SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 44
Baixar para ler offline
ENERGIA
PROF. Carolina Corrêa
Objetivos
Identificar diferentes fontes de energia;

Compreender
o
processo
geração/transformação de energia;

de

Analisar vantagens e desvantagens das
diferentes fontes de energia.
Fontes de energia são quaisquer
dispositivos, elementos ou corpos que
produzem ou contém algum tipo de energia
que possa ser utilizada de alguma forma.
São de fundamental importância, em
especial na atual sociedade capitalista.
Foi com o advento das Revoluções
Industriais, juntamente com a intensificação
do processo de urbanização, que a
utilização das fontes energéticas teve um
aumento extraordinário.
Tipos
Renovável

Não renovável

É a energia que é extraída
de fontes naturais capaz
de se regenerar,
consequentemente
inesgotável. Ex: energia
solar, energia eólica, etc

É a energia que se
encontra na natureza em
quantidades limitadas, que
com sua utilização se
extingue. Ex: petróleo,
carvão mineral, etc.
Renovável
A energia hidrelétrica produz energia
elétrica gerada a partir da movimentação de
turbinas impulsionadas por água de rios
acumulados em barragens.
Por causa da grande quantidade de
rios existentes no Brasil, esta é a fonte de
energia mais utilizada por aqui.
A energia potencial que a água tem na
parte alta da represa é que faz com que as pás
da turbina girem, acionando o eixo do gerador,
produzindo energia elétrica.
Normalmente as usinas hidrelétricas são
construídas em locais distantes dos centros
consumidores, esse fato eleva os valores do
transporte de energia, que é transmitida por
fios até as cidades.
O investimento inicial e os custos de
manutenção são elevados, porém, o custo do
combustível (água) é nulo.
Os principais impactos ambientais
ocasionados pelo represamento da água para
a formação de imensos lagos artificiais são:
destruição de extensas áreas de vegetação
natural, matas ciliares, o desmoronamento
das margens, o assoreamento do leito dos
rios, prejuízos à fauna e à flora locais,
alterações no regime hidráulico dos rios,
possibilidades da transmissão de doenças,
como esquistossomose e malária, extinção de
algumas espécies de peixes.
O Brasil possui o 3º maior potencial
hidroelétrico do mundo.
China, 13%

