DIÁLOGO COMO OS PROFESSORES <ul><li>APRENDÊNCIA: </li></ul><ul><li>RAZÕES E SIGNIFICADOS </li></ul>
Olhando o mundo... <ul><li>Vivemos momento de crise:   </li></ul><ul><li>Naturalização da desigualdade, da miséria e banal...
Contexto Será que ser educador/a é uma opção de vida entusiamantes; Por que dedicar parte de nossa existência a esta ativi...
Os tipos de professores: -Otimista ingênuo (educação pode tudo) -Pessimista ingênuo(educ. não pode nada) -Otimista crítico...
Aprender-ensinar: a vida A vida é basicamente persistência de  processos de aprendizagem. processos vitais = processos de ...
Sociedade do Conhecimento <ul><li>Vivemos a Sociedade do conhecimento sob  </li></ul><ul><li>o primado do Capital. </li></...
Crise de paradigmas Momentos de mudanças: -fim das certezas; -fim das ilusões (progresso – industria, etc); -fim dos deter...
Primazia <ul><li>do ‘estético’ (descartável, efêmero) sob o </li></ul><ul><li>ético (gratuidade, pautado em valores); </li...
Olhando o mundo... <ul><li>A Cultura tornou-se uma mercadoria, perda da gratuidade e espontaneidade. </li></ul><ul><li>Dep...
Por outro lado...  <ul><li>Bate na nossa porta a fome e a miséria. </li></ul><ul><li>O modelo de desenvolvimento de inspir...
E o sociedade... <ul><li>A pobreza cresce – 44% da população. </li></ul><ul><li>A exclusão do mercado de trabalho, do cons...
O que fazer? O que? <ul><li>Alguns:  </li></ul><ul><li>´culpabilizam a vítima`. </li></ul><ul><li>Justificam: ‘a desiguald...
A fome e a miséria continuam lá <ul><li>É preciso pensar coletivamente. </li></ul><ul><li>Pensar globalmente e agir localm...
1.Construir o marco conceitual <ul><li>O que é:  </li></ul><ul><li>Segurança Alimentar? </li></ul><ul><li>Pobre e pobreza?...
O educador do Futuro <ul><li>Por que a persistência do educador? </li></ul><ul><li>Temos paixão pelo Futuro; </li></ul><ul...
Sentido do ato de educar <ul><li>Os educadores, temos paixão pela Rebeldia contra a ditadura do presente que aparenta o in...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

AprendêNcia. Razoes Significados

1.841 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.841
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

