SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Baixar para ler offline
Agindo como sal e luz 
Evangelização
Mateus 5 13 Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. 14 Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; 15 Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. 16 Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.
•As metáforas do sal e da luz são duas ilustrações frequentemente usadas na Bíblia para explicar como devem agir os cristãos. 
•No texto de Mateus, encontramos a passagem mais famosa sobre o tema. 
•Jesus convoca os seus discípulos para com sua mensagem (do evangelho) serem luz do mundo e sal da terra, ou seja, que as palavras do evangelho iluminem e direcionem a vida das pessoas e purifiquem os corações e mentes dos necessitados.
•Lembrem-se que no capítulo 5 de Mateus Jesus começa a desenhar o seu Evangelho, ou seja, a sua mensagem. 
•Neste capítulo Ele cria um novo paradigma para a existência humana, um paradigma centrado na importância do SER e não TER. 
•O ASHEREY DE DEUS
Salmo 128 
1 BEM-AVENTURADO (Asherey) aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos. 2 Pois comerás do trabalho das tuas mãos; (produtivo) feliz serás, e te irá bem. 3 A tua mulher será como a videira frutífera (fertilidade) aos lados da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira (alegria) à roda da tua mesa. 4 Eis que assim será abençoado o homem (individuo) que teme ao SENHOR. 5 O SENHOR te abençoará desde Sião (familia) , e tu verás o bem de Jerusalém (cidade) em todos os dias da tua vida. 6 E verás os filhos de teus filhos, e a paz sobre Israel (nação) . 
No conceito de Ashrey 
•FELICIDADE – feliz serás, e te irá bem 
•PROSPERIDADE- e te irá bem 
•BENÇÃO - assim será abençoado 
•PAZ - verás os filhos de teus filhos, e a paz 
Ter
Mateus 5 
3 Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus; 4 Bem- aventurados os que choram, porque eles serão consolados; 5 Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra; 6 Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos; 7 Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia; 8 Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus; 9 Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus; 10 Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus; 11 Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. 
No conceito de Ashrey 
•POBRES 
•CHORAM 
•MANSOS 
•FOME 
•MISERICORDIOSOS 
•LIMPOS 
•PACIFICADORES 
•SOFREM 
Ser
•Depois que Jesus ensinou sobre as bem-aventuranças, ele mostrou como elas devem ser aplicadas na vida prática, como devem ser vividas! 
•Segundo a figura de linguagem usada por Jesus a vida cristã deve ser vivida de forma útil, transformadora, purificadora e conservadora, esse é o significado do sal. 
•A localização de depósitos de sal teve uma relevância especial nos locais de instalação de populações, tendo em conta que a o sal permite conservar os alimentos. 
•Por este motivo, foram criadas rotas específicas para a comercialização do sal, e ocorreram inúmeras guerras pelo controle dos depósitos e dos mercados do mesmo.
O seu protagonismo ao longo da história conferiu- lhe um caráter quase sagrado e seguramente carregado de simbolismo, e como a Bíblia é um livro cheio de simbolismos, o sal não deixaria de ser usado também com um significado especial. 
Encontramos algumas pistas da qualidade do sal nas escrituras, por exemplo:
•A mulher de Lot converteu-se em estátua de sal ao comprometer seu coração com sua extrema ligação com a corrompida e imunda Sodoma e Gomorra (Gen. 9:26). 
•Em outra passagem, em Levítico 2:13, o cereal da oferta deve ser purificado, “Temperem com sal todas as suas ofertas de cereal. “Não excluam de suas ofertas de cereal o sal da aliança do seu Deus; acrescentem sal a todas as suas ofertas”. 
•Em Números 18:19 existe passagem semelhante,: Tudo aquilo que for separado dentre todas as dádivas sagradas que os israelitas apresentarem ao Senhor eu dou a você e a seus filhos e filhas como decreto perpétuo. É uma aliança de sal perpétua perante o Senhor, para você e para os seus descendentes".
•Em outra ocasião muito especial, o profeta Eliseu pede que lhe tragam, um prato de sal para purificar a água que provocava morte. 
•E os homens da cidade disseram a Eliseu: Eis que é boa a situação desta cidade, como o meu senhor vê; porém as águas são más, e a terra é estéril. 
•E ele disse: Trazei-me um prato novo, e ponde nele sal. E lho trouxeram. Então saiu ele ao manancial das águas, e deitou sal nele; e disse: Assim diz o Senhor: Sararei a estas águas; e não haverá mais nelas morte nem esterilidade. Ficaram, pois, sãs aquelas águas, até ao dia de hoje, conforme a palavra que Eliseu tinha falado. 2 Reis 2:19-22.
O sal é um símbolo de acordo durável, porque protege os alimentos da putrefação e preserva-os sem alteração. 
Conseqüentemente, na confirmação solene de pactos, os orientais estavam e estão até os dias de hoje, acostumados a compartilhar do sal juntos. 
Havia uma expressão proverbial antiga que dizia: “ter comido juntos um alqueire de sal”, ou seja, “ser velhos amigos”, ou, “ser ligado pelos laços da hospitalidade”. 
Era praxe esfregar recém-nascidos com sal (Ez. 16:4 E, quanto ao teu nascimento, no dia em que nasceste não te foi cortado o umbigo, nem foste lavada com água para te limpar; nem tampouco foste esfregada com sal, nem envolta em faixas), essa prática ainda é comum entre os árabes, talvez tenha sido para conservar a vida, ou para afastar maus espíritos. 
Mas o significado mais aceito está ligado a separação do seu estado impuro (de ligado ao sangue) imediatamente após o nascimento.
•Portanto o sal tinha muitas aplicações no Antigo Testamento, temperar a comida (dar gosto), conservar os alimentos, não permitindo que bactérias (que eles não conheciam) contaminassem, mantendo-os puros e limpos. 
•Outra importante utilização trazida dos tempos do exílio, adquirida em contato com povos estrangeiros, foi na questão sanitária. Os viajantes nos tempos de Jesus costumavam carregar um pequeno alforje ou bolsa com um pouco de sal e uma vara ou bordão de madeira. 
•Durante a viajem quando, precisavam fazer suas necessidades, com a vara cavavam um pequeno buraco, depositavam ali seus excrementos, jogavam sal para que o solo não se contaminasse e cobriam com terra.
Assim o sal tinha como uma de suas principais características o poder de purificar ou de descontaminar. Seria mais correto pensar que Jesus estava pensando nisso quando falou o versículo, sem desprezar, é claro, todas as outras interpretações possíveis. A expressão o "sal da vida" aparece abundantemente na Bíblia, e os Apóstolos e eleitos aparecem por vezes considerados como o "sal da terra".
