SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
78 - Setembro / Outubro 2019 | ANO 13
w w w . s i n d i m e t a l r s . o r g . b r
D
e forma cada vez mais latente, ouvimos falar da evolução
constante, exponencialmente rápida, com que as
mudanças cotidianas vêm ocorrendo, trazendo consigo
desafios pessoais e profissionais. É um caminho sem volta, uma
roda movida por uma energia cinética gigantesca em aceleração.
Inserem-se neste cenário desafiador não somente as nossas
empresas, mas sim todos os pilares da sociedade: famílias,
escolas, entidades, empresas, governo, dentre outros.
Pensando nesta dinâmica tecnológica e evolutiva, nos colocamos
a refletir: - qual o tipo de profissional que necessitaremos e/
ou teremos em nossas organizações em cinco ou dez anos?
Quando, de acordo com as expectativas ou necessidades de cada
um, tivermos a resposta, faz-se outra pergunta: - de que forma
estamos formando e qualificando nossas crianças e jovens para
serem os profissionais do amanhã?
Baseado neste contexto, da formação humana e profissional
com visão futura, destacam-se com louvor as Feiras de Ciências
e Mostras Científicas, promovidas em escolas ou eventos
maiores, reunindo diversos estabelecimentos de ensino de
uma região, Estado, País ou até do globo, onde alunos desde a
Educação Infantil, do Ensino Básico à jovens do Ensino Médio
têm a oportunidade desafiadora de apresentarem seus projetos
de pesquisa, inovação, seja na área da saúde, meio ambiente,
engenharias ou soluções que melhorem o cotidiano.
A apresentação pública dos trabalhos contribui para o aumento do
potencial criativo e realizador do jovem, além da intensificação das
interações sociais, favorecendo o desenvolvimento cognitivo. De
forma mais objetiva, as Feiras de Ciências promovem importantes
benefícios aos jovens, como: 1) Crescimento pessoal e ampliação
das vivências; 2) Ampliação da capacidade comunicativa; 3)
Desenvolvimento da iniciativa, atitude e trabalho em equipe;
4) Exercício da criatividade, planejamento e execução; 5)
Desenvolvimento do senso crítico e da capacidade de avaliação.    
A sociedade vive, hoje, com excesso de informação, de opinião,
muitas ideias, mas pouca prática, pouca fundamentação e
consistência crítica. Estas feiras científicas obrigam o jovem a
pensar, sair da rotina óbvia de suas atribuições. São desafiados a
ter um propósito; passam por uma sabatina de questionamentos.
Certamente, serão profissionais mais capazes e preparados para
encararmelhoradinâmicadiáriaemnossasempresas,enfrentando
os problemas ou situações diárias como desafios e oportunidades
de melhoria, oportunidades de evoluir, seja em gestão, operação,
processos, produtos ou serviços. Teremos então um profissional
capaz de assumir maiores responsabilidades, liderança com visão
no amanhã.
As escolas do SESI têm se desenvolvido muito bem com seus
métodos de ensino inovadores, pensando na educação do futuro,
preparando os alunos para a indústria 4.0 e com fundamental
participação ativa dos pais na formação. Projetos desenvolvidos
nas salas de aula do SESI estão tendo a oportunidade de serem
apresentados ao público em diversos eventos científicos, como
por exemplo na Feira SESI Com@Ciência, ocorrida no início de
outubro, na FIERGS.
Vários trabalhos de alunos do SESI-SENAI têm sido premiados
mundo afora. Isto é fantástico, entusiasma e motiva, promove o
desenvolvimento humano, social e tecnológico, afinal, estamos
formando pessoas melhores. Isto precisa continuar, pois tem
espaço e necessidade para mais.
Através da promoção de ações concretas como estas,
alcançaremos de forma mais rápida e eficaz os avanços
necessários para que as indústrias nacionais possam receber
profissionais mais qualificados e preparados e assim tornarem-se
mais competitivas, através do ganho de eficiência, produtividade
e tecnologia.
Temos um longo e difícil caminho para percorrer. A sociedade,
os empresários e o governo têm enorme responsabilidade para
promover esta transformação. Não há tempo a perder.
O SINDIMETAL, como entidade representativa da indústria,
tem papel significativo, apoiando as escolas ou entidades que
os promovem, principalmente os jovens com suas iniciativas
criativas e inteligentes.
Uma oportunidade de participar está na nossa porta. Agora, na
penúltima semana de outubro, ocorre a Mostratec, em Novo
Hamburgo. Um dos maiores eventos do País neste segmento da
iniciação científica. Um trampolim para diversas outras feiras no
mundo, incluindo a INTEL – ISEF nos Estados Unidos, a maior de
todas. Pois o SINDIMETAL está realizando a sua reunião mensal
da diretoria, no dia 24 de outubro, em Novo Hamburgo, em
virtude deste evento. Na oportunidade, as respectivas lideranças
visitam a Mostratec e prestigiam esta importante feira.
Os modelos tradicionais de ensino precisam ser repensados,
repaginados, saindo da superficialidade atual para um plano
mais amplo, baseado em uma visão de necessidade futura,
ampliando a execução dos ‘cases de sucesso’ na educação.
Nada fácilem um País com tantas adversidades sociais. Mas, com
foco, segmentação das atividades, de acordo com o potencial da
região, recursos e gestão profissional das escolas, certamente
teremos evolução e melhores profissionais no amanhã.
JOVENS
MAIS PREPARADOS
PARA O FUTURO
PONTO DE VISTA
02
Vice-Presidente do SINDIMETAL RS
Vitor Fabiano Ledur
Os modelos tradicionais de ensino precisam
ser repensados, repaginados, saindo da
superficialidade atual...
E
ste ano tem sido intenso para
as empresas e também para o
SINDIMETAL. Uma economia
que busca se fortalecer e a corrida por
acompanhar as mudanças, que chegam a
todo momento, fazem parte da realidade
de tantos ou de quase todos. Uma certeza:
aprender com os desafios e avançar
sempre.
Iniciamos esta edição do ESPAÇO com
um artigo, na coluna Ponto de Vista,
assinado pelo vice-presidente Vitor
Ledur, que registra, oportunamente,
a importância da educação e dos
projetos de pesquisa e inovação. Um
assunto sempre atual, que merece ser
acompanhado de perto. Na página 04,
o destaque é a reunião de diretoria,
desta vez em Sapiranga, ampliando e
solidificando a relação com lideranças
da região.
Uma proposta, inédita no Rio Grande do
Sul, mediante a sugestão de concessão
de benefício tributário ao contribuinte, foi
apresentada na Prefeitura Municipal de
São Leopoldo. A matéria sobre o Imposto
Verde, sugerido pelo SINDIMETAL, e que
é destaque na capa desse informativo,
pode ser conferida na página 05.
Ampliando serviços e o atendimento
às empresas, foi inserida, na lista
de serviços, a assessoria Jurídica
Previdenciária. Fique por dentro da
novidade, lendo a página 06, onde
também a assessoria em Controladoria e
Contabilidade oferece mais duas opções
de atendimento.
Confira, na página 07, o encerramento
do programa piloto de Aceleração de
Marketing Digital na Indústria, que teve
um saldo positivo. Leia também, nas
páginas centrais, sobre dois eventos
que mobilizaram diversas empresas e
propiciaram networking e oportunidades
de negócios.
Os Grupos Estratégicos e de RH seguem
desenvolvendo assuntos específicos,
sempre em busca de soluções para
questões pertinentes às empresas. Na
página 10, acompanhe as atividades
realizadas. Na sequência, nas páginas
11, 12 e 13, os artigos Técnico Ambiental,
Jurídicos Trabalhista e Tributário
apresentam temas atuais, que seguem
interessando a categoria metalmecânica.
E, nas páginas 14, 15 e 16, estão em
destaque empresas associadas, que
seguem firmes e determinadas em
crescer e evoluir sempre, no segmento
em que atuam.
Muita inspiração e realizações a todos.
Boa leitura e até a próxima edição!
Avançando sempre!
SINDIMETAL RS
Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico e Eletrônico de São Leopoldo
PRESERVE O MEIO AMBIENTE
Rua José Bonifácio, nº 204 - 5º andar - Centro das Indústrias - São Leopoldo/RS - Fone (51) 3590.7700
editorial
Diretor Executivo: Valmir Pizzutti
Relacionamento Institucional: Andrea Maganha
Redação: Jornalista Neusa Medeiros (Mtb 5062)
Informativo bimestral
Tiragem: 1.500 exemplares
Circulação: gratuita e dirigida
Edição e Produção: Edição 3 Comunicação Empresarial Ltda.
Gráfica: Impressos Portão Ltda.
Fotos: divulgação
Trabalhos assinados são de responsabilidade de seus autores.
relacionamento@sindimetalrs.org.br
www.sindimetalrs.org.br
ÍNDICE
EXPEDIENTE
PRESIDENTE
Sergio de Bortoli Galera
VICE-PRESIDENTES
Arno Tomasini
Jean Carlo Peluso
Sofia Copé Heller Michel
Valdir Luiz Huning
Vitor Fabiano Ledur
Volker Lübke
SECRETÁRIO
Roberto Petroll
TESOUREIRA
Caroline Capelão Vargas
CONSELHO FISCAL - TITULARES
Alexandre R. dos Santos
Luiz Antônio Gonçalves
Rubén Antônio Duarte
CONSELHO FISCAL - SUPLENTES
Andrea P. Gremes Pereira
Gustavo Geremia
Mauro Fernando Dutra
DELEGADOS REPRESENTANTES
JUNTO À FIERGS
TITULARES
Raul Heller
Sergio de Bortoli Galera
SUPLENTES
Volker Lübke
Arno Tomasini
DELEGADOS REPRESENTANTES
Estância Velha/ Dois Irmãos/
Ivoti:
Marcelino Leopoldo Barth
Esteio / Sapucaia do Sul:
Juliano Ilha
Morro Reuter:
Ronei Feltes
São Sebastião do Caí/
Montenegro:
Vitor Fabiano Ledur
Sapiranga:
Emilio Neuri Haag
Vale Real:
Roberto Petroll
DIRETORIA | GESTÃO 2019 - 2021
02 - PONTO DE VISTA 10 - AÇÃO
08 e 09 - AÇÃO 16 - VITRINE
05 - INSTITUCIONAL 13 - JURÍDICO TRIBUTÁRIO
06 - SERVIÇO / AÇÃO 14 - MERCADO
07 - AÇÃO / INSTITUCIONAL / SERVIÇO 15 - MERCADO
03 - EDITORIAL 11 - TÉCNICO AMBIENTAL
04 - INSTITUCIONAL 12 - JURÍDICO TRABALHISTA
DIRETORES
Adilso Klaus
Christine Lange
DanielCarlos Pereira
Darlan Geremia
Emílio Neuri Haag
Juliano Ilha
Leonardo Pedroso Filho
Marcelino Leopoldo Barth
Marcelo Mariani
Pedro Paulo Lamberty
RobertoAlexandre Schroer
Roberto Dauber
Ronei Feltes
Sandro Morais Nogueira
UdoWondracek
w w w . s i n d i m e t a l r s . o r g . b r
04
institucional
BOLETIM SOCIOECONÔMICO DA ACIST
REUNIÃO DE DIRETORIA EM SAPIRANGA
APROXIMA ASSOCIADOS E FILIADOS
Ocorreu, no dia 27 de agosto, a apresentação da quarta edição
do Boletim Socioeconômico Trimestral da Associação Comercial,
Industrial, de Serviços e Tecnologia de São Leopoldo (ACIST-
SL). O diretor Executivo, Valmir Pizzutti, esteve presente e fez um
relato histórico sobre a indústria metalmecânica no município.
Salientou, a importância de incentivos e da união de esforços para o
desenvolvimento local.
Na ocasião, foi realizado um levantamento completo sobre a
evolução do emprego e renda em São Leopoldo. Fernando Ribas,
vice-presidente de Indústria da Associação e coordenador do
Boletim, abordou sobre o Desenvolvimento Econômico de São
Leopoldo. O painel contou com a presença do secretário Municipal
de Desenvolvimento Econômico, Turístico e Tecnológico, Rafael
Souza; presidente da CDL, Olinto Menegon; e diretor executivo do
SINDIMETAL RS, Valmir Pizzutti.
O Boletim Socioeconômico é uma publicação trimestraldesenvolvida
pela ACIST-SL, com o objetivo de divulgar os indicadores de
São Leopoldo. A cada edição, além dos dados econômicos, são
apresentadas informações sobre um bloco temático: Educação,
Segurança, Saúde e o Desenvolvimento da Cidade. A pesquisa das
informações é realizada com o apoio do Núcleo de Excelência –
Competitividade e Economia Internacional, da Unisinos. O Boletim é
patrocinado pelas empresas Frontec, Stihl e Vila Rica.
O Banco de Alimentos Vale do Sinos, inaugurado em São Leopoldo,
no dia 11 de setembro de 2008, objetiva combater a desnutrição e a
obesidade nas instituições, que atendem às comunidades carentes
da região, elevando assim os níveis de saúde, bem-estar, respeito,
dignidade e inclusão social das pessoas atendidas.
Durante estes 11 anos, o Banco deAlimentosVale do Sinos beneficiou
199 instituições, 15.911 pessoas, totalizando 1.829.590 Kg/ litros.
Neste ano, até o mês de agosto, foram contabilizadas 58 instituições
ativas, que atenderam 5.501 pessoas e arrecadaram 32.878 Kg/ litros.
Em termos de valor, a arrecadação soma R$4.573.975,00, além de
todos os benefícios oferecidos às comunidades relativos às ações
educativas em saúde e nutrição, voltadas à segurança alimentar e
nutricional das mesmas.
Os Bancos Sociais são uma iniciativa do sistema FIERGS, através
da Fundação Gaúcha dos Bancos Sociais. O Banco de Alimentos
Vale do Sinos é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse
Público (OSCIP), formado pelos municípios de São Leopoldo, Portão,
Sapucaia do Sul e Esteio.
O SINDIMETALRS, juntamente com outras entidades representativas
e empresas, é um de seus fundadores, além de mantenedor. O Pe.
Idinei Augusto Zen, da Unisinos – Associação Antônio Vieira, assumiu
o cargo de diretor-presidente e responde pela atual gestão iniciada
em julho de 2018 e que se estenderá até junho de 2020.
O trabalho é gigantesco para multiplicar alimentos e doações. A
dedicação dos voluntários, que auxiliam em todas as frentes, e
as inúmeras campanhas de arrecadação de alimentos, somados
ao Sábado Solidário, são fundamentais para manter os estoques
compatíveis com tamanha demanda.
Que o desejo de fazer acontecer e realizar acompanhe sempre
esta organização, que reúne tantas pessoas, de diferentes áreas
de atuação, visando o bem comum. Cumprimentos às empresas
envolvidas, aos grupos voluntários e às instituições parceiras, que
fazem parte desta história.
Sob a coordenação do vice-presidente,
Volker Lübke, que na ocasião esteve
representando o presidente, Sergio Galera,
ocorreu, dia 22 de agosto, uma nova edição
da reunião de diretoria, na base da entidade.
O encontro teve lugar no CAT SESI, em
Sapiranga, antecedendo o 17º Encontro de
Negócios On The Road (veja cobertura na
página 09).
A iniciativa, que no dia 27 de junho também
foi realizada em Montenegro, objetivou
ampliar a aproximação e solidificar a relação
da entidade com lideranças da respectiva
região. Prestigiaram a reunião, além de
integrantes da diretoria, os empresários
Adelar Ribeiro – Refund; Ariberto Wagener
– Metalsinos, Leonardo Borges – Pramel e
Mateus Aumondi – Formaf.
O diretor Executivo, Valmir Pizzutti,
após saudar os participantes, realizou a
apresentação institucional do SINDIMETAL
RS, destacando as ações que vêm sendo
efetivadas em prol da categoria econômica.
O vice-presidente Volker, agradeceu a
presença de todos e conduziu os itens
da pauta, enfatizando a importância de
fortalecerarepresentatividade,aumentando
a participação do empresariado nas
atividades da entidade. Na ocasião,
integrantes da diretoria, representando os
Grupos Estratégicos, realizaram relatos dos
projetos em andamento, sensibilizando os
associados e filiados a aderirem. Confira a
matéria completa na página 10.
Pizzutti aborda sobre o setor metalmecânico
11 anos do Banco de
AlimentosVale do Sinos
s i n d i m e t a l @ s i n d i m e t a l r s . o r g . b r
05
INSTITUCIONAL
SINDIMETAL RS apresenta proposta de projeto
IMPOSTO VERDE PARA SÃO LEOPOLDO
A diretoria do SINDIMETAL RS, representada
pelo presidente Sergio Galera, entregou
oficialmente, dia 05 de setembro, ao prefeito
Ary Vanazzi, uma proposta de Projeto de Lei,
para instituir no município o Imposto Verde.
A proposta, inédita no Rio Grande do Sul,
objetiva fomentar medidas que preservem,
protejam e recuperem o meio ambiente,
mediante a concessão de benefício
tributário ao contribuinte. O Imposto
Verde, sugerido pelo SINDIMETAL RS,
beneficiaria, com descontos em tributos
municipais, especialmente o Imposto Predial
e Territorial Urbano (IPTU), proprietários de
imóveis residenciais e não residenciais, que
adotem medidas pontuadas no respectivo
documento, impactando positivamente junto
ao meio ambiente.
A iniciativa, de acordo com o presidente
da entidade, visa contribuir para que o
município seja mais sustentável, com o
apoio das indústrias. “Temos ‘cases’ positivos
em outros Estados, como Santa Catarina,
São Paulo e Espírito Santo, e certamente
será um ganho enorme para toda a
comunidade incentivarmos ações voltadas
à sustentabilidade, que poderão gerar maior
desenvolvimento econômico e social, além
de reduzir gastos para a administração
pública”, comenta.
Para o prefeito a ideia vai ao encontro dos
projetos pensados para a cidade. ”Somos
o coração da região, temos toda a vontade
de desenvolver ações sustentáveis, que
combinem desenvolvimento econômico
com qualidade de vida”, afirma. Após ouvir
o detalhamento da proposta, o prefeito
sugeriu criar um grupo de trabalho, com
representantes das secretarias municipais e
técnicos do SINDIMETAL RS, para aprofundar
o tema e estudar a viabilidade do projeto.
“O mundo está atento às questões relativas
ao meio ambiente e, neste momento,
precisamos da ajuda de todos para que o
tema sustentabilidade seja vivido na prática
