SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Baixar para ler offline
1
Fatores bióticos
Fatores bióticos – Relações que os seres
vivos estabelecem entre si no ecossistema.
Relações intraespecíficas – Relações
estabelecidas entre seres vivos da mesma
espécie.
Relações interespecíficas – Relações
estabelecidas entre seres vivos de
espécies diferentes.
Para um dado indivíduo, uma relação
biótica pode ser vantajosa, prejudicial ou
neutra.
2
Interações
intraespecíficas
Competição – Muito comum entre indivíduos da mesma
espécie. Os animais podem disputar alimento, um abrigo,
um território ou um parceiro para a reprodução.
As plantas podem competir por luz, água e espaço vital.
3
Na competição intraespecífica, os indivíduos mais fortes
vencem o confronto e atingem os seus objetivos. Os outros,
mais fracos, afastam-se ou são eliminados.
Canibalismo – Interacção biótica em que um indivíduo mata
outro da sua espécie para dele se alimentar.
O canibalismo pode ser considerado um caso extremo de
competição.
Cooperação – Interação biótica em que os membros de uma
população se associam em benefício de todos.
4
As sociedades são um modelo de cooperação complexo
onde há hierarquias, distribuição de tarefas ou especialização
de funções. A saída de um membro coloca em sério risco a
sua sobrevivência.
As colónias são um modelo de cooperação onde cada um
dos membros beneficia da vida em grupo mas, em geral, a
relação é temporária e não há divisão de tarefas.
5
Interações
interespecíficas
Predação - Interação biótica em que um indivíduo, o
predador, captura e mata outro, a presa, para dele se
alimentar.
O predador é beneficiado e a presa é prejudicada.
6
O lagarto-de-gola, na presença de um possível predador,
abre o boca e expande a sua gola de pele colorida,
parecendo muito maior do que é.
O pavão-diurno apresenta manchas em forma de olho para
que os predadores sintam que incomodaram um animal de
grande porte. Em caso de ataque, o alvo serão as asas e
não o corpo vulnerável.
7
Quando incomodada, a cobra-de-focinho-de-porco finge
estar morta. Volta-se de ventre para cima, abre a boca e
emite um cheiro semelhante ao da carne em decomposição.
O escinco distrai os predadores com a sua cauda. Quando
agarrada, a cauda parte-se e o lagarto escapa. Geralmente,
a cauda volta a crescer.
8
A rã tropical volta-se de costas e exibe o seu ventre preto e
vermelho indicando, assim, ao predador que é venenosa.
O peixe-ouriço consegue encher o corpo de ar, eriçando os
espinhos que possui na pele. Desencoraja os peixes maiores
de o abocanhar.
9
Parasitismo - Interação biótica em que um indivíduo, o
parasita, vive à custa de outro, o hospedeiro.
O parasita é o beneficiado, com prejuízo do organismo
hospedeiro.
Competição - Interação biótica em que dois indivíduos
disputam recursos do ecossistema (alimento, território, água,
luz, etc.) que ambos utilizam e que são insuficientes para
satisfazer as suas necessidades.
Nesta relação, devido à energia que ambos gastam a
competir, tanto um como outro são prejudicados.
Flamingo Pato Alfaiate Ostraceir
o
Borrelho
10
Houve competição nos vasos B, C e D.
No vaso B a competição deu-se ao nível das raízes.
No vaso C a competição deu-se entre os caules e folhas.
No vaso D a competição deu-se entre as raízes, caules e folhas.
100% 80% 52% 46%
A B C D
Mutualismo - Interação biótica facultativa em que ambos os
indivíduos são beneficiados. Embora importante para a
sobrevivência de um e de outro, a relação não é obrigatória
pois ambos sobrevivem caso a interação não se verifique.
11
Simbiose - Interação biótica em que ambos os indivíduos são
beneficiados, estando ambos dependentes da relação para
sobreviver, isto é, a relação é permanente e obrigatória pois
os organismos não conseguem viver separados.
A simbiose pode ser considerada um caso extremo de
mutualismo.
Comensalismo - Interação biótica em que um indivíduo, o
comensal, beneficia da presença de outro sem que este seja
prejudicado por isso. Embora beneficie com ela, o comensal
não necessita da relação para sobreviver.
12