Rússia, 12%

Demais
países, 44%
Brasil, 10%

EUA, 4%

Canadá, 7%
Congo, 5%
Índia, 5%

Fonte: Tolmasquim, M. (coord). Geração de Energia Elétrica no Brasil. Ed. Interciência, 2005.
No contexto energético, o termo
biomassa refere-se ao material biológico
proveniente de seres vivos que pode ser
convertido em energia.
Exemplos de biomassa utilizados para
a conversão de energia são: milho, canade-açúcar, madeira, palha, casca de arroz,
estrume, algas e lixo biodegradável.
Biocombustível
é
qualquer
combustível de origem biológica, desde
que não seja de origem fóssil (não
sofreu nenhuma ação geológica para
ser produzido). É originado de mistura
de uma ou mais plantas como: cana de
açúcar, mamona, soja, babaçu, pinhão,
lixo orgânico, dentre outros tipos
(biomassa).
Energia geotérmica é a
energia obtida a partir do calor
proveniente da Terra, mais
precisamente do seu interior.
Devido a necessidade de se
obter energia elétrica de uma
maneira mais limpa e em
quantidades cada vez maiores,
foi desenvolvido um modo de
aproveitar esse calor para a
geração de eletricidade.
O vapor aciona
as turbinas que geram
quase 3 000 000 joules
de energia elétrica por
segundo e a água
quente percorre
tubulações até chegar
às casas.
Energia solar é a designação dada a
qualquer tipo de captação de energia
proveniente
do
Sol,
e
posterior
transformação dessa energia captada em
alguma forma utilizável pelo homem, seja
diretamente para aquecimento de água ou
ainda como energia elétrica ou mecânica.
Três Gargantas
Fonte: solnaamazonia.com.br
A energia eólica
é produzida pela
transformação da
energia dos ventos em
energia elétrica. A
conversão de energia
é realizada através de
um aerogerador que
consiste num gerador
elétrico acoplado a um
eixo que gira através
da incidência do vento
nas pás da turbina.
A instalação
de turbinas eólicas
tem interesse em
locais em que a
velocidade média
anual dos ventos
seja superior a 3,6
m/s.
No Brasil se destacam
as Usinas do Camelinho,
em MG, de Mucuripe e da
Prainha no Ceará, Fernando
de
Noronha
em
Pernambuco e Osório no
RS.
Existem atualmente,
mais de 20 000 turbinas
eólicas de grande porte em
operação
no
mundo
(principalmente no Estados
Unidos).
Na
Europa,
espera-se gerar 10 % da
energia elétrica a partir da
eólica, até o ano de 2030.
A energia maremotriz aproveita a força
das marés de uma determinada região.
Quanto maior o gradiente entre a maré alta e
baixa, maior será a produção de energia.
No Brasil temos
grande amplitude de
marés, por exemplo,
em São Luís, na Baia
de São Marcos (6,8m),
mas a topografia do
litoral inviabiliza
economicamente a
construção de
reservatórios.
Não Renovável
Combustível
fóssil
ou
mais
corretamente combustível mineral é uma
substância formada de compostos de
carbono,
usados
para alimentar a
combustão. Reconhecidamente, são usados
como combustível, o carvão mineral, o
petróleo e o gás natural.
O petróleo se formou a milhões de anos, a
partir de matéria orgânica (restos de animais,
vegetais e microrganismos) que se armazenou no
fundo dos oceanos.
Em razão da temperatura e da pressão
sofrida, a matéria orgânica se transformou em um
líquido viscoso, de coloração escura.

Fonte: www.qgdopetroleo.com
No
Brasil,
a
existência do petróleo já
era computada durante
os tempos do regime
imperial
Contudo, foi apenas
em 1930 se deu a
descoberta oficial e no
ano de 1941, o governo
brasileiro anunciou o
estabelecimento
do
campo de exploração
petrolífera de Candeias,
Bahia.
Apesar das descobertas em pequena
escala, o surgimento dessa nova riqueza
incentivou, em 1953, a oficialização do
monopólio estatal sobre a atividade petrolífera
e a criação da empresa estatal “Petróleo
Brasileiro S.A.”, mais conhecida como
Petrobrás.
Em 2006, o volume de
produção atingiu patamares
ainda
mais
elevados
e
conseguiu
superar,
pela
primeira vez, o valor da
demanda total da nossa
economia, a famosa conquista
da “autosuficiência”.
No ano de 2007, o
governo brasileiro anunciou a
descoberta de um novo campo
de exploração petrolífera na
chamada camada pré-sal.
Essas
reservas
de
petróleo
são
encontradas a sete mil metros de profundidade e
apresentam imensos poços de petróleo em
excelente estado de conservação.
O Gás Natural, encontrado no subsolo
terrestre ou marítimo, é constituído por uma
mistura de hidrocarbonetos (composto químico
formado por átomos de carbono e hidrogênio).

