SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 53
Utilização de Recursos Naturais
Consequências
Ciências Naturais
3ºCiclo
Recursos naturais – Formas de
energia ou de matéria existentes
na Natureza e passíveis de serem
utilizadas pelo ser humano.
2/9
Quanto à sua natureza, os
recursos naturais podem ser
classificados em recursos
energéticos e recursos não
energéticos.
3/9
Quanto à velocidade a que são
repostos nos ecossistemas,
podem ser classificados em
recursos renováveis e recursos
não renováveis.
4/9
5/9
Energia do Sol
Calor do interior da Terra
Força da água
Força do vento
Hidrogénio
Biomassa
Carvão, petróleo e gás
natural
Minerais radioativos
6/9
Seres vivos
Rochas e minerais
Solo
7/9
Recursos renováveis
Energia do Sol
Calor do interior da Terra
Água
Vento
Hidrogénio
Biomassa
Seres vivos
8/9
Recursos não renováveis
Carvão, petróleo e gás
natural
Minerais radioativos
Rochas e minerais
Solo
M1
Recursos energéticos
Recursos não energéticos
Recursos renováveis
Recursos não renováveis
Energia do sol
Calor do interior da Terra
Água
Vento
Hidrogénio
Biomassa
Seres vivos
Energia do Sol
Calor do interior da Terra
Força da água
Força do vento
Hidrogénio
Biomassa
Carvão, petróleo e gás natural
Minerais radioativos
Seres vivos
Rochas e minerais
Solo
Carvão, petróleo e gás natural
Minerais radioativos
Rochas e minerais
Solo
9/9
Quase toda a energia consumida no mundo provém de cinco
fontes: o petróleo, o carvão, o gás natural, o urânio e a energia
hídrica.
Aumento da pressão e da temperatura
Turfa Lignite
Carvão
betuminoso
Antracite
4/14
Aumento da
pressão e da
temperatura
Petróleo
Gás natural
plâncton
6/14
Carvão - É uma rocha sedimentar biogénica que é explorada em
minas a céu aberto ou em minas subterrâneas.
Petróleo - É a fonte de energia
mais utilizada no mundo inteiro.
Ocorre tanto no mar como em terra,
sendo explorado por diferentes
tipos de plataformas petrolíferas.
Gás natural – Hidrocarboneto
gasoso, a sua exploração e
consumo tem vindo a aumentar no
mundo.
Energia nuclear - Explora o calor libertado por reações de
átomos radioativos.
A água circula junto aos reatores e é aquecida pelo seu enorme
poder calorífico até se transformar em vapor. O vapor é
conduzido para turbinas cujo movimento permite gerar
eletricidade.
Biomassa - É a matéria orgânica, de origem vegetal ou animal,
que pode ser utilizada pelo ser humano.
A biomassa sólida resulta de produtos e resíduos da agricultura,
de resíduos da floresta e de resíduos industriais e urbanos.
Os biocombustíveis gasosos (biogás) resultam de efluentes
agropecuários, agroindustriais e urbanos e, ainda, dos aterros de
resíduos sólidos urbanos.
Os biocombustíveis líquidos produzem-se a partir de “culturas
energéticas”. Podem ser biodiesel, etanol ou metanol.
Turbina
Gerador
Linha elétrica
Energia hidroelétrica - Explora, através da construção de
barragens, os fluxos de água dos rios e o seu desnível ao longo
do terreno.
O movimento das águas é aproveitado para a produção de
energia elétrica.
Energia eólica - Consiste na utilização da força do vento para
produzir energia mecânica ou para alimentar um gerador que a
transforma em energia elétrica.
Energia cinética
do vento
Energia cinética
associado ao
movimento das
turbinas
Energia eléctrica
no geradorRede pública
Turbina
Gerador
Energia das ondas – Tem como fonte os ventos originados pelo
aquecimento das massas de ar.
Turbina
Gerador
Central de energia das ondas
Pico, Açores
Pelamis
Aguçadoura
Protótipo Wave roller
Peniche
Central piloto Aws (Archimedes wave swing)
Póvoa de Varzim
Energia solar - Captada por painéis solares, pode ser
diretamente utilizada para iluminar e aquecer edifícios e fornecer
água quente. Também pode ser convertida em energia elétrica.
Turbina
e gerador
Linha elétrica
Torre de arrefecimento
Injeção
Água infiltrada
Vapor de água
Magma
Central Geotérmica do Pico Vermelho
São Miguel
Energia geotérmica – Refere-se ao calor do interior da Terra,
que pode ser explorado para fornecer água quente e vapores para
a produção de eletricidade.
Depósitos de hidrogénio
Motor elétrico
Ar condicionado
Energia do hidrogénio – Obtém-se pela reação do hidrogénio
com o oxigénio, em pilhas de combustível, produzindo vapor de
água e libertando energia que é convertida em eletricidade.
As energias renováveis exploram recursos naturais
inesgotáveis ou difíceis de esgotar. Além disso, são mais
amigas do ambiente, pois as emissões de gases com efeito
de estufa são muito mais reduzidas.
Energiaproduzida(GWh/ano)
Percentagemdeconsumoanual
Agricultura e pecuária – A agricultura fornece os vegetais e a
pecuária fornece os animais que são a base de alimentos como
a carne, o leite, os ovos, os frutos e as hortaliças. Também
podem fornecer peles e fibras, como o algodão ou a lã.
Exploração florestal – Permite obter matérias-primas, alimentos
e paisagens. O mobiliário ou o papel são produzidos a partir das
madeiras, e as tintas e vernizes, a partir de resinas naturais. Nas
áreas florestais, também são obtidos alimentos
Caça – Perseguição e morte de animais, geralmente selvagens,
com objetivos alimentares, recreativos ou comerciais.
Pesca – Captura de diversos animais marinhos incluindo peixes,