e receba o cuidado que merece”, reforça o
presidente Sergio Galera.
Participaram da reunião, os secretários Geral
de Governo, Marcel Frison; da Fazenda,
Eduardo Petters; do Meio Ambiente, Darci
Zanini; de Desenvolvimento Econômico,
o adjunto Mário Rosito; além do diretor
de Planejamento e Gestão Ambiental, da
Semmam, Joel Garcia. O SINDIMETAL RS
também contou com a presença do diretor
Executivo, Valmir Pizzutti; advogados
Eduardo Gaelzer e Fernando Garcez, da
assessoria Jurídica; engenheira Química,
Ana Curia, da assessoria Técnica Ambiental;
Mari Lúci de Oliveira e Andrea Maganha,
ambas integrantes da equipe executiva da
entidade.
Mantenha a sua CONEXÃO com o SINDIMETAL RS interagindo
com a agenda de atividades, atualizando seus dados e garantindo
um maior engajamento com a entidade, associados e filiados.
O CANAL está ABERTO! Temos um espaço à disposição
dos empresários, para que se manifestem sobre assuntos,
que contribuam para o desenvolvimento da indústria,
interagindo assim com a instituição, que os representa.
Aguardamos o seu contato!
Participar das atividades do SINDIMETAL RS
é uma oportunidade de fortalecer e dar visibilidade
para a sua empresa. Faça parte!
Fone: (51) 3590-7707 l e-mail relacionamento@sindimetalrs.org.br
Pizzutti, Galera e Vanazzi
w w w . s i n d i m e t a l r s . o r g . b r
06
JURÍDICO PREVIDENCIÁRIO
À DISPOSIÇÃO DAS EMPRESAS
Controladoria e
Contabilidade amplia serviços
SERVIÇO / AÇÃO
Com o objetivo de
proporcionar opções
para atender sempre
mais e melhor as empresas
associadas e filiadas, desde o dia 1º de
outubro, o SINDIMETAL RS inseriu na sua
lista de serviços a assessoria Jurídica
Previdenciária. A mesma é realizada
pela Toffoli Assessoria e Consultoria,
representada pela advogada Jucemara
Toffoli, com sede no Centro das Indústrias,
rua José Bonifácio, nº 204, 6º andar - sala
602 B, em São Leopoldo.
O atendimento inicial às empresas
associadas e filiadas é realizado sem custo,
com o objetivo de assessorar e conduzir
de forma mais eficaz o planejamento
previdenciário, tanto das empresas
Aassessoria em Controladoria e Contabilidade, a cargo da Colombo
Consultoria Empresarial Ltda, atende as empresas associadas
e filiadas, sem custo inicial, com o objetivo de oferecer um novo
cenário ao empresário em relação ao seu negócio. A boa nova é
que, a partir de agora, foram agregados aos serviços já oferecidos,
mais duas opções de atendimento.
Os interessados poderão contar com assessoria e orientações com
relação a Recuperação deTributos (Desenvolvimento de Auditoria
como de seus funcionários. Os serviços
oferecidos, mediante contratação, de
acordo com os interesses das empresas,
objetivam viabilizar a concessão de
benefícios previdenciários (mormente
aposentadorias) aos seus colaboradores.
Consiste na pesquisa e/ou análise de
documentos pertinentes a históricos
previdenciários de seus colaboradores,
buscando evitar passivos trabalhistas,
resolução de situações, que envolvam
as empresas junto à Previdência Social,
além de planejamento previdenciário do
quadro de funcionários, objetivando evitar
possíveis demandas judiciais.
O atendimento é realizado no escritório,
ou diretamente nas empresas, caso
necessário, mediante agendamento.
em Crédito de Impostos, como ICMS, PIS, COFINS, IPI e outros).
Também, Impostos de Renda e CSSL (Cálculo da alternativa
mais econômica entre o Lucro Real, Lucro Presumido ou Simples
Nacional, baseado nos dados contábeis existentes na empresa.
Interessados em mais informações sobre os serviços de
Controladoria, Contabilidade e Assessoria Administrativa
poderão contatar, através dos telefones: (51)  3066.9907, 3066
.9908 e 3066.9930.
Agenda em pauta
Maisinformações:(51)3590-7707,3590-7708ou3590-7710.
Programaçãosujeitaàalteração.Agendaon-lineem:www.sindimetalrs.org.br
27 DE OUTUBRO - 9ª Corrida Rústica
e 6ª Caminhada do Trabalhador
30 DE OUTUBRO - Palestra LGPD - Lei Geral de
Proteção de Dados, sua empresa está preparada?
11 DE NOVEMBRO - Palestra 2020 e Além - Como
a tecnologia e a mudança de comportamento
afetam seu negócio?
18 DE NOVEMBRO - Curso de CIPA
18 DE NOVEMBRO - Workshop #1 – Quem
é o nosso cliente hoje?
27 DE NOVEMBRO - Workshop #2 - Planejamento
Tático Comercial
02 DE DEZEMBRO - Workshop #3 - Marketing de
Relacionamento
13 DE DEZEMBRO - Curso EFD-REINF e a
DCTFWeb 2019
VALORES DIFERENCIADOS PARA
ASSOCIADOS E FILIADOS
Telefones:
(51) 3783-0965 ou 9.8212.0320.
s i n d i m e t a l @ s i n d i m e t a l r s . o r g . b r
07
Encerramento do Piloto de
Aceleração de Marketing Digital
AÇÃO / INSTITUCIONAL / SERVIÇO
Com a meta de acompanhar as mudanças
tecnológicas e ampliar conhecimentos no
universo digital, foi desenvolvido, junto
ao Planejamento de Marketing Digital,
do SINDIMETAL RS, o programa piloto
de Aceleração de Marketing Digital na
Indústria. Esta primeira fase atendeu as
empresas Artestampo, Belton, CCV,
Gedore, Grefortec, Ifla, Infasul, Itecê,
Mariani Metais e Spheric.
O encerramento do piloto ocorreu no
dia 24 de setembro, com um encontro
entre os representantes das empresas
participantes. O programa teve início
em abril e contou com uma consultoria
especializada e uma agenda diversificada,
com vistas a impulsionar o marketing
digital junto às empresas, relatou o diretor
Executivo do SINDIMETAL RS, Valmir
Pizzutti. “O futuro da indústria está aqui.
Parabéns aos participantes, que aderiram
a este projeto piloto e que desejam
manter a chama do marketing digital
pulsando e trazendo benefícios para as
suas empresas”, afirma.    
Este propósito também está sendo
vivido pelo SINDIMETAL RS, que vem
qualificando a equipe. Além de lançarmos
um novo site e a Newsletter, já estamos
presentes também no LinkedIn. “Todas
estas iniciativas contribuem para
aperfeiçoar o processo de comunicação
e aproximação com as empresas
associadas e filiadas”, enfatiza Pizzutti.
“Desejamos que conheçam e percebam o
valor das ações e atividades da entidade,
promovendo assim a manutenção do
relacionamento, aumentando igualmente
o seu envolvimento”.
O relatório final foi apresentado e entregue
individualmente para todos, por Ariane
Feijó, diretora Executiva da Otimifica, que
desenvolveu a respectiva consultoria. O
trabalho foi realizado de acordo com o
índice de maturidade do marketing digital
das empresas, incluindo igualmente
workshops presenciais e consultoria
personalizada.
SALDO POSITIVO – Segundo Ariane, o
objetivo geral era auxiliar as associadas
a utilizar plenamente as metodologias
ágeis do marketing digital. “Nesta direção,
foram mais de 200h, que o SINDIMETAL
RS dedicou ao programa, que incluíram
consultorias presenciais e online para
as empresas, além de workshops”,
afirma. “Todos evoluímos muito com este
aprendizado, que trouxe ganhos incríveis
para a entidade, participantes e para
toda equipe”. Houve um crescimento
e um saldo positivo diante do Google,
com resultados aparentes, colocando
um ‘holofote’ na gestão das empresas”,
assegurou igualmente Thiane Ávila, da
Otimifica.
O entendimento sobre marketing digital,
que inclui a importância da definição da
persona, jornada, análise de mercado
digital, funil e SEO; implantação do blog
nos sites e produção de conteúdo, foram
os marcos de sucesso do programa.
Para o vice-presidente da entidade e
incentivador da iniciativa, Valdir Luiz
Hüning, diretor da associada Sebras,
“os resultados obtidos até o momento
confirmam a importância deste modelo,
para divulgarmos ainda mais as empresas,
seus produtos e serviços, além de
alavancarmos as vendas”. Igualmente
o diretor da Infasul, Nelso Fagherazzi,
registrou um agradecimento à entidade
pela iniciativa oportuna, que veio ao
encontro das nossas necessidades,
aplicando um programa sensível às
dificuldades de cada empresa”.
O próximo passo, segundo adiantou
Pizzutti, será elaborarum novo cronograma
de atividades visando dar prosseguimento
à presença otimizada na Internet. “As
empresas já confirmaram o interesse em
continuar ampliando os conhecimentos
necessários para manter e ampliar o
Índice de Maturidade de Marketing Digital
atingido durante o Programa”. Em breve,
teremos mais novidades sobre o assunto.
Interessados em conhecer mais sobre o
Programa deverão entrar em contato com
a entidade através do fone (51) 3590-7707
ou e-mail relacionamento@sindimetalrs.
org.br.
Ampla infraestrutura à disposição dos associados, filiados e parceiros, na sede do SINDIMETAL RS,
junto ao Centro das Indústrias, em São Leopoldo.
Diferentes opções para locação, disponíveis para atividades com foco empresarial.
Consulte o site ou contate: (51) 3590-7708.
Locação de espaços num ambiente diferenciado
Participantes e equipe
w w w . s i n d i m e t a l r s . o r g . b r
08
Networking e oportu
AÇÃO
Numa iniciativa do SINDIMETAL RS, em
parceria com o SEBRAE, ocorreu a missão
empresarial à feira Mercopar, incluindo visita
técnica à empresa Randon, nos dias 02 e 03
de outubro, em Caxias do Sul.
A programação, no turno da manhã, foi
destinada a visita técnica na Randon, maior
fabricante de reboques e semirreboques da
América Latina.
A segunda etapa da visita na Randon foi
realizada no estande do Espaço Hélice, cuja
empresa é uma de suas mantenedoras. Os
integrantesestiveramnoestandeHélice,local
dentro da respectiva feira, para conhecer a
sua organização. O Espaço Hélice acredita no
potencial da união entre empresas e startups
para resolver problemas reais e gerar valor
na cadeia, reunindo inovação e excelência
operacional.
O turno da tarde foi reservado para a
visitação na Mercopar. A tradicional Feira
de Subcontratação e Inovação Industrial
oportuniza às empresas um ambiente
propício para a realização e encaminhamento
denegócios,bemcomotrocadeinformações,
sendo palco apropriado para a apresentação
de lançamentos em produtos e serviços.
A feira apresentou novidades e tendências
nos setores metalmecânico, eletroeletrônico,
automação, movimentação e armazenagem
de materiais, serviços, borracha, plásticos,
energia e meio ambiente, Tecnologia da
Informação (TI), startups, entre outros, no
período de 1º a 03 de outubro.
Nesta edição, empresas associadas e filiadas
ao SINDIMETAL RS, contaram com 10% de
desconto, nas áreas dos estandes, em vista
da parceria estratégica com o SEBRAE RS
e a Federação das Indústrias do Estado do
Rio Grande do Sul (FIERGS), organizadores
da feira. Estiveram presentes, com estandes
próprios, as seguintes associadas: CCV,
ERPS,Metalmoto,Pramel,SebraseSpheric.
EXPERIÊNCIA - Segundo o empresário
Alexandre Santos, da Sanlarte, “a feira
Mercopar, a partir do ingresso da FIERGS,
tornou-se um evento atrativo e proveitoso”.
Também registra que o SINDIMETAL,
com a visita na Randon, proporcionou aos
associados uma oportunidade rara, pois
“tivemos um momento de conhecimento
sobreoutrosmercados”.Avaliacomotimismo
que, em 2020, a Mercopar certamente
irá atrair novos grandes expositores,
capitalizando assim ótimos negócios.
Para Milena Pedroso, da Transmaq,
oportunidades como esta são fundamentais
para entender, na prática, como as indústrias
estão se organizando no atual contexto.
Missão Empresarial Mercopar com
visita técnica à Randon
“A velocidade das mudanças e demandas
do mercado exigem que nossas empresas
estejam atualizadas e troquem práticas para
sermosmaiscompetitivos,inovadoreseágeis
nastomadasdedecisão.Conheceraestrutura
organizacional, as linhas de produtos, os
programas internos e o processo produtivo
daRandonfoimuitoproveitoso”,avaliaMilena.
“Visualizamos oportunidades de melhorias
internas, que podem ser aplicadas no curto
prazo, como programas participativos, que
visam reduzir custos e engajar a equipe,
aumentando a produtividade”. Um dos
momentos mais curiosos foi a apresentação
da Hélice, que iniciou com quatro empresas
da região, que buscavam soluções externas
para problemas comuns. “É um movimento
muito interessante, por aproximar as startups
da indústria, visando tornar o segmento
mais inovador, além de reduzir custos e
compartilhar experiências e resultados”,
afirma.
“Queremos crescer, inovar, aumentar
nossa participação de mercado, sermos
mais produtivos, entregar soluções mais
completas e com menor custo aos nossos
clientes e para isso precisamos pensar
fora da caixa, visitar empresas, ouvir cases,
compartilhardoreseagirnocoletivo”,justifica.
“As trocas que fizemos e vivenciamos,
contribuíram para o aprendizado e insights,
que nossas empresas precisam. Obrigada
SINDIMETAL RS por proporcionar esta
missão!”
Segundo o engenheiro  Tiago Simioni,
supervisor de Engenharia, da Delga -
Unidade São Leopoldo, é sempre muito
importante visitar empresas tidas como
referência. “O sistema de produção,
segurança,RHedeculturaLeanemprocesso
contínuo e maturado, nos ajuda a ter ideias
de implementação em nossa realidade fabril.
Serve também de termômetro e tendência
de mercado”, analisa Tiago. 
Quanto ao Espaço Hélice é um bom exemplo
de empresas que estão maturando juntas o
processo de compartilhamento de soluções,
para redução de custos, com o incremento e
fomento em startups.
Com relação a visita à Mercopar, Tiago afirma
que atualização e contatos sempre precisam
ser fomentados e a Mercopar nos permite
isso. “Este ano a feira estava muito conectada
com as tendências de compartilhamentos
e novas interações com startups e indústria
4.0. A feira deixou claro que as empresas/
fornecedores estão cada vez mais focadas
em competitividade e redução de custos,
agregando valor ao cliente”.
s i n d i m e t a l @ s i n d i m e t a l r s . o r g . b r
09
nidades de negócios
AÇÃO
Presente em Sapiranga, o SINDIMETAL RS promoveu, pela primeira
vez no município, um Encontro de Negócios, com a expectativa
de gerar oportunidades e novos contatos para os gestores das
empresas compradoras e vendedoras. O destaque foi enfatizado
pelo diretor Executivo, Valmir Pizzutti, ao saudar os presentes, no
dia 22 de agosto, onde salientou a importância da entidade estar
presente efetivamente junto à sua base territorial. A atividade teve
lugar no CAT SESI, no turno da tarde, e contou com a parceria
do SEBRAE RS.
Antecedendo este evento, aconteceu no local a reunião de diretoria
do SINDIMETAL RS. Confira detalhes na página 04.
O  17º Encontro de Negócios On The Road  reuniu diversas
empresas vendedoras e as seguintes compradoras:  Box
Print, Box Print Microondulados e New Print;  BR
Milk, Kondak, Infasul, Inpel, Metalsinos, Sulpol, Unique, Werk-
Schott e Zero Hora.
Atradicionalatividade busca promovero encontro entre pequenas e
grandes empresas, para contatos e efetivação de negócios, através
de reuniões focadas na cadeia metalmecânica e eletroeletrônica.
MESASDENEGOCIAÇÃO– Aatividadeédinâmicaetemcontribuído
para a aproximação das empresas com interesses comuns, bem
como a otimização do tempo dos participantes. O formato é de
Arena, que consiste em reuniões com apresentação de empresas
entre si, de forma simultânea. Apenas um representante de cada
empresa inscrita circula na arena no período do evento.
DEPOIMENTOS – A associada Inpel, que esteve representada por
Lucas Azevedo Vieira Marques, do setor de Compras de Indiretos,
participou pela terceira vez desta iniciativa como compradora.
“É muito interessante, pois temos a possibilidade de ampliar os
contatosnaregião,alémdesermosconhecidosporoutrasempresas
do segmento”, afirma. “Os contatos aumentam significativamente
e assim temos a chance de finalizar alguma compra ou mesmo
alinhar novos negócios, que poderão ser efetivados”.
Tecnomess - Milton Müller, gerente Comercial, esteve no
evento como vendedor. “Este formato é muito dinâmico e as
apresentações são objetivas, além de mais abrangentes, do que no
formato tradicional, pois o alcance é maior tanto para vendedores
quanto para compradores”, enfatiza. Como as apresentações
são rápidas e mais precisas a rede de contatos é ampliada com
Encontro On The Road, em Sapiranga, fomenta negócios na região
mais velocidade, assegura. “No momento atual o mercado segue
parado, mas devemos buscar a melhoria e novas oportunidades de
conhecer fornecedores em potencial, efetivar vendas ou mesmo
agendar visitas, onde novas portas possam se abrir para a empresa”.
Milton também elogiou o trabalho do SINDIMETAL RS e do SEBRAE,
entidades envolvidas nesta atividade, que estão sempre atentas ao
mercado e buscam alternativas para o crescimento do setor.
Metalsinos - A empresa compradora, representada por Fabiano
Alves de Freitas, do setor de Compras, participou pela primeira vez
do evento neste formato. “Foi muito bom.Aprovei 100% o dinamismo.
A interação é evidente, pois todos têm oportunidade de apresentar
a sua empresa”, destaca. Além disto, enfatizou a diversificação de
