SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
RADIOATIVIDA
DE
A radioatividade é um fenômeno natural ou artificial,
pelo qual algumas substâncias ou elementos químicos,
chamados
radioativos,
são
capazes
de
emitir radiações, as quais têm a propriedade de
impressionar placas fotográficas, ionizar gases , produzir
fluorescência, atravessar corpos opacos à luz ordinária,
etc.
As radiações emitidas pelas substâncias radioativas são
principalmente partículas alfa, partículas beta e raios
gama. A radioatividade é uma forma de energia nuclear,
usada em medicina (radioterapia), e consiste no fato de
alguns átomos como os do urânio, rádio e tório serem
“instáveis”, perdendo constantemente partículas alfa,
beta e gama (raios-X).
Radioatividade (ou radiatividade) é a
propriedade de determinados tipos
de elementos químicos radioativos
emitirem radiações, um fenômeno que
acontece de forma natural ou artificial. A
radioatividade natural ou espontânea
ocorre através dos elementos radioativos
encontrados na natureza (na crosta
terrestre,
atmosfera,
etc.).
Já
a
radioatividade artificial ocorre quando há
uma transformação nuclear, através da
união de átomos ou da fissão nuclear. A
fissão nuclear é um processo observado
em usinas nucleares ou em bombas
atômicas.
Ano de 1896
A meia vida de um elemento radioativo é o
intervalo de tempo em que uma amostra
deste elemento se reduz à metade. Este
intervalo de tempo também é chamado de
período de semidesintegração.
À medida que os elementos radioativos vão se desintegrando, no
decorrer do tempo, a sua quantidade e atividade vão reduzindo e, por
consequência, a quantidade de energia emitida por ele, em razão da
radioatividade, também é reduzida.
• Vários isótopos radioativos são usados na
medicina. Um exemplo é quando vamos fazer
uma cintilografia com o intuito de verificar as
condições de nossos órgãos internos, e
introduzimos no organismo uma pequena
quantidade de material radioativo. Os
isótopos que apresentam essa característica
são denominados radiotraçadores, eles
possuem a propriedade de se acumularem
em um determinado órgão.
• Assim, o radiologista poderá determinar o
nível e a localização das radiações emitidas
pelos isótopos após o paciente receber uma
dose de material radioativo. As radiações beta
(β) ou gama (γ) incidem sobre filmes
fotográficos, e refletem imagens do órgão que
se pretende estudar.

• Muitos
alimentos
frescos
(carnes, peixes, mariscos, etc.), não podem
passar por métodos convencionais de
eliminação de bactérias como a pasteurização
térmica. Sendo assim, para impedir o
crescimento de agentes produtores da
deterioração, esses alimentos são submetidos
a radiações que destroem fungos e bactérias.
Na fissão (ou cisão) nuclear, um át
omo de um elemento é dividido
produzindo dois átomos de
menores dimensões de elementos
diferentes.

A Fusão Nuclear, dois ou mais
núcleos atômicos se juntam e
formam um outro núcleo de
maior número atômico. A fusão
nuclear requer muita energia para
acontecer, e geralmente liberta
muito mais energia que consome.
No dia 13 de setembro de 1987, na cidade de
Goiânia, em Goiás, dois catadores de lixo
encontraram uma máquina em um instituto
de radioterapia que por hora encontrava-se
abandonado. Neste aparelho estava acoplada
uma cápsula que continha elemento
radioativo (cloreto de césio-137) e que fora
levado por estes dois catadores a fim de
vender a maquina que era composta de metal
e lhes renderiam dinheiro na venda em um
ferro velho.
Após o incidente cerca de 600 pessoas morreram, e até hoje, boa parte da população ainda
necessita de tratamento para manter-se estável. As pessoas que foram contaminadas reclamam da
ausência do governo e do ministério público, que não fornece suporte, remédio e tratamentos para
os infectados, porém em contraponto o governo afirma subsidiar a medicação necessária, porem
alega que toda a doença que as pessoas adquirem posteriormente, está interligada ao acidente do
Césio-137.
Você sabia?
Todo Ser Vivo possuí
átomos radioativos
inclusive você
Falar ao telefone faz
você produzir 254% a
mais de saliva.
A radiação é algo bem comum no dia-a-dia do ser humano.
Normalmente, quando se pensa em radiação, relaciona-se a palavra a
algo perigoso e que envolve máquinas ou produtos e locais dos quais
se devem ficar isolado. Porém, a luz, que é criada através de fusões
nucleares no Sol, é um exemplo de energia gerada pela radiação, a que
estamos expostos todos os dias e é inofensiva. É claro que existem as
radiações que causam danos à saúde humana, como a nuclear.
As radiações também são de extrema importância na vida do ser
humano. Elas podem estar participando tanto da energia de nossas
casas, de nossos aparelhos eletrônicos portáteis, etc.
Bibliografia
Disponível em:

•http://www.infoescola.com/quimica/radioatividade/
•http://www.mundoeducacao.com/quimica/aplicacoes-radioatividade.htm
•http://www.mundoeducacao.com/quimica/datacao-radiometrica.htm
•http://pt.wikipedia.org/wiki/Radioactividade
•http://chicoquimica.blogspot.com.br/2007/07/fuso-nuclear.html
Acesso em: 06 de Dezembro de 2013
Trab. Química - Radioatividade

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Radiação ionizante e não ionizante
Radiação ionizante e não ionizanteRadiação ionizante e não ionizante
Radiação ionizante e não ionizanteRobson Peixoto
 
CONCEITOS DE RADIAÇÃO IONIZANTE E NÃO IONIZANTE
CONCEITOS DE RADIAÇÃO IONIZANTE E NÃO IONIZANTECONCEITOS DE RADIAÇÃO IONIZANTE E NÃO IONIZANTE
CONCEITOS DE RADIAÇÃO IONIZANTE E NÃO IONIZANTEThassiany Sarmento
 
Raio X
Raio XRaio X
Raio Xtaynaz
 
Aula 8 ensaios mecnicos e end - radiografia
Aula 8   ensaios mecnicos e end - radiografiaAula 8   ensaios mecnicos e end - radiografia
Aula 8 ensaios mecnicos e end - radiografiaAlex Leal
 
CÓDIGO DE ÉTICA DOS PROFISSIONAIS DAS TÉCNICAS RADIOLÓGICAS
CÓDIGO DE ÉTICA DOS PROFISSIONAIS DAS TÉCNICAS RADIOLÓGICASCÓDIGO DE ÉTICA DOS PROFISSIONAIS DAS TÉCNICAS RADIOLÓGICAS
CÓDIGO DE ÉTICA DOS PROFISSIONAIS DAS TÉCNICAS RADIOLÓGICASHerculys Douglas Clímaco Marques
 
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIAEQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIAWillian R. Bandeira
 
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕESAULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕESMagno Cavalheiro
 
Princípios de física radiológica
Princípios de física radiológicaPrincípios de física radiológica
Princípios de física radiológicagrtalves
 
Efeitos Biológicos da Radiação Ionizante
Efeitos Biológicos da Radiação IonizanteEfeitos Biológicos da Radiação Ionizante
Efeitos Biológicos da Radiação IonizanteVanessa Farias
 
Aplicações da radiação ionizante
Aplicações da radiação ionizanteAplicações da radiação ionizante
Aplicações da radiação ionizanteMagno Cavalheiro
 
9 ano método ciêntífico
9 ano método ciêntífico9 ano método ciêntífico
9 ano método ciêntíficoJane Jeiza
 
Corrente eletrica aula 01
Corrente eletrica aula 01Corrente eletrica aula 01
Corrente eletrica aula 01Nivea Smalcher
 

Mais procurados (20)

Radiação ionizante e não ionizante
Radiação ionizante e não ionizanteRadiação ionizante e não ionizante
Radiação ionizante e não ionizante
 
