SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 49
Fisiologia Sensorial


                                        Professora: Luiza Antas Rabêlo




Profa. Luiza A. Rabelo, LRC-ICBS/UFAL       Profa. Luiza A. Rabelo, LRC-ICBS/UFAL
Qual mundo é o verdadeiro?




 MUNDO                MUNDO
  REAL              PERCEBIDO
O sorriso da Monalisa é interpretado
diferentemente por cada indivíduo que o visualiza
Cada um percebe
uma obra musical
      de maneira
      diferente...
- Diferenças genéticas e
de vivências;

- Estados fisiológicos e
psicológicos mutáveis.
Divisão funcional do Sistema Nervoso Sensorial
            CATEGORIA   ORIGEM            ORGANIZAÇÃO SENSIBILIDADE

                                             Geral          Calor e Frio
                                             (SOMESTESIA)   Dor
                                                            Tato e pressão

                        Exteroceptivo
                        (fora do corpo)                     Visão
                                             Especial       Audição
            SOMÁTICO                         (Sentidos
                                             Especiais)
                                                            Equilíbrio
                                                            Olfação
                                                            Gustação
 SISTEMA
 NERVOSO                Proprioceptivo       Geral
                                             (Cinestesia)
SENSORIAL               (própria do corpo)                  Propriocepção




                        Interoceptivo
            VISCERAL    (órgãos              Geral
                                                            Sentido visceral
                        viscerais)
Órgãos sensoriais situados na cabeça                          Imagens dos objetos
 Sentidos Especiais                                            situados no meio ambiente
         Ondas mecânicas
             sonoras                                           Substâncias voláteis
                                                               dispersas no ambiente
           Aceleração da
              cabeça                                           Substâncias químicas que
                                                               se solubilizam na saliva



Órgãos sensoriais situados em todo
o corpo:: Sentido somestésico

        Energia mecânica na forma
        de pressão e vibração

        Energia térmica dos objetos
        em contato com a pele                                         Órgãos sensoriais
                                                                      situados nos
        Estímulos lesivos e                                           órgãos viscerais
        potencialmente lesivos                                        Sentido visceral


        Posição e movimento do                                        Estímulos
        corpo e dos membros                                           originados nos
                                                                      receptores
                                        Obra de C. Portinari          viscerais gerais
Receptores Nervosos

Como defini-los ?

São células ou estruturas especializadas que,
funcionalmente, são transdutores que convertem
estímulos diversos em sinais elétricos.
TRANSDUÇÃO SENSORIAL: É transformação dos estímulos físicos
ou químicos em potencial elétrico pelos receptores sensoriais.

Sejam neuronais ou células sensoriais secundárias, todos são
altamente específicos aos respectivos estímulos.
Locais da Transdução sensorial




Célula sensorial   Neurônio sensorial 1ª
  secundária             ordem
Geração e Propagação               Geração e Propagação
                     POTENCIAL                                  PEPS   do Potencial de Ação
                     RECEPTOR       do Potencial de Ação




Receptor sensorial



                      Estímulo                             SINAPSE
                                  Neurônio de 1ª ordem     NERVOSA     Neurônio de 2ª ordem
                      sensorial



                         Sistema nervoso periférico                    SNC



 POTENCIAL RECEPTOR: resposta elétrica graduada proporcional a intensidade
 do estímulo.



 Estímulos sensoriais: Estão relacionados com à natureza física e química.
Propriedades dos Receptores
Especificidade aos estímulos sensoriais

                                      Os     receptores  sensoriais
                                      apresentam especificidade de
                                      resposta     aos    estímulos
                                      naturais:


                                      -    Limiar   muito    baixo   ou
                                      sensibilidade   máxima    para o
                                      estimulo natural;

                                      - Os receptores sensoriais possuem
                                      localização estratégica no corpo
                                      onde melhor captam os estímulos
                                      sensoriais;

                                      - Os órgãos sensoriais funcionam
                                      como filtros altamente específicos
                                      às diferentes formas de energia do
                                      ambiente.
Propriedades dos Receptores
Decodificam vários aspectos relacionados aos estímulos:
intensidade, duração, etc.



                                     A amplitude do PR é graduável;
                                     responde proporcionalmente a
                                     intensidade do estimulo;
 Fraco e
 rápido
                                      As fibras sensoriais decodificam a
                                      intensidade em função da
                                      freqüência dos PA;


                                     A quantidade de NT liberado é
                                     proporcional a freqüência e
                                     duração do PA.

 Forte e                         (1) número de receptores ativados
 duradouro                       (2) diferença entre a freqüência de descarga
                                 (3) ativação de tipos diferentes de receptores
Os receptores nervosos permitem situar o indivíduo
           no espaço, localizar e identificar as diferentes

                         fontes de estímulos.

Propriedades dos Sentidos

LOCALIZAÇÃO ESPACIAL
- Detectar a origem do estimulo sensorial;
- O grau de resolução espacial varia com a modalidade.
DETERMINAÇÃO DE INTENSIDADE
- Diferenciar a quantidade de energia contida no
estimulo(quantidade de receptores ativados, freqüência de
descarga do PA, ativação de diferentes tipos de
receptores).
DETERMINAÇÃO DA DURAÇÃO
- Detectar o momento que iniciou e termina um estímulo.
Modalidade Sensorial: sensações evocadas por um
 mesmo órgão sensorial.
 Modalidade                                 Tipo de receptor
                 Estímulo                                            Célula Receptora/ Estrutura
 Sensorial                                  (natureza do estímulo)
                                                                     Epitélio olfativo
 OLFATO          Subst. químicas voláteis   QUIMIORRECEPTOR