crustáceos e moluscos, essencialmente para fins alimentares.
Gaiola costeira
Cultura de algas
Cultura de
mexilhão
Gaiolas oceânicas
Exploração terrestre
A aquicultura pode fornecer aos consumidores peixe e outros
produtos marinhos, compensando a diminuição dos recursos
piscícolas oceânicos por força da sobre-exploração ao longo
de muitos anos.
Combustível
Ar
condicionado
Perdas de calor pelo motor,
atritos e ineficiências
Marcha
lenta
DireçãoDireção
Movimento
Os processos de transformação dos recursos naturais envolvem
sempre perdas de energia ou desperdícios de matéria.
Esta falta de eficiência no uso da energia e das matérias favorece
uma utilização não sustentável dos recursos naturais.
2/8
A pesca de arrasto é uma técnica de captura industrial que recolhe
tudo o que é apanhado na rede.
Quando aplicada ao fundo, além da captura dos seres vivos,
também destrói o ecossistema. Este, após a passagem da rede de
arrasto, levará muitos anos a recuperar.
3/8
Estado dos principais recursos pesqueiros em Portugal
4/8
Uma das mais graves consequências do recurso excessivo aos
combustíveis fósseis é a emissão de gases com efeito de estufa
para a atmosfera.
CarvãoCarvão
387387
295295
286286
224224
105105
1010 66 44
DieselDiesel PetróleoPetróleo GásGás EólicaEólicaSolarSolar NuclearNuclear HídricaHídrica
Kg eqC
5/8
Recurso
Principais impactes da exploração
e transformação
Combustíve
is fósseis
Energia
Nuclear
Energia
Hidroelétric
a
A atmosfera é poluída, com agravamento do efeito
de estufa e consequente aquecimento global. As
reservas mundiais tendem para um esgotamento a
prazo.
O risco de destruição e contaminação radioativa é
muito elevado, sobretudo em caso de catástrofes
naturais, como os sismos.
O armazenamento dos resíduos da exploração é
problemático.
Os ecossistemas são perturbados e as paisagens
alteradas. A migração das espécies é impedida ou
dificultada. Os sedimentos ficam retidos e deixam
de alimentar a zona costeira.
6/8
Recurso
Principais impactes da exploração
e transformação
Energia
Eólica
Biomassa
Energia
Solar
A paisagem é alterada pela dimensão dos
aerogeradores. O ruído que emitem perturba os
ecossistemas. O movimento das pás provoca a
morte de aves e de morcegos.
A queima de resíduos liberta gases com efeito de
estufa. O recurso a biocombustíveis pressiona a
desflorestação.
A paisagem é alterada, pelo número e dimensão
dos painéis solares, no caso de opção por parques
solares.
7/8
Recurso
Principais impactes da
exploração e transformação
Energia
Ondas
Pesca
oceânica
Água
O ecossistema marinho é perturbado, em
instalações oceânicas. A navegação é condicionada
na zona de exploração.
Os ecossistemas marinhos são perturbados ou
destruídos. A sobre-exploração provoca, a prazo, a
extinção das espécies.
O agravamento da poluição dos subsistemas, o
desperdício, a desigual distribuição e o degelo das
calotes polares e dos glaciares, podem tornar, a
prazo, a água potável num bem escasso.
8/8
Um entendimento entre as nações
implicará a proteção
dos solos agrícolas, programas
de reflorestação e de controlo do
crescimento demográfico,
poupança e eficiência
energéticas, reciclagem
e desenvolvimento das energias
renováveis.
2/10
Medidas para
diminuir os
impactes
ambientais da
ação humana.
Limpeza da
poluição
Limpeza da
poluição
Eliminação de
resíduos
Eliminação de
resíduos
Proteção das
espécies
Proteção das
espécies
Degradação
do ambiente
Degradação
do ambiente
Utilização crescente
dos recursos
Utilização crescente
dos recursos
Crescimento
populacional
Crescimento
populacional
Destruição
do capital natural
Destruição
do capital natural
Redução da
poluição
Redução da
poluição
Redução de
resíduos
Redução de
resíduos
Proteção dos
habitats
Proteção dos
habitats
Reabilitação
do ambiente
Reabilitação
do ambiente
Menos desperdício
de recursos
Menos desperdício
de recursos
Estabilidade
populacional
Estabilidade
populacional
Proteção
do capital natural
Proteção
do capital natural
Abordagem atual Abordagem sustentável
3/10
Taxa de variação face à Meta (2008-2012),
de acordo com o protocolo de Quioto
Fonte:INE,2013
Entre 1999 e 2008 as emissões de GEE ultrapassaram a meta
estipulada. Desde 2009, Portugal tem aplicado medidas que
permitiram baixar progressivamente o desvio à meta fixada,
situando-se 15% abaixo desse valor em 2011.
5/10
Emissão dos principais gases de efeito de estufa
Fonte:INE,2013
O CO2 é o principal responsável pelo efeito de estufa. A partir de
2005, a emissão de CO2 tem vindo a decrescer. Em 2011, e pela
primeira vez, apresentou uma evolução inferior à verificada para
as emissões de gás metano (CH4).
6/10
O setor da “energia” é o principal responsável pelas emissões de
GEE. Neste setor, os “transportes” e a “indústria da energia”
constituem as principais fontes emissoras.
Emissão de GEE por setor de emissão
Fonte:INE,2013
7/10
O SOx, principal gás acidificante, foi o que registou um
decréscimo médio anual mais acentuado, de 5,7%, seguindo-se
o NH3, com 1,5%, e o NOx, com 1,2%.
Emissão de substâncias acidificantes e eutrofizantes por poluente
Fonte:INE,2013
9/10
Para uma utilização sustentável dos recursos naturais, Portugal
possui diversos planos e programas.
2/7