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (19)

RELAÇÕES ECOLÓGICAS
RELAÇÕES ECOLÓGICASRELAÇÕES ECOLÓGICAS
RELAÇÕES ECOLÓGICAS
 
Relações ecológicas
Relações ecológicasRelações ecológicas
Relações ecológicas
 
Relações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivos Relações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivos
 
Relacoes ecologicas
Relacoes ecologicasRelacoes ecologicas
Relacoes ecologicas
 
2. relações bióticas
2. relações bióticas2. relações bióticas
2. relações bióticas
 
Factores bióticos
Factores bióticosFactores bióticos
Factores bióticos
 
3 ano relações ecológicas
3 ano relações ecológicas3 ano relações ecológicas
3 ano relações ecológicas
 
Relações ecológicas
Relações ecológicasRelações ecológicas
Relações ecológicas
 
Relações Ecológicas
Relações EcológicasRelações Ecológicas
Relações Ecológicas
 
Relações Ecológicas
Relações EcológicasRelações Ecológicas
Relações Ecológicas
 
Aula Relações Ecológicas
Aula Relações EcológicasAula Relações Ecológicas
Aula Relações Ecológicas
 
Mutualismo
MutualismoMutualismo
Mutualismo
 
Relações ecológicas
Relações ecológicasRelações ecológicas
Relações ecológicas
 
Relações ecológicas 2
Relações ecológicas 2Relações ecológicas 2
Relações ecológicas 2
 
Relações ecológicas
Relações ecológicasRelações ecológicas
Relações ecológicas
 
Factores bióticos
Factores bióticosFactores bióticos
Factores bióticos
 
Relações ecológicasmoodle
Relações ecológicasmoodleRelações ecológicasmoodle
Relações ecológicasmoodle
 
Relações ecológicas
Relações ecológicasRelações ecológicas
Relações ecológicas
 
Avaliação de ciências out
Avaliação de ciências outAvaliação de ciências out
Avaliação de ciências out
 

Semelhante a Fatores bióticos ecossistema

Relações ecológicasmoodle
Relações ecológicasmoodleRelações ecológicasmoodle
Relações ecológicasmoodleNeila
 
Relações ecológicasmoodle
Relações ecológicasmoodleRelações ecológicasmoodle
Relações ecológicasmoodleguest2d00a0
 
Aula 6º e 7º ano BOMM - Relações Ecologicas - Muito BOMMM.ppt
Aula 6º e 7º ano BOMM - Relações Ecologicas - Muito BOMMM.pptAula 6º e 7º ano BOMM - Relações Ecologicas - Muito BOMMM.ppt
Aula 6º e 7º ano BOMM - Relações Ecologicas - Muito BOMMM.pptRodrigoLucas51
 
Factores bióticos
Factores bióticosFactores bióticos
Factores bióticosTânia Reis
 
Factores BióTicos
Factores BióTicosFactores BióTicos
Factores BióTicoscatiacsantos
 
Aula Relações Ecológicas - Curso Preparatório - Prof. Ewerthon Gomes.ppt
Aula Relações Ecológicas - Curso Preparatório - Prof. Ewerthon Gomes.pptAula Relações Ecológicas - Curso Preparatório - Prof. Ewerthon Gomes.ppt
Aula Relações Ecológicas - Curso Preparatório - Prof. Ewerthon Gomes.pptEwerthonGomes1
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicasGabriela de Lima
 
população, Biologia, 4° Bimestre Professora Raquel
 população, Biologia,  4° Bimestre Professora Raquel população, Biologia,  4° Bimestre Professora Raquel
população, Biologia, 4° Bimestre Professora RaquelRaquel Alves
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicasMarcia Bantim
 
Relações ecológicas
Relações ecológicasRelações ecológicas
Relações ecológicasAline Silva
 
Interações ecológicas
Interações ecológicasInterações ecológicas
Interações ecológicasAna Quijada
 

Semelhante a Fatores bióticos ecossistema (20)

Relações ecológicasmoodle
Relações ecológicasmoodleRelações ecológicasmoodle
Relações ecológicasmoodle
 
Relações ecológicasmoodle
Relações ecológicasmoodleRelações ecológicasmoodle
Relações ecológicasmoodle
 