 VISÃO           Luz                        FOTORRECEPTOR            Cones e bastonetes (retina)
                                                                     Células dos Botões gustativos
 PALADAR         Subst. químicas solúveis   QUIMIORRECEPTOR
                                                                     (cavidade oral)
                                                                     Células ciliadas da Cóclea
 AUDIÇÃO         Ondas de pressão sonora    MECANORRECEPTOR
                                                                     (ouvido interno)
                                                                     Células ciliadas dos canais semicirculares,
 EQUILÍBRIO      Movimento da cabeça        MECANORRECEPTOR          utrículo e sáculo
                                                                     (ouvido interno)
                                                                     Corpúsculos de Pacini, Corpúsculos de
 TATO            Pressão/Vibraçao           MECANORRECEPTOR
                                                                     Merkel, etc. (pele)
                                                                     Terminações livres dos neurônios aferentes
 TEMPERATURA     Quantidade de calor        TERMORRECEPTOR
                                                                     (pele)
                 Estímulos intensos e                                Terminações livres dos neurônios aferentes
 DOR                                        NOCICEPTOR
                 lesões teciduais                                    (pele e tecidos profundos)
                                                                     Órgãos Tendinosos de Golgi, Fusos
 PROPRIOCEPÇÃO                                                       musculares, receptores articulares, etc
                 Estímulos mecânicos        MECANORRECEPTOR
 (CINESTESIA)                                                        (músculos e tendões)



Submodalidade Sensorial: diferentes qualidades de uma
mesma modalidade sensorial.
Tipo de Receptores
Estruturalmente, os receptores somáticos são
neurônios sensoriais de dois tipos:



 Terminação Livre




 Encapsulado
Receptores somáticos
 Tipo morfológico     Transdução       Tipo de       Localização                   Função
                                        Fibra
Terminações livres   Mecanoelétrica,    C, Aγ     Toda a pele, órgãos   Dor, temperatura (calor), tato
                     Termoelétrica,               internos, vasos       grosseiro e propriocepção
                     Quimioelétrica               sanguíneas,
                                                  articulações
Corpúsculos de       Mecanoelétrica      Aβ       Epiderme glabra       Tato, pressão-vibratória
Meissner                                                                (textura)
Corpúsculos de       Mecanoelétrica      Aβ       Derme, periósteo,     Pressão-vibratória (textura)
Paccini                                           parede das
                                                  vísceras
Corpúsculos de       Mecanoelétrica      Aβ       Toda a derme          Indentação da pele
Ruffini
Discos de Merkel     Mecanoelétrica      Aβ       Toda a epiderme       Tato, pressão-estática
                                                  glabra e pilosa
Bulbos de Krause     Mecanoelétrica      Aβ       Bordas da pele        Tato,
                                                  com as mucosas
Folículos pilosos    Mecanoelétrica      Aβ       Pele pilosa           Tato
Órgãos tendinosos    Mecanoelétrica       Ib      Tendões               Propriocepção
de Golgi
Fusos musculares     Mecanoelétrica     Ia e II   Músculos              Propriocepção
                                                  esqueléticos
Receptores Sensoriais




Receptores da dor = nociceptores


Amplamente espalhados em todos os tecidos, com a exceção
do tecido nervoso!!

Terminações livres
- Térmicos
- Mecânicos
- Químicos
Receptores Especiais
- Epitélios sensoriais

Receptores especiais: células sensoriais secundárias

Célula sensorial secundária
                                        nap




As células    auditivas, vestibulares,
gustativas   e     visuais     não   são
neurônios,   mas     células    epiteliais
modificadas capazes de realizar a
transdução       sensorial       (células
sensoriais secundárias).
UNIDADE SENSORIAL

 Campo Receptivo: É a área do corpo que, quando
 estimulada, produz alteração de descarga elétrica em um
 neurônio sensorial;
 Quanto menor for o campo receptivo, mais preciso será
 a localização da sensação.




                    A) Localização


                     Campo
                    receptivo

                   B) Intensidade e decurso temporal do estímulo
                   Disparos
                   neuronais
                   Estímulo
Discriminação entre dois pontos
 No homem, o menor limiar de
resolução espacial se encontra nas
pontas dos dedos, da língua e na face);

 Há uma maior densidade de
receptores nas pontas dos dedos, na
língua e na face).
O Braille é uma escrita em relevo
                            (0,04 cm de largura x 0,06 de
Luís Braille (1809-1852)    altura) para leitura tátil, inventado
Inventor da leitura tátil   por Luís Braille (1809-1852).

                            - 63 sinais formados por pontos, a
                            partir de um conjunto matricial.

                            - Distância mínima entre dois pontos:
                            2mm
Por que a representação é distorcida?




A distorção nas figuras representativas é proporcional à densidade de
receptores sensoriais e de tecido nervoso dedicado ao processamento das
respectivas informações .
Mecanorreceptores
Receptores Cutâneos
Os receptores cutâneos medeiam a sensação extereoceptiva.

- Dor superficial (lenta e rápida)
- Temperatura (frio e calor)
- Tato-pressão
- Tato-vibração
-Coceira ou prurido (ocorre na pele e na mucosa)
Os receptores cutâneos são neurônios sensoriais
de dois tipos:


Terminação Livre




Encapsulado
Mecanorreceptores cutâneos
Transdução do sinal
mecânico em elétrico nos
  receptores cutâneos
Corpúsculo de Pacini

                                                           Potencial Excitatório de
                                                           baixa voltagem
Área deformada
                             Potencial Receptor   Potencial de ação




              + + + ++ - - - - + + + + + +
             +        ++++
             +        ++++
              + ++++- - - -++ ++ + +




Estímulo mecânico

           Camada de tecido conjuntivo            Nodo de Ranvier
De acordo com a propriedade adaptativa do
            receptor, são extraídas outras formas de
            informações.


