SlideShare uma empresa Scribd logo
LANÇA O TEU PÃO
SOBRE AS ÁGUAS
4º Trimestre de
2013
Lição 12
Pr. Moisés Sampaio de Paula
TEXTO ÁUREO
"Lança o teu pão sobre as águas,
porque, depois de muitos dias, o
acharás"
(Ec 11.1).

Pr. Moisés Sampaio de Paula

2
VERDADE PRÁTICA
Lançar o pão sobre as águas é fazer
o bem e ter esperança quanto a um
futuro desconhecido.

Pr. Moisés Sampaio de Paula

3
OBJETIVOS
• Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
• Saber como viver uma vida com propósito.
• Decidir viver uma vida dinâmica com fé e
esperança.
• Viver a vida com responsabilidade diante de
Deus e dos homens.

Pr. Moisés Sampaio de Paula

4
Palavra chave:

Pr. Moisés Sampaio de Paula

5
III. VIVENDO COM FÉ E ESPERANÇA

Esboço da Lição
I. VIVENDO COM PROPÓSITO
I. VIVENDO COM PROPÓSITO
1. Tomando uma atitude.
1. Tomando uma atitude.
2. Evitando a passividade.
2. Evitando a passividade.
II. VIVENDO COM DINAMISMO
II. VIVENDO COM DINAMISMO
1. A imobilidade da árvore caída (vivendo do passado)
1. A imobilidade da árvore caída (vivendo do passado)
2. O movimento do vento e das nuvens (vivendo o
2. O movimento do vento e das nuvens (vivendo o
presente)..
presente)..
III. VIVENDO COM FÉ E ESPERANÇA
III. VIVENDO COM FÉ E ESPERANÇA
1. Plantando a semente.
1. Plantando a semente.
2. Germinando a semente.
2. Germinando a semente.
IV. VIVENDO COM RESPONSABILIDADE
IV. VIVENDO COM RESPONSABILIDADE
1. Fazendo escolhas responsáveis.
1. Fazendo escolhas responsáveis.
2. Assumindo as consequências.
2. Assumindo as consequências.
Pr. Moisés Sampaio de Paula

6
Uma Pergunta
Como você tem vivido a sua vida?

Pr. Moisés Sampaio de Paula

7
Lembrando -Lei da Semeadura
• Gálatas 6:7 - Não erreis: Deus não se deixa
escarnecer; porque tudo o que o homem
semear, isso também ceifará.
INTRODUÇÃO
• A VIDA é apresentada totalmente imprevisível,
cheias de altos e baixos, e muitas vezes sem
explicação lógica ou racional. É com tal
perplexidade que o sábio enxerga as injustiças
contra o justo e a prosperidade do perverso.
• Quanta ambiguidade! O que fazer diante de tudo
isso? Ficar inerte? Ou enfrentar a arena da vida?
• A lição dessa semana abordará a postura que o
pregador tomou, diante de Deus, em relação às
questões da vida.
• Eclesiastes mostra o Senhor nosso Deus como o
centro da nossa vida, pois sem Ele ela torna-se
vazia e sem sentido.
Pr. Moisés Sampaio de Paula

9
I. VIVENDO COM PROPÓSITO

Viver com propósito
implica em tomar atitude
evitando a passividade.
1. Tomando uma atitude.
2. Evitando a passividade.
Pr. Moisés Sampaio de Paula

10
I. VIVENDO COM PROPÓSITO
1. Tomando uma atitude.
• Salomão conclama-nos a lançar o
nosso pão sobre as águas.
• A palavra hebraica traduzida como
"lançar" é shalah, que significa
enviar, mandar embora, deixar ir.

O que o sábio está ensinando é:
"Não fique aí parado! Glorifique
a Deus com a sua atitude“.
Pr. Moisés Sampaio de Paula

11
I. VIVENDO COM PROPÓSITO
1. Tomando uma atitude.
Podemos aplicar essa palavra também
à obra missionária:
• Deus é quem envia homens e
mulheres como embaixadores de
seu Reino (Jz 6.8; Is 6.8; Jr 1.7), pois
com igual determinação e amor,
enviou o seu Filho a realizar a mais
sublime das missões: Salvar o
mundo (Is 61.1; Jo 3.16).

Pr. Moisés Sampaio de Paula

12
Uma Pergunta

O que o sábio quer ensinar ao usar
a palavra hebraica shalah, isto é,
lançar?

Pr. Moisés Sampaio de Paula

13
I. VIVENDO COM PROPÓSITO
2. Evitando a passividade.
• Não devemos agir com passividade
(Ec 11.4).
• A vida meramente contemplativa
nada resolve.
• É necessário e urgente fazer o bem.

Por isso, o pregador exorta-nos
Por isso, o pregador exorta-nos
a demonstrar amor e
a demonstrar amor e
generosidade ao necessitado.
generosidade ao necessitado.
Pr. Moisés Sampaio de Paula

14
I. VIVENDO COM PROPÓSITO
2. Evitando a passividade.
"Lançar o pão", portanto, significa:
 Ser condescendente com os pobres
(Ec 11.1,2).
 Significa fazer alguma coisa e não se
limitar a contemplar a miséria
alheia.
 É trazer o pão de longe para
alimentar os famintos (Pv 31.14).
• A igreja apostólica demonstrou a
mesma preocupação (Gl 2.10).
Pr. Moisés Sampaio de Paula

15
II. VIVENDO COM DINAMISMO
O texto de Eclesiastes
1.3-5 remonta a ideia de
movimento e
imprevisibilidade da
vida.
1. A imobilidade da árvore caída (vivendo do
passado)
2. O movimento do vento e das nuvens (vivendo o
presente)..
Pr. Moisés Sampaio de Paula

16
II. VIVENDO COM DINAMISMO
1. A imobilidade da árvore caída (vivendo do
passado)
• Em relação ao texto de Eclesiastes
11.3, o escritor Derek Kidner
destaca a metáfora da nuvem como
um fenômeno meteorológico
portador de leis próprias em
desacordo com as leis e o tempo
dos homens.