•Outra ilustração utilizada na mesma passagem versa sobre a luz. Dallas Willard, filósofo cristão, declarou que: "Quase todos os atos e intenções maus começam com a premissa de que podem ser encobertos pelo engano". 
•O reino das trevas é construído sobre mentiras, segredos e escuridão. Ele exige a ausência de luz para que sobreviva. Portanto, apesar de toda a aparência de poder, o reino das trevas é estruturalmente muito fraco. 
•Se você acender a luz, as baratas correram para debaixo da geladeira. O pecado cresce nas trevas.
Em muitas passagens bíblicas encontramos o pecado disfarçando-se nas trevas. A luz, contrario de escuro, serve para iluminar, trazer algo que não existe à existência, a luz nos permite ver a direção que tomamos. Elimina o medo e nos permite avançar. Mostra o real. A mesma luz que faz uma planta crescer, endurece o barro. A luz é a mesma, mas as consequências são completamente diferentes. A escuridão é uma metáfora da não existência, pois Deus diante das trevas disse: “Haja luz e ouve luz”. O que pensamos ser trevas na verdade é ausência de luz.
•Jó 24:13,15,17 (RA) Os perversos são inimigos da luz, não conhecem os seus caminhos, nem permanecem nas suas veredas... Aguardam o crepúsculo os olhos do adúltero; este disse consigo: ninguém me reconhecerá; e cobre o rosto... Pois a manhã para todos eles é como sombra de morte; mas os terrores da noite lhes são familiares. 
•Isaías 29:15-16 (RA) Ai dos que escondem profundamente o seu propósito do Senhor, e as suas próprias obras fazem as escuras, e dizem Quem nos vê? Quem nos conhece? Que perversidade a vossa! Como se o oleiro fosse igual ao barro, e a obra dissesse do seu artífice: Ele não me fez; e a coisa feita dissesse do seu oleiro: Ele nada sabe. 
•Isaías 28:15 (RA) Porquanto dizeis: ... não chegará a nós porque por refúgio temos a mentira, e debaixo da falsidade nos temos escondido.
Imagine-se em uma sala escura. Na sala há esculturas grotescas, objetos pontiagudos pendurados no teto, montanhas de sujeira no chão e móveis velhos nos quais você pode tropeçar. No escuro é impossível imaginar que há algo de errado com esta sala. Contudo, a luz revelaria que na verdade esta sala é horrível; e então não poderíamos fingir! A dor que sentiríamos não seria melhor para os nossos "olhos" quando a luz fosse acesa, do que a dor que sentiríamos se tropeçássemos? Se a luz estivesse acesa tudo seria exposto; poderíamos andar pela sala sem acidentes; a sala poderia ser limpa; e poderíamos até encontrar coisas bonitas e de valor lá, que poderíamos apreciar e usar. Se a luz é acesa, nós a apreciamos ou corremos para "apagá-lá"? Nós a aceitamos, mesmo que nos faça sofrer?
A Bíblia é cheia destas metáforas de bagunça na escuridão: Em Isaías 59-9:10 vemos: “Por isso está longe de nós o juízo e a justiça não nos alcança; esperamos pela luz, e eis que há só trevas; pelo resplendor, mas andamos na escuridão. Apalpamos as paredes como cegos, sim, como os que não tem olhos andamos apalpando; tropeçamos ao meio-dia como nas trevas, e entre os robustos somos como mortos”.
•Jó 12:25. Nas trevas andam as apalpadelas, sem terem luz, e os faz cambalear como ébrios. 
•João 12:46. Eu [Jesus] vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas. 
•João 11:9-10. Respondeu Jesus: Não são doze as horas do dia? Se alguém andar de dia, não tropeça, porque vê a luz deste mundo; mas se andar de noite, tropeça, porque nele não há luz.
A convocação de Jesus nesta passagem é bem clara: “Seja luz”. Paulo entendeu isso muito bem e em sua carta aos Efésios no capítulo 5, de 8 a 14, escreve: Outrora vocês eram "trevas" mas agora, como cristãos, vocês são "luz". Vivam, pois, como filhos da luz. A luz produz no homem tudo o que é bom, justo e verdadeiro. Deixem suas vidas serem provas vivas das coisas que agradam a Deus. Afastem-se das atividades infrutíferas das trevas; deixe a vida de vocês expor sua futilidade. (Vocês sabem a que tipo de coisas estou me referindo - detalhar seus feitos secretos é muito vergonhoso para ser mencionado). Pois a luz é capaz de mostrar todas as coisas como elas realmente são. É até possível que a luz transforme em luz as coisas sobre as quais é refletida.
De forma semelhante muitos outros relatam a importância da luz em nossas vidas, o profeta Samuel diz “Tu, Senhor, és a minha lâmpada; o SENHOR derrama luz nas minhas trevas”, o salmista declara que “o Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo? O Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei?”. Salomão no livro de provérbios, “mas a vereda dos justos é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito. O caminho dos perversos e como a escuridão: nem sabem eles em que tropeçam”, e finalmente o próprio Jesus... ”Eu sou a luz do mundo. Quem me segue, nunca andará em trevas, mas terá a luz da vida".
Em toda a passagem das bem-aventuranças Jesus convoca para que sejamos melhores, nesta Jesus dá uma ordem, é imperativo. “Seja luz e sal”. 
•Certa vez o profeta João Batista, quando preso, mandou que seus discípulos procurassem Jesus e perguntassem se Ele realmente era o Cristo, o Messias, que esperava. 
•Na resposta de Jesus podemos entender qual a sua missão e projeto diante dos homens para a salvação. 
•Respondendo, então, Jesus, disse-lhes: Ide, e anunciai a João o que tendes visto e ouvido: que os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e aos pobres anuncia-se o evangelho. Lucas 7:22
•Antes de partir Jesus deixou a nossa comissão. 
•Na definição desta palavra que significa, incumbência, encargo, mandato e designação, em sua raiz é composta por duas outras palavras: “com” que significa “para, junto” e missão, encargo ou incumbência. 
•Assim Jesus nos chama para uma missão junto Dele, com Ele, de pregar a mensagem do reino, da esperança a toda a criatura. Marcos 16:15 - E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.
Depois destas explicações e encorajamentos Jesus, mostra preocupação com aqueles que estão de fora da família cristã. (pare e reflita sobre isso, quem conhecemos que ainda nunca ouviu falar de Jesus? Estas pessoas tem visto Cristo em nós? Nossas atitudes condiz com o que pregamos?) Pensando nestas pessoas que estão de fora, podemos perguntar a nos mesmos: temos sido luz e sal pra elas? Que qualidades do sal e da luz são valiosas? Que semelhanças você percebe entre o sal e a luz, de um lado, e seu papel como evangelizador neste mundo, do outro?
•Atos 1:8 - Jesus nos chama para sermos influenciadores 
•ll Corintios 5:18-19- recebemos o desafio de sermos reconciliadores de pessoas sem Cristo com a obra da cruz. 
•Mateus 28:19-20 na grande comissão, Ele quer que todo cristão seja um porta-voz do Evangelho( conduz, exerça, pesque), ou seja, devemos ser o sal da terra e a luz onde quer que estejamos, em todo o lugar! 
•Precisamos provocar sede nos outros e iluminar os seus caminhos.
A mensagem do evangelho