Lixo radioativo
Lixo radioativoLixo radioativo
Lixo radioativo
 
Aplicação da radioatividade na medicina
Aplicação da radioatividade na medicinaAplicação da radioatividade na medicina
Aplicação da radioatividade na medicina
 
CONCEITOS DE RADIAÇÃO IONIZANTE E NÃO IONIZANTE
CONCEITOS DE RADIAÇÃO IONIZANTE E NÃO IONIZANTECONCEITOS DE RADIAÇÃO IONIZANTE E NÃO IONIZANTE
CONCEITOS DE RADIAÇÃO IONIZANTE E NÃO IONIZANTE
 
Raio X
Raio XRaio X
Raio X
 
Aula 8 ensaios mecnicos e end - radiografia
Aula 8   ensaios mecnicos e end - radiografiaAula 8   ensaios mecnicos e end - radiografia
Aula 8 ensaios mecnicos e end - radiografia
 
CÓDIGO DE ÉTICA DOS PROFISSIONAIS DAS TÉCNICAS RADIOLÓGICAS
CÓDIGO DE ÉTICA DOS PROFISSIONAIS DAS TÉCNICAS RADIOLÓGICASCÓDIGO DE ÉTICA DOS PROFISSIONAIS DAS TÉCNICAS RADIOLÓGICAS
CÓDIGO DE ÉTICA DOS PROFISSIONAIS DAS TÉCNICAS RADIOLÓGICAS
 
RADIOLOGIA CONVENCIONAL E FORMAÇÃO DOS RAIOS X
RADIOLOGIA CONVENCIONAL E FORMAÇÃO DOS RAIOS XRADIOLOGIA CONVENCIONAL E FORMAÇÃO DOS RAIOS X
RADIOLOGIA CONVENCIONAL E FORMAÇÃO DOS RAIOS X
 
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIAEQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
 
Radiação
Radiação Radiação
Radiação
 
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕESAULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
 
Princípios de física radiológica
Princípios de física radiológicaPrincípios de física radiológica
Princípios de física radiológica
 
Efeitos Biológicos da Radiação Ionizante
Efeitos Biológicos da Radiação IonizanteEfeitos Biológicos da Radiação Ionizante
Efeitos Biológicos da Radiação Ionizante
 
Aplicações da radiação ionizante
Aplicações da radiação ionizanteAplicações da radiação ionizante
Aplicações da radiação ionizante
 
Radioatividadegrupo 2
Radioatividadegrupo 2Radioatividadegrupo 2
Radioatividadegrupo 2
 
Proteção e Higiene das Radiações
Proteção e Higiene das RadiaçõesProteção e Higiene das Radiações
Proteção e Higiene das Radiações
 
O átomo
O átomoO átomo
O átomo
 
9 ano método ciêntífico
9 ano método ciêntífico9 ano método ciêntífico
9 ano método ciêntífico
 
Corrente eletrica aula 01
Corrente eletrica aula 01Corrente eletrica aula 01
Corrente eletrica aula 01
 
Exposição Pediátrica à Radiação Ionizante em Exames Radiológicos
Exposição Pediátrica à Radiação Ionizante em Exames RadiológicosExposição Pediátrica à Radiação Ionizante em Exames Radiológicos
Exposição Pediátrica à Radiação Ionizante em Exames Radiológicos
 

Semelhante a Trab. Química - Radioatividade

Apresentação biofísica da radioatividade
Apresentação biofísica da  radioatividadeApresentação biofísica da  radioatividade
Apresentação biofísica da radioatividadeElyda Santos
 
o que vem a ser Radiação.
o que vem a ser Radiação.o que vem a ser Radiação.
o que vem a ser Radiação.Coaching
 
Energia nuclear-e-radioatividade
Energia nuclear-e-radioatividadeEnergia nuclear-e-radioatividade
Energia nuclear-e-radioatividadeLex Pit
 
Como Funciona Uma MáQuina De Raios X
Como Funciona Uma MáQuina De Raios XComo Funciona Uma MáQuina De Raios X
Como Funciona Uma MáQuina De Raios XAulasParticulares
 
