Missão é sair

1.894 visualizações

Publicada em

Missão é sair

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.894
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
161
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Missão é sair

  1. 1. Despertar MissionárioUma Igreja que deseja ser missionáriawww.revistamissoes.org.br
  2. 2. Missão é sair ao EncontroA missão aponta sempre para um êxtase, “sair de si” para tornar- se dom para o outro.Como Deus, no Espírito, sai de si para doar a si mesmoUm movimento para fora de nós
  3. 3. MISSÃO vem do verbo latinomittere: enviarmissus: enviado para...uma tarefa, incumbência, encargo, comissão especialuma VOCAÇÃO um chamado para...
  4. 4. A origem da missão é Deus TrindadeDeus Pai confia a Missão a Jesus no Espírito Santo, que por sua vez a entrega aos seus discípulos. (AG.2)Partimos do batismo de Jesus.Passagem: da vida oculta em Nazaré para a sua atividade missionária.Nele, Jesus recebe o Espírito Santo para que possa dar início à sua missão (Mt 3, 13-17)
  5. 5. Missão: Experiência de RessurreiçãoO que provoca a missão é a ressurreição de Jesus“Assim como o Pai me enviou, também vos envio a vós” (Jo 20:21; Mt 28,18; Mc 16:15).
  6. 6. Deus amou tanto o mundo...Agora é o amor a Deus e ao próximo que nos impulsiona para a Missão (Mt 22, 34-40)Não é o missionário(a) que leva o Evangelho, mas é o Evangelho que põe o missionário(a) a caminhar para partilhar.
  7. 7. “Somos testemunhas e missionários: nas grandes cidades e nos campos, nas montanhas e florestas de nossa América, em todos os ambientes da convivência social, nos mais diversos “lugares” da vida pública das nações, nas situações extremas da existência, assumindo ad gentes nossa solicitude pela missão universal da Igreja” (DA 548).
  8. 8. Igreja em S. J. dos Campos Sínodo Diocesano 2008 - 2010Comissão Diocesano para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial (p.27)Objetivo: Organizar e realizar tarefas: a) Animação b) Formação c) Organização d) Cooperação Missionária
  9. 9. Com que espírito?Atenção especial à Espiritualidade Missionária1. Profética - enraizada na profecia de Jesus para ter coragem de anunciar e denunciar visando a construção do Reino de Deus2. Apostólica - na fé dos Apóstolos e primeiras comunidades3. Evangélica - alicerçada no Evangelho que leva o missionário para a Missão4. Universal - voltada para toda a humanidadeProfundidade e extensão – vibrar pela Missão
  10. 10. Quem?COMIDI – COMIPAIAMPastoral do DízimoPastoral dos EstrangeirosPastoral Nipo-brasileiraArticulada pela Coordenação Diocesana de Pastoral através dum projeto missionário (p.28)
  11. 11. Conversão pastoralEsta firme decisão missionária deve impregnar todas as estruturas eclesiais e todos os planos pastorais de dioceses, paróquias, comunidades religiosas, movimentos e de qualquer instituição da Igreja. Nenhuma comunidade deve se isentar de entrar decididamente, com todas suas forças, nos processos constantes de renovação missionária e de abandonar as ultrapassadas estruturas que já não favoreçam a transmissão da fé (DA 365)
  12. 12. Cinco são as perspectivas de saídas missionárias para a Igreja. (Documento de Aparecida)1. das estruturas (cf. DAp 365)2. das pessoas (cf. DAp 366)3. das relações (cf. DAp 368)4. das práticas (cf. DAp 371)5. das fronteiras (cf. DAp 376)
  13. 13. 1. A saída das estruturas: “abandonar as estruturas caducas” (DAp 365)O verbo “mittere”, origem da palavra “missão”, não quer dizer só “enviar” mas também “libertar”, “deixar andar”, “soltar” (“demissão”). O anúncio do Reino de Deus precisa “andar solto” pelo caminho. As estruturas muitas vezes prendem os missionários...A primeira saída é das estruturas: “abandonar as estruturas caducas que já não favoreçam a transmissão da fé” (DA365).
  14. 14. 2. A saída das pessoas: “chamados a assumir atitude de permanente conversão pastoral” (DAp 366)Se a primeira conversão toca às “estruturas mentais”, a segunda toca o coração das pessoas, sua capacidade de se deixarem tocar e interpelar pelas situações.A ação missionária nasce de uma compaixão...É preciso, portanto, sair de si mesmos...A conversão antes de ser dirigida aos destinatários deve acontecer nos sujeitos
