SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Os 10 mandamentos da Lei de Deus:
1º - Amar a Deus sobre todas as coisas.
3º - Guardar domingos e festas de guarda.
4º - Honrar pai e mãe.
5º - Não matar.
6º - Guardar castidade nas palavras e nas obras.
7º - Não roubar.
8º - Não levantar falsos testemunhos.
9º - Guardar castidade nos pensamentos e nos desejos.
10º - Não cobiçar as coisas alheias
MOISÉS
Os 5 Mandamentos da Igreja:
1 - Ouvir missa inteira nos domingos e festas de guarda
2 - Confessar-se ao menos uma vez a cada ano
3 - Comungar pelo menos pela Páscoa da Ressurreição
4 - Jejuar e abster-se de carne quando manda a Igreja
5 - Pagar o dízimo segundo o costume
 Os cinco mandamentos ou preceitos da Igreja Católica (não confundir com os Dez
Mandamentos da Lei de Deus), na sua forma atual, foram estabelecidos pelo Papa
João Paulo II e promulgados em 2005 pelo Papa Bento XVI,
Os sacramentos
 Dentro da fé católica, os sacramentos, que a Igreja acredita serem
instituídos por Jesus, foram:
 Gestos e palavras de Cristo que concedem e comunicam
a graça santificadora sobre quem os recebe.
 Sobre os sacramentos, São Leão Magno diz:
“O que era visível no nosso Salvador passou para
os seus sacramentos"
Os sacramentos são 7:
1. O Batismo
2. A Crisma
3. A Eucaristia
4. A Confissão
5. A Unção dos Enfermos
6. A Ordem
7. O Matrimônio.
VAMOS ENTENDER:
Sacramento
da Ordem
Episcopado
(bispos)
Presbiterado
(padres)
Diaconato
(diáconos)
PAPA  Chefe Supremo da Igreja Católica Apostólica
Romana (Supremo Pontífice da Igreja
Universal e soberano do Vaticano).
 Títulos: Bispo de Roma, Primaz da
Itália, Arcebispo e Metropolita da Província
Romana e Patriarca do Ocidente.
 O Papa é vitalício, eleito pelo Santo Colégio
dos Cardeais reunidos em Roma.
 O Papa é o sucessor do apóstolo Pedro, o
primeiro Bispo de Roma, nomeado por Jesus
a pedra fundamental da Igreja em Mateus
16, 17-19.
Papa Bento XVI (em latim: Benedictus PP.
XVI, em italiano: Benedetto XVI)
• Nascido Joseph Alois
Ratzinger, (Marktl am Inn, Alemanha -
16 de abril de 1927)
• É Papa desde o dia 19 de Abril
de 2005. Foi eleito como o 266º Papa
com a idade de 78 anos. Foi eleito para
suceder ao Papa João Paulo II no conclave
de 2005 que terminou no dia 19 de Abril.
CARDEAL
 A denominação apareceu no século VI e tem o
significado de “superior eminente”, de onde provém
o tratamento de “eminência”.
 O título é conferido a alguns Bispos que funcionam
como colaboradores e conselheiros imediatos do
Papa, e servem como enviados, chefes de
congregações e tribunais da Cúria Romana.
 A partir do ano 1179, o Concílio de Latrão lhes
conferiu o direito de eleger o papa no Sacro Colégio.
Sua Eminência Reverendissíma Dom
Eugênio de Araújo Cardeal Sales.
(8 de novembro de 1920 — 9 de julho de 2012)
 Arcebispo-emérito da Arquidiocese de São
Sebastião do Rio de Janeiro.
 Cardeal Protopresbítero da Santa Igreja de
Roma.
 Faria 69 anos de sacerdócio, 58 de
episcopado, 43 de cardinalato, em seus
quase 92 anos de vida. Ele sagrou 22
bispos e ordenou 215 sacerdotes.
 Criador das Comunidades Eclesiais de Base
e da Campanha da Fraternidade.
 O Cardeal pode provir de qualquer Ordem Secular:
 Cardeais Bispos
 Cardeais Presbíteros (maior número dentro do Sacro
Colégio, encarregados dos deveres pastorais e administrativos
no Vaticano) e;
 Cardeais Diáconos (número limitado de cardeais encarregados
das missões de ajuda aos pobres na cidade de Roma).
CARDEAL
Bispo
Presbítero
(padre)
Diácono
Patriarcas
 Normalmente títulos possuídos por alguns líderes das Igrejas
Católicas Orientais (sui juris).
 Estes patriarcas orientais, que ao todo são seis, são eleitos pelos seus
respectivos Sínodos e depois reconhecidos pelo Papa.
 Apesar de ser apenas honorífico e não lhes conferirem poderes
adicionais.
Arcebispos
 Bispos que, na maioria dos casos, estão à frente das arquidioceses.
Arcebispo
Metropolita
Titular
Primaz
Maior
BISPO
 Da palavra grega EPISKOPOI, que significa “supervisor”.
 Sucessores dos Apóstolos, aos quais Jesus confiou a tríplice missão:
magistério, ordem e jurisdição.
 Nomeados pelo Papa, recebendo missão ordinária sobre os fiéis de sua
DIOCESE ou Circunscrição Eclesiástica, composta por PARÓQUIAS.
 Alguns Bispos assumem autoridade sobre outros Bispos da região, e são
