SlideShare uma empresa Scribd logo
ABEAD - Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas
POSICIONAMENTO QUANTO À DESCRIMINALIZAÇÃO DA MACONHA NO BRASIL.
Caracterizando a Abead
AABEAD conta 35 anos. É uma associação de profissionais que atuam em pesquisa, ensino,
prevenção, assistência e formação de Políticas Públicas na área das dependências químicas e de
outros comportamentos aditivos. Não tem fins lucrativos e sua missão principal é manter o debate
permanente e subsidiar tecnicamente ações acerca dos problemas decorrentes do uso de substâncias
em nossa sociedade.
Descrição do processo que gerou o presente manifesto
AABEAD organizou um comitê de especialistas para debater o tema da descriminalização do uso
de drogas. O comitê elaborou um posicionamento cientificamente embasado, que será oferecido
para ampla divulgação à comunidade e também será apresentado ao Poder Público como subsídio
para a formação de nova legislação. Nesta edição o foco recaiu sobre a maconha.
O comitê reuniu-se em 19 de abril de 2013, na cidade de São Paulo, com o objetivo de revisar
políticas de alta tolerância, onde se aplicou a descriminalização da maconha. Foram examinados
históricos recentes do processo de descriminalização em 7 países, representando as duas Américas,
Oceania e a Europa.
Dados epidemiológicos e oficiais de Portugal, Holanda, Reino Unido, Espanha, Estados Unidos da
América, Uruguai e Austrália.
Os dados utilizados são limitados e pouco comparáveis em função da variabilidade dos métodos
utilizados. A cultura e a geopolítica, assim como a ideologia, e principalmente a dificuldade de
detalhar aspectos históricos que permeiam as publicações consultadas devem ser levadas em
consideração na leitura dos achados aqui relatados.
As conclusões mais relevantes de cada país relativos à descriminalização da maconha são
apresentadas a seguir.
Austrália
Medidas de descriminalização têm produzido aumento de consumo e também de problemas
relacionados ao uso de maconha.
Espanha
Percebe-se aumento de consumo de maconha e também de outras drogas. Maior experimentação
entre jovens do sexo masculino. Cresceu a disponibilidade e reduziu-se a percepção de risco do uso
de maconha e de outras drogas. As taxas de encarceramento permaneceram estáveis. Houve
aumento das denúncias e das taxas de apreensão. A produção de maconha dispersou-se pelo país,
tendo aumentado o plantio "indoor", e associado a ele o surgimento das "redes" de clubes de
cultivo, desvirtuando a proposta de autogestão do consumo em novas modalidades de tráfico.
Estados Unidos da América
O custo relacionado às drogas diminuiu. Quanto aos índices de consumo, ainda não se têm dados
consistentes.
Holanda
Constata-se aumento do consumo da ordem de 5%, não necessariamente relacionado à
descriminalização, pois observou-se que a onda de aumento também acontecia em países vizinhos
não submetidos à mudança legislativa.
Portugal
Sua legislação tornou-se mais permissiva em 2001 e desde então há poucos estudos
epidemiológicos e os mesmos apresentam dados díspares. Em geral, quando os levantamentos
foram conduzidos nacionalmente demostraram resultados mais otimistas do que os conduzido por
pesquisadores independentes.
Esses evidenciaram que o consumo de todas as drogas aumentou sensivelmente no período (Uso na
vida relatado de "qualquer droga ilícita" aumentou de 7,8% para 12%. Uso na vida de maconha
aumentou de 7,6% para 11,7%. Uso na vida de cocaína mais que dobrou (de 0,9% para 1,9%) o
mesmo acontecendo com ecstasy (de 0,7% para 1,3%) e heroína de 0,7% para 1,1%). Por outro
lado, aumentou a busca por tratamento e diminuiu a criminalidade.
Reino Unido
Ocorreu aumento de todos os tipos de consumo (na vida, no ano, no mês), incluindo a zona rural
(10:1000) e entre mulheres, principalmente adolescentes (29% dos estudantes usavam o que
representou um aumento de 48% nos < 16 anos) (1,2). Reduziu-se a idade de experimentação,
atingindo crianças (11% aos 11 anos e até 15, 45%) e aumentou o número de crianças com uso
problemático e dependente e os problemas relacionados (abandono escolar, institucionalização,
crime, etc) (3,4,5). A taxa de usuários problemáticos atingiu 10 em cada 1000 e houve aumento do
consumo de outras drogas (6,7). Aumentou em quatro vezes a busca pela emergência, e aumentou o
número de adolescentes com transtorno mental e sua hospitalização (8,9,10,11).
Ficou evidente a redução das taxas de encarceramento e apreensões no período (2003-2008), dentro
de uma onda de diminuição já desencadeada anteriormente à reclassificação da maconha,
provavelmente, em função da adoção de uma política de Redução de Danos em 2000 (12,13).
Diminuiu o preço da maconha no mercado (13).
Uruguai
Embora presente na pauta governamental e social, o debate sobre descriminalização e maior
liberalidade para com a maconha ainda não produziu ações efetivas que permitam medir impacto.
Perspectivas para o Brasil diante da possibilidade de Plena Descriminalização do uso de
maconha
Com base nas experiências examinadas provindas de sete países e de três continentes, mesmo
considerando-se marcadas diferenças culturais, o comitê produziu algumas recomendações.
Na eventual vigência de plena oficialização da descriminalização do uso de maconha, visto que a lei
atual pune os usuários com medidas não restritivas de liberdade, deve a sociedade brasileira avaliar
as possibilidades abaixo relacionadas:
1. aumento do consumo de maconha e como consequência dos problemas a ele relacionados;
2. redução da idade de experimentação;
3. aumento do consumo de outras drogas e dos problemas a elas relacionados;
4. redução das taxas de encarceramento;
5. redução das taxas de apreensão da droga,
6. redução do preço da maconha.
7. surgimento de um movimento turístico ligado ao consumo de maconha.
Recomendações do Comitê da Abead sobre Legislação e Políticas Públicas relativas à
maconha
Considerando-se todos os achados apresentados e peculiaridades de nosso país, ressaltando-se que o
Brasil tem grande território e largas fronteiras, grande variabilidade socioeconômica e cultural,
densidade populacional bastante variável, além da fragilidade das políticas de drogas. O Comitê
sugere então as ações a seguir listadas.
- Adiamento da eventual mudança legislativa relativa à maconha para qualquer novo viés,
liberalizante ou restritivo, até que um mais pleno debate se configure como satisfatório para todas as
forças sociais que se dele se ocupam.
- Acompanhamento e divulgação imparcial dos resultados das mudanças legislativas sendo colhidos
em outros países, quer positivos, quer preocupantes.
- Realização de levantamentos (ou estudos epidemiológicos) nacionais sistemáticos e seriados sobre
a prevalência do uso de todas as drogas e dos seus diferentes tipos de usuários;
- Organização de parcerias com organizações internacionais para a realização de levantamentos por
meio de grupos independentes e não sujeitos a pressões locais;
- Revisão prioritária da política brasileira para drogas, visto que a simples mudança da lei não só
não resolve o problema como deverá impactar a população como foi descrito acima, se outras
medidas não puderem ser acionadas de forma concomitante.
- Instrumentação e ampliação do debate, dentro do Poder Público e na sociedade em geral, sobre o
potencial impacto de mudanças legislativas sobre a política para drogas.
- Divulgação permanente da situação brasileira, por meio de programa educativo sobre todos os
capítulos do tema.
