Pastoral da Comunicação

1.454 visualizações

Publicada em

Pastoral da Comunicação

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.454
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
72
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
116
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pastoral da Comunicação

  1. 1. Ir. Élide Maria Fogolari
  2. 2. Pastoral da Comunicação Para o discípulo missionário, não é apenas uma IntroduçãoIntrodução escolha estratégica relevante, mas é uma OPÇÃO EVANGÉLICA
  3. 3. O compromisso missionário se fundamente Na prática Na universalidade comunicativa de da mensagem de Jesus durante Jesus sua vida terrena No seu mandato Na incidênciamissionário: “Ide por da comunicação todo o mundo, em todas as pregai o Evangelho...” esferas humanas
  4. 4. A expressão PASTORAL da COMUNICAÇÃONasce da conjunção de duas realidades que interagem reciprocamente: o Pas c açã tora muni l Co PA ÃO STO AÇ RA IC L d MUN a CO
  5. 5. A expressão PASTORAL da COMUNICAÇÃO Sintetiza em si a riqueza e os desafios de dois universos distintos Universo da Universo da COMUNICAÇÃO Antropológico PASTORAL Teologico Sócio-eclesial, Sociológico, ligado ao caráter Cultural... simbólico
  6. 6. Origem e significado da palavra PASTORALA palavra Pastoral deriva de pastorque está relacionada ao período O pastor guiava as ovelhasnômade da História de Israel . Ospastores eram destemidos, em busca de pastagens ecorajosos e dedicados. Tornaram- protegia seu rebanho dosse símbolo para as autoridades perigos durante a noite eque conduziam seu povo e para durante o diaquem realiza uma ação pastoral Na Bíblia a palavra Pastor ocorre 105 vezes: 85 no AT e 20 no NT. Nos livros dos Profetas aparece cerca de 60 vezes, em tom de denúncia e de lamentação
  7. 7. Sentido metafórico da palavra PASTORPASTOR é aquele quetem a missão de cuidar,proteger, conduzir, orientar,governar determinadogrupo de pessoas e vai àprocura da ovelha desgarra Deus é o bom Pastor, o povo é seu rebanho Salmo 23
  8. 8. Características do bom PASTOR1. Dá sua vida pelas ovelhas.2. Vai à procura de outras ovelhas que não estão no seu redil.3. Destaca-se pela honestidade, dedicação, lealdade paciência, bondade.4. A alegoria do Bom Pastor que encontramos em Jo 10,1-21 nos indica alguns pontos fundamentais para a nossa pastoral
  9. 9. Características do pastor mercenário1. O pastor mercenário é aquele que abandon a as ovelhas pelo desejo de poder, lucro, corrupção2. Não se coloca a serviço do outro.3. Não dá sua vida.4. Proteje a propria vida
  10. 10. JESUS é o BOM PASTORJesus de Nazaréé a fonte e oparadigma detoda atividadepastoral.A pastoral da Igreja tem Jesus, o bom pastor, é:como objetivo prolongar  Luz para ver a realidade,e atualizar o ministériode Jesus no aqui e  Critério para julgá-la.agora de nossa história  Norma para agir,  Como discípulo missionário
  11. 11. Pastoral da Igreja Pastoral é toda ação da Igreja destinada a: SER SEMENTE DE VIDA NOVA EM CRISTO JESUS,relacionando os valores do Evangelho com as situações concretas e levando as pessoas a serem discípulas missionárias, na vida cotidiana e a assumirem o Projeto de Jesus
  12. 12. Pastoral na Igreja Pastoral é toda a ação que muda o modo de pensar, de ver e de agir de quem a exerce e de quem está sendo pastoreado pelo anúncio da Palavra do Reino de Deus. É continuar aEm reunião, na cidade de Jussara, Goiás, missão de Jesusbuscava-se o significado da palavra anunciando o“Pastoral”. Após exaustiva reflexão, um Reino de Deus.lavrador disse: “Eu acho que tudo o que édo amor ao próximo é da pastoral”. Fazer “Pastoral” é fazer o
  13. 13. Comunicação O que écomunicação?
