O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

HOSTILIDADES EM REDE: FIREWALLS REAIS PARA O CIBERESPAÇO (Apresentação de defesa)

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Próximos SlideShares
O futuro da internet Cap. 3
O futuro da internet Cap. 3
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 34 Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (19)

Semelhante a HOSTILIDADES EM REDE: FIREWALLS REAIS PARA O CIBERESPAÇO (Apresentação de defesa) (20)

Anúncio

Mais recentes (20)

HOSTILIDADES EM REDE: FIREWALLS REAIS PARA O CIBERESPAÇO (Apresentação de defesa)

  1. 1. Humberto Souza Comunicação Social - Publicidade, Propaganda e Marketing Orientadora Profª Ms. Diana Macedo
  2. 2. Introdução Revisão teórica Sociedade líquida Corpo, espaço e tempo Ciberespaço Redes Sociais na Internet Metodologia O Twitter Capital social no Twitter Hostilidades em rede Conclusões Agenda
  3. 3. Contexto Conexão e mobilidade Redes sociais = 39% uso de Internet (GfK) Emerge uma nova linguagem Proposta/Problema: como identificar e refletir acerca das inserções de conteúdo hostil ou preconceituoso no Twitter, a partir de alguns exemplos, da sociedade líquida, contemporânea? Introdução
  4. 4. Hipóteses Liberdade percebida pelos usuários Relações evanescentes Sociedade globalizada, líquida Justificativa Reflexão a respeito da linguagem Crescimento das hostilidades Introdução
  5. 5. Objetivo geral Refletir e convidar o leitor à reflexão Objetivos específicos A sociedade líquida O ciberespaço O Twitter Introdução
  6. 6. Revisão e documentação bibliográfica Bauman (2005, 2008, 2011), McLuhan (2005), Wolton (2007), Santos (2006), Chauí (2010), Sibilia (2002, 2008), Recuero (2009) e Santaella e Lemos (2010); DaMatta (2009), Lévy (1996, 1999), Nóbrega (2000), Primo (2003, 2011), Viviani (2007) e Zago (2008). Pesquisa exploratória no Twitter Metodologia
  7. 7. A ideia de aldeia global O meio é a mensagem O mito de Narciso “O que importa nesse mito é o fato de que os homens logo se tornam fascinados por qualquer extensão de si mesmos em qualquer material que não seja o deles próprios.” (MCLUHAN, 2005, p. 59). A Sociedade de McLuhan A idéia de aldeia global
  8. 8. O corpo sensível de Merleau-Ponty Alma x Corpo O corpo é temporal e espacial Imortalidade e tempo Virtualidade e espaço A Sociedade de McLuhan O corpo, o espaço e o tempo
  9. 9. Condição Pós-Moderna Sociedade de produção  consumo Ressignificação e individualização Deserção do Social (da história; do político e do ideológico; do trabalho; da família e da religião) “desde a perspectiva renascentista até a televisão, que pega o fato ao vivo, a cultura ocidental foi uma corrida em busca do simulacro perfeito da realidade.” (SANTOS, 2006, p.12). A Sociedade de McLuhan A sociedade individualizada
  10. 10. Simulacro, hiper-realização da realidade O homem pós-moderno divide-se em Consumista; Hedonista e; Narcisista. Bauman e “a ambivalência da vida” Facilidade de conectar e desconectar A Sociedade de McLuhan A sociedade individualizada
  11. 11. “A reinvindicação da liberdade de comunicar é evidentemente fruto da longa batalha iniciada na Renascença pelas liberdades de consciência, de pensamento, de expressão, depois a partir dos séculos XVII e XVIII pela liberdade editorial e de imprensa. No século XIX, a reencontramos na luta pelas liberdades de associação, de manifestação e de participação política. No século XX ela está diretamente ligada ao surgimento da democracia de massa, com o sufrágio universal e a informação para todos.” (WOLTON, 2007, p. 38). A Sociedade de McLuhan A sociedade individualizada