denominados Arcebispos, outros assumem as funções de Cardeal.
Bispo
Diocesano Titular Emérito Coadjutor Auxiliar
Bispo de Uberlândia:
Dom Paulo Francisco Machado
 A pedra do anel do bispo é a
ametista, símbolo de fidelidade à Igreja, seu
Báculo ou bastão pastoral representa sua
função de conduzir o rebanho de fiéis a ele
confiado, e o uso de uma Cruz
peitoral, meias e sandálias vermelhas, luvas
de púrpura e mitra se deve a antigas
tradições orientais.
 Ao assumir, cargo episcopal, cada Bispo
escolhe um brasão de armas e um lema que
definirá o ideal de seu ministério.
Títulos e Cargos
 Além dos diferentes tipos de Bispos, existem também vários títulos e
cargos, por exemplo :
 Abade Territorial/Abade
 Prelado Territorial
 Prelado pessoal
 Exarca
 Vigário Apostólico
 Prefeito Apostólico
 Administrador Apostólico
 Ordinário militar
 Ordinário pessoal
 Eclesiástico Superior de uma missão sui iuris
 Administrador Diocesano
Presbiterado
 Os Presbíteros (ou padres) são os
colaboradores dos bispos e só têm um nível
de jurisdição parcial sobre os fiéis. Isto porque
eles não receberam ainda a totalidade
do sacramento da Ordem. Alguns deles
lideram as paróquias da sua diocese e têm
vários títulos, como por exemplo:
 Vigário: agem em nome e com a autoridade
do Bispo Diocesano.
 Monsenhor: título honorífico - não confere
quaisquer poderes sacramentais adicionais.
 Cônego
 Arquimandrita: ítulo honorífico usado nas Igrejas orientais sui
juris
Vigário
Geral
Judicial
Episcopal
Monsenhor
Protonotário
Apostólico
Numerário
Protonotário
Apostólico
Supranumerário
Prelado de Honra
de Sua Santidade
Prelado de
Honra de Sua
Santidade
Capelão de Sua
Santidade
Diaconato
 São os auxiliares dos presbíteros e
bispos e possuem o primeiro grau
do sacramento da Ordem.
 São ordenados não para o
sacerdócio, mas para o serviço
da caridade, da proclamação da
Palavra de Deus e da liturgia.
 Apesar disso, eles não consagram
a hóstia (parte central da Missa) e não
administram
a Confissão ou Reconciliação.
Consagrados (as)
 Podem ser leigos, religiosos ou clérigos.
 Normalmente agrupam-se em ordens
religiosas ou em institutos seculares.
 Vivem isoladamente ou até em
comunidade aberta.
 Profissão: castidade no celibato, pobreza
e obediência. Entre estas
pessoas, algumas aceitam levar uma vida
de clausura monástica ou conventual.
Entre os diferentes tipos
de consagrados e títulos
existentes destacam-se
os seguintes:
•Abade (a)
•Monge (a)
•Frade (a)
•Eremitas (Eremitérios)
Ministro Extraordinário da
Comunhão
 Leigo que recebe a permissão de distribuir
a comunhão aos fiéis na missa;
 Extraordinários porque só devem exercer o
seu ministério em caso de necessidade.
 Os ministros ordinários da comunhão são
apenas os fiéis que receberam
o sacramento da ordem.
 CORRETO: ministro extraordinário da
comunhão e não da Eucaristia!
Temporário
Permanente
Existem duas Ordens:
 Clero Secular ou Ordens Maiores.
 Clero Regular ou Ordens fechadas: cujos
religiosos se submetem a regras específicas
de vida ou tipos de atividades, como é o
exemplo dos monges.
Ordens Seculares:
 DIÁCONOS (DIACONATO)
 PADRES (PRESBITERATO)
 BISPOS (EPISCOPADO)
 Companhia de Jesus (padres jesuítas)
Ordem de São Bento (monjas e monges beneditinos)
Ordem dos Salvatorianos
Ordem dos Franciscanos
Ordem dos Salesianos
Ordem dos Salvatorianos
Ordem dos Franciscanos
Ordem dos Salesianos
Irmãos Maristas
Irmãos Rogacionistas
Irmãs Paulinas
Irmãos Dominicanos
Ordens Regulares:
ARQUIDIOCESE
 É uma Circunscrição Eclesiástica da Igreja
Católica (e também da Igreja Ortodoxa) que recebe
este nome por ser uma
importante diocese, em razão de seu
tamanho ou por motivos históricos.
 A autoridade máxima de uma
arquidiocese recebe o nome
de arcebispo, enquanto que as dioceses
são comandadas por bispos.
DIOCESE:
 Do grego DIOKESIS que significa
“administração da casa”.
 Unidade territorial administrada por
um bispo.
PARÓQUIAS:
 Termo derivado do grego
PAROIKIA, que significa a
“segunda casa”;
 e se aplica na Igreja Católica às
subdivisões da Diocese;
 à cada uma delas confiada a um
Pároco.
Pároco: Padre Edvaldo
HIERARQUIA DA IGREJA CATÓLICA
HIERARQUIA DA IGREJA CATÓLICA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciaçãoCatequese Anjos dos Céus
 
