SlideShare uma empresa Scribd logo
A REVOLTA
DA VACINA
Trabalho de História
Introdução
O início do período republicado
da História do Brasil foi marcado
por vários conflitos e revoltas
populares. O Rio de Janeiro não
escapou desta situação. No ano
de 1904, estourou um
movimento de caráter popular na
cidade do Rio de Janeiro. O
motivo que desencadeou a
revolta foi a campanha de
vacinação obrigatória, imposta
pelo governo federal, contra a
varíola.
SITUAÇÃO DO RIO DE JANEIRO NO
INÍCIO DO SÉCULO XX
 A situação do Rio de Janeiro, no início do século XX, era
precária. A população sofria com a falta de um sistema eficiente
de saneamento básico. Este fato desencadeava constantes
epidemias, entre elas, febre amarela, peste bubônica e varíola. A
população de baixa renda, que morava em habitações precárias,
era a principal vítima deste contexto.
 Preocupado com esta situação, o então presidente Rodrigues
Alves colocou em prática um projeto de saneamento básico e
reurbanização do centro da cidade. O médico e sanitarista
Oswaldo Cruz foi designado pelo presidente para ser o chefe do
Departamento Nacional de Saúde Pública, com o objetivo de
melhorar as condições sanitárias da cidade.
CAMPANHA DE VACINAÇÃO
OBRIGATÓRIA
 A campanha de vacinação obrigatória é colocada em prática em
novembro de 1904. Embora seu objetivo fosse positivo, ela foi
aplicada de forma autoritária e violenta. Em alguns casos, os
agentes sanitários invadiam as casas e vacinavam as pessoas à
força, provocando revolta nas pessoas. Essa recusa em ser
vacinado acontecia, pois grande parte das pessoas não conhecia
o que era uma vacina e tinham medo de seus efeitos.
REVOLTA POPULAR
 A revolta popular aumentava a cada dia, impulsionada também
pela crise econômica (desemprego, inflação e alto custo de vida)
e a reforma urbana que retirou a população pobre do centro da
cidade, derrubando vários cortiços e outros tipos de habitações
mais simples.
 As manifestações populares e conflitos espalham-se pelas ruas
da capital brasileira. Populares destroem bondes, apedrejam
prédios públicos e espalham a desordem pela cidade. Em 16 de
novembro de 1904, o presidente Rodrigues Alves revoga a lei da
vacinação obrigatória, colocando nas ruas o exército, a marinha e
a polícia para acabar com os tumultos. Em poucos dias a cidade
voltava a calma e a ordem.
Trabalho de história
A Revolta da Vacina
Turma: 2M2
Grupo: Joyce, André, Mayara e
Alison.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
Lyssa Martins
 
GUERRA DE CANUDOS
GUERRA DE CANUDOSGUERRA DE CANUDOS
GUERRA DE CANUDOS
Louise Caldart Colombo
 
Conjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e BaianaConjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e Baiana
Aulas de História
 
Proclamação da república
Proclamação da repúblicaProclamação da república
Proclamação da república
Fabiana Tonsis
 
Capítulo 3 - Primeira República - dominação e resistência
Capítulo 3 - Primeira República - dominação e resistênciaCapítulo 3 - Primeira República - dominação e resistência
Capítulo 3 - Primeira República - dominação e resistência
Marcos Antonio Grigorio de Figueiredo
 
Revolta da Vacina T.82
Revolta da Vacina T.82Revolta da Vacina T.82
Revolta da Vacina T.82
Dianesi
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
Fatima Freitas
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
Daniel Rocha
 
Inconfidência Mineira
Inconfidência MineiraInconfidência Mineira
Inconfidência Mineira
Marina Wekid
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
MJPBO
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Edenilson Morais
 
Revolta da Vacina
Revolta da VacinaRevolta da Vacina
Revolta da Vacina
nayslides Sobrenome
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
Marcia Klein
 
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
Professor de História
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
Simone P Baldissera
 