  12. 12. Virtual x possível Corpo, espaço e tempo virtuais Redes sociais na Internet Atores sociais Identidades líquidas “o horizonte em direção ao qual eu me empenho e pelo qual eu avalio, censuro e corrijo os meus movimentos”. (BAUMAN, apud MACEDO, 2010, p. 52). O ciberespaço O que é o ciberespaço?
  13. 13. O indivíduo é uma representação no ciberespaço Essas representações são líquidas e mutáveis Isso não é bom nem ruim, é apenas uma “dualidade de papéis sociais” Conexões (Interações, Relações ou Laços) TUDO é mediado pelo computador Muitas vezes distante do ator social, que nem sempre estão conectados. Reativas e limitadas; mútuas e construídas; fortes e fracas e multiplexas. O ciberespaço Redes sociais na Internet
  14. 14. Porquê o Twitter? TWTTR ao TWITTER LiveJournal + atualizado What are you doing? - Conexão e mobilidade O que é o Twitter? Microblogging Celebridades  Atenção da mídia  Popularização do Twitter O Twitter O que é o Twitter?
  15. 15. O Twitter O que é o Twitter?
  16. 16. O Twitter O que é o Twitter?
  17. 17. “Uma verdadeira ágora digital global: universidade, clube de entretenimento, ‘termômetro’ social e político, instrumento de resistência civil, palco cultural, arena de conversações contínuas.” (SANTAELLA; LEMOS, 2010, p. 66). O foco do Twitter está no conteúdo O Twitter O que é o Twitter?
  18. 18. O tweet: Pílula de 140 caracteres Conteúdo variado (de vários usuários ou não) O Twitter O tweet: uma pílula social de 140 caracteres
  19. 19. Expectativa do conteúdo (Ex STF); “as SMSs são filhas do e-mail, assim como as pílulas de 140 caracteres do Twitter são filhas das SMSs, com a diferença de que agora essas pílulas adquiriram o caráter populacional dos agenciamentos, de que fala DeLanda.” (SANTAELLA; LEMOS, 2010, p. 17). O Twitter O tweet: uma pílula social de 140 caracteres
  20. 20. As Hashtags Indexadores Puro conteúdo O Twitter O tweet: uma pílula social de 140 caracteres
  21. 21. O Retweet (RT) Compartilhamento Relevância (para o usuário e seus seguidores) O Reply Comentário mantendo a fonte Tentativa de reafirmar a identidade O Twitter O tweet: uma pílula social de 140 caracteres
  22. 22. O Twitter O tweet: uma pílula social de 140 caracteres
  23. 23. Os Trending Topics (TTs) O Twitter O tweet: uma pílula social de 140 caracteres
  24. 24. Reações reativas e limitadas Exemplo: Favorite Não há apropriação do usuário Não há mudança O Twitter O tweet: uma pílula social de 140 caracteres
  25. 25. Reações mútuas e construídas O capital social no Twitter Reputação do indivíduo Escolha do avatar, da imagem Escolha da narrativa, do texto “Os membros da sociedade de consumidores são eles próprios mercadorias de consumo, e é a qualidade de ser uma mercadoria de consumo que os torna membros autênticos dessa sociedade.” (BAUMAN, 2008, p. 76). O Twitter O capital social no Twitter
  26. 26. Hostilidades em rede Interações nem sempre construtivas Agravadas pela visibilidade e relevância no ambiente virtual “livre” de regras A possibilidade de anonimato e a falta de punição também podem ser fatores que agrava esse comportamento O Twitter Hostilidades em rede
  27. 27. Teoria O Twitter
  28. 28. Teoria O Twitter
  29. 29. Teoria O Twitter
  30. 30. Teoria O Twitter
  31. 31. Teoria O Twitter
  32. 32. Verificou-se que esta é a sociedade que preveu McLuhan A virtualização é uma nova chance ao indivíduo contemporâneo Laços nem sempre construtivos: Hostilidades Sociedade individualizada, fluida Firewalls reais Destino x Carater Conclusões Firewalls reais para o ciberespaço
  33. 33. “A Internet é o que você faz dela” “Nas mãos certas, coisas incríveis acontecem” Conclusões Firewalls reais para o ciberespaço
  34. 34. #OBRIGADO! @husouza hu.souza@gmail.com

×