Grande parte do
gás natural (cerca de
70%) é formada pelo gás
metano. Fazem também
parte da composição do
gás natural o propano,
nitrogênio,
oxigênio,
etano e enxofre.
O gás natural é
formado a partir da
decomposição
de
materiais
orgânicos
que são acumulados
em rochas durante
milhares de anos.
O
GNV
(Gás
Natural Veicular) tem
sido
muito
utilizado
como combustível para
veículos.
Além de ser mais
barato do que o álcool e
a gasolina, o GNV gera
um baixo índice de
poluentes atmosféricos.
Embora
a
Petrobrás
produza
grande quantidade de
gás natural, o consumo
deste combustível tem
aumentado tanto nos
últimos anos que o
Brasil
necessita
importar da Bolívia.
O transporte é
feito
através
do
gasoduto Brasil-Bolívia.
O Carvão mineral é um minério não metálico,
considerado um combustível fóssil.
Sua formação aconteceu por meio de antigas
florestas que foram soterradas por sedimentos há
milhões de anos.
No território brasileiro esse minério é encontrado
em áreas restritas e limitadas, além disso, o carvão
extraído não possui boa qualidade.
Cerca de 85% do consumo de carvão é para
abastecer usinas termoelétricas, além de 6% na
indústria de cimento, 4% na indústria de papel
celulose e 5% nas indústrias de cerâmica,
alimentos e secagem de grãos.
O carvão vegetal é
obtido a partir da queima
ou carbonização de
madeira.
No cotidiano o carvão
vegetal é utilizado como
combustível de
aquecedores, lareira,
churrasqueiras e fogões a
lenha, além de abastecer
alguns setores industriais
como as siderúrgicas.
É importante analisar o fator social pois,
adultos e até crianças trabalham nas
carvoarias na maioria das vezes em condições
precárias de trabalho e baixíssimos salários.
Outro fator não menos importante que o
primeiro é o ambiental, pois pesquisas revelam
que aproximadamente 78% do carvão
produzido no Brasil é de origem de vegetação
nativa causando um enorme prejuízo
ambiental.
A Energia nuclear consiste no uso
controlado das reações nucleares para a
obtenção
de
energia
para
realizar
movimento, calor e geração de eletricidade.
Referências
MUNDO EDUCAÇÃO . Disponível em:
<http://www.mundoeducacao.com/geografia/fontes-energia1.htm>. Acesso em: 30/01/2014.
REDE ENERGIA. Disponível em:
<http://www.redenergia.com/estudantes/fontes-de-energia/>.
Acesso em: 30/01/2014.
BRUNA AZEVEDO. Disponível em:
<http://pt.slideshare.net/search/slideshow?lang=pt&page=4&q=fon
tes+de+energia&searchfrom=header&sort=relevance>. Acesso
em: 30/01/2014.
CRISTIANO FONSECA DUTRA . Disponível em:
<http://pt.slideshare.net/search/slideshow?lang=pt&page=4&q=fon
tes+de+energia&searchfrom=header&sort=relevance>. Acesso
em: 30/01/2014.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energiaArtur Lara
 
Geografia dos Recursos Naturais e Fontes Energéticas
Geografia dos Recursos Naturais e Fontes EnergéticasGeografia dos Recursos Naturais e Fontes Energéticas
Geografia dos Recursos Naturais e Fontes EnergéticasNinho Cristo
 
10 recursos e utilizacao
10 recursos e utilizacao10 recursos e utilizacao
10 recursos e utilizacaoruiricardobg
 
Recursos Naturais 4º Ano
Recursos Naturais 4º AnoRecursos Naturais 4º Ano
Recursos Naturais 4º AnoAndré Moraes
 
Energia 2013
Energia 2013Energia 2013
Energia 2013aroudus
 
6 recursos não renováveis
6 recursos não renováveis6 recursos não renováveis
6 recursos não renováveisap3bmachado
 
Fontes de energia PROF BRUNO JOAQUIM
Fontes de energia PROF BRUNO JOAQUIMFontes de energia PROF BRUNO JOAQUIM
Fontes de energia PROF BRUNO JOAQUIMraahsalemi
 
Energia e meio ambiente- 3ª aula
Energia e meio ambiente- 3ª aulaEnergia e meio ambiente- 3ª aula
Energia e meio ambiente- 3ª aulahumanascurso
 
Fontes alternativas e energia no Brasil
Fontes alternativas e energia no BrasilFontes alternativas e energia no Brasil
Fontes alternativas e energia no Brasil Joemille Leal
 
Recursosnaturaisfinal
RecursosnaturaisfinalRecursosnaturaisfinal
Recursosnaturaisfinal8ºC
 