Ecossistema
EcossistemaEcossistema
Ecossistema
 
Ecossistema
EcossistemaEcossistema
Ecossistema
 
Ecossistema
EcossistemaEcossistema
Ecossistema
 
Interacções entre seres vivos
Interacções entre seres vivosInteracções entre seres vivos
Interacções entre seres vivos
 
Aula 6º e 7º ano BOMM - Relações Ecologicas - Muito BOMMM.ppt
Aula 6º e 7º ano BOMM - Relações Ecologicas - Muito BOMMM.pptAula 6º e 7º ano BOMM - Relações Ecologicas - Muito BOMMM.ppt
Aula 6º e 7º ano BOMM - Relações Ecologicas - Muito BOMMM.ppt
 
Relacoes Bioticas
Relacoes BioticasRelacoes Bioticas
Relacoes Bioticas
 
Relações bióticas
Relações bióticas  Relações bióticas
Relações bióticas
 
Factores bióticos
Factores bióticosFactores bióticos
Factores bióticos
 
Factores BióTicos
Factores BióTicosFactores BióTicos
Factores BióTicos
 
Aula Relações Ecológicas - Curso Preparatório - Prof. Ewerthon Gomes.ppt
Aula Relações Ecológicas - Curso Preparatório - Prof. Ewerthon Gomes.pptAula Relações Ecológicas - Curso Preparatório - Prof. Ewerthon Gomes.ppt
Aula Relações Ecológicas - Curso Preparatório - Prof. Ewerthon Gomes.ppt
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicas
 
população, Biologia, 4° Bimestre Professora Raquel
 população, Biologia,  4° Bimestre Professora Raquel população, Biologia,  4° Bimestre Professora Raquel
população, Biologia, 4° Bimestre Professora Raquel
 
Aularelaesecolgicas 120313120118-phpapp01
Aularelaesecolgicas 120313120118-phpapp01Aularelaesecolgicas 120313120118-phpapp01
Aularelaesecolgicas 120313120118-phpapp01
 
Aularelaesecolgicas 120313120118 phpapp01 (1)
Aularelaesecolgicas 120313120118 phpapp01 (1)Aularelaesecolgicas 120313120118 phpapp01 (1)
Aularelaesecolgicas 120313120118 phpapp01 (1)
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicas
 
Factores bioticos1
Factores bioticos1Factores bioticos1
Factores bioticos1
 
Relações ecológicas
Relações ecológicasRelações ecológicas
Relações ecológicas
 
Interações ecológicas
Interações ecológicasInterações ecológicas
Interações ecológicas
 

Mais de Nuno Coelho (20)

9º 4.1
9º 4.19º 4.1
9º 4.1
 
9º 3.3
9º 3.39º 3.3
9º 3.3
 
9º 3.1.
9º 3.1. 9º 3.1.
9º 3.1.
 
7º 1.2.
7º 1.2.7º 1.2.
7º 1.2.
 
9º 2.
9º 2.9º 2.
9º 2.
 
7º 1.1.
7º 1.1.7º 1.1.
7º 1.1.
 
7º 4.2.
7º 4.2. 7º 4.2.
7º 4.2.
 
8º 7.2
8º 7.2 8º 7.2
8º 7.2
 
8º 7.1.
8º 7.1. 8º 7.1.
8º 7.1.
 
7º 4.1.
7º 4.1. 7º 4.1.
7º 4.1.
 
7º 3.
7º 3. 7º 3.
7º 3.
 
8º ano 6.2
8º ano 6.28º ano 6.2
8º ano 6.2
 
8º ano 5.4
8º ano 5.4 8º ano 5.4
8º ano 5.4
 
8º ano 5.3
8º ano 5.38º ano 5.3
8º ano 5.3
 
7º 2.3.
7º 2.3. 7º 2.3.
7º 2.3.
 
7º 2.2.
7º 2.2.7º 2.2.
7º 2.2.
 
8º ano 5.2
8º ano 5.2 8º ano 5.2
8º ano 5.2
 
8º 3.
8º 3.8º 3.
8º 3.
 
7º 1.3.
7º 1.3.7º 1.3.
7º 1.3.
 