- Financiamento permanente de pesquisas para produzir dados sobre as necessidades brasileiras,
principalmente relacionadas ao DALYS (índice da OMS para o impacto de doenças expresso em
número de anos perdidos por adoecimento) e seu custo para a população.
- Criação de um comitê de especialistas nacionais e internacionais para monitorar as pesquisas
brasileiras sobre o tema, os resultados e sua divulgação.
Fontes Bibliográficas
Austrália
Gibb SJ, Fergusson DM, Horwood LJ. Relationship separation and mental health problems:
findings from a 30-year longitudinal study. Aust N Z J Psychiatry. 2011
Horwood LJ, Fergusson DM, Coffey C, Patton GC, Tait R, Smart D, Letcher P, Silins E, Hutchinson
DM. Cannabis and depression: an integrative data analysis offour Australasian cohorts. Drug
Alcohol Depend. 2012 Dec 1;126(3):369-78.
Swain NR, Gibb SJ, Horwood LJ, Fergusson DM. Alcohol and cannabis abuse/dependence
symptoms and life satisfaction in young adulthood. Drug Alcohol Rev. 2012 May;31(3):327-33.
Espanha
Gobierno de España/Ministerio de Sanidad y Política Social. Estrategia Nacional sobre Drogas
2009-2016. Delegación del Gobierno para el Plan Nacional sobre Drogas (DGPNSD).
Gobierno de España/Ministerio de Sanidad y Política Social. Evaluación Final de la Estrategia
Nacional sobre Drogas 2000-2008. Delegación del Gobierno para el Plan Nacional sobre Drogas
(DGPNSD).
Gobierno de España/Ministerio de Sanidad, Servicios Sociales e Igualdad. Informe 2011 -
Observatorio Español de la Droga y las Toxicomanías: Situación y tendencias de los problemas de
drogas en España. Disponível em: http://www.pnsd.msssi.gob.es. Acesso em: 14 abr 2013.
UNODC. Relatório Mundial sobre Drogas, 2012.
Estados Unidos da América
Caulkins, Jonathan P., "Cost-Benefit Analyses of Investments to Control Illicit Substance Abuse and
Addiction" (2006). Heinz Research. Paper 8. http://repository.cmu.edu/heinzworks
Farrelly M., Bary J., Zarkin G., and Wendling B. (2001), The joint demand for cigarettes and
marijuana: evidence from the National Household Survey on Drug Abuse". Journal of Health
Economics, 20(1): 51-68.
Hall W, Room R. Obstacles to a regulated cannabis market. Can J Psychiatry. 2008 Dec;53(12):798.
MacCoun R. J., Paletz S. Citizens&rsquo; perceptions of ideological bias in research on public
policy controversies. Polit Psychol2009; 30: 43&ndash;65.
MacCoun R. J., Reuter P. The implicit rules of evidence-based drug policy: a US perspective. Int J
Drug Policy 2008; 19:231&ndash;2.
Macleod J., Hickman M. How ideology shapes the evidenceand the policy: what do we know about
cannabis use and what should we do? Addiction 2010; 105: 1326&ndash;30.
Pacula RL. (2010), Examining the impact of marijuana legalization on marijuana consumption.
Insights from the economics literature", Working paper WR-770-RC, RAND, Drug policy research
center, Santa Monica
The European Monitoring Centre for Drugs and DrugAddiction (EMCDDA). 2009 Annual Report
on the State of theDrugs Problem in Europe (Table GPS-5). Lisbon: EMCDDA,2009.
Holanda
Babor, T., Caulkins, J., Edwards, G., Fischer, B., Foxcroft, D., Humphreys, K., Obot, I., Rehm, J.,
Reuter, P., Room, R., Rossow, I., Strang, J. Drug Policy and the Public Good. Oxford University
Press: Oxford, 2010.
MacCoun, R., Reuter, P. Evaluating alternative cannabis regimes. British Journal of Psychiatry,
178:123-128, 2001.
MacCoun, R. J. & Reuter, P. (1997) Interpreting Dutch cannabis policy: Reasoning by analogy in
the legalization debate. Science, 278, 47-52.
Portugal
Para aumento de busca por tratamento
Hughes, Caitlin; Stevens, Alex "The Effects of Decriminalization of Drug Use in Portugal",
Briefing Paper 14,Oxford, December 2007. Beckley Foundation http://www.beckleyfoundation.org/
Para diminuição de novos casos de AIDS
Cardoso, Manuel; Santos, Ana Sofia; Duarte, Óscar (2009). "New Development, Trends and in-
depth information on selected issues". Portuguese Focal Point report (2008 data) to the EMCDDA.
Lisbon, Portugal: Institute for Drug and Drug Addiction (IDT,I.P.). Retrieved 2011-06-11.
Para a inicial redução do número de mortes que agora retornou a patamares anteriores à
legislação
As mesmas duas referências acima.
Para aumento de consumo
Relatório de 2012 do European Monitoring Centre for Drugs and Drug Addiction. Acessado em
18/04 a partir de: http://www.emcdda.europa.eu/stats12#gps:displayTables
Para diminuição do preço da droga
European School Survey Project on Alcohol and Other Drugs (ESPAD), data available through the
EMCDDA.
Reino Unido
Vicente J, Olszewski D, Matias J Prevalence, patterns and trends of cannabis use among adults in
Europe in: A cannabis reader: global issues and local experiences, Monograph series 8, Chapter 1.
European Monitoring Centre for Drugs and Drug Addiction, Lisbon,2008.
http://www.emcdda.europa.eu/stats12#display:/stats12/gpstab3c
Hibell B, Andersson B, Bjarnasson T, Ahlström S, Balakireva O, Kokkevi A, Morgan The ESPAD
report 2003. Alcohol and other drug use among students in 35 European countries, The European
School Survey Project on Alcohol and Other Drugs, CAN, Stockholm, 2004.
Hibell B,Guttormsson U, Ahlström S,Balakireva O, Bjarnason T, Kokkevi A, KrausThe L 2007
ESPAD Report, Substance Use in 35 European Countries, The Swedish Council for Information on
Alcohol and otherDrugs (CAN), The European Monitoring Centre forDrugs andDrug Addiction
(EMCDDA), Council of Europe, Co-operationGroup to Combat Drug Abuse and Illicit Trafficking
in Drugs (Pompidou Group), 2009.
Eastwood P National Centre for Social Research (NatCen) and the National Foundation for
Educational Research (NFER)s The NHS Information Centre Drug Use, smoking and drinking
among young people in England in 2007. The NHS Information Centre for health and social care,
2008.
Lynskey M, Hall W The effects of adolescent cannabis use on educational attainment: a review.
Addiction, 95 (11), 1621&ndash;1630, 2000.
Holloway K et al. The effectiveness of criminal justice and treatment programmes in reducing drugs
related crime: a systematic review, Home Office, 2005.
McKeganey N et al. &ldquo;Abstinence and drug abuse treatment: results from the Drug Outcome
Research in Scotland study,&rdquo; Drugs: Education, Prevention & Policy, 2006.
NTA Young people&rsquo;s specialist substance misuse treatment &ndash; The Role of CAMHS
and addiction psychiatry in adolescent substance misuse services, 2008.
Macleod J, Oakes R, Copello A, Crome I, Egger M, Hickman M, Oppenkowski T, Stokes-Lampard
H, Smith GD. Psychological and social sequelae of cannabis and other illicit drug use by young
people: a systematic review of longitudinal, general population studies. The Lancet, 363,
1579&ndash;1588, 2004.
G Hay et al. Rise in cocaine hospital admissions, Institute for the Study of Drug Dependence,
Drugscope, 2008.
Hansard, Written Answers, Column 583W, 6 June 2007 NHS, Adult Psychiatric Morbidity in
England, 2007.
Reynolds W Cannabis Classification and Public Health. ACMD Advisory Council on the Misuse of
Drugs, 2008.
Home Office, Drugs Misuse Declared: findings from the 2007 British Crime Survey. Drug
Monitoring Unit, 2008 (www.imdu.co.uk).
Uruguai
Nacional Junta de Drogas. http://www.infodrogas.gub.uy/.
Acessado em 10/05/2013.
Atributo Brasil 55 11 4930-2006
www.atributobrasil.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A prevenção do uso de drogas(1)
A prevenção do uso de drogas(1)A prevenção do uso de drogas(1)
A prevenção do uso de drogas(1)Rosane Domingues
 