Pr. Moisés Sampaio de Paula

17
II. VIVENDO COM DINAMISMO
1. A imobilidade da árvore caída (vivendo do
passado)
Ele igualmente destaca o relato da
árvore caída:
• Ela não pediu licença para tombar e
não houve homem que a impedisse
de cair.

Pr. Moisés Sampaio de Paula

18
II. VIVENDO COM DINAMISMO
1. A imobilidade da árvore caída (vivendo do
passado)
A vida mostra-se de forma imprevisível.
• Ela não é composta apenas de bons
momentos, mas também de períodos
desagradáveis.
• Então, o que fazer? Ficar aprisionado
pela experiência passada sobre a qual
nada mais se pode fazer, ou enfrentar
o futuro com fé e coragem?
Pr. Moisés Sampaio de Paula

19
Uma Pergunta

Como o escritor Derek Kidner
destaca a metáfora da nuvem?

Pr. Moisés Sampaio de Paula

20
II. VIVENDO COM DINAMISMO
2. O movimento do vento e das nuvens (vivendo
o presente)..
• Em Eclesiastes, encontramos o
mesmo princípio de Provérbios na
metáfora do vento (Ec 11.4).
• Não são poucos os intérpretes da
Bíblia que observam, nesse texto, a
ideia de movimento e
imprevisibilidade da vida.

Pr. Moisés Sampaio de Paula

21
II. VIVENDO COM DINAMISMO
2. O movimento do vento e das nuvens (vivendo
o presente)..
• O vento movimenta-se o tempo todo
e as nuvens mostram-se
imprevisíveis. Eis a metáfora da vida!
Olhá-la e queixar-se dela sem tomar
uma firme e sábia decisão diante dos
seus obstáculos equivalem a esperar
que o vento e as nuvens passem.
• Dessa forma, o ser humano assiste a
existência passar sem nada realizar
de concreto.
Pr. Moisés Sampaio de Paula

Quem tem fé
Quem tem fé
não age assim.
não age assim.

22
III. VIVENDO COM FÉ E
ESPERANÇA
Devemos plantar
sementes para vida,
germinando a Palavra
de Deus e cuidando do
próximo necessitado.
1. Plantando a semente.
2. Germinando a semente.
Pr. Moisés Sampaio de Paula

23
Uma Pergunta

Como agricultores do Reino de
Deus, o que nos cabe fazer?

Pr. Moisés Sampaio de Paula

24
III. VIVENDO COM FÉ E
ESPERANÇA
1. Plantando a semente.

• Outra metáfora usada por Salomão
é a do plantio (11.6).
 Essa figura descreve a atividade do
agricultor.
 Ela ensina a arte de semear a vida. E
isso requer ação!
 É preciso plantar a semente, pois é
na existência que geralmente
colhemos o que plantamos (Gl 6.7).

Pr. Moisés Sampaio de Paula

25
III. VIVENDO COM FÉ E
ESPERANÇA
1. Plantando a semente.

• Muitas vezes, a vida é dura, seca e
arenosa para semear.
• Assim, a metáfora pode significar
uma trajetória de trabalho árduo e
difícil diante dos grandes obstáculos
e desafios da existência humana.
• Nessa estrada, muitos até desistem
de semear e terminam vencidos
pelas dificuldades intransponíveis
que ela lhes impõe.
Pr. Moisés Sampaio de Paula

26
III. VIVENDO COM FÉ E
ESPERANÇA

2. Germinando a semente.

• A metáfora também nos ensina que,
embora semeemos a terra, não
podemos fazer a semente germinar
(Ec 11.6).
• Salomão observa a vida como um
grande campo de solos variáveis.
• Ao agricultor, pois, resta saber em
qual valerá a pena semear, pois a
semente não germinará em
qualquer terreno.
Pr. Moisés Sampaio de Paula

27
III. VIVENDO COM FÉ E
ESPERANÇA

2. Germinando a semente.

• Muitos fatores devem ser
levados em conta na
germinação da semente: a
qualidade do solo, o clima, etc.
• É urgente que o agricultor
persevere nesse
empreendimento, mas que
igualmente tenha fé e
esperança de que a semente
germinará.

De nada adianta observar o caos
De nada adianta observar o caos
em que se encontra a sociedade
em que se encontra a sociedade
e não tomar nenhuma atitude.
e não tomar nenhuma atitude.
Façamos a nossa parte como
Façamos a nossa parte como
agricultores do Reino de Deus:
agricultores do Reino de Deus:
1.semear a genuína Palavra de
1.semear a genuína Palavra de
Deus no coração de toda a
Deus no coração de toda a
criatura humana (Lc 8.5-15) e
criatura humana (Lc 8.5-15) e
2.auxiliar o próximo necessitado
2.auxiliar o próximo necessitado
(2 Co 8-9).
(2 Co 8-9).

Pr. Moisés Sampaio de Paula

28
instruções sobre ofertas dirigidas
aos crentes pobres de Jerusalém
2 CORÍNTIOS 8

2 CORÍNTIOS 9

1. Riquezas da sua generosidade. Os princípios
contidos neste capítulo são os seguintes:
a) Aquilo que possuímos pertence a Deus (v.5).
b) Temos de tomar a decisão firme em servir a Deus e
não ao dinheiro (v.5; cf. Mt 6.24).
c) A contribuição é feita para ajudar aos necessitados
(v.14; 9.12; Gl 2.10).
d) A contribuição para os necessitados é considerada
uma prova do amor cristão (v.24) e deve ser realizada
de modo sacrifical (v.3) e voluntária (9.7).
2. Jesus Cristo... Se fez pobre...
Deus, em Jesus Cristo, se fez pobre e, por isso, agora
nós participamos das riquezas da eternidade. O
Altíssimo quer uma atitude idêntica operando em
nosso ser como evidência da sua graça infinita (Lc
12.15; Ef 1.3; Fp 4.11-13; Hb 11.26).