empresas e serviços, o que tornou o evento ainda mais atraente.
“Acredito que 40% das empresas apresentadas têm possibilidade
de novos contatos e quem sabe efetivar parcerias. Mesmo no
geral algumas não sendo diretamente do setor, achei interessante
conhecê-las mais de perto, pois amplia o leque de oportunidades.
Boa iniciativa, com certeza!”, enfatizou.
Infasul - Diônata Santos da Veiga, representou a respectiva
compradora, pela primeira vez, neste evento. “Este formato é muito
válido, pois novas empresas foram apresentadas com possibilidade
de efetivarmos negócios”, afirma. “Numa tarde seria impossível
agendarmos com tantas empresas e com esta dinâmica foi possível
otimizarmos o tempo e conhecermos possíveis fornecedores”.
Pramel - Leonardo Borges Borba, do setor de Vendas, participou
também pela primeira vez do Encontro de Negócios. “Como
empresa vendedora foi desafiador, pois no dia a dia encontramos
entraves para efetivar várias agendas num mesmo dia, ainda mais
com possibilidade de futuras parcerias”, destaca. “Também foi
importante reencontrar antigos clientes, que deram retorno positivo
sobre o nosso trabalho, durante as apresentações. Certamente
desejo participar de novas edições”.
Sanlarte - Para o diretor Alexandre Santos, a experiência, a cada
edição, é sempre muito positiva. “Temos oportunidade de conhecer
empresas, que ainda não havíamos contatado, reencontrar outras,
que já tivemos relações comerciais, além da possibilidade de
efetivarmos negócios. E o mais interessante é que isto independe
de ser vendedor ou comprador. As oportunidades de evoluir para
uma contratação são muitas, sem falar da otimização do tempo,
focado em resultados. Sempre afirmo: se queres ser reconhecido
pelo mercado, vá para o mercado”.                 
Foto:RafaelCavalli
w w w . s i n d i m e t a l r s . o r g . b r
Grupos Estratégicos
e de RH em movimento
Os Grupos Estratégicos do SINDIMETAL seguem se fortalecendo,
comafinalidadededesenvolverassuntosespecíficos,quebuscam
soluções para as empresas, alinhadas com o planejamento
estratégico da entidade. Aproximadamente 40 empresas estão
engajadas nesta iniciativa.
Os Grupos Estratégicos têm pauta fixa nas reuniões de diretoria,
favorecendo o conhecimento de todos, sobre os assuntos
desenvolvidos. Por este motivo, seus coordenadores e vices
também são membros da diretoria.
ATRAÇÃO DA MÃO DE OBRA JOVEM PARA A INDÚSTRIA -
Coordenadora Sofia Copé Heller Michel - Copé e vice - Caroline
Vargas – CCV
As ações estão focadas na Escola Técnica Estadual Frederico
Guilherme Schmidt, com sede em São Leopoldo. Na pauta
estão incluídas visitas dos alunos, dos 4º anos do técnico em
Eletrotécnica e Eletromecânica, às empresas. Agenda: no dia 14
de agosto, na Coester, os alunos foram recebidos por Carlos
Henrique Hennig - gerente de Engenharia e Eduardo Chrysostomo
- gerente Geral da Aeromóvel. No dia 17 de setembro, a Leitz
abriu suas portas e os alunos foram recepcionados por Adriane
Werner - RH, Leandro Nonnemacher - gerente de Produção e o
ex estagiário, hoje efetivado, como assistente técnico, Francisco
Baumgratz. Já nos dias 16, 18 e 23/10, os alunos foram recebidos
na Gedore, por Aline Martins da Silva, da área de RH; Augusto
Eugênio Blume e Jair Babinski Ramos, supervisores da área de
Manutenção.
Também foram realizadas palestras, no dia 16 de agosto, na
escola, sobre Quais profissionais a indústria procura nos dias de
hoje, a cargo de Andressa e Andrea Pereira, da Grefortec; e A
importância da manutenção nas organizações, com Alexandre
Silva, da Gedore.
O grupo também convida empresários e parceiros para prestigiar
a 21ª Exposchmidt, nos dias 08 e 09 de novembro. As camisetas,
que os alunos estarão usando durante a feira, terão o patrocínio
do SINDIMETAL e das associadas Alu-Cek, Artestampo, CCV,
Coester, Copé, Ernesto Müller, Gedore, Grefortec, Ifla, Itecê,
Sanlarte, Sebras, Transmaq e SS Usinagem. As empresas CCV,
Sanlarte, SS Usinagem, Sebras e a Alu-Cek estarão igualmente
apadrinhando alguns trabalhos.
MERCADO – Coordenador Valdir Hunning - Sebras e vice
Marcelino Barth – Viva Cor
O grupo desenvolveu uma proposta de trabalho focada em
engajamento para vendas, junto à Noord Consulting & Services.
Seu fundador, Leandro Fagundes, é Engenheiro Químico, com
MBA em Gestão Empresarial, consultor de empresas, palestrante
e mentor de vendas, sendo especialista nesta área e também em
planejamento estratégico.
10
ação
Veja as atividades previstas, que contemplam uma palestra
e três workshops, nos dias 11, 18, 27/11 e 02/12 na agenda, na
página 6. Programe-se!
PRODUTIVIDADE - Coordenador Juliano Ilha – Artestampo e
vice Udo Wondracek – Alu-Cek
O grupo unificou as ‘dores do mapa da empatia’, do Fórum Lean
2018, em três grandes pilares: Econômico (as empresas precisam
conhecer linhas de incentivo à inovação); Pessoas (sanar os
conflitos de geração e a mudança de cultura) e Tecnologia
(ações em torno de manufatura enxuta e desmistificação da
indústria 4.0). Para o desenvolvimento de ações em torno destes
temas, tratativas estão em andamento junto ao Sistema S.
VALEMETALSINOS – Coordenador Mauro Dutra – SS Usinagem
e vice Marcelo Mariani – Metalúrgica Mariani
Na agenda de atividades, a participação do advogado Cláudio
Garcez,daassessoriaJurídicadaentidade,nareuniãododia25de
setembro, contribuiu com novas abordagens, esclarecimentos e
orientações sobre itens relevantes da modernização trabalhista.
O grupo conta com dois representantes no Conselho da
Pequena e Média Indústria da FIERGS (Copemi): Mauro Dutra
e Rubén Duarte, da RD-Flex. Esta pauta é fixa nas reuniões, a
fim de elencarem reivindicações e receberem retorno do que
acontece no Copemi. Está em tramitação, por exemplo, em vista
deste movimento, uma demanda em torno do uso de crédito do
ICMS para pagamento de conta de energia, gás, etc.
GRUPOS DE RH
Em andamento nas cidades de São Leopoldo, São Sebastião
do Caí e Sapiranga, os Grupos de RH objetivam a troca de
experiências entre empresas associadas e filiadas, com foco
principal em pequenas e médias, além de levantamento de
demandas. Possuem ainda, interface com a assessoria jurídica
trabalhista em suas reuniões, para esclarecimentos de dúvidas.
A coordenação em SÃO LEOPOLDO está a cargo de Marli
Wondracek, da Alu-Cek e vice, Cláudia Luft, da Petec.
Em SÃO SEBASTIÃO DO CAÍ: coordenação de Adriane Werner,
da Leitz e vice Jocelei Bonatto, Imobras.
Em SAPIRANGA, o grupo pretende fortalecer suas ações, a
partir da participação de mais empresas da região. A troca de
informações de rotinas de RH tem sido a principal temática
entre os participantes.
Ficou interessado em participar?
Informações: (51) 3590-7708 ou 3590-7710.
s i n d i m e t a l @ s i n d i m e t a l r s . o r g . b r
Ações de Consumo Eficiente de Energia
nas empresas do setor metalmecânico
C
onformedadosobtidosdaEmpresaBrasileiradePesquisa
Energia (EPE), a demanda global por energia apresenta-
se em franco crescimento. Observando-se o padrão de
consumo energético brasileiro, no mês de fevereiro de 2019,
houve um incremento de 4% no consumo total de energia
elétrica em comparação com o mesmo período em 2018.
Parte do incremento de consumo tem relação direta com a
retomada da atividade industrial, que neste ano começa a
recuperar as perdas realizadas nos anos anteriores, mas parte
significativa do aumento deste consumo tem relação com as
mudanças dos hábitos dos brasileiros, que desde 2010 vêm
incrementando o consumo de energia em uma taxa descolada
do crescimento populacional, resultando em incremento de
consumo de energia per capita, (tonelada equivalente de
petróleo por habitante – tep/hab), conforme apresentado na
Figura 1.
Estes dados levam a concluir que o consumo de energia tende a
aumentar (1) tanto pelo aumento da população, (2) quanto pelos
novos usos à que ela se destina, resultando em uma crescente
necessidade pelo aumento na geração e conservação da
energia.
Fonte: Matriz energética brasileira: uma prospectiva
Figura 1. Crescimento populacional e crescimento no consumo de energia per capita
Neste conceito do uso eficiente da energia, segundo o plano
decenal de expansão energética, elaborado pela EPE, em
2027 espera-se que o consumo economizado de energia, por
meio de ações em eficiência energética, resulte na mesma
energia produzida pela soma da produção anual das usinas
de Itaipu e Xingó, cerca de 41TWh. Também, estima-se que a
participação industrial no consumo de energia produzida no
Brasil em 2027 corresponda a ~47% do total. Sendo que do
grupo das indústrias energo-intensivas, como as empresas
do setor metalmecânico, apresentam um consumo de cerca
de ~24% de toda energia consumida pelo setor industrial.
Neste contexto, é imprescindível, tanto por uma questão
de disponibilidade de recursos energéticos quanto pela
competitividade destas indústrias, que sejam realizadas
ações de redução ou eliminação dos desperdícios nos
processos fabris.
Os ganhos em economia de energia para indústrias que
nunca realizaram ações de eficiência energética são de
~10%, sem a necessidade de realização de investimentos
significativos, trabalhando com ações de manutenção
e ajustes em máquinas e equipamentos, conforme
histórico de trabalhos já realizados pelo Instituto SENAI
de Tecnologia em Petróleo Gás e Energia (IST PGE). Cabe
ressaltar, que não apenas o consumo da energia elétrica
é analisado e trabalhado quando se busca uma maior
eficiência energética, mas também ações e melhorias
direcionadas para todas as máquinas e equipamentos que
utilizam qualquer tipo de fonte de energia, assim como
no modelo de contratação de energia pela empresa e
nas possibilidades de migração das empresas para o
mercado de energia livre, co-geração e geração por meio
de energias alternativas.
Considerando os trabalhos realizados dentro do tema
“eficiência energética” pelo IST PGE em empresas do setor
metalmecânico localizadas no Vale dos Sinos, foi possível
a economia anual de ~771,61MWh de energia, apenas
por meio de ações de manutenção corretiva, tais como
manutenção e ajustes de processos. Estas melhorias
oportunizaram para as empresas uma redução nos valores
de energia consumida (~80 mil reais por empresa ao ano)
e a diminuição da necessidade de geração desta energia
economizada, diminuindo, por consequência, o impacto
ambiental resultante da atividade destas empresas.
Temos que ter em mente que a energia é um insumo
fundamental para assegurar o desenvolvimento
econômico e socialde um País, sendo que a racionalização
de seu uso apresenta-se como alternativa de baixo custo
e de curto prazo de implantação. Em alguns casos,
significativas economias podem ser obtidas apenas com
mudanças de procedimentos e de hábitos. Uma empresa
que deseja alcançar uma estrutura de custos racionalizada
e tornar-se competitiva, deverá sempre considerar em seu
modelo de gestão a análise do desperdício de energia,
utilizando-a de forma eficiente e responsável.
11
Arthur D. Ceratti
Analista do Instituto SENAI de Tecnologia
em Petróleo, Gás e Energia
técnico ambiental
w w w . s i n d i m e t a l r s . o r g . b r
12
AS LEIS DE LIBERDADE
ECONÔMICA E AS NOVIDADES NO
DIREITO DO TRABALHO
R
ecentemente publicadas, as Leis nº 13.874 e
13.876 (ambas de 20.09.2019) têm por objetivo
garantir a liberdade do setor privado para o
exercício de atividades econômicas, presumindo a
sua boa-fé e vulnerabilidade perante o Estado, assim
como asseguram a intervenção mínima do Poder
Público sobre o mercado.
Mencionadas Leis alteraram alguns dispositivos
trabalhistas, fato que merece atenção dos
empregadores.
Inicialmente, no tocante à Carteira de Trabalho
e Previdência Social (CTPS) houve manifesta
simplificação na obtenção desse documento por
parte do trabalhador, na medida em que incumbirá ao
Ministério da Economia emiti-lo em meio eletrônico,
agora como regra (sendo excepcionalmente emitida
em meio físico, nos casos previstos no parágrafo único
do artigo 14 da CLT - redação alterada pela Lei nº
13.874/2019).
A CTPS passa a ter como identificação única do
empregado a inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas
(CPF), não mais sendo necessárias outras informações.
Quanto às anotações decorrentes do contrato de
trabalho, o empregador passa a ter o prazo de cinco
dias úteis para proceder nos registros na CTPS
(eletrônica ou em meio físico) quanto a data de
admissão, remuneração e condições especial da
prestação laboral. Não é necessário a emissão de
recibo de entrega/ devolução de CTPS, visto que a
simples comunicação do número do CPF já equivale
à apresentação do documento para as devidas
anotações (que poderão ser acessadas até 48 horas a
partir do respectivo registro).
Ainda quanto à CTPS, oportuno referir que algumas
situações não geram mais efeitos: não há mais
obrigatoriedade do INSS registrar a ocorrência de
acidente do trabalho; não mais se registra e declara a
condição de dependentes; não existe mais qualquer
sanção e multa por retenção ou por cobrança de
remuneração pela entrega do documento; os registros
de férias poderão ser feitos na CTPS eletrônica.
Acerca da duração do trabalho, refira-se que os
empregadores estão desobrigados de manter o
registro de horário quando tiverem menos de 20 (vinte)
empregados registrados.
Também se passa a permitir o registro de ponto por
exceção exclusivamente através de acordo individual
escrito, convenção coletiva ou acordo coletivo de
trabalho. Sugere-se, contudo, que a adoção do ponto
por exceção ocorra mediante negociação coletiva.
Nessa modalidade torna-se obrigatório o registro
do horário de trabalho nas oportunidades de labor
extraordinário, desobrigando-se a anotação caso a
jornada tenha obedecido os limites estabelecidos no
contrato de trabalho.
Além dos impactos nos dispositivos da CLT, a Lei nº
13.874/2019 também alterou dois artigos do Código
Civil Brasileiro com importante reflexo no Direito do
Trabalho:
(1) O artigo 49-A dispõe que a pessoa jurídica não
se confunde com os seus sócios, associados,
instituidores ou administradores; ela detém
autonomia patrimonial com a finalidade de estimular
empreendimentos, para a geração de empregos,
tributo, renda e inovação;
(2) Quanto ao instituto da desconsideração da
personalidade jurídica e a extensão de efeitos
sobre os bens particulares de administradores ou
de sócios, o artigo 50 agora classifica como desvio
de finalidade a utilização da pessoa jurídica com
o propósito de lesar credores e para a prática de
atos ilícitos de qualquer natureza, e como confusão
patrimonial a ausência de separação de fato entre
os patrimônios, caracterizada por: I - cumprimento
repetitivo pela sociedade de obrigações do sócio ou
do administrador ou vice-versa; II - transferência de
ativos ou de passivos sem efetivas contraprestações,
exceto os de valor proporcionalmente insignificante;
e III - outros atos de descumprimento da autonomia
patrimonial.
O artigo 50 do Código Civil Brasileiro, com a nova
redação dada pela Lei nº 13.874/2019, ainda prevê
que a mera existência de grupo econômico, sem a
comprovação do desvio de finalidade e da confusão
patrimonial, não autoriza a desconsideração da
personalidade da pessoa jurídica, bem como que
não se constitui em desvio de finalidade a mera
expansão ou a alteração da finalidade original da
atividade econômica da empresa.
Verifica-se que essas Leis compõem um conjunto
de medidas que, dentre outras, visam simplificar
as relações contratuais trabalhistas e fomentar
o empreendedorismo no País, com regras mais
objetivas e pouca intervenção Estatal no mercado.
Reiteramos nosso convite a todos os empresários
associados e filiados para que utilizem o sistema
consultivo trabalhista do SINDIMETAL RS, mormente
no que respeita às inovações legais mencionadas no
presente artigo.
• Advogado integrante da equipe
de profissionais do escritório
Garcez Advogados Associados –
Assessoria Jurídica do SINDIMETAL,
nas áreas Trabalhista, Ambiental e
de Representação Comercial.
jurídico trabalhista
Eduardo Gaelzer
OAB/RS 58.660
s i n d i m e t a l @ s i n d i m e t a l r s . o r g . b r
13
TAXA DE ESCANEAMENTO DE CONTÊINERES E ILEGALIDADE DA COBRANÇA
questão A Instrução Normativa RFB nº 1.208/2011,
que estabelece termos e condições para instalação
e funcionamento de Portos Secos, trouxe, no seu art.
4º, a possibilidade de as concessionárias ou permissionárias
cobrarem do usuário tarifa que englobe os custos, inclusive
seguros e remuneração dos serviços, sem que seja observado
o requisito essencial para a criação dessa cobrança, ou seja,
previsão em LEI, nos termos do art. 150, inciso I da Constituição
Federal.
	