Cartilha drogas - maconha cocaína e inalantes
Cartilha   drogas - maconha cocaína e inalantesCartilha   drogas - maconha cocaína e inalantes
Cartilha drogas - maconha cocaína e inalanteskarol_ribeiro
 
Estimativa do número de usuários de crack e/ou similares nas capitais do País
Estimativa do número de usuários de crack e/ou similares nas capitais do PaísEstimativa do número de usuários de crack e/ou similares nas capitais do País
Estimativa do número de usuários de crack e/ou similares nas capitais do PaísCasa Civil
 
Cartilha alcool e jovens
Cartilha alcool e jovensCartilha alcool e jovens
Cartilha alcool e jovensantonio-1968
 
Cartilha para educadores
Cartilha para educadoresCartilha para educadores
Cartilha para educadoresRobson Peixoto
 
Cartilha Sobre Drogas
Cartilha Sobre DrogasCartilha Sobre Drogas
Cartilha Sobre DrogasMarina-Rosado
 
Alcoolesuasconsequencias pt-cap5adwfsdf
Alcoolesuasconsequencias pt-cap5adwfsdfAlcoolesuasconsequencias pt-cap5adwfsdf
Alcoolesuasconsequencias pt-cap5adwfsdfAlinebrauna Brauna
 
A situação do país em matéria de drogas e toxicodependência 2011
A situação do país em matéria de drogas e toxicodependência 2011A situação do país em matéria de drogas e toxicodependência 2011
A situação do país em matéria de drogas e toxicodependência 2011projectopes
 
Relatório Mundial da ONU Sobre Drogas - Brasil
Relatório Mundial da ONU Sobre Drogas - BrasilRelatório Mundial da ONU Sobre Drogas - Brasil
Relatório Mundial da ONU Sobre Drogas - Brasilguestd969f5f
 
2015 luiz antoniocorreiademedeirosgusmao
2015 luiz antoniocorreiademedeirosgusmao2015 luiz antoniocorreiademedeirosgusmao
2015 luiz antoniocorreiademedeirosgusmaoTeologando
 

Mais procurados (13)

A prevenção do uso de drogas(1)
A prevenção do uso de drogas(1)A prevenção do uso de drogas(1)
A prevenção do uso de drogas(1)
 
Cartilha drogas - maconha cocaína e inalantes
Cartilha   drogas - maconha cocaína e inalantesCartilha   drogas - maconha cocaína e inalantes
Cartilha drogas - maconha cocaína e inalantes
 
Toxico
ToxicoToxico
Toxico
 
Estimativa do número de usuários de crack e/ou similares nas capitais do País
Estimativa do número de usuários de crack e/ou similares nas capitais do PaísEstimativa do número de usuários de crack e/ou similares nas capitais do País
Estimativa do número de usuários de crack e/ou similares nas capitais do País
 
Pesquisa sobre crack
Pesquisa sobre crackPesquisa sobre crack
Pesquisa sobre crack
 
Cartilha alcool e jovens
Cartilha alcool e jovensCartilha alcool e jovens
Cartilha alcool e jovens
 
Livremente.
Livremente.Livremente.
Livremente.
 