1. Pouco... Ceifará. O cristão pode contribuir
generosamente ou com avareza. [...] Paulo não fala
primeiramente da quantidade ofertada, mas da
qualidade dos desejos e dos motivos do nosso coração
ao ofertarmos.
2. Abundar em vós toda a graça. O crente deve
contribuir com o que pode para ajudar os
necessitados. Ele verá que a graça de Deus é suficiente
para suprir as suas próprias necessidades a fim de que
seja fecundo em toda boa obra (Mt 10.41,42; Lc 6.38).
3. Em tudo enriqueçais. Para que a generosidade seja
manifesta exteriormente, o coração deve antes estar
enriquecido de amor e compaixão sinceros para com o
próximo. Dar de nós mesmos e daquilo que temos,
resulta em: (1) suprir as necessidades dos nossos
irmãos mais pobres; (2) louvor e ação de graças a Deus
(v.12) e (3) amor recíproco da parte daqueles que
recebem a ajuda (v.14).

Pr. Moisés Sampaio de Paula

29
IV. VIVENDO COM
RESPONSABILIDADE
Viver com
responsabilidade é fazer
escolhas responsáveis
na vida assumindo as
suas consequências.
1. Fazendo escolhas responsáveis.
2. Assumindo as consequências.
Pr. Moisés Sampaio de Paula

30
Uma Pergunta
Qual a razão para vivermos a vida
de maneira alegre, mas ao
mesmo tempo responsável e
santa?

Pr. Moisés Sampaio de Paula

31
IV. VIVENDO COM
RESPONSABILIDADE

1. Fazendo escolhas responsáveis.

• Eclesiastes 11.9 é uma séria
admoestação aos jovens.
 Eles são convidados a viver a vida,
mas devem se portar, em todas as
ocasiões, como pessoas
responsáveis e tementes a Deus.
• Assim, reconhecerão o Pai Celeste
como a sua satisfação maior.

Pr. Moisés Sampaio de Paula

32
IV. VIVENDO COM
RESPONSABILIDADE

2. Assumindo as consequências.

• Há uma razão para vivermos de
maneira alegre, mas ao mesmo
tempo de forma responsável e
santa.
• Nossas ações trazem
consequências. Tal como o sábio
disse no versículo 10.
• Viver a vida com intensidade não é
agir de forma desregrada e
pecaminosa, mas experimentar o
seu verdadeiro sentido: glorificar a
Deus.
Pr. Moisés Sampaio de Paula

jovem, viva a vida com
jovem, viva a vida com
intensidade, mas não se
intensidade, mas não se
esqueça: glorifique a
esqueça: glorifique a
Deus com o seu
Deus com o seu
testemunho, pois de
testemunho, pois de
tudo o Senhor nos
tudo o Senhor nos
pedirá conta. Vivendo
pedirá conta. Vivendo
assim, quando a velhice
assim, quando a velhice
chegar, não teremos o
chegar, não teremos o
que lamentar.
que lamentar.
33
Conclusão
• O capítulo 11 de Eclesiastes:
1. É um convite à ação.
2. É uma resposta à mesmice.
3. É um convite a mergulharmos
na fé e agir de acordo com a
vontade de Deus, não
temendo as dificuldades que
virão pela frente.
4. É lançar-se para semear.
5. É alegrar-se com as maravilhas
que o Senhor nos presenteou.

Mas significa igualmente
Mas significa igualmente
afastar-se do pecado e da
afastar-se do pecado e da
iniquidade, pois, no final,
iniquidade, pois, no final,
teremos de dar conta de todos
teremos de dar conta de todos
os nossos atos perante Deus.
os nossos atos perante Deus.
Então, glorifiquemos ao Senhor
Então, glorifiquemos ao Senhor
com a nossa existência.
com a nossa existência.

Pr. Moisés Sampaio de Paula

34
Pr. Moisés Sampaio de Paula

35

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ele Vem - O iminente retorno de Jesus Cristo
Ele Vem - O iminente retorno de Jesus CristoEle Vem - O iminente retorno de Jesus Cristo
Ele Vem - O iminente retorno de Jesus Cristo
Fabio F. Fernandes
 
Quem é jesus power point
Quem é jesus power pointQuem é jesus power point
Quem é jesus power point
Marcelo Gonçalves
 
Como Levar a Arca de Deus
Como Levar a Arca de DeusComo Levar a Arca de Deus
Como Levar a Arca de Deus
ADPC109
 
Profetas maiores e menores
Profetas maiores e menoresProfetas maiores e menores
Profetas maiores e menores
Paulo Ferreira
 
Ezequiel lição 9
Ezequiel   lição 9Ezequiel   lição 9
Ezequiel lição 9
Ricardo Gondim
 
Escatologia - um estudo introdutório
Escatologia - um estudo introdutórioEscatologia - um estudo introdutório
Escatologia - um estudo introdutório
Viva a Igreja
 
Daniel 10
Daniel 10Daniel 10
Daniel 10
Hezir Henrique
 
Apocalipse 1
Apocalipse 1Apocalipse 1
Lição 13 - A Batalha Espiritual e as Armas do Crente
Lição 13 - A Batalha Espiritual e as Armas do CrenteLição 13 - A Batalha Espiritual e as Armas do Crente
Lição 13 - A Batalha Espiritual e as Armas do Crente
Éder Tomé
 
59 Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Salmos - parte 1)
59   Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Salmos - parte 1)59   Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Salmos - parte 1)
59 Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Salmos - parte 1)
Robson Tavares Fernandes
 
As Setenta Semanas de Daniel - lição 10
As Setenta Semanas de Daniel - lição 10As Setenta Semanas de Daniel - lição 10
As Setenta Semanas de Daniel - lição 10
Ev Nelson Fernandes
 
