A crise-do-capitalismo-e-os-regimes-totalitarios

46.060 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
46.060
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
252
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
337
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A crise-do-capitalismo-e-os-regimes-totalitarios

  1. 1. A crise do Capitalismo e os regimes Totalitários Após a Primeira Guerra Mundial ,os Estado Unidos se destacaram como a mais importante potência do mundo. Entre 1923 e 1929, os Estado Unidos viveram um momento de intensa euforia .acreditava-se que a aparente prosperidade duraria para sempre e que o estilo de vida norte – americano ( American Way of Life ) , jamais poderia ser alcançado por qualquer outra sociedade. Esta situação parecia ser o resultado de um base sucedida combinação de vários fatores: governo não intervinha na economia ,acreditando que as próprias regras do mercado eram suficientes para garantir ; o crescimento econômico e a prosperidade; desenvolvimento industrial do país era beneficiado por intensa mecanização. No plano agrícola tudo parecia crer que a prosperidade também séria infinita. Por fim ,é bom lembrar que também a indústria do cinema se desenvolvia rapidamente .HOLLYWOOD já era a capital mundial do cinema ,produzindo ídolos e mitos para consumo em larga escala.
  2. 2. <ul><li>CRESCIMENTO E A POBREZA </li></ul><ul><li>O setor agrário por exemplo, cuja produção no Início dos anos 20 resultava em vendas que chegava a mais de 15 bilhões de dólares, vê este número despencar para menos da metade por volta de 1929 </li></ul><ul><li>Ao mesmo tempo todo o progresso técnico acabava resultando em mais desempregados enquanto o salário real dos trabalhadores era reduzido progressivamente . </li></ul><ul><li>Na prática ,isto significava que apesar da produção crescente um número cada vez maior de pessoas não tinham poder de comprar ,seja em função do desemprego seja devido á redução do salário real </li></ul><ul><li>Assim, o CRESCIMENTO da pobreza fazia com que o crescimento da economia fosse desfrutado por um número cada vez menor de pessoas. </li></ul><ul><li>Apesar da ilusão de prosperidade, o pesadelo iria começar. </li></ul><ul><li>Reconstruídas, as nações européias diminuíram drasticamente a importação de produtos industrializados e agrícolas dos Estados Unidos.  </li></ul>
  3. 3. <ul><li>A “QUEBRA” DA BOLSA DE NOVA IORQUE </li></ul><ul><li>Com a diminuição das exportações para a Europa, as indústrias norte-americanas começaram a aumentar os estoques de produtos, pois já não conseguiam mais vender como antes. Grande parte destas empresas possuíam ações na Bolsa de Valores de Nova York e milhões de  norte-americanos  tinham investimentos nestas ações. Em outubro de 1929, percebendo a desvalorizando das ações de muitas empresas, houve uma correria de investidores que pretendiam vender suas ações. O efeito foi devastador, pois as ações se desvalorizaram fortemente em poucos dias. Pessoas muito ricas, passaram, da noite para o dia, para a classe pobre. O número de falências de empresas foi enorme e o desemprego atingiu quase 30% dos trabalhadores. A crise, também conhecida como “A Grande Depressão”, foi a maior de toda a história dos Estados Unidos. Como nesta época, diversos países do mundo mantinham relações comerciais com os  EUA , a crise acabou se espalhando por quase todos os continentes.  </li></ul>
  4. 5. <ul><li>A crise de 1929 afetou também o Brasil. Os Estados Unidos eram o maior comprador do  café  brasileiro. Com a crise, a importação deste produto diminuiu muito e os preços do café brasileiro caíram. Para que não houvesse uma desvalorização excessiva, o governo brasileiro comprou e queimou toneladas de café. Desta forma, diminuiu a oferta, conseguindo manter o preço do principal produto brasileiro da época. Por outro lado, este fato trouxe algo positivo para a  economia brasileira . Com a crise do café, muitos cafeicultores começaram a investir no setor industrial, alavancando a indústria brasileira. A solução para a crise surgiu apenas no ano de 1933. No governo de Franklin Delano Roosevelt, foi colocado em prática o plano conhecido como New Deal. De acordo com o plano econômico, o governo norte-americano passou a controlar os preços e a produção das indústrias e das fazendas. Com isto, o governo conseguiu controlar a  inflação  e evitar a formação de estoques. Fez parte do plano também o grande investimento em obras públicas (estradas, aeroportos, ferrovias,  energia  elétrica etc), conseguindo diminuir significativamente o desemprego. O programa foi tão bem sucedido que no começo da década de 1940 a economia norte-americana já estava funcionando normalmente. </li></ul>