Cartilha para educadores
Cartilha para educadoresCartilha para educadores
Cartilha para educadores
 
Cartilha Sobre Drogas
Cartilha Sobre DrogasCartilha Sobre Drogas
Cartilha Sobre Drogas
 
Alcoolesuasconsequencias pt-cap5adwfsdf
Alcoolesuasconsequencias pt-cap5adwfsdfAlcoolesuasconsequencias pt-cap5adwfsdf
Alcoolesuasconsequencias pt-cap5adwfsdf
 
A situação do país em matéria de drogas e toxicodependência 2011
A situação do país em matéria de drogas e toxicodependência 2011A situação do país em matéria de drogas e toxicodependência 2011
A situação do país em matéria de drogas e toxicodependência 2011
 
Relatório Mundial da ONU Sobre Drogas - Brasil
Relatório Mundial da ONU Sobre Drogas - BrasilRelatório Mundial da ONU Sobre Drogas - Brasil
Relatório Mundial da ONU Sobre Drogas - Brasil
 
2015 luiz antoniocorreiademedeirosgusmao
2015 luiz antoniocorreiademedeirosgusmao2015 luiz antoniocorreiademedeirosgusmao
2015 luiz antoniocorreiademedeirosgusmao
 

Semelhante a Abead_cannabis_descrmini

Drogas cartilha sobre maconha, cocaina e inalantes
Drogas   cartilha sobre maconha, cocaina e inalantesDrogas   cartilha sobre maconha, cocaina e inalantes
Drogas cartilha sobre maconha, cocaina e inalantesJosé Ripardo
 
Cartilha sobre maconha cocaina inalantes
Cartilha sobre maconha cocaina inalantesCartilha sobre maconha cocaina inalantes
Cartilha sobre maconha cocaina inalantesLuana Gomes
 
alcool-aolescencia-deskresearch.ppt
alcool-aolescencia-deskresearch.pptalcool-aolescencia-deskresearch.ppt
alcool-aolescencia-deskresearch.pptssuserea0dc8
 
alcool-aolescencia-deskresearch.ppt
alcool-aolescencia-deskresearch.pptalcool-aolescencia-deskresearch.ppt
alcool-aolescencia-deskresearch.pptjuniorsoares570921
 
Legislação sobre drogas no brasil
Legislação sobre drogas no brasilLegislação sobre drogas no brasil
Legislação sobre drogas no brasilJosé Ripardo
 
Cartilha drogas - maconha cocaína e inalantes
Cartilha   drogas - maconha cocaína e inalantesCartilha   drogas - maconha cocaína e inalantes
Cartilha drogas - maconha cocaína e inalanteskarol_ribeiro
 
Políticas Públicas para o Combate às Drogas no Estado de São Paulo
Políticas Públicas para o Combate às Drogas no Estado de São PauloPolíticas Públicas para o Combate às Drogas no Estado de São Paulo
Políticas Públicas para o Combate às Drogas no Estado de São PauloDeputada Aline Corrêa
 
Drogas legalizar não é preciso,POR GABRIEL BIRKHANN
Drogas legalizar não é preciso,POR GABRIEL BIRKHANNDrogas legalizar não é preciso,POR GABRIEL BIRKHANN
Drogas legalizar não é preciso,POR GABRIEL BIRKHANNGabriel Dos Santos Birkhann
 
2 revisão da literatura
2   revisão da literatura2   revisão da literatura
2 revisão da literaturaJosé Monteiro
 
Fatores de Riscos
Fatores de RiscosFatores de Riscos
Fatores de RiscosNet Viva
 
Institutional freemind drugs free world
Institutional freemind drugs free worldInstitutional freemind drugs free world
Institutional freemind drugs free worldoficinamkt
 
Curso de capacitação em dependência química plano de aula
Curso de capacitação em dependência química   plano de aulaCurso de capacitação em dependência química   plano de aula
Curso de capacitação em dependência química plano de aulaThelma Valentina Fredrych
 

Semelhante a Abead_cannabis_descrmini (20)

Deputado
Deputado Deputado
Deputado
 
Drogas cartilha sobre maconha, cocaina e inalantes
Drogas   cartilha sobre maconha, cocaina e inalantesDrogas   cartilha sobre maconha, cocaina e inalantes
Drogas cartilha sobre maconha, cocaina e inalantes
 
Cartilha sobre maconha cocaina inalantes
Cartilha sobre maconha cocaina inalantesCartilha sobre maconha cocaina inalantes
Cartilha sobre maconha cocaina inalantes
 
Cartilha sobre drogas
Cartilha sobre drogasCartilha sobre drogas
Cartilha sobre drogas
 
alcool-aolescencia-deskresearch.ppt
alcool-aolescencia-deskresearch.pptalcool-aolescencia-deskresearch.ppt
alcool-aolescencia-deskresearch.ppt
 
alcool-aolescencia-deskresearch.ppt
alcool-aolescencia-deskresearch.pptalcool-aolescencia-deskresearch.ppt
alcool-aolescencia-deskresearch.ppt
 
Legislação sobre drogas no brasil
Legislação sobre drogas no brasilLegislação sobre drogas no brasil
Legislação sobre drogas no brasil
 
Cartilha drogas - maconha cocaína e inalantes
Cartilha   drogas - maconha cocaína e inalantesCartilha   drogas - maconha cocaína e inalantes
Cartilha drogas - maconha cocaína e inalantes
 
FREEMIND - RICARDO MONTEIRO
FREEMIND - RICARDO MONTEIROFREEMIND - RICARDO MONTEIRO
FREEMIND - RICARDO MONTEIRO
 
Políticas Públicas para o Combate às Drogas no Estado de São Paulo
Políticas Públicas para o Combate às Drogas no Estado de São PauloPolíticas Públicas para o Combate às Drogas no Estado de São Paulo
Políticas Públicas para o Combate às Drogas no Estado de São Paulo
 