Aplicações da radioatividade
Aplicações da radioatividadeAplicações da radioatividade
Aplicações da radioatividadeAna Clara Raft
 
Efeitos Deletéris da Radiação
Efeitos Deletéris da RadiaçãoEfeitos Deletéris da Radiação
Efeitos Deletéris da RadiaçãoWelisson Porto
 
Trabalho De QuíMica
Trabalho De QuíMicaTrabalho De QuíMica
Trabalho De QuíMicarenanzinho
 
RADIACOES IONIZANTES.ppt
RADIACOES IONIZANTES.pptRADIACOES IONIZANTES.ppt
RADIACOES IONIZANTES.pptbreno90
 

Semelhante a Trab. Química - Radioatividade (20)

Radiotividade
RadiotividadeRadiotividade
Radiotividade
 
Todos Os Pratos
Todos Os PratosTodos Os Pratos
Todos Os Pratos
 
Apresentação biofísica da radioatividade
Apresentação biofísica da  radioatividadeApresentação biofísica da  radioatividade
Apresentação biofísica da radioatividade
 
RADIOATIVIDADE
RADIOATIVIDADERADIOATIVIDADE
RADIOATIVIDADE
 
o que vem a ser Radiação.
o que vem a ser Radiação.o que vem a ser Radiação.
o que vem a ser Radiação.
 
Radioactividade
RadioactividadeRadioactividade
Radioactividade
 
Energia nuclear-e-radioatividade
Energia nuclear-e-radioatividadeEnergia nuclear-e-radioatividade
Energia nuclear-e-radioatividade
 
Radioactividade
RadioactividadeRadioactividade
Radioactividade
 
Como Funciona Uma MáQuina De Raios X
Como Funciona Uma MáQuina De Raios XComo Funciona Uma MáQuina De Raios X
Como Funciona Uma MáQuina De Raios X
 
RADIAÃ_Ã_O.pptx
RADIAÃ_Ã_O.pptxRADIAÃ_Ã_O.pptx
RADIAÃ_Ã_O.pptx
 
Aula De Rx Texto
Aula De Rx TextoAula De Rx Texto
Aula De Rx Texto
 
Aplicações da radioatividade
Aplicações da radioatividadeAplicações da radioatividade
Aplicações da radioatividade
 
Formação Nuclear.pptx
Formação Nuclear.pptxFormação Nuclear.pptx
Formação Nuclear.pptx
 
Efeitos Deletéris da Radiação
Efeitos Deletéris da RadiaçãoEfeitos Deletéris da Radiação
Efeitos Deletéris da Radiação
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Trabalho De QuíMica
Trabalho De QuíMicaTrabalho De QuíMica
Trabalho De QuíMica
 
AULA NR 37 IOE
AULA NR 37 IOEAULA NR 37 IOE
AULA NR 37 IOE
 
Radiação
RadiaçãoRadiação
Radiação
 
RADIACOES IONIZANTES.ppt
RADIACOES IONIZANTES.pptRADIACOES IONIZANTES.ppt
RADIACOES IONIZANTES.ppt
 
Radiação
RadiaçãoRadiação
Radiação
 

Último

Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxSão Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxMartin M Flynn
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioWyngDaFelyzitahLamba
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfFbioFerreira207918
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxSão Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundario
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 

