Jogos e brincadeiras

3.900 visualizações

Publicada em

Slides sobre conteúdo de Educação Física: Jogos e brincadeiras

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Jogos e brincadeiras

  1. 1. EDUCAÇÃO FÍSICA JOGOS E BRINCADEIRAS Prof. Esp. Gutemberg Vieira
  2. 2. Origem dos Jogos e Brincadeiras Alguns brinquedos, jogos e brincadeiras tradicionais entre as crianças brasileiras têm origens surpreendentes. Vêm tanto dos povos que deram origem à nossa civilização (o índio, o branco, o negro), como até mesmo do longínquo Oriente. Existem brincadeiras e brinquedos que hoje conhecemos por passar de geração em geração.
  3. 3. Hoje, essas brincadeiras fazem parte da cultura do nosso povo e parte do folclore brasileiro que marcam os períodos por aqui vividos. Atualmente, no mundo cada vez mais urbanizado, industrializado e informatizado, a tendência é que muitas das brincadeiras tradicionais percam espaço.
  4. 4. Mesmo assim, jogos e brinquedos como a peteca, a amarelinha, a ciranda, a pipa e a cama de gato têm valor cultural inestimável, e o lugar dessas brincadeiras no folclore já está garantido.
  5. 5. Jogos Pré-Desportivos São jogos cujo objetivo principal é ensinar os movimentos básicos das modalidades esportivas. Nos jogos pré-desportivos, o aluno conhece o objetivo do jogo, a função e o modo de execução das principais ações técnico-táticas e as suas principais regras. Como início do jogo, marcação de “gols”, “cestas” ou pontos, adequando as suas ações a esse conhecimento.
  6. 6. Jogos Cooperativos No jogo cooperativo, aprende-se a considerar o outro que joga como um parceiro, um solidário, e não mais como o temível adversário. Os Jogos cooperativos não são apenas jogos que exigem força física, muito pelo contrário, pois jogo da memória, quebra-cabeça e jogos deste gênero também são considerados jogos cooperativos.
  7. 7. Existem muitos tipos de jogos cooperativos como, por exemplo, amigos de jô, estamos todos no mesmo saco, e outros jogos. Esses tipos de jogos são utilizados para incrementar a paz no dia-a-dia do participante, pois a pessoa quando joga aprende a se colocar no lugar do outro, priorizando sempre os interesses coletivos.
  8. 8. Jogos Competitivos Os jogos competitivos, por sua vez, também têm seu papel educacional, quando nos ensinam a lidar com a competitividade existente dentro de nós. Compreender a competição e as emoções relacionadas a ela num ambiente assistido, no espaço da aprendizagem, é uma oportunidade para lidar com a realidade do mundo competitivo de maneira mais serena e equilibrada.
  9. 9. A competição é prejudicial quando há a tentativa de trapacear, quando há um gasto excessivo de energia para ganhar ou, ainda, quando representa a diminuição do adversário. Do contrário, ela pode ser altamente positiva, preparando a pessoa inclusive para a competitividade da própria vida.
  10. 10. A competição é prejudicial quando há a tentativa de trapacear, quando há um gasto excessivo de energia para ganhar ou, ainda, quando representa a diminuição do adversário. Do contrário, ela pode ser altamente positiva, preparando a pessoa inclusive para a competitividade da própria vida.

×