Dessa forma, sem observar o requisito legal, as concessionárias
vêm cobrando referida tarifa, sendo que atualmente a
administração do Porto de Rio Grande exige o pagamento de
valor em torno de R$ 300,00 por unidade fiscalizada.
	
Entretanto, referida cobrança está sendo considerada
inconstitucionalpelo PoderJudiciário, porque extrapola os limites
previstos na própria Constituição Federal. Algumas entidades já
conseguiram liminares para evitar a referida cobrança, sendo que
o Poder Judiciário vem adotando posição favorável às empresas.
	
Dessa forma, o SINDIMETAL está estudando o impacto de referida
cobrança perante os seus associados, inclusive para adotar ação
coletiva, visando suspender referida cobrança.
• Advogado da equipe Buffon & Furlan
Advogados Associados - Assessoria Jurídica
do SINDIMETAL RS, na área Tributária.
Marciano Buffon
OAB/RS 34.668
jurídico tributário
OBRIGATORIEDADE DE PRESTAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELATIVAS ÀS
OPERAÇÕES REALIZADAS COM CRIPTOATIVOS À RECEITA FEDERAL
questão A Instrução Normativa RFB nº 1.888/2019, dispõe
sobre a obrigatoriedade dos contribuintes prestarem
à Receita Federal do Brasil, informações relativas às
operações realizadas com criptoativos.
Referidas informações deverão ser prestadas com a utilização
do sistema Coleta Nacional, disponibilizado por meio do Centro
Virtual de Atendimento (e-CAC) da Receita Federal do Brasil,
em leiaute a ser definido em Ato Declaratório Executivo (ADE)
da Coordenação-Geral de Programação e Estudos (Copes), a
ser publicado no prazo de até 60 (sessenta) dias, contados a
partir da data de publicação desta Instrução Normativa.
O conjunto de informações, enviado de forma eletrônica, deverá
ser assinado digitalmente pela pessoa física, pelo representante
legal da pessoa jurídica ou pelo procurador, mediante o uso de
certificado digital válido, emitido por entidade credenciada pela
ICP-Brasil.
Para os efeitos da Instrução Normativa em comento e para fins
de conversão de valores em Reais, o valor expresso em moeda
estrangeira deve ser convertido:
I - em dólar dos Estados Unidos da América; e
II - em moeda nacional.
A conversão será feita pela cotação do dólar dos Estados
Unidos da América fixada, para venda, pelo Banco Central do
Brasil (BCB) para a data da operação ou saldo, extraída do
boletim de fechamento PTAX divulgado pelo BCB.
Para fins do disposto na Instrução Normativa em comento,
considera-se:
I - criptoativo: a representação digital de valor denominada
em sua própria unidade de conta, cujo preço pode ser expresso
em moeda soberana local ou estrangeira, transacionado
eletronicamente com a utilização de criptografia e de
tecnologias de registros distribuídos, que pode ser utilizado
como forma de investimento, instrumento de transferência de
valores ou acesso a serviços, e que não constitui moeda de
curso legal; e
II - exchange de criptoativo: a pessoa jurídica, ainda que
não financeira, que oferece serviços referentes a operações
realizadas com criptoativos, inclusive intermediação,
negociação ou custódia, e que pode aceitar quaisquer meios
de pagamento, inclusive outros criptoativos.
Incluem-se no conceito de intermediação de operações
realizadas com criptoativos, a disponibilização de ambientes
para a realização das operações de compra e venda de
criptoativo realizadas entre os próprios usuários de seus
serviços.
A obrigação à prestação das informações será da:
I - exchange de criptoativos domiciliada para fins tributários no
Brasil;
II - pessoa física ou jurídica residente ou domiciliada no Brasil
quando:
a) as operações forem realizadas em exchange domiciliada no
exterior; ou
b) as operações não forem realizadas em exchange.
No caso previsto no inciso II, as informações deverão ser
prestadas sempre que o valor mensal das operações, isolado ou
conjuntamente, ultrapassar R$ 30.000,00 (trinta mil reais).
Aobrigatoriedadedeprestarinformaçõesaplica-seàpessoafísica
ou jurídica que realizar quaisquer das operações com criptoativos
a seguirmencionadas: (1) compra evenda; (2) permuta; (3) doação;
(4) transferência de criptoativo para a exchange; (5) retirada de
criptoativo da exchange; (6) cessão temporária (aluguel); (7)
dação em pagamento; (8) emissão; e (9) outras operações que
impliquem em transferência de criptoativos.
As informações deverão ser transmitidas à RFB mensalmente até
o último dia útil do mês-calendário subsequente àquele em que
ocorreu o conjunto de operações realizadas com criptoativos,
quanto às obrigações previstas acima.
O primeiro conjunto de informações a ser entregue em setembro
de 2019 será referente às operações realizadas em agosto de
2019.
A transmissão das informações não dispensa o declarante da
obrigação de guardar os documentos e manter os sistemas de
onde elas foram extraídas.
• Advogada da equipe Buffon & Furlan
Advogados Associados - Assessoria Jurídica
do SINDIMETAL RS, na área Tributária.
Marina Furlan
OAB/RS 51.789
A
A
w w w . s i n d i m e t a l r s . o r g . b r
14
Uma cerimônia, realizada no dia 19 de setembro, marcou o início das
obras do novo Prédio de Montagem de Máquinas, na sede da Stihl
Brasil, em São Leopoldo. O empreendimento dá sequência ao pacote de
projetos, com total de R$ 500 milhões a serem investidos na unidade
brasileira até 2023. Cláudio Guenther, presidente da Stihl Brasil, recebeu
para a solenidade: o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite;
o prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi; o presidente do SINDIMETAL
RS, Sergio Galera; o presidente da ACIST-SL, Oldemar Plantikow Brahm;
e demais funcionários da empresa. “Em um Estado com capacidade de
inovação como o Rio Grande do Sul, é preciso lembrar que esta riqueza
é gerada pela iniciativa privada. Não é fácil ter um negócio no Brasil em
razão dos diversos desafios e da complexidade. Ações como esta da Stihl
representam o destaque à confiança de um Estado para quem investe e
empreende”, pontuou o governador.
O novo Prédio de Montagem de Máquinas da Stihl, que contará com
processos de injeção de plásticos, usinagem e pintura de peças de
magnésio, tratamento térmico de virabrequim e montagem dos
equipamentos (motosserra, roçadeira, pulverizadores, sopradores etc.),
terá um investimento total de R$ 67 milhões. A iniciativa irá modernizar
ainda mais o parque fabril da marca, tendo em vista a tecnologia de
ponta das instalações. A edificação possuirá mais de 14.000 m² e já
nascerá dentro de conceitos da Indústria 4.0, com produção mais limpa e
orientação para a Internet of Things (IoT).
A obra irá gerar mais de 160 empregos diretos e pelo menos 500
indiretos. Da mesma forma, mais de 80% das compras de materiais
serão feitas com fornecedores do Rio Grande do Sul, tendo em
vista a injeção de capital na economia regional. “No futuro, o novo
empreendimento nos permitirá aumentar nossa atual capacidade
de produção, quando poderemos chegar a 1,1 milhão de unidades
motoras fabricadas por ano em São Leopoldo. A estrutura irá aprimorar
as condições e o ambiente de trabalho”, afirmou o presidente da Stihl
Brasil, Cláudio Guenther.
A associada Metalúrgica Mariani lançou, no mês de setembro,
seu novo site www.marianimetais.com.br, com espaço para
implementação do blog, dando início à jornada para produção
de conteúdo. O mesmo foi estruturado a partir da identificação
Novo site trazendo novidades
mercado
Momento singular:
ampliação da fábrica
brasileira
Fonte e foto: Stihl
Fonte: Mariani Metais
Da esq. para dir.: diretor da Engenhosul, Marco Périco; prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi; presidente
da StihL, Cláudio Guenther; governador do RS, Eduardo Leite; vice-presidente de Marketing e Vendas
da Stihl, Romário Britto; e vice-presidente de Administração e Finanças da Stihl, Cleomar Prunzel
TOP SER HUMANO - A Stihl é novamente
vencedora do Top Ser Humano,
promovido pela Associação Brasileira de
Recursos Humanos seccional Rio Grande
do Sul (ABRH-RS). A quarta conquista
do prêmio veio com o case Ideia Plus –
Valorizando a capacidade intelectual dos
nossos colaboradores. Mais do que um
programa de sugestões e inovação para
a melhoria contínua, o Ideia Plus tornou-se
uma ferramenta que envolve as pessoas
de diferentes áreas na busca conjunta
por soluções que gerem resultados para
a corporação. Este processo fortalece
a cultura organizacional ao promover a
confiança mútua, estimular a colaboração
e reconhecer ideias que contribuam para o
desenvolvimento da organização.
O programa global, que também é
desenvolvido nas outras seis unidades
produtivasdaStihlnomundo,foilançado
no Brasil em 2012 pelo Departamento de
Melhoria Contínua com apoio da área de
Recursos Humanos. O intuito foi capturar
o potencial criativo e canalizar as ideias
dos colaboradores, reconhecendo e
premiando-os pelos seus esforços.
de melhorias apresentadas no Programa Piloto de Marketing
Digital, realizado no SINDIMETAL RS (veja matéria na página
07).
A empresa, com sede em São Leopoldo, atua há 22 anos
no mercado. Ao longo da sua história, desenvolveu alguns
produtos próprios, que levam a marca Mariani Metais. Entre
eles, a linha de expositores de bolsas e calçados, desde
2006, e a linha de lareiras ecológicas, que teve início em 2010.
“Desenvolvemos produtos exclusivos e personalizados, de
acordo com a necessidade de nossos clientes”, afirma o diretor
Marcelo Mariani.
“Faz parte do DNA da nossa empresa, ser referência em
qualidade. Assumimos um compromisso, que tem início na
escolha dos materiais até a fabricação dos produtos, sempre
priorizando a satisfação do cliente”, justifica o empresário.
“Desejamos que todos tenham a melhor experiência com a
empresa, por esta razão priorizamos um cuidado especial na
pré-venda, durante a utilização dos produtos e também no
momento pós-compra”.
s i n d i m e t a l @ s i n d i m e t a l r s . o r g . b r
15
A Amadeo Rossi, em São Leopoldo, hoje Rossi Airguns Airsoft, está
completando 130 anos de história. Um marco alcançado por poucas
empresas brasileiras, que está sob os cuidados da família desde a
sua criação. Uma história de aço, iniciada em 1889, construída com
base em valores que perpassam e perduram por quatro gerações.
Hoje é referência no segmento de Airguns e Airsoft e a maior
importadora de produtos de tiro esportivo do Brasil. Esta reputação
foi construída ao longo de mais de um século de dedicação e
trabalho duro, envolvendo muitas mudanças e adequações ao
mercado e à sociedade.
Tudo começou em 1881, quando Amadeo Rossi, um metalúrgico
italiano, desembarcou no Brasil estabelecendo-se no Rio Grande
do Sul, berço da imigração italiana no País. Oito anos depois, em
1889, Amadeo fundava a empresa Amadeo Rossi & Cia em Caxias
do Sul, onde morava, produzindo utensílios domésticos, artigos de
montaria e instrumentos agrícolas.
Em 1918, Rossi e seus filhos maisvelhos passam a produzirespoletas
para cartuchos de caça, decisão que altera completamente
o destino da pequena fábrica. Com a mudança de segmento,
começaram a crescer cada vez mais, não havendo mais condições
de permanecer em Caxias do Sul. Então, em 1937, a Amadeo Rossi
& Cia muda sua sede para São Leopoldo, buscando melhores
condições de logística e fornecimento de energia elétrica.
Já em 1943, a Rossi foi declarada indústria de interesse nacional,
passando a fabricar armas de fogo como espingardas, rifles,
carabinas, revolveres e pistolas. Neste novo segmento, a companhia
começa a ser reconhecida pela linha de produção de armas e
munição e ganha novos territórios fora do Brasil.
mercado
HISTÓRIA DE SUCESSO
Presença especial em feira
Sua reputação dentro e fora do Brasil só crescia. A Amadeo Rossi
exportava para mais de 70 países diferentes, sendo o principal
os Estados Unidos. Todo este reconhecimento rendeu o prêmio
de Melhor Linha de Revólveres no Mercado Norte-Americano,
em 1994. Neste segmento, continuou escrevendo a sua história,
até que em 2007, se distancia das armas de fogo para focar em
um novo segmento, as armas de ar comprimido, relacionadas ao
esporte e lazer.
De exportadora a empresa passou a importadora, trazendo e
distribuindo para todo o País os melhores produtos e acessórios
para a prática do tiro esportivo. O foco pode ter mudado, mas
a qualidade e credibilidade que o nome Amadeo Rossi traz
consigo, não. Atualmente, a marca é a principal importadora
e distribuidora de Airguns, Airsoft e artigos relacionados do
Brasil, sendo referência comercial e atendendo todo o território
nacional. Parabéns e sucesso redobrado!
A Infasul esteve presente na 3ª Edição
da Lignum Latin America, em Curitiba, de
11 a 13 de setembro. A feira teve como
foco a Transformação, Beneficiamento,
Preservação, Energia, Biomassa, Manejo
Florestal e uso da Madeira.
Empresa genuinamente brasileira,
especializada no desenvolvimento e na
fabricação de facas industriais e peças de
reposição, está instalada em São Leopoldo
e atende a clientes de diversos países.
Mantém programas com instituições de
Rossi
Fonte e foto: Rossi
Fonteefoto:InfasulFonteefoto:Belton
pesquisaedesenvolvimentotecnológicono
Brasil e no exterior, investe continuamente
em treinamento, visando o aprimoramento
contínuo dos processos e oferecendo
produtos de alta performance.
Com expertise de mais de 30 anos de
experiência na área metalmecânica, fabrica
produtos diferenciados para os mais
variados tipos de aplicações industriais,
além de oferecer serviços de engenharia
para qualificar os resultados dos clientes.
Também, possui desenvolvimento e
consultoria técnica; recuperação de
peças de desgaste, afiação e treinamento
técnico para qualificar equipes a realizar a
manutenção e afiação de forma adequada.
Participação na Expomeat
A Belton, com sede em São Leopoldo,
esteve presente na Expomeat, de 24 a 26
de setembro, ampliando a visibilidade da
empresa e consolidado novos contatos
profissionais.
No mercado desde 1998, a Belton
mantém em seu quadro funcional,
profissionais atuantes no segmento
pneumático há mais de 30 anos. Atua
no ramo com tecnologia nacional em
Automação Pneumática proporcionando
alta produtividade e inovação em
equipamentos industriais e aplicações
mobil.
Atende desde simples manutenções
até automações complexas, possui um
departamento de Engenharia de Vendas
capacitado para desenvolver soluções
completas e customizadas para cada
necessidade. Velocidade e precisão de
informações, auxiliando seus clientes em
todas as etapas.
VITRINE
A
Leitz nasceu em Oberkochen, Baden
– Württemberg, região no sul da
Alemanha, próximo a Stuttgart. Seu
fundador, Sr. Albert Leitz, iniciou, em 1876, em
sua pequena oficina de ferreiro, a fabricação
artesanal de brocas, na época chamadas de
puas, e navalhas de aplainamento. A partir
de então, a expansão da empresa não parou.
Oferece um amplo portfólio de produtos com
mais de 8.000 itens, de ferramentas dotadas
de insertos de corte de materiais como aço
rápido (HSS), metal duro (HW) e diamante
sintético (PCD).
Hoje está presente em cinco continentes;
representada em 120 países, possui 36 filiais
diretas e seis plantas de produção, entre elas
a Leitz Brasil, fundada em 1979, tendo como
sócios Leitz Beteiligungs e Leitz GMBH & Co.
KG. O grupo é formado por três empresas:
Leitz, fabricante de ferramentas de corte;
Bilz, fabricante de elementos de fixação, que
fazem interface entre máquina e ferramenta;
e a Böhlerit, fabricante de materiais de corte,
como metal duro.
Aempresa, que mantém a tradição familiar, está
atualmente na quinta geração. “Continuamos
a confiar no sucesso da empresa familiar, em
processos rápidos de tomada de decisão, na
contínua expansão do seu próprio negócio,
na confiabilidade e garantia de rentabilidade,
através de constante reinvestimento e
crescimento sustentável da empresa”, registra
o diretor da Leitz Brasil, Vitor Fabiano Ledur.
“Dentre os nossos objetivos estratégicos está
a transferência equilibrada de benefícios para
os nossos clientes, fornecedores, funcionários
e acionistas”, afirma Vitor. A busca permanente
em oferecer produtos de excelência e inovação
são a força motriz do crescimento qualitativo e
quantitativo, acima da média, nas conquistas da
empresa. “Estabelecemos padrões em nosso
segmento de negócio, uma vez que somos
líderes em tecnologia e desenvolvimento
de soluções customizadas. Investimos em
modernasinstalaçõeseprocessosdeprodução,
na criação de tecnologias e logística
de compras internacionais, bem como
na organização e gerenciamento
eficientes de estruturas para uma
redução contínua de custos e
desperdício de tempo”, pontua.
“Nosso sistema de gerenciamento
de qualidade tem foco não apenas
em nossos produtos, mas também dá
igual atenção à satisfação do cliente
e a excelência no cumprimento das
operações diárias”.
Há 40 anos no Brasil, soluções em novas dimensões
Rua Leitz, 50 – Angico - São Sebastião do Caí
(51) 3635-1755 | www.leitz.org
O ‘divisor de águas’ ocorreu, em setembro de
2007, quando teve início a terraplanagem para
a construção da nova fábrica e, em janeiro de
2009, as atividades na ‘nova casa’. Para Vitor,
não foi somente a construção de uma planta
moderna, dentro de padrões internacionais
que surpreendeu, mas também a instalação
de novos equipamentos, um salto tecnológico
qualitativo e quantitativo expressivo. Houve
também uma mudança cultural, até então
limitada a produzir produtos com tecnologia
pontual.
Superadas as dificuldades, mudanças, buro-
cracia e alta inflação, a Leitz Brasil passou a
ocupar uma posição de destaque dentro das
empresasdogrupo.Assumiuacomercialização
para todos os países da América do Sul e
atualmente exporta para outras unidades
do grupo, como Estados Unidos, Áustria,
Alemanha e México, consolidando assim, o
reconhecimento de anos de muito trabalho e
credibilidade nos produtos aqui produzidos.
LÍDERNOSEGMENTO-ALeitzBrasilcomercializa
seus serviços e produtos para todos os estados
brasileiros, tendo como principais clientes as
indústrias de beneficiamento de madeira e
moveleira; fabricantes de chapas de MDF/
MDP, pisos (maciços, multi-camadas, laminados
e sintéticos), portas/janelas. Além disso, tem
desenvolvido com êxito ferramentas para
78 - Setembro / Outubro 2019
processamento de outros tipos de materiais,
principalmente do segmento metalmecânico,
como alumínio, titânio, além de sintéticos e
compósitoscomaltoníveldeabrasão.”Possuímos
o know-how tecnológico da matriz alemã e
experiências globais, o que nos possibilita realizar
atendimentos técnicos personalizados junto ao
cliente, oferecendo a solução ideal, buscando
a maximização produtiva e um excelente
rendimento de nossas ferramentas”, enfatiza.
Pioneira em afiação e produção de ferramentas
em diamante policristalino no segmento
no Brasil, mantem a excelência também em
postos de serviço de afiação de ferramentas,
localizados em Bento Gonçalves (RS), Curitiba
(PR) e Bauru (SP), o que torna a empresa
líder nesse ramo. A Leitz também  oferece
assistência pós-venda, através do recondicio-
namento nos postos de serviço, garantindo
produtividade e durabilidade.
Com mais de 130 funcionários, investe e
valoriza o respeito e a ética junto aos seus
colaboradores, promovendo a motivação e a
qualificação, através de treinamento, incentivo
à especialização e integração de setores.
Atenta também ao meio ambiente, a empresa
possui uma estação de tratamento de efluentes
e utiliza a captação de água da chuva. “Com
produtos e processos de produção, que ajudam
a economizar recursos e preservar o meio
ambiente, comprovamos nosso compromisso
com a proteção ambiental”, assegura Vitor.
A receita de sucesso se resume em atender
o cliente com a solução ideal, de forma
customizada, oferecendo suporte técnico
e garantindo resultado acima da média,
com serviços e produtos de alta precisão e
durabilidade, ótima relação custo-benefício.
Os pilares, que dão sustentação à Leitz
Brasil, estão bem segmentados: Qualidade,
Confiabilidade, Conhecimento, Produtividade,
Flexibilidade, Eficiência, Sustentabilidade.
Além disso, a gestão é transparente e
com forte senso de coletivo, atingindo alto
nível de profissionalismo e desempenho.
“Estamos continuamente investindo
na otimização e padronização dos
produtos e serviços. Nosso diferencial
é a ampliação e modernização
constante do pátio fabril, através
da aquisição de modernos equipa-
mentos, para atender as expectativas
e necessidades de um mercado
competitivo e em constante mu-
dança”, enfatiza Vitor. Parabéns pela
destacada trajetória de sucesso!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fórum de Inovação | Inovação e mudanças: Encontros sobre inovação no Brasil
Fórum de Inovação | Inovação e mudanças: Encontros sobre inovação no BrasilFórum de Inovação | Inovação e mudanças: Encontros sobre inovação no Brasil
Fórum de Inovação | Inovação e mudanças: Encontros sobre inovação no BrasilFGV | Fundação Getulio Vargas
 
Junior Achievement SC - Relatório de atividades 2012
Junior Achievement SC - Relatório de atividades 2012Junior Achievement SC - Relatório de atividades 2012
Junior Achievement SC - Relatório de atividades 2012Junior Achievement SC
 
Espaco SINDIMETAL 75
Espaco SINDIMETAL 75Espaco SINDIMETAL 75
Espaco SINDIMETAL 75SINDIMETAL RS
 
Educação Empreendedora de Forma Transversal - REE Brasil 2014
Educação Empreendedora de Forma Transversal  - REE Brasil 2014Educação Empreendedora de Forma Transversal  - REE Brasil 2014
Educação Empreendedora de Forma Transversal - REE Brasil 2014Genésio Gomes Cruz Neto
 
EDUCAÇÃO EMPRENDEDORA PARA JOVENS COMO FERRAMENTA DE INCLUSÃO SOCIAL – FOMENT...
EDUCAÇÃO EMPRENDEDORA PARA JOVENS COMO FERRAMENTA DE INCLUSÃO SOCIAL – FOMENT...EDUCAÇÃO EMPRENDEDORA PARA JOVENS COMO FERRAMENTA DE INCLUSÃO SOCIAL – FOMENT...
EDUCAÇÃO EMPRENDEDORA PARA JOVENS COMO FERRAMENTA DE INCLUSÃO SOCIAL – FOMENT...Caio Flavio Stettiner
 
Educação Empreendedora para o Século XXI
Educação Empreendedora para o Século XXIEducação Empreendedora para o Século XXI
Educação Empreendedora para o Século XXIGabriel Cardoso
 
Relatório de Atividades Softex
Relatório de Atividades SoftexRelatório de Atividades Softex
Relatório de Atividades SoftexRayanny Nunes
 
Livro Testemunhos e Reflexoes
Livro Testemunhos e ReflexoesLivro Testemunhos e Reflexoes
Livro Testemunhos e ReflexoesDianova
 
Espaço SINDIMETAL 49
Espaço SINDIMETAL 49Espaço SINDIMETAL 49
Espaço SINDIMETAL 49SINDIMETAL RS
 
Hub Internacional de Desenvolvimento Sustentável
Hub Internacional de Desenvolvimento SustentávelHub Internacional de Desenvolvimento Sustentável
Hub Internacional de Desenvolvimento SustentávelInventta
 
Aprendizagem em ead- em profissional
Aprendizagem em ead- em profissionalAprendizagem em ead- em profissional
Aprendizagem em ead- em profissionalProfessoraCarlaFerna
 
Caderno de Inovação | Start Ups - Número 19
Caderno de Inovação | Start Ups - Número 19Caderno de Inovação | Start Ups - Número 19
Caderno de Inovação | Start Ups - Número 19Fernanda G. Vhazz
 
Caderno de Inovação | Inovação nas Indústrias Criativas - Número 21
Caderno de Inovação | Inovação nas Indústrias Criativas - Número 21Caderno de Inovação | Inovação nas Indústrias Criativas - Número 21
Caderno de Inovação | Inovação nas Indústrias Criativas - Número 21FGV | Fundação Getulio Vargas
 
Caderno de Inovação | Organizações no séc. XXI - Número 20
Caderno de Inovação | Organizações no séc. XXI - Número 20Caderno de Inovação | Organizações no séc. XXI - Número 20
Caderno de Inovação | Organizações no séc. XXI - Número 20FGV | Fundação Getulio Vargas
 
Carreiras em Transformação - Estudo Page & Inova
Carreiras em Transformação - Estudo Page & InovaCarreiras em Transformação - Estudo Page & Inova
Carreiras em Transformação - Estudo Page & InovaLuis Rasquilha
 

Mais procurados (20)

Fórum de Inovação | Inovação e mudanças: Encontros sobre inovação no Brasil
Fórum de Inovação | Inovação e mudanças: Encontros sobre inovação no BrasilFórum de Inovação | Inovação e mudanças: Encontros sobre inovação no Brasil
Fórum de Inovação | Inovação e mudanças: Encontros sobre inovação no Brasil
 
Junior Achievement SC - Relatório de atividades 2012
Junior Achievement SC - Relatório de atividades 2012Junior Achievement SC - Relatório de atividades 2012
Junior Achievement SC - Relatório de atividades 2012
 
Espaco SINDIMETAL 75
Espaco SINDIMETAL 75Espaco SINDIMETAL 75
Espaco SINDIMETAL 75
 
Educação Empreendedora de Forma Transversal - REE Brasil 2014
Educação Empreendedora de Forma Transversal  - REE Brasil 2014Educação Empreendedora de Forma Transversal  - REE Brasil 2014
Educação Empreendedora de Forma Transversal - REE Brasil 2014
 
EDUCAÇÃO EMPRENDEDORA PARA JOVENS COMO FERRAMENTA DE INCLUSÃO SOCIAL – FOMENT...
EDUCAÇÃO EMPRENDEDORA PARA JOVENS COMO FERRAMENTA DE INCLUSÃO SOCIAL – FOMENT...EDUCAÇÃO EMPRENDEDORA PARA JOVENS COMO FERRAMENTA DE INCLUSÃO SOCIAL – FOMENT...
EDUCAÇÃO EMPRENDEDORA PARA JOVENS COMO FERRAMENTA DE INCLUSÃO SOCIAL – FOMENT...
 