Escatologia 3
Escatologia 3Escatologia 3
Escatologia 3
Jovens Do Caminho
 
Estudos por esta causa me ponho de joelhos
Estudos  por esta causa me ponho de joelhosEstudos  por esta causa me ponho de joelhos
Estudos por esta causa me ponho de joelhos
Joel Silva
 
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
Paulo Dias Nogueira
 
Apocalipse aula 20-08-2016
Apocalipse   aula 20-08-2016 Apocalipse   aula 20-08-2016
Apocalipse aula 20-08-2016
Daniel de Carvalho Luz
 
Como interpretar a Bíblia 2
Como interpretar a Bíblia 2Como interpretar a Bíblia 2
Como interpretar a Bíblia 2
Viva a Igreja
 
Ainda restam as muralhas josué 6
Ainda restam as muralhas  josué 6Ainda restam as muralhas  josué 6
Ainda restam as muralhas josué 6
mavifua
 
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo TestamentoDisciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
faculdadeteologica
 
35. O Profeta Joel
35. O Profeta Joel35. O Profeta Joel
98 estudo panorâmico da bíblia - o livro de ageu
98   estudo panorâmico da bíblia - o livro de ageu98   estudo panorâmico da bíblia - o livro de ageu
98 estudo panorâmico da bíblia - o livro de ageu
Robson Tavares Fernandes
 

Mais procurados (20)

Ele Vem - O iminente retorno de Jesus Cristo
Ele Vem - O iminente retorno de Jesus CristoEle Vem - O iminente retorno de Jesus Cristo
Ele Vem - O iminente retorno de Jesus Cristo
 
Quem é jesus power point
Quem é jesus power pointQuem é jesus power point
Quem é jesus power point
 
Como Levar a Arca de Deus
Como Levar a Arca de DeusComo Levar a Arca de Deus
Como Levar a Arca de Deus
 
Profetas maiores e menores
Profetas maiores e menoresProfetas maiores e menores
Profetas maiores e menores
 
Ezequiel lição 9
Ezequiel   lição 9Ezequiel   lição 9
Ezequiel lição 9
 
Escatologia - um estudo introdutório
Escatologia - um estudo introdutórioEscatologia - um estudo introdutório
Escatologia - um estudo introdutório
 
Daniel 10
Daniel 10Daniel 10
Daniel 10
 
Apocalipse 1
Apocalipse 1Apocalipse 1
Apocalipse 1
 
Lição 13 - A Batalha Espiritual e as Armas do Crente
Lição 13 - A Batalha Espiritual e as Armas do CrenteLição 13 - A Batalha Espiritual e as Armas do Crente
Lição 13 - A Batalha Espiritual e as Armas do Crente
 
59 Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Salmos - parte 1)
59   Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Salmos - parte 1)59   Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Salmos - parte 1)
59 Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Salmos - parte 1)
 
As Setenta Semanas de Daniel - lição 10
As Setenta Semanas de Daniel - lição 10As Setenta Semanas de Daniel - lição 10
As Setenta Semanas de Daniel - lição 10
 
Escatologia 3
Escatologia 3Escatologia 3
Escatologia 3
 
Estudos por esta causa me ponho de joelhos
Estudos  por esta causa me ponho de joelhosEstudos  por esta causa me ponho de joelhos
Estudos por esta causa me ponho de joelhos
 
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
 
Apocalipse aula 20-08-2016
Apocalipse   aula 20-08-2016 Apocalipse   aula 20-08-2016
Apocalipse aula 20-08-2016
 
Como interpretar a Bíblia 2
Como interpretar a Bíblia 2Como interpretar a Bíblia 2
Como interpretar a Bíblia 2
 
Ainda restam as muralhas josué 6
Ainda restam as muralhas  josué 6Ainda restam as muralhas  josué 6
Ainda restam as muralhas josué 6
 
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo TestamentoDisciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
 
35. O Profeta Joel
35. O Profeta Joel35. O Profeta Joel
35. O Profeta Joel
 
98 estudo panorâmico da bíblia - o livro de ageu
98   estudo panorâmico da bíblia - o livro de ageu98   estudo panorâmico da bíblia - o livro de ageu
98 estudo panorâmico da bíblia - o livro de ageu
 

Semelhante a Lança o teu pão sobre as águas

Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
AngeloAnacleto
 
Lança o Teu Pão Sobre as Águas
Lança o Teu Pão Sobre as ÁguasLança o Teu Pão Sobre as Águas
Lança o Teu Pão Sobre as Águas
Antonio Fernandes
 
A ilusória prosperidade dos ímpios
A ilusória prosperidade dos ímpiosA ilusória prosperidade dos ímpios
A ilusória prosperidade dos ímpios
Moisés Sampaio
 
Tema a deus em todo tempo
Tema a deus em todo tempoTema a deus em todo tempo
Tema a deus em todo tempo
Moisés Sampaio
 
O tempo para todas as coisas
O tempo para todas as coisasO tempo para todas as coisas
O tempo para todas as coisas
Moisés Sampaio
 
Lição 12 Lança o Teu Pão Sobre as Águas
Lição 12  Lança o Teu Pão Sobre as ÁguasLição 12  Lança o Teu Pão Sobre as Águas
Lição 12 Lança o Teu Pão Sobre as Águas
João Paulo Silva Mendes
 
12
1212
As virtudes dos salvos em Cristo
As virtudes dos salvos em CristoAs virtudes dos salvos em Cristo
As virtudes dos salvos em Cristo
Moisés Sampaio
 
Aula 01 08-10 - liderança
Aula 01 08-10 - liderançaAula 01 08-10 - liderança
Aula 01 08-10 - liderança
josecidade
 
Bimba kids 19 05-2013
Bimba kids  19 05-2013Bimba kids  19 05-2013
Bimba kids 19 05-2013
Regina Lissone
 
Livreto 3 2015 ce bs (1)
Livreto 3   2015 ce bs (1)Livreto 3   2015 ce bs (1)
Livreto 3 2015 ce bs (1)
Bernadetecebs .
 