Meissner    RECEPTORES DE ADAPTAÇAO RÁPIDA
            (FÁSICOS)

            Fornece informações sobre a variação do estimulo
            (inicio-fim; velocidade e taxa). Adaptados para
 Meissner   detectarem vibrações e estímulos em movimento.

            O estímulo está presente, mas o receptor “acusa”
            como se não estivesse.




   Merkel
            RECEPTORES DE ADAPTAÇAO LENTA
            (TÔNICOS)

            Informações sobre intensidade e duração.
            O receptor informa o cérebro continuamente
            sobre a presença do estímulo.
 Merkel
Classificação dos receptores cutâneos quanto à resposta
    ao decurso temporal e intensidade do estímulo
Receptores de adaptação lenta e rápida

                                          Pressão mecânica

                                        pêlo




Alguns receptores cutâneos se adaptam
                                                     Fásico
rapidamente à presença de estímulos                           Meissner
inofensivos (roupa).


                                                     Tônico

                                                              Merkel
Mecanorreceptores sensíveis à
     pressão sanguínea

 - O fluxo sangüíneo e a pressão
 são monitorizados pelo corpo
 através de receptores nervosos,
 os barorreceptores.
 Os barorreceptores respondem a alterações
 na pressão arterial.
 Localização dos barorreceptores


                             Nervo Glossofaríngeo

                             Nervo Vago




                            Barorreceptores Carotídeos




                             Barorreceptores Aórticos
Proprioceptores

- São receptores responsáveis pelo
sentido de posição e movimento do
corpo e de suas partes;

- Além disso, são estas estruturas
que respondem pela percepção do
peso dos objetos.
Proprioceptores detectam:

  - Tensão muscular (Órgão tendinoso de Golgi);

  - Comprimento muscular (Fuso Muscular);

  - Ângulo articular (desconhecidos).
          CONTRAÇÃO ISOTÔNICA               CONTRAÇÃO ISOMÉTRICA
Fusos musculares                   Órgãos Tendinosos de Golgi




- Detectam variações no comprimento        - Detectam variações na tensão
muscular durante o estiramento e a         muscular sobre os tendões (Em
contração muscular (Paralelo ás FE).       série com as FE).
Importante: os outros tipos de receptores
  serão estudados em aulas específicas
     acerca dos sistema sensoriais.
Assim, os receptores nervosos distribuídos pelo
 corpo “despertam” inúmeras sensações tanto
             nos seres humanos ...
....como em outros animais.
Principais Referências Bibliográficas

BERNE, ROBERT M. & LEVY, MATTHEW N. FISIOLOGIA. RIO
DE JANEIRO: Editora Elsevier, 6ª Edição, 2009.


SILVERTHORN, DEE U. FISIOLOGIA HUMANA:                     Uma
abordagem integrada. Editora Manole, 2ª Edição, 2004.



http://www.blackwellpublishing.com/matthews/channel.html

http://www.blackwellpublishing.com/matthews/nmj.html

http://www.blackwellscience.com/matthews/actionp.html

http://www.blackwellpublishing.com/matthews/neurotrans.html
“Mais que escassez de
meios, há miséria de
vontade. Para a obra
científica, os meios são
quase nada e o homem
é quase tudo”

Ramón Y Cajal

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fisiologia - Organização do Sistema Nervoso
Fisiologia - Organização do Sistema NervosoFisiologia - Organização do Sistema Nervoso
Fisiologia - Organização do Sistema NervosoPedro Miguel
 
Aula 1 Anatomia - Osteologia veterinária
Aula 1 Anatomia - Osteologia veterináriaAula 1 Anatomia - Osteologia veterinária
Aula 1 Anatomia - Osteologia veterináriaJulia Berardo
 
fisiologia da dor
fisiologia da dorfisiologia da dor
fisiologia da dorNay Ribeiro
 
VI.2 Sistema muscular
VI.2 Sistema muscularVI.2 Sistema muscular
VI.2 Sistema muscularRebeca Vale
 
Sistema muscular 1º periodo
Sistema muscular 1º periodoSistema muscular 1º periodo
Sistema muscular 1º periodoRodrigo Bruno
 
02 sistema esquelético
02   sistema esquelético02   sistema esquelético
02 sistema esqueléticoMaxsuell Lopes
 
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e AnamnesePropedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e AnamneseNadjane Barros Costa
 
Sistema sensorial - anatomia humana
Sistema sensorial - anatomia humanaSistema sensorial - anatomia humana
Sistema sensorial - anatomia humanaMarília Gomes
 
Sistema nervoso - anatomia humana
Sistema nervoso - anatomia humanaSistema nervoso - anatomia humana
Sistema nervoso - anatomia humanaMarília Gomes
 
Anatomia - Sistema Articular
Anatomia - Sistema ArticularAnatomia - Sistema Articular
Anatomia - Sistema ArticularPedro Miguel
 
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marchaAvaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marchaNatha Fisioterapia
 
Slides osteomioarticular
Slides osteomioarticularSlides osteomioarticular
Slides osteomioarticularAna Lucia Costa
 
Anatomia do membro inferior
Anatomia do membro inferiorAnatomia do membro inferior
Anatomia do membro inferiorCaio Maximino
 

Mais procurados (20)