Quaresma e campanha da fraternidade - Crisma
Quaresma e campanha da fraternidade - CrismaQuaresma e campanha da fraternidade - Crisma
Quaresma e campanha da fraternidade - CrismaMarcelly Alves
 
Capitulo 4 Estrutura e Organização da Igreja - Uma explicativa de toda a or...
Capitulo 4   Estrutura e Organização da Igreja - Uma explicativa de toda a or...Capitulo 4   Estrutura e Organização da Igreja - Uma explicativa de toda a or...
Capitulo 4 Estrutura e Organização da Igreja - Uma explicativa de toda a or...Klaus Newman
 
Livrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismoLivrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismotorrasko
 
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhosOs sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhosCatequese Panatis
 
Encontros de catequese
Encontros de catequeseEncontros de catequese
Encontros de catequesesheilajo
 
Catequeses de Preparação para o Crisma
Catequeses de Preparação para o CrismaCatequeses de Preparação para o Crisma
Catequeses de Preparação para o CrismaJoão Pereira
 
Roteiro de missa de 1ª eucaristia.
Roteiro de missa de 1ª eucaristia.Roteiro de missa de 1ª eucaristia.
Roteiro de missa de 1ª eucaristia.Lucas Licerre
 
Apresentação da Bíblia: Conhecer e Manusear
Apresentação da Bíblia: Conhecer e ManusearApresentação da Bíblia: Conhecer e Manusear
Apresentação da Bíblia: Conhecer e ManusearMoniqueSantosL
 
Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos Rodrigo F Menegatti
 

Mais procurados (20)

APOSTILA DE PRE CATEQUESE
APOSTILA DE PRE CATEQUESEAPOSTILA DE PRE CATEQUESE
APOSTILA DE PRE CATEQUESE
 
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
 
A bíblia
A bíbliaA bíblia
A bíblia
 
Os sacramentos em nossa vida
Os sacramentos em nossa vidaOs sacramentos em nossa vida
Os sacramentos em nossa vida
 
Retiro com catequistas
Retiro com catequistasRetiro com catequistas
Retiro com catequistas
 
Encontro com os pais - Catequese
Encontro com os pais - CatequeseEncontro com os pais - Catequese
Encontro com os pais - Catequese
 
Quaresma e campanha da fraternidade - Crisma
Quaresma e campanha da fraternidade - CrismaQuaresma e campanha da fraternidade - Crisma
Quaresma e campanha da fraternidade - Crisma
 
Sacramentos slides
Sacramentos   slidesSacramentos   slides
Sacramentos slides
 
Ficha de inscrição para catequistas
Ficha de inscrição para catequistasFicha de inscrição para catequistas
Ficha de inscrição para catequistas
 
A Santa Missa
A Santa MissaA Santa Missa
A Santa Missa
 
Capitulo 4 Estrutura e Organização da Igreja - Uma explicativa de toda a or...
Capitulo 4   Estrutura e Organização da Igreja - Uma explicativa de toda a or...Capitulo 4   Estrutura e Organização da Igreja - Uma explicativa de toda a or...
Capitulo 4 Estrutura e Organização da Igreja - Uma explicativa de toda a or...
 
Livrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismoLivrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismo
 
2º ANO DE EUCARISTIA
2º ANO DE EUCARISTIA2º ANO DE EUCARISTIA
2º ANO DE EUCARISTIA
 
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhosOs sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
 
O que é a Eucaristia?
O que é a Eucaristia?O que é a Eucaristia?
O que é a Eucaristia?
 
Encontros de catequese
Encontros de catequeseEncontros de catequese
Encontros de catequese
 
Catequeses de Preparação para o Crisma
Catequeses de Preparação para o CrismaCatequeses de Preparação para o Crisma
Catequeses de Preparação para o Crisma
 
Roteiro de missa de 1ª eucaristia.
Roteiro de missa de 1ª eucaristia.Roteiro de missa de 1ª eucaristia.
Roteiro de missa de 1ª eucaristia.
 
Apresentação da Bíblia: Conhecer e Manusear
Apresentação da Bíblia: Conhecer e ManusearApresentação da Bíblia: Conhecer e Manusear
Apresentação da Bíblia: Conhecer e Manusear
 
Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos
 

Semelhante a HIERARQUIA DA IGREJA CATÓLICA

Diaconado no oriente e no ocidente
Diaconado no oriente e no ocidenteDiaconado no oriente e no ocidente
Diaconado no oriente e no ocidenteIFCE - Tianguá
 
33636183 roberto-constanza-o-governo-da-igreja-e-o-sistema-presbiteriano
33636183 roberto-constanza-o-governo-da-igreja-e-o-sistema-presbiteriano33636183 roberto-constanza-o-governo-da-igreja-e-o-sistema-presbiteriano
33636183 roberto-constanza-o-governo-da-igreja-e-o-sistema-presbiterianodenisemoda
 
Igreja católica apostólica romana
Igreja católica apostólica romanaIgreja católica apostólica romana
Igreja católica apostólica romanaMateus Lima
 
I grejas cristãs...luis, marina, hugo
I grejas cristãs...luis, marina, hugoI grejas cristãs...luis, marina, hugo
I grejas cristãs...luis, marina, hugoVirgilio
 
Mod 7 igreja - estutura e organização
Mod 7 igreja - estutura e organizaçãoMod 7 igreja - estutura e organização
Mod 7 igreja - estutura e organizaçãoLú Nascimento
 