AprendêNcia. Razoes Significados

  1. 1. DIÁLOGO COMO OS PROFESSORES <ul><li>APRENDÊNCIA: </li></ul><ul><li>RAZÕES E SIGNIFICADOS </li></ul>
  2. 2. Olhando o mundo... <ul><li>Vivemos momento de crise: </li></ul><ul><li>Naturalização da desigualdade, da miséria e banalização da violência. </li></ul><ul><li>Descrédito das instituições: família, escola, Igrejas, política, Estado, Empresas. </li></ul><ul><li>Fatalismo e descompromisso com relação ao social vivido. </li></ul>
  3. 3. Contexto Será que ser educador/a é uma opção de vida entusiamantes; Por que dedicar parte de nossa existência a esta atividade cansativa, desvalorizada econômica e socialmente? Por que?
  4. 4. Os tipos de professores: -Otimista ingênuo (educação pode tudo) -Pessimista ingênuo(educ. não pode nada) -Otimista crítico: (educação pode relativamente, pois necessita de outras dimensões)
  5. 5. Aprender-ensinar: a vida A vida é basicamente persistência de processos de aprendizagem. processos vitais = processos de conhecimentos É preciso propiciar ecologias cognitivas.
  6. 6. Sociedade do Conhecimento <ul><li>Vivemos a Sociedade do conhecimento sob </li></ul><ul><li>o primado do Capital. </li></ul><ul><li>Rousseau (filósofo, séc.XVIII), disse que </li></ul><ul><li>o homem era bom no estado de natureza </li></ul><ul><li>e se tornou destruidor no estado social </li></ul><ul><li>(sociedade civil). </li></ul>
  7. 7. Crise de paradigmas Momentos de mudanças: -fim das certezas; -fim das ilusões (progresso – industria, etc); -fim dos determinismos (cientismo – Estado forte, mercado, educação)
  8. 8. Primazia <ul><li>do ‘estético’ (descartável, efêmero) sob o </li></ul><ul><li>ético (gratuidade, pautado em valores); </li></ul><ul><li>-do simulacro sob a concretude; </li></ul><ul><li>-do speed sob o mores; </li></ul><ul><li>-da experiência fugaz sob a especulação </li></ul><ul><li>substantiva, meditativa; </li></ul><ul><li>-do dogma do real x a complexidade do real); </li></ul><ul><li>-da descoberta sob a construção; </li></ul><ul><li>da individualismo egoísta x individualidade e </li></ul><ul><li>subjetividade </li></ul>
  9. 9. Olhando o mundo... <ul><li>A Cultura tornou-se uma mercadoria, perda da gratuidade e espontaneidade. </li></ul><ul><li>Depreciação, efemeridade do conhecimento. </li></ul><ul><li>Ética casuística – vale para ´o meu caso`. </li></ul><ul><li>Primazia do ‘homo economicus’. </li></ul>
  10. 10. Por outro lado... <ul><li>Bate na nossa porta a fome e a miséria. </li></ul><ul><li>O modelo de desenvolvimento de inspiração neoliberal priorizou a acumulação com a dinâmica do mercado e exclusão social. </li></ul><ul><li>Concentração da renda: 228 famílias no mundo apropriam de 86% do que se produzem no mundo. </li></ul><ul><li>No Paraná: 20 famílias concentram 80% da renda. </li></ul>
  11. 11. E o sociedade... <ul><li>A pobreza cresce – 44% da população. </li></ul><ul><li>A exclusão do mercado de trabalho, do consumo, da cultura coletiva, do acesso ao conhecimento e da tecnologia. </li></ul><ul><li>A violência aumenta como reação a exclusão e destruição da identidade. </li></ul>
  12. 12. O que fazer? O que? <ul><li>Alguns: </li></ul><ul><li>´culpabilizam a vítima`. </li></ul><ul><li>Justificam: ‘a desigualdade é natural’, ‘é vontade de (d)Deus’. </li></ul><ul><li>Prestam assistencialismo ingênuo de boa vontade, ou alívio da consciência. </li></ul><ul><li>Outros: Ficam indignados> </li></ul><ul><li>“ Isso não é vontade de Deus’. </li></ul>
  13. 13. A fome e a miséria continuam lá <ul><li>É preciso pensar coletivamente. </li></ul><ul><li>Pensar globalmente e agir localmente. </li></ul><ul><li>Ver o imediato e compreender o estrutural. </li></ul><ul><li>Ter marco conceitual coletivo. </li></ul><ul><li>Identificar os atores envolvidos e definir papeis. </li></ul><ul><li>Agir coletivamente e em forma de rede. </li></ul>
  14. 14. 1.Construir o marco conceitual <ul><li>O que é: </li></ul><ul><li>Segurança Alimentar? </li></ul><ul><li>Pobre e pobreza? </li></ul><ul><li>Estado e sociedade civil? </li></ul><ul><li>O que é e o papel do Conselho de Segurança Alimentar? </li></ul>
  15. 15. O educador do Futuro <ul><li>Por que a persistência do educador? </li></ul><ul><li>Temos paixão pelo Futuro; </li></ul><ul><li>Somos parteiro do futuro, isto é, gestamos Hoje – o Amanhã. Que legal!!! </li></ul><ul><li>A história é uma construção nossa. </li></ul>
  16. 16. Sentido do ato de educar <ul><li>Os educadores, temos paixão pela Rebeldia contra a ditadura do presente que aparenta o invencível. </li></ul><ul><li>A educação escolar vincula-se ao mundo do trabalho e a prática social, cf. §2º art 1º da LDB, </li></ul><ul><li>então, aí está a saída para Educação. </li></ul>

×