  15. 15. 3. A saída das relações: “viver e promover uma espiritualidade de comunhão e participação” (DAp 368)Para o DAp repensar as relações dentro da Igreja é de fundamental importância para a missão (cf. DAp 159). Só uma Igreja articulada em torno do princípio da comunhão da dimensão do Povo de Deus – e não só da hierarquia – poderá ser “sinal e instrumento de reconciliação e paz para nossos povos” (DAp 162).“Vede como se amam” - Dentro depois fora
  16. 16. 4. A saída das práticas: “além de uma pastoral de mera conservação para uma pastoral decididamente missionária” (DAp 370)Saída das práticas pastorais corriqueiras, sacramentalistas e conservadoras.“A conversão pastoral de nossas comunidade exige que se vá além de uma pastoral de mera conservação para uma pastoral decididamente missionária” (370)Conversão dos próprios pastores, animadores, lideranças.
  17. 17. 5. A saída das fronteiras: “não cair na armadilha de nos fechar em nós mesmos”Uma última saída refere-se a uma exigência primordial da missão: “O mundo espera de nossa Igreja latino-americana e caribenha um compromisso mais significativo com a missão universal em todos os Continentes. Para não cairmos na armadilha de nos fechar em nós mesmos, devemos formar-nos como discípulos missionários sem fronteiras, dispostos a ir ‘à outra margem’, ...(DAp 375).
  18. 18. A Paróquia missionáriaO Documento de Aparecida aposta no papel missionário da paróquia, aponta para as dificuldades e propõe mudanças estruturais.Quer “que todas as nossas paróquias se tornem missionárias” (173, cf. 171) e “fonte dinâmica do discipulado missionário” (172), lugar onde se acolhem os pobres e se escuta a palavra, onde se celebram os mistérios (175).Nessas celebrações, a Eucaristia dominical, que é um “momento privilegiado do encontro das comunidades com o Senhor Rescussitado (305)
  19. 19. A paróquia é chamada a ser a “boa samaritana”, por que “toda autêntica missão unifica a preocupação pela dimensão transcendente do ser humano e por todas as suas necessidades concretas” e “cada paróquia deve chegar a concretizar em sinais solidários seu compromisso social” (176).
  20. 20. A paróquia é expressão viva da Igreja que se considera casa dos pobres (8, 524), lugar onde se viabiliza a “opção preferencial pelos pobres” (179).Casa da juventude (446).
  21. 21. “Os melhores esforços das paróquias devem estar na convocação e na formação dos leigos missionários” (174).Jesus nos dá o método: Venham e vejam (Jo1,39)Destaca 5 aspectos do processo:a) o Encontro com Jesus Cristob) a Conversãoc) o Discipuladod) a Comunhãoe) a Missão (278)
  22. 22. As DGAE da Igreja no Brasil (2011- 2015)Urgências na Ação Evangelizadora, “para ultrapassar uma pastoral de mera conservação ou manutenção para assumir uma pastoral decididamente missionária... (é a conversão pastoral - DA 370) (26).
  23. 23. Urgências1. Igreja em estado permanente de missão.“Ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa Nova a toda criatura!” (Mc 16,15).2. Igreja: casa da iniciação à vida cristã.3. Igreja: lugar de animação bíblica da vida e da pastoral.4. Igreja: comunidade de comunidades.5. Igreja a serviço da vida plena para todos.
  24. 24. Questão para refletir:1. Nossas pastorais, movimentos, espiritualidades e organismos estão levando as pessoas a um encontro com Jesus Cristo, favorecem a conversão, faz nascer o discípulo para a missão? (n.109)2. Como intensificar na minha comunidade, o processo de evangelização?
  25. 25. A Evangelização no mundo O Papa João Paulo II, em sua encíclica Redemptoris missio (33) afirma: O mundo de hoje, do ponto de vista da evangelização, apresenta três situações distintas:
  26. 26. 1. Povos, grupos humanos, contextossocioculturais (grandes religiões inclusive)onde Cristo e o Seu Evangelho não sãoconhecidos, onde faltam comunidadescristãs suficientemente amadurecidas parapoderem encarnar a fé no próprio ambientee anunciá-la a outros grupos.- Destinatários: 70% de toda a humanidadePara esta situação se exige aMissão ad Gentes.
  27. 27. Inspiração: o Pescador (Mc 1, 16- 20)Trata-se de um modelo aplicável à missão ad gentes – aos povos (cf. RMi 33).É uma missão em alto mar (70% da população)É uma missão que lança as redes sem alguma certeza de pegar alguma coisa.A Igreja descobre sua verdadeira vocação.“Tarefa primeira da Igreja, a de ser enviada a todos os povos” (RMi 34).É uma missão marcada pela pura fé.
  28. 28. 2. Comunidades cristãs que possuemsólidas e adequadas estruturas eclesiais,são fermento de fé e de vida, irradiando otestemunho do Evangelho no seuambiente, e sentindo o compromisso damissão universal (paróquias, movimentos)- Destinatários = 3% da humanidadeNelas se desenvolve a atividade ou cuidado pastoral.