Gestão Sustentável dos Recursos
Gestão Sustentável dos RecursosGestão Sustentável dos Recursos
Gestão Sustentável dos RecursosSamanta Duarte
 
Energia e meio ambiente slide
Energia e meio ambiente slideEnergia e meio ambiente slide
Energia e meio ambiente slidegoogle
 
Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisDiogo Mateus
 
Gestão ambiental Unidade III
Gestão ambiental Unidade IIIGestão ambiental Unidade III
Gestão ambiental Unidade IIIHarutchy
 
Gestão e sustentabilidade
Gestão e sustentabilidadeGestão e sustentabilidade
Gestão e sustentabilidadecARLOS CAMPOS
 

Mais procurados (20)

Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
Geografia dos Recursos Naturais e Fontes Energéticas
Geografia dos Recursos Naturais e Fontes EnergéticasGeografia dos Recursos Naturais e Fontes Energéticas
Geografia dos Recursos Naturais e Fontes Energéticas
 
10 recursos e utilizacao
10 recursos e utilizacao10 recursos e utilizacao
10 recursos e utilizacao
 
Recursos Naturais 4º Ano
Recursos Naturais 4º AnoRecursos Naturais 4º Ano
Recursos Naturais 4º Ano
 
Apostila fontes energia 2013
Apostila  fontes energia 2013Apostila  fontes energia 2013
Apostila fontes energia 2013
 
Energia 2013
Energia 2013Energia 2013
Energia 2013
 
6 recursos não renováveis
6 recursos não renováveis6 recursos não renováveis
6 recursos não renováveis
 
Energia Renovável
Energia RenovávelEnergia Renovável
Energia Renovável
 
Recursos naturais
Recursos naturaisRecursos naturais
Recursos naturais
 
Geografia - Fontes de Energia.
Geografia - Fontes de Energia.Geografia - Fontes de Energia.
Geografia - Fontes de Energia.
 
Fontes de energia PROF BRUNO JOAQUIM
Fontes de energia PROF BRUNO JOAQUIMFontes de energia PROF BRUNO JOAQUIM
Fontes de energia PROF BRUNO JOAQUIM
 
Energia e meio ambiente- 3ª aula
Energia e meio ambiente- 3ª aulaEnergia e meio ambiente- 3ª aula
Energia e meio ambiente- 3ª aula
 
Fontes alternativas e energia no Brasil
Fontes alternativas e energia no BrasilFontes alternativas e energia no Brasil
Fontes alternativas e energia no Brasil
 
Recursosnaturaisfinal
RecursosnaturaisfinalRecursosnaturaisfinal
Recursosnaturaisfinal
 
Energias
EnergiasEnergias
Energias
 
Gestão Sustentável dos Recursos
Gestão Sustentável dos RecursosGestão Sustentável dos Recursos
Gestão Sustentável dos Recursos
 
Energia e meio ambiente slide
Energia e meio ambiente slideEnergia e meio ambiente slide
Energia e meio ambiente slide
 
Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos Naturais
 
Gestão ambiental Unidade III
Gestão ambiental Unidade IIIGestão ambiental Unidade III
Gestão ambiental Unidade III
 
Gestão e sustentabilidade
Gestão e sustentabilidadeGestão e sustentabilidade
Gestão e sustentabilidade
 

Semelhante a Fontes de energia

Semelhante a Fontes de energia (20)

Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
fontesdeenergia-160317222038.pdf
fontesdeenergia-160317222038.pdffontesdeenergia-160317222038.pdf
fontesdeenergia-160317222038.pdf
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
Energias renováveis 3 C
Energias renováveis 3 CEnergias renováveis 3 C
Energias renováveis 3 C
 
Objeto De Aprendizagem
Objeto De AprendizagemObjeto De Aprendizagem
Objeto De Aprendizagem
 
Fontes de energia.
Fontes de energia.Fontes de energia.
Fontes de energia.
 