F F 8º S T
F F 8º S TF F 8º S T
F F 8º S T
 

Último

Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimWashingtonSampaio5
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 

Último (20)

Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 

Fatores bióticos ecossistema

  • 1. 1 Fatores bióticos Fatores bióticos – Relações que os seres vivos estabelecem entre si no ecossistema. Relações intraespecíficas – Relações estabelecidas entre seres vivos da mesma espécie. Relações interespecíficas – Relações estabelecidas entre seres vivos de espécies diferentes. Para um dado indivíduo, uma relação biótica pode ser vantajosa, prejudicial ou neutra.
  • 2. 2 Interações intraespecíficas Competição – Muito comum entre indivíduos da mesma espécie. Os animais podem disputar alimento, um abrigo, um território ou um parceiro para a reprodução. As plantas podem competir por luz, água e espaço vital.
  • 3. 3 Na competição intraespecífica, os indivíduos mais fortes vencem o confronto e atingem os seus objetivos. Os outros, mais fracos, afastam-se ou são eliminados. Canibalismo – Interacção biótica em que um indivíduo mata outro da sua espécie para dele se alimentar. O canibalismo pode ser considerado um caso extremo de competição. Cooperação – Interação biótica em que os membros de uma população se associam em benefício de todos.
  • 4. 4 As sociedades são um modelo de cooperação complexo onde há hierarquias, distribuição de tarefas ou especialização de funções. A saída de um membro coloca em sério risco a sua sobrevivência. As colónias são um modelo de cooperação onde cada um dos membros beneficia da vida em grupo mas, em geral, a relação é temporária e não há divisão de tarefas.
  • 5. 5 Interações interespecíficas Predação - Interação biótica em que um indivíduo, o predador, captura e mata outro, a presa, para dele se alimentar. O predador é beneficiado e a presa é prejudicada.
  • 6. 6 O lagarto-de-gola, na presença de um possível predador, abre o boca e expande a sua gola de pele colorida, parecendo muito maior do que é. O pavão-diurno apresenta manchas em forma de olho para que os predadores sintam que incomodaram um animal de grande porte. Em caso de ataque, o alvo serão as asas e não o corpo vulnerável.
  • 7. 7 Quando incomodada, a cobra-de-focinho-de-porco finge estar morta. Volta-se de ventre para cima, abre a boca e emite um cheiro semelhante ao da carne em decomposição. O escinco distrai os predadores com a sua cauda. Quando agarrada, a cauda parte-se e o lagarto escapa. Geralmente, a cauda volta a crescer.
  • 8. 8 A rã tropical volta-se de costas e exibe o seu ventre preto e vermelho indicando, assim, ao predador que é venenosa. O peixe-ouriço consegue encher o corpo de ar, eriçando os espinhos que possui na pele. Desencoraja os peixes maiores de o abocanhar.
  • 9. 9 Parasitismo - Interação biótica em que um indivíduo, o parasita, vive à custa de outro, o hospedeiro. O parasita é o beneficiado, com prejuízo do organismo hospedeiro. Competição - Interação biótica em que dois indivíduos disputam recursos do ecossistema (alimento, território, água, luz, etc.) que ambos utilizam e que são insuficientes para satisfazer as suas necessidades. Nesta relação, devido à energia que ambos gastam a competir, tanto um como outro são prejudicados. Flamingo Pato Alfaiate Ostraceir o Borrelho
  • 10. 10 Houve competição nos vasos B, C e D. No vaso B a competição deu-se ao nível das raízes. No vaso C a competição deu-se entre os caules e folhas. No vaso D a competição deu-se entre as raízes, caules e folhas. 100% 80% 52% 46% A B C D Mutualismo - Interação biótica facultativa em que ambos os indivíduos são beneficiados. Embora importante para a sobrevivência de um e de outro, a relação não é obrigatória pois ambos sobrevivem caso a interação não se verifique.
  • 11. 11 Simbiose - Interação biótica em que ambos os indivíduos são beneficiados, estando ambos dependentes da relação para sobreviver, isto é, a relação é permanente e obrigatória pois os organismos não conseguem viver separados. A simbiose pode ser considerada um caso extremo de mutualismo. Comensalismo - Interação biótica em que um indivíduo, o comensal, beneficia da presença de outro sem que este seja prejudicado por isso. Embora beneficie com ela, o comensal não necessita da relação para sobreviver.
  • 12. 12