  14. 14. Mas o que é comunicaçãoA comunicação faz parte da vida do homem, ela é elemento constitutivoda condição humana. Ele, o homem, é o sujeito da comunicação
  15. 15. O homem é um ser em relação 1. Intrapessoal. É o diálogoAssim diz o da pessoa com seudocumento de intimoPuebla, “A 2. Interpessoal. É o diálogocomunicação, entre pessoas. Pode sercomo ato social face a face, a distância ee vital, nasce não verbal.com o próprio 3. Grupal. É a comunicaçãohomem”. entre várias pessoas.Portanto, a 4. Comunicação social.comunicação é Acréscimo do adjetivouma realidade social à palavrahumana e uma comunicação que vainecessidade além dos indivíduos e sesocial. realiza pelos meios
  16. 16. COMUNICAÇÃO: realidade abrangente ecomplexa Comum Função comum comum + ação COMUNICAÇÃO Relação Tornar comum Partilha Participação Interagir
  17. 17. COMUNICAÇÃOProcesso dinâmico, dialógico, interativo multidirecional Cultura daCultura da comunicaçãocomunicaçãoCultura da Cultura dacomunicação comunicaçãoCultura da Cultura dacomunicação comunicação
  18. 18. Comunicação gera comunhãoComunicação é convivência. Éparticipar ao outro o que se ée se tem. Por isso, quedizemos: Jesus é ocomunicador perfeito do Pai.Entre ambos, havia comunhãode vida. “Eu estou no Pai e oPai está em mim”. E por isso,ele conseguia comunicar-secom o outro.
  19. 19. Comunicação e informaçãoComunicação provocacomunhão, processos derelações que geram sociedadese comunidades justas esolidáriasEnquanto, Informação é oresultado de processamento dedados organizados e enviados àalguém. Ou podemos dizer queinformação é uma mensagemrecebida e simplesmenteentendida.
  20. 20. Modelos de comnicação 1. Visão linear da comunicaçãoO conceito de comunicação linear, vertical e autoritório éo mais antigo, o mais difundido e o mais vivenciado pelahumanidade Dinâmica
  21. 21. 2. Comunicação dialógica, circular Interação entre: fonte, emissor, mensagem,A comunicação canal, receptor,dialógica é circular, neste contexto dedinâmica, criativa e interatividade, olivre. Provoca receptor recria oigualdade, amor, emissor e percebejustiça e gratidão que também pode Dinâmic a ser sujeito da ação
  22. 22. Tecnologias Mudança de paradigma no processo de comunicação. É necessário uma nova organização
  23. 23. Novas formasPortanto, não setrata somente denovidadestecnologicas, masde uma nova formade aprender, depensar e derelações
  24. 24. Novas relaçõesNovas relações
  25. 25. Novos sujeitos No mundo No mundo digital, onde as digital, onde as pessoas se pessoas se relacionam, relacionam, sobretudo nas sobretudo nas redes socias, os redes socias, os jovens são os jovens são os principais principais sujeitos sujeitos
  26. 26. Deus é comunicaçãoA Palavra que Deusprofere é criadora. Criou ouniverso e depois disse:“Façamos o homem ànossa imagem esemelhança”. (GN, 1,26)Imagem e Palavra são os doiscomponentes dos processos emeios de comunicação
  27. 27. A Palavra de Deus comunica vidaPela Palavra:Deus cria o universoDeus ecolhe um povoDeus envia os profetasDeus envia seu filho Jesus é o logos de Deus, preexistente desde sempre no seio do Pai
  28. 28. Trindade: representação da comunicação divinaDeus é comunicação em si mesmo O Pai gera o filho comunicando- lhe tudo o que tem e o que é. O Filho entrega-se ao Pai na perfeita obediência. O Espírito Santo procede do Pai e do Filho, estabelecendo o diálogo perfeito de amor entre o Pai e o Filho.