Drogas legalizar não é preciso,POR GABRIEL BIRKHANN
Drogas legalizar não é preciso,POR GABRIEL BIRKHANNDrogas legalizar não é preciso,POR GABRIEL BIRKHANN
Drogas legalizar não é preciso,POR GABRIEL BIRKHANN
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
2 revisão da literatura
2   revisão da literatura2   revisão da literatura
2 revisão da literatura
 
disney
disneydisney
disney
 
Livro completo senad5
Livro completo senad5Livro completo senad5
Livro completo senad5
 
Fatores de Riscos
Fatores de RiscosFatores de Riscos
Fatores de Riscos
 
Novo Marco Legal sobre Drogas
Novo Marco Legal sobre DrogasNovo Marco Legal sobre Drogas
Novo Marco Legal sobre Drogas
 
Institutional freemind drugs free world
Institutional freemind drugs free worldInstitutional freemind drugs free world
Institutional freemind drugs free world
 
Drogas 1
Drogas 1Drogas 1
Drogas 1
 
Curso de capacitação em dependência química plano de aula
Curso de capacitação em dependência química   plano de aulaCurso de capacitação em dependência química   plano de aula
Curso de capacitação em dependência química plano de aula
 

Mais de Vinícius Sobreira

Iconografia_da_Bomba_do_Hemetério
Iconografia_da_Bomba_do_HemetérioIconografia_da_Bomba_do_Hemetério
Iconografia_da_Bomba_do_HemetérioVinícius Sobreira
 
BancoDeDados_BombaDoHemeterio_PoloCultural
BancoDeDados_BombaDoHemeterio_PoloCulturalBancoDeDados_BombaDoHemeterio_PoloCultural
BancoDeDados_BombaDoHemeterio_PoloCulturalVinícius Sobreira
 
Bernardo_Vidal_resposta_TCE_BlogDeJamildo
Bernardo_Vidal_resposta_TCE_BlogDeJamildoBernardo_Vidal_resposta_TCE_BlogDeJamildo
Bernardo_Vidal_resposta_TCE_BlogDeJamildoVinícius Sobreira
 
acordao_TCE_PE_Pernambuco_2013_contas_Araripina_2009
acordao_TCE_PE_Pernambuco_2013_contas_Araripina_2009acordao_TCE_PE_Pernambuco_2013_contas_Araripina_2009
acordao_TCE_PE_Pernambuco_2013_contas_Araripina_2009Vinícius Sobreira
 
parecer_TCE_PB_paraiba_Fagundes_2009
parecer_TCE_PB_paraiba_Fagundes_2009parecer_TCE_PB_paraiba_Fagundes_2009
parecer_TCE_PB_paraiba_Fagundes_2009Vinícius Sobreira
 
Distribuiçao espacialdatemperaturadasuperfíciedorecife
Distribuiçao espacialdatemperaturadasuperfíciedorecifeDistribuiçao espacialdatemperaturadasuperfíciedorecife
Distribuiçao espacialdatemperaturadasuperfíciedorecifeVinícius Sobreira
 
Resposta_detran_anexo4_entregadechaves
Resposta_detran_anexo4_entregadechavesResposta_detran_anexo4_entregadechaves
Resposta_detran_anexo4_entregadechavesVinícius Sobreira
 
Resposta_detran_anexo3_contrato
Resposta_detran_anexo3_contratoResposta_detran_anexo3_contrato
Resposta_detran_anexo3_contratoVinícius Sobreira
 
Resposta_detran_anexo2_protocolopge
Resposta_detran_anexo2_protocolopgeResposta_detran_anexo2_protocolopge
Resposta_detran_anexo2_protocolopgeVinícius Sobreira
 
Resposta_detran_anexo1_notatecnica_geare
Resposta_detran_anexo1_notatecnica_geareResposta_detran_anexo1_notatecnica_geare
Resposta_detran_anexo1_notatecnica_geareVinícius Sobreira
 
comunicado_auditoriaprocessosdetran
comunicado_auditoriaprocessosdetrancomunicado_auditoriaprocessosdetran
comunicado_auditoriaprocessosdetranVinícius Sobreira
 
Manifesto_CRRs_Internação Compulsória
Manifesto_CRRs_Internação CompulsóriaManifesto_CRRs_Internação Compulsória
Manifesto_CRRs_Internação CompulsóriaVinícius Sobreira
 
Paulista_entrevistas_selecao_saude_2013
Paulista_entrevistas_selecao_saude_2013Paulista_entrevistas_selecao_saude_2013
Paulista_entrevistas_selecao_saude_2013Vinícius Sobreira
 
parecer_restriçãoveiculos_recife_camara
parecer_restriçãoveiculos_recife_camaraparecer_restriçãoveiculos_recife_camara
parecer_restriçãoveiculos_recife_camaraVinícius Sobreira
 
votoderepudio_Carpina_JeanWyllys
votoderepudio_Carpina_JeanWyllysvotoderepudio_Carpina_JeanWyllys
votoderepudio_Carpina_JeanWyllysVinícius Sobreira
 
DiarioOficial_PE_jarbas_terezinhanunes
DiarioOficial_PE_jarbas_terezinhanunesDiarioOficial_PE_jarbas_terezinhanunes
DiarioOficial_PE_jarbas_terezinhanunesVinícius Sobreira
 

Mais de Vinícius Sobreira (20)

Iconografia_da_Bomba_do_Hemetério
Iconografia_da_Bomba_do_HemetérioIconografia_da_Bomba_do_Hemetério
Iconografia_da_Bomba_do_Hemetério
 
BancoDeDados_BombaDoHemeterio_PoloCultural
BancoDeDados_BombaDoHemeterio_PoloCulturalBancoDeDados_BombaDoHemeterio_PoloCultural
BancoDeDados_BombaDoHemeterio_PoloCultural
 