Educação Empreendedora para o Século XXI
Educação Empreendedora para o Século XXIEducação Empreendedora para o Século XXI
Educação Empreendedora para o Século XXI
 
TSU 0 para Jovens até aos 30 Anos
TSU 0 para Jovens até aos 30 AnosTSU 0 para Jovens até aos 30 Anos
TSU 0 para Jovens até aos 30 Anos
 
Relatório de Atividades Softex
Relatório de Atividades SoftexRelatório de Atividades Softex
Relatório de Atividades Softex
 
Livro Testemunhos e Reflexoes
Livro Testemunhos e ReflexoesLivro Testemunhos e Reflexoes
Livro Testemunhos e Reflexoes
 
Espaço SINDIMETAL 49
Espaço SINDIMETAL 49Espaço SINDIMETAL 49
Espaço SINDIMETAL 49
 
Hub Internacional de Desenvolvimento Sustentável
Hub Internacional de Desenvolvimento SustentávelHub Internacional de Desenvolvimento Sustentável
Hub Internacional de Desenvolvimento Sustentável
 
Odebrecht Informa
Odebrecht InformaOdebrecht Informa
Odebrecht Informa
 
e- revista dirigir
e- revista dirigire- revista dirigir
e- revista dirigir
 
Aprendizagem em ead- em profissional
Aprendizagem em ead- em profissionalAprendizagem em ead- em profissional
Aprendizagem em ead- em profissional
 
Caderno de Inovação | Start Ups - Número 19
Caderno de Inovação | Start Ups - Número 19Caderno de Inovação | Start Ups - Número 19
Caderno de Inovação | Start Ups - Número 19
 
Caderno de Inovação | Inovação nas Indústrias Criativas - Número 21
Caderno de Inovação | Inovação nas Indústrias Criativas - Número 21Caderno de Inovação | Inovação nas Indústrias Criativas - Número 21
Caderno de Inovação | Inovação nas Indústrias Criativas - Número 21
 
Caderno de Inovação | Organizações no séc. XXI - Número 20
Caderno de Inovação | Organizações no séc. XXI - Número 20Caderno de Inovação | Organizações no séc. XXI - Número 20
Caderno de Inovação | Organizações no séc. XXI - Número 20
 
- Revista dirigir-
 - Revista dirigir- - Revista dirigir-
- Revista dirigir-
 
Carreiras em Transformação - Estudo Page & Inova
Carreiras em Transformação - Estudo Page & InovaCarreiras em Transformação - Estudo Page & Inova
Carreiras em Transformação - Estudo Page & Inova
 
Via jovem
Via jovemVia jovem
Via jovem
 

Semelhante a Espaço SINDIMETAL 78

Espaço SINDIMETAL 71
Espaço SINDIMETAL 71Espaço SINDIMETAL 71
Espaço SINDIMETAL 71SINDIMETAL RS
 
Intple (33)
Intple (33)Intple (33)
Intple (33)eadl
 
Revista Ser Educacional - No. 2 - dezembro 2017
Revista Ser Educacional - No. 2 - dezembro 2017Revista Ser Educacional - No. 2 - dezembro 2017
Revista Ser Educacional - No. 2 - dezembro 2017LeiaJaOnline
 
Guia do Mercado Laboral 2015 - Hays Portugal
Guia do Mercado Laboral 2015 - Hays PortugalGuia do Mercado Laboral 2015 - Hays Portugal
Guia do Mercado Laboral 2015 - Hays PortugalHays Portugal
 
Espaço SINDIMETAL 77
Espaço SINDIMETAL 77Espaço SINDIMETAL 77
Espaço SINDIMETAL 77SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 64
Espaço SINDIMETAL 64Espaço SINDIMETAL 64
Espaço SINDIMETAL 64SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 21
Espaço SINDIMETAL 21Espaço SINDIMETAL 21
Espaço SINDIMETAL 21SINDIMETAL RS
 
Empreendedorismo capitulo-2
Empreendedorismo capitulo-2Empreendedorismo capitulo-2
Empreendedorismo capitulo-2anderson3mp
 
os desafios da produtividade - novas habilidades na era do conhecimento
os desafios da produtividade - novas habilidades na era do conhecimentoos desafios da produtividade - novas habilidades na era do conhecimento
os desafios da produtividade - novas habilidades na era do conhecimentoFábio Nogueira, PhD
 
Gestão da inovacao com sustentabilidade e conectividade
Gestão da inovacao com sustentabilidade e conectividadeGestão da inovacao com sustentabilidade e conectividade
Gestão da inovacao com sustentabilidade e conectividadeNit Celesc
 
Espaço SINDIMETAL 40
Espaço SINDIMETAL 40Espaço SINDIMETAL 40
Espaço SINDIMETAL 40SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 79
Espaço SINDIMETAL 79 Espaço SINDIMETAL 79
Espaço SINDIMETAL 79 SINDIMETAL RS
 
Inova Day 22 Trend Topics 20-30.pdf
Inova Day 22 Trend Topics 20-30.pdfInova Day 22 Trend Topics 20-30.pdf
Inova Day 22 Trend Topics 20-30.pdfLuis Rasquilha
 
GV-executivo VOLUME 17, NÚMERO 1 JANEIRO/FEVEREIRO 2018
 GV-executivo VOLUME 17, NÚMERO 1 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 GV-executivo VOLUME 17, NÚMERO 1 JANEIRO/FEVEREIRO 2018
GV-executivo VOLUME 17, NÚMERO 1 JANEIRO/FEVEREIRO 2018FGV | Fundação Getulio Vargas
 

Semelhante a Espaço SINDIMETAL 78 (20)

Espaço SINDIMETAL 71
Espaço SINDIMETAL 71Espaço SINDIMETAL 71
Espaço SINDIMETAL 71
 
Manual
ManualManual
Manual
 
Intple (33)
Intple (33)Intple (33)
Intple (33)
 
Capital intelectual m2 ar
Capital intelectual m2 arCapital intelectual m2 ar
Capital intelectual m2 ar
 
Mercados Inclusivos no Brasil
Mercados Inclusivos no BrasilMercados Inclusivos no Brasil
Mercados Inclusivos no Brasil
 
Revista Ser Educacional - No. 2 - dezembro 2017
Revista Ser Educacional - No. 2 - dezembro 2017Revista Ser Educacional - No. 2 - dezembro 2017
Revista Ser Educacional - No. 2 - dezembro 2017
 
Guia do Mercado Laboral 2015 - Hays Portugal
Guia do Mercado Laboral 2015 - Hays PortugalGuia do Mercado Laboral 2015 - Hays Portugal
Guia do Mercado Laboral 2015 - Hays Portugal
 
Espaço SINDIMETAL 77
Espaço SINDIMETAL 77Espaço SINDIMETAL 77
Espaço SINDIMETAL 77
 
Espaço SINDIMETAL 64
Espaço SINDIMETAL 64Espaço SINDIMETAL 64
Espaço SINDIMETAL 64
 
Espaço SINDIMETAL 21
Espaço SINDIMETAL 21Espaço SINDIMETAL 21
Espaço SINDIMETAL 21
 
Empreendedorismo capitulo-2
Empreendedorismo capitulo-2Empreendedorismo capitulo-2
Empreendedorismo capitulo-2
 
Humangext Magazine nº 15
Humangext Magazine nº 15Humangext Magazine nº 15
Humangext Magazine nº 15
 
os desafios da produtividade - novas habilidades na era do conhecimento
os desafios da produtividade - novas habilidades na era do conhecimentoos desafios da produtividade - novas habilidades na era do conhecimento
os desafios da produtividade - novas habilidades na era do conhecimento
 
Inovação em Foco
Inovação em FocoInovação em Foco
Inovação em Foco
 
Gestão da inovacao com sustentabilidade e conectividade
Gestão da inovacao com sustentabilidade e conectividadeGestão da inovacao com sustentabilidade e conectividade
Gestão da inovacao com sustentabilidade e conectividade
 
Fórum de Inovação | Inovação e mudanças
Fórum de Inovação | Inovação e mudançasFórum de Inovação | Inovação e mudanças
Fórum de Inovação | Inovação e mudanças
 
Espaço SINDIMETAL 40
Espaço SINDIMETAL 40Espaço SINDIMETAL 40
Espaço SINDIMETAL 40
 
Espaço SINDIMETAL 79
Espaço SINDIMETAL 79 Espaço SINDIMETAL 79
Espaço SINDIMETAL 79
 
Inova Day 22 Trend Topics 20-30.pdf
Inova Day 22 Trend Topics 20-30.pdfInova Day 22 Trend Topics 20-30.pdf
Inova Day 22 Trend Topics 20-30.pdf
 
GV-executivo VOLUME 17, NÚMERO 1 JANEIRO/FEVEREIRO 2018
 GV-executivo VOLUME 17, NÚMERO 1 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 GV-executivo VOLUME 17, NÚMERO 1 JANEIRO/FEVEREIRO 2018
GV-executivo VOLUME 17, NÚMERO 1 JANEIRO/FEVEREIRO 2018
 

Mais de SINDIMETAL RS

Espaço SINDIMETAL 82
Espaço SINDIMETAL 82Espaço SINDIMETAL 82
Espaço SINDIMETAL 82SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 81
Espaço SINDIMETAL 81 Espaço SINDIMETAL 81
Espaço SINDIMETAL 81 SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 80
Espaço SINDIMETAL 80 Espaço SINDIMETAL 80
Espaço SINDIMETAL 80 SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 76
Espaço SINDIMETAL 76Espaço SINDIMETAL 76
Espaço SINDIMETAL 76SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 74
Espaço SINDIMETAL 74Espaço SINDIMETAL 74
Espaço SINDIMETAL 74SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 73
Espaço SINDIMETAL 73Espaço SINDIMETAL 73
Espaço SINDIMETAL 73SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 70
Espaço SINDIMETAL 70Espaço SINDIMETAL 70
Espaço SINDIMETAL 70SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 68
Espaço SINDIMETAL 68Espaço SINDIMETAL 68
Espaço SINDIMETAL 68SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 67
Espaço SINDIMETAL 67Espaço SINDIMETAL 67
Espaço SINDIMETAL 67SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 63
Espaço SINDIMETAL 63Espaço SINDIMETAL 63
Espaço SINDIMETAL 63SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 62
Espaço SINDIMETAL 62Espaço SINDIMETAL 62
Espaço SINDIMETAL 62SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 61
Espaço SINDIMETAL 61Espaço SINDIMETAL 61
Espaço SINDIMETAL 61SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 60
Espaço SINDIMETAL 60Espaço SINDIMETAL 60
Espaço SINDIMETAL 60SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 59
Espaço SINDIMETAL 59Espaço SINDIMETAL 59
Espaço SINDIMETAL 59SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 57
Espaço SINDIMETAL 57Espaço SINDIMETAL 57
Espaço SINDIMETAL 57SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 56
Espaço SINDIMETAL 56Espaço SINDIMETAL 56
Espaço SINDIMETAL 56SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 55
Espaço SINDIMETAL 55Espaço SINDIMETAL 55
Espaço SINDIMETAL 55SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 54
Espaço SINDIMETAL 54Espaço SINDIMETAL 54
Espaço SINDIMETAL 54SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 53
Espaço SINDIMETAL 53Espaço SINDIMETAL 53
Espaço SINDIMETAL 53SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 52
Espaço SINDIMETAL 52Espaço SINDIMETAL 52
Espaço SINDIMETAL 52SINDIMETAL RS
 

Mais de SINDIMETAL RS (20)

Espaço SINDIMETAL 82
Espaço SINDIMETAL 82Espaço SINDIMETAL 82
Espaço SINDIMETAL 82
 
Espaço SINDIMETAL 81
Espaço SINDIMETAL 81 Espaço SINDIMETAL 81
Espaço SINDIMETAL 81
 
Espaço SINDIMETAL 80
Espaço SINDIMETAL 80 Espaço SINDIMETAL 80
Espaço SINDIMETAL 80
 
Espaço SINDIMETAL 76
Espaço SINDIMETAL 76Espaço SINDIMETAL 76
Espaço SINDIMETAL 76
 
Espaço SINDIMETAL 74
Espaço SINDIMETAL 74Espaço SINDIMETAL 74
Espaço SINDIMETAL 74
 
Espaço SINDIMETAL 73
Espaço SINDIMETAL 73Espaço SINDIMETAL 73
Espaço SINDIMETAL 73
 
Espaço SINDIMETAL 70
Espaço SINDIMETAL 70Espaço SINDIMETAL 70
Espaço SINDIMETAL 70
 
Espaço SINDIMETAL 68
Espaço SINDIMETAL 68Espaço SINDIMETAL 68
Espaço SINDIMETAL 68
 
Espaço SINDIMETAL 67
Espaço SINDIMETAL 67Espaço SINDIMETAL 67
Espaço SINDIMETAL 67
 
Espaço SINDIMETAL 63
Espaço SINDIMETAL 63Espaço SINDIMETAL 63
Espaço SINDIMETAL 63
 
Espaço SINDIMETAL 62
Espaço SINDIMETAL 62Espaço SINDIMETAL 62
Espaço SINDIMETAL 62
 
Espaço SINDIMETAL 61
Espaço SINDIMETAL 61Espaço SINDIMETAL 61
Espaço SINDIMETAL 61
 
Espaço SINDIMETAL 60
Espaço SINDIMETAL 60Espaço SINDIMETAL 60
Espaço SINDIMETAL 60
 
Espaço SINDIMETAL 59
Espaço SINDIMETAL 59Espaço SINDIMETAL 59
Espaço SINDIMETAL 59
 
Espaço SINDIMETAL 57
Espaço SINDIMETAL 57Espaço SINDIMETAL 57
Espaço SINDIMETAL 57
 
Espaço SINDIMETAL 56
Espaço SINDIMETAL 56Espaço SINDIMETAL 56
Espaço SINDIMETAL 56
 
Espaço SINDIMETAL 55
Espaço SINDIMETAL 55Espaço SINDIMETAL 55
Espaço SINDIMETAL 55
 
Espaço SINDIMETAL 54
Espaço SINDIMETAL 54Espaço SINDIMETAL 54
Espaço SINDIMETAL 54
 
Espaço SINDIMETAL 53
Espaço SINDIMETAL 53Espaço SINDIMETAL 53
Espaço SINDIMETAL 53
 
Espaço SINDIMETAL 52
Espaço SINDIMETAL 52Espaço SINDIMETAL 52
Espaço SINDIMETAL 52
 