Formação litúrgica 2017 VS CMC
Formação litúrgica 2017 VS CMCFormação litúrgica 2017 VS CMC
Formação litúrgica 2017 VS CMCVictor Silvestre
 
FORMAÇÃO LITÚRGICA - MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS.pptx
FORMAÇÃO LITÚRGICA - MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS.pptxFORMAÇÃO LITÚRGICA - MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS.pptx
FORMAÇÃO LITÚRGICA - MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS.pptxodairmarques5
 
ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSASENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSASRodrigo Basílio da Silva
 
Curso para presbitero
Curso para presbiteroCurso para presbitero
Curso para presbiteroHeron20
 
Pps 5 presbiterato e ministério pastoral na igreja metodista
Pps 5   presbiterato e ministério pastoral na igreja metodistaPps 5   presbiterato e ministério pastoral na igreja metodista
Pps 5 presbiterato e ministério pastoral na igreja metodistaPaulo Dias Nogueira
 
Novo perfil do redentorista
Novo perfil do redentoristaNovo perfil do redentorista
Novo perfil do redentoristaLeutherio
 
A missao do bispo 0512
A missao do bispo 0512A missao do bispo 0512
A missao do bispo 0512Aluizia Mendes
 
Conteúdo em Comemoração dos 50 anos do início do Concílio Vaticano II
Conteúdo em Comemoração dos 50 anos do início do Concílio Vaticano IIConteúdo em Comemoração dos 50 anos do início do Concílio Vaticano II
Conteúdo em Comemoração dos 50 anos do início do Concílio Vaticano IIMary Donzellini MJC
 

Semelhante a HIERARQUIA DA IGREJA CATÓLICA (20)

Hierarquia católica
Hierarquia católicaHierarquia católica
Hierarquia católica
 
Diaconado no oriente e no ocidente
Diaconado no oriente e no ocidenteDiaconado no oriente e no ocidente
Diaconado no oriente e no ocidente
 
M7 ensino 05 06
M7 ensino 05 06M7 ensino 05 06
M7 ensino 05 06
 
Papas
PapasPapas
Papas
 
33636183 roberto-constanza-o-governo-da-igreja-e-o-sistema-presbiteriano
33636183 roberto-constanza-o-governo-da-igreja-e-o-sistema-presbiteriano33636183 roberto-constanza-o-governo-da-igreja-e-o-sistema-presbiteriano
33636183 roberto-constanza-o-governo-da-igreja-e-o-sistema-presbiteriano
 
Igreja católica apostólica romana
Igreja católica apostólica romanaIgreja católica apostólica romana
Igreja católica apostólica romana
 
I grejas cristãs...luis, marina, hugo
I grejas cristãs...luis, marina, hugoI grejas cristãs...luis, marina, hugo
I grejas cristãs...luis, marina, hugo
 
Sagrado Magistério da Igreja Católica
Sagrado Magistério da Igreja Católica Sagrado Magistério da Igreja Católica
Sagrado Magistério da Igreja Católica
 
Mod 7 igreja - estutura e organização
Mod 7 igreja - estutura e organizaçãoMod 7 igreja - estutura e organização
Mod 7 igreja - estutura e organização
 
Formação litúrgica 2017 VS CMC
Formação litúrgica 2017 VS CMCFormação litúrgica 2017 VS CMC
Formação litúrgica 2017 VS CMC
 
FORMAÇÃO LITÚRGICA - MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS.pptx
FORMAÇÃO LITÚRGICA - MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS.pptxFORMAÇÃO LITÚRGICA - MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS.pptx
FORMAÇÃO LITÚRGICA - MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS.pptx
 
ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSASENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
ENSINO RELIGIOSO - ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
 
Acolitos
AcolitosAcolitos
Acolitos
 
5 igreja medieval
5 igreja medieval5 igreja medieval
5 igreja medieval
 
Curso para presbitero
Curso para presbiteroCurso para presbitero
Curso para presbitero
 
Pps 5 presbiterato e ministério pastoral na igreja metodista
Pps 5   presbiterato e ministério pastoral na igreja metodistaPps 5   presbiterato e ministério pastoral na igreja metodista
Pps 5 presbiterato e ministério pastoral na igreja metodista
 
Novo perfil do redentorista
Novo perfil do redentoristaNovo perfil do redentorista
Novo perfil do redentorista
 
A missao do bispo 0512
A missao do bispo 0512A missao do bispo 0512
A missao do bispo 0512
 
Conteúdo em Comemoração dos 50 anos do início do Concílio Vaticano II
Conteúdo em Comemoração dos 50 anos do início do Concílio Vaticano IIConteúdo em Comemoração dos 50 anos do início do Concílio Vaticano II
Conteúdo em Comemoração dos 50 anos do início do Concílio Vaticano II
 
Decreto Christus Dominus
Decreto Christus DominusDecreto Christus Dominus
Decreto Christus Dominus
 

Mais de Virna Salgado Barra

Uma breve reflexão sobre a Ressurreição de Cristo referenciada em publicação ...
Uma breve reflexão sobre a Ressurreição de Cristo referenciada em publicação ...Uma breve reflexão sobre a Ressurreição de Cristo referenciada em publicação ...
Uma breve reflexão sobre a Ressurreição de Cristo referenciada em publicação ...Virna Salgado Barra
 