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisDiogo Mateus
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1marade
 
Recursos 10ºAno
Recursos  10ºAnoRecursos  10ºAno
Recursos 10ºAnoTânia Reis
 
Recursos renovaveis e nao renovaveis
Recursos renovaveis e nao renovaveisRecursos renovaveis e nao renovaveis
Recursos renovaveis e nao renovaveisJoão Coutinho
 
Exploração de recursos naturais
Exploração de recursos naturaisExploração de recursos naturais
Exploração de recursos naturaisanabela
 
Recursos Naturais/Fontes de Energia
Recursos Naturais/Fontes de EnergiaRecursos Naturais/Fontes de Energia
Recursos Naturais/Fontes de EnergiaNayara Luiza
 
Recursos não renováveis
Recursos não renováveisRecursos não renováveis
Recursos não renováveisdulcemarr
 
Setores de atividade e recursos naturais
Setores de atividade e recursos naturaisSetores de atividade e recursos naturais
Setores de atividade e recursos naturaisGina Espenica
 
Recursosnaturaisfinal
RecursosnaturaisfinalRecursosnaturaisfinal
Recursosnaturaisfinal8ºC
 
Exploração e conservação de recursos naturais
Exploração e conservação de recursos naturaisExploração e conservação de recursos naturais
Exploração e conservação de recursos naturaisProf. Francesco Torres
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturaisverasanches
 

Mais procurados (20)

Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos Naturais
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Recursos naturais i
Recursos naturais iRecursos naturais i
Recursos naturais i
 