  5. 7. <ul><li>O cenário mundial para o capitalismo era ideal para que ditadores assumissem o comando político dos países. </li></ul><ul><li>A missão primeira era barrar as manifestações de descontentamento da população. </li></ul><ul><li>Segundo, recuperar as economias de seus países, retomando a produção e o mercado, para salvar o capitalismo. </li></ul><ul><li>Terceiro, conter o avanço dos socialistas que propunham o redirecionamento mundial para esse regime. essa era a tarefa mais desafiadora e que mais interessava as grandes potencias capitalistas, pois os partidos comunistas já existiam em todas as nações desenvolvidas da Europa, nos Estados Unidos e grande parte da América Latina. </li></ul><ul><li>O caminho estava aberto para o fascismo de Benito Mussolini na Itália e, em seguida, para o nazismo de Hitler na Alemanha. são os regimes totalitários se consolidando e contando com o apoio das grandes potencias, pois esses regimes garantiam a ordem, a disciplina e o desenvolvimento capitalista. </li></ul>
  6. 9. <ul><li>O Fascismo Italiano </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>As conseqüências da Primeira Guerra Mundial foram desastrosas para a Itália. Além do saldo negativo de 650.000 mortos e a região de Veneza devastada, cresceram as dificuldades econômicas e o desemprego. Surgiram muitos conflitos sociais, como o aumento de greves, revoltas e reivindicações. Os burgueses, sentindo-se ameaçados, se apoiaram num pequeno grupo político, disposto a acabar com a força revolucionária: os fascistas. Eles disputavam o poder com os socialistas. </li></ul><ul><li>O fascismo é uma ideologia totalitária, que defende o Estado como incorporador e representante de todos os interesses do povo, e nacionalista - a nação é considerada a mais alta forma de sociedade desenvolvida pelo homem. Ela surgiu na Itália depois da Primeira Guerra. O fascismo tinha suporte no movimento de renovação da burguesia nacionalista e no temor de que revoluções operárias, como a russa e a alemã, se repetissem na Itália. A fundação, em 1914, por Benito Mussolini, dos Combatentes do fascio (machado rodeado de varas, símbolo de autoridade no Império Romano) e das Esquadras de Ação, em oposição tanto ao regime democrático-parlamentar quanto ao perigo bolchevique, direcionou o apoio do empresariado. </li></ul><ul><li>Este grupo político, que era formado por anarquistas, sindicalistas, nacionalistas e antigos combatentes mal adaptados à vida civil, concorreu às eleições em 1919, sendo derrotados e não obtendo uma cadeira sequer no Parlamento. </li></ul><ul><li>Os fascistas estavam dispostos a derramar seu sangue pela revolução. Mas Mussolini teve de remodelar seu partido, pois o fracasso nas eleições mostrou todas as deficiências deste. E, após ser reorganizado em moldes para-militares, todos os seus membros passaram a usar camisas negras, um símbolo de luto da Itália. </li></ul><ul><li>Mussolini conseguia arrastar multidões com seus discursos simples, mas conturbantes, pois, além de oportunista, era um hábil orador, que se preparava para chegar ao poder. </li></ul>
