão alinhados com o formulário e nem destacados o suficiente. Alinhar os botões à esquerda dos campos e utilizar uma cor contrastante para destacá-los para o usuário. Alta Representantes Navegação Não há indicação clara de acesso à área restrita para representantes e nem instruções para obter login e senha de acesso. Oferecer uma marcação mais clara de área restrita e mais informações para representantes. O ideal é colocar esse conteúdo em outra página, para não confundir o usuário que apenas busca por um representante. Média Trade Marketing Leiturabilidade Comprimento da linha de texto: linhas muito longas dificultam a leitura e compreensão de textos. Diminuir o comprimento da linha para facilitar a leitura do texto. O comprimento ideal está entre 45 e 75 caracteres por linha.
  • 103. 102 Alta Trade Marketing Navegação Não há indicação clara de acesso à área restrita para representantes e nem instruções para obter login e senha de acesso. Oferecer uma marcação mais clara de área restrita e mais informações para representantes. O ideal é colocar esse conteúdo em outra página, para não confundir o usuário que apenas busca por um representante. Média Pós-venda Arquitetura de Informação Os formulários de satisfação do consumidor estão na mesma página que as informações de instalação, um conteúdo diferente. Colocar os formulários em páginas separadas. Alta Pós-venda Arquitetura de Informação Feedback dos formulários: feedback acontece através de janela de prompt. O feedback deve ser oferecido no próprio formulário, com indicação clara do que foi preenchido errado ou não foi preenchido, para orientar o usuário na correção de erros. Baixa Pós-venda Arquitetura de Informação/Leitu rabilidade Os botões de envio não estão alinhados com o formulário e nem destacados o suficiente. Alinhar os botões à esquerda dos campos e utilizar uma cor contrastante para destacá-los para o usuário. Média Pós-venda Leiturabilidade Comprimento da linha de texto: linhas muito longas dificultam a leitura e compreensão de textos. Diminuir o comprimento da linha para facilitar a leitura do texto. O comprimento ideal está entre 45 e 75 caracteres por linha. Alta Manual Acessibilidade O manual só pode ser acessado na versão Flash. Oferecer formas alternativas de visualizar o manual como, por exemplo, download do PDF. Média Manutenção Leiturabilidade Comprimento da linha de texto: linhas muito longas dificultam a leitura e compreensão de textos. Diminuir o comprimento da linha para facilitar a leitura do texto. O comprimento ideal está entre 45 e 75 caracteres por linha. Alta Manutenção Acessibilidade O manual só pode ser acessado na versão Flash. Oferecer formas alternativas de visualizar o manual como, por exemplo, download do PDF. Alta Imprensa Acessibilidade O documento miv só pode ser acessado na versão Flash. Oferecer formas alternativas de visualizar o miv como, por exemplo, download do PDF. Alta Imprensa Navegação Não há indicação clara de acesso à área restrita e nem instruções para obter login e senha de acesso. Oferecer uma marcação mais clara de área restrita e mais informações para a imprensa. Alta Imprensa Arquitetura de Informação Feedback dos formulários: feedback acontece através de janela de prompt. O feedback deve ser oferecido no próprio formulário, com indicação clara do que foi preenchido errado ou não foi preenchido, para orientar o usuário na correção de erros. Baixa Imprensa Arquitetura de Informação/Leitu rabilidade Os botões de envio não estão alinhados com o formulário e nem destacados o suficiente. Alinhar os botões à esquerda dos campos e utilizar uma cor contrastante para destacá-los para o usuário. Alta Imprensa Acessibilidade O catálogo só pode ser acessado na versão Flash. Oferecer formas alternativas de visualizar o catálogo, como por exemplo, download do PDF. Média Ações Sociais Leiturabilidade Comprimento da linha de texto: linhas muito longas dificultam a leitura e compreensão de textos. Diminuir o comprimento da linha para facilitar a leitura do texto. O comprimento ideal está entre 45 e 75 caracteres por linha.
  • 104. 103 Média Contato Arquitetura de Informação O formulário possui muitos campos. Rever a necessidade dos campos Sobrenome, Endereço e Assunto. No caso de um formulário de contato, a recompensa do usuário não é forte o suficiente para justificar o preenchimento de formulários longos. Baixa Contato Arquitetura de Informação/Leitu rabilidade Os botões de envio não estão alinhados com o formulário e nem destacados o suficiente. Alinhar os botões à esquerda dos campos e utilizar uma cor contrastante para destacá-los para o usuário. Baixa Contato Navegação Link para perfil de Twitter não existente. Corrigir o link ou remover da página.
  • 105. 104 CONCLUSÃO É importante implementar o quanto antes as correções de SEO para aumentar a encontrabilidade do site nos mecanismos de busca, especialmente Google. Além de implementar as melhorias sugeridas a partir da avaliação de Usabilidade para garantir uma melhor experiência do usuário no site institucional da Anatex. Atenção aos links disponíveis no site para os canais de redes sociais que não estão ativos. Vale avaliar a possibilidade de não destacá-los no site até sua ativação. Mantê-los disponíveis no site, pode frustar o cliente/usuário ao clicar nos links e encontrar perfis sem conteúdo. É recomendável ainda fazer uma revisão no texto com atenção a erros de português e utilização de técnicas de webwriting e SEO.