Recursos 10ºAno
Recursos  10ºAnoRecursos  10ºAno
Recursos 10ºAno
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
 
Recursos naturais renováveis e não renováveis
Recursos naturais renováveis e não renováveisRecursos naturais renováveis e não renováveis
Recursos naturais renováveis e não renováveis
 
Recursos Minerais
Recursos MineraisRecursos Minerais
Recursos Minerais
 
Recursos renovaveis e nao renovaveis
Recursos renovaveis e nao renovaveisRecursos renovaveis e nao renovaveis
Recursos renovaveis e nao renovaveis
 
Exploração de recursos naturais
Exploração de recursos naturaisExploração de recursos naturais
Exploração de recursos naturais
 
Recursos Naturais/Fontes de Energia
Recursos Naturais/Fontes de EnergiaRecursos Naturais/Fontes de Energia
Recursos Naturais/Fontes de Energia
 
Recursos não renováveis
Recursos não renováveisRecursos não renováveis
Recursos não renováveis
 
Recursos naturais
Recursos naturaisRecursos naturais
Recursos naturais
 
Setores de atividade e recursos naturais
Setores de atividade e recursos naturaisSetores de atividade e recursos naturais
Setores de atividade e recursos naturais
 
Recursosnaturaisfinal
RecursosnaturaisfinalRecursosnaturaisfinal
Recursosnaturaisfinal
 
Exploração e conservação de recursos naturais
Exploração e conservação de recursos naturaisExploração e conservação de recursos naturais
Exploração e conservação de recursos naturais
 
Daniela B.
Daniela B.Daniela B.
Daniela B.
 
ciencias
cienciasciencias
ciencias
 
Recursos naturais ii
Recursos naturais iiRecursos naturais ii
Recursos naturais ii
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
 

Semelhante a 10 recursos e utilizacao

Apresentação+energias+renováveis
Apresentação+energias+renováveisApresentação+energias+renováveis
Apresentação+energias+renováveisWeliton Araújo
 
Recursosnaturaisfinal
RecursosnaturaisfinalRecursosnaturaisfinal
Recursosnaturaisfinal8ºC
 
Situação Energética Mundial
Situação Energética MundialSituação Energética Mundial
Situação Energética MundialGijasilvelitz 2
 
Gestão e sustentabilidade
Gestão e sustentabilidadeGestão e sustentabilidade
Gestão e sustentabilidadecARLOS CAMPOS
 
Energias renováveis e desenvolvimento sustentável
Energias renováveis e desenvolvimento sustentávelEnergias renováveis e desenvolvimento sustentável
Energias renováveis e desenvolvimento sustentávelAntónio Matias
 
Resumos de ciências
Resumos de ciênciasResumos de ciências
Resumos de ciênciasRitaMag2
 
Recursos Não Renováveis
Recursos Não RenováveisRecursos Não Renováveis
Recursos Não RenováveisCatiabarbosa
 
CN - RECURSOS ENERGÉTICOS
CN - RECURSOS ENERGÉTICOSCN - RECURSOS ENERGÉTICOS
CN - RECURSOS ENERGÉTICOSLuís Ferreira
 
2 recursos naturais
2 recursos naturais2 recursos naturais
2 recursos naturaisProfiantonio
 
Recursos naturais
Recursos naturaisRecursos naturais
Recursos naturaisllavado
 
Seminário fontes de energia
Seminário   fontes de energiaSeminário   fontes de energia
Seminário fontes de energiaLUIS ABREU
 
Energia renovável e não renovável
Energia renovável e não renovávelEnergia renovável e não renovável
Energia renovável e não renovávelWanessa Veloso
 
Recursosnaturaisfinal 100504060932-phpapp02
Recursosnaturaisfinal 100504060932-phpapp02Recursosnaturaisfinal 100504060932-phpapp02
Recursosnaturaisfinal 100504060932-phpapp02Deolinda Silva
 

Semelhante a 10 recursos e utilizacao (20)

Apresentação+energias+renováveis
Apresentação+energias+renováveisApresentação+energias+renováveis
Apresentação+energias+renováveis
 
Recursosnaturaisfinal
RecursosnaturaisfinalRecursosnaturaisfinal
Recursosnaturaisfinal
 
Situação Energética Mundial
Situação Energética MundialSituação Energética Mundial
Situação Energética Mundial
 