Espaço SINDIMETAL 78

  • 1. 78 - Setembro / Outubro 2019 | ANO 13
  • 2. w w w . s i n d i m e t a l r s . o r g . b r D e forma cada vez mais latente, ouvimos falar da evolução constante, exponencialmente rápida, com que as mudanças cotidianas vêm ocorrendo, trazendo consigo desafios pessoais e profissionais. É um caminho sem volta, uma roda movida por uma energia cinética gigantesca em aceleração. Inserem-se neste cenário desafiador não somente as nossas empresas, mas sim todos os pilares da sociedade: famílias, escolas, entidades, empresas, governo, dentre outros. Pensando nesta dinâmica tecnológica e evolutiva, nos colocamos a refletir: - qual o tipo de profissional que necessitaremos e/ ou teremos em nossas organizações em cinco ou dez anos? Quando, de acordo com as expectativas ou necessidades de cada um, tivermos a resposta, faz-se outra pergunta: - de que forma estamos formando e qualificando nossas crianças e jovens para serem os profissionais do amanhã? Baseado neste contexto, da formação humana e profissional com visão futura, destacam-se com louvor as Feiras de Ciências e Mostras Científicas, promovidas em escolas ou eventos maiores, reunindo diversos estabelecimentos de ensino de uma região, Estado, País ou até do globo, onde alunos desde a Educação Infantil, do Ensino Básico à jovens do Ensino Médio têm a oportunidade desafiadora de apresentarem seus projetos de pesquisa, inovação, seja na área da saúde, meio ambiente, engenharias ou soluções que melhorem o cotidiano. A apresentação pública dos trabalhos contribui para o aumento do potencial criativo e realizador do jovem, além da intensificação das interações sociais, favorecendo o desenvolvimento cognitivo. De forma mais objetiva, as Feiras de Ciências promovem importantes benefícios aos jovens, como: 1) Crescimento pessoal e ampliação das vivências; 2) Ampliação da capacidade comunicativa; 3) Desenvolvimento da iniciativa, atitude e trabalho em equipe; 4) Exercício da criatividade, planejamento e execução; 5) Desenvolvimento do senso crítico e da capacidade de avaliação.     A sociedade vive, hoje, com excesso de informação, de opinião, muitas ideias, mas pouca prática, pouca fundamentação e consistência crítica. Estas feiras científicas obrigam o jovem a pensar, sair da rotina óbvia de suas atribuições. São desafiados a ter um propósito; passam por uma sabatina de questionamentos. Certamente, serão profissionais mais capazes e preparados para encararmelhoradinâmicadiáriaemnossasempresas,enfrentando os problemas ou situações diárias como desafios e oportunidades de melhoria, oportunidades de evoluir, seja em gestão, operação, processos, produtos ou serviços. Teremos então um profissional capaz de assumir maiores responsabilidades, liderança com visão no amanhã. As escolas do SESI têm se desenvolvido muito bem com seus métodos de ensino inovadores, pensando na educação do futuro, preparando os alunos para a indústria 4.0 e com fundamental participação ativa dos pais na formação. Projetos desenvolvidos nas salas de aula do SESI estão tendo a oportunidade de serem apresentados ao público em diversos eventos científicos, como por exemplo na Feira SESI Com@Ciência, ocorrida no início de outubro, na FIERGS. Vários trabalhos de alunos do SESI-SENAI têm sido premiados mundo afora. Isto é fantástico, entusiasma e motiva, promove o desenvolvimento humano, social e tecnológico, afinal, estamos formando pessoas melhores. Isto precisa continuar, pois tem espaço e necessidade para mais. Através da promoção de ações concretas como estas, alcançaremos de forma mais rápida e eficaz os avanços necessários para que as indústrias nacionais possam receber profissionais mais qualificados e preparados e assim tornarem-se mais competitivas, através do ganho de eficiência, produtividade e tecnologia. Temos um longo e difícil caminho para percorrer. A sociedade, os empresários e o governo têm enorme responsabilidade para promover esta transformação. Não há tempo a perder. O SINDIMETAL, como entidade representativa da indústria, tem papel significativo, apoiando as escolas ou entidades que os promovem, principalmente os jovens com suas iniciativas criativas e inteligentes. Uma oportunidade de participar está na nossa porta. Agora, na penúltima semana de outubro, ocorre a Mostratec, em Novo Hamburgo. Um dos maiores eventos do País neste segmento da iniciação científica. Um trampolim para diversas outras feiras no mundo, incluindo a INTEL – ISEF nos Estados Unidos, a maior de todas. Pois o SINDIMETAL está realizando a sua reunião mensal da diretoria, no dia 24 de outubro, em Novo Hamburgo, em virtude deste evento. Na oportunidade, as respectivas lideranças visitam a Mostratec e prestigiam esta importante feira. Os modelos tradicionais de ensino precisam ser repensados, repaginados, saindo da superficialidade atual para um plano mais amplo, baseado em uma visão de necessidade futura, ampliando a execução dos ‘cases de sucesso’ na educação. Nada fácilem um País com tantas adversidades sociais. Mas, com foco, segmentação das atividades, de acordo com o potencial da região, recursos e gestão profissional das escolas, certamente teremos evolução e melhores profissionais no amanhã. JOVENS MAIS PREPARADOS PARA O FUTURO PONTO DE VISTA 02 Vice-Presidente do SINDIMETAL RS Vitor Fabiano Ledur Os modelos tradicionais de ensino precisam ser repensados, repaginados, saindo da superficialidade atual...
  • 3. E ste ano tem sido intenso para as empresas e também para o SINDIMETAL. Uma economia que busca se fortalecer e a corrida por acompanhar as mudanças, que chegam a todo momento, fazem parte da realidade de tantos ou de quase todos. Uma certeza: aprender com os desafios e avançar sempre. Iniciamos esta edição do ESPAÇO com um artigo, na coluna Ponto de Vista, assinado pelo vice-presidente Vitor Ledur, que registra, oportunamente, a importância da educação e dos projetos de pesquisa e inovação. Um assunto sempre atual, que merece ser acompanhado de perto. Na página 04, o destaque é a reunião de diretoria, desta vez em Sapiranga, ampliando e solidificando a relação com lideranças da região. Uma proposta, inédita no Rio Grande do Sul, mediante a sugestão de concessão de benefício tributário ao contribuinte, foi apresentada na Prefeitura Municipal de São Leopoldo. A matéria sobre o Imposto Verde, sugerido pelo SINDIMETAL, e que é destaque na capa desse informativo, pode ser conferida na página 05. Ampliando serviços e o atendimento às empresas, foi inserida, na lista de serviços, a assessoria Jurídica Previdenciária. Fique por dentro da novidade, lendo a página 06, onde também a assessoria em Controladoria e Contabilidade oferece mais duas opções de atendimento. Confira, na página 07, o encerramento do programa piloto de Aceleração de Marketing Digital na Indústria, que teve um saldo positivo. Leia também, nas páginas centrais, sobre dois eventos que mobilizaram diversas empresas e propiciaram networking e oportunidades de negócios. Os Grupos Estratégicos e de RH seguem desenvolvendo assuntos específicos, sempre em busca de soluções para questões pertinentes às empresas. Na página 10, acompanhe as atividades realizadas. Na sequência, nas páginas 11, 12 e 13, os artigos Técnico Ambiental, Jurídicos Trabalhista e Tributário apresentam temas atuais, que seguem interessando a categoria metalmecânica. E, nas páginas 14, 15 e 16, estão em destaque empresas associadas, que seguem firmes e determinadas em crescer e evoluir sempre, no segmento em que atuam. Muita inspiração e realizações a todos. Boa leitura e até a próxima edição! Avançando sempre! SINDIMETAL RS Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico e Eletrônico de São Leopoldo PRESERVE O MEIO AMBIENTE Rua José Bonifácio, nº 204 - 5º andar - Centro das Indústrias - São Leopoldo/RS - Fone (51) 3590.7700 editorial Diretor Executivo: Valmir Pizzutti Relacionamento Institucional: Andrea Maganha Redação: Jornalista Neusa Medeiros (Mtb 5062) Informativo bimestral Tiragem: 1.500 exemplares Circulação: gratuita e dirigida Edição e Produção: Edição 3 Comunicação Empresarial Ltda. Gráfica: Impressos Portão Ltda. Fotos: divulgação Trabalhos assinados são de responsabilidade de seus autores. relacionamento@sindimetalrs.org.br www.sindimetalrs.org.br ÍNDICE EXPEDIENTE PRESIDENTE Sergio de Bortoli Galera VICE-PRESIDENTES Arno Tomasini Jean Carlo Peluso Sofia Copé Heller Michel Valdir Luiz Huning Vitor Fabiano Ledur Volker Lübke SECRETÁRIO Roberto Petroll TESOUREIRA Caroline Capelão Vargas CONSELHO FISCAL - TITULARES Alexandre R. dos Santos Luiz Antônio Gonçalves Rubén Antônio Duarte CONSELHO FISCAL - SUPLENTES Andrea P. Gremes Pereira Gustavo Geremia Mauro Fernando Dutra DELEGADOS REPRESENTANTES JUNTO À FIERGS TITULARES Raul Heller Sergio de Bortoli Galera SUPLENTES Volker Lübke Arno Tomasini DELEGADOS REPRESENTANTES Estância Velha/ Dois Irmãos/ Ivoti: Marcelino Leopoldo Barth Esteio / Sapucaia do Sul: Juliano Ilha Morro Reuter: Ronei Feltes São Sebastião do Caí/ Montenegro: Vitor Fabiano Ledur Sapiranga: Emilio Neuri Haag Vale Real: Roberto Petroll DIRETORIA | GESTÃO 2019 - 2021 02 - PONTO DE VISTA 10 - AÇÃO 08 e 09 - AÇÃO 16 - VITRINE 05 - INSTITUCIONAL 13 - JURÍDICO TRIBUTÁRIO 06 - SERVIÇO / AÇÃO 14 - MERCADO 07 - AÇÃO / INSTITUCIONAL / SERVIÇO 15 - MERCADO 03 - EDITORIAL 11 - TÉCNICO AMBIENTAL 04 - INSTITUCIONAL 12 - JURÍDICO TRABALHISTA DIRETORES Adilso Klaus Christine Lange DanielCarlos Pereira Darlan Geremia Emílio Neuri Haag Juliano Ilha Leonardo Pedroso Filho Marcelino Leopoldo Barth Marcelo Mariani Pedro Paulo Lamberty RobertoAlexandre Schroer Roberto Dauber Ronei Feltes Sandro Morais Nogueira UdoWondracek
  • 4. w w w . s i n d i m e t a l r s . o r g . b r 04 institucional BOLETIM SOCIOECONÔMICO DA ACIST REUNIÃO DE DIRETORIA EM SAPIRANGA APROXIMA ASSOCIADOS E FILIADOS Ocorreu, no dia 27 de agosto, a apresentação da quarta edição do Boletim Socioeconômico Trimestral da Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Tecnologia de São Leopoldo (ACIST- SL). O diretor Executivo, Valmir Pizzutti, esteve presente e fez um relato histórico sobre a indústria metalmecânica no município. Salientou, a importância de incentivos e da união de esforços para o desenvolvimento local. Na ocasião, foi realizado um levantamento completo sobre a evolução do emprego e renda em São Leopoldo. Fernando Ribas, vice-presidente de Indústria da Associação e coordenador do Boletim, abordou sobre o Desenvolvimento Econômico de São Leopoldo. O painel contou com a presença do secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turístico e Tecnológico, Rafael Souza; presidente da CDL, Olinto Menegon; e diretor executivo do SINDIMETAL RS, Valmir Pizzutti. O Boletim Socioeconômico é uma publicação trimestraldesenvolvida pela ACIST-SL, com o objetivo de divulgar os indicadores de São Leopoldo. A cada edição, além dos dados econômicos, são apresentadas informações sobre um bloco temático: Educação, Segurança, Saúde e o Desenvolvimento da Cidade. A pesquisa das informações é realizada com o apoio do Núcleo de Excelência – Competitividade e Economia Internacional, da Unisinos. O Boletim é patrocinado pelas empresas Frontec, Stihl e Vila Rica. O Banco de Alimentos Vale do Sinos, inaugurado em São Leopoldo, no dia 11 de setembro de 2008, objetiva combater a desnutrição e a obesidade nas instituições, que atendem às comunidades carentes da região, elevando assim os níveis de saúde, bem-estar, respeito, dignidade e inclusão social das pessoas atendidas. Durante estes 11 anos, o Banco deAlimentosVale do Sinos beneficiou 199 instituições, 15.911 pessoas, totalizando 1.829.590 Kg/ litros. Neste ano, até o mês de agosto, foram contabilizadas 58 instituições ativas, que atenderam 5.501 pessoas e arrecadaram 32.878 Kg/ litros. Em termos de valor, a arrecadação soma R$4.573.975,00, além de todos os benefícios oferecidos às comunidades relativos às ações educativas em saúde e nutrição, voltadas à segurança alimentar e nutricional das mesmas. Os Bancos Sociais são uma iniciativa do sistema FIERGS, através da Fundação Gaúcha dos Bancos Sociais. O Banco de Alimentos Vale do Sinos é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), formado pelos municípios de São Leopoldo, Portão, Sapucaia do Sul e Esteio. O SINDIMETALRS, juntamente com outras entidades representativas e empresas, é um de seus fundadores, além de mantenedor. O Pe. Idinei Augusto Zen, da Unisinos – Associação Antônio Vieira, assumiu o cargo de diretor-presidente e responde pela atual gestão iniciada em julho de 2018 e que se estenderá até junho de 2020. O trabalho é gigantesco para multiplicar alimentos e doações. A dedicação dos voluntários, que auxiliam em todas as frentes, e as inúmeras campanhas de arrecadação de alimentos, somados ao Sábado Solidário, são fundamentais para manter os estoques compatíveis com tamanha demanda. Que o desejo de fazer acontecer e realizar acompanhe sempre esta organização, que reúne tantas pessoas, de diferentes áreas de atuação, visando o bem comum. Cumprimentos às empresas envolvidas, aos grupos voluntários e às instituições parceiras, que fazem parte desta história. Sob a coordenação do vice-presidente, Volker Lübke, que na ocasião esteve representando o presidente, Sergio Galera, ocorreu, dia 22 de agosto, uma nova edição da reunião de diretoria, na base da entidade. O encontro teve lugar no CAT SESI, em Sapiranga, antecedendo o 17º Encontro de Negócios On The Road (veja cobertura na página 09). A iniciativa, que no dia 27 de junho também foi realizada em Montenegro, objetivou ampliar a aproximação e solidificar a relação da entidade com lideranças da respectiva região. Prestigiaram a reunião, além de integrantes da diretoria, os empresários Adelar Ribeiro – Refund; Ariberto Wagener – Metalsinos, Leonardo Borges – Pramel e Mateus Aumondi – Formaf. O diretor Executivo, Valmir Pizzutti, após saudar os participantes, realizou a apresentação institucional do SINDIMETAL RS, destacando as ações que vêm sendo efetivadas em prol da categoria econômica. O vice-presidente Volker, agradeceu a presença de todos e conduziu os itens da pauta, enfatizando a importância de fortalecerarepresentatividade,aumentando a participação do empresariado nas atividades da entidade. Na ocasião, integrantes da diretoria, representando os Grupos Estratégicos, realizaram relatos dos projetos em andamento, sensibilizando os associados e filiados a aderirem. Confira a matéria completa na página 10. Pizzutti aborda sobre o setor metalmecânico 11 anos do Banco de AlimentosVale do Sinos
  • 5. s i n d i m e t a l @ s i n d i m e t a l r s . o r g . b r 05 INSTITUCIONAL SINDIMETAL RS apresenta proposta de projeto IMPOSTO VERDE PARA SÃO LEOPOLDO A diretoria do SINDIMETAL RS, representada pelo presidente Sergio Galera, entregou oficialmente, dia 05 de setembro, ao prefeito Ary Vanazzi, uma proposta de Projeto de Lei, para instituir no município o Imposto Verde. A proposta, inédita no Rio Grande do Sul, objetiva fomentar medidas que preservem, protejam e recuperem o meio ambiente, mediante a concessão de benefício tributário ao contribuinte. O Imposto Verde, sugerido pelo SINDIMETAL RS, beneficiaria, com descontos em tributos municipais, especialmente o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), proprietários de imóveis residenciais e não residenciais, que adotem medidas pontuadas no respectivo documento, impactando positivamente junto ao meio ambiente. A iniciativa, de acordo com o presidente da entidade, visa contribuir para que o município seja mais sustentável, com o apoio das indústrias. “Temos ‘cases’ positivos em outros Estados, como Santa Catarina, São Paulo e Espírito Santo, e certamente será um ganho enorme para toda a comunidade incentivarmos ações voltadas à sustentabilidade, que poderão gerar maior desenvolvimento econômico e social, além de reduzir gastos para a administração pública”, comenta. Para o prefeito a ideia vai ao encontro dos projetos pensados para a cidade. ”Somos o coração da região, temos toda a vontade de desenvolver ações sustentáveis, que combinem desenvolvimento econômico com qualidade de vida”, afirma. Após ouvir o detalhamento da proposta, o prefeito sugeriu criar um grupo de trabalho, com representantes das secretarias municipais e técnicos do SINDIMETAL RS, para aprofundar o tema e estudar a viabilidade do projeto. “O mundo está atento às questões relativas ao meio ambiente e, neste momento, precisamos da ajuda de todos para que o tema sustentabilidade seja vivido na prática e receba o cuidado que merece”, reforça o presidente Sergio Galera. Participaram da reunião, os secretários Geral de Governo, Marcel Frison; da Fazenda, Eduardo Petters; do Meio Ambiente, Darci Zanini; de Desenvolvimento Econômico, o adjunto Mário Rosito; além do diretor de Planejamento e Gestão Ambiental, da Semmam, Joel Garcia. O SINDIMETAL RS também contou com a presença do diretor Executivo, Valmir Pizzutti; advogados Eduardo Gaelzer e Fernando Garcez, da assessoria Jurídica; engenheira Química, Ana Curia, da assessoria Técnica Ambiental; Mari Lúci de Oliveira e Andrea Maganha, ambas integrantes da equipe executiva da entidade. Mantenha a sua CONEXÃO com o SINDIMETAL RS interagindo com a agenda de atividades, atualizando seus dados e garantindo um maior engajamento com a entidade, associados e filiados. O CANAL está ABERTO! Temos um espaço à disposição dos empresários, para que se manifestem sobre assuntos, que contribuam para o desenvolvimento da indústria, interagindo assim com a instituição, que os representa. Aguardamos o seu contato! Participar das atividades do SINDIMETAL RS é uma oportunidade de fortalecer e dar visibilidade para a sua empresa. Faça parte! Fone: (51) 3590-7707 l e-mail relacionamento@sindimetalrs.org.br Pizzutti, Galera e Vanazzi
  • 6. w w w . s i n d i m e t a l r s . o r g . b r 06 JURÍDICO PREVIDENCIÁRIO À DISPOSIÇÃO DAS EMPRESAS Controladoria e Contabilidade amplia serviços SERVIÇO / AÇÃO Com o objetivo de proporcionar opções para atender sempre mais e melhor as empresas associadas e filiadas, desde o dia 1º de outubro, o SINDIMETAL RS inseriu na sua lista de serviços a assessoria Jurídica Previdenciária. A mesma é realizada pela Toffoli Assessoria e Consultoria, representada pela advogada Jucemara Toffoli, com sede no Centro das Indústrias, rua José Bonifácio, nº 204, 6º andar - sala 602 B, em São Leopoldo. O atendimento inicial às empresas associadas e filiadas é realizado sem custo, com o objetivo de assessorar e conduzir de forma mais eficaz o planejamento previdenciário, tanto das empresas Aassessoria em Controladoria e Contabilidade, a cargo da Colombo Consultoria Empresarial Ltda, atende as empresas associadas e filiadas, sem custo inicial, com o objetivo de oferecer um novo cenário ao empresário em relação ao seu negócio. A boa nova é que, a partir de agora, foram agregados aos serviços já oferecidos, mais duas opções de atendimento. Os interessados poderão contar com assessoria e orientações com relação a Recuperação deTributos (Desenvolvimento de Auditoria como de seus funcionários. Os serviços oferecidos, mediante contratação, de acordo com os interesses das empresas, objetivam viabilizar a concessão de benefícios previdenciários (mormente aposentadorias) aos seus colaboradores. Consiste na pesquisa e/ou análise de documentos pertinentes a históricos previdenciários de seus colaboradores, buscando evitar passivos trabalhistas, resolução de situações, que envolvam as empresas junto à Previdência Social, além de planejamento previdenciário do quadro de funcionários, objetivando evitar possíveis demandas judiciais. O atendimento é realizado no escritório, ou diretamente nas empresas, caso necessário, mediante agendamento. em Crédito de Impostos, como ICMS, PIS, COFINS, IPI e outros). Também, Impostos de Renda e CSSL (Cálculo da alternativa mais econômica entre o Lucro Real, Lucro Presumido ou Simples Nacional, baseado nos dados contábeis existentes na empresa. Interessados em mais informações sobre os serviços de Controladoria, Contabilidade e Assessoria Administrativa poderão contatar, através dos telefones: (51)  3066.9907, 3066 .9908 e 3066.9930. Agenda em pauta Maisinformações:(51)3590-7707,3590-7708ou3590-7710. Programaçãosujeitaàalteração.Agendaon-lineem:www.sindimetalrs.org.br 27 DE OUTUBRO - 9ª Corrida Rústica e 6ª Caminhada do Trabalhador 30 DE OUTUBRO - Palestra LGPD - Lei Geral de Proteção de Dados, sua empresa está preparada? 11 DE NOVEMBRO - Palestra 2020 e Além - Como a tecnologia e a mudança de comportamento afetam seu negócio? 18 DE NOVEMBRO - Curso de CIPA 18 DE NOVEMBRO - Workshop #1 – Quem é o nosso cliente hoje? 27 DE NOVEMBRO - Workshop #2 - Planejamento Tático Comercial 02 DE DEZEMBRO - Workshop #3 - Marketing de Relacionamento 13 DE DEZEMBRO - Curso EFD-REINF e a DCTFWeb 2019 VALORES DIFERENCIADOS PARA ASSOCIADOS E FILIADOS Telefones: (51) 3783-0965 ou 9.8212.0320.
  • 7. s i n d i m e t a l @ s i n d i m e t a l r s . o r g . b r 07 Encerramento do Piloto de Aceleração de Marketing Digital AÇÃO / INSTITUCIONAL / SERVIÇO Com a meta de acompanhar as mudanças tecnológicas e ampliar conhecimentos no universo digital, foi desenvolvido, junto ao Planejamento de Marketing Digital, do SINDIMETAL RS, o programa piloto de Aceleração de Marketing Digital na Indústria. Esta primeira fase atendeu as empresas Artestampo, Belton, CCV, Gedore, Grefortec, Ifla, Infasul, Itecê, Mariani Metais e Spheric. O encerramento do piloto ocorreu no dia 24 de setembro, com um encontro entre os representantes das empresas participantes. O programa teve início em abril e contou com uma consultoria especializada e uma agenda diversificada, com vistas a impulsionar o marketing digital junto às empresas, relatou o diretor Executivo do SINDIMETAL RS, Valmir Pizzutti. “O futuro da indústria está aqui. Parabéns aos participantes, que aderiram a este projeto piloto e que desejam manter a chama do marketing digital pulsando e trazendo benefícios para as suas empresas”, afirma.     Este propósito também está sendo vivido pelo SINDIMETAL RS, que vem qualificando a equipe. Além de lançarmos um novo site e a Newsletter, já estamos presentes também no LinkedIn. “Todas estas iniciativas contribuem para aperfeiçoar o processo de comunicação e aproximação com as empresas associadas e filiadas”, enfatiza Pizzutti. “Desejamos que conheçam e percebam o valor das ações e atividades da entidade, promovendo assim a manutenção do relacionamento, aumentando igualmente o seu envolvimento”. O relatório final foi apresentado e entregue individualmente para todos, por Ariane Feijó, diretora Executiva da Otimifica, que desenvolveu a respectiva consultoria. O trabalho foi realizado de acordo com o índice de maturidade do marketing digital das empresas, incluindo igualmente workshops presenciais e consultoria personalizada. SALDO POSITIVO – Segundo Ariane, o objetivo geral era auxiliar as associadas a utilizar plenamente as metodologias ágeis do marketing digital. “Nesta direção, foram mais de 200h, que o SINDIMETAL RS dedicou ao programa, que incluíram consultorias presenciais e online para as empresas, além de workshops”, afirma. “Todos evoluímos muito com este aprendizado, que trouxe ganhos incríveis para a entidade, participantes e para toda equipe”. Houve um crescimento e um saldo positivo diante do Google, com resultados aparentes, colocando um ‘holofote’ na gestão das empresas”, assegurou igualmente Thiane Ávila, da Otimifica. O entendimento sobre marketing digital, que inclui a importância da definição da persona, jornada, análise de mercado digital, funil e SEO; implantação do blog nos sites e produção de conteúdo, foram os marcos de sucesso do programa. Para o vice-presidente da entidade e incentivador da iniciativa, Valdir Luiz Hüning, diretor da associada Sebras, “os resultados obtidos até o momento confirmam a importância deste modelo, para divulgarmos ainda mais as empresas, seus produtos e serviços, além de alavancarmos as vendas”. Igualmente o diretor da Infasul, Nelso Fagherazzi, registrou um agradecimento à entidade pela iniciativa oportuna, que veio ao encontro das nossas necessidades, aplicando um programa sensível às dificuldades de cada empresa”. O próximo passo, segundo adiantou Pizzutti, será elaborarum novo cronograma de atividades visando dar prosseguimento à presença otimizada na Internet. “As empresas já confirmaram o interesse em continuar ampliando os conhecimentos necessários para manter e ampliar o Índice de Maturidade de Marketing Digital atingido durante o Programa”. Em breve, teremos mais novidades sobre o assunto. Interessados em conhecer mais sobre o Programa deverão entrar em contato com a entidade através do fone (51) 3590-7707 ou e-mail relacionamento@sindimetalrs. org.br. Ampla infraestrutura à disposição dos associados, filiados e parceiros, na sede do SINDIMETAL RS, junto ao Centro das Indústrias, em São Leopoldo. Diferentes opções para locação, disponíveis para atividades com foco empresarial. Consulte o site ou contate: (51) 3590-7708. Locação de espaços num ambiente diferenciado Participantes e equipe
