Lição 2 Vencendo o medo da Rejeição

1.198 visualizações

Publicada em

EBD ADM lição 2

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Lição 2 Vencendo o medo da Rejeição

  1. 1. É fato e todos nós sabemos que Deus é ó Todo Poderoso e é capaz de realizar qualquer coisa, porém em muitas passagens bíblicas, vemos o Todo Poderoso se utilizando de mãos humanas para realizar a sua obra. Por exemplo em ISm 17.46, fica clara a intenção do Senhor que poderia ter matado o gigante, mas preferiu se fazer presente através da capacitação fornecida por Ele a Davi (1 Sm 17.40).
  2. 2. Moisés era o homem certo para o serviço, contudo, durante o seu diálogo com Jeová, Moisés apresenta alguns motivos que podem ser comparados com sintomas de medo da rejeição
  3. 3. Sintomas da Rejeição As raízes de rejeição deixam na personalidade os mais diversos tipos de distorção, desde os mais imperceptíveis às manifestações grosseiras. Imaturidade emocional. Como já falamos, no momento da ferida o crescimento emocional é interrompido. O mesmo ocorre com a rejeição. Se o amor leva a um crescimento emocional adequado, a rejeição bloqueia esse crescimento, e a pessoa rejeitada permanece imatura. Aqui está a causa para muitos conflitos no casamento, e, vezes sem conta, sua destruição: há um menino e uma menina que entram para um tipo de relacionamento que exige maturidade. São adultos no físico mas, porque levam um quadro de rejeição, agem como crianças. - Uma menina que não teve o amor de pai, provavelmente buscará aquele amor no casamento. Um menino que não teve o amor de mãe, também poderá ser vítima do mesmo engano. Contudo, nenhum marido poderá ser pai para a esposa, e nenhuma mulher poderá ser mãe para seu marido. - O amor, a aceitação e a aprovação são necessários à maturidade emocional. Se isso faltou, bem podemos estar diante dos sintomas de imaturidade. O que fazer? É impossível voltar-se ao passado para um recomeço. A solução é uma cura para esse passado de rejeição, a fim de que o crescimento seja retomado. Um tipo de amor “aspirador” é outro grave sintoma. Ninguém consegue preencher tal tipo de amor. Nem a família, nem os amigos. Ele se caracteriza por uma excessiva dependência emocional que leva a pessoa a tentar sugar do outro a atenção e amor, sem, contudo, nunca satisfazer, pois essa é uma atitude doentia. O marido, por sua vez, tem o mesmo problema: quer encontrar a mãe na esposa. Que ela cuide dele como uma mãe cuida do seu bebê. O amor “aspirador” se torna também problemático nas amizades. Nunca se satisfaz, sempre buscando receber atenção e tentando impedir que o amigo a dê a outros. A pessoa se torna asfixiante em suas relações. Não dá fôlego. Outro sintoma é uma atitude adoradora. O centro de sua vida gira em torno daquele de quem a pessoa emocionalmente imatura busca extrair o amor. A vítima do amor “aspirador” pode facilmente odiar aquele de quem ela não conseguiu receber o que queira. - A solidão e o medo são dos sintomas mais atormentadores. Todos os homens já sofreram uma ou outra forma de rejeição. Dissemos que as conseqüências dependem do grau da ferida. A estrutura psicológica e espiritual de cada um vai determinar o modo de encarar as situações de rejeição, pelo que suas marcas variam de intensidade de pessoa para pessoa. Os sentimentos de solidão e medo, que leva alguém a construir muros para se proteger de novas feridas e rejeição, não fogem à regra. - A auto-rejeição é mais um sintoma destruidor. Ela provoca a perda do valor próprio, tão danoso ao equilíbrio emocional e espiritual. A consciência de que se foi rejeitado por outros, já é desagradável. Rejeitar-se a si mesmo, é uma tragédia. A pessoa aceita a rejeição de outros como indicativo de sua indignidade. - A auto-imagem negativa é outra marca da auto-rejeição. A pessoa tende a comparar-se com outros, o que é um terrível engano. Isso provoca um complexo de enfermidade, que a infelicita ainda mais. - A auto-rejeição pode