Objetos e paramentos liturgicos 2

24.064 visualizações

Publicada em

conhecer a liturgia.

Publicada em: Espiritual
1 comentário
7 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
24.064
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5.437
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
598
Comentários
1
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Objetos e paramentos liturgicos 2

  1. 1. Alamar<br />Feixe usado para fechar a frente do pluvial, também pode ser chamado de "Razionale". Por vezes encontra-se o alamar no véu umeral ou nas vimpas.<br />
  2. 2. Amito<br />Paramento usado no pescoço para cobrir a veste civil ou a batina antes de pôr a alva.<br />
  3. 3. Báculo<br />Insígnia Episcopal que representa o cajado que o Bispo, pastor diocesano, usa para conduzir suas ovelhas.<br />
  4. 4. Barrete<br />Cardeal<br />Chapéu quadrado usado pelos clérigos junto ao hábito diário e, de maneira especial, com os paramentos. Sua cor varia de acordo com o grau hierárquico do clérigo. <br />Bispo<br />Monsenhor<br />
  5. 5. Batina<br />Hábito talar usado pelos clérigos seculares e regulares que não possuem hábito próprio. É negra, possui 33 botões na parte central e 5 em cada manga, estendendo-se até os calcanhares.<br />Também conhecido como Sotaina<br />
  6. 6. Cáligas<br />Sapatilhas usadas pelos Bispos na forma extraordinária do rito romano.<br />
  7. 7. Camauro<br />Paramento pontifício usado com vestes corais. Consta de um pequeno gorro vermelho (ou branco) com pele de arminho.<br />
  8. 8. Capa magna<br />Grande capa usada pelos Bispos e Cardeais com vestes corais em sinal de solenidade. É violeta para os Bispos e vermelha para os Cardeais. Ela é presa sob a murça e sua parte posterior é segurada por um acólito que recebe o nome de caudatário. A capa magna é símbolo significativo de solenidade e jurisdição.<br />
  9. 9. Capelo<br />Chapéu negro sem ornamento usado pelos clérigos no dia-a-dia.<br />
  10. 10. Casula<br />Manto sacerdotal usado sobre estola e alva. Seu significado remete ao caráter sacrificial da missa. Seu uso é obrigatório em todas as missas e proibido fora delas..<br />
  11. 11. Chirotecoe<br />Luvas usadas pelos Bispos. Seguem a cor do tempo, como os demais paramentos.<br />
  12. 12. Cíngulo<br />Paramento usado para prender a alva junto ao corpo, símbolo da castidade.<br />
  13. 13. Clavi<br />Faixas verticais da dalmática.<br />
  14. 14. Clergyman<br />Parte da batina usada próxima ao pescoço, possui algumas variações, constando sempre de uma fita branca que fica mais ou menos à mostra.<br />
  15. 15. Cruz Peitoral<br />Insígnia Episcopal que consta de um crucifixo usado com um cordão ou em corrente simples.O cordão que sustenta a cruz, em ocasiões litúrgicas (com vestes corais ou paramentos) é verde-dourado para Bispos e Arcebispos, vermelho-dourado para os cardeais e e dourado para o Papa.<br />
  16. 16. Dalmática pontifical<br />A dalmática pontifical, possui a mesma forma da dalmática diaconal. Veste até os joelhos, com mangas mais largas que as da alva, possui duas listras verticais (clavi) e duas listras horizontais (segmentae).<br />
  17. 17. Faixa da Batina<br />Faixa de tecido usado pelos clérigos sobre a batina na altura do estômago.<br />
  18. 18. Fanon<br />Paramento pontifício com formato semelhante ao da murça, usado sobre a casula e sob o pálio<br />
  19. 19. Ferraiolo<br />Capa solene usada pelos clérigos sobre a batina em ocasiões solenes fora da liturgia como formaturas e atos cívicos, chamado também de tabarro<br />
  20. 20. Férula<br />Objeto semelhante ao báculo. O Sumo Pontífice usa uma em forma de cruz como insígnia. Alguns vigários usavam férula com um globo, simbolizando jurisdição.<br />
  21. 21. Galero<br />Chapéu vermelho munido de várias borlas. Era o símbolo maior do cardinalato até sua abolição com o MotuProprio de Paulo VI.<br />Motuproprio é uma das espécies normativas da Igreja Católica, expedido diretamente pelo próprio Papa. A expressão motuproprio poderia ser traduzida como "de sua iniciativa própria" <br />
  22. 22. Gremial<br /> consta de um "avental" de linho. Sua cor, na forma ordinária do rito romano, é sempre branca, em qualquer situação. É usado por padres e bispos em diversas circunstâncias como listamos a seguir:<br />Imposição das cinzas na quarta-feira de cinzas; <br />Lava-pés de quinta-feira santa <br />Para a unção da no sacramento da crisma; <br />Para a unção das mãos na ordenação presbiteral; <br />Para a unção da cabeça do eleito na ordenação episcopal; <br />Na dedicação do altar e de igreja, para as unções; <br />Outras circunstâncias em que o sacerdote deva fazer unções estando sentado.<br />
  23. 23. Hábito Talar<br />Hábito usado pelos clérigos e religiosos ordinariamente. Exemplos são os hábitos beneditinos, franciscanos e também a batina.<br />