Profª.Esp. Virna Salgado Barra - Geografia Bíblica - Crescente Fértil
Profª.Esp. Virna Salgado Barra - Geografia Bíblica - Crescente FértilProfª.Esp. Virna Salgado Barra - Geografia Bíblica - Crescente Fértil
Profª.Esp. Virna Salgado Barra - Geografia Bíblica - Crescente FértilVirna Salgado Barra
 
Uma síntese sobre os princípios da Teologia e da Filosofia Agostiniana - Virn...
Uma síntese sobre os princípios da Teologia e da Filosofia Agostiniana - Virn...Uma síntese sobre os princípios da Teologia e da Filosofia Agostiniana - Virn...
Uma síntese sobre os princípios da Teologia e da Filosofia Agostiniana - Virn...Virna Salgado Barra
 
Uma análise reflexiva sobre Agostinho de Hipona e os Maniqueus - Virna Salgad...
Uma análise reflexiva sobre Agostinho de Hipona e os Maniqueus - Virna Salgad...Uma análise reflexiva sobre Agostinho de Hipona e os Maniqueus - Virna Salgad...
Uma análise reflexiva sobre Agostinho de Hipona e os Maniqueus - Virna Salgad...Virna Salgado Barra
 
Uma breve reflexão sobre as etapas de conversão de Agostinho - Virna Salgado ...
Uma breve reflexão sobre as etapas de conversão de Agostinho - Virna Salgado ...Uma breve reflexão sobre as etapas de conversão de Agostinho - Virna Salgado ...
Uma breve reflexão sobre as etapas de conversão de Agostinho - Virna Salgado ...Virna Salgado Barra
 
Princípios da Filosofia Agostiniana por Virna Salgado Barra
Princípios da Filosofia Agostiniana por Virna Salgado BarraPrincípios da Filosofia Agostiniana por Virna Salgado Barra
Princípios da Filosofia Agostiniana por Virna Salgado BarraVirna Salgado Barra
 
Resumo Expandido sobre a Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amores Laetitia do ...
Resumo Expandido sobre a Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amores Laetitia do ...Resumo Expandido sobre a Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amores Laetitia do ...
Resumo Expandido sobre a Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amores Laetitia do ...Virna Salgado Barra
 
Resumo sobre os Anjos na Suma Teológica de São Tomás de Aquino (60-64q)
Resumo sobre os Anjos na Suma Teológica de São Tomás de Aquino (60-64q)Resumo sobre os Anjos na Suma Teológica de São Tomás de Aquino (60-64q)
Resumo sobre os Anjos na Suma Teológica de São Tomás de Aquino (60-64q)Virna Salgado Barra
 
Uma breve análise das virtudes em São Tomás de Aquino
Uma breve análise das virtudes em São Tomás de AquinoUma breve análise das virtudes em São Tomás de Aquino
Uma breve análise das virtudes em São Tomás de AquinoVirna Salgado Barra
 
Virna Salgado Barra - A ENCÍCLICA “VERITATIS SPLENDOR” (2017)
Virna Salgado Barra - A ENCÍCLICA “VERITATIS SPLENDOR” (2017)Virna Salgado Barra - A ENCÍCLICA “VERITATIS SPLENDOR” (2017)
Virna Salgado Barra - A ENCÍCLICA “VERITATIS SPLENDOR” (2017)Virna Salgado Barra
 
Virna Salgado Barra - Artigo SINGA 2011
Virna Salgado Barra - Artigo SINGA 2011Virna Salgado Barra - Artigo SINGA 2011
Virna Salgado Barra - Artigo SINGA 2011Virna Salgado Barra
 
Virna Salgado Barra - II NEAT 2010
Virna Salgado Barra - II NEAT 2010Virna Salgado Barra - II NEAT 2010
Virna Salgado Barra - II NEAT 2010Virna Salgado Barra
 
Virna Salgado Barra - III NEAT 2011
Virna Salgado Barra - III NEAT 2011Virna Salgado Barra - III NEAT 2011
Virna Salgado Barra - III NEAT 2011Virna Salgado Barra
 
1º Artigo - Semana da Geografia 2009 (UFU)
1º Artigo - Semana da Geografia 2009 (UFU)1º Artigo - Semana da Geografia 2009 (UFU)
1º Artigo - Semana da Geografia 2009 (UFU)Virna Salgado Barra
 
Virna Salgado Barra - Revista Científica "Em Extensão-UFU" de 2011.
Virna Salgado Barra -  Revista Científica "Em Extensão-UFU" de 2011.Virna Salgado Barra -  Revista Científica "Em Extensão-UFU" de 2011.
Virna Salgado Barra - Revista Científica "Em Extensão-UFU" de 2011.Virna Salgado Barra
 
CAP. IV – A LEI NATURAL E A SOCIEDADE POLÍTICA
CAP. IV – A LEI NATURAL E A SOCIEDADE POLÍTICACAP. IV – A LEI NATURAL E A SOCIEDADE POLÍTICA
CAP. IV – A LEI NATURAL E A SOCIEDADE POLÍTICAVirna Salgado Barra
 
CFE 2016 - 9º C - Grupo 1 - ESGOTO
CFE 2016 - 9º C - Grupo 1 - ESGOTOCFE 2016 - 9º C - Grupo 1 - ESGOTO
CFE 2016 - 9º C - Grupo 1 - ESGOTOVirna Salgado Barra
 

Mais de Virna Salgado Barra (20)

Uma breve reflexão sobre a Ressurreição de Cristo referenciada em publicação ...
Uma breve reflexão sobre a Ressurreição de Cristo referenciada em publicação ...Uma breve reflexão sobre a Ressurreição de Cristo referenciada em publicação ...
Uma breve reflexão sobre a Ressurreição de Cristo referenciada em publicação ...
 