Trabalho e prosperidade
Trabalho e prosperidadeTrabalho e prosperidade
Trabalho e prosperidade
Moisés Sampaio
 
Lição 11 - A Ilusória Prosperidade dos Ímpios
Lição 11 - A Ilusória Prosperidade dos ÍmpiosLição 11 - A Ilusória Prosperidade dos Ímpios
Lição 11 - A Ilusória Prosperidade dos Ímpios
Natalino das Neves Neves
 
Sagrada Notícias Online - 16°Edição A4
Sagrada Notícias Online - 16°Edição A4Sagrada Notícias Online - 16°Edição A4
Sagrada Notícias Online - 16°Edição A4
Liliane Jornalista
 
LIÇÃO 03 trabalho e prosperidade
LIÇÃO 03 trabalho e prosperidadeLIÇÃO 03 trabalho e prosperidade
LIÇÃO 03 trabalho e prosperidade
Ewanildo Jose
 
Lição 03 trabalho e prosperidade
Lição 03 trabalho e prosperidadeLição 03 trabalho e prosperidade
Lição 03 trabalho e prosperidade
Ewanildo Jose
 
Esperança.EBD.Palavra e Vida.3T2015.Aula 7
Esperança.EBD.Palavra e Vida.3T2015.Aula 7Esperança.EBD.Palavra e Vida.3T2015.Aula 7
Esperança.EBD.Palavra e Vida.3T2015.Aula 7
Andre Nascimento
 
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissençõesLBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
Natalino das Neves Neves
 
Lição 4 diga não ao ritmo de vida deste mundo
Lição 4  diga não ao ritmo de vida deste mundoLição 4  diga não ao ritmo de vida deste mundo
Lição 4 diga não ao ritmo de vida deste mundo
boasnovassena
 
Deus nosso provedor final
Deus nosso provedor finalDeus nosso provedor final

Semelhante a Lança o teu pão sobre as águas (20)

Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Lança o Teu Pão Sobre as Águas
Lança o Teu Pão Sobre as ÁguasLança o Teu Pão Sobre as Águas
Lança o Teu Pão Sobre as Águas
 
A ilusória prosperidade dos ímpios
A ilusória prosperidade dos ímpiosA ilusória prosperidade dos ímpios
A ilusória prosperidade dos ímpios
 
Tema a deus em todo tempo
Tema a deus em todo tempoTema a deus em todo tempo
Tema a deus em todo tempo
 
O tempo para todas as coisas
O tempo para todas as coisasO tempo para todas as coisas
O tempo para todas as coisas
 
Lição 12 Lança o Teu Pão Sobre as Águas
Lição 12  Lança o Teu Pão Sobre as ÁguasLição 12  Lança o Teu Pão Sobre as Águas
Lição 12 Lança o Teu Pão Sobre as Águas
 
12
1212
12
 
As virtudes dos salvos em Cristo
As virtudes dos salvos em CristoAs virtudes dos salvos em Cristo
As virtudes dos salvos em Cristo
 
Aula 01 08-10 - liderança
Aula 01 08-10 - liderançaAula 01 08-10 - liderança
Aula 01 08-10 - liderança
 
Bimba kids 19 05-2013
Bimba kids  19 05-2013Bimba kids  19 05-2013
Bimba kids 19 05-2013
 
Livreto 3 2015 ce bs (1)
Livreto 3   2015 ce bs (1)Livreto 3   2015 ce bs (1)
Livreto 3 2015 ce bs (1)
 
Trabalho e prosperidade
Trabalho e prosperidadeTrabalho e prosperidade
Trabalho e prosperidade
 
Lição 11 - A Ilusória Prosperidade dos Ímpios
Lição 11 - A Ilusória Prosperidade dos ÍmpiosLição 11 - A Ilusória Prosperidade dos Ímpios
Lição 11 - A Ilusória Prosperidade dos Ímpios
 
Sagrada Notícias Online - 16°Edição A4
Sagrada Notícias Online - 16°Edição A4Sagrada Notícias Online - 16°Edição A4
Sagrada Notícias Online - 16°Edição A4
 
LIÇÃO 03 trabalho e prosperidade
LIÇÃO 03 trabalho e prosperidadeLIÇÃO 03 trabalho e prosperidade
LIÇÃO 03 trabalho e prosperidade
 
Lição 03 trabalho e prosperidade
Lição 03 trabalho e prosperidadeLição 03 trabalho e prosperidade
Lição 03 trabalho e prosperidade
 
Esperança.EBD.Palavra e Vida.3T2015.Aula 7
Esperança.EBD.Palavra e Vida.3T2015.Aula 7Esperança.EBD.Palavra e Vida.3T2015.Aula 7
Esperança.EBD.Palavra e Vida.3T2015.Aula 7
 
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissençõesLBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
 
Lição 4 diga não ao ritmo de vida deste mundo
Lição 4  diga não ao ritmo de vida deste mundoLição 4  diga não ao ritmo de vida deste mundo
Lição 4 diga não ao ritmo de vida deste mundo
 
Deus nosso provedor final
Deus nosso provedor finalDeus nosso provedor final
Deus nosso provedor final
 

Mais de Moisés Sampaio

AS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
AS SETENTA semanas de Daniel o calendário proféticoAS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
AS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
Moisés Sampaio
 
Jesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiroJesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiro
Moisés Sampaio
 
As limitações dos discípulos
As limitações dos discípulosAs limitações dos discípulos
As limitações dos discípulos
Moisés Sampaio
 
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demôniosO poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
Moisés Sampaio
 
Poder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e mortePoder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e morte
Moisés Sampaio
 
Mulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram JesusMulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram Jesus
Moisés Sampaio
 
Jesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulosJesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulos
Moisés Sampaio
 
A tentação de Jesus
A tentação de JesusA tentação de Jesus
A tentação de Jesus
Moisés Sampaio
 
A infância de Jesus
A infância de JesusA infância de Jesus
A infância de Jesus
Moisés Sampaio
 
O nascimento de Jesus
O nascimento de JesusO nascimento de Jesus
O nascimento de Jesus
Moisés Sampaio
 
O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo Lucas
Moisés Sampaio
 
A igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de DeusA igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de Deus
Moisés Sampaio
 
9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum
Moisés Sampaio
 
8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia
Moisés Sampaio
 
Não cobiçarás
Não cobiçarásNão cobiçarás
Não cobiçarás
Moisés Sampaio
 
7- Tiberíades
7- Tiberíades7- Tiberíades
7- Tiberíades
Moisés Sampaio
 
6 meggido
6   meggido6   meggido
6 meggido
Moisés Sampaio
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
Moisés Sampaio
 
5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo
Moisés Sampaio
 
4 - Haifa
4 - Haifa4 - Haifa
4 - Haifa
Moisés Sampaio
 

Mais de Moisés Sampaio (20)

AS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
AS SETENTA semanas de Daniel o calendário proféticoAS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
AS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
 
Jesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiroJesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiro
 
As limitações dos discípulos
As limitações dos discípulosAs limitações dos discípulos
As limitações dos discípulos
 
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demôniosO poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
 
Poder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e mortePoder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e morte
 
Mulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram JesusMulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram Jesus
 
Jesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulosJesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulos
 
A tentação de Jesus
A tentação de JesusA tentação de Jesus
A tentação de Jesus
 
A infância de Jesus
A infância de JesusA infância de Jesus
A infância de Jesus
 
O nascimento de Jesus
O nascimento de JesusO nascimento de Jesus
O nascimento de Jesus
 
O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo Lucas
 
A igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de DeusA igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de Deus
 
9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum
 
8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia
 
Não cobiçarás
Não cobiçarásNão cobiçarás
Não cobiçarás
 
7- Tiberíades
7- Tiberíades7- Tiberíades
7- Tiberíades
 
6 meggido
6   meggido6   meggido
6 meggido
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
 