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
Loredana Ruffo
 
SLIDES – MODERNIZAÇÃO, EXPULSÃO E REURBANIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO.
SLIDES – MODERNIZAÇÃO, EXPULSÃO E REURBANIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO.SLIDES – MODERNIZAÇÃO, EXPULSÃO E REURBANIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO.
SLIDES – MODERNIZAÇÃO, EXPULSÃO E REURBANIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO.
Tissiane Gomes
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
Amanda_Rickler
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIALREVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
Franciny Wagner da Silva
 
Povos indigenas no Brasil.
Povos indigenas no Brasil.Povos indigenas no Brasil.
Povos indigenas no Brasil.
Jose Ribamar Santos
 

Mais procurados (20)

Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
 
GUERRA DE CANUDOS
GUERRA DE CANUDOSGUERRA DE CANUDOS
GUERRA DE CANUDOS
 
Conjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e BaianaConjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e Baiana
 
Proclamação da república
Proclamação da repúblicaProclamação da república
Proclamação da república
 
Capítulo 3 - Primeira República - dominação e resistência
Capítulo 3 - Primeira República - dominação e resistênciaCapítulo 3 - Primeira República - dominação e resistência
Capítulo 3 - Primeira República - dominação e resistência
 
Revolta da Vacina T.82
Revolta da Vacina T.82Revolta da Vacina T.82
Revolta da Vacina T.82
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
 
Inconfidência Mineira
Inconfidência MineiraInconfidência Mineira
Inconfidência Mineira
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolta da Vacina
Revolta da VacinaRevolta da Vacina
Revolta da Vacina
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
 
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
 
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
 
SLIDES – MODERNIZAÇÃO, EXPULSÃO E REURBANIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO.
SLIDES – MODERNIZAÇÃO, EXPULSÃO E REURBANIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO.SLIDES – MODERNIZAÇÃO, EXPULSÃO E REURBANIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO.
SLIDES – MODERNIZAÇÃO, EXPULSÃO E REURBANIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO.
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIALREVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
 
Povos indigenas no Brasil.
Povos indigenas no Brasil.Povos indigenas no Brasil.
Povos indigenas no Brasil.
 

Destaque

Reacción en cadena de la polimerasa (pcr)
Reacción en cadena de la polimerasa (pcr)Reacción en cadena de la polimerasa (pcr)
Reacción en cadena de la polimerasa (pcr)
Byron Larios A
 
Historia del sena
Historia del senaHistoria del sena
Historia del sena
Jhosimar45
 
Orden HAP/467/2015 de 13 de marzo por la que se aprueban los modelos de Rent...
Orden HAP/467/2015  de 13 de marzo por la que se aprueban los modelos de Rent...Orden HAP/467/2015  de 13 de marzo por la que se aprueban los modelos de Rent...
Orden HAP/467/2015 de 13 de marzo por la que se aprueban los modelos de Rent...
José Manuel Arroyo Quero
 
Esp 9 lm
Esp 9 lmEsp 9 lm
1 estructura de la asignaturaespañol 3°
1 estructura de la asignaturaespañol 3°1 estructura de la asignaturaespañol 3°
1 estructura de la asignaturaespañol 3°
Clarita Castrejon
 
Gerencia de procesos - Organizaciones orientadas por procesos
Gerencia de procesos - Organizaciones orientadas por procesosGerencia de procesos - Organizaciones orientadas por procesos
Gerencia de procesos - Organizaciones orientadas por procesos
Marta Silvia Tabares
 
Mecanismo das Sinapses
Mecanismo das SinapsesMecanismo das Sinapses
Mecanismo das Sinapses
Jose Carlos
 
Guia para implementar pei.
Guia para implementar pei.Guia para implementar pei.
Guia para implementar pei.
Carlos Yampufé
 
Mercadotecnia Introducción
Mercadotecnia IntroducciónMercadotecnia Introducción
Mercadotecnia Introducción
Vic Martínez
 
Designing eLearning Environments for Learning Organizations
Designing eLearning Environments for Learning OrganizationsDesigning eLearning Environments for Learning Organizations
Designing eLearning Environments for Learning Organizations
Kristina Schneider
 
Mpc 006 - 02-01 product moment coefficient of correlation
Mpc 006 - 02-01 product moment coefficient of correlationMpc 006 - 02-01 product moment coefficient of correlation
Mpc 006 - 02-01 product moment coefficient of correlation
Vasant Kothari
 