Recursos naturais
Recursos naturaisRecursos naturais
Recursos naturais
 
Energia renovável e não renovável
Energia renovável e não renovávelEnergia renovável e não renovável
Energia renovável e não renovável
 
Fontes de energia.pptx
Fontes de energia.pptxFontes de energia.pptx
Fontes de energia.pptx
 
Recursosnaturaisfinal
RecursosnaturaisfinalRecursosnaturaisfinal
Recursosnaturaisfinal
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
cie_(2)__8°_ano_24093125.pdf
cie_(2)__8°_ano_24093125.pdfcie_(2)__8°_ano_24093125.pdf
cie_(2)__8°_ano_24093125.pdf
 
Carvão mineral e gás mineral.
Carvão mineral e gás mineral.Carvão mineral e gás mineral.
Carvão mineral e gás mineral.
 
Cap 26 energia
Cap 26 energiaCap 26 energia
Cap 26 energia
 
Recursos
RecursosRecursos
Recursos
 
Seminário fontes de energia
Seminário   fontes de energiaSeminário   fontes de energia
Seminário fontes de energia
 
Atividade geografia
Atividade geografiaAtividade geografia
Atividade geografia
 
Apresentação+energias+renováveis
Apresentação+energias+renováveisApresentação+energias+renováveis
Apresentação+energias+renováveis
 
Recursos Não Renováveis
Recursos Não RenováveisRecursos Não Renováveis
Recursos Não Renováveis
 
Modulo 10 - A exploração dos recursos energéticos
Modulo 10 - A exploração dos recursos energéticosModulo 10 - A exploração dos recursos energéticos
Modulo 10 - A exploração dos recursos energéticos
 

Mais de karolpoa

Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticosAula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticoskarolpoa
 
Rochas metamórficas
Rochas metamórficasRochas metamórficas
Rochas metamórficaskarolpoa
 
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosferaOs ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosferakarolpoa
 
Climatologia no brasil
Climatologia no brasilClimatologia no brasil
Climatologia no brasilkarolpoa
 
Sedimentos e rochas sedimentares 2014-2
Sedimentos e rochas sedimentares 2014-2Sedimentos e rochas sedimentares 2014-2
Sedimentos e rochas sedimentares 2014-2karolpoa
 
Intemperismo e erosão
Intemperismo e erosãoIntemperismo e erosão
Intemperismo e erosãokarolpoa
 
4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológicokarolpoa
 
4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológicokarolpoa
 
5 fatores e elementos climáticos
5 fatores e elementos climáticos5 fatores e elementos climáticos
5 fatores e elementos climáticoskarolpoa
 
Agua nos solos
Agua nos solosAgua nos solos
Agua nos soloskarolpoa
 
Aula classificação dos solos
Aula classificação dos solosAula classificação dos solos
Aula classificação dos soloskarolpoa
 
Ciclodas rochas rochas magmaticas
Ciclodas rochas rochas magmaticasCiclodas rochas rochas magmaticas
Ciclodas rochas rochas magmaticaskarolpoa
 
3 atmosfera
3 atmosfera3 atmosfera
3 atmosferakarolpoa
 
2 paleoclimatologia
2 paleoclimatologia2 paleoclimatologia
2 paleoclimatologiakarolpoa
 
1 noções de tempo e clima
1 noções de tempo e clima1 noções de tempo e clima
1 noções de tempo e climakarolpoa
 
3.1 análise granulométrica
3.1 análise granulométrica3.1 análise granulométrica
3.1 análise granulométricakarolpoa
 
Aula 3 propriedades morfológicas
Aula 3 propriedades morfológicasAula 3 propriedades morfológicas
Aula 3 propriedades morfológicaskarolpoa
 
Aula 2 origem dos solos
Aula 2 origem dos solosAula 2 origem dos solos
Aula 2 origem dos soloskarolpoa
 

Mais de karolpoa (20)

Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticosAula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
 
Rochas metamórficas
Rochas metamórficasRochas metamórficas
Rochas metamórficas
 
Minerais
MineraisMinerais
Minerais
 
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosferaOs ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
 