  29. 29. O que é Pastoral dacomunicação O que é Pastoral da Comunicação?
  30. 30. O que é Pastoral da comunicação É a Pastoral que É a pastoral queexplicita o sentido do privilegia o homem Reino de Deus nas enquanto sujeito daações comunicativas comunicação que se quando realizadas coloca a disposiçãono serviço, no amor, da escuta da Palavra, na justiça, na para ser elo de doação porque transformação nos fundadas no ser e processos e meios de agir de Cristo. É a pastoral que comunicação se insere nas mudanças culturais provocadas pelas tecnologias para responder aos grandes anseios da humanidade.
  31. 31. O que é Pastoral da comunicaçãoPortanto, pastoral da comunicação são as ações permeadasdo significado da Boa Nova de Jesus Cristo a todos.Assim, quem trabalha numa assessoria de imprensa, nainternet, no marketing, em relações publicas... realiza aPastoral da comunicação, estando suas ações focadas parafazer o bem, anunciando o Reino de Deus. Na própria palavraestá embutido o sentido: Pastoral da comunicação. Este da,nos remete o sentido de pertença da pastoral em relação àcomunicação.
  32. 32. Comunicação é o grande guarda chuva Comunicação Assessoria WEB Marketing Radio Televisã de o imprensa
  33. 33. Pastoral da ComunicaçãoÉ a pastoral da comunhão, do serviço, das inter-relações humanas,da comunidade, da acolhida, da participação, da organização solidária,do planejamento democrático, do intercambio, das informações,das manifestações das no interior da comunidadepessoasou da comunidade para com o mundo que a rodeia
  34. 34. Por que uma Pascom na comunidade?Para fortalecer a comunhão na comunidade ,Para ajudar todas as pastorais a agirem no contexto da cultura da comunicação, Para dinamizar e tornar mais vivas as celebrações, Para divulgar a paróquia dentro e fora dela, Para utilizar a linguagem adequada de cada meio em todas as pastorais, Para levar a Boa-Nova a todos sem distinção, sem separação, sem medos, sem preconceitos.
  35. 35. A Pascom se ocupa com os processos de comunicaçãoOs processos de comunicação acontecem quando estabelecemoscomunhão com o outro. O ato de comunicar é complexo. Ele não selimita a um conjunto de meios, mas a um processo que vai seconstruindo, formando um projeto de vida, de interatividade, de vida, decomunhão.
  36. 36. A Pascom se ocupa com os processos de comunicaçãoProcessos enquantorelações que objetivama comunhão, o diálogoa conversão contínuapara o Reino, propostapor Jesus Cristo comsua vida, morte eressurreição
  37. 37. A Pascom se ocupa com os meios de comunicaçãoO termo meios decomunicação refere-se aos instrumentos que podemos classicá-los em massivos e digitais. Cada um com sua linguagem especifica. Um meio nunca irá tomar o espaço do outro. Meios comerciais, educativos, comunitários e institucionais
  38. 38. O que não é Pascom?Não é Pascom só um boletim, um mural, uma páginana internet. As ações fragmentadas nãocaracterizam a natureza da Pastoral da comunicaçãoque é estabelecer ações que geram comunhão,comunidade.
  39. 39. Fundamentação em Aetatis Novae Meta prioritária AETATIS NOVAE PAS Promulgada pelo CO Conselho Pontífício M para as comunicações sociais em Fevereiro de 1992Estratégia. Criação de grupos: Democrática.1.Regionais, Dialógica.2.Diocesanos , Participativa3.Paroquiais.
  40. 40. Passos para iniciar a Pascom1. Organizar uma equipe com pessoas qualificadas na área ou não, mas comprometidas com a comunicação e envolvidas com a Palavra de Deus;2. Fazer levantamento dos recursos humanos, físicos e econômicos já existentes no regional, nas dioceses, nas paróquias, na comunidade e no bairro3. A PASCOM é ação organizada, em diversos níveis com a comunidade, paróquia, prelazia, diocese, regional.