Manual producción artesanal de semillas
Manual producción artesanal de semillasManual producción artesanal de semillas
Manual producción artesanal de semillas
Jose Pacheco
 
Portafolio de siller 3 a de jose angel avila alfaro
Portafolio de siller 3 a de jose angel avila alfaroPortafolio de siller 3 a de jose angel avila alfaro
Portafolio de siller 3 a de jose angel avila alfaro
José Ángel Ávila Alfaro
 
Audi 100 dupa 1991 brake system
Audi 100 dupa 1991 brake systemAudi 100 dupa 1991 brake system
Audi 100 dupa 1991 brake system
Gherghescu Gabriel
 
Cocholates[1]
Cocholates[1]Cocholates[1]
Cocholates[1]
1f manda
 
Ejemplos de entidad relacion
Ejemplos de entidad relacionEjemplos de entidad relacion
Ejemplos de entidad relacion
Rodrigo Claros Euscate
 
60 Beautiful Examples of Silhouette Photography
60 Beautiful Examples of Silhouette Photography60 Beautiful Examples of Silhouette Photography
60 Beautiful Examples of Silhouette Photography
Dainis Graveris
 
Material para docente
Material para docenteMaterial para docente
Material para docente
Asun Vidal
 
SISTEMA DE GESTION AMBIENTAL ISO 14001
SISTEMA DE GESTION AMBIENTAL ISO 14001SISTEMA DE GESTION AMBIENTAL ISO 14001
SISTEMA DE GESTION AMBIENTAL ISO 14001
Jose Arturo Gonzalez Ferrer
 
Conceptosbasicosdeprospectivaguillerminabaez
ConceptosbasicosdeprospectivaguillerminabaezConceptosbasicosdeprospectivaguillerminabaez
Conceptosbasicosdeprospectivaguillerminabaez
UNAM Facultad de Contaduría, Administración e Informática
 

Destaque (20)

Reacción en cadena de la polimerasa (pcr)
Reacción en cadena de la polimerasa (pcr)Reacción en cadena de la polimerasa (pcr)
Reacción en cadena de la polimerasa (pcr)
 
Historia del sena
Historia del senaHistoria del sena
Historia del sena
 
Orden HAP/467/2015 de 13 de marzo por la que se aprueban los modelos de Rent...
Orden HAP/467/2015  de 13 de marzo por la que se aprueban los modelos de Rent...Orden HAP/467/2015  de 13 de marzo por la que se aprueban los modelos de Rent...
Orden HAP/467/2015 de 13 de marzo por la que se aprueban los modelos de Rent...
 
Esp 9 lm
Esp 9 lmEsp 9 lm
Esp 9 lm
 
1 estructura de la asignaturaespañol 3°
1 estructura de la asignaturaespañol 3°1 estructura de la asignaturaespañol 3°
1 estructura de la asignaturaespañol 3°
 
Gerencia de procesos - Organizaciones orientadas por procesos
Gerencia de procesos - Organizaciones orientadas por procesosGerencia de procesos - Organizaciones orientadas por procesos
Gerencia de procesos - Organizaciones orientadas por procesos
 
Mecanismo das Sinapses
Mecanismo das SinapsesMecanismo das Sinapses
Mecanismo das Sinapses
 
Guia para implementar pei.
Guia para implementar pei.Guia para implementar pei.
Guia para implementar pei.
 
Mercadotecnia Introducción
Mercadotecnia IntroducciónMercadotecnia Introducción
Mercadotecnia Introducción
 
Designing eLearning Environments for Learning Organizations
Designing eLearning Environments for Learning OrganizationsDesigning eLearning Environments for Learning Organizations
Designing eLearning Environments for Learning Organizations
 
Mpc 006 - 02-01 product moment coefficient of correlation
Mpc 006 - 02-01 product moment coefficient of correlationMpc 006 - 02-01 product moment coefficient of correlation
Mpc 006 - 02-01 product moment coefficient of correlation
 
Manual producción artesanal de semillas
Manual producción artesanal de semillasManual producción artesanal de semillas
Manual producción artesanal de semillas
 