Reflexos
ReflexosReflexos
Reflexos
 
Fisiologia - Organização do Sistema Nervoso
Fisiologia - Organização do Sistema NervosoFisiologia - Organização do Sistema Nervoso
Fisiologia - Organização do Sistema Nervoso
 
Reflexos
ReflexosReflexos
Reflexos
 
Aula 1 Anatomia - Osteologia veterinária
Aula 1 Anatomia - Osteologia veterináriaAula 1 Anatomia - Osteologia veterinária
Aula 1 Anatomia - Osteologia veterinária
 
fisiologia da dor
fisiologia da dorfisiologia da dor
fisiologia da dor
 
Sensibilidade 14
Sensibilidade 14Sensibilidade 14
Sensibilidade 14
 
VI.2 Sistema muscular
VI.2 Sistema muscularVI.2 Sistema muscular
VI.2 Sistema muscular
 
Sistema muscular 1º periodo
Sistema muscular 1º periodoSistema muscular 1º periodo
Sistema muscular 1º periodo
 
A Fisiologia Do Sistema RespiratóRio
A Fisiologia Do Sistema RespiratóRioA Fisiologia Do Sistema RespiratóRio
A Fisiologia Do Sistema RespiratóRio
 
Anatomia - Sistema nervoso
Anatomia - Sistema nervosoAnatomia - Sistema nervoso
Anatomia - Sistema nervoso
 
02 sistema esquelético
02   sistema esquelético02   sistema esquelético
02 sistema esquelético
 
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e AnamnesePropedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
 
Aula 08 sistema nervoso
Aula 08   sistema nervosoAula 08   sistema nervoso
Aula 08 sistema nervoso
 
Sistema sensorial - anatomia humana
Sistema sensorial - anatomia humanaSistema sensorial - anatomia humana
Sistema sensorial - anatomia humana
 
Sistema nervoso - anatomia humana
Sistema nervoso - anatomia humanaSistema nervoso - anatomia humana
Sistema nervoso - anatomia humana
 
Anatomia - Sistema Articular
Anatomia - Sistema ArticularAnatomia - Sistema Articular
Anatomia - Sistema Articular
 
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marchaAvaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
 
Slides osteomioarticular
Slides osteomioarticularSlides osteomioarticular
Slides osteomioarticular
 
Anatomia do membro inferior
Anatomia do membro inferiorAnatomia do membro inferior
Anatomia do membro inferior
 
7. Funções sensoriais
7. Funções sensoriais7. Funções sensoriais
7. Funções sensoriais
 

Destaque

2a aula homeostasia 12.11.2012b
2a aula homeostasia 12.11.2012b2a aula homeostasia 12.11.2012b
2a aula homeostasia 12.11.2012bluizaa.rabelo
 
Receptores Sensoriais
Receptores SensoriaisReceptores Sensoriais
Receptores Sensoriaislafunirg
 
Sistema Sensorial Completo
Sistema Sensorial CompletoSistema Sensorial Completo
Sistema Sensorial CompletoRenata Oliveira
 
2a 3a aulas profa luiza_farmácia 034_fisiologia cardiovascular_2012.2 final
2a 3a aulas profa luiza_farmácia 034_fisiologia cardiovascular_2012.2 final2a 3a aulas profa luiza_farmácia 034_fisiologia cardiovascular_2012.2 final
2a 3a aulas profa luiza_farmácia 034_fisiologia cardiovascular_2012.2 finalluizaa.rabelo
 
Sistema sensorial fisiologia
Sistema sensorial   fisiologiaSistema sensorial   fisiologia
Sistema sensorial fisiologiaMalu Correia
 
Exercícios Fisiologia Cardiovascular
Exercícios Fisiologia CardiovascularExercícios Fisiologia Cardiovascular
Exercícios Fisiologia CardiovascularLuiza Antas Rabelo
 
Aula fisiologia sensorial
Aula fisiologia sensorialAula fisiologia sensorial
Aula fisiologia sensorialmarcioth
 
Grandes vias aferentes e Síndromes Sensoriais
Grandes vias aferentes e Síndromes SensoriaisGrandes vias aferentes e Síndromes Sensoriais
Grandes vias aferentes e Síndromes SensoriaisLuís Felipe Cavalcante
 
Fisiologia - Sistema Cardiovascular
Fisiologia - Sistema CardiovascularFisiologia - Sistema Cardiovascular
Fisiologia - Sistema CardiovascularPedro Miguel
 
Sistema sensorial
Sistema sensorialSistema sensorial
Sistema sensorialjaldanam
 
Sistema Nervoso Sensorial
Sistema Nervoso SensorialSistema Nervoso Sensorial
Sistema Nervoso SensorialDigux
 
Retina e Retinose Pigmentar
Retina e Retinose PigmentarRetina e Retinose Pigmentar
Retina e Retinose PigmentarBruno Catão
 
Biofísica da Circulação
Biofísica da CirculaçãoBiofísica da Circulação
Biofísica da CirculaçãoSonynhaRegis
 
Funções do cortex e nucleos da base
Funções do cortex e nucleos da baseFunções do cortex e nucleos da base
Funções do cortex e nucleos da baseNatha Fisioterapia
 
Sistema sensorial anatomia cetesp
Sistema sensorial anatomia cetespSistema sensorial anatomia cetesp
Sistema sensorial anatomia cetespLaercio Leao
 
Estímulos Nervosos
Estímulos NervososEstímulos Nervosos
Estímulos Nervososmarco :)
 
Artigo de fisiologia: Dor
Artigo de fisiologia: Dor Artigo de fisiologia: Dor
Artigo de fisiologia: Dor Rithielly Rocha
 

Destaque (20)