5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo
 
4 - Haifa
4 - Haifa4 - Haifa
4 - Haifa
 

Lança o teu pão sobre as águas

  • 1. LANÇA O TEU PÃO SOBRE AS ÁGUAS 4º Trimestre de 2013 Lição 12 Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 2. TEXTO ÁUREO "Lança o teu pão sobre as águas, porque, depois de muitos dias, o acharás" (Ec 11.1). Pr. Moisés Sampaio de Paula 2
  • 3. VERDADE PRÁTICA Lançar o pão sobre as águas é fazer o bem e ter esperança quanto a um futuro desconhecido. Pr. Moisés Sampaio de Paula 3
  • 4. OBJETIVOS • Após esta aula, o aluno deverá estar apto a: • Saber como viver uma vida com propósito. • Decidir viver uma vida dinâmica com fé e esperança. • Viver a vida com responsabilidade diante de Deus e dos homens. Pr. Moisés Sampaio de Paula 4
  • 5. Palavra chave: Pr. Moisés Sampaio de Paula 5
  • 6. III. VIVENDO COM FÉ E ESPERANÇA Esboço da Lição I. VIVENDO COM PROPÓSITO I. VIVENDO COM PROPÓSITO 1. Tomando uma atitude. 1. Tomando uma atitude. 2. Evitando a passividade. 2. Evitando a passividade. II. VIVENDO COM DINAMISMO II. VIVENDO COM DINAMISMO 1. A imobilidade da árvore caída (vivendo do passado) 1. A imobilidade da árvore caída (vivendo do passado) 2. O movimento do vento e das nuvens (vivendo o 2. O movimento do vento e das nuvens (vivendo o presente).. presente).. III. VIVENDO COM FÉ E ESPERANÇA III. VIVENDO COM FÉ E ESPERANÇA 1. Plantando a semente. 1. Plantando a semente. 2. Germinando a semente. 2. Germinando a semente. IV. VIVENDO COM RESPONSABILIDADE IV. VIVENDO COM RESPONSABILIDADE 1. Fazendo escolhas responsáveis. 1. Fazendo escolhas responsáveis. 2. Assumindo as consequências. 2. Assumindo as consequências. Pr. Moisés Sampaio de Paula 6
  • 7. Uma Pergunta Como você tem vivido a sua vida? Pr. Moisés Sampaio de Paula 7
  • 8. Lembrando -Lei da Semeadura • Gálatas 6:7 - Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.
  • 9. INTRODUÇÃO • A VIDA é apresentada totalmente imprevisível, cheias de altos e baixos, e muitas vezes sem explicação lógica ou racional. É com tal perplexidade que o sábio enxerga as injustiças contra o justo e a prosperidade do perverso. • Quanta ambiguidade! O que fazer diante de tudo isso? Ficar inerte? Ou enfrentar a arena da vida? • A lição dessa semana abordará a postura que o pregador tomou, diante de Deus, em relação às questões da vida. • Eclesiastes mostra o Senhor nosso Deus como o centro da nossa vida, pois sem Ele ela torna-se vazia e sem sentido. Pr. Moisés Sampaio de Paula 9
  • 10. I. VIVENDO COM PROPÓSITO Viver com propósito implica em tomar atitude evitando a passividade. 1. Tomando uma atitude. 2. Evitando a passividade. Pr. Moisés Sampaio de Paula 10
  • 11. I. VIVENDO COM PROPÓSITO 1. Tomando uma atitude. • Salomão conclama-nos a lançar o nosso pão sobre as águas. • A palavra hebraica traduzida como "lançar" é shalah, que significa enviar, mandar embora, deixar ir. O que o sábio está ensinando é: "Não fique aí parado! Glorifique a Deus com a sua atitude“. Pr. Moisés Sampaio de Paula 11
  • 12. I. VIVENDO COM PROPÓSITO 1. Tomando uma atitude. Podemos aplicar essa palavra também à obra missionária: • Deus é quem envia homens e mulheres como embaixadores de seu Reino (Jz 6.8; Is 6.8; Jr 1.7), pois com igual determinação e amor, enviou o seu Filho a realizar a mais sublime das missões: Salvar o mundo (Is 61.1; Jo 3.16). Pr. Moisés Sampaio de Paula 12
  • 13. Uma Pergunta O que o sábio quer ensinar ao usar a palavra hebraica shalah, isto é, lançar? Pr. Moisés Sampaio de Paula 13
  • 14. I. VIVENDO COM PROPÓSITO 2. Evitando a passividade. • Não devemos agir com passividade (Ec 11.4). • A vida meramente contemplativa nada resolve. • É necessário e urgente fazer o bem. Por isso, o pregador exorta-nos Por isso, o pregador exorta-nos a demonstrar amor e a demonstrar amor e generosidade ao necessitado. generosidade ao necessitado. Pr. Moisés Sampaio de Paula 14
  • 15. I. VIVENDO COM PROPÓSITO 2. Evitando a passividade. "Lançar o pão", portanto, significa:  Ser condescendente com os pobres (Ec 11.1,2).  Significa fazer alguma coisa e não se limitar a contemplar a miséria alheia.  É trazer o pão de longe para alimentar os famintos (Pv 31.14). • A igreja apostólica demonstrou a mesma preocupação (Gl 2.10). Pr. Moisés Sampaio de Paula 15
  • 16. II. VIVENDO COM DINAMISMO O texto de Eclesiastes 1.3-5 remonta a ideia de movimento e imprevisibilidade da vida. 1. A imobilidade da árvore caída (vivendo do passado) 2. O movimento do vento e das nuvens (vivendo o presente).. Pr. Moisés Sampaio de Paula 16
  • 17. II. VIVENDO COM DINAMISMO 1. A imobilidade da árvore caída (vivendo do passado) • Em relação ao texto de Eclesiastes 11.3, o escritor Derek Kidner destaca a metáfora da nuvem como um fenômeno meteorológico portador de leis próprias em desacordo com as leis e o tempo dos homens. Pr. Moisés Sampaio de Paula 17
  • 18. II. VIVENDO COM DINAMISMO 1. A imobilidade da árvore caída (vivendo do passado) Ele igualmente destaca o relato da árvore caída: • Ela não pediu licença para tombar e não houve homem que a impedisse de cair. Pr. Moisés Sampaio de Paula 18
  • 19. II. VIVENDO COM DINAMISMO 1. A imobilidade da árvore caída (vivendo do passado) A vida mostra-se de forma imprevisível. • Ela não é composta apenas de bons momentos, mas também de períodos desagradáveis. • Então, o que fazer? Ficar aprisionado pela experiência passada sobre a qual nada mais se pode fazer, ou enfrentar o futuro com fé e coragem? Pr. Moisés Sampaio de Paula 19
  • 20. Uma Pergunta Como o escritor Derek Kidner destaca a metáfora da nuvem? Pr. Moisés Sampaio de Paula 20
  • 21. II. VIVENDO COM DINAMISMO 2. O movimento do vento e das nuvens (vivendo o presente).. • Em Eclesiastes, encontramos o mesmo princípio de Provérbios na metáfora do vento (Ec 11.4). • Não são poucos os intérpretes da Bíblia que observam, nesse texto, a ideia de movimento e imprevisibilidade da vida. Pr. Moisés Sampaio de Paula 21
  • 22. II. VIVENDO COM DINAMISMO 2. O movimento do vento e das nuvens (vivendo o presente).. • O vento movimenta-se o tempo todo e as nuvens mostram-se imprevisíveis. Eis a metáfora da vida! Olhá-la e queixar-se dela sem tomar uma firme e sábia decisão diante dos seus obstáculos equivalem a esperar que o vento e as nuvens passem. • Dessa forma, o ser humano assiste a existência passar sem nada realizar de concreto. Pr. Moisés Sampaio de Paula Quem tem fé Quem tem fé não age assim. não age assim. 22