Profª.Esp. Virna Salgado Barra - Geografia Bíblica - Crescente Fértil
Profª.Esp. Virna Salgado Barra - Geografia Bíblica - Crescente FértilProfª.Esp. Virna Salgado Barra - Geografia Bíblica - Crescente Fértil
Profª.Esp. Virna Salgado Barra - Geografia Bíblica - Crescente Fértil
 
Uma síntese sobre os princípios da Teologia e da Filosofia Agostiniana - Virn...
Uma síntese sobre os princípios da Teologia e da Filosofia Agostiniana - Virn...Uma síntese sobre os princípios da Teologia e da Filosofia Agostiniana - Virn...
Uma síntese sobre os princípios da Teologia e da Filosofia Agostiniana - Virn...
 
Uma análise reflexiva sobre Agostinho de Hipona e os Maniqueus - Virna Salgad...
Uma análise reflexiva sobre Agostinho de Hipona e os Maniqueus - Virna Salgad...Uma análise reflexiva sobre Agostinho de Hipona e os Maniqueus - Virna Salgad...
Uma análise reflexiva sobre Agostinho de Hipona e os Maniqueus - Virna Salgad...
 
Uma breve reflexão sobre as etapas de conversão de Agostinho - Virna Salgado ...
Uma breve reflexão sobre as etapas de conversão de Agostinho - Virna Salgado ...Uma breve reflexão sobre as etapas de conversão de Agostinho - Virna Salgado ...
Uma breve reflexão sobre as etapas de conversão de Agostinho - Virna Salgado ...
 
Princípios da Filosofia Agostiniana por Virna Salgado Barra
Princípios da Filosofia Agostiniana por Virna Salgado BarraPrincípios da Filosofia Agostiniana por Virna Salgado Barra
Princípios da Filosofia Agostiniana por Virna Salgado Barra
 
Resumo Expandido sobre a Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amores Laetitia do ...
Resumo Expandido sobre a Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amores Laetitia do ...Resumo Expandido sobre a Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amores Laetitia do ...
Resumo Expandido sobre a Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amores Laetitia do ...
 
Resumo sobre os Anjos na Suma Teológica de São Tomás de Aquino (60-64q)
Resumo sobre os Anjos na Suma Teológica de São Tomás de Aquino (60-64q)Resumo sobre os Anjos na Suma Teológica de São Tomás de Aquino (60-64q)
Resumo sobre os Anjos na Suma Teológica de São Tomás de Aquino (60-64q)
 
Uma breve análise das virtudes em São Tomás de Aquino
Uma breve análise das virtudes em São Tomás de AquinoUma breve análise das virtudes em São Tomás de Aquino
Uma breve análise das virtudes em São Tomás de Aquino
 
Estados Pontifícios
Estados Pontifícios Estados Pontifícios
Estados Pontifícios
 
Virna Salgado Barra - A ENCÍCLICA “VERITATIS SPLENDOR” (2017)
Virna Salgado Barra - A ENCÍCLICA “VERITATIS SPLENDOR” (2017)Virna Salgado Barra - A ENCÍCLICA “VERITATIS SPLENDOR” (2017)
Virna Salgado Barra - A ENCÍCLICA “VERITATIS SPLENDOR” (2017)
 
Virna Salgado Barra - Artigo SINGA 2011
Virna Salgado Barra - Artigo SINGA 2011Virna Salgado Barra - Artigo SINGA 2011
Virna Salgado Barra - Artigo SINGA 2011
 
Virna Salgado Barra - II NEAT 2010
Virna Salgado Barra - II NEAT 2010Virna Salgado Barra - II NEAT 2010
Virna Salgado Barra - II NEAT 2010
 
Virna Salgado Barra - III NEAT 2011
Virna Salgado Barra - III NEAT 2011Virna Salgado Barra - III NEAT 2011
Virna Salgado Barra - III NEAT 2011
 
1º Artigo - Semana da Geografia 2009 (UFU)
1º Artigo - Semana da Geografia 2009 (UFU)1º Artigo - Semana da Geografia 2009 (UFU)
1º Artigo - Semana da Geografia 2009 (UFU)
 
Virna Salgado Barra - Artigo
Virna Salgado Barra - ArtigoVirna Salgado Barra - Artigo
Virna Salgado Barra - Artigo
 
Virna Salgado Barra - Revista Científica "Em Extensão-UFU" de 2011.
Virna Salgado Barra -  Revista Científica "Em Extensão-UFU" de 2011.Virna Salgado Barra -  Revista Científica "Em Extensão-UFU" de 2011.
Virna Salgado Barra - Revista Científica "Em Extensão-UFU" de 2011.
 