2a aula homeostasia 12.11.2012b
2a aula homeostasia 12.11.2012b2a aula homeostasia 12.11.2012b
2a aula homeostasia 12.11.2012b
 
Receptores Sensoriais
Receptores SensoriaisReceptores Sensoriais
Receptores Sensoriais
 
Sistema Sensorial Completo
Sistema Sensorial CompletoSistema Sensorial Completo
Sistema Sensorial Completo
 
2a 3a aulas profa luiza_farmácia 034_fisiologia cardiovascular_2012.2 final
2a 3a aulas profa luiza_farmácia 034_fisiologia cardiovascular_2012.2 final2a 3a aulas profa luiza_farmácia 034_fisiologia cardiovascular_2012.2 final
2a 3a aulas profa luiza_farmácia 034_fisiologia cardiovascular_2012.2 final
 
Sistema sensorial fisiologia
Sistema sensorial   fisiologiaSistema sensorial   fisiologia
Sistema sensorial fisiologia
 
Exercícios Fisiologia Cardiovascular
Exercícios Fisiologia CardiovascularExercícios Fisiologia Cardiovascular
Exercícios Fisiologia Cardiovascular
 
Vias sensoriais
Vias sensoriaisVias sensoriais
Vias sensoriais
 
Sistema Sensorial
Sistema SensorialSistema Sensorial
Sistema Sensorial
 
Aula fisiologia sensorial
Aula fisiologia sensorialAula fisiologia sensorial
Aula fisiologia sensorial
 
Grandes vias aferentes e Síndromes Sensoriais
Grandes vias aferentes e Síndromes SensoriaisGrandes vias aferentes e Síndromes Sensoriais
Grandes vias aferentes e Síndromes Sensoriais
 
Fisiologia - Sistema Cardiovascular
Fisiologia - Sistema CardiovascularFisiologia - Sistema Cardiovascular
Fisiologia - Sistema Cardiovascular
 
Sistema sensorial
Sistema sensorialSistema sensorial
Sistema sensorial
 
Sistema Nervoso Sensorial
Sistema Nervoso SensorialSistema Nervoso Sensorial
Sistema Nervoso Sensorial
 
Receptores musculares
Receptores muscularesReceptores musculares
Receptores musculares
 
Retina e Retinose Pigmentar
Retina e Retinose PigmentarRetina e Retinose Pigmentar
Retina e Retinose Pigmentar
 
Biofísica da Circulação
Biofísica da CirculaçãoBiofísica da Circulação
Biofísica da Circulação
 
Funções do cortex e nucleos da base
Funções do cortex e nucleos da baseFunções do cortex e nucleos da base
Funções do cortex e nucleos da base
 
Sistema sensorial anatomia cetesp
Sistema sensorial anatomia cetespSistema sensorial anatomia cetesp
Sistema sensorial anatomia cetesp
 
Estímulos Nervosos
Estímulos NervososEstímulos Nervosos
Estímulos Nervosos
 
Artigo de fisiologia: Dor
Artigo de fisiologia: Dor Artigo de fisiologia: Dor
Artigo de fisiologia: Dor
 

Semelhante a 7a aula fisiologia sensorial 10.12.2012 (farmácia 021)

Fisiologia da sensibilidade
Fisiologia da sensibilidadeFisiologia da sensibilidade
Fisiologia da sensibilidadeNathalia Fuga
 
SISTEMAS SENSORIAS PROPRIEDADES GERAIS DA RECEPÇÃO SENSORIAL. Profa. Dra. Már...
SISTEMAS SENSORIAS PROPRIEDADES GERAIS DA RECEPÇÃO SENSORIAL. Profa. Dra. Már...SISTEMAS SENSORIAS PROPRIEDADES GERAIS DA RECEPÇÃO SENSORIAL. Profa. Dra. Már...
SISTEMAS SENSORIAS PROPRIEDADES GERAIS DA RECEPÇÃO SENSORIAL. Profa. Dra. Már...JssicaPereira540414
 
Aula detectores do ambiente
Aula detectores do ambiente Aula detectores do ambiente
Aula detectores do ambiente Nathalia Fuga
 
Sistema nervososensorialsomatico
Sistema nervososensorialsomaticoSistema nervososensorialsomatico
Sistema nervososensorialsomaticoDouglas Tudella
 
Sistemaneurohormonalaulas
SistemaneurohormonalaulasSistemaneurohormonalaulas
SistemaneurohormonalaulasDeolinda Silva
 
CN9-movimentos e actos reflexos
CN9-movimentos e actos reflexosCN9-movimentos e actos reflexos
CN9-movimentos e actos reflexosRita Rainho
 
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptx
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptxSEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptx
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptxXaynulMazive
 
Apresentação Sistema nervoso
Apresentação   Sistema nervosoApresentação   Sistema nervoso
Apresentação Sistema nervosoAnaRita9
 
sensação e percepção
sensação e percepçãosensação e percepção
sensação e percepçãoRoberto Nobre
 
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 1 - Neurociê...
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 1 - Neurociê...Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 1 - Neurociê...
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 1 - Neurociê...Billy Nascimento
 
Seminário Perispírito II USE Piracicaba
Seminário Perispírito II USE PiracicabaSeminário Perispírito II USE Piracicaba
Seminário Perispírito II USE PiracicabaAlan Diniz Souza
 
Aula Sistema Nervoso 6ºANO.pptx
Aula Sistema Nervoso 6ºANO.pptxAula Sistema Nervoso 6ºANO.pptx
Aula Sistema Nervoso 6ºANO.pptxMichelleRocha68
 