Bernardo_Vidal_resposta_TCE_BlogDeJamildo
Bernardo_Vidal_resposta_TCE_BlogDeJamildoBernardo_Vidal_resposta_TCE_BlogDeJamildo
Bernardo_Vidal_resposta_TCE_BlogDeJamildo
 
acordao_TCE_PE_Pernambuco_2013_contas_Araripina_2009
acordao_TCE_PE_Pernambuco_2013_contas_Araripina_2009acordao_TCE_PE_Pernambuco_2013_contas_Araripina_2009
acordao_TCE_PE_Pernambuco_2013_contas_Araripina_2009
 
parecer_TCE_PB_paraiba_Fagundes_2009
parecer_TCE_PB_paraiba_Fagundes_2009parecer_TCE_PB_paraiba_Fagundes_2009
parecer_TCE_PB_paraiba_Fagundes_2009
 
Distribuiçao espacialdatemperaturadasuperfíciedorecife
Distribuiçao espacialdatemperaturadasuperfíciedorecifeDistribuiçao espacialdatemperaturadasuperfíciedorecife
Distribuiçao espacialdatemperaturadasuperfíciedorecife
 
Resposta_detran_anexo4_entregadechaves
Resposta_detran_anexo4_entregadechavesResposta_detran_anexo4_entregadechaves
Resposta_detran_anexo4_entregadechaves
 
Resposta_detran_anexo3_contrato
Resposta_detran_anexo3_contratoResposta_detran_anexo3_contrato
Resposta_detran_anexo3_contrato
 
Resposta_detran_anexo2_protocolopge
Resposta_detran_anexo2_protocolopgeResposta_detran_anexo2_protocolopge
Resposta_detran_anexo2_protocolopge
 
Resposta_detran_anexo1_notatecnica_geare
Resposta_detran_anexo1_notatecnica_geareResposta_detran_anexo1_notatecnica_geare
Resposta_detran_anexo1_notatecnica_geare
 
Resposta_detran_blog
Resposta_detran_blogResposta_detran_blog
Resposta_detran_blog
 
Pagamentos_detran_galpao
Pagamentos_detran_galpaoPagamentos_detran_galpao
Pagamentos_detran_galpao
 
comunicado_auditoriaprocessosdetran
comunicado_auditoriaprocessosdetrancomunicado_auditoriaprocessosdetran
comunicado_auditoriaprocessosdetran
 
contrato_detran_galpaoc
contrato_detran_galpaoccontrato_detran_galpaoc
contrato_detran_galpaoc
 
Manifesto_CRRs_Internação Compulsória
Manifesto_CRRs_Internação CompulsóriaManifesto_CRRs_Internação Compulsória
Manifesto_CRRs_Internação Compulsória
 
Informacao_cabo
Informacao_caboInformacao_cabo
Informacao_cabo
 
Paulista_entrevistas_selecao_saude_2013
Paulista_entrevistas_selecao_saude_2013Paulista_entrevistas_selecao_saude_2013
Paulista_entrevistas_selecao_saude_2013
 
parecer_restriçãoveiculos_recife_camara
parecer_restriçãoveiculos_recife_camaraparecer_restriçãoveiculos_recife_camara
parecer_restriçãoveiculos_recife_camara
 
votoderepudio_Carpina_JeanWyllys
votoderepudio_Carpina_JeanWyllysvotoderepudio_Carpina_JeanWyllys
votoderepudio_Carpina_JeanWyllys
 
DiarioOficial_PE_jarbas_terezinhanunes
DiarioOficial_PE_jarbas_terezinhanunesDiarioOficial_PE_jarbas_terezinhanunes
DiarioOficial_PE_jarbas_terezinhanunes
 