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Santo e profano
Santo e profanoSanto e profano
Santo e profano
dyhorrano
 
Santo e profano adolescentes
Santo e profano adolescentesSanto e profano adolescentes
Santo e profano adolescentes
dyhorrano
 
Apostila do santo e profano 1
Apostila do santo e profano 1Apostila do santo e profano 1
Apostila do santo e profano 1
dyhorrano
 

Mais procurados (20)

3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 03
 3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 03 3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 03
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 03
 
Ebenezer 02
Ebenezer 02Ebenezer 02
Ebenezer 02
 
Lbj lição 7 A ansiedade pela vida
Lbj lição 7   A ansiedade pela vidaLbj lição 7   A ansiedade pela vida
Lbj lição 7 A ansiedade pela vida
 
Sal da terra e luz do mundo
Sal da terra e luz do mundoSal da terra e luz do mundo
Sal da terra e luz do mundo
 
Santo e profano
Santo e profanoSanto e profano
Santo e profano
 
Aula Jonatas 20: Parábolas do Reino 1: A parábola do semeador
Aula Jonatas 20: Parábolas do Reino 1: A parábola do semeadorAula Jonatas 20: Parábolas do Reino 1: A parábola do semeador
Aula Jonatas 20: Parábolas do Reino 1: A parábola do semeador
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
 
Evangelismo pessoal
Evangelismo pessoalEvangelismo pessoal
Evangelismo pessoal
 
Lembre se de quem você é
Lembre se de quem você éLembre se de quem você é
Lembre se de quem você é
 
E.b.d jovens 4 trimestre 2016 lição 13
E.b.d   jovens 4 trimestre 2016 lição 13E.b.d   jovens 4 trimestre 2016 lição 13
E.b.d jovens 4 trimestre 2016 lição 13
 