Psicologia: cérebro
Psicologia: cérebroPsicologia: cérebro
Psicologia: cérebrodavidaaduarte
 
Neuroanatomia da Dor/ Neuroanatomy of Pain
Neuroanatomia da Dor/ Neuroanatomy of PainNeuroanatomia da Dor/ Neuroanatomy of Pain
Neuroanatomia da Dor/ Neuroanatomy of PainCarlos D A Bersot
 

Semelhante a 7a aula fisiologia sensorial 10.12.2012 (farmácia 021) (20)

Fisiologia da sensibilidade
Fisiologia da sensibilidadeFisiologia da sensibilidade
Fisiologia da sensibilidade
 
Sistema sensorial
Sistema sensorialSistema sensorial
Sistema sensorial
 
SISTEMAS SENSORIAS PROPRIEDADES GERAIS DA RECEPÇÃO SENSORIAL. Profa. Dra. Már...
SISTEMAS SENSORIAS PROPRIEDADES GERAIS DA RECEPÇÃO SENSORIAL. Profa. Dra. Már...SISTEMAS SENSORIAS PROPRIEDADES GERAIS DA RECEPÇÃO SENSORIAL. Profa. Dra. Már...
SISTEMAS SENSORIAS PROPRIEDADES GERAIS DA RECEPÇÃO SENSORIAL. Profa. Dra. Már...
 
Aula detectores do ambiente
Aula detectores do ambiente Aula detectores do ambiente
Aula detectores do ambiente
 
Sistema nervososensorialsomatico
Sistema nervososensorialsomaticoSistema nervososensorialsomatico
Sistema nervososensorialsomatico
 
Sistemaneurohormonalaulas
SistemaneurohormonalaulasSistemaneurohormonalaulas
Sistemaneurohormonalaulas
 
CN9-movimentos e actos reflexos
CN9-movimentos e actos reflexosCN9-movimentos e actos reflexos
CN9-movimentos e actos reflexos
 
Aula+somestesia
Aula+somestesiaAula+somestesia
Aula+somestesia
 
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptx
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptxSEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptx
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptx
 
aula+somestesia.ppt
aula+somestesia.pptaula+somestesia.ppt
aula+somestesia.ppt
 
Sensação.percep
Sensação.percepSensação.percep
Sensação.percep
 
2a aula percepção
2a aula percepção2a aula percepção
2a aula percepção
 
Apresentação Sistema nervoso
Apresentação   Sistema nervosoApresentação   Sistema nervoso
Apresentação Sistema nervoso
 
sensação e percepção
sensação e percepçãosensação e percepção
sensação e percepção
 
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 1 - Neurociê...
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 1 - Neurociê...Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 1 - Neurociê...
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 1 - Neurociê...
 
Seminário Perispírito II USE Piracicaba
Seminário Perispírito II USE PiracicabaSeminário Perispírito II USE Piracicaba
Seminário Perispírito II USE Piracicaba
 
ProcessosPsicBasicos.ppt
ProcessosPsicBasicos.pptProcessosPsicBasicos.ppt
ProcessosPsicBasicos.ppt
 
Aula Sistema Nervoso 6ºANO.pptx
Aula Sistema Nervoso 6ºANO.pptxAula Sistema Nervoso 6ºANO.pptx
Aula Sistema Nervoso 6ºANO.pptx
 
Psicologia: cérebro
Psicologia: cérebroPsicologia: cérebro
Psicologia: cérebro
 
Neuroanatomia da Dor/ Neuroanatomy of Pain
Neuroanatomia da Dor/ Neuroanatomy of PainNeuroanatomia da Dor/ Neuroanatomy of Pain
Neuroanatomia da Dor/ Neuroanatomy of Pain
 

Último

5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoVitor Vieira Vasconcelos
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docCarolineWaitman
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docxSílvia Carneiro
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 

Último (20)

5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 

7a aula fisiologia sensorial 10.12.2012 (farmácia 021)