  • 8. w w w . s i n d i m e t a l r s . o r g . b r 08 Networking e oportu AÇÃO Numa iniciativa do SINDIMETAL RS, em parceria com o SEBRAE, ocorreu a missão empresarial à feira Mercopar, incluindo visita técnica à empresa Randon, nos dias 02 e 03 de outubro, em Caxias do Sul. A programação, no turno da manhã, foi destinada a visita técnica na Randon, maior fabricante de reboques e semirreboques da América Latina. A segunda etapa da visita na Randon foi realizada no estande do Espaço Hélice, cuja empresa é uma de suas mantenedoras. Os integrantesestiveramnoestandeHélice,local dentro da respectiva feira, para conhecer a sua organização. O Espaço Hélice acredita no potencial da união entre empresas e startups para resolver problemas reais e gerar valor na cadeia, reunindo inovação e excelência operacional. O turno da tarde foi reservado para a visitação na Mercopar. A tradicional Feira de Subcontratação e Inovação Industrial oportuniza às empresas um ambiente propício para a realização e encaminhamento denegócios,bemcomotrocadeinformações, sendo palco apropriado para a apresentação de lançamentos em produtos e serviços. A feira apresentou novidades e tendências nos setores metalmecânico, eletroeletrônico, automação, movimentação e armazenagem de materiais, serviços, borracha, plásticos, energia e meio ambiente, Tecnologia da Informação (TI), startups, entre outros, no período de 1º a 03 de outubro. Nesta edição, empresas associadas e filiadas ao SINDIMETAL RS, contaram com 10% de desconto, nas áreas dos estandes, em vista da parceria estratégica com o SEBRAE RS e a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), organizadores da feira. Estiveram presentes, com estandes próprios, as seguintes associadas: CCV, ERPS,Metalmoto,Pramel,SebraseSpheric. EXPERIÊNCIA - Segundo o empresário Alexandre Santos, da Sanlarte, “a feira Mercopar, a partir do ingresso da FIERGS, tornou-se um evento atrativo e proveitoso”. Também registra que o SINDIMETAL, com a visita na Randon, proporcionou aos associados uma oportunidade rara, pois “tivemos um momento de conhecimento sobreoutrosmercados”.Avaliacomotimismo que, em 2020, a Mercopar certamente irá atrair novos grandes expositores, capitalizando assim ótimos negócios. Para Milena Pedroso, da Transmaq, oportunidades como esta são fundamentais para entender, na prática, como as indústrias estão se organizando no atual contexto. Missão Empresarial Mercopar com visita técnica à Randon “A velocidade das mudanças e demandas do mercado exigem que nossas empresas estejam atualizadas e troquem práticas para sermosmaiscompetitivos,inovadoreseágeis nastomadasdedecisão.Conheceraestrutura organizacional, as linhas de produtos, os programas internos e o processo produtivo daRandonfoimuitoproveitoso”,avaliaMilena. “Visualizamos oportunidades de melhorias internas, que podem ser aplicadas no curto prazo, como programas participativos, que visam reduzir custos e engajar a equipe, aumentando a produtividade”. Um dos momentos mais curiosos foi a apresentação da Hélice, que iniciou com quatro empresas da região, que buscavam soluções externas para problemas comuns. “É um movimento muito interessante, por aproximar as startups da indústria, visando tornar o segmento mais inovador, além de reduzir custos e compartilhar experiências e resultados”, afirma. “Queremos crescer, inovar, aumentar nossa participação de mercado, sermos mais produtivos, entregar soluções mais completas e com menor custo aos nossos clientes e para isso precisamos pensar fora da caixa, visitar empresas, ouvir cases, compartilhardoreseagirnocoletivo”,justifica. “As trocas que fizemos e vivenciamos, contribuíram para o aprendizado e insights, que nossas empresas precisam. Obrigada SINDIMETAL RS por proporcionar esta missão!” Segundo o engenheiro  Tiago Simioni, supervisor de Engenharia, da Delga - Unidade São Leopoldo, é sempre muito importante visitar empresas tidas como referência. “O sistema de produção, segurança,RHedeculturaLeanemprocesso contínuo e maturado, nos ajuda a ter ideias de implementação em nossa realidade fabril. Serve também de termômetro e tendência de mercado”, analisa Tiago.  Quanto ao Espaço Hélice é um bom exemplo de empresas que estão maturando juntas o processo de compartilhamento de soluções, para redução de custos, com o incremento e fomento em startups. Com relação a visita à Mercopar, Tiago afirma que atualização e contatos sempre precisam ser fomentados e a Mercopar nos permite isso. “Este ano a feira estava muito conectada com as tendências de compartilhamentos e novas interações com startups e indústria 4.0. A feira deixou claro que as empresas/ fornecedores estão cada vez mais focadas em competitividade e redução de custos, agregando valor ao cliente”.
  • 9. s i n d i m e t a l @ s i n d i m e t a l r s . o r g . b r 09 nidades de negócios AÇÃO Presente em Sapiranga, o SINDIMETAL RS promoveu, pela primeira vez no município, um Encontro de Negócios, com a expectativa de gerar oportunidades e novos contatos para os gestores das empresas compradoras e vendedoras. O destaque foi enfatizado pelo diretor Executivo, Valmir Pizzutti, ao saudar os presentes, no dia 22 de agosto, onde salientou a importância da entidade estar presente efetivamente junto à sua base territorial. A atividade teve lugar no CAT SESI, no turno da tarde, e contou com a parceria do SEBRAE RS. Antecedendo este evento, aconteceu no local a reunião de diretoria do SINDIMETAL RS. Confira detalhes na página 04. O  17º Encontro de Negócios On The Road  reuniu diversas empresas vendedoras e as seguintes compradoras:  Box Print, Box Print Microondulados e New Print;  BR Milk, Kondak, Infasul, Inpel, Metalsinos, Sulpol, Unique, Werk- Schott e Zero Hora. Atradicionalatividade busca promovero encontro entre pequenas e grandes empresas, para contatos e efetivação de negócios, através de reuniões focadas na cadeia metalmecânica e eletroeletrônica. MESASDENEGOCIAÇÃO– Aatividadeédinâmicaetemcontribuído para a aproximação das empresas com interesses comuns, bem como a otimização do tempo dos participantes. O formato é de Arena, que consiste em reuniões com apresentação de empresas entre si, de forma simultânea. Apenas um representante de cada empresa inscrita circula na arena no período do evento. DEPOIMENTOS – A associada Inpel, que esteve representada por Lucas Azevedo Vieira Marques, do setor de Compras de Indiretos, participou pela terceira vez desta iniciativa como compradora. “É muito interessante, pois temos a possibilidade de ampliar os contatosnaregião,alémdesermosconhecidosporoutrasempresas do segmento”, afirma. “Os contatos aumentam significativamente e assim temos a chance de finalizar alguma compra ou mesmo alinhar novos negócios, que poderão ser efetivados”. Tecnomess - Milton Müller, gerente Comercial, esteve no evento como vendedor. “Este formato é muito dinâmico e as apresentações são objetivas, além de mais abrangentes, do que no formato tradicional, pois o alcance é maior tanto para vendedores quanto para compradores”, enfatiza. Como as apresentações são rápidas e mais precisas a rede de contatos é ampliada com Encontro On The Road, em Sapiranga, fomenta negócios na região mais velocidade, assegura. “No momento atual o mercado segue parado, mas devemos buscar a melhoria e novas oportunidades de conhecer fornecedores em potencial, efetivar vendas ou mesmo agendar visitas, onde novas portas possam se abrir para a empresa”. Milton também elogiou o trabalho do SINDIMETAL RS e do SEBRAE, entidades envolvidas nesta atividade, que estão sempre atentas ao mercado e buscam alternativas para o crescimento do setor. Metalsinos - A empresa compradora, representada por Fabiano Alves de Freitas, do setor de Compras, participou pela primeira vez do evento neste formato. “Foi muito bom.Aprovei 100% o dinamismo. A interação é evidente, pois todos têm oportunidade de apresentar a sua empresa”, destaca. Além disto, enfatizou a diversificação de empresas e serviços, o que tornou o evento ainda mais atraente. “Acredito que 40% das empresas apresentadas têm possibilidade de novos contatos e quem sabe efetivar parcerias. Mesmo no geral algumas não sendo diretamente do setor, achei interessante conhecê-las mais de perto, pois amplia o leque de oportunidades. Boa iniciativa, com certeza!”, enfatizou. Infasul - Diônata Santos da Veiga, representou a respectiva compradora, pela primeira vez, neste evento. “Este formato é muito válido, pois novas empresas foram apresentadas com possibilidade de efetivarmos negócios”, afirma. “Numa tarde seria impossível agendarmos com tantas empresas e com esta dinâmica foi possível otimizarmos o tempo e conhecermos possíveis fornecedores”. Pramel - Leonardo Borges Borba, do setor de Vendas, participou também pela primeira vez do Encontro de Negócios. “Como empresa vendedora foi desafiador, pois no dia a dia encontramos entraves para efetivar várias agendas num mesmo dia, ainda mais com possibilidade de futuras parcerias”, destaca. “Também foi importante reencontrar antigos clientes, que deram retorno positivo sobre o nosso trabalho, durante as apresentações. Certamente desejo participar de novas edições”. Sanlarte - Para o diretor Alexandre Santos, a experiência, a cada edição, é sempre muito positiva. “Temos oportunidade de conhecer empresas, que ainda não havíamos contatado, reencontrar outras, que já tivemos relações comerciais, além da possibilidade de efetivarmos negócios. E o mais interessante é que isto independe de ser vendedor ou comprador. As oportunidades de evoluir para uma contratação são muitas, sem falar da otimização do tempo, focado em resultados. Sempre afirmo: se queres ser reconhecido pelo mercado, vá para o mercado”.                  Foto:RafaelCavalli
  • 10. w w w . s i n d i m e t a l r s . o r g . b r Grupos Estratégicos e de RH em movimento Os Grupos Estratégicos do SINDIMETAL seguem se fortalecendo, comafinalidadededesenvolverassuntosespecíficos,quebuscam soluções para as empresas, alinhadas com o planejamento estratégico da entidade. Aproximadamente 40 empresas estão engajadas nesta iniciativa. Os Grupos Estratégicos têm pauta fixa nas reuniões de diretoria, favorecendo o conhecimento de todos, sobre os assuntos desenvolvidos. Por este motivo, seus coordenadores e vices também são membros da diretoria. ATRAÇÃO DA MÃO DE OBRA JOVEM PARA A INDÚSTRIA - Coordenadora Sofia Copé Heller Michel - Copé e vice - Caroline Vargas – CCV As ações estão focadas na Escola Técnica Estadual Frederico Guilherme Schmidt, com sede em São Leopoldo. Na pauta estão incluídas visitas dos alunos, dos 4º anos do técnico em Eletrotécnica e Eletromecânica, às empresas. Agenda: no dia 14 de agosto, na Coester, os alunos foram recebidos por Carlos Henrique Hennig - gerente de Engenharia e Eduardo Chrysostomo - gerente Geral da Aeromóvel. No dia 17 de setembro, a Leitz abriu suas portas e os alunos foram recepcionados por Adriane Werner - RH, Leandro Nonnemacher - gerente de Produção e o ex estagiário, hoje efetivado, como assistente técnico, Francisco Baumgratz. Já nos dias 16, 18 e 23/10, os alunos foram recebidos na Gedore, por Aline Martins da Silva, da área de RH; Augusto Eugênio Blume e Jair Babinski Ramos, supervisores da área de Manutenção. Também foram realizadas palestras, no dia 16 de agosto, na escola, sobre Quais profissionais a indústria procura nos dias de hoje, a cargo de Andressa e Andrea Pereira, da Grefortec; e A importância da manutenção nas organizações, com Alexandre Silva, da Gedore. O grupo também convida empresários e parceiros para prestigiar a 21ª Exposchmidt, nos dias 08 e 09 de novembro. As camisetas, que os alunos estarão usando durante a feira, terão o patrocínio do SINDIMETAL e das associadas Alu-Cek, Artestampo, CCV, Coester, Copé, Ernesto Müller, Gedore, Grefortec, Ifla, Itecê, Sanlarte, Sebras, Transmaq e SS Usinagem. As empresas CCV, Sanlarte, SS Usinagem, Sebras e a Alu-Cek estarão igualmente apadrinhando alguns trabalhos. MERCADO – Coordenador Valdir Hunning - Sebras e vice Marcelino Barth – Viva Cor O grupo desenvolveu uma proposta de trabalho focada em engajamento para vendas, junto à Noord Consulting & Services. Seu fundador, Leandro Fagundes, é Engenheiro Químico, com MBA em Gestão Empresarial, consultor de empresas, palestrante e mentor de vendas, sendo especialista nesta área e também em planejamento estratégico. 10 ação Veja as atividades previstas, que contemplam uma palestra e três workshops, nos dias 11, 18, 27/11 e 02/12 na agenda, na página 6. Programe-se! PRODUTIVIDADE - Coordenador Juliano Ilha – Artestampo e vice Udo Wondracek – Alu-Cek O grupo unificou as ‘dores do mapa da empatia’, do Fórum Lean 2018, em três grandes pilares: Econômico (as empresas precisam conhecer linhas de incentivo à inovação); Pessoas (sanar os conflitos de geração e a mudança de cultura) e Tecnologia (ações em torno de manufatura enxuta e desmistificação da indústria 4.0). Para o desenvolvimento de ações em torno destes temas, tratativas estão em andamento junto ao Sistema S. VALEMETALSINOS – Coordenador Mauro Dutra – SS Usinagem e vice Marcelo Mariani – Metalúrgica Mariani Na agenda de atividades, a participação do advogado Cláudio Garcez,daassessoriaJurídicadaentidade,nareuniãododia25de setembro, contribuiu com novas abordagens, esclarecimentos e orientações sobre itens relevantes da modernização trabalhista. O grupo conta com dois representantes no Conselho da Pequena e Média Indústria da FIERGS (Copemi): Mauro Dutra e Rubén Duarte, da RD-Flex. Esta pauta é fixa nas reuniões, a fim de elencarem reivindicações e receberem retorno do que acontece no Copemi. Está em tramitação, por exemplo, em vista deste movimento, uma demanda em torno do uso de crédito do ICMS para pagamento de conta de energia, gás, etc. GRUPOS DE RH Em andamento nas cidades de São Leopoldo, São Sebastião do Caí e Sapiranga, os Grupos de RH objetivam a troca de experiências entre empresas associadas e filiadas, com foco principal em pequenas e médias, além de levantamento de demandas. Possuem ainda, interface com a assessoria jurídica trabalhista em suas reuniões, para esclarecimentos de dúvidas. A coordenação em SÃO LEOPOLDO está a cargo de Marli Wondracek, da Alu-Cek e vice, Cláudia Luft, da Petec. Em SÃO SEBASTIÃO DO CAÍ: coordenação de Adriane Werner, da Leitz e vice Jocelei Bonatto, Imobras. Em SAPIRANGA, o grupo pretende fortalecer suas ações, a partir da participação de mais empresas da região. A troca de informações de rotinas de RH tem sido a principal temática entre os participantes. Ficou interessado em participar? Informações: (51) 3590-7708 ou 3590-7710.
  • 11. s i n d i m e t a l @ s i n d i m e t a l r s . o r g . b r Ações de Consumo Eficiente de Energia nas empresas do setor metalmecânico C onformedadosobtidosdaEmpresaBrasileiradePesquisa Energia (EPE), a demanda global por energia apresenta- se em franco crescimento. Observando-se o padrão de consumo energético brasileiro, no mês de fevereiro de 2019, houve um incremento de 4% no consumo total de energia elétrica em comparação com o mesmo período em 2018. Parte do incremento de consumo tem relação direta com a retomada da atividade industrial, que neste ano começa a recuperar as perdas realizadas nos anos anteriores, mas parte significativa do aumento deste consumo tem relação com as mudanças dos hábitos dos brasileiros, que desde 2010 vêm incrementando o consumo de energia em uma taxa descolada do crescimento populacional, resultando em incremento de consumo de energia per capita, (tonelada equivalente de petróleo por habitante – tep/hab), conforme apresentado na Figura 1. Estes dados levam a concluir que o consumo de energia tende a aumentar (1) tanto pelo aumento da população, (2) quanto pelos novos usos à que ela se destina, resultando em uma crescente necessidade pelo aumento na geração e conservação da energia. Fonte: Matriz energética brasileira: uma prospectiva Figura 1. Crescimento populacional e crescimento no consumo de energia per capita Neste conceito do uso eficiente da energia, segundo o plano decenal de expansão energética, elaborado pela EPE, em 2027 espera-se que o consumo economizado de energia, por meio de ações em eficiência energética, resulte na mesma energia produzida pela soma da produção anual das usinas de Itaipu e Xingó, cerca de 41TWh. Também, estima-se que a participação industrial no consumo de energia produzida no Brasil em 2027 corresponda a ~47% do total. Sendo que do grupo das indústrias energo-intensivas, como as empresas do setor metalmecânico, apresentam um consumo de cerca de ~24% de toda energia consumida pelo setor industrial. Neste contexto, é imprescindível, tanto por uma questão de disponibilidade de recursos energéticos quanto pela competitividade destas indústrias, que sejam realizadas ações de redução ou eliminação dos desperdícios nos processos fabris. Os ganhos em economia de energia para indústrias que nunca realizaram ações de eficiência energética são de ~10%, sem a necessidade de realização de investimentos significativos, trabalhando com ações de manutenção e ajustes em máquinas e equipamentos, conforme histórico de trabalhos já realizados pelo Instituto SENAI de Tecnologia em Petróleo Gás e Energia (IST PGE). Cabe ressaltar, que não apenas o consumo da energia elétrica é analisado e trabalhado quando se busca uma maior eficiência energética, mas também ações e melhorias direcionadas para todas as máquinas e equipamentos que utilizam qualquer tipo de fonte de energia, assim como no modelo de contratação de energia pela empresa e nas possibilidades de migração das empresas para o mercado de energia livre, co-geração e geração por meio de energias alternativas. Considerando os trabalhos realizados dentro do tema “eficiência energética” pelo IST PGE em empresas do setor metalmecânico localizadas no Vale dos Sinos, foi possível a economia anual de ~771,61MWh de energia, apenas por meio de ações de manutenção corretiva, tais como manutenção e ajustes de processos. Estas melhorias oportunizaram para as empresas uma redução nos valores de energia consumida (~80 mil reais por empresa ao ano) e a diminuição da necessidade de geração desta energia economizada, diminuindo, por consequência, o impacto ambiental resultante da atividade destas empresas. Temos que ter em mente que a energia é um insumo fundamental para assegurar o desenvolvimento econômico e socialde um País, sendo que a racionalização de seu uso apresenta-se como alternativa de baixo custo e de curto prazo de implantação. Em alguns casos, significativas economias podem ser obtidas apenas com mudanças de procedimentos e de hábitos. Uma empresa que deseja alcançar uma estrutura de custos racionalizada e tornar-se competitiva, deverá sempre considerar em seu modelo de gestão a análise do desperdício de energia, utilizando-a de forma eficiente e responsável. 11 Arthur D. Ceratti Analista do Instituto SENAI de Tecnologia em Petróleo, Gás e Energia técnico ambiental
  • 12. w w w . s i n d i m e t a l r s . o r g . b r 12 AS LEIS DE LIBERDADE ECONÔMICA E AS NOVIDADES NO DIREITO DO TRABALHO R ecentemente publicadas, as Leis nº 13.874 e 13.876 (ambas de 20.09.2019) têm por objetivo garantir a liberdade do setor privado para o exercício de atividades econômicas, presumindo a sua boa-fé e vulnerabilidade perante o Estado, assim como asseguram a intervenção mínima do Poder Público sobre o mercado. Mencionadas Leis alteraram alguns dispositivos trabalhistas, fato que merece atenção dos empregadores. Inicialmente, no tocante à Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) houve manifesta simplificação na obtenção desse documento por parte do trabalhador, na medida em que incumbirá ao Ministério da Economia emiti-lo em meio eletrônico, agora como regra (sendo excepcionalmente emitida em meio físico, nos casos previstos no parágrafo único do artigo 14 da CLT - redação alterada pela Lei nº 13.874/2019). A CTPS passa a ter como identificação única do empregado a inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), não mais sendo necessárias outras informações. Quanto às anotações decorrentes do contrato de trabalho, o empregador passa a ter o prazo de cinco dias úteis para proceder nos registros na CTPS (eletrônica ou em meio físico) quanto a data de admissão, remuneração e condições especial da prestação laboral. Não é necessário a emissão de recibo de entrega/ devolução de CTPS, visto que a simples comunicação do número do CPF já equivale à apresentação do documento para as devidas anotações (que poderão ser acessadas até 48 horas a partir do respectivo registro). Ainda quanto à CTPS, oportuno referir que algumas situações não geram mais efeitos: não há mais obrigatoriedade do INSS registrar a ocorrência de acidente do trabalho; não mais se registra e declara a condição de dependentes; não existe mais qualquer sanção e multa por retenção ou por cobrança de remuneração pela entrega do documento; os registros de férias poderão ser feitos na CTPS eletrônica. Acerca da duração do trabalho, refira-se que os empregadores estão desobrigados de manter o registro de horário quando tiverem menos de 20 (vinte) empregados registrados. Também se passa a permitir o registro de ponto por exceção exclusivamente através de acordo individual escrito, convenção coletiva ou acordo coletivo de trabalho. Sugere-se, contudo, que a adoção do ponto por exceção ocorra mediante negociação coletiva. Nessa modalidade torna-se obrigatório o registro do horário de trabalho nas oportunidades de labor extraordinário, desobrigando-se a anotação caso a jornada tenha obedecido os limites estabelecidos no contrato de trabalho. Além dos impactos nos dispositivos da CLT, a Lei nº 13.874/2019 também alterou dois artigos do Código Civil Brasileiro com importante reflexo no Direito do Trabalho: (1) O artigo 49-A dispõe que a pessoa jurídica não se confunde com os seus sócios, associados, instituidores ou administradores; ela detém autonomia patrimonial com a finalidade de estimular empreendimentos, para a geração de empregos, tributo, renda e inovação; (2) Quanto ao instituto da desconsideração da personalidade jurídica e a extensão de efeitos sobre os bens particulares de administradores ou de sócios, o artigo 50 agora classifica como desvio de finalidade a utilização da pessoa jurídica com o propósito de lesar credores e para a prática de atos ilícitos de qualquer natureza, e como confusão patrimonial a ausência de separação de fato entre os patrimônios, caracterizada por: I - cumprimento repetitivo pela sociedade de obrigações do sócio ou do administrador ou vice-versa; II - transferência de ativos ou de passivos sem efetivas contraprestações, exceto os de valor proporcionalmente insignificante; e III - outros atos de descumprimento da autonomia patrimonial. O artigo 50 do Código Civil Brasileiro, com a nova redação dada pela Lei nº 13.874/2019, ainda prevê que a mera existência de grupo econômico, sem a comprovação do desvio de finalidade e da confusão patrimonial, não autoriza a desconsideração da personalidade da pessoa jurídica, bem como que não se constitui em desvio de finalidade a mera expansão ou a alteração da finalidade original da atividade econômica da empresa. Verifica-se que essas Leis compõem um conjunto de medidas que, dentre outras, visam simplificar as relações contratuais trabalhistas e fomentar o empreendedorismo no País, com regras mais objetivas e pouca intervenção Estatal no mercado. Reiteramos nosso convite a todos os empresários associados e filiados para que utilizem o sistema consultivo trabalhista do SINDIMETAL RS, mormente no que respeita às inovações legais mencionadas no presente artigo. • Advogado integrante da equipe de profissionais do escritório Garcez Advogados Associados – Assessoria Jurídica do SINDIMETAL, nas áreas Trabalhista, Ambiental e de Representação Comercial. jurídico trabalhista Eduardo Gaelzer OAB/RS 58.660