Trab. Química - Radioatividade

  • 2. A radioatividade é um fenômeno natural ou artificial, pelo qual algumas substâncias ou elementos químicos, chamados radioativos, são capazes de emitir radiações, as quais têm a propriedade de impressionar placas fotográficas, ionizar gases , produzir fluorescência, atravessar corpos opacos à luz ordinária, etc. As radiações emitidas pelas substâncias radioativas são principalmente partículas alfa, partículas beta e raios gama. A radioatividade é uma forma de energia nuclear, usada em medicina (radioterapia), e consiste no fato de alguns átomos como os do urânio, rádio e tório serem “instáveis”, perdendo constantemente partículas alfa, beta e gama (raios-X).
  • 3. Radioatividade (ou radiatividade) é a propriedade de determinados tipos de elementos químicos radioativos emitirem radiações, um fenômeno que acontece de forma natural ou artificial. A radioatividade natural ou espontânea ocorre através dos elementos radioativos encontrados na natureza (na crosta terrestre, atmosfera, etc.). Já a radioatividade artificial ocorre quando há uma transformação nuclear, através da união de átomos ou da fissão nuclear. A fissão nuclear é um processo observado em usinas nucleares ou em bombas atômicas.
  • 5.
  • 6. A meia vida de um elemento radioativo é o intervalo de tempo em que uma amostra deste elemento se reduz à metade. Este intervalo de tempo também é chamado de período de semidesintegração. À medida que os elementos radioativos vão se desintegrando, no decorrer do tempo, a sua quantidade e atividade vão reduzindo e, por consequência, a quantidade de energia emitida por ele, em razão da radioatividade, também é reduzida.
  • 7.
  • 8.
  • 9. • Vários isótopos radioativos são usados na medicina. Um exemplo é quando vamos fazer uma cintilografia com o intuito de verificar as condições de nossos órgãos internos, e introduzimos no organismo uma pequena quantidade de material radioativo. Os isótopos que apresentam essa característica são denominados radiotraçadores, eles possuem a propriedade de se acumularem em um determinado órgão. • Assim, o radiologista poderá determinar o nível e a localização das radiações emitidas pelos isótopos após o paciente receber uma dose de material radioativo. As radiações beta (β) ou gama (γ) incidem sobre filmes fotográficos, e refletem imagens do órgão que se pretende estudar. • Muitos alimentos frescos (carnes, peixes, mariscos, etc.), não podem passar por métodos convencionais de eliminação de bactérias como a pasteurização térmica. Sendo assim, para impedir o crescimento de agentes produtores da deterioração, esses alimentos são submetidos a radiações que destroem fungos e bactérias.
  • 10. Na fissão (ou cisão) nuclear, um át omo de um elemento é dividido produzindo dois átomos de menores dimensões de elementos diferentes. A Fusão Nuclear, dois ou mais núcleos atômicos se juntam e formam um outro núcleo de maior número atômico. A fusão nuclear requer muita energia para acontecer, e geralmente liberta muito mais energia que consome.
  • 11. No dia 13 de setembro de 1987, na cidade de Goiânia, em Goiás, dois catadores de lixo encontraram uma máquina em um instituto de radioterapia que por hora encontrava-se abandonado. Neste aparelho estava acoplada uma cápsula que continha elemento radioativo (cloreto de césio-137) e que fora levado por estes dois catadores a fim de vender a maquina que era composta de metal e lhes renderiam dinheiro na venda em um ferro velho. Após o incidente cerca de 600 pessoas morreram, e até hoje, boa parte da população ainda necessita de tratamento para manter-se estável. As pessoas que foram contaminadas reclamam da ausência do governo e do ministério público, que não fornece suporte, remédio e tratamentos para os infectados, porém em contraponto o governo afirma subsidiar a medicação necessária, porem alega que toda a doença que as pessoas adquirem posteriormente, está interligada ao acidente do Césio-137.
  • 12. Você sabia? Todo Ser Vivo possuí átomos radioativos inclusive você Falar ao telefone faz você produzir 254% a mais de saliva.
  • 13. A radiação é algo bem comum no dia-a-dia do ser humano. Normalmente, quando se pensa em radiação, relaciona-se a palavra a algo perigoso e que envolve máquinas ou produtos e locais dos quais se devem ficar isolado. Porém, a luz, que é criada através de fusões nucleares no Sol, é um exemplo de energia gerada pela radiação, a que estamos expostos todos os dias e é inofensiva. É claro que existem as radiações que causam danos à saúde humana, como a nuclear. As radiações também são de extrema importância na vida do ser humano. Elas podem estar participando tanto da energia de nossas casas, de nossos aparelhos eletrônicos portáteis, etc.