ainda provocar criticismo . Este, na maioria dos casos, pode Ter duas manifestações: a auto-crítica doentia, em que a recriminação está presente, e a crítica aos outros, em forma de julgamento e condenação. A pessoa nunca está bem consigo mesma, nem acha que os outros estão. Não importam as circunstâncias, seu horizonte está sempre escuro. O problema, porém, não jaz na circunstância, mas na alma ferida. A solução, portanto, não se encontra no mundo exterior, porém Deus mesmo e Sua Palavra que, pelo poder do Espírito Santo, mudará a imagem interior. - A rejeição destrói a identidade própria. O rejeitado busca se identificar com outra pessoa. Em vez de desenvolver todo seu potencial para que seja o melhor que ele pode ser, busca imitar outros. - A pessoa com rejeição não se relaciona adequadamente com Deus. - A rejeição mina a fé. A pessoa domina pelas raízes de rejeição não consegue olhar para as promessas de Deus como sendo suas, mais de um outro mais digno, mais amado. Por isso mesmo ela não estende o braço da fé para se apropriar delas. - Destacamos ainda a incapacidade de amar e receber amor, como um dos sintomas da rejeição, dos mais nefastos, se é que podemos classificar tantas marcas destruidoras que maculam a personalidade do homem projetado para refletir a imagem e a glória do seu Criador.
  4. 4. A excelência de Moisés Os anos que Moisés passou na casa de Faraó, fizeram dele um homem extremamente preparado para qualquer tipo de trabalho (At 7.22) que ele precisasse desempenhar, todavia o fato de ter sido criado como príncipe se tornou num possível impedimento para realização daquilo que era o verdadeiro projeto de Deus para sua vida: a formação recebida que o tornava conhecedor de toda ciência do Egito tinha sido fornecida com o objetivo de fazer dele o futuro Faraó. No caso de Moisés, Deus permitiu que ele cometesse um desatino (Êx 2.12), para que fosse afastado dos planos dos egípcios e trazido de volta para o centro da sua vontade.
  5. 5. Nota Ciência do Antigo Egito A ciência do antigo Egipto goza de grande prestígio desde tempos remotos. É enormemente significativo o alto nível que esta civilização desenvolveu, bem como a amplitude de conhecimentos que chegaram a dominar. A tradição, diz que os homens sábios da Grécia Antiga iam até ao Egipto para aprender, onde existia uma ciência venerável e um elevado nível de conhecimento cientifico, ainda que, algumas vezes, misturada com práticas mágicas. Foi nesse ambiente que Moisés cresceu.
  6. 6. O aperfeiçoamento de Moisés Apesar de todo preparo de que dispunha, Moisés ainda não tinha sido provado por Deus, ou seja, era preciso que ele conhecesse o que é viver inteiramente debaixo da vontade do Criador (Fp 4.12), sendo assim, torna-se pastor de ovelhas (Êx 3.1) e passa a ter conhecimento do que é ser um cuidador de vidas, um protetor e também um guia para os que não conhecem o caminho a ser seguido (Êx 14.21-22).
  7. 7. Nota Como sabemos, as ovelhas têm algumas características que as tornam vulneráveis, dentre tantas estão: a incapacidade de distinguir entre a boa e a má erva, o que muitas vezes leva algumas à morte por comerem ervas venenosas. Moisés, ao ser levado por Deus a cuidar de ovelhas, pôde aprender que esses animais também são extremamente teimosos e, em alguns casos, precisam ter uma de suas patas quebradas para não fugir à vontade de
  8. 8. 2. Moisés e o medo da rejeição Como já vimos, havia, em Moisés, tudo o que era necessário para que ele pudesse servir a Deus. Tinha o conhecimento secular adquirido na casa de Faraó e agora também tinha sido preparado pelo Senhor enquanto no trato com as ovelhas. Ao contrário do que era de esperar-se dele, ao invés de aceitar imediatamente o chamado, negou usando diversos motivos, que ele considerava impedimentos, para realização do projeto divino (Êx 3.11; 4.10).