  7. 11. <ul><li>Os fascistas no poder </li></ul><ul><li>Mesmo não tendo uma doutrina firme, sendo inclusive, contraditórios na maioria das vezes, os fascistas passaram de 200.000 em 1919 para 300.000 em 1921. </li></ul><ul><li>Em 26 de Outubro de 1922, Mussolini exigiu o poder ao Rei Vítor Manuel III, e foi encarregado de organizar um ministério, onde foram introduzidos vários simpatizantes do fascismo. </li></ul><ul><li>Nas eleições de 1924, os fascistas obtiveram 3/4 dos votos. </li></ul><ul><li>Em 3 de Janeiro de 1925, Mussolini estabeleceu um regime totalitário de governo. A oposição foi eliminada, a constituição reformada, desapareceram o Senado e a Câmara dos Deputados. Foi estabelecida a linha única de candidatos e apenas um partido continuou a existir. </li></ul><ul><li>Assim, Mussolini, chefe do Partido Fascista, tornou-se ditador absoluto da Itália (Duce). </li></ul><ul><li>Desde 1870, as relações entre a Igreja e o Estado estavam abaladas. Mas, com o Tratado de Latrão, Mussolini resolveu o problema. O papado teria uma compensação financeira pela perda dos seus territórios; o casamento civil seria equiparado ao religioso e o ensino da religião católica seria obrigatório em todas as escolas. </li></ul><ul><li>Para Mussolini, foi uma ótima jogada política, pois atraiu os católicos para o seu partido. Mas ainda não satisfeito, continuou vigiando as publicações da igreja. </li></ul><ul><li>Para resolver o problema econômico, foram iniciados grandes trabalhos públicos: auto-estradas, aquedutos, edifícios habitacionais. A indústria foi dinamizada nos setores hidroelétrico, da construção naval, aeronáutica, automobilística, etc. </li></ul><ul><li>No setor agrícola, a produção de trigo aumentou de 46 a 65 milhões de quintais, permitindo à Itália dispensar importações do produto. </li></ul>
  8. 13. <ul><li>Características do Fascismo </li></ul><ul><li>«Em política partimos do conceito de Nação, facto inegável e insuperável. Estamos pois em posição de aberta antítese contra todos os internacionalismos.» </li></ul><ul><li>Benito Mussolini </li></ul><ul><li>Existência de um partido único; </li></ul><ul><li>Ultra nacionalismo; </li></ul><ul><li>Anticomunista </li></ul><ul><li>Desprezo pelos Direitos do Homem </li></ul><ul><li>Culto do Chefe </li></ul><ul><li>Imperialismo </li></ul><ul><li>Recusa do parlamentarismo e do sistema multipartidário </li></ul><ul><li>Corporativismo </li></ul><ul><li>Culto da força e da violência </li></ul>
  9. 15. <ul><li>História do Nazismo alemão </li></ul><ul><li>A ameaça de internacionalização do comunismo após a revolução russa de 1917 foi </li></ul><ul><li>Responsável pelo surgimento de governos fortes, ditatoriais ou não, em praticamente </li></ul><ul><li>todos os países mais adiantados. Enquanto em alguns ocorreu apenas um </li></ul><ul><li>endurecimento quanto a grupos ativistas socialistas, em outros instalaram-se ditaduras </li></ul><ul><li>cujas ideologias ou se opunham frontalmente às propostas comunistas, ou buscavam </li></ul><ul><li>neutralizá-las com medidas de segurança nacional no bojo de um projeto político com </li></ul><ul><li>forte apelo às massas. </li></ul><ul><li>O partido nasceu na Alemanha em 1919 e foi liderado por  Adolf Hitler  a partir de 1920. </li></ul><ul><li>Seu principal objetivo era unir o povo de ascendência alemã à sua pátria histórica, </li></ul><ul><li>Mediante sublevações sob a fachada falsa de &quot;autodeterminação&quot;. Uma vez reunida, a </li></ul><ul><li>raça alemã superior,ou Herrenvolk , governaria os povos subjugados, com eficiência, e a </li></ul><ul><li>dureza requerida conforme seu grau de civilização.Os judeus deviam ser discriminados </li></ul><ul><li>não por sua religião mas pela &quot;raça&quot;. </li></ul><ul><li>O Nacional Socialismo declarou os judeus, não importava sua educação ou </li></ul><ul><li>desenvolvimento social, fundamentalmente diferentes e para sempre inimigos dos </li></ul><ul><li>alemães O partido nazista chegou ao poder na Alemanha em 1933 e constituiu um </li></ul><ul><li>governo Totalitário chefiado pelo seu único líder Adolf Hitler . Nos anos entre 1938 e </li></ul><ul><li>1945 o partido expandiu-se com a implantação do regime fora da Alemanha, </li></ul><ul><li>inicialmente nos enclaves de população alemã nos países vizinhos, depois nos países </li></ul><ul><li>não germânicos conquistados. </li></ul><ul><li>Como movimento de massa o Nacional Socialismo terminou em abril de 1945, quando </li></ul><ul><li>Hitler cometeu suicídio para evitar cair nas mãos dos soldados soviéticos que ocuparam </li></ul><ul><li>Berlim. </li></ul>

×