  • 107. 106 ANÁLISE DE CONCORRENTES Foram analisadas as presenças nas redes sociais das marcas concorrentes e referências listadas pela Anatex como Bella Janela, Branyl, Corttex, Nella Indústria Têxtil e Altenburg, além de outras empresas do setor como Fatex, Luxaflex, Blindlux, Criativa Persianas e Cortinas, Dohler, Belchior e ByFloor, selecionadas por meio de busca online e leitura de sites especializados. A análise busca entender como as marcas se posicionam online e como se relacionam com os usuários. Para isso, buscou-se entender qual tipo de conteúdo e ações de interações são realizadas nas redes sociais pelas mesmas. Cada rede social oferece diferente métrica para medir sua popularidade como “seguidores” para Twitter e “curtir” para Facebook. Para entender a audiência dos sites institucionais e dos blogs oficiais, foi usada a métrica “Page rank”. PageRank™ é um conjunto de algoritmos que mede o peso e a importância de um endereço online para Google. Para comparação, portais brasileiros como UOL, iG, Terra e Globo.com apresentam, hoje, PageRank 7. A seguir, a análise da atuação nas redes sociais das empresas:  Bella Janela  Branyl  Nella Cortinas  Corttex  Fatex  Luxaflex  BlindLux  Criativa Persianas e Cortinas  Dohler  Altenburg  Belchior Cortinas  ByFloor
  • 108. 107 BELLA JANELA CORTINAS A Bella Janela tem se posicionado como “pioneira e responsável pela inovação no segmento de cortinas prontas de qualidade, design e com conceito de alta decoração”, segundo releases de divulgação. Com produção mensal de 220 mil peças, de 2008 para 2009, a produção aumentou em 50% e a meta para 2010 era crescer ainda mais 40%. Ainda segundo informações de releases institucionais, para crescer, a Bella Janela investiu na profissionalização e em uma área de criação e desenvolvimento que acompanha as tendências mundiais de decoração e participa de eventos como a Heimtextil, maior feira internacional de têxteis para o lar, na Alemanha. Além de reformular sua logomarca e embalagens, a empresa tem um trabalho agressivo de divulgação e de comunicação incluindo publicidade e editoriais em revistas como Minha Casa, na revista Casa Claudia – ambos da Editora Abril -, no site casa.com.br, além de merchandising no programa dominical televisivo “Domingo Legal, no SBT” desde abril deste ano. Em entrevista ao site de negócios catarinense, Noticenter, um dos sócios da empresa afirmou ser difícil medir o crescimento nas vendas desde que a empresa passou a exibir sua marca no programa: “Entramos nas mídias sociais e investimentos na contratação de uma assessoria de imprensa (...) na internet, a busca e acesso ao nosso site aumentou muito. Recebemos muitos e-mails com questionamentos sobre os produtos e elogios à qualidade e beleza dos materiais”. Sua presença nas redes sociais é intensa e a estratégia foi ativada em julho deste ano, segundo matéria divulgada no site especializado MidiaModa (http://migre.me/6cybq). Sua atuação e interação porém, poderiam ser mais engajada e mais bem trabalhada, especialmente nos quesitos conteúdo e interação. Embora os temas dos conteúdos sejam pouco relevantes para o usuário e limitados aos produtos ou sobre a atuação da empresa, os usuários buscam informações nestes canais. O grande erro da empresa nas redes sociais é não responder adequadamente aos seus usuários, fragilizando estes canais de relacionamento. Outra ações incluem um programa de capacitação e treinamento de vendedores. A empresa vai até as lojas para aperfeiçoar o atendimento de profissionais na venda de cortinas e intensificar sua presença nos pontos de venda. Segundo Baby, o objetivo é consolidar a Bella Janela no segmento de cortinas. “Quando se fala no segmento cama, mesa e banho, há indústrias de todo o Brasil que, com suas marcas, representam o setor. Quando se fala em cortinas, não há um nome em destaque”, justifica o executivo. Os treinamentos periódicos de vendedores faz parte de uma estratégia para estreitar o relacionamento com os profissionais. A programação do treinamento, segundo release institucional, tem cunho técnico e motivacional, para capacitar e incentivar os vendedores a oferecer o melhor produto para a necessidade de cada cliente. Além do treinamento, a Bella Janela oferce curso online de Consultora de Decoração e bonificação por volume de vendas. Em entrevista para um trabalho de conclusão de curso, publicada na Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, em 2009, o então gerente de Marketing da empresa afirmou: “as cortinas são um produto onde a decisão de compra é no ponto de venda, portanto para empresa crescer e se tornar mais conhecida precisamos abranger uma maior quantidade de revendedores – os balconistas”. Embora o trabalho de conclusão de curso tenha destacado o investimento da empresa