  41. 41. Áreas de atuação da Pascom Comunicação internaSe desenvolve por um processo amplo e diferenciado de relaçõesparticipativas, que se articulam em níveis, meios e processos.Essa comunicaçãoenvolve bispos,presbíteros,comunidades,pastorais, organismos,conselhos,assembléias e demaisprocessoscomunicacionais daIgreja
  42. 42. Áreas de atuação da Pascom Comunicação externaA Pascom envolve os meios de comunicação, estabelecendo relaçõescom os profissionais e os serviços oferecidos por eles.Lembramos: todasessas ações sóterão êxito seformuladas eexecutadas poruma equipe coesae articulada. Aespiritualidade docomunicador éfator essencial.
  43. 43. Plano para a PascomUma vez definidas as estratégias, setores e equipe, sefaz necessária a construção de um plano, que deve levarem conta:1. Análise da realidade;2. Obstáculos;3. Levantamento das necessidades;4. Identificação das prioridades
  44. 44. Projeto: guia importanteO plano já elaborado, a equipe deverá formular umprojeto de comunicação, que deverá conter:1. Apresentação A equipe2. Justificativa deverá3. Objetivos apresentar4. Público-alvo o projeto5. Metodologi para as a demais6. Metas pastorais e7. Resultados comunidade8. Orçamento9. Avaliação
  45. 45. Estrutura nacional da comunicação
  46. 46. AtribuiçõesA atuação da Pastoral da Espiritualidade,comunicação está alicerçada em formação e articulação,três eixos: constituem elementos formação fundamentais da Pascom para que o articulação comunicador anuncie a espiritualidade Boa Nova de Jesus Cristo em consonância com os princípios cristãos.
  47. 47. Atribuições do Nacional a partir dos 3 eixosFormação1. Promover encontro nacional da pastoral da comunicação de dois em dois anos2. Promover um encontro anual com os coordenadores Regionais da Pastoral da comunicação3. Divulgar os Prêmios de comunicação da CNBB, imprensa, rádio, cinema e televisão4. Divulgar e incentivar na Igreja do Brasil o Dia Mundial das Comunicações5. Realizar o 2º Seminário de Comunicação para os bispos do Brasil
  48. 48. Formaçã o6. Realizar cursos de comunicação teórico prático em âmbito nacional e regional7. Propor produção de impressos e audiovisuais abrigados em coleções sobre comunicação8. Coordenar a produção do vídeo, spot e cartaz da Campanha da Fraternidade Evangelização9. Disponibilizar nas mídias subsídios para formação de agentes de comunicação10. Dar continuidade a elaboração do Diretório de Comunicação
  49. 49. Formaçã o11. Realizar cursos de comunicação e mídias sociais na catequese12. Promover curso de comunicação na liturgia13. Realizar cursos de comunicação para a juventude14. Propor curso de comunicação para todas as pastorais para que possam comunicar suas ações no interno e externo da Igreja
  50. 50. Articulação1.Articular e animar a PASCOM da igreja no Brasil2.Realizar encontros com a equipe de reflexão constituída por profissionais e pesquisadores da área3.Articular o relacionamento entre as TVs de inspiração católica4.Atuar em conjunto com a SGNIS/Brasil para articular os meios de comunicação abrigados por ela
  51. 51. Articulação5. Representar a Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação nos encontros promovidos pelo Pontifício Conselho para as Comunicações e CELAM6. Assessorar os regionais e as dioceses para legalizar os meios de comunicação junto aos órgãos públicos e governamentais7. Articular e apoiar a realização dos mutirões de comunicação nacional e regional9. Realizar encontros com os profissionais da comunicação e grupos que possam ajudar a Igreja na área da comunicação
  52. 52. Espiritualidade1.Realizar retiros que meditem o evangelho a partir da ótica dacomunicação2.Provocar encontros de espiritualidade na ótica da comunicação3.Fundamentar a espiritualidade do comunicador a partir da Palavrade Deus, dos documentos da Igreja e de pessoas que contribuíramcom a Igreja e a sociedade com iniciativas de comunicação4.Realizar celebrações na ótica da comunicação5. Motivar para a “Leitura Orante” na ótica da comunicação
  53. 53. Estrutura regional da comunicação
  54. 54. AtribuiçõesA atuação da Pastoral da Espiritualidade,comunicação está alicerçada formação e articulação,em três eixos: constituem elementos formação fundamentais da articulação Pascom para que o comunicador anuncie a espiritualidade Boa Nova de Jesus Cristo em consonância com os princípios cristãos.