Gestão e sustentabilidade
Gestão e sustentabilidadeGestão e sustentabilidade
Gestão e sustentabilidade
 
Energias renováveis e desenvolvimento sustentável
Energias renováveis e desenvolvimento sustentávelEnergias renováveis e desenvolvimento sustentável
Energias renováveis e desenvolvimento sustentável
 
5. recursos naturais
5. recursos naturais5. recursos naturais
5. recursos naturais
 
Resumos de ciências
Resumos de ciênciasResumos de ciências
Resumos de ciências
 
Recursos naturais
Recursos naturaisRecursos naturais
Recursos naturais
 
Trabalho final
Trabalho finalTrabalho final
Trabalho final
 
Recursos Não Renováveis
Recursos Não RenováveisRecursos Não Renováveis
Recursos Não Renováveis
 
CN - RECURSOS ENERGÉTICOS
CN - RECURSOS ENERGÉTICOSCN - RECURSOS ENERGÉTICOS
CN - RECURSOS ENERGÉTICOS
 
2
22
2
 
apresentao1grupo67e-091130085800-phpapp01.pdf
apresentao1grupo67e-091130085800-phpapp01.pdfapresentao1grupo67e-091130085800-phpapp01.pdf
apresentao1grupo67e-091130085800-phpapp01.pdf
 
2 recursos naturais
2 recursos naturais2 recursos naturais
2 recursos naturais
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
Recursos naturais
Recursos naturaisRecursos naturais
Recursos naturais
 
Energia 6ano
Energia 6anoEnergia 6ano
Energia 6ano
 
Seminário fontes de energia
Seminário   fontes de energiaSeminário   fontes de energia
Seminário fontes de energia
 
Energia renovável e não renovável
Energia renovável e não renovávelEnergia renovável e não renovável
Energia renovável e não renovável
 
Recursosnaturaisfinal 100504060932-phpapp02
Recursosnaturaisfinal 100504060932-phpapp02Recursosnaturaisfinal 100504060932-phpapp02
Recursosnaturaisfinal 100504060932-phpapp02
 

Mais de ruiricardobg

11 sistema linfatico
11 sistema linfatico11 sistema linfatico
11 sistema linfaticoruiricardobg
 
08.3 sistema digestivo
08.3 sistema digestivo08.3 sistema digestivo
08.3 sistema digestivoruiricardobg
 
08.2 disturbios e alimentacao saudavel
08.2 disturbios e alimentacao saudavel08.2 disturbios e alimentacao saudavel
08.2 disturbios e alimentacao saudavelruiricardobg
 
08.1 alimentos e nutrientes
08.1 alimentos e nutrientes08.1 alimentos e nutrientes
08.1 alimentos e nutrientesruiricardobg
 
12 areas protegidas1
12 areas protegidas112 areas protegidas1
12 areas protegidas1ruiricardobg
 
05 saude sit rep e contracecao
05 saude sit rep e contracecao05 saude sit rep e contracecao
05 saude sit rep e contracecaoruiricardobg
 
04 fecundacao e gravidez
04 fecundacao e gravidez04 fecundacao e gravidez
04 fecundacao e gravidezruiricardobg
 
11 gestao residuos e agua1
11 gestao residuos e agua111 gestao residuos e agua1
11 gestao residuos e agua1ruiricardobg
 
08 sucessoes ecologicas
08 sucessoes ecologicas08 sucessoes ecologicas
08 sucessoes ecologicasruiricardobg
 
07 materia e energia
07 materia e energia07 materia e energia
07 materia e energiaruiricardobg
 
06 ecossistemas e fatores abioticos
06 ecossistemas e fatores abioticos06 ecossistemas e fatores abioticos
06 ecossistemas e fatores abioticosruiricardobg
 
02 reproducao mod1
02 reproducao mod102 reproducao mod1
02 reproducao mod1ruiricardobg
 

Mais de ruiricardobg (20)

13 urinario
13 urinario13 urinario
13 urinario
 
12 respiratorio
12 respiratorio12 respiratorio
12 respiratorio
 
11 sistema linfatico
11 sistema linfatico11 sistema linfatico
11 sistema linfatico
 
10 cardiovascular
10 cardiovascular10 cardiovascular
10 cardiovascular
 
08.3 sistema digestivo
08.3 sistema digestivo08.3 sistema digestivo
08.3 sistema digestivo
 