  • 1. Fisiologia Sensorial Professora: Luiza Antas Rabêlo Profa. Luiza A. Rabelo, LRC-ICBS/UFAL Profa. Luiza A. Rabelo, LRC-ICBS/UFAL
  • 2. Qual mundo é o verdadeiro? MUNDO MUNDO REAL PERCEBIDO
  • 3. O sorriso da Monalisa é interpretado diferentemente por cada indivíduo que o visualiza
  • 4. Cada um percebe uma obra musical de maneira diferente...
  • 5. - Diferenças genéticas e de vivências; - Estados fisiológicos e psicológicos mutáveis.
  • 6. Divisão funcional do Sistema Nervoso Sensorial CATEGORIA ORIGEM ORGANIZAÇÃO SENSIBILIDADE Geral Calor e Frio (SOMESTESIA) Dor Tato e pressão Exteroceptivo (fora do corpo) Visão Especial Audição SOMÁTICO (Sentidos Especiais) Equilíbrio Olfação Gustação SISTEMA NERVOSO Proprioceptivo Geral (Cinestesia) SENSORIAL (própria do corpo) Propriocepção Interoceptivo VISCERAL (órgãos Geral Sentido visceral viscerais)
  • 7. Órgãos sensoriais situados na cabeça Imagens dos objetos Sentidos Especiais situados no meio ambiente Ondas mecânicas sonoras Substâncias voláteis dispersas no ambiente Aceleração da cabeça Substâncias químicas que se solubilizam na saliva Órgãos sensoriais situados em todo o corpo:: Sentido somestésico Energia mecânica na forma de pressão e vibração Energia térmica dos objetos em contato com a pele Órgãos sensoriais situados nos Estímulos lesivos e órgãos viscerais potencialmente lesivos Sentido visceral Posição e movimento do Estímulos corpo e dos membros originados nos receptores Obra de C. Portinari viscerais gerais
  • 8. Receptores Nervosos Como defini-los ? São células ou estruturas especializadas que, funcionalmente, são transdutores que convertem estímulos diversos em sinais elétricos.
  • 9. TRANSDUÇÃO SENSORIAL: É transformação dos estímulos físicos ou químicos em potencial elétrico pelos receptores sensoriais. Sejam neuronais ou células sensoriais secundárias, todos são altamente específicos aos respectivos estímulos.
  • 10. Locais da Transdução sensorial Célula sensorial Neurônio sensorial 1ª secundária ordem
  • 11.
  • 12.
  • 13. Geração e Propagação Geração e Propagação POTENCIAL PEPS do Potencial de Ação RECEPTOR do Potencial de Ação Receptor sensorial Estímulo SINAPSE Neurônio de 1ª ordem NERVOSA Neurônio de 2ª ordem sensorial Sistema nervoso periférico SNC POTENCIAL RECEPTOR: resposta elétrica graduada proporcional a intensidade do estímulo. Estímulos sensoriais: Estão relacionados com à natureza física e química.
  • 14. Propriedades dos Receptores Especificidade aos estímulos sensoriais Os receptores sensoriais apresentam especificidade de resposta aos estímulos naturais: - Limiar muito baixo ou sensibilidade máxima para o estimulo natural; - Os receptores sensoriais possuem localização estratégica no corpo onde melhor captam os estímulos sensoriais; - Os órgãos sensoriais funcionam como filtros altamente específicos às diferentes formas de energia do ambiente.
  • 15. Propriedades dos Receptores Decodificam vários aspectos relacionados aos estímulos: intensidade, duração, etc. A amplitude do PR é graduável; responde proporcionalmente a intensidade do estimulo; Fraco e rápido As fibras sensoriais decodificam a intensidade em função da freqüência dos PA; A quantidade de NT liberado é proporcional a freqüência e duração do PA. Forte e (1) número de receptores ativados duradouro (2) diferença entre a freqüência de descarga (3) ativação de tipos diferentes de receptores
  • 16. Os receptores nervosos permitem situar o indivíduo no espaço, localizar e identificar as diferentes fontes de estímulos. Propriedades dos Sentidos LOCALIZAÇÃO ESPACIAL - Detectar a origem do estimulo sensorial; - O grau de resolução espacial varia com a modalidade. DETERMINAÇÃO DE INTENSIDADE - Diferenciar a quantidade de energia contida no estimulo(quantidade de receptores ativados, freqüência de descarga do PA, ativação de diferentes tipos de receptores). DETERMINAÇÃO DA DURAÇÃO - Detectar o momento que iniciou e termina um estímulo.
  • 17. Modalidade Sensorial: sensações evocadas por um mesmo órgão sensorial. Modalidade Tipo de receptor Estímulo Célula Receptora/ Estrutura Sensorial (natureza do estímulo) Epitélio olfativo OLFATO Subst. químicas voláteis QUIMIORRECEPTOR VISÃO Luz FOTORRECEPTOR Cones e bastonetes (retina) Células dos Botões gustativos PALADAR Subst. químicas solúveis QUIMIORRECEPTOR (cavidade oral) Células ciliadas da Cóclea AUDIÇÃO Ondas de pressão sonora MECANORRECEPTOR (ouvido interno) Células ciliadas dos canais semicirculares, EQUILÍBRIO Movimento da cabeça MECANORRECEPTOR utrículo e sáculo (ouvido interno) Corpúsculos de Pacini, Corpúsculos de TATO Pressão/Vibraçao MECANORRECEPTOR Merkel, etc. (pele) Terminações livres dos neurônios aferentes TEMPERATURA Quantidade de calor TERMORRECEPTOR (pele) Estímulos intensos e Terminações livres dos neurônios aferentes DOR NOCICEPTOR lesões teciduais (pele e tecidos profundos) Órgãos Tendinosos de Golgi, Fusos PROPRIOCEPÇÃO musculares, receptores articulares, etc Estímulos mecânicos MECANORRECEPTOR (CINESTESIA) (músculos e tendões) Submodalidade Sensorial: diferentes qualidades de uma mesma modalidade sensorial.
  • 19. Estruturalmente, os receptores somáticos são neurônios sensoriais de dois tipos: Terminação Livre Encapsulado
