Barroco Goiano

4.249 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.249
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Barroco Goiano

  1. 1. B A R R O C O G O I A N O TRABALHO DE ARTE
  2. 2. CONTEXTO HISTÓRICO • Descobertas as Minas Gerais de um lado e as minas de Cuiabá, de outro, no século XVII, uma ideia renascentista (a de que os filões de metais preciosos se dispunham de forma paralela em relação ao equador) iria alimentar a hipótese de que, entre esses dois pontos, também haveria do mesmo ouro. • Assim, foram intensificadas as investidas bandeirantes, principalmente paulistas, em território goiano
  3. 3. • Elas culminariam tanto com a descoberta quanto com a apropriação das minas de ouro dos índios goiases, que seriam extintos dali mais rapidamente que o próprio metal. • Bartolomeu Bueno da Silva fundaria, em 1727, o Arraial da Barra, a primeira cidade do futuro estado de Goiás. • Subsequentemente, povoados passaram a multiplicar-se. A exploração do ouro atingiu o seu auge na segunda metade do século XVIII.
  4. 4. O MOVIMENTO ARTÍSTICO • O Barroco em Goiás é bem modesto, em comparação ao de Minas e ao de certas cidades litorâneas. • Uma das razões da diferença foi a falta de pessoas competentes, pois a população era constituída em boa parte por aventureiros, na maioria de São Paulo. • Outra importante razão foi a curta duração de escassos 20 anos de ouro em Goiás.
  5. 5. • Não obstante, há remanescentes barrocos em povoações do século XVIII, ligados ao ciclo de ouro, que em Goiás foi altamente influenciado pela atividade dos paulistas, assim, compreende-se que não se feito lá, o que não foi feito em São Paulo. • Em Goiás o Barroco sobreviveu ao Barroco mineiro na obra extraordinária de José Joaquim da Veiga Valle, natural de Meia Ponte, um dos mais importantes escultores goianos(1806-1874).
  6. 6. PIRENÓPOLIS • Os principais focos arquitetônicos e artísticos do estado foram as cidades de Pirenópolis, a primeira cidade do estado, e a Cidade de Goiás, antiga capital. • Pirenópolis, fundada como Arraial da Barra, foi tombada como conjunto arquitetônico, urbanístico, paisagístico e histórico pelo IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, em 1989, o município conta com um Centro Histórico belamente ornado com casarões e igrejas do século XVIII.
  7. 7. • Temos exemplos como a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário (1728-1732), as Igreja de Nossa Senhora do Carmo (1750-1754) e de Igreja de Nosso Senhor do Bonfim (1750-1754) • Há também a Casa de Câmara e Cadeia construído em 1919 como réplica idêntica do original de 1733. • A casa histórica foi demolida em 1919, construindo-se uma réplica no Largo da Ponte Velha. Em 1999, devido às péssimas condições em que se encontrava, a Câmara Municipal deixou o local, ocupado provisoriamente pelo Corpo de Bombeiros.
  8. 8. GOIÁS VELHO • A Cidade de Goiás foi fundada numa região aurífera em 1727. Em 1736 foi elevada à vila. Já em 1753, o conde de Arcos, primeiro governador da Capitania de Goyaz, chegou a cidade e promoveu grandes obras, como a Casa de Fundição e o Palácio do Governo. • No fim do séc. XVIII, o ouro se esgotou, e as atividades econômicas tiveram que se transformar e, consequentemente, também as atividades culturais passaram a desprezar a arquitetura e valorizar a poesia e as artes plásticas.
  9. 9. • Isso, somado a transferência da capital do estado transferida para a recém-construída Goiânia, conservou a arquitetura única da cidade, patrimônio da humanidade da UNESCO. • A cidade também é famosa pela Procissão do Fogaréu, ritual singular no país.

×