  55. 55. Atribuições do regional a partir dos 3 eixosFormação1. Promover encontro regional da pastoral da comunicação2. Promover encontros com os coordenadores diocesanos da pastoral da comunicação3. Divulgar os Prêmios de comunicação da CNBB, imprensa, rádio, cinema e televisão4. Divulgar e incentivar o Dia Mundial das Comunicações na Igreja do Brasil5. Realizar cursos ou encontros de comunicação para os bispos do Regional
  56. 56. Formaçã o1. Realizar cursos de comunicação teórico prático em âmbito regional2. Propor produção de livros abrigados em coleções sobre comunicação3. Divulgar o vídeo, spot e cartaz da Campanha da Fraternidade Evangelização4. Disponibilizar nas mídias subsídios para formação de agentes de comunicação5. Provocar a participação na elaboração do Diretório de Comunicação
  57. 57. Formaçã o11. Realizar cursos de comunicação e mídias sociais na catequese12. Promover curso de comunicação na liturgia13. Realizar cursos de comunicação para a juventude14. Propor curso de comunicação para todas as pastorais para que possam comunicar suas ações no interno e externo da Igreja
  58. 58. Articulação1.Articular e animar a PASCOM no regional2.Realizar encontros com uma equipe de reflexão constituída por profissionais e pesquisadores da área3.Articular o relacionamento entre as TVs e emissoras da rádios de inspiração católica, caso exista no regional4.Atuar em conjunto com a SGNIS/Brasil para articular os meios de comunicação abrigados por ela
  59. 59. Articulação1. Representar o regional na Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação nos encontros promovidos pela CNBB2. Assessorar as dioceses para legalizar os meios de comunicação com os órgãos públicos e governamentais3. Articular e apoiar a realização dos mutirões de comunicação regional e diocesano
  60. 60. Espiritualidade1.Realizar retiros que meditem o evangelho a partir da ótica dacomunicação2.Provocar encontros de espiritualidade na ótica da comunicação3.Fundamentar a espiritualidade do comunicador a partir da Palavrade Deus, dos documentos da Igreja e de pessoas que contribuíramcom a Igreja e a sociedade com iniciativas de comunicação4.Realizar celebrações na ótica da comunicação5. Motivar para a “Leitura Orante” na ótica da comunicação
  61. 61. Estrutura diocesana dacomunicação
  62. 62. Atribuições diocesana a partir dos 3 eixosFormação1. Promover encontro diocesano da pastoral da comunicação2. Promover encontros com os representantes das pastorais para articular a comunicação na diocese3. Divulgar os Prêmios de comunicação da CNBB, imprensa, rádio, cinema e televisão4. Divulgar e incentivar o Dia Mundial das Comunicações na Igreja do Brasil5. Realizar cursos ou encontros de comunicação para os presbíteros, religiosos da diocese
  63. 63. Formaçã o1. Realizar cursos de comunicação teórico prático em âmbito diocesano2. Propor produção de livros abrigados em coleções sobre comunicação3. Divulgar o vídeo, spot e cartaz da Campanha da Fraternidade Evangelização4. Disponibilizar nas mídias subsídios para formação de agentes de comunicação5. Provocar a participação na elaboração do Diretório de Comunicação
  64. 64. Formaçã o11. Realizar cursos de comunicação e mídias sociais na catequese12. Promover curso de comunicação na liturgia13. Realizar cursos de comunicação para a juventude14. Propor curso de comunicação para todas as pastorais para que possam comunicar suas ações no interno e externo da Igreja