08.2 disturbios e alimentacao saudavel
08.2 disturbios e alimentacao saudavel08.2 disturbios e alimentacao saudavel
08.2 disturbios e alimentacao saudavel
 
08.1 alimentos e nutrientes
08.1 alimentos e nutrientes08.1 alimentos e nutrientes
08.1 alimentos e nutrientes
 
07 meio interno
07 meio interno07 meio interno
07 meio interno
 
09 sangue
09 sangue09 sangue
09 sangue
 
06 genetica1
06 genetica106 genetica1
06 genetica1
 
12 areas protegidas1
12 areas protegidas112 areas protegidas1
12 areas protegidas1
 
05 saude sit rep e contracecao
05 saude sit rep e contracecao05 saude sit rep e contracecao
05 saude sit rep e contracecao
 
04 fecundacao e gravidez
04 fecundacao e gravidez04 fecundacao e gravidez
04 fecundacao e gravidez
 
03 ciclos sexuais
03 ciclos sexuais03 ciclos sexuais
03 ciclos sexuais
 
11 gestao residuos e agua1
11 gestao residuos e agua111 gestao residuos e agua1
11 gestao residuos e agua1
 
09 catastrofes1
09 catastrofes109 catastrofes1
09 catastrofes1
 
08 sucessoes ecologicas
08 sucessoes ecologicas08 sucessoes ecologicas
08 sucessoes ecologicas
 
07 materia e energia
07 materia e energia07 materia e energia
07 materia e energia
 
06 ecossistemas e fatores abioticos
06 ecossistemas e fatores abioticos06 ecossistemas e fatores abioticos
06 ecossistemas e fatores abioticos
 
02 reproducao mod1
02 reproducao mod102 reproducao mod1
02 reproducao mod1
 

Último

Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persafelipescherner
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024azulassessoria9
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 

Último (20)

Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 

10 recursos e utilizacao

  • 1. Utilização de Recursos Naturais Consequências Ciências Naturais 3ºCiclo
  • 2. Recursos naturais – Formas de energia ou de matéria existentes na Natureza e passíveis de serem utilizadas pelo ser humano. 2/9
  • 3. Quanto à sua natureza, os recursos naturais podem ser classificados em recursos energéticos e recursos não energéticos. 3/9
  • 4. Quanto à velocidade a que são repostos nos ecossistemas, podem ser classificados em recursos renováveis e recursos não renováveis. 4/9
  • 5. 5/9 Energia do Sol Calor do interior da Terra Força da água Força do vento Hidrogénio Biomassa Carvão, petróleo e gás natural Minerais radioativos
  • 6. 6/9 Seres vivos Rochas e minerais Solo
  • 7. 7/9 Recursos renováveis Energia do Sol Calor do interior da Terra Água Vento Hidrogénio Biomassa Seres vivos
  • 8. 8/9 Recursos não renováveis Carvão, petróleo e gás natural Minerais radioativos Rochas e minerais Solo
  • 9. M1 Recursos energéticos Recursos não energéticos Recursos renováveis Recursos não renováveis Energia do sol Calor do interior da Terra Água Vento Hidrogénio Biomassa Seres vivos Energia do Sol Calor do interior da Terra Força da água Força do vento Hidrogénio Biomassa Carvão, petróleo e gás natural Minerais radioativos Seres vivos Rochas e minerais Solo Carvão, petróleo e gás natural Minerais radioativos Rochas e minerais Solo 9/9
  • 10. Quase toda a energia consumida no mundo provém de cinco fontes: o petróleo, o carvão, o gás natural, o urânio e a energia hídrica.
  • 11. Aumento da pressão e da temperatura Turfa Lignite Carvão betuminoso Antracite 4/14
  • 12. Aumento da pressão e da temperatura Petróleo Gás natural plâncton 6/14
  • 13. Carvão - É uma rocha sedimentar biogénica que é explorada em minas a céu aberto ou em minas subterrâneas.
  • 14. Petróleo - É a fonte de energia mais utilizada no mundo inteiro. Ocorre tanto no mar como em terra, sendo explorado por diferentes tipos de plataformas petrolíferas. Gás natural – Hidrocarboneto gasoso, a sua exploração e consumo tem vindo a aumentar no mundo.
  • 15. Energia nuclear - Explora o calor libertado por reações de átomos radioativos. A água circula junto aos reatores e é aquecida pelo seu enorme poder calorífico até se transformar em vapor. O vapor é conduzido para turbinas cujo movimento permite gerar eletricidade.
  • 16. Biomassa - É a matéria orgânica, de origem vegetal ou animal, que pode ser utilizada pelo ser humano. A biomassa sólida resulta de produtos e resíduos da agricultura, de resíduos da floresta e de resíduos industriais e urbanos.
  • 17. Os biocombustíveis gasosos (biogás) resultam de efluentes agropecuários, agroindustriais e urbanos e, ainda, dos aterros de resíduos sólidos urbanos. Os biocombustíveis líquidos produzem-se a partir de “culturas energéticas”. Podem ser biodiesel, etanol ou metanol.
  • 19. Energia hidroelétrica - Explora, através da construção de barragens, os fluxos de água dos rios e o seu desnível ao longo do terreno. O movimento das águas é aproveitado para a produção de energia elétrica.
  • 20. Energia eólica - Consiste na utilização da força do vento para produzir energia mecânica ou para alimentar um gerador que a transforma em energia elétrica.
  • 21. Energia cinética do vento Energia cinética associado ao movimento das turbinas Energia eléctrica no geradorRede pública Turbina Gerador
  • 22. Energia das ondas – Tem como fonte os ventos originados pelo aquecimento das massas de ar. Turbina Gerador
  • 23. Central de energia das ondas Pico, Açores
  • 26. Central piloto Aws (Archimedes wave swing) Póvoa de Varzim
  • 27.
  • 28. Energia solar - Captada por painéis solares, pode ser diretamente utilizada para iluminar e aquecer edifícios e fornecer água quente. Também pode ser convertida em energia elétrica.
  • 29. Turbina e gerador Linha elétrica Torre de arrefecimento Injeção Água infiltrada Vapor de água Magma
  • 30. Central Geotérmica do Pico Vermelho São Miguel Energia geotérmica – Refere-se ao calor do interior da Terra, que pode ser explorado para fornecer água quente e vapores para a produção de eletricidade.
  • 31. Depósitos de hidrogénio Motor elétrico Ar condicionado
  • 32. Energia do hidrogénio – Obtém-se pela reação do hidrogénio com o oxigénio, em pilhas de combustível, produzindo vapor de água e libertando energia que é convertida em eletricidade.
  • 33. As energias renováveis exploram recursos naturais inesgotáveis ou difíceis de esgotar. Além disso, são mais amigas do ambiente, pois as emissões de gases com efeito de estufa são muito mais reduzidas.
  • 36. Agricultura e pecuária – A agricultura fornece os vegetais e a pecuária fornece os animais que são a base de alimentos como a carne, o leite, os ovos, os frutos e as hortaliças. Também podem fornecer peles e fibras, como o algodão ou a lã.
  • 37. Exploração florestal – Permite obter matérias-primas, alimentos e paisagens. O mobiliário ou o papel são produzidos a partir das madeiras, e as tintas e vernizes, a partir de resinas naturais. Nas áreas florestais, também são obtidos alimentos
  • 38. Caça – Perseguição e morte de animais, geralmente selvagens, com objetivos alimentares, recreativos ou comerciais. Pesca – Captura de diversos animais marinhos incluindo peixes, crustáceos e moluscos, essencialmente para fins alimentares.