  24. 24. Ínfulas<br />Tiras pendentes da parte posterior da mitra e do triregnum.<br />
  25. 25. Manícoto<br />O manícoto é posto no punho sobre a alva, pode ser amarrado ou provido de elástico. Seu uso é mais resumido em relação ao gremial, resume-se basicamente à unção do altar, impedindo que o bispo suje a alva com o Santo Crisma ou que tenha o inconveniente que ficar segurando o punho da mesma. Usando-o, além de evitar situações constrangedoras e inconvenientes, alimenta-se à tradição litúrgica, mantendo vivo o uso de tal paramento.<br />
  26. 26. Manípulo<br />Paramento cujo formato lembra o de uma pequena estola, usado no antebraço esquerdo pelo sacerdote durante a missa.<br />
  27. 27. Mantel<br />Capa negra com mozeta usada sobre a batina ordinariamente. Antes do MotuProprio de Paulo VI podia ser violeta para os Bispos e vermelha para os Cardeais<br />Motuproprio é uma das espécies normativas da Igreja Católica, expedido diretamente pelo próprio Papa. A expressão motuproprio poderia ser traduzida como "de sua iniciativa própria" <br />
  28. 28. Manteletta<br />Paramento usado nas vestes corais de alguns clérigos sobre roquete/sobrepeliz.<br />
  29. 29. Mitra<br />Insígnia Episcopal, usada à cabeça possui a forma de dois pentágonos unidos, munida de duas faixas na parte de trás: as ínfulas.<br />
  30. 30. Múleos<br />Sapatos vermelhos usados pelo Sumo Pontífice<br />
  31. 31. Murça<br />Pequena sobre-capa usada nas vestes corais sobre a sobrepeliz ou o roquete e sob a cruz peitoral. Sua cor varia de acordo com o grau hierárquico do clérigo.<br />
  32. 32. Pálio<br />Insígnia Episcopal usada ao redor do pescoço pelos Arcebispos como símbolo de poder e jurisdição.<br />
  33. 33. Pluvial<br />É um manto amplo, aberto à frente que os clérigos usam em algumas circunstâncias. Um nome muito conhecido é "capa de asperges" recebe esse nome em função de o celebrante usar-se dela durante o rito de asperges,e recebeu ainda o nome, isto mais atualmente, de "capa de bênção" por ser usada na bênção com o Santíssimo Sacramento.<br />
  34. 34. Prelatício<br />Chapéu ornado com borlas usado pelos clérigos. O número e a cor das borlas variam de acordo com o grau hierárquico do clérigo.<br />
  35. 35. Rationale<br />Paramento episcopal próprio de algumas Sés, usado sobre a casula e sob o pálio. "Rationale" ou "Razionale" também pode significar o feixe do pluvial (cf. Alamar)<br />
  36. 36. Roquete<br />Trata-se de uma "túnica" de cor branca. Geralmente feita de linho fino ou tecido semelhante. Atinge os joelhos. Distingue-se da sobrepeliz principalmente pelas mangas mais estreitas, frequentemente enfeitados com rendas. Pode ser forrada nos punhos e/ou na barra. <br />
  37. 37. Segmentae<br />Faixa horizontal da dalmática que une as clavi<br />
  38. 38. Sobrepeliz<br />Paramento semelhante a alva, curto e com mangas largas usados pelos acólitos ao servir a missa e também pelos sacerdotes em rituais que não se juntou à missa, por vários ministros no exercício de suas funções. A liturgia sempre quis colocar uma veste branca como base, à semelhança dos 24 anciãos que estão nos céus em volta do trono do Cordeiro (Ap 4, 4). <br />Cerimoniários assistindo ao papa durante o rito do lava-pés. Observe que Mons. Guido Marini (à direita) usa sobrepeliz com renda e não roquete. Observe as mangas: são largas.<br />Roquete<br />Sobrepeliz<br />
  39. 39. Solidéu<br />O solidéu é uma pequena calota que os clérigos usam na cabeça. Sendo preto para os padres, para todos os monsenhores é preto com frisos violáceos. Todo violeta para os bispos, vermelho para os cardeais e branco para o papa.<br />
  40. 40. Tonacella<br />Paramento típico dos noviços franciscanos, usado sobre a alva.<br />
  41. 41. Triregnum<br />Objeto formado por três coroas unidas, acimado por um globo e uma cruz. Usado pelo Romano Pontífice em ocasiões solenes, fora da liturgia. Não foi abolido, porém está em desuso.<br />
  42. 42. Túnica<br />Túnica<br />Espécie de alva com gola fechada. Difere da alva pois não possui escapulário<br />Alva<br />
  43. 43. Tunicela<br />Paramento do Subdiácono (forma extraordinária).<br />
  44. 44. Vestes corais<br />Conjunto de vestimentas usadas pelos clérigos ao assistir celebrações sem oficiar nelas, chegar e sair solenemente da igreja, etc.<br />
  45. 45. Véu umeral<br />Usado para segurar o Santíssimo Sacramento, relíquias e os santos óleos, o véu umeral consta de um paramento quadrado posto sobre os ombros.<br />
  46. 46.  Vimpa<br />Paramento semelhante ao véu umeral, quadrado e posto nas costas. São usadas pelo mitríferoe baculífero que portam a mitra e báculo, respectivamente. Suas cores variam conforme a cor litúrgica da cerimônia. Além do significado de respeito com as insignias episcopais, as vimpas possuem um lado prático que é evitar que o suor das mãos dos acólitos sujem ou danifiquem as insignias, mormente o tecido da mitra.<br />

×