  • 20. Receptores somáticos Tipo morfológico Transdução Tipo de Localização Função Fibra Terminações livres Mecanoelétrica, C, Aγ Toda a pele, órgãos Dor, temperatura (calor), tato Termoelétrica, internos, vasos grosseiro e propriocepção Quimioelétrica sanguíneas, articulações Corpúsculos de Mecanoelétrica Aβ Epiderme glabra Tato, pressão-vibratória Meissner (textura) Corpúsculos de Mecanoelétrica Aβ Derme, periósteo, Pressão-vibratória (textura) Paccini parede das vísceras Corpúsculos de Mecanoelétrica Aβ Toda a derme Indentação da pele Ruffini Discos de Merkel Mecanoelétrica Aβ Toda a epiderme Tato, pressão-estática glabra e pilosa Bulbos de Krause Mecanoelétrica Aβ Bordas da pele Tato, com as mucosas Folículos pilosos Mecanoelétrica Aβ Pele pilosa Tato Órgãos tendinosos Mecanoelétrica Ib Tendões Propriocepção de Golgi Fusos musculares Mecanoelétrica Ia e II Músculos Propriocepção esqueléticos
  • 21. Receptores Sensoriais Receptores da dor = nociceptores Amplamente espalhados em todos os tecidos, com a exceção do tecido nervoso!! Terminações livres - Térmicos - Mecânicos - Químicos
  • 22. Receptores Especiais - Epitélios sensoriais Receptores especiais: células sensoriais secundárias Célula sensorial secundária nap As células auditivas, vestibulares, gustativas e visuais não são neurônios, mas células epiteliais modificadas capazes de realizar a transdução sensorial (células sensoriais secundárias).
  • 23. UNIDADE SENSORIAL  Campo Receptivo: É a área do corpo que, quando estimulada, produz alteração de descarga elétrica em um neurônio sensorial;
  • 24.  Quanto menor for o campo receptivo, mais preciso será a localização da sensação. A) Localização Campo receptivo B) Intensidade e decurso temporal do estímulo Disparos neuronais Estímulo
  • 26.  No homem, o menor limiar de resolução espacial se encontra nas pontas dos dedos, da língua e na face);  Há uma maior densidade de receptores nas pontas dos dedos, na língua e na face).
  • 27. O Braille é uma escrita em relevo (0,04 cm de largura x 0,06 de Luís Braille (1809-1852) altura) para leitura tátil, inventado Inventor da leitura tátil por Luís Braille (1809-1852). - 63 sinais formados por pontos, a partir de um conjunto matricial. - Distância mínima entre dois pontos: 2mm
  • 28. Por que a representação é distorcida? A distorção nas figuras representativas é proporcional à densidade de receptores sensoriais e de tecido nervoso dedicado ao processamento das respectivas informações .
  • 30. Receptores Cutâneos Os receptores cutâneos medeiam a sensação extereoceptiva. - Dor superficial (lenta e rápida) - Temperatura (frio e calor) - Tato-pressão - Tato-vibração -Coceira ou prurido (ocorre na pele e na mucosa)
  • 31. Os receptores cutâneos são neurônios sensoriais de dois tipos: Terminação Livre Encapsulado
  • 33. Transdução do sinal mecânico em elétrico nos receptores cutâneos
  • 34. Corpúsculo de Pacini Potencial Excitatório de baixa voltagem Área deformada Potencial Receptor Potencial de ação + + + ++ - - - - + + + + + + + ++++ + ++++ + ++++- - - -++ ++ + + Estímulo mecânico Camada de tecido conjuntivo Nodo de Ranvier
  • 35. De acordo com a propriedade adaptativa do receptor, são extraídas outras formas de informações. Meissner RECEPTORES DE ADAPTAÇAO RÁPIDA (FÁSICOS) Fornece informações sobre a variação do estimulo (inicio-fim; velocidade e taxa). Adaptados para Meissner detectarem vibrações e estímulos em movimento. O estímulo está presente, mas o receptor “acusa” como se não estivesse. Merkel RECEPTORES DE ADAPTAÇAO LENTA (TÔNICOS) Informações sobre intensidade e duração. O receptor informa o cérebro continuamente sobre a presença do estímulo. Merkel
  • 36. Classificação dos receptores cutâneos quanto à resposta ao decurso temporal e intensidade do estímulo
  • 37. Receptores de adaptação lenta e rápida Pressão mecânica pêlo Alguns receptores cutâneos se adaptam Fásico rapidamente à presença de estímulos Meissner inofensivos (roupa). Tônico Merkel
  • 38. Mecanorreceptores sensíveis à pressão sanguínea - O fluxo sangüíneo e a pressão são monitorizados pelo corpo através de receptores nervosos, os barorreceptores.
  • 39.  Os barorreceptores respondem a alterações na pressão arterial.
  • 40.  Localização dos barorreceptores Nervo Glossofaríngeo Nervo Vago Barorreceptores Carotídeos Barorreceptores Aórticos
  • 41. Proprioceptores - São receptores responsáveis pelo sentido de posição e movimento do corpo e de suas partes; - Além disso, são estas estruturas que respondem pela percepção do peso dos objetos.
  • 42. Proprioceptores detectam: - Tensão muscular (Órgão tendinoso de Golgi); - Comprimento muscular (Fuso Muscular); - Ângulo articular (desconhecidos). CONTRAÇÃO ISOTÔNICA CONTRAÇÃO ISOMÉTRICA
  • 43. Fusos musculares Órgãos Tendinosos de Golgi - Detectam variações no comprimento - Detectam variações na tensão muscular durante o estiramento e a muscular sobre os tendões (Em contração muscular (Paralelo ás FE). série com as FE).
  • 44. Importante: os outros tipos de receptores serão estudados em aulas específicas acerca dos sistema sensoriais.
  • 45. Assim, os receptores nervosos distribuídos pelo corpo “despertam” inúmeras sensações tanto nos seres humanos ...
  • 46.
  • 47. ....como em outros animais.
  • 48. Principais Referências Bibliográficas BERNE, ROBERT M. & LEVY, MATTHEW N. FISIOLOGIA. RIO DE JANEIRO: Editora Elsevier, 6ª Edição, 2009. SILVERTHORN, DEE U. FISIOLOGIA HUMANA: Uma abordagem integrada. Editora Manole, 2ª Edição, 2004. http://www.blackwellpublishing.com/matthews/channel.html http://www.blackwellpublishing.com/matthews/nmj.html http://www.blackwellscience.com/matthews/actionp.html http://www.blackwellpublishing.com/matthews/neurotrans.html
  • 49. “Mais que escassez de meios, há miséria de vontade. Para a obra científica, os meios são quase nada e o homem é quase tudo” Ramón Y Cajal