  • 13. s i n d i m e t a l @ s i n d i m e t a l r s . o r g . b r 13 TAXA DE ESCANEAMENTO DE CONTÊINERES E ILEGALIDADE DA COBRANÇA questão A Instrução Normativa RFB nº 1.208/2011, que estabelece termos e condições para instalação e funcionamento de Portos Secos, trouxe, no seu art. 4º, a possibilidade de as concessionárias ou permissionárias cobrarem do usuário tarifa que englobe os custos, inclusive seguros e remuneração dos serviços, sem que seja observado o requisito essencial para a criação dessa cobrança, ou seja, previsão em LEI, nos termos do art. 150, inciso I da Constituição Federal. Dessa forma, sem observar o requisito legal, as concessionárias vêm cobrando referida tarifa, sendo que atualmente a administração do Porto de Rio Grande exige o pagamento de valor em torno de R$ 300,00 por unidade fiscalizada. Entretanto, referida cobrança está sendo considerada inconstitucionalpelo PoderJudiciário, porque extrapola os limites previstos na própria Constituição Federal. Algumas entidades já conseguiram liminares para evitar a referida cobrança, sendo que o Poder Judiciário vem adotando posição favorável às empresas. Dessa forma, o SINDIMETAL está estudando o impacto de referida cobrança perante os seus associados, inclusive para adotar ação coletiva, visando suspender referida cobrança. • Advogado da equipe Buffon & Furlan Advogados Associados - Assessoria Jurídica do SINDIMETAL RS, na área Tributária. Marciano Buffon OAB/RS 34.668 jurídico tributário OBRIGATORIEDADE DE PRESTAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELATIVAS ÀS OPERAÇÕES REALIZADAS COM CRIPTOATIVOS À RECEITA FEDERAL questão A Instrução Normativa RFB nº 1.888/2019, dispõe sobre a obrigatoriedade dos contribuintes prestarem à Receita Federal do Brasil, informações relativas às operações realizadas com criptoativos. Referidas informações deverão ser prestadas com a utilização do sistema Coleta Nacional, disponibilizado por meio do Centro Virtual de Atendimento (e-CAC) da Receita Federal do Brasil, em leiaute a ser definido em Ato Declaratório Executivo (ADE) da Coordenação-Geral de Programação e Estudos (Copes), a ser publicado no prazo de até 60 (sessenta) dias, contados a partir da data de publicação desta Instrução Normativa. O conjunto de informações, enviado de forma eletrônica, deverá ser assinado digitalmente pela pessoa física, pelo representante legal da pessoa jurídica ou pelo procurador, mediante o uso de certificado digital válido, emitido por entidade credenciada pela ICP-Brasil. Para os efeitos da Instrução Normativa em comento e para fins de conversão de valores em Reais, o valor expresso em moeda estrangeira deve ser convertido: I - em dólar dos Estados Unidos da América; e II - em moeda nacional. A conversão será feita pela cotação do dólar dos Estados Unidos da América fixada, para venda, pelo Banco Central do Brasil (BCB) para a data da operação ou saldo, extraída do boletim de fechamento PTAX divulgado pelo BCB. Para fins do disposto na Instrução Normativa em comento, considera-se: I - criptoativo: a representação digital de valor denominada em sua própria unidade de conta, cujo preço pode ser expresso em moeda soberana local ou estrangeira, transacionado eletronicamente com a utilização de criptografia e de tecnologias de registros distribuídos, que pode ser utilizado como forma de investimento, instrumento de transferência de valores ou acesso a serviços, e que não constitui moeda de curso legal; e II - exchange de criptoativo: a pessoa jurídica, ainda que não financeira, que oferece serviços referentes a operações realizadas com criptoativos, inclusive intermediação, negociação ou custódia, e que pode aceitar quaisquer meios de pagamento, inclusive outros criptoativos. Incluem-se no conceito de intermediação de operações realizadas com criptoativos, a disponibilização de ambientes para a realização das operações de compra e venda de criptoativo realizadas entre os próprios usuários de seus serviços. A obrigação à prestação das informações será da: I - exchange de criptoativos domiciliada para fins tributários no Brasil; II - pessoa física ou jurídica residente ou domiciliada no Brasil quando: a) as operações forem realizadas em exchange domiciliada no exterior; ou b) as operações não forem realizadas em exchange. No caso previsto no inciso II, as informações deverão ser prestadas sempre que o valor mensal das operações, isolado ou conjuntamente, ultrapassar R$ 30.000,00 (trinta mil reais). Aobrigatoriedadedeprestarinformaçõesaplica-seàpessoafísica ou jurídica que realizar quaisquer das operações com criptoativos a seguirmencionadas: (1) compra evenda; (2) permuta; (3) doação; (4) transferência de criptoativo para a exchange; (5) retirada de criptoativo da exchange; (6) cessão temporária (aluguel); (7) dação em pagamento; (8) emissão; e (9) outras operações que impliquem em transferência de criptoativos. As informações deverão ser transmitidas à RFB mensalmente até o último dia útil do mês-calendário subsequente àquele em que ocorreu o conjunto de operações realizadas com criptoativos, quanto às obrigações previstas acima. O primeiro conjunto de informações a ser entregue em setembro de 2019 será referente às operações realizadas em agosto de 2019. A transmissão das informações não dispensa o declarante da obrigação de guardar os documentos e manter os sistemas de onde elas foram extraídas. • Advogada da equipe Buffon & Furlan Advogados Associados - Assessoria Jurídica do SINDIMETAL RS, na área Tributária. Marina Furlan OAB/RS 51.789 A A
  • 14. w w w . s i n d i m e t a l r s . o r g . b r 14 Uma cerimônia, realizada no dia 19 de setembro, marcou o início das obras do novo Prédio de Montagem de Máquinas, na sede da Stihl Brasil, em São Leopoldo. O empreendimento dá sequência ao pacote de projetos, com total de R$ 500 milhões a serem investidos na unidade brasileira até 2023. Cláudio Guenther, presidente da Stihl Brasil, recebeu para a solenidade: o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite; o prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi; o presidente do SINDIMETAL RS, Sergio Galera; o presidente da ACIST-SL, Oldemar Plantikow Brahm; e demais funcionários da empresa. “Em um Estado com capacidade de inovação como o Rio Grande do Sul, é preciso lembrar que esta riqueza é gerada pela iniciativa privada. Não é fácil ter um negócio no Brasil em razão dos diversos desafios e da complexidade. Ações como esta da Stihl representam o destaque à confiança de um Estado para quem investe e empreende”, pontuou o governador. O novo Prédio de Montagem de Máquinas da Stihl, que contará com processos de injeção de plásticos, usinagem e pintura de peças de magnésio, tratamento térmico de virabrequim e montagem dos equipamentos (motosserra, roçadeira, pulverizadores, sopradores etc.), terá um investimento total de R$ 67 milhões. A iniciativa irá modernizar ainda mais o parque fabril da marca, tendo em vista a tecnologia de ponta das instalações. A edificação possuirá mais de 14.000 m² e já nascerá dentro de conceitos da Indústria 4.0, com produção mais limpa e orientação para a Internet of Things (IoT). A obra irá gerar mais de 160 empregos diretos e pelo menos 500 indiretos. Da mesma forma, mais de 80% das compras de materiais serão feitas com fornecedores do Rio Grande do Sul, tendo em vista a injeção de capital na economia regional. “No futuro, o novo empreendimento nos permitirá aumentar nossa atual capacidade de produção, quando poderemos chegar a 1,1 milhão de unidades motoras fabricadas por ano em São Leopoldo. A estrutura irá aprimorar as condições e o ambiente de trabalho”, afirmou o presidente da Stihl Brasil, Cláudio Guenther. A associada Metalúrgica Mariani lançou, no mês de setembro, seu novo site www.marianimetais.com.br, com espaço para implementação do blog, dando início à jornada para produção de conteúdo. O mesmo foi estruturado a partir da identificação Novo site trazendo novidades mercado Momento singular: ampliação da fábrica brasileira Fonte e foto: Stihl Fonte: Mariani Metais Da esq. para dir.: diretor da Engenhosul, Marco Périco; prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi; presidente da StihL, Cláudio Guenther; governador do RS, Eduardo Leite; vice-presidente de Marketing e Vendas da Stihl, Romário Britto; e vice-presidente de Administração e Finanças da Stihl, Cleomar Prunzel TOP SER HUMANO - A Stihl é novamente vencedora do Top Ser Humano, promovido pela Associação Brasileira de Recursos Humanos seccional Rio Grande do Sul (ABRH-RS). A quarta conquista do prêmio veio com o case Ideia Plus – Valorizando a capacidade intelectual dos nossos colaboradores. Mais do que um programa de sugestões e inovação para a melhoria contínua, o Ideia Plus tornou-se uma ferramenta que envolve as pessoas de diferentes áreas na busca conjunta por soluções que gerem resultados para a corporação. Este processo fortalece a cultura organizacional ao promover a confiança mútua, estimular a colaboração e reconhecer ideias que contribuam para o desenvolvimento da organização. O programa global, que também é desenvolvido nas outras seis unidades produtivasdaStihlnomundo,foilançado no Brasil em 2012 pelo Departamento de Melhoria Contínua com apoio da área de Recursos Humanos. O intuito foi capturar o potencial criativo e canalizar as ideias dos colaboradores, reconhecendo e premiando-os pelos seus esforços. de melhorias apresentadas no Programa Piloto de Marketing Digital, realizado no SINDIMETAL RS (veja matéria na página 07). A empresa, com sede em São Leopoldo, atua há 22 anos no mercado. Ao longo da sua história, desenvolveu alguns produtos próprios, que levam a marca Mariani Metais. Entre eles, a linha de expositores de bolsas e calçados, desde 2006, e a linha de lareiras ecológicas, que teve início em 2010. “Desenvolvemos produtos exclusivos e personalizados, de acordo com a necessidade de nossos clientes”, afirma o diretor Marcelo Mariani. “Faz parte do DNA da nossa empresa, ser referência em qualidade. Assumimos um compromisso, que tem início na escolha dos materiais até a fabricação dos produtos, sempre priorizando a satisfação do cliente”, justifica o empresário. “Desejamos que todos tenham a melhor experiência com a empresa, por esta razão priorizamos um cuidado especial na pré-venda, durante a utilização dos produtos e também no momento pós-compra”.
  • 15. s i n d i m e t a l @ s i n d i m e t a l r s . o r g . b r 15 A Amadeo Rossi, em São Leopoldo, hoje Rossi Airguns Airsoft, está completando 130 anos de história. Um marco alcançado por poucas empresas brasileiras, que está sob os cuidados da família desde a sua criação. Uma história de aço, iniciada em 1889, construída com base em valores que perpassam e perduram por quatro gerações. Hoje é referência no segmento de Airguns e Airsoft e a maior importadora de produtos de tiro esportivo do Brasil. Esta reputação foi construída ao longo de mais de um século de dedicação e trabalho duro, envolvendo muitas mudanças e adequações ao mercado e à sociedade. Tudo começou em 1881, quando Amadeo Rossi, um metalúrgico italiano, desembarcou no Brasil estabelecendo-se no Rio Grande do Sul, berço da imigração italiana no País. Oito anos depois, em 1889, Amadeo fundava a empresa Amadeo Rossi & Cia em Caxias do Sul, onde morava, produzindo utensílios domésticos, artigos de montaria e instrumentos agrícolas. Em 1918, Rossi e seus filhos maisvelhos passam a produzirespoletas para cartuchos de caça, decisão que altera completamente o destino da pequena fábrica. Com a mudança de segmento, começaram a crescer cada vez mais, não havendo mais condições de permanecer em Caxias do Sul. Então, em 1937, a Amadeo Rossi & Cia muda sua sede para São Leopoldo, buscando melhores condições de logística e fornecimento de energia elétrica. Já em 1943, a Rossi foi declarada indústria de interesse nacional, passando a fabricar armas de fogo como espingardas, rifles, carabinas, revolveres e pistolas. Neste novo segmento, a companhia começa a ser reconhecida pela linha de produção de armas e munição e ganha novos territórios fora do Brasil. mercado HISTÓRIA DE SUCESSO Presença especial em feira Sua reputação dentro e fora do Brasil só crescia. A Amadeo Rossi exportava para mais de 70 países diferentes, sendo o principal os Estados Unidos. Todo este reconhecimento rendeu o prêmio de Melhor Linha de Revólveres no Mercado Norte-Americano, em 1994. Neste segmento, continuou escrevendo a sua história, até que em 2007, se distancia das armas de fogo para focar em um novo segmento, as armas de ar comprimido, relacionadas ao esporte e lazer. De exportadora a empresa passou a importadora, trazendo e distribuindo para todo o País os melhores produtos e acessórios para a prática do tiro esportivo. O foco pode ter mudado, mas a qualidade e credibilidade que o nome Amadeo Rossi traz consigo, não. Atualmente, a marca é a principal importadora e distribuidora de Airguns, Airsoft e artigos relacionados do Brasil, sendo referência comercial e atendendo todo o território nacional. Parabéns e sucesso redobrado! A Infasul esteve presente na 3ª Edição da Lignum Latin America, em Curitiba, de 11 a 13 de setembro. A feira teve como foco a Transformação, Beneficiamento, Preservação, Energia, Biomassa, Manejo Florestal e uso da Madeira. Empresa genuinamente brasileira, especializada no desenvolvimento e na fabricação de facas industriais e peças de reposição, está instalada em São Leopoldo e atende a clientes de diversos países. Mantém programas com instituições de Rossi Fonte e foto: Rossi Fonteefoto:InfasulFonteefoto:Belton pesquisaedesenvolvimentotecnológicono Brasil e no exterior, investe continuamente em treinamento, visando o aprimoramento contínuo dos processos e oferecendo produtos de alta performance. Com expertise de mais de 30 anos de experiência na área metalmecânica, fabrica produtos diferenciados para os mais variados tipos de aplicações industriais, além de oferecer serviços de engenharia para qualificar os resultados dos clientes. Também, possui desenvolvimento e consultoria técnica; recuperação de peças de desgaste, afiação e treinamento técnico para qualificar equipes a realizar a manutenção e afiação de forma adequada. Participação na Expomeat A Belton, com sede em São Leopoldo, esteve presente na Expomeat, de 24 a 26 de setembro, ampliando a visibilidade da empresa e consolidado novos contatos profissionais. No mercado desde 1998, a Belton mantém em seu quadro funcional, profissionais atuantes no segmento pneumático há mais de 30 anos. Atua no ramo com tecnologia nacional em Automação Pneumática proporcionando alta produtividade e inovação em equipamentos industriais e aplicações mobil. Atende desde simples manutenções até automações complexas, possui um departamento de Engenharia de Vendas capacitado para desenvolver soluções completas e customizadas para cada necessidade. Velocidade e precisão de informações, auxiliando seus clientes em todas as etapas.
  • 16. VITRINE A Leitz nasceu em Oberkochen, Baden – Württemberg, região no sul da Alemanha, próximo a Stuttgart. Seu fundador, Sr. Albert Leitz, iniciou, em 1876, em sua pequena oficina de ferreiro, a fabricação artesanal de brocas, na época chamadas de puas, e navalhas de aplainamento. A partir de então, a expansão da empresa não parou. Oferece um amplo portfólio de produtos com mais de 8.000 itens, de ferramentas dotadas de insertos de corte de materiais como aço rápido (HSS), metal duro (HW) e diamante sintético (PCD). Hoje está presente em cinco continentes; representada em 120 países, possui 36 filiais diretas e seis plantas de produção, entre elas a Leitz Brasil, fundada em 1979, tendo como sócios Leitz Beteiligungs e Leitz GMBH & Co. KG. O grupo é formado por três empresas: Leitz, fabricante de ferramentas de corte; Bilz, fabricante de elementos de fixação, que fazem interface entre máquina e ferramenta; e a Böhlerit, fabricante de materiais de corte, como metal duro. Aempresa, que mantém a tradição familiar, está atualmente na quinta geração. “Continuamos a confiar no sucesso da empresa familiar, em processos rápidos de tomada de decisão, na contínua expansão do seu próprio negócio, na confiabilidade e garantia de rentabilidade, através de constante reinvestimento e crescimento sustentável da empresa”, registra o diretor da Leitz Brasil, Vitor Fabiano Ledur. “Dentre os nossos objetivos estratégicos está a transferência equilibrada de benefícios para os nossos clientes, fornecedores, funcionários e acionistas”, afirma Vitor. A busca permanente em oferecer produtos de excelência e inovação são a força motriz do crescimento qualitativo e quantitativo, acima da média, nas conquistas da empresa. “Estabelecemos padrões em nosso segmento de negócio, uma vez que somos líderes em tecnologia e desenvolvimento de soluções customizadas. Investimos em modernasinstalaçõeseprocessosdeprodução, na criação de tecnologias e logística de compras internacionais, bem como na organização e gerenciamento eficientes de estruturas para uma redução contínua de custos e desperdício de tempo”, pontua. “Nosso sistema de gerenciamento de qualidade tem foco não apenas em nossos produtos, mas também dá igual atenção à satisfação do cliente e a excelência no cumprimento das operações diárias”. Há 40 anos no Brasil, soluções em novas dimensões Rua Leitz, 50 – Angico - São Sebastião do Caí (51) 3635-1755 | www.leitz.org O ‘divisor de águas’ ocorreu, em setembro de 2007, quando teve início a terraplanagem para a construção da nova fábrica e, em janeiro de 2009, as atividades na ‘nova casa’. Para Vitor, não foi somente a construção de uma planta moderna, dentro de padrões internacionais que surpreendeu, mas também a instalação de novos equipamentos, um salto tecnológico qualitativo e quantitativo expressivo. Houve também uma mudança cultural, até então limitada a produzir produtos com tecnologia pontual. Superadas as dificuldades, mudanças, buro- cracia e alta inflação, a Leitz Brasil passou a ocupar uma posição de destaque dentro das empresasdogrupo.Assumiuacomercialização para todos os países da América do Sul e atualmente exporta para outras unidades do grupo, como Estados Unidos, Áustria, Alemanha e México, consolidando assim, o reconhecimento de anos de muito trabalho e credibilidade nos produtos aqui produzidos. LÍDERNOSEGMENTO-ALeitzBrasilcomercializa seus serviços e produtos para todos os estados brasileiros, tendo como principais clientes as indústrias de beneficiamento de madeira e moveleira; fabricantes de chapas de MDF/ MDP, pisos (maciços, multi-camadas, laminados e sintéticos), portas/janelas. Além disso, tem desenvolvido com êxito ferramentas para 78 - Setembro / Outubro 2019 processamento de outros tipos de materiais, principalmente do segmento metalmecânico, como alumínio, titânio, além de sintéticos e compósitoscomaltoníveldeabrasão.”Possuímos o know-how tecnológico da matriz alemã e experiências globais, o que nos possibilita realizar atendimentos técnicos personalizados junto ao cliente, oferecendo a solução ideal, buscando a maximização produtiva e um excelente rendimento de nossas ferramentas”, enfatiza. Pioneira em afiação e produção de ferramentas em diamante policristalino no segmento no Brasil, mantem a excelência também em postos de serviço de afiação de ferramentas, localizados em Bento Gonçalves (RS), Curitiba (PR) e Bauru (SP), o que torna a empresa líder nesse ramo. A Leitz também  oferece assistência pós-venda, através do recondicio- namento nos postos de serviço, garantindo produtividade e durabilidade. Com mais de 130 funcionários, investe e valoriza o respeito e a ética junto aos seus colaboradores, promovendo a motivação e a qualificação, através de treinamento, incentivo à especialização e integração de setores. Atenta também ao meio ambiente, a empresa possui uma estação de tratamento de efluentes e utiliza a captação de água da chuva. “Com produtos e processos de produção, que ajudam a economizar recursos e preservar o meio ambiente, comprovamos nosso compromisso com a proteção ambiental”, assegura Vitor. A receita de sucesso se resume em atender o cliente com a solução ideal, de forma customizada, oferecendo suporte técnico e garantindo resultado acima da média, com serviços e produtos de alta precisão e durabilidade, ótima relação custo-benefício. Os pilares, que dão sustentação à Leitz Brasil, estão bem segmentados: Qualidade, Confiabilidade, Conhecimento, Produtividade, Flexibilidade, Eficiência, Sustentabilidade. Além disso, a gestão é transparente e com forte senso de coletivo, atingindo alto nível de profissionalismo e desempenho. “Estamos continuamente investindo na otimização e padronização dos produtos e serviços. Nosso diferencial é a ampliação e modernização constante do pátio fabril, através da aquisição de modernos equipa- mentos, para atender as expectativas e necessidades de um mercado competitivo e em constante mu- dança”, enfatiza Vitor. Parabéns pela destacada trajetória de sucesso!