  • 23. III. VIVENDO COM FÉ E ESPERANÇA Devemos plantar sementes para vida, germinando a Palavra de Deus e cuidando do próximo necessitado. 1. Plantando a semente. 2. Germinando a semente. Pr. Moisés Sampaio de Paula 23
  • 24. Uma Pergunta Como agricultores do Reino de Deus, o que nos cabe fazer? Pr. Moisés Sampaio de Paula 24
  • 25. III. VIVENDO COM FÉ E ESPERANÇA 1. Plantando a semente. • Outra metáfora usada por Salomão é a do plantio (11.6).  Essa figura descreve a atividade do agricultor.  Ela ensina a arte de semear a vida. E isso requer ação!  É preciso plantar a semente, pois é na existência que geralmente colhemos o que plantamos (Gl 6.7). Pr. Moisés Sampaio de Paula 25
  • 26. III. VIVENDO COM FÉ E ESPERANÇA 1. Plantando a semente. • Muitas vezes, a vida é dura, seca e arenosa para semear. • Assim, a metáfora pode significar uma trajetória de trabalho árduo e difícil diante dos grandes obstáculos e desafios da existência humana. • Nessa estrada, muitos até desistem de semear e terminam vencidos pelas dificuldades intransponíveis que ela lhes impõe. Pr. Moisés Sampaio de Paula 26
  • 27. III. VIVENDO COM FÉ E ESPERANÇA 2. Germinando a semente. • A metáfora também nos ensina que, embora semeemos a terra, não podemos fazer a semente germinar (Ec 11.6). • Salomão observa a vida como um grande campo de solos variáveis. • Ao agricultor, pois, resta saber em qual valerá a pena semear, pois a semente não germinará em qualquer terreno. Pr. Moisés Sampaio de Paula 27
  • 28. III. VIVENDO COM FÉ E ESPERANÇA 2. Germinando a semente. • Muitos fatores devem ser levados em conta na germinação da semente: a qualidade do solo, o clima, etc. • É urgente que o agricultor persevere nesse empreendimento, mas que igualmente tenha fé e esperança de que a semente germinará. De nada adianta observar o caos De nada adianta observar o caos em que se encontra a sociedade em que se encontra a sociedade e não tomar nenhuma atitude. e não tomar nenhuma atitude. Façamos a nossa parte como Façamos a nossa parte como agricultores do Reino de Deus: agricultores do Reino de Deus: 1.semear a genuína Palavra de 1.semear a genuína Palavra de Deus no coração de toda a Deus no coração de toda a criatura humana (Lc 8.5-15) e criatura humana (Lc 8.5-15) e 2.auxiliar o próximo necessitado 2.auxiliar o próximo necessitado (2 Co 8-9). (2 Co 8-9). Pr. Moisés Sampaio de Paula 28
  • 29. instruções sobre ofertas dirigidas aos crentes pobres de Jerusalém 2 CORÍNTIOS 8 2 CORÍNTIOS 9 1. Riquezas da sua generosidade. Os princípios contidos neste capítulo são os seguintes: a) Aquilo que possuímos pertence a Deus (v.5). b) Temos de tomar a decisão firme em servir a Deus e não ao dinheiro (v.5; cf. Mt 6.24). c) A contribuição é feita para ajudar aos necessitados (v.14; 9.12; Gl 2.10). d) A contribuição para os necessitados é considerada uma prova do amor cristão (v.24) e deve ser realizada de modo sacrifical (v.3) e voluntária (9.7). 2. Jesus Cristo... Se fez pobre... Deus, em Jesus Cristo, se fez pobre e, por isso, agora nós participamos das riquezas da eternidade. O Altíssimo quer uma atitude idêntica operando em nosso ser como evidência da sua graça infinita (Lc 12.15; Ef 1.3; Fp 4.11-13; Hb 11.26). 1. Pouco... Ceifará. O cristão pode contribuir generosamente ou com avareza. [...] Paulo não fala primeiramente da quantidade ofertada, mas da qualidade dos desejos e dos motivos do nosso coração ao ofertarmos. 2. Abundar em vós toda a graça. O crente deve contribuir com o que pode para ajudar os necessitados. Ele verá que a graça de Deus é suficiente para suprir as suas próprias necessidades a fim de que seja fecundo em toda boa obra (Mt 10.41,42; Lc 6.38). 3. Em tudo enriqueçais. Para que a generosidade seja manifesta exteriormente, o coração deve antes estar enriquecido de amor e compaixão sinceros para com o próximo. Dar de nós mesmos e daquilo que temos, resulta em: (1) suprir as necessidades dos nossos irmãos mais pobres; (2) louvor e ação de graças a Deus (v.12) e (3) amor recíproco da parte daqueles que recebem a ajuda (v.14). Pr. Moisés Sampaio de Paula 29
  • 30. IV. VIVENDO COM RESPONSABILIDADE Viver com responsabilidade é fazer escolhas responsáveis na vida assumindo as suas consequências. 1. Fazendo escolhas responsáveis. 2. Assumindo as consequências. Pr. Moisés Sampaio de Paula 30
  • 31. Uma Pergunta Qual a razão para vivermos a vida de maneira alegre, mas ao mesmo tempo responsável e santa? Pr. Moisés Sampaio de Paula 31
  • 32. IV. VIVENDO COM RESPONSABILIDADE 1. Fazendo escolhas responsáveis. • Eclesiastes 11.9 é uma séria admoestação aos jovens.  Eles são convidados a viver a vida, mas devem se portar, em todas as ocasiões, como pessoas responsáveis e tementes a Deus. • Assim, reconhecerão o Pai Celeste como a sua satisfação maior. Pr. Moisés Sampaio de Paula 32
  • 33. IV. VIVENDO COM RESPONSABILIDADE 2. Assumindo as consequências. • Há uma razão para vivermos de maneira alegre, mas ao mesmo tempo de forma responsável e santa. • Nossas ações trazem consequências. Tal como o sábio disse no versículo 10. • Viver a vida com intensidade não é agir de forma desregrada e pecaminosa, mas experimentar o seu verdadeiro sentido: glorificar a Deus. Pr. Moisés Sampaio de Paula jovem, viva a vida com jovem, viva a vida com intensidade, mas não se intensidade, mas não se esqueça: glorifique a esqueça: glorifique a Deus com o seu Deus com o seu testemunho, pois de testemunho, pois de tudo o Senhor nos tudo o Senhor nos pedirá conta. Vivendo pedirá conta. Vivendo assim, quando a velhice assim, quando a velhice chegar, não teremos o chegar, não teremos o que lamentar. que lamentar. 33
  • 34. Conclusão • O capítulo 11 de Eclesiastes: 1. É um convite à ação. 2. É uma resposta à mesmice. 3. É um convite a mergulharmos na fé e agir de acordo com a vontade de Deus, não temendo as dificuldades que virão pela frente. 4. É lançar-se para semear. 5. É alegrar-se com as maravilhas que o Senhor nos presenteou. Mas significa igualmente Mas significa igualmente afastar-se do pecado e da afastar-se do pecado e da iniquidade, pois, no final, iniquidade, pois, no final, teremos de dar conta de todos teremos de dar conta de todos os nossos atos perante Deus. os nossos atos perante Deus. Então, glorifiquemos ao Senhor Então, glorifiquemos ao Senhor com a nossa existência. com a nossa existência. Pr. Moisés Sampaio de Paula 34
  • 35. Pr. Moisés Sampaio de Paula 35