Abead_cannabis_descrmini

  • 1. ABEAD - Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas POSICIONAMENTO QUANTO À DESCRIMINALIZAÇÃO DA MACONHA NO BRASIL. Caracterizando a Abead AABEAD conta 35 anos. É uma associação de profissionais que atuam em pesquisa, ensino, prevenção, assistência e formação de Políticas Públicas na área das dependências químicas e de outros comportamentos aditivos. Não tem fins lucrativos e sua missão principal é manter o debate permanente e subsidiar tecnicamente ações acerca dos problemas decorrentes do uso de substâncias em nossa sociedade. Descrição do processo que gerou o presente manifesto AABEAD organizou um comitê de especialistas para debater o tema da descriminalização do uso de drogas. O comitê elaborou um posicionamento cientificamente embasado, que será oferecido para ampla divulgação à comunidade e também será apresentado ao Poder Público como subsídio para a formação de nova legislação. Nesta edição o foco recaiu sobre a maconha. O comitê reuniu-se em 19 de abril de 2013, na cidade de São Paulo, com o objetivo de revisar políticas de alta tolerância, onde se aplicou a descriminalização da maconha. Foram examinados históricos recentes do processo de descriminalização em 7 países, representando as duas Américas, Oceania e a Europa. Dados epidemiológicos e oficiais de Portugal, Holanda, Reino Unido, Espanha, Estados Unidos da América, Uruguai e Austrália. Os dados utilizados são limitados e pouco comparáveis em função da variabilidade dos métodos utilizados. A cultura e a geopolítica, assim como a ideologia, e principalmente a dificuldade de detalhar aspectos históricos que permeiam as publicações consultadas devem ser levadas em consideração na leitura dos achados aqui relatados. As conclusões mais relevantes de cada país relativos à descriminalização da maconha são apresentadas a seguir. Austrália Medidas de descriminalização têm produzido aumento de consumo e também de problemas relacionados ao uso de maconha. Espanha Percebe-se aumento de consumo de maconha e também de outras drogas. Maior experimentação entre jovens do sexo masculino. Cresceu a disponibilidade e reduziu-se a percepção de risco do uso de maconha e de outras drogas. As taxas de encarceramento permaneceram estáveis. Houve aumento das denúncias e das taxas de apreensão. A produção de maconha dispersou-se pelo país, tendo aumentado o plantio "indoor", e associado a ele o surgimento das "redes" de clubes de cultivo, desvirtuando a proposta de autogestão do consumo em novas modalidades de tráfico. Estados Unidos da América O custo relacionado às drogas diminuiu. Quanto aos índices de consumo, ainda não se têm dados
  • 2. consistentes. Holanda Constata-se aumento do consumo da ordem de 5%, não necessariamente relacionado à descriminalização, pois observou-se que a onda de aumento também acontecia em países vizinhos não submetidos à mudança legislativa. Portugal Sua legislação tornou-se mais permissiva em 2001 e desde então há poucos estudos epidemiológicos e os mesmos apresentam dados díspares. Em geral, quando os levantamentos foram conduzidos nacionalmente demostraram resultados mais otimistas do que os conduzido por pesquisadores independentes. Esses evidenciaram que o consumo de todas as drogas aumentou sensivelmente no período (Uso na vida relatado de "qualquer droga ilícita" aumentou de 7,8% para 12%. Uso na vida de maconha aumentou de 7,6% para 11,7%. Uso na vida de cocaína mais que dobrou (de 0,9% para 1,9%) o mesmo acontecendo com ecstasy (de 0,7% para 1,3%) e heroína de 0,7% para 1,1%). Por outro lado, aumentou a busca por tratamento e diminuiu a criminalidade. Reino Unido Ocorreu aumento de todos os tipos de consumo (na vida, no ano, no mês), incluindo a zona rural (10:1000) e entre mulheres, principalmente adolescentes (29% dos estudantes usavam o que representou um aumento de 48% nos < 16 anos) (1,2). Reduziu-se a idade de experimentação, atingindo crianças (11% aos 11 anos e até 15, 45%) e aumentou o número de crianças com uso problemático e dependente e os problemas relacionados (abandono escolar, institucionalização, crime, etc) (3,4,5). A taxa de usuários problemáticos atingiu 10 em cada 1000 e houve aumento do consumo de outras drogas (6,7). Aumentou em quatro vezes a busca pela emergência, e aumentou o número de adolescentes com transtorno mental e sua hospitalização (8,9,10,11). Ficou evidente a redução das taxas de encarceramento e apreensões no período (2003-2008), dentro de uma onda de diminuição já desencadeada anteriormente à reclassificação da maconha, provavelmente, em função da adoção de uma política de Redução de Danos em 2000 (12,13). Diminuiu o preço da maconha no mercado (13). Uruguai Embora presente na pauta governamental e social, o debate sobre descriminalização e maior liberalidade para com a maconha ainda não produziu ações efetivas que permitam medir impacto. Perspectivas para o Brasil diante da possibilidade de Plena Descriminalização do uso de maconha Com base nas experiências examinadas provindas de sete países e de três continentes, mesmo considerando-se marcadas diferenças culturais, o comitê produziu algumas recomendações. Na eventual vigência de plena oficialização da descriminalização do uso de maconha, visto que a lei atual pune os usuários com medidas não restritivas de liberdade, deve a sociedade brasileira avaliar
  • 3. as possibilidades abaixo relacionadas: 1. aumento do consumo de maconha e como consequência dos problemas a ele relacionados; 2. redução da idade de experimentação; 3. aumento do consumo de outras drogas e dos problemas a elas relacionados; 4. redução das taxas de encarceramento; 5. redução das taxas de apreensão da droga, 6. redução do preço da maconha. 7. surgimento de um movimento turístico ligado ao consumo de maconha. Recomendações do Comitê da Abead sobre Legislação e Políticas Públicas relativas à maconha Considerando-se todos os achados apresentados e peculiaridades de nosso país, ressaltando-se que o Brasil tem grande território e largas fronteiras, grande variabilidade socioeconômica e cultural, densidade populacional bastante variável, além da fragilidade das políticas de drogas. O Comitê sugere então as ações a seguir listadas. - Adiamento da eventual mudança legislativa relativa à maconha para qualquer novo viés, liberalizante ou restritivo, até que um mais pleno debate se configure como satisfatório para todas as forças sociais que se dele se ocupam. - Acompanhamento e divulgação imparcial dos resultados das mudanças legislativas sendo colhidos em outros países, quer positivos, quer preocupantes. - Realização de levantamentos (ou estudos epidemiológicos) nacionais sistemáticos e seriados sobre a prevalência do uso de todas as drogas e dos seus diferentes tipos de usuários; - Organização de parcerias com organizações internacionais para a realização de levantamentos por meio de grupos independentes e não sujeitos a pressões locais; - Revisão prioritária da política brasileira para drogas, visto que a simples mudança da lei não só não resolve o problema como deverá impactar a população como foi descrito acima, se outras medidas não puderem ser acionadas de forma concomitante. - Instrumentação e ampliação do debate, dentro do Poder Público e na sociedade em geral, sobre o potencial impacto de mudanças legislativas sobre a política para drogas. - Divulgação permanente da situação brasileira, por meio de programa educativo sobre todos os capítulos do tema. - Financiamento permanente de pesquisas para produzir dados sobre as necessidades brasileiras, principalmente relacionadas ao DALYS (índice da OMS para o impacto de doenças expresso em número de anos perdidos por adoecimento) e seu custo para a população. - Criação de um comitê de especialistas nacionais e internacionais para monitorar as pesquisas brasileiras sobre o tema, os resultados e sua divulgação. Fontes Bibliográficas