CAP. IV – A LEI NATURAL E A SOCIEDADE POLÍTICA
CAP. IV – A LEI NATURAL E A SOCIEDADE POLÍTICACAP. IV – A LEI NATURAL E A SOCIEDADE POLÍTICA
CAP. IV – A LEI NATURAL E A SOCIEDADE POLÍTICA
 
Bioética - 3° ano médio
Bioética - 3° ano médioBioética - 3° ano médio
Bioética - 3° ano médio
 
CFE 2016 - 9º C - Grupo 1 - ESGOTO
CFE 2016 - 9º C - Grupo 1 - ESGOTOCFE 2016 - 9º C - Grupo 1 - ESGOTO
CFE 2016 - 9º C - Grupo 1 - ESGOTO
 

Último

Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAElianeAlves383563
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxMarceloMonteiro213738
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfMaiteFerreira4
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 

HIERARQUIA DA IGREJA CATÓLICA

  • 1.
  • 2. Os 10 mandamentos da Lei de Deus: 1º - Amar a Deus sobre todas as coisas. 3º - Guardar domingos e festas de guarda. 4º - Honrar pai e mãe. 5º - Não matar. 6º - Guardar castidade nas palavras e nas obras. 7º - Não roubar. 8º - Não levantar falsos testemunhos. 9º - Guardar castidade nos pensamentos e nos desejos. 10º - Não cobiçar as coisas alheias MOISÉS
  • 3. Os 5 Mandamentos da Igreja: 1 - Ouvir missa inteira nos domingos e festas de guarda 2 - Confessar-se ao menos uma vez a cada ano 3 - Comungar pelo menos pela Páscoa da Ressurreição 4 - Jejuar e abster-se de carne quando manda a Igreja 5 - Pagar o dízimo segundo o costume  Os cinco mandamentos ou preceitos da Igreja Católica (não confundir com os Dez Mandamentos da Lei de Deus), na sua forma atual, foram estabelecidos pelo Papa João Paulo II e promulgados em 2005 pelo Papa Bento XVI,
  • 4. Os sacramentos  Dentro da fé católica, os sacramentos, que a Igreja acredita serem instituídos por Jesus, foram:  Gestos e palavras de Cristo que concedem e comunicam a graça santificadora sobre quem os recebe.  Sobre os sacramentos, São Leão Magno diz: “O que era visível no nosso Salvador passou para os seus sacramentos"
  • 5. Os sacramentos são 7: 1. O Batismo 2. A Crisma 3. A Eucaristia 4. A Confissão 5. A Unção dos Enfermos 6. A Ordem 7. O Matrimônio.
  • 7. PAPA  Chefe Supremo da Igreja Católica Apostólica Romana (Supremo Pontífice da Igreja Universal e soberano do Vaticano).  Títulos: Bispo de Roma, Primaz da Itália, Arcebispo e Metropolita da Província Romana e Patriarca do Ocidente.  O Papa é vitalício, eleito pelo Santo Colégio dos Cardeais reunidos em Roma.  O Papa é o sucessor do apóstolo Pedro, o primeiro Bispo de Roma, nomeado por Jesus a pedra fundamental da Igreja em Mateus 16, 17-19.
  • 8. Papa Bento XVI (em latim: Benedictus PP. XVI, em italiano: Benedetto XVI) • Nascido Joseph Alois Ratzinger, (Marktl am Inn, Alemanha - 16 de abril de 1927) • É Papa desde o dia 19 de Abril de 2005. Foi eleito como o 266º Papa com a idade de 78 anos. Foi eleito para suceder ao Papa João Paulo II no conclave de 2005 que terminou no dia 19 de Abril.
  • 9. CARDEAL  A denominação apareceu no século VI e tem o significado de “superior eminente”, de onde provém o tratamento de “eminência”.  O título é conferido a alguns Bispos que funcionam como colaboradores e conselheiros imediatos do Papa, e servem como enviados, chefes de congregações e tribunais da Cúria Romana.  A partir do ano 1179, o Concílio de Latrão lhes conferiu o direito de eleger o papa no Sacro Colégio.
  • 10. Sua Eminência Reverendissíma Dom Eugênio de Araújo Cardeal Sales. (8 de novembro de 1920 — 9 de julho de 2012)  Arcebispo-emérito da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro.  Cardeal Protopresbítero da Santa Igreja de Roma.  Faria 69 anos de sacerdócio, 58 de episcopado, 43 de cardinalato, em seus quase 92 anos de vida. Ele sagrou 22 bispos e ordenou 215 sacerdotes.  Criador das Comunidades Eclesiais de Base e da Campanha da Fraternidade.
  • 11.  O Cardeal pode provir de qualquer Ordem Secular:  Cardeais Bispos  Cardeais Presbíteros (maior número dentro do Sacro Colégio, encarregados dos deveres pastorais e administrativos no Vaticano) e;  Cardeais Diáconos (número limitado de cardeais encarregados das missões de ajuda aos pobres na cidade de Roma). CARDEAL Bispo Presbítero (padre) Diácono
  • 12. Patriarcas  Normalmente títulos possuídos por alguns líderes das Igrejas Católicas Orientais (sui juris).  Estes patriarcas orientais, que ao todo são seis, são eleitos pelos seus respectivos Sínodos e depois reconhecidos pelo Papa.  Apesar de ser apenas honorífico e não lhes conferirem poderes adicionais.
  • 13. Arcebispos  Bispos que, na maioria dos casos, estão à frente das arquidioceses. Arcebispo Metropolita Titular Primaz Maior