  29. 29. Inspiração: o Bom Pastor (Jo 10, 1-16)Trata-se de um modelo aplicável ao cuidado pastoral (cf. RMi 33).É uma missão no espaço do curral.É uma missão que desenvolve uma relação pessoal, (chama pelo nome, as ovelhas “ouvem”, “reconhecem”). (Mas somam 3%)É uma missão onde o pastor é guia que acompanha fora do curral.É uma missão onde se dá a vida.
  30. 30. 3. Grupos inteiros de batizados,nos países de antiga tradição cristã, mas, porvezes, também nas Igrejas mais jovens,perderam o sentido vivo da fé,não se reconhecendo já como membros daIgreja e conduzindo uma vida distante deCristo e do Seu Evangelho.- Destinatários = 27% da humanidadeAqui torna-se necessária“nova evangelização” ou “reevangelização”.
  31. 31. Inspiração: o Semeador (Lc 8, 4-15; Mc 4, 2-20) Trata-se de um modelo aplicável à nova evangelização (cf. RMi 33). (27% da humanidade) É uma missão no espaço do campo que lança sementes em todos os terrenos, sem excluir nenhum. É uma missão na gratuidade: a semente brota sozinha (cf. Mc 4,27), Deus faz crescer (cf. 1Cor 3,7). Uma missão marcada pela esperança.
  32. 32. Visualizando as três situações de evangelização (Redemptoris Missio 33) Situação Destinatários %Missão ad Gentes 4.742.590.601 70Ecumenismo e NovaEvangelização 1.829.284.947 27Cuidado pastoral 203.253.882 3Total população 6.775.129.430 100
  33. 33. Pode ser consideradamissionáriauma Igreja que doa4% de suas religiosas,1,5% do seu clero enem a milésima partedos seus recursos financeirospara a evangelização do mundo?
  34. 34. “Todos os filhos da Igreja tenham consciência viva das suas responsabilidades para com o mundo, fomentem em si um espírito verdadeiramentecatólico, e ponham as suas forças ao serviço da obra da evangelização. (Ad Gentes, 36)
  35. 35. 1. Missão aos corações“O campo da Missão ad gentes se tem ampliado notavelmente e não é possível defini-lo baseando-se apenas em considerações geográficas ou jurídicas. Na verdade, os verdadeiros destinatários da atividade missionária do povo de Deus não são só os povos não cristãos e das terras distantes, mas também os campos sócio- culturais, e sobretudo os corações” (DA 375).
  36. 36. 2. Comunidade missionáriaA paróquia é chamada a tornar-se “comunidade de comunidades” (DA 309; 517e), “comunidade missionária” (DA 168) e lugar de formação permanente (cf. DA 306).Que seja menos instituição e mais comunidade, atenta à vida (cf. DA 225).A proposta de Jesus é de uma fraternidade peregrina que se faz próxima a todos, conjugando comunidade com missão: comunhão na missão e missão em comunhão.
  37. 37. 3. Missão ContinentalRetoma o conceito de nova evangelizaçãoPor ser um projeto que tem como destinatários as igrejas locais, tornou-se um projeto de “animação missionária”.A novidade da Missão Continental é de passar de uma nova evangelização para uma Igreja em estado permanente de missão.- Missão Do Continente, Para o Continente,No Continente e A Partir do Continente
  38. 38. 4. Missão ad gentesConvoca hoje a Igreja para ir :aos pobres, principalmente, os moradores de rua, os migrantes, os enfermos, os dependentes químicos, presos (DA VIII);à sociedade: atenção especial para a família, e a seus sujeitos (DA IX,1-7);aos areópagos: cultura moderna, mundo da educação, da comunicação, da política, da economia, da ciência e tecnologia;Enfoques sobre a cidade, os indígenas e afro-descendentes, a integração LA.
  39. 39. 5. Missão universal“Seria um erro deixar de promover a atividade evangelizadora fora do Continente com o pretexto de que ainda há muito para fazer na América, ou à espera de se chegar primeiro a uma situação, fundamentalmente utópica, de plena realização da Igreja na América” (EA 74).
  40. 40. Missão é sair ao Encontro – a grande motivação do Projeto missionário da Diocese.“Nenhum ponto de nossas paróquias e nenhuma pessoa em nossas comunidades pode ficar sem receber a Boa Notícia de Jesus Cristo” (p. 29)
  41. 41. Trabalho em grupo1. Como transformar a minha paróquia em “centro de irradiação missionária”dentro e além de seu território ?2. O que fazer com os católicos que são só “praticantes” e não se comprometem com as pastorais? (dentro)3. Como chegar aos “afastados” muito além da Igreja paroquial e além das fronteiras das Comunidades? (fora)

×