63573803 manual-do-encontro-com-deus
63573803 manual-do-encontro-com-deus63573803 manual-do-encontro-com-deus
63573803 manual-do-encontro-com-deus
 
Santo e profano adolescentes
Santo e profano adolescentesSanto e profano adolescentes
Santo e profano adolescentes
 
07 Laodiceia
07 Laodiceia07 Laodiceia
07 Laodiceia
 
O perfume de cristo.pub
O perfume de cristo.pubO perfume de cristo.pub
O perfume de cristo.pub
 
A Era De LaodicéIa
A Era De LaodicéIa   A Era De LaodicéIa
A Era De LaodicéIa
 
Os Tudo De Paulo De Tarso
Os Tudo De Paulo De TarsoOs Tudo De Paulo De Tarso
Os Tudo De Paulo De Tarso
 
Estudo 5 - Sede e fome de Justiça
Estudo 5 - Sede e fome de JustiçaEstudo 5 - Sede e fome de Justiça
Estudo 5 - Sede e fome de Justiça
 
Apostila do santo e profano 1
Apostila do santo e profano 1Apostila do santo e profano 1
Apostila do santo e profano 1
 
A última hora
A última horaA última hora
A última hora
 
INTIMIDADE COM DEUS
INTIMIDADE COM DEUSINTIMIDADE COM DEUS
INTIMIDADE COM DEUS
 

Destaque

Livro ebook-seja-sal-deste-mundo-e-luz-desta-terra
Livro ebook-seja-sal-deste-mundo-e-luz-desta-terraLivro ebook-seja-sal-deste-mundo-e-luz-desta-terra
Livro ebook-seja-sal-deste-mundo-e-luz-desta-terra
GILMAR BASTOS
 
Unidade 2 reprodução humana
Unidade 2 reprodução humanaUnidade 2 reprodução humana
Unidade 2 reprodução humana
Margarida Cardoso
 
Um Oceano De Sal
Um Oceano De SalUm Oceano De Sal
Um Oceano De Sal
joao10legal
 

Destaque (14)

LBJ LIÇÃO 1 - Relevantes como o sal, resplandencentes como a luz
LBJ LIÇÃO 1 - Relevantes como o sal, resplandencentes como a luzLBJ LIÇÃO 1 - Relevantes como o sal, resplandencentes como a luz
LBJ LIÇÃO 1 - Relevantes como o sal, resplandencentes como a luz
 
Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano a – 09.02.2014 – verde...
Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano a – 09.02.2014 – verde...Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano a – 09.02.2014 – verde...
Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano a – 09.02.2014 – verde...
 
Lição 6 - A eficácia do testemunho cristão
Lição 6 - A eficácia do testemunho cristãoLição 6 - A eficácia do testemunho cristão
Lição 6 - A eficácia do testemunho cristão
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 03
3º trimestre 2015 adolescentes lição 033º trimestre 2015 adolescentes lição 03
3º trimestre 2015 adolescentes lição 03
 
Livro ebook-seja-sal-deste-mundo-e-luz-desta-terra
Livro ebook-seja-sal-deste-mundo-e-luz-desta-terraLivro ebook-seja-sal-deste-mundo-e-luz-desta-terra
Livro ebook-seja-sal-deste-mundo-e-luz-desta-terra
 
Unidade 2 reprodução humana
Unidade 2 reprodução humanaUnidade 2 reprodução humana
Unidade 2 reprodução humana
 
Lição 13- Os Servos de Jesus, Sal da Terra e Luz do Mundo
Lição 13- Os Servos de Jesus, Sal da Terra e Luz do MundoLição 13- Os Servos de Jesus, Sal da Terra e Luz do Mundo
Lição 13- Os Servos de Jesus, Sal da Terra e Luz do Mundo
 
Cia de Artes Sal da Terra
Cia de Artes Sal da TerraCia de Artes Sal da Terra
Cia de Artes Sal da Terra
 
Um Oceano De Sal
Um Oceano De SalUm Oceano De Sal
Um Oceano De Sal
 
Jesus e o Espiritismo-Marcelo do N. Rodrigues- GECMEIMEI
Jesus e o Espiritismo-Marcelo do N. Rodrigues- GECMEIMEIJesus e o Espiritismo-Marcelo do N. Rodrigues- GECMEIMEI
Jesus e o Espiritismo-Marcelo do N. Rodrigues- GECMEIMEI
 
Lbj lição 2 sal da terra e luz do mundo
Lbj lição 2   sal da terra e luz do mundoLbj lição 2   sal da terra e luz do mundo
Lbj lição 2 sal da terra e luz do mundo
 
134237842 palestra-espirita-a-paciencia
134237842 palestra-espirita-a-paciencia134237842 palestra-espirita-a-paciencia
134237842 palestra-espirita-a-paciencia
 
Sais
SaisSais
Sais
 
Como Fazer Palestra Espirita
Como Fazer Palestra EspiritaComo Fazer Palestra Espirita
Como Fazer Palestra Espirita
 