  • 4. Austrália Gibb SJ, Fergusson DM, Horwood LJ. Relationship separation and mental health problems: findings from a 30-year longitudinal study. Aust N Z J Psychiatry. 2011 Horwood LJ, Fergusson DM, Coffey C, Patton GC, Tait R, Smart D, Letcher P, Silins E, Hutchinson DM. Cannabis and depression: an integrative data analysis offour Australasian cohorts. Drug Alcohol Depend. 2012 Dec 1;126(3):369-78. Swain NR, Gibb SJ, Horwood LJ, Fergusson DM. Alcohol and cannabis abuse/dependence symptoms and life satisfaction in young adulthood. Drug Alcohol Rev. 2012 May;31(3):327-33. Espanha Gobierno de España/Ministerio de Sanidad y Política Social. Estrategia Nacional sobre Drogas 2009-2016. Delegación del Gobierno para el Plan Nacional sobre Drogas (DGPNSD). Gobierno de España/Ministerio de Sanidad y Política Social. Evaluación Final de la Estrategia Nacional sobre Drogas 2000-2008. Delegación del Gobierno para el Plan Nacional sobre Drogas (DGPNSD). Gobierno de España/Ministerio de Sanidad, Servicios Sociales e Igualdad. Informe 2011 - Observatorio Español de la Droga y las Toxicomanías: Situación y tendencias de los problemas de drogas en España. Disponível em: http://www.pnsd.msssi.gob.es. Acesso em: 14 abr 2013. UNODC. Relatório Mundial sobre Drogas, 2012. Estados Unidos da América Caulkins, Jonathan P., "Cost-Benefit Analyses of Investments to Control Illicit Substance Abuse and Addiction" (2006). Heinz Research. Paper 8. http://repository.cmu.edu/heinzworks Farrelly M., Bary J., Zarkin G., and Wendling B. (2001), The joint demand for cigarettes and marijuana: evidence from the National Household Survey on Drug Abuse". Journal of Health Economics, 20(1): 51-68. Hall W, Room R. Obstacles to a regulated cannabis market. Can J Psychiatry. 2008 Dec;53(12):798. MacCoun R. J., Paletz S. Citizens&rsquo; perceptions of ideological bias in research on public policy controversies. Polit Psychol2009; 30: 43&ndash;65. MacCoun R. J., Reuter P. The implicit rules of evidence-based drug policy: a US perspective. Int J Drug Policy 2008; 19:231&ndash;2. Macleod J., Hickman M. How ideology shapes the evidenceand the policy: what do we know about cannabis use and what should we do? Addiction 2010; 105: 1326&ndash;30. Pacula RL. (2010), Examining the impact of marijuana legalization on marijuana consumption. Insights from the economics literature", Working paper WR-770-RC, RAND, Drug policy research center, Santa Monica
  • 5. The European Monitoring Centre for Drugs and DrugAddiction (EMCDDA). 2009 Annual Report on the State of theDrugs Problem in Europe (Table GPS-5). Lisbon: EMCDDA,2009. Holanda Babor, T., Caulkins, J., Edwards, G., Fischer, B., Foxcroft, D., Humphreys, K., Obot, I., Rehm, J., Reuter, P., Room, R., Rossow, I., Strang, J. Drug Policy and the Public Good. Oxford University Press: Oxford, 2010. MacCoun, R., Reuter, P. Evaluating alternative cannabis regimes. British Journal of Psychiatry, 178:123-128, 2001. MacCoun, R. J. & Reuter, P. (1997) Interpreting Dutch cannabis policy: Reasoning by analogy in the legalization debate. Science, 278, 47-52. Portugal Para aumento de busca por tratamento Hughes, Caitlin; Stevens, Alex "The Effects of Decriminalization of Drug Use in Portugal", Briefing Paper 14,Oxford, December 2007. Beckley Foundation http://www.beckleyfoundation.org/ Para diminuição de novos casos de AIDS Cardoso, Manuel; Santos, Ana Sofia; Duarte, Óscar (2009). "New Development, Trends and in- depth information on selected issues". Portuguese Focal Point report (2008 data) to the EMCDDA. Lisbon, Portugal: Institute for Drug and Drug Addiction (IDT,I.P.). Retrieved 2011-06-11. Para a inicial redução do número de mortes que agora retornou a patamares anteriores à legislação As mesmas duas referências acima. Para aumento de consumo Relatório de 2012 do European Monitoring Centre for Drugs and Drug Addiction. Acessado em 18/04 a partir de: http://www.emcdda.europa.eu/stats12#gps:displayTables Para diminuição do preço da droga European School Survey Project on Alcohol and Other Drugs (ESPAD), data available through the
  • 6. EMCDDA. Reino Unido Vicente J, Olszewski D, Matias J Prevalence, patterns and trends of cannabis use among adults in Europe in: A cannabis reader: global issues and local experiences, Monograph series 8, Chapter 1. European Monitoring Centre for Drugs and Drug Addiction, Lisbon,2008. http://www.emcdda.europa.eu/stats12#display:/stats12/gpstab3c Hibell B, Andersson B, Bjarnasson T, Ahlström S, Balakireva O, Kokkevi A, Morgan The ESPAD report 2003. Alcohol and other drug use among students in 35 European countries, The European School Survey Project on Alcohol and Other Drugs, CAN, Stockholm, 2004. Hibell B,Guttormsson U, Ahlström S,Balakireva O, Bjarnason T, Kokkevi A, KrausThe L 2007 ESPAD Report, Substance Use in 35 European Countries, The Swedish Council for Information on Alcohol and otherDrugs (CAN), The European Monitoring Centre forDrugs andDrug Addiction (EMCDDA), Council of Europe, Co-operationGroup to Combat Drug Abuse and Illicit Trafficking in Drugs (Pompidou Group), 2009. Eastwood P National Centre for Social Research (NatCen) and the National Foundation for Educational Research (NFER)s The NHS Information Centre Drug Use, smoking and drinking among young people in England in 2007. The NHS Information Centre for health and social care, 2008. Lynskey M, Hall W The effects of adolescent cannabis use on educational attainment: a review. Addiction, 95 (11), 1621&ndash;1630, 2000. Holloway K et al. The effectiveness of criminal justice and treatment programmes in reducing drugs related crime: a systematic review, Home Office, 2005. McKeganey N et al. &ldquo;Abstinence and drug abuse treatment: results from the Drug Outcome Research in Scotland study,&rdquo; Drugs: Education, Prevention & Policy, 2006. NTA Young people&rsquo;s specialist substance misuse treatment &ndash; The Role of CAMHS and addiction psychiatry in adolescent substance misuse services, 2008. Macleod J, Oakes R, Copello A, Crome I, Egger M, Hickman M, Oppenkowski T, Stokes-Lampard H, Smith GD. Psychological and social sequelae of cannabis and other illicit drug use by young people: a systematic review of longitudinal, general population studies. The Lancet, 363, 1579&ndash;1588, 2004. G Hay et al. Rise in cocaine hospital admissions, Institute for the Study of Drug Dependence, Drugscope, 2008. Hansard, Written Answers, Column 583W, 6 June 2007 NHS, Adult Psychiatric Morbidity in England, 2007. Reynolds W Cannabis Classification and Public Health. ACMD Advisory Council on the Misuse of Drugs, 2008. Home Office, Drugs Misuse Declared: findings from the 2007 British Crime Survey. Drug
  • 7. Monitoring Unit, 2008 (www.imdu.co.uk). Uruguai Nacional Junta de Drogas. http://www.infodrogas.gub.uy/. Acessado em 10/05/2013. Atributo Brasil 55 11 4930-2006 www.atributobrasil.com.br