Portafolio de siller 3 a de jose angel avila alfaro
Portafolio de siller 3 a de jose angel avila alfaroPortafolio de siller 3 a de jose angel avila alfaro
Portafolio de siller 3 a de jose angel avila alfaro
 
Audi 100 dupa 1991 brake system
Audi 100 dupa 1991 brake systemAudi 100 dupa 1991 brake system
Audi 100 dupa 1991 brake system
 
Cocholates[1]
Cocholates[1]Cocholates[1]
Cocholates[1]
 
Ejemplos de entidad relacion
Ejemplos de entidad relacionEjemplos de entidad relacion
Ejemplos de entidad relacion
 
60 Beautiful Examples of Silhouette Photography
60 Beautiful Examples of Silhouette Photography60 Beautiful Examples of Silhouette Photography
60 Beautiful Examples of Silhouette Photography
 
Material para docente
Material para docenteMaterial para docente
Material para docente
 
SISTEMA DE GESTION AMBIENTAL ISO 14001
SISTEMA DE GESTION AMBIENTAL ISO 14001SISTEMA DE GESTION AMBIENTAL ISO 14001
SISTEMA DE GESTION AMBIENTAL ISO 14001
 
Conceptosbasicosdeprospectivaguillerminabaez
ConceptosbasicosdeprospectivaguillerminabaezConceptosbasicosdeprospectivaguillerminabaez
Conceptosbasicosdeprospectivaguillerminabaez
 

Semelhante a A revolta da vacina

A REVOLTA DA VACINA - BRASIL III.doc
A REVOLTA DA VACINA - BRASIL III.docA REVOLTA DA VACINA - BRASIL III.doc
A REVOLTA DA VACINA - BRASIL III.doc
GabrielAzevedodeOliv1
 
Aula do estágio nivel medio
Aula do estágio nivel medioAula do estágio nivel medio
Aula do estágio nivel medio
Zelma Alzareth Almeida
 
Modernidade.pdf
Modernidade.pdfModernidade.pdf
Modernidade.pdf
LidianeLill2
 
Revoltas da primeira república.pptx
Revoltas da primeira república.pptxRevoltas da primeira república.pptx
Revoltas da primeira república.pptx
RaquelSilvaBatista3
 
Historia
HistoriaHistoria
Resenha - Sonhos tropicais
Resenha - Sonhos tropicaisResenha - Sonhos tropicais
Resenha - Sonhos tropicais
Anna Carolina Costa
 
Os movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquica
Os movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquicaOs movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquica
Os movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquica
PIBID - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência
 
Os conflitos urbanos na república velha
Os conflitos urbanos na república velhaOs conflitos urbanos na república velha
Os conflitos urbanos na república velha
Camila Prott
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
historiando
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
historiando
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
Nelia Salles Nantes
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
historiando
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
historiando
 
Trabalho de história 1896 - 1921
Trabalho de história 1896 - 1921Trabalho de história 1896 - 1921
Trabalho de história 1896 - 1921
jaquelinivieira
 
Revolta da vacina uso da politicagem cidade do Rio De janeiro em
Revolta da  vacina  uso da politicagem  cidade do Rio De janeiro emRevolta da  vacina  uso da politicagem  cidade do Rio De janeiro em
Revolta da vacina uso da politicagem cidade do Rio De janeiro em
Ricardo Diniz campos
 
SLIDES SAUDE PUBLICA ATUALIZADO.pdf
SLIDES SAUDE PUBLICA ATUALIZADO.pdfSLIDES SAUDE PUBLICA ATUALIZADO.pdf
SLIDES SAUDE PUBLICA ATUALIZADO.pdf
MaraMarques34
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
MJPBO
 
A REVOLTA DAS VACINAS.ppsx
A REVOLTA DAS VACINAS.ppsxA REVOLTA DAS VACINAS.ppsx
A REVOLTA DAS VACINAS.ppsx
ssuser5a60501
 
Aula 05 formação da sociedade brasileira primeiros anos da república
Aula 05   formação da sociedade brasileira primeiros anos da repúblicaAula 05   formação da sociedade brasileira primeiros anos da república
Aula 05 formação da sociedade brasileira primeiros anos da república
Elizeu Nascimento Silva
 
EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SAÚDE PúBLICA - Copia.pdf
EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SAÚDE PúBLICA - Copia.pdfEVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SAÚDE PúBLICA - Copia.pdf
EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SAÚDE PúBLICA - Copia.pdf
jhordana1
 

Semelhante a A revolta da vacina (20)

A REVOLTA DA VACINA - BRASIL III.doc
A REVOLTA DA VACINA - BRASIL III.docA REVOLTA DA VACINA - BRASIL III.doc
A REVOLTA DA VACINA - BRASIL III.doc
 
Aula do estágio nivel medio
Aula do estágio nivel medioAula do estágio nivel medio
Aula do estágio nivel medio
 
Modernidade.pdf
Modernidade.pdfModernidade.pdf
Modernidade.pdf
 
Revoltas da primeira república.pptx
Revoltas da primeira república.pptxRevoltas da primeira república.pptx
Revoltas da primeira república.pptx
 
Historia
HistoriaHistoria
Historia
 
Resenha - Sonhos tropicais
Resenha - Sonhos tropicaisResenha - Sonhos tropicais
Resenha - Sonhos tropicais
 
Os movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquica
Os movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquicaOs movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquica
Os movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquica
 
Os conflitos urbanos na república velha
Os conflitos urbanos na república velhaOs conflitos urbanos na república velha
Os conflitos urbanos na república velha
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
 
Trabalho de história 1896 - 1921
Trabalho de história 1896 - 1921Trabalho de história 1896 - 1921
Trabalho de história 1896 - 1921
 
Revolta da vacina uso da politicagem cidade do Rio De janeiro em
Revolta da  vacina  uso da politicagem  cidade do Rio De janeiro emRevolta da  vacina  uso da politicagem  cidade do Rio De janeiro em
Revolta da vacina uso da politicagem cidade do Rio De janeiro em
 
SLIDES SAUDE PUBLICA ATUALIZADO.pdf
SLIDES SAUDE PUBLICA ATUALIZADO.pdfSLIDES SAUDE PUBLICA ATUALIZADO.pdf
SLIDES SAUDE PUBLICA ATUALIZADO.pdf
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
 
A REVOLTA DAS VACINAS.ppsx
A REVOLTA DAS VACINAS.ppsxA REVOLTA DAS VACINAS.ppsx
A REVOLTA DAS VACINAS.ppsx
 
Aula 05 formação da sociedade brasileira primeiros anos da república
Aula 05   formação da sociedade brasileira primeiros anos da repúblicaAula 05   formação da sociedade brasileira primeiros anos da república
Aula 05 formação da sociedade brasileira primeiros anos da república
 
EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SAÚDE PúBLICA - Copia.pdf
EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SAÚDE PúBLICA - Copia.pdfEVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SAÚDE PúBLICA - Copia.pdf
EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SAÚDE PúBLICA - Copia.pdf
 

Mais de André Felipe Santos Martins

Criando um App com App Inventor 2
Criando um App com App Inventor 2Criando um App com App Inventor 2
Criando um App com App Inventor 2
André Felipe Santos Martins
 
Lipídios
LipídiosLipídios
Revolução Industrial - Argentina e México
Revolução Industrial - Argentina e MéxicoRevolução Industrial - Argentina e México
Revolução Industrial - Argentina e México
André Felipe Santos Martins
 
Introdução ao tratamento de exceções(Try-Catch)
Introdução ao tratamento de exceções(Try-Catch)Introdução ao tratamento de exceções(Try-Catch)
Introdução ao tratamento de exceções(Try-Catch)
André Felipe Santos Martins
 
Sistema de arquivos e Software Livre e Proprietário
Sistema de arquivos e Software Livre e ProprietárioSistema de arquivos e Software Livre e Proprietário
Sistema de arquivos e Software Livre e Proprietário
André Felipe Santos Martins
 
Propaganda Nazista
Propaganda NazistaPropaganda Nazista
Propaganda Nazista
André Felipe Santos Martins
 
Polinização
PolinizaçãoPolinização
Manuelzão e Miguilim
Manuelzão e MiguilimManuelzão e Miguilim
Manuelzão e Miguilim
André Felipe Santos Martins
 