Semelhante a A mensagem do evangelho

A Palavra de Deus não volta vazia, ela cumpre o seu propósito
A Palavra de Deus não volta vazia, ela cumpre o seu propósitoA Palavra de Deus não volta vazia, ela cumpre o seu propósito
A Palavra de Deus não volta vazia, ela cumpre o seu propósito
Paulo Dias Nogueira
 
Proporcionando um abiente para a manifestação da presença
Proporcionando um abiente para a manifestação da presençaProporcionando um abiente para a manifestação da presença
Proporcionando um abiente para a manifestação da presença
Marcos De Oliveira Leite
 
Adoracao-Ao-Santissimo-Para-Grupo-Jovens.pdf
Adoracao-Ao-Santissimo-Para-Grupo-Jovens.pdfAdoracao-Ao-Santissimo-Para-Grupo-Jovens.pdf
Adoracao-Ao-Santissimo-Para-Grupo-Jovens.pdf
CultagriLda
 
A palavra de deus não volta vazia 10 07 2005 - 15 dom. tempo comum - culto ...
A palavra de deus não volta vazia   10 07 2005 - 15 dom. tempo comum - culto ...A palavra de deus não volta vazia   10 07 2005 - 15 dom. tempo comum - culto ...
A palavra de deus não volta vazia 10 07 2005 - 15 dom. tempo comum - culto ...
Paulo Dias Nogueira
 
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptxdoutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
Tiago Silva
 
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdfdoutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
Tiago Silva
 
A providência divina na fidelidade humana
A providência divina na fidelidade humanaA providência divina na fidelidade humana
A providência divina na fidelidade humana
Ailton da Silva
 

Semelhante a A mensagem do evangelho (20)

A Palavra de Deus não volta vazia, ela cumpre o seu propósito
A Palavra de Deus não volta vazia, ela cumpre o seu propósitoA Palavra de Deus não volta vazia, ela cumpre o seu propósito
A Palavra de Deus não volta vazia, ela cumpre o seu propósito
 
Proporcionando um abiente para a manifestação da presença
Proporcionando um abiente para a manifestação da presençaProporcionando um abiente para a manifestação da presença
Proporcionando um abiente para a manifestação da presença
 
Adoracao-Ao-Santissimo-Para-Grupo-Jovens.pdf
Adoracao-Ao-Santissimo-Para-Grupo-Jovens.pdfAdoracao-Ao-Santissimo-Para-Grupo-Jovens.pdf
Adoracao-Ao-Santissimo-Para-Grupo-Jovens.pdf
 
Uma igreja verdadeiramente próspera1
Uma igreja verdadeiramente próspera1Uma igreja verdadeiramente próspera1
Uma igreja verdadeiramente próspera1
 
A palavra de deus não volta vazia 10 07 2005 - 15 dom. tempo comum - culto ...
A palavra de deus não volta vazia   10 07 2005 - 15 dom. tempo comum - culto ...A palavra de deus não volta vazia   10 07 2005 - 15 dom. tempo comum - culto ...
A palavra de deus não volta vazia 10 07 2005 - 15 dom. tempo comum - culto ...
 
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptxdoutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
 
Respostas_1122016_eventos finais_GGR
Respostas_1122016_eventos finais_GGRRespostas_1122016_eventos finais_GGR
Respostas_1122016_eventos finais_GGR
 
Estudo a casa de ouro
Estudo a casa de ouroEstudo a casa de ouro
Estudo a casa de ouro
 
Sermão do monte (parte 1)
Sermão do monte (parte 1)Sermão do monte (parte 1)
Sermão do monte (parte 1)
 
Sermão o sermão do monte (parte 1)
Sermão  o sermão do monte (parte 1)Sermão  o sermão do monte (parte 1)
Sermão o sermão do monte (parte 1)
 
Resgatando os valores basicos
Resgatando os valores basicosResgatando os valores basicos
Resgatando os valores basicos
 
Saude e adoracao o plano da salvacao
Saude e adoracao o plano da salvacaoSaude e adoracao o plano da salvacao
Saude e adoracao o plano da salvacao
 
Adoração ou Interpretacao
Adoração ou InterpretacaoAdoração ou Interpretacao
Adoração ou Interpretacao
 
Doutrina sal da terra.
Doutrina  sal da terra.Doutrina  sal da terra.
Doutrina sal da terra.
 
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdfdoutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
 
Doutrina sal da terra.
Doutrina  sal da terra.Doutrina  sal da terra.
Doutrina sal da terra.
 
O rico e o mendigo
O rico e o mendigoO rico e o mendigo
O rico e o mendigo
 
A providência divina na fidelidade humana
A providência divina na fidelidade humanaA providência divina na fidelidade humana
A providência divina na fidelidade humana
 
Louvor
LouvorLouvor
Louvor
 
Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz - Seguidores de Cristo
Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz - Seguidores de Cristo  Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz - Seguidores de Cristo
Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz - Seguidores de Cristo
 

Mais de Ricardo Gondim

Mais de Ricardo Gondim (20)

Princípios de Orígenes
Princípios de OrígenesPrincípios de Orígenes
Princípios de Orígenes
 
Salvação I
Salvação ISalvação I
Salvação I
 
Ministros e despenseiros
Ministros e despenseirosMinistros e despenseiros
Ministros e despenseiros
 
Carnalidade, imaturidade e divisões
Carnalidade, imaturidade e divisõesCarnalidade, imaturidade e divisões
Carnalidade, imaturidade e divisões
 