  9. 9. Grupos de desacreditados Entre os grupos de desacreditados Durante o século XX, tivemos diferentes estigmas que formaram o grupo dos desacreditados, que são: as prostitutas, deficientes físicos, homossexuais, negros, mulheres etc. Erving Goffman, cientista social e escritor canadense, professor da Universidade da Califórnia.
  10. 10. O resultado do medo da rejeição O medo da rejeição também pode levar o indivíduo a duvidar da ação divina, tornando mais difícil a sua caminhada na presença do Criador. Não é raro nos depararmos com pessoas, que, mesmo depois de terem uma experiência íntima e pessoal com Deus, ainda duvidem de Sua atuação (lRs 18.36-39 e 2Rs 19:1-4).
  11. 11. O risco do medo da rejeição É natural, em quem ainda não está totalmente liberto de seus medos, ter esse tipo de atitude e negar a capacidade de Deus em fornecer a solução para todos os problemas. O perigo disso está no risco, da pessoa, com essa atitude, afastar-se da presença do Senhor, levando-o a um completo esfriamento espiritual e consequentemente à perda da salvação.
  12. 12. 3. Vencendo o medo da rejeição O medo da rejeição também é conhecido como fobia social, essa fobia se caracteriza pelo medo, ou até mesmo horror, que a pessoa tem de apresentar-se em público. Em alguns casos, evoluem ao ponto de tornar a pessoa completamente incapaz de comunicar- se, mesmo que seja excelente naquilo para o que foi chamada a fazer. Diante de tudo que já estudamos nesta lição, podemos agora observar que a atitude de Moisés, embora tivesse muitos motivos para não a tomar, foi a de aceitar o mandamento do Senhor, uma vez que ele pôde ver as maravilhas feitas pelo Todo Poderoso (Êx 4.3-7). A Bíblia ainda nos fornece um grande exemplo de vitória sobre o medo dá rejeição quando nos fala acerca de Zaqueu, que deu passos importantes em direção àquilo que via como essencial para uma vida feliz (Lc 19).
  13. 13. O medo da rejeição dificulta o encontro com o Senhor Quem sofre de medo de rejeição apresenta um impressionante excesso de desconforto quando observado por pessoas, ou ainda, por única pessoa em eventos sociais ou quando dependam de seu desempenho (Mt 25.18,25). Esse estado emocional se apresenta também com sintomas físicos, tais como: taquicardia, sudorese, boca seca, sensação de que vai desmaiar, pânico, confusão mental, gagueira entre outros. Em seu diálogo com Jeová, Moisés apresenta um desses sintomas como desculpa para não atender o chamado de Deus “não sou eloquente, pesado de boca e pesado de língua”
  14. 14. Aceitar o convite do Senhor será benéfico As prováveis causas da fobia social são medo da exposição, que, no caso de Moisés, pode ser explicado pelo fato de ele ser um fugitivo por assassinato. E a crítica? Essa ele temia por achar que os seus irmãos o desprezariam, visto que ele os havia abandonado como escravos quando poderia ter tentado livrá-los daquela situação. Já Zaqueu, mesmo conhecendo que havia muitas pessoas que sentiam uma grande repulsa por ele, não se deixou levar por qualquer tipo de medo da rejeição que se pudesse fazer presente em sua alma, pelo contrário, desceu da árvore e recebeu a Jesus com um abraço, sabendo que, a partir daquele instante, as coisas começariam mudar em sua vida.
  15. 15. Buscar tratamento para medo de rejeição e reconhecer sua necessidade A ciência tem-se utilizado de diversas técnicas para o tratamento do medo da rejeição através de medicamentos que amenizam os sintomas da ansiedade. Esses medicamentos devem ser indicados unicamente por médicos e devem obedecer à individualidade de cada paciente. O remédio, para Zaqueu experimentar o gozo que é estar na presença do Senhor, foi a sua decisão de abrir mão daquilo que ele considerava como o mais importante em sua vida (Lc 19.8),
  16. 16. Referencias bibliográficas. Betel, Editora – Enfermidades da Alma- 2º trimestre de 2014- Pr. Israel Maia Os mistérios do Antigo Egito: Ciência – Magia - Religião, Editora Tecnoprint. Comentário Bíblico Warren W. Wiersbe. Erving Goffman,Grupo dos desacreditados. Edição, ADCamargo

×