Climatologia no brasil
Climatologia no brasilClimatologia no brasil
Climatologia no brasil
 
Sedimentos e rochas sedimentares 2014-2
Sedimentos e rochas sedimentares 2014-2Sedimentos e rochas sedimentares 2014-2
Sedimentos e rochas sedimentares 2014-2
 
Intemperismo e erosão
Intemperismo e erosãoIntemperismo e erosão
Intemperismo e erosão
 
4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico
 
4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico
 
5 fatores e elementos climáticos
5 fatores e elementos climáticos5 fatores e elementos climáticos
5 fatores e elementos climáticos
 
Agua nos solos
Agua nos solosAgua nos solos
Agua nos solos
 
Aula classificação dos solos
Aula classificação dos solosAula classificação dos solos
Aula classificação dos solos
 
Ciclodas rochas rochas magmaticas
Ciclodas rochas rochas magmaticasCiclodas rochas rochas magmaticas
Ciclodas rochas rochas magmaticas
 
3 atmosfera
3 atmosfera3 atmosfera
3 atmosfera
 
2 paleoclimatologia
2 paleoclimatologia2 paleoclimatologia
2 paleoclimatologia
 
1 noções de tempo e clima
1 noções de tempo e clima1 noções de tempo e clima
1 noções de tempo e clima
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
 
3.1 análise granulométrica
3.1 análise granulométrica3.1 análise granulométrica
3.1 análise granulométrica
 
Aula 3 propriedades morfológicas
Aula 3 propriedades morfológicasAula 3 propriedades morfológicas
Aula 3 propriedades morfológicas
 
Aula 2 origem dos solos
Aula 2 origem dos solosAula 2 origem dos solos
Aula 2 origem dos solos
 

Último

UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................mariagrave
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...WelitaDiaz1
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Centro Jacques Delors
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaCentro Jacques Delors
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaREGIANELAURALOUREIRO1
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Centro Jacques Delors
 

Último (20)

UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 

Fontes de energia

  • 2. Objetivos Identificar diferentes fontes de energia; Compreender o processo geração/transformação de energia; de Analisar vantagens e desvantagens das diferentes fontes de energia.
  • 3. Fontes de energia são quaisquer dispositivos, elementos ou corpos que produzem ou contém algum tipo de energia que possa ser utilizada de alguma forma. São de fundamental importância, em especial na atual sociedade capitalista. Foi com o advento das Revoluções Industriais, juntamente com a intensificação do processo de urbanização, que a utilização das fontes energéticas teve um aumento extraordinário.
  • 4. Tipos Renovável Não renovável É a energia que é extraída de fontes naturais capaz de se regenerar, consequentemente inesgotável. Ex: energia solar, energia eólica, etc É a energia que se encontra na natureza em quantidades limitadas, que com sua utilização se extingue. Ex: petróleo, carvão mineral, etc.
  • 5. Renovável A energia hidrelétrica produz energia elétrica gerada a partir da movimentação de turbinas impulsionadas por água de rios acumulados em barragens. Por causa da grande quantidade de rios existentes no Brasil, esta é a fonte de energia mais utilizada por aqui.
  • 6. A energia potencial que a água tem na parte alta da represa é que faz com que as pás da turbina girem, acionando o eixo do gerador, produzindo energia elétrica.
  • 7. Normalmente as usinas hidrelétricas são construídas em locais distantes dos centros consumidores, esse fato eleva os valores do transporte de energia, que é transmitida por fios até as cidades. O investimento inicial e os custos de manutenção são elevados, porém, o custo do combustível (água) é nulo.
  • 8. Os principais impactos ambientais ocasionados pelo represamento da água para a formação de imensos lagos artificiais são: destruição de extensas áreas de vegetação natural, matas ciliares, o desmoronamento das margens, o assoreamento do leito dos rios, prejuízos à fauna e à flora locais, alterações no regime hidráulico dos rios, possibilidades da transmissão de doenças, como esquistossomose e malária, extinção de algumas espécies de peixes.
  • 9. O Brasil possui o 3º maior potencial hidroelétrico do mundo. China, 13% Rússia, 12% Demais países, 44% Brasil, 10% EUA, 4% Canadá, 7% Congo, 5% Índia, 5% Fonte: Tolmasquim, M. (coord). Geração de Energia Elétrica no Brasil. Ed. Interciência, 2005.
  • 10. No contexto energético, o termo biomassa refere-se ao material biológico proveniente de seres vivos que pode ser convertido em energia. Exemplos de biomassa utilizados para a conversão de energia são: milho, canade-açúcar, madeira, palha, casca de arroz, estrume, algas e lixo biodegradável.
  • 11.
  • 12. Biocombustível é qualquer combustível de origem biológica, desde que não seja de origem fóssil (não sofreu nenhuma ação geológica para ser produzido). É originado de mistura de uma ou mais plantas como: cana de açúcar, mamona, soja, babaçu, pinhão, lixo orgânico, dentre outros tipos (biomassa).
  • 13.
  • 14. Energia geotérmica é a energia obtida a partir do calor proveniente da Terra, mais precisamente do seu interior. Devido a necessidade de se obter energia elétrica de uma maneira mais limpa e em quantidades cada vez maiores, foi desenvolvido um modo de aproveitar esse calor para a geração de eletricidade.
  • 15. O vapor aciona as turbinas que geram quase 3 000 000 joules de energia elétrica por segundo e a água quente percorre tubulações até chegar às casas.
  • 16. Energia solar é a designação dada a qualquer tipo de captação de energia proveniente do Sol, e posterior transformação dessa energia captada em alguma forma utilizável pelo homem, seja diretamente para aquecimento de água ou ainda como energia elétrica ou mecânica.
  • 18.
  • 20. A energia eólica é produzida pela transformação da energia dos ventos em energia elétrica. A conversão de energia é realizada através de um aerogerador que consiste num gerador elétrico acoplado a um eixo que gira através da incidência do vento nas pás da turbina.
  • 21. A instalação de turbinas eólicas tem interesse em locais em que a velocidade média anual dos ventos seja superior a 3,6 m/s.
  • 22. No Brasil se destacam as Usinas do Camelinho, em MG, de Mucuripe e da Prainha no Ceará, Fernando de Noronha em Pernambuco e Osório no RS. Existem atualmente, mais de 20 000 turbinas eólicas de grande porte em operação no mundo (principalmente no Estados Unidos). Na Europa, espera-se gerar 10 % da energia elétrica a partir da eólica, até o ano de 2030.
  • 23. A energia maremotriz aproveita a força das marés de uma determinada região. Quanto maior o gradiente entre a maré alta e baixa, maior será a produção de energia.