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de NinguénNinguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
 
Seitas e Heresias
Seitas e HeresiasSeitas e Heresias
Seitas e Heresias
 
Poéticos II
Poéticos IIPoéticos II
Poéticos II
 
Históricos III
Históricos IIIHistóricos III
Históricos III
 
Poéticos I
Poéticos IPoéticos I
Poéticos I
 
Históricos II
Históricos IIHistóricos II
Históricos II
 
Históricos I
Históricos IHistóricos I
Históricos I
 
Aula 2 - Pentateuco
Aula 2 - PentateucoAula 2 - Pentateuco
Aula 2 - Pentateuco
 
Aula 1 apresentação site
Aula 1   apresentação siteAula 1   apresentação site
Aula 1 apresentação site
 
Aula 1 genesis
Aula 1   genesisAula 1   genesis
Aula 1 genesis
 
Aula 1 introdução
Aula 1   introduçãoAula 1   introdução
Aula 1 introdução
 
Meu teólogo favorito
Meu teólogo favoritoMeu teólogo favorito
Meu teólogo favorito
 
Aula 7 O homem diante da salvação
Aula 7   O homem diante da salvaçãoAula 7   O homem diante da salvação
Aula 7 O homem diante da salvação
 
Aula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande SacerdoteAula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
 
Aula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
Aula 5 - Revisando a Carta de HebreusAula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
Aula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
 
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
Aula 4  - Jesus, o grande SalvadorAula 4  - Jesus, o grande Salvador
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
 

Último

O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
thandreola
 

Último (11)

Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
 
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfEVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
 