  • 39. Gaiola costeira Cultura de algas Cultura de mexilhão Gaiolas oceânicas Exploração terrestre A aquicultura pode fornecer aos consumidores peixe e outros produtos marinhos, compensando a diminuição dos recursos piscícolas oceânicos por força da sobre-exploração ao longo de muitos anos.
  • 40. Combustível Ar condicionado Perdas de calor pelo motor, atritos e ineficiências Marcha lenta DireçãoDireção Movimento Os processos de transformação dos recursos naturais envolvem sempre perdas de energia ou desperdícios de matéria. Esta falta de eficiência no uso da energia e das matérias favorece uma utilização não sustentável dos recursos naturais. 2/8
  • 41. A pesca de arrasto é uma técnica de captura industrial que recolhe tudo o que é apanhado na rede. Quando aplicada ao fundo, além da captura dos seres vivos, também destrói o ecossistema. Este, após a passagem da rede de arrasto, levará muitos anos a recuperar. 3/8
  • 42. Estado dos principais recursos pesqueiros em Portugal 4/8
  • 43. Uma das mais graves consequências do recurso excessivo aos combustíveis fósseis é a emissão de gases com efeito de estufa para a atmosfera. CarvãoCarvão 387387 295295 286286 224224 105105 1010 66 44 DieselDiesel PetróleoPetróleo GásGás EólicaEólicaSolarSolar NuclearNuclear HídricaHídrica Kg eqC 5/8
  • 44. Recurso Principais impactes da exploração e transformação Combustíve is fósseis Energia Nuclear Energia Hidroelétric a A atmosfera é poluída, com agravamento do efeito de estufa e consequente aquecimento global. As reservas mundiais tendem para um esgotamento a prazo. O risco de destruição e contaminação radioativa é muito elevado, sobretudo em caso de catástrofes naturais, como os sismos. O armazenamento dos resíduos da exploração é problemático. Os ecossistemas são perturbados e as paisagens alteradas. A migração das espécies é impedida ou dificultada. Os sedimentos ficam retidos e deixam de alimentar a zona costeira. 6/8
  • 45. Recurso Principais impactes da exploração e transformação Energia Eólica Biomassa Energia Solar A paisagem é alterada pela dimensão dos aerogeradores. O ruído que emitem perturba os ecossistemas. O movimento das pás provoca a morte de aves e de morcegos. A queima de resíduos liberta gases com efeito de estufa. O recurso a biocombustíveis pressiona a desflorestação. A paisagem é alterada, pelo número e dimensão dos painéis solares, no caso de opção por parques solares. 7/8
  • 46. Recurso Principais impactes da exploração e transformação Energia Ondas Pesca oceânica Água O ecossistema marinho é perturbado, em instalações oceânicas. A navegação é condicionada na zona de exploração. Os ecossistemas marinhos são perturbados ou destruídos. A sobre-exploração provoca, a prazo, a extinção das espécies. O agravamento da poluição dos subsistemas, o desperdício, a desigual distribuição e o degelo das calotes polares e dos glaciares, podem tornar, a prazo, a água potável num bem escasso. 8/8
  • 47. Um entendimento entre as nações implicará a proteção dos solos agrícolas, programas de reflorestação e de controlo do crescimento demográfico, poupança e eficiência energéticas, reciclagem e desenvolvimento das energias renováveis. 2/10
  • 48. Medidas para diminuir os impactes ambientais da ação humana. Limpeza da poluição Limpeza da poluição Eliminação de resíduos Eliminação de resíduos Proteção das espécies Proteção das espécies Degradação do ambiente Degradação do ambiente Utilização crescente dos recursos Utilização crescente dos recursos Crescimento populacional Crescimento populacional Destruição do capital natural Destruição do capital natural Redução da poluição Redução da poluição Redução de resíduos Redução de resíduos Proteção dos habitats Proteção dos habitats Reabilitação do ambiente Reabilitação do ambiente Menos desperdício de recursos Menos desperdício de recursos Estabilidade populacional Estabilidade populacional Proteção do capital natural Proteção do capital natural Abordagem atual Abordagem sustentável 3/10
  • 49. Taxa de variação face à Meta (2008-2012), de acordo com o protocolo de Quioto Fonte:INE,2013 Entre 1999 e 2008 as emissões de GEE ultrapassaram a meta estipulada. Desde 2009, Portugal tem aplicado medidas que permitiram baixar progressivamente o desvio à meta fixada, situando-se 15% abaixo desse valor em 2011. 5/10
  • 50. Emissão dos principais gases de efeito de estufa Fonte:INE,2013 O CO2 é o principal responsável pelo efeito de estufa. A partir de 2005, a emissão de CO2 tem vindo a decrescer. Em 2011, e pela primeira vez, apresentou uma evolução inferior à verificada para as emissões de gás metano (CH4). 6/10
  • 51. O setor da “energia” é o principal responsável pelas emissões de GEE. Neste setor, os “transportes” e a “indústria da energia” constituem as principais fontes emissoras. Emissão de GEE por setor de emissão Fonte:INE,2013 7/10
  • 52. O SOx, principal gás acidificante, foi o que registou um decréscimo médio anual mais acentuado, de 5,7%, seguindo-se o NH3, com 1,5%, e o NOx, com 1,2%. Emissão de substâncias acidificantes e eutrofizantes por poluente Fonte:INE,2013 9/10
  • 53. Para uma utilização sustentável dos recursos naturais, Portugal possui diversos planos e programas. 2/7