  • 24. No Brasil temos grande amplitude de marés, por exemplo, em São Luís, na Baia de São Marcos (6,8m), mas a topografia do litoral inviabiliza economicamente a construção de reservatórios.
  • 25. Não Renovável Combustível fóssil ou mais corretamente combustível mineral é uma substância formada de compostos de carbono, usados para alimentar a combustão. Reconhecidamente, são usados como combustível, o carvão mineral, o petróleo e o gás natural.
  • 26. O petróleo se formou a milhões de anos, a partir de matéria orgânica (restos de animais, vegetais e microrganismos) que se armazenou no fundo dos oceanos. Em razão da temperatura e da pressão sofrida, a matéria orgânica se transformou em um líquido viscoso, de coloração escura. Fonte: www.qgdopetroleo.com
  • 27. No Brasil, a existência do petróleo já era computada durante os tempos do regime imperial Contudo, foi apenas em 1930 se deu a descoberta oficial e no ano de 1941, o governo brasileiro anunciou o estabelecimento do campo de exploração petrolífera de Candeias, Bahia.
  • 28. Apesar das descobertas em pequena escala, o surgimento dessa nova riqueza incentivou, em 1953, a oficialização do monopólio estatal sobre a atividade petrolífera e a criação da empresa estatal “Petróleo Brasileiro S.A.”, mais conhecida como Petrobrás.
  • 29. Em 2006, o volume de produção atingiu patamares ainda mais elevados e conseguiu superar, pela primeira vez, o valor da demanda total da nossa economia, a famosa conquista da “autosuficiência”. No ano de 2007, o governo brasileiro anunciou a descoberta de um novo campo de exploração petrolífera na chamada camada pré-sal.
  • 30. Essas reservas de petróleo são encontradas a sete mil metros de profundidade e apresentam imensos poços de petróleo em excelente estado de conservação.
  • 31. O Gás Natural, encontrado no subsolo terrestre ou marítimo, é constituído por uma mistura de hidrocarbonetos (composto químico formado por átomos de carbono e hidrogênio). Grande parte do gás natural (cerca de 70%) é formada pelo gás metano. Fazem também parte da composição do gás natural o propano, nitrogênio, oxigênio, etano e enxofre.
  • 32. O gás natural é formado a partir da decomposição de materiais orgânicos que são acumulados em rochas durante milhares de anos.
  • 33. O GNV (Gás Natural Veicular) tem sido muito utilizado como combustível para veículos. Além de ser mais barato do que o álcool e a gasolina, o GNV gera um baixo índice de poluentes atmosféricos.
  • 34. Embora a Petrobrás produza grande quantidade de gás natural, o consumo deste combustível tem aumentado tanto nos últimos anos que o Brasil necessita importar da Bolívia. O transporte é feito através do gasoduto Brasil-Bolívia.
  • 35. O Carvão mineral é um minério não metálico, considerado um combustível fóssil. Sua formação aconteceu por meio de antigas florestas que foram soterradas por sedimentos há milhões de anos. No território brasileiro esse minério é encontrado em áreas restritas e limitadas, além disso, o carvão extraído não possui boa qualidade.
  • 36. Cerca de 85% do consumo de carvão é para abastecer usinas termoelétricas, além de 6% na indústria de cimento, 4% na indústria de papel celulose e 5% nas indústrias de cerâmica, alimentos e secagem de grãos.
  • 37. O carvão vegetal é obtido a partir da queima ou carbonização de madeira. No cotidiano o carvão vegetal é utilizado como combustível de aquecedores, lareira, churrasqueiras e fogões a lenha, além de abastecer alguns setores industriais como as siderúrgicas.
  • 38. É importante analisar o fator social pois, adultos e até crianças trabalham nas carvoarias na maioria das vezes em condições precárias de trabalho e baixíssimos salários.
  • 39. Outro fator não menos importante que o primeiro é o ambiental, pois pesquisas revelam que aproximadamente 78% do carvão produzido no Brasil é de origem de vegetação nativa causando um enorme prejuízo ambiental.
  • 40. A Energia nuclear consiste no uso controlado das reações nucleares para a obtenção de energia para realizar movimento, calor e geração de eletricidade.
  • 41.
  • 42.
  • 43.
  • 44. Referências MUNDO EDUCAÇÃO . Disponível em: <http://www.mundoeducacao.com/geografia/fontes-energia1.htm>. Acesso em: 30/01/2014. REDE ENERGIA. Disponível em: <http://www.redenergia.com/estudantes/fontes-de-energia/>. Acesso em: 30/01/2014. BRUNA AZEVEDO. Disponível em: <http://pt.slideshare.net/search/slideshow?lang=pt&page=4&q=fon tes+de+energia&searchfrom=header&sort=relevance>. Acesso em: 30/01/2014. CRISTIANO FONSECA DUTRA . Disponível em: <http://pt.slideshare.net/search/slideshow?lang=pt&page=4&q=fon tes+de+energia&searchfrom=header&sort=relevance>. Acesso em: 30/01/2014.