  65. 65. Articulação1.Articular e animar a PASCOM na diocese2.Realizar encontros com uma equipe de reflexão constituída por profissionais e pesquisadores da área3.Articular o relacionamento entre as TVs e emissoras da rádios de inspiração católica, caso exista na diocese4.Atuar em conjunto com a SGNIS/Brasil para articular os meios de comunicação abrigados por ela
  66. 66. Articulação1. Representar a diocese no regional nos encontros promovidos pelo regional2. Assessorar a diocese para legalizar os meios de comunicação com os órgãos públicos e governamentais3. Articular e apoiar a realização dos mutirões de comunicação diocesano
  67. 67. Espiritualidade1.Realizar retiros que meditem o evangelho a partir da ótica dacomunicação2.Provocar encontros de espiritualidade na ótica da comunicação3.Fundamentar a espiritualidade do comunicador a partir da Palavrade Deus, dos documentos da Igreja e de pessoas que contribuíramcom a Igreja e a sociedade com iniciativas de comunicação4.Realizar celebrações na ótica da comunicação5. Motivar para a “Leitura Orante” na ótica da comunicação
  68. 68. Estrutura paroquial da comunicação
  69. 69. Atribuições paroquiais a partir dos 3 eixosFormação1. Promover encontros paroquiais da pastoral da comunicação2. Promover encontros com representantes das pastorais para articular a comunicação paroquial3. Divulgar os Prêmios de comunicação da CNBB, imprensa, rádio, cinema e televisão4. Divulgar e incentivar o Dia Mundial das Comunicações na Igreja do Brasil5. Realizar cursos ou encontros de Comunicação para religiosos e leigos da paróquia
  70. 70. Formaçã o1. Realizar cursos de comunicação teórico prático em âmbito paroquial2. Propor produção de livros abrigados em coleções sobre comunicação3. Divulgar o vídeo, spot e cartaz da Campanha da Fraternidade Evangelização4. Disponibilizar nas mídias subsídios para formação de agentes de comunicação5. Provocar a participação na elaboração do Diretório de Comunicação
  71. 71. Formaçã o11. Realizar cursos de comunicação e mídias sociais na catequese12. Promover curso de comunicação na liturgia13. Realizar cursos de comunicação para a juventude14. Propor curso de comunicação para todas as pastorais para que possam comunicar suas ações no interno e externo da Igreja
  72. 72. Articulação1.Articular e animar a PASCOM na paróquia2.Realizar encontros com uma equipe de reflexão constituída por profissionais e pesquisadores da área3.Articular o relacionamento entre as TVs e emissoras da rádios de inspiração católica, caso exista no Regional4.Atuar em conjunto com a SGNIS/Brasil para articular os meios de comunicação abrigados por ela
  73. 73. Articulação1. Representar a paróquia nos encontros promovidos pela diocese2. Assessorar as paróquias para legalizar os meios de comunicação com os órgãos públicos e governamentais3. Articular e apoiar a realização do mutirão de comunicação paroquial
  74. 74. Espiritualidade1.Realizar retiros que meditem o evangelho a partir da ótica dacomunicação2.Provocar encontros de espiritualidade na ótica da comunicação3.Fundamentar a espiritualidade do comunicador a partir da Palavrade Deus, dos documentos da Igreja e de pessoas que contribuíramcom a Igreja e a sociedade com iniciativas de comunicação4.Realizar celebrações na ótica da comunicação5. Motivar para a “Leitura Orante” na ótica da comunicação
  75. 75. O passo inicial já foi dado... Portanto, vamos iniciar ou revitalizar a Pascom em seu regional, diocese, paróquia e comunidade.Ir. Élide Maria Fogolari

×