Amebíase
AmebíaseAmebíase
Virtualização - Máquinas Virtuais
Virtualização - Máquinas VirtuaisVirtualização - Máquinas Virtuais
Virtualização - Máquinas Virtuais
André Felipe Santos Martins
 

Mais de André Felipe Santos Martins (10)

Criando um App com App Inventor 2
Criando um App com App Inventor 2Criando um App com App Inventor 2
Criando um App com App Inventor 2
 
Lipídios
LipídiosLipídios
Lipídios
 
Revolução Industrial - Argentina e México
Revolução Industrial - Argentina e MéxicoRevolução Industrial - Argentina e México
Revolução Industrial - Argentina e México
 
Introdução ao tratamento de exceções(Try-Catch)
Introdução ao tratamento de exceções(Try-Catch)Introdução ao tratamento de exceções(Try-Catch)
Introdução ao tratamento de exceções(Try-Catch)
 
Sistema de arquivos e Software Livre e Proprietário
Sistema de arquivos e Software Livre e ProprietárioSistema de arquivos e Software Livre e Proprietário
Sistema de arquivos e Software Livre e Proprietário
 
Propaganda Nazista
Propaganda NazistaPropaganda Nazista
Propaganda Nazista
 
Polinização
PolinizaçãoPolinização
Polinização
 
Manuelzão e Miguilim
Manuelzão e MiguilimManuelzão e Miguilim
Manuelzão e Miguilim
 
Amebíase
AmebíaseAmebíase
Amebíase
 
Virtualização - Máquinas Virtuais
Virtualização - Máquinas VirtuaisVirtualização - Máquinas Virtuais
Virtualização - Máquinas Virtuais
 

A revolta da vacina

  • 2. Introdução O início do período republicado da História do Brasil foi marcado por vários conflitos e revoltas populares. O Rio de Janeiro não escapou desta situação. No ano de 1904, estourou um movimento de caráter popular na cidade do Rio de Janeiro. O motivo que desencadeou a revolta foi a campanha de vacinação obrigatória, imposta pelo governo federal, contra a varíola.
  • 3. SITUAÇÃO DO RIO DE JANEIRO NO INÍCIO DO SÉCULO XX  A situação do Rio de Janeiro, no início do século XX, era precária. A população sofria com a falta de um sistema eficiente de saneamento básico. Este fato desencadeava constantes epidemias, entre elas, febre amarela, peste bubônica e varíola. A população de baixa renda, que morava em habitações precárias, era a principal vítima deste contexto.  Preocupado com esta situação, o então presidente Rodrigues Alves colocou em prática um projeto de saneamento básico e reurbanização do centro da cidade. O médico e sanitarista Oswaldo Cruz foi designado pelo presidente para ser o chefe do Departamento Nacional de Saúde Pública, com o objetivo de melhorar as condições sanitárias da cidade.
  • 4. CAMPANHA DE VACINAÇÃO OBRIGATÓRIA  A campanha de vacinação obrigatória é colocada em prática em novembro de 1904. Embora seu objetivo fosse positivo, ela foi aplicada de forma autoritária e violenta. Em alguns casos, os agentes sanitários invadiam as casas e vacinavam as pessoas à força, provocando revolta nas pessoas. Essa recusa em ser vacinado acontecia, pois grande parte das pessoas não conhecia o que era uma vacina e tinham medo de seus efeitos.
  • 5. REVOLTA POPULAR  A revolta popular aumentava a cada dia, impulsionada também pela crise econômica (desemprego, inflação e alto custo de vida) e a reforma urbana que retirou a população pobre do centro da cidade, derrubando vários cortiços e outros tipos de habitações mais simples.  As manifestações populares e conflitos espalham-se pelas ruas da capital brasileira. Populares destroem bondes, apedrejam prédios públicos e espalham a desordem pela cidade. Em 16 de novembro de 1904, o presidente Rodrigues Alves revoga a lei da vacinação obrigatória, colocando nas ruas o exército, a marinha e a polícia para acabar com os tumultos. Em poucos dias a cidade voltava a calma e a ordem.
  • 6. Trabalho de história A Revolta da Vacina Turma: 2M2 Grupo: Joyce, André, Mayara e Alison.