  • 14. BISPO  Da palavra grega EPISKOPOI, que significa “supervisor”.  Sucessores dos Apóstolos, aos quais Jesus confiou a tríplice missão: magistério, ordem e jurisdição.  Nomeados pelo Papa, recebendo missão ordinária sobre os fiéis de sua DIOCESE ou Circunscrição Eclesiástica, composta por PARÓQUIAS.  Alguns Bispos assumem autoridade sobre outros Bispos da região, e são denominados Arcebispos, outros assumem as funções de Cardeal. Bispo Diocesano Titular Emérito Coadjutor Auxiliar
  • 15. Bispo de Uberlândia: Dom Paulo Francisco Machado  A pedra do anel do bispo é a ametista, símbolo de fidelidade à Igreja, seu Báculo ou bastão pastoral representa sua função de conduzir o rebanho de fiéis a ele confiado, e o uso de uma Cruz peitoral, meias e sandálias vermelhas, luvas de púrpura e mitra se deve a antigas tradições orientais.  Ao assumir, cargo episcopal, cada Bispo escolhe um brasão de armas e um lema que definirá o ideal de seu ministério.
  • 16. Títulos e Cargos  Além dos diferentes tipos de Bispos, existem também vários títulos e cargos, por exemplo :  Abade Territorial/Abade  Prelado Territorial  Prelado pessoal  Exarca  Vigário Apostólico  Prefeito Apostólico  Administrador Apostólico  Ordinário militar  Ordinário pessoal  Eclesiástico Superior de uma missão sui iuris  Administrador Diocesano
  • 17. Presbiterado  Os Presbíteros (ou padres) são os colaboradores dos bispos e só têm um nível de jurisdição parcial sobre os fiéis. Isto porque eles não receberam ainda a totalidade do sacramento da Ordem. Alguns deles lideram as paróquias da sua diocese e têm vários títulos, como por exemplo:  Vigário: agem em nome e com a autoridade do Bispo Diocesano.  Monsenhor: título honorífico - não confere quaisquer poderes sacramentais adicionais.  Cônego  Arquimandrita: ítulo honorífico usado nas Igrejas orientais sui juris Vigário Geral Judicial Episcopal Monsenhor Protonotário Apostólico Numerário Protonotário Apostólico Supranumerário Prelado de Honra de Sua Santidade Prelado de Honra de Sua Santidade Capelão de Sua Santidade
  • 18. Diaconato  São os auxiliares dos presbíteros e bispos e possuem o primeiro grau do sacramento da Ordem.  São ordenados não para o sacerdócio, mas para o serviço da caridade, da proclamação da Palavra de Deus e da liturgia.  Apesar disso, eles não consagram a hóstia (parte central da Missa) e não administram a Confissão ou Reconciliação.
  • 19. Consagrados (as)  Podem ser leigos, religiosos ou clérigos.  Normalmente agrupam-se em ordens religiosas ou em institutos seculares.  Vivem isoladamente ou até em comunidade aberta.  Profissão: castidade no celibato, pobreza e obediência. Entre estas pessoas, algumas aceitam levar uma vida de clausura monástica ou conventual. Entre os diferentes tipos de consagrados e títulos existentes destacam-se os seguintes: •Abade (a) •Monge (a) •Frade (a) •Eremitas (Eremitérios)
  • 20. Ministro Extraordinário da Comunhão  Leigo que recebe a permissão de distribuir a comunhão aos fiéis na missa;  Extraordinários porque só devem exercer o seu ministério em caso de necessidade.  Os ministros ordinários da comunhão são apenas os fiéis que receberam o sacramento da ordem.  CORRETO: ministro extraordinário da comunhão e não da Eucaristia! Temporário Permanente
  • 21. Existem duas Ordens:  Clero Secular ou Ordens Maiores.  Clero Regular ou Ordens fechadas: cujos religiosos se submetem a regras específicas de vida ou tipos de atividades, como é o exemplo dos monges.
  • 22. Ordens Seculares:  DIÁCONOS (DIACONATO)  PADRES (PRESBITERATO)  BISPOS (EPISCOPADO)
  • 23.  Companhia de Jesus (padres jesuítas) Ordem de São Bento (monjas e monges beneditinos) Ordem dos Salvatorianos Ordem dos Franciscanos Ordem dos Salesianos Ordem dos Salvatorianos Ordem dos Franciscanos Ordem dos Salesianos Irmãos Maristas Irmãos Rogacionistas Irmãs Paulinas Irmãos Dominicanos Ordens Regulares:
  • 24. ARQUIDIOCESE  É uma Circunscrição Eclesiástica da Igreja Católica (e também da Igreja Ortodoxa) que recebe este nome por ser uma importante diocese, em razão de seu tamanho ou por motivos históricos.  A autoridade máxima de uma arquidiocese recebe o nome de arcebispo, enquanto que as dioceses são comandadas por bispos.
  • 25. DIOCESE:  Do grego DIOKESIS que significa “administração da casa”.  Unidade territorial administrada por um bispo.
  • 26. PARÓQUIAS:  Termo derivado do grego PAROIKIA, que significa a “segunda casa”;  e se aplica na Igreja Católica às subdivisões da Diocese;  à cada uma delas confiada a um Pároco.