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 

A mensagem do evangelho

  • 1. Agindo como sal e luz Evangelização
  • 2. Mateus 5 13 Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. 14 Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; 15 Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. 16 Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.
  • 3. •As metáforas do sal e da luz são duas ilustrações frequentemente usadas na Bíblia para explicar como devem agir os cristãos. •No texto de Mateus, encontramos a passagem mais famosa sobre o tema. •Jesus convoca os seus discípulos para com sua mensagem (do evangelho) serem luz do mundo e sal da terra, ou seja, que as palavras do evangelho iluminem e direcionem a vida das pessoas e purifiquem os corações e mentes dos necessitados.
  • 4. •Lembrem-se que no capítulo 5 de Mateus Jesus começa a desenhar o seu Evangelho, ou seja, a sua mensagem. •Neste capítulo Ele cria um novo paradigma para a existência humana, um paradigma centrado na importância do SER e não TER. •O ASHEREY DE DEUS
  • 5. Salmo 128 1 BEM-AVENTURADO (Asherey) aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos. 2 Pois comerás do trabalho das tuas mãos; (produtivo) feliz serás, e te irá bem. 3 A tua mulher será como a videira frutífera (fertilidade) aos lados da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira (alegria) à roda da tua mesa. 4 Eis que assim será abençoado o homem (individuo) que teme ao SENHOR. 5 O SENHOR te abençoará desde Sião (familia) , e tu verás o bem de Jerusalém (cidade) em todos os dias da tua vida. 6 E verás os filhos de teus filhos, e a paz sobre Israel (nação) . No conceito de Ashrey •FELICIDADE – feliz serás, e te irá bem •PROSPERIDADE- e te irá bem •BENÇÃO - assim será abençoado •PAZ - verás os filhos de teus filhos, e a paz Ter
  • 6. Mateus 5 3 Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus; 4 Bem- aventurados os que choram, porque eles serão consolados; 5 Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra; 6 Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos; 7 Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia; 8 Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus; 9 Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus; 10 Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus; 11 Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. No conceito de Ashrey •POBRES •CHORAM •MANSOS •FOME •MISERICORDIOSOS •LIMPOS •PACIFICADORES •SOFREM Ser
  • 7. •Depois que Jesus ensinou sobre as bem-aventuranças, ele mostrou como elas devem ser aplicadas na vida prática, como devem ser vividas! •Segundo a figura de linguagem usada por Jesus a vida cristã deve ser vivida de forma útil, transformadora, purificadora e conservadora, esse é o significado do sal. •A localização de depósitos de sal teve uma relevância especial nos locais de instalação de populações, tendo em conta que a o sal permite conservar os alimentos. •Por este motivo, foram criadas rotas específicas para a comercialização do sal, e ocorreram inúmeras guerras pelo controle dos depósitos e dos mercados do mesmo.
  • 8. O seu protagonismo ao longo da história conferiu- lhe um caráter quase sagrado e seguramente carregado de simbolismo, e como a Bíblia é um livro cheio de simbolismos, o sal não deixaria de ser usado também com um significado especial. Encontramos algumas pistas da qualidade do sal nas escrituras, por exemplo:
  • 9. •A mulher de Lot converteu-se em estátua de sal ao comprometer seu coração com sua extrema ligação com a corrompida e imunda Sodoma e Gomorra (Gen. 9:26). •Em outra passagem, em Levítico 2:13, o cereal da oferta deve ser purificado, “Temperem com sal todas as suas ofertas de cereal. “Não excluam de suas ofertas de cereal o sal da aliança do seu Deus; acrescentem sal a todas as suas ofertas”. •Em Números 18:19 existe passagem semelhante,: Tudo aquilo que for separado dentre todas as dádivas sagradas que os israelitas apresentarem ao Senhor eu dou a você e a seus filhos e filhas como decreto perpétuo. É uma aliança de sal perpétua perante o Senhor, para você e para os seus descendentes".
  • 10. •Em outra ocasião muito especial, o profeta Eliseu pede que lhe tragam, um prato de sal para purificar a água que provocava morte. •E os homens da cidade disseram a Eliseu: Eis que é boa a situação desta cidade, como o meu senhor vê; porém as águas são más, e a terra é estéril. •E ele disse: Trazei-me um prato novo, e ponde nele sal. E lho trouxeram. Então saiu ele ao manancial das águas, e deitou sal nele; e disse: Assim diz o Senhor: Sararei a estas águas; e não haverá mais nelas morte nem esterilidade. Ficaram, pois, sãs aquelas águas, até ao dia de hoje, conforme a palavra que Eliseu tinha falado. 2 Reis 2:19-22.
  • 11. O sal é um símbolo de acordo durável, porque protege os alimentos da putrefação e preserva-os sem alteração. Conseqüentemente, na confirmação solene de pactos, os orientais estavam e estão até os dias de hoje, acostumados a compartilhar do sal juntos. Havia uma expressão proverbial antiga que dizia: “ter comido juntos um alqueire de sal”, ou seja, “ser velhos amigos”, ou, “ser ligado pelos laços da hospitalidade”. Era praxe esfregar recém-nascidos com sal (Ez. 16:4 E, quanto ao teu nascimento, no dia em que nasceste não te foi cortado o umbigo, nem foste lavada com água para te limpar; nem tampouco foste esfregada com sal, nem envolta em faixas), essa prática ainda é comum entre os árabes, talvez tenha sido para conservar a vida, ou para afastar maus espíritos. Mas o significado mais aceito está ligado a separação do seu estado impuro (de ligado ao sangue) imediatamente após o nascimento.
  • 12. •Portanto o sal tinha muitas aplicações no Antigo Testamento, temperar a comida (dar gosto), conservar os alimentos, não permitindo que bactérias (que eles não conheciam) contaminassem, mantendo-os puros e limpos. •Outra importante utilização trazida dos tempos do exílio, adquirida em contato com povos estrangeiros, foi na questão sanitária. Os viajantes nos tempos de Jesus costumavam carregar um pequeno alforje ou bolsa com um pouco de sal e uma vara ou bordão de madeira. •Durante a viajem quando, precisavam fazer suas necessidades, com a vara cavavam um pequeno buraco, depositavam ali seus excrementos, jogavam sal para que o solo não se contaminasse e cobriam com terra.
  • 13. Assim o sal tinha como uma de suas principais características o poder de purificar ou de descontaminar. Seria mais correto pensar que Jesus estava pensando nisso quando falou o versículo, sem desprezar, é claro, todas as outras interpretações possíveis. A expressão o "sal da vida" aparece abundantemente na Bíblia, e os Apóstolos e eleitos aparecem por vezes considerados como o "sal da terra".
  • 14. •Outra ilustração utilizada na mesma passagem versa sobre a luz. Dallas Willard, filósofo cristão, declarou que: "Quase todos os atos e intenções maus começam com a premissa de que podem ser encobertos pelo engano". •O reino das trevas é construído sobre mentiras, segredos e escuridão. Ele exige a ausência de luz para que sobreviva. Portanto, apesar de toda a aparência de poder, o reino das trevas é estruturalmente muito fraco. •Se você acender a luz, as baratas correram para debaixo da geladeira. O pecado cresce nas trevas.
  • 15. Em muitas passagens bíblicas encontramos o pecado disfarçando-se nas trevas. A luz, contrario de escuro, serve para iluminar, trazer algo que não existe à existência, a luz nos permite ver a direção que tomamos. Elimina o medo e nos permite avançar. Mostra o real. A mesma luz que faz uma planta crescer, endurece o barro. A luz é a mesma, mas as consequências são completamente diferentes. A escuridão é uma metáfora da não existência, pois Deus diante das trevas disse: “Haja luz e ouve luz”. O que pensamos ser trevas na verdade é ausência de luz.
  • 16. •Jó 24:13,15,17 (RA) Os perversos são inimigos da luz, não conhecem os seus caminhos, nem permanecem nas suas veredas... Aguardam o crepúsculo os olhos do adúltero; este disse consigo: ninguém me reconhecerá; e cobre o rosto... Pois a manhã para todos eles é como sombra de morte; mas os terrores da noite lhes são familiares. •Isaías 29:15-16 (RA) Ai dos que escondem profundamente o seu propósito do Senhor, e as suas próprias obras fazem as escuras, e dizem Quem nos vê? Quem nos conhece? Que perversidade a vossa! Como se o oleiro fosse igual ao barro, e a obra dissesse do seu artífice: Ele não me fez; e a coisa feita dissesse do seu oleiro: Ele nada sabe. •Isaías 28:15 (RA) Porquanto dizeis: ... não chegará a nós porque por refúgio temos a mentira, e debaixo da falsidade nos temos escondido.
  • 17. Imagine-se em uma sala escura. Na sala há esculturas grotescas, objetos pontiagudos pendurados no teto, montanhas de sujeira no chão e móveis velhos nos quais você pode tropeçar. No escuro é impossível imaginar que há algo de errado com esta sala. Contudo, a luz revelaria que na verdade esta sala é horrível; e então não poderíamos fingir! A dor que sentiríamos não seria melhor para os nossos "olhos" quando a luz fosse acesa, do que a dor que sentiríamos se tropeçássemos? Se a luz estivesse acesa tudo seria exposto; poderíamos andar pela sala sem acidentes; a sala poderia ser limpa; e poderíamos até encontrar coisas bonitas e de valor lá, que poderíamos apreciar e usar. Se a luz é acesa, nós a apreciamos ou corremos para "apagá-lá"? Nós a aceitamos, mesmo que nos faça sofrer?
  • 18. A Bíblia é cheia destas metáforas de bagunça na escuridão: Em Isaías 59-9:10 vemos: “Por isso está longe de nós o juízo e a justiça não nos alcança; esperamos pela luz, e eis que há só trevas; pelo resplendor, mas andamos na escuridão. Apalpamos as paredes como cegos, sim, como os que não tem olhos andamos apalpando; tropeçamos ao meio-dia como nas trevas, e entre os robustos somos como mortos”.
  • 19. •Jó 12:25. Nas trevas andam as apalpadelas, sem terem luz, e os faz cambalear como ébrios. •João 12:46. Eu [Jesus] vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas. •João 11:9-10. Respondeu Jesus: Não são doze as horas do dia? Se alguém andar de dia, não tropeça, porque vê a luz deste mundo; mas se andar de noite, tropeça, porque nele não há luz.
  • 20. A convocação de Jesus nesta passagem é bem clara: “Seja luz”. Paulo entendeu isso muito bem e em sua carta aos Efésios no capítulo 5, de 8 a 14, escreve: Outrora vocês eram "trevas" mas agora, como cristãos, vocês são "luz". Vivam, pois, como filhos da luz. A luz produz no homem tudo o que é bom, justo e verdadeiro. Deixem suas vidas serem provas vivas das coisas que agradam a Deus. Afastem-se das atividades infrutíferas das trevas; deixe a vida de vocês expor sua futilidade. (Vocês sabem a que tipo de coisas estou me referindo - detalhar seus feitos secretos é muito vergonhoso para ser mencionado). Pois a luz é capaz de mostrar todas as coisas como elas realmente são. É até possível que a luz transforme em luz as coisas sobre as quais é refletida.
  • 21. De forma semelhante muitos outros relatam a importância da luz em nossas vidas, o profeta Samuel diz “Tu, Senhor, és a minha lâmpada; o SENHOR derrama luz nas minhas trevas”, o salmista declara que “o Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo? O Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei?”. Salomão no livro de provérbios, “mas a vereda dos justos é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito. O caminho dos perversos e como a escuridão: nem sabem eles em que tropeçam”, e finalmente o próprio Jesus... ”Eu sou a luz do mundo. Quem me segue, nunca andará em trevas, mas terá a luz da vida".
  • 22. Em toda a passagem das bem-aventuranças Jesus convoca para que sejamos melhores, nesta Jesus dá uma ordem, é imperativo. “Seja luz e sal”. •Certa vez o profeta João Batista, quando preso, mandou que seus discípulos procurassem Jesus e perguntassem se Ele realmente era o Cristo, o Messias, que esperava. •Na resposta de Jesus podemos entender qual a sua missão e projeto diante dos homens para a salvação. •Respondendo, então, Jesus, disse-lhes: Ide, e anunciai a João o que tendes visto e ouvido: que os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e aos pobres anuncia-se o evangelho. Lucas 7:22
  • 23. •Antes de partir Jesus deixou a nossa comissão. •Na definição desta palavra que significa, incumbência, encargo, mandato e designação, em sua raiz é composta por duas outras palavras: “com” que significa “para, junto” e missão, encargo ou incumbência. •Assim Jesus nos chama para uma missão junto Dele, com Ele, de pregar a mensagem do reino, da esperança a toda a criatura. Marcos 16:15 - E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.
  • 24. Depois destas explicações e encorajamentos Jesus, mostra preocupação com aqueles que estão de fora da família cristã. (pare e reflita sobre isso, quem conhecemos que ainda nunca ouviu falar de Jesus? Estas pessoas tem visto Cristo em nós? Nossas atitudes condiz com o que pregamos?) Pensando nestas pessoas que estão de fora, podemos perguntar a nos mesmos: temos sido luz e sal pra elas? Que qualidades do sal e da luz são valiosas? Que semelhanças você percebe entre o sal e a luz, de um lado, e seu papel como evangelizador neste mundo, do outro?
  • 25. •Atos 1:8 - Jesus nos chama para sermos influenciadores •ll Corintios 5:18-19- recebemos o desafio de sermos reconciliadores de pessoas sem Cristo com a obra da cruz. •Mateus 28:19-20 na grande comissão, Ele quer que todo cristão seja um porta-voz do Evangelho( conduz, exerça, pesque), ou seja, devemos ser o sal da terra e a luz onde quer que estejamos, em todo o lugar! •Precisamos provocar sede nos outros e iluminar os seus caminhos.